The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

[RP's] HAROR LESTRANGE

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ir em baixo

[RP's] HAROR LESTRANGE - Página 2 Empty Re: [RP's] HAROR LESTRANGE

Mensagem por Haror Lestrange em Sab Maio 25, 2019 7:48 pm




COMO TREINAR O SEU DRAGÃO
MISSÃO FIXA:
Nome: Como treinar o seu dragão.
Descrição: Na floresta encantada existe um povo nômade que vive perfeitamente bem entre os dragões. Suas casas são fortes com capacidade para conter, ajudar e treinar tais criaturas com uma riqueza de detalhes impressionantes. Eles não apenas conseguem conviver com os dragões, como também conseguem domesticá-los. Você acabou encontrando esse povo e como um verdadeiro curioso deseja aprender junto a eles. Conquiste a confiança dos nômades e aprenda com eles a como treinar e virar amigo de um dragão.
Recompensas: 8.000 XP e Dracmas + 6 Fragmentos
Requisito mínimo: Nível 7.
HABILIDADE A SER APRENDIDA:
Habilidade: Conhecimento sobre dragões
Descrição: O personagem conviveu e aprendeu com o povo draconiano as características, habilidades e diferenças sobre os dragões e agora já consegue lidar um pouco melhor com eles. Ao obter esse conhecimento o semideus é capaz de conseguir ajuda, domar, ou evitar ser atacado por um tempo pelas feras, desde que essas não estejam sobre qualquer outro tipo de domínio ou magia. Ou seja, se o dragão em questão não possui dono, está com o humor afetado por algum outro fator, ou sendo manipulado por magia o personagem ainda conseguira lidar com ele.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +50% de chance de não ser atacado por dragões. +30% de chance de conseguir que ele te ajude caso o personagem consiga se aproximar. +20% de chance de descobrir um ponto fraco ao lutar contra um dragão.
Dano: Nenhum
Extra: O conhecimento permite ao semideus criar estratégias melhores relacionadas aos dragões, ou seja, ele aprende a lidar com eles de maneira ofensiva ou defensiva.
Meu bônus de dobro de EXP e o de dobro de Dracmas estão ativos para essa postagem.

Haror tinha conversado com encantado sobre a busca pelo dragão que tinha quase lhe matado. O príncipe estava cada vez mais envolvido com as batalhas ao lado de Alice para vencer o temível Josh, mas Haror se preocupava que deixar o dragão a solta poderia matar diversos inocentes. Além disso, em seu coração o semideus queria se provar matando tal fera, seria um feito que o colocaria no topo como um grande herói. Encantado tinha lhe dito que estavam em um beco sem saída, sem pistas. Haror sugeriu pedir ajuda aos aliados e o príncipe teve a ideia de mandar Haror ir aprender sobre as feras com o reino vizinho, Berk. Eles eram os melhores especialistas nesse tipo de criatura em todo o reino mágico dos contos de fadas.

Sob as ordens do príncipe e sob sua orientação, o velho tinha se dirigido com seu cavalo para o lugar em que a cidade se situava. No meio do caminho se encontrou com o regente do lugar, que se chamava Soluço. Ele era um garoto esguio, com pelo menos a metade da idade de Haror. Mas diferente do velho, tinha uma imagem não tão imponente. Sua montaria, por outro lado impressionava, pois era dragão com olhar feroz. Carpeado relinchou ao ver a fera e levantou suas patas dianteiras no ar. Haror se segurou e quase caiu, mas conseguiu se manter sobre o animal. – Vejo que seu amigo tem medo do Banguela, e ele está certo. Os dragões fúria da noite são os mais temíveis dentre todos os ainda vivos!

Haror observou a fera com um olhar frio. Se aquele monstro ousasse ameaçar Carpeado, com certeza lhe mataria sem pensar duas vezes. Entregou a carta de recomendação para o líder da vila enquanto trotavam lado a lado. – Vejo que Encantado gostaria que você fosse treinado a respeito dos dragões! Isso é ótimo, é nosso desejo difundir o amor por esses animais e o conhecimento de que não são feras assassinas!

A viagem prosseguiu com Soluço explicando um pouco das diferenças entre dragões e cavalos. Haror era apaixonado pelos equinos, então achou muito interessante ver que tinham uma anatomia um tanto quanto similar. Quando chegaram a vila Haror até lamentou o fim da viagem, pois tinha algumas perguntas que não tinham sido respondidas. Soluço o indicou para um local onde existiam alguns tipos de fantasias. – É melhor o seu cavalo se fantasiar para não ser comigo. Olhe aquelas ovelhas. Isso é um bom ensinamento, grave isso! Se os dragões ficam em dúvida se você é um deles, eles nunca te atacarão sem motivo.


Haror colocou um disfarce em Carpeado e ficou rindo da cara dele. O cavalo relinchou e mordeu forte o braço do semideus, que puxou sua crina em resposta. Um morado indicou uma cabana para ambos e Haror adorou que ela era grande e espaçosa, permitindo que seu animal entrasse com ele. Berk era uma cidade bem movimentada e girava completamente em torno da cultura dos dragões. O velho ainda não confiava naquelas feras, mas as vendo vivendo em harmonia com aquelas pessoas, ficou com muita vontade de voar em uma. – Gosta deles Carpeado? – O cavalo relinchou em resposta, pareceu algo negativo.



Encontrou um livro que falava sobre a fisionomia de todos os tipos de dragões existentes em cima de uma escrivaninha da cabana. Deitou-se em sua cama e decidiu que iniciaria seus estudos por ali. O livro era um tipo de bestiário e indicava métodos de doma para cada um dos dragões existentes naquele mundo. Haror se perguntava se seriam os mesmos procedimentos a serem utilizados nos dragões fora do reino de fantasia. – Bom, conhecimento é conhecimento, não é, Carpeado?

No dia seguinte, Soluço chegou com um escudo e uma espada em mãos. Tirou o livro das mãos de Haror e lhe entregou os dois equipamentos o puxando para fora da cabana. – Eu também tinha medo de enfrentar as batalhas, mas só aprendemos na prática. Vamos te colocar em uma arena contra um dragão para ver como vai se sair, o que acha? – Haror estremeceu, mas se esse era o método de treino ali naquele lugar, iria aceitá-lo.

– Bom, primeiro você vai precisar aprender a se defender dos dragões, talvez já tenha aprendido muito sobre a anatomia deles, principalmente comparando com seu conhecimento dos cavalos. Mas são mais três os conhecimentos básicos que vai precisar ter antes de sair daqui. Primeiros socorros, vôo e, infelizmente, como matar um dragão. Vamos focar mais no seu combate e depois passar mais por cima nos outros três métodos. É algo que bolei especial para ti, de maneira rápida. Sabemos que não é bacana matar dragões, ok? Mas eu mesmo já matei alguns de inimigos. As vezes eles são dominados por alfas ou magias e não existe o que fazer. Se pretende defender seu dragão, vai precisar saber matar o do inimigo. – Soluço o encaminhou por corredores até que uma grande grade se abriu, Haror foi empurrado para dentro e a grade se fechou. Ele estava em uma arena.

Uma multidão de pessoas estava a sua volta e ele se sentia nu sem sua alabarda. Nunca tinha usado uma espada e não tinha habilidade nenhuma com aquele item. O escudo também mais atrapalhava seu movimento e quando o colocava em frente ao rosto não enxergava direito para caminhar. – Eu estou ferrado!

Uma outra grade se abriu e um imenso dragão saiu de dentro do local. Ele olhava para a torcida e soltava foco, levando-a a loucura. Uma voz grave pode ser ouvida de um tipo de autofalante. – Bem-vindos senhoras e senhores, hoje na arena o desafiante Haror pelo reino de Encantado contra Dentuço, nosso grande dragão treinador! Vamos mostrar para esses forasteiros como se chuta um traseiro! – Dentuço soltou uma coluna de fogo para o alto e todos da torcida gritaram, empolgados. Haror atirou a espada e o escudo no chão, iria morrer se precisasse aprender a lidar com aquelas armas durante a batalha.

– Vem com tudo! – O dragão soltou uma coluna de fogo na direção de Haror, que se atirou para o lado e com um sinal de sua mão deslocou minimamente o fogo para o lado utilizando seus poderes de filho de Hefesto. Levitou algumas pequenas pedras e as lançou contra a carapaça dura do animal, que pareceu nem sentir o golpe. Ele girou com sua pata em uma investida com suas garras, mas Haror era mais rápido em sua estratégia e ativou o escudo sombrio de sua avó Hécate. O golpe bateu no manto de sombras e não causou efeito nenhum no semideus, que aproveitando a proximidade com o animal, invocou barras de aço do chão para prender os seus pés.

A torcida estava calada. Não esperavam tamanho poder mágico por parte de Haror, que sem usar nenhum tipo de arma estava conseguindo um pouco de vantagem contra aquele animal. A luta era para ser um massacre, um aviso para os recém-chegados que os dragões não eram brinquedos, mas Haror estava conseguindo manter a luta de igual para igual. Todos ficaram fissurados no que acontecia, olhando com muita atenção e com ainda mais empolgação.

Ao ser preso por ambos os pés, no entanto, o dragão levantou suas asas e fez uma rajada de vento contra o velho ferreiro, que preparava seu próximo movimento e foi pego de surpresa. O semideus sentiu a pressão empurrando-o contra o chão e se desconcentrou, liberando as pernas do animal. A fera moveu com uma agilidade incrível uma de suas patas e a pousou sobre o corpo caído do herói, deixando sua garra encostando contra o pescoço dele. – E parece que temos um vencedor! – Haror fechou os olhos, frustrado.

Após a derrota, o ferreiro foi levado para a enfermaria do local. Não precisava de muitos cuidados, pois na verdade tudo que tinha feito era apenas se cansar com o uso de suas habilidades. Mesmo assim tinha ficado triste pela derrota. Precisaria ficar muito mais forte se quisesse derrotar um dragão. Após algum tempo Soluço apareceu. – Não se abale, esse teste é mais para mostrar como devemos sempre respeitar os dragões. Você aprendeu muito com isso, pode ter certeza! Eu mesmo só aprendi na prática e ainda acho que é um dos melhores métodos. Aproveitando que estamos aqui, me siga.

O garoto percorreu a enfermaria enquanto mostrava alguns dragões sendo tratados. Haror percebeu que tudo era bem similar ao que Encantado tinha lhe ensinado e que muito de seu conhecimento podia ser compartilhado. De qualquer forma, estava encantado com a oportunidade de aprender.

Notou alguns dragões recebendo pontos e viu que as agulhas precisavam ser longas, aprendeu que para os seus ferimentos de fogo o melhor remédio era casca de salgueiro verde, viu que furos nas asas podiam ser costurados com pedaços de pano, desde que os pontos fossem bem próximos e foi ensinado que para fraturas, era preciso passar algum creme bem amargo para que eles não lambessem a ferida.

Após passar o resto do dia vendo o tratamento dos animais, Soluço o liberou para voltar a seu barraco. Teria mais um dia naquele lugar, então aproveitou para pegar o mesmo livro e continuar seu estudo. Já tinha aprendido sobre dragões brancos, azuis e pretos. Agora queria se especializar nos metálicos como os de bronze.

No outro dia levantou cedo e organizou suas coisas. Sabia que tinha as duas últimas tarefas para aprender antes de ser liberado. Precisaria voar em um dragão e depois disso aprender como matá-los. Soluço apareceu cedo e o levou para um campo de pouso, lá o incrível fúria da noite o aguardava ao lado de um pequeno dragão que parecia uma bolota. – Você vai voar em um Gronckle, ele é um dos mais dóceis. É bem fácil, parece um cavalo.



Haror acenou com a cabeça e subiu na grande cela. O dragão balançou suas pequenas asas e subiu aos céus. Haror não tinha onde se segurar, achava que aquilo balançava demais. O chão foi sumindo abaixo de seus pés e ele começou a se desesperar. Ao mesmo tempo via Banguela e Soluço fazendo piruetas. Seu dragão começou a se empolgar e tentou dar um giro de 360º no ar. Haror gritou até faltar ar em seus pulmões. Soluço se aproximou e tentou o manter calmo. – Se segure assim como eu, está vendo? Não fique nervoso. Tenha paciência que o dragão vai te obedecer.

Mesmo com mais calma Haror não tinha prática para aquilo. Voaram por mais alguns minutos até que decidiram descer, o semideus estava envergonhado por sua falta de habilidade. – Não se preocupe, com as dicas que te passei lá em cima, você já sabe a teoria. É isso que importa para você, não? – Ele fez um sinal e ambos foram para uma pequena sala de aula. Lá uma turma de crianças de seis a sete anos estava sendo ensinada sobre os pontos críticos para atacar o corpo de um dragão.

– Dona Leya, posso introduzir mais um aluno em sua classe? – Haror ficou constrangido quando viu que o novo aluno era ele. Não existia nenhum outro adulto ali, seria extremamente vergonhoso, mas ele precisava baixar sua cabeça e aprender. – Muito prazer. – As crianças começaram a conversar entre si e atirar papéis umas nas outras, Haror quase soltou um grito de agonia com aquilo tudo. – Claro, Soluço. Pode sentar-se lá no fundo, meu querido!

A professora deveria ter metade da idade de Haror, o que o deixava ainda pior. Por outro lado, quando começou a explicar prendeu a atenção do semideus com sua lição. O neto de Hécate era distraído várias vezes pelos risinhos e conversas das crianças, mas tentou se manter o mais focado possível, mesmo com seu déficit de atenção de semideus.

A mulher mostrou os pontos em que os dragões tinham falhas em suas escamas e pelos quais perfurações podiam ser feitas, indicou pontos fracos para serem esmagados, como acertar os olhos dos inimigos com facilidade e até mesmo um contra-ataque para o fogo de suas gargantas. Quando o animal se preparasse para lançar fogo, uma flecha precisa por sua garganta teria a capacidade de explodir todo o reservatório de gás do animal.

Quando a aula terminou, o velho sentiu-se aliviado. Para ser sincero não tinha gostado muito de aprender sobre aquelas feras. Eram magníficas, mas pareciam não combinar muito com o filho de Hefesto. Ele era mais selvagem, mais agressivo. Não queria sair por aí voando e sim caçando com sua liberdade e segurança no chão. Não queria depender sua vida a sua montaria, mas sim ser temido pela sua própria força.

Soluço o encontrou fazendo as malas naquela mesma noite. Ele tinha um pequeno filhote em seus ombros. – Não vai esperar nem mais um dia para ir embora? Fiz uma carta para Encantado com algumas localizações de domadores de dragões malignos. Talvez ele possa encontrar alguma pista sobre quem o atacou nesses lugares. – Ele colocou uma das mãos sobre o ombro de Haror e outra no pescoço de Carpeado. – Haror, sempre se lembre que são animais com vida e sentimento. Se for caçar esses dragões como Encantado me falou, por favor, tente primeiro salvá-los. São criaturas boas. Eu te agradeço e te desejo toda a sorte do mundo. Nenhum dragão merece ser tratado como um escravo na mão de feiticeiros ou domadores loucos.

Ele estendeu o filhote para Haror, que o pegou nas mãos e acariciou sua cabeça. De fato, era um pequeno lagartinho bem fofo. – Quando eles são desse tamanho, alimente-os com carne que eles começam a se apegar. Eu alimentei Soluço com peixes, também dá certo. O toque da mão no topo da cabeça deles gera confiança. Se lembre disso, Haror. Domar um dragão não é tão difícil, você só tem que lhe prover alimento e mostrar confiança e afeto. Nunca o contrarie e sempre seja dócil. Se um dia tiver uma oportunidade de ter um, meu amigo, lembre-se dos meus ensinamentos. – Haror concordou com a cabeça e entregou o filhote de volta. – Lembrarei, Soluço. Te agradeço por tudo. Nossa luta contra Josh está intensa, mas aprecio sua dedicação para me treinar. Espero ter absorvido o máximo que pude.

O semideus montou em Carpeado, atirando ao chão a fantasia de dragão que ele vestia. De fato, agora que tinha aprendido sobre aqueles animais, analisaria a situação antes de matar o dragão que caçava. O grande problema que surgia em sua mente, no entanto, era que aprender sobre essas bestas tinha lhe motivado ainda mais a caçá-los, principalmente após a luta que perdeu. Se despediu de Soluço com mais um aceno e apreciado o balançar causado pelo trote de seu amigo se afastou pela trilha em que dias atrás tinha chegado. Era definitivamente um guerreiro do solo e essa sua experiência tinha lhe ensinado isso. Cavalgar com Carpeado era impagável. – Nada te substitui, Carpeado!

EXTRAS:
OBSERVAÇÕES:
Espero que gostem da leitura, fico aberto a sugestões para melhorar minha narração
ITENS:
Alabarda [É como uma lança-machado. A lâmina na ponta é muito boa para impactos, e o outro lado bom para parar investidas. A haste é feita de um tipo de madeira resistente e encantado para tal, e a lâmina e pontas são feitas de ouro imperial. Exige força e treinamento para ser utilizada com maestria. | Efeito 1: Tal arma pode passar a ter o peso nulo, durante dois turnos, caso seja utilizada em batalha, porém pode durar mais tempo caso seja usada fora de batalha. | Efeito 2: A alabarda é capaz de encolher, ficando do tamanho de um pequeno pingente, ainda conservando a sua forma, mas apenas diminuída. | Ouro Imperial e Madeira. | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Arsenal do acampamento]

Mochila sem fundo [Mochila de prata com material simples, sem bolsos laterais, com um único zíper, uma única entrada e uma única saída.| Efeito 1: A mochila não possui fundo, foi encantada para caber inúmeros objetos, ou seja, seu espaço é infinito, tudo que você colocar dentro dela permanece ali, desde que passe pela parte de cima, ou seja, você precisa conseguir colocar o item pelo buraco, que é largo o suficiente para passar até uma panela de pressão. Para pegar o item de volta basta colocar a mão dentro da mochila e pensar nele, e ele retorna para suas mãos.| Efeito 2: A mochila permite ao semideus levar 3 itens a mais em missões e eventos, como uma forma de burlar as regras. Por exemplo, se o narrador estipulou apenas 1 item para a missão, o meio-sangue poderá levar essa mochila e com ela liberar mais 2 itens (pois ela conta como 1, gastando um dos 3 extras) | Indefinido | Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos |Lendário e mágico | Comprado na Loja Especial do BO]
PODERES DE HEFESTO:
HABILIDADES ATIVAS:

Nome do poder: Ígnea I
Descrição: Como todos sabem há rochas formadas a parte de magma resfriado. A prole de Hefesto/Vulcano consegue fazer, nesse nível, pequenas pedrinhas levitarem e acertar o inimigo. Só serve como distração.
Gasto de Mp: - 20 de MP.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: - 10 de HP.
Extra: Nenhum.

Nome do poder: Controle do Fogo II
Descrição: Agora já consegue manipular uma quantidade maior de fogo, também aprendeu a desviar as chamas, podendo fazer com que elas queimem algo próximo a si especificamente, ao seu desejo, mas não pode retira-las do lugar. Por exemplo, pode atrair parte das chamas e move-las mais para frente da tocha, se alguém estiver perto das chamas, seria queimado por ela, podendo inclusive, aumenta-las de forma gradativa – não muito – para conseguir êxito em sua tarefa, mas não consegue fazer muito mais que isso. (Só funciona com fogo comum, o fogo magico, ou infernal não pode ser controlado por você).
Gasto de Mp: -25 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: O dano é dado conforme o uso do player em relação ao poder, a critério do narrador e da forma com que foi utilizada.

Nome do poder: Prisioneiro II
Descrição: Agora o semideus consegue fazer essas correntes crescerem e se fortalecerem um pouco mais, já não são feitas de metal, e sim de bronze celestial, e prendem o inimigo dos pés, até os ombros, se enrolando em seu corpo a ponto de derruba-lo no chão, o período de tempo que as correntes o envolvem também aumentou.
Gasto de Mp: 40 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Dura dois turnos

Nome do poder: Magnetismo I
Descrição: É a habilidade que permite aos filhos de Hefesto/Vulcano, controlarem o magnetismo. Nesse nível, ainda não são tão desenvolvidos, mas podem fazer pequenos metais que forem atirados em sua direção, mudar o curso, ou até mesmo voltar-se contra aquele que o lançou.
Gasto de Mp: 10 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Só funciona com objetos relativamente pequenos, como porcas e parafusos, ou objetos de até 20kg. O dano será a critério do narrador, e da forma com que o poder foi utilizado.
HABILIDADES PASSIVAS:

Nome do poder: Força II
Descrição: Você ficou ainda mais forte, conforme cresce, se desenvolve, e executa seus treinamentos – além de claro, trabalha nas forjas, pois, se sente extremamente atraído por elas – também desenvolve uma força superior aos demais campistas, você está se saindo bem.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de força.
Dano: +10% de dano em golpes físicos relacionados pelo semideus, ou que exijam a forja avantajada.
PODERES DE HÉCATE:
HABILIDADES ATIVAS:

Nome do poder: Escudo Sombrio
Descrição: As sombras são magnificas armas de combate, mas também tão magnificas armas de defesa, em frente ao filho de Hécate/Trivia surgira um escudo de sombras totalmente negro que lhe protegerá de qualquer ataque físico enquanto permanecer ativo. Esse escudo resiste a qualquer tipo de ataque, e protege todo o corpo do filho de Hécate/Trivia, mas não é capaz de proteger mais de uma pessoa ao mesmo tempo.
Gasto de Mp: 20 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum
HABILIDADES PASSIVAS:

Nome do poder: Cura Noturna I
Descrição: Bastam os raios da lua ou as sombras para que seus ferimentos comecem a se fechar e criarem uma casca preta, como de uma ferida, feitas de pura energia negra, nesse nível só consegue recuperar uma pequena parte de sua energia, e apenas feridas mais leves são fechadas, as mais fundas ainda não se recuperarão. (Só pode ser usado uma vez a cada 3 turnos).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +10 HP e +10 MP
Dano: Nenhum
. Evento ⸭  ⅱ. Fantasia ⸭  ⅲ. dragões



•  Utilizei o Pet - Carpeado.

• Duplicador de um dia – O semideus ganha um bônus de XP, todo e qualquer exp ganho por ele terá o valor duplicado. Valido por 24 horas após a troca ser atualizada. (Valido de 25/05/2019 até 26/05/2019 as 16:00).

• Duplicador de um dia – O semideus ganha um bônus de Dracmas, todo e qualquer dracma ganho por ele terá o valor duplicado. Valido por 24 horas após a troca ser atualizada. (Valido de 25/05/2019 até 26/05/2019 as 16:00).
Haror Lestrange
Haror Lestrange
Lycans
Lycans

Idade : 42
Localização : Acampamento Meio-Sangue

http://www.bloodolympus.org/t4900-haror-lestrange#99518

Voltar ao Topo Ir em baixo

[RP's] HAROR LESTRANGE - Página 2 Empty Re: [RP's] HAROR LESTRANGE

Mensagem por Hefesto em Dom Jun 02, 2019 12:26 am


Haror Lestrange

Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Recompensa máxima da missão: 8.000 XP e Dracmas + 6 Fragmentos + Habilidade



Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 30%


RECOMPENSAS: 16.000 XP e Dracmas + 6 Fragmentos + Habilidade
Carpeado ganha 50XP


comentários:
Senhor Lestrange, aqui eu li uma história bem feita. Sua batalha contra o dragão foi bem desenvolvida, além de todo o processo de aprendizado. Com isso, você ganha a habilidade ofertada pela missão. Parabéns.

É nóiz que tah!



Hefesto
Hefesto
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos


Voltar ao Topo Ir em baixo

[RP's] HAROR LESTRANGE - Página 2 Empty Re: [RP's] HAROR LESTRANGE

Mensagem por Haror Lestrange em Qua Jun 19, 2019 4:59 pm




O JARDIM DE ROSAS DA FERA
O jardim de rosas da fera:
O jardim de rosas da fera: Ao se casar o príncipe Adam (A Fera) também acabou se descuidando do seu jardim, um marco na história que acabou lhe rendendo uma noiva. Acontece que com isso o local passou a ser invadido e suas rosas passaram a ser roubadas, destruindo parte da magia do jardim da Fera. O príncipe Adam frustrado com a situação solicitou ajuda ao povo do vilarejo, onde por ventura, você estava hospedado. Ao saber da situação seu personagem decidiu bancar o detetive e ajudar a fera. Descubra quem está roubando o jardim de rosas do príncipe Adam.

Haror tinha voltado de sua última missão, em que tinha aprendido a lidar com os dragões. Estava um tanto quanto ferido e cansado, mas durante e viagem seus poderes lupinos agiam instintivamente e em pouco tempo já se sentia novo em folha. Cavalgou por um tempo sobre Carpeado, conversando com o mesmo e acariciando sua crina, mas após um tempo de viagem, decidiu descansar.

Tinha decidido explorar um pouco e não voltar para as terras de Encantado, afinal já estava ficando cansado da monotonia da vida do príncipe. O vilarejo em que parou e se hospedou não era muito grande, apenas um local de passagem para aventureiros que exploravam os locais mais distantes daquele mundo. De qualquer forma existia uma lenda urbana na região que fez Haror achar empolgante passar alguns dias ali.

O príncipe Adam, um nobre com uma residência mágica nos arredores da floresta, era conhecido pela sua bondade e seu amor por sua esposa. No entanto, os homens mais velhos da cidade comentavam sobre os tempos em que ele era afligido por uma grande maldição e que se transformava em uma horrível besta, metade homem e metade leão.

Haror decidiu que seria interessante conversar com esse príncipe e trocar uma ideia sobre o que realmente tinha acontecido com ele, já que Deimos tinha lhe concedido uma benção que também se encaixaria nessa descrição. Caminhando pelas ruas, no segundo dia em que tinha acabado de chegar, o herói se deparou com um aviso no mural. Era um pedido de ajuda por parte do príncipe para que algum aventureiro resolvesse uma questão em sua residência.

Haror se colocou a caminho do local com o anúncio em mãos. Chegou na mansão e foi recebido pelo homem já no jardim em que o problema acontecia. Apesar de muito imponente e com uma aparência digna de um filho de Ares, o príncipe não tinha nenhuma peculiaridade que entregasse sua outra forma. Com seu faro aguçado, Haror tentou sentir algum aroma bestial, mas tudo que conseguiu perceber foi o cheiro almiscarado do perfume do nobre.

–  Olá, Adam. Me chamo Haror Lestrange e vi seu anúncio. Acho que com minhas habilidades posso te ajudar. – Haror estendeu sua mão e apertou a mão de Adam, notando que a mão do nobre era extremamente lisa e bem cuidada. –  Muito obrigado por vir, Haror. Minhas rosas mágicas estão sumindo e isso é um problema urgente. No entanto ultimamente tenho sido muito distraído para cuidar de meu pátio... A vida de casado tem me deixado um tanto quanto sem tempo!

Haror sorriu, imaginando a tristeza que o homem deveria sentir por ter se prendido em uma relação como aquela. Por outro lado, sentia um pouco de inveja pelo companheirismo que a esposa dele deveria lhe proporcionar. O velho semideus só podia contar com a amizade de Carpeado. – Sem problemas. Vou começar uma busca com meu faro. Posso ficar à vontade para andar pelo jardim?

Adam assentiu com a cabeça e ao ver Haror se abaixando se afastou para deixar o velho trabalhar. O Lycan sentiu os cheiros que emanavam do jardim. Conseguia identificar quatro aromas que lhe eram mais nítidos. Um deles era o perfume que já sabia ser do príncipe, mas os outros três ainda eram um mistério. – Vou me transformar para analisar melhor essa pista.

A boca de Haror começou a se contorcer enquanto ele realizava a sua transformação de maneira parcial. Não era necessário transformar todo seu corpo, afinal apenas seu focinho seria o suficiente para que ele já obtivesse um faro melhorado. Esqueceu que Adam o observava, mas ao mesmo tempo não tinha vergonha de mostrar a sua fera interior. Sua forma bestial era um motivo de orgulho.

Com a cabeça transformada os cheiros pareciam ganhar ainda mais vida. Haror baixou seu focinho até as rosas que ainda permaneciam plantadas e guardou em sua memória o aroma delas. De todos os cheiros que podia identificar, sabia que um era do príncipe, o outro da rosa e existiam mais dois. Um era doce e afeminado, parecia um perfume de madressilvas. O rastro levava diretamente para a mansão atrás de Adam. – Acho que captei o cheiro de sua esposa, ela também deve ter passado por aqui, certo?

Adam assentiu com a cabeça. Seus olhos estavam esbugalhados por verem a transformação de Haror, mas ao mesmo tempo não parecia nenhum pouco amedrontado. Se a história de seus poderes era verdadeira, o próprio príncipe iria querer conversar com Haror após aquela missão. –  Sim, com certeza. Passeamos por aqui diversas vezes quando estamos entediados.

Com a resposta Haror decidiu que estava certo e focou no último cheiro disponível. Só poderia ser o rastro do invasor, já que o local parecia não ser cuidado por terceiros. Pacientemente, o lobo foi captando com seus sentidos para qual a direção que o aroma se tornava mais forte. Ele parecia um cão farejador, apoiado sobre suas mãos e pernas e com seu focinho bem próximo da terra.

Aos poucos, foi caminhando na direção indicada, até que finalmente chegou até a cerca de divisa do jardim com a estrada, onde o invasor tinha pulado. Com seu olhar aguçado o velho percebeu uma pequena marca de uma sola de sapato. Era quase algo imperceptível, mas não para os sentidos bestiais do herói. – Ele fugiu por aqui. Mas já tenho o cheiro dele. Com isso se ele ainda estiver na cidade imagino que possa segui-lo.

Haror deu a volta no muro e começou a farejar novamente, em busca do aroma. Eram raras as pessoas que se preocupavam em ocultar os seus cheiros e isso permitia ao herói uma busca quase como utilizando um GPS. Seguiu a trilha deixada pelo homem até a cidade e lá a busca se tornou um pouco mais complexa, visto que vários odores fortes se misturavam. Alguns eram realmente nojentos, como dos mendigos e das fezes e urina nos becos. Haror notou que as pessoas lhe olhavam com medo, afinal ainda estava em sua forma parcialmente transformada. Não se importou, afinal o medo alheio lhe dava um certo prazer.

Após um pouco de dificuldade em que perdeu o rastro algumas vezes e teve que voltar algumas ruas para reencontrá-lo, finalmente o semideus chegou em uma pequena cabana com teto de palha. Lá dentro o cheiro parecia estar muito forte, então o herói chegou a conclusão de que o próprio ladrão estava ali. – É aqui.

Com um chute o Lycan entrou cabana adentro. O local era pequeno, apenas com dois cômodos. Um era uma pequena cozinha, sala de estar e jantar e o outro, dividido por uma cortina, era o quarto. Haror atravessou o pano que lhe impedia de ver quem estava no quarto e se deparou com uma cena peculiar.

Uma jovem tampava seu corpo com um edredom enquanto um homem pelado cambaleava enquanto tentava colocar um sobretudo. Eles olharam assustados para Haror e, por um momento, o semideus imaginou que um pouco de alívio pode ser visto nos olhos de ambos. – Graças a Deus, pensei que fosse meu marido!

O homem ficou mais calmo e apressadamente colocou o resto de sua roupa. –  O que quer aqui? É um ladrão? – Haror riu e seus dentes bestiais se bateram com força. O velho ainda não estava acostumado a rir naquela forma. – Não, mas estou procurando por um! – Em cima de uma pequena escrivaninha um aroma se pronunciou. Era de uma das rosas que estavam desaparecidas.

–  Parece que tem andado bem ocupado dormindo com a mulher dos outros e roubando! – Haror se aproximou de maneira ameaçadora do homem. Transformou sua mão direita em uma garra lupina. O homem foi cambaleando para trás até bater na parede, onde ficou encostado de costas e fechou os olhos. Haror encostou com uma de suas garras na garganta do homem. – Abra seus olhos! – Com seu poder feral, os olhos do lobo pareciam estar em brasa, como se o fogo do próprio inferno de Hades queimasse lá dentro. –  Você nunca mais vai incomodar o Lorde Adam, está ouvindo? Nunca ouviu os boatos a respeito dele? Olhe para mim!

Com a mão que não estava transformada Haror deu uma bofetada no rosto do homem, que caiu no chão e começou a choramingar, se encolhendo. O Lycan olhou para a mulher e depois novamente para o bandido. – Se chegar a meus ouvidos que você foi visto próximo das residências de Adam, mesmo que apenas passeando, será o seu fim! – O velho transformou suas partes novamente em humanas, pegando a flor e um bilhete que estava atrás dela. Começou a ler enquanto saia da residência, sem pressa.

“Querida, Jenesmere! Como lhe disse, eu sou capaz de tudo por ti! Olhe essa rosa do jardim mágico de Adam! Eu tive a coragem de roubar uma em teu nome! Só te peço uma noite de afeto para te mostrar que posso te dar aquilo tudo que seu marido lhe nega... Amor, carinho e prazer!”

Haror rasgou o bilhete e se surpreendeu ao ver que Carpeado estava fora da cabana. Acariciou a crina do animal e subiu em suas costas. – As pessoas realmente fazem loucuras por amor, não é mesmo? Mas eu acho que ele aplicou essa cantada em várias mulheres, porque não foi apenas uma rosa que foi roubada... – Silenciosamente, Haror cavalgou com seu companheiro de volta ao jardim. Era hora de contar para Adam quem era o ladrão, o motivo e tentar obter alguma informação sobre o estado bestial do príncipe.

EXTRAS:
OBSERVAÇÕES:
Após essa missão quero realizar outra missão conhecendo melhor o príncipe e ele me ensinando uma habilidade.
ITENS:
Garras Lupinas [Um par de garras que se encaixam nas mãos dos Lycans perfeitamente. Inicialmente são como luvas que exibem parte dos dedos, mas que ao ser ativado expele três lâminas de 20cm feitas de ferro estígio. | Efeito de mecânico: podem ser usadas como luvas normalmente. | Efeito 1: Adapta-se as mudanças do corpo do lycan, porém quando em estado de transformação, as luvas assumem a característica de proteção, envolvendo as patas dianteiras com o metal. As garras dos lupinos são suas próprias armas. | Efeito 2: Quando as garras atingem o inimigo, provocam uma sensação de terror que irá durar por 2 turnos. Funciona apenas uma vez no mesmo oponente | Ferro estígio e couro | Não possui espaço para gemas. | Resistência beta. | 100%, sem danos. | Nível 3. | Lendária. | Presente de Reclamação do grupo Lycans de Deimos/Terror]

Alabarda [É como uma lança-machado. A lâmina na ponta é muito boa para impactos, e o outro lado bom para parar investidas. A haste é feita de um tipo de madeira resistente e encantado para tal, e a lâmina e pontas são feitas de ouro imperial. Exige força e treinamento para ser utilizada com maestria. | Efeito 1: Tal arma pode passar a ter o peso nulo, durante dois turnos, caso seja utilizada em batalha, porém pode durar mais tempo caso seja usada fora de batalha. | Efeito 2: A alabarda é capaz de encolher, ficando do tamanho de um pequeno pingente, ainda conservando a sua forma, mas apenas diminuída. | Ouro Imperial e Madeira. | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Arsenal do acampamento]

Mochila sem fundo [Mochila de prata com material simples, sem bolsos laterais, com um único zíper, uma única entrada e uma única saída.| Efeito 1: A mochila não possui fundo, foi encantada para caber inúmeros objetos, ou seja, seu espaço é infinito, tudo que você colocar dentro dela permanece ali, desde que passe pela parte de cima, ou seja, você precisa conseguir colocar o item pelo buraco, que é largo o suficiente para passar até uma panela de pressão. Para pegar o item de volta basta colocar a mão dentro da mochila e pensar nele, e ele retorna para suas mãos.| Efeito 2: A mochila permite ao semideus levar 3 itens a mais em missões e eventos, como uma forma de burlar as regras. Por exemplo, se o narrador estipulou apenas 1 item para a missão, o meio-sangue poderá levar essa mochila e com ela liberar mais 2 itens (pois ela conta como 1, gastando um dos 3 extras) | Indefinido | Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos |Lendário e mágico | Comprado na Loja Especial do BO]
PODERES DE HEFESTO:
HABILIDADES ATIVAS:

HABILIDADES PASSIVAS:

[
PODERES DE LYCAN:
HABILIDADES ATIVAS:

Nome do poder: Metamorfose Parcial
Descrição: Ainda inexperiente, o lycan consegue transformar apenas algumas partes do seu corpo em partes da fera. Nesse nível, é capaz de transformar suas mãos em patas de lobisomem com garras, por exemplo, ou modificar a boca para afiar os dentes e possibilitar mordidas mais fortes.
Gasto de Mp: 5.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: 15 dano se atingir alguém com as garras ou morder.
Extra: Na transformação parcial, ainda é permitido o uso de poderes ativos de outras listas.

Nome do poder: Transformação Bestial II
Descrição: Ao atingir esse nível, o lycan pode enfim se transformar de maneira perfeita. Sua forma bestial, como já esperado, tem uma aparência monstruosa e seus prós e contras. Nesse estado, o semideus desfruta de todos os bônus passivos cabíveis pela transformação, além aumentar todos os danos físicos que causar. Por outro lado, fica impossibilitado de usar poderes ativos que fujam desta lista, ou empunhar armas que não sejam adaptadas à essa forma.
Gasto de Mp: 50.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: +50 de dano físico extra em todos os seus golpes.
Extra: Nesse nível, o lycan leva metade do tempo para se transformar, o que seria equivalente a 2 ações em uma narrada.
HABILIDADES PASSIVAS:

Nome do poder: Regeneração III
Descrição: Em diferentes interpretações dos lobisomens e suas variações ao redor mundo e suas civilizações, é de conhecimento geral a marcante regeneração de seus tecidos e ossos. Com os lycans não é diferente. O servo de Deimos/Terror possui a habilidade de se regenerar que apenas evolui com o tempo. Nesse nível, além dos cortes, ferimentos básicos e contusões, até mesmo ossos quebrados são recuperados em questão de segundos.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Recupera 120 de HP e MP.
Dano: Nenhum.
Extra: 1 vez a cada 2 turnos.  

Nome do poder: Instinto da Fera III
Descrição: Ao se tornar um lycan, o semideus está em contato constante com a ferocidade e a selvageria. Isso o torna o limite de irritabilidade baixo, ou seja, pequenas coisas podem irritar ou zangar um Lycan facilmente. Entretanto, por essa conexão animalesca, o seguidor de Deimos/Terror está em um estado de alerta constante.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 30% de percepção ao seu redor, cabendo ao narrador lhe alertar de algo ache cabível durante uma narração.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Olfato Apurado III
Descrição: Independente da forma em que estiverem, os lycans têm esse sentido em especial muito mais desenvolvido que o restante das pessoas. Dessa forma, é capaz de identificar os cheiros ao seu redor, e os gravam para nunca se esquecerem de suas presas. Por outro lado, seu olfato é muito sensível, portanto cheiros fortes ou incomuns lhes incomodam bastante. Podem seguir uma pessoa pelo seu cheiro mesmo que ela se distancie até 1km.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 40% em olfato, 50% se estiver na forma da besta.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Olhar da Fera II
Descrição: Os olhos do semideus revelam a fera que existe dentro dele. Qualquer um que olhar em seus olhos ficará paralisado de medo por breves segundos. O efeito atrapalha a iniciativa da pessoa, impedindo que ela aja primeiro em confronto contra o lycan, ficando para este iniciar o primeiro turno com certa vantagem.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
. Evento ⸭  ⅱ. Fantasia ⸭  ⅲ. fera



•  Utilizei o Pet – Carpeado.
Haror Lestrange
Haror Lestrange
Lycans
Lycans

Idade : 42
Localização : Acampamento Meio-Sangue

http://www.bloodolympus.org/t4900-haror-lestrange#99518

Voltar ao Topo Ir em baixo

[RP's] HAROR LESTRANGE - Página 2 Empty Re: [RP's] HAROR LESTRANGE

Mensagem por Plutão em Qui Jun 20, 2019 4:00 pm

Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Recompensa máxima da missão: 3.500 XP e Dracmas + 3 Fragmentos



Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 30%


RECOMPENSAS: 3.500 XP e Dracmas + 3 Fragmentos
Carpeado ganha 50XP

Comentários:
Senhor Haror, eu devo  lhe dizer que escreve muito bem e eu queria saber escrever como você em minhas contas. A pesar de ver que sua missão foi rápida ela está bem escrita e também  recheado de detalhes e sendo assim eu quero que continue fazendo um ótimo trabalho parabéns.

É nóiz que tah!
Plutão
Plutão
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos


Voltar ao Topo Ir em baixo

[RP's] HAROR LESTRANGE - Página 2 Empty Re: [RP's] HAROR LESTRANGE

Mensagem por Haror Lestrange em Sex Jun 28, 2019 3:05 pm




PECULIARIDADES DO MUNDO MÁGICO
MISSÃO REALIZADA:
Peculiaridades do mundo Peculiaridades do mundo mágico – Todo personagem do reino da fantasia possui alguma peculiaridade escondida, uma arma que sabe dominar e não contou a ninguém, um estilo de luta diferente, um saber escondido que não quer compartilhar. Você acabou cativando um desses personagens e ele decidiu te transformar no pupilo dele. Aprenda uma habilidade peculiar com algum personagem do mundo mágico.
Ex: Aprender arco e flecha com a Merida, aprender uma luta marcial com o príncipe Adam, aprender a rugir com um dos monstros de monstropólis. Podem aprender qualquer habilidade, desde que essa possa ser passada a frente, ou seja, não é permitido desenvolver habilidades que não possam ser aprendidas.
Observação: Essa missão pode gerar uma única habilidade e você quem descreve ela, porém ela passa por avaliação e pode ser modificada.
Observação 2: Essa missão só pode ser feita uma única vez por personagem.
Recompensas: 5.500 XP e Dracmas + Habilidade + 3 Fragmentos.
Requisito mínimo: Nível 1.

Haror tinha terminado de desvendar os mistérios sobre o desaparecimento das flores no jardim do príncipe Adam, agora lhe restava descobrir mais sobre o homem misterioso. Tinha voltado ao jardim para informar sobre seu sucesso, e encontrou o homem sentado nos degraus de entrada para seu casarão. – Olá, Haror! Sucesso na busca?

–Claro, pode ficar tranquilo que eles nunca mais te incomodarão! Quanto ao que viu antes, minha transformação... – O príncipe se levantou na mesma hora e colocou uma das mãos no ombro de Haror. – Não precisa me explicar sobre aquilo. Eu também tenho um segredo parecido. Você é um bom homem, Haror! E por ter me ajudado, acho que tenho algo a lhe ensinar, principalmente por compartilhar um segredo parecido com o meu.

O velho semideus, na verdade, não escondia segredo nenhum. Ele tinha muito orgulho de ser um Lycan e de sua forma bestial, mas estava interessado em ouvir mais o príncipe falar, afinal era a primeira vez que ele admitia serem verdades as lendas sobre sua transformação. – Venha comigo, vamos até a floresta. Demorei muito para aprender como lutar nessa forma, aprendi alguns truques que tenho certeza que posso lhe transmitir!

Caminhando tranquilamente, ambos se dirigiram para a floresta ao lado da mansão. Haror aproveitou o momento para perguntar mais sobre as habilidades do príncipe e quando chegaram a um local isolado, o homem decidiu mostrar sua verdadeira forma para o semideus. Ele começou a se metamorfosear, inicialmente transformando suas mãos em grandes garras peludas de leão. Depois seus caninos cresceram e seus olhos assumiram uma tonalidade âmbar. Seus cabelos cresceram desproporcionalmente e envolveram seu corpo todo, mudando de cor e se tornando uma juba. Em alguns segundos, um ser metamórfico metade homem e metade leão estava encarando Haror.

O semideus apenas deu uma pequena risada. O que era um metamorfo perto de um grande Lycan? Iniciando sua transformação, Haror uivou para lua enquanto sua face se estendia e se tornava um focinho. Seus músculos inchavam e cresciam e suas garras dobravam de tamanho. Seus cabelos brancos compridos encolhiam e se tornavam uma pelagem. Uma raiva incontida emanava dos olhos do lobisomem. Haror falou, mas sua voz agora era gutural. – Somos, de fato, parecidos!

O príncipe deu uma risada bizarra. Ambos correram livres pela floresta até que chegaram em um pequeno penhasco. O príncipe olhou para Haror e pulou. Lá embaixo, após vários segundos, ele mergulhou em um pequeno riacho. – Opa, eu também vou! – Haror se atirou.

A sensação foi deliciosa, um prazer pela adrenalina da queda. A água refrescou o seu corpo, mas lhe trouxe arrepios e ele logo nadou para a margem. Lá encontrou Adam em frente a uma caverna, parecia um campo já previamente preparado para treinamentos. – É aqui que eu realizo meus treinamentos, vou te ensinar a lutar com garras ou armas nesse formato. São nossas melhores aliadas!

Dito isso o homem mostrou um boneco de palha. Começou mostrando alguns pontos vitais dos humanos nos bonecos e as melhoras maneiras das mãos acertarem os lugares. – Existem diversas formas de atacar com suas garras. Uma delas é com arranhões, mas é a menos efetiva, geralmente os cortes não são tão profundos, apenas superficiais. – Ele pediu para Haror realizar um corte no boneco e o neto de Hécate pode sentir que o que ele tinha dito era verdade.

– Outra maneira, mais poderosa, é utilizar a garra junto com uma pegada, fechando a mão sobre os membros dos inimigos e dessa forma fincando as garras bem fundo na carne dele. – Dessa ver Haror realizou o movimento que lhe era ensinado e, realmente, suas garras entraram fundo na palha do braço direito do boneco. – Você pode ver que, mesmo se quiser, terá dificuldades em remover suas garras sem causar um estrago considerável no membro acertado.

Haror tentou com calma remover suas garras, mas o braço se estraçalhou, visto que seus dedos tinham deixado buracos bem fundos na palha. – Se você, por outro lado, tiver intenção de destruir ou desmembrar, faça força com os dedos dentro da carne puxando o braço na sua direção. – Adam mostrou em outro boneco a técnica e destroçou uma das pernas com muita facilidade.

O treinamento durou um longo tempo, mas logo ambos teriam que parar, pois estavam rapidamente destruindo todos os bonecos do local. O velho semideus tinha ficado satisfeito com o que estava aprendendo. Adam lhe mostrou como acertar golpes na jugular, como enfiar a mão inteira no meio do inimigo com as garras em forma de pinça, como atacar com ambas as mãos em sincronia e desmembrar uma perna e um braço, como abrir a guarda do inimigo para permitir golpes mais mortais, entre outras coisas.

O velho semideus ouvia tudo atentamente, era a primeira vez que sentia que alguém lhe passava conhecimentos realmente úteis em uma batalha. Além disso, isso tudo era uma surpresa, afinal não esperava que o leão fosse lhe ensinar tão bem técnicas mortíferas, já que para Haror o homem parecia apenas um burguês.

– Certo, vamos tentar aplicar um pouco desses conhecimentos em algo que se mova. Que tal uma caçada a um cervo? Estou ficando faminto! – Haror assentiu com a cabeça e ambos começaram a correr pela floresta. Se separaram e logo Haror farejou um aroma diferenciado.

Seguiu a trilha do cheiro e logo deu de cara com um grande urso pardo bebendo água em um riacho. Não era o seu objetivo, mas parecia um alvo ainda mais interessante. Espreitando o animal, Haror lembrou das dicas do leão. Não queria matar o animal pelas costas, isso não seria um desafio. Queria testar suas habilidades em um ambiente mais real, então simplesmente apareceu de frente para ele.

O urso rugiu de maneira ameaçadora e se colocou sobre duas patas. Haror notava que o animal estava tentando parecer maior para lhe ameaçar, mas isso não o afetava. Ele era quase imune ao medo graças a sua filiação com Deimos.

O Lycan correu e com suas mãos em pinça tentou furar o peito do urso, mas suas garras bateram em um couro duro e resistente e apenas causaram um corte superficial. O urso aproveitou o momento e deu uma patada de lado no ombro esquerdo de Haror, que se estilhaçou. Com o golpe o velho foi atirado voando para longe e bateu suas costas em uma árvore.

– Ahg... – Sem pensar duas vezes o filho de Hefesto lançou suas garras contra a árvore em uma atitude raivosa, deixando as marcas de suas garras. Olhou para o urso com um olhar de fúria e viu que ele paralisava de medo. Haror saltou com suas habilidades como Lycan para próximo do animal, emendando um agarrão no braço do bicho, igual tinha treinado nos bonecos de palha.

Treinar na palha era, de fato, muito menos efetivo do que contra um ser com pele dura e resistente. Mesmo aplicando tudo de sua força, Haror não tinha a mesma penetração do que no boneco. Da sua esquerda, uma voz veio para lhe dar mais algumas dicas. – Não esqueça, primeiro a penetração e depois um puxão com força. – Adam tinha chegado ao local e agora assistia a luta. Haror seguiu suas dicas e realizou a manobra. Pode ver a dor estampada na face do urso, mas antes de conseguir estraçalhar o membro foi novamente acertado, dessa vez no outro ombro.

O filho de Hefesto caiu no chão alguns metros para trás e novamente a fúria invadiu seu coração. Se levantou e seus ossos começaram a se mover, se colocando sozinhos no lugar. Era a regeneração espantosa que um Lycan possuía. – Você me paga!

Com outro salto o Lycan se aproximou do animal novamente. – Tente um golpe com ambas as garras, como lhe ensinei. Foque em desestabilizar o oponente com um alto dano. Quanto maior o dano, mais perto da morte e mais desestabilizado ele ficara para contra-atacar. – Ouvindo isso o Lycan fincou suas garras direitas na coxa do urso e a esquerda no braço do lado oposto. Forçou rapidamente as garras para rasgarem os músculos do animal e, dessa vez, via que o bicho não tinha mais forças para revidar. Ele soltou um pequeno lamento e sua visão começou a ficar turva enquanto tinha seus membros arrancados.

Haror lamentou a morte do animal. Era um grande predador da floresta e Haror admirava tais animais. No entanto, sabia que iriam se alimentar dele e a caça era algo necessário para a sobrevivência das espécies. A morte dele não era algo em vão. – Vou te mostra como utilizar suas garras com precisão. Para isso iremos realizar um trabalho de remoção da pelagem do urso.

Adam lhe mostrou como utilizar as garras quase como bisturis, realizando cortes precisos e de qualidade. As garras de ambos eram realmente ferramentas maravilhosas. Conseguiam separar o couro da carne e deixar apenas o que era aproveitável para a alimentação.

Após os cortes na carne, ambos fizeram uma pequena fogueira na caverna e cozinharam, conversando sobre as aventuras que ambos tinham realizado em suas vidas. Haror contou sobre o tempo em que viveu em cativeiro, e Adam se impressionou. – Uma vida bem dura, meu amigo, mas agora tenho certeza que saberá se proteger muito melhor!

HABILIDADE ADQUIRIDA:
Nome do poder: Os golpes da Fera
Descrição: Uma habilidade aprendida com o príncipe Adam, a Fera do mundo da fantasia. A habilidade consiste em técnicas que o bestial treinou durante toda sua vida para melhorar o seu dano com suas garras, permitindo golpes que dilaceram a carne dos inimigos e até podem desmembrar se bem aplicados. Além disso, Adam passou um grande compilado de informações sobre as melhores maneiras de atacar com esse tipo de arma, melhorando a compreensão de Haror sobre como se portar ao utilizar esse estilo de combate.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: +30% de dano em golpes com armas de garras ou as próprias garras do semideus.
ITENS:
Garras Lupinas [Um par de garras que se encaixam nas mãos dos Lycans perfeitamente. Inicialmente são como luvas que exibem parte dos dedos, mas que ao ser ativado expele três lâminas de 20cm feitas de ferro estígio. | Efeito de mecânico: podem ser usadas como luvas normalmente. | Efeito 1: Adapta-se as mudanças do corpo do lycan, porém quando em estado de transformação, as luvas assumem a característica de proteção, envolvendo as patas dianteiras com o metal. As garras dos lupinos são suas próprias armas. | Efeito 2: Quando as garras atingem o inimigo, provocam uma sensação de terror que irá durar por 2 turnos. Funciona apenas uma vez no mesmo oponente | Ferro estígio e couro | Não possui espaço para gemas. | Resistência beta. | 100%, sem danos. | Nível 3. | Lendária. | Presente de Reclamação do grupo Lycans de Deimos/Terror]

Alabarda [É como uma lança-machado. A lâmina na ponta é muito boa para impactos, e o outro lado bom para parar investidas. A haste é feita de um tipo de madeira resistente e encantado para tal, e a lâmina e pontas são feitas de ouro imperial. Exige força e treinamento para ser utilizada com maestria. | Efeito 1: Tal arma pode passar a ter o peso nulo, durante dois turnos, caso seja utilizada em batalha, porém pode durar mais tempo caso seja usada fora de batalha. | Efeito 2: A alabarda é capaz de encolher, ficando do tamanho de um pequeno pingente, ainda conservando a sua forma, mas apenas diminuída. | Ouro Imperial e Madeira. | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Arsenal do acampamento]

Mochila sem fundo [Mochila de prata com material simples, sem bolsos laterais, com um único zíper, uma única entrada e uma única saída.| Efeito 1: A mochila não possui fundo, foi encantada para caber inúmeros objetos, ou seja, seu espaço é infinito, tudo que você colocar dentro dela permanece ali, desde que passe pela parte de cima, ou seja, você precisa conseguir colocar o item pelo buraco, que é largo o suficiente para passar até uma panela de pressão. Para pegar o item de volta basta colocar a mão dentro da mochila e pensar nele, e ele retorna para suas mãos.| Efeito 2: A mochila permite ao semideus levar 3 itens a mais em missões e eventos, como uma forma de burlar as regras. Por exemplo, se o narrador estipulou apenas 1 item para a missão, o meio-sangue poderá levar essa mochila e com ela liberar mais 2 itens (pois ela conta como 1, gastando um dos 3 extras) | Indefinido | Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos |Lendário e mágico | Comprado na Loja Especial do BO]
PODERES DE HEFESTO:
HABILIDADES ATIVAS:

HABILIDADES PASSIVAS:
Nome do poder: Força II
Descrição: Você ficou ainda mais forte, conforme cresce, se desenvolve, e executa seus treinamentos – além de claro, trabalha nas forjas, pois, se sente extremamente atraído por elas – também desenvolve uma força superior aos demais campistas, você está se saindo bem.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de força.
Dano: +10% de dano em golpes físicos relacionados pelo semideus, ou que exijam a forja avantajada.
PODERES DE LYCAN:
HABILIDADES ATIVAS:

Nome do poder: Transformação Bestial II
Descrição: Ao atingir esse nível, o lycan pode enfim se transformar de maneira perfeita. Sua forma bestial, como já esperado, tem uma aparência monstruosa e seus prós e contras. Nesse estado, o semideus desfruta de todos os bônus passivos cabíveis pela transformação, além aumentar todos os danos físicos que causar. Por outro lado, fica impossibilitado de usar poderes ativos que fujam desta lista, ou empunhar armas que não sejam adaptadas à essa forma.
Gasto de Mp: 50.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: +50 de dano físico extra em todos os seus golpes.
Extra: Nesse nível, o lycan leva metade do tempo para se transformar, o que seria equivalente a 2 ações em uma narrada.
HABILIDADES PASSIVAS:

Nome do poder: Regeneração III
Descrição: Em diferentes interpretações dos lobisomens e suas variações ao redor mundo e suas civilizações, é de conhecimento geral a marcante regeneração de seus tecidos e ossos. Com os lycans não é diferente. O servo de Deimos/Terror possui a habilidade de se regenerar que apenas evolui com o tempo. Nesse nível, além dos cortes, ferimentos básicos e contusões, até mesmo ossos quebrados são recuperados em questão de segundos.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Recupera 120 de HP e MP.
Dano: Nenhum.
Extra: 1 vez a cada 2 turnos.  

Nome do poder: Instinto da Fera III
Descrição: Ao se tornar um lycan, o semideus está em contato constante com a ferocidade e a selvageria. Isso o torna o limite de irritabilidade baixo, ou seja, pequenas coisas podem irritar ou zangar um Lycan facilmente. Entretanto, por essa conexão animalesca, o seguidor de Deimos/Terror está em um estado de alerta constante.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 30% de percepção ao seu redor, cabendo ao narrador lhe alertar de algo ache cabível durante uma narração.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Olhar da Fera II
Descrição: Os olhos do semideus revelam a fera que existe dentro dele. Qualquer um que olhar em seus olhos ficará paralisado de medo por breves segundos. O efeito atrapalha a iniciativa da pessoa, impedindo que ela aja primeiro em confronto contra o lycan, ficando para este iniciar o primeiro turno com certa vantagem.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Ataques Múltiplos
Descrição: Graças à movimentação do lobo, os lycans são capazes de realizar mais golpes que o esperado em um menor intervalo de tempo. Para critérios narrativos, os semideuses desse grupo secundário sempre terão direito a uma ação extra por turno - desde que ela seja dedicada a manobras ofensivas. É muito mais fácil para o meio-sangue emendar combos ou desferir vários ataques físicos ao mesmo tempo.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +1 ação em narrativas.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Perícia com garras III
Descrição: Os lycans são peritos em usar armas em formas de garras. Essas armas são geralmente formadas por três lâminas curtas, da qual possui uma empunhadura que pode ser segurada como uma soqueira ou em uma luva. O Lycan está se tornando cada vez mais experiente no uso de garras.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 75% de assertividade
Dano: 60% de dano.
Extra: Essa arma é considerada uma arma de lâmina curta.
Nome do poder: Movimentação do Lobo
Descrição: O estilo de luta feral dos lycans é imprevisível e caótico, tornando difícil para seus oponentes entenderem seus ataques. É muito difícil para alguém contra-atacar um lycan de Deimos/Terror quando ele estiver na forma da besta.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: - 30% em assertividade para aqueles que enfrentarem o lycan.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Bote de Lobo I
Descrição: Através dessa habilidade, o lycan é capaz de saltar a longas distâncias com o menor esforço possível. Funciona apenas se estiver em alguma forma lupina. Seu salto, seja para perseguir, fugir ou de fato dar um bote em sua presa, chega até 10m de distância.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Força III
Descrição: Sempre que realizar um golpe surpresa, as chances de ser um golpe crítico são maiores, além de causar mais dano que o normal.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 40% em força; 50% em força se estiver na forma da besta.
Dano: +15% de dano.

Nome do poder: Servo do deus do terror III
Descrição: Sendo um dos lycans de Deimos/Terror, o semideus é parcialmente imune ao sentimento que simboliza a divindade: o terror. Entretanto, a imunidade só funciona em inimigos até 50 níveis acima dele, mais que isto ainda estará suscetivo a formas intimidação inimiga.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +90% de resistência ao terror/medo/pânico.
Dano: Nenhum.
. Evento ⸭  ⅱ. Fantasia ⸭  ⅲ. Fera



No final da OP um tempo se passa, minha passiva de Lycan regenera passivamente 120HP e MP a cada 2 turnos, imagino que seja o suficiente para me regenerar 100%
Haror Lestrange
Haror Lestrange
Lycans
Lycans

Idade : 42
Localização : Acampamento Meio-Sangue

http://www.bloodolympus.org/t4900-haror-lestrange#99518

Voltar ao Topo Ir em baixo

[RP's] HAROR LESTRANGE - Página 2 Empty Re: [RP's] HAROR LESTRANGE

Mensagem por Haror Lestrange em Dom Jun 30, 2019 4:41 pm




DRAGÃO AMALDIÇOADO
MINI-BATALHA:
Dragão Amaldiçoado
Nível mínimo: 40
Status Base: 8.000 HP/MP
Recompensa máxima: 10.500 dracmas e exp +12 Fragmentos.


Já fazia algum tempo que Haror vinha caçando aquele dragão. Finalmente, após a batalha contra Josh e se encontrando com outros semideuses, obteve pistas suficientes para entender a localização do covil de seu inimigo. Encantado tinha lhe ajudado com uma comitiva, mas o velho lobo não esperava que os soldados do rei fossem tão fracos. Apenas dois tinham sobrevivido a jornada até o local e os outros tinham morrido de doenças ou em armadilhas de trolls.

Naquele dia em específico, Haror estava cavalgando sobre Carpeado, com seus sentidos ferais atentos a tudo que acontecia a sua volta. A viagem tinha os levado a um pântano e sinais de destruição e morte eram visíveis por todos os lados. Mais a frente, começou a escutar grunhidos e em determinado momento, um clarão de fogo surgiu iluminando o céu. –  É naquela direção!

Quando chegaram próximos da clareira em que o dragão esperava, Haror fez um sinal com sua mão para que as pessoas que lhe acompanhavam esperassem. –  Eu vou primeiro, tentem um ataque pelos flancos do animal! Quando ele estiver mais fraco. Talvez para me ajudar em algum momento de perigo!

O Lycan se transformou em sua forma bestial, assustando os soldados que lhe acompanhavam, mas isso não lhe importava. Tinha que estar em seu auge para combater tão majestosa fera. Mesmo daquela distância, Haror podia sentir a aura de medo que o animal emanava. Tinha certeza que seria a batalha de sua vida. – Por Encantado!

A primeira coisa que o lobo fez, foi se aproximar sorrateiramente, mascarando sua presença com gnose para que o mesmo não percebesse o perigo até que a fera já estivesse próxima o suficiente para um golpe preciso. Quando a distância diminuiu para 10 metros, Haror utilizou seu bote de lobo para saltar na direção do olho do animal, que até o momento ainda não fazia nem ideia da aproximação do Lycan.

Com um poderoso golpe, o neto de Hécate fincou suas garras no olho direito da fera, fazendo sangue de dragão escorrer pelo chão. A criatura balançou a cabeça e Haror caiu no chão, mas não antes que, em pleno ar, sua mão esquerda complementasse o golpe e aranhasse ainda mais o olho ferido.

O dragão mexeu seu poderoso corpo e atirou o lobo contra algumas rochas. Ele sentiu o golpe quebrando vários de seus ossos, mas ao mesmo tempo via que seu corpo instintivamente se curava de boa parte dos ferimentos. Não fosse sua elevada resistência, com certeza o herói teria morrido apenas com esse golpe. – Maldito, vai pagar pelos ataques contra Encantado!

Novamente dando um bote de lobo, Haror saltou em direção ao grande dragão. Dessa vez, no entanto, o inimigo que tinha a iniciativa e soltava uma grande baforada de fogo em direção ao semideus. O filho de Hefesto via seu pelo sendo torrado, mas ao mesmo tempo tinha sorte da resistência ao fogo que seu velho pai tinha lhe deixado como herança. No meio do pulo, Haror fez sua mandíbula crescer e fincou suas garras no pescoço da fera, dando-lhe suporte para arrancar um grande naco da carne do pescoço do animal.

A dor preenchia os pensamentos do seguidor de Deimos, que estava realmente muito ferido. Tinha machucado a fera, que sangrava em um ferimento no olho e agora tinha uma parte do pescoço faltando. Mesmo assim sua situação ainda era pior, pois não era completamente imune ao fogo e ter sido lançado contra as pedras tinha lhe machucado bastante. Sua recuperação não era tão rápida quanto poderia, e o sentimento de fraqueza deixava a fúria dominar o coração do velho lobo.

Seus olhos pareciam pegar fogo de tanta raiva e seus golpes, aprimorados pela dor física que sentia, parecia que agora estariam completamente bestiais. A racionalidade aos poucos desaparecia na mente do lobisomem, que se soltava do pescoço do dragão arrancando mais carne com suas duas garras. A criatura olhava de frente, o seu inimigo e uivava pra lua. O dragão via o desafio nos olhos do Lycan, era uma criatura inteligente, mas tinha sido corrompido por magia. Ele se preparou para outra lavareda de fogo, dessa vez para cozinhar o lobo sem piedade.

Após o uivo, no entanto, o Lycan já tinha manipulado as energias a sua volta. Por todos os lados do dragão outros uivos puderam ser ouvidos. Eram as imagens e sons de sua habilidade “Alcateia de Lobos de Imagens Póstumas”. O lobisomem começou uma movimentação ao redor de seu inimigo, facilmente esquivando daquele jato de fogo frontal. Atacou a cauda do oponente com três arranhões em sequência. Golpes rápidos que mais pareciam apenas um.

O lupino bestial sabia identificar os pontos fracos do Dragão e um deles era seu olho ferido. Atacando pela direita, Haror fincou suas garras nas articulações da pata dianteira do bicho. Ele caia e Haror logo se deslocava e desaparecia na habilidade de alcateia que tinha utilizado, reaparecendo nas costas do animal e lhe cortando de maneira similar a pata traseira.

Percebendo a estratégia do lobo, o dragão girou todo seu corpo para lançar um golpe como com um chicote em 360º. A força do dragão era tanta que derrubou todas as árvores em um perímetro circular de 20m ao seu redor. Haror não tinha como escapar de tal movimento devastador e foi arremessado sem dó. Dessa vez caiu e costas em uma pilha de árvores que tinham sido derrubadas com os ataques e um galho fincou em seu ombro direito.

O estado do lobisomem era realmente ruim, mas a fúria em seus olhos era tamanha que a dor apenas aumentava ainda mais a sua força. Vendo que o lobo tinha caído, os soldados saíram da mata, atirando quatro lanças pelo lado ferido do dragão, uma de cada mão. Ele demorou para finalmente ver o ataque e três delas fincaram na lateral de seu corpo. As lanças estavam embebidas com veneno, um truque que tinham aprendido com Soluço na cidade de Berg. Carpeado ainda se mantinha escondido. Tinha ficado amedrontado com o dragão e não tinha muita força de vontade para conseguir superar seu medo.

O dragão soltou um grito amaldiçoado, fazendo com que um dos guerreiros largasse sua arma e corresse em direção a floresta, justamente onde Haror se encontrava. O medo do ambiente fazia o seguidor de Deimos mais forte e ele se sentia ainda melhor vendo as faces atormentadas de seus próprios aliados. No estado de fúria, no entanto, todos não passavam de suas presas. Com um salto, o herói pulou na direção do soldado que se aproximava e mordeu a cabeça dele, arrancando-a em apenas um golpe. O outro homem, vendo isso, se desequilibrou e deixou a guarda aberta para o dragão lhe lançar um jato de fogo, cozinhando-o vivo.

– Parece que somos apenas nós dois! – Uma voz gutural saia da garganta de Haror enquanto ele pulava e começava a cercar seu inimigo. Sua movimentação era para todos os lados, alternando e tentando não permitir ao dragão acertá-lo com precisão. Qualquer brecha seria o suficiente para Haror atacar e podia ver no olhar da criatura que ela sabia disso. A recuperação do Lycan fazia com que seus ossos soltassem pequenos estalos quando voltavam a posição original, e o velho lobo sentia a energia aos poucos voltando.

Finalmente o dragão decidiu realizar um ataque, mas era justamente isso que Haror esperava. A pata do animal passou raspando por sua barriga, até chegando a cortar alguns dos fios de seu pelo, mas o neto de Hécate conseguiu se esquivar e pular na direção do rosto do dragão. Dessa vez fechou suas garras como em uma pinça e fincou seus dedos no olho ainda bom do animal. Se impulsionou para o lado e em pleno ar desferiu três cortes sequenciais com sua habilidade de terror cortante, mirando a asa direita do bicho. A membrana que permitia o voo se dilacerou em três posições diferentes, mas a dor entregou a posição do lobisomem e o dragão conseguiu o tempo necessário para, com seu rabo, acertar uma chicotada em cheio no velho filho de Hefesto.

O parentesco com o Hefesto foi, na verdade, o que salvou a vida do velho. O golpe teria sido mortal para qualquer outro semideus, mas a força de vontade dos filhos do deus da forja era o que os permitiam se reerguer mesmo em uma situação de quase morte. Haror sentiu uma pequena recuperação lhe impedir de morrer e mesmo completamente ferido, parecia que tinha quase três vezes mais força do que anteriormente (para cada 100HP perdido o Lycan aumenta em 30% sua força, então +180%).

O maior problema era a força descomunal do dragão, que agora se aproximava lentamente. Ele estava muito ferido, mas até Haror se levantar seria tempo suficiente para que ele lhe matasse. Notavelmente ele estava se guiando apenas por seus instintos superiores, escutando e cheirando para tentar adivinhar a posição do velho Lycan, já que seus olhos estavam sangrando muito. Ele abriu sua boca para lançar um jato de fogo e Haror aceitou o que estava por vir. Não conseguiria se levantar a tempo.

Foi nesse momento que Carpeado finalmente saiu das sombras da floresta em um galope muito rápido, perdendo o medo ao ver que seu amigo iria morrer. Em um giro perfeito acertou um coice com seus dois pés na lateral direita e já ferida do dragão. O animal não sentiu muita dor, mas foi o suficiente para se desequilibrar e para que ele tivesse que cancelar por milésimos de segundo o lançamento do fogo.

Haror aproveitou o momento para saltar por baixo do animal e fincar suas duas garras no peito dele. Sua força agora era bestial, ele focou em apenas um ponto fixo no peito do bicho e começou a cavar como se estivesse escondendo um osso no local. A criatura uivava de dor e Haror previu que ela iria se atirar no chão para tentar esmagar o lupino. Antes disso, no entanto, os golpes de Haror cavaram tão fundo que ele encontrou um músculo pulsante. Enfiou sua cabeça no buraco e com suas mandíbulas mordeu o órgão com tudo, destruindo-o.

Com seu coração em pedaços, o dragão perdeu as forças e se soltou, prendendo Haror dentro de seu peito. O herói começou a “cavar” a carne do animal, desesperado para sair de lá de dentro, mas percebeu que isso não era tão complicado. Morta aquela criatura não tinha tanta resistência e o corpo do neto de Hécate já estava novamente se recuperando, deixando-o longe do estado de risco de morte.

Fora do dragão Haror começou a procurar por indícios de quem tinha realizado aquilo com tal animal e o transformado em uma fera assassina. Precisava de pistas do motivo do ataque e de um certo tempo para que seus ferimentos se recuperassem e ele pudesse partir para outra aventura.
ITENS:
Garras Lupinas [Um par de garras que se encaixam nas mãos dos Lycans perfeitamente. Inicialmente são como luvas que exibem parte dos dedos, mas que ao ser ativado expele três lâminas de 20cm feitas de ferro estígio. | Efeito de mecânico: podem ser usadas como luvas normalmente. | Efeito 1: Adapta-se as mudanças do corpo do lycan, porém quando em estado de transformação, as luvas assumem a característica de proteção, envolvendo as patas dianteiras com o metal. As garras dos lupinos são suas próprias armas. | Efeito 2: Quando as garras atingem o inimigo, provocam uma sensação de terror que irá durar por 2 turnos. Funciona apenas uma vez no mesmo oponente | Ferro estígio e couro | Não possui espaço para gemas. | Resistência beta. | 100%, sem danos. | Nível 3. | Lendária. | Presente de Reclamação do grupo Lycans de Deimos/Terror]

Alabarda [É como uma lança-machado. A lâmina na ponta é muito boa para impactos, e o outro lado bom para parar investidas. A haste é feita de um tipo de madeira resistente e encantado para tal, e a lâmina e pontas são feitas de ouro imperial. Exige força e treinamento para ser utilizada com maestria. | Efeito 1: Tal arma pode passar a ter o peso nulo, durante dois turnos, caso seja utilizada em batalha, porém pode durar mais tempo caso seja usada fora de batalha. | Efeito 2: A alabarda é capaz de encolher, ficando do tamanho de um pequeno pingente, ainda conservando a sua forma, mas apenas diminuída. | Ouro Imperial e Madeira. | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Arsenal do acampamento]

Mochila sem fundo [Mochila de prata com material simples, sem bolsos laterais, com um único zíper, uma única entrada e uma única saída.| Efeito 1: A mochila não possui fundo, foi encantada para caber inúmeros objetos, ou seja, seu espaço é infinito, tudo que você colocar dentro dela permanece ali, desde que passe pela parte de cima, ou seja, você precisa conseguir colocar o item pelo buraco, que é largo o suficiente para passar até uma panela de pressão. Para pegar o item de volta basta colocar a mão dentro da mochila e pensar nele, e ele retorna para suas mãos.| Efeito 2: A mochila permite ao semideus levar 3 itens a mais em missões e eventos, como uma forma de burlar as regras. Por exemplo, se o narrador estipulou apenas 1 item para a missão, o meio-sangue poderá levar essa mochila e com ela liberar mais 2 itens (pois ela conta como 1, gastando um dos 3 extras) | Indefinido | Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos |Lendário e mágico | Comprado na Loja Especial do BO]
PODERES DE HEFESTO:
HABILIDADES ATIVAS:

HABILIDADES PASSIVAS:
Nome do poder: Força de Vontade
Descrição: Os filhos de Hefesto/Vulcano são considerados semideuses voláteis e extremamente teimosos. Com isso, caso o HP deles seja zerado, uma vez por missão ou evento, conseguirão recuperar uma parte de seu HP, a fim de continuarem vivos. (Essa habilidade só pode ser usada uma vez por missão ou evento).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +30 HP
Dano: Nenhum

Nome do poder: Força II
Descrição: Você ficou ainda mais forte, conforme cresce, se desenvolve, e executa seus treinamentos – além de claro, trabalha nas forjas, pois, se sente extremamente atraído por elas – também desenvolve uma força superior aos demais campistas, você está se saindo bem.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de força.
Dano: +10% de dano em golpes físicos relacionados pelo semideus, ou que exijam a forja avantajada.

Nome do poder: Resistencia ao Fogo II
Descrição: Agora o fogo magico também não incomoda o filho de Hefesto/Vulcano como a maioria, ainda sofre alguns danos, e se machuca, mas adquiriu uma resistência natural, que impede seus ferimentos de serem mais graves.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Ataques relacionados a fogo magico agora são 30% menos efetivos em filhos de Hefesto/Vulcano, e o dano também é 30% menos nele.
Dano: Nenhum
PODERES DE LYCAN:
HABILIDADES ATIVAS:
Nome do poder: Terror Cortante II
Descrição: O Lycan agora ataca três vezes em sequência com suas poderosas garras, imbuindo esse ataque com poder medonho, o que o torna extremamente rápido e difícil de se defender.
Gasto de Mp: 25.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Conta apenas como 1 ação.
Dano base: 20 cada golpe.
Extra: Funciona apenas com alguma transformação.

Nome do poder: Manto da Gnose
Descrição: Ao concentrar as energias espirituais ao seu redor em si mesmo, o lycan é capaz de se camuflar no tecido da realidade ficando invisível. Até mesmo seus sons e cheiros são mascarados, contudo, a habilidade não pode ser utilizada caso ele esteja em frenesi de batalha, pois requer uma concentração grande.
Gasto de Mp: 25.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +60% de furtividade
Dano: Nenhum.
Extra: Dura enquanto não se revelar com uma ação ofensiva ou algo do tipo, e requer 3 turnos para reativação.

Nome do poder: Selvageria Bruta II
Descrição: Usando essa habilidade, o próximo movimento do Lycan terá uma força mítica. Para critérios narrativos, ele será capaz de levantar +60kg tendo como referência a FPA, além de causar fraturas caso pegue alguma vítima não muito resistente.
Gasto de Mp: 30.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +20% em força
Dano: Nenhum.
Extra: 1 vez a cada 3 turnos.

Nome do poder: Fúria
Descrição: O lycan é capaz de induzir um estado de fúria interna para aumentar ainda mais seu poder. Nesse estado, sua temperatura corporal aumenta, e sua força é ainda maior o que o torna ainda mais perigoso. Em contrapartida, se estiver em frenesi de batalha, quando ativar este modo, perderá completamente a racionalidade, atacando tudo e todos que encontrar pelo caminho. Uma habilidade mais adequada para missões em que estiver sozinho, ou como sua última cartada. (Obviamente só funciona se estiver completamente transformado).
Gasto de Mp: 100.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 50% em Força.
Dano: .+ 70 de dano em todo ataque desferido nessa forma.
Extra: O bônus extra em dano é cumulativo com os outros bônus em dano do lycan; dura 3 turnos.

Nome do poder: Alcateia de Lobos de Imagens Póstumas
Descrição: O lycan pode usar um tipo de ilusão que nada mais é que uma manipulação das energias da Gnose e parecer que é vários "lobos", mudando de posição tão rápido que se assemelha a uma grande alcateia de indivíduos acuando seus inimigos. O truque desta habilidade ser alto nível é usar sua mentalidade instintiva de alcateia e sentidos aguçados: ele não só pode trocar de posição para atacar um alvo de surpresa com os benefícios de cercar alguém como se pressionasse por vários lados, como pode também trocar de posição em defesas rápidas para escapar de um revide. A menos que o inimigo tenha velocidade excessiva maior que a dele, ou habilidade de análise de combate avançado, é muito difícil antecipar onde vai ser um ataque ou para onde ele vai se defendendo - e pior, os lycans já têm sua própria suíte de técnicas de uso de super sentidos em combate, o que protege seus flancos se tentarem usar algum tipo de finta contra eles.
Gasto de Mp: 120 para ativar, 50 para manter ativo todo turno.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: +20% de dano.
Extra: Até mesmo os sons são replicados, para dar a impressão de que é mais de um lobo.

Nome do poder: Transformação Bestial II
Descrição: Ao atingir esse nível, o lycan pode enfim se transformar de maneira perfeita. Sua forma bestial, como já esperado, tem uma aparência monstruosa e seus prós e contras. Nesse estado, o semideus desfruta de todos os bônus passivos cabíveis pela transformação, além aumentar todos os danos físicos que causar. Por outro lado, fica impossibilitado de usar poderes ativos que fujam desta lista, ou empunhar armas que não sejam adaptadas à essa forma.
Gasto de Mp: 50.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: +50 de dano físico extra em todos os seus golpes.
Extra: Nesse nível, o lycan leva metade do tempo para se transformar, o que seria equivalente a 2 ações em uma narrada.

Nome do poder: Reforçar Garras II
Descrição: As garras nas formas lupinas são a principal arma do Lycan. Eles conseguem fortificar as garras, as deixando nesse nível similares a itens de resistência beta, tais como bronze celestial, ouro imperial e ferro estígio.
Gasto de Mp: 50.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Garras com resistência beta
Dano base: +40 de dano é acrescentado ao golpe.
Extra: Funciona apenas com alguma transformação.

Nome do poder: Rompe Crânios II
Descrição: Alargando sem aviso ao inimigo sua mandíbula com as juntas flexíveis dadas por sua transformação bestial, o lycan pode aumentar sua extensão e desferir uma mordida perigosa, em especial na cabeça do inimigo.  É um ataque tão forte que se não pelo menos lesionar seriamente o oponente, arranca-lhe a cabeça de uma vez.
Gasto de Mp: 150.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: 300.


Extra: Nenhum.
HABILIDADES PASSIVAS:
Nome do poder: Frenesi de Batalha III
Descrição: Quando em batalha, o lycan gradativamente vai perdendo o controle sobre suas ações e se enfurecendo. Na forma humana, apenas causa efeitos narrativos porém, se estiver em sua forma bestial, os efeitos são mais significativos. Nesse último caso a cada golpe que receberem, perderão parte de sua racionalidade mas ganharão mais bônus.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Para cada 100 pontos de HP perdido, aumenta 30% da força do lycan.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Regeneração III
Descrição: Em diferentes interpretações dos lobisomens e suas variações ao redor mundo e suas civilizações, é de conhecimento geral a marcante regeneração de seus tecidos e ossos. Com os lycans não é diferente. O servo de Deimos/Terror possui a habilidade de se regenerar que apenas evolui com o tempo. Nesse nível, além dos cortes, ferimentos básicos e contusões, até mesmo ossos quebrados são recuperados em questão de segundos.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Recupera 120 de HP e MP.
Dano: Nenhum.
Extra: 1 vez a cada 2 turnos.  

Nome do poder: Instinto da Fera III
Descrição: Ao se tornar um lycan, o semideus está em contato constante com a ferocidade e a selvageria. Isso o torna o limite de irritabilidade baixo, ou seja, pequenas coisas podem irritar ou zangar um Lycan facilmente. Entretanto, por essa conexão animalesca, o seguidor de Deimos/Terror está em um estado de alerta constante.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 30% de percepção ao seu redor, cabendo ao narrador lhe alertar de algo ache cabível durante uma narração.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Olhar da Fera II
Descrição: Os olhos do semideus revelam a fera que existe dentro dele. Qualquer um que olhar em seus olhos ficará paralisado de medo por breves segundos. O efeito atrapalha a iniciativa da pessoa, impedindo que ela aja primeiro em confronto contra o lycan, ficando para este iniciar o primeiro turno com certa vantagem.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Ataques Múltiplos
Descrição: Graças à movimentação do lobo, os lycans são capazes de realizar mais golpes que o esperado em um menor intervalo de tempo. Para critérios narrativos, os semideuses desse grupo secundário sempre terão direito a uma ação extra por turno - desde que ela seja dedicada a manobras ofensivas. É muito mais fácil para o meio-sangue emendar combos ou desferir vários ataques físicos ao mesmo tempo.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +1 ação em narrativas.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Perícia com garras III
Descrição: Os lycans são peritos em usar armas em formas de garras. Essas armas são geralmente formadas por três lâminas curtas, da qual possui uma empunhadura que pode ser segurada como uma soqueira ou em uma luva. O Lycan está se tornando cada vez mais experiente no uso de garras.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 75% de assertividade
Dano: 60% de dano.
Extra: Essa arma é considerada uma arma de lâmina curta.
Nome do poder: Movimentação do Lobo
Descrição: O estilo de luta feral dos lycans é imprevisível e caótico, tornando difícil para seus oponentes entenderem seus ataques. É muito difícil para alguém contra-atacar um lycan de Deimos/Terror quando ele estiver na forma da besta.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: - 30% em assertividade para aqueles que enfrentarem o lycan.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Bote de Lobo I
Descrição: Através dessa habilidade, o lycan é capaz de saltar a longas distâncias com o menor esforço possível. Funciona apenas se estiver em alguma forma lupina. Seu salto, seja para perseguir, fugir ou de fato dar um bote em sua presa, chega até 10m de distância.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Força III
Descrição: Sempre que realizar um golpe surpresa, as chances de ser um golpe crítico são maiores, além de causar mais dano que o normal.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 40% em força; 50% em força se estiver na forma da besta.
Dano: +15% de dano.

Nome do poder: Servo do deus do terror III
Descrição: Sendo um dos lycans de Deimos/Terror, o semideus é parcialmente imune ao sentimento que simboliza a divindade: o terror. Entretanto, a imunidade só funciona em inimigos até 50 níveis acima dele, mais que isto ainda estará suscetivo a formas intimidação inimiga.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +90% de resistência ao terror/medo/pânico.
Dano: Nenhum.
. Evento ⸭  ⅱ. Fantasia ⸭  ⅲ. Dragon



- No final da OP um tempo se passa, minha passiva de Lycan regenera passivamente 120HP e MP a cada 2 turnos, imagino que seja o suficiente para me regenerar 100%

- Utilizei o Pet Carpeado
Haror Lestrange
Haror Lestrange
Lycans
Lycans

Idade : 42
Localização : Acampamento Meio-Sangue

http://www.bloodolympus.org/t4900-haror-lestrange#99518

Voltar ao Topo Ir em baixo

[RP's] HAROR LESTRANGE - Página 2 Empty Re: [RP's] HAROR LESTRANGE

Mensagem por Haror Lestrange em Dom Jun 30, 2019 5:33 pm




O Lobo Mal
MINI-BATALHA:
Lobo Mal
Nível mínimo: 15
Status Base: 1.000 HP/MP
Recompensa máxima: 4.500 dracmas e exp + 6 Fragmentos.


Haror tinha terminado com o dragão e agora voltava para a vila. Tinha encontrado indícios de que a fera que tinha dominado o dragão era o próprio Josh, mas como ele já estava morto aquilo não importava mais.

No caminho passou pela velha floresta encantada, local onde nos últimos dias tinha tido diversas aventuras. Iria sentir saudades do local. Tinha se aprimorado bastante por ali e feito diversos amigos. Quando passava próximo das cavernas onde tinha salvo os sete anões, no entanto, sentiu que algo estava errado. Um cheiro lupino muito forte emanava de uma delas. – Carpeado, fique atento, vou verificar o que é.

Imediatamente, Haror se transformou em sua forma bestial. Seus instintos aumentaram e ele percebeu que o cheiro não era de um simples lobo, mas de uma criatura ainda mais poderosa. Pensou que podia ser um dos lobisomens inimigos de seu mestre, então já uivou para a lua, tentando amedrontar quem é que estivesse dentro da caverna.

Ao fazer isso, no entanto, escutou o uivo de resposta e viu a criatura saindo de lá de dentro. Era um lobo enorme, com aproximadamente três metros de altura. Haror percebia que ele tinha um olhar inteligente, diferente dos inimigos servos do antigo rei. –  Quem é você?

–  Eu sou o lobo mal, o que te traz as minhas terras, irmão? – A criatura era, de fato, interessante. Haror sentia uma familiaridade com ela, mas ao mesmo tempo o animal parecia bem mais complexo do que um simples lobo e menos humano do que um Lycan.

–  O que faz aqui na caverna dos anões? Onde eles estão? – Os olhos de Haror expressavam sua raiva. Não deixaria o lobo fazer mal algum para aquelas criaturas que lhe tinham sido gentis. – Aqueles anões? Fugiram de medo quando eu assumi esse lugar para mim!

Haror não ia deixar isso barato. Deu o primeiro bote e em pleno ar transformou sua mandíbula para um poderoso golpe de mordida. Acertou o ombro do inimigo e sangue escorreu. Apenas com esse golpe o lobo já teve sua visão escurecida. – Mas o que diabos é você? Eu que deveria ser o lobo supremo!

Com um uivo para a lua o animal invocou três outros lobos gigantes para lutar ao seu lado. Haror observou, atento. Aquela criatura gostaria de competir contra ele? Haror era um alfa para os lobos, apesar de não ser o alfa dos seguidores de Deimos. Fora outros Lycans, nenhum outro lupino podia tentar competir contra sua superioridade de comando. –  Obrigado por chamar aliados para mim!

O filho de Hefesto uivou. Aquela convocação era um convite irrecusável para os lobos da região. Os próprios aliados do lobo gigante se viraram contra ele, rosnando e cercando-o. Rindo, o neto de Hécate tentava mostrar que era claramente superior a outra fera. Os olhos da criatura ficavam negros e ele se atirava contra o semideus. Suas garras eram afiadas, no entanto Haror era perito em resistência. Permitiu que o inimigo as fincasse em sua barriga, apenas para segurar a mão do mesmo e, com um aperto, esmigalhar os seus ossos.

O velho seguidor de Deimos o atirou no chão e os olhos dele passaram a apresentar um medo até então não visto. Haror fez um sinal para os seus lobos e um deles saltou sobre a grande fera, ficando com as quatro patas sobre o peito do inimigo e rosnando sobre sua face. Baba escorria dos caninos do animal diretamente no focinho do lobo mal. – Eu não quero mais ver você por essas bandas!

A grande criatura, no entanto, não aceitava ser o pior entre os dois alfas. Com um golpe de suas patas frontais cortou a garganta do lobo que estava sobre ele e com uma velocidade impressionante se colocou em pé. Os outros lobos atacaram, mas o inimigo era rápido. Chutou o primeiro, fazendo-o voar e quebrar suas costelas em uma árvore, e mordeu a mandíbula do segundo com a sua própria. – Eles podem te seguir, mas eu não irei me render até ter perdido!

O velho sorriu. Reconhecia a força de vontade do inimigo a sua frente. – Que assim seja. Eu lhe darei uma morte digna. – Haror uivou e era como se lobos aparecessem por todos os lados do inimigo. Em movimentos rápidos o Lycan trocava de posição e era como se diversos outros lobisomens estivessem lutando ao seu lado. O lobo mau não cedeu, no entanto, não iria morrer e não iria se mostrar inferior. Tentou prever algum tipo de padrão na movimentação do velho, mas não conseguiu e simplesmente achou melhor atacar um ponto fixo.

Por sorte ele acertou em cheio o braço direito de Haror, que uivou de dor. Como resposta o neto de Hécate aproveitou a distância para aplicar seu golpe terror cortante e novamente morder seu inimigo com outra mordida rompe crânios, dessa vez no ombro oposto.

Para o semideus não era uma luta difícil, já que seu poder era muito maior do que de seu inimigo. Até tinha um pouco de pena do animal, ele tinha consciência. Poderia até mesmo ser um bom aliado. – Lobo mal, não sei seu verdadeiro nome, mas porque não se torna meu braço direito? Tem muito o que aprender, me aceite como seu alfa e viva. Não tem por que você morrer aqui!

A criatura, no entanto, já parecia ter perdido sua inteligência. Haror reconhecia aquele olhar, já tinha visto seus companheiros Lycans entrarem nesse modo diversas vezes. Era um modo bestial em que se abdicava da consciência para um poder muito maior. – É uma pena...

O monstro saltou sobre Haror e lhe mordeu o ombro. Sangue escorreu do ferimento e com um chute Haror o fez voar para longe. Carpeado estava próximo e chutou o inimigo no peito, trotando para longe. A fera observou o cavalo e pulou em sua direção, mas Haror é que era o inimigo a ser temido e interceptou a fera no meio do pulo.

Ambos os animais giraram no chão e Haror, com uma tristeza em seu olhar, cravou seus dentes no ferimento ainda aberto no ombro do lobão. Ele começou a uivar de dor e aos poucos sua visão foi se escurecendo. O neto de Hécate não soltou sua mordida até que sentiu que o outro lobo estava desacordado. Carpeado foi se aproximando enquanto Haror voltava a sua forma humana. – O que faremos com ele? – O cavalo deu um coice no vento e relinchou, mostrando que queria matá-lo. Mas o semideus não tinha essa intenção, pois seus instintos falavam que o monstro tinha algo a mais...

Sei não ser essa a recompensa da missão, mas não me importo de abdicar da exp caso seja possível receber o Lobo Mal como um mascote lendário. Se quiserem podemos considerar essa missão como um CCFY, visto que eu não fiz nenhuma. Caso não seja possível, sem problemas.

ITENS:
Garras Lupinas [Um par de garras que se encaixam nas mãos dos Lycans perfeitamente. Inicialmente são como luvas que exibem parte dos dedos, mas que ao ser ativado expele três lâminas de 20cm feitas de ferro estígio. | Efeito de mecânico: podem ser usadas como luvas normalmente. | Efeito 1: Adapta-se as mudanças do corpo do lycan, porém quando em estado de transformação, as luvas assumem a característica de proteção, envolvendo as patas dianteiras com o metal. As garras dos lupinos são suas próprias armas. | Efeito 2: Quando as garras atingem o inimigo, provocam uma sensação de terror que irá durar por 2 turnos. Funciona apenas uma vez no mesmo oponente | Ferro estígio e couro | Não possui espaço para gemas. | Resistência beta. | 100%, sem danos. | Nível 3. | Lendária. | Presente de Reclamação do grupo Lycans de Deimos/Terror]

Alabarda [É como uma lança-machado. A lâmina na ponta é muito boa para impactos, e o outro lado bom para parar investidas. A haste é feita de um tipo de madeira resistente e encantado para tal, e a lâmina e pontas são feitas de ouro imperial. Exige força e treinamento para ser utilizada com maestria. | Efeito 1: Tal arma pode passar a ter o peso nulo, durante dois turnos, caso seja utilizada em batalha, porém pode durar mais tempo caso seja usada fora de batalha. | Efeito 2: A alabarda é capaz de encolher, ficando do tamanho de um pequeno pingente, ainda conservando a sua forma, mas apenas diminuída. | Ouro Imperial e Madeira. | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Arsenal do acampamento]

Mochila sem fundo [Mochila de prata com material simples, sem bolsos laterais, com um único zíper, uma única entrada e uma única saída.| Efeito 1: A mochila não possui fundo, foi encantada para caber inúmeros objetos, ou seja, seu espaço é infinito, tudo que você colocar dentro dela permanece ali, desde que passe pela parte de cima, ou seja, você precisa conseguir colocar o item pelo buraco, que é largo o suficiente para passar até uma panela de pressão. Para pegar o item de volta basta colocar a mão dentro da mochila e pensar nele, e ele retorna para suas mãos.| Efeito 2: A mochila permite ao semideus levar 3 itens a mais em missões e eventos, como uma forma de burlar as regras. Por exemplo, se o narrador estipulou apenas 1 item para a missão, o meio-sangue poderá levar essa mochila e com ela liberar mais 2 itens (pois ela conta como 1, gastando um dos 3 extras) | Indefinido | Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos |Lendário e mágico | Comprado na Loja Especial do BO]
PODERES DE HEFESTO:
HABILIDADES ATIVAS:

HABILIDADES PASSIVAS:

Nome do poder: Força II
Descrição: Você ficou ainda mais forte, conforme cresce, se desenvolve, e executa seus treinamentos – além de claro, trabalha nas forjas, pois, se sente extremamente atraído por elas – também desenvolve uma força superior aos demais campistas, você está se saindo bem.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de força.
Dano: +10% de dano em golpes físicos relacionados pelo semideus, ou que exijam a forja avantajada.

Nome do poder: Resistencia ao Fogo II
Descrição: Agora o fogo magico também não incomoda o filho de Hefesto/Vulcano como a maioria, ainda sofre alguns danos, e se machuca, mas adquiriu uma resistência natural, que impede seus ferimentos de serem mais graves.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Ataques relacionados a fogo magico agora são 30% menos efetivos em filhos de Hefesto/Vulcano, e o dano também é 30% menos nele.
Dano: Nenhum
PODERES DE LYCAN:
HABILIDADES ATIVAS:
Nome do poder: Terror Cortante II
Descrição: O Lycan agora ataca três vezes em sequência com suas poderosas garras, imbuindo esse ataque com poder medonho, o que o torna extremamente rápido e difícil de se defender.
Gasto de Mp: 25.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Conta apenas como 1 ação.
Dano base: 20 cada golpe.
Extra: Funciona apenas com alguma transformação.

Nome do poder: Selvageria Bruta II
Descrição: Usando essa habilidade, o próximo movimento do Lycan terá uma força mítica. Para critérios narrativos, ele será capaz de levantar +60kg tendo como referência a FPA, além de causar fraturas caso pegue alguma vítima não muito resistente.
Gasto de Mp: 30.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +20% em força
Dano: Nenhum.
Extra: 1 vez a cada 3 turnos.

Nome do poder: Fúria
Descrição: O lycan é capaz de induzir um estado de fúria interna para aumentar ainda mais seu poder. Nesse estado, sua temperatura corporal aumenta, e sua força é ainda maior o que o torna ainda mais perigoso. Em contrapartida, se estiver em frenesi de batalha, quando ativar este modo, perderá completamente a racionalidade, atacando tudo e todos que encontrar pelo caminho. Uma habilidade mais adequada para missões em que estiver sozinho, ou como sua última cartada. (Obviamente só funciona se estiver completamente transformado).
Gasto de Mp: 100.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 50% em Força.
Dano: .+ 70 de dano em todo ataque desferido nessa forma.
Extra: O bônus extra em dano é cumulativo com os outros bônus em dano do lycan; dura 3 turnos.

Nome do poder: Alcateia de Lobos de Imagens Póstumas
Descrição: O lycan pode usar um tipo de ilusão que nada mais é que uma manipulação das energias da Gnose e parecer que é vários "lobos", mudando de posição tão rápido que se assemelha a uma grande alcateia de indivíduos acuando seus inimigos. O truque desta habilidade ser alto nível é usar sua mentalidade instintiva de alcateia e sentidos aguçados: ele não só pode trocar de posição para atacar um alvo de surpresa com os benefícios de cercar alguém como se pressionasse por vários lados, como pode também trocar de posição em defesas rápidas para escapar de um revide. A menos que o inimigo tenha velocidade excessiva maior que a dele, ou habilidade de análise de combate avançado, é muito difícil antecipar onde vai ser um ataque ou para onde ele vai se defendendo - e pior, os lycans já têm sua própria suíte de técnicas de uso de super sentidos em combate, o que protege seus flancos se tentarem usar algum tipo de finta contra eles.
Gasto de Mp: 120 para ativar, 50 para manter ativo todo turno.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: +20% de dano.
Extra: Até mesmo os sons são replicados, para dar a impressão de que é mais de um lobo.

Nome do poder: Convocação Lupina
Descrição: Com um uivo, o lycan é capaz de convocar todos os lobos ou canídeos numa região de até 1km para lutarem ao seu lado. A quantidade, quanto de dano e suas ações, ainda fica para o narrador decidir.
Gasto de Mp: 10 para um canídeo, e 5 para cada um além do primeiro.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
Extra: Nenhum.

Nome do poder: Transformação Bestial II
Descrição: Ao atingir esse nível, o lycan pode enfim se transformar de maneira perfeita. Sua forma bestial, como já esperado, tem uma aparência monstruosa e seus prós e contras. Nesse estado, o semideus desfruta de todos os bônus passivos cabíveis pela transformação, além aumentar todos os danos físicos que causar. Por outro lado, fica impossibilitado de usar poderes ativos que fujam desta lista, ou empunhar armas que não sejam adaptadas à essa forma.
Gasto de Mp: 50.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: +50 de dano físico extra em todos os seus golpes.
Extra: Nesse nível, o lycan leva metade do tempo para se transformar, o que seria equivalente a 2 ações em uma narrada.

Nome do poder: Reforçar Garras II
Descrição: As garras nas formas lupinas são a principal arma do Lycan. Eles conseguem fortificar as garras, as deixando nesse nível similares a itens de resistência beta, tais como bronze celestial, ouro imperial e ferro estígio.
Gasto de Mp: 50.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Garras com resistência beta
Dano base: +40 de dano é acrescentado ao golpe.
Extra: Funciona apenas com alguma transformação.

Nome do poder: Rompe Crânios II
Descrição: Alargando sem aviso ao inimigo sua mandíbula com as juntas flexíveis dadas por sua transformação bestial, o lycan pode aumentar sua extensão e desferir uma mordida perigosa, em especial na cabeça do inimigo.  É um ataque tão forte que se não pelo menos lesionar seriamente o oponente, arranca-lhe a cabeça de uma vez.
Gasto de Mp: 150.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: 300.
Extra: Nenhum.
HABILIDADES PASSIVAS:
Nome do poder: Frenesi de Batalha III
Descrição: Quando em batalha, o lycan gradativamente vai perdendo o controle sobre suas ações e se enfurecendo. Na forma humana, apenas causa efeitos narrativos porém, se estiver em sua forma bestial, os efeitos são mais significativos. Nesse último caso a cada golpe que receberem, perderão parte de sua racionalidade mas ganharão mais bônus.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Para cada 100 pontos de HP perdido, aumenta 30% da força do lycan.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Regeneração III
Descrição: Em diferentes interpretações dos lobisomens e suas variações ao redor mundo e suas civilizações, é de conhecimento geral a marcante regeneração de seus tecidos e ossos. Com os lycans não é diferente. O servo de Deimos/Terror possui a habilidade de se regenerar que apenas evolui com o tempo. Nesse nível, além dos cortes, ferimentos básicos e contusões, até mesmo ossos quebrados são recuperados em questão de segundos.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Recupera 120 de HP e MP.
Dano: Nenhum.
Extra: 1 vez a cada 2 turnos.  

Nome do poder: Instinto da Fera III
Descrição: Ao se tornar um lycan, o semideus está em contato constante com a ferocidade e a selvageria. Isso o torna o limite de irritabilidade baixo, ou seja, pequenas coisas podem irritar ou zangar um Lycan facilmente. Entretanto, por essa conexão animalesca, o seguidor de Deimos/Terror está em um estado de alerta constante.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 30% de percepção ao seu redor, cabendo ao narrador lhe alertar de algo ache cabível durante uma narração.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Olhar da Fera II
Descrição: Os olhos do semideus revelam a fera que existe dentro dele. Qualquer um que olhar em seus olhos ficará paralisado de medo por breves segundos. O efeito atrapalha a iniciativa da pessoa, impedindo que ela aja primeiro em confronto contra o lycan, ficando para este iniciar o primeiro turno com certa vantagem.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Ataques Múltiplos
Descrição: Graças à movimentação do lobo, os lycans são capazes de realizar mais golpes que o esperado em um menor intervalo de tempo. Para critérios narrativos, os semideuses desse grupo secundário sempre terão direito a uma ação extra por turno - desde que ela seja dedicada a manobras ofensivas. É muito mais fácil para o meio-sangue emendar combos ou desferir vários ataques físicos ao mesmo tempo.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +1 ação em narrativas.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Perícia com garras III
Descrição: Os lycans são peritos em usar armas em formas de garras. Essas armas são geralmente formadas por três lâminas curtas, da qual possui uma empunhadura que pode ser segurada como uma soqueira ou em uma luva. O Lycan está se tornando cada vez mais experiente no uso de garras.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 75% de assertividade
Dano: 60% de dano.
Extra: Essa arma é considerada uma arma de lâmina curta.
Nome do poder: Movimentação do Lobo
Descrição: O estilo de luta feral dos lycans é imprevisível e caótico, tornando difícil para seus oponentes entenderem seus ataques. É muito difícil para alguém contra-atacar um lycan de Deimos/Terror quando ele estiver na forma da besta.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: - 30% em assertividade para aqueles que enfrentarem o lycan.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Bote de Lobo I
Descrição: Através dessa habilidade, o lycan é capaz de saltar a longas distâncias com o menor esforço possível. Funciona apenas se estiver em alguma forma lupina. Seu salto, seja para perseguir, fugir ou de fato dar um bote em sua presa, chega até 10m de distância.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Força III
Descrição: Sempre que realizar um golpe surpresa, as chances de ser um golpe crítico são maiores, além de causar mais dano que o normal.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 40% em força; 50% em força se estiver na forma da besta.
Dano: +15% de dano.

Nome do poder: Servo do deus do terror III
Descrição: Sendo um dos lycans de Deimos/Terror, o semideus é parcialmente imune ao sentimento que simboliza a divindade: o terror. Entretanto, a imunidade só funciona em inimigos até 50 níveis acima dele, mais que isto ainda estará suscetivo a formas intimidação inimiga.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +90% de resistência ao terror/medo/pânico.
Dano: Nenhum.
. Evento ⸭  ⅱ. Fantasia ⸭  ⅲ. Wolf



- No final da OP um tempo se passa, minha passiva de Lycan regenera passivamente 120HP e MP a cada 2 turnos, imagino que seja o suficiente para me regenerar 100%

- Utilizei o Pet Carpeado
Haror Lestrange
Haror Lestrange
Lycans
Lycans

Idade : 42
Localização : Acampamento Meio-Sangue

http://www.bloodolympus.org/t4900-haror-lestrange#99518

Voltar ao Topo Ir em baixo

[RP's] HAROR LESTRANGE - Página 2 Empty Re: [RP's] HAROR LESTRANGE

Mensagem por Hécate em Qui Jul 04, 2019 8:21 pm


Haror Lestrange

Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Recompensa máxima da missão: 20.500 XP e Dracmas + 21 Fragmentos + Habilidade



Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 30%


RECOMPENSAS: 20.500 XP e Dracmas + 21 Fragmentos + Habilidade
Carpeado ganha 200XP


comentários:
Parabéns pelas missões realizadas, Haror. Sobre o pedido do Lobo, nós não podemos concedê-la porque o mesmo não é um lobo (animal) e sim um lobisomem. No mais, modificamos uma coisa em sua habilidade. Ao invés dela dilacerar a carne de alguém (o que causaria morte na certa), colocamos que causará ferimentos graves. Mais uma vez, parabéns, meu neto.





[RP's] HAROR LESTRANGE - Página 2 Original
Hécate
Hécate
Deuses Menores
Deuses Menores


Voltar ao Topo Ir em baixo

[RP's] HAROR LESTRANGE - Página 2 Empty Re: [RP's] HAROR LESTRANGE

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum