The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

1º Aula de Combate Corporal

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ir em baixo

Re: 1º Aula de Combate Corporal

Mensagem por Georgia Blanchard em Dom Abr 30, 2017 12:12 am


Aula de boxe
Anxiety attacks at the gym


S
abe aqueles dias onde subitamente bate uma inspiração soprada como uma brisa fresca no seu rosto e te faz querer mudar de vida e ser uma pessoa melhor? Cuidado, é uma armadilha e Georgia havia descoberto quando já era tarde demais.
A loira puxava a ponta do rabo de cavalo trançado freneticamente enquanto observava com ansiedade os campistas que pouco a pouco se aglomeravam ao seu redor esperando o início da aula. Os olhos verdes da garota acompanhavam as linhas geométricas do ringue de luta assim como os assessórios que estavam ao redor: Pesados sacos de pancadas que pendiam do teto, espelhos (não sabia muito bem o porquê, afinal quem gostaria de ver a si mesmo fazendo caretas enquanto soca algo ou alguém? Não prece uma visão muito graciosa) e alguns outros objetos de treino que não tinha ideia do que eram.
Georgia puxou os joelhos para perto de si e os abraçou enquanto tentava controlar sua respiração e encarar a coisa menos assustadora daquele ambiente, que no caso era o chão. A verdade era que a filha de Morfeu odiava combates. Vivia no acampamento a quase quatro anos e mesmo assim nunca tinha frequentado uma aula se quer que envolvesse violência, todo seu conhecimento de combate vinha do instinto natural de batalha e umas poucas dicas que havia recebido de colegas em outras ocasiões.  O que mais gostava de fazer era ajudar nos campos de morangos, fazer arrumações e cuidar de tarefas simples que não envolvesse pancadaria afinal ela nem pesava 50kg, era pequena e desajeitada então preferia evitar fazer papel de idiota na frente de todo mundo, especialmente de Samanta Sink, a instrutora.
Georgia nem se quer precisou levantar a cabeça para saber que Samanta havia entrado na sala, os cochichos ao seu redor já a alertaram. Acontece que Samanta era famosa por ser uma exímia lutadora e todo campista, novato ou veterano, conhecia alguma de suas histórias.
Assumiu uma postura um pouco mais digna e cravou os olhos na ruiva e ficou feliz em constatar que pelo menos nas roupas havia acertado em cheio, pois vestia algo bastante similar ao que Samanta usava, porém Georgia havia optado por uma camiseta de alça preta, leggings e um par de tênis velhíssimos da mesma cor.
A cria de Ares iniciou a aula e Georgia sentia a ansiedade piorar, acelerando seus batimentos cardíacos e causando-lhe uma leve tremedeira nas mãos, então a jovem cerrou os punhos numa tentativa de disfarce. Já estava ali e não era a hora de dar para trás, então tratou de cravar os olhos na instrutora e tentar ao máximo absorver as informações que ela passava e dali tirar algum conhecimento para a parte prática da aula. Naquela altura do campeonato só queria sair de lá com sua dignidade intacta.
Quando a teoria foi aplicada, Samanta convidou um voluntário para juntar-se a ela na demonstração e Georgia deu um risinho amarelo ao imaginar qual coitado iria se oferecer para ser espancado por aquela mulher, mas para sua surpresa quem se levantou foi Evie, a pretora romana.
“Isso vai ser bem interessante” Pensou esticando o pescoço ao máximo tentando ter uma melhor visão do que estava prestes a acontecer na arena. Evie parecia extremamente confiante, tudo nela exalava força desde seu olhar até sua postura perfeita. Naquele momento Georgia percebeu que a pretora tinha um ar bem mais maduro que sua aparência. Ela parecia realmente uma líder nata, o que despertou um certo desejo por parte da filha de Morfeu em fazer intercâmbio no Acampamento Júpiter, mas aquilo não era hora para devanear, tinha que focar em toda a cena que estava prestes a acontecer á sua frente e quem sabe tirar algum conhecimento para não sair dali tão humilhada.
Samanta realizava golpes bem precisos e claros, porém mesmo que aquilo fosse apenas um treino básico, Georgia estremecia quando escutava o som do impacto dos socos nas almofadas seguradas por Evie e não podia deixar de imaginar como seria estar no lugar dela. Talvez nem tivesse aguentado um golpe, com um corpo tão mal preparado para batalha ela certamente iria sucumbir ali mesmo e ser rebocada de volta para o chalé. Por alguma razão aquela imagem lhe fez rir, talvez fosse o nervosismo que tivesse acabado de atingir níveis estratosféricos.
Assim que a parte explicativa acabou os campistas foram instruídos a usarem os tais sacos de pancada que pendiam ainda imóveis no teto. Georgia levantou-se apoiando a mão no joelho esquerdo e aproveitou para esticar o próprio corpo e em seguida fazer uma série de alongamentos básicos, puxando os braços para os lados opostos até que seus ossos estalassem, esticando-os para cima para que seus músculos esticassem bastante e em seguida realizando um movimento similar, porém tentando tocar os pés para que a musculatura da coluna também pudesse ser trabalhada. Quando voltou a sua posição original viu que Samanta lhe dirigiu um olhar de aprovação e aquilo pareceu derreter um pouco do gelo que se formava em suas entranhas. Talvez aquilo não fosse tão aterrorizante assim.
Caminhou até um canto da sala onde haviam algumas ataduras disponíveis e aparentemente aquilo era importante pois muitos outros campistas estavam amarrando-as ao redor dos nós dos dedos e Georgia presumiu que aquilo serviria para evitar machucados então tratou de fazer o mesmo e foi bastante generosa quando a grossura de suas ataduras pois não sabia o quanto aquilo iria machucar.
Quando finalmente estava pronta, a semideusa prostrou-se de frente a um dos sacos de pancada e casualmente o empurrou afim de saber com quanta resistência estaria lidando, e como havia previsto a coisa mal se mexeu e parecia ser preenchida com areia, o que não era nada animador.
Kay, vamos tentar. – Murmurou para si mesma numa tentativa de se acalmar.
Primeiramente a garota tentou desferir o golpe que parecia mais fácil e instintivo: Jab. Assumiu uma postura similar a que havia observado na instrutora durante a demonstração e com o punho esquerdo desferiu um golpe certeiro na parte superior do saco de pancadas, que para a sua surpresa balançou-se um pouco com o impacto e arrancou um sorriso dos lábios da semideusa. Aquilo a animou um pouco mais então resolveu tentar uma sequência, alternando entre o punho direito e esquerdo para ter uma melhor noção de qual movimento se adequaria mais ao seu corpo, mas logo sentiu uma mão sobre seu ombro e a garota virou tão rápido que quase socou a pessoa que estava atrás, e agradeceu por aquilo não ter acontecido pois era Samanta.
Tente girar mais o seu torso, assim você conseguirá um pouco mais de movimentação. – Ela disse enquanto demonstrava um jab perfeito no ar e fitava Georgia para checar se estava prestando atenção.  – Também mantenha suas mãos nas linhas dos olhos, assim com os punhos você protegerá o rosto e com os cotovelos irá proteger as costelas.
Georgia assumiu a posição dita pela ruiva e tentou uma rápida sequencia de golpes no saco de pancadas aplicando as dicas que acabara de receber.
Bom trabalho, mantenha o queixo mais baixo e você ficará bem. – Instruiu enquanto partia para analisar outro campista.
Apesar de ser um pouco difícil de coordenar os movimentos e lembrar do que havia sido explicado, tudo parecia ser bem instintivo e se encaixava: O queixo precisava ser protegido, por isso tinha que estar mais baixo, os punhos cerrados na altura certa evitaria que levasse um soco certeiro na cara assim como os cotovelos evitariam que ela quebrasse as costelas e a movimentação da cintura era uma forma de aumentar seu alcance e também um constante lembrete de que uma hora ela teria que desviar.
Em seguida Georgia tentou um direto: Um soco que seria desferido com o braço forte do lutador e por isso era mais eficiente que o Jab.
No treinamento anterior a garota percebeu que seu melhor soco era o de direita, então seu Jab precisaria ser de esquerda, o que consequentemente faria com que o direto fosse realizado com a destra... Certo? Balançou a cabeça freneticamente e sacudiu o corpo voltando ao seu posicionamento anterior.
O punho cerrado de Georgia foi direto na parte inferior do saco. Visualizava aquele assessório como um inimigo, então se o socasse no rosto de primeira teria que partir para um alvo diferente e o abdômen era um lugar sensível, então depois de acertar aquele lugar algumas vezes ela voltou a treinar o direto na parte superior, visualizando a cabeça do oponente e sem seguida experimentou criar uma espécie de combo com um jab na parte superior do saco e um direto na inferior.
Em seguida havia o cruzado, que era basicamente um golpe com qualquer um dos punhos e com o objetivo de acertar as laterais da cabeça do alvo. Novamente a filha de Morfeu tentou visualizar um inimigo no seu saco de pancadas e em seguida desferiu o tal cruzado, mirando no que poderia ser as têmporas. Estava ficando cada vez mais difícil imaginar um ser humano completo ali e Georgia quase desejou ter um parceiro. Quase.
Foi quando tentou executar o gancho que Georgia entendeu o porque de Samanta ter chamado sua atenção para os movimentos do quadril, pois era de eximia importância que girasse aquela área para que seu punho curvado pudesse acertar o alvo, e assim ela fez. Como no jab, ela experimentou fazer com os dois punhos e acabou por decidir que o direito era a melhor opção pois sua força ali era visivelmente maior, assim como sua mira.
A loira limpou o supor acumulado na testa e no pescoço e parou um pouco para respirar, curvando-se num quase ângulo de 90 graus e tentou controlar a respiração antes de voltar sua atenção para a ultima técnica que faltava: O uppercut. O golpe basicamente consistia em um soco vertical que se dirige até o queixo do adversário, por haver uma necessidade de uma maio flexão na área do joelho a garota presumiu que aquilo fosse uma janela para causar mais impacto.
Novamente assumiu a posição ensinada, chacoalhou as mãos enquanto dava “pulinhos” no mesmo lugar afim de fazer o sangue correr por suas veias e experimentou o golpe exatamente como o via em sua lembrança: A leve flexão no joelho, a mudança na base e a viagem vertical do punho em direção ao que deveria ser o queixo do seu saco de pancadas. Depois de algumas tentativas o rosto da filha de Morfeu assumiu uma expressão que só podia ser descrita como “not bad”. Para quem era péssima em combates ela tinha conseguido absorver bem os ensinamentos da cria de Ares e esperava que eles estivessem à altura de aprovação.
Samanta chamou todos os semideuses para o lugar onde havia dado as explicações iniciais e fez um anuncio que fez com que Georgia soltasse um muxoxo baixinho. Eles teriam que praticar em dupla, mas que maravilha. Por sorte seu corpo ainda estava quente e com uma certa adrenalina correndo em suas veias, o que fez com que a ansiedade fosse menos eficaz em seu cérebro.
–  Hey, hmmm... Se importa?
Georgia virou e fitou o dono da voz que lhe chamara: Era um rapaz loiro com um físico que mesclava magreza com uma musculatura definida, o que fez a garota pensar que ele certamente era experiente naquela área.
Não sou boa nisso então.... – Respondeu encolhendo os ombros, sem jeito.
Não tem problema, estamos aqui para aprender, não é? – Georgia se surpreendeu com o tom genuinamente simpático do rapaz e isso lhe rendeu um sorrisinho enquanto agarrava o braço esquerdo e balançava os quadris de um lado pro outro. Já estava com sede e por mais que a aula estivesse indo bem ela queria um copo de água, banho e um descanso.
Quando foi sua vez de subir no ringue, Georgia logo sentiu o famoso frio na barriga, porém com um aceno de cabeça compartilhado com seu parceiro, ambos se dirigiram até o local da luta e se posicionaram em direções opostas.
Assim que o sino tocou ambos fizeram o cumprimento que havia sido realizado pelas outras duplas e começaram a se estudar enquanto andavam em círculos. Georgia estava tensa, sua postura era rígida e mantinha os joelhos um pouco flexionados ao passo que as os punhos cobriam a maior parte do seu rosto. O garoto loirinho continuava a girar mas o que o pobre coitado não sabia era que a filha de morfeu tinha um truque na manga: Desde que começaram aquela estranha “dança” ela vinha canalizando sua energia para que pudesse invocar sua pequena aura de sono. Sabia que não iria fazer com que seu oponente simplesmente apagasse do nada, mas só precisava de um mero vacilo para encaixar uma boa sequencia e golpes, e aquilo não demorou a acontecer, pois logo o rapazinho pareceu sofrer os efeitos da aura e Georgia viu seu posicionamento vacilar. Era sua chance! A garota avançou em duas passadas curtas e aplicou um jab no rosto do rapaz, que não foi muito efetivo mas pareceu desnortea-lo o suficiente para que com a destra, a garota pudesse dar um direto bem no seu nariz desprotegido. Ele, porém recuperou-se bem e tentou aplicar o cruzado nas têmporas de Georgia, que usou uma esquiva rápida e desajeitada para desviar, podendo assim aplicar um uppercut perfeito no queixo desprotegido. Ele cambaleou para trás e bateu nos limites do ringue e tentou usa o impulso para aplicar um direto no rosto da filha de Morfeu. O impacto foi forte, ela imediatamente sentiu uma forte dor em seu nariz, mas isso não a impediu de tentar uma infestada motivada pela raiva e acertar um gancho no estômago do semideus, que caiu de joelhos no ringue.
Georgia tinha uma mão apertando o peito numa tentativa vã de recuperar o ar quando Samanta lhe parabenizou com leves tapinhas nas costas.
Bom trabalho, usou seu poder para atrapalhar o inimigo e isso lhe deu uma vantagem perante a experiência dele. – Ela tinha um tom mais leve e um sorriso brincava em seus lábios. Georgia estava sem folego então apenas lhe deu um “joinha” e saiu do ringue as pressas. Uma mão apertava as costelas e a outra o nariz. Não havia quebrado mas com certeza ele estava bem prejudicado, precisava cuidar daquilo imediatamente então a loira seguiu aos tropeços para a enfermaria, ainda incrédula por ter ganhado o “combate”.

Código:
Poder ultilizado: Aura de sono: Quando algum semideus/mortal chega perto do filho de Morfeu, ele começa a se sentir sonolento e se ficar muito tempo exposto a ele, acaba caindo no sono.

 



# your tags here, bitch

Lorde, The Hunger Games.



There caught up inside, both happy and lonely, keep telling me lies, they're killing me slowly
avatar
Georgia Blanchard
Filhos de Morfeu
Filhos de Morfeu

Mensagens : 181
Idade : 19

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 1º Aula de Combate Corporal

Mensagem por Gabrielle Sanchez Muñoz em Seg Maio 01, 2017 7:12 pm



AVALIAÇÕES



Modelo de Avaliação

Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp


Oliver Chad Matt

Criatividade: 40
Ortografia: 35
Coerência: 20
Ações Realizadas: 20
Aparência: 10
Total: 125 exp + 400exp

Spoiler:
Nota da Sammy: Você escreve muito bem e teve uma boa ideia de superação de limites, assim como não demonstrar medo ao lutar contra alguém muito mais forte do que você, mas atente-se ao fato de que a coragem pode, também, ser confundida com imprudência. Não é errado recuar em uma guerra, inadmissível é perdê-la.

Descontei alguns pontos de Coerência apenas por incompatibilidade de ações entre a Samanta real e a apresentada na narração. Ela pareceu, a mim, um pouco arrogante e debochada, algo que ela não seria... em aula. Ela não tinha motivos para tentar motivá-lo com o fator "Você não consegue. Me prove o contrário.", ela é bem direta quanto a lições. Pras aulas futuras eu tenho certeza de que essa pontuação crescerá, pois tudo é um aprendizado... e não é sua obrigação conhecer a personagem dos outros.

A aparência é importante, atente-se às falas e, um conselho que eu dou, separe-as por um enter, assim facilita o entendimento do diálogo. Tente não pôr a fala de dois personagens no mesmo parágrafo. Algumas vezes fiquei em dúvida sobre o que era fala da Samanta e o que era fala do Oliver. Use também os códigos da própria caixa de texto do fórum, como justify, bold e até colors pra distinguir falas. São estes os meus conselhos, por hora.


Guitti

Criatividade: 40
Ortografia: 35
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 145 exp + 400exp


America Schreave

Criatividade: 40
Ortografia: 35
Coerência: 25
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Bônus Grego: 50
Total: 190 exp + 400exp


Devon Ackerman

Criatividade: 40
Ortografia: 35
Coerência: 20
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 145 exp + 400exp


Evie Farrier

Criatividade: 40
Ortografia: 35
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Bônus Romano: 50
Destaque: 50
Total: 245 exp + 400exp


Kyra C. Ferreli

Criatividade: 40
Ortografia: 35
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 145 exp + 400exp


Alexis C. Chwe

Criatividade: 40
Ortografia: 35
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 145 exp + 400exp


Georgia Blanchard

Criatividade: 40
Ortografia: 35
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 145 exp + 400exp


Pelo grande número de semideuses que vieram à minha aula, estarei dando [Número de alunos] x 50 exp pra todo mundo, então, todo mundo tá ganhando 400 exp a mais, além da habilidade da aula.


This is War

A really strong woman accepts the war she went through and is ennobled by her scars.
avatar
Gabrielle Sanchez Muñoz
Filhos de Ares
Filhos de Ares

Mensagens : 439
Idade : 19

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 1º Aula de Combate Corporal

Mensagem por Vênus em Sex Maio 05, 2017 11:24 am

MODO DE AVALIAÇÃO
Introdução: 300
Informação: 300
Personagem: 200
Missão: 300
Habilidade: 300
Outras considerações: 100
Total: 1500 XP
Bonus: +30 por aluno presente na aula
Dracmas: 500 fixos + 50 por aluno

Samanta Sink
Introdução: 300
Informação: 300
Personagem: 200
Missão: 300
Habilidade: 300
Outras considerações: 100
Total: 1500 XP
Bonus: +30 x8 = 240
TOTAL VERDADEIRO - 1740
Dracmas: 500 fixos + 50x8 =400 (900 dracmas)


Vênus, love's lady
..
diva, déesse de l'amour et de la beauté ♦️
avatar
Vênus
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 2045

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 1º Aula de Combate Corporal

Mensagem por Sun Hee em Qua Jan 10, 2018 1:31 am

Treinão

"I had the time of my life, no I never felt this way before…."
Eu estava com a cara um pouco amassada, esticando os membros ao máximo enquanto abria a boca preguiçosamente. Se minhas olheiras não denunciassem minha noite mal dormida, nem meus olhos pesados, nem minha postura curvada, aquele bocejo longo o havia feito.

Por mais que eu adorasse ver aquela íris verde cintilante, acordar cedo para ir a uma reunião com o senado, seguido de uma chata noite de debate com senadores bocós, não era fácil... Nossa, muito menos quando se tinha um Leviatã na cabeça, retrucando tudo que era dito... E seguir de lá para um treino de boxe ao invés de um sorvetinho delicioso...

Mas esse é o preço de namorar uma filha de Ares... bem... não namorar, não sei, um lance? Na realidade, não tínhamos um nome, não nos ocupamos com um status. Isso nem importa, pois tudo que um semideus tem de seguro é o hoje.

Mas eu estava preguiçosa e com má vontade, então me encaminhei para os sacos de pancada, ouvindo as instruções sem o mínimo de atenção. TDAH estava nas alturas, e eu só conseguia processar a parte de bater no saco.

Dei um soco meio sem graça, olhando que a parede tinha sido descascada, e levei uma fuzilada dos olhos cintilantes da Samanta que repetiu em um tom mais baixo as instruções as quais eu não prestei atenção uma segunda vez.

Samanta segurava o saco de pancadas, ficando com o rosto vermelho do tom de seus cabelos e inchados como um balãozinho,  a cada soco que eu dava olhando para as costuras do equipamento, para a parede descascada ou a linha desencontrada que eu acabara de encontrar, no design da lona, ativando meu TOC...

Embora eu percebesse a fúria crescente, tremulando em sua aura, minha distração não me permitiu manter-me em prontidão... quando eu desviava meus olhos para a linha desencontrada, novamente, Samanta segurou o saco de pancada e direcionou-o contra mim. Eu desviei, contornando meu corpo para trás, formando uma ‘ponte’ no chão.

O saco zuniu no ar, a corda que segurava o equipamento no teto, protestou ruidosamente, rangendo contra a estrutura fixada no alto da construção. Por um minuto, achei que a corda arrebentaria e o saco cairia na minha barriga, mas foi só um alarme falso.

Meus olhos pequenos se arregalaram e eu ia protestar, mas a Sam começou a gritar os comandos, dando os socos na minha direção. Claramente ela não tinha intenção de me atingir, mas a pressão e os passos da ruiva em minha direção, me faziam observá-la sem sequer piscar.

- Jeb... Direto... Cruzado... Gancho... uppercut! – A filha de Ares protestou, fazendo o ar zunir enquanto seus punhos golpeavam o nada logo a frente dos meus olhos.

“Okey, lição 1: nunca deixar a Sam muito zangada. Lição 2: Jeb, direto, cruzado, gancho e uppercut!”

Para ser honesta, eu queria chorar de aflição. Mas engoli o choro e andei a passos pesados até o saco, cenho franzido e respiração pesada. Tentei iniciar os movimentos descritos pela ruiva.

Jeb era um soco mais simples, eu usava o braço adjacente à perna que estava na frente da base, usando a força disponível com um leve impulso de quadril para aumentar a potência. O direto era similar, mas o impulso do quadril era maior e um pequeno giro da perna era o segredo para aumentar a potência do golpe.

Até então, as coisas iam bem, mas chegou o tal cruzado... o golpe era complicado, minha mão resvalava no material sintético do saco e voltava na direção do meu rosto. Sam achou graça, tocou meu braço para consertar o ângulo e blá blá, mas eu estava furiosa e tirei o braço do alcance da maior.

Samanta sentiu minha irritação e seu rosto tomou um pequeno ar de preocupação.

- Hey... - Disse ela, me chamando, enquanto um bico choroso já se formava em meu rosto. - Desculpa, eu exagerei... não faz assim comigo...

Eu já estava limpando minhas lágrimas, malditas incompetentes e descontroladas gotas salgadas... fixei meus olhos no objeto vermelho e voltei a sequência do início, quando senti os braços firmes e musculosos da grega ao redor do meu corpo franzino.

O calor que emanava da menina, fazia meu coração acelerar. Minha mente protestava, as emoções conflitando em meu interior, enquanto a menina desculpava-se carinhosamente. Seus olhos avermelhados, do mesmo tom dos cabelos e do nariz, fitavam meu rosto em busca da desculpa que almejava.

Eu ainda desviava o olhar, tentando remoer a pequena mágoa, mas por fim cedi, entregando meu corpo pequeno ao calor que ela emanava. Naquele pequeno casulo, meu mundo parecia girar de forma coerente, as coisas pareciam ir bem e de certa forma, meu mundo passava a de um mar revolto e escuro, para uma pacífica maré esverdeada.

Eu me desculpei por não ter prestado a devida atenção, tudo certo quando todos reconhecemos nossas falhas, certo? Bem, me esforcei para ouvir os conselhos e acertar os golpes restantes.

Sam consertou a angulação do meu braço, mostrando-me que o soco deveria sair num ângulo preciso de 90 graus, que era um movimento rápido, mas com um bom impacto. O gancho não foi difícil, ele vinha um pouco mais curvo e exigia mais torção do meu corpo.

Para causar, o uppercut veio difícil, exigia um balanço de cintura que eu demorei a pegar, mas que funcionou como uma boa desculpa para a instrutora tocar meus quadris e depositar alguns beijos no meu pescoço, me fazendo perder o foco do propósito que tínhamos ali...

Eu sorri, era fácil se deixar seduzir por aquela mulher, mas bem esperta, a ruiva provocara e ordenara a continuação do treino.

- Bossy! - resmunguei.

No fim, aprendi os malditos socos, treinamos eles por cerca de uma hora, a Samanta rindo, enquanto eu choramingava de cansaço. Por fim, depois de muito choro, a ruiva me pôs nos ombros e foi me carregando de volta para casa.
"Baby, I'm sorry (I'm not sorry), being so bad got me feelin' so good..."

Sorry, not sorry - Demi Lovato








The darkness sparks

in her bloody heart
avatar
Sun Hee
Mortos
Mortos

Mensagens : 430

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 1º Aula de Combate Corporal

Mensagem por Gabrielle Sanchez Muñoz em Sab Jan 13, 2018 3:45 pm



AVALIAÇÕES



Modelo de Avaliação

Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp


Lee Sun Hee

Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: (150 exp + 400exp) x 2 = 1.100 exp

Spoiler:
Nota da Sammy: Eu adorei a forma como você me descreveu em sua postagem, principalmente por ter um pequeno contraste de atitudes entre alunos que não conheço e pessoas que conheço e pelas quais nutro algum sentimento. É importante você pegar a lição e ter me ignorado, talvez, tenha me feito levar para o lado pessoal, como se pudesse ser mais light o treinamento pelo simples fato de termos algum laço afetivo.

Não encontrei erros ortográficos e a ambientação, diferente das demais pois você narrou como se fosse uma aula particular, foi bastante coesa devido ao fato de ter comparecido à aula depois.

Parabéns, Sunny! Estou dando a mesma quantidade em exp que dei para todos os aluno.





Atualizado por Afrodite
Samanta recebe 50 XP e dracmas


This is War

A really strong woman accepts the war she went through and is ennobled by her scars.
avatar
Gabrielle Sanchez Muñoz
Filhos de Ares
Filhos de Ares

Mensagens : 439
Idade : 19

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 1º Aula de Combate Corporal

Mensagem por Nyx St. Douglas em Seg Nov 05, 2018 1:35 pm




no matter what we breed, we still are made of greed. this is my kingdom come
tell me pretty lies, look me in the face, tell me that you love me, even if its fake, cause i don't fucking care at all

SWEET DREAMS ARE MADE OF THIS
B E
U S E
WHO AM I TO DISAGREE?
Era hora de aprender a dar porradas em alguém direito. Pelo menos foi isso que Nyx constatou após voltar para o acampamento quase morta após a última missão que resolveu encarar. Dessa forma, a aula organizada por centuriões na arena do acampamento Júpiter viria a calhar, já que seria sobre uma técnica de luta corporal, coisa que ela não possuía por ter sido criada com animais e, portanto, lutar usando seus dentes e unhas.

Não era muito efetivo, realmente. Seus machucados provavam isso.

Assim que chegou na arena, notou um palanque grande que estava com algo parecido com uma cerca delimitando o perímetro dele. Ao lado, diversos equipamentos que ela nunca tinha visto antes estavam pendurados, cobrindo a pequena área interna que tinham feito no local para o treinamento. Os centuriões estavam de pé enquanto as pessoas se sentavam no chão do local conforme chegavam, o que atrapalhava um pouco a movimentação de gente que acabara de chegar. Nyx logo achou um local para ficar que não fosse tão longe de onde os instrutores estavam.

Como sempre, a garota não conseguiu acompanhar o discurso deles, embora estivesse entendendo algumas partes do que diziam. Após a introdução do conteúdo, os dois subiram no tal palanque, que ela ouviu chamarem de ringue, e começaram a se movimentar. As luvas de um eram diferentes das do outro, o que intrigou Nyx, que ficou concentrada para ver o que acontecia. Enquanto eles se moviam de uma maneira estranha, mudando o peso corporal, o centurião com as luvas "esféricas" começou a desferir golpes rápidos com sua mão esquerda, acertando as luvas do outro.

— O jab, que é esse golpe que estou fazendo, é rápido, mas não tem muita força. É mais para você testar o alcance que você tem e assustar o oponente, para fazê-lo baixar a guarda. Lutadores profissionais conseguem fazer jabs poderosíssimos, que se equiparam a um direto de um amador.

Então ele colocou o pé esquerdo para frente e a mão direita, vindo de trás, bateu com a força do tronco inteiro na luva do outro, que, se não estivesse ali, permitiria que o nariz desse centurião fosse quebrado. O barulho do golpe foi alto, assustando um pouco a garota. Após isso, o que desferiu tal soco continuou se movimentando como se nada tivesse acontecido e, novamente, repetiu o feito como o que tinha feito com o jab.

— Esse é o direto. Ele é dado com a força do tronco inteiro, já que você precisa girá-lo para fazer o golpe. É mais lento que o jab, mas é mais poderoso. Você consegue nocautear alguém com um soco desses.

Após aquilo, ele demonstrou dois outros golpes: o gancho e o uppercut. O primeiro era feito de maneira parecida com o direto, só que, em vez de manter o pé da frente reto, ele girava na direção que o golpe iria se não tivesse uma cara no meio, para conseguir aplicar melhor a força do tronco. O segundo era de baixo para cima, também usando o mesmo princípio de aplicar mais do que a força do braço no golpe, já que ele era feito meio agachado e o lutador quase pulava ao fazê-lo, usando a força extra para acertar o queixo do oponente.

Assim que terminou as demonstrações, os instrutores liberaram para que todos pegassem luvas de boxe em um dos caixotes que ali estavam e começassem a treinar nos sacos de areia os golpes que foram demonstrados. Nyx esperou que boa parte das pessoas pegassem as luvas para que fosse atrás de uma para si. Ajudada por outro campista, conseguiu vestir o equipamento e ir para um dos sacos que não estava sendo usado, um pouco incomodada com a sensação nova de ter uma luva daquelas envolvendo suas mãos.

Começou a praticar o primeiro golpe e logo percebeu que não era tão simples quanto parecia. Seus jabs, por mais que tentasse colocar velocidade neles, eram muito mais lentos do que qualquer iniciante que ali estava. Esmurrando o saco de diferentes maneiras, fazendo tudo que tinha observado os instrutores fazerem, não entendeu o porquê de não estar conseguindo fazer tal soco. Nessa hora, um dos centuriões se aproximou e, após observá-la por um tempo, colocou uma mão no ombro da garota, chamando sua atenção.

— O jab não usa força. É jeito. — se colocando na frente do saco de areia, ele pediu para que ela o observasse. — Você não precisa ficar com o punho totalmente cerrado, apertando seus dedos contra sua palma fortemente. Relaxa. Contraia os dedos somente o suficiente para fechar o punho e, aí, movimente-o contra o saco. — esmurrou uma vez, demonstrando o que dizia. — Cuidado para não estender o braço totalmente, tá? Olha aqui como o meu braço está. Eu não estendi ele todo, percebe? Isso porque o cotovelo é uma articulação que tem movimentos limitados, ou seja, você pode se machucar se tentar dar jabs com ele estendido completamente.

Após o auxilio do instrutor, não demorou muito para que os jabs saíssem com velocidade e, experimentando a nova movimentação, a garota começou a adicionar mais força no golpe, mas, diferentemente de antes, ela o fazia por meio do aumento da velocidade do braço e não mais cerrando os punhos. O direto, sendo um golpe mais fácil, saiu facilmente após uma série de jabs, embora ainda houvessem alguns pequenos erros com relação ao posicionamento do corpo. Atenta as dicas que eles davam a si e aos outros que estavam ao seu lado, Nyx corrigiu os pequenos erros que estavam em sua postura e começou uma série de diretos, fazendo com que seu corpo se acostumasse com aquela forma que contraia os músculos.

O gancho foi um pouco mais complicado de se aprender por causa da troca de peso entre as pernas, já que o pé que estava na frente se movia durante a execução do golpe, direcionando a força do tronco para a lateral escolhida. Mas não demorou tanto assim para que ela sacasse as manhas do soco e conseguisse desferi-lo com uma forma cada vez melhor à medida que tentava corrigir sua postura e movimentação. Tanto que, alheia a observação que sofria, assustava seus companheiros de treino com a força que conseguia colocar em tal golpe, quase arrancando o saco de areia que treinava do local onde estava.

Mas o uppercut, que era o mais difícil de todos os golpes, se provou ser um desafio bem maior do que todos os outros. Por mais que tentasse, não conseguia ajeitá-lo sozinha e, mesmo com a ajuda dos instrutores, ainda tinha dificuldade em conseguir direcionar toda a força do corpo para a mão que golpearia o saco de areia, justamente porque a forma do golpe era bem complicada de se fazer para alguém que não tinha experiência naquilo. Mesmo assim, ele conseguia sair com uma força intimidante, que botava medo até em alguns campistas experientes.

— Filhos de Marte são outro nível... — ela ouviu alguém dizer enquanto recuperava o fôlego perdido com as séries de golpes.

Ao final da aula, todos foram reunidos e, por sorteio, foram definidas as duplas que lutariam entre si. Nyx, sendo a terceira a lutar, enfrentaria outro filho de Marte, ele estando na IV coorte. Se cumprimentando com as luvas, o instrutor, que fazia as vezes de juiz, logo deu as regras para os dois, proibindo áreas do corpo a serem golpeadas e checando se estavam com os equipamentos de segurança vestidos apropriadamente, sendo esses o protetor de boca e de cabeça. Após ajeitar os da garota, ele deu o sinal para que começassem a luta.

Os dois se analisavam enquanto trocavam o peso entre as pernas, mexendo-se bem para quem não tinha contato com o boxe até àquela aula. Nyx ergueu as mãos contra o rosto, se protegendo da série de golpes que ele começou a fazer e, por causa disso, sendo forçada a se afastar para uma das pontas do ringue. Então, assim que percebeu um pequeno delay entre cada golpe que ele fazia, desferiu um jab que cortou o combo. Agora no controle da situação, conseguiu encaixar uma sequência de golpes rápidos, forçando o recuo do oponente e, assim que a guarda dele baixou um pouco, desferiu um direto poderoso, que teria nocauteado qualquer outro semideus, porém só fez com que ele só cambaleasse para trás.

Sua surpresa foi enorme quando, aproveitando-se do movimento, o oponente desferiu um uppercut certeiro em seu queixo, a fazendo cair desorientada. A contagem começou e, por alguns segundos, ela estava tonta demais para conseguir se levantar. Porém, ao final do sétimo segundo, conseguiu se recuperar e ficar de pé, recomeçando a luta. O jovem não perdeu muito tempo e começou a desferir uma série de golpes mais complexa que jogou ela para um dos cantos, ficando rapidamente indefesa. Sem outra alternativa, Nyx aguentou cada golpe, se defendendo como podia.

Fazendo uma escolha que surpreendera a todos, ela baixou a guarda e, após tomar um jab bem no meio dela, desferiu um gancho de direta tão poderoso que jogou o oponente no chão com tamanha força. Cambaleou um pouco como resultado do golpe que sofrera e, apoiando-se nas cordas do canto, observou o corpo desorientado do oponente, ouvindo a contagem regressiva no fundo de sua mente. Ofegante, usou aqueles segundos que ele estava no chão para recuperar o fôlego, percebendo que a luta iria continuar, já que o filho de Marte reagiu, levantando-se vagarosamente.

Recomeçando a luta, trocaram jabs cautelosos até o final do tempo que deveriam lutar e, embora tentassem encaixar golpes poderosos, não conseguiram resultado expressivo que pudesse definir o round. Deixando a decisão desse combate amistoso para os juízes, os jovens aproveitavam para se recuperar em seus cantos. No final, Nyx perdeu por decisão dos instrutores, que consideraram que seu oponente exerceu maior dominância sobre ela do que o contrário.

Suada e cansada, a garota fez uma reverência ao oponente e aos instrutores, indo para sua coorte logo após isso.

*


*FPA no Spoiler de Poderes
Poderes:
Como filha de Marte, considerar:

Passivos:
Nível 1
Nome do poder:  Espírito de Guerra
Descrição: Ares/Marte é o deus da guerra, profundo amante de combates e um dos principais deuses amantes da morte. Seus filhos possuem um espírito parecido com o do deus, de modo que todos os conhecimentos referentes a guerra (como sinais de comunicação, técnicas de sobrevivência básica, manuseio de armas e tudo mais o que tiver ligação direta com guerra), surgem naturalmente na mente do semideus, mesmo que ele jamais tenha passado por alguma situação de dificuldade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguem elaborar planos, ler mapas e criar estrategias com mais facilidade.
Dano: Nenhum

Nível 4
Nome do poder: Combate não Armado
Descrição: Nos combates de uma guerra, muitas vezes o combatente acaba sendo desarmado, acabando sua munição ou perdendo sua arma, obrigando-o a utilizar apenas seus punhos para sobreviver. Sendo peritos em combates desarmados, os filhos de Ares/Marte sabem técnicas marciais de todas as artes marciais existentes, mesmo que nunca tenha feito uma aula sequer. As técnicas podem ser utilizadas para a elaboração de movimentos complexos, como mortais, piruetas, ataques acrobáticos e golpes que requeiram uma grande elasticidade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Seus golpes desarmados dão 20 de dano base.

Nível 8
Nome do poder: Velocidade Atlética
Descrição: Um bom combatente sempre está preparado fisicamente para os futuros combates, sendo que as proles do deus da guerra levam a sério seus treinamentos rígidos, buscando sempre serem melhores. Devido a condição física e biológica natural do semideus, e de seu empenho nos treinamentos, são quase tão rápidos e ágeis quanto filhos de Hermes, conseguindo correr longas metragens sem se cansarem. Movimentos de finta, esquiva e outros que requeiram velocidade/agilidade, sempre possuem mais chances de funcionar contra inimigos mais lentos, além de perderem em uma corrida apenas para seres tão velozes quanto filhos do deus mensageiro.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: 15% de chance de conseguir se esquivar, pular, e saltar em uma luta com inimigos mais fracos, ou mais lentos.
Dano: Nenhum

Nível 19
Nome do poder: Preparo Físico
Descrição: Cultivadores de seus corpos e exímios treinadores, os filhos do deus da guerra, sempre buscam ultrapassar seus limites, trabalhando arduamente para isso. Sempre serão os últimos a cansar em batalha, de modo que em caso da MP do semideus ser gasta a ponto de chegar a zero, ele não irá desmaiar e poderá continuar lutando, desde que não gaste mais energia em poderes ativos. (Será impedido de usar poderes ativos, mas poderá continuar lutando, diferente de outros campistas que se chegarem a 0 de MP desmaiam e são incapazes de continuar em campo).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 25
Nome do poder: Força III
Descrição: O filho do deus da guerra sempre soube que sua força sobrepujava os demais campistas, e agora seus golpes ficaram ainda mais potentes. Carregar peso, dobrar armas ao meio e até ajudar a carregar um colega sozinho lhe parece uma tarefa muito mais fácil do que para os demais campistas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% de força
Dano: +15% de Dano se o ataque do semideus atingir.

Nível 30
Nome do poder: Disciplina
Descrição: Os campistas de Ares/Marte são os mais disciplinados e focados. Com isso, sua resistência a poderes/habilidades que envolvam alterações emocionais ou na personalidade do campista é bastante forte. Poderes mentais e de persuasão tem o efeito reduzido no filho de Ares/Marte, assim sendo, dificilmente o semideus irá deixar que distrações tirem de si o foco em sua missão.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poderes relacionados a charme, ilusão, ou jogos mentais, terão o efeito reduzido em 20% nos filhos de Ares/Marte. Se o dano ou efeito era de 100, será apenas de 80 no campista de Marte/Ares.
Dano: Nenhum

Nível 32
Nome do poder: Ignorando a dor II
Descrição: Já fortificados e com o corpo repleto de cicatrizes e demais sinais de combate, os filhos de Ares/Marte melhoram a capacidade de ignorarem a dor de ferimentos, podendo lutar normalmente mesmo se estiverem com luxação, dedos quebrado ou ferimento profundo e não mortal. Nesse nível, caso o golpe incapacite um membro do semideus, a dor poderá ser ignorada apenas durante três turnos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Podem ignorar a dor de queimaduras de grau médio, desde que não sejam em grande escala de estrago, luxações, câimbras, fraturas em dedos e etc. Apesar de serem afetados, e sentirem dor, conseguem continuar lutando. Fraturas em braços, pernas, costelas e outros membros não entram nesse poder.
Dano: Nenhum

Nível 33
Nome do poder: Resistência
Descrição: Após tantas batalhas, tantos treinamentos e por levarem sempre seus corpos ao limite, os filhos de Ares/Marte possuem um corpo calejado, acostumado a apanhar e sofrer desgastes físicos. Ao sofrerem ataques físicos, os semideuses sofrerão danos menores, sendo capazes de suportar por um tempo maior os combates contra seus oponentes.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: 15% de resistência a mais no corpo em ataques físicos (socos, chutes, bater a cabeça dele em algum lugar, acerta-lo com bastões e etc).
Dano: Nenhum

FPA (o nível está desatualizado no dia que eu fiz esse post)

Nome do poder: Corpo Intuitivo I
Descrição: Após um árduo treinamento no qual o semideus pôs o corpo a prova, estressando-o até o limite, o semideus ganhou a capacidade de se adaptar a qualquer situação adversa. A habilidade lhe confere a capacidade de manter suas bonificações de agilidade e velocidade mesmo que sua movimentação esteja limitada por outros fatores que não sejam ferimentos e magias.
Gasto de MP: Nenhum
Gato de HP: Nenhum
Bônus: +20% de Velocidade e +20% Agilidade, também não perderá bonificações destes atributos quando estiver com movimentação limitada por algo que não seja lesão, congelamento ou magia.

Extra: Nenhum.
Arsenal e Tatuagens:
Tatuagem SPQR [Tatuagem de coloração negra feita na parte inferior do antebraço direito. Possui o desenho de duas lanças cruzadas, seguido abaixo pelas letras SPQR, um risco para cada ano servindo a Legião e escrito Iª Coorte. Uma vez por missão/evento, os poderes ativos utilizados pelo semideus terão um bônus de 5% de força/funcionalidade durante três turnos.]

Invicto | Inteligência [ Uma tatuagem de nota musical em seu pulso direito | Amplia a mente do semideus, o fazendo aprender mais rapidamente tudo que lhe é ensinado. Além disso, sua capacidade de descobrir coisas e sua percepção sobre situações aumenta em 20%, seus planos e estratégias com isso, ganham bônus de 20% de chance para darem certo| Ainda recebe bônus de 5% em habilidades adquiridas em aula. | Pulso Direito | marca pequena | Permanente.]
avatar
Nyx St. Douglas
I Coorte
I Coorte

Mensagens : 119

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 1º Aula de Combate Corporal

Mensagem por Luna Minn em Seg Nov 05, 2018 2:53 pm

boxing lessons
BE BETTER THAN BEFORE


Não acreditando na chance única que tinha para aquele momento, não deixei de aproveitar a oportunidade de fazer uma aula de boxing oferecida por Maxine, a atual instrutora de combate corporal e sucessora de Samanta Sink, antiga instrutora da modalidade de aulas. A loira começava a aula com uma demonstração, pedindo que alguém se voluntariasse e sentisse o impacto dos golpes a serem recebidos. Como eu não tinha experiência alguma naquilo, seria mais inteligente sentar e observar os movimentos com atenção.

Estudo os golpes que a instrutora dava entre piadas rotineiras que eu já estava acostumada a ouvir vindas de Max, especialmente após fazermos um treinamento todo juntas. Rindo especialmente com as brincadeiras bobas e com teor sexual da amazona. Apesar da descontração e momentos de brincadeira, quando os golpes eram apresentados, Maxine passava com extrema didática, trazendo não somente o visual, mas também a técnica. Aquilo tudo somente me deixou mais ansiosa para entrar em ação, queria sentir colocar em prática as coisas que aprendi enquanto estavam frescas em minha memória.

Levantando-me do chão e fazendo um breve aquecimento antes de pegar pesado com os golpes, tento relaxar o máximo possível. O jab, golpe conhecido por ser direto e frontal era meu primeiro escolhido, me fazendo posicionar em frente ao menor saco de pancadas, um que parecia uma bola de football. A mão que seria usada não importava, ao menos para mim, que possuía ambidestria após uma das aulas no acampamento. Mantendo a mão fechada e vestindo uma luva de boxe, me recordo da posição de guarda, com ambos os braços dobrados em frente ao rosto, como uma proteção.

Tento primeiro o golpe com a direita, utilizando minha força para acertar o equipamento com um soco. Minha mira é certeira, porém, Max sorrateiramente ajeita a minha postura, provavelmente torta, sem sequer dizer nada e sai de perto, fazendo-me testar com a esquerda. Firmo os pés no chão, sendo que o direito fica na frente para facilitar o movimento, e então soco mais uma vez a bolinha, agora com a mão esquerda. O efeito desta vez foi muito mais impactante e o equipamento dançou um pouco para frente e para trás até que eu o segurasse e mantivesse no mesmo local, treinamento mais uma vez até que meu corpo se acostumasse ao movimento e posição, com ambas as mãos.

Passo então para o segundo movimento, informado pela instrutora que é muito mais potente que o primeiro. Respiro fundo e então volto a me posicionar como no primeiro golpe, porém, agora ao invés de utilizar a mão que está na frente da guarda, utilizo a de trás. A mão suava dentro da luva e meu corpo sentia também o calor pela intensa movimentação e uso de força. Me concentrava no meu alvo, treinando mais uma vez com a mão direita e então, a esquerda. A cada movimento percebo o quanto mais forte minha mão acertava o equipamento, se fosse uma comparação entre o direto e o jab, definitivamente o direto faria o dobro do estrago do jab.

- Boa, garota! - Ouço Max e então, dou uma risada baixa, continuando a treinar aquele mesmo golpe por um tempo com o mesmo intuito de me recordar da movimentação antes de passar para o próximo, que seria um golpe cruzado, ou seja, reto como os dois primeiros, porém visando a lateral do rosto adversário, não a frente. Sabia o quanto um golpe na têmpora poderia atordoar alguém, afinal era um ponto de pressão importantíssimo, muitos o utilizam para diminuir dores de cabeça, porém, considerando aquele golpe, certamente a pessoa atingida teria muita dor de cabeça.

Me preparo com o mesmo posicionamento de pernas dos golpes anteriores, tentava manter minha postura o melhor que consigo mantendo a força no quadril e abdômen para facilitar o movimento dos braços e então, ameaço dar o meu primeiro golpe, mas Max segura meu braço e então força o meu ombro a relaxar um pouco. - Vai se machucar assim, cuidado. - Faço que sim com a cabeça relaxando um pouco os ombros e pescoço, era como usar arcos, o segredo estava em manter o corpo relaxado. Respirando fundo mais uma vez, avanço com a direita no equipamento maior, minha mão pega em cheio na lateral, sempre fechada e firme na posição. Se aquilo fosse uma cabeça, certamente a pessoa cambalearia. Seguro o saco de areia e mais uma vez, treino com ambas as mãos, até me acostumar com o golpe e sentir firmeza em realizar os dois últimos.

O gancho era um golpe bastante comumente visto e utilizado, diferente dos três primeiros, o braço deveria estar arqueado ao atingir o oponente. Talvez o impacto seria sentido não no ombro, mas agora no cotovelo. Me preparo para tentar acertar a lateral do saco de pancadas mais uma vez, agora fazendo o golpe aberto, não fechado. Com o braço arqueado como se fosse abraçar alguém, uso o impulso do quadril e movimentação de pés para poder ganhar força no golpe, acertando no saco de pancadas direto, fazendo um som alto e balançando o equipamento de treino. Assim como fiz com os demais golpes, o repito algumas vezes até me contentar com o desempenho com ambos os braços, partindo para o último de todos os golpes, o uppercut.

Talvez o que estava me deixando mais ansiosa para treinar, aquele golpe vem de baixo, passando pela guarda com facilidade e acertando o queixo do oponente. Sentindo o corpo já desgastado pelo esforço, troco de saco de pancadas para um que era menos longo e que ficava mais longe do chão, especialmente utilizado para golpes como aquele. Abusando de minha agilidade e força, desfiro o golpe vertical de cima para baixo com o braço arqueado e acerto com o punho na parte de baixo do equipamento que é lançado com o impulso para cima fazendo um barulho alto com a corrente que era movimentada pelo ar. Treino aquele golpe algumas outras vezes, acostumando uma última vez meu corpo e minha memória as diferentes estilos de golpes. Esperava que funcionasse durante a luta que teria que enfrentar a seguir.

Aguardando os primeiros semideuses que se juntaram em duplas, aguardo por meu nome ser chamado junto com o de mais alguém. Maxine havia se responsabilizado por formar as duplas, ou seja, certamente escolheria alguém à minha altura e experiência. Um garoto chamado Matt foi selecionado, se unindo à mim no quadrado de luta. Pelas características corporais se tratava de um filho de Dionísio, aparentava estar bêbado. Ao menos seus olhos estavam bastante vermelho e ele fedia a álcool.  

Me preparo ainda vestindo as luvas vermelhas e firmes no punho, o primeiro golpe foi meu, pois o semideus ficou lento demais por estudar minhas feições belas por ser uma filha de Perséfone, perdendo totalmente o timing após liberação da instrutora. Permanecendo de guarda, o ataco com um golpe direto, acertando-o na lateral da bochecha, perdendo a oportunidade vendo-o se desviar do golpe, imediatamente voltando à posição de guarda antes que ele tentasse me acertar com um uppercut que, sendo rápida o suficiente, me esquivo para o lado, fazendo somente a lateral externa do meu braço ser afetada. Por fim, me encontro em uma situação favorável, tendo o espaço perfeito para dar um gancho mirando sua têmpora.

Queria que ao menos o garoto caísse para finalizar a luta, portanto me recordo dos movimentos e utilizando as posições de pé e giro de quadril, fechando a mão bem forte dou o soco em sua têmpora, desta vez acertando-o em cheio e fazendo-o cambalear e interrompendo a formação para jabs que ele estava planejando me acertar com bem na barriga, completando a imagem de pessoa bêbada que ele passava inicialmente e enfim, vendo-o cair sentado no chão. - Knock down! - Max grita animada, confesso que me senti um pouco mal por aquilo, mas definitivamente não consegui não sorrir com a animação da instrutora. Ajudo o meu oponente a se levantar e então falo com respeito ao adversário que aceita a mãozinha.

- Boa luta! - Elogio aguardando até que ele se recuperasse do golpe e então retiro as luvas, limpando as mãos repletas de suor na calça de ginástica deixando o quadrado e entregando a luva à instrutora. Recebendo em troca, uma toalhinha higienizadora de mãos. - Obrigada! - Sorrio fazendo questão de realizar a limpeza das mãos enquanto me sentava para assistir às demais lutas.


FPA

OBSERVAÇÃO: Esta é uma das aulas que comprei aqui antes de todas serem reabertas.

Tatuagens:
Invicto | Inteligência | Um galho com pequenas flores e folhas em suas ramificações. (Imagem ilustrativa) | Amplia a mente do semideus, o fazendo aprender mais rapidamente tudo que lhe é ensinado. Além disso, sua capacidade de descobrir coisas e sua percepção sobre situações aumenta em 20%, seus planos e estratégias com isso, ganham bônus de 20% de chance para darem certo| Ainda recebe bônus de 5% em habilidades adquiridas em aula. | Nuca | Marca pequena | Permanente.

IPeper | Percepção | Um galho com pequenas flores e folhas em suas ramificações. (Imagem ilustrativa) | Aumenta a percepção do semideus em +30%, aumentando as chances de descobrir algo ou alguma coisa, além de reduzir as chances de ser enganado por meio de palavras, rastros e pistas forjadas, entre outras coisas. Além disso, ele fica mais habilidoso quando está procurando por algo ou alguma coisa, e as chances de encontrar rastros, pistas ou coisas deixadas, também se torna maior.| Tornozelo (interno) | marca pequena | Permanente.

Infinite Power | Atributos | Tatuagem pequena na lateral do dedo mindinho da mão dominante do semideus. Forma o símbolo do infinito em cores diversas, que mudam conforme o humor do seu portador sempre que este entra em combate, ativando seu efeito automaticamente. | Aumenta todos os atributos que o semideus já possui em +20%. | Lateral do dedo mindinho | Marca pequena | Permanente.

Wally West | Velocidade| Uma pequena marca na lateral da costela da semideusa em formato de rosa, um simples girassol no estilo simplista e delicado, dando graça à área. (Imagem ilustrativa) | Aumenta a velocidade do semideus em 10% | Lateral da costela, abaixo do seio esquerdo. | marca micro| Permanente.

Force upgrade | Força | Uma marca em forma de rosa no pulso do braço esquerdo, é bastante simples e delicada. (Imagem ilustrativa) | Aumenta a força do semideus em 10% | Pulso | Micro marca | Permanente.

Habilidades Adquiridas:
Nome da Habilidade: Noção Básica de Tai Chi Chuan
Descrição: Tai Chi Chuan é uma arte marcial milenar espelhada no elemento água. O semideus é capaz de se tornar fluído como o rio, que serpenteia por entre as pedras sem nunca ser parado. O usuário desta técnica recebe um bônus de 30% de esquiva e 25% de Força de Vontade contra Medo ou Ilusão. Uma vez a cada dois turnos ele é capaz de golpear um membro do adversário, no músculo correto, e inutilizá-lo por 1 turno inteiro.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: + 30% em Esquiva; + 25% em Força de Vontade contra Ilusão e Medo;
Dano: Dano de golpes em Tai Chi recebem 15HP, podendo ser somado com Noção Básica de Pugilismo, aumentando 25HP por soco.

Nome do poder: Almanaque dos Deuses
Descrição: Após aprender sobre cada um dos deuses que possuem filhos ou aliados aqui no fórum, o semideus é capaz de saber quais são os poderes que eles possuem, além de sua forma grega e romana. Podendo identificar seus descendentes com facilidade.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Tem 40% de chances de não serem pegos de surpresa em uma batalha.
Extra: Sabe nomear e descrever cada um dos deuses e seus filhos, adquirindo conhecimento pleno e básico.

Nome da Habilidade: Perícia Corporal I
Descrição: Treinar o corpo e a mente para tornar-se um melhor guerreiro é quase que uma obrigação de cada meio-sangue, caso ele deseje sobreviver nesse mundo louco. Assim sendo, depois de uma aula de perícias, o corpo do semideus foi condicionado e treinado para melhorar a agilidade, a esquiva e o reflexo.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em agilidade, esquiva e reflexo.
Dano: Nenhum

Nome da Habilidade: Perícia Corporal II
Descrição: Treinar o corpo e a mente para tornar-se um melhor guerreiro é quase que uma obrigação de cada meio-sangue, caso ele deseje sobreviver nesse mundo louco. Assim sendo, depois de uma aula de perícias, o corpo do semideus foi condicionado e treinado para melhorar a resistência corporal. Irá se cansar mais dificilmente, estando preparado para realizar exercícios físicos mais complexos. Assim, possui um melhor desempenho em combate, podendo permanecer lutando mais tempo que outros.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em resistência física.
Dano: Nenhum

Nome da Habilidade: Perícia em Ambidestria
Descrição: Depois de treinar, o semideus é capaz de usar ambas as mãos e pernas em combate, distribuindo força e equilíbrio necessário para já ter a mesma eficiência no uso. Será capaz de, por exemplo, usar duas armas ao mesmo tempo além de equilibrar-se mais fácil por ter ambas as pernas como dominantes.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de força e equilíbrio.
Dano: Nenhum

Nome da Habilidade: Prática de Asanas
Descrição: O corpo é tão jovem quanto flexível. Exercícios de yoga enfatizam a saúde da coluna vertebral, a sua força, equilíbrio e flexibilidade. A prática dos Asanas (exercícios de Yoga) aumenta esses três atributos do semideus.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em equilíbrio e flexibilidade.
Extra: + 10% em Força.

Nome: Pranayama
Descrição: Inspire; expire; respire; aspire; não pire. Com o aprendizado sobre a prática do Pranayama, o semideus sabe a forma mais proveitosa de respirar e beneficiar o corpo com a distribuição correta do oxigênio. Isso o ajuda a controlar a sua energia vital adequadamente, ajudando-o a encontrar o equilíbrio entre seu corpo e sua mente. Com isso, consegue manter-se tranquilo diante de situações adversas e isso melhora seu controle corporal durante atividades físicas.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +30% concentração, percepção e destreza corporal.
Dano: Nenhum
Extra: O semideus tem mais chances de manter o controle emocional diante de situações adversas.

Poderes Passivos - Filhos de Perséfone:
Nome do poder: Beleza Incomum III
Descrição: Em tal nível a atração que o semideus, prole de tal divindade, excerce é ainda maior, sendo comparado ao encanto dos filhos de Afrodite/Vênus. Fazendo com que o mesmo ganhe vantagens no campo de batalha.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nunca será atacado de primeira, no primeiro turno, inimigos sempre vão evitar atacar você, lhe dando a chance de começar fazendo estrago. E, inimigos que permanecerem o observando, irão se tornar mais lentos.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Esquiva II
Descrição: Se antes você era ágil, com certo treino, se tornou um gatuno ágil, em batalha, é mais rápido que a maioria dos campistas, e consegue se defender, se esquivar de forma rápida e eficaz, o que a maioria não consegue fazer.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% de esquiva e velocidade
Dano: Nenhum

Poderes Passivos - Curandeiros de Asclépio:
Nome do poder: Aura apaziguadora
Descrição: Um bom curandeiro tem que apaziguar o coração dos feridos e familiares, portanto você possui uma aura pacifista que acalenta os corações dos enfermos e familiares.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: O poder irá apenas funcionar caso o indivíduo esteja possuído.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Conhecimento de anatomia
Descrição: O corpo humano não é um segredo para você, o nome de cada veia e por onde ela passa, levando o que pra onde, cada ínfimo detalhe dos músculos, ossos e demais tecidos são conhecidos por você.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Consegue tratar o paciente com maior precisão.
Dano: Nenhum.
Extra: – 10% de chance de causar danos colaterais na hora de tratar ferimentos.

Nome do poder: Força aprimorada
Descrição: Carregar pacientes e imobilizar pacientes em estado de eclampsia e epilepsia exige força, por isso, os abençoados do deus Asclépio são mais fortes que o comum.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 15% Força
Dano:  Nenhum.

Nome do poder: Convicção Inabalável
Descrição: Médicos não podem deixar-se abalar por nada: eles dificilmente ficarão assustados ou abalados com algo, assim como serão surpreendidos com menos eficácia e nenhuma mentira lhes escapa, embora às vezes os mentirosos mais hábeis, como os filhos de Éris, consigam ocultar em parte sua mentira. Omissão não é afetada, pois não é uma mentira.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Capazes de detectar facilmente mentiras de semideuses com nível igual ou inferior, exceto os semideuses com habilidades para tal.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Agilidade III
Descrição: Os procedimentos médicos exigem certa agilidade, portanto, curandeiros são um pouco mais ágeis que os humanos normais.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 20% agilidade
Dano:  Nenhum.


life has made me
TOUGHER & STRONGER
avatar
Luna Minn
Imortais
Imortais

Mensagens : 1513
Idade : 21
Localização : Camp Half Blood

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 1º Aula de Combate Corporal

Mensagem por Max Hayes em Seg Nov 05, 2018 7:31 pm

Tag: Avaliação
BOXING


Nome: Noção Básica de Pugilismo
Descrição: Pugilismo, ou boxing, é a habilidade de usar os próprios punhos como poderosas armas de impacto. São extremamente úteis quando o semideus encontra-se desarmado e precisa lidar com uma situação crítica com o uso da própria força. Golpes só serão descontados de dano se atingirem áreas sem armaduras. Em caso de golpe em armadura de couro ou golpes de raspão, dano reduzido em 50%.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum.
Dano: Todo dano físico, com o uso dos punhos, recebe dano padrão de 25HP.

MÉTODO AVALIATIVO

Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp


• Nyx
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp + Habilidade

• Luna
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp + Habilidade



(C) Ross


Atualizado por Febo.


Maxine Hayes


∆ LYL - FG


avatar
Max Hayes
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 519

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 1º Aula de Combate Corporal

Mensagem por Koda Smith em Seg Nov 12, 2018 1:19 pm



Training
Boxing lession


É interessante você perceber que, mesmo com tantos estilos de luta existentes no mundo, algumas coisas ainda se resumem a um bom direto na cara do oponente. E era isso que a instrutora de boxe estava tentando nos ensinar.

A instrutora, uma filha de Ares (que surpresa, não?), estava à frente da turma ensinando os principais golpes do boxe. Ao seu lado, um corajoso voluntário estava servindo de saco de pancadas para a demonstração dos golpes. A garota explicava cada golpe e então aplicava no semideus ao seu lado, que usava vários tipos de proteção, para não se machucar.

Primeiro a semideusa ficou em guarda, com o braço esquerdo e a perna esquerda a frente, enquanto o braço direito estava mais recuado, assim como sua perna direita. O braço esquerdo da garota desferiu um soco rápido na direção do rosto do saco de pancadas. Ele rapidamente colocou seus antebraços a frente de seu rosto, para proteger a área do soco. Logo após, ela aplicou um direto com a mão direita.

Após isso, ela explicou como se aplicava um soco cruzado, visando atingir a lateral do rosto do oponente. Era um golpe simples, mas que possuía um potencial destrutivo muito grande, já que atinge a têmpora e o queixo. Após isso, ela mostrou um golpe que era um pouco mais elaborado do que os outros. Jogando o pé que estava na frente para trás, seu braço fez um arco indo em direção ao rosto do voluntário. Mesmo se preparando para receber o ataque, ele deu alguns passos para o lado, ao ser acertado. A potência do golpe, como explicara a instrutora, se devia ao fato de todo o corpo girar ao aplicar esse golpe, assim aplicando velocidade e força ao movimento.

Por fim, o garoto protegeu seu queixo, enquanto a garota aplicava nele um gancho, que consistia em um golpe vindo de baixo para cima, visando acertar o queixo do oponente. Em uma luta de verdade, esse poderia ser um golpe decisivo, já que acertava um ponto que poderia deixar o inimigo desorientado, pronto para receber uma chuva de outros golpes.

Com o fim das explicações, a instrutora nos disse para praticar os golpes aprendidos em alguns sacos de pancada. Ou então, se assim quisessem, poderiam treinar com outros semideuses mesmo. Assim teriam um alvo melhor para treinar. Decidi por utilizar o saco de pancadas. Pelo menos ele não revidaria.

Como a garota havia instruído, utilizei algumas faixas como proteção para minhas mãos. Elas evitariam que meus dedos se machucassem com o contato direto com o couro. Fiquei em posição de guarda, com meu braço esquerdo a frente, e comecei a socar o saco de pancadas. Primeiro com um jab saindo de minha mão esquerda. Depois, apliquei um direto com a mão direita. Passei alguns segundos alternando entre esses golpes. Socava duas vezes com a mão esquerda e depois alternava com a mão direita para, logo em seguida, aplicar mais um jab com a mão esquerda. Após isso, troquei meu pé de apoio para o direito, assim mantendo a mão direita a frente e aplicando os jabs com ela. Treinei alguns combos até meus braços estarem familiarizados com a movimentação desses dois socos.

Após isso, iniciei o treinamento dos cruzados. Alternando entre as duas mãos, aplicava os golpes dos lados do saco de pancadas, como se estivesse visando a cabeça de algum inimigo. Os cruzados eram potentes, mas deixavam a guarda aberta por mais tempo do que os jabs e diretos. Isso poderia ser prejudicial em uma luta real. Bastava apenas o oponente defender o golpe e acertar um direto no meu nariz e pronto.

Por fim, tentei aplicar um gancho no saco de pancadas. Meu giro ainda não era perfeito, deixava meu flanco muito desprotegido e eu não conseguia voltar a ficar em guarda rapidamente, então decidi deixar esse golpe apenas para casos especiais. E, por último, apliquei alguns ganchos no saco de pancadas. O golpe exigiu bastante de meus músculos. Especialmente os do braço, onde havia o impulso de força para que o golpe fosse eficiente.

Durante meu treinamento com o saco de pancadas, a instrutora me deu alguns conselhos úteis, como ajustar a guarda, focar mais na velocidade do que na força, dependendo do golpe, além de sempre ficar em movimento, em uma luta real.

Quando todos pareciam estar habituados aos golpes, a instrutora nos separou em duplas, para treinar um pouco os movimentos em um combate real. Por sorte, ou azar, meu oponente era um filho de Ares. Seria uma luta interessante, visto o histórico de rixas entre os filhos do deus da Guerra e as proles da Sabedoria.

Colocamos luvas próprias para a prática do esporte e, após a preparação, fomos para o combate. Era difícil prever os movimentos do garoto, pois ele poderia utilizar várias técnicas, além de também estar me estudando. Decidi investir contra o oponente, aplicando um jab de esquerda no rosto o inimigo, que defendeu com seus antebraços. Sem perder tempo, emendei um direto, para pegá-lo desprevenido. Não adiantou, pois ele também esperava aquilo.

Uma sensação de frustração se apoderou de mim, o que fez com que eu quisesse terminar rapidamente aquela contenda. Então comecei a aplicar golpes em sequencia, que eram todos defendidos pelo oponente. E esse foi meu erro. Ao pressioná-lo, ele ficou cada vez com mais raiva, o que foi liberado com um golpe poderoso na região do meu abdômen.

O ar foi retirado de meus pulmões com uma velocidade incrível. A respiração ficou difícil, pois não conseguia juntar forças para voltar a inspirar. E isso só piorou com a chuva de golpes que eu recebi. Eram tantos socos que não consegui esboçar reação alguma. Por fim, com um gancho devastador, meu corpo caiu desmaiado no chão da arena.

***

Acordei depois de alguns minutos, com um curandeiro acima de mim, recitando alguma reza para algum deus da cura. O garoto que havia me dado a surra estava por perto, assim como a instrutora da aula. Os dois pareciam aliviados. Talvez tivessem pensado que eu havia morrido ou algo do tipo.

Depois que o curandeiro me liberou, os dois me ajudaram a chegar até o chalé de Atena. Acabei descobrindo que o filho de Ares era um pouco diferente dos demais, e me deu dicas valiosas para uma próxima batalha. Nos despedimos com a promessa de uma revanche, mas tudo o que eu queria naquele momento era desmaiar novamente, na minha cama, e recuperar meu orgulho e meus machucados.



FPA:

PODERES UTILIZADOS (ATENA):
Passivos:

Nível 1
Nome do poder: Estratégia
Descrição: O campista é bom em elaborar planos e estratégias de batalha, o que torna a chance de erro para ataques diretos, ou criação de armadilhas, menor, ou seja, a margem de erro será inferior ao dos outros semideuses.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +10% de acerto em ataques planejados previamente.
Dano: Nenhum

Nível 4
Nome do poder: Inteligência
Descrição: Um filho de Athena é naturalmente inteligente, por sua mãe ser a deusa da sabedoria, o semideus aprende as coisas mais rápido, o que também permite que ele note coisas que outras pessoas não percebem. O semideus de Athena sempre procura uma saída lógica, consegue bolar um plano e encontrar pontos chaves, pois tudo aquilo que não consegue entender lhe deixa frustrado. Ele sempre buscará respostas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +10% de descobrir alguma coisa, ou aprender alguma coisa. (Aumenta conforme em +5% a cada 2 níveis que o semideus adquirir).
Dano: Nenhum.

Nível 7
Nome do poder: Sabedoria
Descrição: Os filhos de Atena conseguem descobrir os pontos fracos de seus inimigos, fazendo com que seus golpes sejam mais efetivos. Em monstros que já conheçam, ou tenham lutado, eles já saberão o ponto fraco.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de chance de acertar um ponto crítico em batalha.
Dano: Nenhum

PODERES UTILIZADOS (PSIQUÊ):
Passivos:

Nível 1
Nome do poder: Capacidade cerebral aumentada
Descrição:  Ao se tornar um Mentalista, o semideus potencializa a capacidade cerebral. Suas sinapses são mais eficientes e sistema nervoso funciona melhor do que qualquer outro semideus ou ser vivo. Isso permite que o Mentalista use de sua mente como sua principal arma, sem enlouquecer ou sofrer danos cerebrais durante o uso das habilidades.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 2
Nome do poder: Memória Fotográfica
Descrição: Os mentalistas possuem uma memória perfeita. Ao se depararem com um estímulo, ele irá lembrar futuramente, mesmo depois de um longo tempo. A memória aqui não se prende apenas ao visual, envolve também os outros sentidos do corpo. Senso assim, poderá lembrar de um som, de um cheiro, de um gosto em específico.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 4
Nome do poder: Corpo equilibrado I
Descrição: O seguidor de Psiquê tem tanto mente quanto corpo alinhados. Isso acaba por potencializar o equilíbrio corporal. Nesse nível o mentalista ainda começa a aprender noções de seu corpo, tendo um ótimo equilíbrio que um humano treinado teria.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% de equilíbrio
Dano: Nenhum

Nível 5
Nome do poder: Inteligência Múltipla – Lógica.
Descrição: O cérebro possui múltiplas inteligências que os seres humanos desenvolvem com treinos ou a desenvolvem naturalmente. O mentalista agora possui a inteligência lógica apurada, tendo o seu “Centro de Broca” mais ativo no momento. Essa é a inteligência empregada para resolver problemas lógicos e matemáticos. É a capacidade para utilizar o raciocínio dedutivo e de calcular corretamente. É a inteligência que costumam ter os cientistas, matemáticos, engenheiros e aqueles que utilizam cálculos e deduções (trabalham com conceitos abstratos, elaboram experimentos).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Suas estratégias ganham mais credibilidade; +20% de assertividade em arremesso de itens, graças aos cálculos realizados
Dano: Nenhum


avatar
Koda Smith
mentalistas de psique
mentalistas de psique

Mensagens : 70
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 1º Aula de Combate Corporal

Mensagem por Josephine Diëhl Nieckhale em Seg Nov 12, 2018 2:02 pm

MÉTODO AVALIATIVO

Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Avaliação

MÉTODO AVALIATIVO

Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp + Habilidade

Nome: Noção Básica de Pugilismo
Descrição: Pugilismo, ou boxing, é a habilidade de usar os próprios punhos como poderosas armas de impacto. São extremamente úteis quando o semideus encontra-se desarmado e precisa lidar com uma situação crítica com o uso da própria força. Golpes só serão descontados de dano se atingirem áreas sem armaduras. Em caso de golpe em armadura de couro ou golpes de raspão, dano reduzido em 50%.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum.
Dano: Todo dano físico, com o uso dos punhos, recebe dano padrão de 25HP.

Observação: Koda, colocar as práticas usadas pra facilitar minha leitura!


Atualizado por Marte


you got a fetish
for my love, i push you out
avatar
Josephine Diëhl Nieckhale
Filhos de Quione
Filhos de Quione

Mensagens : 122

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 1º Aula de Combate Corporal

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum