The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Floresta

Página 4 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Floresta

Mensagem por Gerrard E. D'oppard em Seg Abr 24, 2017 12:55 pm


Afraid of Water?! Come closer....
Let's set fire on Roma...

 

Apostas... Elas sempre fodem com a vida do próprio, principalmente quando era entre Coortes. Pelo menos ele não estava sozinho nessa. Sua ex-colega de Coorte Evie acabara perdendo também e uma novata da Coorte I que o mesmo não conhecia com traços asiáticos.

Os três iniciavam uma caminhada lenta até o ponto dentro da floresta enquanto ele dizia. – Quero entender antes de iniciarmos isso, como viemos parar nessa furada? Alguma idéia, Evie? Ou novata? Ah cara.... Suspirou o mesmo enquanto olhava para o céu com as mãos no bolso.

Chegaram ao determinado local e todos começaram a se despir calmamente. Gerrard acabara por sem querer observar o corpo despido da pretora e ficara com o rosto avermelhado quase de imediato enquanto começava a resmungar em voz alta. – Ótimo, vi a Pretora nua. Deixa eu só preparar meu caixão aqui antes de irmos? – Suspirou e logo voltou a falar ressaltando. – A propósito, belo par de seios, Evie. – Este arqueou a sobrancelha depois de falar e deu um tapa na própria face agora berrando. – PERDÃO! Na verdade... VEM METEORO, OS DINOSSAUROS FORAM EXTINTOS POR MUITO MENOS! Depois levou a mão direita ao queixo e começou a falar consigo mesmo apesar de não notar que ambas estavam ouvindo também. – Na verdade porquê nós homens temos que tampar os olhos quando vemos uma mulher? Eu vou fazer o que eu sempre quis fazer! – Virou se para ambas com os olhos bem abertos e com um sorriso no rosto. – VOU GUARDAR A IMAGEM DESSAS DEUSAS NO FUNDO DO MEU CÉREBRO! Disse observando cada perto do corpo despido de ambas, até que as garotas franziram a sobrancelha e Evie deu um soco em sua face, e a novata uma joelhada em seu estômago fazendo o mesmo cair no chão ajoelhado quase sem ar resmungando. – Para quê isso?! Levantou-se minutos depois de se recuperar, caminhando para a frente das duas iniciando a corrida. Deu apenas uma breve olhada por cima do ombro vendo se ainda as duas o acompanhavam, confirmando isso, voltou a fixar o olhar para frente lembrando-se dos golpes que sofrera.  

Chegaram ao acampamento com todos desaparecidos, já havia anoitecido, era a sorte dos três. Tratou de se despedir das jovens lançando beijos no ar e a correr com velocidade máxima até seu alojamento e trancar-se ao seu quarto, fora um dia e tanto, uma parte para gravar no cérebro, e outra para ir a enfermaria. Não foi de tudo ruim.  


The son of Water or Disaster?!



avatar
Gerrard E. D'oppard
II Coorte
II Coorte

Mensagens : 375
Data de inscrição : 19/12/2016
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Floresta

Mensagem por Evie Farrier em Seg Abr 24, 2017 10:56 pm




NAKED
Pelados na Floresta


Jovens possuíam uma habilidade universal. Não importava a cultura, o lugar onde cresceu, ou até mesmo o panteão que o abençoa. Jovens podiam ser estúpidos. E bem, eu ainda era uma. Sabia desde o princípio de que aquilo era uma estupidez. Mas, quando se junta um monte de semideuses amigos seus depois de um dia cheio de afazeres chatos e enfadonhos, uma estupidez passa a ser bastante atrativa.

A primeira e segunda coorte se encontraram. Provocações e zoações foram feitas de ambos os lados e, mesmo eu sendo uma pretora, meu manto havia sido deixado de lado para compartilhar dos achocolatados e risadas. Porém o fim não foi nada agradável, ao menos, não para mim e mais outros dois jovens. Havíamos perdido uma aposta frívola e agora tínhamos de pagar um preço alto.

Correr pelados pela floresta.

Certamente eu poderia negar, punir quem teve a humilhante – e brilhante – ideia de usar esse desafio como aposta. Mas não o faria. Não seria covarde e nem ao menos uma chata que abusava do poder. Justamente por isso lá estávamos os três perdedores da aposta: uma garota novata da primeira coorte e, fazendo-me companhia, o Gerrard.

-Eu já nem lembro o que nos trouxe aqui, só quero sair dessa – resmunguei para o garoto, começando a retirar as roupas com o máximo de orgulho que poderia reunir.

Gerrard era um ex companheiro de Coorte. Um amigo e, sem dúvidas, esse fato estava ajudando a não querer morrer a cada peça retirada. Porém, mesmo sendo ele, os comentários nervosos me deixavam entre irritada e divertida. Até ele começar a surtar e me obrigar a dar um soco, não muito forte, em sua linda cara.

-Se controla homem! E corre!

O garoto era extremamente alto em comparação aos meus 1,65m de altura. Mesmo assim, logo o moreno estava começando a correr com toda a sua dignidade pelada. Troquei um olhar com a garota oriental antes de dar de ombros e começar a correr. Eu poderia facilmente acompanhar o filho de Netuno, mas a visão do corpo másculo correndo a frente me fez permanecer um pouco atrás e não segurar o comentário, feito em um tom alto e divertido para que ele escutasse:

-Ei Ger! Andou malhando o bumbum? Ta bem em forma ein!

Gargalhei sem conseguir conter-me, prendendo a atenção na sensação de adrenalina e na diversão de não estar fazendo aquele tipo de coisa sozinha. Felizmente, a trilha da floresta não era tão grande e, logo estava fazendo um desvio para pegar as minhas roupas deixadas na “linha de chegada”. Eu jamais iria atravessar todo o acampamento, entrar em Nova Roma e apenas me cobrir quando chegasse em casa. Apesar de vermelha ao extremo, assim que eu coloquei a calcinha, o short e a camiseta sentia-me segura o suficiente para rir de nervoso e um pouco de vergonha. Era bom ser uma jovem que poderia cometer certas loucuras as vezes, certo?

Template made by Kyra


EVIE FARRIER
I am the bone of my sword. Steel is my body and fire is my blood.
avatar
Evie Farrier
Filhos de Nyx/Nox
Filhos de Nyx/Nox

Mensagens : 474
Data de inscrição : 25/12/2016
Idade : 20
Localização : Acampamento Romano

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Floresta

Mensagem por Prowler em Sab Nov 04, 2017 9:58 pm


Jupiter Camp Halloween Special
Giant ants, sight problems
Seria a primeira vez em sua vida que o jovem filho de Ceres participaria dos tradicionais festejos do Halloween. Criado por entre bosques e florestas, a cria da natureza jamais havia se situado com a cultura mortal que assolava a sociedade em tempos assim. Semideuses fazendo pequenas peripécias, ao tempo que o vil e severo Acampamento Júpiter, tomava um aspecto mais hospitaleiro, com decorações por todo seu cenário.

Já eram as últimas horas da tarde, quando alguns campistas se dirigiam à arena de treinamento, nos campos de Marte. Em furdunço, eles se atropelavam em palavras, a medida que tentavam contar à Lupa sobre o que estava a acontecer. Prowler assistia a tudo longinquamente, finalizando sua sessão de treino diário. Assim que se pôs a entender o ocorrido, não demorou para que a instrutora procurasse por algum campista com mais valor dentre os presentes, visualizando o legionário da I Coorte, sem grandes dificuldades. Indo na direção do campista, a feição da lupina demonstrava uma nítida irritação com os acontecimentos que aquele dia a causariam.

— Prowler, espero que seu treinamento não o tenha desgastado demais. Infelizmente não posso gastar tempo procurando outros semideuses. — bradou Lupa, aproximando-se do jovem.

— Não se preocupe, poderia fazer dez sessões diárias que continuaria disposto. Em que posso ajudá-la? — indagou o rapaz, ajeitando o katar em seu punho.

— Algumas Myrmekos acabaram de causar alguns problemas na floresta. Elas estavam atrás dos enfeites de Halloween e acabaram ferindo algumas ninfas, além de muita confusão por onde passaram. Inclusive, me informaram que um sátiro está com elas. Quero que averigue a situação e dê cabo disso rapidamente. — respondeu a instrutora, sabendo que em um ambiente natural, ninguém melhor que os guardiões das Hespérides para rastrear e executarem aquele tipo de atividade.

Acenando com a cabeça, o legionário se colocou perante as testemunhas do ataque, questionando-os sobre o último lugar que haveriam visto as formigas gigantes. Assim que possuía tal informação, a prole de Ceres tratou de agilizar seus passos e partir para lá. Era de se notar que aquele tipo de ambiente tornava o guardião extremamente poderoso. Fora isto, não demoraria para alguém com aquela ascendência utilizar de suas habilidades naturais para conseguir pistas. Não à toa, Prowler possuía aquele nome, rastrear era uma de suas muitas habilidades, não apenas pela sua ascendência, mas pelo próprio conhecimento que adquiriu através dos anos.

O recinto florestal estava repleto de pistas e pegadas, que poderiam indicar o paradeiro dos insetos gigantes. Não fosse isto, a própria vegetação, que tratava de comunicar-se com o semideus, indicava a direção dos oponentes e a forma como tudo aquilo havia acontecido. Seguindo o trajeto que conseguia, através de todas as informações, o campista mantinha cautela, ativando seu escudo e espreitando os arbustos e sombras, aguardando visualizar os inimigos antes deles o avistarem. Tratando-se de Myrmekos, não era difícil de percebê-los, considerando seus instintos e tamanhos. Logo que as via no horizonte, o legionário analisava cuidadosamente o local, reparando os pontos fracos e propícios para uma ofensiva. O rapaz ainda devia proteger o fauno, desmaiado sobre as costas de uma das formigas.

Como um guardião e defensor da flora e fauna, a prole de Ceres não mataria as formigas sem motivos, o que descartava uma ofensiva mortal. Sua estratégia consistia primeiramente em uma distração rápida, colocando seu katar em posição, antes de tudo. Assim que saía dos arbustos, o campista partia em direção dos insetos, que ao perceberem o guardião iniciavam diversos ataques utilizando patas e suas pinças.  Com velocidade e extrema perícia em esquivar-se, o jovem saía com facilidade do alcance dos golpes, graças as suas habilidades naturais e a velocidade concedida pelos seus itens. Trazendo os inimigos para perto de si, o garoto avistava o sátiro, acima das costas de uma das formigas. Quando elas estavam distraídas e no alcance ideal, Prowler dava sequência em seu plano, entoando uma bela canção, que ao passar dos segundos diminuía a movimentação das Myrmekos, até finalmente elas estarem paralisadas. Tal como árvores, imóveis, os insetos nada podiam fazer contra o legionário, que com destreza saltava às costas de uma e resgatava o fauno desmaiado. Antes de puderem recobrar a movimentação, a prole de Ceres tratou de sair dali e esconder o refém atrás da vegetação. O rapaz sabia que as formigas ainda poderiam voltar a trazer confusões, então voltando até o local, o jovem percebia que mais uma vez, os oponentes estavam no ataque. Sem muito demorar, era chegado a hora de espantar as feras e logo um brilho intenso começou a sair do corpo do legionário. A luz era tão potente que causava a ilusão de queimar os insetos, que afastavam-se em primeira estância, partindo em direção contrária e voltando aos confins da floresta.

Com os problemas resolvidos, o guardião pôs o resgatado sobre as costas e partiu rumo ao Acampamento Júpiter, onde poderia deixar o homem-bode em segurança e voltar para os aposentos de sua Coorte.

Poderes:
Passivos:
Descendente da Natureza II
Descrição: Ao estar em um ambiente onde a natureza prevalece, tais como campos, fazendas, florestas, pântanos... O filho de Deméter/Ceres se sentirá mais confortável e seguro de si, tendo mais domínio de seu próprio corpo. Isso acontece, pois, os atributos corporais em ambientes naturais tornam-se melhores.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de velocidade, força e agilidade
Dano: +10% de dano em golpes físicos

Rastreador Inato III
Descrição: Não há rastreador melhor, em ambientes naturais, do que um filho de Ceres/Deméter. Ele poderá, nesse nível, notar sinais que destoam do quadro normal do ambiente, podendo descobrir qual caminho alguém seguiu mesmo depois de dias, além de dizer informações mais refinadas, diferenciando os rastros, definindo tamanho etc.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +80% de chances de encontrar pistas em ambientes naturais
Dano: Nenhum
Extra: Uma vez por missão, poderá solicitar ao narrador que evidencie pistas bem difíceis de encontrar ou diga diretamente qual caminho seguir (fica a critério do narrador).

Comunicação Vegetal
Descrição: Por ser filho da deusa da Agricultura e plantas, você consegue conversar com as plantas, arvores, e com qualquer vegetação da floresta mentalmente, sendo muito útil em coleta de informações e coisas do tipo. Essa habilidade consiste em fazer com que o filho de Deméter possa se comunicar com espíritos arbóreos mentalmente, podendo pedir informações sobre algo que passou por ali, ou qualquer outro tipo, responderão com vontade e felicidade, pois saberá que estará ajudando o filho da deusa da natureza e agricultura.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Corpo acrobático:
As Hespérides fazem a dança das horas, no caso modificando o tempo de estadia solar de acordo com as estações. Pelos longos treinamentos e graça natural de seus corpos, os guardiões são capazes de desferir acrobacias com grande esmero, tendo mais chances de desviar através de esquivas. As acrobacias ainda podem ser feitas para ajudar em ataques e etc.
Ativos:
Canção das árvores:
Os guardiões são capazes de produzir um belo cantar, fazendo com que os seres que estiverem em um raio de quinze metros e que escutarem seu cântico, fiquem paralisados como árvores durante um turno. Pode ser utilizado uma vez por missão/evento.

Brilho tardio: Ao estar em perigo, o guardião pode fazer com que todo seu corpo brilhe intensamente em uma coloração avermelhada. O brilho fará com que todos aqueles que olhem em sua direção, tenham sua visão ofuscada durante uma rodada. A luminosidade ainda emite um intenso calor naqueles que ousem aproximar em uma distância de dois metros, fazendo com que a pessoa sinta a ilusão de que sua pele está queimando, assim não suportando se aproximar mais. Pode ser utilizado três vezes por missão/evento. (Gasto de 15 MP)

Missão:
Bagunça na Floresta – Um grupo de myrmekos, formado por três formigas gigantes, confundiu os enfeites de Halloween colocados nas árvores da floresta com itens valiosos para sua coleção. Mesmo à luz do dia, eles saíram de seus ninhos para juntar esses itens, provocando uma enorme bagunça, ferindo dríades e levando um sátiro junto. Impeça essa bagunça de se tornar pior e resgate o sátiro antes que ele vire comida.
Requisito: Mínimo nível 7.
Recompensas: 4.500 XP + 4.500 Dracmas (5.500 XP + 5.500 dracmas para Guardiões das Hespérides) Doce: Doce Roleta. Travessuras: Se você não se sair bem nessa missão, uma das formigas irá lhe picar e o veneno dela o deixará paralisado por 2 turnos durante sua próxima postagem.

Itens:
Burgeon • [Um Katar composto por um bracelete negro e uma adaga dourada. A lâmina pode se esconder dentro do bracelete ou reaparecer quando o usuário faz um movimento específico. O bracelete possui um design atual e pode facilmente passar despercebido em meio a sociedade, como se fosse um acessório de moda. Efeito 1: Resistência a magia de ilusão, qualquer poder de ilusão, medo ou charme lançado contra o portador dessa arma, terá o efeito reduzido em 50%. Efeito 2: Sempre retorna ao bolso do dono na forma de um dracma com desenhos especiais que lhe trazem lembranças únicas para o seu personagem. O desenho sempre muda, nunca é o mesmo. (Não é possível acrescentar outros efeitos a essa arma). | Bronze Celestial | Espaço para 2 gemas | Alfa | Status: 100% Sem danos | Necessário nível 10 para domínio completo da arma | [Épica | Evento Cidade dos Monstros]

Relógio-Escudo - Aparenta ser um relógio normal, mas quando ativado se torna um escudo, revestido de espinhos e trepadeiras

Velociraptor linha prime [ Tênis esportivo feito para promover conforto, estimular a movimentação e ajudar o semideus em batalha ou treino. Não têm um estilo específico, já que muda de acordo com as vontades e preferências do dono | Efeito 1: O calçado muda de acordo com o dono e suas preferências, o tênis será alterado magicamente para o modelo que mais o agrada. Efeito 2: Promove +30% de velocidade ao portador. | Tecido mágico resistente e outros | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Comprado na Ferreli & García - Mode et style]




PROWLER • SON OF CERES
avatar
Prowler
Guardiões das Hesperides
Guardiões das Hesperides

Mensagens : 79
Data de inscrição : 26/06/2017
Idade : 17
Localização : Acampamento Júpiter

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Floresta

Mensagem por Diana em Seg Nov 06, 2017 12:23 am


   
Modelo de Avaliação


   
Método de Avaliação:
   

   
Valores máximos que podem ser obtidos

   Máximo de XP da missão: 5500 XP  

   Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
   Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
   Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

   Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
   Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 10%
   Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 20%


   RECOMPENSAS: 5000 XP + 5000 dracmas + 1 Doce Roleta

   STATUS:

   HP:   350/350
   MP: 335/350

   
Comentários:

Um erro bem grande que achei foi o na frase demonstrada
 era chegado a hora de espantar as feras e logo um brilho intenso

Creio que a palavra Chegado ficaria melhor no feminino até pela presença da preposição A logo após a palavra em questão ficando assim era chegada a hora de espantar as feras e logo um brilho intenso

   

   


Atualizado por Morfeu
avatar
Diana
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários

Mensagens : 19
Data de inscrição : 10/06/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Floresta

Mensagem por Roy Allen em Sex Nov 10, 2017 10:19 pm



In violent times
You shouldn't have to sell your soul

Shout
Rapaz, que baita confusão na qual me meti...

Tudo começou comigo caminhando por Nova Roma. Meu destino era o campo de Marte, entretanto, fui surpreendido por uma gritaria estranha proveniente da floresta próxima ao aqueduto. A princípio nada fiz, afinal, na maioria das vezes as bagunças por aquela região eram feitas pelos faunos, principalmente em dias de feriado. Contudo, ao me deparar com a cena inesperada, arregalei meus olhos, incrédulo pela constatação de que formigas gigantes se fantasiavam muito mal.

— Cara, que viagem — sussurrei, ao reparar nas myrmekos enroladas em decoração de Halloween. Elas eram três e andavam a passos longos e pesados em direção ao bosque. Por mim, elas teriam seguido na paz de Jeová para onde quer que fossem, só que, como os gritos eram de um fauno refém, não pude simplesmente ignorar. O pobre coitado era tão miúdo, que não reparei nele junto do amontoado de enfeites que iam nas costas de uma das formigas, até que uma das lanternas de abóbora caiu.

— Ah, então era você que tava gritando — meu comentário saiu mais alto do que eu esperava, e me arrependi disso.

Uma das criaturas se virou para mim e emitiu um som estranho (olha que eu nem sabia que formiga emitia som) e entendi na hora que eu havia me tornado uma ameaça. Quer dizer, super normal você se virar o inimigo número um de um clã de formigas cabeçudas durante um passeio. Por sorte eu estava a caminho de um treino e, portanto, carregava comigo meu bracelete dourado. Então no instante em que o primeiro monstro veio para cima, ativei o item e o transformei em um escudo.

— Me tira daqui! — o fauno gritou novamente, mas eu estava ocupado demais tentando não morrer para uma das formigas que me atacava. Por isso, quando o inseto que levava o fauno sumiu em meio ao bosque, não pude fazer muita coisa além de lutar com os outros dois que tinham ficado para me atrasar.

— Qual foi — protestei, quando a segunda formiga avançou.

Apesar de ser possível para um filho de Marte usar apenas os punhos para derrotar alguém, meus adversários eram mais resistentes do que o normal. Além de que, eu estava louco para testar minhas espadas gêmeas e não havia situação melhor que aquela. Em minha defesa, temos permissões para matar os monstros que causam confusão pelo acampamento. E aqueles ali estavam pedindo por isso. Desprendido então de qualquer culpa que pudesse vir a cair sobre mim através dos julgamentos alheios, literalmente invoquei minhas espadas e contra-ataquei a investida inimiga. Me aproximei de uma das cabeçudas e girei o corpo abrindo os braços, o que fez de mim, momentaneamente, um tornado cortante. Descrevendo assim parece que foi algo super irado, mas não é bem verdade.

Ao fim do movimento, estúpido como sou, fiquei tonto e acabei sendo atingido pela patada de uma das myrmekos. Nem mesmo o Nightmare Soldier, meu escudo, foi capaz de me proteger do golpe. Quer dizer, ele ajudou a diminuir o dano por impacto, todavia, ainda fui arremessado até o tronco de uma árvore aleatória. Minha cabeça bateu de leve na madeira o que me irritou e, como de praxe em momentos de tensão, a ira da batalha tomou conta de meus pensamentos. Irado, me levantei e corri com tudo para cima de uma das criaturas. Não percebi na hora, mas ao bater contra a árvore, um enfeite de dia das bruxas caiu sobre mim. Assim, sem querer, me tornei o homem-abóbora.

Uma fina linha de adesivo havia se grudado em minhas costas, então, ao passo em que me adiantei, ela voou atrás como uma capa... decorada com abóboras. Apesar do item peculiar, meu semblante de fúria e minha postura de guerra não me deixaram parecer um boboca. Ou pelo menos não um completo boboca. Saltei sobre a cabeça de uma das formigas no último instante e cravei as duas lâminas na cabeça dela. O ataque foi suficiente para transformar o bicho em pó dourado, mas me deixou mais uma vez vulnerável. Ao me virar, tive tempo apenas de erguer o disco que protegia meu braço direito e evitar ser estapeado pelo outro inseto.

Você leu bem? Estapeado. A desgraçada não simplesmente me bateu, ela me deu um tapa!

Aquilo foi o cúmulo dos absurdos. No mesmo dia descobri que formigas podiam sim falar, pelo menos as mágicas, e que elas davam tapas. Mano, que ódio que me deu. Acho que foi por isso que eu ataquei igual um descontrolado meu inimigo quando me recompus. Ao ficar frente a frente com ele, rolei para o lado evitando que outro golpe me atingisse, o que me permitiu explorar a fraqueza lateral do bicho. Tratando-se de um animal da família formicidae, foi fácil abusar da péssima mobilidade corporal dele. Meus cortes nas laterais do bicho eram impossíveis de se errar, considerando o seu tamanho, e também muito efetivos, por ele não ser capaz de se virar com rapidez e eficácia.

— Allen dois, formigas zero, senhoras e senhores — brinquei, ao finalizar a segunda das myrmekos.

Considerei seriamente continuar meu caminho e fingir que nada tinha acontecido. Porém, eu sabia bem que nunca iria me perdoar de ter deixado o pobre coitado na mão quando podia ter ajudado e, dessa maneira, adentrei mais ainda a floresta. Nela, pude notar que, mesmo de dia, as coisas eram bastante assustadoras. Não sei se foi pela decoração temática do evento, ou pelo rastro de destruição que a formiga gigante tinha deixado ao arrastar as coisas pelo caminho. Seja como for, foi fácil seguir a direção certa (até aproveitei para pegar um dos chicletes de baba de bruxa que tinham caído).

— Ai, meu santo Silvano, alguém me ajude! — o fauno, acoado próximo ao que parecia uma entrada de caverna, gemeu.

— Não tema, meu caro amigo fauninho, estou aqui — bradei, ao bater uma das lâminas contra o escudo e chamar a atenção da formiga.

— Faça alguma coisa, ou essa coisa que vai me comer!

Ele não precisou falar duas vezes. Corri novamente em direção ao meu inimigo, dessa vez arremessando uma das espadas de antemão, enquanto preparava para cravar a segunda. O segredo das Destemor, minhas lâminas gêmeas, é que elas podem aumentar de tamanho, ou, naquele caso, diminuir para assumirem a forma de adagas. Com isso, foi mais fácil cravar a arma no corpo do inimigo pois uma lâmina menor exerce menos resistência à força do arremesso, resultando em uma perfuração mais eficiente e localizada. Quer dizer, foi isso que entendi da última aula de combates com os filhos de Minerva.

Quando a adaga se cravou no tronco do inseto, ele fez um barulho em protesto e se debateu. Esse se debater dele acabou me empurrando para longe quando me aproximei. Conforme a criatura imensa se movia de maneira caótica, mais e mais decorações temáticas iam caindo das árvores e o fauno chorava. Fiquei em dúvida se ele estava chorando porque eventualmente ia ser esmagado pelo corpo do bicho, ou se era por ver o trabalho dos seres da natureza ser destruído. Não muito interessado em descobrir, apenas me recompus e parti novamente para cima da formiga.

— Cabeçuda, olha eu aqui — vociferei, antes de rolar para baixo das pernas dela e desferir cortes nos membros sustentadores.

Minha estratégia bastou para literalmente destruir as bases da myrmekos, deixando-a vulnerável à minha finalização. Acho que o mais difícil ali foi sair de baixo dela, caso contrário eu teria sido esmagado, pois perfurar a cabeça da bicha foi simples. Complicado foi explicar ao fauno que eu não podia ficar para ajudar a redecorar o cenário, ou então meus instrutores arrancariam minha cabeça.

Literalmente.

Poderes Passivos - Ares:
Nome do poder: Força II
Descrição: Os filhos de Ares/Marte ficam ainda mais fortes conforme desenvolvem seu treinamento, sua força sempre foi superior aos demais campistas, mas isso se torna um destaque muito vantajoso conforme ele se desenvolve, cresce e treina.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de força
Dano: +10% de Dano se o ataque do semideus atingir.

Nome do poder: Pericia com lâminas II
Descrição:  O semideus está aprendendo a lidar com outras armas, e agora já consegue lidar com espadas mais longas, lanças e atirar as facas com mais precisão, está se tornando um ótimo combatente.  
Gasto de Mp:  Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +35% de assertividade no manuseio de lâminas.
Dano: +15% de dano se o adversário for atingido pelo semideus.

Nome do poder: Percepção estratégica
Descrição: Para vencer um combate, não é preciso apenas possuir a maior força, os melhores golpes e as principais vantagens, também é necessário saber utilizar as desvantagens e fraquezas dos adversários, fazendo com que eles percam para si mesmo. Ao olharem atentamente para o corpo de um oponente, os olhos do filho de Ares/Marte conseguem notar quais são as principais fraquezas do sujeito, quais os melhores pontos a se golpear e o que pode fazer para vencê-lo. As informações são dadas pelo narrador, cabendo á prole do deus da guerra as utilizarem da melhor forma possível. (só pode ser usado por uma vez em cada batalha)
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode pedir ao narrador que aponte dois pontos fracos no corpo do inimigo, mas cabe a você conseguir acerta-lo.
Dano: Nenhum

Armas Utilizadas:
*Nightmare Soldier – Um escudo feito de ouro imperial que foi banhado por Marte no sangue de todos os soldados derrotados de várias guerras passadas. Esse escudo é extremamente resistente e possui uma habilidade peculiar, na primeira vez que o oponente acerta um golpe nesse escudo, ele tem uma breve lampejo de uma visão de sua mãe sendo morta por um soldado, na segunda vez, o oponente ver sua irmã ou amiga sendo estuprada, no terceiro golpe ele vê seu pai sendo torturado e assim por diante, até que chegará o momento que ele próprio ficará preso por alguns segundos na ilusão de está de frente ao pelotão de fuzilamento. [Desativado vira um bracelete dourado]

*Destemor – Um par de espadas gêmeas de aproximadamente sessenta centímetros feitas de uma mistura de ouro imperial com ferro estígio, as laminas dessas espadas foram banhadas no sangue de uma cobra rara e venenosa as tornando assim além de extremamente afiadas, muito venenosas, essa espada possui duas habilidades únicas, sendo que a primeira é ser guardada em uma dimensão paralela de onde pode ser tirada sempre que quiser e a segunda é a de conforme a vontade de seu dono ter sua lamina aumentada de tamanho até mais trinta centímetros ou diminuir até o tamanho de uma adaga. O veneno dessa lamina é único, que mesmo que o oponente sobreviva a luta contra o filho de Marte, sem o antidoto (Que se encontra escondido no cabo da espada) ele começara a perder a capacidade de mover seu corpo por dois dias, após quatro horas depois de infectado.

Duplicador Utilizado:
Tubo Pack especial: (Em duas postagens de sua escolha – valido para qualquer missão, evento, mvp, pvp, e afins – o semideus terá a xp duplicada pelo avaliador, lembrando que é necessário colocar esse prêmio em spoiler caso deseje que sua xp seja duplicada. Não tem prazo, mas só poderá ser usado duas vezes). Situação: Cheio 0/2, não foi utilizado.

MITZI

avatar
Roy Allen
I Coorte
I Coorte

Mensagens : 140
Data de inscrição : 07/09/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Floresta

Mensagem por Psique em Sab Nov 11, 2017 11:18 am


Roy Allen

Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Máximo de XP da missão: 4.500 XP

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 30%


RECOMPENSAS: 4.500 XP + 4.500 dracmas + 1 Doce Roleta (9.000 XP pelo duplicador)

STATUS:

HP: 165/290
MP: 290/290

Comentários:
Sua escrita me divertiu além de me fazer querer lê-la por completo. Não tenho nenhuma crítica a fazer. Parabéns.

Atualizado por Hércules.

avatar
Psique
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários

Mensagens : 250
Data de inscrição : 11/05/2016
Localização : No abraço de Eros ♥

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Floresta

Mensagem por Beorn Jarbeorn em Dom Nov 12, 2017 11:48 pm

☾ Fullmánið er fæddur ☽
Og dauðinn kemur með það.




A lua cheia brilhava completamente bela, com sua luz branco prateada e halo de pérola. O clima estava ameno, com uma fragrância deliciosa de flores, frutos e um belo banquete. A noite era propícia para uma bela festa ou um passeio de casal nos bosques de Nova Roma. Mas não para Beorn.

O filho de Vulcano estava amarrado, com um pedaço de couro na boca, enquanto tentava aos poucos controlar sua fera interior. A lua cheia era uma influência positiva para seu poder, mas negativa para seu controle. Normalmente ele conseguia manter tudo sobre controle, mas não nessa noite.

A noite de hoje era o dia de celebração do Solstício de Inverno. Popularmente conhecido com Halloween, ou Samhain também, era uma noite mágica e misteriosa. Todos os semideuses, que podiam ver coisas a mais no mundo, sentiam isso. E por algum motivo, isso também estava afetando seu lado lupino.

Beorn gritou abafado mais uma vez quando a onda de dor de transformação varreu seu corpo, ao mesmo tempo que colocava toda sua força de vontade para suprir. Ele cuspiu o pedaço de couro destruído, ofegando e expondo suas presas. O suor escorria por seu rosto, tórax e abdômen. As garras cravavam e arranhavam a parede de pedra bruta. Ele fez um pouco mais de força, quebrando, por fim a corrente que o prendia na parede. Caindo de joelhos e começou a entoar um cântico antigo de seu povo, eu que falava sobre o poder e o equilíbrio de um guerreiro, sobre o controle e a força.


Fórsa laoch go bhfuil an cath mór ag teacht

Ullmhú do ax, ghlacadh do claíomh, póg do leannán

Féach ar an ghealach agus howl d'ainm

Ach ní déan dearmad d'intinn a ullmhú

Agus soothe do chroí

Don lucht laoch fíor

An cothromaíocht



Beorn nunca tinha entendido essas palavras até esse momento em sua vida. Todas as coisas que ele passou, passa ou vai passar. Agora ele entende.

Ele se levantou aos poucos, suspirando e se apoiando. Suas presas e garras ainda estavam presentes, mas de uma maneira contida, porque enquanto, a fera estava sobre controle. Saindo daquela gruta escondida nas cavernas de sua forja, o filho de Vulcano logo foi atrás de um copo cheio de seu hidromel. Essa bebida sempre o ajudou a se acalmar. Depois de dois copos, ele se sentou relaxando um pouco o corpo tenso.

Seu plano era ir para a festa na cidade, ou pedir para algum ser de magia fazer um portal para os Gregos e sua Sayu. Mas agora era preferível ficar ali mesmo, bebendo, vendo algo na TV e esperar toda essa loucura passar.

A lua chegou ao seu apogeu, ao seu ponto mais alto e seu brilho se intensificou. Nesse momento uma série de uivos romperam por todo o acampamento. Os uivos de Caça. Foram três. Na hora Beorn se levantou e começou a subir pela pequena escotilha que ligava a forja em si ao casebre onde recebia seus clientes.No momento que ele saiu outro uivo foi ouvido. Um uivo de socorro e apoio. Aos poucos ele foi entendendo. Os novatos haviam perdido o controle.

– Mallacht, logo agora? Merda, eu também não sabia desse efeito todo, se não tinha amarrado todos eles.

Beorn saiu correndo para o uivo mais perto, na orla da floresta, perto do acampamento. Era o jovem Kurt, era a primeira lua cheia dele, depois da maldição, era sua primeira vez. Ele já estava no meio do processo, seus ossos já estavam deslocados, os músculos mexendo como cobra sob a pele, os pelos crescendo. Os gritos e uivos do garoto eram cortantes, a agonia era palpável, dava para sentir o desespero e a dor.

Beorn rosnou, lembrando da sua primeira também, ele não podia se meter agora, ia ser mais prejudicial ao rapaz. Teria que esperar a transformação terminar e então fazer algo. Os uivos aos poucos mexiam com sua própria besta, clamando pelo controle, para poder responder ao chamado de caça. O filho de Vulcano cravou sua mão direita na árvore que estava encostado. Suas garras, novamente grandes perfuram o tronco, destruindo a casca e deixando marcas profundas. Suas presas surgiram entre seus lábios e seus olhos avermelharam.

Ele então bateu com tudo sua cabeça na árvore, rosnando forte, tentando manter o controle. Claro que o barulho chamou a atenção do Lycan recém-transformado e descontrolado. A besta avanço velozmente para cima do filho de Vulcano. Com a garra direita erguida, a criatura desferiu um poderoso golpe contra Beorn, que conseguiu perceber no último instante, parando o braço de Kurt com sua mão.

Por mais que ele estivesse na forma de Besta, ainda era novato, não sabia usar todo seu poder e estava descontrolado. Já Beorn já tinha uma força naturalmente grande, por sua descendência divina, e sabia usar todo o potencial de sua maldição.

A Besta atacou com o outro braço, porém o golpe também foi parado. Os dois disputavam mantinham aquela disputa de força ferrenha. Porém as coisas estavam começando a ficar complicadas para Beorn, pois a sua fera estava começando a levar aquilo para um lado pessoal e primitivo, atrapalhando cada vez mais o parco controle que o humano tinha.

E então a lua apareceu por trás das nuvens, brilhando com um círculo de fogo prateado no céu negro. Beorn rugiu, sentido seu corpo começar o processo de transformação, tirando sua concentração e possibilitando Kurt lhe atacar, rasgando seu peito com as garras e o chutando para longe, fazendo-o bater com tudo numa árvore.

O filho de Vulcano cuspiu um pouco de sangue, e sentiu que tinha fraturado algumas costelas com os golpes e o baque. Seu sangue vertia dos cortes em seu peito, porém sua transformação havia parado e sua cabeça estava clara. Novamente ele pensou na cantiga de seu povo, sobre a dualidade e o coração do guerreiro. Ele finalmente entendeu algo. Ele sempre seria um filho de Vulcano, e sempre seria um Lycan amaldiçoado. Todos o veriam sempre como um caminhante de dois mundos. O ferreiro humano e a besta sanguinária. Todos teriam medo ou pediriam ajuda. Porém isso nunca será assim, ele não é caminhante de dois mundos, ele nunca vai ser só um ou outro. Não existe dois mundos, não para ele, sempre haverá somente um. E nesse ele é Beorn Jarbeorn, Filho de Vulcano E Lycan de Timmor.

Beorn observou a Besta se aproximando e deu um poderoso rugido. Seu corpo se transformava parcialmente, com as garras e presas totalmente a mostras, aos poucos seus músculos também passavam a se tornar mais compactos e um pouco mais fortes em certos lugares, como pernas, quadril e ombros. Ele se posicionou em uma forma quadrupede, e rosnou.

Seu rosnado não era algo simples, era um rosnado que penetrava até as profundezas de sua alma, fazendo a cabeça de seu inimigo ficar completamente confusa. E isso ocorreu com Kurt, ele parou no meio do ataque, balançando a cabeça com força. Aproveitando o momento, Beorn tocou o solo fazendo surgir algumas correntes de aço que começaram a envolver completamente as pernas do Lycan em sua frente. Aquilo nunca o pararia, mas poderia atrapalhar muito .

Utilizando da distração gerada Beorn explodiu em movimento, aproveitando sua musculatura preparada para velocidade, correndo em direção ao novato, deslizando e parando atrás do mesmo. Com essa movimentação, Kurt despertou da confusão e tentou acompanhar o movimento, mas as correntes atrapalharam, então ele forçou um pouco mais, as quebrando, porém já era tarde de mais.
O filho de Vulcano já estava bem posicionado atrás do mesmo.

– Árás af úlfur! – Disse rosnando, com olhos em brasa e um pouco de saliva escapando entre as presas

Com ferocidade, força e agilidade, Beorn atacou os calcanhares e a parte de trás dos joelhos, cortando tudo com suas garras. Quando as pernas da Besta começaram a ceder, ele deu uma cotovelada na base da sua coluna, fazendo-o arquear as costas e rugir, aproveitando esse momento, o filho de Vulcano acertou com toda a força a nuca do Lycan em forma bestial, fazendo seu rugido morrer no meio e ele cair desmaiado para frente.

Aos poucos a transformação ia se revertendo e ele voltava ser o filho de mercúrio magrelo e loiro. Beorn suspirou e deixou seu corpo cair no chão, cansado, com todas as modificações em seu corpo se normalizando. Os golpes no seu peito ainda sagravam um pouco, mas seu corpo era forte e aguentaria. O que mais o cansava era a batalha interna para manter o controle, mas por enquanto a vitória era sua.

Logo ele se levantou e colocou o jovem sobre seus ombros, o levando para sua forja. Para mantê-lo em segurança até essa maldita noite mágica acabar.








Poderes:
Poderes de Vulcano:

Passivos:

Nome do poder: Força I
Descrição: O filho de Hefesto/Vulcano é mais forte que um semideus comum, podendo inclusive ser comparado a Ares/Vulcano, ou se igualar a eles nos primeiros anos de treinamento – os filhos de Ares/Marte ainda podem supera-los na força – e isso tudo devido ao trabalho continuo nas forjas. Os meninos geralmente ganham músculos avantajados, e mesmo que não o tenham, sua força ainda é superior, as meninas idem, mesmo sem os músculos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +10% de força.
Dano: +5% de dano em golpes físicos relacionados pelo semideus, ou que exijam a forja avantajada.

Ativos:

Nível 8
Nome do poder: Prisioneiro I
Descrição: Os filhos de Hefesto conseguem fazer com que ligas de metal surjam do chão, semelhante a correntes, e prendam as pernas do inimigo por um curto período de tempo, lhe dando chance de atacar.
Gasto de Mp: 20 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Só dura um turno

Poderes Lycans:

Poderes Passivos:

Nome do poder: Humor da Fera I
Descrição: Por natureza, os lycans em sua forma humana são mau humorados e extremamente alertas a tudo.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 10% de percepção, cabendo ao narrador lhe alertar de algo que ache cabível durante a narração.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Audição Aguçada I
Descrição: Independente da forma em que estiverem, os lycans têm esse sentido em especial muito mais desenvolvido que o restante das pessoas. Dessa forma, são capazes de ouvir tudo ao seu redor, sem muito controle sobre isso, o que pode causar desconforto em RPs sociais. Além disso, caso se concentrem unicamente nisso, podem ouvir os batimentos cardíacos alheios. Ambos os efeitos funcionam até 30m de distância.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 20% em audição, 30% se estiver na forma da besta.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Olfato Apurado I
Descrição: Independente da forma em que estiverem, os lycans têm esse sentido em especial muito mais desenvolvido que o restante das pessoas. Dessa forma, são capazes de identificar os cheiros ao seu redor, e os gravam para nunca se esquecerem de suas presas. Por outro lado, seu olfato é muito sensível, portanto cheiros fortes ou incomuns lhe incomodam bastante. Podem seguir uma pessoa pelo seu cheiro mesmo que ela se distancie até 30m.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 20% em olfato, 30% se estiver transformado.
Dano: Nenhum.

Nível 5
Nome do poder: Servo do deus do medo I
Descrição: Sendo um dos lycans de Phobos, o semideus é parcialmente imune ao sentimento que simboliza a divindade: o medo. Entretanto, a imunidade só funciona em inimigos até 10 níveis acima dele, mais que isto ainda estará suscetivo a formas intimidação alheias.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nível 6
Nome do poder: Humor da Lua
Descrição: A lua influência muito nos poderes e no humor do lycan, sendo o astro que guia na escuridão, ela proporciona bônus que variam de acordo com suas fases. Segue em spoiler as variações e suas consequências:

SPOILER :Lua Cheia – Aumenta a força de um lycan em 30%.

Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Estão dentro do spoiler.
Dano: Nenhum.

Nível 8
Nome do poder: Sangramento Intensificado
Descrição: Todos os ataques do lycan na forma da besta são mais brutais que o normal. Dessa forma, as vítimas de seus golpes costumam sair sangrando além do normal. Não só isso, os ferimentos são muito mais feios e complicados, dificultando até mesmo para curandeiros tratarem destes.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Diminui a eficácia dos tratamentos médicos em questão de roleplay, tornando mais difícil até mesmo para curas passivas tratarem os ferimentos causados por lycans.
Dano: Causa 10 de dano por sangramento a cada dois turnos em inimigos feridos pelo lycan transformado.

Nível 9
Nome do poder: Aura do Medo
Descrição: A simples presença do meio-sangue é capaz de instigar medo em todos ao seu redor, sem distinção entre aliados ou inimigos.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Poderes Ativos:

Nível 1
Nome do poder: Transformação Parcial da Besta
Descrição: Ainda inexperiente, o lycan consegue transformar apenas algumas partes do seu corpo em partes da fera. Nesse nível, é capaz de transformar suas mãos em patas de lobisomem com garras, por exemplo, ou modificar a boca para afiar os dentes e possibilitar mordidas mais fortes.
Gasto de Mp: 5.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: 15 dano se atingir alguém com as garras ou morder.
Extra: Nenhum.

Nível 2
Nome do poder: Alteração Muscular I
Descrição: O lycan, mesmo sem conhecimento anatômico, é capaz de alterar a massa dos seus músculos e adaptar em uma das duas modalidades. Na primeira, ele intensifica a massa e deixa os tecidos mais rígidos aumentando a força e resistência, mas, em troca, perde velocidade. Já a segunda, é justamente o contrário, espalhando nas partes precisas das pernas e braços (para o caso de correr sobre as quatro patas) com o intuito de aumentar a velocidade.
Gasto de Mp: 10.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +10% em força e resistência - 10% em velocidade, se usada na primeira forma; +10% em velocidade - 10% em força e resistência, se usada na segunda forma.
Dano: Nenhum.
Extra: Nenhum.

Nível 4
Nome do poder: Medo Cortante I
Descrição: O Lycan ataca três vezes em sequência com suas poderosas garras (necessário alguma transformação ativa), imbuindo esse ataque com poder medonho, o que o torna extremamente rápido e difícil de se defender.
Gasto de Mp: 10.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: 10 dano cada golpe.
Extra: Nenhum.

Nível 6
Nome do poder: Rosnado Mental
Descrição: O lycan emite um rosnado tanto físico quanto mental. Este invade a mente de um oponente em seu campo de visão, e desconcentra o mesmo brevemente.
Gasto de Mp: 10.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
Extra: 1 vez a cada 2 turnos.


Missão:

Descontrolados – É noite de lua cheia e claro, que os Lycans seriam afetados por elas. Novos lobisomens estão se transformando, e os antigos, estão perdendo o controle. A missão deles é segurar seus parceiros descontrolados, mas ao mesmo tempo, controlar a besta dentro de si. Precisam seguir de guias, enquanto tentam não se transformar, perdendo o controle do corpo, e ficando idênticos as feras que estão tentando ajudar.
Requisito: Ser membro do grupo Lycans de Phobos.
Recompensas: 3.500 XP + 3.500 Dracmas. Doce: Doce roleta. Travessura: Caso o Lycan não se saia bem nessa missão, terá pulgas em sua próxima postagem.


Status:

HP: 80/170 - HP: 40/170
MP:132/170 - MP:77/170

Obs::

Kurt é um filho de Mércurio, criado por mim, para essa pequena missão. Ele corresponderia a LV 5, agindo de forma descontrolada por ser sua primeira transformação. E por esse motivo tomou a forma completa de fera(mesmo ela só estando disponível LV 8 ). Foi apenas para efeito narrativo. E utilizando dos força da forma e do Medo Cortante I, ele deu 40 de dano em Beorn com seu ataque.

Tradução:


Fórsa laoch go bhfuil an cath mór ag teacht
Ullmhú do ax, ghlacadh do claíomh, póg do leannán
Féach ar an ghealach agus howl d'ainm
Ach ní déan dearmad d'intinn a ullmhú
Agus soothe do chroí
Don lucht laoch fíor
An cothromaíocht

Força héroi que a grande batalha está chegando
Prepare seu machado, desembainhe sua espada, beije sua amada
Olhe para lua e uive seu nome
Mas nunca se esqueça de preparar sua mente
E acalmar seu coração
Pois a verdadeira força do guerreiro
É o equilíbrio


Mallacht = Maldição

Árás af úlfur! = Um ataque de lobo!



As vezes não existe nada pior que uma lua flamejante.

avatar
Beorn Jarbeorn
Lycans
Lycans

Mensagens : 50
Data de inscrição : 06/06/2017
Idade : 22
Localização : Entre rumos e mundos

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Floresta

Mensagem por Baco em Qua Nov 15, 2017 12:33 am


Beorn Jarbeorn

Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Máximo de XP da missão: 3.500 XP

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 18%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 30%


RECOMPENSAS: 4.430 XP + 4.430 dracmas + 1 Doce Roleta

STATUS:

HP: 40/170
MP: 77/170

Comentários:
Beorn,

Adorei sua missão, meu rapaz. Por ter trabalhado diretamente na lista dos Lycans, estou orgulhoso da maneira como seu personagem age e pensa. Você explorou muito bem a temática da missão e foi coerente, meus parabéns. Descontei apenas um pouco na parte da gramática, pois reparei em alguns erros de falta de atenção, em sua maioria digitação, como por exemplo no trecho: Os dois disputavam mantinham aquela disputa de força ferrenha. Evidenciei um dos erros apenas como toque, caso queira melhorar nas futuras postagens.

Atualizado.



EVOÉ, BACO
"Did someone just call me the wine dude? It’s Bacchus, please. Or Mr. Bacchus. Or Lord Bacchus. Or, sometimes, Oh-My-Gods-Please-Don’t-Kill-Me, Lord Bacchus"
Owl
avatar
Baco
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 233
Data de inscrição : 13/09/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Floresta

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum