The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

[Missão Narrada] O destino de Hermanoteu

Página 3 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ir em baixo

[Missão Narrada] O destino de Hermanoteu - Página 3 Empty Re: [Missão Narrada] O destino de Hermanoteu

Mensagem por Meiying Liuwei em Qui Nov 14, 2019 11:18 am

Under the moonlight you see a sight that almost stops your heart. You try to scream but terror takes the sound before you make it. You start to freeze as horror looks you right between the eyes. You're paralyzed cause this is thriller, thriller night and no one's gonna save you from the beast about strike

Quando eu era chamada para presenciar ou participar de missões nunca tive a oportunidade tremenda de vivenciar uma grande adrenalina. Aquela que sentia enquanto via que tudo estava indo como realmente esperava. Fiquei um tanto aliviada por saber, realmente, que não iriamos para a ilha de Circe propriamente dita, o que até me fez suspirar por saber que não teria que enfrentar a deusa fervorosa da magia. — " Tudo vai dar certo." — Foi o que pensei, até que observasse o ato ridículo que Adam se permitiu realizar. Cortar o pescoço de uma pessoa que só queria ter o prazer de amar foi algo que me traumatizou totalmente, principalmente quando observei o sangue vermelho e vívido tomar todo o solo a nossa frente. Meus olhos se encheram de lágrimas silenciosas que não podiam dizer, gritar ou sequer balbuciar nada, com medo do morto-vivo.

Eu podia ser uma garota forte e bem treinada quando o assunto era uma luta com desconhecidos, mas com aquela situação era diferente. Eu me mantinha muito perto de Adam e ver que ele teve a cruel capacidade de degolar a cabeça de alguém me fez teme-lo de verdade. Ele poderia a qualquer instante tirar aquela adaga de novo e tentar nos ferir caso essa fosse sua vontade e então? Estaríamos mortas e seria o nosso fim? Não negava estar assolada por pensamentos tão obscuros e vívidos quanto o sangue derramado da feiticeira, que escorria gradualmente. — " Me perdoe, Asclépio. Eu vi uma alma ser ferida e de nada pude fazer para salvá-la. Peço seu perdão... Por favor. " — disse em instantes, cruzando o portal antes que o mesmo se fechasse. Um clarão surgiu por alguns instantes em meus olhos até que me denunciasse uma nova localização, uma que também nunca tinha visto antes.

O lugar era de certa forma lindo e bem arborizado, o que me fez sorrir por um tempo enquanto limpava as lágrimas que restavam. — Hermanoteu está preso na sede das feiticeiras. Guiarei vocês até lá. — Ele andou por um breve período de tempo e eu o segui, calada e sem sequer nenhuma reação quanto a suas orientações. Sabia que de nada adiantaria avançar contra ele ou me revoltar por causa de todo aquela caso, pois querendo ou não era uma missão dada por deuses, logo não tínhamos que questionar o porque. Mesmo assim não neguei ter soltado um breve suspiro cansado, de uma garota que só desejava ter de volta para si seu lar, acompanhado de uma breve xícara de chá. — Wow... — toda a tecnologia redundante — que me tirou do transe depressivo que antes sentia — nos mostrava prédios gradualmente conforme andávamos mais a fundo no objetivo de chegar ao nosso destino. Mesmo para um lugar sem vida aquele parecia ser bem dominado por árvores. Poderia até ser ofensivo dizer que não existia vida ali e ignorar a existência da natureza, também.

Não estava muito atenta a olhar para Auri, mas percebi o seu olhar ainda bufante sobre como tudo aconteceu tão rápido. Nós não havíamos conversado de modo a ter criado sequer alguma intimidade, mas já considerava bastante a ruiva por estar ao meu lado naquela missão. Talvez ela não pensasse o mesmo por ser alguém cabeça dura ao meu ver, já que lycans sempre tiveram esse tipo de personalidade mesmo. — "O que é aquilo?" — Avistei duas jovens aparentemente feiticeiras, que guardavam um portão como se ele tivesse grande importância. Deveria ser ali o nosso próximo caminho que era impedido por duas mulheres muito bem alertas. Estava escuro e mesmo assim olhando para Auri percebi que precisávamos de ideias. Adam com certeza não faria nada a princípio, o que nos daria vantagem para que agíssemos sozinhas sem nenhuma interferência.

Estava escuro e a lua — Selene — parecia assistir tudinho de camarote. Encolhida, procurei não chamar nenhuma atenção levando um dedo ao meu queixo de forma pensativa. Pensando profundamente, vi que por serem duas guardas apenas numa ilha de patamar baixo percebi que também elas não deveriam ser tão fortes quanto nós. O que me fez raciocinar que caso atacássemos elas provavelmente teriam algum jeito de chamar ajuda, de qualquer forma precisávamos agir e rápido. Trabalhar a noite com certeza não seria problema para a neta das deusas mágicas, principalmente de Nyx, a senhora da noite. Minha visão não era afetada durante tal período e me locomover silenciosamente sem causar atenção para mim era quase que uma especialidade. Aproximando-me de forma cautelosa o suficiente das guardas — escondida nos arredores mais escuros onde a visão de ninguém poderia alcançar — me permiti apontar meus dedos a ambas.

— Dormierunt! — Com ambos os dedos focados inteiramente para as moçoilas, tentei conjurar um feitiço que as fizesse dormir. Não sabia se funcionaria, caso não fosse forte o suficiente, nada provavelmente iria acontecer. Então, se o plano principal não desse certo, tentaria criar uma esfera de brilho estrelar e lança-la o mais longe possível, no objetivo de chamar a atenção das moças para aquela região.

Observação escreveu:
A facilidade em me esconder na escuridão, agilidade/velocidade, visão noturna e etc. foram validados pelas habilidades de Nyx/Hécate. Por favor ler atentamente os spoilers. Obrigada!

Poderes utilizados:
Poderes de Nyx:
Passivos:

Nível 6
Nome do poder: Aliado da Noite
Descrição: Quando lutam durante a noite os filhos de Nyx/Nox ganham uma força extra de campo, que permite que suas habilidades sejam aprimoradas de uma maneira surpreendente. Os atributos de força, agilidade, esquiva, e velocidade, são melhorados.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +25% de força, velocidade, agilidade, e esquiva.
Dano: Nenhum

Nível 10
Nome do poder: Cura Noturna II
Descrição: Ao estar imerso na escuridão, os filhos da deusa podem recuperar energia de forma involuntária. O processo de cura acelerou, e agora as feridas pequenas fecham em questão de segundas, enquanto as maiores ainda têm um processo de regeneração lenta, e uma parte maior de sua energia retorna ao corpo. (Pode ser usado uma vez a cada 3 turnos)
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +50 MP e 50 HP
Dano: Nenhum

Nome do poder: Visão Noturna
Descrição: Têm sua íris dilatada, aumentando o foco, e consequentemente a distância a que se pode enxergar. O personagem toma posse da concentração para que consiga perceber se há pessoas no local através de pontos cegos, sendo capazes de detectar inimigos através de suas sombras. A sombra durante a noite, torna o corpo ainda mais vulnerável, e para os filhos de Nyx/Nox ela se tinge de negro no corpo dos inimigos. Assim sendo, quando essa visão está ativa, eles conseguem detectar essa sombra, e rastrear seus inimigos, mesmo que eles estejam invisíveis.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguirão detectar até mesmo inimigos invisíveis, desde que não estejam protegidos por uma magia, ou poder de nível superior ao seu.
Dano: Nenhum

Nível 1
Nome do poder: Bom Magico I
Descrição: O semideus tem certa habilidade com magia, e aprende com muita facilidade conforme se desenvolve. Nesse nível, essa habilidade permite que o semideus consiga executar seus feitiços com mais precisão, ganhando uma pontaria melhor, e podendo executa-los com mais facilidade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Ganha 10% de força em seus feitiços (em poderes ativos).
Dano: +5% de dano se os feitiços acertarem.
Ativos:


Nível 10
Feitiço: Dormierunt.
Descrição: Um inimigo de nível igual ou inferior ao seu irá facilmente cair no sono.
Gasto de Mp: - 25 de MP.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Caso seja realizado durante a lua nova, há uma chance de +30% de que ele funcione corretamente.
Dano: Nenhum.
Extra: Feitiço apenas verbal.

Nível 14
Nome do poder: Invisibilidade Noturna I
Descrição: Durante a noite, o filho de Nyx/Nox consegue manipular a energia ao redor do seu corpo, e ficar parcialmente invisível, nesse nível, só consegue deixar o corpo translucido, como de um fantasma, mas serve para se disfarçar e ocultar do inimigo, durante a noite pode acabar se escondendo, ou sendo confundido com um fantasma.
Gasto de Mp: 10 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum

Nome do poder: Brilho Estelar II
Descrição: O semideus consegue produzir uma esfera de luz prateada, semelhante ao brilho das estrelas. Agora sua esfera ficou mais forte, e além de causar cegueira durante um turno inteiro, também cria uma leve ardência sobre a pele, semelhante a picada de um isento. Isso acontece porque a esfera produzida ganha fissuras de luz semelhante a agulhas invisíveis a olho nu, que causam cortes – sem abertura – sobre a pele, deixando pequenos riscos brancos na região atingida.
Gasto de Mp:  20 MP
Gasto de Hp:  Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: 30 HP
Extra: Nenhum
Poderes de Hécate:
Passivos:

Nível 9
Nome do poder: Olhos Noturnos
Descrição: Os filhos de Hécate/Trivia enxergam tão bem no escuro quanto de dia, a noite não incomoda sua visão de fato, portanto, desde que a escuridão ao redor não seja algo magico, ou com efeito de cegueira e etc, o filho da deusa da magia irá continuar vendo normalmente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: A escuridão normal não afeta a visão da prole da magia.
Dano: Nenhum
Habilidade Aprendida:
Nome: Inteligência Lógico-matemática
Descrição: Quem possui a inteligência lógico-matemática bem desenvolvida tem a capacidade de confrontar e avaliar objetos e abstrações, discernindo as suas relações e princípios subjacentes. O semideus é hábil para o raciocínio dedutivo e solução de problemas lógicos, além de possuir mais facilidade para lidar com números e matemática.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +20% de inteligência, raciocínio lógico e elaboração de estratégias
Dano: Nenhum
Itens + Visual + Tatuagem:

• Faca de Bronze Celestial [ Uma faca de lâmina curta - cerca de 10 cm - com cabo em madeira envolvido em couro para tornar o manuseio melhor. | Não produz feridas em mortais. | Bronze celestial, madeira e couro. | Sem espaço para gemas. | Alfa. | Status 100%, sem danos. | Comum. | Nível 1. | Item inicial. ]

• Escudo Auxiliador [Um escudo de aparência comum que, a princípio, parece ser mais velho e desgastado, porém não se engane. O seu formato e redondo, se encaixando no pulso do semideus que o porta, deixando a mão do mesmo livre, já que o encaixe é no pulso e antebraço. | Ao ativar o efeito o escudo torna-se transparente e seu peso torna-se nulo, permitindo que o semideus porte armas ou quaisquer objetos no mesmo braço onde encontra-se o escudo, como se não estivesse com nada preso ao braço. O escudo também se expande, podendo englobar o semideus e mais outra pessoa, sendo indispensável em curas em batalha, por exemplo. Ambos os efeitos podem ser ativados simultaneamente, entretanto só podem ser ativos uma vez por missão/evento etc, durando dois turnos. | Ouro Imperial. | Não possui espaço para gemas. | Resistência beta | 100%, sem danos. | Nível 3. | Lendária. | 10 de HP (caso seja utilizado para atingir outros semideuses). | Presente de Reclamação do grupo Curandeiros de Asclépio/Esculápio.] DESATIVADO NA NARRATIVA

Amuleto de Proteção [Um colar com um pequeno frasco pendurado como pingente, onde dentro há uma pena rosa mágica que protege o semideus contra ataques de monstros que utilizem charme ou algo relacionado. | Tal proteção só pode ser ativada uma vez por missão, repelindo tais ataques que envolvam charme por até dois turnos. | Material do colar e do pingente a escolha do semideus. | Mágica | Não apresenta suporte ou espaço para gemas | Resistência: Sigma | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja]
USANDO NO PESCOÇO

TATUAGEM
Brutamontes | Força | Flor da espécie orquídea. É brilhante e seu brilho se modifica de acordo com o sentimento de sua portadora. Pode alternar em cores como verde, branca, rosa e roxa. | Aumenta a força da semideusa em 30% | Nuca | Marca Pequena | Permanente.


healther girl
Meiying Liuwei
Meiying Liuwei
Curandeiros de Asclépio
Curandeiros de Asclépio

Idade : 19
Localização : Hospital de Asclépio.

Voltar ao Topo Ir em baixo

[Missão Narrada] O destino de Hermanoteu - Página 3 Empty Re: [Missão Narrada] O destino de Hermanoteu

Mensagem por Letus em Sex Nov 15, 2019 11:13 pm


O Destino de Hermanoteu

De primeira, Auri tentou encontrar algum ave, tentando colocar em prática um plano de roubar as trombetas da moça. O ledo engano da loba seria, entretanto, o de não lembrar que estavam perto da meia e que aquele tipo de criatura costumava dormir antes do pôr do Sol. E sendo assim, nada encontrou. Claro que Elric ainda tinha seus planos na manga e simultaneamente ao que sua companheira fazia, utilizou de seu rosnado para desconcentrar uma das guardas ali.

Meiying havia sido mais direta desta vez. Sem poupar tempo, esgueirou-se pela noite e em total "invisibilidade" fez uma das garotas ali, desabar em sono profundo. Seria a oportunidade perfeita para invadirem o lugar.

Letus escreveu:Pontos obrigatórios

• Uma das guardas dormiu e a outra está desconcentrada, como quem tivesse ouvido uma bomba explodir perto dos ouvidos. Vençam essa restante e adentrem o prédio.

• Assim que entrarem no lugar vão ver que o interior do lugar parece ser bem mais simples do que parece. Algumas câmeras de segurança, algumas salas de treino e um pequeno livro na recepção, onde poderão ver todas as instalações, desde os quartos até as prisões. Essa última é provavelmente onde Hermanoteu está.

• Vocês seguirão por um caminho escuro até o andar inferior. Lá embaixo terá apenas uma sala ocupada, que será onde o feiticeiro está. Assim que Adam o vir irá apontar que é ele e o filho de Deimos ficará feliz de vê-las.

• Ele dirá que a cela onde está é mágica e existe apenas um meio de libertá-lo, que é ir até um dos baús de Circe que fica no andar mais abaixo. Hermanoteu contará que dentro do lugar terá uma chave de cristal e pedirá que vocês tragam até ele. Façam isso.

• Quando abrirem a sala, haverá um sistema de consequências. Ou seja, as ações que tomarem mudarão o rumo da missão de vocês. Hermanoteu dirá que agora que está livre poderá roubar o que veio pegar e pedirá a ajuda de vocês, restará vocês aceitarem ou não.
Status:
Auri Elric:
HP - 340|340
MP - 304|340

Meiying Liuwei
HP - 327|360
MP - 111|360


Letus escreveu:• Vocês tem até 18/11/2019, até as meia-noite para postar. Em caso de dúvidas ou pedido de aumento de prazo, envie-me uma MP. Horário de Brasília.

• Armas e poderes em spoiler, sem exceção. Armas e poderes não citados no texto ou spoiler serão desconsideradas.

• Horário da narrativa: 23:30

• Qualquer erro ou detalhe que fuja do proposto, acarretará em desconto da recompensa final ou pior.

• Boa sorte.
Letus
Letus
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Missão Narrada] O destino de Hermanoteu - Página 3 Empty Re: [Missão Narrada] O destino de Hermanoteu

Mensagem por Auri Elric em Dom Nov 17, 2019 6:41 pm


Capítulo 8
Hermanoteu e suas faces.


Procurar por aves naquele horário? Ela só poderia estar louca. De fato fora uma ideia estúpida, porém ainda havia uma chance. “Ah, vamos lá, sou mais esperta que isso.” Enquanto seu companheira agia, ela também punha em prática o que seria uma outra opção. Seu rosnado ecoou do fundo de sua alma e atingiu uma das guardas, enquanto Mei derrubava, de alguma forma, a segunda. “Ótimo!”

Com as duas feiticeiras imobilizadas de alguma forma, a primeira por conta do medo e a segunda dormindo. “Vamos nessa!” Dizia com seu olhar para Adam, acenando com a cabeça e, então, avançando. Sabia que não teriam muito tempo, por isso agiu de forma rápida, utilizando sua velocidade para abater aquela que ainda estava acordada. Seus pés moviam-se rapidamente e saltou sobre a feiticeira. Suas garras perfuraram a jugular da oponente. O sangue manchou novamente o ferro estígio de sua arma, além de sua blusa e face.

Auri estava coberta de sangue. Lambeu os lábios que se encontravam sujos com o líquido recém derramado. Seu olhar havia se tornado mais feroz, cada vez mais os instintos animalescos dominavam a semideusa. A sensação de tirar uma vida daquela forma se tornava cada vez mais prazerosa, despertando algo em seu interior.

Estalou o pescoço e voltou seu olhar para a entrada da fortaleza. Seus passos seguiram na direção do prédio, até adentrar no mesmo. – Confesso que estou decepcionada. – Sussurrou para si mesma. O interior não estava aos pés do que a fachada indicava. Notou a presença de algumas câmeras que não tinha como saber se estavam ou não funcionando, por isso era necessário cuidado, muito cuidado. Além delas, algumas salas e enfim algo interessante, um livro.

A tentação de tocar as folhas foi grande, porém não queria deixar mais rastros do que estava deixando. Suas garras estavam recolhidas, porém o sangue encontrava-se impregnando seus dedos. Aquelas páginas eram tudo o que precisavam, mostravam cada canto de tal instalação, desde os quartos até mesmo a prisão onde, muito provavelmente, Hermanoteu estaria.

Analisando o conteúdo do livro e o ambiente que estava a sua frente, chegaram à conclusão mais óbvia que a de seguir pelo caminho mais oculto possível. Seu alvo era o andar inferior. A preocupação tomou conta da semideusa, afinal, temia o que estaria lhes aguardando mais afrente. Para a sua surpresa, o percurso foi tranquilo, sem armadilhas ou guardas, o que só deixava a jovem mais intrigada, afinal era desleixo demais aquilo, não?

Chegando ao andar inferior, uma enorme surpresa: Nada! Nada de guardas. – Mas que droga é esta? – De todas as celas, apenas uma estava ocupada. Adam ficara tão feliz que era obvio que aquele era o amo dele. Os olhos de Auri focaram mais no zumbi do que no imortal, afinal, ainda não havia engolido a história que ele havia contato, principalmente depois do que ele fizera antes de atravessarem o portal.

Hermanoteu parecia contente, só não estava claro se era pela presença de seu zumbi de estimação ou pelas semideusas, caso fosse a segunda opção, ela só pensava que estariam mais encrencadas do que imaginava anteriormente. Ao ver o homem, lembrou-se se todas as palavras ditas pela feiticeira que fora assassinada a sangue frio por Adam. Sabia que não era possível confiar em nenhum daqueles dois. Olhou para a curandeira com um ar de preocupação. Não sabia se a mesma estava com o mesmo pressentimento que a filha de Éolo, porém era bom tentar lhe alertar, que fosse com um único olhar.

Dali para frente as coisas ficaram ainda mais estranhas. O fato de não haver guardas foi parcialmente explicado pelo fato de as celas serem mágicas, o que não surpreendia em nada, visto que estavam em uma das ilhas de Circe. O imortal lhes contou o que era necessário para o libertar e, mesmo não gostando muito da ideia, Auri se subordinou, tal como a outra semideusa. Teriam que ir mais afundo naquela fortaleza, invadir um dos cômodos para arrombar um baú e pegar uma chave de cristal.

A lycan olhou ao redor e não havia sinal de mais ninguém, aquilo ainda lhe intrigava, porém tentava não transparecer isso. Deu seu melhor sorriso falso para os homens, enquanto fazia um leve gesto de inclinar a cabeça, como forma de dizer “positivo”. – Certamente, senhor. – Lançou novamente um olhar para a outra semideusa e logo seguiram para aquela nova fase da missão, que cada vez mais parecia um tanto que falha.

Adam permaneceu com seu mestre, provavelmente até tramando contra as duas semideusas, que seguiram sozinhas, o que particularmente agradava bem mais a semideus de Éolo.

Tentar evitar as câmeras, buscar os caminhos mais escuros, agir de forma rápida e cautelosa e se atentar a todos os sentidos, de modo a evitar qualquer surpresa desagradável. Assim estavam fazendo desde o momento em que invadiram tal local. Seguiam ainda mais para baixo daquela construção e, quando estava longe o suficiente dos demais, viu ali uma oportunidade. – Escute apenas. Não achas estranho que desde que entramos nesse local, nenhuma feiticeira, nenhuma armadilha, nenhum nada tenha nos atrapalhado? Ninguém vigiava a sala em que Hermanoteu se encontra, ninguém entre os andares. Nada. – Sua voz era fria, seca e direta. Não olhava para a semideusa, apenas para o caminho, confirmando cada vez mais que estava tudo limpo, o que tornava aquilo realmente estranho e, no mínimo, preocupante. – Não sei o que está acontecendo, mas aquele zumbizinho desgraçado não nos contou a verdade, isso era óbvio desde o início. – Fez uma breve pausa enquanto olhava cima. – Não sei o que eles estão armando, mas Hermanoteu ficou feliz demais ao nos ver, não creio que tenha sido a chegada de Adam. Não abaixe a guarda perto deles, nem ache que dá para confiar.

Continuou seu caminho normalmente. Achar o baú não foi tão difícil, apenas tivera que abrir algumas portas até o visualizar. Para tornar as coisas ainda mais inquietantes, o compartimento não estava trancada. “O que é que eles estão armando?” Voltou a olhar o ambiente, procurando por alguma armadilha, alguma câmara ou até mesmo uma feiticeira escondida pronta para atacar. Nada. “Não estou gostando nada disso.” Dirigiu-se para a curandeira, movendo logo os olhos para o baú, um gesto que não precisava de palavras para ser explicado. Novamente ela não queria tocar no objeto, devido estado em seu suas mãos se encontravam, até porque, seria um abuso deixar um rastro daqueles.

Assim que neta de Hécate abriu o compartimento, elas puderam ver a tal chave de cristal que o homem havia dito. Até aquele momento tudo estava correndo conforme as palavras daqueles dois seres, mas mesmo assim a intuição de Auri não os deixava em paz. Depois que Mei guardou a chave e fechou o baú, a filha de Éolo voltou a se pronunciar, com a mesma frieza de sempre. – Eles precisam confiar em nós, então independente do que aconteça, seguiremos suas ordens. Não estou com um bom pressentimento. Desde o início a ideia de isso ser uma armadilha não me deixou a cabeça, então não se esqueça, fique sempre atenta.

Voltaram pelo mesmo caminho e com os mesmos obstáculos: nenhum. Ao chegarem novamente ao andar onde o zumbi e o imortal se encontravam, viu que ambos pareciam normais, mas ela não conseguia acreditar naquilo. Abriram a sala, libertando então o homem, que enfim começou a por suas asas de fora. Não havia aprendido nada com aquela prisão, continuava querendo roubar de Circe e, para piorar, queria a ajuda das duas semideusas. Quando a proposta foi feita, Auri soltou uma risada um tanto que cômica. – Ser cúmplice de um roubo à dona da ilha? Não me parece muito tentador. O que ganharei com isso? – Sorriu enquanto levava o braço direito até abaixo dos seios e a mão esquerda até a lateral dos lábios, movendo delicadamente os dedos, sem tirar os olhos do imortal.

Muitas eram as coisas que lhe intrigavam, mas o que mais perturbava a semideusa era o fato de que Adam havia roubado um pergaminho de um quase morto, o que até aquele momento não fazia sentido. Além disso, queria algumas outras respostas. – Vamos fazer o seguinte, nós te ajudamos. Porém vocês terão que nos responder algumas perguntas, como o que exatamente você vai roubar e onde se encontra? – Havia firmeza em sua voz. Adam havia lhes contado que o seu amo tinha ido atrás de um cálice, queria confirmar a informação e, quem sabe, conseguir um pouco mais. – Além disso, o que é tem de tão importante naquele pergaminho, Adam? – Nesse momento seus olhos se voltaram de forma intrigante para o zumbi. – Ah, vamos lá, você não o roubou atoa, e se vamos todos trabalhar juntos, acho justo que abram o jogo conosco, não? – Seus dedos se mantinham em movimento, se esticando e contraindo. Esperava as respostas de suas perguntas ansiosamente, precisava saber até onde aquilo tudo ia, e mais, mesmo não confiando naqueles homens, mesmo não gostando da ideia de roubar Circe, sabia que se opor a eles naquele momento poderia ser uma péssima ideia.

FPA:
Equipamentos Levados:
Garras Lupinas [Um par de garras que se encaixam nas mãos dos Lycans perfeitamente. Inicialmente são como luvas que exibem parte dos dedos, mas que ao ser ativado expele três lâminas de 20cm feitas de ferro estígio. | Efeito de mecânico: podem ser usadas como luvas normalmente. | Efeito 1: Adapta-se as mudanças do corpo do lycan, porém quando em estado de transformação, as luvas assumem a característica de proteção, envolvendo as patas dianteiras com o metal. As garras dos lupinos são suas próprias armas. | Efeito 2: Quando as garras atingem o inimigo, provocam uma sensação de terror que irá durar por 2 turnos. Funciona apenas uma vez no mesmo oponente | Ferro estígio e couro | Não possui espaço para gemas. | Resistência beta. | 100%, sem danos. | Nível 3. | Lendária. | Presente de Reclamação do grupo Lycans de Deimos/Terror

Sabre [Uma espada onde a destreza é mais influente que a força, podendo infligir grandes danos, feita com ferro estígio na lâmina e com o cabo revestido por um tipo de couro resistente e que se encaixa perfeitamente na mão daquele que a porta. | Efeito 1: A arma possui a característica incomum de ganhar um aspecto assustador quando está em um ambiente escuro, intimidando inimigos de menor nível, porém tal intimidação não é muito efetiva ao verem quem porta tal arma (rs). | Efeito 2: O sabre pode se tornar um anel liso e feito de ferro estígio. | Ferro estígio e couro. | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Arsenal do acampamento]
Poderes:
Passivos de Éolo:
Nível 20
Nome do poder: Despercebido II
Descrição: O vento é sentido, mas não é visto, por esse motivo os filhos de Éolo tendem a passar despercebidos pelos demais, conseguem ser furtivos, e os monstros não sentem seu cheiro com muita facilidade, pois o vento o dispersa. A aura de energia agora ficou mais forte, aumentando as chances do semideus não ser notado.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de furtividade +40% de chance de passar despercebido por monstros.
Dano: Nenhum
Nível 25
Nome do poder: Velocidade III
Descrição: O campista assim como o vento consegue ser veloz, e passar despercebido, conforme treina e se desenvolve o filho de Éolo também se torna mais rápido.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% de Velocidade
Dano: Nenhum
Passivos dos Lycans:
Nível 7
Nome do poder: Detectar Mentiras
Descrição: Graças a sua habilidade de ouvir batimentos cardíacos, o lycan é capaz sentir quando uma pessoa está mentindo. Entretanto, ainda precisa se concentrar em um alvo para isso.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
Para analisar se o que Hermanoteu será ou não verdade.
Nível 8
Nome do poder: Sangramento Intensificado
Descrição: Todos os ataques do lycan na forma da besta são mais brutais que o normal. Dessa forma, as vítimas de seus golpes costumam sair sangrando além do normal. Não só isso, os ferimentos são muito mais feios e complicados, dificultando até mesmo para curandeiros tratarem destes.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Diminui a eficácia dos tratamentos médicos em questão de roleplay, tornando mais difícil até mesmo para curas passivas tratarem os ferimentos causados por lycans.
Dano: Causa 10 de dano por sangramento a cada dois turnos em inimigos feridos pelo lycan transformado.
Ataque inicial à feiticeira
Nível 17
Nome do poder: Audição Aguçada II
Descrição: Independente da forma em que estiverem, os lycans têm esse sentido em especial muito mais desenvolvido que o restante das pessoas. Aqui já não mais têm dificuldades por ouvir tudo sem querer, podendo oprimir as conversas desnecessárias e focar no que lhes interessa. Além disso, caso se concentrem unicamente nisso, podem ouvir os batimentos cardíacos alheios. Ambos os efeitos funcionam até 100m de distância.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 30% em audição, 40% se estiver na forma da besta.
Dano: Nenhum.
Nível 21
Nome do poder: Olfato Apurado II
Descrição: Independente da forma em que estiverem, os lycans têm esse sentido em especial muito mais desenvolvido que o restante das pessoas. Dessa forma, são capazes de identificar os cheiros ao seu redor, e os gravam para nunca se esquecerem de suas presas. Por outro lado, seu olfato é muito sensível, portanto cheiros fortes ou incomuns lhes incomodam bastante. Podem seguir uma pessoa pelo seu cheiro mesmo que ela se distancie até 100m.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 30% em olfato, 40% se estiver na forma da besta.
Dano: Nenhum.
Nível 20
Nome do poder: Perícia com garras III
Descrição: Os lycans são peritos em usar armas em formas de garras. Essas armas são geralmente formadas por três lâminas curtas, da qual possui uma empunhadura que pode ser segurada como uma soqueira ou em uma luva. O Lycan está se tornando cada vez mais experiente no uso de garras.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 50% de assertividade
Dano: 40% de dano.
Extra: Essa arma é considerada uma arma de lâmina curta.
Nível 22
Nome do poder: Força II
Descrição: A força dos lycans é elevada devido aos músculos naturalmente melhor desenvolvidos para dilacerar e matar suas presas.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 20% em força; 30% em força se estiver na forma da besta.
Dano: Nenhum.
Importante:
Considerei que o Adam havia ficado porque na minha interpretação ficou em aberto. Pedi mais algumas opiniões sobre e todos concordaram com isso, caso o Adam tenha ido junto, favor ignorar toda a conversa com a outra semideusa.

Auri Elric
Auri Elric
Lycans de Deimos
Lycans de Deimos


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Missão Narrada] O destino de Hermanoteu - Página 3 Empty Re: [Missão Narrada] O destino de Hermanoteu

Mensagem por Meiying Liuwei em Seg Nov 18, 2019 7:39 pm

Under the moonlight you see a sight that almost stops your heart. You try to scream but terror takes the sound before you make it. You start to freeze as horror looks you right between the eyes. You're paralyzed cause this is thriller, thriller night and no one's gonna save you from the beast about strike

O rumo que a história tomava não era nada bom aos meus olhos. Não estava feliz de ter que ver minha parceira avançar de forma cruel a uma das guardas, mesmo que fossem nossas inimigas. Poderia existir outras formas de driblar a atenção da provável feiticeira desconcentrada e ver Auri matá-la apenas me fez suspirar de forma furiosa. Eu entendia que a outra semideusa não sentia nenhum remorso sequer ao ferir alguém, de qualquer forma não gostava que fizesse isso em minha presença por preservar as coisas vivas primeiro. A última coisa que queria era me desentender, mas não neguei ficar chateada também.

Deixando qualquer tipo de ressentimento de lado, entramos. O local era bem simples de comparado ao lado de fora, o que não era uma surpresa para mim. Pulando de forma sucinta o corpo jogado sobre a porta, prossegui a seguir a ruiva diante dos corredores. Era possível observar algumas câmeras de segurança conforme andávamos e também um livro na recepção. Não me atentei a prestar atenção nos detalhes do local, diferente daquela lycan que aparentava estar atenta a qualquer detalhe que parecesse ser suspeito. — Tudo vai ficar bem, Mei. — Era inocente e passar por tudo aquilo estava me mudando gradualmente, mesmo que não aceitasse. Sussurrar de forma quase que inexistente me fazia mais sã sobre tudo o que acontecia.

Descemos a um andar inferior a cada passo me tornava mais medrosa. Tinha a força suficiente para combater diversos monstros e isso era inegável, devido aos treinos que participei, mas aquele lugar, de alguma forma, me amedrontava intensamente. Era estranho dizer que podia sentir uma tristeza ali conforme tocava as paredes enquanto andava, como se visse sofrimento no local e enxergasse até que algumas mortes. Às vezes tudo era apenas minha imaginação, ou não. Perdida em meus pensamentos só notei estar perto da única cela ocupada quando parei para focar na cara do imortal, Hermanoteu que era vista por meio das grades acinzentadas. Sim, era aquele que viemos buscar e o nosso principal motivo de estar ali.

Um baú e uma chave era o que precisávamos para que o imortal fosse salvo e retirado de sua cela. Eu e Auri andamos até onde nos apontaram ser a localização, de forma que mantemos um silêncio mórbido até que ela pronunciasse algumas palavras. — Escute apenas. Não achas estranho que desde que entramos nesse local, nenhuma feiticeira, nenhuma armadilha, nenhum nada tenha nos atrapalhado? Ninguém vigiava a sala em que Hermanoteu se encontra, ninguém entre os andares. Nada. — Não neguei me assustar com suas palavras, pois estava totalmente focada em escutar apenas meus pensamentos naquele instante. — Não sei o que está acontecendo, mas aquele zumbizinho desgraçado não nos contou a verdade, isso era óbvio desde o início. — Era tão difícil negar a verdade. Era óbvio que eles escondiam alguma coisa, pois a privação de informações vindas de ambos — principalmente de Adam — era algo bem notável.

— Eles precisam confiar em nós, então independente do que aconteça, seguiremos suas ordens. Não estou com um bom pressentimento. Desde o início a ideia de isso ser uma armadilha não me deixou a cabeça, então não se esqueça, fique sempre atenta. — Necessitava de uma palavra como aquela, que me ligaria inteiramente meus neurônios e que os colocaria para pensar. A partir daquele momento não seria mais a Meiying alienada e sim uma semideusa inteligente, conhecida pela astúcia e capacidade “nerd” que tinha. Seria a verdadeira Meiying Liuwei. — Não seja boba, Mei. Passe a confiar mais em seu intelecto. Seja agora sua maior amiga. — Sussurrei, deixando de canto essa mensagem que Auri provavelmente teria ignorado.

Não demorou para que chegássemos ao baú. Estávamos na frente dele quando notamos que dentro do mesmo, quando o abri, havia uma chave. Pegando-a a guardei e fechei o pequeno recipiente, me dirigindo com a companhia de minha colega de missão para a famosa cela. A abrimos em seguida. Com Hermanoteu livre ele nos ofereceu a chance de decidirmos se iriamos ou não ajudá-lo a roubar um artefato. Eu, como a mais pura pessoa que era, jamais aceitaria tal hipótese de roubar algo relacionado a uma deusa tão vingativa quanto Circe. Mas devia ser esperta, pois se negasse provavelmente as consequências seriam piores. Elric foi mais rápida em abrir seus lábios com firmeza e revelar detalhes, pedindo mais informações sobre aquela missão que escondiam de nós.

Era a hora de que tomássemos o controle, pelo menos assim esperava. Hermanoteu deveria abrir a boca e concordei com a opção de ajudá-los também caso nos revelassem tudo o que queríamos saber. Eu e Auri iriamos ser mais espertas, com certeza.

Se Adam estiver junto com as semideusas por favor desconsidere o diálogo que elas tiveram, obrigada.

Poderes utilizados:
Poderes de Nyx:
Passivos:

Nível 6
Nome do poder: Aliado da Noite
Descrição: Quando lutam durante a noite os filhos de Nyx/Nox ganham uma força extra de campo, que permite que suas habilidades sejam aprimoradas de uma maneira surpreendente. Os atributos de força, agilidade, esquiva, e velocidade, são melhorados.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +25% de força, velocidade, agilidade, e esquiva.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Visão Noturna
Descrição: Têm sua íris dilatada, aumentando o foco, e consequentemente a distância a que se pode enxergar. O personagem toma posse da concentração para que consiga perceber se há pessoas no local através de pontos cegos, sendo capazes de detectar inimigos através de suas sombras. A sombra durante a noite, torna o corpo ainda mais vulnerável, e para os filhos de Nyx/Nox ela se tinge de negro no corpo dos inimigos. Assim sendo, quando essa visão está ativa, eles conseguem detectar essa sombra, e rastrear seus inimigos, mesmo que eles estejam invisíveis.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguirão detectar até mesmo inimigos invisíveis, desde que não estejam protegidos por uma magia, ou poder de nível superior ao seu.
Dano: Nenhum
Poderes de Hécate:
Passivos:

Nível 9
Nome do poder: Olhos Noturnos
Descrição: Os filhos de Hécate/Trivia enxergam tão bem no escuro quanto de dia, a noite não incomoda sua visão de fato, portanto, desde que a escuridão ao redor não seja algo magico, ou com efeito de cegueira e etc, o filho da deusa da magia irá continuar vendo normalmente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: A escuridão normal não afeta a visão da prole da magia.

Nível 12
Nome do poder: Clarevidência I
Descrição: As proles da magia, nesse estágio podem tocar em uma pessoa ou objeto pessoal e ver o que aconteceu ali. Nesse nível, o dom ainda é falho, você só sente muito fatigado, com dor de cabeça e - às vezes - até tontura, e só volta alguns dias.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Dano: Nenhum
Habilidade Aprendida:
Nome: Inteligência Lógico-matemática
Descrição: Quem possui a inteligência lógico-matemática bem desenvolvida tem a capacidade de confrontar e avaliar objetos e abstrações, discernindo as suas relações e princípios subjacentes. O semideus é hábil para o raciocínio dedutivo e solução de problemas lógicos, além de possuir mais facilidade para lidar com números e matemática.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +20% de inteligência, raciocínio lógico e elaboração de estratégias
Dano: Nenhum
Itens + Visual + Tatuagem:

• Faca de Bronze Celestial [ Uma faca de lâmina curta - cerca de 10 cm - com cabo em madeira envolvido em couro para tornar o manuseio melhor. | Não produz feridas em mortais. | Bronze celestial, madeira e couro. | Sem espaço para gemas. | Alfa. | Status 100%, sem danos. | Comum. | Nível 1. | Item inicial. ]

• Escudo Auxiliador [Um escudo de aparência comum que, a princípio, parece ser mais velho e desgastado, porém não se engane. O seu formato e redondo, se encaixando no pulso do semideus que o porta, deixando a mão do mesmo livre, já que o encaixe é no pulso e antebraço. | Ao ativar o efeito o escudo torna-se transparente e seu peso torna-se nulo, permitindo que o semideus porte armas ou quaisquer objetos no mesmo braço onde encontra-se o escudo, como se não estivesse com nada preso ao braço. O escudo também se expande, podendo englobar o semideus e mais outra pessoa, sendo indispensável em curas em batalha, por exemplo. Ambos os efeitos podem ser ativados simultaneamente, entretanto só podem ser ativos uma vez por missão/evento etc, durando dois turnos. | Ouro Imperial. | Não possui espaço para gemas. | Resistência beta | 100%, sem danos. | Nível 3. | Lendária. | 10 de HP (caso seja utilizado para atingir outros semideuses). | Presente de Reclamação do grupo Curandeiros de Asclépio/Esculápio.] DESATIVADO NA NARRATIVA

Amuleto de Proteção [Um colar com um pequeno frasco pendurado como pingente, onde dentro há uma pena rosa mágica que protege o semideus contra ataques de monstros que utilizem charme ou algo relacionado. | Tal proteção só pode ser ativada uma vez por missão, repelindo tais ataques que envolvam charme por até dois turnos. | Material do colar e do pingente a escolha do semideus. | Mágica | Não apresenta suporte ou espaço para gemas | Resistência: Sigma | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja]
USANDO NO PESCOÇO

TATUAGEM
Brutamontes | Força | Flor da espécie orquídea. É brilhante e seu brilho se modifica de acordo com o sentimento de sua portadora. Pode alternar em cores como verde, branca, rosa e roxa. | Aumenta a força da semideusa em 30% | Nuca | Marca Pequena | Permanente.


healther girl
Meiying Liuwei
Meiying Liuwei
Curandeiros de Asclépio
Curandeiros de Asclépio

Idade : 19
Localização : Hospital de Asclépio.

Voltar ao Topo Ir em baixo

[Missão Narrada] O destino de Hermanoteu - Página 3 Empty Re: [Missão Narrada] O destino de Hermanoteu

Mensagem por Letus em Ter Nov 19, 2019 4:45 pm


O Destino de Hermanoteu

Auri parecia ser bastante esperta. Desde o começo, a moça percebeu que Hermanoteu não era o tipo de homem a se confiar. Não como se alguém não soubesse aquilo. Fazendo tudo conforme havia planejado, a prole de Deimos tratou de esclarecer as dúvidas das garotas ali. Sempre com seu tom de voz brando e malandro.

— Ora, o que quer em troca de sua ajuda? Aliás, pensei que meu pai a enviou para ajudar-me não? Ou seria imprudente a deixar que eu corra perigo e ele perca a sagrada espada dele? — contra-questionou Hermanoteu à Auri, embora a missão dada a ela fosse de resgate. — O que procuro já está em suas mãos. — apontou para a chave. — Tal item tem a capacidade de abrir qualquer porta, qualquer tesouro e qualquer portal. Infelizmente Circe a encantou para que apenas mulheres possam empunhá-la, algo que só posso desfazer quando tiver meus poderes de volta. Então preciso que uma de vocês carregue até estarmos fora daqui.

— O pergaminho é apenas nossa saída daqui. — rosnou Adam, de maneira rápida.

— Então, farão isto?

Letus escreveu:Pontos obrigatórios

• Quando abrirem a sala, haverá um sistema de consequências. Ou seja, as ações que tomarem mudarão o rumo da missão de vocês. Hermanoteu dirá que agora que está livre poderá roubar o que veio pegar e pedirá a ajuda de vocês, restará vocês aceitarem ou não.

• Caso aceitem, sigam com Hermanoteu até o lugar de onde vieram.

• Caso recusem, deixem aberto para minha narração.
Status:
Auri Elric:
HP - 340|340
MP - 304|340

Meiying Liuwei
HP - 327|360
MP - 111|360


Letus escreveu:• Vocês tem até 18/11/2019, até as meia-noite para postar. Em caso de dúvidas ou pedido de aumento de prazo, envie-me uma MP. Horário de Brasília.

• Armas e poderes em spoiler, sem exceção. Armas e poderes não citados no texto ou spoiler serão desconsideradas.

• Horário da narrativa: 23:35

• Qualquer erro ou detalhe que fuja do proposto, acarretará em desconto da recompensa final ou pior.

• Boa sorte.
Letus
Letus
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Missão Narrada] O destino de Hermanoteu - Página 3 Empty Re: [Missão Narrada] O destino de Hermanoteu

Mensagem por Auri Elric em Ter Nov 19, 2019 9:27 pm


Capítulo 9
Um xadrez a dois.


A esperteza do imortal era um fato incontestável, e não ela quem iria colocar isso em xeque. Se tornava cada vez mais claro que se iniciava ali uma guerra fria, onde tanto ele quanto ela queriam que o outro aceitasse a derrota e aceitasse os termos. A primeira jogada desse xadrez foi da filha de Éolo que, por um segundo, chegou a achar que havia colocado aquele que se encontrava a sua frente contra a parede. Porém não foi isso o que aconteceu, os argumentos do homem lhe desestabilizaram mentalmente, mesmo que não deixasse transparecer isso. O movimento de Hermanoteu naquele jogo foi preciso, porém Auri também tinha suas cartas na manga.

Sim, todas aquelas indagações que ele havia feito faziam sim sentido, porém a verdade não era bem aquela, e não iria enganá-la tão facilmente. Conforme as palavras do homem foram sendo soltadas, a inquietação da semideusa aumentava. Se o que ele dissera fora verdade, o xeque mate estava nas mãos da lycan, o que era um tanto que prazeroso. Todavia, a ideia de tal informação ter sido dada pelo oponente em um jogo de inteligência lhe fez pensar que talvez houve mais coisa ali do que de fato lhe fora revelado.

Terminada a ação de seu oponente, era novamente a vez de Auri mexer suas peças no tabuleiro. – Pois bem, estás certo com relação ao meu senhor, porém se não percebes, já estás livres. E se o que esse aí realmente diz for verdade – Indicou, com a cabeça, que se referia ao zumbi. – então você tem bem aqui uma chance de escapar dessa ilha, agora se queres dar uma de burro e continuar aqui sem nossa ajuda, bem, aí eu já não tenho nada a ver com isso. – Deu um leve sorriso, enquanto cruzava os braços de forma afrontosa. – Mas vamos lá, analisando sua oferta. Se essa chave é realmente tão valiosa, então por que devo usá-la para te beneficiar? Por que não ficar com ela? Afinal, são vocês aqui que precisam da nossa ajuda, então por que devemos lhes beneficiar? – Ergueu o objeto até a altura dos olhos.

Por um segundo sentiu-se tentada a fazer tantas e tantas coisas que sabia não serem certas. – Porém você está com relação a uma coisa, talvez meu senhor realmente não goste muito da ideia de lhe abandonar aqui. Então façamos um trato. – Um sorriso de traços pesados se formou. – Jurem pelo Rio Estige que não irão nos trair, nem nos engar e que jamais irão nos machucar, que aí sim lhe ajudaremos. E estejam cientes das consequências da quebra de tal foto. – Sua feição se transformou drasticamente, de modo que parecia apenas mais uma jovem de quinze anos feliz. – Ah, e mais uma coisa. Aquilo que roubarás e irás dividir conosco, afinal, seremos uma equipe, não é mesmo? – Sorriu enquanto cruzava os braços e se atentava a cada expressão de seu desafiante. – Se não, bem, já que essa coisinha aqui pode abrir todas as portas e portais, simplesmente iremos embora e vocês ficarão aqui. – Fechou a mão agarrando a chave, sem tirar os olhos de Hermanoteu e de Adam.

Seu turno havia acabado, restava a ela saber então qual seria a jogada do outro participante do desafio.

Caso o juramento seja feito, as semideusas seguirão o imortal, passando pelo caminho que percorreram para chegarem até ali, de modo a retornar ao local inicial de onde vieram. Do contrário, tentaria abrir um portal com a chave, um que desse passagem diretamente para o acampamento.

FPA:
Equipamentos Levados:
Garras Lupinas [Um par de garras que se encaixam nas mãos dos Lycans perfeitamente. Inicialmente são como luvas que exibem parte dos dedos, mas que ao ser ativado expele três lâminas de 20cm feitas de ferro estígio. | Efeito de mecânico: podem ser usadas como luvas normalmente. | Efeito 1: Adapta-se as mudanças do corpo do lycan, porém quando em estado de transformação, as luvas assumem a característica de proteção, envolvendo as patas dianteiras com o metal. As garras dos lupinos são suas próprias armas. | Efeito 2: Quando as garras atingem o inimigo, provocam uma sensação de terror que irá durar por 2 turnos. Funciona apenas uma vez no mesmo oponente | Ferro estígio e couro | Não possui espaço para gemas. | Resistência beta. | 100%, sem danos. | Nível 3. | Lendária. | Presente de Reclamação do grupo Lycans de Deimos/Terror

Sabre [Uma espada onde a destreza é mais influente que a força, podendo infligir grandes danos, feita com ferro estígio na lâmina e com o cabo revestido por um tipo de couro resistente e que se encaixa perfeitamente na mão daquele que a porta. | Efeito 1: A arma possui a característica incomum de ganhar um aspecto assustador quando está em um ambiente escuro, intimidando inimigos de menor nível, porém tal intimidação não é muito efetiva ao verem quem porta tal arma (rs). | Efeito 2: O sabre pode se tornar um anel liso e feito de ferro estígio. | Ferro estígio e couro. | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Arsenal do acampamento]
Poderes:
Passivos de Éolo:
Passivos dos Lycans:
Nível 7
Nome do poder: Detectar Mentiras
Descrição: Graças a sua habilidade de ouvir batimentos cardíacos, o lycan é capaz sentir quando uma pessoa está mentindo. Entretanto, ainda precisa se concentrar em um alvo para isso.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
Importante:
Deixei em aberto pois a decisão dependerá da resposta do Imortal.

Auri Elric
Auri Elric
Lycans de Deimos
Lycans de Deimos


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Missão Narrada] O destino de Hermanoteu - Página 3 Empty Re: [Missão Narrada] O destino de Hermanoteu

Mensagem por Meiying Liuwei em Qui Nov 21, 2019 6:56 pm

the immortal
THE BIG TRIP

Estava cansada de fingir. Eu não era só uma garotinha boa ou tímida como aparentava desde o início da missão. Sabia que o ponto mais interessante nos levaria onde estávamos por isso tentei chamar a atenção com uma face inteiramente maquiavélica. Meu interesse, desde o início, era coletar informações que me ajudariam a ver quem ali seria os meus verdadeiros inimigos e amigos. Até aquele momento, já podia deixar que minha verdadeira personalidade fosse totalmente libertada em meio as entrelinhas. Adam com certeza mantinha segredos e Auri, bem… Já a julgava como uma forte aliada.

O momento para que mostrasse meu verdadeiro eu começaria durante aquele minuto em específico, de forma que retirei o boné que cercava minha cabeça para soltar meus cabelos de forma que apreciassem o leve frescor da noite pertencente a minha avó, Nyx. Não era uma vilã, pelo contrário: uma forte heroína. Mas como a moça inteligente que era também sabia a hora de me mostrar de verdade, logo não me entregaria totalmente a Auri de inicio, pois não a conhecia em primeira instância.

O destino que os deuses pareciam tecer para aquela missão estava tornando-a cada vez mais interessante. Com o passar do tempo percebi que todos nós ali éramos não mais semideusas, nem morto-vivo e nem imortal. Mas sim animais, sedentos por controle de uma situação volátil que nos era apresentada. De um lado, Auri, minha parceira esperta que não se demonstrou ingênua desde o início da missão e do outro eu, Meiying, uma curandeira e legado que aparentemente só estava ali plantada com uma cara de quem não sabia o que argumentar. Pelo menos era assim que esperava que eles achassem, já que de desinformada nada tinha.

Os vizinhos do outro campo de batalha — Adam e Hermanoteu, o imortal — também jogavam aquele jogo sujo, parecendo saber com maestria cada movimento ou fala que executavam. Demorou cerca de cinco minutos para que eu raciocinasse que tudo aquilo poderia ser uma farsa e uma armadilha, mas nada que fosse novidade a outra. Meus neurônios a partir daquele tempo em diante me notificariam para que não fosse mais besta dos outros e sim, deveria me provar como a mulher inteligente e astuciosa que era.

A chave, que por outrora deslizou de minhas mãos para as da filha dos ventos, agora também seria a causa de um novo ou provável contrato. Com uma face maliciosa e recheada de segundas intenções, Auri, determinada com o fato de poder usar o rumor da chave poder ser só usada por mulheres, tentaria driblar quaisquer enganações de Hermanoteu e seu servo com uma proposta esperta e hábil. Tal que me fez esboçar um semblante surpreso, pois não sabia da tamanha habilidade da ruiva ao manipular os outros ao seu redor.

— Mas eu também tenho minhas próprias clausulas. — Encerrei a fala de Auri, quebrando o silêncio após muitas jogadas daquelas peças sujas de xadrez que nos denominavam. Era a hora de que eu me movesse naquele tabuleiro. — Sem mim, não há cura para ninguém. Se Auri ou alguém importante para vocês se machucar morrerão sem a minha ajuda. Meu objetivo não é deixar ninguém morrer, mas estou ficando cansada também e sinto que usei muito os meus poderes. Asclépio entenderia caso visse que sua curandeira não pôde salvar uma vida por estar muito exausta. Então gostaria que me dessem alguma coisa para comer, ou ambrosia. — Pausei, olhando com um sorriso de canto. — Não pediria se não precisasse. — Minha cara sínica e irônica era notável e sinal de que nenhuma de nós duas estávamos ali para brincadeiras.

Os dois homens tinham apenas uma desvantagem naquele campo. Num tabuleiro comum de xadrez existem apenas uma rainha para cada lado, mas naquele, no entanto, existiam duas. E talvez essas poderiam ser o próprio caminho para a ruína do imortal e do morto-vivo. Eles já deveriam saber disso naquele instante.

Itens levados + tatuagem:

• Faca de Bronze Celestial [ Uma faca de lâmina curta - cerca de 10 cm - com cabo em madeira envolvido em couro para tornar o manuseio melhor. | Não produz feridas em mortais. | Bronze celestial, madeira e couro. | Sem espaço para gemas. | Alfa. | Status 100%, sem danos. | Comum. | Nível 1. | Item inicial. ]

• Escudo Auxiliador [Um escudo de aparência comum que, a princípio, parece ser mais velho e desgastado, porém não se engane. O seu formato e redondo, se encaixando no pulso do semideus que o porta, deixando a mão do mesmo livre, já que o encaixe é no pulso e antebraço. | Ao ativar o efeito o escudo torna-se transparente e seu peso torna-se nulo, permitindo que o semideus porte armas ou quaisquer objetos no mesmo braço onde encontra-se o escudo, como se não estivesse com nada preso ao braço. O escudo também se expande, podendo englobar o semideus e mais outra pessoa, sendo indispensável em curas em batalha, por exemplo. Ambos os efeitos podem ser ativados simultaneamente, entretanto só podem ser ativos uma vez por missão/evento etc, durando dois turnos. | Ouro Imperial. | Não possui espaço para gemas. | Resistência beta | 100%, sem danos. | Nível 3. | Lendária. | 10 de HP (caso seja utilizado para atingir outros semideuses). | Presente de Reclamação do grupo Curandeiros de Asclépio/Esculápio.] DESATIVADO NA NARRATIVA

Amuleto de Proteção [Um colar com um pequeno frasco pendurado como pingente, onde dentro há uma pena rosa mágica que protege o semideus contra ataques de monstros que utilizem charme ou algo relacionado. | Tal proteção só pode ser ativada uma vez por missão, repelindo tais ataques que envolvam charme por até dois turnos. | Material do colar e do pingente a escolha do semideus. | Mágica | Não apresenta suporte ou espaço para gemas | Resistência: Sigma | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja]
USANDO NO PESCOÇO

TATUAGEM
Brutamontes | Força | Flor da espécie orquídea. É brilhante e seu brilho se modifica de acordo com o sentimento de sua portadora. Pode alternar em cores como verde, branca, rosa e roxa. | Aumenta a força da semideusa em 30% | Nuca | Marca Pequena | Permanente.

Habilidades aprendidas:

Nome: Inteligência Lógico-matemática
Descrição: Quem possui a inteligência lógico-matemática bem desenvolvida tem a capacidade de confrontar e avaliar objetos e abstrações, discernindo as suas relações e princípios subjacentes. O semideus é hábil para o raciocínio dedutivo e solução de problemas lógicos, além de possuir mais facilidade para lidar com números e matemática.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +20% de inteligência, raciocínio lógico e elaboração de estratégias
Dano: Nenhum

Nome: Inteligência Interpessoal
Descrição: Quem possui a inteligência interpessoal bem desenvolvida é capaz de entender as intenções, motivações e desejos dos outros. Com essa habilidade, o semideus tem mais facilidade de se comunicar e conquistar a empatia de seus interlocutores. Quando usado de forma ativa, pode identificar as intenções e emoções de outrem uma vez por ocasião. Não envolve nenhum controle, apenas conhecimento, através de indicadores de comportamento que demonstrem como a outra pessoa se sente no momento. Pode perceber em um desvio de olhar que a pessoa está mentindo; pode notar pelos movimentos repetitivos que está nervosa; etc.
Gasto de MP: 30 MP (quando usado de forma ativa)
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +10% de inteligência. +30% de carisma e empatia.
Extra: O semideus é capaz de identificar as emoções de outrem uma vez por ocasião. Para isso, o narrador pode dar uma dica que denucie o estado emocional da outra pessoa.
Dano: Nenhum

Considerações:

Meiying estava fingindo timidez o tempo todo para que recolhesse informações a respeito de quem seriam seus amigos ou aliados. O intuito desse post é tentar pedir para que um dos dois homens me ofereçam algo que sirva para que eu recupere minha MP. Como ambrósia ou um alimento, como consta no sistema de cura. Indicar algum lugar que tenha algum desses também é bom.


healther girl
Meiying Liuwei
Meiying Liuwei
Curandeiros de Asclépio
Curandeiros de Asclépio

Idade : 19
Localização : Hospital de Asclépio.

Voltar ao Topo Ir em baixo

[Missão Narrada] O destino de Hermanoteu - Página 3 Empty Re: [Missão Narrada] O destino de Hermanoteu

Mensagem por Letus em Sab Nov 23, 2019 7:58 pm


O Destino de Hermanoteu

As palavras de Auri e Meiying pareciam colocar em igualdade o jogo  de Hermanoteu e Adam. A grande questão era que a prole de Deimos era bem mais esperta do que elas poderiam imaginar, muita das vezes bem maquiavélico. A dupla de semideusas logo descobriria que o feiticeiro não era alguém tão disposto a acordos.

— Adam, me entregue o pergaminho. — bufou o homem, fazendo seu servo lhe entregar o item. — Este pergaminho é capaz de abrir um portal que conecta esta ilha à Nova Iorque. Mesmo sem estar com meus poderes, posso utilizar isso para sairmos daqui. A entrada ficará aberta por alguns segundos, então espero que quando nos vermos no outro lado, vocês estejam com o anel.

Hermanoteu não pareceu ter qualquer tipo de consideração com às moças, ignorando totalmente suas falas. Abrindo o papiro ele deu um tapa no papel e uma porta mágica abriu em sua frente, fazendo com que ele e Adam saltassem dentro dele. Restava saber o que as garotas fariam a partir de ali.

Letus escreveu:Pontos obrigatórios

• Estão autorizadas a decidirem a escolha de vocês, sintam-se livres para tal. Se não entrarem no portal, terão de arrumar uma forma de sair da ilha. Se saírem pelo portal, o mago pedirá a chave a vocês, caso neguem a dá-lo ou não tenham trazido, Adam atacará vocês com socos e chutes (Vocês terão uma ação para defender-se e mais duas para atacar o zumbi e o mago), caso concedam a chave, ele simplesmente sumirá e a missão estará encerrada. A escolha será de vocês
Status:
Auri Elric:
HP - 340|340
MP - 304|340

Meiying Liuwei
HP - 327|360
MP - 111|360


Letus escreveu:• Vocês tem até 26/11/2019, até as meia-noite para postar. Em caso de dúvidas ou pedido de aumento de prazo, envie-me uma MP. Horário de Brasília.

• Armas e poderes em spoiler, sem exceção. Armas e poderes não citados no texto ou spoiler serão desconsideradas.

• Horário da narrativa: 24:00

• Qualquer erro ou detalhe que fuja do proposto, acarretará em desconto da recompensa final ou pior.

• Boa sorte.
Letus
Letus
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Missão Narrada] O destino de Hermanoteu - Página 3 Empty Re: [Missão Narrada] O destino de Hermanoteu

Mensagem por Meiying Liuwei em Sab Nov 23, 2019 8:40 pm

the end?
THE BIG TRIP

A situação em que nos encontrávamos estava, de certa forma, arriscada. Tínhamos a chance de lutar, negando a chave para os moçoilos e fugir após tal ato. Mas sabendo do perigo que seria entrar num combate até a morte com um imortal na situação em que me encontrava — cansada — era obviamente ruim.

Eu não tinha nenhuma escolha, então apenas procurei olhar para a Auri, demonstrando que caso fossemos escolher a luta nós iríamos perder. Se não fosse a minha atual situação talvez teríamos até que conseguido, mas naquela instância tudo deveria ser calmamente calculado por mim e Auri, que parecíamos demonstrar uma a outra uma face de moças que sabiam o seu próximo passo.

No fundo tinha a estranha sensação de que toda aquela missão estava próxima do fim. Seguindo o caminho arfante, atravessei o portal após a abertura do mesmo em poucos segundos. Fitei novamente a filha de Éolo, que segurando firme a chave a entregou nas mãos de Hermanoteu, o imortal. Não fazíamos sequer ideia do que ele faria com tal artefato, mas não havia outra escolha. Aquilo precisava ser feito.

A brisa fria da noite cortou meus cabelos, balançando-os. Tudo era apenas um mórbido silêncio, ironicamente. — "E então?" — Meu consciente estava curioso sobre o que aconteceria depois, de forma que só cruzei os braços e suspirei cansada, coçando meus olhos com os dedos. Um bocejo acompanhou meus lábios rosados e eu não parecia ver muita coisa, então só esperava o destino ser tecido conforme o desejo dos deuses.

Só pensava no momento na segurança dos meus amigos do acampamento, meus pacientes também. Eles estavam bem? Já ia fazer algum tempinho que não parava para conversar com algum destes. Com uma missão daquela você começa a pensar realmente na sua vida, principalmente após ter se infiltrado numa base de Circe em busca de um imortal.

Ainda mais: Asclépio teria orgulho de mim? Pelo o que fiz, especificamente? Eram muitas perguntas para nenhuma resposta. Pensativa, olhei para o lado e ouvi também o silêncio. Incrível como ele era o maior grito existente, mas que não se ouvia.

Talvez fosse ali, naquele silêncio, demarcado o fim de uma missão. Será?

Itens levados + tatuagem:

• Faca de Bronze Celestial [ Uma faca de lâmina curta - cerca de 10 cm - com cabo em madeira envolvido em couro para tornar o manuseio melhor. | Não produz feridas em mortais. | Bronze celestial, madeira e couro. | Sem espaço para gemas. | Alfa. | Status 100%, sem danos. | Comum. | Nível 1. | Item inicial. ]

• Escudo Auxiliador [Um escudo de aparência comum que, a princípio, parece ser mais velho e desgastado, porém não se engane. O seu formato e redondo, se encaixando no pulso do semideus que o porta, deixando a mão do mesmo livre, já que o encaixe é no pulso e antebraço. | Ao ativar o efeito o escudo torna-se transparente e seu peso torna-se nulo, permitindo que o semideus porte armas ou quaisquer objetos no mesmo braço onde encontra-se o escudo, como se não estivesse com nada preso ao braço. O escudo também se expande, podendo englobar o semideus e mais outra pessoa, sendo indispensável em curas em batalha, por exemplo. Ambos os efeitos podem ser ativados simultaneamente, entretanto só podem ser ativos uma vez por missão/evento etc, durando dois turnos. | Ouro Imperial. | Não possui espaço para gemas. | Resistência beta | 100%, sem danos. | Nível 3. | Lendária. | 10 de HP (caso seja utilizado para atingir outros semideuses). | Presente de Reclamação do grupo Curandeiros de Asclépio/Esculápio.] DESATIVADO NA NARRATIVA

Amuleto de Proteção [Um colar com um pequeno frasco pendurado como pingente, onde dentro há uma pena rosa mágica que protege o semideus contra ataques de monstros que utilizem charme ou algo relacionado. | Tal proteção só pode ser ativada uma vez por missão, repelindo tais ataques que envolvam charme por até dois turnos. | Material do colar e do pingente a escolha do semideus. | Mágica | Não apresenta suporte ou espaço para gemas | Resistência: Sigma | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja]
USANDO NO PESCOÇO

TATUAGEM
Brutamontes | Força | Flor da espécie orquídea. É brilhante e seu brilho se modifica de acordo com o sentimento de sua portadora. Pode alternar em cores como verde, branca, rosa e roxa. | Aumenta a força da semideusa em 30% | Nuca | Marca Pequena | Permanente.

Considerações:

Amo vocês!


healther girl
Meiying Liuwei
Meiying Liuwei
Curandeiros de Asclépio
Curandeiros de Asclépio

Idade : 19
Localização : Hospital de Asclépio.

Voltar ao Topo Ir em baixo

[Missão Narrada] O destino de Hermanoteu - Página 3 Empty Re: [Missão Narrada] O destino de Hermanoteu

Mensagem por Auri Elric em Sab Nov 23, 2019 9:00 pm


Capítulo 10
A escolha.


Não, os caminhos que aquela conversa estava tomando não era nada agradável. Orgulho nunca fora um pecado característico da serva de Deimos, por isso as ações que prosseguiriam não foram tão difíceis.

Queria poder dizer que a recusa feita pelo feiticeiro às ofertas realizadas pelas semideusas fora uma surpresa para Auri, todavia não era bem verdade. Mesmo aquele duelo de xadrez tendo sido breve, havia ficado clara a esperteza e poder de manipulação de seu adversário. Porém, houve sim uma surpresa: a ação do homem.

A proposta realizada por Hermanoteu era um tanto que intrigante, era difícil acreditar nas palavras do homem, porém alguns pontos precisavam ser analisados. Ele havia oferecido a chance de escapar imune daquela ilha, o que era algo que intrigava e muito a semideusa, pois ainda acreditava que alguém estava assistindo tudo aquilo e que logo aquele local seria invadido pelas seguidoras de Circe. Todavia, entregar um artefato tão poderoso também não era algo que agradava a semideusa.

O portal se abriu e tanto o imortal quanto o zumbi atravessaram, restava agora elas decidirem que o que fazer. Seus olhos se voltaram para a chave em sua mão. Um longo suspiro escapou de seus lábios. “ É, parece que ele ganhou.” Um sorriso se desenhou em seus lábios. Sua mente havia analisado as possibilidades e, de fato, não havia muita escolha. Olhou para a menina ao seu lado, ela estava cansada, havia explorado demais suas habilidades, e Auri sabia que exigir mais dela poderia resultar em consequências graves. Outra opção era de sair voando daquela ilha, porém ela era capaz de fazer isso, já a curandeira não, o que inviabilizava a missão. Não, ela não mantinha afeto para garota nem nada do tipo, porém abandonar alguém não era característica sua, muito pelo contrário, morria e matava pela sua alcateia e, naquele caso, pela companheira de missão.

Fechou a mão, guardando nela a chave tão preciosa. – Não temos escolha, não é mesmo? – Olhou o entorno, enquanto deu um passo em direção ao portal. – Você precisa descansar, se alimentar. Não adianta querermos sair daqui por conta própria pois corremos o sério risco de assim que chegarmos lá fora ter um exército nos esperando. Enfrentar Hermanoteu longe dessa ilha, ele com todos os seus poderes é inviável, ainda mais nas condições atuais. – Sorriu para a semideusa e atravessou o portal.

Viajar daquele jeito ainda era estranho, porém nada que lhe fosse muito desconfortável. Assim que seus pés tocaram o solo de Nova Iorque, ergueu a chave enquanto o imortal lhe dirigia a palavra. – Calma aí, querido. Já entendemos seu desejo. – Revirou os olhos enquanto jogava a chave para o feiticeiro. – És um ótimo jogador e tenho que admitir minha derrota. Circe não merece meus esforços, quero mais é que ela vá para o Tártaro. – Seus olhos se mantinham fixos nos homens, afinal, não confiava nos mesmos e sabia que aquele ato poderia lhe trazer muitas consequências, todavia, estava disposta a arcar com as mesmas.

Para a surpresa da lycan, aqueles dois trapaceiros simplesmente desapareceram diante de seus olhos. Aparentemente havia acabado, ao menos por ora.


FPA:
Equipamentos Levados:
Garras Lupinas [Um par de garras que se encaixam nas mãos dos Lycans perfeitamente. Inicialmente são como luvas que exibem parte dos dedos, mas que ao ser ativado expele três lâminas de 20cm feitas de ferro estígio. | Efeito de mecânico: podem ser usadas como luvas normalmente. | Efeito 1: Adapta-se as mudanças do corpo do lycan, porém quando em estado de transformação, as luvas assumem a característica de proteção, envolvendo as patas dianteiras com o metal. As garras dos lupinos são suas próprias armas. | Efeito 2: Quando as garras atingem o inimigo, provocam uma sensação de terror que irá durar por 2 turnos. Funciona apenas uma vez no mesmo oponente | Ferro estígio e couro | Não possui espaço para gemas. | Resistência beta. | 100%, sem danos. | Nível 3. | Lendária. | Presente de Reclamação do grupo Lycans de Deimos/Terror

Sabre [Uma espada onde a destreza é mais influente que a força, podendo infligir grandes danos, feita com ferro estígio na lâmina e com o cabo revestido por um tipo de couro resistente e que se encaixa perfeitamente na mão daquele que a porta. | Efeito 1: A arma possui a característica incomum de ganhar um aspecto assustador quando está em um ambiente escuro, intimidando inimigos de menor nível, porém tal intimidação não é muito efetiva ao verem quem porta tal arma (rs). | Efeito 2: O sabre pode se tornar um anel liso e feito de ferro estígio. | Ferro estígio e couro. | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Arsenal do acampamento]
Poderes:
Passivos dos Lycans:
Nível 14
Nome do poder: Regeneração I
Descrição: Em diferentes interpretações dos lobisomens e suas variações ao redor mundo e suas civilizações, é de conhecimento geral a marcante regeneração de seus tecidos e ossos. Com os lycans não é diferente. O servo de Deimos/Terror possui a habilidade de se regenerar que apenas evolui com o tempo. Nesse nível, cortes básicos e ferimentos leves na pele são inteiramente curados em questão de segundos, além da recuperação de HP e MP para critérios de RPG.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Recupera 40 de HP e MP.
Dano: Nenhum.
Extra: 1 vez a cada 2 turnos.

Auri Elric
Auri Elric
Lycans de Deimos
Lycans de Deimos


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Missão Narrada] O destino de Hermanoteu - Página 3 Empty Re: [Missão Narrada] O destino de Hermanoteu

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum