The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

IV Aula de Combate Corporal -//- Pontos Críticos

Ir em baixo

IV Aula de Combate Corporal -//- Pontos Críticos

Mensagem por Max Hayes em Ter Maio 15, 2018 1:09 am



Aula de Pontos Críticos







Introdução;
O que é?



Os pontos críticos são essenciais para potencializar a eficácia de um golpe em artes marciais. Nesta aula, os alunos irão aprender pontos específicos no corpo humano que podem provocar mais dor e, consequentemente, maior dano.





Cenários e Personagem;
Onde quando quem


O cenário de treinamento

Ambas as arenas foram adaptadas para esse treinamento a céu aberto. Maior parte do chão estava coberto por tatames, para amparar as inúmeras quedas e imobilizações previstas para aquele tipo de aula. Também existiam bonecos de treino. A temperatura estava agradável e o horário era por volta das nove horas da manhã.

A instrutora

Max, como gosta de ser chamada, é uma filha de Júpiter e amazona. Apesar de ter um corpo franzino e uma aura naturalmente travessa, ela possuía força e conhecimento graças as suas filiações. Sempre de bom humor e disposta a conversar com qualquer pessoa, aprendeu com sua mãe a como misturar-se em qualquer grupo social. Portanto, poderá interagir livremente com Hayes, sabendo que ela possui sempre uma resposta divertida ou um comentário irônico para fazer.

Enredo da Aula

Saber como aplicar um golpe era importante, no entanto, ter o conhecimento de onde aplicar poderia fazer a diferença na hora da sobrevivência. Sabendo disso, a instrutora decidiu ensinar aos alunos pontos específicos no corpo humano que poderia aumentar o dano em combate. A todo momento Max estaria fazendo as posições e efetuando os golpes para servir de exemplo.





A técnica;
Aprendendo os pontos


Alguns pontos críticos e de impacto


Soco na traqueia (pescoço) -  pode causar danos seríssimos e facilmente a morte, principalmente se o golpe seja aplicado lateralmente, já que um golpe frontal não é tão grave como o lateral, pois o golpe aplicado lateralmente não possui resistência da traqueia
Golpear o queixo - Um golpe moderado em sua parte frontal pode causar um knock down, perda de equilíbrio e atordoamento. um golpe forte pode deixar inconsciente ou até mesmo provocar a paralisia facial momentânea que pode variar de uma hora até meses.
Têmpora - Um golpe de velocidade e de impacto superficial nesta área, pode facilmente causar desorientação ou inconsciência, já sendo aplicado chutes ou joelhadas determinam possíveis condições de hemorragias ou traumas cerebrais.
Testículos (homens, óbvio q) - Chute rápido, importante puxar a perna de volta rapidamente após o chute.
Lateral da costela (costela flutuante) - Um golpe nas costelas possuem impacto de pressão torácica e possíveis danos ao pulmão também causa a perda de ar, quebra das costelas e possivelmente ruptura dos órgãos próximos.
Diafragma - Pode provocar intensa perda de ar.
Lateral do nariz - causa atordoamento, dor, hemorragia e pode causar uma bela fratura, mas existem evidências de uma terrível paralisia facial, caso o golpe seja realizado de baixo para cima
Clavícula - Além da dor, um golpe de alto impacto neste ponto pode causar a quebra deste osso, incapacitando o braço e o ombro, algumas técnicas de chutes de cima para baixo podem provocar lesões torácicas e até mesmo lesões pulmonares futuras
Parte interna da junta do cotovelo - Um golpe aqui faz o braço se dobrar e causa bastante dor. um golpe mais intenso pode entorpecer, gerar paralisia momentânea ou até mesmo desligamentos de tendões e lesões nervosas do membro atingido, principalmente quando sofre ação de deslocamento total.
Área interna da coxa - Além da dor na coxa, um golpe nessa região causa o entorpecimento da perna, perda de equilíbrio dos membros inferiores, espasmos por todo o prolongamento da perna e perda de sensibilidade dos pés momentaneamente.




Missão e Regras


Missão da aula

O segredo desta aula está no treino e na repetição. Cada aluno terá um boneco de tamanho real para poder atingir os pontos críticos das mais diversas formas. É permitido improvisar, assim como também é permitido utilizar de técnicas aprendidas anteriormente em aulas. Deverá deixar em evidência o treinamento de 3 pontos críticos, ou seja, em sua aula deverá ter no mínimo a descrição de como foi treinar para atingir 3 pontos importantes do corpo humano.

Regras
- Mínimo de 25 linhas
- Necessário 80% de rendimento para ganhar a habilidade da aula
- Deverá usar apenas o boneco, pois esses pontos são críticos para serem treinados com NPCs ou outros jogadores.
- Deverá descrever no mínimo 3 técnicas. Deixe claro qual você escolheu!
- Treinamento aberto até 15 de junho.
- Será proibido uso de poderes ativos.

Habilidade
Nome: Pontos Críticos
Descrição: Ao participar da aula de combate corporal, o semideus aprendeu quais pontos do corpo humano provocam mais danos. Estes locais são chamados de diversas formas, como pontos críticos, pontos de pressão ou pontos de impacto. Ao aplicar um golpe nas áreas como: traqueia, queixo, têmpora, testículos, costela flutuante, diafragma, lateral do nariz, clavícula, parte interna da coxa e a parte interna da junta do cotovelo; o semideus poderá aumentar as chances de crítico e seu dano.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +30% de acertar os pontos mencionados acima, graças ao treinamento; +40% de dano somados ao dano crítico.
Extra: Funciona principalmente em formas humanoides.



Maxine Hayes


∆ LYL - FG


avatar
Max Hayes
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 476

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: IV Aula de Combate Corporal -//- Pontos Críticos

Mensagem por Mikhaela Petrova em Sex Maio 18, 2018 4:57 pm

Mikhaela Petrova: Filha de Hades e Amazona, possui apenas dez anos e é, em todos os sentidos do termo, a mais jovem membra daquele grupo de guerreiras. Se mostra muito preocupada com seus irmãos - mesmo os garotos - e com as demais amazonas, não se negando a auxiliar quaisquer um deles que precise de ajuda e esteja dentro de suas limitações. Ainda está em treinamento e desenvolvendo suas habilidades de guerreira amazona, porém já mostra algumas habilidades acima da média para sua pouca idade - como uma pericia "sobrenatural" com espadas e talento no manejo de foices, uma arma exótica para o grupo.

Postagem


Eu estava ansiosa para a aula de Max. Como ambas éramos Amazonas - e, portanto, muito boas em combate -, eu sabia o suficiente das capacidades combativas da maior para ficar ansiosa para aprender algo novo com ela. Havia ido para o Acampamento no dia anterior a aula e pernoitara no chalé de meu pai, Hades, e me sentara na decima terceira mesa no refeitório na hora do café. Vestida com um short de lycra, uma regata branca, tênis de cano baixo nos pés e os cabelos presos em um rabo de cavalo alto, sentei-me nos tatames com as pernas dobradas e as abracei, apoiando o queixo sobre os joelhos. Max ainda arrumava algumas coisas para o treinamento de hoje.

Tem certeza que não quer ajuda com nada? — Perguntei pela milésima vez aquela manhã, observando-a andando. Eu estava inquieta com a ideia de ficar sentada ali observando enquanto ela arrumava tudo para a aula. Ou melhor, terminava de arrumar, porque boa parte do que era preciso já estava feito antes da minha chegada a arena.

Sim, Milk. Pode relaxar até a aula começar, porque vai precisar de toda energia que tiver para essa aula. — Eu achava que já estava cansada daquelas perguntas, mas o tom bem humorado era permanente em sua fala. Assenti e fiquei quieta mais um tempo, esperando os outros alunos chegarem. Quando deu a hora do treino, a amazona limpou a garganta e começou a explicar o que faríamos na aula e como faríamos.

Os alunos se dividiram entre os fantoches para o treinamento após uma breve demonstração dos golpes de sugestão. Max era uma boa instrutora e demonstrava quantas vezes precisávamos, ainda sim... Me dirigi à loira, em duvida. Ela havia usado palavras que eu não sabia o que eram, deixando-me em duvida sobre o que deveria fazer. O que era têmpora? Traqueia? Diafragma? Os olhos de Maxine fixaram-se em mim quando puxei de leve a barra de sua blusa, chamando sua atenção para mim.

Max, temos um problema... Eu... Não sei o que são algumas coisas que você falou... Pode me ajudar? — A compreensão cruzou os olhos da maior no momento que falei. É claro que eu não sabia o que era, pareciam dizer, pois ainda era muito pequena e nova para saber algumas coisas. Como poderia exigir aquele tipo de conhecimento de mim? — O que é diafragma? E testículos?

Apesar de ter tentado prestar atenção na explicação da maior, eu não havia entendido direito o que era - mesmo achando lembrar onde era. Acompanhei a maior até o fantoche de treino e a vi ficando “atrás” dele, de modo que este ficasse entre nós duas e que eu pudesse ver o que ela me apontasse. A loira deu uma explicação rápida das partes do corpo humano para que eu realmente soubesse o que estava fazendo ao invés de meramente bater em lugares que havia a visto demonstrar anteriormente. Quando terminou a explicação extra, percebeu outro aluno chamando-a e pediu licença para auxilia-lo.

Diante de mim, o boneco de treinos tinha a altura aproximada de um humano adulto. Não usava equipamentos de proteção e era um alvo quase fácil... Se eu não tivesse um metro e trinta e cinco e ainda fosse um pouco estabanada. Claro que agora minha habilidade corporal era bem melhor do que antes da entrada nas Amazonas, mesmo assim ainda estava insegura quanto a minha real capacidade de combater, desarmada, inimigos maiores e mais fortes do que eu. A única coisa que me acalmava era a certeza que já havia sido iniciada nos treinos de combate das mulheres-guerreiras e tinha algumas noções básicas sobre como, por exemplo, socar alguém.

Com a mão fechada como quem segurava uma alça e levemente inclinada, com o nó do indicador estava levemente saliente - havia aprendido com Susan a fazer assim, mesmo que ele não fosse a arma principal ao atacar alguém. Os pés estavam separados a uma distância maior que a dos ombros, mantendo o pé esquerdo - que estava atrás - um pouco erguido, o pé da frente estava na direção do fantoche e flexionei os joelhos, respirando com calma antes de iniciar o treinamento estipulado para o dia de hoje.

A postura que assumira deixou meu corpo de lado e precisava girar o quadril para atacar, mas isso era parte fácil. Iniciei o movimento de girar o quadril enquanto projetava meu braço para frente, girando a mão de modo à palma ficar virada para baixo e a ponta do meu pé de trás voltou-se contra o inimigo. O golpe pegou entre as “costelas” do fantoche e retornei a mão quase imediatamente após o soco. Senti os nós dos dedos doerem um pouco - provavelmente pela falta de equipamentos de proteção -, mas não reclamei da dor ou vermelhidão. Em um combate real, dificilmente teria luvas para me proteger e não poderia parar ou reclamar só por alguns machucados. Sacudi um pouco a mão, tornado a repetir o golpe mais vezes até os nós ficarem vermelhos.

Abrindo as mãos, massageei os nós dos dedos e abri e fechei a mão algumas vezes para estimular a circulação sanguínea antes de recomeçar. O golpe seguinte consistia em uma joelhada na região da “boca do estomago”, mas não da forma ‘comum’ que costumavam fazer. Por ser pequena, era preciso quase um salto para dar altura, enquanto agarrava o pescoço do fantoche, puxando-o para perto e atingindo-o em um único movimento na altura do diafragma. Minha sorte naquele movimento, além do óbvio fato do fantoche não reagir, era que, mesmo sendo pequena, tinha uma ótima capacidade de saltos e uma velocidade elevada para alguém do meu tamanho. Após realizar o golpe, me deixei cair no chão e recuei um passo, com os braços já erguidos de modo defensivo e com os cotovelos na altura da cintura para o caso de ter que defender as pernas.

Milk, tome cuidado com isso. O inimigo pode lhe atacar enquanto você o agarra, por exemplo, com uma faca ou um soco entre as costelas. Tente golpes menos acrobáticos e confie mais na técnica e velocidade que tem. — Max estava andando entre nós e dando instruções quando se dirigiu a mim e concordei com a cabeça, tendo entendido o ponto dela. A maior sorriu, sabendo que eu tinha aceitado a instrução e tentaria coloca-la em pratica.

Retornei a praticar o golpe que, na verdade, era dirigido ao diafragma, mas dessa vez usava socos ao invés de arriscar algo muito acrobático. Ali, eu usava a mão destra para socar enquanto a canhota ficava em guarda para me defender e a cada golpe retornava a direita para junto do corpo para a eventualidade de precisar de ambas as mãos para me defender. Algumas poucas vezes, eu tentei usar a mão esquerda, mas mesmo usando a rotação de quadril e movimento do ombro para impulsionar o golpe ele saia mais fraco - uma consequência de usar a mão inábil.

Mas então minha capacidade de me manter concentrada em um único golpe começou a vacilar e percebi que estava na hora de tentar um novo golpe. Com as mãos em punho, usei novamente a rotação da cintura combinando-se com passo a frente e rotação do ombro para desferir um golpe no queixo de meu oponente. A mão pegaria na parte frontal se acertasse o ângulo, mas exigia prática para ser realizado com segurança e sem pensar. Dediquei alguma atenção aquela etapa do treinamento, incluindo movimentos na sequência de golpes como uma rasteira, pontapé na canela do adversário e até mesmo golpe no diafragma para causar perca de ar e me dar a brecha para atingi-lo sem riscos.

A essa altura, já estava coberta de suor e a regata começava a colar na pele. A respiração estava ofegante e notei que sentia sede. Apesar de querer continuar, percebi que seria um erro tentar forçar ainda mais meu corpo – não conseguiria mais realizar os golpes com a precisão que queria e dificilmente aprenderia. Então me arrastei até Max, para me despedir e informar que estaria no chalé caso precisasse falar comigo. Antes de realmente ir dormir, é claro, fui tomar um banho fresco e comer algo. Só esperava que as escoriações nas mãos não fossem muito graves.

Adendos


- FPA: Clica.

Golpes Usados:
• Lateral da costela (costela flutuante) - Um golpe nas costelas possuem impacto de pressão torácica e possíveis danos ao pulmão também causa a perda de ar, quebra das costelas e possivelmente ruptura dos órgãos próximos.

• Diafragma - Pode provocar intensa perda de ar.

• Golpear o queixo - Um golpe moderado em sua parte frontal pode causar um knock down, perda de equilíbrio e atordoamento. um golpe forte pode deixar inconsciente ou até mesmo provocar a paralisia facial momentânea que pode variar de uma hora até meses.

Poderes Passivos - Amazonas:
Nome do poder: Instinto Guerreiro
Descrição: Agora que é uma guerreira Amazona, a jovem semideusa sente-se mais próxima da guerra como se essa arte sempre tivesse feito parte de si. Sendo parte de um grupo que inicialmente foi abençoado por Ares/Marte, a jovem agora começa a desenvolver um instinto guerreiro, aprendendo a manusear armas que nunca usou, aprendendo a desenvolver estratégias em batalha e sabendo o básico de táticas de sobrevivência.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Tem facilidade para manusear armas, bolar estratégias e técnicas de sobrevivência;
Dano: Nenhum

Nome do poder: Força I
Descrição: A força é, sem dúvida alguma, a primeira arma da guerreira, que a faz vencer seus inimigos mesmo que esteja desarmada. Com o treinamento inicial recebido pela Amazona e independente de seu porte físico, a semideusa já começa a perceber a diferença em sua força, sendo capaz de suportar mais peso que antes, bem como causar danos maiores em seus golpes.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +10% de força
Dano: +5% de dano se o ataque da amazona atingir o adversário

Nome do poder: Agilidade I
Descrição: Através da perícia corporal que começa a adquirir, o corpo da Amazona torna-se mais ágil para executar movimentos mais complicados e mais rápidos que o normal.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de agilidade
Dano: Nenhum







avatar
Mikhaela Petrova
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 32

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: IV Aula de Combate Corporal -//- Pontos Críticos

Mensagem por Aislynn Prescott em Sab Jun 09, 2018 8:05 am


Calmaria

Como sempre acordava cedo, nove horas pareciam tarde para Aislynn, não sabia explicar o motivo. Por isso, por volta das oito e meia, já estava na arena, observando os tatames sobre o piso. A instrutora estava organizando o material para a aula do dia. Uma menina miúda a assistia. Como possuía ao menos a noção de que não deveria subir naquele piso adaptado com calçados, retirou o seu tênis antes de pisar no tatame. A maciez a agradava, tanto que não resistiu e deitou. Respirou fundo, relaxada, enquanto apreciava o céu com algumas nuvens enfeitando-o.

— Dente. Lápis. Um cachorrinho pegando o lápis. — Sussurrava ao ver as formas que cada nuvem ganhava. Permaneceu realizando a atividade por um tempo. Notou a chegada das pessoas que participarão da aula, mas continuou naquela posição. Apenas levantou quando ouviu a instrutora começar a explicar o que farão nesta aula. Caminhou até um dos bonecos e se endireitou na frente dele. — Pontos críticos. — Repetiu olhando para o seu alvo. Voltou à atenção visual para Max. Ela explicou onde ficava cada um dos pontos, como os chamavam e as prováveis consequências de atingi-los.

Aislynn não estava conseguindo acompanhar muito bem os nomes, mas buscou focar nos lugares que ficavam. Toda vez que ela apontava para algum ponto crítico, a semideusa a imitava, colocando a mão no seu boneco sobre cada parte do corpo citada. Antes de passar para a próxima etapa, a instrutora repetiu novamente quais eram os lugares, mas  mais rápido. Posteriormente, Max realizou um golpe demonstrativo diferente para cada ponto crítico. O pobre do boneco sequer mantinha-se no lugar por muito tempo do tanto que estava sendo judiado. — Agora é a vez de vocês. — Avisou após atingir a coxa da vítima, sem piedade.

Fechou os punhos, adquirindo posição básica de luta de forma amadora. Era o que sabia, mas deixou sua guarda aberta demais, os pés muito afastados, o que permitia a fácil perca de equilíbrio. Ao fim, socou a garganta do boneco. — Quase lá. — Max falou, aparecendo. Aislynn teve a impressão que a frase foi muito mais para incentivá-la a não desisti. — Porém, se você juntar um pouco as pernas e mantiver o braço que protege seu peito um pouco mais alto. — Explicava enquanto fazia a posição ao seu lado. — Acredito que terá resultados mais efeitos e... — levou sua mão até a lateral da garganta do boneco — Atingir na lateral causa mais prejuízo que atingir a traqueia pela frente.  

Compreendendo melhor as instruções, assentiu com a cabeça, confiante. Como instruído, Aislynn levantou um pouco mais a sua mão e fechou as pernas, não demais, apenas o que acreditou ser suficiente. Max empurrou o ombro da semideusa, para ver se estava firme, mas a filha de Apolo quase caiu com a empurrada. — Flexione um pouco o joelho. — O fez assim que ouviu. Novamente a instrutora a empurrou, mas dessa vez conseguiu manter-se no lugar. — Continue. — Como resposta, fechou o punho e atingiu a lateral do boneco. — Muito bom. — Elogiou e seguiu para ajudar outros. Apesar do elogio, não se sentiu satisfeita, por isso repetiu esse movimento diversas vezes.

O suor começou a escorrer por sua testa. Não que o dia estivesse quente demais, longe disso. O esforço físico que estava realizando era o culpado. Apenas quando ficou satisfeita com o golpe, ao ponto de fazer um barulho forte quando atingia o boneco, passou finalmente para o próximo ponto. Tocou a lateral direita da cabeça do boneco, a parte que ficava no rumo do olho. — Como irei golpear essa? — Perguntou, analisando a situação. Ponderou um pouco antes de finalmente chegar à conclusão: mais soco. Repetiu a posição anterior, mas dessa vez seus golpes na lateral era consecutivo, sendo sempre no ritmo esquerda direita.
 
Lembrou que Max falou algo sobre a agilidade ao acertar estes pontos. Por este motivo, a semideusa buscava ser cada vez mais rápida em seus golpes. Provocar desorientação em seu inimigo era uma vantagem extremamente útil, principalmente quando está entre a vida e a morte. Conseguir acertar as têmporas seria de grande valia. Cansada depois de diversos socos, a semideusa sentou um pouco no tatame para tomar um ar. Futuramente precisaria trabalhar sua resistência, ou, dependendo do seu oponente, estaria completamente ferrada. Um bom semideus sempre está preparado para tudo.  

Prosseguindo, Aislynn bebeu um pouco de água para molhar a garganta e continuou o treinamento. Dessa vez, o seu foco foi direcionado para os ombros de seu “rival”. Não querendo limitar-se a apenas um único golpe, que seria socos, começou a improvisar. Puxou boneco pelo braço, na tentativa de imobilizá-lo e atingiu a clavícula com o cotovelo. Não saiu como o planejado, pois perdeu o impulso do último golpe. Repetiu a manobra uma, duas, três até na quarta funcionar. Feliz, fez o mesmo processo mais duas vezes para checar se não foi apenas sorte. Mudou o movimento, variando entre soco, cotovelada e até arriscou mordida. Em uma luta valia tudo. Continuou com o treinamento, ponto por ponto e mudando apenas ao se sentir satisfeita, tendo alguns descansos curtos no processo.

Exausta, permitiu cair no tatame novamente, ficando sentada. Alguns de seus cachos estavam grudados em sua testa, por sorte amarrou o cabelo antes de aparecer na aula, para não ter algo que a atrapalhasse. Encarou o boneco. Com ele era fácil, permanecia parado todo o tempo, pronto para deixá-la atacar. Mas a luta real não era desta forma, sabia muito bem disso. Uma preocupação percorreu os seus pensamentos, e se o rival soubesse também dos pontos críticos? Com toda a certeza tentaria acertá-la. Precisava praticar mais, não apenas com armas, mas lutas corporais seriam úteis como defesa pessoal. Expandir sua forma de lutar.  

Com esse foco, Aislynn olhava para o boneco, focando em cada um dos pontos críticos aprendido na aula e buscava decorá-los. Quando ficou satisfeita, fez sinal para a instrutora, indicando que iria se retirar. Com a autorização dela, seguiu para o seu chalé. Precisava de um banho para retirar o suor que já estava deixando-a preguenta. Mas antes de qualquer coisa, iria fazer um desenho em um papel e apontar os pontos críticos, dessa forma o olharia todo dia de manhã para jamais esquecer.
• Soco na traqueia
• Têmpora
• Clavícula
PODERES PASSIVOS:
Nível 4
Nome do poder: Corpo Atlético I
Descrição: Apolo sempre foi descrito como um Deus jovem e no auge do seu vigor físico. Filhos de Apolo herdaram essa característica de seu pai, sempre são vistos praticando esportes e atividades físicas para se manterem atléticos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de agilidade e esquiva
Dano: Nenhum
Nível 10
Nome do poder: Benção Solar
Descrição: Filhos de Apolo ao realizarem atividades durante o dia, se sentem mais motivados e animados, pois estão em contato direto com seu pai. Seus movimentos saem muito mais precisos e suas ações se tornam mais poderosas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: + 20% vantagem de acerto em ações realizadas durante o dia, além de ter o gasto de MP reduzido em 5%.
Dano: Nenhum
Aislynn Prescott
Um dia de cada vez

(C) Ross



The A³B Squad
avatar
Aislynn Prescott
Filhos de Apolo
Filhos de Apolo

Mensagens : 180
Idade : 12
Localização : Tomando um Sol por ai

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: IV Aula de Combate Corporal -//- Pontos Críticos

Mensagem por Aprilla Deapryth em Sab Jun 09, 2018 10:07 am

aula de combate corporal
pontos críticos
Aprilla precisava se ocupar para evitar se deprimir. Além disso, o breve contato que tivera com Elena no Acampamento Meio-Sangue a fez começar a pensar sobre o seu futuro. Maxine Hayes, a instrutora de combate corporal e também uma amazona, parecia ser a sequência de toques dados pelo seu destino.

A legionária se prontificou nos Campos de Marte no horário proposto pela instrutora. Não havia frequentado muitas aulas, e por isso sentia uma excitação maior. Todavia, preferiu se manter mais distante dos demais participantes para evitar muito contato e desconcentração.

Desde que tomara a poção mágica, seu corpo mudou completamente. Estava, portanto, em processo de adaptação. Adaptação esta que se mostrava difícil e interminável. Porém, ela não podia simplesmente desistir. A felicidade que sentia por agora ser Aprilla e não mais Noah era colossal. Precisava persistir.

E lá estava ela, disposta e ansiosa para absorver tudo que Max passaria.

Com as mãos apoiadas na cintura, concentrou-se totalmente nas instruções que lhe eram passadas. O boneco de treino que tinha diante de si era perfeito pois, a cada ponto crítico que a filha de Júpiter demonstrava, April o reproduzia (ou tentava, na verdade) com lentidão e atenção. Seu desempenho não era tão bizarro quanto achava; talvez a animosidade por estar ali evitasse o desastre.  

O primeiro golpe que sua mente gravou com extrema facilidade foi p nos testículos. Simples e eficaz. Segundo Max, bastava estirar a perna contra os cunhões do homem em um chute rápido e logo em seguida recuá-la.

Teoricamente, na visão da legionária, não parecia tão complicado, mas ela precisou repetir o movimento uma dezena de vezes até "dominá-lo". Seu primeiro erro foi o equilíbrio. Felizmente, Max era uma instrutora dedicada e divertida e amparou a filha de Victória antes que ela distendesse a virilha ao chutar erroneamente.

Suor já ensopava a camiseta roxa que April usava. Seu cabelo, preso em um rabo de cavalo alto, também já se mostrava um pouco molhado. Isso não importava, porém. Ela estava super entretida com a aula, cujo conteúdo era simplesmente incrível e importantíssimo.

Após compreender metade dos pontos críticos de uma estrutura humanoide, o golpe no diafragma foi apresentado. Ela preferiu arriscar, à primeira instância, socos. A depender do ângulo em que estava, também podia executar chutes ou, mais fácil ainda, soladas, embora não fosse dotada de muita força nas pernas.

Com a costumeira aproximação de Max, as recomendações foram dadas. Aprilla poderia escolher a forma como golpear o diafragma de alguém, contanto que o golpeasse efetivamente. E com efetivamente a instrutura queria dizer forte, rápida e secamente.

O curto intervalo proposto pela amazona logo em seguida serviu para que a April repetisse o que já havia aprendido. Antes que recebesse a orientação para não abusar demais de si mesma, descreveu um golpe no testículo falso do boneco que, perante a reação de Max, o teria feito cair no chão e espernear como um neném.

Elas riram em adjacência e se afastaram. Deapryth respirou fundo, sentindo os músculos das coxas e dos braços darem sinais de fatiga. A aula ainda não havia terminado, por isso ela chacoalhou os membros para relaxá-los e reaproximou-se do seu boneco quando a hora chegou.

Atingir a lateral do nariz de alguém talvez fosse uma missão quase impossível. Mas se conseguir fazê-lo você ganha uma vantagem absurda enquanto a vítima tenta se recuperar. Um golpe perfeitamente executado causaria hemorragia e fratura e até talvez uma paralisia facial. Demais!

Mais uma vez, com a ajuda de Max, a semideusa pôde desferir alguns socos no nariz do boneco-alvo. Tinha se posicionado do lado esquerdo dele, de modo que sua mão oposta fosse a precursora do movimento. Assim como a maioria dos golpes em pontos críticos, este deveria ser seco, ligeiro e forte.

Precisou alternar a mão atacante quando a destra começou a latejar. O bíceps respectivo também se manifestava, quase que queimando pelo esforço desacostumado. No entanto, não tardou até que a instrutora desse a aula por encerrada, pouco após a prática de uma ofensiva na área interna da coxa.

Em uma rápida análise, April constatou que todos os presentes estavam exaustos. Mais que nunca, ela queria tomar um banho e dormir. Então acenou de volta para Max e partiu em direção ao quartel da quinta coorte.
Mayu Amakura
avatar
Aprilla Deapryth
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 206
Idade : 18

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: IV Aula de Combate Corporal -//- Pontos Críticos

Mensagem por Prowler em Dom Jun 10, 2018 9:24 pm


Specific training, increasing your powers
Time to start over, Prowler returns to activities
O Sol ainda não havia nascido, quando saí da cama e troquei as minhas roupas. Os dias para mim começavam mais cedo que para os legionários em geral. Antes de um café da manhã, repleto de frutas e verduras, eu gostava de tratar as plantas presentes pelo recinto. Saber que tão pobres criaturas recebiam um pouco de cautela, me deixava feliz de certa maneira. Ainda assim, era de se esperar que mais um cansativo trabalho seria posto à minha frente, naquele Acampamento. Tudo era moldado para que fôssemos os melhores e Lupa jamais nos deixaria descansados o suficiente para pensar que éramos.

As nove, eu e mais alguns semideuses estávamos presentes em um local de treinamento específico. Max, como gostava de ser chamada, seria a instrutora da aula. Como em outras ocasiões, ela foi extremamente cuidadosa e específica em citar o que deveríamos fazer, mesmo que com alguns comentários mais irônicos que o comum. A aula seria sobre pontos críticos, pontos estes que se atingidos, poderiam nos dar extrema vantagem em batalha.

Para alguém como eu, que tinha a mortalidade como último caso, aqueles exercícios seriam extremamente apropriados. Paralisar e atordoar os oponentes são trabalhos básicos para um guardião, deveria admitir ainda que quanto mais rápido isso pudesse acontecer, melhor. Max nos passou uma lista de áreas do corpo, cujo o dano poderiam levar a um benefício em combate, sendo as mais interessantes o queixo, tráquea e as têmporas. Particularmente, em lutas desarmadas, eu conseguia me destacar com um Boxe refinado. Conseguir atingir os pontos citados me permitiriam ter um enorme ganho em atordoar meus oponentes. Sendo assim, iniciei o exercício sem muitas delongas.

Um soco na tráquea deveria ser executado em linha reta, atingir o pescoço lateralmente impediria de causar o efeito desejado. Logo, mandar uma sequência de jabs e diretos seria o início da atividade. Nas primeiras tentativas houve bastante balanço, evitando que o golpe saísse rápido e preciso, o que poderia facilitar um bloqueio ou esquiva por parte do inimigo. Max, vindo até mim, alertou-me sobre diminuir a força no impacto e tentar utilizar da agilidade para atacar, executando uma ofensiva com maior velocidade e exatidão. Ouvindo as dicas da amazona e sendo corrigido vez ou outra, treinei aquela sequência de golpes no meu boneco por alguns minutos, até ter entendido a mecânico do murro.

O segundo ponto que iniciei o treinamento foi o queixo. A ponta da nossa face é também um importante ponto de equilíbrio. Quando um impacto forte o atinge, nosso cérebro é chacoalhado e isto nos atordoa, propiciando o que chamamos de knock down, desequilíbrio do corpo que faz cair, ou o nocaute, que é quando há uma perda da consciência. Obviamente é necessário haver uma grande precisão na ofensiva, sendo visto dois pontos para que realmente cause danos ao oponente, força e técnica. Não adiantaria toda intensidade do mundo se não houvesse um conhecimento refinado sobre o ataque. No caso deste ponto em específico, golpear pelos lados teria um maior impacto, já que movimentaria a mandíbula em um sentido contra-anatômico. Sendo assim, chutes e socos laterais teriam melhor eficiência e logo eu iniciei as tentativas no boneco de treinamento. Max, vez ou outra, se aproximava de mim para falar a respeito das posições e de minhas falhas esporádicas. Mais alguns minutos naquela sessão e eu já poderia ter a noção necessária de como atordoar o inimigo atingindo-o naquele ponto.

No caso das têmporas, o poder do ataque vinha justamente da precisão em acertar, entrelaçado com a potência do golpe. Ou seja, mesmo uma ofensiva certeira teria de ter impacto suficiente para atordoar o oponente. Assim, meu exercício não fora muito difícil nesta parte, sendo minhas falhas maiores acertar o ponto exato do boneco. Ainda havia de lembrar que estávamos enfrentando adversários estáticos e que em um combate, golpear alguém em movimento e ser preciso no ataque não era tão simples quanto se poderia pensar. Claro que quase uma hora de exercício me fez ter uma boa noção de como golpear e atingir no momento certo.

Exausto, treinei um pouco menos os demais pontos, acreditando que a aula já me havia sido extremamente benéfica. Logo, me dispus a ir a um breve descanso, antes de almoçar e voltar aos exercícios de combate.

Poderes:
Passivos:
-
Ativos:
-

Observações:
- FPA



PROWLER • SON OF CERES
avatar
Prowler
Guardiões das Hesperides
Guardiões das Hesperides

Mensagens : 187
Idade : 18
Localização : Acampamento Júpiter

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: IV Aula de Combate Corporal -//- Pontos Críticos

Mensagem por Louise S. Mitchell em Qui Jun 14, 2018 11:29 pm

Combo da Lola

Ainda estava sonolenta graças a ótima noite de sono. O chalé de Circe não era confortável se comparando ao de sua mãe, mas ainda assim as pequenas camas lhe serviram bem. Qualquer coisa era melhor do que dormir em uma cela. Despertou com as primeiras vozes dos semideuses transitando na frente do chalé. Banhou-se e vestiu o uniforme tradicional do acampamento; a calça jeans desbotada e flexível e a camisa laranja. Pegou a sua espada, depositando na bainha e tomou o seu caminho em direção a primeira aula daquela manhã.

Geralmente ela só começava a sentir fome no horário do almoço, portanto o jejum não lhe foi problema. A arena havia sido modificada para o treinamento. Tatames de diferentes cores estavam espalhadas por todo o lugar. No centro uma jovem magricela era toda sorridente, conversando com alguns campistas e espalhando bom humor. Não parecia que a mesma tinha sido seqüestrada juntamente com a semideusa. Os romanos poderiam até dizer que os gregos não tinham o mesmo treinamento que eles, mas a verdade era que todos conseguiam se adaptar e esconder aquilo que não queria que ninguém visse.

— Max. – Acenou a feiticeira. Talvez a amazona não se lembrasse dela. — Onde me posiciono? – Perguntou.

A instrutora era inteligente. Os primeiros minutos no qual ela inseriu a parte teórica da aula mostrou que as aparências poderia se enganar. A feiticeira visualizou então os bonecos de madeira, muito comum em uso de aulas com práticas corporais. Logo ela que deixou o chalé de Circe imaginando que enfrentaria alguém de carne e osso para descarregar suas frustrações. O ponto exato do treinamento eram os golpes dados com maior dano, entender as partes mais sensíveis do corpo humano e atingir de uma forma que pudesse dar uma perda quase que total.

Louise parou observando o “alvo”. Nem sempre era possível estudar o adversário em uma batalha. Os pontos sensíveis eram claros, o nariz, o testículo, dobra dos braços, queixo, traquéia. O difícil seria lembrar de tudo aquilo depois. Entretanto, na batalha crucial entre a vida e a amor, o momento sempre surgiria. Deixou a espada no chão, não precisaria dela naquela aula. Usaria apenas os punhos e as pernas.

Distanciou as pernas para formar um apoio, ela não era novata em estilo corpo-a-corpo. Os punhos fechados, de frente para um dos alvos de madeira, exatamente no seu tamanho, ela golpeou a primeira vez.

Quem já golpeou uma madeira antes sabe o quanto é dura, portanto os primeiros golpes são sempre doloridos. A morena golpeou o rosto do mesmo inúmeras vezes até conseguir achar o seu jeito certo de mirar no nariz. Mesmo o alvo sendo imóvel, Louise concentrou-se em sempre aumentar a sua velocidade de ataque. Ela abaixou e mirou no queixo, rodou nos pés em um ângulo de 30 graus e acertou o cotovelo no nariz do alvo. Seus braços não eram fortes, logo o seu ponto principal usado era a dobra dos braços. O mesmo que ela usou para golper a lateral das costelas. Ela forçava-se a ir cada vez mais ao automático, criando na sua mente uma situação real de perigo.  

Percebeu que poderia criar uma sequencia própria, onde no seu ritmo os pontos fossem surgindo. Golpeava antes as costelas para então poder subir ao nariz. Era comum após receber um golpe o corpo se curvar em resposta, ela imaginava mentalmente que o boneco fazia exatamente aquilo. Prendeu-se na intenção dos dois golpes tentando encontrar em sua mente a criatividade para o terceiro. Em suas últimas tentativas, realizou os dois golpes de costume e quando por fim abaixou os olhos percebeu uma terceira área que ficaria frágil se tudo ocorresse bem.

Ela poderia até ser chamada de louca. Não olhou para os lados para saber o que os outros campistas estavam fazendo. Afastou-se uns sete metros do alvo e então correu em sua direção, determinada a fazer valer a sua teoria.   Ao chegar perto, rodou o corpo e acertou a costela, bem no ponto onde Max havia indicado na parte teórica. Em seguida subiu com o cotovelo para o nariz e então abaixou o corpo, praticamente se jogando no chão. Com os punhos cerrados acertou a parte interna da coxa, pegando de um ponto desprevenido do alvo, a parte de trás. Ela havia conseguido achar os seus três golpes de sorte, pelo menos foi assim que ela chamou na sua cabeça.

Treinou durante toda aquela aula utilizando-se do seu “combo” de luta; Lateral da costela, nariz e em seguida parte interna das coxas. Ninguém imaginaria que três golpes em áreas distantes pudessem dar certo, e aquilo seria o seu bônus se precisasse um dia usar aquela técnica.

No final da aula, a mesma já estava exausta, o suor escorrendo pelas costas, os cabelos grudados na testa. Finalmente ela estava começando a sentir fome e contente, afinal trabalhos corporais liberavam endorfina, que por sua vez deixava uma falsa sensação de contentamento.        

Habilidades Extras:

Nome: Prática de Asanas
Descrição: O corpo é tão jovem quanto flexível. Exercícios de yoga enfatizam a saúde da coluna vertebral, a sua força, equilíbrio e flexibilidade. A prática dos Asanas (exercícios de Yoga) aumenta esses três atributos do semideus.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em equilíbrio e flexibilid
Passivas de Afrodite:

Nome do poder: Elasticidade Natural III
Descrição: A elasticidade de tais semideuses atinge seu ápice, sendo tão perfeitos quanto dançarinos profissionais. Seus movimentos são bem pensados e precisos, assim como os músculos parecem responder ao mínimo comando. É quase impossível para um guerreiro mediano e iniciante acertá-los.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: + 50% em esquiva e flexibilidade
Dano: Nenhum

Nome do poder: Eterna Boa Forma
Descrição: A boa forma que você possui não confere apenas belas curvas, no caso das meninas, ou músculos definidos, no caso dos meninos, mas também confere certa agilidade e destreza para se esquivar de alguns ataques. Isso permite que você ganhe certa facilidade em se esquivar, ou defender em ataques diretos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de defesa, esquiva e agilidade.
Dano: Nenhum
Pontos da Aula:

• Lateral da costela (costela flutuante) - Um golpe nas costelas possuem impacto de pressão torácica e possíveis danos ao pulmão também causa a perda de ar, quebra das costelas e possivelmente ruptura dos órgãos próximos.

• Lateral do nariz - causa atordoamento, dor, hemorragia e pode causar uma bela fratura, mas existem evidências de uma terrível paralisia facial, caso o golpe seja realizado de baixo para cima

Área interna da coxa - Além da dor na coxa, um golpe nessa região causa o entorpecimento da perna, perda de equilíbrio dos membros inferiores, espasmos por todo o prolongamento da perna e perda de sensibilidade dos pés momentaneamente.

     
+ Considerações: Aula de combate corporal  ❥ Tagged: Max e outros  ❥ Words: Acampamento Grego ❥ Vestindo: Uniforme tradicional do acampamento.
☾ FG RAVEN ☽


Aphrodite's Sorceress Princess
Royalty of Olympus
avatar
Louise S. Mitchell
Lider das feiticeiras
Lider das feiticeiras

Mensagens : 292

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: IV Aula de Combate Corporal -//- Pontos Críticos

Mensagem por Romeo Bernocchi em Sex Jun 15, 2018 9:41 pm

aula de combate corporal
pontos críticos
Ergui o braço direito, exibindo um simpático "v" com os dedos indicador e médio, logo que vi Max. Mais uma vez, ali estava eu. Mas, diferente da outra aula, levei uma toalha de banho e um galãozinho de água. Além disso, eu também tinha praticado, então a experiência de quase morte com o Taekwondo não iria se repetir.

Posicionei-me num canto mais deslocado, dentro do limite determinado para que a aula ocorresse. Felizmente, não haviam muitos semideuses presentes, o que significava que teríamos mais espaço e receberíamos mais atenção da instrutora.

Minhas mãos permaneceram apoiadas na minha cintura ao longo de toda a introdução do conteúdo da aula. Novamente, era muito válido. E por isso me mantive atento a todo o tempo. Como meu estilo de luta na maioria das vezes exigia bastante proximidade e contato físico, o que eu aprenderia nesta aula seria de extrema ajuda.

Eu preferia me manter em silêncio em momentos como este, nos quais precisava de bastante concentração. O primeiro golpe, efetuado na traqueia, era ótimo. À medida que Max demonstrava, eu o replicava no meu boneco. Segundo as instruções, executando o golpe lateralmente, os efeitos dele seriam absurdamente mais graves, como a morte, por exemplo.

Ainda que não fosse tão fácil se aproximar de algum inimigo e conseguir socar a sua traqueia, considerando que ele possuiria uma forma humanoide, era bizarra a facilidade com a qual sua vida seria finalizada. Animado com essa descoberta, me empenhei bastante ao praticar, repetindo o movimento diversas vezes ao alternar o lado do boneco no qual eu me posicionava.

Ao avançar para o ponto crítico seguinte, o golpe no queixo, eu agradeci por ser forte. A força era uma ótima ajuda nestes casos, melhorando os golpes praticamente fatais. A explicação dado deste ataque me deixou chocado. Em um socão simples e bem dado, eu poderia colocar alguém pra dormir em um segundo. Com certeza faria isso se algum legionário abusado ousasse me desrespeitar.

À medida que a aula avançava, eu sentia minha camiseta começar a grudar no meu tronco em virtude do suor. Meus cabelos, também molhados, caíam sobre meus olhos e eu precisava constantemente mexer a cabeça (num movimento parecido ao do Justin Bieber de 2012) para afastá-los.

Meus lábios arquearam em um sutil sorriso quando o golpe nos testículos foi apresentado. Provavelmente isso era de conhecimento mundial: todo homem, ao ser atingido nos testículos, sofre. Se numa batidinha acidental já doía, quem diria em um chute intencional? Eu queria muito praticar com testículos reais.

Mas precisei me conter com os do boneco. Lembrei-me do que fora ensinado na aula de taekwondo e apliquei primeiramente o chute frontal, atingindo a região genital do alvo. Depois pratiquei com o lateral e com o traseiro, apenas, já que os chutes circular e gancho eram mais complexos e, ao meu ver, mais utilizados em outras ocasiões e regiões alvos, como uma cabeça.

A aula se sucedeu otimamente. Ao fim, de praxe, eu estava todo suado e bem cansado. Minha respiração estava ofegante, as narinas dilatadas e minhas bochechas vermelhas refletiam o esforço que fora exercido. Eu precisava de um banho urgentemente e, em seguida, de uma soneca. A possibilidade de pular a parte do banho até passou pela minha mente, mas seria um ato de muita coragem e nojeira.

Banho. — pensei alto ao dar as costas à arena, despedindo-me de Max e dos demais com um aceno e um sorriso, acompanhado pelo meu cc. Eu definitivamente precisava um banho.

habilidades aprendidas:
Ás da Espionagem
Descrição: O semideus é capaz de se disfarçar e se infiltrar em um local inimigo sem ser percebido, movendo-se com discrição pelo ambiente para que não seja notado e cumpra seus objetivos naquele local com poucas chances de ser descoberto.
Gasto de MP: Nenhum.
Gasto de HP: Nenhum.
Bônus: +20% controle corporal, manipulação e raciocínio. O semideus tem 60% de chance de não ser notado no campo inimigo.
Dano: Nenhum.

Prática de Asanas
Descrição: O corpo é tão jovem quanto flexível. Exercícios de yoga enfatizam a saúde da coluna vertebral, a sua força, equilíbrio e flexibilidade. A prática dos Asanas (exercícios de Yoga) aumenta esses três atributos do semideus.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em equilíbrio e flexibilidade.
Extra: + 10% em Força.

Taekwondo I
Descrição: O taekwondo é uma arte marcial milenar da Coreia. Em coreano a palavra taekwondo possui o seguinte significado: caminho dos pés e das mãos através da mente. Após assistir a aula de combate, o aluno agora possui noções básicas e sabe melhor do que ninguém aplicar chutes referentes ao taekwondo. Ainda sabe apenas o básico do taekwondo, mas logo estará preparado para os golpes mais complexos que esta modalidade permite aprender.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +25 de dano em chutes; +30% equilíbrio, agilidade e flexibilidade.
Extra: Nenhum
habilidades passivas:
Nível 3
Nome do poder: Combate não Armado
Descrição: A prole da deusa Belona tem um vasto conhecimento sobre combates. Seu corpo e seu espíritos foram forjados para o combate. Assim, eles possuem a capacidade de luta corporal muito elevada, sabendo técnicas marciais mesmo que nunca tenha realizado uma aula sequer antes. As técnicas podem ser utilizadas para a elaboração de movimentos complexos, como mortais, piruetas, ataques acrobáticos e golpes que requeiram uma grande elasticidade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 10
Nome do poder: Força superior
Descrição: Os filhos de Belona são mais fortes do que a maioria dos campistas, podendo aguentar grandes cargas em suas costas sem alterar sua postura ou desempenho. Podem carregar até 3 sacos de farinha sobre os ombros, ou até mesmo uma pessoa em suas costas por uma longa distância, sem alterar seu desempenho físico.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de força.
Dano: +5% de dano caso usem para atacar alguém.

Nível 20
Nome do poder: Corpo Guerreiro II
Descrição: Seu corpo desenvolveu-se e tornou-se ainda mais pronto para a batalhas de longa duração. O metabolismo evoluiu e a fisiologia do semideus filho de Belona foi potencializada. A resistência corporal tornou-se melhor ainda, assim como a imunologia.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em resistência corporal, +40% de imunidade a infecções, venenos e doenças corriqueiras como viroses.

Nível 45
Nome do poder: Hipercinesia III
Descrição: Esse é o momento em que mente e corpo encontra-se em completa sintonia. Você não apenas pensa e age, mas como pode fazer os dois ao mesmo tempo. A leitura do ambiente torna-se perfeita, permitindo assim o combo de muitas outras habilidades ativas com a sua capacidade hipercinética. Sua mente e corpo tornam-se a sua maior e principal arma.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +50% em equilíbrio, coordenação motora e reflexos
Dano: Nenhum

avatar
Romeo Bernocchi
Pretores
Pretores

Mensagens : 603
Idade : 19
Localização : Acampamento Júpiter

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: IV Aula de Combate Corporal -//- Pontos Críticos

Mensagem por Max Hayes em Ter Jun 19, 2018 1:01 pm

Aula encerrada, prazo de 48h para postar a avaliação


Maxine Hayes


∆ LYL - FG


avatar
Max Hayes
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 476

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: IV Aula de Combate Corporal -//- Pontos Críticos

Mensagem por Max Hayes em Sex Jun 22, 2018 11:27 pm

Critérios de Avaliação

Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp


Mikhaela Petrova

Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Comentário: Milk! Eu adoro a sua personagem com todo o meu coração. O modo como ela enxerga e interpreta o mundo com seu jeitinho de garota de dez anos é diferente de todas as narrativas que eu já li aqui. Mas, cuidado, você utiliza muito de vírgulas. Isso pode ser aprimorado com o tempo! A dica que eu dou é de usar um pouco mais de pontos de continuação.


Aislynn Prescott  
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Comentário: Essa é a primeira vez lendo um post seu Aislynn e me vi bastante satisfeita. Cumpriu com o que foi pedido com sucesso.

Aprilla Deapryth
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Comentário: Foi agradável saber que fiz parte da sequência do destino de alguém :lua: Brincadeiras a parte, achei o seu treino direto, mas não menos eficaz e fluído.  

Prowler  
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Comentário: Um treino bem estruturado, direto e com todos os requisitos solicitados.

Louise S. Mitchell
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Comentário: Achei bastante criativa a maneira como você movimentou o treinamento, foi um ótimo treino Louise!

Romeo Bernocchi
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Comentário: Por toda a sua experiência, eu compreendo muito bem a sua vantagem de já saber coisas de batalha. Portanto, achei o treino coerente, além de você seguir toda a proposta solicitada.


Maxine Hayes


∆ LYL - FG


avatar
Max Hayes
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 476

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: IV Aula de Combate Corporal -//- Pontos Críticos

Mensagem por Cupido em Sab Jun 23, 2018 12:10 pm

Modo de avaliação
Introdução: 400 XP
Informação: 400 XP
Personagem: 400 XP
Missão: 400 XP
Habilidade: 400 XP
Total: 2,000 XP
Bônus: +30 XP por aluno.
Dracmas: 500 fixos + 50 por aluno

Max
Introdução: 400 XP
Informação: 400 XP
Personagem: 400 XP
Missão: 400 XP
Habilidade: 400 XP
Total: 2,000 XP
Bônus: +30 XP por aluno. = 2180 XP
Dracmas: 500 fixos + 50 por aluno = 800 Dracmas
avatar
Cupido
Deuses Menores
Deuses Menores

Mensagens : 161

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: IV Aula de Combate Corporal -//- Pontos Críticos

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum