The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

V Aula de Combate Corporal -//- Muay Thai

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ir em baixo

V Aula de Combate Corporal -//- Muay Thai

Mensagem por Max Hayes em Dom Jun 24, 2018 12:07 pm



Muay Thai







Introdução;
O que é?





Importante: O conteúdo dessa aula foi copiado de sites de luta e combate, não foi criado por mim:
Lutas Artes Marciais
World Fighter


O Muay Thai é uma arte marcial de origem Tailandesa conhecida como Thai Boxe ou Boxe Tailandês e revela um método de combate corpo a corpo (full contact) muito agressivo. É uma modalidade desportiva que utiliza quase todos os membros do corpo humano como armas de combate e o objetivo principal passa por colocar os adversários sem sentidos (KO técnico) ou procura levá-los à submissão/desistência. O termo Muay Thai é uma palavra que deriva da combinação da palavra “Muay” que designa arte da luta com a palavra “Thai” que significa o povo e a cultura tailandesa. Nesse sentido, Muay Thai é a arte da luta tailandesa e reflete os valores culturais de um povo que lutou pela sua sobrevivência.

O Muay Thai é conhecido mundialmente como “a arte das oito armas”, pois caracteriza-se pelo uso combinado da técnica e da força dos membros do corpo humano, nomeadamente: os dois punhos; os dois cotovelos; as duas canelas das pernas e os dois joelhos. A juntar a estas “armas”, todos os praticantes têm um elevado nível de fitness e uma preparação física e mental invejáveis, o que faz do Muay Thai uma luta de full contact muito poderosa e eficaz.





Cenários e Personagem;
Onde quando quem


O cenário de treinamento

Ambas as arenas foram adaptadas para esse treinamento a céu aberto. Maior parte do chão estava coberto por tatames, para amparar as inúmeras quedas e imobilizações previstas para aquele tipo de aula. Também existiam bonecos de treino. A temperatura estava agradável e o horário era por volta das nove horas da manhã.

A instrutora

Max, como gosta de ser chamada, é uma filha de Júpiter e amazona. Apesar de ter um corpo franzino e uma aura naturalmente travessa, ela possuía força e conhecimento graças as suas filiações. Sempre de bom humor e disposta a conversar com qualquer pessoa, aprendeu com sua mãe a como misturar-se em qualquer grupo social. Portanto, poderá interagir livremente com Hayes, sabendo que ela possui sempre uma resposta divertida ou um comentário irônico para fazer.

Enredo da Aula

Sabendo que o Muay Thai era uma arte marcial popular a nível mundial, a amazona decidiu que este seria o tema de sua aula. Primeiro explicaria um pouco sobre o que era e a filosofia por trás desse estilo de combate tailandês. Depois, iria fazer demonstrações dos golpes básicos e importantes do Muay Thai, sozinha e com um boneco humano para que ficasse claro os pontos principais a serem acertados.





A técnica;
Aprendendo os pontos


Os Socos (Mhad)

Os socos do Muay Thai são parecidos com os socos do boxe e cada praticante pode ensaiar várias séries para surpreender os seus adversários. Os socos mais utilizados são:

Jab: é um soco lançado com a mão que está à frente da guarda e tem como alvo o queixo do oponente;
Direto: é um soco lançado com a mão que está atrás da guarda e tem como alvo principal o queixo do adversário;
Cruzado: é um golpe utilizado a média distância e cruza a linha frontal da guarda do oponente;
Upper: é um golpe executado a média distância e é realizado de baixo para cima, tendo como alvo preferencial o queixo do adversário.

Cotoveladas (Swak)

As cotoveladas sem dúvida são os golpes mais potentes usados com os membros superiores, podendo facilmente levar a nocaute e ainda desfigurar o oponente pois este golpe pode rasgar a pele e quebrar o osso. De certa forma, esse golpe foi banido dos torneios ocidentais, pois estava provocando muitas lesões sérias e levando muitos lutadores a largar a arte.

São golpes impulsionados pelos quadris e são lançados de todas as direções possíveis. Podem ser cotoveladas frontais, giratórias, ascendentes, descendentes e voadoras. Normalmente, os golpes de cotovelo são utilizados quando a distância entre os lutadores é muito pequena.


Chutes (Dteh)

Existem 3 níveis de chutes no Muay Thai: Baixo (Alvo: Panturrilha, Canela e parte de traz do Joelho), Médio (Alvo: Costelas e tronco) e Alvo (Alvo: Queixo, Pescoço e Cabeça). Os chutes exigem a movimentação do quadril e do tronco para colocar mais força e firmeza nos golpes, causando um dano maior. Os tipos são o Chute Frontal, Chute Circular e o Chute Girando e Batendo com o Calcanhar.

Chute Circular: É considerado um dos chutes mais potentes em todas as artes marciais. É uma técnica em que o chute vem de forma circular usando a canela para atingir o alvo. A perna sai de forma curvada em direção ao oponente e é desdobrada usando todo o seu impacto ao atingir o alvo.


Chute Frontal: É um chute que visa manter a distância do oponente ou ainda acertar o seu queixo. Se for realizado de forma rápida e com a força necessária pode levar o oponente a nocaute. Pode ser usado quando se quer distanciar do oponente, quando este vem para cima.


Chute girado com calcanhar: Um pouco mais difícil de executar do que os outros chutes, porém é um chute que permite colocar mais potência ao acertar o alvo. Esta técnica exige que o lutador tenha equilíbrio e resistência para manter a base enquanto gira e bate com o calcanhar.

Joelhadas (Khao)

A Arma mais potente do Muay Thai são as Joelhadas. Estas são usadas como em nenhuma outra arte marcial. Muito eficiente e poderosa podendo levar facilmente ao nocaute. Suas variações permitem o lutador poder surpreender o adversário e acertá-lo ou ainda incrementar mais uma sequência de golpes. Uma de suas variações, a Joelhada Voadora, permite acertar o adversário ainda no alto antes de tocar o chão. É muito usado durante o clinche, podendo acertar o nariz, queixo ou rosto.

Kao dode: é quando o praticante salta para cima do adversário e com o joelho dá o golpe certeiro na perna do oponente;
Kao loi: é quando o praticante salta para o lado com um pé e dá o golpe certeiro com o joelho nessa mesma perna;
Kao tom: o lutador dá uma joelhada para cima em linha reta, acertando no adversário;
Kao noi: é uma joelhada aplicada na coxa ou na barriga do adversário.


As defesas (Pongkan)

Os ombros, braços e pernas (canelas) são utilizados no Muay Thai como um “escudo protetor”, pois são estes os membros que aparam os golpes dos adversários e obstruem as suas técnicas principais. É por isso que a defesa é um dos melhores ataques e quanto melhor for a defesa de um praticante, maiores serão as suas probabilidades de se sagrar vencedor de um determinado duelo e/ou competição.



Missão e Regras


Missão da aula

Essa aula foi dividida em duas partes, sendo a primeira o treinamento e o segundo a prática.

Para o treinamento, cada aluno deverá treinar pelo menos três técnicas de regiões diferentes, ou seja, deverá ser uma técnica de chute, de cotovelada ou de joelhada. Não poderá ser da mesma categoria, ou irá falhar no treinamento. O propósito é ter o máximo de treinamento em diferentes áreas do corpo. Essa parte poderá ser realizada com os bonecos.

A prática é nada mais do que um pequeno combate com um NPC a sua escolha, podendo ser a própria Max a parceira de combate neste momento.

Regras
- Mínimo de 25 linhas
- Necessário 80% de rendimento para ganhar a habilidade da aula
- Poderá realizar o treinamento com um outro jogador, na parte da prática, mas deixe claro no final do post com quem o post foi combinado.
- Não descreva mais do que 3 golpes na parte de treinamento, ou irá perder pontos.
- É proibido o uso de outras modalidades de luta, o foco é o muay thai.
- Treinamento aberto até 28 de julho.
- Será proibido uso de poderes ativos.

Habilidade
Nome: Muay Thai
Descrição: O Muay Thai é uma arte marcial de origem Tailandesa conhecida como Thai Boxe ou Boxe Tailandês e revela um método de combate corpo a corpo (full contact) muito agressivo. É conhecido mundialmente como “a arte das oito armas”, pois caracteriza-se pelo uso combinado da técnica e da força dos membros do corpo humano, nomeadamente: os dois punhos; os dois cotovelos; as duas canelas das pernas e os dois joelhos. O semideus que participou dessa aula tem conhecimento sobre o muay thai, podendo usar de suas técnicas para golpear o seu adversário, principalmente ao usar os cotovelos e os joelhos para atingir o inimigo.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +25 de dano ao usar cotovelos e joelhos no golpe; +30% força, agilidade e flexibilidade.
Extra: Nenhum



Maxine Hayes


∆ LYL - FG


avatar
Max Hayes
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 519

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: V Aula de Combate Corporal -//- Muay Thai

Mensagem por Josephine Diëhl Nieckhale em Qua Jul 11, 2018 6:20 pm

for centuries

Some turn to dust or to gold, but you will remember me, remember me, for centuries, just one mistake, is all it will take, we'll go down in history, remember me for centuries
&

Josephine respirou profundamente sendo acordada por uma de suas irmãs no chalé que tinha cabelos escuros, uma expressão de tédio. A dinamarquesa revirou seus olhos. — O que você quer, garota? — Arqueou a sobrancelha, se sentando na cama. — Você tem aula hoje princesinha. Levanta logo, tenho que limpar o chalé. — A garota a olhava com uma expressão de tédio, e a princesa riu baixo. — Ninguém mandou você queimar o meu diário que o meu pai te deu. Fica esperta porque você queimou meu bem mais importante, querida. — Pronunciou em deboche, logo indo tomar seu banho. Tomou um banho rápido, lavando seus cabelos e passou um creme no corpo, sabia bem que maquiagem e academia dava merda então apenas aplicou o protetor solar, fazendo uma trança. Vestiu-se, logo indo para o refeitório.

Assim que chegou, comeu alguma coisa básica, porém, leve devido às atividades que iria fazer naquele dia. Respirou profundamente seguindo até a arena e se surpreendeu ao ver que parecia diferente. Deu de ombros, andando por lá, até  encontrar uma mulher loira. A instrutora tinha um ar sério, mas ainda assim divertido. A semideusa se sentiu mais aliviada. Estudou a loira enquanto a ouvia falar com alguns alunos que supôs serem seus amigos, estudando seu ar redor. A quantidade de pessoas que tinham ali não a impressionava, afinal saber bater e brigar poderia ajudar qualquer um em qualquer hora. Fechou seus olhos contando até dez. Passou as mãos sobre a trança, esperando o começo da aula conversando com uma garota qualquer que falava de sua aparência e suas roupas. Sua intuição dizia que a tagarela devia ser filha de Afrodite. Revirou seus olhos. — Garota, cala a boca. Eu estou confortável, não é da sua conta o que visto. — Retrucou, voltando a prestar atenção na loira.

A prole de Quione ouvia tudo o que a instrutora dizia com atenção. Josie passou as mãos sobre os braços, fazendo notas mentais de tudo o que era dito e as demonstrações das técnicas e os golpes da outra a deixou assustada. Nota mental: nunca provocar ou brigar com aquela instrutora. Você vai morrer. Respirou profundamente enquanto esperava as próximas instruções, quando ouviu que deveriam realizar os golpes em um boneco a jovem riu. Era realmente hoje que morreria ali. — Se eu morrer, favor me enviar para a Dinamarca. — Pronunciou para si mesma. Sua certeza era aquela. Queimaria no inferno depois de morrer ali. Seu enjoo durou alguns segundos. Mas respirou fundo, se posicionando na fila para usar aqueles brinquedinhos curiosos. Aquilo estranhamente a lembrou do UFC, que seu pai tinha feito a mesma ir em combates. Contou mentalmente até dez, logo chegando sua vez.

Se posicionou em postura de combate, e pensou no qual seria mais fácil e no qual doeria menos. Apenas fez a primeira coisa que lhe veio a cabeça, correu e deu uma joelhada na barriga do boneco, logo caindo de costas no chão. — Maravilha, eu me fodi de novo! — Deu um sorriso amplamente satisfeito, vendo a instrutora loira rir e estender a mão, para a ajudar. — Mandou bem, só tenta não agir que nem maulca,  garota. — Jo apenas riu. — Impossível. — Admitiu, dando de ombros. Passou as mãos sobre seus fios capilares enquanto respirou fundo, tentando retomar seu fôlego para decidir seu próximo passo. Voltou para a posição básica, dando um soco de baixo para cima no queixo do boneco, logo sentindo seu punho doer. Sacudiu o mesmo, resmungando em dinamarquês. Logo deixou seu corpo em L, girando sua perna, para tentar acertar a barriga do boneco, assim que acertou, sua ferramenta no momento doía levemente. — Pelo amor da minha mãezinha diz que já acabou porque eu não aguento mais. —Implorou com a perna, o joelho e o punho dolorido. — Mal começou! — A loira sorria satisfeita e a princesa se jogou no chão, fora do alcance de terceiros, cansada. Contou até dez, logo levantando.

A parte 2 era um combate e a jovem se sentiu enjoada por alguns segundos. Uma garota loira com uma expressão calma, logo se aproximou. — Pior que apanhar da instrutora eu posso ser sua oponente. — Aquilo bastou para a convencer a outra, que concordou. — Josephine, filha de Quione. — Apresentou-se, estendendo a mão para cumprimentar a outra, o que poucos segundos depois foi feito por elas. As semideusas conversavam, enquanto ambas esperavam a vez. Uma piada idiota uma vez ou outra, escapava da filha de Quione, fazendo a outra garota rir. Quando chegou a vez das jovens, ambas se colocaram em posição. — Se uma de nós ficarmos inconsciente paramos de imediato. Ou acertarmos o nariz uma da outra. — Deu de ombros, dando a instrução para a oponente, que assentiu. E observaram a amazona por alguns segundos. — Prontas? Que o momento Viúva Negra de vocês sejam bem-sucedido! — O sorriso da semideusa foi sádico naquele segundo.

Seus punhos se fecharam e ambas andaram em círculos por segundos. A mais alta tomou a iniciativa, investindo com o punho em direção ao queixo da outra, porém logo sentiu um chute em sua perna, fazendo-a cair, respirando fundo, se levantando em poucos segundos, porém quando ainda estava no chão, usou a perna esquerda para dar uma rasteira, fazendo a semideusa cair de costas no chão. — Um a zero. — Pronuncou depois de colocar-se sobre a oponente, ameaçando um soco sobre o rosto da outra, logo se retirando de onde estava, estendendo a mão para ajudar a outra a levantar. Voltaram para a posição inicial, com a mais baixa investindo, com uma jornada, que acertou o estômago da dnamaequesa, que cuspiu um pouco de sangue, e deu um grunhido assim que se recuperou, chutando a canela da outra, dando junto com isso, uma cotovelada no estômago da jovem que pouco depois, acertou um soco em seu queixo, a deixando no chão. — Um a um. — Com a ajuda da companheira, levantou-se, voltando para a posição básica de combate, cuspindo um pouco mais de sangue.

Tudo bem aí? — Ouviu a instrutora, e ambas assentiram, e Jo sorriu irônica. — Claro, sangue é normal. — Terminou, voltando para a posição de combate. Andaram novamente em círculos, com a filha de Quione tomando a iniciativa, acertando o estômago da companheira com um soco, sendo recebida com um ataque no queixo, fazendo ambas cuspir um pouco de sangue. A semideusa girou para se afastar alguns centímetros, dando uma tentativa de um chute circular no peito da outra, para lhe tomar um pouco do ar, no entanto, caiu para trás, rindo e se levantou, entretanto, ao ver a outra sem fôlego, sorriu. Mas seu sorriso logo sumiu, ao ser derrubada e com um soco ser imobilizada e ela ergueu o punho para acertar a oponente, logo para o nariz, assim como a outra. — Empate? — Ambas concordaram e se levantaram, rindo depois de ajudar uma a outra.

Caralho, você me acertou mesmo. — Pronunciou a sua companheira de treino, enquanto ambas andavam para a enfermaria, depois do fim da aula.

Adendos:
Técnicas Usadas - Treino:
Chute Frontal: É um chute que visa manter a distância do oponente ou ainda acertar o seu queixo. Se for realizado de forma rápida e com a força necessária pode levar o oponente a nocaute. Pode ser usado quando se quer distanciar do oponente, quando este vem para cima;

Kao loi: é quando o praticante salta para o lado com um pé e dá o golpe certeiro com o joelho nessa mesma perna;

Upper: é um golpe executado a média distância e é realizado de baixo para cima, tendo como alvo preferencial o queixo do adversário.
Técnicas Usadas - Combate:
• Direto: é um soco lançado com a mão que está atrás da guarda e tem como alvo principal o queixo do adversário;

• Cotovelada;

• Jab: é um soco lançado com a mão que está à frente da guarda e tem como alvo o queixo do oponente;

• Chute Circular: É considerado um dos chutes mais potentes em todas as artes marciais. É uma técnica em que o chute vem de forma circular usando a canela para atingir o alvo. A perna sai de forma curvada em direção ao oponente e é desdobrada usando todo o seu impacto ao atingir o alvo.
fpa:

OBS.: Aula feita com Halsey Rose Maddox

Wearing this + And I can't stop till the whole word knows my name, 'cause I was only born inside my dreams, until you die for me, as long as there is a light, my shadow is over you 'cause I am the opposite of amnesia, and you're a cherry blossom, you're about to bloom, you look so pretty, but you're gone so soon.



you got a fetish
for my love, i push you out
avatar
Josephine Diëhl Nieckhale
Filhos de Quione
Filhos de Quione

Mensagens : 122

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: V Aula de Combate Corporal -//- Muay Thai

Mensagem por Halsey Rose Maddox em Qui Jul 19, 2018 7:36 pm


Muay Thai
No one is as good as you imagine

Abri os olhos com dificuldade, depois que Miriam abriu as cortinas do dormitório feminino sem nem um pouco de delicadeza. Espreguicei-me, sentindo a falta de vontade de levantar tomar conta de todo meu corpo. O barulho já era alto no chalé de Éris, e parte de mim se perguntava se, algum dia, aquele lugar teria sido silencioso. E mais: como eu conseguia dormir tão profundamente no meio de tanta agitação? Coisas que só Éris poderia explicar, e eu, com certeza, nunca ia querer me encontrar com essa embuste. Deusa desgraçada.
Levantei, preguiçosa, e me olhei no grande espelho que se estendia pelo banheiro das mulheres. As olheiras, advindas do treino de Ariel e Luna, tinham sumido, graças a Zeus. Estava mesmo me sentindo mais revigorada. Assim que saí do banho gelado, enrolada numa toalha vermelho-sangue, com os cabelos encharcados, olhei a tabela de atividades que tinham fixado na porta do nosso banheiro. Hoje eu tinha aula de Muay Thai, e quem comandaria tudo seria Max Hayes, uma das amazonas que todo mundo falava no acampamento. Fiquei nervosa, claro. Assim como as líderes Luriel no treino, Maxine também era uma lenda, e famosa. Mas, pelo que falavam, ela também era boa instrutora, e estava lá principalmente para nos ajudar.
Deixei o jeans de lado, e coloquei uma calça legging preta, junto com uma blusa soltinha roxo escuro, e um tênis na mesma tonalidade da calça e da blusa. Penteei os cabelos e levei um elástico no braço, para prender os fios quando estes secassem. Depois de comer um café da manhã bem reforçado dos meus waffles prediletos, com suco de laranja, fui caminhando lentamente até a arena. O local tinha sido todo adaptado para a aula: o chão forrado de inúmeros tatames coloridos, e uma fileira enorme de bonecos de treino se posicionava na parede do fundo da arena. Sem contar que estava atolado de gente. Sério, tinha muita gente mesmo. Procurei um lugar mais ao fundo para assistir as instruções de Max, e prestei bem atenção quando ela pediu silêncio para começar a explicar.
O Muay Thai é uma arte marcial de origem Tailandesa conhecida como Thai Boxe ou Boxe Tailandês e revela um método de combate corpo a corpo muito agressivo – a instrutora começou a falar, andando em nossa frente tranquilamente – É uma modalidade desportiva que utiliza quase todos os membros do corpo humano como armas de combate e o objetivo principal passa por colocar os adversários sem sentidos ou procura levá-los à submissão/desistência. Calma, não queremos que vocês passem dias na enfermaria – uma risada foi ouvida por muitos, e ri junto com eles – O Muay Thai é conhecido mundialmente como “a arte das oito armas”, pois caracteriza-se pelo uso combinado da técnica e da força dos membros do corpo humano, nomeadamente: os dois punhos; os dois cotovelos; as duas canelas das pernas e os dois joelhos – Max demonstrou alguns golpes, que provavelmente ganhariam nomes durante a aula, mas que, de primeira, já me deixaram receosa, pensando se eu iria conseguir fazer tudo aquilo – A juntar a estas “armas”, todos os praticantes têm um elevado nível de fitness e uma preparação física e mental invejáveis, o que faz do Muay Thai uma luta de full contact muito poderosa e eficaz. Vou começar ensinando alguns golpes mais fáceis, e a medida que a aula for acontecendo, vocês irão reproduzi-los nos bonecos, e, depois, em seus oponentes.
Aprendemos diversas coisas interessantes, pra ser sincera. Eu queria treinar de tudo um pouco, mas a regra era clara: no boneco, só poderíamos testar três das habilidades que vimos Max fazer em sua demonstração. Certo, acho que eu tinha escolhido. Montei uma sequência clara na minha cabeça: primeiro, um Upper, depois, uma cotovelada no queixo, sem giratória, apenas para completar o primeiro soco, e, por fim, um Kao noi, finalizando o treino com o boneco.
Repassei a ordem na minha cabeça centena de vezes enquanto a fila andava. Max estava parada próxima aos bonecos, observando a desenvoltura dos semideuses e dando dicas a medida que as demonstrações eram realizadas. Minha vez finalmente chegou, e eu consegui fazer tudo como tinha planejado. O soco no queixo do boneco, seguido da cotovelada no mesmo lugar e finalizando com uma joelhada no estômago. A instrutora afirmou com a cabeça, concordando com a sequência.
Foi uma ordem bastante lógica que você usou. Tirou a atenção do oponente com os socos no queixo e acertou o local que ele provavelmente deixaria em aberto depois dos primeiros golpes. Só preste mais atenção nisso – ela fez o kao noi lentamente, e percebi que eu tinha feito num local mais baixo – Cuidado para não atingir as partes íntimas. Não é o objetivo do treino. Mas, parabéns. Próximo!
Valeu, Max – soltei, recebendo um sorriso como resposta. Me dirigi até o local onde estavam os outros que já tinham demonstrado, esperando a segunda parte da aula.
Quando Max disse que poderíamos começar o combate, olhei para os lados e dei de cara com uma loira bem arrumada a alguns centímetros de mim. Aproximei-me, vendo que ela também não tinha nenhum parceiro para treino. Já tinha visto a garota pelo acampamento, mas, se sabia o nome dela, provavelmente não me recordava de jeito nenhum. Eu era boa com feições, mas péssima com nomes.
Pior que apanhar da instrutora. Eu posso ser sua oponente – soltei, com um sorriso simpático no rosto. A menina se convenceu, estendendo a mão para se apresentar.
Josephine, filha de Quione – disse. Eu apertei sua mão no mesmo instante, me apressando em dizer quem era também.
Sou Halsey, filha de Éris – e, assim, começamos uma conversa divertida. Jo não parecia ser fechada, como pensei serem os filhos de Quione, muito pelo contrário. Ela era divertida, e dei altas gargalhadas esperando nossa vez no tatame central. Assim que chegou a hora, nos posicionamos e esperamos que Max desse o sinal para começar.
Se uma de nós ficarmos inconsciente paramos de imediato. Ou acertarmos o nariz uma da outra – Josephine soltou, dando de ombros. Ri fraco, e apenas concordei com a cabeça na hora.
Prontas? Que o momento Viúva Negra de vocês sejam bem-sucedido! – Max soltou, e a risada de Josie foi sádica. Gargalhei, pensando que, com certeza, não parecíamos nada com Scarlett Johansson naquele momento. Aquela mulher era uma deusa, eu não chegava nem aos pés dela.
Andamos em círculos por alguns segundos, mantendo o olhar uma na outra enquanto os punhos permaneciam fechados. Josephine tomou a iniciativa, investindo com o punho em direção ao meu queixo. Eu tinha utilizado esse golpe no treino com o boneco, e afastei antes que o soco pudesse chegar a mim, investindo um chute na perna da filha de Quione, que caiu com força no tatame. Sorri, satisfeita por ter, de fato, aprendido alguma coisa. Porém, antes que conseguisse pensar duas vezes, Josephine usou sua perna esquerda para me dar uma rasteira, levando-me ao chão com o mesmo baque que ela fez ao cair.
Um a zero – ela disse, ficando sobre meu corpo e ameaçando acertar um soco. Coloquei os braços em frente ao rosto, mas nem foi necessário, já que Josephine levantou e estendeu a mão para me ajudar. Voltamos para a posição inicial, recomeçando o treino.
Resolvi investir dessa vez, com uma jornada, que acertou o estômago da minha oponente. Acho que acabei colocando mais força que o necessário, pois a prole de Quione cuspiu sangue e fez um barulho estranho com a garganta ao se recuperar. Ela investiu, chutando minha canela, junto com uma cotovelada no meu estômago. Afastei rapidamente, acertando um soco em seu queixo, e acertando em cheio, deixando a loira no chão. Sorri, satisfeita.
Um a um – soltei, estendendo a mão para ela levantar. A garota cuspiu mais um pouco de sangue, e estiquei os braços para me aquecer mais
Tudo bem ai?– Max perguntou, levemente preocupada com Josephine.
Claro, sangue é normal – ela disse, sem se preocupar. Afirmei com a cabeça, concordando com minha oponente.
Novamente, retornamos a posição de combate, andando em círculos por mais alguns segundos. A filha de Quione tomou a iniciativa, acertando o meu estômago com um soco. Sem pensar duas vezes, revidei com um ataque no queixo. A dor do golpe no estômago me fez cuspir um pouco de sangue, e o gosto metálico do líquido ficou em minha  boca por muitos segundos. Levantei a cabeça na hora que vi Josephine também cuspir o líquido vermelho. Josephine girou para se afastar alguns centímetros, dando uma tentativa de um chute circular no meu peito, para me tirar o ar. Porém, ela caiu sozinha para trás, rindo da sua própria queda, levantando rapidamente. Mas, seu golpe acertou, me fazendo puxar o ar para conseguir voltar a respirar.  Sem pensar duas vezes, investi um soco contra a prole de Quione e ela caiu, me fazendo segurar um de seus braços atrás das costas para imobilizá-la. Senti seu soco atingir meu nariz, e caí pra trás com o baque. Levei a mão e senti que o sangue escorria um pouco. Josephine olhou para mim cansada, porém com um semblante satisfeito.
Empate? – ela perguntou, me ajudando a levantar. Agradecemos a Max, que nos parabenizou pelo combate, e caminhamos para fora da arena em direção à enfermaria.
Caralho, você me acertou mesmo – falei, andando junto com Jo até o local para estancar o sangramento. Ela gargalhou, mas estávamos ambas satisfeitas com nosso desempenho.
Técnicas Usadas - Treino:
• Upper: é um golpe executado a média distância e é realizado de baixo para cima, tendo como alvo preferencial o queixo do adversário.
• Cotovelada frontal.
• Kao noi: é uma joelhada aplicada na coxa ou na barriga do adversário.
Técnicas Usadas - Combate:
• Chute Frontal: É um chute que visa manter a distância do oponente ou ainda acertar o seu queixo. Se for realizado de forma rápida e com a força necessária pode levar o oponente a nocaute. Pode ser usado quando se quer distanciar do oponente, quando este vem para cima.
• Upper: é um golpe executado a média distância e é realizado de baixo para cima, tendo como alvo preferencial o queixo do adversário.
• Defesa com braços.
OBS: Aula feita com Josephine Diëhl Nieckhale


Éris by spontaneous pressure
avatar
Halsey Rose Maddox
Filhos de Eris
Filhos de Eris

Mensagens : 155
Idade : 19
Localização : Acampamento Meio-Sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: V Aula de Combate Corporal -//- Muay Thai

Mensagem por Romeo Bernocchi em Dom Jul 22, 2018 9:15 pm

muay thai
V aula de combate corporal
E aí, Max! — ergui a mão direita assim que me aproximei da garota, solicitando um high five. De prontidão, ela bateu na minha mão e anexou um sorriso ao cumprimento.

Permaneci próximo dela enquanto os minutos até o início da aula se passavam e outros semideuses chegavam. Como sempre não era uma aula abarrotada de alunos, o que me alegrava, mas ainda assim tinham vários. Eu gostava quando era assim porque o espaço era ótimo e recebíamos atenção suficiente da instrutora.

Quando chegou a hora, posicionamo-nos como sempre: voltados para Max, com pelo menos um metro e meio de distância entre um e outro. Desta forma, enquanto nos passava um aquecimento seguido de um alongamento, todos podíamos visualizá-la perfeitamente e assim seguir com a aula.

Então nos posicionamos diante dos bonecos dispostos para a primeira metade da aula. Como sempre, escolhi um mais no canto, a fim de evitar desconcentração ou muitos olhares. Dali, tinha uma boa visão da instrutora, portanto consegui acompanhá-la sem problema algum.

Max encetou o treinamento com os socos. A primeira técnica ensinada foi o jab, um soco com a mão à frente da guarda super simples e eficaz. Direcionado ao queixo do adversário, poderia causar um nocaute dependendo da força com a qual o golpe fora aplicado. De acordo com os meus atributos, isso seria bastante possível. Exatamente por isso eu me foquei nesta técnica, reproduzindo-a sucessivamente no boneco.

Precisei inverter um pouco a posição das mãos porque mesmo com uma faixa enrolada nelas eu as sentia formigarem um pouco. Quando passei para os outros tipos de soco, tive de reduzir a força para conservar meus dedos e juntas. E então seguimos para as cotoveladas.

Ainda que tudo aprendido com Max fosse para o combate corporal, os golpes com os cotovelos exigiam uma aproximação maior para com o oponente. Isso me deixava um pouco desconfortável, porque poderia ser sabotado ou enganado e, dada a curta distância, me ferrar. No entanto, em contrapartida, uma cotovelada bem executada poderia até mesmo desfigurar o rosto de alguém. Portanto, se necessário, deveria ser utilizada.

Empenhei-me nesta parte, imitando a amazona com muita calma ao girar o quadril, mantendo as pernas ligeiramente afastadas. Segundo ela, as cotoveladas poderiam seguir em qualquer direção, bastaria flexionar o braço (obviamente). Era ainda mais simples e divertido, o que me fez querer praticar no boneco com mais afinco, improvisando cada uma das investidas.

Os chutes me lembraram a aula de taekwondo que Max havia ministrado. Eu já tinha certa noção, e por isso não apanhei tanto enquanto reproduzia as modalidades de chutes apresentadas. Por outro lado, com as joelhadas que vieram logo em seguida, eu não era familiarizado.

Eu provavelmente deslocaria meu joelho se tentasse reproduzir no boneco-alvo as primeiras joelhadas mostradas por Max, já que havia rigidez em seu interior. Por isso, em contato com ele, somente executei uma "sombra" dos golpes, deixando para realizá-los no ar. Somente a última eu fiquei mais tranquilo, uma vez que não envolvia deslocamento nem saltos, mas sim a joelhada na coxa ou na barriga do adversário.

"Kao noi" era o seu nome, mas provavelmente eu me esqueceria dele quando saísse dos Campos de Marte. O que precisava saber era sua execução, isso sim. E, pela quantidade de vezes que a repeti, alternando os joelhos para melhor fixação, isso provavelmente aconteceria.

Para mim, essa era a parte mais massante da aula. A repetição constante dos movimentos e técnicas exigia bastante até mesmo de mim, alguém com as capacidades físicas mais elevadas. E por isso, ao fim do treinamento, eu estava tipicamente com as bochechas avermelhadas, o cabelo bagunçado e colado na cabeça e a camiseta roxa do acampamento em um tom mais escuro por conta do suor.

Apoiei as mãos na cintura, respirando de maneira desordenada, enquanto assistia o primeiro combate. A melhor forma de aprendizagem era a prática, e por isso, mesmo que já estivéssemos um pouco cansados, ela precisava acontecer. No meu caso, por um infortúnio divertido, eu havia ficado com Max.

Como instrutora, ela precisava analisar as lutas e orientar os participantes simultaneamente às suas ações, então esse foi o motivo pelo qual esperei. Não sei quanto tempo, mas o suficiente para eu me sentir um pouco mais podre.

Romeo! — a voz de filha de Júpiter soou alta, potente. — Sua vez! — olhei-a de forma instintiva e imediata, tendo um inevitável sorriso maroto estampado no rosto. Eu desconfiava que as minhas chances de vitória não eram tão grandes, mas o que mais valia era a experiência.

Trotei em direção ao espaço destinado à luta, passando os dorsos das mãos pelo rosto para livrá-lo do excesso de suor. Dei alguns pulinhos ao me posicionar, mantendo cerca de dois metros de distância da semideusa. Nossa troca de olhares foi acompanhada por um assentimento quase que simultâneo, significando que ambos estávamos pronto para o combate.

Propeli-me em direção à garota, erguendo os braços na altura do pescoço para criar a guarda. Visto que eu poderia me dar mal se tentasse me aproximar demais para dar um soco, me contentei com uma ameaça de chute. Max recuou por um instante e em seguida avançou em um contra-ataque, usufruindo do curto espaço de tempo que gastei para recolher a perna.

Nisso, mal pude compreender sua investida: ela saltou contra mim, sustentando o joelho destro na frente. Não fosse meu reflexo, eu provavelmente seria atingido. Como explicado por ela, os braços serviam como defesa e eu não hesitei em erguê-los em x para interceptá-la. Deixei que um gemido escapasse, denunciando meu desconforto perante o que acontecera. No entanto, estava focado na luta e queria dar o melhor de mim.

A aterrissagem da amazona me deu pouquíssimos segundos de vantagem, traduzidos numa investida improvisada. Dada a pouca distância existente entre nós, realizei um upper que infelizmente passou raspando no queixo de Max, já que ela conseguiu recuar. Adjacente a isso, como se estivesse em câmera lenta, visualizei um soco direto vindo em minha direção, até que as luzes apagaram.

...

Romeo?

Meus olhos foram abertos com lentidão. A primeira coisa que viram foi a cascata loura da instrutora, acompanhada por um semblante nítido de alívio. Gemi ao levantar meu tronco, ficando sentado sobre o tatame, e involuntariamente guiei minha canhota ao meu queixo. O mísero toque me fez exibir uma careta sofrida em resposta à dor causada pelo soco.

Que puta soco, Max. — brinquei, insistindo na massagem no meu queixo. — Pelos deuses!

Foi mal, Meo, mas você moscou naquela hora. — rimos juntos após o comentário. Eu não sentia remorso nem nada pela garota, e muito menos vergonha por ser o mais novo pretor e ter sido nocauteado.

Max ofereceu uma mão para me ajudar a ficar de pé. Com o movimento súbito do levantamento, tive a impressão de ter acabado de dar 87 voltas no meu próprio eixo. Evitando outra queda, me segurei na legionária para reconquistar meu equilíbrio. — Acho que preciso de uma ajudinha.

FPA:
habilidades aprendidas:
Pontos Críticos
Descrição: Ao participar da aula de combate corporal, o semideus aprendeu quais pontos do corpo humano provocam mais danos. Estes locais são chamados de diversas formas, como pontos críticos, pontos de pressão ou pontos de impacto. Ao aplicar um golpe nas áreas como: traqueia, queixo, têmpora, testículos, costela flutuante, diafragma, lateral do nariz, clavícula, parte interna da coxa e a parte interna da junta do cotovelo; o semideus poderá aumentar as chances de crítico e seu dano.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +30% de acertar os pontos mencionados acima, graças ao treinamento; +40% de dano somados ao dano crítico.
Extra: Funciona principalmente em formas humanoides.

Prática de Asanas
Descrição: O corpo é tão jovem quanto flexível. Exercícios de yoga enfatizam a saúde da coluna vertebral, a sua força, equilíbrio e flexibilidade. A prática dos Asanas (exercícios de Yoga) aumenta esses três atributos do semideus.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em equilíbrio e flexibilidade.
Extra: + 10% em Força.
habilidades passivas:
Nível 10
Nome do poder: Força superior
Descrição: Os filhos de Belona são mais fortes do que a maioria dos campistas, podendo aguentar grandes cargas em suas costas sem alterar sua postura ou desempenho. Podem carregar até 3 sacos de farinha sobre os ombros, ou até mesmo uma pessoa em suas costas por uma longa distância, sem alterar seu desempenho físico.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de força.
Dano: +5% de dano caso usem para atacar alguém.

Nível 20
Nome do poder: Corpo Guerreiro II
Descrição: Seu corpo desenvolveu-se e tornou-se ainda mais pronto para a batalhas de longa duração. O metabolismo evoluiu e a fisiologia do semideus filho de Belona foi potencializada. A resistência corporal tornou-se melhor ainda, assim como a imunologia.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em resistência corporal, +40% de imunidade a infecções, venenos e doenças corriqueiras como viroses.

Nível 25
Nome do poder: Força Interna
Descrição: A prole da deusa da fúria em guerra detém uma força interna que se transforma em força física. Com isso, o impacto dos seus golpes físicos passa a ter uma taxa de dano maior, além de ser capaz de levantar uma quantidade de peso muito maior do que um humano comum.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em danos físicos, capacidade de erguer até 150kg com facilidade e amassar metais comuns (resistência sigma).

Nível 27
Nome do poder: Aprendizagem de Batalha I
Descrição: Ao participar de uma batalha contra alguém, a prole de Belona rapidamente aprende sobre os golpes e estratégias do inimigo. Depois de receber um golpe, raramente o mesmo golpe atingirá o filho de Belona, principalmente os físicos e feitos com armamentos. Ele aprende como o inimigo se move e comporta ao realizar o ataque, pegando os indícios nos primeiros movimentos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +50% de chance de bloquear ou esquivar do mesmo golpe que já tenha recebido ou presenciado a execução.
Dano: Nenhum

Nível 45
Nome do poder: Hipercinesia III
Descrição: Esse é o momento em que mente e corpo encontra-se em completa sintonia. Você não apenas pensa e age, mas como pode fazer os dois ao mesmo tempo. A leitura do ambiente torna-se perfeita, permitindo assim o combo de muitas outras habilidades ativas com a sua capacidade hipercinética. Sua mente e corpo tornam-se a sua maior e principal arma.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +50% em equilíbrio, coordenação motora e reflexos
Dano: Nenhum

Nível 50
Nome do poder: Ignorar a dor II
Descrição: Parar de combater por causa de seus machucados não faz parte dos planos do semideus filho de Belona. Ignorar a dor provocada nos combates tornou-se ainda mais fácil e corriqueiro, permitindo assim o seu desenvolvimento.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Bônus: Podem ignorar a dor de queimaduras de grau médio, desde que não sejam em grande escala de estrago, luxações, câimbras, fraturas em dedos e etc. Apesar de serem afetados, e sentirem dor, conseguem continuar lutando. Fraturas em braços, pernas, costelas e outros membros não entram nesse poder.
Dano: Nenhum

Nível 60
Nome do poder: Ângulo de Batalha
Descrição: Quando em combate, o filho de Belona consegue ter percepção do ambiente em um ângulo de 180 graus. Assim, aumenta a esquiva e reduz as chances de ser pego de surpresa.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +50% de chance de esquiva em um ataque surpresa.
Dano: Nenhum

avatar
Romeo Bernocchi
Pretores
Pretores

Mensagens : 725
Idade : 20
Localização : Acampamento Júpiter

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: V Aula de Combate Corporal -//- Muay Thai

Mensagem por Thomas M. Brynjolf em Sab Jul 28, 2018 12:56 am


Run for your life
This is the night of the werewolves



Seres humanos tiveram a necessidade de evoluir mentalmente para compensar a falta de armas e proteções naturais. Ferramentas para ajudar na construção de defesas, o fogo para se manterem vivos durante o frio e tornarem a comida mais macia para seus dentes fracos, armas para caçarem aqueles animais com presas e garras afiadas. Mas o que aconteceria se os humanos perdessem suas armas? Foi para isso que a humanidade desenvolveu artes marciais, tirar o melhor proveito possível do corpo frágil que lhes foi dado pelos deuses. Se um soltado perde seu rifle, ele usa um revólver, uma faca, ou os próprios braços e pernas.

Dentre as centenas de artes marciais ao redor do globo, uma das mais populares e brutais era sem dúvidas o Muay Thai, e era justamente para esse tipo de aula que eu me preparava. Alguns semideuses apenas chegaram à arena esperando aprender golpes, mas um corpo frio e relaxado também não era o ideal.

Para começar, cheguei correndo à arena um pouco antes do começo da aula, quando ainda estavam preparando parte do terreno para o treino de combate físico. Já dentro da arena, eu alongava meus ombros, braços e costas para começar o meu aquecimento pulando corda por alguns minutos, sentindo meus músculos esquentando um pouco mais.



A instrutora se aproximava da arena, e pelo que ouvi dizer ela era uma amazona, então obviamente sabia o que estava fazendo. Eu estalava meus dedos enquanto ouvia a sua explicação sobre a história do Muay Thai, eu fingia não estar me importando muito, mas a verdade é que achei os princípios muito interessantes e estava ainda mais animado para praticar.

Eu prestava atenção e tentava imitar um ou dois movimentos conforme Max explicava os golpes. Lutar com armas brancas era legal, mas utilizar apenas o próprio corpo em confrontos era uma ideia muito interessante, principalmente para um lycan que não teria muitos armamentos à sua disposição quando estivesse transformado, e contar apenas com os instintos durante uma luta não seria tão efetivo quanto combinar habilidades naturais com técnicas marciais.

Após a explicação de Max, fomos liberados para praticar os golpes com bonecos de treino. Parei em frente ao boneco e o analisei por alguns instantes, já que conhecendo aquele acampamento, era bem capaz que o boneco fosse criar vida e revidar a qualquer momento. Aprontei minha estância de luta, ambos os punhos em frente ao queixo e os pés firmemente apoiados no chão em posição diagonal, com os joelhos levemente dobrados, do jeito que Max explicou.

Para começar, ataquei o rosto do boneco com um Jab, movimentando o meu quadril circularmente para gerar mais velocidade ao golpe. Aproveitando o embalo da cintura enquanto trazia meu punho de volta, ataquei o tronco com um chute circular com a perna direita, erguendo a minha mão do mesmo lado para proteger o rosto. Meu pé esquerdo girou no chão para gerar mais movimento, utilizando a mesma técnica de quando ataquei com o punho. O impacto da minha canela contra o boneco de plástico gerou um barulho bem mais alto do que o soco.

Retornei à minha posição inicial e, com os ombros bem mais relaxados do que antes e uma postura mais “leve”, dei pequenos saltos para trás e inverti minha base. Retirei a minha perna esquerda, que estava na frente, e a coloquei em uma linha reta com a direita, passando depois o meu pé direito para a frente. Com os punhos altos para proteger o rosto, dobrei os meus joelhos um pouco mais para tomar impulso e saltei na direção do boneco, soltando um grunhido durante o pulo. Acertei o queixo plastificado com o meu joelho esquerdo, o impacto foi o suficiente para derrubar o boneco no chão. Eu dei dois saltos para trás quando aterrissei, me afastando do “oponente” que acabara de ser derrubado.

Arqueei uma sobrancelha e sorri, surpreso e um pouco confuso por não ter feito tudo errado. Eu tive que prestar atenção para entender como se aplicar os golpes, mas a prática pareceu ter vindo naturalmente.  

//-//



Após certo tempo praticando sozinhos contra bonecos, a instrutora disse que era a hora de praticarmos em combate contra pessoas reais. Olhei ao meu redor tentando encontrar algum parceiro, quando senti um impacto em minhas costas. Olhei para trás e vi um sujeito um pouco mais alto do que eu e, a julgar pelo seu colar, um filho de Ares.

- "E aí, que tal se eu te ensinasse a lutar de verdade?" - Ele falou, rindo um pouco.

- Pode começar me falando qual é o gosto da lona quando estiver beijando ela.

Ri de volta e estendi a mão, e em um sinal de concordância, o rapaz apertou a minha de volta. Nos afastamos um pouco e assumimos a posição de guarda, estudando um ao outro por alguns instantes. Meus olhos vermelhos o encaravam da cabeça aos pés com muita atenção a qualquer mínimo movimento que eu percebesse em sua musculatura.

Seus joelhos se encurvaram um pouco e sua perna traseira começou a se mover rapidamente na direção da minha cabeça. Ergui minha perna esquerda até a altura do queixo, dobrando o tronco para a lateral e colocando os dois braços para proteger minha cabeça. O impacto da perna dele foi extremamente violento e rápido. O suficiente para desfazer um pouco do meu equilíbrio. Dei um passo para trás enquanto o semideus me atacou com um jab contra o rosto. Dobrei meu joelho, o punho passou por cima de mim e eu senti o ar se distorcendo ao redor daquele golpe, teria sido um nocaute certeiro.

Afastei-me do filho de Ares. Sua envergadura era maior do que a minha, portanto, ficar longe seria apenas uma vantagem para ele, eu precisava me aproximar mais. Só que era mais fácil falar do que fazer, já que seus golpes eram extremamente potentes e eu sentia como se qualquer coisa que pegasse em cheio iria me nocautear.

Mais um chute veio em minha direção, mas esse era um pouco mais baixo, acertaria a minha costela. Aproveitei esse meio tempo para dar um chute frontal com o pé direito contra o tronco do adversário, que estava indefeso por não estar em sua guarda. Ambos os golpes acertaram ao mesmo tempo, mas graças ao empurrão gerado pelo meu pé, o impacto em mim não foi tão devastador quanto seria normalmente, mas acabou doendo mesmo assim.

Não retornei meu pé direito à base inicial, ao invés disso, deixei que ele aterrissasse ao lado do filho de Ares. Aproveitei o embalo que meu corpo fez para a frente e encaixei uma cotovelada de cima para baixo contra a cabeça do oponente que, por ainda estar desequilibrado, não conseguiu se defender a tempo.

Com a guarda do adversário ainda aberta, deslizei minhas duas mãos para trás da sua cabeça e agarrei sua nuca, formando um clinche. Em um milésimo de segundo, foi como se eu explicasse ao meu lobo interior o que ele deveria fazer e lhe entreguei o controle do meu corpo. Comecei a desferir uma sequência de joelhadas contra meu oponente, algumas acertando o seu tronco e outras batiam contra suas mãos que tentavam desesperadamente defender o rosto, mas não conseguiam fazer nada além de amortecer um pouco do impacto.

Soltei o clinche e desferi outro chute frontal contra o tronco do filho de Ares, que se afasto de mim. Novamente eu deixei que meu pé direito caísse à frente, formando então uma base canhota. Ergui meu pé esquerdo e girei o meu tronco, acertando em cheio com minha canela a cabeça do filho de Ares que foi direto para o chão.

Antes que eu fosse para cima dele e o "finalizasse", retomei o controle do meu corpo e respirei fundo enquanto me afastava rosnando bem baixo. Inspirei profundamente e expirei, forçando toda a adrenalina do momento a sair de mim. Balancei a cabeça e andei na direção do rapaz.

- Acho que eu ganhei essa.

Estendi a mão para ajudá-lo a se levantar. O rapaz balançou a cabeça e segurou minha mão.

- "Da próxima eu ganho, você vai ver só."

- Vai sonhando...

Melpomephy.. Black Set

Adendos adendados:

Golpes golpeados:

- Treino:
- Jab;
- Chute circular;
- Joelhada (Kao Tom).

- Luta:
- Joelhada (Pongkan);
- Chute fruntal;
- Cotovelada (Swak);
- Clinche;
- Joelhadas (Kao noi);
- Chute circular.
Habilidades Passivas:

- Força I
Descrição: A força dos lycans é elevada devido aos músculos naturalmente melhor desenvolvidos para dilacerar e matar suas presas.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 10% em força; 20% em força se estiver na forma da besta.
Dano: Nenhum.
- Frenesi de Batalha I
Descrição: Quando em batalha, o lycan gradativamente vai perdendo o controle sobre suas ações e se enfurecendo. Na forma humana, apenas causa efeitos narrativos porém, se estiver em sua forma bestial, os efeitos são mais significativos. Nesse último caso a cada golpe que receberem, perderão parte de sua racionalidade mas ganharão mais bônus.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Para cada 50 pontos de HP perdido, aumenta 5% da força do lycan.
Dano: Nenhum.
- Humor da Fera II
Descrição: Por natureza, os lycans em sua forma humana são mau humorados e extremamente alertas a tudo.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 20% de percepção ao seu redor, cabendo ao narrador lhe alertar de algo ache cabível durante uma narração.
Dano: Nenhum.
- Força I
Descrição: Como demonstrado por Percy na série e é de conhecimento geral que Poseidon é mais forte que a maioria dos deuses por ser um dos três grandes, seus filhos possuem uma força superior à comum dos semideuses.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de força
Dano: +10% de Dano se o ataque do semideus atingir.
- Velocidade I
Descrição: Como demonstrado por Percy na série e é de conhecimento geral que Poseidon é mais rápido que a maioria dos deuses por ser um dos três grandes, seus filhos possuem uma velocidade superior à comum dos semideuses.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de velocidade
Dano: Nenhum
- Força I
Descrição: A força é, sem dúvida alguma, a principal arma de um guerreiro, que o faz vencer seus inimigos mesmo que precise utilizar apenas seus punhos. Independente do porte físico do filho de Ares/Marte ou de sua idade, o semideus terá a força de um atleta de MMA profissional, sendo capaz de suportar mais peso que os demais campistas, bem como causar danos maiores em seus golpes.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +10% de força
Dano: +5% de dano se o ataque do semideus atingir o adversário.
- Combate não Armado
Descrição: Nos combates de uma guerra, muitas vezes o combatente acaba sendo desarmado, acabando sua munição ou perdendo sua arma, obrigando-o a utilizar apenas seus punhos para sobreviver. Sendo peritos em combates desarmados, os filhos de Ares/Marte sabem técnicas marciais de todas as artes marciais existentes, mesmo que nunca tenha feito uma aula sequer. As técnicas podem ser utilizadas para a elaboração de movimentos complexos, como mortais, piruetas, ataques acrobáticos e golpes que requeiram uma grande elasticidade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Seus golpes desarmados dão 20 de dano base.
avatar
Thomas M. Brynjolf
Lycans
Lycans

Mensagens : 179
Idade : 17
Localização : Wolves' Den/CHB

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: V Aula de Combate Corporal -//- Muay Thai

Mensagem por Trevor M. Tikaani em Sab Jul 28, 2018 9:57 pm

A arte da guerra
"A suprema arte da guerra é derrotar o inimigo sem lutar."

Descobrir que os semideuses recebiam treinamento para melhorar as chances de sobrevivência chamou a atenção de Tikaani. O conceito de aula na mente do garoto era similar ao que era nomeado de Ilik na tribo dos Amaguk, algo que Miki aprendeu a valorizar desde pequeno. Ao ter conhecimento da aula de combate, o filho de Quione procurou as informações necessárias para fazer parte.

A arena sofreu modificações para cumprir o propósito da aula, tornando-se uma área com tatames e equipamentos recomendados para treinamentos de artes marciais. Trevor soube que a instrutora de combate era uma romana, o que fez florescer ainda mais a curiosidade do aborígine. Com uma origem distante da ocidental, nascido em uma tribo protegida pela névoa, Miki ainda se sentia distante da cultura grega. Sabia da existência de uma tribo rival aos gregos, mas que atualmente eram aliadas após uma série de embates em que precisaram se unir. Aquela mulher de cabelos iguais ao ouro era uma descendente do acampamento outrora inimigo.

Estão preparados? Hoje a aula será sobre Muay Thai, uma arte marcial perigosa e que teve origem na Tailândia!

Max Hayes iniciou o treinamento com explicações que embasariam a lógica de combate, assim como deu exemplos lentos para que os olhos leigos acompanhassem os movimentos. Os comandos foram dados e, sem nenhum questionamento a ser levantado, Trevor dirigiu-se a um dos bonecos de treinamento. Para o rapaz era engraçado ver um humano de borracha e sem braços, com uma expressão vazia. Como era a sua primeira vez enfrentando algo como aquilo, primeiro testou a reação que teria ao socar algo como aquilo. O punho colidiu com força contra o abdômen do emborrachado, o impacto se espalhando pela área de maneira consistente. O homem de mentira apenas moveu um pouco, deixando claro que sua resistência era formidável.

Experimentou então o primeiro golpe, usando do cotovelo como ataque. Dobrou o braço, expondo mais aquela área específica do corpo. Experimentou lança-lo contra o queixo, mas acabou acertando de mal jeito na área que intermediava o pescoço e o ombro. Franziu o cenho, julgando-se tolo por achar que seria algo fácil. Desprovido de técnica, Trevor preferiu afastar um pouco e testar o movimento em si. Por isso, começou a fazer golpes no ar até acostumar-se com o movimento. Sua tribo era acostumada com caça, ele era familiarizado com o arco como sua arma principal. O combate corporal era necessário, mas precisava admitir que em sua tribo aquilo era ainda um tanto rudimentar. Após acostumar-se com o movimento, tornou a ficar próximo do boneco. Sua nova tentativa encontrou sucesso, ao ter o cotovelo atingindo o queixo do adversário em uma ação realizada de baixo para cima. Sabia o suficiente para poder afirmar que um golpe como aquele deixaria um humano tonto ou, até mesmo, nocauteado.

Tudo certo por aqui? — Hayes questionou, aproximando-se de Miki.

Ele moveu a cabeça, com um sorriso no canto dos lábios. A instrutora deu de ombros e o deixou, algo que fez o filho de Quione agradecer internamente, pois preferia treinar do que trocar palavras com outro alguém.

Como segundo movimento a ser treinado, Tikaani escolheu o chute circular. Fez a primeira tentativa, percebendo algo que poderia ser óbvio para muitos. O seu tamanho influenciava na distância que precisava manter do seu adversário, ou não teria espaço o suficiente para realizar o golpe de maneira eficaz. Afastou um passo curto, posicionando melhor as pernas para jogar a direita contra o tronco do boneco. A distância tornou-se correta, mas ainda assim falhava na técnica pois sentia o ataque ainda fraco. Trevor passou a mão no cabelo enquanto buscava na memória as lembranças recentes, capturando o momento específico da explicação que a Instrutora Hayes tinha feito.

Ficou mais uma vez em posição, erguendo a perna destra no ângulo que imaginou ser correto, dobrando o joelho levemente em seguida. Então fez o movimento, lentamente, em direção ao inimigo, sorrindo ao perceber que esquecera de curvar a perna em sua tentativa anterior. Dessa vez, ao usar do golpe mais ágil, sua perna veio em um movimento circular, atingindo a costela flutuante do boneco desdobrando no último segundo, potencializando o dano que alguém receberia.

O terceiro movimento foi o mais fácil em comparação aos outros dois. Bastou um mover de joelho para o alto, em linha reta, para atingir a área estomacal do boneco. Porém, mesmo que fácil de ser realizado, Trevor encontrou dificuldade em retornar a posição depois da finalização. Atrapalhava-se um pouco no jogo de pés que era necessário para manter uma base firme. Por isso, treinou esse movimento mais do que os outros.

Até sentir uma mão tocando a lateral de seu braço.

Já está na hora de testar esses movimentos. Vamos para o combate real. — Foi o que a instrutora disse, apontando para uma arena improvisada.

Tikaani não argumentou contra, apenas seguindo a romana para a área de combate. Seu adversário seria um garoto de sua altura, mas com muito mais musculatura definida. Ele sorria, convencido e soberbo, conversando com alguns amigos enquanto encarava o aborígine. Trevor reconheceria aquele tipo de olhar, pois era algo que todos os humanos poderiam exibir; competitividade e superioridade. Não o incomodou, entretanto. Estava ali para um treinamento e alimentar emoções como aquela apenas o atrapalharia ou tornaria as coisas desagradáveis. Devido a isso, apenas posicionou-se corretamente e esperou pelo aviso de início de combate.

O adversário veio rápido em sua direção, assustando um pouco o filho de Quione. Esperava algum ritual como acontecia em sua tribo, um gesto de reconhecimento do outro guerreiro. Mas tudo o que recebeu foi um punho vindo direto na lateral de seu rosto, o fazendo recuar dois passos enquanto recebia um chute em seu estômago. Recuou mais passos, sentindo a respiração falhar, sua mão repousando sobre a barriga em uma vã esperança de que a dor diminuísse. O olhar de seu inimigo tornou-se zombeteiro.

Nenhum gemidinho de dor? — O garoto provocou.

Trevor questionou-se porque os humanos sempre tentavam atacar o emocional dos outros, mas principalmente porque quem era a vítima se permitia ser levado por esse tipo de ataque. Para o garoto, aquela frase soou irreal e longe de sua realidade. Por isso, tudo o que fez foi arrumar sua postura mais uma vez e preparar-se para um novo embate. O seu adversário estralou os dedos e veio mais rápido. Tikaani levou um soco no ombro, mas isso permitiu que seu contra-ataque fosse realizado. Ele segurou no pescoço do inimigo, aproveitando a aproximação entre eles, e o empurrou para baixo enquanto erguia o joelho. O movimento permitiu que a cabeça do desconhecido colidisse com a parte de seu corpo de maneira forte.

O outro semideus afastou-se zonzo, piscando os olhos várias vezes. Sem exibir excitação ou qualquer reação de júbilo, Tikaani apenas avançou, sabendo que essa era a sua chance. Aplicou uma joelhada na altura da coxa do adversário, o desequilibrando. Afastou estrategicamente, mas apenas para ter a distância necessária para chutar em cheio no peito do garoto, o jogando no chão.

Vitória desse daqui! — Max apontou para Trevor e ajudou o adversário a levantar.

Trevor repousou o punho sobre o peito, em um cumprimento de agradecimento pelo embate, demonstrando respeito pelo que tinha acontecido. Só então afastou-se, satisfeito com o que tinha aprendido.


「R」
avatar
Trevor M. Tikaani
Lycans
Lycans

Mensagens : 48

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: V Aula de Combate Corporal -//- Muay Thai

Mensagem por Max Hayes em Dom Jul 29, 2018 3:59 pm

Aula Encerrada


Maxine Hayes


∆ LYL - FG


avatar
Max Hayes
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 519

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: V Aula de Combate Corporal -//- Muay Thai

Mensagem por Max Hayes em Dom Jul 29, 2018 4:36 pm

Critérios de Avaliação

Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Josephina
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 28
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 148 exp

Comentário: Você só precisa se dedicar um pouco mais as ações de combate. Não digo detalhar muito, mas se prolongar um pouco nas tentativas e erros.

Halsey
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 28
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 148 exp

Comentário: Aqui eu chamo a atenção para algo que é importante. Em alguns poucos momentos, você deixou de especificar como estava atingindo a sua adversária. Por exemplo: "A filha de Quione tomou a iniciativa, acertando o meu estômago com um soco. Sem pensar duas vezes, revidei com um ataque no queixo." Foi com um soco? Uma cotovelada? Uma cabeçada? Para esse tipo de postagem, detalhes assim são importantes.

Romeo
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Comentário: sempre fui fã de suas postagens, essa apenas alimentou isso ♥️

Thomas
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Comentário: Quase que eu retirava pontos por ter acertado todos os golpes. E então vi o passivo de legado de Ares e tudo deu certo no rolê.

Trevor
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 25
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 145 exp

Comentário: Eu fiquei esperando um pouco mais da batalha final, mas como todo gostei muito de sua aula e de sua personalidade misteriosa.

Habilidade Adquirida
Nome: Muay Thai
Descrição: O Muay Thai é uma arte marcial de origem Tailandesa conhecida como Thai Boxe ou Boxe Tailandês e revela um método de combate corpo a corpo (full contact) muito agressivo. É conhecido mundialmente como “a arte das oito armas”, pois caracteriza-se pelo uso combinado da técnica e da força dos membros do corpo humano, nomeadamente: os dois punhos; os dois cotovelos; as duas canelas das pernas e os dois joelhos. O semideus que participou dessa aula tem conhecimento sobre o muay thai, podendo usar de suas técnicas para golpear o seu adversário, principalmente ao usar os cotovelos e os joelhos para atingir o inimigo.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +25 de dano ao usar cotovelos e joelhos no golpe; +30% força, agilidade e flexibilidade.
Extra: Nenhum


Maxine Hayes


∆ LYL - FG


avatar
Max Hayes
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 519

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: V Aula de Combate Corporal -//- Muay Thai

Mensagem por Febo em Dom Jul 29, 2018 7:37 pm

Modo de avaliação
Introdução: 400 XP
Informação: 400 XP
Personagem: 400 XP
Missão: 400 XP
Habilidade: 400 XP
Total: 2,000 XP
Bônus: +30 XP por aluno.
Dracmas: 500 fixos + 50 por aluno

Max Hayes
Introdução: 400 XP
Informação: 400 XP
Personagem: 400 XP
Missão: 400 XP
Habilidade: 400 XP
Total: 2,000 XP
Bônus: +30 XP por aluno. = 2150 XP
Dracmas: 500 fixos + 50 por aluno = 750 Dracmas
avatar
Febo
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 361

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: V Aula de Combate Corporal -//- Muay Thai

Mensagem por Nyx St. Douglas em Seg Nov 05, 2018 5:04 pm




no matter what we breed, we still are made of greed. this is my kingdom come
tell me pretty lies, look me in the face, tell me that you love me, even if its fake, cause i don't fucking care at all

SWEET DREAMS ARE MADE OF THIS
B E
U S E
WHO AM I TO DISAGREE?
Diferentemente dos treinamentos anteriores, ensinados por dois centuriões, aquele seria o primeiro de muitos com a pessoa que era a real responsável pelos ensinamentos sobre combate: uma jovem loira chamada Max. Nyx ouvira falar que tal mulher era de um grupo de semideusas chamado amazonas, que viviam fora do acampamento, mesmo que aliadas a ele. A instrutora parecia realmente experiente e, acima de tudo, se portava de tal maneira que era um pouco intimidante, manifestando isso por meio de sua linguagem corporal nada convidativa. A filha de Marte se colocou na frente de um dos bonecos e esperou por mais pessoas, que não demoravam a ocupar os lugares vazios próximos a si.

Sem muita enrolação, a aula começou com uma série de demonstrações feitas pela instrutora, que, enquanto falava sobre a técnica que fazia, repetia devagar para que todos acompanhassem os movimentos feitos, sendo eles coisas que Nyx já sabia, como jabs, cruzados e afins, e outros golpes que lhe eram desconhecidos, como chutes, cotoveladas e joelhadas. Entretida com o novo desafio que lhe era apresentado, a garota prestou atenção mais na forma que cada golpe deveria ter do que no que era dito pela amazona, afinal conseguia entender bem mais por ações do que por palavras, e até mesmo pensou em como poderia executar tal pancada no boneco, completamente distraída dos arredores em que se encontrava na hora.

O treinamento começou logo após o último golpe ser demonstrado, a instrutora logo saindo para ajudar todos aqueles que estavam com dificuldade. Nyx, tendo treinado boxe anteriormente, começou seu aquecimento com o que já sabia, desferindo cada soco em uma série de dez e, após um curto descanso, repetindo as séries mais algumas vezes para fixar os movimentos em sua memória muscular, ampliando a gama de ataques que poderia usar. Após isso, resolveu treinar as técnicas de chutes, por ser mais fácil de controlar do que as joelhadas ou cotoveladas.

Observando seus vizinhos, repetiu os movimentos como podia, comparando o que fazia com o que os outros faziam, e percebeu que era algo que fazia com que seu equilíbrio ficasse prejudicado. Muitas vezes teve que se segurar para não cair ou mesmo caía com tudo no chão, já que esse problema era agravado pelo fato de ter adquirido a posição bípede recentemente e, portanto, não tinha uma longa experiência com movimentos mais complexos do que andar, correr e trocar o peso de uma perna para outra. Assim, enquanto os outros avançavam no treinamento inicial, Nyx ficava empacada nos chutes baixos.

Quando, finalmente, começou a treinar chutes à média altura, muitos ali já estavam nas cotoveladas e já tinham alguns que terminaram o treinamento e estavam só refinando a técnica. Molhada de suor, cambaleava toda vez que tentava dar um chute frontal, caindo no chão mais vezes do que qualquer ser humano comum. As pequenas escoriações começaram a aparecer em seu corpo, concentradas mais nas pernas, que aguentavam o impacto de muitas das quedas que ela sofria. Max, ao ver a dificuldade que a a filha de Marte estava tendo, ajudou-a, ajeitando a forma de seus golpes ao reposicionar o corpo de Nyx manualmente, instruindo-a no controle da movimentação do centro de sua massa corporal.

Enfim, após conseguir dar um chute alto decente, passou para as joelhadas, que não foram tão difíceis de serem executadas afinal eram muito utilizadas quando a pessoa estava agarrada ao oponente, utilizando-o de apoio para os golpes pesados. Guiada pela instrutora, conseguiu fazer várias séries de joelhadas frontais  e as direcionadas à barriga do boneco, se desequilibrando bem menos, mesmo com as que não tinham o apoio extra do corpo do adversário. Ouvindo vagamente a contagem feita pela jovem, que a acompanhava para que Nyx se nivelasse em comparação com os outros semideuses, a filha de Marte controlava sua respiração ofegante, expirando após soltar cada golpe e inspirando antes disso. Dessa forma, conseguia se manter no exercício, embora suas pernas doessem bastante por estarem trabalhando demais.

As cotoveladas foram outro desafio, por serem regiões que ela nunca usou para golpear alguém. Desajeitada de início, demorou um pouco para que pegasse o jeito da coisa por seus cotovelos estarem em qualquer lugar ao mesmo tempo. Sendo uma das poucas que não tinha terminado a parte inicial da aula, obteve mais dicas do que os outros sobre os movimentos por estar acompanhada de perto pela instrutora, que auxiliava toda vez que percebia que a jovem perdia o controle da situação. Mas, mesmo com todos os contras que poderia ter, ela conseguiu superar tal desafio depois de muito treinar, se juntando a segunda parte da aula assim que acabou.

Como na aula de boxe, a de muay thai também tinha uma luta-treino. Sendo pareada com outra pessoa do mesmo nível de aprendizado do que ela, Nyx logo entrou no ringue da arena, tendo como oponente um filho de Vulcano tão desajeitado quanto ela. Cumprimentaram-se e, após serem informados das regras da luta pela instrutora, foram autorizados a começar. Utilizando-se dos mesmos movimentos da aula de boxe, a garota se movimentava procurando o melhor jeito de golpeá-lo. Erguendo suas defesas, aguentou um chute pesado do adversário, que diminuiu a distância entre os dois e tentou ligar um combo com uma joelhada, sem sucesso.

Vendo ele abrir a guarda, ela desferiu um soco no torso do oponente e, ao tentar erguer uma joelhada, foi bloqueada parcialmente, o fazendo se afastar para conseguir respirar. Trabalhando a movimentação, ela parecia deslizar pelo ringue, logo encontrando uma abertura pela lateral direita do corpo dele e, sem muito jeito com a perna esquerda, desferindo um chute desajeitado na panturrilha do outro, que não teve muito efeito. Com isso, deu brecha para que o oponente acertasse um chute em cheio na sua cara, escapando por um triz de quebrar o nariz da filha de Marte com tal golpe. Desorientada, Nyx só teve tempo de subir a guarda antes do combo do filho de Vulcano, que a derrubou com a força que imprimia.

O mundo girou durante poucos segundos, a fazendo piscar os olhos algumas vezes. Levantando-se no segundo seis enquanto cambaleava, Nyx foi impedida pela instrutora de continuar a luta e esperou que a mulher terminasse de examiná-la para dar continuidade, movimentando-se para uma distância média do oponente. Encaixou, com muita sorte, um chute no queixo do outro e, encurtando a distância, conseguiu ser bem sucedida em seu primeiro combo, atacando o torso do outro com uma joelhada e o derrubando com um direto bem dado em sua cara. Embora não estivesse nocauteado, o jovem resolveu não levantar, dando a vitória daquele amistoso à Nyx.

Após isso, despediu-se da instrutora e cumprimentou seu oponente antes de voltar para sua coorte com o aprendizado de uma coisa nova.

*


*FPA no Spoiler de Poderes
Poderes:
Como filha de Marte, considerar:

Passivos:
Nível 1
Nome do poder:  Espírito de Guerra
Descrição: Ares/Marte é o deus da guerra, profundo amante de combates e um dos principais deuses amantes da morte. Seus filhos possuem um espírito parecido com o do deus, de modo que todos os conhecimentos referentes a guerra (como sinais de comunicação, técnicas de sobrevivência básica, manuseio de armas e tudo mais o que tiver ligação direta com guerra), surgem naturalmente na mente do semideus, mesmo que ele jamais tenha passado por alguma situação de dificuldade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguem elaborar planos, ler mapas e criar estrategias com mais facilidade.
Dano: Nenhum

Nível 4
Nome do poder: Combate não Armado
Descrição: Nos combates de uma guerra, muitas vezes o combatente acaba sendo desarmado, acabando sua munição ou perdendo sua arma, obrigando-o a utilizar apenas seus punhos para sobreviver. Sendo peritos em combates desarmados, os filhos de Ares/Marte sabem técnicas marciais de todas as artes marciais existentes, mesmo que nunca tenha feito uma aula sequer. As técnicas podem ser utilizadas para a elaboração de movimentos complexos, como mortais, piruetas, ataques acrobáticos e golpes que requeiram uma grande elasticidade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Seus golpes desarmados dão 20 de dano base.

Nível 8
Nome do poder: Velocidade Atlética
Descrição: Um bom combatente sempre está preparado fisicamente para os futuros combates, sendo que as proles do deus da guerra levam a sério seus treinamentos rígidos, buscando sempre serem melhores. Devido a condição física e biológica natural do semideus, e de seu empenho nos treinamentos, são quase tão rápidos e ágeis quanto filhos de Hermes, conseguindo correr longas metragens sem se cansarem. Movimentos de finta, esquiva e outros que requeiram velocidade/agilidade, sempre possuem mais chances de funcionar contra inimigos mais lentos, além de perderem em uma corrida apenas para seres tão velozes quanto filhos do deus mensageiro.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: 15% de chance de conseguir se esquivar, pular, e saltar em uma luta com inimigos mais fracos, ou mais lentos.
Dano: Nenhum

Nível 19
Nome do poder: Preparo Físico
Descrição: Cultivadores de seus corpos e exímios treinadores, os filhos do deus da guerra, sempre buscam ultrapassar seus limites, trabalhando arduamente para isso. Sempre serão os últimos a cansar em batalha, de modo que em caso da MP do semideus ser gasta a ponto de chegar a zero, ele não irá desmaiar e poderá continuar lutando, desde que não gaste mais energia em poderes ativos. (Será impedido de usar poderes ativos, mas poderá continuar lutando, diferente de outros campistas que se chegarem a 0 de MP desmaiam e são incapazes de continuar em campo).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 25
Nome do poder: Força III
Descrição: O filho do deus da guerra sempre soube que sua força sobrepujava os demais campistas, e agora seus golpes ficaram ainda mais potentes. Carregar peso, dobrar armas ao meio e até ajudar a carregar um colega sozinho lhe parece uma tarefa muito mais fácil do que para os demais campistas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% de força
Dano: +15% de Dano se o ataque do semideus atingir.

Nível 30
Nome do poder: Disciplina
Descrição: Os campistas de Ares/Marte são os mais disciplinados e focados. Com isso, sua resistência a poderes/habilidades que envolvam alterações emocionais ou na personalidade do campista é bastante forte. Poderes mentais e de persuasão tem o efeito reduzido no filho de Ares/Marte, assim sendo, dificilmente o semideus irá deixar que distrações tirem de si o foco em sua missão.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poderes relacionados a charme, ilusão, ou jogos mentais, terão o efeito reduzido em 20% nos filhos de Ares/Marte. Se o dano ou efeito era de 100, será apenas de 80 no campista de Marte/Ares.
Dano: Nenhum

Nível 32
Nome do poder: Ignorando a dor II
Descrição: Já fortificados e com o corpo repleto de cicatrizes e demais sinais de combate, os filhos de Ares/Marte melhoram a capacidade de ignorarem a dor de ferimentos, podendo lutar normalmente mesmo se estiverem com luxação, dedos quebrado ou ferimento profundo e não mortal. Nesse nível, caso o golpe incapacite um membro do semideus, a dor poderá ser ignorada apenas durante três turnos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Podem ignorar a dor de queimaduras de grau médio, desde que não sejam em grande escala de estrago, luxações, câimbras, fraturas em dedos e etc. Apesar de serem afetados, e sentirem dor, conseguem continuar lutando. Fraturas em braços, pernas, costelas e outros membros não entram nesse poder.
Dano: Nenhum

Nível 33
Nome do poder: Resistência
Descrição: Após tantas batalhas, tantos treinamentos e por levarem sempre seus corpos ao limite, os filhos de Ares/Marte possuem um corpo calejado, acostumado a apanhar e sofrer desgastes físicos. Ao sofrerem ataques físicos, os semideuses sofrerão danos menores, sendo capazes de suportar por um tempo maior os combates contra seus oponentes.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: 15% de resistência a mais no corpo em ataques físicos (socos, chutes, bater a cabeça dele em algum lugar, acerta-lo com bastões e etc).
Dano: Nenhum

FPA (o nível está desatualizado no dia que eu fiz esse post)

Nome do poder: Corpo Intuitivo I
Descrição: Após um árduo treinamento no qual o semideus pôs o corpo a prova, estressando-o até o limite, o semideus ganhou a capacidade de se adaptar a qualquer situação adversa. A habilidade lhe confere a capacidade de manter suas bonificações de agilidade e velocidade mesmo que sua movimentação esteja limitada por outros fatores que não sejam ferimentos e magias.
Gasto de MP: Nenhum
Gato de HP: Nenhum
Bônus: +20% de Velocidade e +20% Agilidade, também não perderá bonificações destes atributos quando estiver com movimentação limitada por algo que não seja lesão, congelamento ou magia.

Extra: Nenhum.
Arsenal e Tatuagens:
Tatuagem SPQR [Tatuagem de coloração negra feita na parte inferior do antebraço direito. Possui o desenho de duas lanças cruzadas, seguido abaixo pelas letras SPQR, um risco para cada ano servindo a Legião e escrito Iª Coorte. Uma vez por missão/evento, os poderes ativos utilizados pelo semideus terão um bônus de 5% de força/funcionalidade durante três turnos.]

Invicto | Inteligência [ Uma tatuagem de nota musical em seu pulso direito | Amplia a mente do semideus, o fazendo aprender mais rapidamente tudo que lhe é ensinado. Além disso, sua capacidade de descobrir coisas e sua percepção sobre situações aumenta em 20%, seus planos e estratégias com isso, ganham bônus de 20% de chance para darem certo| Ainda recebe bônus de 5% em habilidades adquiridas em aula. | Pulso Direito | marca pequena | Permanente.]
avatar
Nyx St. Douglas
I Coorte
I Coorte

Mensagens : 119

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: V Aula de Combate Corporal -//- Muay Thai

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum