The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

III Aula de Combate Corporal -//- Taekwondo I

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ir em baixo

Re: III Aula de Combate Corporal -//- Taekwondo I

Mensagem por Thomas M. Brynjolf em Sex Ago 17, 2018 12:46 am


Run for your life
This is the night of the werewolves



Observar minhas mãos era um pouco assustador às vezes. Me lembrar das noites em que eu permitia que a besta interior a controlasse e, mesmo que por um segundo, ver a imagem das minhas patas monstruosas cobrindo meus braços como se fossem uma projeção espiritual se tornava bem mais frequente. Assim como “flashes” em que eu olhava no espelho e enxergava um lobo no meu lugar, que desaparecia em menos de um segundo e minha imagem humana voltava a ser refletida. E como se eu estivesse desenvolvendo dupla personalidade, minha outra face conversava comigo às vezes. Não verbalmente, mas através de uma série de sensações que ele parecia me transmitir, conseguia entendê-lo perfeitamente numa linguagem que só nós dois conhecíamos. Não éramos muito diferentes, e ficávamos cada vez mais parecidos e próximos.

Eu não podia diminuir a qualidade dos meus atributos físicos nem um pouco antes de voltar para o covil dos lobos. Pelo contrário, eu precisava me fortalecer cada vez mais. Só Zeus sabe o que Chae me mandaria fazer da próxima vez que nos víssemos.

A arena era visitada por quase todos os campistas diariamente, já que era o único lugar do acampamento com espaço e equipamentos o bastante para treinarmos nossos atributos físicos, e ficar mais forte num lugar seguro era todo o propósito do meio-sangue. E era nesse mesmo lugar em que eu me encontrava, aquecendo os músculos com os equipamentos de musculação disponíveis.

Durante uma pausa no meu supino, ouvi dois semideuses comentando sobre o treinamento de taekwondo que aconteceria mais tarde, os dois também ajudavam na montagem de um tatame. Observei-os por alguns instantes antes de voltar para o meu treinamento, mas pensando seriamente em participar do treino aberto.



Cerca de quinze minutos mais tarde, eu estava de pé junto com mais um grupo de semideuses que se encontravam próximos ao tatame que, para algo improvisado, estava muito bem montado. Alguns campistas seguiam uma rotina de alongamentos antes da aula, e eu havia me juntado a eles. Aquela movimentação era bem relaxante depois de levantar tanto peso.

Max, a instrutora, deu início à aula nos contando alguns fundamentos e parte da história do taekwondo. Sempre me interessei em aprender sobre tal arte marcial, já que era sobre partes do corpo que eu não estava acostumado a utilizar. Como qualquer garoto dos subúrbios de Nova York, eu gostava muito de boxe. A diferença era que eu nunca morei em NY e nunca tive a chance de lutar boxe com alguém, mas isso não me impedia de encontrar alguma coisa para bater enquanto eu imitava os golpes que via nas lutas, e acabar levando sermão das freiras que ficavam no orfanato.  

Em menores escalas, eu copiava alguns dos movimentos de Max enquanto ela explicava os golpes. Coisas como posicionamento de pernas e braços, posições gerais do corpo, sempre prestando atenção na maneira com que ela se movimentava, e ouvindo a sua explicação verbal. A amazona demonstrou cinco golpes antes de nos liberar para a prática. Junto com os demais campistas, fui na direção dos bonecos e sacos de pancada que haviam sido colocados na arena para aquela prática específica.

Me certifiquei de que as barras do meu moletom não eram compridas o bastante para atrapalhar o movimento dos meus pés, já que eu havia ficado descalço para subir no tatame. Alonguei minhas pernas rapidamente e dei alguns saltos, me preparando para praticar.

Cerrei os punhos, respirando fundo, franzi a minha testa encarando o saco de pancadas na minha frente. Meu quadril girou apenas com o pé esquerdo apoiado no chão, enquanto o direito se levantava e era esticado na direção do alvo como uma lança. Meu pé posicionado na horizontal atingiu o saco de pancadas quando eu completei o meu movimento.

- Ainda não.

Senti um leve desequilíbrio no meu corpo, voltei à posição inicial para tentar de novo. Os movimentos de Max pareciam muito mais fluídos e eficientes do que os meus. Mesmo com toda a força bruta que o sangue de lobo me fornecia, me faltavam os outros componentes necessários para ter melhor eficiência nos golpes físicos.  

Fechei os olhos, me lembrando da demonstração que foi dada mais cedo e tentando remontar na minha mente a imagem da amazona demonstrando seu golpe. Abri os olhos e franzi a testa novamente, expirando o ar enquanto movimentava meu corpo. Atingi o saco de pancadas e o barulho foi ainda mais alto que antes, assim como a força que eu senti do impacto também foi maior. Um resultado bem melhor, mas longe do desempenho que Max demonstrou. O chute frontal dela era muito melhor que o meu.

Uma garota mais ou menos da minha idade se aproximou, perguntando se eu aceitaria treinar junto com ela. A semideusa carregava dois aparadores de treino consigo e parecia um pouco tímida em conversar com as pessoas, e passava a impressão de que havia se empurrado ao máximo para vir conversar comigo.

Se havia uma coisa que eu aprendi naquele acampamento foi a não julgar as pessoas pela aparência, ou seja, eu estava me preparando para receber o impacto de um touro investindo para cima de mim enquanto aguardava pelo chute da garota com os aparadores em mãos. O impacto do chute dela era decente, mas eu havia exagerado durante meu preparo.

- Tente girar mais o seu quadril, quanto maior o seu movimento, mais força o impacto vai ter.

Passamos alguns minutos praticando os golpes que Max nos havia passado. Revezando entre quem segurava os aparadores e quem chutava, observando os movimentos do outros e corrigindo os defeitos dos ataques. Detalhes como posição das mãos e equilíbrio durante todo o procedimento do ataque eram levados em consideração na hora de avaliar um ao outro.

Adendos:

Passivas:

- Combate não Armado
Descrição: Nos combates de uma guerra, muitas vezes o combatente acaba sendo desarmado, acabando sua munição ou perdendo sua arma, obrigando-o a utilizar apenas seus punhos para sobreviver. Sendo peritos em combates desarmados, os filhos de Ares/Marte sabem técnicas marciais de todas as artes marciais existentes, mesmo que nunca tenha feito uma aula sequer. As técnicas podem ser utilizadas para a elaboração de movimentos complexos, como mortais, piruetas, ataques acrobáticos e golpes que requeiram uma grande elasticidade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Seus golpes desarmados dão 20 de dano base.
- Força I
Descrição: Como demonstrado por Percy na série e é de conhecimento geral que Poseidon é mais forte que a maioria dos deuses por ser um dos três grandes, seus filhos possuem uma força superior à comum dos semideuses.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de força
Dano: +10% de Dano se o ataque do semideus atingir.
- Velocidade I
Descrição: Como demonstrado por Percy na série e é de conhecimento geral que Poseidon é mais rápido que a maioria dos deuses por ser um dos três grandes, seus filhos possuem uma velocidade superior à comum dos semideuses.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de velocidade
Dano: Nenhum
- Audição Aguçada I
Descrição: Independente da forma em que estiverem, os lycans têm esse sentido em especial muito mais desenvolvido que o restante das pessoas. Dessa forma, são capazes de ouvir tudo ao seu redor, sem muito controle sobre isso, o que pode causar desconforto em RPs sociais. Além disso, caso se concentrem unicamente nisso, podem ouvir os batimentos cardíacos alheios. Ambos os efeitos funcionam até 30m de distância.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 20% em audição, 30% se estiver na forma da besta.
Dano: Nenhum.
- Força I
Descrição: A força dos lycans é elevada devido aos músculos naturalmente melhor desenvolvidos para dilacerar e matar suas presas.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 10% em força; 20% em força se estiver na forma da besta.
Dano: Nenhum.
O golpe descrito no texto foi o Chute Frontal.
Melpomephy.. Black Set
avatar
Thomas M. Brynjolf
Lycans
Lycans

Mensagens : 179
Idade : 17
Localização : Wolves' Den/CHB

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: III Aula de Combate Corporal -//- Taekwondo I

Mensagem por Trevor M. Tikaani em Ter Ago 21, 2018 11:54 am

A arte da guerra
"A suprema arte da guerra é derrotar o inimigo sem lutar."


Comparecer a aulas estava se tornando algo comum para o filho de Quione. Curioso e ávido pelo conhecimento, não era algo que ele classificaria como compulsório, mas sim recompensador. Advindo de uma tribo de caçadores e guerreiros, não escondia que as aulas que cativavam sua atenção eram a de arquearia e combate físico. Naquele novo mundo, o Amaguk aprendia o modo de combate dos estrangeiros, aprimorando com o seu próprio.

Aquela era a segunda vez que se deparava com a instrutora loira. Tinha aprendido que ela, apesar de ser romana, tinha jurado lealdade a uma tribo diferente. As amazonas. Um grupo de mulheres guerreiras e que domavam o comércio. Trevor respeitava e admirava silenciosamente a tribo desde então. Mas não se atrevia a aproximar-se demais, pois logo lhe foi acrescentada a informação da ideologia de superioridade feminina. Ele já possuía traumas demais com as mulheres Amaguks, acreditava que não precisava de mais alguns em sua lista.

As instruções começaram e, como de costume, o treinamento aconteceria na arena previamente modificada. Tikaani apreciava o conhecimento prévio, da história que precedia o conceito de combate, pois assim aprendia que existia um vasto e desconhecido mundo ao seu redor. Maior do que tinha imaginado, enquanto admirava o horizonte proibido em sua tribo. Logo após veio o aquecimento, algo que ele prontamente precisou de ajuda, já que para os outros isso era algo normal.

Você precisa flexionar mais os joelhos. Lembre-se, a base é importante para o equilíbrio e a postura corporal. — A instrutora amazona comandava a sua frente, de maneira mais gentil do que fizeram em seu passado. — Isso, melhor. Depois imite os meus movimentos.

Max Hayes não questionou a falta de conhecimento do lupino, o que o fez se sentir mais confortável. A imitou da melhor maneira que poderia, estranhando algumas posições que tinha de fazer para relaxar os músculos. No entanto, teria de admitir sentir o corpo mais propício ao exercício, imaginando se as dores que sentia no passado não eram resultado de uma falha na preparação antes de uma caçada.

Devido ao seu treinamento anterior, realizou o chute frontal com segurança. Sabia agora como posicionar as pernas, já que passou pela aula de Muay Thai. Prestou atenção no mover do quadril e a postura de sua coluna, antes de esticar a perna e tentar flexibilizar a direção de seu golpe.

Ei — Uma voz feminina surgiu ao lado de Trevor, o fazendo desequilibrar um pouco. Desfez a postura de combate, desviando o olhar para a desconhecida. — A parte de treino é em dupla. Eu sou June, vou te ajudar novato.

Trevor concordou com um acenar de cabeça. A garota a sua frente era alta, quase de seu tamanho e possuía uma energia positiva ao seu redor.

Trevor. — Apresentou-se apenas, sabendo agora que não se falava de onde vinha. Os seres modernos não mais se identificavam como, Cristian de Nova Iorque, ou Kate de São Francisco. — Será uma honra.

Para o garoto aborígine, realmente classificava qualquer conhecimento compartilhado como algo honroso. Aos olhos de June, isso pode ter soado engraçado, já que ela riu baixo e pegou as luvas corretas para o treinamento, contendo almofadas para amparar os chutes a serem treinados.

Vi que treinou o chute frontal, vamos com o lateral agora.

Trevor seguiu o pedido, sem ter motivos para contradizer a garota. Posicionou o corpo, lembrando que o inimigo precisava estar a sua lateral para que o golpe fosse aplicado corretamente. Apoiou o corpo sobre o pé dominante e tentou o chute, assim como fizera com o frontal. Ao falhar, franziu o cenho, pois a execução havia sido fraca. Perdeu o equilíbrio facilmente, possuindo assim uma base fraca.

June deu a dica de girar o pé na hora da execução, pois a postura tinha de condizer com o tipo de golpe. Miki ergueu a perna e flexionou o joelho, então testou mudar a posição do pé antes de executar o chute. Ficou satisfeito, já que se sentia muito mais seguro daquela maneira. Retornou a posição para tentar harmonizar novamente os seus movimentos, aplicando um segundo chute. Porém saiu mais lento do que esperava. Dessa vez, fora Max quem aproximou-se para dar dicas, refazendo o movimento de maneira lenta.

Não perca o processo de vista, ou vai fazer um chute fraquinho. Primeiro erga o joelho, flexione na direção do tronco e estique o pé na direção do inimigo. Não esqueça que é para visar atingir com o calcanhar!

Pronto para mais uma, Trevor? — June bateu as mãos antes de afastar-se e dar mais uma chance para o lupino.

Não teve pressa em seu primeiro movimento. Posicionou-se e ergueu o joelho, mantendo o ritmo ao girar o pé como June tinha instruído. Depois, puxou o joelho em direção ao tronco, que estava levemente inclinado. Esticou a perna, sentindo facilidade com o movimento, conseguindo finalmente sustentar um equilíbrio agradável. Mirou o chute na almofada erguida pela sua companheira de treino, sorrindo ao finalizar de maneira correta o chute. O treinou mais duas vezes antes de conseguir executá-lo de maneira fluída e limpa, sem hesitações.

Depois, alternou com a outra garota, a ajudando a realizar o chute gancho. Quase fora acertado em diferentes partes do corpo, o que fez June dar de ombros e pedir desculpas, mas sem nem ao menos ter o rosto vermelho. Por mais cansado que estivesse, realizar os chutes seguintes foram mais fáceis, pois funcionavam de maneira similar. Ele precisava, entretanto, focar a atenção no procedimento, pois deixar de flexionar o joelho ou posicionar corretamente o corpo, comprometia todo o trabalho que estava sendo feito.

O mais difícil fora, sem dúvidas, o chute circular. Este envolvia mais energia e equilíbrio do que os outros, exigindo mais partes do corpo em funcionamento. Tanto o filho de Quione quanto a própria June caíram umas duas ou três vezes, até conseguirem acertar o equilíbrio corretamente. No fim, o garoto estava exausto, sentado no chão enquanto recuperava as forças.

Te vejo por ai, Trevor! — June tocou no ombro do garoto, sorrindo grande para ele.

Até. — Foi a despedida curta proferida pelo lycan, mas, desta vez, ele estava sorrindo abertamente.

「R」
avatar
Trevor M. Tikaani
Lycans
Lycans

Mensagens : 48

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: III Aula de Combate Corporal -//- Taekwondo I

Mensagem por Lim YeongMi em Seg Ago 27, 2018 2:21 pm


Aula

Nem todos os semideuses foram criados de forma semelhante, apesar das óbvias peculiaridades físicas gerais que vinham – quase sempre – no pacote que era ser meio-divino. YeongMi estava entre a minoria que detinha apenas uma parte de seus direitos divinos. Ela não tinha predisposição para o combate, nem o distúrbio de déficit de atenção que parecia acompanhar parte das crianças que ocupavam o Acampamento. Além disso, ela não tinha a visão perfeita do semideus. Os olhos que deveriam funcionar perfeitamente, na intenção clara de ver qualquer movimentação inimiga tinham dificuldades em ler placas na rua. Mas Lim não se sentia menos do que qualquer criança... ela apenas se sentia atrasada, com suas lentes corretivas sendo mantidas em segredo e toda a fachada que indicava que estava tudo bem.

Tudo isso significava que ela precisava trabalhar mais do que todo mundo. E foi exatamente pensando nisso que ela deixou o chalé de Nyx, após ser acordada por uma garota loira bastante barulhenta. Obviamente após arrumar-se e decidir não ir até o refeitório, consciente que a disposição caia no momento que estivesse devidamente alimentada.

Chegar até a arena não foi exatamente um trabalho difícil, diante da quantidade de semideuses transitando pela trilha dos chalés, portando armas e parecendo animados. Segui-los foi uma opção bastante fácil e inteligente. Com a própria espada pressionando o quadril do lado direito, em um lembrete que naquele dia em específico existia um destino e algo para fazer. O pensamento facilmente afastando a inutilidade que YeongMi sentia. Juntando-se a um grupo que estava aos arredores da arena, com tatames arrumados pelo chão. O cenário não lhe era estranho, ficando evidente que era de uma aula sobre Taekwondo quando uma mulher loira começou a falar. Obviamente ela era a instrutora e parecia bastante equilibrada, assim como os mestres de Taekwondo que costumava ver na televisão quando mais jovem.

Ela indicou que deveriam iniciar um aquecimento, para o corpo se preparar para a atividade física que iria se seguir. YeongMi não sabia exatamente o que fazer, por ser... quase completamente sedentária. Ser bonita costumava ser sua única característica marcante, veja bem. De modo que Lim não sabia como se alongar, olhando em volta em uma tentativa de copiar os movimentos dos outros campistas, encontrando uma variedade de movimentos e escolhendo um rapaz como modelo. Esticando os braços sem saber ao certo o que estava fazendo. Ela levou o braço direito até as costas, o passando pela frente do próprio corpo e o segurando o braço livre, provocando um estalar bastante alto do osso do ombro. Certo. Ela passou para o outro lado, repetindo mesmo estalar, fingindo não ver a instrutora a olhando em dúvida.

Demorou alguns segundos até Max vir ajudá-la, demonstrando o que Lim deveria fazer. Provocando mais ossos estalando. E se YeongMi possuísse algum senso de vergonha ela certamente teria ficado constrangida por não saber absolutamente nada, mas aquilo era parte natural da vida: aprender algo.

A aula iniciando de fato assim que todo mundo terminou o alongamento. A amazona indicando que deveriam fazer uso da parte mais dura do pé para chutarem, já que existiam chances dos dedos quebrarem, indicando também que a força estava no quadril. Obviamente foi aí que ela começou a se preocupar. Lim nunca foi a pessoa mais equilibrada do mundo e manter o corpo em qualquer posição de chute era algo que ela achava impossível. A certeza se concretizando em um fato à medida que a instrutora realizava os chutes e explicava o básico de cada um deles, como eram feitos e o que era utilizado. YeongMi quase riu, contemplando o fato de que era péssima. Sentindo pena da garota que sobrou para ser sua dupla.

- Já aviso que sou muito ruim e que vou cair muito. - Ela indicou assim que a turma toda pareceu se preparar para praticar, oferecendo um sorriso de desculpas a moça de pele escura, que deu ombros, como se não se importasse muito.

Por uma questão de estratégia e facilidade, YeongMi escolheu o primeiro chute, consciente que não era tão flexível para lidar com os outros, talvez em um futuro distante fosse capaz de lidar com os demais. Além disso aquele tinha uso do joelho primeiro, para depois esticar a perna. Isso, na cabeça de Lim, deveria ajudá-la a se manter equilibrada. Ela não demorou a tentar realizar os movimentos, se aproximando da própria dupla que parecia entediada com a demora de Lim.

Começou erguendo o joelho na direção da coxa da outra semideusa, esticando o restante da perna quase como se estivesse testando a funcionalidade da própria perna, recuando a mesma de imediato como se fosse chutar de verdade da próxima vez. O que ela tentou fazer, deixando claro. Acontece que o movimento estava errado, sem a movimentação do quadril para frente ou a utilização da sola do pé. Além dela quase ter caído. Seu equilíbrio era realmente ruim, como uma criança que não estava realmente consciente do próprio corpo. Obviamente YeongMi continuou tentando. Ouvindo a garota comentar sobre o fato de que ela não havia utilizado o quadril ou a parte correta do pé.

E, na próxima tentativa, tentando utilizar o quadril ela perdeu o equilíbrio, caindo no tatame com uma expressão confusa no rosto. Sem compreender ao certo o que estava fazendo de errado. Ela só compreendeu como chutava quando a instrutora explicou que ela estava apoiando o peso de forma errada e jogando o quadril mais do que deveria. Depois de diversas tentativas, YeongMi tentou novamente, daquela vez tentando aplicar todas as dicas que havia recebido ao longo da aula, mantendo o corpo na postura que achavam ser adequada e realizando o chute assim que ergueu o joelho e realizou o movimento necessário com o quadril, completamente concentrada no que fazia. Daquela vez o chute foi realizado de forma correta, ainda que Lim não conseguisse atingir as outras alturas devido a pouca flexibilidade.
+ tag Max e NPC.
+ notes Aula.
BY MITZI




FOXY

Don’t misunderstand, my easy smiles are for myself.
avatar
Lim YeongMi
Filhos de Nyx/Nox
Filhos de Nyx/Nox

Mensagens : 38

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: III Aula de Combate Corporal -//- Taekwondo I

Mensagem por Aislynn Prescott em Ter Ago 28, 2018 6:45 pm


As aulas de combate corporal ajudavam Aislynn a desfazer parte de suas energias acumuladas. Inicialmente acreditava que não conseguiria participar, o pensamento que carregava era que utilizaria exclusivamente a força, algo que estava longe de ser o seu ponto forte. Todavia, com Max aprendeu que as modalidades ensinadas não se resumiam apenas nisso, eram muito mais que brutalidade. Com esta nova ideia em mente, a semideusa estava agora na aula de Taekwondo em busca de mais treinamento de defesa corporal.

Aquecendo-se, utilizando os recursos disponibilizados na arena, Aislynn se preparava. O suor escorria por seu rosto enquanto terminava de socar o saco a sua frente, optou por realizar um ritmo de dois socos seguidos, uma pausa leve e mais dois chutes. Repetia a sequência para aquecer o corpo, mas buscando não desgastar demais a sua energia. Além desse último preparo, aqueceu os membros inferiores e superiores com alongamentos, não queria sofrer caibra logo na primeira tentativa. Gostaria de estar em seu melhor estado.

Achou interessante a instrutora falar sobre a história do Taekwondo e o significado da palavra. Querendo ou não, mesmo que claramente alguns desgostaram da ideia, era uma informação útil saber sobre o que praticavam, a origem. Não demorou para Max reuniu a turma, encerrando o tempo de aquecimento para seguirem com a próxima etapa. Antes de começar qualquer apresentação de chutes, a amazona buscou trazer algumas informações importante para o bem-estar de seus alunos.

— Se não quiserem ter os dedos do pé quebrados, evitem chutar com eles. — Começou com um sorriso travesso. — Acerte o alvo com a sola do pé. Se teimarem... bem, não digam que não avisei. — Acrescentou dando de ombros. — Não pense na força que utilizara para chutar, mas sim em como usara o quadril, pois acreditem quando digo que as força também estão neles. —  Piscou antes de gesticular com as mãos, era a hora de sair da teoria e colocar em pratica os ensinamentos da amazona.

Uma sequência de demonstração de chutes foi feita por ela, deixando a filha do Sol impressionada. Seus olhos estavam vidrados na potência e precisão de como ela realizava os movimentos. Quando encerrou, esperou que respondessem que entenderam, Aislynn precisou piscar duas vezes e, sentindo-se envergonhada, levantou a mão e pediu para repetir, pois não sabia sequer por onde começar. Não vendo problema, a instrutora recomeçou, dessa vez atentou-se a fazer devagar. Buscando memorizar os cinco chutes mostrados, a semideusa tratou de seguir para um saco de pancada para tentar nele o que visualizou.

Iniciou com o chute frontal, era nítida a sua falta de experiência com esta aria. Ergueu o joelho na direção do seu alvo como a viu fazer, girou o pé de apoio e esticou a perna. Acertou a parte inferior do saco, mas no mesmo instante que seu pé o tocou seu corpo voltou para trás fazendo-a tombar. Não pôde deixar de rir de si assim que caiu no tatame, contabilizou um a zero para o saco de pancada. Levantou dando leves tapinhas na sua calça legging, odiava-a, mas querendo ou não era melhor do que o seu jeans habitual neste momento.

Aproximou-se novamente do saco. Dessa vez fechou os olhos na tentativa de recordar em sua mente as instruções dadas por Max e o modo com que ela realizou. — Erga o joelho na direção do alvo. — Sussurrou, ainda com os olhos fechados, enquanto fazia os comandos com o corpo. Supôs que o lado direito era o fraco do seu adversário imaginário, por isso, tratou de deixar a sua coxa direita apontada para ele. Abrindo os olhos para verificar se estava mirando corretamente e acabou mantendo-os assim.

Este processo estava sendo extremamente demorado. Acabou olhando para os lados e envergonhou-se ao notar que muitos já tinham feito ou já estavam em outras sequências. Negando com a cabeça, focando em si na busca de não se compara com os demais, continuou com o processo. Cada um possuía o seu tempo, ela deveria aprender a respeitar o seu. — Girar o pé de apoio. — Continuou, buscou perceber como se sentia nessa posição. Estava desconfortável, ajustou um pouco mais o seu pé de apoio colocando-o mais para o lado. A diferencia veio imediata ao sentir firmeza diferente de antes.

Estava prestes a esticar a perna, porém parou ao olhar para a amazona e a ver negando com a cabeça, como se tivesse esquecendo de algo. A confusão foi eminente na expressão de Aislynn. Notando, Max acabou dando uma forcinha apontando para os quadris, com isso sua aluna finalmente notou o erro: esqueceu da importância dos quadris. Ciente de seu descuido, tratou de corrigi-lo. Como para memorizar da forma correta, recomeçou todo os passos. Após novamente girar o pé de apoio mais uma vez, buscou jogar o lado direito da pélvis para a frente, já que seria este lado que chutaria.

Por fim, esticou a perna na parte inferior do saco. Ocorrendo o contato com o saco de pancada, não voltou para trás e caiu como a primeira vez, na realidade continuou no mesmo lugar. Um sorriso de orelha a orelha apareceu em sua face antes de colocar o pé no chão. O chute foi bem fraco, mas só de não ter caído já era um grande progresso. Na busca de aprimorar, não tardou a tentar mais e mais vezes as etapas. A cada finalização com o pé o saco balançava mais. Aislynn sempre variava seus chutes atingindo a parte superior, inferior ou o núcleo. Além disso, também trocava de perna uma vez que em uma luta real seria bom ter ao menos o básico em ambos os lados.

A cada chute seu corpo aparentava corresponder melhor ao comando estabelecido, mais e mais assemelhava-se com o chute frontal dado pela instrutora. Não estava mais tão desengonçado. No momento em que a sola do pé atingiu o saco de pancada fazendo um belo estrondo, comprovando que estava realizando um bom uso dos seus quadris, Aislynn se sentiu satisfeita e buscou passar para os demais chutes. Aquele era só o começo.

Prosseguiu para o próximo, mudando a posição para deixar o saco na sua lateral, assim como o próprio nome dizia. Suas primeiras tentativas chegavam a ser horríveis de se ver, Aislynn não imaginava a linha do oponente e muito menos mantinha uma base firme, o que resultava na sua falta de equilíbrio. Diferente do outro, este a estava deixando emburrada uma vez que não avançava. Assistindo de longe seus alunos, Max se aproximou da Prescott e a auxiliou em algumas estratégias, incluindo sobre a linha do oponente, enfatizando sempre sobre a importância do quadril. Com mais essas dicas, não demorou para que ela pegasse o jeito e finalmente executar um belo chute lateral.

Depois de um certo tempo, saiu de perto do saco de pancadas optando por usar um boneco de treino para tentar executar o chute de gancho. A sua respiração estava ofegante, buscava se acalmar para não respirar de forma incorreta e perder mais energia do que o necessário, chegou a realizar uma pausa, molhar a garganta com água gelada antes de continuar. Pretendia aprender os chutes, seriam importantes para aumentar o seu arsenal de defesa pessoal, se esquecesse de se hidratar teria problemas. Entre todos até o momento, este foi o que lhe rendeu mais trabalho, pois toda vez que chutava não acertava o boneco.

No decorrer da prática, Aislynn começou a se preocupar com a noção do espaço. Tratou de analisar o que estava errando, o motivo de que quando esticava o pé não conseguia alcançar, ou quando conseguia não parecia ser efetivo. Riu da bobeira que estava dando, queria acertar a cabeça do seu adversário, mas seu pé não alcançava, tratou de mudar para o ombro e finalmente conseguiu acertar. Ficou mais um tempo neste para aprimorá-lo assim como os demais. Com o chute para trás, Aislynn não conteve a voz, solando uns grunhidos a cada tentativa. Por ficar de costa para o boneco, algumas vezes levava o seu pé para a direita demais e errava seu adversário, mas nada que mais algumas práticas não puderam ajudá-la a corrigir.

Na rodada final, a semideusa já estava completamente encharcada de suor. Parecia ter tomado um banho de água, apesar de que era o que queria por agora. Felizmente ter o céu aberto proporcionava mais energia trazida pelo sol, mas até ela possuía os seus limites. Realizar o chute circular não foi nada fácil, chegava a ficar tonta de tantas vezes que rodou antes de conseguir algum progresso. No fim acabou falhando miseravelmente, a execução não se completava, chegou a um dado momento que não conseguia sequer esticar o pé. Notando que encontrou o limite, Aislynn acabou deitando no tatame e se permitindo descansar. Falhou neste, mas mesmo assim estava feliz. Entre cinco conseguir executar quatro era motivo de se orgulhar. Aos poucos estava aprendendo a não focar mais nas falhas e sim nos seus pontos positivos.


The A³B Squad
avatar
Aislynn Prescott
Filhos de Apolo
Filhos de Apolo

Mensagens : 180
Idade : 12
Localização : Tomando um Sol por ai

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: III Aula de Combate Corporal -//- Taekwondo I

Mensagem por Louise S. Mitchell em Qui Ago 30, 2018 10:41 pm


Princesa de Afrodite
A rose with thorns



A imagem da foto do seu pai presa na parede estava deixando a feiticeira louca. Circe não respondia sobre o que deveria ser feito. Louise por outro lado ficava inquieta andando de um lado ao outro, um humor monstruoso. Quando o sol nasceu na ilha, levantou-se da cama e vestiu a sua habitual roupa. Precisava espairecer e quando se viu, tinha criado um portal e atravessado para o acampamento meio sangue. O seu plano era caminhar até a praia e colocar a sua mente para trabalhar, mas logo foi abordada por um grupo de campistas que se dirigiam a área de treinamento.

— Hum. – Disse ao ouvir o motivo daquela aglomeração. Max, uma amazonas igual a sua irmã Elena estaria dando um treinamento especializado. Não vestia algo propicio, mas também nada a impediria a depender do desenrolar.

Se encaminhou em direção a arena e logo foi surpreendida por toda a mudança. Tatames de todos os tamanhos e cores cobriam o chão, o que dizia que o treinamento logo seria a respeito de lutas marciais, o estilo predileto de Louise. Sentiu-se animada e por um tempo esqueceu os seus reais problemas. Afastou-se um pouco para se aquecer os músculos, tinha aprendido que um corpo preparado assimilava melhor.

Quando Max chegou na arena, ela abriu um sorriso amistoso e acenou educadamente.

— Hey, Max. Estou eu aqui de novo! – Brincou. Elas não tinham quase nenhum contato, mas depois do episódio lamentável com a seita, elas se esbarravam em todos os lugares. Mas, ainda assim ela não tinha sido convidada a visitar a base da Amazon, sempre teve muitas curiosidades.

Max iniciou explicando o básico sobre a modalidade a ser apresentada, taekwondo. Louise sabia que era uma modalidade antiga, muitos filmes principalmente asiáticos apresentavam aquele estilo de luta. Envolvia muito as pernas e a força. A amazonas demonstrava nos bonecos alguns principais golpes e para uma baixinha magricela, ela surpreendia. A feiticeira sabia que nunca deveria estressar a outra, os riscos de ir parar em um hospital era alto demais. Em seguida foi pedido para cada participante escolher um boneco e pôr em prática a demonstração.

Louise escolheu um boneco praticamente do seu tamanho, ela achava importante imaginar no alvo um homem. Ela sabia que toda a luta tinha uma posição base, o que ajudava no equilíbrio. Prestou bastante a atenção em Max e percebeu que os seus pés se afastavam um do outro. Suspendeu as pernas para deferir um golpe lateral e logo em seguida após acertar se jogou no chão agarrando o pé. Tinha acertado o dedo no alvo, não muito forte para quebrar, mas o suficiente para fazê-la gemer de dor e ganhar a atenção da instrutora.

— Você não pode chutar com os dedos e nem com a perna. – Max sentou ao lado da garota que tentava ignorar a dor absurda. — A sola dos nossos pés e o calcanhar são as partes mais resistentes, por isso aconselho que use-as a partir de agora. — Ela fazia força para não rir de Louise. Na verdade muitos estavam rindo, uma filha de Afrodite focada em maquiagem e feitiços tinha acertado o pé errado no boneco, nenhuma novidade. Recuperou a dignidade e levantou ainda mancando.

— Vou tentar me lembrar dessa dica. – Respondeu sem graça.

Posicionada a frente do boneco novamente, ergueu as pernas e precisou colocá-las rapidamente no chão para não cair.

— A força está nos quadris. – Max colocou a mão nos quadris de Louise. — Está sentindo esse músculo aqui? – Ela mexeu. — É aqui que entra a nossa força, você força essa parte para posicionar os pés no alto, isso é a base para qualquer modalidade de luta usando os membros inferiores. – Louise sentiu-se envergonhada por ter utilizado vários chutes em sua jornada como semideusa e descobrir que fazia da forma errada. — Tenta novamente.

A feiticeira focou os músculos do quadril e ergueu a perna, queimou, entretanto conseguiu segurar por um tempo. Começou então a desferir chutes frontais, visto que percebeu ser o mais fácil de realizar. O bom do ataque era que poderia atingir a barriga, o peito e o pescoço, embora para isso exigisse um alvo mais baixinho. Ficou naquele movimento durante algum tempo, sentindo que conforme treinava, se tornava mais fácil.

Partiu então para o próximo passo, o chute lateral. Era de longe difícil, envolvia movimentos de pés e sinceramente sempre agarrava no tatame. Louise percebeu que deveria lutar usando sapatilhas e em terreno liso.

— Erga o joelho primeiro e depois flexione os pés. – Max demonstrou. Louise perguntou-se a instrutora ficaria ali o tempo inteiro a fazendo de a mais lerda da turma. — Quando você flexiona os joelhos, o chute fica mais rápido e mais longo. – A amazonas realizou os movimentos inúmeras vezes. — Tente você. – Disse Max se afastando para socorrer outra semideusa.

Louise ergueu o joelho, flexionou e então jogou as pernas com tanta força que bateu no boneco alvo e em seguida voltou caindo no chão. Definitivamente aquele golpe era mais potente e exigia mais equilíbrio. Treinou o chute lateral por vários minutos, tentando entender a força necessária e como não “voltar” após atingir o alvo. Ao final da aula, a feiticeira estava deitada de barriga para cima, suada e completamente relaxada. Exercícios físicos sempre a deixavam de bom humor.

Por fim levantou-se satisfeita e acenou um adeus breve para a instrutora.

— Quando tiver um novo treinamento sabe onde me encontrar. – A feiticeira sorriu. — Ilha de Circe, Mar de Monstros. – Balançou os dedos e partiu deixando a arena para trás. Quando se viu longe o suficiente se permitiu mancar. — Acho que fraturei meu dedinho.      

FPA:

Melpomephy.. Black Set


Aphrodite's Sorceress Princess
Royalty of Olympus
avatar
Louise S. Mitchell
Lider das feiticeiras
Lider das feiticeiras

Mensagens : 342

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: III Aula de Combate Corporal -//- Taekwondo I

Mensagem por Max Hayes em Sex Set 07, 2018 1:50 pm

Aula encerrada, logo mais sairá a avaliação


Maxine Hayes


∆ LYL - FG


avatar
Max Hayes
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 519

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: III Aula de Combate Corporal -//- Taekwondo I

Mensagem por Max Hayes em Dom Set 09, 2018 11:35 am

Eu gostaria de encontrar algum erro só para poder auxiliar vocês, mas meus alunos são uns lindos! Seria desnecessário fazer uma avaliação particular sendo que todos tiraram nota máxima.


Para todos

Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Habilidade adquirida
Nome: Taekwondo I
Descrição: O taekwondo é uma arte marcial milenar da Coreia. Em coreano a palavra taekwondo possui o seguinte significado: caminho dos pés e das mãos através da mente. Após assistir a aula de combate, o aluno agora possui noções básicas e sabe melhor do que ninguém aplicar chutes referentes ao taekwondo. Ainda sabe apenas o básico do taekwondo, mas logo estará preparado para os golpes mais complexos que esta modalidade permite aprender.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +25 de dano em chutes; +30% equilíbrio, agilidade e flexibilidade.
Extra: Nenhum



Maxine Hayes


∆ LYL - FG


avatar
Max Hayes
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 519

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: III Aula de Combate Corporal -//- Taekwondo I

Mensagem por Febo em Qua Set 12, 2018 5:01 pm

Atualizado.
Max recebe 150 XP (30 por cada aluno) e 250 Dracmas (50 por cada aluno).
avatar
Febo
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 361

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: III Aula de Combate Corporal -//- Taekwondo I

Mensagem por Céline Bernard em Sex Nov 02, 2018 1:45 pm

TREINO!
aprendendo a bater
Como uma loba, praticamente todos os meus ataques eram corporais, — você não vê um lobo segurando uma espada, vê? —, mas eu não considerava meu controle corporal a melhor coisa do mundo. Sendo bem sincera, era uma vergonha perto de meus companheiros fedorentos de grupo. Quando fui informada sobre a aula de Taekwondo, fui a primeira a correr para a área onde a instrutora realizaria a aula.

Infelizmente, eu estava de volta ao Acampamento. Querendo ou não, a guerra se aproximava de ambos os espectros. A escuridão havia se preparado para ela e agora era a vez da luz. Eu tinha experienciado de perto o que aqueles monstros podiam fazer quando passara um tempo no Tártaro e não quero que as pessoas que eu amo, — a pessoa, para ser mais exata —, sofram. Enquanto eu pudesse protege-las, o faria. Se o meu defeito era a falta de controle corporal, trabalharia naquilo até aperfeiçoar-me o suficiente.

Como uma descendente de coreanos, a história sobre o Taekwondo explicada pela loira não me era desconhecida. Meus ascendentes eram, — em sua grande maioria —, orgulhosos das conquistas de seu país e essa modalidade de luta era uma das maiores do mundo, por isso eu sabia o básico sobre ela. Nunca tinha chegado a treiná-la ou a ver alguém praticar a mesma. Sabia sobre o criador, de onde vinha e algumas coisinhas a mais. Não poderia ser considerada uma grande conhecedora, apenas tinha lido algo aqui e ali quando menor.

Passei a me alongar no segundo que ela deu a aula como iniciada. Não era doida de sair chutando as coisas. Evitaria uma lesão a qualquer custo. Puxei meu pescoço para um lado, depois para o outro. Alonguei os braços sem pressa nenhuma e movimentei as partes de baixo com muito cuidado. Na minha cabeça, eu parecia uma linda atleta se preparando para uma corrida graciosa. Entretanto, tinha certeza que eu mais parecia uma ogra prestes a devorar um semideus inocente. De qualquer jeito, o importante era não se machucar.

Encontrei logo um saco de pancadas para botar em prática o que tinha observado Max fazer. O primeiro passo era a postura já que eu estava treinando o chute lateral. Me posicionei na lateral em relação ao objeto, tomando uma boa distância para que apenas o meu pé o atingisse. Antes de começar a meter a porrada, ergui minha perna, tentando encontrar o jeito perfeito para me posicionar com o membro levantado sem despencar no chão. Para ajudar-me, mexi os braços. De tão destrambelhada que sou, acabei por cair no chão, ralando levemente o meu braço, — como todo animal pensante, tentei absorver o impacto com ele, acabando por fazer um leve machucado no mesmo. Dei um pulo para sair da posição que estava. Engoli toda a minha vergonha e passei a tratar o equilíbrio com menos truques aprendidos em desenho animado e com mais determinação.

Ergui o meu joelho o mais próximo do tronco que consegui. Segundo a instrutora, isso faria com que o meu movimento fosse mais rápido e mais longe. Ou qualquer coisa desse tipo. Antes de chutar, me obriguei a prestar atenção nos dedos do pé. Não queria quebra-los, estávamos quase em guerra e eu não poderia me dar o luxo de ter uma fratura. Abri os quadris para dar impulso no golpe, usando o calcanhar para acertar o meu boneco de treinamento. Como eu estava apenas trabalhando em acertar as posições, não era rápido e mortífero, era lento e desajeitado.

Eu sabia que com o tempo, melhoraria minhas habilidades. Quando finalizei o primeiro movimento, passei as mãos por minha coxa, em um tipo de massagem rápida, para aliviar a sensação de formigamento. Ficar com aquela parte erguida me deixava esquisita. Dei uma pausa de alguns minutinhos e continuei a acertar o objeto. Aos poucos, melhorava o meu ritmo e ficava um pouco menos desastrado.

Ao considerar-me pronta, chamei um outro campista para me ajudar. Não o conhecia, mas iria meter-lhe o chute para demonstrar o que já havia aprendido. Graças a Deimos, não me sentia mal em aplicar a violência gratuita naquela pobre alma.

Dei de ombros, ficando na postura inicial. Para parecer mais profissional, fechei minhas mãos em punhos, fingindo que sabia o que estava fazendo. Dei um sorriso de canto ao erguer minha coxa. Repeti as instruções, mantendo meu joelho perto o suficiente de meus seios e atingindo o garoto com a parte externa de meu pé dessa vez. Ele soltou um grunhido, talvez por causa da minha força de cachorra raivosa.

Soltei um rosnado de felicidade ao receber aprovação de Maxine. Essa lutinha não era coisa de criança. Estava suando aos montes e extremamente cansada, mesmo tendo treinado pouco. Limpei meu rosto com a camiseta, indo descansar antes de continuar com a aula. Sinceramente? Isso de meter a porrada com os próprios punhos, — ou pernas —, é complicado.

Treino feito pelo evento Novembro Olimpiano.

Adendos:

Poderes de Lycan:
Nível 10
Nome do poder: Força I
Descrição: A força dos lycans é elevada devido aos músculos naturalmente melhor desenvolvidos para dilacerar e matar suas presas.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 10% em força; 20% em força se estiver em alguma forma lupina.
Dano: Nenhum.

FPA.


「R」


The moon rises And I am becoming you. We were so different, But my heart Is now being colored with you.
avatar
Céline Bernard
Lycans
Lycans

Mensagens : 62
Localização : Covil.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: III Aula de Combate Corporal -//- Taekwondo I

Mensagem por Hela A. Deverich em Sab Nov 03, 2018 2:22 pm

Modelo de avaliação:

Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Céline



Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Habilidade adquirida
Nome: Taekwondo I
Descrição: O taekwondo é uma arte marcial milenar da Coreia. Em coreano a palavra taekwondo possui o seguinte significado: caminho dos pés e das mãos através da mente. Após assistir a aula de combate, o aluno agora possui noções básicas e sabe melhor do que ninguém aplicar chutes referentes ao taekwondo. Ainda sabe apenas o básico do taekwondo, mas logo estará preparado para os golpes mais complexos que esta modalidade permite aprender.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +25 de dano em chutes; +30% equilíbrio, agilidade e flexibilidade.
Extra: Nenhum
Atualizado por Juno
avatar
Hela A. Deverich
Líder de Hécate
Líder de Hécate

Mensagens : 1093
Idade : 20
Localização : xxx

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: III Aula de Combate Corporal -//- Taekwondo I

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum