The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

[Missão Fixa] Resgate a semideus I

Ir em baixo

[Missão Fixa] Resgate a semideus I Empty [Missão Fixa] Resgate a semideus I

Mensagem por Puermina em Qua Fev 27, 2019 1:53 am


Rastreadora
Resgate a Semideuses I

Não era mais período de atividades no acampamento e com isso o número de semideuses ativos - realizando missões e outras tarefas - diminuía drasticamente. Como há poucos dias eu havia aceitado o cargo de rastreadora, logo era notificada para uma missão de resgate. Quíron enviara uma mensagem de Íris informando que precisava buscar por NY duas crianças, potencialmente meios-sangue provindos de Afrodite ou Deméter, e as levar em segurança para o acampamento. Ele me passou as coordenadas dizendo ainda que mais dois semideuses haviam sido escalados para ajudar e que estariam me esperando no Central Park às 17h.

Terminava os afazeres do colégio (cuja assiduidade era requisitada pelos meus padrinhos em acordo para que eu pudesse frequentar o acampamento) e já arrumava a mochila com os itens que julgava necessário, como alimentos, uma muda de roupa limpa e algumas armas. Deixava um bilhete com recado para Bree e Brandon. Não queria deixá-los preocupados. Antes de sair, me certificava de estar bem vestida para visitar um internato e lutar contra algum monstro. Meu pai sempre me ensinou a estar vestida para todo tipo de ocasião, pensando sempre no pior. Me vestir era um hobby feliz que me remetia lembranças felizes. Estava com um blusa branca de listras pretas, calça larga branca, tênis brancos e uma jaqueta jeans, caso fizesse frio de noite. Prendia o cabelo num coque com elástico dourado e me considerava pronta.

No horário marcado eu já estava sentada num dos bancos no centro do parque. Me assustava um pouco a ideia de rastrear crianças sem a ajuda de um sátiro. Eles tinham habilidades incríveis de rastreio. Pensava nisso como uma espécie de treino, pois haveriam vezes das quais eu teria de buscar por semideuses sozinha.

Não tardou muito e eles chegavam. Não foi difícil reconhecer meus parceiros, visto que eram os únicos portando uma arma branca. Eles se aproximaram e me levantei, ouvindo suas apresentações. O mais velho, Rick, era filho de Apolo, dizendo ser arqueiro e já ter caçado com o pai. O rapaz devia ter uns 16 anos e era mais bobo que eu. Já a menina, Catrina {Cat}, fazia parte da prole de Ares e tinha uma lança bem afiada presa nas costas. Parecia ter seus 15 e era mais centrada, como se estivesse estudando o terreno, a missão e os colegas. Apresentei-me e recebi dois itens de Cat, um spray de névoa, para disfarçar coisas incomuns, e um espada. Eu preferia um escudo, afinal já tinha meu par de armas favorito, mas agradeci assim mesmo pela gentileza e os chamei para reunir o que sabíamos.

Rick disse que já tinham a localização aproximada do internato e que as crianças ainda não tinham sido reclamadas, logo, era provável que elas não soubessem a que mundo pertenciam e que não soubessem um do outro. Antes de partirmos, perguntei se eles tinham algum plano, pois eu não estava afim de ser presa por invasão e sequestro de menores, já que se tratava de uma instituição. O filho de Apolo pensou em conversar com a diretora como se fossem me colocar no internato, mas querendo visitar todas as instalações antes, já a filha de Ares queria invadir e sequestrar. Por mais que pudesse ser fácil andar pelas sombras, a ideia do garoto era menos trabalhosa, visto que ainda poderíamos ter tempo de conversar com as crianças... Bem, isto se chegássemos no Bronx antes das 18h. Para nossa alegria, eles vieram montados em Pégasus. Cada um subiu no seu e fui de carona com Cat num equino marrom avermelhado.

...

Em poucos minutos estávamos próximos da estação de metrô "E 180 Street". Os dois colocaram as montarias num espaço para moto, usando seus frascos de névoa para mascará-los, como motos, talvez. Lembrava de fazer o mesmo com a espada. Nisso, fomos pedir informação no departamento de polícia do outro lado da rua e conseguimos o endereço do internato da região.

Faltavam vinte minutos para às 18 e estávamos na porta do edifício. Segurei o braço de ambos e disse:

- Certo, eu sou filha da Cat, que tem 25 anos e me teve aos 14 com outro homem. Rick é meu padrasto e vocês querem se ver livres de mim. Finja ser agradável - falei em especial para a menina, que revirava os olhos constantemente quando Rick falava algo imbecil - e você nem tanto, padrasto.

Adentramos o prédio e eles trataram de ir falar com os adultos. Aproveitava para olhar ao redor. Eles tinham seguranças, até então, todos homens e bem bombados. Voltava minha atenção para a conversa dos "mais velhos" e sentia que a mulher que os atendia estava relutante em relação ao horário de visitar, que estava prestes a acabar. Já estava imaginando Cat querendo invadir o instituto à meia-noite. Tive de intervir.

- Mamãe, você prometeu que eu iria conhecer a escola e fazer nova amigas... - dizia fazendo beicinho.

- Querida, se comporte. A ve.. digo, a sra. Rogers parece estar muito ocupada e pediu para que retornemos amanhã.

Foi então minha deixa para olhar no fundo dos olhos da senhora de idade e alcançar a alma dela com olhos melodramáticos e o poder doce na voz:

- Por favor, senhorita Rogers! Pode nos mostrar a escola?

Aquela dose de charme fora o suficiente para a mulher ficar desconcertada e sair do seu lugar de conforto para nos mostrar o lugar, dizendo que só poderia nos guiar por, no máximo, 30min. Me fazendo de contente, dei dois pulinhos de alegria e segurei na mão de Cat para seguirmos corredores adentro.

Rogers seguia na frente, assim como eu e Cat. Rick ficava mais atrás, observando as crianças dentro das salas. Minha dúvida estava em como reconhecer um semideus não reclamado sem um sátiro. Expirava pesadamente e continuava o percurso. Chegamos no refeitório, mas logo saímos de lá, já que estavam preparando a janta. Vi um bebedouro e disse que já os alcançava. Foi o momento para me afastar e buscar por pelo menos um deles. Procurei pelas salas de descanso, como biblioteca ou computadores, mas encontrei algo melhor. Num espaço repleto por sofás e mesas de estudo, uma menina linda de cabelos ruivos e cachos, se destacava na multidão dos internos e tinha algo de especial. Sentia nela e nos que estavam ao redor dela, sinais de charme. Ela, quase no mesmo instante, também me reparou, porém, sua reação foi de espanto. Segui seu olhar e vi que a espada não estava totalmente na mochila, mas se ela estava vendo a arma já era confirmação o suficiente para mim. Dei um passo em sua direção, mas fui impedida de prosseguir.

- Querida, estávamos a sua procura - Cat segurou em meu ombro, abaixando para somente eu ouvir - descobriu alguma coisa?

Me virei e apontei com os olhos pra ruiva.

- A beleza dela não é normal... e mesmo com a névoa, ela viu a espada.

Cat franziu a testa. A ruiva estava dando um jeito de se distanciar. Em nada podíamos fazer agora, já que Rogers dizia que nosso tempo estava no fim. Antes de sairmos dali, perguntei o nome da menina de cachos de fogo. Em dúvida, ela não soube me responder. Pude ver Catrina ainda mais nervosa. Eu poderia tocar nela e acalmar seus sentimentos, mas capaz deu levar um pesco-tapa.

Continuamos o tour e estávamos sem tempo. Rick não teve tanta sorte, mas contei a ele de que tinha uma forma de atrair a atenção de um semideus, eu só precisava de cobertura. Com a espada - que esperava ter sido transformada em guarda-chuvas pela névoa aos olhos dos mortais - eu fazia um corte na palma da minha mão esquerda de forma bem lenta, analisando os olhares à esquerda e à direita. Sentia o ardor, mas tentava focar na missão. Sentia meu sangue quente escorrer na pele e pingar no chão. A ruiva aparecia novamente e me olhava de forma estranha. Não como se eu fosse doida, mas como se ela fosse.

- Ei - alguém me empurrava quase me fazendo arrancar a mão fora com o susto, porém, tirava a espada de minhas mãos - O que você ta fazendo com isso? Na verdade, por que deixaram você entrar com uma arma branca?

Era uma menina baixinha de cabelo chanel e óculos grandes. Parecia ter descendência chilena. Já estávamos um pouco distantes de Rick, Cat e sra. Rogers quando ela me desarmou. Segurei nas mãos dela com a minha que não estava ferida e disse:

- Porque essa é uma arma mágica e não são todos que conseguem vê-la. Neste instituto apenas você e aquela ruiva a notaram.

Olhei para o lado, onde ela deveria estar, mas não a vi. Aquilo estava começando a ficar esquisito para uma provável filha de Afrodite.

- A Valéria? Aquela garota não liga pra ninguém. Se você vier estudar aqui, não se misture com ela. Ah, e não se machuque de novo, tenho que ir.

Ela me devolvia a espada, mas sentia que tinha algo de errado ali.

- Meus amigos me chamam de Puermina - estendi a mão e segurei na espada.

- Sou Tina... Agustina, na verdade. Mas se eu tivesse amigos, eu gostaria de ser chamada de Tina.

Ela tocou em minha mão e eu devolvi a espada.

- Fica com ela, Tina. - Disse, num sorriso. - Na verdade, eu e meus "pais" viemos numa missão... Encontrar pessoas especiais como nós, que podem ver coisas mágicas, como essa espada, e levar para um lugar seguro.

Ela se afastou e fez uma expressão não muito agradável.

- Como assim, levar?

Antes que eu pudesse explicar, uma luz arroxeada dava a graça de aparecer. Eu via uma romã desabrochar numa flor e disse:

- Perséfone.

Então segurei na mão dela e a levei para o banheiro que ficava ali do lado. Ela estava confusa, mas via no espelho o mesmo que eu. Lhe dei um momento e assim que a luz se extinguia eu falava:

- Quanto mais eu contar e você souber, maior será o risco que correrá se não vier com a gente. Eu só posso adiantar que os mitos são reais.

- E como são.

A voz invadia o ressinto, assim como a presença da ruiva. Ela parecia confiante no que dizia. Pensei que elas ainda não tinham sido reclamadas.

- Eu sei que é meio esquisito, mas pelo menos agora seremos nós três juntas! O número perfeito, não é mesmo? - Ela se aproximava.

- Sim, é o que os três grandes dizem... Aliás, quem é seu progenitor divino?

- Afrodite, claro! Não reconheceu minha beleza?

Ela estava mentindo e usando charme para me convencer de que era amigável. De repente Tina caía na dela, mas eu tinha plena ciência de quando mentiam para mim e uma resistência básica contra encantos persuasivos. Mas com que intenção ela fazia isso? Meu instinto me dizia para ficar atenta. Foi então que vi as garras dela crescendo. Antes que ela as pudesse usar, ativava minha soqueiras de ouro imperial e gritava pata Tina se afastar. A ruiva sibilou e pulou em cima de mim, me derrubando no chão.Logo, sua pele foi parecendo feita de mármore branco. Senti uma perna de peluda e outra fria como bronze. Os olhos e cabelos se transmutaram em substancias flamejantes.

- Vampira desgraçada, você está querendo meu sangue!

Ela gargalhou, mostrando as presas, como se não fosse óbvio.

Fiz um esforço para aumentar minha força e a tirei de cima de mim num empurrão com as pernas, fazendo ela se chocar contra a parede.

- Cuida da porta, Tina!

A menina foi trancar nossa única saída. Ela estava apavorada, mas não me abandonou ali sozinha. A Empousa se erguia e sibilava outra vez, vindo me atacar com suas garras e eu apenas as defendendo, seguindo seus movimentos. Contudo, ela foi mais ágil em um momento, me desferindo uma sequência de arranhões e me empurrando com as pernas, assim como fiz com ela. Levar aquele coice parece ter quebrado alguma costela minha. Quando olhei, ela já estava acima de mim novamente e eu não podia fazer outra coisa se não maximizar meus diamantes das soqueiras e combater força contra força, resistindo às garras dela. A Empousa ria, agradecendo pela ajuda para achar a semideusa escondida ali, dizendo que ela daria uma ótima sobremesa, logo depois de se alimentar de mim. Eu queria ter mais forças para revidar, ou quem sabe usar uma habilidade, mas se eu escorregasse ali, era morte na certa. Eis que ela arregalava aqueles olhos de fogo e fraquejava na força que competia comigo, garras de cobre versos diamantes. Ela olhava para baixo e eu via a ponta de algo se formando sob a blusa. Aproveitei sua fraqueza para usar a sombra abaixo de nós para prender os braços dela e em seguida cravar minhas garras de diamante em seu peito até tocar na parte de ouro e então a rasgar de dentro para fora, vendo-a explodir em pó.

Quando minha visão ficou menos embasada, por conta da "morte" da criatura falsa, vi que a coisa que saía da roupa da Empousa era a lâmina que deixei nas mãos de Tina. Ela estava bem ali, diante de mim. A recém reclamada tinha acabado de me ajudar a exterminar seu primeiro monstro. Ela ainda estava em choque, mas sabia que depois daquilo ela acreditaria mais em mim, afinal, partilhamos de um momento incrível. O assassinato da menina popular da escola.

Assim que nos encontramos com Rick e Cat, fiz o sinal que a tinha encontrado e que conversávamos na volta. Agustina queria saber como a tiraríamos dali sem a autorização do seu responsável. Eu sorri, o que pode ter soado bem maléfico, e disse:

- Não se preocupe, Tina. Eu sei ser persuasiva.

descrição da missão:
Resgate a Semideuses I -> O número de sátiros disponíveis para guiarem novos semideuses está diminuindo, pois maioria tornou-se um buscador ou se encontra em missão. De forma que Quíron o escalou para ir atrás de duas crianças que parecem completamente comuns, para os padrões meio-sangue. Suspeitando que sejam filhos de Afrodite ou Deméter. E, acompanhado de mais dois semideuses, você foi enviado para um internato nos arredores de Nova Iorque, contando apenas um spray que disfarça coisas incomum – com névoa – e com uma espada. Tente levar tais crianças em segurança para o acampamento, mas antes... trate de verificar se eles são realmente semideuses.
Local: Fora dos Acampamentos.
Recompensa: De 1.200 a 2.000 de Xp, de 1.000 a 1.500 dracmas.
arsenal:
⊰ Diamond Knuckles [Par de soco inglês em ouro imperial com pontas em diamante. A arma branca tem espaço para os 4 dedos de cada mão, excluindo os polegares. | Efeito 1: Sendo encantadas por mágica, se transformam em anéis encrustados com diamantes a desejo da portadora | Efeito 2: Tais armas funcionam como bestas, disparando diamantes afiados. | Efeito 3: Uma vez por evento/missão os diamantes poderão se alongar como garras de até 30cm e irão causar +20% de dano no ataque. | Ouro Imperial. | Sem espaço para gemas. | Beta. | Status 100%, sem danos. | Mágica. | Herança.]
poderes de afrodite:
Nível 4
Nome do poder: Resistência
Descrição: O filho de Afrodite/Vênus, é um sedutor nato, que conhece a magia por trás do charme, e da sedução. Isso faz com que se tornem invulneráveis a poderes envolvendo a beleza do oponente e magias com amor, essas não atingem o seu personagem.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poderes relacionados a enganação do coração, charme, sedução e beleza não surtem efeito na prole da deusa do amor.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Detecção.
Descrição: Como filho de Afrodite/Vênus o semideus consegue detectar os sinais de charme/poções do amor em outros indivíduos, assim como ilusões relacionadas ao amor. Lembrando que ele não terá acesso as memórias do semideus/criatura/monstro atingido, apenas saberá se o mesmo foi atingido por algum poder de tal natureza.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 3
Nome do poder: Charme I
Descrição: Os filhos de Afrodite/Vênus têm grande capacidade da persuasão, afinal, é impossível resistir aos pedidos de alguém tão carismático.  Neste nível o poder está começando a se desenvolver, portanto só funciona com semideuses e monstros mais fracos.
Gasto de Mp: 15 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Pode usar para enganar ou persuadir alguém a fazer o que você quer, por exemplo, fazer um inimigo se voltar contra um aliado dele mesmo. Porém, só funciona com pessoas de nível inferior ao seu.
poderes de éris:
Nível 10
Nome do poder: Reconhecimento de mentiras
Descrição: Nada melhor do que um bom mentiroso para reconhecer outro, certo? Desde que o oponente não acredite na mentira que está contando, você poderá descobrir que a história dita não passa de uma falácia.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Não será afetado por mentiras, pois, sempre sabe quando alguém está mentindo ou tentando engana-lo.
Dano: Nenhum

Nível 12
Nome do poder: Aprimoramento de força
Descrição: Como Éris/Discórdia acompanhava Ares/Marte em batalha, seus filhos conseguem aumentar sua força de modo que ela se compara a da prole do senhor da guerra, ficando abaixo apenas de tais crias.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de força em batalha.
Dano:  +5% de dano se os golpes acertarem.

Nível 14
Nome do poder: Umbracinese II
Descrição: O semideus aprimorou sua força, e aprendeu a controlar as sombras mais fervorosamente, consegue faze-las se enroscar entre as pernas de seu oponente, e prendê-lo até a cintura, enquanto estiver com o poder ativo, os membros inferiores do inimigo, ficarão totalmente imobilizados, ou seja, pernas, pés, e quadril, não conseguirão se mover enquanto estiverem presos pelas sombras. Ainda não consegue usar as sombras para ferir seus oponentes.
Gasto de Mp: 15 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum



♥️ Puermina ♥️
embaixadora do amor próprio e protetora da infância
Filha de Éris & Legado de Afrodite
Puermina
Puermina
Filhos de Eris
Filhos de Eris


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Missão Fixa] Resgate a semideus I Empty Re: [Missão Fixa] Resgate a semideus I

Mensagem por Hermes em Sex Mar 01, 2019 7:44 am

Recompensa:
1.700XP e 1.350 dracmas.

Descontos:
30 MP

Comentários:
Minha jovem semideusa, não tenho muito a dizer sobre a sua missão. Você escreve muito bem e seu estilo é envolvente, mas notei alguns erros ortográficos que poderiam ser corrigidos com uma revisão do texto antes de postá-lo. Além disso, também desconto alguns pontos pois sua forma de abordagem da semideusa foi um tanto brusca e direta, ninguém aceita tão tranquilamente o fato de ser um semideus. Poderia ter havido um pouco mais de ação na sua missão, mas fora isso, está perfeita. Espero ter o prazer de avaliá-la novamente em breve.

Atualizado por Macária.




If you can't have it, steal it.
Hermes
Hermes
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum