The Blood of Olympus

{Labirinto de Dédalo} Fernanda S. Carvalho

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ir em baixo

{Labirinto de Dédalo} Fernanda S. Carvalho - Página 2 Empty Re: {Labirinto de Dédalo} Fernanda S. Carvalho

Mensagem por Narrador Principal em Ter Out 22, 2019 5:46 am

O membro 'Tessa S. Henz' realizou a seguinte ação: Lançar dados


'Labirinto de Dédalo' : 7
Narrador Principal
Narrador Principal
Deuses Olimpianos
Idade : 25
Localização : Por ai
http://www.bloodolympus.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

{Labirinto de Dédalo} Fernanda S. Carvalho - Página 2 Empty Re: {Labirinto de Dédalo} Fernanda S. Carvalho

Mensagem por Fernanda S. Carvalho em Sab Nov 02, 2019 9:12 pm


MvP - Cavaleiro sem Cabeça

Fantasia: Aqui
DANO SOFRIDO: 5. 55% de dano



Legenda:
Falas em pt/br
Falas em inglês.

Ainda estava no labirinto. Perdida, sozinha e sem sombra de dúvidas assustada. Sons vinham de todos os lados, de passos ou risos ou grunhidos. Dessa vez, andava ainda armada, com o tridente apoiado em meu ombro, olhos atentos a qualquer sinal de perigo. O que justificava muito bem o susto que levei minutos atrás quando um ruído passou perto de mim, fazendo-me apontar as três lâminas na mesma direção. Tudo bem que era um pequeno roedor, mas garantia que meu estado de alerta funcionava. No mais, roedores são perigosos, transmitiam doenças disso eu tinha certeza.

Meu aspecto não era um dos melhores, mas eu também já estive muito pior depois de uma festa em determinados bairros que mainha morrerá sem saber que eu estive. Minha perna estava levemente ferida, mas muito bem tratada com o auxilio de um deus grego, ou pelo menos o filho de um, apareceu e me ajudou. Pelo jeito com que ele lidou e moveu-se com precisão eu não duvidava que fosse um curandeiro. A fantasia era apenas um farrapo em comparação a glória de seu passado, mas estava satisfeita por ainda cobrir perfeitamente meu corpo e ainda ser reconhecível que estava fantasiada de pirata.

Ter encontrado outros também perdidos em meio ao labirinto tinha me deixado menos assustada e menos paranoica. Assim, quando eu a encontrei surgindo do outro lado da “sala”, adentrando quase ao mesmo tempo que eu mesma entrava, eu não estava tão defensiva. Era uma morena de olhos claros, usava uma fantasia muito bonita de uma persa. Minha mão fechou ao redor do tridente, apenas por precaução, mas não o apontei em direção a ela ou qualquer coisa que denunciasse uma atitude mais hostil. Afinal, não sabia se ela era uma aliada ou mais um desafio do labirinto.

Olá? Tão perdida quanto eu ou estou sozinha nesse barco? — Falei em inglês, sabendo que era o idioma predominante nos acampamentos.

Obviamente eu tinha sotaque, apesar de saber falar perfeitamente o inglês americano por causa de minha mãe e paixão pelas músicas internacionais. Felizmente, a outra garota era bastante cordial e parecia ter humor suficiente para ser gentil com uma estranha em meio ao labirinto cheio de monstros.

Sou Fernanda! — Respondi a apresentação, me aproximando enquanto olhava aos arredores brevemente, só por garantia de que nada fosse surgir e querer, por exemplo, quebrar meu corpo em dois. Exagero? Experimente estar em um labirinto amaldiçoado e veremos o que é exagero. — E eu aposto que notou o meu sotaque, não quero realmente me livrar dele porque é uma grande característica de onde eu venho. Sou do Brasil! — Sorri ao parar bem próxima de Tessa. — Alguma ideia de como sair daqui? Estou aberta a todas as opções possíveis que nos leve para fora desse filme de terror.

Tessa parecia realmente tão perdida quanto eu, mas era muito melhor estar em uma situação difícil com outra pessoa do que sozinha. Estava prestes a comentar do caminho que tinha vindo, alertando dos perigos que tinha encontrado, quando um simples detalhe me fez parar com a boca ainda aberta e fitar a morena com uma surpresa enorme.

Você consegue VOAR? Ow, ow! Isso parece tão melhor do que eu posso fazer, que é controlar a água. Em uma situação como essa por exemplo, eu preciso ter a água por perto para ter alguma utilidade quando se trata de poderes.

Era tão estranho falar sobre algo assim com alguém que não fosse com minha mãe e meu tio. Com alguém que tinha aparentemente a minha idade e algo próximo. Talvez, apenas talvez, vale a pena frisar, mainha estivesse certa quando disse que precisava socializar mais com outros semideuses. O arquear de sobrancelha da morena me fez questionar o que se passava na cabeça dela, mas antes que minha curiosidade fosse verbalizada, nós fomos interrompidas e lembradas mais uma vez de onde estávamos.

Crendeuspai, cadê a cabeça dele?! — Disse alto, assustada o suficiente para ter usado o português e não o inglês.

Era como um homem que deveria ter no passado algo como dois metros de altura, suas roupas esfarrapadas, rasgadas e sujas não escondiam que outrora foram elegantes. Mas. Faltava. Uma. Cabeça! Então é obvio que eu entraria em pânico! Tinha assistido filmes de terror o suficiente, lido sobre demônios e escutado de minha mãe sobre as criaturas do submundo. Enfrentar algo como aquilo não estavam em meus planos.

Corre. Corre. RUN! — Eu tinha começado a falar em um fio de voz, ainda usando o português até lembrar que aquela garota entendia nada, mudando para o inglês em meio a fala.

Eu esperava que ela me seguisse, porque era – em minha mente – a coisa mais lógica a se fazer: fugir de um monstro que nem cabeça tinha! Por isso logo minhas pernas trêmulas e carregadas pela adrenalina me levaram até a saída mais próxima. Estava quase alcançando quando algo começou a surgir do chão. Aquele maldito amaldiçoado filho da Mula sem Cabeça estava invocando mortos-vivos! E como eu sabia disso? Aquela criatura tinha uma roupa bem parecida e surgia literalmente do nada.

Se eu esperava que aquela invocação fosse similar a um zumbi, eu não poderia ter errado mais em minha vida. Ele se ergueu em toda a sua glória mórbida, usando duas espadas leves e avançou como se fosse um Papa-Léguas endiabrado. Eu mal tive tempo de erguer o tridente, usando do corpo metálico para amparar uma das espadas que vinha em um ataque vertical. Meu corpo foi impulsionado para trás graças a força aplicada naquele único golpe, minha concentração estava em não desequilibrar, cair e morrer naquele exato momento. No entanto, fora exatamente isso que me impediu de escapar totalmente da segunda espada, ministrada com exímia assertividade ao ser golpeada na altura de minha barriga. Eu deslizei para o lado, fazendo com que a espada atingisse minha cintura, abrindo um corte que me fez grunhir e quase fechar os olhos perante a dor dilacerante. A espada que estava sendo amparada pelo tridente deslizou pelo metal, ficando próxima de meu braço esquerdo. Foi o momento perfeito para que o morto-vivo invocado apenas movesse a espada e atingisse desde o meu ombro até uma região próxima de meu cotovelo.

Joguei meu corpo para trás, tentando criar um espaço entre nós dois. Eu conquistei um pouco mais de dois metros, mas eu não tinha comparado aquele maldito com o Papa-Léguas à toa. Dois passos dele e ele parecia pronto para me beijar como se estivéssemos pulando no carnaval: com altas chances de provocar uma doença bucal e se achando no direito de invadir o espaço pessoal alheio. Mas tudo o que ele fez – graças aos deuses, não rolou nada próximo de minha boca – foi aplicar um chute na altura de meu estômago. Meu corpo foi para trás, chocando contra uma parede que parecia ter algumas partes pontiagudas, perfurando a parte alta de minhas costas por cerca de três centímetros de profundidade.

Esperando que ele avançasse, como vinha fazendo até aquele momento, eu movi meu corpo para o lado, fazendo com que ele atingisse a parede com pequenas setas laminadas embutidas no concreto. Se não iriamos morrer pelos monstros, o labirinto parecia fazer questão de garantir que o próprio cenário pudesse nos matar! Mas foi graças ao impacto do inimigo contra a parede que eu consegui uma certa vantagem, finalmente colocando uma certa distância entre nós dois. Transformei o tridente, mudando a sua constituição para ferro estígio, como tinha feito na batalha passada e tinha dado resultados promissores.

O morto vivo invocado recuperou-se rapidamente, seguindo prontamente o seu padrão de atacar rapidamente. Usei o corpo do tridente para defender os ataques feitos pelas espadas, mal conseguindo enxergar o que ele realmente fazia. Mantive na defensiva, criando pouco a pouco uma camada de água no chão. Comandar o elemento era muito mais fácil do que cria-lo, mas não impossível. Quando finalmente o chão estava molhado, eu finalmente criei a chance que precisava. Ele atacou com as duas espadas em um movimento de cima para baixo, obrigando-me a amparar o golpe com o corpo do tridente. Mas dessa vez, apliquei toda a força para empurrá-lo, tentando forçar ele a mover os pés no chão molhado. Ele derrapou apenas no segundo passo, caindo para trás que nem jaca mole. Girei o tridente para deixar as três pontas afiadas para baixo, fazendo um único movimento de finca-las contra o peito do monstro até enterrar as pontas do tridente contra o peito dele. Retirei o tridente bruscamente, tentando provocar mais dano ainda ao retirar a parte laminada de dentro dele. Pareceu o suficiente, já que ele estava transformando-se em poeira dourada.

Só então eu consegui virar meu corpo e prestar atenção ao meu arredor. Tessa lutava contra o cavaleiro sem cabeça. Uma luta ferrenha e tão bela que meu queixo caiu por breves segundos. Ela parecia uma criatura mística pelo modo que se movia, mas o cavaleiro era esquivo demais. A saída estava ali, livre para que eu passasse. Mas eu não seria aquela que fugia daquela maneira. Qual a diferença desse momento para o da outra vez? De primeira era questão de sobrevivência pura. Agora era uma questão de honra.

Tessa estava fincando a espada contra o peito do monstro, eu precisava ajuda-la de alguma maneira, pois eu sabia que não tinha força ou treinamento o suficiente para encarar aquele monstro diretamente.

Tessa! Afasta! — Alertei enquanto formava no ar um tridente feito de pura água.

Assim que ela afastou abrindo espaço para mim, lancei o tridente. Pela batalha, o que eu consegui ver pelo menos, o homem sem cabeça tinha uma esquiva perfeita. Obviamente ele desviou do tridente de água, mas o grande diferencial estava na constituição do item. Sendo feito de H2O eu poderia controlá-lo. Por isso manipulei a arma líquida, fazendo um movimento de curva assim que passou pelo corpo do inimigo. Ele estava para avançar em direção a Tessa novamente quando a ponta laminada do tridente atingiu em cheio o meio do antebraço dele. Usei de toda a minha concentração para controlar ainda mais o líquido, pois além de perfurá-lo com a arma, o empurrei contra a parede para tentar imobilizá-lo.

Não vou conseguir mantê-lo por muito tempo! — Gritei para a morena.

Eu tive de sustentar toda a minha atenção, a mão ainda esticada em direção ao tridente de água para manter o monstro parcialmente imobilizado. Ao menos o machado não ofereceu mais nenhum problema para Tessa enquanto esta aproveitava a chance para destruir o inimigo de uma vez por todas. Quando ele virou purpurina dourada, eu finalmente aproximei da outra garota com um sorriso de lado.

Aposto que pensou que eu iria fugir, mas era tudo estratégia! — Tentei, mas bastou um arquear de sobrancelha dela para que eu risse um tanto envergonhada. — Ok, eu vi um macho sem cabeça e pensei “se um com cabeça é ruim imagina um sem?”. Entrei momentaneamente em pânico, mas já passou.

Sorri de lado, apenas satisfeita o suficiente por aquilo ter acabado. Ao menos por enquanto.



Itens levados:
• The Fang [Adaga com uma lâmina de 20cm. Sua empunhadura é feita de dentes de antigos felinos, a lâmina levemente curvada lembra o formato de presas de um grande predador. | Efeito: Podem ficar invisíveis por dois turnos, sendo vistas apenas por quem a porta. Efeito só pode ser usado novamente depois de mais 2 turnos. | Ferro Estige | Sem espaço para Gemas| Beta| Status: 100% Sem danos | Comum | Item Inicial ] << Escondida na bota.

• Estrela do Mar [Um tridente de 2m de altura em sua totalidade. Sua ponta superior possuí as características três lâminas, com desenhos bem feitos e corte afiado. As três pontas ficam levemente iluminadas quando debaixo da água ou quando o usuário está manipulando o elemento. | Efeito de ligação: o item é ligado ao seu dono, surgindo ao seu lado depois de roubado ou perdido.; Efeito de transformação: Pode diminuir o tamanho para algo próximo a de um chaveiro, possuindo uma argola apropriada para ser encaixada como um acessório. | Efeito 1: Diminui o custo de poderes a base de água em -20%, assim como aumenta o dano em +15%; Efeito 2: xxx | Bônus de forja: +15% de dano, FPA e épico +45 de dano | Bônus épico: + 4% de chance de crítico. | Adamantino | Super Alfa | Rubi imperial: +40 de dano; espaço para 1 gema | Status 100%, sem danos | Épico | Forjada por Nikolaev] << Em sua forma de chaveiro, dentro do bolso.

• Arsenal [Anel brilhante com uma pedra preciosa, esbranquiçada e minúscula em seu centro | Aço | . Possui o efeito de alterar uma arma, mudando assim sua forma, detalhes, e qualquer outra coisa que o portador desejar, desde que as alterações sejam apenas físicas. Ou seja, utilizando o efeito do anel, é possível transformar uma lança em uma espada ou faca, ou qualquer outro item de ataque. Um escudo circular pode ser transformado em um broquel, ou um escudo de corpo. Os materiais dos itens podem ser alterados, mas seus efeitos sempre serão os mesmos (exemplo: uma espada elétrica ainda causaria dano por eletricidade se transformada em uma lança) | Não possui espaços para gemas | Comum | Resistência: Sigma | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja ]. <<< Dedo

• Golden Magic [Um colar que possui um pingente a escolha do seu dono. Seu formato ou estilo em nada se compara a magia que está presente nesse acessório | Efeito 1: Ele esconde em 75% a presença semidivina do usuário, permitindo que ele passe despercebido por monstros e use até mesmo tecnologia mais avançada. Monstros superiores e mais poderosos ainda conseguem reconhecer o usuário do colar como um semideus, mesmo que leve um tempo para distinguir a aura.; Efeito 2: Devido a encantamentos ligados ao seu sangue, a usuária do colar consegue assumir uma aparência totalmente humana de sua escolha, não podendo ser alterada depois que ativada. Ou seja, ao assumir um aspecto mais humano, enquanto ativo o colar essa aparência não será mutável até desativá-lo novamente, expondo as características não humanas.; Efeito 3:  Trevo. Aumenta o dano de ataques físicos e com armas em 35%, além de aumentar a probabilidade de este acertar o oponente em 30%.| Prata ou Ouro | Sem espaço para gemas | Gama | 100% sem danos | Mágico | Comprada na Pandevie Magie] << Pescoço
Habilidades Poseidon:
Ativas:
Nome do poder: Tridente Aquático
Descrição: O semideus adquiriu a capacidade de invocar um tridente totalmente feito de água – porém resistente – sempre que desejar.
Gasto de Mp: - 20 HP
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: - 50 de HP.
Extra: Nenhum.
Passivas:
Nome do poder: Força I
Descrição: Como demonstrado por Percy na série e é de conhecimento geral que Poseidon é mais forte que a maioria dos deuses por ser um dos três grandes, seus filhos possuem uma força superior à comum dos semideuses.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de força
Dano: +10% de Dano se o ataque do semideus atingir.

Nome do poder: Velocidade II
Descrição: Você ficou ainda mais rápido conforme evoluiu em seu treinamento, e com isso, também consegue se esquivar, e lutar com mais destreza, para outros semideuses em campo de batalha fica difícil acompanhar o seu ritmo.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de Velocidade
Dano: Nenhum

Nome do poder: Pericia com Espadas II
Descrição: Uau! Você andou treinando, e isso fez com que suas habilidades melhorassem muito, você já consegue fazer movimentos mais elaborados com as espadas e a segura perfeitamente, também é capaz de usa-la para se defender.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +70% de assertividade no manuseio da espada.
Dano: + 30% de dano ao ser acertado pela arma do semideus.

Nome do poder: Conexão bélica I
Descrição: O tridente é extremamente formidável nas mãos de um filho do oceano. Porém, como um dos símbolo do rei dos mares, o tridente acaba por exercer influência mística na prole de Netuno/Poseidon. Ao estar portando essa arma, ela facilita no manuseio e nos poderes relacionados a água.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Reduz em 10% o gasto de MP da hidrocinese.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Pericias com Tridentes II
Descrição: Seu manejo com essa arma melhorou, e agora além de conseguir usar o tridente de forma habilidosa também consegue fazer movimentos mais precisos, podendo atacar e se defender.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +70% de assertividade no manuseio da espada.
Dano: + 30% de dano ao ser acertado pela arma do semideus.

Legado de Apolo:
Passivas:
Nome do poder: Corpo Atlético I
Descrição: Apolo sempre foi descrito como um Deus jovem e no auge do seu vigor físico. Filhos de Apolo herdaram essa característica de seu pai, sempre são vistos praticando esportes e atividades físicas para se manterem atléticos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de agilidade e esquiva
Dano: Nenhum

Nome do poder: Concentração de Arqueiro I
Descrição: Arqueiros precisam se concentrar para acertarem o alvo, pois qualquer distração, podem fazer seu tiro certeiro sair pela culatra. Os filhos de Apolo têm a benção de seu pai, que faz com que eles sejam mais calmos e objetivos quando precisam realizar uma tarefa que exija concentração.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: + 15% de vantagem ao realizarem uma tarefa que exija concentração.
Dano: Nenhum
Ativas:
xxx
Habilidades Aprendidas:
Nome da Habilidade: Perícia com Espadas III
Descrição: Espadas são uma das principais armas de um semideus, especialmente se ele gosta do calor do combate. Alguns possuem uma perícia inata, mas outros precisam de alguma prática para melhorar e evoluir. Tendo participado dessa aula, o indivíduo foi capaz de aprimorar os conhecimentos já adquiridos.
Gasto de HP: Nenhum.
Gasto de MP: Nenhum.
Extra: +55% de habilidade com a espada.
Dano: +30% de dano.

Nome: Blood of Chaos
Descrição: O semideus detentor dessa habilidade ganha uma capacidade extrema se de concentrar em meio à difíceis situações, sejam elas de desastres naturais, em problemas de relacionamento, em lutas ou em uma guerra. Consegue situar-se com mais facilidade do que os outros semideuses, podendo sair de grandes enrascadas por saber exatamente como agir sob uma grande pressão.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +15% de assertividade em situações que precisem da inteligência.
Extra: +5% de velocidade, caso use a habilidade em situação que necessite de rapidez.

Nome: Ballet Dancer
Descrição: O ballet é um estilo de dança apropriado para exercitar todo o corpo em uma atividade prazerosa. Além de melhorar a postura, a autoestima e a respiração, o ballet também promove uma melhora na elasticidade corporal e no equilíbrio.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +30% de elasticidade e equilíbrio.
Dano: Nenhum



Template made by Kyra



Fernanda S. Carvalho
Oxente, cê num tá vendo
que a gente é nordeste?
Fernanda S. Carvalho
Fernanda S. Carvalho
Filhos de Poseidon

Voltar ao Topo Ir em baixo

{Labirinto de Dédalo} Fernanda S. Carvalho - Página 2 Empty Re: {Labirinto de Dédalo} Fernanda S. Carvalho

Mensagem por Tessa S. Henz em Sab Nov 02, 2019 10:07 pm



Cavaleiro sem cabeça
Estar perdida em um labirinto não deveria ser uma coisa surpreendente. Mas, na verdade era. Eu ainda não conseguia compreender completamente como a presença de Hela se esvairá do nada. Como se o labirinto houvesse armado para que nossa separação parecesse acidental. Foi em meio a minha caminhada em busca da saída que encontrei uma garota. Ela aparentava ter praticamente a mesma idade que eu, sua pele de uma coloração um pouco mais bronzeada e seus olhos em uma tonalidade de castanho.

Segurei o sorriso que queria aparecer ao notar sua rápida reação. Em um labirinto como aquele, a premissa era não confiar em ninguém até que sua identidade fosse parcialmente revelada. Sua pergunta não me pegou de surpresa, entretanto. -Talvez mais perdida que você- anunciei tentando identificar o sotaque que ouvira em sua voz. Não parecia em nada com o pessoal de Nova Orleans ou da Inglaterra. Talvez algo mais puxado pro latino, mas eu não saberia informar.

-Sou Tessa. Você seria?- questionei dando um passo em sua direção. Eu nunca antes a havia visto no acampamento meio-sangue e nem mesmo no acampamento Júpiter quando por lá eu passara algum tempo. Ou era uma nova recruta, ou uma semideusa que conseguira viver por si própria. O que era um tanto estranho, em se considerando o lugar onde estávamos.

A garota se apresentou pronunciando um nome que tentei repetir, sem sucesso. Minha língua enrolou e não saiu algo minimamente parecido com o que ela havia dito. Fernanda, havia anunciado que viera do Brasil seu sotaque sendo característico de seu país de origem. Eu já ouvira falar do país, algumas das cidades mais conhecidas como São Paulo e Rio de Janeiro. Mas, eu não poderia afirmar que conhecia a língua falada por eles.

-Eu poderia tentar voar, mas tenho a impressão que esse lugar possui algumas armadilhas aéreas. O jeito é continuar seguindo, confiar no seu instinto ou algo parecido- anunciei balançando a cabeça em desalento. Nada era fácil em se tratando de semideuses, monstros e deuses.

Fernanda pareceu surpresa com a menção a asas, o que me fez querer gargalhar. Talvez ela não houvesse tido contato com muitos semideuses no decorrer de sua vida. Minha sobrancelha esquerda se arqueou, entretanto, quando ouvi a menção ao controle de água. Se envolvia água, ela possivelmente era uma de minhas meias-irmãs perdidas pelo mundo, a verdade era que se ela fosse não me surpreenderia nenhum pouco.

Não tive tempo de expressar meus pensamentos já que no minuto seguinte recebemos um pequeno e indesejado acompanhante. O cavaleiro sem cabeça. Haviam diversos boatos sobre ele, mas nenhum que de fato mencionava o quão espantoso era a sua falta de cabeça. Ele não poderia ver, mas seu corpo se movia como se de fato ele pudesse.

Diante da situação, minha primeira atitude foi a de transformar meu anel na espada que vinha sendo minha companheira a tempo demais para ser contado. Fernanda ao contrário, parecia ter entrado em pânico, dizendo palavras que eu não conseguia compreender. Talvez ela nunca antes houvesse ficado cara a cara com um monstro tão impressionante.

A ultima coisa que consegui ver, foi o inicio de sua corrida antes que o monstro desse inicio a sua aproximação. Seu corpo se movia rápido, sua altura possivelmente sendo um fator de ajuda. Seu primeiro ataque veio de encontro a meu braço esquerdo, por questão de milímetros não atingindo o local almejado. Deixei a espada um pouco mais confortável em minha mão, um golpe vertical mirado diretamente em sua mão desprovida da arma.

Sua esquiva foi muito mais rápida que meu ataque, minha espada encontrando o vazio. Deslizei para o lado, evitando seu próximo ataque, minha espada amparando seu machado. Sua força era muito maior do que aparentava. Ergui a espada, a mira em seu peito esquerdo, o golpe acertando um pouco mais a direita do que eu planejara. Dando um passo atrás, busquei dar certa distância entre nossos corpos.

Em resposta ao meu ataque o monstro veio de encontro ao meu corpo, seu machado tocando meu ombro esquerdo. O contato da lâmina com a pele fazendo com que um arfar se retirasse de meus lábios. Em uma reação rápido, busquei fincar minha espada em sua costela. Se alguém estivesse contando, eu provavelmente seria aquela a ter a pontuação mais baixa naquele embate.

Seu machado novamente veio de encontro a mim, sua mira claramente em minha barriga. Receptei o golpe no ar, meu corpo deslizando um pouco pra trás devido a força impregnada pelo cavaleiro. Me movi para o lado, conforme ele puxava o machado de encontro a si. Se ele obtivesse uma cabeça, provavelmente estaria me olhando com escarnio, mas como não tinha aquilo teria de ficar a cargo da minha imaginação.

Meus olhos foram de encontro a figura de Fernanda por alguns instantes. Ela parecia ponderar entre ficar ou partir. Endireitei a espada, mirando novamente o peito do cavaleiro a lâmina fincando em seu peito, longe demais do coração para que eu pudesse desintegra-lo, sua esquiva se tornando seu ponto forte durante todo o período daquela luta.

Seguindo o pedido de Fernanda, me afastei da criatura dando espaço para que ela atacasse. Mesmo que ela tivesse pouca experiência com monstros, seus instintos eram muito bons. O que me levava a pensar, que ela se transformaria em uma excelente heroína. Controlando o tridente feito de água, a semideusa me deu a certeza que eu precisava a respeito de sua paternidade.

Uma meia-irmã encontrada em uma casualidade pra lá de interessante. A moça anunciou que não conseguiria mantê-lo por muito tempo, mas eu conseguia notar que ela havia feito um bom trabalho. Puxando minha espada, a ajeitei em minha mão deixando-a em riste antes de começar minha corrida em direção ao monstro. A espada foi fincada em seu peito, afundada até um pouco onde já não conseguiria adentrar seu corpo, para que no minuto seguinte nada restar além do pó que indicava sua morte.

Fernanda tentou de certa forma me ludibriar a respeito de sua tentativa de fuga, o que me fizera querer gargalhar quase que automaticamente, mas optei por arquear minha sobrancelha indicando que não havia caído em seu papo. – Todos temos nossos momentos. Você se saiu bem!- anunciei dando um passo para trás. O caminho era longo e a caminhada nada fácil.


Armas e itens levados:
Invisible Heart- uma espada dilapidada em ferro estígio,  ao tocar na pele de um semideus faz com que veneno paralisante adentre sua pele. Além é claro das feridas normais. Em descanso, o objeto se transforma em um fino anel, com três pequenos tridentes. Ao toque do tridentes do meio, o corpo da semideusa se torna total e completamente invisível, tanto para monstros quanto para demais semideuses, o cheiro e o caminhar são camuflados pelos sons e cheiros do local aonde o semideus se encontra. Ao tocar os três tridentes, o anel se transforma na espada.

Ampulheta Cristal- Em formato de gota possui um estoque extra de agua, trata-se de agua do mar que jamais acaba no entanto  precisa de tempo para carregar, o efeito dura cerca de 5 minutos mas leva 10 para carregar novamente. (presente de Zeus)
Poderes Passivos:
Nível 47
Nome do poder: Força II
Descrição: O semideus treinou e evoluiu ainda mais e agora consegue carregar ainda mais peso, levantar coisas mais pesadas e efetuar lançamentos com uma facilidade tremenda. Conforme se desenvolveu, ficou ainda mais forte.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +35% de força
Dano: +20% de Dano se o ataque do semideus atingir.

Nome do poder: Velocidade III
Descrição: Você aprendeu que a velocidade pode ser uma grande aliada em campo de batalha, e com isso treinou ainda mais arduamente, agora ficou mais rápido, esquiva-se com facilidade, e domina a luta ao seu favor. É difícil combater seu herói desse jeito.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% de velocidade
Dano: Nenhum

Nível 42
Nome do poder: Pericia com Espadas III
Descrição: Você se tornou um mestre com essa lamina e agora pode usa-la para atacar se defender, também consegue desarmar inimigos com mais facilidade e dificilmente deixa que tirem a lamina de suas mãos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +100% de assertividade no manuseio da espada.
Dano: + 45% de dano ao ser acertado pela arma do semideus.
Bônus:
• XP Full Time – Ao adquirir este pack, todas as suas postagens terão XP dobrado por sete dias. (Válido até: 02/11/2019)

 




The Beauty and the beast
Tessa S. Henz
Tessa S. Henz
Líder de Poseidon

Voltar ao Topo Ir em baixo

{Labirinto de Dédalo} Fernanda S. Carvalho - Página 2 Empty Re: {Labirinto de Dédalo} Fernanda S. Carvalho

Mensagem por Hades em Ter Nov 05, 2019 3:17 pm

Avaliação

Valores máximos que podem ser obtidos


Máximo de recompensa a ser obtida: 7.500 xp e dracmas + 8 ossos
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Tessa
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%
Recompensa obtida: 7.500 (x2 = 15.000) xp e dracmas + 8 ossos

Fernanda
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%
Recompensa obtida: 7.500 xp e dracmas + 8 ossos

Hades
Hades
Deuses Olimpianos
Localização : Importa? A morte ainda será capaz de te achar.

Voltar ao Topo Ir em baixo

{Labirinto de Dédalo} Fernanda S. Carvalho - Página 2 Empty Re: {Labirinto de Dédalo} Fernanda S. Carvalho

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum