The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

(RPs) Capitu

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ir em baixo

(RPs) Capitu

Mensagem por Maisie K. Blackwood em Qui Set 20, 2018 9:19 pm

Chain reaction, it's so electric
Maisie & Capitu


Tópico destinado às missões fixas realizadas por Maisie Knight Blackwood no evento Ipseidade. O mascote treinado será Capitu, uma coruja-caburé adotada durante o evento.

Make a wish change to reality


Maisie
avatar
Maisie K. Blackwood
III Coorte
III Coorte

Mensagens : 40

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (RPs) Capitu

Mensagem por Maisie K. Blackwood em Qui Set 20, 2018 9:21 pm

Chain reaction, it's so electric
Maisie & Capitu


Adote um bichinho:

Adote um bichinho – Existem inúmeros filhotes precisando de carinho dentro do espaço Pet e eles estão ansiosos para fazerem novos amigos, tente ser um deles! Vá conhecer o espaço Pet e os filhotes, crie uma ligação com um deles e conte-nos como foi que ele prendeu sua atenção. Conte como foi conseguir a confiança dele, dê um nome e mostre seu interesse em adotar esse filhote.
▬ Recompensas 100 XP e 1.000 Dracmas + 1 nível de lealdade para o Pet escolhido + 1 ponto.

Os pretores romanos estavam incentivando que os legionários treinassem seus mascotes e participarem de algumas atividades que promoviam o adestramento dos animais mágicos. Então eu estava vendo com maior frequência o vai-e-vem de semideuses com pégasos, águias gigantes, cães infernais e mais uma diversidade de espécies que eu nem sabia que existia. Mas adivinhe só: eu não tinha mascote! Estava livre da atividade, podia apenas continuar enfurnada na biblioteca da universidade e estava tudo certo.

Só que, após uma das aulas, uma das minhas colegas e poucas amigas que tinha - Agatha - havia pedido que lhe fizesse companhia, pois estava decidida a adotar um pet. Dessa forma, acompanhei a semideusa no tal Espaço Pet que havia em Nova Roma, e revirei sutilmente os olhos a cada vez que Agatha berrava ”ai meu deus, que bonitinho!” para qualquer mascote que via.

Claramente ela iria demorar muito para chegar a uma decisão, pois ia querer ver todos os mascotes existentes ali, brincar um pouco com cada um, até escolher qual iria levar para casa. Alimentando minha curiosidade, comecei a percorrer o lugar e observar os animais que estavam ali. Claro que muitos eram aquelas criaturas mitológicas que os legionários costumavam ter, como pégasos, águias e cães infernais, mas esses não me chamavam nenhum pouco de atenção. Imaginava o trabalho que animais daquele porte GGGG davam.

Desloquei-me para uma área onde estavam os animais de porte pequeno e estava passando pelos viveiros das aves quando a encontrei. Um piado baixo foi emitido quando entrei no espaço, oriundo de uma coruja que estava abrigada em um ninho. Ela era pequena, suas pequenas a recém haviam se formado, e ela tentava se esconder devido ao medo que sentia com a presença inesperada ali.

– Oi, corujinha - disse a ela, já que era a única que havia reagido à minha presença no local. – Não precisa ter medo de mim, não vou te fazer mal.

Ela continuou bem no cantinho do viveiro, o mais distante que pôde, mas me observava com curiosidade com aqueles olhos amarelos e pupila dilatada. Por ali, havia um pote com petiscos para aquelas aves, então busquei um para tentar conquistar um pouco mais do interesse e da confiança da ave. Tomei um petisco em mãos, que parecia uma pequena almôndega de carne, e ofereci para ela através da grade do viveiro.

Ela observou com um pouco de desconfiança no começo, mas foi se aproximando aos poucos e bicou o petisco. Fiquei uns longos minutos ali até ela ficar tranquila e comer toda a almôndega, até o momento em que ela beliscou suavemente meu dedo pedindo mais uma.

– Aí está você! - Agatha disse, finalmente me reencontrando depois de eu ter me afastado dela. – Fez uma amiga?

Com a pergunta dela, encarei os olhos amarelos da coruja mais uma vez. Eu não estava ali com o intuito de levar um animal para casa, mas tinha que admitir que estava bastante encantada pelo filhote de pássaro que estava à minha frente. Também me incomodava o fato de ela estar presa e… Bem, considerando minha filiação, acho que poderíamos ser ótimas amigas e nos dar muito bem.

– Sim, eu vou ficar com essa corujinha - disse à minha amiga, sorrindo para o pássaro. Acho que ela entendeu, pois emitiu um piado em resposta.

Agatha também tinha escolhido um mascote, então fomos falar com o responsável pelo Espaço Pet para resolver a parte chata: a da papelada.

Make a wish change to reality



Maisie
avatar
Maisie K. Blackwood
III Coorte
III Coorte

Mensagens : 40

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (RPs) Capitu

Mensagem por Maisie K. Blackwood em Qui Set 20, 2018 9:22 pm

Chain reaction, it's so electric
Maisie & Capitu


Confiança e Aprendizado:

Confiança e aprendizado – Você está interessado em adotar um bichinho, mas ainda não tem ideia dos cuidados que precisa ter com ele. Uma das cuidadoras do espaço Pet sugeriu que você passasse um dia com o filhote para aprender mais sobre ele e você aceitou. Agora precisa brincar com ele, descobrir qual o tipo de dieta ele segue (o que ele come) e o que precisa para ficar bem. Conte como descobriu que tipos de cuidado seu bichinho precisa.
▬ 100 XP e 2.000 Dracmas + 1 nível de lealdade e 50 XP para o pet escolhido + 1 ponto.

Tudo certo com a papelada, o detalhe é que não era só aquilo que bastava. O cuidador do Espaço Pet ainda recomendou que ficássemos mais algum tempo ali para aprender sobre os cuidados que nossos mascotes precisavam, a alimentação e hábitos deles. Agatha prontamente concordou, pois ela havia escolhido um cão infernal e não fazia ideia de por onde começar.

Eu também concordei, já que não havia outra opção, mas não achava que havia necessidade disso. Eu sabia muito sobre corujas, era o meu animal favorito. Eu só precisaria colocar a teoria em prática, certo?

Uma veterinária do lugar nos acompanhou, deixando Agatha com o seu cão infernal em um espaço e me acompanhando para o aviário, onde iríamos retirar Capitu da gaiola. Era o que eu mais queria naquele momento: livrar uma espécie naturalmente livre de uma prisão.

– Bem, vou ajudar você com o que precisa saber sobre seu novo bichinho de estimação - a veterinária disse com um super bom humor, pois também devia estar feliz por mais um animal ser adotado e sair das gaiolas. O problema é que ela falava com alegria demais. – Essa é uma coruja…

– Caburé. É uma ave strigiforme da família Strigidae. Muito comum na américa do sul, em países como o Brasil - cortei-a, simplificando o processo e indo direto ao ponto.

– Muito bem! Que bom que já sabe sobre a espécie! Essa é uma das menores espécies de coruja, então ela vai ser pequeninha assim mesmo - ela disse, sem se abalar com minha rispidez. – Na natureza, a coruja caburé se alimenta de outras aves pequenas, insetos, rãs, lagartixas e pequenas cobras. Ela é bastante voraz, consegue abater presas quatro vezes maiores que ela. Mas em sua casa, ela pode comer certos tipos de carne similares aos que comeria na vida selvagem. Não tem problema se ela quiser caçar pequenos visitantes indesejáveis também - ela disse de um jeito engraçadinho, mas sem arrancar um riso do meu rosto.

Apenas concordei, embora já soubesse sobre aquilo, e deixei-a falando. Quando ela terminasse, eu finalmente poderia retirar Capitu da gaiola e desenvolver meu relacionamento com ela e levá-la para casa.

– A boa notícia é que essa é uma coruja diurna - ela continuou sua explicação. A espécie caburé aparece bastante durante o dia, usando estratos de vegetação abaixo do dossel ou a média altura da mata, pode ser vista pousada em locais visíveis. Ela também costuma cantar muito durante o dia. Já o seu voo, com rápidas batidas de asa, é ondulante e ruidoso, ao contrário de outras espécies de corujas. É ativa tanto durante o dia quanto à noite.

Uma de suas principais características é o desenho na parte de trás de sua cabeça, que parece uma face falsa, perceptível quando ela inclina a cabeça para baixo. Dessa forma, essa coruja engana perfeitamente tanto as aves como homens. Enquanto a veterinária falava sem parar sobre coisas que eu já sabia, observei Capitu dentro da gaiola procurando pelo desenho de sua face falsa, mas não foi possível ver na posição em que ela estava.

– Bem, vamos alimentá-la e ver como você se sai?

Finalmente! Concordei prontamente e ela retirou a ave do viveiro, colocando-a em minha mão. – Oi, Capitu. Prometo que já vamos sair daqui - disse baixinho para ela, enquanto a veterinária buscava os petiscos que eu havia visto antes. A coruja piou baixinho, como se já fôssemos cúmplices de um resgate.

Repeti a ação anterior de dar à coruja uma almôndega de carne, demonstrando interesse e perguntando que tipo de carne era aquela. Afinal, eu era apenas uma universitária e não poderia ficar gastando dinheiro no açougue com o gosto caro de minha mascote. Mas tratavam-se de carnes comuns, a ave só não poderia ingerir carnes suínas, peixes e similares, nada que fosse muito forte para seu estômago sutil ou fora de sua dieta.

Assenti com a cabeça conforme ouvia a explicação da veterinária, sendo desperta por um pequeno beliscão no dedo. Capitu queria mais carne. – Ela só precisa comer três vezes ao dia, senão vai ficar obesa - a moça avisou, após um breve riso com a minha expressão de dor.

A veterinária, então, nos deixou sozinhas para que eu pudesse brincar com Capitu e me acostumar a ela. Coloquei-a pendurada em meu ombro e fomos até o jardim do Espaço Pet, onde poderíamos passear enquanto eu falava qualquer amenidade com o pássaro, para que ela se acostumasse com a minha voz e se habituasse comigo.

Sentei-me com ela próximo a uma fonte d’água e percebi a mudança em seu humor. Ela havia ficado bem mais feliz ali, ao ar livre, sob o sol, com a brisa em suas penas e próximo a uma fonte de água. Ela começou a cantar baixinho, demonstrando sua felicidade em estar ali, e eu comecei a assobiar junto a ela em resposta. Tentava, através do assobio, imitar o seu canto e acompanhá-la como se fosse um dueto, e ela respondia, permanecendo animada com a cantoria.

– Estão prontas para irem para casa? - o cuidador do Espaço Pet perguntou ao passar por ali, após termos nos falado momentos atrás para dar início ao processo de adoção. Respondi afirmativamente. Estava certa da minha decisão, apesar do trabalho que teria. Agora que já havia aprendido sobre os cuidados que minha coruja precisaria e havia passado um tempo com ela ali, o cuidador poderia assinar os documentos e autorizar a adoção.

Capitu era minha.

Make a wish change to reality



Maisie
avatar
Maisie K. Blackwood
III Coorte
III Coorte

Mensagens : 40

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (RPs) Capitu

Mensagem por Maisie K. Blackwood em Qui Set 20, 2018 9:22 pm

Chain reaction, it's so electric
Maisie & Capitu


Conhecendo:

Conhecendo – Bichinhos precisam de ar livre, precisam passear, correr, brincar, criar confiança em seu companheiro. Leve seu filhote para conhecer um espaço pessoal seu, deixe que ele aprenda sobre o lugar e ensine a eles os limites que não deve ultrapassar, afinal cada criatura tem seu próprio cantinho e o dele (em partes) será alguns locais do acampamento. Faça ele interagir com o ambiente, deixe que conheça seu cheiro, seus gostos e suas manias, brinque com ele e o leve para passear e conhecer outros semideuses, mostre a ele como ter interação para não se tornar uma criatura violenta.
▬ 100 XP e 2.000 Dracmas + 1 nível de lealdade e 50 XP para o pet escolhido + 1 ponto.

O quartel da III Coorte estava vazio naquele momento, o que seria ótimo para fazer Capitu se adequar àquele espaço. De imediato, sentei-me sobre a minha cama e deixei que a coruja descesse de meu ombro e tocasse suas patinhas sobre o colchão. Ela olhava para tudo com muito interesse e curiosidade.

– Essa é minha cama. Vou colocar um poleiro para você aqui do lado - disse, indicando a cabeceira da cama. – Você não vai poder ir para as outras camas, fique só aqui - apontei o indicador para ela ao lhe dar essa instrução, e ela tentou pegar a ponta do meu dedo.

Ao pé da minha cama, havia um baú de madeira, onde estavam guardadas algumas roupas e, principalmente, meus livros. Levantei-me e procurei entre minhas coisas algum livro que pudesse ler para a coruja, de modo que pudessemos ficar mais próximas através do compartilhamento de histórias. Retirei dali um livro que gostava desde criança, que era A Revolução dos Bichos.

Capitu observou meus movimentos com muita curiosidade, inclinando seu pescocinho enquanto eu abria o baú, doida para ver o que havia ali dentro. Quando a tampa do baú emitiu um baque surdo ao fechar, ela piou alto em resposta, insatisfeita com o ruído ouvido. Eu apenas sorri para ela, sentando-me ao lado dela na cama e abrindo o livro.

Ela se aproximou, subindo em meu colo por conta própria e observando o que eu tinha a lhe mostrar.

– Vou cantar pra você Bichos da Inglaterra. E você finge que é Bichos de Nova Roma - disse a ela sorrindo, pois adorava aquela musiquinha na história, embora os fatos seguintes a ela fossem tristes na narrativa. – Bichos ingleses e irlandeses, bichos de todas as partes! Eis a mensagem de esperança, no futuro que virá! Cedo ou tarde virá o dia, cairá a tirania. E os campos todos da inglaterra só aos bichos caberão! - disse entoando a canção, enquanto gesticulava tal como o personagem do livro devia fazer.

Capitu gostou muito da encenação, pois logo começou a piar junto em resposta e, ao fim da música, eu estava rindo junto com ela.

Infelizmente, porém, soou o alarme avisando que era hora dos legionários se reunírem para o jantar. E meu primeiro medo veio à tona: deixar Capitu sozinha em um ambiente novo.

– Eu preciso ir, mas não demoro. Você promete se comportar? - disse a ela, quase que implorando que ela não fizesse nada demais enquanto eu estivesse fora. Ela piou inclinando a cabeça para o lado, talvez sem entender o que eu havia dito. – Fique só aqui - disse, mostrando a minha cama e as minhas coisas.

Agora teria que arriscar para ver, meu primeiro desafio como dona de um mascote já estava acontecendo.

Make a wish change to reality



Maisie
avatar
Maisie K. Blackwood
III Coorte
III Coorte

Mensagens : 40

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (RPs) Capitu

Mensagem por Becka Klasfox La'Fontaine em Sex Set 21, 2018 2:14 pm





Miase

Método de avaliação:
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Adote um Bichinho
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%
100 XP e 1.000 Dracmas + 1 nível de lealdade para o Pet + 1 ponto.

Confiança e Aprendizado
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%
100 XP e 2.000 Dracmas + 1 nível de lealdade e 50 XP para o pet  + 1 ponto.

Conhecendo
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%
100 XP e 2.000 Dracmas + 1 nível de lealdade e 50 XP para o pet escolhido

Comentário:

Maise, primeiramente quero te lembrar de não esquecer que precisa completar a barra da Capitu para ficar em definitivo com ela okay? Segundo, não fiz descontos porque além de suas postagens terem ficado bem completas e criativas, elas estão totalmente dentro da proposta do evento, gostei muito da forma que você abordou a questão da confiança (algo que eu não vi em muitos posts de adotação e que acho deveras importante) e mais ainda da reação da sua coruja as investidas que você deu. Estou realmente encantada, parabéns.


Atualizado por Hades


Becka Klasfox La'Fontaine
Quer ser feliz? Seja louco, sorria sempre mesmo sem motivo..
avatar
Becka Klasfox La'Fontaine
Pretores
Pretores

Mensagens : 612
Idade : 23
Localização : Camp Jupiter

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (RPs) Capitu

Mensagem por Maisie K. Blackwood em Sex Set 21, 2018 7:09 pm

Chain reaction, it's so electric
Maisie & Capitu


Mau comportamento:

Você chegou no seu chalé/coorte, casa ou quarto e tudo estava uma bagunça! Seu mascote ficou sozinho e acabou bagunçando tudo. Ele só queria brincar e tinha muita energia para gastar, e no fim acabou deixando tudo numa completa desordem e você não ficou muito feliz com isso quando encontrou o cômodo de cabeça para baixo. Você precisa dar uma bronca nele para que ele saiba que não pode fazer isso, e também é necessário arrumar toda a bagunça que ele fez. Como punição pela bagunça, seu mascote também deve ajudar você a arrumar a confusão toda - dentro dos limites da espécie dele. Dessa forma ele vai compreender que o que ele fez foi errado e pensará duas vezes antes de bagunçar tudo de novo (ou não).
Recompensas: 400 XP + 4.000 dracmas + 120 xp e 1 nível de lealdade para o mascote + 2 pontos

– Capitu! - bradei de imediato assim que voltei do jantar com a legião.

Após sair, eu havia deixado a coruja sozinha no quartel da III Coorte, aninhada em minha cama e junto ao livro que estávamos lendo - A Revolução dos Bichos. Pois a bonita havia feito um completo caos em menos de uma hora sozinha ali, e a coisa ficaria bem feia para mim assim que o centurião da coorte chegasse e visse aquela bagunça.

Respirei fundo com impaciência, levando a mão direita à testa enquanto apreciava a bagunça que Capitu havia feito. Ela havia roído o livro, arrancando alguns pedaços das páginas que estavam espalhados sobre minha cama e sobre o chão. Minha cama estava mais bagunçada do que pela manhã e ela feito cocô na cama de outro legionário. Além, é claro, de tirar várias coisas do lugar, como roupas, lápis, canetas, e roer todo o papel que enxergou.

– Desça já daí! - ordenei a ela que saísse de cima da cama do outro legionário, enquanto ela ainda estava roendo algum pedaço de papel. Contrariada, ela obedeceu, sobrevoando para o chão.

Diante daquela situação, tomei a liberdade de tirar a roupa de cama do colega de coorte, mandando-a para a lavanderia com um cocôzinho de coruja embrulhado no tecido. Tinha que ser bastante rápida para que os centuriões ou legionários mais antigos não chegassem ali e se deparassem com a bagunça generalizada feita por minha coruja.

– Pare já de roer isso! - disse à Capitu, que foi pega desprevenida enquanto roía um sapato que tinha acabo de encontrar. – Ponha onde achou - ordenei, com tom firme na voz e mostrando que não aceitaria ser contrariada.

Enquanto isso, juntei os pedaços de papel de cima da cama e varri os outros que estavam atirados no chão. Capitu observava tudo quietinha em cima da cabeceira da cama, pois já havia recebido duas broncas e estava se sentindo culpada. Ao menos era nisso que ela queria que eu acreditasse com a sua expressão triste, mas já havia visto cães fazerem a mesma cara sem estarem realmente arrependidos pelo que fizeram.

Juntei as demais coisas que a coruja havia tirado do lugar, recolocando-as em seu local de origem conforme me lembrava, podendo ter cometido alguns equívocos durante a atividade. Mas, quando os centuriões e demais legionários retornassem, tudo estaria em ordem novamente.

– Capitu - comecei, sentando ao lado do pássaro na cama. – Não faça mais isso. Você vai nos colocar em problemas e vão devolver você para aquela gaiola. Você não quer ficar na gaiola, quer? - disse a ela, que apenas emitiu um piado tristinho em resposta. – Então não faça mais isso! - disse a ela firmemente.

A ave emitiu outro piado triste que demonstrava arrependimento, o que também mexeu comigo. Estendi a mão para ela convidando-a a subir em meu braço, para então acariciar suas penas castanhas. – Eu perdoo você. Você só estava entediada, não é? Amanhã vamos passear em algum lugar bem legal, tá bom? - o piado que veio em seguida parecia um pouco mais animado, então podia considerar que estava tudo bem entre nós.

Make a wish change to reality



Maisie
avatar
Maisie K. Blackwood
III Coorte
III Coorte

Mensagens : 40

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (RPs) Capitu

Mensagem por Maisie K. Blackwood em Sab Set 22, 2018 12:38 am

Chain reaction, it's so electric
Maisie & Capitu


Ida ao Veterinário:

Todo o bom dono de pets sabe o quanto é importante manter as visitas ao veterinário em dia e as vacinas também. Você decidiu levar seu mascote ao veterinário, talvez porque tenha percebido que ele não parece muito bem ou porque foi incentivado pelo evento a conferir se está tudo bem com a saúde dele. O importante é demonstrar o cuidado que tem com ele e fazê-lo conhecer os profissionais que amam os animais tanto quanto você. Pode ser que ele não goste muito da ideia, mas vai ser muito importante para o seu bem estar depois. Conte como foi levá-lo ao veterinário e acompanhe de perto todos os exames e aplicações de vacinas que esse médico vai fazer.

▬ Recompensas: 250 XP + 2.500 dracmas + 80 xp e 1 nível de lealdade para o mascote + Restauração da barra de HP/MP caso esteja incompleta + 1 ponto

Capitu não havia gostado muito da ideia de ficar na gaiola, já que eu tinha prometido que ela seria livre, mas achei que seria mais prudente protegê-la assim. Deixamos o quartel da III Coorte para irmos até o hospital veterinário que havia em Nova Roma, para a primeira consulta da corujinha. – Prometa que não vai bicar o médico - pedi a ela enquanto percorríamos aquele trajeto, mas Capitu não prometeu nada.

A recepção do Hospital de Fauno estava bastante movimentada, com bichos de todas as espécies conhecidas ou não. Naquele momento agradeci pela minha própria prudência por ter trazido a minha ave em uma gaiola, pois não sabia se podia confiar nas mascotes alheias. Aguardei um tempo ainda até conseguir retirar uma ficha e aguardei mais tempo ainda até ser chamada. Imagino que, pelo incentivo dos pretores com os cuidados dos mascotes, as visitas ao veterinário haviam ficado mais frequentes e aumentaram a quantidade de trabalho por ali.

– Capitu e… Maíse - um veterinário chamou na sala de consulta, pronunciando meu nome de forma errada.

– É Maisie - corrigi-o quando me aproximei com a gaiola em mãos. Ele não deu muita bola, só pediu que eu o acompanhasse em direção ao primeiro ambulatório.

Naquele lugar, havia uma mesa no centro do consultório, onde eu deveria apoiar a gaiola da ave e abri-la. Capitu saiu dali por conta própria, visivelmente chateada por ter ficado enjaulada todo aquele tempo, ameaçando me beliscar quando aproximei a mão para acariciá-la.

– Não se preocupe, ela não vai ficar magoada para sempre - o veterinário disse sorrindo, aproximando-se com sua destreza médica para lidar com a ave de rapina. Ele passou a mão por suas penas, analisando a saúde da ave através do aspecto da sua plumagem. Depois suas mãos moveram-se para as asas da coruja, abrindo-as e verificando se estava tudo bem ali.

Capitu acompanhava o movimento das mãos do veterinário com uma expressão atenta e prestes a bicá-lo caso tocasse onde não devia. Ele sequer se apresentou para ela e foi apalpando assim, que absurdo! Mas eu permaneci ao lado dela para lhe transmitir confiança de que ela estava sendo bem cuidada, e para garantir que ela não ia arrancar nenhum dedo do profissional de animais.

– Tudo vai muito bem com sua corujinha - o rapaz disse após toda a sua análise. Ele havia conferido também as unhas, bico e olhos de Capitu, constatando por todos os caminhos possíveis a plenitude de sua saúde e boa condição física. – Como está alimentando ela?

– Com almôndegas de carne. Me explicaram que ela só não pode comer carne suína e peixes - respondi.

– Está alimentando ela mais de três vezes ao dia?

– Talvez… Às vezes - disse, erguendo os ombros sutilmente. Eu já sabia onde aquilo ia dar. A cuidadora do Espaço Pet havia me explicado que a coruja não precisava de mais de três refeições diárias, mais do que isso seria gula. Só que quando Capitu estava inquieta e incomodando por comida, eu cedia à vontade da ave para que ela parasse.

– Se continuar, ela vai ficar acima do peso ideal e terá problemas na envergadura das asas. Você não quer isso, né? - ele disse da maneira didática que eu veterinário costuma ter. Eu amarrei a cara com o sermão, mas não podia discordar que estava errada.

Com a consulta encerrada, o veterinário recomendou ainda que a coruja tomasse bastante água e fizesse exercícios regularmente. Concordei e lhe agradeci pela consulta e orientações, pois mesmo contrariada, seria importante ter mais cuidado com minha nova amiga. E, na saída, eu não devolvi Capitu para a gaiola, mas deixei-a ficar sobre o meu ombro enquanto voltávamos para a coorte. Ela merecia distância daquela jaula.

Make a wish change to reality



Maisie
avatar
Maisie K. Blackwood
III Coorte
III Coorte

Mensagens : 40

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (RPs) Capitu

Mensagem por Maisie K. Blackwood em Sab Set 22, 2018 1:06 am

Chain reaction, it's so electric
Maisie & Capitu


Liberte-se:

A fim de treinar e ensinar o seu mascote a fugir de armadilhas, seu pet foi preso em uma gaiola, amarras ou correntes (dependendo do tamanho do seu pet). Ele precisa se livrar sozinho, sem a sua ajuda, você só poderá incentivá-lo com palavras. Acompanhe o progresso do seu pet e narre como ele conseguiu se livrar da prisão.

▬ Recompensas: 250 XP + 2.500 dracmas + 150 xp e 1 nível de lealdade para o pet + 2 pontos

– Eu prometo que é para o seu bem - disse à coruja enquanto lhe mostrava a gaiola. Sentei-me no chão do quartel da coorte, próximo à cama e abri a porta do objeto gradeado.

Um dos treinamentos indicados para os mascotes era ensiná-los a fugir de armadilhas, seja preso em um espaço fechado ou com amarras. No caso de Capitu, ela odiava estar presa em gaiolas. Não sei se corujas tinham claustrofobia, mas diria que minha ave não gostava nada de espaços pequenos e fechados. A ave manteve-se em seu poleiro, ao lado da minha cama, me observando enquanto eu mexia na gaiola. Mas, quando tornei a olhar para ela, ela desviou o olhar para me ignorar.

– Capitu… Você precisa treinar. Esse vai ser um ótimo exercício. Eu sei que você é bem esperta e vai resolver isso rapidinho - disse, levantando-me e parando do lado dela enquanto falava. Mas, como ela só conhecia a linguagem da barganha, mostrei a ela uma almôndega de carne a fim de convencê-la.

Mesmo contrariada, a coruja pareceu concordar com o trato e deixou que eu a colocasse dentro da gaiola. Eu sentei-me com as pernas cruzadas ao seu lado e marquei o tempo no relógio. Havia determinado que dez minutos eram suficientes para ela tentar e, caso não conseguisse, deixaríamos para outro dia e ela ainda assim seria recompensada com o petisco por ter tentado.

Nos primeiros três minutos, Capitu explorou o espaço da gaiola e suas brechas. Com o bico, ela tentou mexer na porta principal e nas janelinhas. Até conseguiu abrir uma frestinha pela janela, mas a abertura era muito pequena para que ela conseguisse passar. Com o passar do tempo sem nenhum resultado, a coruja começou a ficar frustrada, e piou para mim com chateação. Mas ela ainda tinha quatro minutos para tentar se soltar.

– Eu sei que você consegue, Capitu - disse, incentivando-a. Eu não podia ajudá-la diretamente, mas podia dar dicas para a pequena ave. – Você já viu como a porta abre e fecha. Só precisa imitar o movimento - disse, apontando o dedo para a porta e para as dobradiças. Mas, fora isso, não podia dar nenhuma ajuda extra a ela.

Capitu emitiu um piado longo e baixo, como se estivesse comentando alguma outra observação com o que havia dito. Ela ficou alguns segundos quieta ainda, para então descer para o chãozinho da gaiola e voltar a futricar na porta. A portinhola tinha uma mola em uma das laterais para evitar que ficasse aberta indefinidamente. Então, para sair, Capitu teria que forçar a abertura de toda a porta para passar o seu corpinho e então se libertar.

Ela começou a empurrar a porta para fora com o bico, mas precisava aplicar mais força para mantê-la aberta por tempo suficiente para sair. Foi um exercício físico, mas ela conseguiu empurrar a porta, passar o seu corpinho e soltar o gradil, deixando a portinhola se fechar por conta própria.

– Muito bem! - elogiei quando ela conseguiu sair da gaiola, logo lhe oferecendo o petisco prometido. Afinal, ela merecia.

Make a wish change to reality




Maisie
avatar
Maisie K. Blackwood
III Coorte
III Coorte

Mensagens : 40

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (RPs) Capitu

Mensagem por Elena C. García em Dom Set 23, 2018 10:18 pm





Maisie e Capitu



Mau Comportamento

Método de avaliação:
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Avaliação obtida:
Realidade de postagem + Ações realizadas – 49%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%
— Recompensas: 395 XP + 3.960 dracmas + 120 xp e 1 nível de lealdade para o mascote + 2 pontos



Ida ao Veterinário

Método de avaliação:
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Avaliação obtida:
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%
— Recompensas: 250 XP + 2.500 dracmas + 80 xp e 1 nível de lealdade para o mascote + Restauração da barra de HP/MP caso esteja incompleta + 1 ponto



Liberte-se

Método de avaliação:
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Avaliação obtida:
Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%
— Recompensas: 250 XP + 2.500 dracmas + 150 xp e 1 nível de lealdade para o pet + 2 pontos


Resumo das recompensas:
- Maisie recebe 895 XP + 8.960 dracmas + 5 pontos
- Capitu recebe 350 XP + 3 níveis de lealdade

Comentários:

Menina do céu, eu amei a sua coruja e como ela reage à você!
Tenho uma pequena ressalva à sua missão do Mau Comportamento, pois Capitu ficou passiva à situação e não foi punida participando da limpeza. Claro que isso é compreensível por ser um filhote e de uma espécie pequena, então só descontei um pontinho. O checkup do veterinário também foi breve, mas concordo que não havia muitoo que prolongar ali. No mais, foi tudo ótimo.



Aguardando atualização.





Elena Castillo García

Filha de Afrodite ⋆ Legado de Marte ⋆ Rainha das Amazonas

Minha FPA encontra-se aqui ~
avatar
Elena C. García
rainha das amazonas
rainha das amazonas

Mensagens : 737
Idade : 24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (RPs) Capitu

Mensagem por Koda Smith em Seg Out 01, 2018 10:18 pm



Family matters


O acampamento romano era realmente muito diferente do acampamento grego. Porém era legal ver suas diferenças. Ver como os semideuses eram agrupados, como as coisas funcionavam, tudo isso me fazia querer ficar mais tempo naquele lugar. Porém havia uma coisa que me incomodava. Por onde quer que eu fosse, alguns olhares me seguiam, como se estivessem me julgando. E eu sabia exatamente o motivo: Atena, ou Minerva, não era bem vista entre os romanos. Seus filhos sofriam a mesma estigma.

Tentando não pensar nisso, em certo dia saí para andar com Yoshi, minha coruja, por Nova Roma. O mocho-galego observava tudo, graças a sua capacidade de girar a cabeça em 180 graus. Como sempre, Yoshi estava sempre atento a tudo ao nosso redor. Eu estava distraído e quase teria esbarrado na garota que vinha em minha direção, se a coruja não tivesse piado alto, me tirando do estupor em que estava.

— Me desculpe, eu estava distraído. — Olhei para a garota, e logo uma coisa me chamou a atenção: seus olhos, muito parecidos com os meus. — Ótimo, justo quando encontro alguém que pode ser da família, quase esbarro nela. Você está bem? — esperei a garota responder, enquanto olhava para o animal que estava junto a ela.

Não era da mesma espécie que Yoshi, mas ainda assim era uma bela coruja. Yoshi também percebeu a companhia da garota, e ficou olhando fixamente para o animal. Inconscientemente, fiz a mesma coisa com a garota, torcendo não estar parecendo um maluco com uma coruja no ombro.


MISSÃO REALIZADA:
• Faça um amigo
Você e outro player combinaram de se encontrar em um local do acampamento ou da central do seu grupo para que seus mascotes se conheçam. Será ótimo para os pets terem com quem brincar ou aprenderem a conviver com espécies diferentes. Caso sejam de naturezas diferentes (presa e predador), sejam prudentes e não deixem eles se matarem.
Recompensas: 500 XP + 10.000 dracmas + 120 xp e 1 nível de lealdade para o pet + 2 pontos
Observação: É necessário ter pelo menos dois posts de cada personagem para a missão ser validada.

avatar
Koda Smith
mentalistas de psique
mentalistas de psique

Mensagens : 46
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: (RPs) Capitu

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum