The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Intelligentia I - Treinamento Especial

Ir em baixo

Intelligentia I - Treinamento Especial Empty Intelligentia I - Treinamento Especial

Mensagem por Maisie K. Blackwood em Dom Nov 25, 2018 12:03 am


Intelligentia I
deslize a imagem!

A inteligência é a insolência educada.
(Aristóteles)
Intelligentia I - Treinamento Especial OuIgCD4


Introdução:

O psicólogo norte-americano Howard Gardner desenvolveu a teoria das inteligências múltiplas. Essa teoria diz que os cérebros dos indivíduos têm sete tipos diferentes de inteligências, com o predomínio de pelo menos duas delas que seriam mais desenvolvidas que as demais.

Os caracteres especiais dos semideuses os fazem propensos a desenvolver mais estes tipos de inteligência do que os humanos comuns. Portanto, nos treinos ministrados pela centuriã da III Coorte, os semideuses serão incentivados a desenvolver estes sete tipos de inteligência, que são: lógico-matemática, linguística, musical, espacial, motora, intrapessoal e interpessoal (não necessariamente nesta ordem).


Personagem:

Maisie Knight Blackwood é filha de Athena e legado de Belona. Apesar da ascendência grega, está no acampamento Júpiter devido ao seu pai, que foi um legionário da I Coorte. Maisie é alguém de pavio curto e marcada por sua volatilidade. Às vezes ela é uma pessoa difícil de lidar devido ao sarcasmo que usualmente está em sua voz e o fato de ser insuportavelmente inteligente. Como líder e instrutora, irá controlar seu estresse e impaciência, mas algum aluno pode ser vítima de um comentário irônico se fizer uma pergunta óbvia demais ou um comentário infeliz. Maisie tornou-se centuriã apenas para provar que os romanos estão errados sobre os filhos de Athena e para levar orgulho ao seu pai.



A Aula e Missão
O que fazer:

Inteligência é o meio para dominar nossos instintos
(Sigmund Freud)
Intelligentia I - Treinamento Especial B3bB5Bq


O ponto de encontro para a atividade daquele dia era a entrada do Senado de Nova Roma. O treinamento dispensaria o uso de armas ou poderes, pois seria no âmbito de onde acontecia a política e a administração da cidade. Os senadores aprovaram previamente aquele exercício e estariam acompanhando tudo com curiosidade e divertimento.

– Sei que muitos de vocês sabem usar suas armas com maestria, mas sabem usar suas palavras com eloquência? - ela indagou aos semideuses, após explicar sobre os diferentes tipos de inteligência que poderiam desenvolver em seus treinos. – Muitas guerras foram decididas com a diplomacia, não com o uso de armas. Afinal, palavras são poderosas. Chegam longe sem viajar, alcançam locais que armas não chegam e vencem batalhas que as armas não conseguem.

Após aquelas palavras, os semideuses já podiam estar imaginando a razão de estarem no Senado romano. Todos entraram e foram tomando assento enquanto a centuriã subia à tribuna para explicar como seria a atividade daquela manhã.

– Bom dia, senadores. Obrigada por receberem nossa turma - ela disse inicialmente, dirigindo-se à bancada localizada à esquerda do átrio, onde os senadores romanos estavam para acompanhar o que aconteceria. – Cada um de vocês deverá vir até a tribuna para defender um projeto de lei e convencer os senadores a aprová-lo. Mas não são projetos muito simples, então vocês terão que ter ótimos argumentos para convencer os políticos a aprovarem a proposta - a semideusa disse, sendo acompanhada pelos burburinhos dos senadores e algumas risadinhas.

– Quem quer ser o primeiro?


Instruções

• O treino ocorre dentro da cidade de Nova Roma, portanto, armas são expressamente proibidas;
• Também é vedado o uso de qualquer poder ativo ou a presença de mascotes nesta atividade;
• O objetivo do treinamento é exercitar a sua capacidade de oratória, o bom uso das palavras e o poder de convencimento através da fala.
• O semideus deve ir à tribuna e falar em público a respeito de um projeto de lei e razões para aprová-lo. Caso seu personagem seja tímido ou tenha dificuldade para falar em público, não deixe de explorar isso.
• Seu personagem vai pegar um papel onde consta o projeto que deve defender, ou pode criar um se assim desejar.
• O projeto de lei é alguma coisa meio inútil ou besta, mas você deve defendê-lo como se acreditasse na importância dele e levar os demais a acreditar nisso também.
• Descreva a reação dos senadores e as perguntas que eles podem fazer sobre o projeto.
• Seja criativo e coerente!
• O projeto não será aprovado de verdade para a cidade, trata-se apenas de um exercício.

Exemplos de projetos que podem ser usados:


- “Convém à Roma voltar a celebrar a Saturnália, em homenagem ao deus Saturno (Cronos), a partir do dia 17 de dezembro”;
- “Proponho à Nova Roma voltar a celebrar a Consualia, em homenagem a Conso, um dos mais antigos deuses agrários de nosso panteão”;
- “Proponho à Nova Roma que a Via Principalis receba outro nome, em homenagem a um dos nossos herois da contemporaneidade”;
- “Sugiro que o Aqueduto seja pintado de roxo, a fim de enaltecer as cores da nossa bandeira e tornar a cidade mais colorida”;
- “Acredito que a Colina dos Templos deva possuir mais uma construção: em homenagem à Aurora, deusa do amanhecer”.



Informações
Regras, prazo e habilidade

O topo da inteligência é
alcançar a humildade
(Provérbio judeu)
Intelligentia I - Treinamento Especial YATpVjF


Regras e Informativos

• O mínimo exigido são 500 palavras por postagem;
• Não use templates estreitos, fontes pequenas ou cores desconfortáveis à leitura;
• Estão livres para interagirem com Maisie, mas sigam o que foi descrito sobre ela;
• Para conquistar a habilidade é necessário que o post tenha 80% de rendimento;
• Todos são bem-vindos no treinamento;
• É obrigatório incluir o link da sua FPA no final do post;
• As dúvidas podem ser solucionadas via chatbox ou MP;
• Prazo da aula até o dia 23/12 (Sem prorrogações!)


Recompensas:


2.000 XP + Habilidade:

Nome do Poder: Inteligência Linguística
Descrição: Quem possui a inteligência linguística bem desenvolvida, possui um domínio e gosto especial pelos idiomas, pelas palavras e desejo de explorá-los. Esta habilidade dá a vantagem de usar as palavras com maestria e expressar-se com sagacidade para obter o que deseja.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +10% em inteligência, +20% de persuasão.
Dano: Nenhum





Maisie Blackwood
intelligence is the only way we have to master our instincts.
Maisie K. Blackwood
Maisie K. Blackwood
Centuriã III coorte
Centuriã III coorte


Voltar ao Topo Ir em baixo

Intelligentia I - Treinamento Especial Empty Re: Intelligentia I - Treinamento Especial

Mensagem por Maisie K. Blackwood em Seg Dez 17, 2018 1:18 pm

Prazo estendido para 27/12, às 23:59, pois estarei viajando antes disso e não poderei avaliar.


Maisie Blackwood
intelligence is the only way we have to master our instincts.
Maisie K. Blackwood
Maisie K. Blackwood
Centuriã III coorte
Centuriã III coorte


Voltar ao Topo Ir em baixo

Intelligentia I - Treinamento Especial Empty Re: Intelligentia I - Treinamento Especial

Mensagem por Sara Lim em Seg Dez 24, 2018 9:11 pm

i swear!
Para Sara, a pior parte de ser uma semideusa era a constante sensação de que seu dever era estar enfiando sua faca em algo. E, por isso, Lim se sentia horrível. Não gostava de matar monstros. E nunca conseguiria matar outro ser humano. Sim, seu coração era mole e ela não tinha nenhum problema com isso.

Adentrou Nova Roma com um sorriso no rosto, impressionada com a grandeza das construções. Com a notícia de que Maisie daria uma aula sobre inteligência e não sobre enfiar a faca em algo, a canadense correu para o Acampamento Júpiter sem pensar duas vezes. Nunca arriscaria perder um treinamento tão interessante e importante para si.

Como sempre, a garota não podia perder a oportunidade de ficar bem na frente de sua instrutora. Abriu um sorriso alegre para a loira, piscando com um de seus olhos. Estava feliz de estar ali e gostava de demonstrar para a outra. Escutou as instruções com atenção, fazendo notas mentais do que não podia esquecer. Tinha que ter um bom desempenho. Era a área que mais gostava, então não aceitaria falhar.

Ao ouvir a pergunta de sua instrutora, foi a primeira a levantar a mão. — Eu gostaria de tentar. — Manteve o sorriso em seu rosto, levantando-o para que parecesse ainda mais confiante.

Escolheu um projeto um pouco desafiador. Porém, com os seus charmes de filha de Éris e feiticeira, acreditava que conseguiria convencê-los a cooperar e dar Aurora um templo. De qualquer modo, seria positiva.

Levantou-se, indo até a tribuna. Respirou fundo antes de começar. Tinha que se lembrar dos vendedores na televisão e dos pastores que gritavam na frente das igrejas de Vancouver para convencer as famílias a se juntarem. Tinha que ser convincente como eles. “Se eu consigo fazer com que a Céline controle a raiva, consigo fazer qualquer coisa.”

— Olá! Espero que estejam tendo um bom dia até agora. Meu nome é Sara Lim, sou uma filha de Éris, ou melhor, Discórdia. Porém, não se preocupem, não estou aqui para causar nenhuma discórdia. — Brincou, fazendo que não com os braços. Não sabia se eles gostariam de seu senso de humor e positividade, mas teria que tentar. Se os senadores aguentaram Percy Jackson, poderiam lidar com ela. — Estou aqui hoje para apresentar um projeto da construção de um novo templo. Esse templo seria dedicado a Aurora, a deusa do amanhecer.

Ignorou qualquer comoção sobre o seu parentesco divino, começando a andar e falar com as mãos para dar mais ênfase no que dizia. Também havia feito a decisão de manter sua filiação com Circe quieta. Ninguém precisava saber, já que com certeza seriam rudes com ela. Não estava do lado de Nyx e nem pretendia estar, mas mesmo assim sabia que levariam para esse lado.

Olhou no fundo dos olhos de alguns homens do público, sorrindo largo. Usava o seu charme e persuasão para fazer com que todos prestassem atenção em suas palavras. — Alguns de vocês podem estar pensando “Por que deveríamos fazer um?” e é simples. O que seria de nós sem o amanhecer? Alguns, como eu, amam acordar junto com o sol e assistir a aurora preencher o céu, outros, como a minha namorada, gostam de dormir até tarde e levantar quando o céu já está perfeitamente azul. — Tomou uma pequena pausa para respirar, logo voltando a falar. — De qualquer modo, acredito que é impossível ter um dia produtivo e pacífico sem o ato do amanhecer. Claro, já temos o templo de Febo, que honra o deus do sol, mas o que seria do sol se ele não tivesse o amanhecer?

Viu que algumas mãos se levantaram e fez questão de deixar que a fizessem perguntas. — Por que deveríamos nos preocupar com isso no meio de uma guerra? Ainda mais quando Aurora está do lado do inimigo? — Com essa pergunta, o senado aqueceu. Todos pareciam ter uma opinião diferente para dar sobre o assunto. Respirou fundo, voltando a gesticular para conseguir captar a audiência novamente.

— Por que acham que Aurora juntou-se a Nyx? Porque ela não era cultuada. Ninguém se importava com ela! Até seus filhos foram esquecidos. Sabemos que ela não está certa em ignorar as ordens dos olimpianos e apoiar Nyx. Porém, também sabemos seus motivos! E deveríamos fazer com que ela se sinta confortável para voltar quando a guerra acabar. Porque, obviamente, a guerra não durará para sempre. E, no final dessa escuridão, precisaremos do amanhecer para nos guiar para uma nova era. Muito obrigada. — Optou por não citar a amizade de Nyx com a deusa, pois sabia que eles a achariam mais estranha ainda ao defender a melhor amiga da inimiga.

Agradeceu, saindo de lá. Estava começando a ficar tonta de tanto falar e, se fosse completamente sincera, não aguentaria mais um minuto daqueles olhares tortos.


PODERES PASSIVOS:
Nível 3
Nome do poder: Charme natural
Descrição: Ao se afiliarem a tal Deusa, tais mulheres passam a possuir determinado charme e brilho natural, sendo todas bastante bonitas e atraentes mesmo desarrumadas e após longas batalhas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
Nível 4
Nome do poder: Persuasão
Descrição: Circe é uma Deusa bastante persuasiva e manipuladora, suas palavras soam como veludo e são capazes de enevoar os sentidos até mesmo da mais inteligente das criaturas. E, como seguidoras de tal Deusa, as feiticeiras são dotadas de palavras persuasivas, no entanto não no mesmo nível que Circe. Conseguindo, por exemplo, que peguem um copo d'água ou, em meio a uma batalha, seus aliados sejam mais estimulados a lutar.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
Nível 9
Nome do poder: Bom ator
Descrição: Devido a sua habilidade em contar mentiras, você acaba sendo um improvisador nato e essa habilidade pode lhe ser muito útil para sair de momentos difíceis.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +10% de força em poderes ativos que necessitem de persuasão, ilusão ou mentiras. +15% de chance de sair de uma situação complicada usando tal habilidade.
Dano: Nenhum
Nível 13
Nome do poder: Estrategista Habilidoso
Descrição: De tanto criar mentiras você começa a se tornar um bom estrategista, sendo capaz de criar estratégias de batalha quase tão eficientes quanto a das proles de Atena.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de chance de que seus planos funcionem conforme o esperado.
Dano: Nenhum


MONTY


demigods who don't even have haters, shut up. where are your haters at? wash your eyes and face and look in the mirror there's your hater, living and breathing we're celebrate more than celebrity.
Sara Lim
Sara Lim
Filhos de Eris
Filhos de Eris


Voltar ao Topo Ir em baixo

Intelligentia I - Treinamento Especial Empty Re: Intelligentia I - Treinamento Especial

Mensagem por Rodrik Andrews Lefford em Qui Dez 27, 2018 7:48 pm

I watched a change in you, It's like you never had wings. Give you the gun, now you feel so alive ... I'm over ...
       
Intelligentia I - Treinamento Especial Anigif11
Queridos senadores....

Visitar Nova Roma para mim era desgastante pela distância. Mas, ao chegar naquele lugar eu sempre me sentia melhor. O fato de Roma ser decidida pelas cortes e não pelos progenitores sempre me acalentava.

As dimensões, prédios bem construídos e da dinâmica me dizia que eu poderia ter um futuro ali quando chegasse a hora. Caminhando pelas ruas, visitando os lugares, conseguia esquecer as coisas que me entristeciam, como o fato de minha mãe ser a megera dos semideuses. E naquele dia eu tinha um motivo a mais, o conhecimento de mais uma pessoa. Marjory estava ao meu lado e para uma filha de Ares, era bastante diferente.

--- É por aqui. – Disse ela. Eu não conhecia bem aquele lugar, mas como a garota já tinha visitado ali algumas vezes, apostei que ela sabia do que falava. --- De acordo com as informações, a entrada para o senado é ali. – Apontou para um aglomerado de semideuses.

E ela estava certa. Apalpei os meus bolsos a procura de alguma arma traga por engano. Marjory por sua vez depositou uma espada e uma faca diante de uma estátua que falava. Segundo relatos aquele era um deus.

A instrutora tinha uma aparência bonita, mas foi somente abrir a boca para aparentar ser uma enciclopédia ambulante. Nada que me surpreendia sendo ela filha de Athena. Eu queria ser filho de Athena. Eu acreditava nela a respeito das palavras, afinal uma oração bem construída e dita poderia fazer aliados se tornarem inimigos. A intriga e fofoca era a arma mais antiga de qualquer povo e em algum momento eu acreditava que todo semideus teria de usar a lábia ao invés da espada.

Quando adentrei ao senado, ainda não sabia exatamente o que aconteceria. Imaginei que uma aula com a filha da sabedoria envolveria habilidades linguísticas, mas precisamente a arte de aprender as palavras. Ingenuamente procurei alguma lousa, afinal eu tinha levado um caderno e canetas comigo. Esperava um bom aprendizado em inglês e suas teorias de conspiração, ou talvez até mesmo alguma história famosa, como a de Tróia, mas óbvio que seria imprudente.

--- Eu não entendi ainda nada. – Disse para Marjory ao meu lado. Fiquei ainda mais confusa ao ver os homens de toga, os senadores romanos. Meu coração gelou, será que sabiam que eu estaria ali e aquilo era uma armadilha para me prender e me fazer falar? Se fosse, seria errado, eu não sabia de exatamente nada. Em toda a minha vida, jamais tinha visto Nyx. Ela pra mim era tão estranha quanto para qualquer outro ali.

Logo sinto o alívio fazendo meu corpo parar de tremer. Era apenas uma simples aula de oratória. Segundo os dizeres de Maisie, deveríamos apresentar um projeto, tentar convencer os senadores a comprar nossa ideia. Teoricamente seria uma pequena aula de negócios. Ao olhar para os homens e mulheres ali presente, vi que não seria tão fácil. Marjory também deveria ter percebido, pois logo se afastou de mim mexendo os lábios feito uma louca.

Me sentei em uma cadeira bem distante do grupo. Ao invés de ouvir as apresentações, peguei meu bloco de anotações e comecei a escrever qualquer ideia que me visse a cabeça. Quinze minutos depois eu tinha escolhido o tema, mas ainda assim precisaria criar o esboço no momento da oratória. Suspeitava que aquele fosse o intuito da aula, aprender a pensar e desenvolver um raciocínio lógico sobre pressão.

Ergui minhas mãos assim que me surgiu a oportunidade. Todos os olhares se voltaram para mim e eu logo me arrependi. Falar em público me deixava nervoso e inquieto. Ser o centro das atenções não era algo que eu nutria preferências.

Caminhei lentamente até o local de apresentação e foquei minha visão nos meus pés, respirando profundamente. Quando levantei os olhos, olhei para todos imaginando-os pelados, era uma técnica que sempre funcionava. Deixei um senador um pouquinho acima do peso de fora, afinal o meu máximo de imaginação era a sua barriga caída por cima do você sabe o quê.

--- Bom dia! – Digo um pouquinho baixo, porém logo aumentando a voz. --- Bom dia, meu nome é Rodrik Lefford e sou de ascendência grega. Eu estou aqui com o intuito de apresentar uma proposta lucrativa que além de trazer denário para os projetos políticos, ajudará a espalhar informações e lazer para o povo.  

Discretamente finquei minhas unhas na palma da minha mão, a dor me deixava ciente e me concentrar impendia que eu elevasse meu nível de nervosismo.

--- A criação de uma tevê e emissora voltada para semideuses. Tanto romanos quanto gregos. Somos ótimos guerreiros? Somos! Lutamos e defendemos os humanos de monstros e deuses maldosos? Também! Mas, até onde se limita o nosso poder? Nova Roma tem uma universidade com um dos cursos mais importantes do mundo, mecânica e tecnologia. Em uma das lojas vende um protótipo de telefonia celular que bloqueia o sinal dos monstros, deixando seguro utilizar tecnologia. – Consegui capturar a atenção dos senadores. --- E se esse projeto fosse estendido para o maior e melhor sistema por satélite do mundo? Algo parecido com o que Hefesto utiliza na sua transmissão?

Deixei as palmas das minhas mãos livres e comecei a caminhar pelo pequeno espaço liberado, surgindo pela primeira vez de corpo inteiro na tribuna.

--- No início, apenas como um projeto de teste, a emissora abrangeria todas as residências de Nova Roma. Anunciantes pagariam pelos comerciais, políticos poderiam trabalhar as suas campanhas e notícias. Semideuses formados em jornalismo poderiam informar durante 24 horas assuntos importantes da atualidade. Há uma guerra em andamento, como será que estão os nossos combatentes? Com a criação de uma emissora e uma transmissão pura e segura, famílias ficariam em paz ao saber das últimas informações em tempo real. E os combatentes poderiam receber reforços de acordo com a necessidade vista através dos jornalistas.

Retornei para o meu local de origem e sorri firme, focando o olhar de todos.

--- Pegaríamos nossos melhores engenheiros, as proles gregas de Athena e porque não de Trívia e Vulcano? – Me forcei a lembra o nome de todos eles em sua face romana. --- Com o sucesso do projeto, expandiríamos até o acampamento grego meio sangue. Eles também cooperariam com anúncios. Em pouco tempo, as crias de Baco e Febo e Vênus logo estariam criando as primeiras telenovelas voltadas para o lazer dos semideuses. Teríamos uma televisão voltada somente para nós e se os deuses como Éolo, Vulcano e Vênus quisesse participar, poderiam, cooperando com denários e dracmas para a economia dos semideuses e Nova Roma. – Deixo um sorriso fingindo surgir. --- Vocês ganhariam, nós ganharíamos e o mundo ganharia. E quanto aos humanos, eles não enxergam nada além da névoa mesmo. Obrigado!

Logo surgiram as primeiras dúvidas. Eles queriam mesmo nos atrapalhar.

--- E se o sistema de segurança falhasse? – Perguntou o senador gordinho.

--- Não falharia! Você conhece os próprios sistemas de segurança daqui e já deve ter ouvido falar da barreira do acampamento grego. Nós semideuses somos inteligentes, a magia e a tecnologia juntas fariam algo que ninguém jamais viu. No início escolheríamos um local de teste longe dos acampamentos, afinal se desse errado nas primeiras vezes, ninguém perderia nada. Após o sucesso, ai sim seria implementado nos acampamentos. – Termino calando o senador de vez. --- Alguém tem mais alguma dúvida? – Indago. Todos em silêncio. --- Sendo assim, muito obrigado por me emprestar o tempo dos senhores, nobres senadores.

Desço do meu local de destaque e me sento na cadeira mais próxima, sentindo meu corpo gelado e eu mais pálido que o normal.

Horas depois a última apresentação se concluiu. Esperei ansiosamente pelos resultados, mas como era uma oratório em treinamento, não houve. Aquilo tudo serviu apenas de base para demonstrar que todos poderiam usar o cérebro se assim quisessem.
     
 
FPA:



Traje: Uniforme do acampamento Acompanhado: Sujeiras Aonde: Chalé de Nyx Nota: Fazendo uma faxina violenta Música: Lana Del Rey - Ride
@


príncipe
Prince of Darkness Project
Rodrik Andrews Lefford
Rodrik Andrews Lefford
Líder dos Eruditas
Líder dos Eruditas

Idade : 20
Localização : Acampamento para semideuses gregos

Voltar ao Topo Ir em baixo

Intelligentia I - Treinamento Especial Empty Re: Intelligentia I - Treinamento Especial

Mensagem por Nyx St. Douglas em Qui Dez 27, 2018 8:58 pm

Senate
the perks of being part of the community
O senado não era um lugar muito amigável na opinião de Nyx. Mas, sabendo que não poderia manter um cargo como a centúria sem ao menos ter alguma noção do que falar e de como falar, teve que entrar naquele local intimidador para receber o treinamento apropriado para melhorar sua argumentação — que, naquele momento, consistia em basicamente gritos de ordem e poucas palavras, sem exatamente nenhum poder de persuasão além da própria intimidação — e, com isso, conseguir habilidades para exercer melhor o cargo a qual lhe foi confiado. Por isso, ao entrar na tribuna com nada a não ser as roupas do corpo — afinal, era expressamente proibido a presença de armas em Nova Roma, além de mascotes naquela aula —, esperava não passar vergonha, pelo menos.

Ao ouvir o discurso acalorado da semideusa ali na frente, que presidia a sessão de treinamento, sentiu-se ainda mais desafiada e intimidada, afinal não tinha absolutamente nenhuma expertise em falar, que dirá elaborar uma proposta para que fosse debatida naquela tribuna e que, talvez, pudesse virar realmente um projeto de lei real para ser usado pelo senado. Por isso, ficou retraída durante muito tempo, observando semideuses tomarem à frente e idealizarem cada ideia, discutindo-a com as outras pessoas que ali estavam. Tirou aquele tempo em que a responsabilidade não estava nas suas costas para analisar o que cada pessoa ali falava, obviamente procurando saber um pouco mais sobre o foco de cada um e como resolviam os problemas que os outros apontavam.

Quando enfim chegou a sua vez — embora forçada — de ir para o meio da tribuna apresentar sua proposta de lei, passou aquele pequeno tempo em que descia das arquibancadas para o centro do local pensando sobre algum aspecto que poderia defender, sobre algo que conhecia muito bem a ponto de ver falhas. Seus olhos se recaíram nos poucos senadores que acompanhavam o treinamento, lembrando-se muito bem dos olhares que recebera quando chegara ao acampamento e do tratamento no qual fora submetida antes de conseguir direitos humanos básicos, estes que ela nunca tinha conhecido até ser forçada a pesquisar sobre eles.

Na hora, uma ideia surgiu na sua cabeça.

— É... Desculpa por não saber palavras difíceis. — começou, coçando a cabeça em dúvida. — Eu não sabia palavras até alguns meses antes. Eu comunicava por sons... Vocês não entendiam sons, eu não entendia palavras. Então, desculpa se não falar tão esquisito como vocês. — pigarreando, juntou as ideias na sua cabeça e começou a proferi-la com as palavras que sabia: — Meu pro... Projeto é criar lugar para acolhimento de semideuses. Quando cheguei aqui, eu fui colocada num negócio que chamam gaiola. Fui tratada como algo pior que animal até que uma pessoa olhou pra mim e viu eu como a mesma coisa que vocês. Sei não ser única com essa situação: muitos semideuses não sabem acam... Acampamento. Quando sabem, não vêm por ter medo. A ideia é criar um local real pra pessoas em pro... Pro...

— Probatio? — falou um dos semideuses que ali estavam.

— Sim. — assentiu Nyx.

— Mas como podemos fazer isso com pessoas que não conhecemos? — disse outro, intercedendo na ideia. — Podemos ser traídos!

— Nós fomos traídos mesmo sem isso. — falou outro, concordando com o que a semideusa tinha dito. — Acho que teríamos uma maneira de saber melhor com quem estamos lidando se conseguíssemos criar algo para acolhê-los e analisá-los...

— Eu... — interrompeu Nyx, trazendo a palavra até ela. — Eu sei é complicado. Eu fui trancada gaiola por eu ter atacado humanos. Mas ataquei humanos por pensar eles ruins! Eles mataram minha família! Não quero outra pessoa ser tratada assim se chegar aqui por ameaçar outras.

— Mas como con—

— Eu não terminei. Eu não disse não ser pra punir. Acredito que todos que fazer mal tem que pagar por fazer mal. É regra da alcateia, da minha família. — colocou a mão no peito para provar seu ponto. — Mas não aceito outras pessoas, outros de nós serem tratados menos que animal. Eles precisam ter chance de mostrarem talentos, de se redi... redimirem. Não sabemos história de novatos que chegam aqui, mesmo que eles ataquem nós. Eles são colocados em pro... pro..., esse pro vocês falam, e não recebem "amparto" até serem aceitos coorte. Se morrerem, nem mortalha tem direito. Isso é injusto!

— Mas isso seria expor-nos ao peri—

— Eu não terminei. Eles devem punidos sim. Mas tem direito ser tratado como igual a todos aqui. Se atacou, merece preso sim. Mas merece chance para sair prisão, pra ser acolhido, mesmo sem coorte. Pra ser alguém melhor. Se eu não tivesse chance, nunca poderia estar aqui, ao lado vocês, tentando defender a ideia com coisas que até pouco tempo não sabia. Quero garantir isso aos outros não sorte, como eu consegui, mas direito. Eles podem ser forças importantes para ajuda. Para guerra que está aí. Afinal, não são só vocês ir pra guerra, né? A ideia é criar lugar oficial pra pro...coisa. Pra colocar novatos que estão, atual... "atualmanti", em coortes espalhadas por não possuir lugar seu até possuírem alguém pra dar lugar pra eles.

Ao ser contemplada com o silêncio, retraiu-se ligeiramente, pensando que tinha enfurecido todos por completo. Mas a plateia e os outros participantes do treinamento só estavam pensando com seus botões, contemplando a ideia, ainda que não oficial, de ter um lugar para ser dos novatos até que eles pudessem ser adotados por um centurião ou legionário ou até que apresentassem uma carta de recomendação. Incomodada com o fato de ninguém responder ao discurso assim que foi terminado, a jovem filha de Marte colocou as mãos na cabeça e, ao fazer um giro no próprio lugar em que estava, falou com uma voz bem mais incerta do que antes:

— Só quero eles não passar pelo eu passar. — e se retirou da tribuna, dando espaço para outra pessoa.

Assim que estava no meio da arquibancada, ouviu as palmas de alguém abaixo. Não ligaria se elas não fossem sucedidas por mais palmas de mais pessoas, conforme ela subia as escadas para o local onde estava sentada. Parando em um dos degraus, observou a quantidade de pessoas que ficaram tocadas com o discurso, seu primeiro discurso, que tinha proferido. As palavras apaixonadas tocaram até mesmo os poucos senadores que ali estavam e a centuriã que dirigia o treinamento. Dois homens ficaram de pé, seguidos por várias pessoas da tribuna até que todos ao seu redor aplaudiam-na da forma mais honrosa que alguém poderia fazê-lo.

Envergonhada, pôs as duas mãos na boca, segurando a emoção de ter aquele reconhecimento das pessoas que a rodeavam. Estava feliz, muito feliz de ter chegado até ali e de se mostrar capaz, mesmo quando tantos outros tinham fechado a cara ante sua presença. Fazendo algumas reverências, chegou ao seu lugar assim que as palmas findaram e a atenção foi atraída pela jovem centuriã da III coorte, que chamava todos com sua postura e voz firmes.

— Bem, após os argumentos da minha companheira centuriã, quem votaria sim para que o projeto dela fosse implementado? — seguiu-se, após a fala, uma série de mãos levantadas indicou a grande aceitação de todos ali. — Que bom, pois eu também concordaria. Enfim, continuemos...

O treinamento continuou como o esperado, mas aquela sensação de pertencimento que sentia em seu coração perdurou por muito mais do que só aquela atividade. Sentia-se verdadeiramente romana.

FPA:
Observação:
Se for ter problema com o xp por causa que eu estou no Tártaro, atualmente, só gostaria, se puder, da habilidade. Agradeço muito desde já. :3
Caso não se tenha percebido, esse treino aconteceu bem antes da guerra no Tártaro, mesmo que eu só tenha postado agora.
Nyx Saint Douglas está com vários semideuses na tribuna do Senado, fazendo um treinamento para melhorar sua oratória. Ela está feliz por finalmente ser aceita como igual pelos romanos.


Alpha's Pack
Nyx St. Douglas
Nyx St. Douglas
Centurião da I Coorte
Centurião da I Coorte


Voltar ao Topo Ir em baixo

Intelligentia I - Treinamento Especial Empty Re: Intelligentia I - Treinamento Especial

Mensagem por Brandon Handler em Qui Dez 27, 2018 10:08 pm




Naquele dia, após realizar todos os trabalhos que se inseriam em minha rotina, recebi o comunicado a respeito da realização de um treinamento especial. Maisie, a amiga de meu colega de dormitório seria a responsável pela ministração desse treinamento em questão. Eu ouvira diversas histórias a respeito dos feitos da garota nos últimos tempos. Boatos diziam que ela fora uma das semideusas a conseguirem ir mais longe em tão pouco tempo. A pouco, conquistara o cargo de centuriã da terceira coorte fazendo com que ela viesse a ganhar certo respeito em meio aos demais legionários.

Charlie anunciara que o ponto de encontro seria a entrada do Senado de Nova Roma, armas não seriam permitidas, o que não era um problema em se considerando, que eu não tendia a andar equipado para fazer o tipo de atividade braçal que eu vinha sendo incumbido de fazer. Posicionando-me ao lado dos demais semideuses que haviam vindo até ali com o intuito de participar do treinamento, esperei pacientemente que Maisie desse início a suas falas. O que ela não demorou a fazer. Desde que eu a encontrara pela primeira vez no shopping de Nova Roma, eu notara que ela obtinha certa eloquência.

Mas, vendo-a ali em uma posição de poder isso ficava ainda mais evidente. Maisie fez um breve discurso a respeito do poder das palavras, guerras que haviam sido finalizadas através de bons oradores ao invés de bons espadachins. Para o bem ou para o mal, eu conhecia o poder dos discursos. Meu avô sempre demonstrara como um bom orador poderia transformar suas ideias, por mais hediondas que fossem em algo crível. Não que eu desacreditasse de sua fé, eu apenas não conseguia comprar seu discurso de ódio que tinha como base versículos da Bíblia que em sua maioria pregava amor e abnegação.

A centuriã explanou um pouco a respeito dos tipos de inteligência. Ao todo eram sete, lógica, linguística, musical, motora, espacial, intrapessoal e interpessoal. Tendo finalizado a teoria em questão, a centuriã guiou o caminho ultrapassando a entrada do Senado e se posicionando a frente de seus discentes e dos Senadores que ali se encontravam com sorrisos discretos, como se esperando por nossas pequenas bobagens. Em pé na tribuna, Maisie explicou que deveríamos defender uma ideia para os Senadores, uma tentativa de tentar convence-los.

Com um sorriso amarelo, peguei o papelzinho que foi entregue a mim com a temática da minha defesa. Durante anos, meu avô me colocara no papel de orientador dos jovens anjos. Eu sabia como defender uma ideia, espalhar um conhecimento, o foco eram as crianças e os adolescentes, mas eu aprendera a controlar meu nervosismo e me fazer ser ouvido. Era uma qualidade necessária, aos olhos dos meus pais. Mesmo que durante o tempo que eu me encontrava no acampamento Júpiter, não houvesse tido oportunidade para realizar esse tipo de atividade, eu sabia que anos de prática não haviam fugido por entre meus dedos.

-Eu- levantei a mão de maneira instantânea ao ouvir as palavras que indicavam a necessidade de um voluntário. Ser o primeiro me daria a oportunidade de assistir as demais “defesas” com tranquilidade e de não me deixar afundar em dúvidas em meio aos demais discursos. –Minha defesa se trata da proposta “Acredito que a Colina dos Templos deva possuir mais uma construção: em homenagem à Aurora, deusa do amanhecer”- dei uma pausa arrumando minha postura antes de continuar. –Durantes anos, viemos a deixar de lado a deusa que nos proporciona o amanhecer. Esse amanhecer que tanto nos privilegia, fazendo com que deixemos nossas camas para a iniciação do trabalho matinal- esbocei engolindo em seco ao ver a feição divertida dos senadores.

Se meu discurso vinha agradando, eu não poderia dizer. –Os deuses por tantos anos, nos deram todo o necessário para poder sobreviver nesse solo, mesmo que em meio a lutas e desafios, é um ultraje não darmos a todos eles um lugar onde possam ser cultuados de maneira descente- anunciei dando mais uma pausa. –E por que deveríamos começar por Aurora? – questionou um dos senadores arqueando sua sobrancelha enegrecida. –Não há dia que se inicie sem o amanhecer. Se não por ela, teríamos uma escuridão eterna. Nossos olhos perdendo a beleza que o mundo tem a ofertar- respondi buscando manter minha feição seria.

-Aurora nos virou as costas, unindo-se ao lado negro da força. Porque deveríamos homenageá-la diante de sua traição? – questionou uma senadora de cabelos castanhos focando seus olhos nos meus, parecendo esperar pelo argumento que eu daria. –Se pagarmos ódio com ódio, receberemos mais ódio. Assim como nobre Vênus levantou sua fúria contra Psiquê devido aos cultos dado a ela, pela confusão humana, Aurora pôde ter feito o mesmo contra todos nós, devido nossa falta de estima por ela. Porque não tentar aplacar sua fúria de maneira sincera e singela, dando a ela espaço em um lugar que nunca obteve  qualquer espaço antes?- rebati sua pergunta  com outa pergunta.

-Você esta afirmando que a traição de Aurora se equipara as ações de Vênus contra Psiquê?- os senadores passaram a sussurrar entre si, uma melodia assustadora aos meus ouvidos destreinados aquele tipo de situação. Eu estava basicamente em uma pequena enrascada, sair dela seria o maior problema. As situações eram completamente diferentes e o meu medo era de que, a utilização de uma palavra errada me colocasse em maus lençóis.  –Não. Vênus não traiu Psiquê, mas foram seus sentimentos que a levaram a agir da maneira como a qual agiu. O meu ponto é que o mesmo pode estar ocorrendo com Aurora. Os sentimentos da deusa podem estar vindo a fazê-la agir de maneira impensada-  refutei sua pergunta mantendo meus olhos nos seus.

Por um instante pensei que ela fosse lançar uma contra pergunta, meus seus lábios antes rígidos se abriram em um sorriso, ao passo em que sua cabeça acenou de maneira positiva. Aparentemente, ela estava satisfeita com o que havia ouvido. Deixando a tribuna, respirei com alivio quando um novo semideus tomou meu lugar. Minhas bochechas provavelmente haviam adquirido uma coloração avermelhada devido ao esforço que eu fizera para controlar meu nervosismo. Uma a uma as propostas foram apresentadas e discutidas até que todos houvessem finalizado sua argumentação e Maisie desse o treinamento por finalizado, dispensando aqueles que haviam participado.

Brandon Handler
Brandon Handler
Celestiais de Èter
Celestiais de Èter


Voltar ao Topo Ir em baixo

Intelligentia I - Treinamento Especial Empty Re: Intelligentia I - Treinamento Especial

Mensagem por Tessa S. Henz em Qui Dez 27, 2018 11:23 pm



Treinamento Especial
O acampamento Júpiter obtinha uma nova centuriã. Aquela era a informação que circulava pelas rodinhas de semideuses gregos e romanos que passavam pelo escritório cedido a mim por Becka. Fofocas diziam que a filha de Athena, vinha surpreendendo os velhos arrogantes do Senado. Se achavam um absurdo a deusa virgem conhecida por eles como Minerva ter filhos, achavam um absurdo ainda maior que uma garota de origem grega estivesse andando por aí com as medalhas que indicavam que ela fazia parte dos centuriões romanos.

Portanto, o que me levara a abandonar todas as atividades que eu tinha a fazer naquele dia e ir diretamente as proximidades do Senado, foi meramente a parte em mim que fora dominada pela curiosidade. Não tive dificuldade alguma em perceber a garota de olhos inteligentes e cabelos loiros que se posicionava a frente do pequeno grupo, que viera até ali para participar de seu treinamento. Após o ganho do título, os centuriões tendiam a adquirir uma aura de poder que tornava fácil identifica-los.

Quando o horário indicado por ela no mural chegou, a moça começou a dar sua aula. Sua voz não era nem doce, nem grave. Era fácil prestar atenção no que ela tentava passar. Estando praticamente a dois semestres da finalização da faculdade que me daria o título de doutora sem de fato ter um doutorado, eu conhecia um pouco das teorias de Howard Gardner. Mesmo ainda não tendo admitido pra mim mesma, eu sabia que vinha adquirindo um certo apreço pelas teorias da Psicologia.

Os semideuses eram seres incrivelmente capazes, todas as inteligências mencionadas por Maisie eram passiveis de aprendizado com certa dedicação. A linguística por exemplo, envolvia muito mais do que a variação do dialeto falado em cada região, ou os ramos de origem de cada língua. Meus passos seguiram os de Maisie rapidamente, adentrando o Senado com certo receio. Mesmo trabalhando ali a alguns meses, eu ainda não me sentia confortável em entrar em um ambiente tão carregado por decisões que haviam sido tomadas no decorrer dos anos.

Tendo Maisie feito menção ao discurso em suas palavras do lado de fora do Senado, não me surpreendeu que a atividade prática fosse ser a defesa de uma ideia. O que surpreendera, fora a presença dos Senadores. A algum tempo eu vinha matutando uma ideia em minha mente, então encontrar uma sugestão não era tão difícil, o problema seria conseguir encontrar os argumentos certos para a ideia certa. Pensando nisso, me mantive em silêncio enquanto diversos semideuses, assumiam a posição na tribuna defendendo suas sugestões.

Os que afirmavam que o tempo passava mais rápido quando precisávamos dele, estavam completamente certos. Não demorou muito para que minha vez viesse a chegar. Eu não tinha grandes problemas em falar em público. O que me deixava desconfortável eram os olhares de repúdio. Me conhecer não fazia parte do pacote de integração do acampamento júpiter. –Bom dia. Sou Tessa Henz, atual embaixadora grega aqui no acampamento Júpiter- disse dando um sorriso como uma forma de tentar abrandar o clima pesado.

-Minha sugestão se centra na criação de um polo grego aqui no acampamento Júpiter- anunciei ouvindo um burburinho se formar entre os senadores. De maneira quase automática meus olhos se reviraram diante da situação. Não era como se eu não esperasse aquele tipo de reação. –Não é segredo para ninguém que o Acampamento Júpiter e o Acampamento Meio-Sangue possuem estilos completamente diferentes. Enquanto o meio-sangue centra a divisão na descendência divina, o acampamento Júpiter centra essa divisão nas coortes. Pra isso, é necessário o apadrinhamento de cada novo semideus- anunciei focando meus olhos em cada um dos senadores presentes.

-Com o intercambio em vigor, é difícil fazer com que cada semideus grego consiga ser apadrinhado por um legionário. Minha ideia seria que fosse criado um polo onde esses semideuses permanecessem inicialmente. Nada de luxo, apenas dois dormitórios, um feminino e um masculino, seguindo o padrão das coortes. O embaixador do acampamento no momento seria o responsável por manter os semideuses sob suas asas até que esses consigam o apadrinhamento necessário, sem precisar correr- expliquei dando um sorriso de escarnio para uma senadora que parecia especialmente ofendida com a minha sugestão.

-Henz, você esta insinuando que os semideuses gregos não têm sido bem recebidos em nosso acampamento?- questionou a senadora em questão fazendo com que a pergunta não dita pelos outros até aquele momento ganhasse forma. –Não. Eu estou pontuando que o método atual não está sendo eficaz, o intercâmbio tem sido bastante procurado e tem sido difícil conseguir abrigo para todos os que tem interesse- respondi de maneira calma. –E onde você sugeri que esse polo seja construído?- perguntou um outro senador. –Eu sugiro que seja em um terreno pouco utilizado. O acampamento tem espaço para comportar algo do gênero, é tudo questão de pesquisa e colaboração- respondi mais uma vez.

Oratória. Tudo era questão de saber mediar o que seria dito. –Colaboração? Você esta dizendo que nós não temos cooperado com os gregos?- mais uma vez a garota que havia feito a insinuação lançou a pergunta, seu tom cheio de desconfiança. –Não. Eu estou dizendo que com um pouco mais de colaboração dos dois lados, esse intercâmbio pode se transformar em algo ainda mais proveitoso. Como eu disse, o número de semideuses interessados tem aumentado e o número de semideuses dispostos a aceitar probatios sob suas asas não. É só uma medida preventiva- respondi tentando controlar o revirar de olhos.

Tudo acabava se transformando em algo muito sensitivo quando o assunto era relacionado ao acolhimento dos semideuses vindos do acampamento meio-sangue. Era apenas uma ação de sabedoria ter um lugar para alojar os que vinham, antes de eles serem realocados para as coortes que resolvessem adota-los. Uma questão de dar tempo para que eles fossem conhecidos e merecessem o que muitos recebiam através de cartas de recomendação de antigos legionários. A discussão se desenrolou por mais alguns minutos, até que Maisie interferisse anunciando o final do treinamento. Voltar a universidade nunca antes foi tão libertador, como no momento em que pude deixar o Senado.


∆ LYL - FG


Tessa Samantha Clarissa Henz
It's no rigth, but is okay!


Tessa S. Henz
Tessa S. Henz
Lider de Poseidon
Lider de Poseidon


Voltar ao Topo Ir em baixo

Intelligentia I - Treinamento Especial Empty Re: Intelligentia I - Treinamento Especial

Mensagem por Cha Myung Dae em Qui Dez 27, 2018 11:38 pm

Cha Myung Dae
As portas do senado semideuses se reuniam sob os comandos da jovem Maisie, uma bela loira filha de Minerva, mas mais importante que isso a jovem era a centuriã da 3ª coorte. Todos ali pareciam um tanto quanto ansioso pela atividade do dia, semideuses de todos as coorte e filhos de todos os deuses. Nenhum dos quais portava armas, regras da cidade. Quem precisaria de qualquer arma quando a própria cidade era protegida por um deus?

– Sei que muitos de vocês sabem usar suas armas com maestria, mas sabem usar suas palavras com eloquência? – a pergunta da jovem centuriã se dirigia a todos que a assistiam a sua aula – Muitas guerras foram decididas com diplomacia, não com o uso de armas. Afinal, palavras são poderosas. Chegam longe sem viajar, alcançam locais que armas não chegam e vencem batalhas que as armas não conseguem.

Myung acenou com a cabeça concordando com cada palavra da jovem. Sabia que havia escolhido a aula certa para assistir. Mais do que armas Myung Dae preferia o uso das palavras e enquanto pudesse iria usar apenas suas palavras para vencer as suas lutas. Enquanto a jovem centuriã continuava a falar a mente do jovem filho de baco se acelerou, imaginando o porquê do local que ela escolhera para as instruções, dúvida que logo foi sanada quando todos entraram no senado e se acomodaram.

Os senadores já estavam dispostos em seus devidos lugares, atentos a cada semideus que entrou de um modo curioso, como se esperassem algo deles. Maisie Knight subiu a tribuna e começou o restante das explicações daquele dia.

– Bom dia, senadores. Obrigada por receberem nossa turma – Disse ela se dirigindo a bancada onde os senadores romanos estavam – Cada um de vocês deverá vir até a tribuna para defender um projeto de lei e convencer os senadores a aprová-lo. Mas não são projetos muito simples, então vocês terão que ter ótimos argumentos para convencer os políticos a aprovarem a proposta O fim do pronunciamente de Maisie foi seguido por alguns sussurros dos senadores junto com sorrisos divertidos o que fez o filho de Baco imaginar se sairiam muitas besteiras naquele senado naquela tarde.

-Quem quer ser o primeiro? - perguntou a centuriã e para a própria surpresa o jovem Myung Dae deu de ombros e se levantou, caminhando calmamente para a tribuna, se ajeitando atrás dela com os dedos entrelaçados apoiados sobre a madeira onde os senadores colocavam seus papeis para seus discursos.

Era confortável de um modo estranho estar à frente de tantas pessoas, semideuses comuns e senadores, todos mantendo seus olhos no jovem coreano enquanto este se preparava para defender “suas ideias”.

–Bom dia senhores senadores - começou com um belo e simpático sorriso estampado no rosto – sei o quão ocupados são e por este motivo eu serei breve, em lhes dizer a razão que me traz aqui a frente de vossas senhorias.

Myung começava a tornar aquilo um show pessoal se divertindo a cada segundo, as palavras sequer passavam por sua cabeça e saiam diretas de seus lábios para os ouvidos dos senadores. Enquanto falava o jovem faziam gestos com as mãos de modo a enaltecer cada palavra, mantendo sempre a atenção totalmente em si.

–Eu gostaria de sugerir que o nosso grandioso aqueduto fosse pintado de roxo. – Silêncio e alguns olhares esquisitos. – Entendam senhores que a cor atual de nosso aqueduto é de um cinza sem graça que não nos acrescenta nada, na verdade se vocês pensarem bem na cor cinza é uma cor “neutra” mas que lembra nuvens de chuva ou ainda pior, metal, como grades.

O modo como o garoto falava, embora fosse algo quase banal, atraía a atenção desejada, e ele conseguia ver no rosto de cada um que estava conseguindo seu objetivo pelas expressões faciais. Usava sua voz para enaltecer como o cinza era uma cor triste.

-Isso pode ser desanimador para as nossas legiões e também para as pessoas que todos os dias veem aquele majestoso aqueduto que lhes leva água até suas casas, e por isso gostaria lhe demonstrar os benefícios que a nova cor traria para a cidade e para as legiões.

Antes de continuar o garoto respirou fundo e olhou uma vez para Maisie que o observava enquanto falava para ver o que a jovem centuriã pensava de sua atuação, mas não ganhou nada mais do que um olhar frio de análise.

-Bem, dentre as diversas cores eu imaginei que o roxo seria uma cor interessante por ser a cor de nossa bandeira, pintar o aqueduto além de revitalizar a cidade com novas cores enalteceria a nossa bandeira e traria mais vida e ânimo aos nossos cidadãos. – enquanto falava um sorriso discreto ia surgindo nos lábios do jovem . - Pensem Bem, senhores. Imaginem como seria bom olhar para o aqueduto e ver as nossas cores sempre a vista, uma cor que traz bons sentimentos e também pode-se dizer que esta seja a cor favorita de Baco... Talvez possamos trazer as graças do deus dos vinhos para nós com alguma benção que faça nossos campos se tornarem mais vivos... É algo que vale se pensar senhores. Com isso encerro meu discurso e deixo a vossas senhorias a sabia decisão.

Vários semideuses olhavam-no de um modo esquisito, até mesmo o jovem Myung se sentia de certo modo esquisito por ter falado daquele modo natural com os senadores, interpretando a fundo o papel de político que havia desenvolvido a apenas alguns instantes em sua cabeça. As palmas começaram, e o jovem agradeceu inclinando a cabeça em um comprimento delicado com a mão sobre o peito, voltando então a tomar seu lugar para assistir as apresentações restantes, cada uma mais interessante que a outra.

O restante da manhã havia se passado quando todos se apresentaram e foram então dispensados, Myung se impressionou com a eloquência que alguns de seus companheiros de aula demonstraram e quase se convenceu algumas vezes de que alguns projetos realmente valiam a pena serem postos em prática, tamanha a eloquência que fora demonstrada.

Observações:

FPA - Cha Myung Dae

Poder Passivo:
Nome do poder: Talento Natural I
Descrição: Você tem aptidão para a interpretação e disfarce. Aprenderá a falar e se vestir como uma outra pessoa. Seu personagem é bom em peças de teatro por natureza, tornando coisas convincentes com a simples encenação. Os espectadores podem ficar tão impressionados a ponto de instigarem, querendo saber mais sobre o assunto falado, ainda que não seja real. É claro que em um nível tão básico, seu talento ainda está em desenvolvimento e falhas são comuns quando você passa a atuar como outra pessoa ou outro objeto.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguira entreter e distrair outras pessoas por até dois turnos inteiros, ganhando a chance perfeita para atacar, ou dar brechas para aliados fazerem.
Dano: Nenhum

DETALHES



MADNESS
®
Cha Myung Dae
Cha Myung Dae
V Coorte
V Coorte

Idade : 20

Voltar ao Topo Ir em baixo

Intelligentia I - Treinamento Especial Empty Re: Intelligentia I - Treinamento Especial

Mensagem por Maisie K. Blackwood em Ter Jan 08, 2019 12:49 pm


Intelligentia
Avaliações

A inteligência é a insolência educada.
(Aristóteles)
Intelligentia I - Treinamento Especial OuIgCD4


Antes de explicar o método de avaliação e falar sobre o desempenho de cada um, gostaria de pedir desculpas pela demora com os resultados. Sei que alguns devem ficar ansiosos, pois eu também fico quando estou aguardando o resultado de alguma coisa. Por conta disso, estarei dando +50xp para vocês como uma compensação, pois me comprometi com uma data e não consegui cumpri-la.

Devido ao evento que ocorre no Tártaro, não abri o segundo treino de inteligência neste mês, visto que muitos estão envolvidos com a Night War. Mas, para aqueles que ficam no acampamento, segue outra atividade: Ataque aos Portais.

Dito isso, seguimos.


Método de Avaliação
Criatividade: 500
Ortografia: 500
Coerência: 500
Ações Realizadas (Argumentos utilizados): 500
Bônus: 50 + 200 (para o destaque)

Sobre a Avaliação
Para as finalidades das minhas aulas de inteligência, os critérios de avaliação são a criatividade, ortografia, coerência e ações realizadas. Todas têm o mesmo peso, pois é a perfeita sincronia entre elas que tornam um texto incrível. A criatividade é um quesito particular a cada um, por isso considerei o desenvolvimento de seus personagens em suas tramas pessoais e o quanto o post tenha sido inovador para esta atividade. Na coerência, vocês foram avaliados conforme a descrição da parte prática da aula, a forma como narraram suas ações e se elas estavam dentro da proposta exigida. E, para as ações realizadas, considerei os argumentos utilizados para defender sua proposta. E a ortografia, indispensável para qualquer texto, foi considerada da primeira à última linha. O bônus de destaque da aula foi dado para o autor do post que se destacou em todos os quesitos avaliados.


Avaliações
Desempenho individual

Inteligência é o meio para dominar nossos instintos
(Sigmund Freud)
Intelligentia I - Treinamento Especial B3bB5Bq


Sara Lim
Criatividade: 500
Ortografia: 499
Coerência: 500
Ações realizadas (argumentos utilizados): 500
Bônus: 50 + 200 (destaque!)
Total: 2.249
Link do perfil | Link da FPA

Comentários:
Adorei a forma como seu post foi simples, breve, mas bastante completo. Você trouxe os principais questionamentos que os senadores teriam para a sua proposta e ainda demonstrou sagacidade ao não mencionar sua filiação com Circe.


Rodrik Lefford
Criatividade: 500
Ortografia: 300
Coerência: 500
Ações realizadas (argumentos utilizados): 500
Bônus: 50
Total: 1.850 xp
Link do perfil | Link da FPA

Comentários:

Que ideia incrível! Adorei o fato de você ter buscado uma ideia própria e bastante original para apresentar aos senadores. E acredito que você utilizou ótimos argumentos para atiçar o interesse deles, mesmo com possíveis dúvidas e pequenos empecilhos para o projeto. Minhas únicas ressalvas são sobre a revisão gramatical do texto, pois notei a ausência de algumas vírgulas, algumas sendo mal utilizadas e uso de palavras inexistentes, como “traga” ao invés de “trazida”.


Nyx St. Douglas
Criatividade: 500
Ortografia: 495
Coerência: 500
Ações realizadas (argumentos utilizados): 500
Bônus: 50
Total: 2.045 XP
Link do perfil | Link da FPA

Comentários:

Achei lindo poder ter parte no desenvolvimento da sua personagem. Afinal, é uma atividade que ela com certeza não vai esquecer tão cedo. E você conseguiu transmitir a mesma sensação dela para o texto, o que tornou ele bastante incrível. Se há uma observação a fazer, é apenas quanto às frases longas. Elas se tornam armadilhas para quem lê e para quem escreve, pois podemos nos repetir ou ser mal compreendidos em nosso texto. Um exemplo é esse pequeno trecho, que já vem de uma sucessão de longas sentenças: "e que, talvez, pudesse virar realmente um projeto de lei real para ser usado pelo senado"[/i]. Mas não é uma crítica negativa, pois as frases sempre ficam bem construídas. É apenas uma recomendação para os perigos das sentenças longas.


Brandon Handler
Criatividade: 480
Ortografia: 480
Coerência: 500
Ações realizadas (argumentos utilizados): 500
Bônus: 50
Total: 2.010 XP
Link do perfil | Link da FPA

Comentários:
Oi, moço!
Acredito que você não tenha lido, mas antes do seu post outra pessoa defendeu a mesma proposta com argumentos muito semelhantes. Não posso lhe dar o total benefício da dúvida, única razão para o pequeno desconto em criatividade. No mais, tudo foi ótimo em seu texto, desde a forma como você explica a sua facilidade para falar em público e sua linha de raciocínio para desenvolver os argumentos.


Tessa S. Henz
Criatividade: 500
Ortografia: 480
Coerência: 500
Ações realizadas (argumentos utilizados): 500
Bônus: 50
Total: 2.030 XP
Link do perfil | Link da FPA

Comentários:
Foi uma ótima ideia apresentar uma proposta que está diretamente relacionada ao seu emprego no acampamento, pois isso lhe dá propriedade para falar e argumentar sobre o assunto.  


Cha Myung Dae
Criatividade: 500
Ortografia: 480
Coerência: 450
Ações realizadas (argumentos utilizados): 500
Bônus: 50
Total: 1.980 XP
Link do perfil | Link da FPA

Comentários:
Que ótima a sua demonstração do seu talento teatral para interpretar um político! E achei bastante sagaz utilizar Baco como uma carta na manga para um argumento. Afinal, pintar o aqueduto de roxo não é uma sugestão que se vê todos os dias. O único e principal defeito em seu post é a ausência de perguntas dos senadores, que constava como um dos critérios do post.



Informações
Habilidade adquirida

O topo da inteligência é
alcançar a humildade
(Provérbio judeu)
Intelligentia I - Treinamento Especial YATpVjF


Habilidade Adquirida
Nome do Poder: Inteligência Linguística
Descrição: Quem possui a inteligência linguística bem desenvolvida, possui um domínio e gosto especial pelos idiomas, pelas palavras e desejo de explorá-los. Esta habilidade dá a vantagem de usar as palavras com maestria e expressar-se com sagacidade para obter o que deseja.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +10% em inteligência, +20% de persuasão.
Dano: Nenhum





Maisie Blackwood
intelligence is the only way we have to master our instincts.
Maisie K. Blackwood
Maisie K. Blackwood
Centuriã III coorte
Centuriã III coorte


Voltar ao Topo Ir em baixo

Intelligentia I - Treinamento Especial Empty Re: Intelligentia I - Treinamento Especial

Mensagem por Vênus em Sab Jan 12, 2019 1:29 pm

Atualizado e Avaliado
Maisie recebe 4.000 XP e Dracmas.


Vênus, love's lady
..
diva, déesse de l'amour et de la beauté ♦️
Vênus
Vênus
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos


Voltar ao Topo Ir em baixo

Intelligentia I - Treinamento Especial Empty Re: Intelligentia I - Treinamento Especial

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum