The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

мы можем позволить этому гореть

Ir em baixo

мы можем позволить этому гореть Empty мы можем позволить этому гореть

Mensagem por Kendall Burkhard em Dom Mar 17, 2019 1:54 pm



we can let it burn
trama pessoal de kendall burkhard
мы можем позволить этому гореть 6a04d09aa79eb6f08e6aa807dfb39b21


Última edição por Kendall Burkhard em Seg Abr 01, 2019 4:13 pm, editado 1 vez(es)


A million thoughts in my head
Nothing lost but something missing.
i coorte
belona
Kendall Burkhard
Kendall Burkhard
I Coorte
I Coorte


Voltar ao Topo Ir em baixo

мы можем позволить этому гореть Empty Re: мы можем позволить этому гореть

Mensagem por Kendall Burkhard em Ter Mar 19, 2019 12:43 pm



Stand up and salute
Ladies all across the world, listen up: We're looking for recruits. If you're with me, let me see your hands, stand up and salute. Get your killer heels, sneakers, pumps, or lace up your boots representing all the women. Salute


Há algum tempo Kendall vinha tendo sonhos estranhos.

Perdida numa costa montanhosa cercada por vários tipos de cristais coloridos, via a presença de uma figura feminina em forma de névoa tremeluzente. Nenhuma palavra saía de seus lábios e quanto mais perto a semideusa chegava, notava o apavoramento na expressão flutuante. O cenário era sempre o mesmo, com mínimas partes do contexto sendo alteradas conforme os dias se passavam. Flocos de neve caíam sobre sua cabeça, encontrando o solo, grudando por todo o espaço até formar uma camada espessa de neve. De início, imaginou se tratar de uma entidade divina, mas não existia nenhum preâmbulo indicativo daquilo, além do aspecto humanóide comum. Poderia ser um disfarce, obviamente. Se as amazonas possuíssem uma regente em específico, julgaria aquele encontro como uma punição adequada para sua evasiva. Inviabilizando aquela probabilidade, procurou somar algum valor aos sonhos. Nada concreto se formava além de algumas poucas considerações.

A relação com o gelo pudera ser alguma sombra de um passado pouco recente, mas nem um pouco presente. Afastada de qualquer contorno adequado à Quione, resolveu averiguar qualquer atividade incomum no chalé do acampamento grego, uma vez que estivera acomodada no devido panteão ao se candidatar como uma das participantes do evento promovido pela líder dos mentalistas e a proativa filha de Éris. — Pelas notícias, não vou encontrar nada que não queira. Isso deve bastar. — Não se incomodou em formular uma tática de abordagem, caso fosse questionada sobre os motivos de estar ali, simplesmente diria que estava perdida.

Conhecia as proles da deusa pelas inúmeras visitas feitas ao chalé, podendo estimar qualquer desculpa esfarrapada como explicação. O que realmente não queria era dar de cara com a parte de seu passado que não fazia a mínima questão de manter por perto.

Era noite, mais precisamente duas horas após o jantar no refeitório quando resolveu entrar em ação. Caminhou até a zona de distribuição dos chalés, indo direto para o de Quione, se deparando com uma cena - no mínimo - incomum no caminho. Poucos metros mais para frente, uma silhueta de aspecto familiar vinha em sua direção, feliz e cantarolante. Se tratava de Cécile, uma das mais esquisitas filhas da deusa. Seus cabelos possuíam uma tonalidade mais escura do comum louro-esbranquiçado das outras crias, também com olhos mais escuros e uma presença menos simplista e mais agitada. Nunca tinham se dado muito bem.

Kendall diminuiu a intensidade da caminhada e se escondeu sobre os troncos envergados das árvores mais velhas, onde não poderia ser vista com facilidade. De onde estava não podia notificar o diálogo unilateral que ela protagonizava consigo mesma, fazendo a legionária questionar os primórdios de sua saúde mental, a quem sempre achou ter algum impactante vestígio de sociopatia. “Minha querida tia, tão burra!” Uma risada gutural escapou pelos lábios pintados de carmim, fazendo a loira mais alta arquear a sobrancelha esquerda. “Pobre Híale… Finalmente vou conseguir pegar aquele maldito cristal!” Saltitando mais rápido, chegou à porta do chalé, abrindo-a com uma pancada.

Aguardando por alguns minutos, a semideusa resolveu seguir na direção em que tinha visto a outra surgir, estranhando o fato de que há algumas horas atrás, não tinha lhe visto acompanhada dos meios-irmãos durante o jantar. Seguindo pela diagonal, a ex-amazona não parou de olhar para os arredores, certificando-se de que estaria sozinha naquela caminhada. O fim daquilo era desconhecido, mas naquela altura de sua própria vida já não temia mais a morte. Não importava o que ia encontrar.

Ao contrário de qualquer romano que pudesse se desnortear por aquele caminho, a prole de Belona sabia muito bem por onde estava seguindo, ainda que seu subconsciente estivesse focado no mistério daquela situação. De fato, nenhuma criatura sã estaria se dispondo a investigar uma semideusa de mentalidade questionável, enquanto tantas outras coisas poderiam estar sendo feitas. No dia seguinte estaria indo embora, retornando para o Júpiter, onde deveria ficar até decidir ter um encontro com Elena outra vez. Precisava se redimir e conquistar o espaço dentre as amazonas, onde poderia se sentir incluída uma outra vez.

Num momento de desatenção, tropeçou numa pedra, perdendo o equilíbrio para derrapar por um desfiladeiro pequeno, sofrendo algumas escoriações nas mãos, relando os dedos nas pedras pontiagudas enquanto rolava para baixo. — Au! — Resmungou, sentindo uma tontura repentina causar um embrulho no estômago, forçando-a a se agachar, expelindo um líquido viscoso nos próximos segundos. Levantaria a cabeça para averiguar o problema, mas estava tonta demais para isso. Havia acabado de atravessar um portal sem fazer a mínima ideia do que acontecia, enquanto de longe, os olhos cristalinos acompanhavam o caminho percorrido pela intrusa. Com os dentes rangendo, apertou os punhos, andando naquela direção.

A Burkhard tossiu esbaforida, recuperando-se alguns minutos depois. Pelos males o melhor, não podia continuar vulnerável naquela posição. Por isso, se ergueu um tanto que cambaleante, seguindo caminho por entre a escuridão enervante. Olhando ao redor, quase não acreditou que estava novamente ali, no último ambiente cujo fizera parte na missão das amazonas contra as bases de Nyx. Lembrava-se muito bem de ter colocado metade daquele mausoléu ao chão junto de Coraline, que se divertia como uma hiena em seu habitat natural. — Ótimo, era tudo o que eu queria. — Irônica, empunhou Devoradora, prestando atenção no caminho.

Os escombros continuavam no local contaminado pelos vestígios de batalhas, um líquido negro similar ao sangue das criaturas que tinham derrotado em meio aos combates, mas duvidava de que realmente se tratava daquilo. Pelo que sabia, as criaturas evaporavam pouco depois de serem mortas, tal como qualquer parte sua que pudera ficar para trás. Preferindo não arriscar se envenenar, deu a volta pelas barras de metal escurecido, visualizando algo que, de início, pensou ser uma pegadinha.

Poucos metros mais para frente estava a criatura que tinha visto nos sonhos, com seu corpo permeado por uma camada grotesca de gelo. Diferente do mundo ilusionário dos sonhos, nenhum cristal penetrava o chão do ambiente, fazendo a semideusa suspirar. Ainda se certificando de que estava realmente sozinha, vigiou o espaço por onde havia atravessado o portal, ainda aberto, reluzindo no espaço-tempo. Como não tinha notado aquilo?

Kendall não era burra para realizar qualquer mínimo contato direto com o que quer que fosse aquilo, restando somente a ideia de pegar a faca cedida por Lupa ao ingressar no Acampamento, atirando na direção do gelo. A faca triscou a camada, fazendo-a notar que não era tão forte quanto parecia, mas não tão fraca quanto gostaria.

O reflexo da figura por dentro do gelo tremeluziu, como se uma ilusão de ótica desse a impressão de que existia realmente alguém vivo preso ali. Constatou que, sim, tinha alguém preso no gelo quando aproximou o rosto, podendo ver nitidamente o formato da silhueta do que seria uma garota de aproximadamente vinte e poucos anos, hipotérmica e inconsciente. Quando se virou para procurar um modo de libertá-la da prisão, deu de cara com Cécile observando-a poucos passos depois do portal, sorrindo diabolicamente.

Nunca achei que você fosse curiosa, romana.

Kendall não respondeu aquilo, não via a necessidade de um confronto verbal desnecessário. Não era curiosa, além do mais.
A filha de Quione revirou os olhos, odiando a falta de uma resposta, ainda que não se importasse em falar sozinha na maioria das vezes. — Sabia que é falta de educação xeretar o que não é da sua conta? — Se aproximando, despertou o contato visual com a legionária, preenchendo-a com a sensação de um imenso vazio, fazendo uma abordagem traiçoeira ao fazê-la achar que estava retida num congelamento emocional sombrio. Mas, o que faltava nos conhecimentos de Cécile era a verdade por trás daquela habilidade.

Kendall sentiu o peito pesar, com qualquer emoção sendo retirada de si quase como se fizesse parte de um buraco negro. Aquilo não tinha ligações regidas pelo que a vilã lançava em sua direção. A própria legionária pressionava o próprio cérebro há tempo demais para sofrer efeitos incontestáveis acerca do ataque indireto. Um tanto que fora de si, a romana ostentou um infrutífero oco no coração, mas, para azar da oponente, era com o que vinha lidando há algum tempo.

Você nunca bateu muito bem da cabeça, mas agora vejo um motivo para isso. Nyx deve ter tirado a sua consciência. — Murmurou, erguendo o queixo para fitá-la com uma expressão hostil na face.

Se Céci achava que era a única com capacidade de mexer com as emoções alheias, ela sentiria um gostinho do próprio veneno. Kendall aproximou-se um pouco mais, induzindo-a a sentir horror pelo que estava por vir com relações ao fim daquela batalha. A semideusa tentou reagir, lançando espinhos de gelo cristalizado na direção da romana, que desviou um ao erguer a lâmina de Devoradora, fazendo um tilintar ecoar pelo ambiente enquanto desviava dos outros dois, acertando-os com a ponta da espada para não sofrer perfurações nos pés ou tornozelos. O que a prole de Belona não esperava, era a chuva de cristais gélidos despencando do céu da base destruída, causando uma dor irritante, o que deixou de incomodar poucos segundos depois. Filha de quem era, conseguia facilmente driblar a dor, ainda que tivesse que lidar com os machucados ao final da batalha. Por enquanto, era o que podia fazer.

...Ou deve ser muito burra para se aliar a uma causa perdida. — Vociferou, sorrindo com sarcasmo o suficiente para irritar profundamente a filha de Quione, que ainda tentava driblar o horror causado pela inimiga.

Do que me chamou????????

Por que não vem ouvir mais de perto? — Provocou, ativando ao próprio redor o manto invisível que lhe permitia aprimorar os ânimos reunidos à força de vontade.

Se lançando na direção da senhorita nevasca a ex amazona girou o punho que empunhava sua espada na direção de um dos ombros, acertando-lhe na clavícula com o cabo do objeto com força o suficiente para deslocar o osso do lugar ou até mesmo tê-lo fraturado.

AAAAAAAAAAAAAAAA, MALDITA!

Empunhando uma adaga com a mão do outro braço, a filha de Quione avançou sem raciocinar muito bem o que estava para fazer, facilitando o trabalho para Kendall, que não acreditava no comportamento que via. Em que mundo Nyx traria para o seu time alguém tão sem noção? Por isso deuses irremediáveis não tinham sucesso em suas operações, trazendo para seus exércitos semideuses fúteis e incapazes de promover uma batalha honrosa.

Tratando-se de uma pessoa, resolveu não machucá-la para valer, optando por executar um golpe segmentado. Primeiro, desviou da investida ao esquivar as costas um pouco mais para trás, fazendo Cécile passar direto. Antes que se afastasse demais, Burkhard segurou-lhe pelo colarinho do casaco, golpeando-a na nuca tão forte que sua consciência lhe fora tirada muito rápido. Soltou o corpo alheio para deixá-lo ir de encontro ao chão, encostando a ponta do pé para se certificar de que ela estava mesmo fora daquela realidade.

Ainda sou muito subestimada, pelo visto. — Deu de ombros, percorrendo a distância até a prisão de gelo. — E espero que isso dê certo.

Reunindo toda a força que possuía somada ao potencial elevado para alguém de suas origens, acertou a lâmina de Devoradora contra o gelo uma, duas, quatro, seis vezes, para conseguir um rachão. Parou para respirar um pouco, ignorando a dor do corpo em repetir o esforço contínuo. Um minuto depois retornou aos golpes, só parando quando o corpo perpetuado dentro do gelo veio ao solo, evidenciando uma…. Ninfa? Correndo para pegá-la, embainhou a espada e suspirou. Tinha que agir rápido para resgatar a criatura mágica e prender a infratora. Segurou o rosto congelado entre as mãos, batendo de leve para tentar despertá-la, falhando no processo.

Sem muito o que fazer, ergueu o corpo para apoiá-la sobre um dos ombros, com o braço circulando-a pela cintura. Entre salvar uma vida e prender quem causava o mal, preferia agir de acordo com a primeira coisa. Apressando o passo, tentou caminhar o mais rápido que podia dando o sustento para o corpo da ninfa. O enjoo ao atravessar o portal se intensificou outra vez, não impedindo a campista gritar por socorro até ver uma horda de semideuses correndo na direção de onde tinha aparecido.

NINFA HIPOTÉRMICA, CURANDEIROS E FILHOS DE APOLO VENHAM NA FRENTE. — Gritou o mais alto que podia, soltando a criatura no chão para retornar ao portal para buscar Cécile, mas já não existia passagem atrás de si.

O portal se fechou como um espiral, enquanto pôde ver de reflexo o corpo da filha de Quione ser arrastado por uma mão negra provida do que pareciam ser pedras. Os joelhos cederam, fazendo-a sucumbir ao cansaço ali mesmo. Uma mão tocou seu ombro e perguntas eram feitas ao léu, e tudo o que a legionária precisava era de um cuidado unido ao repouso. Cansada, deixou o corpo todo encontrar o chão enquanto os olhos se fechavam gradativamente. Com a respiração pesada, encontrou o corpo da ninfa. Seus cabelos variantes entre azul, rosa e castanho, o rosto azulado pela baixa temperatura corpórea, a vida correndo de suas veias.

Cécile…. Está com Nyx.

Foi a última coisa que disse aos sussurros, antes de apagar por completo.

considerações escreveu:• Tentei prolongar ao máximo, deixando um combate equilibrado em questão de níveis de habilidade, pra não ser fácil demais;
• Se considerado um nível de igualdade entre mim e Cécile, vão notar que ela não possui habilidade suficiente pra fazer uma prisão de gelo forte o suficiente para que Kendall não conseguisse quebrar ao fazer uso de uma habilidade de força;
• O conteúdo se passa no período de tempo anterior à guerra contra Nyx, logo nos primórdios onde recrutas eram resgatados pela deusa.


poderes de belona :
passivos:
Nome do poder: Ignorando a dor I
Descrição: Capacidade que o filho de Belona tem de ignorar a dor. Essa habilidade permite apenas enganar a mente, não processando a dor física, permitindo que o semideus guerreiro permaneça lutando ignorando a dor sentida. Porém, ao passar o efeito, as dores retornaram e poderão ser piores pois ao ignorá-las o semideus deixa de trata-las ou, corre o risco de piorá-las. Nesse nível apenas é possível ignorar a dor de golpes que não causem ferimentos profundos, ou que incapacite um membro do semideus. (cortes leves, e feridas pequenas)
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Continuará lutando normalmente desde que os ferimentos sejam de grau baixo, como cortes superficiais, queimaduras de grau baixo ou hematomas.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Perícia com Espadas II
Descrição: Conforme o treinamento do semideus foi evoluindo, sua habilidade com as espadas se tornaram ainda mais evidentes. Agora, torna-se difícil desarmar a prole de Belona quando ele está portando esse tipo de arma.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +40% de assertividade no manuseio da espada.
Dano: +20% de dano ao ser acertado pela arma do semideus.

Nome do poder: Força superior
Descrição: Os filhos de Belona são mais fortes do que a maioria dos campistas, podendo aguentar grandes cargas em suas costas sem alterar sua postura ou desempenho. Podem carregar até 3 sacos de farinha sobre os ombros, ou até mesmo uma pessoa em suas costas por uma longa distância, sem alterar seu desempenho físico.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de força.
Dano: +5% de dano caso usem para atacar alguém.
ativos:
Nome do poder: Odikinesis II
Descrição: O campo de batalha e as suas sensações tornaram-se mais familiares para a prole da deusa romana. Assim, também tornou-se ainda mais fácil manipular as emoções das vítimas. Agora, não é preciso ter contato físico ou sustentar o olhar para que a habilidade funcione, basta estarem em um raio de cinco metros do filho de Belona.
Gasto de Mp: 10MP (por turno ativo)
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Consegue afetar apenas três pessoas por vez.

Nome do poder: Quebrador de Espíritos
Descrição: Diferente do que o nome sugere, em nada essa habilidade tem a ver com espíritos fantasmagóricos, mas sim com o ânimo e força de vontade. A aura de prole da deusa romana da guerra é ativada, como um manto invisível ao redor, quente e agitado. Quanto mais o inimigo está na presença do filho de Belona revestido por essa aura, mais o seu espírito de batalha começa a fraquejar. Ele perde a motivação, a vontade de combate, restando um vazio e falta de propósito.
Gasto de Mp: 20MP
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum
poderes de quione:
passivos:
Nome do poder:  Olhos Cristalinos I
Descrição: Seus olhos possuem uma fina camada de gelo que, nesse nível, servem apenas para aumentar o seu alcance de visão.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
ativos:
Nome do poder:  Neve Cristalina I
Descrição: Pequenos cristais de gelo bastante afiados caem do céu, nesse nível, só causam a dor de impacto. Tem o tamanho de gotas de chuva, mas como são mais de 50 e congeladas, causam uma dorzinha considerável, e chata.
Gasto de Mp: 20 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: 25 Mp
Extra: Dura um turno

Nome do poder:  Caminhos do Coração
Descrição: O filho de Quione será capaz de congelar os sentimentos do adversário, fazendo-o sentir um vazio em seu coração - mesmo que seja um monstro - ficando desatento. Dura dois turnos.
Gasto de Mp: 20 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: 10 HP
Extra: Durante dois turnos a pessoa se sentira oca, desatenta, errando até mesmo os golpes mais simples.

Nome do poder: Erupção Congelada I
Descrição: Apontando para qualquer lugar no chão, espinhos congelados surgem no local indicado violentamente, nesse nível ainda não podem perfurar armaduras.
Gasto de Mp:  10 MP por espinho
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: 15 HP por espinho
Extra: Alcança até o tornozelo do oponente, e só consegue criar 3 por vez.
itens levados:
• Faca de Bronze Celestial [ Uma faca de lâmina curta - cerca de 10 cm - com cabo em madeira envolvido em couro para tornar o manuseio melhor. | Não produz feridas em mortais. | Bronze celestial, madeira e couro. | Sem espaço para gemas. | Alfa. | Status 100%, sem danos. | Comum. | Nível 1. | Item inicial. ]

• Devoradora [Uma espada de ouro imperial pertencente a épocas passadas da legião, possuído pedras preciosas cravadas no cabo – maioria tratando-se de rubis e safiras –, sendo que o local onde fica o punho possui um revestimento de couro esbranquiçado que se encontra em um estado perfeito de conservação, se encaixando perfeitamente no punho de qualquer semideus disposto a empunhar a arma. | Efeito 1: A lâmina possuí um brilho incomum e diversas vezes recrutas da legião encarregados do arsenal alertaram sobre a mesma, falando terem visto um par de olhos na espada. A mesma emite um brilho avermelhado até mesmo no escuro, com intensidade do brilho variando de acordo com aquele que porta a arma. | Efeito 2: Tal espada pode tomar a forma de um pequeno pingente vermelho sangue, porém nem sempre a espada vai gosta de ser transformada em pingente ou vice-versa. | Ouro Imperial e pedras preciosas. | Espaço para uma gema | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Arsenal do acampamento]

o restage da ninfa ••• wearing ••• trama pessoal



A million thoughts in my head
Nothing lost but something missing.
i coorte
belona
Kendall Burkhard
Kendall Burkhard
I Coorte
I Coorte


Voltar ao Topo Ir em baixo

мы можем позволить этому гореть Empty Re: мы можем позволить этому гореть

Mensagem por Apolo em Qua Mar 20, 2019 5:53 pm


Kendall Burkhard


Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Máximo de XP da missão: 6.000 xp e dracmas

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 30%


RECOMPENSAS: 6.000xp e dracmas

Comentários:
Apesar de sucinta, sua narrativa foi ótima. Talvez você pudesse ter explorado um pouco mais o fator sonho, que me fez reler o texto, mas de maneira alguma complicou. O que preciso ressaltar é o seguinte: o pronome relativo "cujo" age para mostrar posse, como, por exemplo, "a jaqueta, cujo couro estava longe de ser legítimo, rasgou". Teve um só caso com esta palavra em seu texto, e por isso preferi apenas te alertar. No mais, parabéns!



Apolo
Apolo
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos


Voltar ao Topo Ir em baixo

мы можем позволить этому гореть Empty Re: мы можем позволить этому гореть

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum