The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Madiel

Ir em baixo

Madiel Empty Madiel

Mensagem por Daniel J. Smith em Qua Nov 13, 2019 8:52 pm

Madiel
Este tópico é destinado às postagens de trama de Daniel J. Smith, Madison Blanc-Faure e qualquer outra pessoa que venha a ser convidada.



A.Million.dreams.are
keeping.me.awake






Daniel J. Smith
Daniel J. Smith
Filhos de Éris
Filhos de Éris


Voltar ao Topo Ir em baixo

Madiel Empty Re: Madiel

Mensagem por Daniel J. Smith em Qua Nov 13, 2019 9:29 pm

Minhas pálpebras se abriram e fecharam algumas vezes até que meus olhos se acostumassem com a luminosidade do dia. Eu estava em uma  cama macia, com um monte de crianças de todo o tipo, a maioria se espremia ao meu redor e cochichava… aparentemente era estranho demais um adulto no acampamento, mas algum poderia ter me reconhecido também.

Levantei de sobressalto.

Bom dia, fantásticos amigos! Vou banhar-me, já que me acordaram tão gentilmente.

Disse em um tom absurdamente polido com um rosto recheado de sorriso, a despeito do meu desgosto de levantar de uma cama… fazia tempo que eu não sabia o que era uma cama.

Tomei banho rapidamente, mudei para a roupa que os vi usando, então fui em busca de Madison. Era algum protocolo estranho que eu dormisse no chalé de Hermes porque minha mãe não havia soltado fogos de artifício na lareira… e eu agradeceria por isso.

As pessoas eram estranhas, mas o mais estranho era ter um meio cavalo comandando todo o lugar, cavalo este que me ofereceu abrigo por uma noite, mas não me aceitaria no acampamento porque obviamente minha estada na seita não havia trazido satisfação aos demais semideuses.

Ele só sabia que eu capturava alguns, não fazia ideia de todo o resto e assim eu agradecia, ao menos tive acesso a comida, cama e banho. Zanzei pedindo informações até encontrar o chalé das filhas de Perséfone… eram muitas, bem mais do que eu chutaria, mas eu queria ver uma em particular.

Por alguma razão, eu não queria ir embora sem dizer alguma coisa… qualquer coisa. Eu não sabia o motivo disso, só queria ver o seu rosto antes de partir. Havíamos sofrido terrivelmente por uma noite, sobreviver é algo que cria um laço entre você e quem sobrevive ao seu lado, tinhamos construído essa ligação e isso tornara-se irreversível. Esse mesmo elo eu tinha com Michelle e Leona, por isso eu precisava encontrá-las… mas não tinha ideia de como fazer isso.

“Vamos resolvendo um problema por vez…”

Esperei do lado de fora do chalé, sentado e imerso em pensamentos… eu queria desvendar uma forma de reencontrar as minhas companheiras de prisão.

Madison chegou de uma corrida ou uma luta, já que tinha uma espada em mãos, estava suada e com uma cara de exaustão física. Ela me deu bom dia e então uma sequência de coisas que eu não esperava de verdade.

O burburinho das irmãs dela ficaram mais difusos enquanto eu esperava, perdido em pensamentos, ou me odiavam, ou a blusa laranja colada ao corpo deixava uma boa impressão do meu físico.

A maioria delas poderia ser uma filha minha, o que fazia eu não notar seu alvoroço ao meu redor, mas com a chegada de Maddie, aquela função pareceu aumentar. A menina sentou-se ao meu lado e então me beijou.

Seus lábios ainda tinham um sabor alcoólico, mas não era gin e sim alguma coisa inebriante que fazia os meus lábios formigarem e desejarem mais alguns segundos presos à ela. Eu ainda estava processando o gesto quando a vi perguntar como eu estava, por isso fiquei um tanto desconsertado… isso me fez sorrir de um jeito meio infantil.

Eu esperava te ver, mas não te beijar… você é sempre tão atirada assim? — Perguntei com um sorriso debochado, mas um olhar fixo de quem admira algo com profundidade.

Sorri com a resposta da garota, ela podia ser incrivelmente fofa quando queria… apenas quando queria, que fique claro. Mas parecia chateada por eu não poder ficar, não que eu fosse realmente querer aquilo.

Eu sei que não posso, mas logo vou ter uma casa e você pode ir me ver quando se sentir com vontade de ser atirada. — Coloquei o indicador sob o queixo da pequena, erguendo seu rosto delicado na minha direção. — Já te disse que não deve sentir vergonha de sobreviver, nunca.

A abracei, meus braços grandes a cobriam por inteiro, parecia que eu poderia protegê-la de todos os olhares que nos devoravam naquele momento. Comi, descansei e minha cara sempre foi incrível, não sei do que está falando.

Aproximei meu rosto para mais um beijo.

Posso ter outro desses de despedida? — Questionei calmamente.

Ela era realmente encantadora, tinha um jeito muito delicado de se mover, parecia que cada movimento havia sido milimetricamente coreografado e o compasso suave afetava meus batimentos cardíacos.

Encostei meus lábios nos dela, sentindo a doce sensação de formigamento que se espalhava pelo meu corpo à medida que minha boca se movia contra a dela, eu precisava lembrar do sabor frutado que ela tinha e minha língua buscava explorar a textura e sabor da dela, enchendo meu espírito com uma paz incomum.

E era isso, com um selinho nossas bocas se despediram e então eu me ergui sobre minhas pernas.

Como exatamente isso funciona? Eu preciso pensar em um local? Se eu pensar em alguém… eu poderia encontrá-lo?

Então a menina me explicou sobre o funcionamento da pedra e sobre o feitiço… mas nós não tínhamos nada além de roupas de prisioneiros quando fugimos para o labirinto… eu fiquei em silêncio, e Maddie me deu duas novas pedras daquelas, as coloquei no bolso.

 Qualquer lugar onde as minhas monstrinhas estejam se torna seguro ou estéril, vou guardá-las para te ver. Não temos nada, ainda, então acredito que vou precisar tentar a sorte no mundo e encontrá-las.  — Ressaltei o ainda porque eu tinha muitos planos para a vida.

Beijei a testa de Madison e me virei para me despedir e agradecer a hospitalidade do senhor equino. Mas nem precisei ir até ele, o próprio veio ao nosso encontro, deixando Madison desorientada. Eu não precisava me virar para ela para saber que estava exasperada, eu conseguia sentir o confortável clima de conflito que se estabelecia no local.

Devo agradecê-lo a hospitalidade, informar que sua generosidade me foi preciosa, mas devo partir em busca de duas companheiras, uma delas sofreu sérios danos cerebrais no tempo em que estivemos em cárcere e eu temo pela segurança dela. Sei que vai me entender quando digo que preciso cuidar da minha família, já que cuidas de uma tão grande. Elas podem estar em qualquer lugar e não tenho nenhuma garantia de encontrá-las, não temos pertences e de alguma maneira…  — Recuperei o fôlego um tanto pensativo. — Estávamos em 2018 quando entramos naquele lugar estranho, muito similar a um labirinto… e aparentemente estamos quase em 2020. Perdemos um pouco de tempo além de saúde e dignidade, é importante o que o senhor faz por essas crianças, mas nem todos tivemos a mesma sorte. Não posso deixar Leona e Michelle sozinhas por aí, por mais que elas sejam adultas e capazes, ainda são toda a família que eu conheci.

Estendi a mão para apertar a do líder.

Seu acampamento é muito belo, não tem nada de menor valor para Nova Roma. É mais interessante do que ouvi falar pelas celas daquele lugar, agora se puderem me mostrar a saída.

Segurei em sua mão gelada e suada demonstrando o contraste de medo e ansiedade, então, quando já estávamos distantes do cavalão a olhei. Minha expressão era calma e sincera.

Já pegou tudo que precisa para a nossa viagem? — Parei minhas passadas e a observei fixamente e prosseguiu em tom determinado. — Não se preocupe, vamos dormir bem essa noite e nas próximas… vai demorar até encontrarmos um bom lugar para nos esconder, mas você sabe que em breve também será expulsa daqui.

Parecia que a descente de Perséfone não estava muito melhor que eu mesmo, nada tínhamos a perder, logo o mundo era nosso para ser conquistado.

Fomos até a saída, depois de muito mato e rio. Então estávamos no meio de Nova York.

Em que tipo de hotel quer ficar? Podemos buscar as meninas amanhã depois que você se sentir melhor. — Disse, trazendo-a para perto e envolvendo-a com meu braço, a beijei no topo da cabeça.

No meio da selva de pedras havia um modesto hotel, era um prédio de no máximo 9 andares, mas parecia novo e em um ótimo estado de conservação.

Aquele me parece bom. Espera por mim na recepção por 10 minutos, eu já volto, Okey? Não faça coisas estranhas.

Dei um beijinho demorado na garota e um sorriso um pouco mais admirado do que eu esperava. Segui para o meio da rua, então, mudei alguns detalhes no meu rosto para não ser reconhecido, um nariz mais largo e uma boca mais fina mudam um homem por completo(Metamorfo I).

Busquei a minha vítima ideal, uma mulher na casa dos 50 anos, bem vestida e trancando seu carro.

Usei o meu charme interior (nível 4: charme) e sorri, tentando influenciar um sentimento lascivo de desejo na mulher (Sentimentos conturbados).

Boa tarde.   —Disse em um tom sedutor, usando toda minha habilidade de sedução. — Gostaria de ter uma tarde inesquecível? — Questionei com um sussurro no ouvido dela, deslizando um dedo pelo seu quadril.

Em outra situação ela provavelmente me processaria por assédio, mas o seu corpo estava dialogando com minhas habilidades. O desejo da outra era divertido e ela me olhou com mais atenção.

Podemos ter um bom tempo juntos. — Prossegui, deslizando meu indicador pelo meu abdômen em direção ao meu orgulho masculino. — Me diga a senha do seu cartão. (Charme I)

Ela estava tão entretida na minha performance que nem se deu conta da minha pergunta feita com charme, respondendo antes que se desse de conta.Uni minha sombra a dela (Umbracinese III) e a fiz buscar na bolsa a sua carteira e me alcançar, nesse ponto ela já estava incrédula e pronta para gritar ou fugir.


Esqueça tudo isso, esses últimos 10 minutos… esqueça tudo.(Esquecimento I)— Apontei para alguém aleatório na rua. — aquela pessoa? Tem certeza que ele a tentou beija-la? Senhora? … Senhora?

A mulher balançou a cabeça confusa e olhou na direção que eu apontava, logo depois para sua bolsa aberta e revirada. A carteira da pobre estava muito bem guardada em meu bolso e a senha do seu cartão. A mulher saiu correndo em desespero, para ir falar com um guarda mais adiante.

Entrei no primeiro caixa 24h e saquei todo o limite possível, tirei o dinheiro que já tinha na carteira e a larguei sobre o caixa eletrônico.
Eu tinha o bastante, cerca de dois mil dólares, voltei para onde havia deixado a filha de Perséfone... Confesso que fiquei apreensivo de não encontrar a menina novamente, mas feliz ao vê-la ainda ali.

Me encaminhei à recepção e pedi uma suíte boa, enrolei a atendente quanto aos documentos, usando de charme e conversa a toa. A fiz preencher a ficha com números de identidade falsos sem que percebesse e então subi com a Maddie.

Vamos comer algo bem gostoso, certo?


Maddie estava presa aos próprios pensamentos, por isso lhe dei o tempo e o espaço que precisava para se ambientar. Não é fácil trocar um lugar confortável e sair por aí com o primeiro maluco que acha. Assenti quando ela disse que precisava de um banho e vasculhei o menu de pedidos. Havia uma grande variedade de itens e preços.

Os pratos mais caros e rebuscados tinham a minha atenção, mas eu sabia que o mais sensato era pedir algo comum e por isso solicitei bife com fritas e Coca-cola. A suíte era bonita, tinha a cama de casal com lençóis claros, ao lado - próximo à janela - havia uma pequena mesa circular com duas cadeiras, puxei a delas e me sentei debruçado no para peito enquanto esperava a menina e o serviço de quarto.

Foi estranhamente aconchegante quando ela abraçou minhas costas, perguntando sobre a comida que respondeu por si mesma com três batidas na porta e um:

"Serviço de quarto!"

A comida foi servida e eu puxei a cadeira para que Madison sentasse, sentei em sua frente e a ajudei a se servir antes de servir meu próprio prato.

Amanhã precisaremos partir cedo, temos a chance de não irmos exatamente onde queremos, então…

Sorri, observando-a comer.

Mas gargalhei quando ela sugeriu que não passássemos pela recepção.

Que mafiosa! — Exclamei me jogando na cama. — vem, vamos dormir e amanhã a gente vai em busca das malucas perdidas.

Maddie se deitou aí meu lado e se agarrou aí travesseiro, ergui o tronco e usei aquele travesseiro bosta apoiar minha cabeça, revirando meu corpo na cama para ajustar minha posição de forma que eu pudesse vê-la, forma vamos um Yin yang na cama.

Leona sofreu alguns experimentos durante nossa estadia na seita, ela não sabe direito se comportar ou ter iniciativa, ela era usada como uma máquina de combate e foi diversas vezes lobotomizada. É um milagre que ainda tenha lhe restado algum cérebro. — Comentei, fazendo carinho em seu rosto. — Michelle foi torturada de novo e de novo, ela é durona, mas é realmente impressionante que esteja viva depois de tanto apanhar. Bem, ninguém consegue sair perfeito com um histórico assim.

Sim, Maddie, eu não precisei passar por nada disso. Não precisei porque eu fui espontaneamente por um frigobar e uma tv no quarto. Eu sabia que se eu ligasse contra eles iria ter um fim parecido, então me uni à causa livremente. Tentei escapar uma vez, apanhei e fui trancado, mas logo vieram semideuses e derrubaram toda a instalação, foi quando fugimos de lá.

Eu expliquei com calma e então ouvi sua explicação, em um silêncio calmo enquanto eu me perguntava porque só me metia com gente maluca.

Vai ver que era porque esse povo meio desorientado das ideias costumavam ser desconfiados, mas também extremamente justos e por terem passado pelo inferno, sabiam valorizar as coisas.

Você nunca mais vai passar por isso, então não precisa ter medo ou sentir que de alguma forma isso define você hoje, tem um impacto no que você se tornou, mas não é tudo o que você é. Você é a Madison que tem inúmeras outras experiências para te definir e você jamais voltará lá.

Dei um beijinho em seu rosto e segui acariciando a pele tão macia da garota.

Então, arrumei a posição, voltando ao lado normal da cama e a abraçando, trouxe-a para deitar-se em meu peito e lhe dei um beijo no topo da cabeça, então fechei meus olhos e ali fiquei com ela por um tempo.

Claro que eu sentia uma grande atração por ela, mas eu não tinha certeza se o momento era propício ou se ainda tínhamos mais alguns caminhos a prosseguir antes que eu tentasse seguir um passo adiante… por isso, e para ter certeza que eu ainda estaria vivo e com todas as minhas partes, prefiri que ela ditasse o tempo e o momento enquanto eu era apenas alguém acolhedor.

Ao abrir meus olhos, piscando e me adaptando à claridade, senti o toque suave dos lábios dela sobre os meus e em seguida na minha bochecha, seguido de um bom dia bastante entusiasmado.

Eu ainda estava me adaptando aos acontecimentos, então apenas levantei e caminhei meio grogue, pedi um café da manhã e fui para o banheiro, em busca do asseio matinal. Sem muitas palavras porque eu ainda estava agindo no automático.

Quando saí do banheiro, já havia café e eu ainda estava enrolado na toalha, tentando fundamentar quem eu era e qual a programação do dia, sentei à mesa e deixei o café quente despertar meu corpo e fazer meus neurônios funcionarem.

Bom dia! — Respondi quando finalmente acordado. — Eu não faço ideia de para onde ir encontrar as garotas, se eu pensar nelas e apertar a bolinha e você pensar em mim depois conseguiria me seguir?

Bem… eu não tenho muita ideia de onde estávamos, para ser sincero. Estávamos num parque cheio de mendigos, o que pode ser qualquer parque no estado. Antes disso estávamos num lugar muito bizarro e que se modificava, parecia com o castelo, uma espécie de labirinto cheio de monstros… passamos algumas semanas lá, mas quando finalmente saímos já havia passado quase dois anos. Eu não sei como achar elas, mas preciso.

Ia ser difícil, então fui puxando pela memória… o que teria de explicativo? O que poderia me ajudar? Foi quando uma memória me invadiu, uma placa desgastada e imunda com um nome: Parque…

Bryant! Parque Bryant! É para lá. — segurei na mão da garota. — Podemos ir?

Então o mundo se desfez em um flash e a pérola estourada se despedaçou em pó… um estômago girando e uma sensação de descer num elevador muito rápido me incomodavam e então árvores! Uma placa suja e uma pequena área coberta com latões.

Eu caí ali! Dali eu fui parar lá naquele inferno,pelo menos achei uma diabinha. — Deixei um sorriso largo espalhar-se no meu rosto.

Andamos um pouco, fui até um grupo de mendigos e coloquei dez dólares no potinho, perguntei pelas meninas e as descrevi com detalhes…

Havia uma moça grávida, ela estava meio lamuriosa e me olhou desconfiada… comentei sobre serem minhas irmãs e que eu precisava encontrá-la.

A mulher me narrou sobre ter enviado elas para um albergue ali perto, mas completou dizendo que houve uma briga… Disse que não sabia para onde tinham ido… e emendou que tinha ouvido rumores que muitos estavam migrando para Indianópolis…

O que ela faria em Indianópolis? Aliás, onde é isso? - perguntei confuso

Bem… pessoas como vocês, tem procurado lugares seguros e um de vocês esteve aqui, semana passada. — Ela começou a falar mais baixo e me chamar para chegar perto. Troquei um olha com Madison, minha sobrancelha franzida em uma sincera cara de desconfiança, ainda assim me aproximei. —Você não vai me chamar de louca, porque você sabe a verdade… ele estava fugindo de uma mulher com uma prótese e um casco de bode! Ela dizia que ia devorá-lo e eles lutaram… e ele fez surgir umas plantas no chão e cortou o pescoço dela com uma espada que depois virou uma pulseira! Uma pulseira!

A mulher estava aturdida e impressionada… pobre infeliz, havia visto através da névoa, ninguém manda ser uma mendiga bisbilhoteira também!

Ele pediu para eu guardar segredo, mas você é igual então eu posso dizer. - Algo me dizia que ela contava isso a todo mundo… - ele foi para lá, disse que tem um lugar secreto que protege todos! Um dia eu também vou ir!

Estreitei os olhos, dei uns tapinhas no ombro dela.

É um perigo que saiba isso, para você e para nós… então nós faça um favor e esqueça!
(Esquecimento I)- Disse a ela, amaldiçoando-a a esquecer.
Então segui com Madison, até estarmos a uma distância saudável.

Você sabe onde é isso? Eu estou ficando sem ideias… se eu pudesse sei lá, usar um celular… é terrível viver preso no século xv.

Eu sei que eu havia pedido ideias, mas acontece que eu me arrependo uns cinco minutos depois que a garota me arrastou até um quintal, e me dando uma moedinha para falar com um arco íris.

Eu me sentia preso num filme de my little pony onde pessoas reais acabam num mundo colorido onde cavalos cagam cupcake após comer açúcar e glitter. Eu estava aturdido demais para impedir aquela coisinha pequena de pular para o outro lado… ouvi um barulho de registro abrindo e enfim água...

Andei um pouco apreensivo, que cara eu deveria fazer? Se eu fingisse acreditar, capaz ficar meio delirante também… lembro de ter bebido bastante água e comido normalmente, assim como ela.

Vi um pouco das cores da luz difratada por cima da cerca… então me coloquei na ponta dos pés, isso fazia com que meu rosto até o nariz passasse a altura das cepas de madeira.

Você está se sentindo bem? Digo… bateu a cabeça ou aquele pó de pérola tem algum efeito colateral… certo, isso é só uma mangueira e isso uma moeda. — expliquei por fim, mostrando o objeto metálico e redondo.

Madison abriu a boca e - fora os xingamentos - tudo parecia um desenho infantil… mas tinha sido uma narrativa meus últimos dias nesta terra. Repeti em tom poético:

Oh, Íris, deusa do Arco-Íris, aceite minha oferta! — Joguei o maldito dracma — Quero falar com Leona Sigmund e Michelle.

E foi exatamente como entrar num episódio de Barbie no mundo das fadas. Do arco íris veio um sei lá, holograma?

Do outro lado a cara delas me olhava, tentei enfiar a mão na coisa, a imagem permanecia, minha mão atravessava e eu ficava todo molhado… eu nunca tinha visto uma loucura daquelas, tampouco elas!

Michelle foi a primeira a franzir o cenho e gritar meio confusa e meio debochada com aquela cara jocosa que lhe era usual.

FUCK ELE MORREU E VIROU UM FANTASMA COLORIDO?

Ergueu a mão na boca e então a imagem recebeu um brilho prateado e bruxuleou por um segundo antes da Leona se pronunciar. A infeliz tinha acertado a imagem com a lâmina…

Daniel? Você tá mesmo morto?

Respirei fundo, mantive a calma… uma cabeça no lugar é o segredo de tudo… estava complicado, coloquei a mão na parte superior do nariz, apoiando o peso da cabeça e suspirando.

Se eu não estivesse, você teria acabado de me matar, Dumbie.— balancei a cabeça e as olhei com a sobrancelha erguida e assumindo uma posição de comando. — Onde vocês estão? Acabei parando num castelo da Europa e agora eu estou em Nova York. Certo, pareci idiota, mas eu entrei no acampamento meio sangue e conheci um cavalo meio homem.

A gente estava num lamaçal, tipo um pântano, sei lá. E agora estamos num tipo de cidade romana. - Leona tentou explicar, mas seu forte era mesmo bater espadas nós outros, por isso olhou para a Michelle em busca de apoio.

A latina deu de ombros, praticidade era quase seu sobrenome, o que se fez audível na sua resposta.

Onde estamos agora não é tão relevante, mas sim onde vamos nos encontrar.

Enfatizou o onde e isso fez minha cabeça estalar com uma memória: Gente como nós... vai para Indianópolis…

Gente como nós vai para Indianópolis! Ouvi que tem um lugar seguro e muitos estão morrendo tentando ir para lá. Mas eu não acho que alguma coisa fosse conseguir matar vocês, e eu tenho uma fábrica sexy de pérolas mágicas que fazem você ir onde quer.

Olhei para a Madison e sorri, exibindo minhas covinhas. Olhei de volta para as garotas, olha… esse lance do telefone funciona assim:

Você cria um arco íris, daí tu joga um dracma e fala: Oh, Íris, deusa do Arco-Íris, aceite minha oferta! Daí joga o dracma e segue falando: Quero falar com o mais gostoso de todos os Daniels, certeza vamos nos encontrar assim. Pode ser a moeda romana também, então roubem isso de alguém por aí, eu vou esperar vocês lá.

E fomos embora, Madison com a crença de que terminaríamos daquela maneira, enquanto eu tinha a plena certeza que eu ainda a seguiria pelo mundo, mas primeiro… bem, era preciso ter algo antes de oferecer isto a alguém.


Daniel's informations
FPA

Poderes:
Éris Ativo:
Nível 16
Nome do poder: Maldição do Esquecimento I
Descrição: O filho de Éris/Discórdia, pode amaldiçoar o inimigo, o fazendo se esquecer de tudo o que estava fazendo, ou de algo que muito importa durante um curto período de tempo, ficando ineficaz e vulnerável em batalha.
Gasto de Mp: 25 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: 5 HP
Extra: Dura apenas um turno, nesse turno, o inimigo não se lembrara de como lutar, de onde está, ou o que estava fazendo, lhe dando a chance perfeita para atacar.

Nível 26
Nome do poder: Umbracinese III
Descrição: Seu poder melhorou conforme o esperado, e agora você consegue utilizar-se das sombras para manipular os movimentos do inimigo, e inclusive, limita-los. Você concentra parte da sua sombra, e a prende aos pés da sombra do inimigo, a partir desse momento, a sombra do seu inimigo, estará completamente ligada à sua, e todos os movimentos que você executar, ele também o fara. Contudo, o uso dessa habilidade querer pratica, e no sol, pode ser retardada, sua sombra pode acabar recuando, se a sombra do inimigo não estiver presente, você precisa das sombras para manipular tal habilidade, e o gasto de energia além de ser grande, torna seu controle precário.
Gasto de Mp: 25 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Qualquer movimento executado por você, será executado pelo inimigo, contudo, ao ativar essa habilidade, não conseguira usar outra no mesmo momento, pois, sua concentração ainda é pequena, e você não é capaz de ter total controle de tal habilidade. Ou seja, nem mesmo outra habilidade sombria, lhe será útil.

Éris Passivo:
Nível 1
Nome do poder:  Apreciadores da Discórdia
Descrição: Os filhos de Éris/Discórdia são parcialmente conhecidos por serem bastante impiedosos, do tipo que gostam de ver “o circo pegar fogo”, ainda mais se forem eles mesmo que causaram o “incêndio”. (Isso depende muito da pessoa, alguns de seus filhos podem ter não herdado sua maldade.)
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 2
Nome do poder: Cura do Pomo I
Descrição: Inicialmente comer uma maçã - um dos símbolos de sua mãe - poderá lhe dar um pouco mais de energia e fazer você se sentir revigorado, mas nesse nível não é nada muito elaborado.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: + 10 HP e + 10 de MP
Dano: Nenhum

Nível 3
Nome do poder: Energia
Descrição: Caso haja um clima de discórdia, vingança ou ira no campo de batalha, você irá se sentir mais forte e revigorado.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: + 5 de HP e + 5 de MP.
Dano: Nenhum

Nível 4
Nome do poder: Perícia com facas e lanças I
Descrição: Os filhos de Éris/Discórdia possuem habilidade tanto com armas que conferem certa distância quanto com armas de curto alcance. Nesse nível ainda é algo muito simples e sua habilidade se destaca, mas está longa da perfeição.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +20% de assertividade no uso de uma dessas armas.
Dano: +5% de dano.

Nível 5
Nome do poder: Ambidestria
Descrição: Éris/Discórida era braço direito de Ares, por isso - ao menos com armas - seus filhos são ambidestros. Tendo habilidade de manuseio com ambas as mãos.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Mesmo estando com uma arma na mão dominante, conseguira usar outra na mão oposta sem qualquer problema.
Dano: Nenhum

Nível 7
Nome do poder: Causador de Discórdia I
Descrição: As proles dessa deusa são ardilosas e, nesse nível, contam mentiras que parecem muito verídicas, podendo fazer o oponente ficar levemente confuso.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Torna poderes de ilusão, mentiras e discórdia através de palavras e da mente 15% mais fortes.
Dano: +5% de dano se o semideus conseguir fazer com que caiam em sua teia de mentiras e ilusões.

Nível 9
Nome do poder: Bom ator
Descrição: Devido a sua habilidade em contar mentiras, você acaba sendo um improvisador nato e essa habilidade pode lhe ser muito útil para sair de momentos difíceis.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +10% de força em poderes ativos que necessitem de persuasão, ilusão ou mentiras. +15% de chance de sair de uma situação complicada usando tal habilidade.
Dano: Nenhum

Nível 10
Nome do poder: Reconhecimento de mentiras
Descrição: Nada melhor do que um bom mentiroso para reconhecer outro, certo? Desde que o oponente não acredite na mentira que está contando, você poderá descobrir que a história dita não passa de uma falácia.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Não será afetado por mentiras, pois, sempre sabe quando alguém está mentindo ou tentando engana-lo.
Dano: Nenhum

Nível 12
Nome do poder: Aprimoramento de força
Descrição: Como Éris/Discórdia acompanhava Ares/Marte em batalha, seus filhos conseguem aumentar sua força de modo que ela se compara a da prole do senhor da guerra, ficando abaixo apenas de tais crias.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de força em batalha.
Dano:  +5% de dano se os golpes acertarem.

Nível 13
Nome do poder: Estrategista Habilidoso
Descrição: De tanto criar mentiras você começa a se tornar um bom estrategista, sendo capaz de criar estratégias de batalha quase tão eficientes quanto a das proles de Atena.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de chance de que seus planos funcionem conforme o esperado.
Dano: Nenhum

Nível 15
Nome do poder: Perícia com facas e lanças II
Descrição: Agora a sua habilidade começa a se aperfeiçoar ainda mais e você com toda certeza passa a ser um dos destaques no uso de ambas as armas.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +35% de assertividade no uso de uma dessas armas.
Dano: +15% de dano.

Nível 16
Nome do poder: Furtividade I
Descrição: Os filhos de Eris/Discórdia tendem a ser bastante espertos, furtivos, devido as palavras venenosas e da má sorte que instalam ao seu redor. Isso faz com que consigam se esquivar mais facilmente, e se locomover sem serem notados com facilidade, podendo evitar fazer barulhos, ou serem detectados.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de furtividade em luta. +20% de chance de pegar o inimigo de surpresa.
Dano: Nenhum

Nível 17
Nome do poder: Resistência à Pressão
Descrição: Como Éris/Discórdia foi ao Tártaro, seus filhos possuem a capacidade de suportar grandes pressões/variações bruscas de pressão sem sofrer algum tipo de dano colateral.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Podem resistir a grandes pressões sem sofrer danos.
Dano: Nenhum

Nível 18
Nome do poder: Pena
Descrição: Os filhos de Eris/Discordia, não são piedosos, e apelar para esse lado com eles não surtira qualquer efeito, eles são frios, e seu coração geralmente não pode ser aquecido por pedidos de misericórdia.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Apelar para compaixão, pena e sentimentos semelhantes não surtira efeito nenhum com os filhos da deusa da discórdia.
Dano: Nenhum

Nível 22
Nome do poder: Cura do Pomo II
Descrição: Agora, ao ingerir do fruto, além de se sentir revigorado, você consegue fazer com que pequenas feridas/feridas superficiais se fechem.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: + 25 de HP e + 25 de MP
Dano: Nenhum

Nível 23
Nome do poder: Causador de Discórdia II
Descrição: Agora, além da boa lábia, eles também têm a capacidade de fazer aliados voltarem uns contra os outros. Seus dons de oratória são excepcionais e eles conseguem facilmente enganar o oponente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Torna poderes de ilusão, mentiras e discórdia através de palavras e da mente 25% mais fortes, agora, isso também serve para maldições lançadas por ele.
Dano: +10% de dano se o semideus conseguir fazer com que caiam em sua teia de mentiras, ilusões e maldições.

Nível 26
Nome do poder: Esquecimento
Descrição: Os filhos da deusa da discórdia não são afetados por feitiços de esquecimento, ou poderes relacionados a tal. Sua mente está diretamente protegida contra efeitos relacionados a tais poderes, e sendo um de seus irmãos – Lete, filho de Eris/Discordia – ele está devidamente cuidado.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Não serão afetados por feitiços e poderes relacionados ao esquecimento.
Dano: Nenhum

Nível 28
Nome do poder: Sobrevivente
Descrição: O filho de Eris/Discórdia, não sofre como outras pessoas a torturas relacionadas a fome, sendo capaz de passar mais de 10 dias sem comer e ainda assim – apesar de muito fraco – permanecer vivo.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Mesmo com uma fome infernal, poderá se manter vivo por um longo período de tempo.
Dano: Nenhum

Nível 30
Nome do poder: Guerreiro Nato
Descrição: Assim como a deusa acompanha sempre Ares/Marte, seus filhos estão sempre prontos para briga. Podendo lidar com conflitos/combates inesperados de forma eficaz.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: 50% de chance de não ser pego de surpresa.
Dano: Nenhum

Nível 31
Nome do poder: Furtividade II
Descrição:  Éris/Discórdia consegui passar por Ládon, roubar uma das maças de Hera protegidas pelas Hesperides, entrar numa festa de casamento divina, cheia de parentes, e ainda causar uma briga entre Afrodite, Hera e Athena sem ser vista. Nesse nível você pode se tornar tão furtivo quanto sua genitora.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +25% de furtividade em luta. +40% de chance de pegar o inimigo de surpresa.
Dano: Nenhum

Nível 39
Nome do poder: Insensato
Descrição: O filho de Eris/Discórdia, é naturalmente um ser nebuloso, ambíguo e insensato, assim sendo, poderes relacionados a loucura, ilusão, ou desordem, não tem o mesmo efeito sobre ele.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poderes ilusórios, de loucura, manipulação e desordem tem um efeito 50% menor sobre os filhos de Éris/discórdia.
Dano: O dano dos poderes citados é reduzido em 50%.

Nível 40
Nome do poder: Perícia com facas e lanças III
Descrição: Agora você tem uma excelente desenvoltura no uso de ambas as armas e é quase um mestre, podendo ser claramente um exemplo a ser seguido. Suas habilidades não passam despercebidas por ninguém.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +50% de assertividade no uso de uma dessas armas.
Dano: +30% de dano.

Nível 43
Nome do poder: Vingativo
Descrição: Você é frio e calculista, uma habilidade pessoas - geralmente - vingativas. Por isso consegue manter a calma e o foco mesmo em situações de grande pressão.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +50% de foco em batalhas, é difícil te tirar do seu objetivo.
Dano: Nenhum

Nível 45
Nome do poder: Cura do Pomo III
Descrição: A mçã se tornou tão eficiente para suas feridas que, nesse estágio, consegue até diminuir/retardar o efeito de venenos.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: + 40 de HP e + 40 de MP
Dano: Nenhum.

Nível 47
Nome do poder: Extorsão
Descrição: As proles de Éris/Discórdia são ótimas em extorsão de todos os tipos. Inclusive, são algumas das pessoas mais hábeis existentes em extração de segredos.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Conseguirão extrair palavras e segredos dos outros com 50% de chance de dar certo.
Dano: Nenhum

Nível 50
Nome do poder: Perícia com facas e lanças IV
Descrição: Suas habilidade são incríveis e você quase nunca erra. Você é mais do que um talento nato e seus esforços resultaram em uma perícia de causar inveja.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +100% de assertividade no uso de uma dessas armas.
Dano: +45% de dano
Ativos afrodite:
Nível 3
Nome do poder: Charme I
Descrição: Os filhos de Afrodite/Vênus têm grande capacidade da persuasão, afinal, é impossível resistir aos pedidos de alguém tão carismático.  Neste nível o poder está começando a se desenvolver, portanto só funciona com semideuses e monstros mais fracos.
Gasto de Mp: 15 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Pode usar para enganar ou persuadir alguém a fazer o que você quer, por exemplo, fazer um inimigo se voltar contra um aliado dele mesmo. Porém, só funciona com pessoas de nível inferior ao seu.

Nível 5
Nome do poder: Sentimentos Conturbados
Descrição: O semideus consegue fazer com que seus oponentes troquem os sentimentos do momento, ou algo semelhante, assim sendo, uma pessoa com raiva pode ficar calma, e uma pessoa feliz pode sentir um ciúme incomodo. Isso pode atrapalhar ou ajudar na batalha, depende da forma com que o semideus o utilizar.
Gasto de Mp: 20 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: 5 HP
Extra: O efeito dura em média um turno, então o poder precisa ser ativado novamente para continuar funcionando.
Passivos Afrodite:
Nível 1
Nome do poder: Beleza Natural
Descrição: Os filhos da deusa do amor são campistas naturalmente bonitos e charmosos. A beleza supera a de qualquer outro semideus no acampamento, sendo algo beirando ao sobrenatural. É simplesmente indescritível. Isso faz com que inimigos e aliados acabem se distraindo por sua beleza perturbadora, ou encantados pela mesma.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode deixar o inimigo atordoado durante o primeiro turno, evitando atacar logo de cara, ou se atacar (poderes que exijam miras, ou armas com a mesma característica), irão errar o alvo. Não acertarão o filho de Afrodite/Vênus, pois, de primeira, o inimigo não saberá porque não nutre o desejo de ataca-lo.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Fluência em Frances
Descrição: Não importa se você nunca teve contato com o idioma, mas por ser a língua do amor, você pode fala-lo fluentemente, lê-lo e escrevê-lo com perfeição, como se esta fosse sua língua materna.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano:Nenhum

Nível 2
Nome do poder: Comunicação com Pombas e Cisnes
Descrição: Ambos são animais regentes da deusa do amor, logo, seus filhos podem se comunicar com as mesmas, podendo pedir pequenos favores e principalmente informações. Os pássaros não te obedecem, mas têm respeito e admiração por você.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode conseguir informações através deles, e com seu charme natural, até consegue que eles te ajudem.
Dano: Nenhum

Nível 3
Nome do poder: Pericia com Chicotes I
Descrição: O filho de Afrodite/Vênus possui um manejo elevado com chicote e, além disso, é totalmente hábil em fazer manobras incríveis e incomuns com o mesmo, podendo envolver um membro específico do corpo de seus adversários com o chicote para comprometer sua respectiva movimentação. O semideus será bom com o manejo da arma, mesmo sem nunca a ter utilizado.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +10% de assertividade no Manejo de Chicotes.
Dano: +5% de dano se a arma do semideus acertar o oponente.

Nível 4
Nome do poder: Resistência
Descrição: O filho de Afrodite/Vênus, é um sedutor nato, que conhece a magia por trás do charme, e da sedução. Isso faz com que se tornem invulneráveis a poderes envolvendo a beleza do oponente e magias com amor, essas não atingem o seu personagem.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poderes relacionados a enganação do coração, charme, sedução e beleza não surtem efeito na prole da deusa do amor.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Detecção.
Descrição: Como filho de Afrodite/Vênus o semideus consegue detectar os sinais de charme/poções do amor em outros indivíduos, assim como ilusões relacionadas ao amor. Lembrando que ele não terá acesso as memorias do semideus/criatura/monstro atingido, apenas saberá se o mesmo foi atingido por algum poder de tal natureza.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 5
Nome do poder: Pericia com Adagas I
Descrição: O semideus possui certa afinidade com as adagas, uma arma delicada, simples, que em suas mãos se torna mortal. O filho de Afrodite/Vênus costuma repelir armamentos mais pesados, por isso a adaga o atrai com mais facilidade. E mesmo que ele nunca tenha se utilizado de uma, conseguira maneja-la com certa facilidade. Nesse nível, ainda apresenta alguns poucos erros.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de assertividade no manejo de Adagas.
Dano: +5% de dano se a arma do semideus acertar o oponente.
Extras:




Última edição por Daniel J. Smith em Qua Nov 13, 2019 9:56 pm, editado 1 vez(es)


A.Million.dreams.are
keeping.me.awake






Daniel J. Smith
Daniel J. Smith
Filhos de Éris
Filhos de Éris


Voltar ao Topo Ir em baixo

Madiel Empty Re: Madiel

Mensagem por Madison Blanc-Faure em Qua Nov 13, 2019 9:54 pm



Innocence lost
In the land of gods and monsters I was an angel Living in the garden of evil Screwed up, scared, doing anything that I needed Shining like a fiery beacon You got that medicine I need Fame, liquor, love, give it to me slowly Put your hands on my waist, do it softly I don't really wanna know what's good for me If I get a little prettier, can I be your baby?

Quíron havia mandado que ela e Daniel fossem para o Acampamento. Não fora surpresa. Surpresa era o que ela sentia ao saber que podia dormir no chalé de sua mãe. Ela ainda tinha o colar de contas e o carregava consigo discretamente, soltando um suspiro pesado sempre que se lembrava dele.

Diferente das outras vezes, naquele dia, ela estava sem. Acordou na manhã seguinte e tomou café, depois seguiu para a arena, onde treinou um pouco com a filha de Hécate que era a atual instrutora de armas. A garota era boa e Madison precisou ir até a enfermaria quando acabaram.

E quando chegou na porta de seu chalé completamente suada e com uma faixa no braço enquanto carregava a espada em uma das mãos, surpreendeu-se em ver Daniel ali. Jurava de pés juntos que ele apenas iria embora. — Bom dia. — disse de forma sorridente. Sabia que haviam pessoas que tinham detestado o fato dele estar ali após… bem. Ela não saberia dizer. Todo mundo que havia buscado perdão, tinha obtido. Por que iria tratá-lo diferente? Sentou-se ao lado dele.

A filha de Perséfone ouviu o burburinho de alguns de seus irmãos, especialmente das garotas. Ela se inclinou e o beijou com calma, acariciando seu rosto. — Como está? Já vai?

Madison transformou a espada em um bracelete e a colocou de volta no pulso enquanto fingia pensar. O sorriso que brincou por seus lábios quando ela jogou a cabeça para trás e soltou os cabelos compridos  entregou-a. — Digamos que… só quando eu quero. — abraçou as próprias pernas e suspirou pesadamente.

Você não pode ficar. Eu também não poderia se soubessem o que fiz. — e ela estava se referindo a matar os próprios pais. Ela era uma das mais velhas de seu chalé. Era até engraçado porque era uma das menores também. — Comeu bem? Descansou? Sabe, sua cara até melhorou. — disse a última frase com algum divertimento.

Eu tenho um lugar fora daqui. Mas aqui é onde eu sinto alguma… normalidade. — ela sorriu com o pequeno gesto. — Tenho vergonha de ter sido criada por um pedófilo em potencial. O resto é resto… eu fiz o que devia. — deu de ombros e o olhou de forma atenta.

Foi estranho sentir-se acolhida. Segura. Apenas retribuiu o abraço, sentindo o perfume do rapaz tomar todo seu olfato. Não pôde deixar de rir quando ele a  respondeu sobre a própria aparência. — Convencido.

A pergunta a fez rir outra vez, e ela sentia que não ria muito se fosse ser bem sincera, então, apenas assentiu, levando uma das mãos pequenas até os fios loiros do outro em uma carícia delicada. Foi com um doce prazer que ela sentiu os lábios dele contra os próprios, quentes e macios. Gentis. Como haviam sido desde o primeiro momento. Foi quando seu estômago afundou-se com a ideia de nunca mais vê-lo que ela soube que ele seria a nova "Molly". Aquilo causou um incômodo em seu peito, mas deixou para lamentar o próprio azar de sempre ficar sozinha depois. Quando estivesse… bem, sozinha.

Viu-o se colocar de pé, afastando-se e endireitou a própria postura. — Bom. Em teoria. Mas funciona melhor com lugares. Você não precisa conhecer o lugar, mas se pensar, por exemplo, com muita vontade em uma rua específica de qualquer cidade, é garantido que sim. Você vai acabar lá. — suspirou pesadamente, apoiando as mãos nos joelhos. — Olha, quer uma dica? Se você tiver alguma coisa, qualquer coisa, que seja da pessoa que você procura, leve até um filho de Hécate e implore a ele por um feitiço de rastreio. Ele vai ter a localização exata e vai poder te dizer com certeza para onde ir. Isso vai tornar a sua viagem totalmente eficaz.

Agora, ela se colocou de pé, fazendo um pequeno gesto para que ele esperasse. Suas irmãs e irmãos não estavam mais falando deles na janela. Então, Maddie revirou algumas coisas no chalé, pegando outras duas pérolas. Ela podia invocar mais, mas estava irritada com o fato de estarem sussurrando sobre ela como se ela fosse surda ou lesada. — Aqui. — disse ao retornar para fora. — Isso é pra você e pra pessoa que procura poderem ir até um lugar seguro, sim?

Ela quase perguntou quantas pessoas eram para dar mais algumas pérolas para ele. Mas então ele disse algo que lhe chamou a atenção. Quíron, que parecia querer falar com ela - e até com ele - se aproximou, mas ela estava concentrada demais em Daniel para percebê-lo. — Se quiserem… se quiserem ir ficar comigo. Eu moro num chalé na área selvagem de Quehanna, na Pensilvânia. — por fim, desviou a atenção para Quíron, sentindo-se ficar mais tensa.

Tinha pavor daquele homem desde que conseguia lembrar-se. Quíron era velho. E parecia poder ler a alma de qualquer pessoa. Até se esqueceu do incômodo em seu peito. A voz de Daniel soando distante enquanto ela sabia exatamente o que estava para vir depois que ele terminasse o breve monólogo-barra-diálogo com Daniel. As orientações para que a criança da primavera o levasse até a saída foram o de menos. O que veio a seguir quase impediu-a de respirar. — Precisamos conversar, senhorita Blanc-Faure. Não tenho notícias de seus pais há anos. E também não a via há bastante tempo.

Com medo demais, Madison apenas assentiu. — Sim, Quíron. Mas ficou complicado aparecer depois que eles morreram. — então, olhou para Daniel e começou a caminhar em direção à colina enquanto Quíron processava a morte do casal que havia adotado a garota.

Eu falei sério. Você e sua família podem ir para a minha casa. Tem remédios, plantas medicinais, comida e roupa limpa lá. — disse com calma, sentindo-se relaxar aos poucos enquanto caminhava ao lado do homem.

Madison apertou a mão de Daniel. Quíron não a expulsaria. Ele devia saber o que ela havia feito, mas não devia culpá-la já que nada dissera, ainda assim, ela tinha medo. O centauro era esperto demais. Bom demais em ler cada uma das pessoas que ali passavam. — Daniel, eu vou acabar te atrapalhando… — sabia, com certeza, que não queria ficar. Sabia que Quíron tinha noção de que ela acabaria fugindo com Daniel.

Maddie queria chorar. Ser a idiota sentimental que costumava ser e sentar no chão para chorar e tentar se decidir sobre o que fazer. — Não tenho o que pegar. — apertou um pouco mais a mão do filho de Éris. Sua garganta queimando como brasa. — Vamos. — pediu. Não havia tom de ordem. Estava confusa depois de ficar sozinha por tanto tempo. Sozinha depois de ter sido rejeitada e despedaçada por cada pessoa que passara por sua vida.

Éris era a deusa da discórdia. Ao menos, ela não poderia alegar não saber no que estava se metendo. Ao menos, se ele se cansasse dela, ela poderia apenas ir embora sabendo que aquilo já era esperado. Mas havia aquela parte de si que adoraria criar esperanças de ter, ao menos, um amigo.

A viagem fora de um tempo considerável cortando em meio à mata que margeava a estrada até que tivessem, de fato, chegado na cidade que nunca dormia. Para ela, e para ele, que estavam acostumados a andar e fugir por longas distâncias, aquilo não era nada. Deixou-se ser abraçada, a voz dele lhe arrancando um sorriso assim que ela retribuiu o ato. — É. Não me importo muito com o lugar onde ficarei.

Madison mal teve tempo de assentir, concordando  com o que ele dizia, antes que ele a beijasse outra vez. Estava virando um hábito. Mas não seria ela a reclamar. O viu se afastar e caminhou até a recepção do hotel. Em outra ocasião, ela teria rapidamente dado um jeito nas coisas ela mesma. Mas apenas se sentou, pensativa demais naquilo que estava fazendo.

Daniel era… um excelente enrolador. Ela percebeu isso enquanto ele falava. Manipulava bem as pessoas. Talvez melhor que ela mesma ou, ao menos, tão bem quanto. Não tentou ajudá-lo, pensando consigo mesma se ele sabia que era alguma coisa tipo… seu primo. E se ele acharia aquilo estranho. Maddie só tinha certeza de que ele não era seu irmão porque eles não se pareciam em absolutamente nada. E Daniel era alto. Talvez uns trinta centímetros mais alto que ela.

Seu pensamento voltou-se para o fato de que se ele tentasse matá-la, de fato, conseguiria. Ela não era páreo para ele. Mesmo com tudo que podia fazer. Havia tido uma pequena amostra da força dele naquele castelo. A pergunta interrompeu sua linha de raciocínio. — Certo. — sorriu. Fora quase inevitável.

Estavam dentro do quarto e ela sentou-se na ponta da cama, olhando-o atentamente. — O que você quer comer? — perguntou de forma calma, enrolando o cabelo em um coque. — Eu como praticamente qualquer coisa. Na verdade, acho que não tem nada que eu não coma, realmente.

A semideusa suspirou pesadamente enquanto removia a faixa de seu braço. Estava melhor. Mas já sabia que seria aquilo a acontecer. Então, se levantou e abraçou o homem, escondendo o rosto em seu peito. — Eu preciso de um banho. — se afastou de Daniel e retirou a pequena faca de bronze da cintura e fez o mesmo com bracelete-espada, deixando-os sobre uma das mesas.

Entrou no banheiro e tirou a roupa, tomando um banho demorado. Ainda precisava processar tudo o que vinha acontecendo. A vida parecia muito contente em lhe pregar peças atualmente. E sua vida costumava ser um caos. Em partes, por culpa dela mesma. Em partes, por culpa de sua avó. Lavou o cabelo e saiu, secando-se, então, colocou roupas, um vestido leve de verão, permanecendo descalça.

Se aproximou de Daniel, abraçando-o por trás. — Pediu comida? — murmurou calmamente, escondendo o rosto no pescoço alheio. As batidas na porta responderam a pergunta e ela se afastou, sentando-se na cadeira com um "obrigada" quando ele puxou a cadeira para ela.

Podemos ir com as pérolas. Eu posso invocar mais se precisarmos. — murmurou calmamente,  comendo as batatas. Não estava com fome, mas precisava comer. — É melhor que a gente saia sem passar pela recepção de novo.

Deu de ombros, tomando um gole do refrigerante antes de se levantar e deitar na cama ao lado do homem. — Por que chama elas de malucas? — murmurou com calma, abraçando um dos travesseiros.

A explicação a fez torcer o nariz. Sentia… pena. Conseguia apenas imaginar como as outras duas deviam ter se sentido enquanto eram torturadas ou transformadas em vegetais. — E você? Se livrou? — perguntou calmamente, estendendo uma das mãos para acariciar as mechas de cabelo do mais velho.

No hospício… eles te drogam tanto que você não sabe nem mesmo controlar os músculos mais básicos. Então nós ficávamos babando e urinando na própria roupa. — disse de forma passiva, como se nada daquilo fizesse alguma diferença. Mas fazia. Tudo ainda era muito claro em sua mente. Se Daniel iria conviver com ela, precisava saber no que estava se metendo.

Ela deu de ombros. Fazia sentido. Ela mesma teria aceitado de bom grado apenas um diagnóstico de estresse pós-traumático se soubesse que falar a verdade teria sido pior. Teria ficado na ala de menos pirados, com menos remédios e sido mandada de volta para um abrigo depois de alguns meses. Esquizofrenia era algo mais grave. Então, ela acabou com as pessoas realmente… perigosas. Então, riu. Dando de ombros. — Eu não tenho medo disso me definir. Só de ficar presa e dopada de novo. Acho que se eu tivesse sido apanhada pela Seita, com toda certeza eu teria, sei lá.. tentado me matar até com o sutiã.

Fechou os olhos e suspirou baixinho com a carícia do outro, mantendo a carícia na cabeça do mesmo antes de, delicadamente, envolver o pulso do homem com a mão livre. Deixou que seu polegar deslizasse pela pele de Daniel, apenas sentindo a textura macia e o calor que vinha dele, sem pressa alguma.

Não se importou de ser puxada para deitar-se sobre o peito do outro. Por alguma razão, tê-lo tão perto era estranhamente calmante. Madison suspirou baixinho antes de abraçá-lo e fechar os olhos. O cheiro de Daniel tomando conta de suas narinas e os batimentos do mesmo ecoando por seu ouvido eram como pequenas distrações para sua mente acelerada.

Diferente de outras ocasiões, não demorou para dormir. E não teve pesadelos. Quando acordou na manhã seguinte, no entanto, ficou quieta, apenas esperando que o outro desse indícios de que estava desperto também.

Quando ele o fez, Maddie se esticou e lhe deu um selinho seguido de um beijo na bochecha. Então se sentou na cama e coçou os olhos, murmurando um "bom dia" com um pequeno sorriso.

Não estranhou quando ele não falou nada. Apenas pegou a roupa que estivera usando no dia anterior e substituiu pelo vestido. Calçou os sapatos e prendeu o cabelo assim que o trançou, sabendo que seria melhor desse jeito. Pegou o bracelete e a faca de bronze, colocando-os nos mesmos lugares de sempre em seu corpo.

Observou-o tomar café, indo até o banheiro para lavar o rosto e escovar os dentes. A pergunta a atingiu assim que saiu do pequeno cômodo. — Isso ou vamos acabar cada um em um lugar. É mais fácil se você disser onde estava da última vez em que as viu. E assim podemos procurá-las. — encolheu os ombros ao se sentar em frente ao homem, colocando os pés sobre o assento da cadeira.  

Madison bufou. Não de raiva. Mas de preocupação. Seria complexo ir atrás das garotas se ele nada tinha em mente. — Então… pense na aparência do lugar. Você consegue? — sussurrou baixinho, franzindo a testa.

Eu vou tentar pensar em alguma coisa. Se isso falhar. Vou pensar num plano b. Mas se você conseguir mentalizar o lugar e descrever pra mim… — o cérebro de Maddie teve um pequeno estalo. — Daniel. Podemos pesquisar. Ir na biblioteca e olhar imagens de satélite dos parques. Assim saberemos onde é. Mas temos de ser rápidos. Semideuses usando tecnologia atraem monstros.

Madison teve um sobressalto quando Daniel falou o nome do parque. Sua mente estava tentando pensar em um plano secundário. Mas não conseguiu. Maddie colocou a pérola no chão assim que Daniel segurou sua mão, concordando com um aceno. Esmagou-a e pensou fortemente no nome do parque, caindo com Daniel no lugar estranho.

Você foi parar bem longe. — disse com calma. — Ao menos eu estava naquele continente. — o comentário foi distraído e Maddie sorriu quando ele falou algo sobre tê-la encontrado.

Havia uma pequena sensação incômoda em seu interior enquanto olhava ao redor. — Como é a aparência delas? — mas ele não se deu ao trabalho de respondê-la. Então, Madison continuou alheia à conversa. Apenas fingia ouvir, mas sua cabeça pensava em como encontrar as garotas. Sabia que eram importantes para Daniel.

Uma parte egoísta dela, temia ser deixada quando ele as encontrasse. Mas havia uma pequena parte de Madison que queria ficar sozinha outra vez. Sabia que seria melhor. Se deixou ser arrastada por Daniel. E então um estalo passou por seu cérebro. — Vem comigo. — disse com determinação, não sendo realmente um pedido. Arrastou Dan pela mão pelas ruas até chegar em uma casa de cerca baixa. Não falou nada durante o trajeto, revirando os bolsos atrás de algum trocado, alguma dracma que fosse. Com sorte, encontrou três moedas.

Antes de pular a cerca, Madison certificou-se de que não haveria cachorros e que tinha uma mangueira no jardim. Colocou a dracma na mão de Daniel e segurou seu rosto. Ele, possivelmente, estava mais perdido do que cego em tiroteio. E a julgar pelas dúvidas que demonstrara anteriormente, ele não saberia daquilo também.

Existe uma coisa chamada “mensagem de Íris”. Você só precisa de um arco-íris e um dracma. Então diz “Oh, Íris, deusa do Arco-Íris, aceite minha oferta”; jogue a dracma no arco-íris e diga “quero falar com…” e o nome, completo de preferência, da pessoa que procura. — disse calmamente, soltando o rosto de Daniel como se ele tivesse lhe dado um choque. — Eu vou pular a cerca e criar o arco-íris. Então você pode mandar a mensagem.

Antes que ele pudesse falar alguma coisa, Madison já estava passando para o lado de dentro do jardim. Não havia, aparentemente, ninguém em casa. E ela abriu a torneira, segurando na ponta da mangueira, cobrindo uma parte da abertura para que a água se espalhasse e o arco-íris aparecesse. Olhou para o filho de Éris, assentindo em incentivo para que ele prosseguisse.

O ceticismo dele era cômico. — Daniel, vamos ver se eu entendi. Você é filho de Éris. Um semideus. Você acabou de viajar com um pérola mágica. Você também caiu por um portal em um castelo na Europa. Tudo isso é tipo… normal? Pessoas mortais, comuns… elas fazem isso? Acho que não. Então, qual a dificuldade de acreditar que a porra do arco-íris envia mesmo uma mensagem? — resmungou a pergunta com certa irritação.

Dracma era a moeda da antiga Grécia. Em Roma existia os Denários. Dinheiro. Dinheiro antigo. Bem antigo. Agora, joga essa merda pelo arco-íris repetindo o que eu falei. — tinha uma carranca em seu rosto ao pronunciar tais palavras, de modo que Daniel tinha duas opções. — Se eu for presa por sua causa… — ameaçou outra vez, com uma expressão irritada.

Madison quis rir. Ela realmente quis rir da cara de Daniel e das duas mulheres que ali estavam. Foi um grande esforço requerido de sua pequena pessoa não cair na gargalhada. Ela quis dizer que achava que as outras duas não conseguiam lhe ver já que, em tese, ela estava num ponto cego. E que não era bom ficar metendo a mão no arco-íris porque aquilo poderia desestabilizar a coisa. Mas ela deve ter perdido o fio de raciocínio quando ele sorriu. Ou alguma coisa do tipo. O fato é que, se Madison pudesse, daria uns socos no homem.

Assim que ele terminou, ela fechou a torneira e pulou de volta para fora da cerca. — “Fábrica sexy de pérolas mágicas”... sério? — perguntou com evidente descrença. Mostrou duas outras pérolas para ele e suspirou pesadamente. — Sabe, elas podem procurar por uma criança de Trívia ou Plutão para viajar. Ou até alguém versão romana que seja meu meio meio-irmão. — esperou que ele pegasse uma das pérolas. — Bom, eu… vou te deixar em segurança com elas. E vou embora. Indianápolis, certo? — perguntou calmamente, colocando a pérola no chão.

Assim que obteve a confirmação, envolveu o pulso de Daniel e contou até três para que esmagassem as pérolas juntos. Sabia que toda aquela aventura estava chegando ao fim. Mas tinha sido divertido, em partes.


Madison Faure:

Armas e itens:

• Faca de Bronze Celestial [ Uma faca de lâmina curta - cerca de 10 cm - com cabo em madeira envolvido em couro para tornar o manuseio melhor. | Não produz feridas em mortais. | Bronze celestial, madeira e couro. | Sem espaço para gemas. | Alfa. | Status 100%, sem danos. | Comum. | Nível 1. | Item inicial.]

• Espada de Luz [Uma espada de luz com um fio reluzente de lâmina mediana que contém um diamante encustrado em sua empunhadura. Sua lâmina possui 70cm de comprimento e, ao todo, a espada possui 90cm. É uma espada em estilo medieval e possui dois fios de corte. | Efeito: Quando não está em uso, transforma-se em um fino bracelete de ouro branco. | Efeito 1: A espada é feita do elemento luz. | Mágica. | Status 100%, sem danos. | Sebo de itens.]
Poderes e habilidades:

Poderes (Afrodite):

Passivos:

Nível 1
Nome do poder: Beleza Natural
Descrição: Os filhos da deusa do amor são campistas naturalmente bonitos e charmosos. A beleza supera a de qualquer outro semideus no acampamento, sendo algo beirando ao sobrenatural. É simplesmente indescritível. Isso faz com que inimigos e aliados acabem se distraindo por sua beleza perturbadora, ou encantados pela mesma.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode deixar o inimigo atordoado durante o primeiro turno, evitando atacar logo de cara, ou se atacar (poderes que exijam miras, ou armas com a mesma característica), irão errar o alvo. Não acertarão o filho de Afrodite/Vênus, pois, de primeira, o inimigo não saberá porque não nutre o desejo de ataca-lo.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Fluência em Frances
Descrição: Não importa se você nunca teve contato com o idioma, mas por ser a língua do amor, você pode fala-lo fluentemente, lê-lo e escrevê-lo com perfeição, como se esta fosse sua língua materna.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano:Nenhum

Nível 2
Nome do poder: Comunicação com Pombas e Cisnes
Descrição: Ambos são animais regentes da deusa do amor, logo, seus filhos podem se comunicar com as mesmas, podendo pedir pequenos favores e principalmente informações. Os pássaros não te obedecem, mas têm respeito e admiração por você.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode conseguir informações através deles, e com seu charme natural, até consegue que eles te ajudem.
Dano: Nenhum

Nível 4
Nome do poder: Resistência
Descrição: O filho de Afrodite/Vênus, é um sedutor nato, que conhece a magia por trás do charme, e da sedução. Isso faz com que se tornem invulneráveis a poderes envolvendo a beleza do oponente e magias com amor, essas não atingem o seu personagem.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poderes relacionados a enganação do coração, charme, sedução e beleza não surtem efeito na prole da deusa do amor.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Detecção.
Descrição: Como filho de Afrodite/Vênus o semideus consegue detectar os sinais de charme/poções do amor em outros indivíduos, assim como ilusões relacionadas ao amor. Lembrando que ele não terá acesso as memorias do semideus/criatura/monstro atingido, apenas saberá se o mesmo foi atingido por algum poder de tal natureza.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 5
Nome do poder: Símbolos
Descrição: Como prole de Afrodite/Vênus o semideus consegue identificar qualquer símbolo ligado ao amor e seus derivados.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nível 6
Nome do poder: Passos de Cisnes
Descrição: O semideus possui uma capacidade natural de se movimentar sem fazer barulho. Seus passos são leves, graciosos e charmosos, o que permite ao semideus se mover com facilidade sem ser detectado pela audição normal (audição aguçada ainda poderá captar o semideus se ele provocar ruídos através de folhas e galhos por exemplo).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Não será detectado por inimigos que não possuam audição elevada.
Dano: Nenhum

Nível 7
Nome do poder: Eterna Boa Forma
Descrição: A boa forma que você possui não confere apenas belas curvas, no caso das meninas, ou músculos definidos, no caso dos meninos, mas também confere certa agilidade e destreza para se esquivar de alguns ataques. Isso permite que você ganhe certa facilidade em se esquivar, ou defender em ataques diretos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de defesa, esquiva e agilidade.
Dano: Nenhum

Nível 8
Nome do poder: Verdades Ocultas
Descrição: É difícil mentir para quem se ama, assim como é difícil de mentir para o filho de Afrodite/Vênus, que está ligado diretamente a esse sentimento. Assim sendo, quando alguém tentar mentir para o filho de Afrodite/Vênus, a pessoa se sentira tão incomodada, a ponto de acabar não conseguindo continuar.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: O narrador pode fazer a pessoa que mentiu gaguejar, hesitar, piscar ou algo semelhante, denunciando a mentira.
Dano: Nenhum

Nível 9
Nome do poder: Enganador Inocente
Descrição: Você pode fingir ser um fraco ou aparentar ser inocente, de um modo belo e intrigante, fazendo o adversário pensar que você não é alvo dele e fazendo-o também sentir-se culpado caso te machuque.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Faz o inimigo ficar confuso por dois turnos, evitando atacar, mas desconfiando, ainda poderá se defender.
Dano: Nenhum

Nível 10
Nome do poder: Equilíbrio Emocional
Descrição: Você consegue controlar seus próprios sentimentos e emoções. Deixando-os equilibrados, o que em batalha, pode ser um trunfo bastante vantajoso, pois, não se deixará levar por truques referentes a sentimentos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poderes relacionados a paixão, amor, sentimentos, e sedução. Ou qualquer arte semelhança, tem um dano 30% menor sobre o seu personagem.
Dano: Nenhum

Nível 15
Nome do poder: Perfeccionista
Descrição: Não é apenas beleza, mas também perfeição. Você tende a ser perfeccionista, mas não apenas com você e sua aparência, mas em tudo o que faz. Isso significa que sempre será exigente consigo mesmo, se esforçando para sempre melhorar. Isso será recompensado em seus golpes, que serão praticamente perfeitos com a arma que você adotar, e o dano será consideravelmente maior para seu inimigo.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Ataques com uma arma de sua escolha ganham um bônus de força de +20% durante 3 turnos.
Dano: +10% de dano se o oponente for atingido pela arma do semideus.

Nível 16
Nome do poder: Voz Melodiosa
Descrição: Sua voz tem uma melodia que agrada aos ouvidos das outras pessoas. Nem todos escutam a sua voz com o mesmo timbre, será de acordo com aquilo que mais agrada ao ouvinte. Isso facilitará persuasão com pessoas do sexo oposto drasticamente, e com do mesmo sexo influenciará um pouco.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: O poder ativo “charme” do filho de Afrodite/Vênus, ao ser combinado com essa passiva ganha um bônus de força de 20%, podendo causar um estrago ainda maior.
Dano: Nenhum

Nível 17
Nome do poder: Rosas curadoras II
Descrição: Agora o semideus já consegue usar as rosas vermelhas para curar uma parte maior do seu HP e MP. Lembrando, outros tipos de rosa não têm efeito de cura sobre o semideus. Você está melhorando, e ganhando mais poder conforme se desenvolve.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera + 25 MP e +25 HP
Dano: Nenhum

Nível 18
Nome do poder: Contra Ataque
Descrição: Sua mente se tornou mais forte a poderes ilusórios de charme, amor, e ilusão. Assim sendo, caso alguém tente atacar a sua mente com um poder relacionado a isso, este poder se volta contra quem o lançou.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Funciona como um espelho, o ataque reflete na mente do filho de Afrodite/Vênus, e volta para a pessoa que lançou.
Dano: O dano é o mesmo do golpe que o inimigo tentar lançar contra a prole de Afrodite/Vênus, mas o efeito é reduzido em 50%.

Nível 20
Nome do poder: Elasticidade Natural II
Descrição: Em tal nível a elasticidade e esquiva das proles de Vênus/Afrodite são maiores, semelhantes à de uma bailarina profissional, com músculos firmes e uma boa movimentação durante a batalha. Tais semideuses esquivam como se estivessem dançando.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: + 35% em esquiva e flexibilidade
Dano: Nenhum

Nível 22
Nome do poder: Pericia com Chicotes III
Descrição: Manejar um chicote nunca foi tão fácil, poucos semideuses apresentam um domínio natural ao conseguir pericia com eles, e os filhos de Afrodite/Vênus dominam essa arte com uma desenvoltura impressionante. Agora aprenderam a atacar e agarrar as coisas com o chicote, podendo usa-las para o seu bel prazer, escolhendo machucar ou não machucar seus oponentes.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +70% de assertividade no Manejo de Chicotes.
Dano: +20% de dano se a arma do semideus acertar o oponente.

Nível 24
Nome do poder: Incentivo
Descrição: As palavras das prole de Afrodite/Vênus, independente da animação do mesmo, podem motivar semideuses a continuarem lutando, mesmo cansados, por exemplo. É apenas um poder de incentivo, não irá manipular ninguém. Apenas crescer as esperanças dos aliados do filho de Afrodite/Vênus.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: + 15% de motivação p/ aliados.
Dano: Nenhum.

Nível 25
Nome do poder: Pericia com Adagas III
Descrição: Você andou treinando! Sua guarda melhorou muito e atacar para você com essa arma se tornou algo natural, você sempre teve talento, mas isso se mostrou ainda mais evidente. Você agora também está conseguindo se defender com essa arma, apesar de não ser capaz de acertar pontos letais e destrutivos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +75% de assertividade no manejo de Adagas.
Dano: +25% de dano se a arma do semideus acertar o oponente.

Nível 26
Nome do poder: Perfume
Descrição: O semideus possui um perfume natural, que exala de seu corpo, e atrai o oponente. Esse perfume não é algo que controle, já nasce com ele, e faz com que o inimigo se sinta atraído, pois, produz uma endorfina diferente, que terá o cheiro daquilo que mais lhe agrada no mundo, o deixando levemente confuso.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Deixa o oponente levemente tonto de prazer, se sentindo atraído por seu personagem, mas sem saber explicar o porquê.
Dano: Nenhum
Ativos:

Nível 1
Nome do poder: Sempre na Moda
Descrição:  Você tem um pequeno controle sobre a moda. Onde o lugar é frio, consegue em um estalar de dedos se vestir apropriadamente ao clima, e se for quente também. Esse efeito de roupas para uso próprio dura quanto tempo você quiser.
Gasto de Mp: 5 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Isso permite que você mude de roupas sempre que desejar.
Poderes (Perséfone):

Passivos:

Nível 1
Nome do poder: Beleza incomum
Descrição: Os filhos de Perséfone possuem uma beleza bastante incomum. Belos como uma rosa, os mesmos possuem uma aura sombria que os torna bastante obscuros. Isso faz com que monstros e/ou semideuses sintam certa hesitação em avançar.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Irão evitar atacar o filho da deusa das flores no primeiro turno.
Dano: Nenhum

Nível 2
Nome do poder: Botânico
Descrição: Por sua mãe ser a deusa das flores, e da estação primaveril, o semideus consegue distinguir as diferenças entre uma flor e outra, seja pelo perfume, o formato, ou qualquer coisa. Ele sempre saber que flor é, e caso ela tenha algum efeito, veneno, gás, ou apresente perigo, também saberá identifica-los.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: 100% de conhecimento sobre flores.
Dano: Nenhum

Nível 5
Nome do poder: Empatia Animal
Descrição: Conseguem se comunicar com animais de pequeno e médio porte como pássaros, esquilos, raposas e etc. Eles se entendem perfeitamente e podem ajudar o semideus com informações, além de nutrirem certo respeito por ele.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguem entender e se comunicar com animais.
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum

Nível 8
Nome do poder: Respiração
Descrição: Os filhos da deusa do submundo não tem dificuldade de respirar em locais com pressão baixa, e herdam essa característica de sua mãe. Assim sendo, lugares fechados, ou abaixo da terra, não o incomodam, seria o mesmo que respirar ao ar livre.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Sua respiração não se afeta em locais fechados, cavernas baixas, ou locais como o mundo inferior, muito abaixo da superfície.
Dano: Nenhum

Nível 9
Nome do poder: Olhar Facultativo
Descrição: Persefone/Proserpina é uma deusa com personalidades multiplicas, e considerada bipolar, seus filhos herdam a mesma característica da mãe, mas, expõem seus sentimentos através dos olhos. Quando com raiva, por exemplo, os olhos podem adquirir um tom avermelhado, sendo que para cada sentimento seus olhos mudarão de cor automaticamente. No restante do tempo, permanecem normais.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Essa mudança de cores pode causar confusão ou fascínio em seus inimigos.
Dano: Nenhum.

Nível 10
Nome do poder: Comunicação com Mortos
Descrição: Consegue se comunicar com espíritos e entende-los perfeitamente, assim como conseguem identifica-los em campo, mas esses, não lhe obedecem, só podem lhe dar informações se forem persuadidos a tal.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguem extrair informações dos mortos desde que sejam capazes de persuadi-los.
Dano: Nenhum

Nível 12
Nome do poder: Olhar Infernal
Descrição: Os filhos da deusa do submundo não tem os olhos afetados pela noite e podem enxergar no escuro perfeitamente bem.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poderão enxergar perfeitamente no escuro, desde que a escuridão não esteja envolvida pela magica de alguém.
Dano: Nenhum

Nível 14
Nome do poder: Pericia com Foices II
Descrição: Os filhos de Perséfone/Proserpina se sentem familiarizados com as foices e portanto ao lutarem com elas mostram-se mais habilidosos do que os demais. São capazes de executar movimentos precisos e rápidos ao lutarem com essa arma.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% de assertividade ao lutarem com a arma.
Dano: +15% de dano se a arma do semideus atingir.

Nível 15
Nome do poder: Teimosia no sangue
Descrição: Perséfone/Proserpina é uma deusa bastante geniosa e como tal seus filhos também o são. A teimosia dos filhos da deusa da primavera é tão grande que eles tendem a se tornarem mais determinados, lutando por aquilo que acreditam até o final.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% de determinação.
Dano: Nenhum

Nível 20
Nome do poder: Esquiva I
Descrição: O semideus é mais ágil do que a maioria dos campistas, e aprende a se esquivar mais naturalmente, sendo veloz, e bastante escorregadio. Isso permite que em batalha, frente a frente com o inimigo, ele ganhe certa facilidade em defender e escapar de golpes de armas diretas contra si.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de esquiva e velocidade
Dano: Nenhum

Nível 21
Nome do poder: Fazer Florescer
Descrição: Apenas a presença dos filhos de Perséfone/Proserpina, já faz com que as flores cresçam, e fiquem alegres, ou seja, elas florescem mais rápido, e as pétalas que outrora estavam feias, ficam bonitas, tudo se torna mais bonito na presença do filho da deusa.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Sua aura faz com que as pessoas ao redor se sintam mais felizes.
Dano: Nenhum

Nível 22
Nome do poder: Cura Noturna II
Descrição: Agora a noite te deixa ainda mais forte, e feridas mais fundas viram cortes leves, enquanto as feridas superficiais desaparecem por completo. (Só pode ser usado uma vez a cada 3 turnos)
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera 40 HP e 40 MP
Dano: Nenhum

Nível 24
Nome do poder: Primavera
Descrição: É na primavera que Perséfone/Prosérpina, fica mais forte, e assim como ela, que vem revigorada para o mundo terreno, e fica por seis meses no monte Olimpo, é nessa estação, que seus filhos também ficam mais fortes. Durante a primavera, os filhos da deusa, sentem seus poderes ganharem uma força maior, ficam mais rápidos, e mais fortes.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Todos os poderes ativos e passivos do semideus ficam 40% mais fortes durante a primavera. (Bônus valido entre 01/01 a 15/02 e 01/07 a 15/08)
Dano: +20% de dano em golpes executados pelo semideus durante a primavera.

Nível 25
Nome do poder: Entre irmãos
Descrição: Os filhos de Perséfone/Prosérpina, sentem-se mais fortes ao lutar ao lado dos filhos de Hades/Plutão, e ganham um bônus de força em campo ao fazê-lo, desde que lutem como aliados, e não como inimigos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de força ao lutarem ao lado dos filhos de Hades/Plutão.
Dano: +10% de dano se o golpe acertar.

Nível 28
Nome do poder: Pericia com Espadas III
Descrição: O semideus andou treinando, e agora, além de atacar e se defender com a espada, também consegue atingir pontos mais críticos, além de ter aprendido a desarmar seu oponente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: 55% de assertividade no manuseio de espadas.
Dano: +25% de dano se o oponente for atingido pela arma do semideus.
Ativos:

Nível 20
Nome do poder: Perolas Perdidas
Descrição: Sua mãe espalhou diversas perolas pelo mundo dos humanos, essas, são capazes de tirar uma pessoa do inferno num piscar de olhos. É uma maneira segura de sair sem ser pego. Tais perolas, tem uma aparência esverdeada e única, e para usa-las, basta pisar sobre elas e imaginar o lugar para onde deseja ir. Os filhos da deusa, conseguem conjurar, recriar, ou invocar tais perolas, para ajudá-lo em uma fuga rápida do inferno, ou dá-las de presente aos seus amigos.
Gasto de Mp: 30 MP (por perola).
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Permitem uma fuga rápida para o local que você desejar ir, incluindo, sair do submundo.

e



What's your color?
「R」
Madison Blanc-Faure
Madison Blanc-Faure
Filhos de Perséfone
Filhos de Perséfone

Idade : 23

Voltar ao Topo Ir em baixo

Madiel Empty Re: Madiel

Mensagem por Hades em Sex Nov 15, 2019 6:38 pm


Avaliação

Valores máximos que podem ser obtidos


Máximo de recompensa a ser obtida: 5.000 XP –  4.000 dracmas – 10 ossos
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Daniel
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Recompensa obtida: 5.000 XP –  4.000 dracmas – 10 ossos

Madison
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Recompensa obtida: 5.000 XP –  4.000 dracmas – 10 ossos

Comentários:
De forma geral não tenho pontos negativos a pontuar sobre a missão de vocês, porém gostaria que de uma próxima vez fosse incluído ao menos a ideia geral do que a outra pessoa falou. A fala do personagem sozinho muitas vezes não faz sentido quando não incluída com os dois posts.

Hades
Hades
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Localização : Importa? A morte ainda será capaz de te achar.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Madiel Empty Re: Madiel

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum