The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

[CCFY - Promoção de Holloween] O Inicio de Tudo

Ir em baixo

[CCFY - Promoção de Holloween] O Inicio de Tudo Empty [CCFY - Promoção de Holloween] O Inicio de Tudo

Mensagem por Chrystofer E. Tompson em Qua Nov 06, 2019 2:08 pm



O Começo da Jornada
Quando tudo muda..
Olivia Evans Tompson, uma mulher bela de longos cabelos castanhos e um olhar penetrante. Era uma das moradoras do acampamento Júpiter, e que se interessou pelo acampamento meio sangue após visitá-lo algumas vezes, percebendo que eles eram menos metódicos do que os romanos. Além disso, percebeu uma leve diferente de animação entre seus integrantes, o que a levou a se transferir para ele com a permissão de Quiron.

A jovem filha de Belona se destacou entre os demais do acampamento, ainda mais se tratando dos filhos de Ares quando a questão era batalha. Sua força e imponência eram grandiosas, resultando em uma grande fama e respeito por todos.

Sempre em seus treinos ela demonstrava toda a sua habilidade para com batalhas, sempre procurando treinar com os filhos do Deus da guerra, já que os mesmos eram os mais focados nas artes de luta corpo a corpo assim como ela. Foi assim que se tornou cada vez mais forte e acabou chamando a atenção da divindade da guerra.

Ao longo de seus anos dentro do acampamento, a jovem decidiu por ter uma vida um pouco mais normal por assim dizer, foi quando se afastou e foi viver em Nova York, sozinha em uma casa bastante elegante, embora pequena. Este foi o momento em que finalmente Ares decidiu por aparecer em sua vida, quando ela já não se encontrava mais entre os campistas.

A paixão entre ambos foi iminente, não tiveram como se conter e por isso se entregaram ao sentimento mais puro que sentiam, a paixão ardente. As ações de ambos devido a isso resultou na aparição de uma criança, Chrystofer, filho do Deus da guerra e de uma filha de Belona.

A divindade não podia se manter na terra junto de sua amada, e isso o fez retornar para o Olimpo onde era sua casa. A mulher sabia bem que isso era necessário, e que seu amor sempre estaria lhe observando do alto.

O tempo foi passando e o belo garotinho que nasceu foi crescendo, sendo bem educado por sua mãe. Assim como sua avó, o menino aprendeu a não gostar de guerras, de brigas e agressividade sem sentido, se tornando alguém mais racional, educado e bastante simpático.

Por mais que suas ações procurassem sempre o bem dos demais, foi lhe ensinado que em momentos de necessidade seu lado mais brutal devia aparecer, e mostrar o quanto um filho de Ares é forte, mas isso em momentos raros.

Nunca arrumou confusão em sua escola, por mais que alguns garotos idiotas lhe provocassem. Gostava mesmo era de conversar com seus amigos, passar uma boa parte de seu tempo livre lendo um livro, vendo filmes ou saindo com os mais próximos para se divertir.

Olivia, por toda a sua habilidade, era chamada ao acampamento meio sangue. Uma hora para ajudar em treinamentos para novatos, outra para executar algumas missões mais perigosas para o acampamento. Com isso, seu filho se desenvolveu em meio aos semideuses, sempre sabendo a verdade desse mundo, e tendo em sua mente de quem era filho.

Por ficar com seus irmãos, o adolescente foi desenvolvendo suas habilidades de combate e sobrevivência, lhe aproximando mais desse mundo, embora a idade ainda não tivesse chegado, para que a vez dele de partir para o camping, chegasse.

[...]

O barulho alto vindo da parte inferior da casa chamou a atenção não somente de Olivia, mas também de Chrys, que agora já tinha seus dezesseis anos de idade. Ambos acordaram assustados, pensando se tratar de um assalto em sua residência, lhes fazendo pegar cada um uma espada e seguir pelo corredor. — Mãe, sabe o que está acontecendo? —Sem saber do que se tratava de fato questionou sua mãe sobre o ocorrido através de um sussurro, vendo a mesma se limitar a negar com um aceno de cabeça.

Seus passos lentos seguiram pelo local, descendo os degraus da escadaria de forma bastante cuidadosa, tentando ver o que era. Próximos aos últimos lances da descida notaram a bagunça que se encontrava o lugar, deduzindo que de fato estavam sendo roubados. No entanto, após ser pega por uma dracaenae, ambos perceberam que era algo pior.

As mãos da criatura foram de encontro ao colarinho da mulher, a jogando alguns metros ao longe. Pode ser ouvido o som do baque de seu corpo contra um de seus móveis de madeira, que ficou em pedaços. O monstro se voltou para o garoto, dando um sorriso malicioso e horrendo, falando com o mesmo em meio a um olhar feroz.  — Parece que encontrei minha comida. Seu cheiro é delicioso garoto, quero sentir seu saborsssshhhh. — Sua mão foi de encontro ao pescoço do jovem, buscando pegá-lo.

Seus anos treinando com seus irmãos foram o que o ajudou naquele embate, o que lhe fez sobreviver. Seu corpo de forma rápida pendeu para trás, vendo aquelas mãos passaram próximos a ele por alguns centímetros. Viu sua mãe ainda caída, meio desorientada, não conseguindo ajudá-lo. Com isso, procurou agir. A mão que empunhava a espada, de lâmina média, avançou contra o membro que tentou o agarrar, cortando o ar e também alguns dos dedos da criatura.

O grito alto chamou a atenção de Olivia, que se levantava do chão. Percebeu ali que o monstro estava ferido, e que seu filho tinha feito aquilo, orgulhando-se dele. O garoto aproveitou o recuo da mulher serpente  para ir até sua mãe, ver se estava tudo certo.

Constatando estar tudo normal continuou ao seu lado, vendo a serpente virar-se para eles e avançar feroz. O jovem suspirou, se preparando para o combate, quando viu sua mãe saltar com fúria contra o monstro a atingindo. Tentando se defender a Dracaenae colocou o braço diante do rosto, sentindo a dor lhe tomar quando a lâmina da espada da prole de Belona cortou sua carne, destruindo seu osso e arrancando o membro fora.

O sangue jorrava, e aproveitando o feito de sua matriarca o filho de Ares segurou o cabo de sua espada firmemente, avançando de forma voraz contra seu inimigo. Seu movimento de semicírculo o levou até o flanco da criatura, dando uma brecha. Sua destra moveu a arma, fazendo-a cortar o ar e se chocar contra o tórax da esverdeada, deslizando por sua pele e rasgando-a brutalmente.

Mais um grito, e com isso sua mãe mais uma vez avançou, desenhando um arco no ar com sua espada que logo se chocou contra a cabeça da monstruosidade, a decepando sem qualquer cerimônia. O corpo se dissipou em cinzas, findando o combate e exaltando o perigo que agora o jovem corria.

[...]

Suas coisas estavam guardadas em uma bolsa especial de sua mãe, que encontrava-se no quarto pegando alguns de seus equipamentos. O garoto se mantinha na parte inferior da casa, quando viu sua mãe descer as escadas com um ar de preocupação estampada em seu rosto. Ele a questionou, já sabendo a resposta que ela daria. — Já está na hora de ir não é mesmo? — Ela anuiu com a cabeça, suspirando e erguendo sua mão diante de seu corpo, onde do nada um portal se abria diante de seus olhos. Não era nenhuma novidade para ele, tinha visto diversas vezes isso acontecer, sempre quando iam para o acampamento meio sangue. Mas, agora, era ele que tinha que viajar. Com um olhar um tanto triste ele seguiu, entrando na passagem e se vendo ultrapassá-la junto de sua matriarca, chegando enfim ao camping.

Em meio a casa grande ambos apareceram, se vendo diante de Quiron que se sentiu um tanto desconfortável com aquilo por alguns instantes até perceber do que se tratava. A mão do centauro tocou seu rosto, suspirando enquanto ouvia a voz de Olivia explicando o ocorrido.  — Como vai Quiron, desculpe a forma como cheguei, mas o dia enfim nos alcançou. Fomos atacados, a Dracaenae estava atrás do Chrys depois que sentiu o cheiro dele, chegou a hora dele ficar aqui. — Por mais difícil que fosse, ela ainda deu um sorriso contido, meio melancólico, vendo seu filho ao seu lado.

Chrys ficou calado, apenas escutando a conversa de ambos, que não durou muito. O centauro pareceu pensativo por alguns segundos, dando um pequeno sorriso logo depois enquanto falava. — Bem vindo ao acampamento meu jovem, espero que goste de ficar aqui.  — O garoto nada disse, apenas apertou a mão do homem à sua frente, demonstrando uma certa preocupação com o futuro.

Naquela noite tudo seria diferente, não dormiria em sua casa, não veria seus companheiros de escola e tudo o que teria que fazer era se preparar. Era uma guerra constante, onde os monstros sempre tentam encontrar um semideus para comer, ou dependendo de quem for se aliar. Como sua mãe tinha lhe dito, legados como ele tinham um cheiro mais forte, mais atraente, e que chamava mais a atenção das monstruosidades que viviam em meio ao mundo. Por muito conseguiu protegê-lo, mas no momento em que seu poder se elevou tudo foi para o espaço, e apenas pioraria já que não tinha como escondê-lo ali por ora.

Tudo o que Chrys pode fazer foi aceitar, aceitar que sua vida não seria a mesma, que tinha que se tornar algo diferente, alguém mais forte se quisesse viver. Não resmungou, não debateu, apenas partiu do escritório ao fim de tudo, seguindo até o chalé de Ares com seus pertences na mochila, vendo alguns dos campistas ainda andando de um lado para o outro aquela hora.

Considerações:
Magias:
Passivas:

Habilidades::

Belona:

Nível 1
Nome do poder: A arte da guerra
Descrição:  Filhos da deusa da fúria da guerra, esses semideuses possuem um conhecimento apurado em estratégias básicas e de sobrevivência. É similar a um instinto, uma intuição, uma sequência de pensamentos que permitiam ao romano a analisar o combate como se fosse uma arte. Graças a isso, raramente entra em estado de desespero quando situações de risco surgem.
Gasto de Mp:  Nenhum
Gasto de Hp:  Nenhum
Bônus:  Conseguem elaborar planos e estratégias, assim como não são abalados com a eminência de um combate ou situações de perigo.
Dano: Nenhum

Ares:

Nível 1
Nome do poder:  Espírito de Guerra
Descrição: Ares/Marte é o deus da guerra, profundo amante de combates e um dos principais deuses amantes da morte. Seus filhos possuem um espírito parecido com o do deus, de modo que todos os conhecimentos referentes a guerra (como sinais de comunicação, técnicas de sobrevivência básica, manuseio de armas e tudo mais o que tiver ligação direta com guerra), surgem naturalmente na mente do semideus, mesmo que ele jamais tenha passado por alguma situação de dificuldade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguem elaborar planos, ler mapas e criar estrategias com mais facilidade.
Dano: Nenhum

Ativas:

Belona:

Ares:

Itens:
Chrystofer E. Tompson
Chrystofer E. Tompson
Filhos de Ares
Filhos de Ares


Voltar ao Topo Ir em baixo

[CCFY - Promoção de Holloween] O Inicio de Tudo Empty Re: [CCFY - Promoção de Holloween] O Inicio de Tudo

Mensagem por Hades em Qua Nov 06, 2019 5:46 pm

Avaliação


Valores máximos que podem ser obtidos


Máximo de recompensa a ser obtida: 5.000 XP e 4.000 dracmas, 10 ossos

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas – 40%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 19%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 27%

RECOMPENSAS: 4.300 XP e 3.440 dracmas, 10 ossos

Comentários:
A sua narrativa foi consistente com o que é esperado de um semideus, apesar de sentir falta de mais detalhes da infância do personagem e relação do mesmo com monstros e mitologia. Além disso o Acampamento Meio-Sangue e Acampamento Júpiter passaram a interagir recentemente, após a segunda serie de livros do Rick. O Heróis do Olimpo. Antes disso os dois camps eram mantidos separados desde a segunda guerra mundial, sendo assim não faz sentido o personagem, que aparenta ter 20/30 anos ser filho de uma Romana que frequentou o Acampamento Meio-Sangue. Houveram pequenos erros também. Mas além disso sua narrativa foi bastante aceitável.

Hades
Hades
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Localização : Importa? A morte ainda será capaz de te achar.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum