The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

[One-post para Astaroth] Rigor Mortis

Ir em baixo

[One-post para Astaroth] Rigor Mortis Empty [One-post para Astaroth] Rigor Mortis

Mensagem por Psique em Sab Jan 26, 2019 5:53 pm

Rigor Mortis

Em um dia, toda uma vila desapareceu no interior da Polônia. Todos que nela moravam, simplesmente sumiram durante a noite. Ninguém soube explicar como isso aconteceu e não há o menor sinal do que possa ter acontecido. Aos poucos, as pessoas desse vilarejo começaram a aparecer mortas e penduradas em diversas praças de diversos países europeus. No entanto, um outro fenômeno ocorreu em um vilarejo simples e antiquado no interior da Escócia. O local não possuia mais de quinhentos habitantes e, dia após dias, pessoas começaram a aparecer mortas.

É vilarejo é isolado e não aceitam forasteiros e vivem como pessoas da idade média viviam. Mas Tânatos precisava descobrir o que tem acontecido ali e, por qual razão, as pessoas estão morrendo cada vez mais.Um corpo por dia durante trinta dias seguidos. Após uma reunião com seus seguidores, o deus decidiu por mandar o mais novo recrutado para testá-lo. Será que o jovem ceifador poderia descobrir o que acontece ali e se há alguma ligação entre os membros mortos do vilarejo na Polônia e os mortos da misteriosa comunidade escocesa?


Instruções:

• Prazo de 15 dias, logo, você tem até 15/02/2019 para postar.

• Colocar todos os poderes e itens levados em spoiler ao fim do post.

• Template com fonte (mínimo) tamanho 12 e largura (mínima) 500 px.

• Como pôde ver, há várias lacunas, seu prêmio será dado com base em seu desenvolvimento na missão, portanto, não tenha preguiça de explorar as lacunas.

• Para descobrir o que está acontecendo, você precisa se inflitrar na comunidade pacata do vilarejo escocês.

• Obrigatoriamente, deve dizer-me qual a ligação entre a comunidade desparecida e - aparentemente, assassinada - da Polônia e os membros do vilarejo da Escócia.

• Seja criativo!

• Qualquer dúvida: Mande-me uma MP. Não se preocupe, não será prejudicado com relação ao prazo caso eu demore responder a MP.



missed my tears, ignored my cries; life had broken my heart, my spirit, and then you crossed my path, you quelled my fears, you made me laugh, then you covered my heart in kisses
Psique
Psique
Deuses Menores
Deuses Menores

Localização : No abraço de Eros ♥

Voltar ao Topo Ir em baixo

[One-post para Astaroth] Rigor Mortis Empty Re: [One-post para Astaroth] Rigor Mortis

Mensagem por Astaroth Wright em Dom Mar 10, 2019 11:50 pm


Ideais adiante




Não sabia o porquê, mas naquele momento estava em meio a uma vila deserta da Polônia. Lorde Thanatos havia me selecionado para que fizesse a missão e encontrasse as respostas que precisávamos. Algo ou alguém estava ceifando vidas sem o menor critério, executando seus planos ou seja lá o que for de forma exibicionista,  que ao mesmo tempo dava nos nervos de Thanatos e ainda mais nos meus, que era obrigado a resolver aquele assunto delicado.

Toda aquela pacata vila parecia mais um dos cenários de guerra provindo da segunda guerra mundial, casas abandonadas, carroças jogadas no meio da rua, trapos de roupas penduradas nas áreas cobertas das residências, todos tinham sido arrancados sem reação alguma. A visão que tinha me dava calafrios de uma maneira que mesmo sendo um enviado da morte a aura emanada naquele lugar parecia estar prestes a avançar em minha direção e me trucidar a qualquer momento. Continuava caminhando pelo local até que um ruído se fez presente em uma viela a cerca de 20 metros de mim, passos ecoaram a minha volta e com o início do crepúsculo com toda a certeza não eram turistas.

Sons fortes vindos da esquerda e da direita e sem demora a foice já se encontrava em mãos, os sons não eram de corrida normal e sim de coturnos pisando forte em disparada, visto isso notei então que o alvo não era eu e sim um enorme tipo de ‘’morcego’’ que se encontrava logo à minha retaguarda, uma criatura embebida de sombras, que na verdade não era uma criatura, era uma pessoa? A sombras se concentraram, revelando que tudo era apenas um disfarce. A mulher que surgiu em meio a elas, sorriu maligna em minha direção —  Você não deveria estar aqui, Ceifador. —  estendeu o braço esquerdo fazendo com que um cajado viesse a surgir.

— E onde eu deveria estar?

Em uma velocidade estupenda, desferiu um golpe em minha direção fazendo com que a defesa fosse dificultada, principalmente pelo peso do golpe, fazendo-me deslizar alguns metros ao mesmo momento que alguns homens fardados surgiam para cercá-la. Antes que fosse percebido  adentrei às sombras para entender a situação que havia sido criada, e ver se tinha algo a ver com o desaparecimento - claro que deveria ter- a mulher soltou uma gargalhada vendo todos os homens que a cercavam tremer.

—  Vocês ficaram assim só porque viram um pequeno experimento? —  sorriu enquanto erguia-se no ar, as miras acompanhavam ela, até o momento em que decretou — Não tenho mais nada a tratar com a seita. —   a mulher sumiu, mas não totalmente, sua voz ainda deixara uma mensagem em meu ouvido antes que sua presença aterradora desaparecesse — Nos encontraremos de novo, não? Ceifador.

Merda, como ela conseguiu desabilitar todos os nossos aparelhos para usar suas habilidade? —  questionou um dos homens à minha frente —  Não sei Tenente Ramirez, mas parece que todos os nossos equipamentos pifaram. E até agora não tive respostas dos infiltrados na Escócia. Será que tem ligação? —  o restante dos homens se retiraram, sobrando somente ambos que conversavam, as feições deles não eram das melhores —  Bom, é difícil de entrar lá, mas eles vão conseguir.

O fato era, aqueles dois ali só estavam vivos porque eu ainda achava que eram úteis, a seita era uma organização que deveria estar extinta, e não com um grupo em território estrangeiro realizando missões. Permaneci perto deles até que o nome da cidade escocesa fosse revelado, era o momento de verificar todo o resto daquele vilarejo e descobrir o que tinha feito homens casca grossa tremerem de medo. Quando adentrei em uma das vielas laterais àquela que estava, notei soldados carregando sacos pretos de diversos tamanhos e formas como se estivessem carregando partes de corpos, ou afins.

Era o momento de descobrir de onde aqueles caras estavam tirando todos aqueles restos mortais. Andejei até a casa que parecia ser o local que procurava logo me deparando com um lance de escadas circulares que levavam até o fundo do subsolo, e também para um choque de realidade que nem mesmo quando em meus piores pesadelos era possível ter.

Olhando ao meu redor, com a visão facilitada pela capacidade de ver na penumbra cerca de 100 corpos mal formados se encontravam sobre altares, o piso e teto todo com gravuras que pareciam trigramas, mas não era de meu conhecimento, o que deixava-me mais espantado ainda, a visão de horror ali não era pelos cadáveres e sim para o que ela estava tentando fazer.  Caminhei até uma mesa que por um milagre ainda não havia sido revistada observando alguns manuscritos que estavam na mesma que citavam em grego antigo claramente ‘’homúnculos’’, ou seja,  seres artificiais, ela queria fazer um exército? Peguei todos os papéis que estavam acessíveis, escondendo no interior da jaqueta de couro, tirando os métodos que tinham sobrado do alcance deles. Não tinha tempo hábil para um conflito direto, então teria que recolher as provas.

Corri o mais rápido que pude, estava na hora de sair de lá e ir para a cidade com uma estação de trem mais próxima, precisava pegar um trem até a França e de lá deslocar-me até a Escócia o mais rápido possível.

(...)

A viagem de uma ponta a outra foi relativamente demorada, alguns monstros no caminho tentaram impedir o rumo da minha missão, mas não iria arriscar pegar um avião e acirrar ainda mais a rivalidade entre Zeus e Poseidon. Chegando às imediações da vila escocesa, graças às informações que tinha ouvido do homem da seita, permaneci em um terreno mais alto. Era um homem negro que observava um vilarejo onde ninguém tinha a pele sequer mais escura, e além disso pareciam ser bem arcaicos, sequer existiam carros ou energia elétrica no lugar, era como se fossem uma daquelas organizações tipo K.K.K.

A noite já estava próxima, e seria o momento correto de agir, quanto mais a noite caía seguia rumando em direção ao local à beira de um riacho que cruzava ao lado do vilarejo, sendo a sua principal fonte de sustento provavelmente. Misturei-me novamente às sombras, caminhando lentamente ao lado de cada casa, quando ao longe uma gritaria e choro fora audível por todo o lugar. Um homem e uma mulher saíram correndo de sua residência em direção à igreja que ficava em uma praça cerca de 50 metros de lá.

Aproveitando toda a balbúrdia que eles causaram, corri para a casa deparando-me instantaneamente com uma criança com cerca de 12 anos de idade. Sua pele estava quase verde, com secreções por todos os seus poros. A menina morta não parecia ter sido afligida por magia, e sim por doença, revistei todo o local por alguns segundos, até que finalmente algo chamou a atenção mais do que tudo. Um copo d’água ao lado da cama possuía uma cor turva, quase como se não fosse realmente água, talvez eu estivesse com a resposta na minha frente. E errado em minha intuição sobre o envolvimento da bruxa. Pulei para fora da residência o mais rápido que pude, correndo novamente só que agora em direção ao riacho porém no lado oposto do qual tinha vindo, notando que o esgoto deles escoava para dentro do curso d’água, além de animais mortos, tudo que eles tinham produzido de dejetos estava começando a escoar para o lugar.

‘’Bom, eles fizeram essa escolha. Humanos sempre ceifando a própria vida.’’

Com aquele relato, abri uma fenda para o submundo, retornando para os domínios de meus superiores e logo após pegando o caminho mais curto para a gruta dos anjos caídos. Ao chegar no local, informei a situação detalhadamente para Thanatos, fazendo um parêntese especial para a bruxa que estava próxima a conseguir criar corpos artificiais, e que a seita ou o restante dela ainda estava participando das confusões, ela precisava ser interrompida logo, e eles precisavam ser eliminados do mapa.

Agora Thanatos tinha em sua posse parte do plano da mulher misteriosa, Alquimia, bruxaria, todas estas artes estavam misturadas nesse feitio. E todos os documentos estavam gravados em minha memória, para sempre, assim como o rosto de meu novo alvo.

—  Meu senhor, veja bem… Se é possível trazer alguém de volta a vida. Usar a alma e essência de uma pré existente para criar algo novo não é tão impossível assim, não é?


itens:
• Ivanovna [Uma armadura semi-completa feita de Vibranium. A armadura, quando ativada, revela um peitoral, manoplas, elmo e grevas no corpo do semideus. Uma gema se faz visível no centro do peitoral. Nas costas, há espaço para as asas do Demônio saírem sem machuca-lo ou limitar seus movimentos. | Efeito de Transformação: Vira um casaco | Efeito 1: Contem runas de equilíbrio e renovação que permitem a armadura se regenerar mesmo que sofra danos. Recupera 5% do status a cada 3 turnos. | Efeito 2: livre |Bônus de Forja: +25% de resistência e +20% de força; Bônus de Inteligência: +30 de dano; bônus épico: + 4% de chance de crítico. | Vibranium | Atacamita Real: Adiciona 30 de HP a quem carregar a armadura. | Um espaço para Gema | Super Alfa | Status 100%, sem danos | Épica | Dano base: 81 de dano + 47 por sangramento | Forjado por Eleonor Moonlight]

• Julgadora [Uma bonita e grandiosa foice toda feita de material negro enquanto sua lâmina, prateada, dizem ser feita de adamantino. É uma arma pesada nas mãos de qualquer outro semideus que ouse empunhar a arma mas tende a se tornar leve nas mãos dos ceifadores afinal, a foice sempre foi uma das marcas registradas de seu mestre. | Efeitos mecânicos: Se torna um bracelete quando não está sendo utilizada. Para ativar a arma, gire o pulso duas vezes em sentido horário para que o cabo comece a se desprender de seu pulso e cresça até se tornar a arma que é. | Cortes realizados por esta arma recuperam o HP de seu portador em 10% do dano causado.| Resistência Beta | Espaço para uma gema | Status: 100%, sem danos | Nível 3. | Lendária |Presente de reclamação dos Ceifadores de Thânatos]
passivas:
Nível 45
Nome do poder: Visão Noturna IV
Descrição: Acostumados com a escuridão, os ceifadores possuem facilidade em enxergar em meio a esta. Entretanto, nesse nível, sua visão alcança até 80 metros à sua frente.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nível 48
Nome do poder: Besta Noturna III
Descrição: Nível final da habilidade, onde finalmente os ceifadores chegam ao ápice de seu poder noturno, tendo sua força consideravelmente aumentada, além de resistir melhor à ataques físicos.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 30% em força e 10% em resistência a golpes físicos.
Dano: Nenhum.

Nível 50
Nome do poder: Pontos Vitais II
Descrição: Nesse nível, o ceifador enfim se torna um mestre na arte de matar. Dessa forma, ele consegue distinguir naturalmente os pontos vitais do corpo humano, de maneira a lhes acertar com mais facilidade.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 50% de dano crítico.
Dano: Nenhum.

Nível 55
Nome do poder: Emboscada V
Descrição: Sempre que realizar um golpe surpresa, as chances de ser um golpe crítico são maiores, além de causar mais da dano que o normal.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 50% de chance de acerto crítico.
Dano: Nenhum.

Nível 32
Nome do poder: Cura Sombria III
Descrição: Ao entrar em contato com as sombras (é necessário um ambiente escuro, como um quarto durante a noite etc) automaticamente os ceifadores sentem-se melhor, passando ter o corpo curado. Porém em tal nível é impossível curar ferimentos grandes ou cortes profundos. É necessário ressaltas que sombras criadas pelo próprio semideus não irão cura-lo. Só pode ser usada a cada 3 turnos;
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Recupera 60 de HP e MP.
Dano: Nenhum.

Nível 40
Nome do poder: Perícia com Foices IV
Descrição: Sendo a foice o instrumento característico da morte, os seguidores desta possuem maior facilidade a aptidão no manuseio da arma em questão. O objeto em suas mãos é manobrado de maneira mais fácil e precisa, tanto ofensiva quanto defensivamente. Aqui, o ceifador enfim chegou próximo a perfeição.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 90% de assertividade no uso da foice.
Dano: +70% de dano ao ser acertado pela foice de um ceifador.

Nome do poder: Memória Eidética II
Descrição: Assim como a morte possui uma memória perfeita para se lembrar de todos que passaram por suas mãos, seus ceifadores passam a ter a capacidade de lembrar de praticamente tudo. Lendo livros de gramática e dicionários, o ceifador é capaz de falar qualquer língua em questão de semanas.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

ativa:
Nível 33
Nome do poder: Invisibilidade II
Descrição: Assim como revelado nos livros, depois que Ares liberta Thanatos de Sisyphus, o deus da morte decide não mais abordar as almas diretamente, ao contrário, ele prefere as ceifar invisível. Dessa forma, seus ceifadores podem optar pelo mesmo tipo de abordagem, ainda que de maneira limitada. Não sendo filho do deus, eles podem contar apenas com as sombras para os camuflar em meio a elas. Nesse nível já conseguem lutar mesmo invisíveis.
Gasto de Mp: 20 por turno ativo.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
Extra: Só funciona durante a noite, ou em locais muito escuros.

Fendas do Submundo II
Descrição: Tendo a necessidade de se locomover com mais facilidade para realizar suas tarefas, os membros desse grupo conseguem criar fendas para o levar até o submundo, não importando onde estejam. Nesse nível, pode ser usada como uma ação de defesa/escape rápido, fechando-se para aqueles que estiverem muito longe, ou forem lentos demais, para lhe alcançar.
Gasto de Mp: 180 de MP.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
Extra: Pode ser utilizado apenas uma vez por missão/evento.
fpa:



criado por ; modificado por


Time to let go
Astaroth Wright
Astaroth Wright
Ceifadores de Thanatos/Leto
Ceifadores de Thanatos/Leto


Voltar ao Topo Ir em baixo

[One-post para Astaroth] Rigor Mortis Empty Re: [One-post para Astaroth] Rigor Mortis

Mensagem por Psique em Sex Abr 05, 2019 2:41 pm

Astaroth


Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Máximo de XP da missão: 20.000 XP  

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 45%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 25%


RECOMPENSAS: 18.000 xp e dracmas

Comentários:

Apesar de a missão estar interessante e bem descrita, eu senti que você a fez com muita pressa e correu com todo o enredo, por isso os decontos naqueles dois tópicos, no geral, foi bem agradável de lê-la.


Atualizado por Psique.


missed my tears, ignored my cries; life had broken my heart, my spirit, and then you crossed my path, you quelled my fears, you made me laugh, then you covered my heart in kisses
Psique
Psique
Deuses Menores
Deuses Menores

Localização : No abraço de Eros ♥

Voltar ao Topo Ir em baixo

[One-post para Astaroth] Rigor Mortis Empty Re: [One-post para Astaroth] Rigor Mortis

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum