The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Uriel W. Neuville e Kalel Levitz [Fixas]

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ir em baixo

Uriel W. Neuville e Kalel Levitz [Fixas]

Mensagem por Kalel Levitz em Sab Ago 04, 2018 8:40 pm

Nunca um...
...Sem o outro


Área destina as missões fixas de Uriel e Kalel. É proibido que qualquer outra pessoa, além dos avaliadores, postem aqui.


Sometimes even
to breathe
is an act
of courage
avatar
Kalel Levitz
Guardiões das Hesperides
Guardiões das Hesperides

Mensagens : 169
Idade : 27
Localização : Num lugar de plantas

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Uriel W. Neuville e Kalel Levitz [Fixas]

Mensagem por Kalel Levitz em Seg Ago 06, 2018 4:40 pm




estrelinha de que se vamo tudu morre?
DECALCOMANIE




Missão escreveu:• Nova Roma pede ajuda - Dada a situação atual da cidade, muitos semideuses se mobilizaram para ajudá-la, fossem eles romanos ou gregos. Aqueles que não vivem no Acampamento Júpiter precisam ir até ele e é através desta missão fixa que o fazem. Ela é obrigatória aos jogadores que não se encontram no acampamento romano.
Recompensas: 500xp + 500 dracmas + 1 insígnia.

Kalel estava sentado em uma das macas da enfermaria do seu amigo, balançando as pernas de forma impaciente, como uma criança quando espera muito pelo pai que está ocupado ou a mãe está conversando. Uriel tinha seus compromissos e o lycan super entendia isso, por conta disso não iria apressar o outro, esperaria de forma impaciente. Como não era bobo nem nada e também amante de pudins, pegou um dos potinhos na geladeira, que o curandeiro dava pros seus pacientes, e começou a come-lo enquanto esperava o outro.

— Não querendo te apressar, mas o embaixador do acampamento já está esperando a gente pra podermos ir para Nova Roma ajudar lá. — O lobo ajeitou a adaga na bainha em sua cintura, afinal não saberia quando poderia ser usada. — O que você acha que poderemos encontrar lá?

— A gente vai ajudar a reconstruir lá, Lel. — Disse o curandeiro indo em direção ao campista. — Mas as vezes pode ter uns arruaceiros ou coisas do tipo. Aí você pode bater neles, se quiser.

Continuaram conversando sobre coisas aleatórias como sempre faziam. Kalel apesar de animado estava bastante nervoso, afinal passou dez anos no cassino e não sabia ao certo o que tinha acontecido em Nova Roma, fazia exatas três semanas que tinha chego no acampamento meio sangue então estava bastante desatualizado das coisas. Porém queria ao máximo ajudar a todos, talvez tivesse puxado a personalidade do seu irmão Abramov e quisesse liderar e proteger as pessoas ao seu redor, aquilo era a sua maior motivação para ir até o lado romano e se útil para eles.

Kalel passou o braço por cima dos ombros de Uriel, como se o abraçasse por ali, enquanto caminhavam até onde o embaixador estaria. Esperava que o seu amigo não se importasse com aquela ação, mas o rapaz adorava demonstrar seus sentimentos pros outros, mesmo estando de mal humor pelo fato de ser lycan.

Não demorou muito para que chegassem em um local lotado de semideuses. Kevin, o embaixador, estava lá com algumas feiticeiras ao lado dele prontas para abrirem o portal que levaria os campistas para Nova Roma. Kalel pareceu se empolgar um pouco mais deixando o seu leve nervosismo de lado. Soltou o seu amigo e começou a prestar atenção no que o homem estava falando.

— Todos sabem que nossos irmãos romanos estão passando por um momento difícil, não tornem esse momento pior ainda, esse é um aviso para alguns aqui então peço que compreendam a situação e ajudem o máximo possível!! — Kevin olhou para as feiticeiras que começavam a criar os portais e voltou a falar — Se aquele ataque levou a cidade romana a ruína, imaginem o que fariam aqui? Coloquem-se no lugar deles, ajudem-nos a reconstruir suas casas, ninguém está livre do que pode vir a acontecer, trabalhem duro e vamos à luta!

O restante do pessoal que estava lá gritaram animados e eufóricos enquanto corriam na direção do portal, para que pudessem começar com as suas obrigações. O sorriso de Kalel ficou ainda mais largo com a animação das pessoas. Encarou o seu amigo e estendeu a mão para ele e assim que o mesmo a aceitasse iria puxá-lo e correr para o portal. Desde que havia virado lycan era difícil ver ele muito animado, mas aquele momento havia feito Kalel estar radiante.

Assim que atravessou o portal com Uriel começou a olhar ao redor.

— É aqui que vai começar minha jornada como semideus, finalmente.






[/color]
••••••

ψ


Sometimes even
to breathe
is an act
of courage
avatar
Kalel Levitz
Guardiões das Hesperides
Guardiões das Hesperides

Mensagens : 169
Idade : 27
Localização : Num lugar de plantas

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Uriel W. Neuville e Kalel Levitz [Fixas]

Mensagem por Vulcano em Seg Ago 06, 2018 5:36 pm

Avaliado. A postagem foi boa e concisa. Mereceu o bônus e as drácmas.

Atualizado . Recompensas: 500xp + 500 dracmas + 1 insígnia.


Última edição por Vulcano em Seg Ago 13, 2018 10:40 am, editado 1 vez(es)
avatar
Vulcano
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários

Mensagens : 23
Localização : Alguma forja ai

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Uriel W. Neuville e Kalel Levitz [Fixas]

Mensagem por Uriel W. Neuville em Qua Ago 08, 2018 2:30 am




Doctor in The Area

O som de passos ecoava pelos corredores e cômodos da enfermaria conforme eu zanzava para lá e para cá com grande pressa e um olhar apreensivo, certificando-me de que não havia nada fora do lugar antes de ir rumo a Nova Roma ajudar no processo de reconstrução da cidade. Não sabia ao certo quanto tempo passaria fora, mas tinha certeza de que seria um período no mínimo cansativo, portanto queria deixar o local limpo e organizado para que pudesse trabalhar direito quando retornasse. Ainda assim algo me dizia que eu estava esquecendo alguma coisa, eu só não sabia exatamente o que.

— Armário de remédios: ok. Bolsas de sangue: ok. Material cirúrgico: ok. Gaveta de agulhas e seringas: ok. Maquinário e equipamentos em geral: ok. — Conforme os verificava ia marchando um "check" a lápis ao lado dos itens de uma listinha que havia feito mais cedo, mas não sabia que tinha colocado tudo na lista. — Roupas de cama: ok. Toalhas: ok: Itens de higiene pessoal: ok. — Continuei andando pela enfermaria conferindo se não havia nada desnecessário ligado nas tomadas, nenhuma torneira aberta, se todas as portas, janelas e cortinas estavam fechadas e tudo mais. Até que ouvi Kalel se manifestar e dizer que o embaixador já estava nos esperando para partirmos.

Nesse momento senti um breve frio percorrer minha espinha e respirei fundo. Detestava me atrasar e deixar os outros esperando, por isso teria que confiar que estava tudo certo e que poderíamos ir. — A gente vai ajudar a reconstruir lá, Lel. — Disse assim que ele perguntou o que eu achava que poderíamos encontrar no acampamento romano, revisando a lista que estava nas minhas mãos. Não parecia faltar nada. — Mas as vezes pode ter uns arruaceiros ou coisas do tipo. Aí você pode bater neles, se quiser. — Continuei de modo a tentar animá-lo, afinal sabia que o maior gostava de um pouco de ação e aquilo com certeza seria um bom incentivo.

Só então notei que o lycan havia pego no frigobar mais um dos pudins que eu fazia para os meus pacientes, sendo aquele o terceiro que ele havia comido desde que chegou. Pensei em alertá-lo sobre as implicações de comer doces em excesso, mas seria um conselho hipócrita levando em consideração que eu mesmo costumava fazer igual ou pior, portanto não falei nada. Nem briguei com ele, afinal as sobremesas poderiam estragar dependendo de quantos dias levasse a reconstrução.

Dei uma última olhada nas gavetas dos criados-mudos ao lado de cada uma das camas na área dos leitos enquanto jogava conversa fora com meu amigo, que já parecia extremamente ansioso e impaciente com tudo aquilo. — Prontinho, nós já podemos ir. — Proferi sorrindo de canto, vendo ele praticamente saltar da maca na qual estava sentado, me fazendo rir da cena. Na saída peguei meus equipamentos detrás do largo balcão de madeira e tranquei a porta por fora, guardando as chaves no bolso quando Kalel passou o braço por cima dos meus ombros e seguimos juntos para o local onde estava acontecendo a reunião pré-viagem.

Admito que queria que Joseph pudesse ir conosco, mas ele estava tão ocupado com seus treinamentos e atividades ligadas aos seguidores da deusa da alma que seria impossível arranjar tempo para ajudar nas obras do nosso acampamento irmão. De qualquer forma eu já tinha me despedido dele naquela manhã bem cedinho ao visitá-lo no chalé de Afrodite, pouco antes de ir para a enfermaria arrumar as coisas. Havia prometido que voltaria logo e que o manteria atualizado de tudo o que estivesse acontecendo. Até ri das imitações irônicas que ele fazia do meu melhor amigo por sentir ciúmes do mesmo. Era engraçado.

Não demorou muito para chegarmos ao nosso destino e avistarmos Kevin, o embaixador do acampamento grego, ao lado de algumas feiticeiras que faziam os preparativos para efetuarem a abertura do portal que nos levaria a Nova Roma. Ansioso, permaneci em silêncio ao lado de Kalel enquanto ouvia com total atenção as instruções que o filho de Apolo nos dava. Em teoria não seria uma tarefa difícil, mas trabalhosa. Por isso qualquer ajuda era bem-vinda.

— Todos sabem que nossos irmãos romanos estão passando por um momento difícil, não tornem esse momento pior ainda, esse é um aviso para alguns aqui então peço que compreendam a situação e ajudem o máximo possível!! — Kevin olhou para as feiticeiras que começavam a a fenda dimensional e voltou a falar — Se aquele ataque levou a cidade romana a ruína, imaginem o que fariam aqui? Coloquem-se no lugar deles, ajudem-nos a reconstruir suas casas, ninguém está livre do que pode vir a acontecer, trabalhem duro e vamos à luta!

Eu não era nem de longe a pessoa mais indicada para auxiliar em trabalhos pesados e braçais, mas se houvessem feridos - e provavelmente haveriam - eu ficaria muito feliz em poder curá-los. Sem falar que certamente haveriam muitas coisas a fazer que não dependiam de força física. Independente de minha função naquilo tudo, estava disposto a dar o meu melhor, pois sabia que eles fariam o mesmo se precisássemos de ajuda. O brado de euforia que tomou o lugar pareceu despertar os ânimos dos semideuses presentes, tanto que todos parecia enérgicos e prontos para o trabalho.

Quando vi Kalel oferecendo a mão para mim com um largo sorriso no rosto, eu imediatamente sorri de volta e a segurei, feliz por vê-lo empolgado. Tinha notado que desde sua transformação em lycan meu amigo travava uma constante batalha interna contra os próprios instintos, algo que não o fazia bem e parecia bastante exaustivo. Por isso era tão bom e raro vê-lo animado. — Vamos lá, lobito. — Ri baixinho antes de corrermos na direção do portal arroxeado e saltarmos sobre ele, atravessando-o em um instante.

Era o início de uma longa jornada.

Coisos:
Missão Realizada:
• Nova Roma pede ajuda - Dada a situação atual da cidade, muitos semideuses se mobilizaram para ajudá-la, fossem eles romanos ou gregos. Aqueles que não vivem no Acampamento Júpiter precisam ir até ele e é através desta missão fixa que o fazem. Ela é obrigatória aos jogadores que não se encontram no acampamento romano.
Recompensas: 500xp + 500 dracmas + 1 insígnia.
Itens em Posse:
• Sérénité [Um arco feito de bronze celestial com uma corda transparente, sendo este de tamanho ideal para o seu usuário. Possui limbos com design semelhante a asas angelicais, os quais são banhados a prata e possuem detalhes multicoloridos na posta de cada uma das "penas" que o compões. Quando o filho de Íris puxa a corda, flechas se materializam magicamente - e estas são do mesmo material do arco. | Efeito 1 : O arco se transforma em um colar com pingente em formato de pena feito de prata.  | Efeito 2: Uma aura multi-colorida surge a partir da arma, fazendo qualquer oponente se render a batalha - mesmo querendo atacar, os danos serão drasticamente diminuídos diante ao portador do arco -, dando oportunidade ao semideus vencer um confronto sem a necessidade de briga. (Só pode ser usado uma vez por missão.) | Bronze Celestial | Sem espaço para gemas. | Beta | Status 100%, sem danos |  Mágico | Presente de Íris]

• Escudo Auxiliador [Um escudo de aparência comum que, a princípio, parece ser mais velho e desgastado, porém não se engane. O seu formato e redondo, se encaixando no pulso do semideus que o porta, deixando a mão do mesmo livre, já que o encaixe é no pulso e antebraço. | Ao ativar o efeito o escudo torna-se transparente e seu peso torna-se nulo, permitindo que o semideus porte armas ou quaisquer objetos no mesmo braço onde encontra-se o escudo, como se não estivesse com nada preso ao braço. O escudo também se expande, podendo englobar o semideus e mais outra pessoa, sendo indispensável em curas em batalha, por exemplo. Ambos os efeitos podem ser ativados simultaneamente, entretanto só podem ser ativos uma vez por missão/evento etc, durando dois turnos. | Ouro Imperial. | Não possui espaço para gemas. | Resistência beta | 100%, sem danos. | Nível 3. | Lendária. | 10 de HP (caso seja utilizado para atingir outros semideuses). | Presente de Reclamação do grupo Curandeiros de Asclépio/Esculápio.]

• Cristal de Luz [Um cristal mágico que cria hologramas a partir da mente do usuário. Assim, a pessoa poderá assistir até mesmo um filme ou fazer suas lembranças se tornarem audiovisuais. As imagens se propagam em até 5m de distância, tendo como ponto de referência o cristal. De proporção e imagem, conseguem tomar uma parede de 4m de altura e 6m de largura. Qualquer imagem pode ser criada e os sons são reproduzidos graças a conexão empática da pedra com a memória do usuário. Quando usado em missão, as imagens duram por 3 turnos, são bastante úteis para causar distrações ou até mesmo enganar | Efeito: Foram usadas as runas Jera, Algiz e Tiwaz para que o cristal criasse luz e som a partir de memórias | Cristal | Resistência: Gama | Status: 100%, sem danos | Mágica | Encantada por Evie Farrier, comprado no Pandevie Magie]

• Arsenal [Anel brilhante com uma pedra preciosa, esbranquiçada e minúscula em seu centro | Aço | . Possui o efeito de alterar uma arma, mudando assim sua forma, detalhes, e qualquer outra coisa que o portador desejar, desde que as alterações sejam apenas físicas. Ou seja, utilizando o efeito do anel, é possível transformar uma lança em uma espada ou faca, ou qualquer outro item de ataque. Um escudo circular pode ser transformado em um broquel, ou um escudo de corpo. Os materiais dos itens podem ser alterados, mas seus efeitos sempre serão os mesmos (exemplo: uma espada elétrica ainda causaria dano por eletricidade se transformada em uma lança) | Não possui espaços para gemas | Comum | Resistência: Sigma | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja ]

• O arco-íris [Um anelzinho de cristal com uma luz de led acoplada que gera arco-íris e aumenta em 30% de HP e MP da cura pelo arco-íris (só pode ser usado uma vez por luta, evento ou missão)| Sem espaço para gemas. | Beta. | Status 100%, sem danos. | Comum. | Presente de natal.]
Habilidades Utilizadas:
Passivas:
--
Ativas:
--
Adquiridas:
--
Considerações:
• Nenhuma, por ora.



✽ URIEL WEISS NEUVILLE ✽
IF I CAN HELP YOU, I WILL DO THIS
avatar
Uriel W. Neuville
Curandeiros de Asclepios
Curandeiros de Asclepios

Mensagens : 131
Idade : 18
Localização : Somewhere over the rainbow?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Uriel W. Neuville e Kalel Levitz [Fixas]

Mensagem por Hera em Qua Ago 08, 2018 2:04 pm

Apesar de um ou outro errinho simples de concordância ou falta de um S ao final de uma palavra no plural, nada que afetasse o bom entendimento e leitura de sua missão. Parabéns.


Recompensas: 500xp + 500 dracmas + 1 insígnia.

Ps: Também aceito oferendas de pudim no meu templo.


Lady Hera
You won't ever be alone. Wait for me to come home. Remember that with every piece of you. And it's the only thing we take with us when we die
avatar
Hera
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários

Mensagens : 103

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Uriel W. Neuville e Kalel Levitz [Fixas]

Mensagem por Febo em Qua Ago 08, 2018 5:14 pm

Atualizados.
avatar
Febo
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 330

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Uriel W. Neuville e Kalel Levitz [Fixas]

Mensagem por Uriel W. Neuville em Sex Ago 24, 2018 8:44 pm




Doctor in The Area

Cobri minha boca com a mão livre e respirei fundo em resposta a breve sensação de enjoo que senti ao atravessar o portal. Não estava muito acostumado a realizar aquele tipo de viagem, mas no fim pouco importava. Era a minha primeira vez em Nova Roma, e nossa, a cidade era muito maior do que eu esperava. Chegava a ser outra realidade se comparada ao meio-sangue. Não que eu estivesse reclamando nem nada do tipo, longe disso, adorava o acampamento grego. Mas era impossível não estranhar e/ou ficar impressionado com a diferença estrutural e até organizacional entre ambos.

Apesar de impactante, nem mesmo toda a destruição presente no local foi capaz de impedir minha admiração, me dando ainda mais ânimo para ajudar. Faria meu melhor para ver aquelas paredes erguidas novamente. Aparentemente o mesmo acontecia com Kalel visto que seus olhos quase brilhavam, encantados, perante os prédios e construções arruinados. Era quase como se ele os imaginasse de pé em perfeito estado. Devia ser um lugar muito bonito apesar do padrão militar do acampamento que correspondis. Esbocei um sorriso de canto quando os olhos azuis do maior encontraram com os meus e assenti de forma encorajadora.

— É, pelo jeito teremos bastante trabalho pela frente, Lel. — Dei de ombros e deixei um baixo riso anasalado escapar, acompanhando os demais semideuses ao lado do meu melhor amigo. — O que acha que vão nos encarregar de fazer? — Indaguei bastante curioso, colocando o dedo indicador destro sobre meu queixo enquanto olhava para cima. Não estava nem um pouco afim de fazer trabalho braçal, uma vez que não possuía tanta força para tal.

De repente Kalel se transformou em lobo e saiu correndo em uma direção até então desconhecida. Confuso, tentei chamá-lo e perguntar o que tinha acontecido, mas a distância entre nós só aumentava. Devia ser algo sério para ele agir daquela forma. Peguei a mochila do outro que havia caído no chão após a transformação e corri na mesma direção que o lupino. Logo depois houve um estrondo, o qual foi acompanhado por gritos e diversos outros barulhos que pareciam baques secos de coisas pesadas caindo no chão. Sobressaltado, arregalei os olhos e virei o corpo na direção de onde tudo acontecia. No mesmo instante senti um intenso frio percorrer minha espinha. A correria e a nuvem de podeira levantada no quarteirão ao lado se dava por conta de um desabamento de obras no que em breve seria um edifício.

Não sabia se aquilo tinha acontecido com falta de experiência dos engenheiros e arquitetos responsáveis ou por um erro de cálculos, mas no momento pouco importava. Os desesperados pedidos de ajuda indicavam que haviam pessoas feridas e presas nos escombros, e elas eram a prioridade. Kalel provavelmente sentiu a catástrofe e acabou assumido a dianteira e se adiantado ao tomar a iniciativa de ajudar aquelas pessoas. Sem hesitar, o acompanhei para garantir cuidados médicos aos necessitados.

— Ajuda! Por favor, alguém ajuda aqui! — Gritava uma garota loira de olhos verdes que devia ter seus quinze ou dezesseis anos de idade. Ela estava tentando tirar uma pedra de cima da perna de um dos supostos semideuses que estavam trabalhando na obra do prédio, mas sem sucesso. O rapaz ao seu lado urrava de dor, e pela forma que sua perna estava era evidente que havia quebrado. Pude ver também meu amigo arrastando uma pessoa para fora da área de perigo com a boca, voltando a sua forma humana pouco depois. Levemente ruborizado, desviei o olhar e joguei a mochila para ele, onde sabia haverem roupas reservas já que as anteriores tinham sido rasgadas com a transformação. Com ele devidamente vestido, nos posicionando um de cada lado da tal pedra e a seguramos. — Calma, vai ficar tudo bem. Nós vamos te tirar daí. — Proferi para o rapaz tentando transmitir alguma serenidade, segurando firme para ajudar Kalel na remoção do escombro.

A força que eu tinha que fazer para mover a pedra era tremenda mesmo com a ajuda do outro, e independente dos meus esforços, não parecia estar sendo efetivo. Inclusive, eu provavelmente estava mais atrapalhando que qualquer outra coisa. O rapaz gritava ainda mais com a movimentação sobre o membro ferido, e aquilo era de cortar o coração. — Deixa que eu cuido disso, Uri. Apenas faça algo para diminuir a dor dele. — Foram as instruções de Kalel, as quais não pensei duas vezes em seguir.

Ele levava jeito para a liderança, sempre pensando no bem de todos.

Deixando a remoção de lado, dei dois passos para o lado e me aproximei do rapaz juntamente com a garota. — Segure a mão dele, por favor. — Pedi a ela, sem sequer notar que eles realmente pareciam namorados. Ela atendeu meu pedido. — Quando ele levantar a pedra, me ajude a tirá-lo daí de baixo. — Completei, apontando para Kalel com a cabeça no início das instruções. Não podia negar que estava um pouco nervoso naquela situação, principalmente por ele não ser o único trabalhador que havia se ferido no acidente. Pedidos de ajuda e por médicos podiam ser ouvidos ao fundo, e isso me causava grande agonia. Precisava ser rápido.

Ainda assim era meu trabalho manter a calma em situações como aquela para que pudesse ajudar e confortar os outros com eficiência. Fechei brevemente os olhos, respirei fundo e me concentrei. — It's just another night, And I'm staring at the moon... — Comecei a cantarolar a primeira música que me veio a mente, utilizando da voz de morfina para atenuar a dor do semideus. — I saw a shooting star, And thought of you... — Suas expressões aos poucos iam mudando para algo que demonstrava alívio, sendo exatamente este meu objetivo. Então Kalel segurou a pedra que o prendia com ambos os baços, como se a abraçasse, e fazendo força suficiente para as veias de seus braços saltarem ele conseguiu erguê-la.

Sem demoras, continuei cantando conforme a garota loira me ajudava a retirar o rapaz do lugar. Ela estava atrás dele e o segurava por baixo dos braços enquanto eu o suspendia com todo o cuidado pelas pernas. — Pronto, pronto. — Proferi, deixando o paciente deitado com o corpo ereto sobre o chão. — Agora vamos dar um jeito nisso aqui. — Um sorriso repleto de confiança tomou conta dos meus lábio, transmitindo calmaria aos demais. — Sou curandeiro do acampamento grego, não preciSam se preocupar.

Pela visão periférica vi meu amigo jogar a pedra para o lado e seguir rumo às demais vítimas do acidente, avisando-me em poucas palavras que já voltava. — Certo. — Respondi com simplicidade, já manipulando a energia vital do paciente para começar o processo de cura. Tinha sido um ferimento feio, e estava tratando disso antes utilizar a osteogênese para resolver a fratura. Todo o processo não levou mais do que quinze minutos, e apesar do paciente não ter ficado cem por cento recuperado, seria suficiente. Minha prioridade era estabilizá-lo para poder prestar auxílio aos demais.

Tanto o rapaz quanto a garota me agradeceram e depois seguiram para a enfermaria de Nova Roma para terminar o processo de recuperação. Eles se chamavam Julian e Alice, e demonstraram ser pessoas muito simpáticas. Se tivesse tempo iria visitá-los mais tarde.

— Lel, como estão as coisas aí? — Indaguei em tom suficientemente alto para ser ouvido pelo lycan, ouvindo-o dizer que estavam tendo dificuldades para encontrar alguns dos trabalhadores em meio a tantos destroços. Por conta disso, dei uma bela olhada pelo ambiente e busquei pelas auras das pessoas desaparecidas. — Tem um ali! — Apontei com a destra para o que parecia uma pilha de ferros retorcidos, concreto e cascalho. Kalel e outros dois semideuses foram ajudar enquanto tratei de continuar procurando - e achando - mais dois. No fim eram um filho de Vulcano, uma de Belona e outro de Victória.

Como não podia ajudar muito bem na remoção dos escombros devido a baixa constituição física, foquei na localização e cuidado dos feridos. Era o que eu podia fazer para ajudar naquela situação.

Feito isso, segui para o local onde as vítimas do acontecido estavam sendo levados e tratei de estabilizar um por um com a ajuda de outros quatro curandeiros do acampamento Júpiter. Seria um longo processo, mas ficaria tudo bem e a cidade logo estaria reerguida novamente.

Coisos:
Missão Realizada:
• Deu ruim! - A falta de atenção e experiência na construção de um edifício o fez desabar antes mesmo de ficar pronto. Resgate os trabalhadores e os ajude a recuperar o tempo perdido, mas antes procure alguém que possa te ajudar a curar os feridos.
Recompensas: 1.200xp + 1.000 dracmas + 3 insígnias.
Itens em Posse:
• Sérénité [Um arco feito de bronze celestial com uma corda transparente, sendo este de tamanho ideal para o seu usuário. Possui limbos com design semelhante a asas angelicais, os quais são banhados a prata e possuem detalhes multicoloridos na posta de cada uma das "penas" que o compões. Quando o filho de Íris puxa a corda, flechas se materializam magicamente - e estas são do mesmo material do arco. | Efeito 1 : O arco se transforma em um colar com pingente em formato de pena feito de prata.  | Efeito 2: Uma aura multi-colorida surge a partir da arma, fazendo qualquer oponente se render a batalha - mesmo querendo atacar, os danos serão drasticamente diminuídos diante ao portador do arco -, dando oportunidade ao semideus vencer um confronto sem a necessidade de briga. (Só pode ser usado uma vez por missão.) | Bronze Celestial | Sem espaço para gemas. | Beta | Status 100%, sem danos |  Mágico | Presente de Íris]

• Escudo Auxiliador [Um escudo de aparência comum que, a princípio, parece ser mais velho e desgastado, porém não se engane. O seu formato e redondo, se encaixando no pulso do semideus que o porta, deixando a mão do mesmo livre, já que o encaixe é no pulso e antebraço. | Ao ativar o efeito o escudo torna-se transparente e seu peso torna-se nulo, permitindo que o semideus porte armas ou quaisquer objetos no mesmo braço onde encontra-se o escudo, como se não estivesse com nada preso ao braço. O escudo também se expande, podendo englobar o semideus e mais outra pessoa, sendo indispensável em curas em batalha, por exemplo. Ambos os efeitos podem ser ativados simultaneamente, entretanto só podem ser ativos uma vez por missão/evento etc, durando dois turnos. | Ouro Imperial. | Não possui espaço para gemas. | Resistência beta | 100%, sem danos. | Nível 3. | Lendária. | 10 de HP (caso seja utilizado para atingir outros semideuses). | Presente de Reclamação do grupo Curandeiros de Asclépio/Esculápio.]

• Cristal de Luz [Um cristal mágico que cria hologramas a partir da mente do usuário. Assim, a pessoa poderá assistir até mesmo um filme ou fazer suas lembranças se tornarem audiovisuais. As imagens se propagam em até 5m de distância, tendo como ponto de referência o cristal. De proporção e imagem, conseguem tomar uma parede de 4m de altura e 6m de largura. Qualquer imagem pode ser criada e os sons são reproduzidos graças a conexão empática da pedra com a memória do usuário. Quando usado em missão, as imagens duram por 3 turnos, são bastante úteis para causar distrações ou até mesmo enganar | Efeito: Foram usadas as runas Jera, Algiz e Tiwaz para que o cristal criasse luz e som a partir de memórias | Cristal | Resistência: Gama | Status: 100%, sem danos | Mágica | Encantada por Evie Farrier, comprado no Pandevie Magie]

• Arsenal [Anel brilhante com uma pedra preciosa, esbranquiçada e minúscula em seu centro | Aço | . Possui o efeito de alterar uma arma, mudando assim sua forma, detalhes, e qualquer outra coisa que o portador desejar, desde que as alterações sejam apenas físicas. Ou seja, utilizando o efeito do anel, é possível transformar uma lança em uma espada ou faca, ou qualquer outro item de ataque. Um escudo circular pode ser transformado em um broquel, ou um escudo de corpo. Os materiais dos itens podem ser alterados, mas seus efeitos sempre serão os mesmos (exemplo: uma espada elétrica ainda causaria dano por eletricidade se transformada em uma lança) | Não possui espaços para gemas | Comum | Resistência: Sigma | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja ]

• O arco-íris [Um anelzinho de cristal com uma luz de led acoplada que gera arco-íris e aumenta em 30% de HP e MP da cura pelo arco-íris (só pode ser usado uma vez por luta, evento ou missão)| Sem espaço para gemas. | Beta. | Status 100%, sem danos. | Comum. | Presente de natal.]
Habilidades Utilizadas:
Passivas:
Íris
• Nome do poder:  Paciência Gloriosa
Descrição: O filho da Deusa possui uma paciência inabalável, assim nenhum insulto o atingirá, nem mesmo dos filhos de Ares/Marte, e ele prosperará harmonia. Essa calmaria geralmente atinge o inimigo de uma maneira que pode fazer com que ele não queira atacar o filho de Iris/Arcus.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Por uma rodada o inimigo pode se sentir tão calmo, a ponto de hesitar em atacar. Atordoamento temporário.
Dano: Nenhum

• Nome do poder: Velocidade I
Descrição: O filho de Íris/Arcus pode se mover em uma velocidade fora do normal, chegando a quase se comparar a velocidade de um filho de Hermes/Mercúrio quando corre pelo o nível ser iniciante. Assim como o deus dos ladrões, sua mãe também é uma mensageira, e por isso é muito veloz, porém, os poderes dos semideuses são um pouco limitados.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de velocidade
Dano: Nenhum

• Nome do poder:  Scanner de auras
Descrição: O filho da Deusa consegue detectar as cores das auras vivas, qualquer coisa que emita aura e esteja no ambiente será facilmente detectada pelo semideus.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Capaz de identificar inimigos escondidos, desde que possuam aura.
Dano: Nenhum

• Nome do poder: Visão aguçada I
Descrição: Como um grande manipulador de luz, os filhos da deusa prescindem o uso de lentes de aumento para observar com mais detalhes objetos que estão a grandes distância ou itens muito pequenos. Sua capacidade de visão assemelha-se a de um humano usando um binóculo ou lupa.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: É capaz de ver uma imagem com até 10 vezes de aumento e a objetos com até 10 quilômetros em distância. (+20% Mira)
Dano: Nenhum.

• Nome do poder: Fótons acelerados
Descrição: Na presença de grande quantidade de cores, ou de um arco-íris. O filho de Íris/Arcus se torna mais poderoso, dessa maneira, pode utilizar duas habilidades seguidas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode realizar duas habilidades (Tanto passiva quanto ativa) seguidas, contabilizando uma única ação.
Dano: Nenhum


Afrodite
--

Asclépio
• Nome do poder: Mãos gentis
Descrição: Suas mãos são leves e delicadas para tratar de feridos. A dor que você causa é mínima, e você saberá muito bem como colocar ataduras, talas, bandagens, torniquetes e etc. no lugar correto, do jeito correto, e com o mínimo de tempo e dor possível.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

• Nome do poder: Aura apaziguadora
Descrição: Um bom curandeiro tem que apaziguar o coração dos feridos e familiares, portanto você possui uma aura pacifista que acalenta os corações dos enfermos e familiares.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: O poder irá apenas funcionar caso o indivíduo esteja possuído.
Dano: Nenhum.

• Nome do poder: Percepção energética
Descrição: Todos os corpos são constituídos de energia, os curandeiros tem a capacidade de perceber essa energia, onde ela está mais forte ou mais fraca, assim como se essa energia está danificada ou não segue seu fluxo normal. Dessa maneira, um curandeiro pode perceber que há algo de errado com a energia vital de alguém
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Permite perceber e localizar onde a energia vital está sendo perdida ou danificada, mas sem muita precisão. Pode notar que existe uma energia negativa ou interrupção da fluidez da energia em um braço ou no tórax.
Dano: Nenhum
Dano: Nenhum

• Nome do poder: Conhecimento de anatomia
Descrição: O corpo humano não é um segredo para você, o nome de cada veia e por onde ela passa, levando o que pra onde, cada ínfimo detalhe dos músculos, ossos e demais tecidos são conhecidos por você.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Consegue tratar o paciente com maior precisão.
Dano: Nenhum.
Extra: – 10% de chance de causar danos colaterais na hora de tratar ferimentos.

• Nome do poder:  Luz solar I
Descrição: Asclépio era filho de Apolo, cuje um dos campos de poder era o sol, por tanto, quando o curandeiro estiver em contato com a luz será mais poderoso, eficiente de forma geral.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: + 15% de efetividade em ações de cura
Dano: Nenhum.

• Nome do poder: Agilidade I
Descrição: Os procedimentos médicos exigems certa agilidade, portanto, curandeiros são um pouco mais ágeis que os humanos normais.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 10% agilidade
Dano:  Nenhum.
Ativas:
Íris
--

Afrodite
--

Asclépio
• Nome do poder: Voz de Morfina
Descrição: O curandeiro poderá amenizar a dor de seus pacientes cantando uma melodia qualquer, inclusive induzir um paciente ao sono e ao coma induzido, mantendo-o num estado de dormência, como se o mesmo houvesse ingerido morfina.
Gasto de Mp: 30 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Induz estado de sonolência e inibe a dor.
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

• Nome do poder: Manipulação energética II
Descrição: Além de perceber a energia vital, os curandeiros podem manipula-la e restaura-la. Suas habilidades naturais agora melhoraram e você consegue diminuir os cortes mais profundos, mesmo que não seja capaz de fecha-los completamente, além disso, cortes menores agora viram finas cicatrizes sobre a pele.
Gasto de Mp: 20 de MP.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: + 20% de HP e MP por uso.
Dano: Nenhum.
Extra: Nenhum.

• Nome do poder: Osteogênese
Descrição: Capaz de induzir o crescimento ósseo dos pacientes, restaurando ossos quebrados com apenas um toque.
Gasto de Mp: 30 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum
Adquiridas:
--
Considerações:
• Para não ficar repetitivo, e por ser um curandeiro, achei que seria interessante Kalel focar mais na parte do resgate e eu na parte do cuidado dos trabalhadores acidentados. Tanto que a própria missão pede isso, porém no nosso caso não seria um NPC. Espero que não haja problemas.



✽ URIEL WEISS NEUVILLE ✽
IF I CAN HELP YOU, I WILL DO THIS
avatar
Uriel W. Neuville
Curandeiros de Asclepios
Curandeiros de Asclepios

Mensagens : 131
Idade : 18
Localização : Somewhere over the rainbow?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Uriel W. Neuville e Kalel Levitz [Fixas]

Mensagem por Kalel Levitz em Seg Ago 27, 2018 4:31 pm




estrelinha de que se vamo tudu morre?
DECALCOMANIE




Missão escreveu:• Deu ruim! - A falta de atenção e experiência na construção de um edifício o fez desabar antes mesmo de ficar pronto. Resgate os trabalhadores e os ajude a recuperar o tempo perdido, mas antes procure alguém que possa te ajudar a curar os feridos.
Recompensas: 1.200xp + 1.000 dracmas + 3 insígnias.

O filho de Zeus segurou o riso assim que notou seu amigo tapar a boca, enjoado por causa do portal. Os olhos azuis garoto, que antes fitavam Uriel, olhavam por todo aquele lugar. O semideus estava tão empolgado com tudo aquilo que seus olhos brilhavam com o local. Achava Nova Roma o cenário mais lindo que já havia visto em sua vida, mesmo estando destruída continuava maravilhosa, pelo menos para ele.

Olhou para o seu amigo, que correspondeu com um olhar de encorajamento, fazendo com que a prole de Zeus sorrisse de forma tímida.

— É, pelo jeito teremos bastante trabalho pela frente, Lel. — Uriel de uma leve risada enquanto acompanhávamos os demais semideuses.— O que acha que vão nos encarregar de fazer?

Antes que o lycan pudesse falar algo, seus olhos se estalaram em forma de atenção. Sua cabeça virou na direção de um dos prédios que estavam sendo construídos. Começou a ouvir uns estalos e sabia o que viria a seguir. Jogou sua mochila no chão e começou a correr na direção do local, se transformando em lobo no caminho para que pudesse chegar lá um pouco mais rápido.

Não adiantou de muita coisa pois assim que chegou perto do prédio, ele desabou, levantando uma enorme poeira por lá, dificultando a visão do lycan por alguns instantes. Ele então fechou os olhos tentando ouvir o coração de alguém com a sua audição aguçada, os gritos dos feridos eram altos, por isso precisou se concentrar ainda mais. Assim que identificou a localização de uma vítima, ele correu até lá. Para a sorte do lobo, ela estava apenas inconsciente, sem nenhuma parte da construção por cima dela. Com a boca ele arrastou a pessoa pela blusa até longe dos escombros.

Kalel se transformou novamente em humano, ficando completamente pelado já que suas roupas rasgaram quando virou lobo. Uriel que já estava ali ajudando algumas pessoas, jogou a bolsa para o filho de Zeus. Sempre levava roupas extras pois nunca sabia quando iria precisar. Se vestiu rapidamente e foi em direção ao seu amigo, que estava tentando ajudar o que parecia ser um casal. Havia escombros por cima da perna do outro e eles iriam precisar retirar antes de prestar socorro.

Se posicionou ao lado de Uriel para poderem remover os escombros. O curandeiro percebeu que sua força não fazia a menor diferença para aquilo e decidiu deixar Kalel tentar sozinho enquanto o ferido gritava com a dor. Aquilo era de cortar o coração e o filho de Zeus precisava fazer algo para de fato ajudar.

— Deixa que eu cuido disso, Uri. Apenas faça algo para diminuir a dor dele. — Pediu Kalel.

Quando Uriel começou a cantar para poder acalmar o outro e fazer a sua dor passar, Kalel colocou toda a força que possuía em seus braços, fazendo suas veias saltarem. A pedra se ergueu o suficiente para a vítima ser retirada de baixo, o que fez com que o filho de Zeus suspirasse aliviado. O curandeiro sabia o que estava fazendo, por isso o lycan iria ajudar outras pessoas que encontrasse.

— Vou procurar mais vítimas. Já volto. — Falou Kalel enquanto se afastava do local.

Kalel tentava achar em meio aos destroços mais pessoas. Mas estava sendo bem difícil dele conseguir ouvir algo, afinal a população do local estava falando alto, juntando aos gritos de dor, era impossível que o semideus conseguisse encontrar uma outra pessoa. Acabava por ser frustrante, mas ele não podia desistir, tinha que procurar por mais trabalhadores. Uriel me perguntou como estava indo as coisas, sabia que ele iria poder ajudar com o lance de ver auras.

— Ta difícil, não consigo ouvir eles direito. — Respondeu assim que o amigo se aproximou.

O curandeiro apontou na direção de uma pilha de ferros retorcidos. Aquilo sim seria difícil de erguer, mesmo com toda a força que possuía. Olhou para outros dois semideuses e pediu para que eles o ajudasse. Conseguiram tirar os ferros com sucesso e acharam uma pessoa lá. O curandeiro ajudou a achar mais dois. No final foram três no total. uma era filha de Belona, outro de Victoria e o último era filho de Vulcano.

Kalel e os outros dois ajudaram os feridos, os levando até onde outros curandeiros poderiam ajudar. Sabia que Uriel seria útil na busca de mais pessoas, assim como seria na cura, contudo a prioridade era resgatar o máximo possível. Cuidar dos ferimentos ficaria para depois, claro que os com grandes danos deveriam ser tratados imediatamente, Uriel cuidaria disso ali mesmo.

Abre ai:
Bom o fato do Kalel conseguir levantar a pedra se dá graças aos 5 pontos de força da FPA + um poder ativo dos lycans + passivo de Zeus + passivo dos lycans.

http://www.bloodolympus.org/t3611-fpa-kalel-levitz#76464

Poder ativo:
Nível 2
Nome do poder: Alteração Muscular I
Descrição: O lycan, mesmo sem conhecimento anatômico, é capaz de alterar a massa dos seus músculos e adaptar em uma das duas modalidades. Na primeira, ele intensifica a massa e deixa os tecidos mais rígidos aumentando a força e resistência, mas, em troca, perde velocidade. Já a segunda, é justamente o contrário, espalhando nas partes precisas das pernas e braços (para o caso de correr sobre as quatro patas) com o intuito de aumentar a velocidade.
Gasto de Mp: 10.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +10% em força e resistência - 10% em velocidade, se usada na primeira forma; +10% em velocidade - 10% em força e resistência, se usada na segunda forma.
Dano: Nenhum.
Extra: Nenhum.
Passivos de Zeus:
Nível 3
Nome do poder: Seguido
Descrição: Naturalmente a prole de Zeus/Júpiter possui uma aura de líder que faz com que os campistas e demais semideuses aliados os sigam naturalmente, esperando ordens e afins. No entanto, vale ressaltar que, dificilmente campistas de nível superior ou com grande força mental sejam afetados.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nível 9
Nome do poder: Respeito
Descrição: Por onde quer que vá o filho de Zeus/Júpiter será respeitado, seu pai é o senhor do Olimpo, o que o torna quase um príncipe na terra. Isso faz com que de certa forma o semideus empunha respeito, podendo chegar a ser temido pelos demais campistas, ou invejado. Entretanto tal poder dificilmente irá funcionar com individuos de nível elevado ou força mental forte.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Pode fazer um inimigo hesitar durante o primeiro turno, evitando atacar diretamente.
Dano: Nenhum.

Nível 10
Nome do poder: Lider I
Descrição: Assim como os filhos de Afrodite são capazes de persuadir pela sedução, os filhos de Zeus/Júpiter tem a capacidade de convencer as mentes mais fracas a segui-los e "acatar" suas ordens graças ao talento em liderar. É, claro que há um limite, alguém certa imunidade aos controles mentais - por exemplo - não será facilmente persuadido. Sendo que dificilmente irá funcionar em um filho de Athena calmo e pleno. Entretanto poderá ter efeito caso estejam em meio a uma batalha ou sofrendo de emoções fortes.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nível 12
Nome do poder: Força I
Descrição: Zeus/Júpiter é um deus que tem uma força superior a boa parte dos outros deuses, chegando a ser comparado com Ares. Seu irmão, Hércules, era um dos semideuses mais fortes a ser conhecido, e assim como ele você adquire uma força superior a boa parte dos campistas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de força
Dano: +10% de Dano se o ataque do semideus atingir.
Passivos dos lycans:
Nome do poder: Audição Aguçada I
Descrição: Independente da forma em que estiverem, os lycans têm esse sentido em especial muito mais desenvolvido que o restante das pessoas. Dessa forma, são capazes de ouvir tudo ao seu redor, sem muito controle sobre isso, o que pode causar desconforto em RPs sociais. Além disso, caso se concentrem unicamente nisso, podem ouvir os batimentos cardíacos alheios. Ambos os efeitos funcionam até 30m de distância.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 20% em audição, 30% se estiver na forma da besta.
Dano: Nenhum.

Nível 10
Nome do poder: Força I
Descrição: A força dos lycans é elevada devido aos músculos naturalmente melhor desenvolvidos para dilacerar e matar suas presas.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 10% em força; 20% em força se estiver em alguma forma lupina.
Dano: Nenhum.






••••••

ψ


Sometimes even
to breathe
is an act
of courage
avatar
Kalel Levitz
Guardiões das Hesperides
Guardiões das Hesperides

Mensagens : 169
Idade : 27
Localização : Num lugar de plantas

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Uriel W. Neuville e Kalel Levitz [Fixas]

Mensagem por Letus em Ter Ago 28, 2018 9:49 am


Uriel W. Neuville & Kalel Levitz


Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Máximo de recompensa a ser obtida: 1.200 xp + 1.000 dracmas + 3 insígnias.

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

URIEL W. NEUVILLE

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 15%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 30%

RECOMPENSAS: 1.140 xp + 950 dracmas + 3 insígnias.
DESCONTOS: 80 MP por poderes ativos.

Comentários:

Você teve um ótimo desempenho na realização da Missão Fixa, Uriel. Uma narração agradável e sucinta, mas que mantém o leitor preso ao texto. Infelizmente, tenho que lhe atentar a erros comuns e chulos que podem ser descartados facilmente com uma revisão de texto. Veja:

Uriel W. Neuville escreveu:Devia ser um lugar muito bonito apesar do padrão militar do acampamento que correspondis.
Uriel W. Neuville escreveu:A correria e a nuvem de podeira levantada no quarteirão ao lado se dava por conta de um desabamento de obras no que em breve seria um edifício.
Uriel W. Neuville escreveu:Kalel provavelmente sentiu a catástrofe e acabou assumido a dianteira e se adiantado ao tomar a iniciativa de ajudar aquelas pessoas.

Erros, como pode ver, dispensáveis.

Uriel W. Neuville escreveu:Levemente ruborizado, desviei o olhar e joguei a mochila para ele, onde sabia haverem roupas reservas já que as anteriores tinham sido rasgadas com a transformação.


O caso acima se trata mais de fluência do que erro gramatical em si. Creio que o uso de "haviam" ou "tinham" com o descarte de "sabia" tornaria o trecho menos 'errôneo'. Uma boa alternativa também seria manter o verbo haver em singular, pois não há um sujeito específico nas circunstâncias apresentadas. Apenas em poucas ocasiões deve-se flexionar o verbo para o plural, já que se trata de um verbo impessoal.

Uriel W. Neuville escreveu:Então Kalel segurou a pedra que o prendia com ambos os baços, como se a abraçasse, e fazendo força suficiente para as veias de seus braços saltarem ele conseguiu erguê-la.

Além do erro ortográfico e de sentido com o uso de "baços", note também que o uso da conjunção "e", além de ser errôneo depois da vírgula, poderia ter sido descartado de forma que não mudaria o sentido da ideia que veio a seguir.

No mais, o personagem exerceu bem o papel de curandeiro e achei interessante a relação que ambos impuseram entre si na situação. Meus parabéns!

KALEL LEVITZ

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 17%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 30%

RECOMPENSAS: 1.164 xp + 970 dracmas + 3 insígnias.
DESCONTOS: 10 MP pelo poder ativo.

Comentários:
Como dito para seu companheiro na avaliação acima, você tem uma escrita simples porém atraente, o suficiente para manter o leitor focado em prosseguir a leitura até o fim. Contudo, vamos aos erros - que, em sua maioria, se assemelham aos de Uriel.

Kalel Levitz escreveu:Os olhos azuis garoto, que antes fitavam Uriel, olhavam por todo aquele lugar.


Aparentemente, houve a falta da palavra "do" antes de "garoto", ao se referir aos olhos azuis de Kalel.

Kalel Levitz escreveu:Uriel de uma leve risada enquanto acompanhávamos os demais semideuses.

Kalel Levitz escreveu:Ele então fechou os olhos tentando ouvir o coração de alguém com a sua audição aguçada, os gritos dos feridos eram altos, por isso precisou se concentrar ainda mais. Assim que identificou a localização de uma vítima, ele correu até lá.

O uso do pronome pessoal sublinhado não está errado, em quesito gramatical, mas se encaixa em um erro de fluência. A repetição de palavras, muitas vezes, torna-se um agravante para descontos em textos. Procure substituí-las por sinônimos ou, no caso do trecho acima, descarte a palavra que foi repetida.

No mais, encaixou bem seu personagem na situação e, de fato, realizou o objetivo proposto na MF. Meus parabéns!


Atualizado por Hades.
avatar
Letus
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários

Mensagens : 39

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Uriel W. Neuville e Kalel Levitz [Fixas]

Mensagem por Uriel W. Neuville em Sex Set 28, 2018 7:51 pm




Doctor in The Area

O engraçado de estar fazendo alguma atividade com ímpeto e atenção é que nem sempre percebemos o desgaste físico e psicológico que ela nos causa, notando-o apenas depois em momentos de repouso. No meu caso esta atividade era ajudar na recuperação dos semideuses que se feriram durante um dos desabamentos em Nova Roma, enviando-os para a enfermaria improvisada assim que terminava de realizar os primeiros socorros necessários.

Além dos poucos que tiveram a sorte de saírem ilesos ou com poucos arranhões, alguns se machucaram bem feio, chegando a ter casos de fraturas expostas, órgãos danificados e coisas parecidas. Uma catástrofe. Mas ao menos em meio a toda essa bagunça e destruição o grupo responsável pelos salvamentos foi muito eficiente, e graças aos deuses - e a eles - não houve nenhuma morte.

Kalel e eu tínhamos nos separado por algum tempo, afinal tínhamos sido alocados em grupos com funções diferentes já que ele era forte, ágil e possuía ótimos sentidos e eu tinha habilidades curativas.

— Prontinho, você vai ficar bem agora. — Esbocei um amigável sorriso depois de restaurar o braço quebrado de uma linda garotinha de cabelos crespos e pele cor de oliva, a qual possuía olhos verdes cintilantes e devia ter por volta dos onze ou doze anos de idade. Ela tinha sido atingida por uma pedra lançada longe com o primeiro desabamento e por sorte não foi atingida em cheio na cabeça. — Fico te devendo um pudim. — Completei, dando uma divertida piscadela para ela.

Vê-la sorrir tão sinceramente como forma de agradecimento pela minha ajuda me fez ignorar a forte dor de cabeça que sentia, assim como o cansaço e a fraqueza que aos poucos tomava conta do meu corpo. Talvez estivesse exagerando no gasto de energia, e ao contrário da minha enfermaria, lá não tinham arco-íris constantes para ajudar na minha recuperação. Ainda assim sentia que devia continuar, pois não podia pensar apenas em mim num momento como aquele.

Continuei exercendo minha função, curando e restabelecendo a saúde dos mais necessitados, dando pequenos intervalos de descanso apenas para tomar água e recuperar o fôlego.

Era muita gente ferida.

— Que dia, hein... — Comentei como num desabafo assim que vi Kalel retornar, fitando o filho de Zeus com um discreto sorriso presente no canto dos lábios. Eu não estava reclamando, mas devia admitir que não esperava ter que lidar como uma situação delicada como aquela logo que chegamos em Nova Roma. Os danos pareciam ter sido enormes, e não apenas estruturais. Algumas pessoas ostentavam um semblante desanimado e pouco esperançoso, além de uma aura bastante perturbada. Talvez tivessem perdido suas casas, comércios e quem sabe até algum ente querido.

Num primeiro momento nem notei que meu melhor amigo estava na mesma situação, pois estava tentando curar um esmagamento na perna de uma semideusa.

Pensar naquilo fazia eu me sentir estranho, pois apesar de estar lá, não estive quando mais precisaram. Podia ter ajudado mais, evitado algumas perdas, salvado algumas vidas... mas não. Eu estava confortável no Meio-Sangue, mantendo uma rotina de aprendizado na enfermaria antes de abrir a minha.

Sabia que me sentir culpado não iria ajudar em nada, mas não consegui evitar.

— Hmm... Lel, você acha que se mais gente tivesse vindo ajudar antes as coisas teriam sido diferentes? — Pensativo, olhei ao redor como se indicasse que me referia a toda destruição causada pelo ataque do exército de Nyx. Senti meu estômago revirar. — Porque vendo tudo isso, eu... e-eu sinto que fiz pouco. — Mordi o lábio inferior e abaixei o olhar, já tendo terminado o tratamento da moça. — Sei lá, é frustrante. Não sei porque, mas eu meio que me sinto responsável.

Minhas palavras pareceram ter um enorme impacto no lycan, pois havia uma notável carga de melancolia presente em sua aura, eu só não sabia exatamente o porquê. Ele não estava daquele jeito quando nos separamos pouco tempo atrás. Foi simplesmente impossível não me preocupar, e este sentimento ficou explícito no azul opaco e mais claro que o habitual assumido pelos meus olhos.

Pensei em perguntá-lo o que tinha acontecido, mas algo me dizia que seria melhor não tocar no assunto. Conhecia Kalel o suficiente para saber que havia algo de errado com ele, por mais que não deixasse transparecer. O maior sempre teve um lado protetor muito aflorado, talvez até mais do que o meu, e justamente por isso sempre tentava parecer forte e inabalável diante dos outros. Eu entendia muito bem como era aquilo.

Sermos parecidos nesse aspecto me transmitia uma sensação reconfortante, e eu queria poder transmitir a mesma sensação a ele se pudesse. Por isso me levantei com alguma dificuldade, sentindo minha cabeça latejar antes de ir até meu amigo. Estava realmente cansado.

— Vai ficar tudo bem... — Foi tudo o que eu disse ao abraçá-lo bem forte, como se dissesse sem a necessidade de palavras que estava ali para o que ele precisasse. Era o mínimo que eu poderia fazer em retribuição pela maravilhosa amizade que ele me dava. Sem falar que o loiro também já tinha me servido de suporte em momentos de necessidade - por mais que a maioria delas fossem dramas e bobeiras meus.

— Você tá se esforçando demais. — A voz de Kalel surgiu seguida de um aperto no abraço, o que me surpreendeu um pouco. Mesmo mal ele tinha percebido como eu estava e se preocupado com isso.

— É preciso. — Respondi, sem quebrar o contato. Estava muito bom abraçá-lo.

— Você devia descansar. — Continuou ele, me fazendo sorrir de canto.

— Mas todo mundo conta comigo. — Proferi, enfim desfazendo o terno gesto de carinho para poder fitar-lhe os olhos.

— Todo mundo pode esperar. — Não pude deixar de sorrir, me dando por vencido.

Aquilo foi realmente adorável.

— Okay, okay. Vou descansar um pouco. — Dei um soquinho fraco no ombro alheio, pensando como ele conseguia deixar leve e descontraído até mesmo um momento como aquele. Era um dom. — Bobão. — Soltei um baixo riso e balancei a cabeça de um lado para o outro. Só ele para me convencer a parar.

•••

Vinte ou trinta minutos depois eu já estava bem melhor. A dor de cabeça tinha passado, o cansaço já não incomodava mais e meu corpo recuperara boa parte das forças perdidas. Ainda não estava no cem por cento, mas podia trabalhar daquela forma sem fazer muito esforço nem prejudicar minha saúde.

Quando voltamos a botar a mão na massa, demos prioridade para as áreas mais necessitadas levando suprimentos, materiais, fornecendo mão-de-obra e tudo mais, até que por acaso acabamos notando algo de errado. Em diversos pontos de reconstrução, pessoas reclamavam dos materiais não estavam sendo suficientes para concluir as obras mesmo com o planejamento realizado corretamente. Algumas coisas tinham simplesmente sumindo sem explicação, e isso era preocupante. Não podiam haver ladrões em um momento como aquele, onde a cooperação era essencial para um um resultado mais rápido e satisfatório.

Kalel e eu conversamos com algumas pessoas, procuramos informações, juntamos pistas e por fim assumimos a tarefa de encontrar o responsável pelos furtos. Não podíamos deixar que alguém tirasse proveito da situação para obter benefícios próprios. Era puro egoísmo, além de antiético e criminoso.

Levamos algumas horas para associar uma mesma pessoa a todos os locais furtados, mais especificamente um legado distante de Arcus que descobrimos estar com problemas financeiros antes de tudo aquilo acontecer. Não pude deixar de sentir um pouco de pena do rapaz, pensando no que ele provavelmente teria passado para chegar a tomar tal atitude, mas mesmo assim não podia permitir que aquilo continuasse.

— Eu acho que devemos falar com ele. — Sugeri para Kalel, pensativo. — Perguntar sobre a situação e tentar convencê-lo a parar. — Dei de ombros, confiante de que aquilo daria certo. — Ele mora aqui e não acho que iria querer ser preso. — Levei a destra até minha nuca e a cocei de leve, pensando em como o abordaríamos de maneira branda. — Se bem que não deve ser bom falar isso logo de cara. Ia parecer uma ameaça, não é? — Combinamos que eu poderia tentar convencê-lo primeiro, com diplomacia, e caso não desse certo... bem, ele iria conversar com os punhos de Kalel.

O lycan parecia louco para extravasar a tensão acumulada de alguma forma.

•••

Chegando no endereço que nos foi dado, logo avistamos o suposto ladrão pregando algumas taboas sobre o que parecia uma espécie de balcão ou bancada improvisada feita com algumas pedras. Ele possuía cabelos castanhos e ondulados que prolongavam-se até a altura dos ombros, tinha olho verdes e devia estar na faixa etária entre dezenove e vinte quatro anos. Sem demoras, não hesitei em me aproximar.

— Com licença, moço. Você é o Christian? — Indaguei com serenidade, sendo acompanhado pelo filho de Zeus que estava logo atrás de mim. — Estou trabalhando. Não enche o saco, pirralho. — Ele respondeu sem sequer olhar para mim, ostentando um ríspido mal-humor que me fez duvidar de sua suposta descendência divina. Parecia uma prole de Ares em um mal dia.

No mesmo instante ouvi meu amigo bufar, incrédulo, e quando olhei para ele vi que estava com os punhos cerrados e os músculos rígidos prontos para avançar contra o outro. Por puro reflexo, me coloquei em seu caminho e o fitei nos olhos, tentando impedi-lo de ceder à provocação alheia. Partir para a violência não resolveria nada. — Por favor, calma. — Sussurrei, meio que pedindo mais uma chance.

O loiro apenas assentiu e revirou os olhos.

— Ahn... Desculpe incomodar, senhor. Mas é que é realmente import... — Mal pude terminar a frase, pois Christian largou bruscamente o martelo sobre a madeira e me fez dar um leve sobressalto de susto por conta disso. Eu não esperava que as coisas seriam assim. — Mas que porra, hein! O que é? Querem ajuda para mais alguma coisa? Não conseguem carregar a merda de um saco de cimento sozinhos? — Eu não sabia explicar como, mas eu me sentia muito mal por estar naquela situação. Odiava conflitos, e ter meio que "começado" um era horrível.

— N-Não é isso, nós só queremos sab... — E novamente fui cortado antes de terminar a frase. — Então fala de uma vez! Não tenho o dia todo livre pra perder com vocês. — Ele olhou para Kalel e notou sua expressão de desgosto, acabando por esboçar um sorriso irônico e debochado. — Que foi, garo... — Dessa vez foi ele quem não conseguiu terminar de falar, pois tomou um murro tão forte na fuça que eu podia jurar que o mal-encarado foi capaz de ver estrelas.

Fechei os olhos com certa força e por um instante prendi a respiração, desconfortável. Aquilo não precisava chegar onde chegou.

— Desgraçado! — Rosnou o ladrão com a canhota na frente do rosto, onde foi atingido em cheio. — Não devia ter feito isso. — De repente minha espinha pareceu ter sido congelada pela própria Quione, pois Christian sacou um revolver da parte de trás de sua calça e o apontou para o rosto de Kalel. — E agora, seu merdinha? Vai encarar?

Meu coração batia acelerado no peito, minha respiração ficava descompassada e tudo o que eu pensava era em como fazê-lo largar aquela arma. Nem devia ser permitido ter aquelas coisas dentro de Nova Roma, como ele tinha conseguido uma? Pensei em utilizar alguns dos meus poderes de luz para desnorteá-lo e depois desarmá-lo, mas não podia arriscar. Era a vida do meu melhor amigo que estava em risco, por isso não movi um músculo sequer.

— Cara... não precisa disso. — Proferi com a voz trêmula, erguendo lentamente a mãos para cima da cabeça. — Por favor, abaixa essa arma.

— Calado! — Christian bradou, apontando então a arma para mim. Eu imediatamente engoli a seco e olhei para Kalel, assustado. As coisas definitivamente saíram do controle. — Cansei de ouvir sua voz.

Houve um momento de silêncio e depois um disparo. Tudo aconteceu muito rápido. Quando percebi Christian estava no chão, Kalel estava sobre ele, a arma tinha caído longe e havia uma pequena mancha de sangue na lateral do abdômen.

De onde veio o primeiro soco veio o segundo, então o terceiro, depois o quarto... Kalel era claramente mais forte e rápido que o cara, ele não tinha chances de vencer no mano a mano. Mesmo assim Christian acertou o filho de Zeus com um golpe ou outro, porém não pareceu ser muito efetivo. O lycan além de tudo também era resistente.

Ambos estavam brigando bem diante de mim e eu não conseguia fazer nada se não olhar, estático como uma pedra.

A aura do grego em pouco tempo foi tingida de puro rubro, intenso e vibrante, evidenciando sua ira crescente. Ele batia cada vez mais forte, tanto que já começava a tirar sangue do coitado que naquela altura só tentava se defender. Aquilo não era mais uma briga e sim violência unilateral.

Eu nunca tinha visto meu amigo daquele jeito, possesso pela fúria de seu lado bestial. Era de certa forma assustador. Logo ele, sempre tão gentil e protetor.

— Kalel, não! — Enfim me manifestei quando vi a destra do loiro tomar forma de garras, mostrando que as coisas ainda tinham o potencial de piorar. No mesmo instante, corri na direção dos dois e tentei pará-lo. — Já chega! — Pedi, mas ele ignorou. Parecia tão cego de raiva que acabaria matando o rapaz se eu não fizesse nada.

Tentei segurar seu braço e tirá-lo de cima de Christian assim que cheguei nele, mas não fui bem sucedido. Kalel era muito mais forte que eu, sempre foi, e isso era algo que sequer podíamos comparar. Ele se balançou com agressividade para tentar de se desvencilhar de mim, e foi assim que aconteceu.

Uma dor aguda afligiu minha barriga de um jeito que eu nunca tinha experimentado antes, fazendo um grunhido penoso escapar por entre meus lábios e lágrimas silenciosas banharem as maçãs do meu rosto. Em seguida, quase que imediatamente, uma ardência absurda me fazia sentir como se a região estivesse literalmente em chamas. Naquele momento olhei para baixo e vi que eu tinha sido atingido acidentalmente pelas garras.

Na mesma hora vi o arrependimento substituir a fúria nos olhos de Kalel, que fitava o ferimento com grande desespero. Ele não queria ter feito aquilo.

* Cof cof * Tossi e cobri os cortes com a destra, caindo de joelhos no chão enquanto sentia o sangue morno umedecer minhas roupas. O fluxo de lágrimas aumentou e os soluços em meio ao choro foram inevitáveis. Doía demais.

Me concentrei mesmo que com alguma dificuldade e comecei a manipular minha própria energia vital, tentando iniciar o processo de cura ao mesmo tempo que diminuía a dor, mas não pareceu ser muito efetivo. Ferimentos causados pelas garras de licantropos pareciam mais difíceis de tratar, e eu estava tendo uma demonstração prática daquilo.

— Ka-Kalel... — Praticamente sussurrei, chorando horrores enquanto minhas habilidades não pareciam ter um efeito aparente. O loiro encarava a própria mão cujas pontas dos dedos estavam manchadas de vermelho, já na forma humana. Seus olhos estavam arregalados, sua boca entreaberta e, ao contrário de poucos minutos atrás, sua aura apresentava traços de arrependimento, sofrimento, pesar e confusão. — N-Nã... — Era difícil falar naquele estado, mas eu tentava dizer para ele não se preocupar. Dizer que estava tudo bem e que eu iria dar um jeito naquilo rapidinho. Mas não consegui.

De repente Kalel saiu correndo dali o mais rápido que pôde, deixando algumas lágrimas pelo caminho.

Esbocei outra careta ao tentar me levantar na intenção de segui-lo, mas foi em vão. Uma forte pontada na barriga me impediu, me fazendo prender a respiração para conter na garganta o gemido de dor que insistia em querer escapar. Independente do quão ruim estivesse a situação, eu não queria preocupá-lo, mas me preocupava com ele pois sabia que se culparia.

Continuei realizando o processo de cura, ativando o pequeno anel presente no dedo mínimo de minha mão direita para criar um arco-íris que com certeza ajudaria naquele quesito. Aos poucos a dor começou a diminuir, assim comi a forte ardência/queimação, mas o corte estava demorando para começar a cicatrizar.

Olhei para o lado e vi Christian desacordado e com o nariz quebrado, além de sangue escorrendo por ele e pela boca. Se o deixasse deitado de barriga para cima talvez se afogasse, portanto engatinhei meio que me arrastando e cheguei até o rapaz, deitando-o do lado antes de manipular sua energia para curá-lo ao mesmo tempo que fazia o mesmo comigo. Era mais difícil, mas nada impossível.

Demorou cerca de meia hora até os cortes em meu abdômen finalmente fecharem, e mais uns quinze ou vinte minutos para o ladrão juvenil acordar. Eu não tinha curado seu nariz, portanto ainda estava inchado e meio torto. Ele também estava amarrado com algumas cordas que encontrei perto das madeiras e sua arma estava comigo. Pouco depois a entreguei às autoridade, assim como ele.

Não sabia se podia dizer que aquilo foi uma missão cumprida, mas ao menos a parte de resolver os roubos tinha sido feita. Queria ter a chance de conversar e descobrir o porquê do rapaz ter feito o que fez, o que o levou a seguir aquele caminho, mas não podia perder mais tempo ali. Precisava urgentemente encontrar Kalel, portanto saí correndo pelas ruas de Nova Roma em busca do meu amigo.

Coisos:
Missão Realizada:
• Usurpador - Um semideus abusado decidiu que a situação de Nova Roma era a melhor hora para ele adquirir sua casa própria. Para isso, começou a roubar parte dos materiais. Impeça-o, reporte-o e lembre-se que Término novamente permitiu o porte de armas na cidade.
Recompensas: 1.000 xp + 900 dracmas + 3 insígnias.
Itens em Posse:
• Sérénité [Um arco feito de bronze celestial com uma corda transparente, sendo este de tamanho ideal para o seu usuário. Possui limbos com design semelhante a asas angelicais, os quais são banhados a prata e possuem detalhes multicoloridos na posta de cada uma das "penas" que o compões. Quando o filho de Íris puxa a corda, flechas se materializam magicamente - e estas são do mesmo material do arco. | Efeito 1 : O arco se transforma em um colar com pingente em formato de pena feito de prata.  | Efeito 2: Uma aura multi-colorida surge a partir da arma, fazendo qualquer oponente se render a batalha - mesmo querendo atacar, os danos serão drasticamente diminuídos diante ao portador do arco -, dando oportunidade ao semideus vencer um confronto sem a necessidade de briga. (Só pode ser usado uma vez por missão.) | Bronze Celestial | Sem espaço para gemas. | Beta | Status 100%, sem danos |  Mágico | Presente de Íris]

• Escudo Auxiliador [Um escudo de aparência comum que, a princípio, parece ser mais velho e desgastado, porém não se engane. O seu formato e redondo, se encaixando no pulso do semideus que o porta, deixando a mão do mesmo livre, já que o encaixe é no pulso e antebraço. | Ao ativar o efeito o escudo torna-se transparente e seu peso torna-se nulo, permitindo que o semideus porte armas ou quaisquer objetos no mesmo braço onde encontra-se o escudo, como se não estivesse com nada preso ao braço. O escudo também se expande, podendo englobar o semideus e mais outra pessoa, sendo indispensável em curas em batalha, por exemplo. Ambos os efeitos podem ser ativados simultaneamente, entretanto só podem ser ativos uma vez por missão/evento etc, durando dois turnos. | Ouro Imperial. | Não possui espaço para gemas. | Resistência beta | 100%, sem danos. | Nível 3. | Lendária. | 10 de HP (caso seja utilizado para atingir outros semideuses). | Presente de Reclamação do grupo Curandeiros de Asclépio/Esculápio.]

• Cristal de Luz [Um cristal mágico que cria hologramas a partir da mente do usuário. Assim, a pessoa poderá assistir até mesmo um filme ou fazer suas lembranças se tornarem audiovisuais. As imagens se propagam em até 5m de distância, tendo como ponto de referência o cristal. De proporção e imagem, conseguem tomar uma parede de 4m de altura e 6m de largura. Qualquer imagem pode ser criada e os sons são reproduzidos graças a conexão empática da pedra com a memória do usuário. Quando usado em missão, as imagens duram por 3 turnos, são bastante úteis para causar distrações ou até mesmo enganar | Efeito: Foram usadas as runas Jera, Algiz e Tiwaz para que o cristal criasse luz e som a partir de memórias | Cristal | Resistência: Gama | Status: 100%, sem danos | Mágica | Encantada por Evie Farrier, comprado no Pandevie Magie]

• Arsenal [Anel brilhante com uma pedra preciosa, esbranquiçada e minúscula em seu centro | Aço | . Possui o efeito de alterar uma arma, mudando assim sua forma, detalhes, e qualquer outra coisa que o portador desejar, desde que as alterações sejam apenas físicas. Ou seja, utilizando o efeito do anel, é possível transformar uma lança em uma espada ou faca, ou qualquer outro item de ataque. Um escudo circular pode ser transformado em um broquel, ou um escudo de corpo. Os materiais dos itens podem ser alterados, mas seus efeitos sempre serão os mesmos (exemplo: uma espada elétrica ainda causaria dano por eletricidade se transformada em uma lança) | Não possui espaços para gemas | Comum | Resistência: Sigma | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja ]

• O arco-íris [Um anelzinho de cristal com uma luz de led acoplada que gera arco-íris e aumenta em 30% de HP e MP da cura pelo arco-íris (só pode ser usado uma vez por luta, evento ou missão)| Sem espaço para gemas. | Beta. | Status 100%, sem danos. | Comum. | Presente de natal.]
Habilidades Utilizadas:
Passivas:
Íris
• Nome do poder:  Paciência Gloriosa
Descrição: O filho da Deusa possui uma paciência inabalável, assim nenhum insulto o atingirá, nem mesmo dos filhos de Ares/Marte, e ele prosperará harmonia. Essa calmaria geralmente atinge o inimigo de uma maneira que pode fazer com que ele não queira atacar o filho de Iris/Arcus.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Por uma rodada o inimigo pode se sentir tão calmo, a ponto de hesitar em atacar. Atordoamento temporário.
Dano: Nenhum

• Nome do poder: Cromocura I
Descrição: Ao entrar em contato com um arco Iris, ou ter um sobre o campo, o filho de Iris/Arcus poderá usá-lo para se curar, nesse nível, poderá fechar apenas pequenas feridas. (Só pode ser usado uma vez a cada 3 turnos).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +10 HP e +10 MP ao entrar em contato com um arco Iris.
Dano: Nenhum

• Nome do poder: Sensibilidade
Descrição: Nesta habilidade, O semideus é capaz de visualizar a aura de outras pessoas. A aura observada por ele(a) muda de cor de acordo com seu estado psicológico, se aproximando das cores quentes para casos mais intensos e tendendo às cores frias em situações mais tranquilas. Dessa maneira o filho de Iris/Arcus pode descobrir como o adversário se sente, por exemplo, se está com raiva ou hesitando, o que lhe faz compreender melhor onde e como atacar, ou se esquivar.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

• Nome do poder: Velocidade I
Descrição: O filho de Íris/Arcus pode se mover em uma velocidade fora do normal, chegando a quase se comparar a velocidade de um filho de Hermes/Mercúrio quando corre pelo o nível ser iniciante. Assim como o deus dos ladrões, sua mãe também é uma mensageira, e por isso é muito veloz, porém, os poderes dos semideuses são um pouco limitados.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de velocidade
Dano: Nenhum

• Nome do poder: Aniquilador de Discórdia
Descrição: Quando um filho da Deusa chega em um local onde há desunião e inimizade, automaticamente prospera harmonia e temperança, dessa forma, quando em batalha, o filho de Iris/Arcus consegue fazer as pessoas ao redor se sentirem mais calmas, apenas com sua presença, não é algo que eles possam controlar, apenas acontece naturalmente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode deixar aliados em um raio de 300 metros mais concentrados e esperançosos.
Dano: Nenhum

• Nome do poder: Fótons acelerados
Descrição: Na presença de grande quantidade de cores, ou de um arco-íris. O filho de Íris/Arcus se torna mais poderoso, dessa maneira, pode utilizar duas habilidades seguidas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode realizar duas habilidades (Tanto passiva quanto ativa) seguidas, contabilizando uma única ação.
Dano: Nenhum.

• Nome do poder: Agilidade I
Descrição: O filho de Íris/Arcus pode se mover em uma agilidade fora do normal. Assim como o deus dos ladrões, sua mãe também é uma mensageira, e por isso é ágil e se move com tanta graça, leveza e rapidez quanto um beija-flor, porém, os poderes dos semideuses ainda são um pouco limitados.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de agilidade
Dano: Nenhum


Afrodite
--

Asclépio
• Nome do poder: Mãos gentis
Descrição: Suas mãos são leves e delicadas para tratar de feridos. A dor que você causa é mínima, e você saberá muito bem como colocar ataduras, talas, bandagens, torniquetes e etc. no lugar correto, do jeito correto, e com o mínimo de tempo e dor possível.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

• Nome do poder: Aura apaziguadora
Descrição: Um bom curandeiro tem que apaziguar o coração dos feridos e familiares, portanto você possui uma aura pacifista que acalenta os corações dos enfermos e familiares.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: O poder irá apenas funcionar caso o indivíduo esteja possuído.
Dano: Nenhum.

• Nome do poder: Percepção energética
Descrição: Todos os corpos são constituídos de energia, os curandeiros tem a capacidade de perceber essa energia, onde ela está mais forte ou mais fraca, assim como se essa energia está danificada ou não segue seu fluxo normal. Dessa maneira, um curandeiro pode perceber que há algo de errado com a energia vital de alguém
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Permite perceber e localizar onde a energia vital está sendo perdida ou danificada, mas sem muita precisão. Pode notar que existe uma energia negativa ou interrupção da fluidez da energia em um braço ou no tórax.
Dano: Nenhum
Dano: Nenhum

• Nome do poder: Conhecimento de anatomia
Descrição: O corpo humano não é um segredo para você, o nome de cada veia e por onde ela passa, levando o que pra onde, cada ínfimo detalhe dos músculos, ossos e demais tecidos são conhecidos por você.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Consegue tratar o paciente com maior precisão.
Dano: Nenhum.
Extra: – 10% de chance de causar danos colaterais na hora de tratar ferimentos.

• Nome do poder:  Luz solar I
Descrição: Asclépio era filho de Apolo, cuje um dos campos de poder era o sol, por tanto, quando o curandeiro estiver em contato com a luz será mais poderoso, eficiente de forma geral.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: + 15% de efetividade em ações de cura
Dano: Nenhum.

• Nome do poder: Agilidade I
Descrição: Os procedimentos médicos exigems certa agilidade, portanto, curandeiros são um pouco mais ágeis que os humanos normais.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 10% agilidade
Dano:  Nenhum.
Ativas:
Íris
--

Afrodite
--

Asclépio
• Nome do poder: Manipulação energética II
Descrição: Além de perceber a energia vital, os curandeiros podem manipula-la e restaura-la. Suas habilidades naturais agora melhoraram e você consegue diminuir os cortes mais profundos, mesmo que não seja capaz de fecha-los completamente, além disso, cortes menores agora viram finas cicatrizes sobre a pele.
Gasto de Mp: 20 de MP.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: + 20% de HP e MP por uso.
Dano: Nenhum.
Extra: Nenhum.

• Nome do poder: Osteogênese
Descrição: Capaz de induzir o crescimento ósseo dos pacientes, restaurando ossos quebrados com apenas um toque.
Gasto de Mp: 30 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum
Adquiridas:
--
Considerações:
• Peço desculpas pelo post excessivamente longo para uma missão simples, não era a intenção. Isso aconteceu por ser um post importante para a trama dos personagens, afinal é o motivo pelo qual Kalel ter começado a desejar sair do grupo dos lycans. Espero que não haja problemas.



✽ URIEL WEISS NEUVILLE ✽
IF I CAN HELP YOU, I WILL DO THIS
avatar
Uriel W. Neuville
Curandeiros de Asclepios
Curandeiros de Asclepios

Mensagens : 131
Idade : 18
Localização : Somewhere over the rainbow?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Uriel W. Neuville e Kalel Levitz [Fixas]

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum