The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Washington

Ir em baixo

Washington

Mensagem por Héstia em Dom Mar 02, 2014 10:40 am


Washington, D.C.

Seja bem vindo a Washington, D.C capital dos Estados Unidos. Onde se localiza a casa branca, morada do atual presidente bem como a maior parte das alas politicas. Histórica e bela Washington, D.C. tem muito a ofertar aos seus moradores ou visitantes.
avatar
Héstia
Deuses Menores
Deuses Menores

Mensagens : 398
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Washington

Mensagem por Newt Flower em Qui Maio 31, 2018 9:29 pm

Rastreador #02

A chuva tinha acabado de parar quando saímos do ônibus, e eu tinha uma boba esperança da chuva servir de camuflagem para o nosso cheiro, porque eu nem sabia como a nevoa funcionava com o cheiro, mas eu queria ser otimista. Dionel seguia andando engraçado do meu lado, pelo menos na perspectiva de um mundano, o sátiro era manco. – É uma menina de cabelos loiros e que usa óculos! – Repetia pela terceira vez desde que tínhamos saído do ónibus a descrição da menina que íamos pegar num abrigo para menores. O Sátiro local Fion havia confirmado a identidade da menina, mas ele ainda tinha que ficar no local porque estava investigando outro menino, de forma que Dionel e eu fomos designados a essa tarefa. Eu ainda era novo na função e desde a minha primeira ida a campo Dionel e eu tínhamos nos dado bem, porque nenhum de nós era de falar muito.

Os carros das ruas pareciam brincar para ver quem jogava lama em nós primeiro, e enquanto eu tentava não ser uma vítima olhava para trás. Eu tinha aquelas sensações de perigo como um sentido aranha, o que não funcionava na cidade muito bem pelo fato de não ter muitas plantas. Ainda assim minha prudência me mandava ficar atento ao que poderia estar ao nosso redor. – É aquele prédio! – O prédio era pintado de branco e salmão em bordas desgastadas e janelas escuras, parecia que precisava de uma reforma e era antigo, tinha um portão de ferro antigo com as letras iniciais do lugar. Ficamos parados do outro lado da rua, eram 20hrs e as luzes do local fechavam as 22hrs, e era nesse momento que a menina iria sair para ir conosco. Eu ficava pensando em como ela deixaria alguém preocupada, ao mesmo tempo que sabia que a melhor opção para ela e para as pessoas que ela se importava, ser quem somos nos tornava perigosos para mundanos.

– Ainda vai demorar, que tal um joguinho? – Perguntei com um sorriso, porque eu sabia que ele iria recusar e eu achava engraçado como ele resmungava para mim. Depois da resposta negativa dele eu apenas cruzei os braços e esperei. [...] Dionel bateu em meu braço para indicar alguém pequeno pulando o muro, eu estava perto de uma loja e me virei para olhar a menina olhando para todos os lados. Levei os dedos à boca e assobiei chamando atenção dela. Vendo o nome na minha camisa, nada discreta, do acampamento ela atravessou a rua correndo com sua enorme mochila batendo nas costas. Fui ao seu encontro com da menina. – Olá Crystal, me chamo Newt! – Mas ela estava assustada e notei a sombra que vinha na nossa direção e bem rápido, mas Dionel pulou com seu bastão de espinhos e bateu bem no focinho do cão infernal. E eu apenas segurei a menina pelo braço colocando atrás de mim, liberando um pouco de Aroma Terapia para deixar todos mais calmos e controlados. Dionel gritou para mim e eu avancei no cão infernal pelo outro lado deixando a menina perto da loja, e num ataque conjunto atacamos.

Errei o primeiro golpe com minha foice, o que me fez alongar a mesma o máximo que pude e quando o cão pulou em mim eu conseguir cortar sua garganta, o problema foi o sangue que caiu na minha cara e em seguida tudo evaporou em poeira. – Que coisa nogenta! – Resmunguei e notei que a menina não estava ali, ela tinha corrido assustada e Dionel saiu atrás dela. – Por que não podemos ter uma noite normal? – Me levantei e ainda sentia uma dor no ombro quando corri atrás dos dois. [...] Meia hora depois estávamos no ônibus comendo um pastel oleoso, a menina tinha finalmente se acalmado e Dionel estava com um mau humor incomensurável. E eu? Ria ao ver os dois quase dormindo. Saímos dali.



UMA FLOR
FEITA DE AÇO
NEWT PHILIP FLOWER
FILHO DE DEMÉTER
RASTREADOR
avatar
Newt Flower
Filhos de Demeter
Filhos de Demeter

Mensagens : 82
Idade : 14

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum