The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Missão OP para Jayce Maddox – Gato por lebre

Ir em baixo

Missão OP para Jayce Maddox – Gato por lebre

Mensagem por Éris em Sab Jun 02, 2018 7:08 pm


Gato por lebre


O intercâmbio entre acampamentos pode gerar muitas oportunidades, algumas nobres, outras nem tanto. Foi uma dessas “outras” que o demônio de Nox recebeu em sua estadia no território grego: a chance de sabotar o treino de um grande grupo de campistas novatos. Para aquele treinamento foram capturados vários animais selvagens, os quais enfrentariam os semideuses em combate no final do dia. A tarefa de Jayce era “simplesmente” trocar a maior quantidade possível de bichos por monstros de aparência semelhante sem que ninguém notasse.


Regras


• Prazo limite para a postagem: 22 de junho de 2018, às 23:59;
• Mínimo de 1000 palavras;
• Eu já sou cega por natureza, não preciso de cores berrantes e letras minúsculas no template para ajudar. Por favor evite essas duas coisas;
• Coloque as habilidades utilizadas na missão em spoiler no final do post;
• Coloque os itens utilizados na missão em spoiler no final do post.

Instruções


• Eu te deixei livre como uma borboleta com essa proposta porque quero ver até onde sua criatividade vai levá-lo;
• Deve esclarecer como ficou sabendo da natureza do treinamento e decidiu sabotá-lo;
• Os monstros devem ser capturados por você;
• Não se esqueça de dar um destino apropriado para os animais, afinal se eles ficarem correndo soltos pelo acampamento a sabotagem ficará clara;
• Você pode ou não tentar manter um dos animais selvagens consigo. Caso tente e obtenha sucesso, adquirirá o mesmo como recompensa;
• Em caso de dúvidas é só mandar uma MP.


avatar
Éris
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários

Mensagens : 158
Localização : Em qualquer lugar.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão OP para Jayce Maddox – Gato por lebre

Mensagem por Jayce Maddox em Qua Jun 06, 2018 10:12 am


Darkness is the light

HALF IN THE SHADOWS, HALF BURNED IN FLAMES

Jayce Maddox escreveu:ATENÇÃO! O texto abaixo possui conteúdo que, apesar de SEXUAL (+18), é importante para o andamento da trama da personagem. Também atento o leitor a possíveis trechos gores. Leia por sua conta e risco.

Transitar entre ambos os acampamentos tinha sido uma, ou se não a melhor, das decisões mais inteligentes a serem tomadas em meio ao caos que se alastrava no mundo místico. O senado de Nova Roma e a diretoria do Acampamento Meio-Sangue, tomados por pessoas fúteis e cegas, não enxergavam o leque de possibilidades que o programa de intercâmbio traria com o deslanchar da guerra, possibilidades essas que seriam muito bem utilizadas por pessoas como Jayce Maddox. O novo demônio era uma arma potente para os propósitos de Nox, isso ele próprio reconhecia, não só pela sua força e ambição, mas também devido aos fatos recentes. Ninguém desconfiaria, sem motivo algum, de um dos legionários combatentes que impediram o avanço dos Endths. E com a celestial ao seu lado — ainda que a namorada o fizesse sentir algo humano —, seria ainda mais fácil enganá-los.

Tolos. Onde há um anjo, há também sua contraparte.

A melhor parte daquela estada era analisá-los como uma serpente paciente à espera do momento correto para soltar o bote. Talvez aquela fosse a característica que mais o aproximava de Marte Ultor: estratégia. Não era como um ou dois irmãos — ou, como ele gostava de pensar, os filhos da versão grega Ares, que abriam mão da própria vida para se provarem dignos do pai. Não, Jayce era amante das vitórias, tinha prazer em saborear a derrota alheia. Com a onda de calor que acometera Long Island, as atividades físicas se tornaram ainda mais recorrentes, como a escalada, a corrida de bigas, caça-bandeira mas, principalmente, os treinos. O romano tinha de admitir que, quando inspirados, os 'laranjas' conseguiam ser tão bons quanto os legionários. Ainda assim, ele preferia se ater aos horários menos quentes, quando o sol se punha.

Sua ascendência no deus do inferno sempre o fez se inclinar a odiar dias luminosos e tal preferência noturna foi dobrada quando o meio-sangue se entregou à Nox. A luz de Apolo era como ácido em sua pele, de modo que sentia seu sangue preto arder dentro dele. Um lembrete de como estava se tornando dependente das regalias da noite. Dessa forma, lá estava ele ao lado de Georgia Blanchard, a namorada, e Jack, seu primo filho de Tânatos. O sol alaranjado emanava os últimos raios de luz enquanto metade de seu corpo já havia desaparecido oceano afora. Naquele horário, a arena tornava-se cada vez menos frequentada, já que a maioria dos semideuses abandonavam os treinamentos para se resguardarem para a janta. Coincidentemente, os três semidivinos tinham familiaridade com o cair da noite.

Não ache que seus inimigos te darão tempo pra reagir. — Jayce arfava ao aconselhar o primo. Seu corpo suava, evidenciando o esforço do treinamento do trio, com o abdome tatuado exposto. Ele segurava firme o cabo de Eagle Axe na mão direita, tendo cuidado em não atingir a derme de Jack com a lâmina eletrificada do machado, embora se divertisse com os devaneios. — Se estivesse contra o Endth, estaria morto.

Contudo, ele sentiu uma lâmina fria tocar suavemente a lateral do pescoço, seguida por dedos que, apesar de finos e delicados, foram fortes para agarrar seu cabelo e arquear sua cabeça. Como sempre, a filha de Morfeu se mostrava a mais inteligente. Ele abriu um sorriso.

Eles te ensinam a dar as costas em Nova Roma, Maddox?

Eu posso perguntar o mesmo. — afirmou Maddox, referindo-se a assuntos íntimos e recorrentes entre o casal, deixando-a corada. Por fim, tirou Eagle Axe de perto do pescoço de Jack, fincando a arma no chão e ajudando o filho da morte a se erguer. — Tá melhorando, Jax.

Assim, o filho de Marte evocou um portal através da tatuagem Lambda em seu dedo médio direito, onde armazenou o machado elétrico. Juntou o restante dos itens, como a couraça de ferro, o escudo de titânio e o bracelete de aço, jogando a camiseta roxa dos romanos por cima do ombro. Georgia, dispersa como era, já adiantava os passos em direção ao chalé de Morfeu e Jayce conhecia a peça, se ela queria descansar, não a impediria. E ele também faria o mesmo, não fosse por um grupo de campistas no outro lado da arena. Eram duas meninas e dois meninos, um desses dois estava ocupado com um maçarico e pedaços de metal presos ao chão. O segundo menino parecia guardar um conjunto de armas e escudos dentro de uma sala resguardada no edifício rústico da arena. Uma das garotas parecia testar a resistência de correntes de aço e a outra parecia levar, com muito esforço, um canídeo para dentro de um túnel escondido.

Por algum motivo, a cena atraiu a atenção de Jayce, afinal, pareciam ocupados preparando um tipo de cenário.  

Do que se trata aquilo?

Ah... — Jack deixou de juntar os itens de batalha e encarou o quarteto, com um olhar curioso. — teremos um treino noturno daqui algumas horas. Bem especial.

Charles deixou um sorriso sórdido tomar conta de seu rosto, escondendo-o do primo. Talvez fosse algum tipo de intuição, mas o romano sentia que era a chance perfeita para sabotar o conforto e calmaria dos gregos. O treino seria noturno e sobrava tempo, o que deixava claro que o demônio teria o suficiente para montar todo um planejamento. Além disso, se o que ele havia avistado era algum tipo de animal selvagem, aquilo abriria um leque de possibilidades. Talvez, se pudesse visitar novamente o Palácia de Nox, conseguiria por seu plano em ação. Mas, antes disso, deveria despistar as pessoas mais próximas dele.

Uma delas sendo a própria namorada, Georgia.

Jayce apertou amigavelmente o ombro de Jack e, sem nada a dizer, retirou-se da arena com inúmeras ideias se formando na mente. Era fácil reconhecer quando o tatuado estava imerso em pensamentos estratégicos, já que ele preferia se manter calado a maior parte do tempo. Enquanto caminhava pela trilha de chalés, o percurso comum em direção à cabine cinco foi interrompido pela voz de Geo, mudando os passos até o lar dos filhos de Morfeu.

Sabe que meu chalé está vazio, não sabe? — Blanchard estava sentada do lado de fora do chalé, limpando o suor da testa. Apesar do tempo treinando, ela ainda parecia bem disposta. — Ao contrário daquilo.

O dedo delicado da meio-sangue apontou para a construção em vermelho ao longe, cercada por arame farpado e de onde era possível escutar rock'n roll no volume máximo. Jay não conseguiu evitar um sorriso no rosto ao escutar aquelas palavras. Claro que não seria tão fácil despistar a loira, considerando que ela conseguia ficar oito dias seguidos sem dormir, mas não achou ruim, sabia exatamente como cansá-la. Assim que alcançou a área regida pela prole dos sonhos, sentiu uma leve dormência acometer seu corpo, como era comum de acontecer. As paredes externas tinham um tom branco que acalmava quem as encarava, mas o que mais atraía a atenção de Maddox naquele chalé era o teto interno; coberto por imagens que representavam os sonhos de todos os filhos do deus, misturando as cenas e formando uma única história.

Perdido nos próprios devaneios, mal notou que estava parado sozinho encarando o lugar enquanto a celestial já seguia o corredor até o banheiro do dormitório. Ela havia deixado uma trilha de roupas até finalmente alcançar o box completamente nua, virando o olhar para encarar o filho de Marte como se estivesse esperando que ele fosse atrás. De imediato, o semideus abandonou os itens e as roupas no chão, repetindo o mesmo caminho de roupas feito pela namorada e seguiu até o chuveiro, de onde a água quente já escorria e causava um excesso de fumaça no ar.

O demônio pisou dentro do box, tendo como vista as costas nu de Georgia. A menina já estava completamente molhada, com a água escorrendo por todo seu corpo, percorrendo as costas, cintura, nádegas. Sem dar brechas de reflexo, ele agarrou os cabelos loiros encharcados da companheira e a puxou com força para trás, arqueando sua cabeça, ironicamente repetindo o mesmo ato que ela na arena. Sentiu o corpo da meio-sangue contra o seu próprio que, imediatamente, deixou de ser frio devido ao fluxo intenso de sangue e ao toque da água quente. Ele passou a boca do ombro ao pé do ouvido de Geo, distribuindo beijos.

Quem deu as costas agora, huh?

Mesmo com a força, a filha de Morfeu sorriu, acostumada com aquele tipo de ação — ela própria tinha um bocado de força de Ares correndo nas veias, afinal. A mão direita da semideusa agarrou-se à coxa do tatuado, mas ao contrário dos beijos suaves que ela havia recebido no pescoço, cravou as unhas na pele do rapaz e seguiu subindo até alcançar a virilha de Maddox. Ali, ela passou a dedilhar calmamente a pele da região até sentir o pênis do namorado, agarrando-o e o afagando lentamente enquanto o sentia enrijecer devido aos toques. Já a outra mão de Jayce, completamente livre, apertava com força a cintura da loira, jogando seu corpo para trás e, em seguida, o par de seios. Ele sentia a pele de Blanchard eriçar a cada massageio e, já com a mente tomada pelo prazer, não hesitou ao descer os dedos do busto à virilha dela.

Tocou gentilmente sua boceta, tirando dela um suspiro que logo foi interrompido quando a mão que segurava o cabelo loiro foi de encontro ao pescoço da angelical. Mas, mesmo tomado pelo prazer, com seu órgão genital roçando lentamente no dela, a mão preenchida pela traqueia da loira fez com que impulsos percorressem seu corpo e mente. Talvez fosse a influência demoníaca em si, querendo que ele desse um fim à seguidora de Éter. Mas, antes mesmo que pudesse dar continuidade àquela loucura, ele foi jogado contra a parede, quebrando até mesmo um azulejo por conta do impacto. Teria ela lido seus pensamentos?

O que você é? — questionou Blanchard, arranhando o peitoral do namorado.

Ele pensou, por um momento, que tinha sido descoberto. Que todo o seu plano de envenenar os aliados do Olimpo, de dentro pra fora, tinha ido por água abaixo muito antes de ser colocado em prática. Sabia que, se fosse isso, seria caçado como Ashford. Mas, ao encarar as orbes azuis nos olhos da companheira, ele conseguiu captar o mais intenso desejo. Se Georgia sequer imaginasse a filiação do namorado com Nox, teria iniciado um duelo feroz e aquilo não parecia ser o início de um duelo. Dessa forma, pensou: qual a melhor forma de esconder a verdade senão deixá-la exposta? Jayce abriu um sorriso novamente enquanto sentia a mão da meio-sangue o masturbando. Aproximou o rosto ao dela, beijando suavemente sua boca.

O diabo.

O resto do tempo prosseguiu daquela forma, em meio a sexo, provocação e uso da força do casal. Quando finalmente finalizaram, o filho de Marte enxugava o corpo com uma toalha qualquer de uma das proles de Morfeu enquanto a namorada vestia uma calcinha e a camiseta laranja do Acampamento Meio-Sangue para cobrir o torso nu. Ela terminava de fumar um cigarro enquanto arrumava o próprio beliche para deitar, tirando um sorriso satisfatório de Charles. Após isso, também juntou as peças de roupa do namorado e entregou a ele como se estivesse com pressa de vê-lo partir. Com total razão, já que os outros semideuses poderiam retornar ao chalé a qualquer momento.

Já completamente vestido e pronto para partir, ele voltou o olhar para a loira uma última vez, para se certificar de que ela estava deitada ou, quem sabe, adormecendo. Se tinha conseguido, era o momento perfeito para ele realizar o plano de troca de animais. Georgia era um tanto quanto instável e imprevisível e, caso ela o procurasse no meio da noite e não o encontrasse, seria um problema que ele preferia evitar. Assim sendo, ao invés de prosseguir o caminho até o lar dos filhos da guerra, Jayce se dirigiu à entrada do bosque. Certificou-se de que não estava sendo seguido e contou também os itens que carregava.

Ave Shield, o escudo, era o único exposto além também da faca de bronze celestial presa na cintura. A espada Desespero repousava no pulso direito, em forma de uma pulseira metálica. O bracelete de aço estava escondido debaixo da manga da jaqueta, no braço direito enquanto a couraça de ferro cobria seu corpo por cima da camiseta roxa dos romanos e por baixo da jaqueta preta, rasgando apenas o pano da região do ombro por conta dos espinhos da meia-armadura. Quanto aos machados, não teria problema em carregá-los, já que um estava armazenado em um portal mágico e outro em forma de miniatura, no bolso da calça jeans. Era o suficiente para uma viagem arriscada como aquela, afinal, até mesmo no inferno, os demônios possuíam inimigos.

Assim, o seguidor de Nox concentrou-se em usar a influência da noite para aumentar a ligação de sua alma com a da deusa, de forma que intensificasse ainda mais o elo entre ambos. Respirou profundamente por cerca de um minuto, com os olhos fechados, até que o ar tornou-se rarefeito e o som de animais selvagens desapareceu. O lugar onde ele estava era de um tom de cor marrom escuro nos céus, com uma névoa roxa incandescente que cobria todo a área ao redor. Ele estava na entrada de um túnel feito de mármore negro, assim como o resto do edifício que se seguia a frente. O castelo era inscrustrado em um tipo de rocha monumental, quase se assemelhando a uma montanha.

Para muitos, um lugar assustador, mas como demônio, Maddox não sentia receio algum ao pisar ali. Caminhava tranquilamente em passos firmes. Era possível notar luzes internas, indiciando que a deusa ou outro seguidor estava presente. Mas ele não queria prolongar muito seu tempo ali, visto que deveria se aproveitar do horário noturno ao retornar à superfície. Então, o romano prosseguiu o caminho até finalmente alcançar um tipo de pátio enevoado que antecedia a entrada para o saguão do castelo. O pátio se assemelhava ao tamanho de um estádio de futebol e o semideus torcia para encontrar algo que pudesse efetuar seu plano.

Sinto o cheiro daquele anjo em você. — a voz era da deusa Nox, a senhora da escuridão e patrona, responsável pelo sangue demoníaco que corria nas veias de Jayce. Era uma mulher de pele pálida, lábios carnudos em um tom de batom escuro, cabelos curtos que alcançavam apenas o pescoço. Tinha um vestido de cor preta que, por vezes, refletia estrelas e a mais profunda noite, cobrindo dos pés até o busto, deixando os ombros — não fosse por um laço no lado direito — e braços desnudos. Ela também carregava nos antebraços um par de braceletes de ferro estígio. Os olhos eram negros, até mesmo as escleróticas. — Cansou de viver ao lado dos fracos? Tenho certeza que fará uma boa companhia ao Vince.

Maddox, de imediato, ajoelhou-se e mostrou reverência à deusa em sinal de respeito. Ergueu apenas o rosto para encará-la até receber autorização para se levantar por completo.

Uma oferta tentadora, milady, mas terei de recusá-la. — afirmou Jay, sorrindo. — Na realidade, tem algo em que precisarei de uma pequena ajuda. Se der certo, será um passo a menos para consertar a estupidez de alguns de meus colegas.

Sou toda ouvidos, querido.

Assim, o romano explicou à ela tudo o que tinha pensado. Se ele tivesse raciocinado corretamente, o treino do qual seu primo havia se referido seria com alguns animais — e, a julgar pela facilidade com a qual uma das campistas havia carregado um canídeo para dentro do túnel, eram animais mundanos, no máximo selvagens. Semideus nenhum conseguiria carregar um cão do inferno, por exemplo, sem sofrer um ou dois arranhões no mínimo. Seu plano era mudar o tipo de criatura a ser usada no treino, substituindo as inofensivas por raças místicas que escapariam de uma corrente de aço facilmente. Enquanto explicava, Charles já imaginava os inúmeros campistas feridas e seu olho brilhava ao fantasiar aquilo.

Cães infernais? — questionou a deusa, arqueando a sobrancelha.

Jayce assentiu ao gesticular a cabeça. Ele tirou a miniatura de Mordor do bolso e o transformou em um machado de setenta centímetros feito de ouro imperial.

Sim. Então, quem apareceria para salvar o dia? — perguntou de forma retórica, referindo-se a ele próprio.

Nox gargalhou e aquilo era uma das atitudes que mais confundiam o filho de Marte. Ele nunca compreendia se a deusa concordava ou apenas estava debochando com tantas risadas. No entanto, naquela ocasião, ela pareceu dar gás ao plano do seguidor. Enquanto sua risada ecoava, um quarteto de cães infernais brotou detrás da névoa que circundava o pátio. Eram enormes, todos medindo o mesmo tamanho de um rinoceronte adulto, com pelos negros e lustrosos por todo o corpo e olhos de cor carmesim. Todos os quatros tinham um bocado de sangue nos dentes e focinho, deixando claro que, antes de serem convocados pela deusa, estavam se divertindo com outra criatura do Tártaro.

Eles não te atacarão, a menos que sejam atacados. Faça bom proveito, meu seguidor.

A deusa retornou para dentro do castelo, dissolvendo-se em uma nuvem negra. Jayce encarou os cães e um deles farejou o ar, reconhecendo o odor semidivino mas, como o tatuado esperava, controlaram o impulso de atacar. Talvez estivessem reconhecendo não só as ordens da deusa para não atacarem um de seus seguidores, mas também a ascendência no deus comandante do inferno. As criaturas sentaram o traseiro no chão, como se estivessem à espera de alguma ordem.

Vão para a margem do Bosque Dodona. Estejam prontos.

Assim, o quarteto desapareceu em meio as sombras e Jayce fez o mesmo. Ele reapareceu no bosque novamente, do lado de dentro da fronteira, ao olhar para trás, viu as quatro criaturas sedentas, como se estivessem ansiosas para o abate. O demônio suspirou fundo e se agachou em frente a elas, ainda mantendo a distância da fronteira. Ele mostrou às criaturas a espada Desespero, feita de ferro estígio.

Devo lembrar, criaturinhas, que vocês terão um banquete. Mas caso não me obedeçam, retornarão ao Tártaro ainda mais enfraquecidos. — ele afirmava como se estivesse ameaçando cães normais. Jayce não tinha medo. Um dos cachorros rosnou, mas o maior dele o impediu. Não sabia se tinha sido compreendido, mas torcia para que sim, caso contrário, seria atacado ali mesmo. Maddox se ergueu e direcionou a mão à fronteira invisível. — Eu tomo vocês sob minha responsabilidade. Andem.

Então, os monstros adentraram o acampamento e ficaram prostrados diante de Jayce. O demônio sorriu eufórico ao notar que seu plano estava em prática. Ele prosseguiu andando atrás das criaturas, para ficar de olho nelas e, mesmo escuro, a visão do semideus estava perfeita. Talvez fosse pelas ordens de Nox, mas os cães infernais obedeceram veemente o filho da guerra. Quando alcançaram a saída mais próxima do bosque, avistou a frente dele a arena e os chalés. A maioria das cabines estavam sem qualquer sinal de luz, dessa forma, ele levou em conta que todos já estavam dormindo. Quanto tempo havia passado no Tártaro? O céu estava completamente escuro, nem mesmo a lua estava visível, a luz ambiente era ínfima. Propício para o prosseguimento do plano.

Sem muito esforço, o semideus alcançou a arena e parou em frente às várias correntes presas ao chão. Procurou pelo túnel onde tinha visto a campista prendendo a criatura canídea e, antes de adentrá-lo, olhou uma última vez ao redor para se certificar de que não estava sendo bisbilhotado. Assim, utilizando novamente a viagem nas sombras, o seguidor de Nox teleportou-se para dentro do túnel. Apesar da escuridão em sua forma mais intensa, ele enxergava perfeitamente. Nas laterais das paredes haviam suportes para tochas, espadas e escudos, os mesmos itens que seriam usados no treino, ele pensou. De imediato, usou o machado Mordor para danificar ao máximo os escudos, já que seu plano era que o maior número de campistas saíssem feridos daquela sabotagem. Mas, quanto mais se aproximava do fundo do túnel, um rosnado animalesco aumentava, diferente do rosnado dos cães infernais.

Jayce encarou quatro contornos se aproximando. Eram hienas africanas, do maior tipo, mas ainda menores em relação aos monstros que seguiam os passos do filho de Marte. Intimidadas pelas criaturas infernais, as hienas recuaram, a não ser uma que rosnou ainda mais feroz como se estivesse disposta a proteger-se. Aquilo deixou Maddox curioso e atraído pelo animal que, naquela posição de líder, estava esplendoroso. Os cães pularam um em cada hiena, iniciando um combate canídeo. Jayce manteve-se parado, assistindo a cena enquanto fumava um cigarro. Tinha sido o duelo mais rápido e fácil, onde três das hienas foram mortas com o pescoço dilacerado e a maior delas com ferimentos por todo o corpo, mas ainda viva.

O demônio escutou passos de um grupo de pessoas se aproximando e teleportou-se para o mais longe possível, analisando-os na sombra. Como ele imaginava, eram os treineiros noturnos, incluindo seu primo Jack. Ele apagou o cigarro no chão e transformou a espada diabólica em pulseira novamente, temendo que fosse descoberto caso a deixasse exposta em sua forma natural. Assim, seguiu caminhando até o grupo de campistas e apertou o ombro do outro Maddox enquanto os instruntores abriam, com uma chave, a entrada do túnel. Estava quase impossível, para ele, não abrir um sorriso perverso.

Achei que estaria dormindo, Jay. — comentou Jax.

Algo me diz que esse treino será interessante.

Ele analisou bem o ambiente. Os instrutores pareciam experientes, como se fizessem aquilo sempre que possível, visando a aprendizagem da prole de deuses noturnos. Um grupo de harpias sobrevoava a arena e pousavam nas extremidades, de olho em cada ação dos campistas, deixando a entender que estavam lá por ordem de Quíron e aquele treino era autorizado. Tudo perfeito para um simples treino de combate ou algo do tipo. Um dos responsáveis, filho de Ares, foi o primeiro a adentrar o túnel e se armar com um dos escudos danificados. A visão dele poderia não ser perfeita para notar aquilo, mas Jayce enxergava tudo, cada detalhe, ao longe, era uma das vantagens de seguir a deusa da noite.

O caos se instaurou em questão de segundos.

O meio-irmão de Jayce gritou ao ser atacado, saindo do túnel com uma ferida aberta no peito e o escudo despedaçado. Atrás dele, os cães infernais escaparam, partindo em direção de todos os campistas presentes. Era o momento perfeito para por em prática o objetivo principal do plano: com o grupo sob ataque, ele conquistaria a confiança dos gregos e, quem sabe, de Quíron. Com isso, suas ascensão como alguém de extrema importância e confiança para os inimigos, seria inevitável.

O demônio invocou o portal de sua tatuagem Linked, tirando dele o machado elétrico, lançando-o contra um dos cães e o atingindo diretamente no pescoço antes que fizesse uma vítima.

Escute, Jax, tire essas crianças daqui e chame Quíron. Alguém deixou esses monstros entrarem.

O filho de Tânatos, mesmo com a extrema necessidade de combate, foi persuadido pelo primo a fazer aquilo. Logo Jayce e o instrutor ferido eram os únicos presentes na arena com as criaturas, este último se debatendo de dor no chão — mesmo para um filho de Ares, a ferida do campista grego estava profunda demais. Antes que Maddox pudesse ensaiar alguma estratégia na mente, ele sentiu um calafrio percorrer sua espinha, seu sexto sentido, de modo que foi possível se agachar para não ser atingido por uma bocanhada de um dos cachorros. Jay se ergueu, tirando a pulseira metálica do pulso e transformando-a em Desespero. Como estava praticamente sozinho, sem nem mesmo as harpias para ver a cena, já que todas haviam sido dilaceradas facilmente pelos canídeos, não teria receio em usar a espada demoníaca.

O filho de Marte ergueu o escudo na altura do rosto, protegendo-se das garras do cão. Uma das patas atingiu Ave Shield, mas a criatura não era estúpida, realizando outro ataque e ferindo a coxa do semideus, onde não havia proteção alguma. Ainda assim, ele ignorou a dor e desferiu um golpe com a frente do escudo, atingindo a cara do cão infernal e dando-lhe tempo para se afastar. O cão grunhiu de dor e mancou enquanto a carne de sua pata queimava como se tivesse sido atingida por ácido. A mesma pata que havia feito a ferida em sua coxa. Notou, então, que estava sangrando o líquido preto e viscoso que havia substituído seu sangue humano.

Aquilo era um problema, mas deveria focar em derrotar as bestas o quanto antes. Ele aproveitou os passos mancos do cão infernal e desferiu um golpe lateral, de cima pra baixo, atingindo a lâmina de ferro estígio no rosto do canídeo e, por fim, perfurando seu peito. Restavam dois. Enquanto a dupla infernal partia em direção do filho de Marte, ele ergueu a espada para o alto.

Consurge, et pugnare.

Com o latim, ele conjurou quatro esqueletos guerreiros, todos armados com lanças e escudos, que ficaram prostrados a sua frente formando um tipo de muro de proteção. Jayce ordenou que o quarteto matasse o restante dos cães enquanto ele daria um jeito de estancar o sangramento. Pensou que, de alguma forma, deveria esconder a cor de seu sangue. O romano, então, rasgou um pedaço da manga de sua jaqueta para enrolá-la ao redor da ferida na coxa e, dessa forma, parar a sangria. Ainda assim, parte de sua calça estava suja com o líquido negro. Foi quando ele escutou os suspiros do meio-irmão quase morto, lutando para continuar vivo até a chegada dos reforços. Enquanto os esqueletos e canídeos batalhavam, Jayce mancou em direção ao campista ferido e ajoelhou a perna boa ao seu lado, o encarando com um falso olhar complacente.

Não... me sinto... bem... Quíron... — gaguejava o filho de Ares. Sua pele, outrora bronzeada, estava pálida e ele tremia de frio. A morte já o procurava.

Shh... ninguém pode te ajudar. — afirmou Maddox, tampando a boca do meio-irmão. Notou que o olhar do grego estava direcionado à perna ferida, como se estivesse juntando as peças. Jay abriu um sorriso e passou o dedo no próprio sangue. — Isso? Ah, sim, isso é o sangue de um demônio.

Cruelmente, ele passou o dedo sujo de sangue infernal pela ferida aberta do campista grego, tirando dele o restante de força para dar um grito de dor. A região aberta em forma de garras cresceu ainda mais devido ao toque, causando ainda mais sangramento. Era perfeito para camuflar o sangue verdadeiro de Jayce. Antes de sujar a mão de sangue, no entanto, ele asfixiou o irmão para evitar qualquer palavra inoportuna quanto aquilo tudo. Em questão de segundos, o instrutor de treinos do chalé cinco estava morto. Charles encheu a mão com o sangue do rapaz, despejando-o na calça e principalmente ao redor da ferida contida na própria perna. Poderia dizer que pressionou o machucado mortal do meio-irmão, caso fosse necessário.

Não poderia deixar nenhuma brecha aberta, pensando em tudo.

Quando escutou os passos de Quíron se aproximando, ele transmutou a espada demoníaca em pulseira e ergueu a mão para que seu machado retornasse a ele. O restante dos cães infernais, mesmo em vantagem por conta da força, foram feridos e optaram por fugir, utilizando as sombras como transporte. Sem mais utilidade para Jayce, os esqueletos foram dispensados no mesmo segundo que o centauro e um grupo de ajuda chegou à arena. A expressão no rosto de Maddox era estarrecida, como se ele tivesse perdido um ente querido, ainda que tentasse não demonstrar luto — antes mesmo de se tornar demônio, ele já não se importava com laços familiares e teatro em demaseio poderia causar desconfiança. Quíron, com um arco em mãos, aproximou-se dos dois filhos da guerra.

Desculpe, eu tentei... eram muitos... ele não aguentou, perdeu muito sangue.

Está ferido. Consegue ir à enfermaria? Deixe que assumimos daqui, procure pelos curandeiros e se cure, seu testemunho será importante. — afirmou o centauro, pedindo para que afastassem a irmã do campista morto da cena.

Não foi o suficiente. Assim que viu o corpo do irmão no chão, a filha de Ares despencou, demonstrando o verdadeiro luto da prole da guerra em meio a um choro alto e socos no chão. E ele não sentiu nada, nem um pingo de remorso, de fato, Jayce controlava a euforia em seu âmago ao ver aquela cena enquanto recebia ajuda de outros campistas para se levantar. Georgia apareceu no meio deles, vestindo a mesma roupa com que havia ido dormir, preocupada. Ela tentou tocar a ferida na perna do namorado, mas o romano segurou firme seu pulso. Qualquer toque ácido e tudo seria jogado no ralo.

Eu estou bem.  

[...]

Mesmo com dificuldades, ele conseguiu despistar todos os envolvidos. Os curandeiros trataram de sua ferida sem desconfiar de seu sangue, já que ele havia limpado e se curado com as sombras o quanto antes naquela noite. No dia posterior, Jayce passou a maior parte da tarde conversando com os dois diretores do Acampamento enquanto os campistas organizavam um memorial para o único morto daquele trágico acidente. O chalé cinco despejava armaduras, lanças, espadas, escudos e todos os tipos de armas em uma fogueira onde o corpo do menino era cremado. Charles fez o mesmo em um falso sinal de respeito e ritual e retornou para o lado de Blanchard, assistindo tudo com prazer oculto.

Sr. Maddox, acompanhe-me, por favor. — pediu Quíron, partindo Anfiteatro afora.

A ideia de que toda a tramoia tinha sido descoberta passou pela cabeça do romano enquanto ele seguia o caminho até a Casa Grande, mas tudo estava calmo demais. Se até mesmo os legionários, treinados desde pequenos a não se afobarem em situações de risco, agiram como verdadeiros animais para capturarem Fred Ashford, os gregos estariam tochas e lanças nas mãos se descobrissem sobre o segredo de Jay. As paranoias foram cessadas quando o semideus adentrou a casa azul, avistando o Sr. D. sentado em uma poltrona, afagando os pelos de um animal. De imediato, o demônio reconheceu a criatura como a hiena sobrevivente. Ainda estava ferida, mas parecia se recuperar.

As circunstâncias são lamentáveis, mas sua ação foi louvável. Enfrentar quatro cães infernais sozinho para salvar o grupo... nós, do Acampamento Meio-Sangue, não poderíamos agradecê-lo apenas com palavras.

Com a bajulação de Quíron, o deus Dionísio bufou de forma debochada, como se não concordasse com aquilo mas não tivesse escolha, ou não se importava o bastante para interferir naquilo.

Apesar de preferir animais em seus habitats naturais, vejo esta criatura como um símbolo de sobrevivência. Vocês foram feridos e, ainda assim, estão aqui. Ela é a menor da espécie que usaríamos no treino e não podemos deixá-la sem um dono. Então o que me diz, sr. Maddox, se responsabiliza pela criação deste animal?

Jayce encarou os olhos da hiena e, de imediato, a mesma reagiu com a famigerada risada da espécie.

Dizem que a melhor cura é uma risada.






MADDOX

Eu nunca reprovei 3 vezes seguidas nas fichas.
avatar
Jayce Maddox
Demônios de Nyx
Demônios de Nyx

Mensagens : 216
Idade : 19

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão OP para Jayce Maddox – Gato por lebre

Mensagem por Jayce Maddox em Qua Jun 06, 2018 10:12 am

Pormenores:
Primeiro de tudo, eu sei que pode ter ficado aleatória a cena +18. Mas ela servirá para o futuro da trama não só de Jayce, mas de Georgia, que atualmente é a única pessoa que pode desconfiar (ou não) da filiação de Jay com Nyx.

A Viagem nas Sombras foi usada cerca de três vezes (uma para aparecer no castelo de Nox, outra para retornar ao Acampamento, outra para entrar e outra pra sair do túnel). Sendo assim, um gasto de 60 MP no total. Os guerreiros convocados foram 4 no total, resultando num gasto de 100 MP. O sangue ácido foi utilizado e gastou 5 MP. Total de gasto por poderes ativos: 165 MP.

Considerando o poder Escuridão Curadora II, 40 pontos de HP/MP são recuperados, deixando a MP com 205 pontos. Com o poder Sanguinário, mais 10 pontos de MP são recuperados, resultando em 215 MP. Com o poder Regeneração I, 30 MP são recuperados a cada inimigo morto (Jayce derrotou dois cães infernais diretamente e assassinou um npc que poderia entregá-lo, ou seja, tornou-se automaticamente um inimigo, recuperando no total 90 pontos e resultando em 305 MP. Com a Cura Sombria I, ele recupera 25 pontos, resultando em 330 MP. Ou seja, ao menos na MP, ele fica full. Quanto aos pontos de HP, deixo que você julgue melhor os descontos.

Armamento:
• Faca de Bronze Celestial [ Uma faca de lâmina curta - cerca de 10 cm - com cabo em madeira envolvido em couro para tornar o manuseio melhor. | Não produz feridas em mortais. | Bronze celestial, madeira e couro. | Sem espaço para gemas. | Alfa. | Status 100%, sem danos. | Comum. | Nível 1. | Item inicial. ]

• Mordor [Um machado de guerra com cerca de setenta centímetros de cumprimento, mais pesado do que um machado comum e com as duas extremidade afiadas. É necessário usar as duas mãos para melhorar o manejo da arma. | Efeito 1: O machado possui veneno em sua lâmina que, ao entrar em contato (através do corte) com o oponente irá paralisar o local atingido (como a mão, o antebraço etc), durando até dois turnos, sendo que, ao ser atingido mais do que duas vezes pelo veneno durante uma batalha o semideus/monstro atingido ficara imune a ele temporariamente. | Efeito 2: O machado pode diminuir, assim como aumentar caso seja o desejo do seu portador, podendo ser encaixado em pulseiras, colares etc. | Ouro imperial. | Sem espaço para gemas. | Beta. | Status 100%, sem danos. | Mágica. | Arsenal do acampamento]

Ave Shield [Um escudo circular que possui o desenho de uma águia em relevo no metal. Feito de titânio e bronze celestial, ele possui runas inscritas de proteção e resistência que aumentam a qualidade de seu material, assim como a runa do vento está inscrita em toda a borda do escudo, conferindo propriedades do vento | Efeito 1: Ao ativar a runa do vento, sacrificando um pouco de sua vida para tal (-5HP) é criado uma redoma de ar que que atinge até 10m de diâmetro, tendo o portador do escudo como o centro. O efeito dura 2 turnos e impede que ataques feitos a longa distância ultrapassem a redoma. Apenas alguém de nível superior também será capaz de ultrapassar a barreira de ar. Usado apenas duas vezes por ocasião | Alfa | Espaço para uma gema | 100% sem danos | Mágico | Comprada na Pandevie Magie]

Eagle Axe [Um machado com um aspecto que é bastante similar a uma ave de rapina, sendo suas asas o extremo afiado do machado. Seu cabo possui cerca de 40 cm e ele adapta-se nas mãos de seu usuário, modificando assim o seu peso | Efeito 1: Graças a mecanismos internos, o machado pode ser revestido em sua lâmina com eletricidade, sendo o cabo um isolador natural, evitando que o seu portador sofra com a ativação do elemento; Efeito de ligação: Retorna ao seu mestre depois de arremessa-lo | Ouro Imperial | Beta | Espaço para uma gema | Status: 100%, sem danos | Mágico | Comprado no Pandevie Magie]

• Panic [Couraça de armadura que protege todo o peitoral, barriga, e costas do usuário(não acompanha outras peças de armadura). Possui espinhos longos nos ombros, e o desenho de um rosto em fúria no peitoral, além de um design bárbaro e acabamento bruto. | Ferro| Causa medo em qualquer semideus inimigo dentro de um raio de quinze metros, tornando-os hesitantes em combate. Dessa maneira, nenhum inimigo será capaz de atacar o usuário dessa armadura, a não ser que este seja atacado primeiro. Desse modo, a iniciativa do combate será sempre do portador | Não possui espaços para gemas | Comum | Resistência: Sigma | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja ].

• Desespero [Uma espada de ferro estígio que tem aproximadamente oitenta centímetros de lâmina, sendo um dos gumes como o de uma espada comum e o outro gume serrilhado com um cabo feito de ossos resistentes e um pomo com uma joia que parece ter sido feita de uma obsidiana com uma aparência envelhecida. A própria lâmina possui riscos brancos como se estivesse bem gasta e já tivesse visto várias batalhas mas não ouse duvidar de seu corte ou pode ser que acabe pagando caro demais por isso. | Efeitos mecânicos: A espada costuma se transformar uma pulseira metálica, basta que o semideus a remova do braço para que ela tome forma. | Esta arma tem como efeito principal causar a paralisia de um membro do oponente sempre que este for atingido pela lâmina. O local atingindo se tornará duro e o ferido terá uma dificuldade de mover o local. | Resistência Beta | Sem espaço para gemas. | Status: 100%, sem danos | Nível 3. | Lendária | Presente de reclamação dos Demônios de Nyx]

• Franesi [Bracelete comum, formado por elos de corrente com espinhos em sua extensão, que se adapta perfeitamente ao braço de qualquer usuário. | Aço | Quando o dono se envolve em uma batalha, o item o cobre com uma aura de fúria extrema, transformando-o em uma fera sem consciência durante a primeira rodada de batalha. Dessa maneira, ele se torna imune a ataques mentais e emocionais enquanto o efeito durar. Apesar do estado de inconsciência, o semideus apenas atacará aos inimigos, não ferindo aliados intencionalmente. Após o término do efeito, a habilidade do bracelete não poderá mais ser utilizada no mesmo combate (efeito dura até 3 turnos) | Não possui espaços para gemas | Comum | Resistência: Sigma| Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja].
Passivas:

DEMÔNIO DE NOX


Nome do poder: Visão Noturna
Descrição: Os demônios tem sua visão aprimorada durante a noite, por estarem diretamente ligados a uma deusa noturna. Com isso, durante a noite, esse sentido fica ainda mais apurado, ganhando um alcance de 500 metros. (Esse poder não funciona durante o dia)
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Enxerga melhor a noite, do que de dia, pois, sua visão noturna é ampliada.
Dano: Nenhum

Nível 3
Nome do poder: Alma Ambígua
Descrição: Por diversas vezes Nyx/Nox foi descrita como uma divindade de personalidade indecifrável, podendo ser tão bela e gentil quanto a noite ou tão cruel quanto as criaturas que a habitam o tártaro. Sendo assim, os demônios têm grande facilidade em mascarar seus sentimentos e, na maior parte das vezes, são extremamente bipolares.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Esse poder permite ao semideus adquirir um atributo de persuasão impressionante, sendo capaz de enganar inimigos e aliados com mais facilidades, pois conseguem mascarar os verdadeiros sentimentos, e demonstrar exatamente o que querem mostrar.
Dano: Nenhum

Nível 5
Nome do poder: Passagem Livre
Descrição: Os demônios de Nyx/Nox ganham passagem para os arredores do palácio da deusa da noite, sendo uma deusa primordial, Nyx/Nox garante segurança aos seus demônios ao caminharem pelo tártaro, e em seu palácio, esses semideuses ganham passagem livre.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Não serão atacados no tártaro desde que se mantenham nos territórios de Nyx, monstros e criaturas mais fortes que você – fora do território de Nyx – ainda poderão querer ataca-lo, o que não acontece com criaturas mais fracas, elas lhe respeitam.
Dano: Nenhum

Nível 10
Nome do poder: Atributos melhorados II
Descrição: Os demônios da noite conforme evoluem, conseguem desenvolver um pouco mais seus movimentos de esquiva, velocidade e salto, ganhando uma vantagem extra de campo ainda maior.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Durante o dia ganham + 15% de velocidade, esquiva, e salto, durante a noite essa porcentagem dobra, vira +30%.
Dano: Nenhum

Nível 13
Nome do poder: Escuridão Curadora II
Descrição: Os demônios tendem a ficar mais forte durante a noite, ou quando estão em locais escuros, fechados. A escuridão é vista como uma aliada, portanto, quando estiver em local escuro, ou coberto por sombras, ou ainda, durante a noite, poderá usar a escuridão ao seu redor para se curar. É algo instantâneo, suas feridas simplesmente começam a se fechar, e sua energia parece ser restaurada aos poucos. Feridas mais fundas começam a fechar mais rapidamente, e uma parte maior de sua energia é restaurada. (Só pode ser usado uma vez a cada 3 rodadas, as feridas se fecham no turno em que você usar o poder).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +40 MP e 40 HP
Dano: Nenhum

Nível 20
Nome do poder: Força II
Descrição: O seu personagem ficou ainda mais forte, conforme a evolução de seus dons e poderes. Seus treinamentos lhe trouxeram resultados imprescindíveis, e agora sua força se tornou ainda maior.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Durante o dia os demônios conquistam +20% de força, durante a noite essa força dobra para +40%.
Dano:  Nenhum

Nível 23
Nome do poder: Perícia com Lâminas II.
Descrição: Nesse nível os afiliados de tal Deusa desenvolvem uma pericia com lâminas em geral, independente da arma.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +20% de assertividade no manuseio de lâminas.
Dano: + 20 de dano ao ser acertado pela arma do semideus, pois a precisão será mais certeira.
Extra: Tal poder não pode ser combinado ao poder denominado "Perícia com Punhais e Adagas".


FILHO DE MARTE


Nível 6
Nome do poder: Sexto Sentido
Descrição: Em meio a um campo de batalha, descansar não é opção e os filhos de Ares/Marte sempre estão atentos. Além de conseguirem notar com mais precisão e facilidade sinais de aproximação (como sons) esses semideuses possuem uma espécie de sexto sentido, de modo que ao serem alvo de um ataque direta ou indiretamente, pressentirão o perigo, podendo se prepararem melhor para o combate e evitarem serem emboscados.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poderão, durante um único turno, pressentir o inimigo se aproximando, podendo saber de onde o ataque virá, e se preparar para ele.
Dano: Nenhum

Nível 9
Nome do poder: Ignorando a dor I
Descrição: A dor é um estado psicológico e biológico, tida como uma auto defesa do corpo humano. Contudo, os filhos de Ares/Marte possuem a capacidade de ignorarem a dor de ferimentos, podendo lutar normalmente mesmo se estiverem coma luxação ou um dedo quebrado. Nesse nível apenas é possível ignorar a dor de golpes que não causem ferimentos profundos, ou que incapacite um membro do semideus. (cortes leves, e feridas pequenas)
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Continuará lutando normalmente desde que os ferimentos sejam de grau baixo, como cortes superficiais, queimaduras de grau baixo ou hematomas.
Dano: Nenhum

Nível 10
Nome do poder: Sanguinário
Descrição: Ares/Marte ama ver o sangue de seus inimigos jorrando de seus corpos, sendo esse um inevitável atrativo das guerras. Ao ser tocado pelo sangue de um inimigo, ou por algum fluído vital que se assemelhe ao sangue (Ents - seiva, deuses - icor e etc), o filho de Ares/Marte recupera parte de sua energia e força, ficando com ainda com mais vontade de ferir inimigos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +10 HP e +10 HP
Dano: Nenhum
Extra: Pode ser utilizado uma vez a cada 3 turnos.

Nível 11
Nome do poder: Arma em Punho
Descrição: As proles de Ares/Marte aprendem desde cedo a importância de suas armas, não as deixando ou arriscando perde-las, não importa o que aconteça. Dificilmente vão poder tirar uma arma das mãos de um filho de Ares/Marte durante o combate, estes vão segurar suas armas com força e elas apenas irão poder serem removidas caso o semideus não esteja as segurando, ou caso morra.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: O semideus que tiver um nível inferior ou igual ao do filho de Ares/Marte não poderá desarmá-lo.
Dano: Nenhum

Nível 12
Nome do poder: Regeneração I
Descrição: Os filhos de Ares/Marte ao estarem em combate podem recuperar parte de seu HP e MP, mas para isso precisam matar seus inimigos. Isso funciona da seguinte maneira, para cada soldado, monstro, semideus ou inimigo derrubado em batalha pelo semideus (derrotado, não precisa estar morto) parte do HP e MP são restaurados e transferidos, ou seja, o HP e MP do inimigo vem para você. Ele perde, mas você ganha não somente a batalha, como também mais poder mais energia, ficando mais forte.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: A cada inimigo derrotado em batalha +30 HP e 30 MP são restaurados em sua barra de status.
Dano: Nenhum

Nível 13
Nome do poder: Percepção estratégica
Descrição: Para vencer um combate, não é preciso apenas possuir a maior força, os melhores golpes e as principais vantagens, também é necessário saber utilizar as desvantagens e fraquezas dos adversários, fazendo com que eles percam para si mesmo. Ao olharem atentamente para o corpo de um oponente, os olhos do filho de Ares/Marte conseguem notar quais são as principais fraquezas do sujeito, quais os melhores pontos a se golpear e o que pode fazer para vencê-lo. As informações são dadas pelo narrador, cabendo á prole do deus da guerra as utilizarem da melhor forma possível. (só pode ser usado por uma vez em cada batalha)
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode pedir ao narrador que aponte dois pontos fracos no corpo do inimigo, mas cabe a você conseguir acertá-los.
Dano: Nenhum

Nível 15
Nome do poder: Pericia com Machados II
Descrição: Você andou treinando, e desenvolveu sua habilidade com machados ainda mais, agora seus movimentos se tornaram bastante impressionantes, e você descobriu que o machado além de ser uma lâmina para corte de curto alcance, também pode ser lançado.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +35% de chance de acerto no manuseio de machados.
Dano: +20% de dano ao ser acertado pela arma do semideus.

Nível 16
Nome do poder: Força II
Descrição: Os filhos de Ares/Marte ficam ainda mais fortes conforme desenvolvem seu treinamento, sua força sempre foi superior aos demais campistas, mas isso se torna um destaque muito vantajoso conforme ele se desenvolve, cresce e treina.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de força
Dano: +10% de Dano se o ataque do semideus atingir.

Nível 24
Nome do poder: Pericia com lâminas III
Descrição:  Você está se desenvolvendo bem, e agora além de atacar, arremessar e aprender a lidar com diversas laminas diferentes (espadas, lanças, adagas e facas), também consegue se defender com ela, e dificilmente é desarmado.  
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +55% de chance de acerto no manuseio de lâminas.
Dano: +20% de dano se o adversário for atingido pelo semideus.


LEGADO EM HADES


Nível 1
Nome do poder: Respiração subterrânea
Descrição: Respirar em locais de baixa pressão e em locais subterrâneos e fechados é o mesmo que respirar ao ar livre para os filhos de Hades/Plutão, eles não são afetados por locais assim, e chegam a se sentir tão bem quanto ao ar livre, se não melhor.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Não é afetado por locais fechados, cavernas, ou locais com pressão baixa.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Visão Noturna
Descrição: Os filhos de Hades/Plutão enxergam tão bem no escuro, quanto no claro. A escuridão por magia ainda é capaz de afetar eles, mas a escuridão natural, como apagar a luz, ou entrar em uma caverna sem qualquer claridade não irá afetar o filho do deus dos mortos
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Desde que não seja escuridão magica que impeça a visão, não serão afetados.
Dano: Nenhum

Nível 2
Nome do poder: Ferro Estígio
Descrição: Esse é o material principal usado pelo rei dos mortos, por esse motivo, os filhos de Hades/Plutão tem certa facilidade em manuseá-los, e ganharão um bônus de força em campo de batalha.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Quando o semideus lutar com armas feitas de Ferro Estígio ganha +10% de força
Dano: 5% de dano a mais se o adversário for acertado pela arma do semideus.

Nível 3
Nome do poder: Cura Sombria I
Descrição: Os filhos de Hades/Plutão ao serem atingidos por sombras podem recuperar parte de sua energia instantemente. As sombras sempre foram aliadas das proles do deus da morte, e agora também servem como forma de regeneração. Nesse nível, apenas pequenas feridas se fecham – como cortes supérfluos – e parte da energia é restaurada. (Só poder ser usado uma vez a cada 3 turnos).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +25 de HP e 25 de MP
Dano: Nenhum

Nível 4
Nome do poder: Pericia com Espadas I
Descrição: Os filhos de Hades/Plutão tem facilidade em lidar com espadas, mesmo nunca tendo manejado uma. A arma sempre se adapta as mãos da prole do rei do inferno, e acaba atacando de forma natural, mesmo que ainda tenha dificuldade de lidar com ela nesse nível.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +35% de assertividade no manuseio da espada.
Dano: + 15% de dano ao ser acertado pela arma do semideus.
Ativas:


FILHO DE MARTE

Nível 15
Nome do poder: Guerreiros Derrotados
Descrição:  Assim como mostrado na série, os filhos de Ares/Marte ao erguerem uma de suas armas em direção ao alto, conseguem - com um grito em grego/latim cujo significado seja "Levantem e lutem" - invocar da terra cinco guerreiros esqueletos, que estarão equipados com uma lança, uma espada e um escudo, todos feitos de bronze celestial. Cada guerreiro possuirá 100 HP, e obedecerão apenas aos comandos proclamados pela prole do deus da guerra.
Gasto de Mp: 25 MP por guerreiro invocado.
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Conseguem tirar até 5 HP por golpe que acertarem com suas armas.


LEGADO EM HADES


Nível 5
Nome do poder: Viagem das sombras I
Descrição: Assim como seu pai e boa parte das criaturas do inferno, o semideus terá a capacidade de viajar por entre as sombras, podendo usa-las para acessar qualquer parte do mundo, mas cuidado. Em tal nível o semideus consegue apenas viajar sozinho, com a próprias armas e roupas. Quanto o filho de Hades/Plutão passa muito tempo viajando entre sombras, começa a desaparecer.
Gasto de Mp: - 15 de MP.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.


DEMÔNIO DE NOX


Nível 1
Nome do poder: Sangue Acido
Descrição: Ao ingressar o grupo de Demônios o semideus tem seu sangue alterado, sendo que sua coloração fica escura, preto como a noite. Ao ser cortado o semideus poderá usar o sangue como ácido, qualquer um que tiver esse sangue tocando sobre a pele, sofrera queimaduras, e feridas se abrirão sobre a pele, deixando a carne – apenas na parte tocada – aberta. A ferida depende da quantidade de sangue que tocar o inimigo, se for uma gota, a ferida se abrira no tamanho da gota, uma poça, pode causar um estrago ainda maior.
Gasto de Mp: 5 MP
Gasto de Hp: 3 HP
Bônus: É algo natural, o demônio tem o sangue alterado quando adentra o grupo, não pode controlar isso, mas, ao ser cortado, poderá usar o atributo ao seu favor, como arma para ferir o inimigo.
Dano: 15 HP (podendo ser mais dependendo do tamanho da ferida aberta, e do local).
Extra: Nenhum.
Tatuagens:
Tatuagem SPQR [Tatuagem de coloração negra feita na parte inferior do antebraço direito. Possui o desenho de duas lanças cruzadas e um garfo com uma bola em seu topo, seguido abaixo pelas letras SPQR, um risco para cada ano servindo a Legião e escrito 2ª Coorte. Uma vez por missão/evento, os golpes que não utilizarem poderes ativos e forem proferidos pelo semideus membro irão ter um bônus de 5% durante três turnos, sendo valido para poderes passivos e golpes diretos.]

Linked | Armas e escudos | (Uma tatuagem da letra Lambda λ, reconhecimento espartano, em coloração preta.) | Cria um elo entre o dono e a arma Eagle Axe, o usuário pode ativar a tatuagem que abre um pequeno portal onde a arma estará armazenada, podendo puxá-la. Válido para qualquer item. | (Dedo médio, mão direita) | marca pequena | Permanente.


MADDOX

Eu nunca reprovei 3 vezes seguidas nas fichas.
avatar
Jayce Maddox
Demônios de Nyx
Demônios de Nyx

Mensagens : 216
Idade : 19

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão OP para Jayce Maddox – Gato por lebre

Mensagem por Hécate em Ter Jun 12, 2018 8:14 am


Gato por lebre: avaliação


Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Máximo de XP da missão: 3000 XP

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 30%


RECOMPENSAS: 3000 XP + 3000 dracmas + hiena africana (por favor, mande uma MP com o nome do mascote para mim)

STATUS:
HP:   330/330
MP: 330/330

Comentários:

Bom dia, meu anjo (ou seria demônio?)! Em primeiro lugar, peço desculpas pela demora na avaliação. Em segundo lugar, queria te dar os parabéns pela estratégia. Li e reli sua postagem sem conseguir achar um furo sequer, todas as perguntas que surgiam em minha cabeça sendo respondidas logo depois de eu as fazer. O único detalhe que consegui encontrar foi um erro de continuidade: no trecho "três das hienas foram mortas com o pescoço dilacerado e a maior delas com ferimentos por todo o corpo, mas ainda viva" você afirma que foi o maior dos animais que sobreviveu, enquanto em "ela é a menor da espécie que usaríamos no treino" você deixa a entender que foi o menor. Esse foi um erro tão trivial que não vi sentido em descontar pontos por causa dele, mas fica o toque.

Em questões de ortografia também não vi nada de errado. No máximo erros escassos de digitação. Dois, sendo bem específica: um em "pisou dentro do box, tendo como vista as costas nu de Georgia", onde deveria ser "nuas" no lugar de "nu", e outro em "Charles já imaginava os inúmeros campistas feridas", onde deveria ser "feridos" no lugar de "feridas". Outra vez não vi motivo em descontar experiência por erros tão pontuais, principalmente considerando o tamanho do texto. Sempre têm aqueles um ou dois que escapam nossa enésima revisão.



Atualizado por Marte


avatar
Hécate
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários

Mensagens : 311

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão OP para Jayce Maddox – Gato por lebre

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum