The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Promoção de Natal -//- Imperium

Ir em baixo

Promoção de Natal -//- Imperium

Mensagem por Max Hayes em Qui Jan 18, 2018 12:56 am





Amazonas
Outros NPCs
Mad Max

Existiam poucos países cujo regime político ainda seguiam o sistema monarca. O reinado mais popular na atualidade é, sem sombras de dúvidas, o dos ingleses. Para Hayes aquela era uma realidade distante, mesmo que no mundo dos negócios de sua família muitos ainda usassem adjetivos como império, reinado e reis da negociação. Porém, ainda mais antiga do que a própria monarquia da Inglaterra, existia outra organização política e econômica que persistia como um reinado mesmo depois de mais de dois milênios.

O das Amazonas.

Era por isso que Max encontrava-se um tanto ansiosa e nervosa, sentada em uma das inúmeras cadeiras disposta na sala de reuniões, aguardando a chegada da Rainha Ryla. Essa era a primeira vez que participava de um encontro como esse, tendo sido designada como participante por Yasmin e Jess, suas companheiras mais frequentes em missões pequenas. No primeiro instante em que recebeu a notícia, a filha de Júpiter apenas riu pensando que era uma brincadeira, mas ao deparar-se com os semblantes relativamente sérios das duas outras garotas entendeu que elas a estavam inserindo ainda mais no cotidiano das amazonas. — Você fez um ótimo trabalho na noite de Ártemis — Jess argumentou dando de ombros — Isso ficou claro no relatório que eu e Yaz fizemos, então a Rainha solicitou sua presença dessa vez e nós concordamos.

E foi assim que ela foi parar ali, em meio a amazonas veteranas enquanto bebia um copo de café para disfarçar a ansiedade. Deuses, aquilo a lembrava das reuniões que Karl Hayes a obrigava participar apenas para tentar despertar o interesse dela pelo mundo dos negócios. O inicio desagradável de suas lembranças foi interrompido pela entrada da Rainha, acompanhada por duas outras amazonas, Max podia apostar que eram de sua guarda pessoal. Ryla era uma jovem mulher, o grande feito dela de derrotar antigas Rainhas Amazonas anos atrás em uma guerra travada entre Gigantes e Semideuses ainda era aclamado nos dias atuais. A filha de Júpiter não duvidava do poder daquela guerreira em destaque, ela exalava isso por todos os poros como uma aura altiva e perigosa.

Obrigou-se a morder o lado interno da bochecha para não rir ao imaginar como a sua Rainha Amazona pisaria nos homens de negócios que rodeavam o seu pai.

Como estão todas aqui, podemos iniciar a reunião semanal. Isis, por favor, comece o seu relato de como estão as vendas de artefatos e itens para outros semideuses e criaturas — A Rainha começou de modo direto após acomodar-se na cadeira na ponta da mesa.

Estão indo muito bem por toda costa leste e central do país — Uma garota loira começou a falar, sua roupa lembrava muito a de empresárias com sua saia de giz e blusa social — Porém algo está acontecendo na região de Los Angeles.

Uma de nossas cargas premium não retornou ainda — Uma outra amazona acrescentou, seu olhar era bastante sério — Ela está vindo dessa região, estão dois dias atrasados, mas pensamos que poderia estar envolvido com a Seita e por isso os atrasos constantes desse tipo de carga.

Existiam dois tipos de carregamentos transportados pela Amazon. As cargas comuns eram feitas pelos homens que serviam as Amazonas de bom agrado, recebendo um salário justo e todos os benefícios que um emprego poderia oferecer. As cargas premium eram carregamentos especiais, geralmente mágicos e com itens abençoados, específicos para o público bizarro e abrangente da mitologia. Era por isso que as cargas categorizadas como Premium eram transportadas ou acompanhadas de perto por, pelo menos, uma dupla de amazonas.

Os homens que estão realizando nossas entregas comuns aos mundanos estão aumentando as reclamações dessa região — Yasmin tomou a palavra com um semblante preocupado — Houveram uma dúzia de tentativas de roubos, um terço bem-sucedidas por emboscadas bem planejadas, isso fazia parte de uma das pautas a serem discutidas ainda hoje.

Há uma chance de elas estarem relacionadas — Ryla deduziu com um tom sério — O que sabemos desses ataques?

É bastante comum as tentativas de modo geral, caminhoneiros sempre são abordados nas principais rodovias. Mas nossos homens são bem treinados para lidarem com a situação, para que estejam perdendo as cargas nos faz concluir que a probabilidade de que os criminosos são sérios e profissionais são altas. — Isis argumentou novamente.

Temos apenas um retrato falado muito incerto.

Curiosa e demasiadamente atenta, Max observou Yasmin acionar o seu Amazon Kindle enquanto Jéssica ligava a enorme televisão da parede. Assim, a garota negra pode compartilhar as fotos com o televisor. A imagem que apareceu ali foi a de um homem sem camisa, usando um lenço negro na parte inferior do seu rosto escondendo nariz e boca. O rosto era tatuado, assim como o seu corpo do tronco. As tatuagens eram incompletas, mas imagens aleatórias sempre chamaram a atenção de Hayes. Por vezes a jovem filha de Júpiter era presa nas formas até que elas tivessem sentido em sua mente. Assim, a conversa sobre os ataques prosseguiu, a atenção das outras garotas ali presentes sendo desviadas da tela plana e de, no mínimo, cinquenta polegadas.

Foi graças a esse hiperfoco que Maxine percebeu algo, bem quando Yasmin estava mudando as imagens. — Espera! — Hayes exclamou alto, falando pela primeira vez desde que a reunião tinha começado. Todas as encaravam, umas surpresas, outras incomodadas. — Volta Yaz! Eu acho que vi algo. — A imagem demorou de retroceder e em uma rápida olhada indignada a loira finalmente entendeu que Yasmin estava esperando a aprovação de Ryla. A Rainha a fitava de maneira intensa, mas sem demonstrar nenhuma emoção nos traços de seu rosto. Demorou longos segundos até que ela acenasse suavemente com a cabeça e a imagem do retrato-falado finalmente reaparecia — Onde você disse que esses ataques estavam acontecendo mesmo?

Los Angeles.

Oh shit! — Ofegou enquanto seus olhos mal piscavam. Max ergueu-se da cadeira tão abrupta que o móvel arrastou ruidosamente pelo chão. Ela aproximou da tela e apontou para uma das inúmeras tatuagens no peito do homem esboçado — Isso daqui forma um M e depois um S, é meio confuso de entender porque está em estilo de grafite — Então ergueu o dedo indicador e apontou para as bochechas do homem — O lenço não permite ver por completo, mas o suficiente para entender que aqui pode ser um XIII.

O que isso significa? — uma amazona questionou meio debochada — São tatuagens que você já viu?

Sim — O olhar de Max tornou-se mais obscuro e sério, como talvez Yasmin ou Jéssica nunca tenham visto — Sério que você não entendeu ainda?

Olha aqui novata você não....

Mara Salvatrucha — A própria Rainha interrompeu a amazona, para deleite interno de Hayes — MS são as siglas iniciais. Os números romanos formam o 13. Esse retrato falado é de um membro de uma das gangues mais violentas de nosso território americano e de El Salvador.

Era difícil morar nos Estados Unidos e não saber um pouco sobre as gangues que aterrorizavam as ruas. MS-13 - abreviação para Mara Salvatrucha - era uma das mais assustadoras e violentas, assim como uma das que possuía maior número de integrantes. Diziam que para adentrar a gangue era necessário passar por treze segundos do mais puro espancamento, além de realizar um ato criminoso de grande porte, geralmente sequestros ou assassinatos. Eles possuíam um poder demasiadamente grande e alarmante sobre todo o território americano.

Como uma gangue de rua está sabendo de nossas cargas? Ou como conseguiram o nosso caminhão premium? Eles são guiados por amazonas, pelo amor dos deuses! — Jess foi a primeira a reagir a nova informação.

A Seita — Max encostou na parede ao lado da televisão enquanto falava — Sabemos pouco sobre essa organização, mas o que temos de informação é que além de contratar profissionais, eles também estão usando de forças ilegais para nos caçar. Eu estava naquela missão no Texas e fui cercada por membros da gangue Aztecas. Eles estavam conectados a Seita.

Era só o que precisávamos para piorar tudo! — Isis jogou-se contra a cadeira.

Você parece entender de gangues — A Rainha pontuou encarando Hayes, não acusando ou duvidando, apenas abordou uma constatação.

Desde os meus dezesseis viajo pela América tentando não usar o dinheiro de minha família, então foi como fazer um mochilão em minha própria terra. Eu vi de tudo um pouco, algumas coisas maravilhosas... Mas houveram aquelas que me aterrorizam até hoje.

Você possui contatos suficiente para essa investigação? — Ryla questionou mais uma vez.

Sei por onde começar — Garantiu sem vacilar, da mesma forma que não hesitou ao proferir as seguintes palavras — Eu me voluntario para fazer isso. Mas quero fazer isso sozinha.

Não! — Exclamaram Yasmin e Jéssica ao mesmo tempo.

Por que? — Foi a única coisa que a Rainha proferiu.

Eles possuem um lema. Mate, estupre, controle. Quanto mais formos, mais deles aparecerão. Esse é um trabalho que exige uma rápida entrada e uma difícil saída, mas eu conheço as conexões corretas. Eu corro menos riscos se for sozinha do que acompanhada.

Minha Rainha, ela é apenas uma novata! — Jessica argumentou fervorosamente, chegando a se inclinar sobre a mesa de reunião — Ela não deve ir sozinha para algo tão perigoso.

Qualquer coisa é perigoso nisso aqui Jess! — Max voltou-se para a amiga amazona — A cada esquina pode aparecer um monstro. A cada entrega que fazemos podemos ser atacadas. Merda, nós já fomos atacadas inúmeras vezes. Mas isso vai para além do que vocês foram treinadas, é um sistema sujo e perigoso. Eu sei o que eu estou falando.

Todas naquela sala estavam treinadas para lidar com monstros e semideuses que abraçaram o lado negro da força. Mas quase nenhuma delas estavam prontas para lidar com um lado da humanidade tão feio quanto aquele. Yasmin estava preparada para argumentar com a amazona novata, seu instinto protetor quase a fazendo avançar sobre a loira e a prender contra a cadeira se fosse preciso. Porém a Rainha ergueu-se e todos os murmúrios foram silenciados com aquela simples ação.

Você tem 48h para agir sozinha. Depois disso estarei enviando Jess e Yasmin ao seu encontro. É apenas uma busca por informações, não se meta em nada perigoso sozinha.

As duas amazonas mais ligadas a novata estavam quase protestando, mas a Rainha as interrompeu de maneira sublime, pedindo para que a reunião prosseguisse. Max retornou para o mesmo assento ao qual estava sentada, mesmo que sentisse um terrível incomodo pelos olhares intensos e fuziladores das outras duas em sua cabeça.

-//-

Hayes conferiu as passagens uma terceira vez antes de aproximar-se do portão de embarque. Seus pés pararam quando seus olhos se depararam com uma parede humana. Uma que era constituída por uma morena de olhos claros e uma negra de beleza estonteante. Um resmungou escapou de seus lábios enquanto aproximava-se de Yasmin e Jéssica. — Oi mães! — Exclamou com falsa animação e cheia de deboche em seu tom de voz — Vieram me desejar boa viagem? Awwwn!

Corta essa Hayes — Yasmin estava zangada, ao ponto de apontar o dedo no rosto da filha de Júpiter — Você ouse fazer algo estúpido.

Eu sempre faço algo estúpido — Max deu de ombros.

Isso é sério Maxine! — Jess disse por entre os dentes.

Eu sei! Acreditem em mim, eu estou séria nisso.

A romana não vacilou perante os olhares desconfiados, sentindo a suspeita delas de que havia algo por trás de sua determinação. E havia. Anos atrás, quando tinha quinze anos e morava na mansão Hayes, vivendo um inferno com sua família humana, ela teve uma amiga nova-iorquina. Haviam se conhecido em um show qualquer em um feriado qualquer. Talvez Naomi tenha sido o primeiro crush feminino que Max desenvolveu, mas como não se encantar com a garota de cabelos pintados e sorriso incrivelmente encantador? A semideusa adorava as piadas sem graças da outra garota humana, apenas porque ela sempre ria no final e o riso dela contagiava inevitavelmente.

Apesar de morarem em cidades diferentes, sempre encontravam um jeito de verem uma a outra e naquele fatídico dia era a vez de Maxine voar para a cidade da Estátua da Liberdade. Porém, ao chegar na casa da amiga, tudo o que soube era que ela tinha sido morta junto com dois outros amigos. Transtornada com a notícia e com raiva, Max usou de todo o seu poder de intimidação – até então era desconhecido o fato de que ser filha de Júpiter a tornava naturalmente intimidadora - para questionar os colegas de Naomi. Foi quando descobriu que o garoto que sua amiga estava vendo era um dos revendedores de drogas da MS-13. A emboscada era provavelmente para o garoto rico e estúpido e Naomi havia sido apenas um efeito colateral.

Ela não poderia dizer isso para nenhuma das amazonas, pois tinha conhecimento suficiente de filmes de investigação para saber que quando as coisas eram pessoais demais, sempre tentavam impedir o personagem de prosseguir. Bem, ela era similar a todos aqueles caras teimosos e impulsivos que realizavam uma merda ou outra para conquistar a vingança final.

Está com tudo? — Yasmin questionou sem diminuir sua postura protetora.

Sim. Armas. Acessórios. ID original e falsa. Eu não sou uma amadora nisso — Max revirou os olhos enquanto respondia.

Seja cuidadosa — Foi tudo o que Jess falou ao abraçar a filha de Júpiter.

— Eu posso tentar, mas não vou prometer nada.


Como recompensa por sua fala esperta, Max recebeu um tapa ardido na altura de seu ombro sem saber ao certo quem havia aplicado a agressão. Porém riu e sentiu o peito ser preenchido por um sentimento que a muito não ocupava seu corpo. Apesar de ter viajado muito pelos Estados Unidos e feito muitos contatos, não podia dizer que tinha realmente um amigo para o qual poderia ligar e contar os problemas do cotidiano. Recentemente estava reconstruído sua relação com sua genitora, porém não era a mesma coisa. Jess e Yaz estavam ao seu lado desde que se tornou uma amazona, a guiando, provocando e – muitas vezes – enchendo o saco.

Vejo vocês em algumas horas.

Depois de uma despedida ligeira Hayes finalmente pode ultrapassar os portões de embarque. Viajar de avião nunca havia sido um problema para a garota, amava estar nos céus e não negava que provavelmente era devido ao fato de ser filha do Rei dos Céus.

-//-

Los Angeles era uma das principais cidades californianas, famosa pela indústria de filmes da Hollywood... Mas também por ter uma concentração de gangues bastante definidas. A East Los Angeles era como um mundo a parte, possuindo uma discrepância enorme entre a cidade dos turistas e a realidade dos menos favorecidos. Aos dezessete anos Maxine explorou aquela cidade por quase dois meses completos. Boa parte do tempo curtiu as baladas noturnas, explorou os locais turísticos como qualquer humana curiosa sobre a cidade. Porém foi desafiada a conhecer a East Los Angeles por um dos rapazes locais dos quais criou contato. Essa foi uma das experiências que ela nunca mais esqueceria, tanto pela parte boa... Quanto pela parte dramática e perigosa.

Depois de ir em uma balada, existia algo chamado After Party. Um momento em que todos os bêbados e drogados simplesmente não queria parar de festejar, mesmo quando o local encerrava as atividades. Então eles iam para algum lugar continuar a festa, geralmente alguma residência de algum dos festeiros. Daquela vez o After Party havia sido em East Los Angeles, pois o dono da casa havia desafiado os turistas da boate a irem até eles. Acontece que era apenas uma emboscada para serem roubados. Por sorte, Maxine tinha deixado a maioria das coisas no hostel no qual estava hospedada, principalmente os seus documentos originais. O problema maior além de ser enganada e roubada? Era reagir a isso. Alterada por um piscoativo, mais impulsiva do que nunca, Max não aguentou a fúria de ter sido tocada na bunda por um dos pilantras. Distribuiu uns bons socos e impediu que um dos garotos sofresse ainda mais bullying por ser homossexual. Porém apanhou. E muito.

Essa havia sido a parte trágica da história. A parte boa? O irmão do garoto era um enfermeiro que cuidou muito bem de Maxine por ter protegido o irmão no momento de perigo. Era por esse motivo que estava parada no hospital local de um bairro qualquer na East L.A. com um sorriso pequeno, mesmo com toda a tensão que as lembranças traziam ao ter entrado naquela área. — Boa tarde — Cumprimentou a recepcionista assim que adentrou o lugar, era um pouco depois do meio-dia — Estou procurando por Adrian West.

Desculpe senhorita, ele está em horário de almoço e só retorna daqui uma hora. Gostaria de deixar algum recado?

O suspiro frustrado escapou dos lábios de Max apenas por um breve segundo. Logo sua mente era invadida por uma lembrança que trazia uma informação importante para aquele momento. Hayes agradeceu e saiu do hospital, mas não se afastou do prédio, pelo contrário, adentrou a lateral até atingir os fundos. Olhou para os lados, duas vezes, apenas para garantir que ninguém curioso veria o que estava prestes a fazer. Segura de que não tinha ninguém a observando, a filha de Júpiter sorriu de lado antes de impulsionar o corpo para o alto e voar até o topo da arquitetura do hospital, pousando suavemente sobre o terraço.

Lá encontrou um jovem rapaz de pele escura, não tão negra e nem tão branca, mas uma perfeita mistura de um e outro. Adrian era filho de uma mulher latina e um homem negro, uma combinação perfeita para um rapaz simpático e sedutor. O rapaz estava terminando o seu sanduiche, encostado no parapeito de segurança do prédio. O repuxar de lábios no rosto da semideusa denunciava um sorriso travesso, ela aproximou-se lenta e silenciosamente até parar próximo do enfermeiro. — ADRIAAAAAN — gritou o nome do garoto, sem conseguir conter a gargalhada quando o mesmo pulou no lugar e girou demasiadamente assustado. O peito largo subindo e descendo, os olhos castanho-esverdeados com o dobro do tamanho.

Filha da puta! — Ele vociferou no ímpeto da raiva e do susto, mas assim que pareceu processar quem era a culpada, a emoção a predominar foi a surpresa — Maxine? Max Hayes?! O que faz aqui? Quando chegou? Está em L.A novamente?

Uma pergunta de cada vez, meu jovem! — Max ainda continha o tom risonho, abriu os braços com um enorme sorriso — Agora cumprimente direito sua ex-amante.

Adrian avançou a passos largos e agarrou a jovem loira pela cintura, a erguendo do chão e a girando em pleno ar. Aquele era um dos motivos que fazia Maxine amar viajar pelo país, pois conhecia figuras como aquele jovem enfermeiro. Ao ser colocada no chão novamente, estava colada ao corpo do californiano, com as mãos amparadas nos ombros fortes. Se aquele garoto fosse um semideus, provavelmente seria a combinação perfeita do pecado de Vênus e o charme cativante de Febo. — Eu tenho uma namorada agora — Adrian disse, mas seu tom era vacilante, como se estivesse lembrando a si mesmo do detalhe.

Não tem problema. Eu não sou ciumenta.

Foi a frase que escapou dos lábios do legado de Afrodite antes de segurar no uniforme de enfermeiro e puxá-lo para si, já que o jovem West era bons centímetros mais alto. O beijo foi inevitável, comprovando mais uma vez uma teoria criada por Hayes desde que começou a ter experiências pelo território americano. Latinos beijavam estupidamente bem. Quando deu por si, estava com Adrian encostado na grade de segurança, levantando a camisa do uniforme do humano mal querendo separar as bocas. Porém, fora obrigada quando a necessidade de livrar-se daquele tecido surgiu. Foi graças a esse ato que os olhos azuis se depararam com um peitoral definido cheio de tatuagens. Adrian não tinha tatuagens no passado. Muito menos um número 18 gravado bem do lado esquerdo, grande o suficiente para ser enxergado de longe.

Calle 18?!

Ao pronunciar o nome da gangue rival da MS-13, Max afastou um passo bastante largo para trás. Os olhos incrédulos olhavam para aquele homem uma vez mais, notando algumas cicatrizes no corpo que antes era perfeito na concepção da semideusa. Adrian pegou a camisa envergonhado, a vestindo sem conseguir encara a loira a sua frente.

Você não entenderia. As coisas ficaram cada vez mais complicadas por aqui.

Complicadas ao ponto de você se tornar uma das pessoas que maltratava seu irmão? — Max nunca poupou suas palavras quando estava agitada e impulsiva — Adrian, você é um gangster de rua agora!

A guerra entre a Mara Salvatrucha e a Calle 18 está sendo um inferno! — Adrian vociferou e passou a mão sobre o cabelo escuro, o nervosismo evidente até mesmo pelo modo que o rapaz respirava — Eu precisava proteger meu irmão, se fizesse parte de uma delas, ele estaria seguro. Tudo o que eu tenho de fazer é tratar os membros da gangue quando chamado, não estou participando de nada ilegal ou criminoso.

Adrian....

Vai pro inferno Max, você saiu daqui! Não passou nem uma semana e depois se mandou quando as coisas estavam ficando cada vez mais definidas. Você é de uma família rica que te permitiu sair de casa com um cartão de crédito infinito pra gastar e se manter longe. Sinto muito se você é a criança problemática. Eu fui a criança que tinha de trabalhar desde cedo pra lidar com um pai bêbado e uma mãe que acredita que é não tem problema apanhar do esposo porque isso é normal nos momentos de estresse!

Aquilo foi como um tapa no rosto de Maxine. Ela sabia que todos tinham os seus problemas e, apesar de fazer ideia de como fora a vida de Adrian, não sabia com tantos detalhes até agora. Resmungou alto, passou a mão no rosto, andou de um lado para o outro e finalmente ergueu as mãos para cima, como se estivesse se rendendo.

Desculpe, eu não deveria julgar quando não sei de tudo — Pediu de maneira sincera, respirando fundo antes de colocar as mãos no bolso da jaqueta que usava — Entretanto, poderia ficar sem camisa, mesmo com a tatuagem ainda continua sendo uma bela visão.

Você não existe — Adrian balançou a cabeça de um lado para o outro — Mas imagino que você não veio aqui para matar as saudades de uma aventura de verão.

Acredite, estou contente de ver você. Mas você também está certo — Hayes mordiscou o lábio inferior e resmungou consigo mesma antes de continuar — Mantenha em mente o lance de não julgar sem saber a história toda ok? Eu preciso de algumas informações sem muitas perguntas de porquê, como e quem.

— No que você se meteu Max?!

— Você não pode falar isso para mim, certo? Vamos, colabore comigo!

— Se eu puder responder...

— Ok. Talvez você tenha uma informação mais precisa do que eu imaginava. Eu sei que a MS-18 está realizando assaltos de cargas de transportadoras de vendas. Provavelmente para fazer contrabando de produtos de boa qualidade. Sei também que são da Amazon.

— Eu ouvi alguns caras comentando que a MS estava com produtos novos, a Calle está toda agitada com isso, pois parece que eles estão negociando com algum grupo ilícito do governo...

Oh shit — Saber daquilo apenas confirmava as suspeitas da amazona de que as gangues estavam envolvidas com a Seita — Vamos concentrar, eu não quero colocar você em perigo também. Houve uma carga especial que parece ter sido levada. Você sabe para onde a MS levaria essa carga?

Eu não estou gostando disso Max, informação é tão perigosa quanto uma arma em sua cabeça.

— Eu juro que estou do lado das garotas legais. Eu preciso dessa informação, confia em mim Adrian, eu sei que eu fiz merda no passado e estou abusando pedindo ajuda. Mas se a MS ficar com esse carregamento eles vão estar distribuindo para pessoas realmente perigosas.

Adrian fitava a garota ainda desconfiado. Fazia quase um ano que não a via e, como sempre, Maxine era como uma tempestade na vida dos mortais, tanto na parte agitada quanto na calmaria posterior. Ele respirou fundo, olhou de um lado para o outro como se pensasse em todas as consequências possíveis. Hayes sabia que ele só precisaria de um pouco mais de incentivo. Então aproximou-se mais uma vez, seus dedos ousando tocarem o colarinho do uniforme, brincando com o tecido enquanto preparava o melhor de seus olhares. A vantagem de ser um legado de Afrodite? O charme para convencer as pessoas. Sabia que os filhos da deusa eram ainda mais eficazes no uso de tal estratégia, mas não era como se ela não soubesse usar esse tipo de estratégia.

Prometo que não farei algo muito louco — Mentiu descaradamente, era loucura ir até um local dominado por uma das gangues mais perigosas de toda a América. Mas ele não precisava lembrar disso naquele momento — É uma informação importante para mim Adrian, por favor, me ajude.

Eu escutei algo... — Ele começou incerto, como se lutasse um pouco contra o charme da semideusa, mas logo a respiração mais calma denunciava que ele estava entregue. — Há uma movimentação nova na Zona Sul, há um grupo novo da MS-13 que a Calle está ficando preocupada. Sei que fica na 27th Street...

Obrigada bonitão! — Max ficou na ponta dos pés para selar os lábios aos dele rapidamente — Fico te devendo essa.

Então afastou-se um tanto bruscamente, deixando um rapaz atordoado atrás de si. Riu baixinho, aproximando-se das escadas de emergência, pois não poderia mais simplesmente sair voando quando tinha olhos castanhos-esverdeados de olho em seu rebolado.

-//-

A informação de Adrian estava correta.

Assim que se aproximou daquela área ainda pelo ar, Max pode perceber que a rua estava vazia mesmo que existissem casas residenciais ao redor. Entretanto, havia um ou outro homem, completamente tatuado e vestido ao melhor estilo cosplay de GTA San Andreas, patrulhando com armas de fogo a vista. A rua havia sido tomada pela Mara Salvatrucha, fato. A amazona optou pela abordagem aérea por ser mais discreto, então flutuava de prédio para outro sem chamar a atenção dos vigias armados até os dentes.

Naquele pequeno pedaço de East L.A existia apenas um local em que caberia um caminhão da Amazon. As cargas Premium eram feitas em caminhões ou vans discretas. Magicamente protegidas, Max começava a se questionar como gangsteres de rua conseguiram render as duas amazonas que dirigiam o suposto caminhão e como violaram a magia que selava as portas. Existia apenas um deposito grande o suficiente para esconder o veículo, e era exatamente para lá que a filha de Júpiter estava flutuando.

Do bolso de sua jaqueta, retirou o seu smartphone divino. Jogou o código de desbloqueio e logo selecionava a opção de raio-x. Ao apontar a câmera para baixo, pode assim ver o que tinha através das paredes em sua tela de celular. Ela estava certa quanto ao caminhão da Amazon, ele estava estacionado no meio do deposito. O estranho? Era de que o local por dentro estava vazio, sem nenhuma leitura de movimentação ao redor. Onde estariam os seguranças? Ou eles estavam satisfeitos só com aqueles gangsteres nas ruas? Talvez a romana não tivesse outra chance como aquela, de não ter pessoas dentro do depósito para fazer as coisas mais complicadas. Sem pensar mais sobre a situação, Hayes flutuou até a janela mais próxima, a empurrando com gentileza para não produzir nenhum som desnecessário.

Se tivesse um pouco mais de experiência, provavelmente teria hesitado por alguns segundos. Porém, a ansiedade de acabar logo com aquilo e retornar vitoriosa para a sede das Amazonas a fez agir de maneira impulsiva e desprotegida. Seus passos foram diretamente na direção do veículo, parando quase sorrindo ao lado da porta do caminhão... Até paralisar ao notar que estava entreaberta. Finalmente seu espírito malandro gritava que algo estava errado. Tudo estava fácil demais! No entanto, quando a percepção finalmente veio já era tarde demais.

Primeiro veio o rosnado, depois um abrir brusco da porta de metal. Agindo mais por instinto de sobrevivência e susto, Hayes ativou o relógio sobre seu pulso esquerdo, acionando um escudo feito a base de grafeno. Enquanto o escudo se formava, uma enorme criatura saltou de dentro da cabine, o impulso sendo forte o suficiente para jogá-la para trás. Max escutava os rosnados, sua visão mal capitava a forma de um canídeo similar a um rottweiler. As costas da romana chocaram com força contra o chão, os latidos fortes machucavam seus ouvidos e alimentavam o terror de estar quase sendo devorada. A única coisa que impedia era o escudo translúcido a sua frente, mas mesmo que o material fosse poderoso, não impedia que as garras da pata traseira arranhassem sua pele por estarem apoiadas em suas pernas. A amazona sustentou o escudo e antes que perdesse a vantagem de estar impedindo que aquela boca cheia de dentes avançasse contra seu pescoço, ativou as garras da luva que residia em sua mão destra. Só então desativou o item protetor ao mesmo tempo em que avançava com as garras de ouro imperial, atingindo o animal pela lateral da cabeça. Cara a cara com o monstro, ela finalmente reconheceu o filhote de cão infernal antes dele se transformar em poeira dourada.

É uma pena, eu gostava do Bob.

Hayes já estava prestes a saltar assim que escutou a voz feminina. Mas logo rapazes maiores apareciam, ambos tatuados até no rosto, amarrando correntes ao redor da garota antes que ela recuperasse a compostura. As garras retrocederam, a filha de Júpiter foi colocada rudemente de sobre os joelhos quando os gangsteres a empurraram pelos ombros. A sua frente apareceu a que parecia ser a mandante do crime. Uma mulher com uma cicatriz fina, mas chamativa em seu rosto, a pele morena escura e de cabelos negros. Ela não era bonita, mas exalava perigo em toda a forma que encarava a romana.

Estava começando a me perguntar quando as amazonas agiriam, mas mandar apenas uma garotinha magra como você... Deuses, que decepcionante — a morena falou balançando a cabeça de um lado para o outro.

Desculpe, eu perdi a chance de fazer uma grande entrada triunfal, o que foi diferente de você mas.... Que é você mesmo?

Temos uma espertinha aqui rapazes, o que me faz perguntar por que ela está conseguindo falar mesmo?

Assim que a mulher se calou, o capataz da direita puxou a corrente que segurava trazendo Maxine ao encontro de seu punho. O mundo inteiro girou ao redor da semideusa, enquanto ela tinha dificuldade de respirar já que o nariz parecia arder a cada tragada mínima de ar. — Ótimo, muito melhor assim. Eu sou Karla, não me importa quem você é, apesar de saber que é uma meio-sangue. O que é perfeito, vai apenas encarecer a carga. — O olhar furioso de Max tinha também um quê de indagação, o que fez a morena rir como uma boa vilã faria — Não estamos em um filme para que eu conte todo o plano para você, garota. Apenas a coloquem no caminhão e vamos logo com isso ou chegaremos atrasados. O pessoal da Seita paga bem por itens divinos, mas não são pessoas para brincarmos.

Maxine foi arrastada até a parte detrás do caminhão. Tentava reclamar, mas o soco ainda tinha seu efeito, tornando doloroso o suficiente falar naquele momento. A morena aproximou-se da porta com proteção mágica, contendo símbolos que precisavam ser acionados de maneira correta. Os olhos azuis da meio-sangue dobraram de tamanho ao ver a sua algoz fazendo a combinação necessária, além de conseguir enxergar algo que supostamente deveria ser invisível para os humanos. Logo depois ela foi jogada como uma mercadoria dentro do caminhão, machucando o ombro no impacto contra o metal. Pelos breves segundos de iluminação, antes da porta ser batida com força, a amazona inexperiente conseguiu vislumbrar boa parte da mercadoria, além de dois corpos pálidos deitados no chão.

Seja quem fosse aquela mulher, ela não só via o místico do mundo dos semideuses, como também foi forte o suficiente para acabar com duas amazonas. Resmungando, mesmo que tal alto provocasse dor, Max ajeitou o corpo para conseguir sentar. — Eu estou fodida. — Falou por entre os dentes, sentindo o sabor de sangue na boca — Eu estou muito fodida! — Remexeu o corpo tentando inutilmente livrar-se das correntes. Inspirou fundo várias vezes, mas foi quando sentiu tudo tremendo que o principio de pânico começou. O caminhão estava partindo, a levando diretamente para o covil do inimigo. Hayes engoliu em seco, tragando junto com a saliva uma boa dosagem de desespero e temor pelo seu futuro. Tentou controlar a respiração novamente, pois sabia que entrar realmente em pânico naquele momento em nada adiantaria.

A filha de Júpiter nunca teve muita massa muscular. De fato, quando sua autoestima estava baixa, sempre jogava em sua mente o quanto ela estava magra. Não tinha nenhum atrativo em seu corpo, curvas ou músculo definidos. Era apenas bonita, com um padrão americano de loira de olhos claros. Porém, desde que descobriu ser filha do rei dos céus e se tornou uma guerreira amazona, sua força estava aumentando. O corpo, contudo, continuava franzino e talvez com um pouco mais de definição por conta dos treinos árduos que realizava. A garota tentou concentrar-se nisso, focar não só a energia, mas a mente para o fato de que ela era irrefutavelmente forte. Então começou a fazer força, tentando quebrar as correntes que eram do tipo comum, com aros grossos o suficiente para manter algum humano preso. Mas ela não era apenas humana! Começou a fazer mais força ainda, tentando abrir os braços e forçar as correntes ao seu redor. Demorou quase dois minutos inteiros para que elas começassem a ceder, até então partir e quebrar em uma das laterais. Os braços estavam com grandes hematomas nos locais onde mais pressionaram o item de metal, mas a amazona pouco ligava para isso.

Era preciso parar aquele caminhão o quanto antes!

— Pensa Max, pensa! Você está presa em um veículo em movimento. Não sabe para onde está indo ou o que tem aqui ao seu redor. Mas isso é um caminhão. Um negócio que anda em alta velocidade. Parar o caminhão. Eu preciso parar o caminhão!... É isso!

Um veículo ainda necessitava de eletricidade para inúmeras coisas, sendo a principal fonte uma bateria interna. Max começou a olhar de um lado para outro, tentando pensar em alguma forma de conseguir drenar a energia elétrica daquela caixa de metal andante. Porém a distância do item fonte era um problema, ela precisava pelo menos sair do compartimento de carga. Sabendo que era uma ideia ruim, a amazona fechou a mão em punho e avançou um tanto as cegas pelo lugar, os braços esticados para gerar algum tipo de noção dos objetos ao seu redor. No entanto, tal esmero provou-se inútil quando o caminhão pareceu passar em alta velocidade por um quebra-mola.

Primeiro veio o ressoar de algo caindo, como uma orquestra desastrosa. Depois a sensação de um peso enorme sobre o seu corpo, a forçando contra o chão enquanto o mundo desabava sobre si. Maxine gritou em choque e dor, o susto sendo inevitável enquanto ela pensava que estava sendo engolida por uma estante cheia de bugigangas. Sabia que as vezes as amazonas transportavam coisas interessantes, mas na maioria do tempo eram artigos inúteis, pesados e caros. Usou mais uma vez de sua força para afastar a estante de cima de si, resmungando incontavelmente pelo esforço aplicado, até conseguir libertar-se. Sentou sobre o chão de metal que tremia com o movimento constante, retirando de seu cabelo e corpo itens que mal podia enxergar. Alguns colares, outros anéis e algo que estava definitivamente furando a lombar da filha de Júpiter.

Retornando ao plano perigoso e que provavelmente a levaria para alguma situação desastrosa, Max levantou desistindo de tirar tudo de cima de si, afinal a garota não tinha tempo. Quanto mais o caminhão avançava, mais o temor era alimentado em seu peito. Voltando a tentar tatear o local até uma das extremidades da caixa de metal, a romana finalmente sentiu as mãos colidirem contra a parede. Soltou um suspiro breve, para então puxar ar de para dentro de seus pulmões, como se isso de alguma forma fosse acrescentar força a seu punho. Permitiu que as garras da luva crescessem antes de colidir um soco contra a parede do compartimento. As garras ultrapassaram o metal depois de um tempo, obrigando a filha de Júpiter a fazer um esforço ainda maior para cortar o metal. Parecia ser mais fácil em sua mente, no entanto aquele era um veículo com proteção feita especialmente por guerreiras paranoicas em segurança!

Depois de fazer uma espécie de círculo com suas garras a legionária chutou o lugar duas vezes antes de finalmente fazer o metal cair pra trás, produzindo um som que provavelmente chamou a atenção dos gangsteres. Antes que eles ganhassem algum tipo de vantagem, a semideusa voou para fora pelo buraco na parede. Direcionou o seu voo até a frente do caminhão, pousando de maneira pesada e descuidada sobre o capô do motor. Escutou gritos vindo de dentro da cabine do motorista, mas os ignorou enquanto repousava as mãos sobre o metal abaixo de si e começava a extrair a energia elétrica do veículo. Tão frágil quanto qualquer outro equipamento daquele tipo, o caminhão logo começou a parar.

Mas assim que Hayes ergueu o olhar, deparou-se com armas automáticas apontadas em sua direção. — Fodeu. — Foi o que disse antes de jogar-se para trás. Os tiros começaram quase ao mesmo tempo, quebrando o vidro do para-brisas em seu procedimento. Um deles atingiu em cheio o ombro de Max, outros passaram de raspão contra o seu corpo. Ao cair no chão pela milésima vez em menos de algumas horas, a mão da jovem garota foi diretamente para o sangue que escorria pelo seu ombro esquerdo, tentando ignorar aquela dor ao máximo possível ou choraria como uma garotinha mimada.

Como toda Amazona, você é bastante teimosa e com algum complexo de superioridade. Acha mesmo que vai conseguir algo aqui? — A garota caída escutava a voz furiosa de Karla, tentava erguer-se, mas ao posicionar o braço no chão, um par de coturno estava sobre seu peito a empurrando contra o asfalto recheado de vidro — Eu odeio cada uma de vocês!

Aposto que você foi muito mal-amada para ter um coração tão cheio de rancor — A fala impulsiva e entrecortada escapou dos lábios da semideusa — Mas vamos ver quem vai estar gritando de dor!

O bravo esticar de braço de Max foi feito para uma cena dramática, um ápice de algum enredo em que da palma de sua mão sairia algum poder magnifico que derrotaria os vilões. De fato, era isso o que a filha de Júpiter tinha planejado. Ao abrir a palma da mão almejara jogar uma descarga de eletricidade contra a aquela mulher. Mas o único efeito que conseguiu foram aqueles breves segundos de silêncio antes que a sua recém inimiga começasse a rir. Hayes encarou a mão em temor de que tivesse “quebrado” quando caiu no chão, engolindo junto com a saliva ensanguentada a humilhação que estava passando. Sentiu-se pequena e impotente, arrastando o corpo em meio a cacos de vidro para longe daquela desconhecida, quando ela finalmente tirou o pé de seu peitoral.

Isso foi hilário, o que você queria? Me fritar? Deixe-me te contar uma coisa antes de você morrer. Eu sou um legado frustrada. Minha mãe era amazona e assim que me viu sem poderes me expulsou da vida dela alegando que eu não seria forte o suficiente para sobreviver. A infeliz nem sabe que eu mesma matei meu pai e me dediquei a uma nova família! — ela falava em tom risonho e de deboche, tirando do bolso alguma espécie de dispositivo fino — Tá vendo isso daqui? Vale uma fortuna! É um dispositivo que eu consegui por as mãos que tira temporariamente os poderes divinos de criaturas como você. Imagina o quanto a Seita está disposta a pagar por isso daqui? Com esse dinheiro eu vou conseguir ainda mais poder dentro da MS! Não queria tê-lo ativado agora, pois não descobri a limitação do item, mas você não me deu outra alternativa para equilibrar as coisas.

Se a romana não estivesse tão ocupada em erguer o corpo para tentar finalmente se levantar, teria prestado mais atenção naquelas palavras. Mas a dor física em nada se comparava ao golpe que seu ego tinha levado. Desde que adentrara o mundo dos deuses e monstros, essa era a primeira vez em que falhava tão miseravelmente. No entanto, não permitiu que isso a derrubasse por completo. Mesmo com um gosto ruim na boca, reuniu o resto de dignidade que tinha e ergueu-se.

Eu não sei o quanto você entende de negócios, mas você está armando o nosso próprio inimigo. Foda-se que você foi abandonada, metade dos semideuses tem uma história trágica como a sua ou pior. Essa gente vai matar cada um de nós, o que faz pensar que você é a porra do último biscoito do pacote?

Estava tentando ganhar tempo. Enquanto falava usando de ironias e sarcasmo, deixava que sua percepção ampliasse a noção do local em que estavam. Era uma rodovia deserta. Ao seu redor reinava o cenário árido característico da Costa Oeste dos Estados Unidos. A mulher morena estava sozinha, sem seus capangas, mas tinha em mãos a mesma arma automática.

— Você fala demais para alguém que vai morrer!

Institivamente o escudo foi ativado ao mesmo tempo em que o braço da gangster era erguido. Max encolheu o corpo atrás do escudo translúcido, tendo uma visão assustadora de uma sequência rápida e forte de balas atingindo o material do grafeno. Fechou os olhos, com um singelo temor de que uma daquelas balas atingisse seu corpo. Fora um terrível erro de principiante, pois foi devido a isso que não viu a aproximação de sua inimiga. Quando os tiros pararam, Max soltou um suspiro, sendo este o exato momento em que uma mão de dedos finos agarrou o escudo e o empurrou para baixo. A outra, cheia de anéis prateados, veio diretamente contra o seu rosto tão forte que a semideusa, por um momento, ponderou se a mãe daquela mulher fora uma filha de Marte no fim das contas. Mais uma vez Hayes estava no chão, devido ao impacto daquele soco. — Eu posso não ter poderes, mas felizmente eu ainda consigo usar algumas armas abençoadas. Eu as adoro na verdade. — ela falou puxando um dos inúmeros anéis, o transformando em um elegante florete de lâmina dourada. Florete era uma espada fina, perfeita para perfuração ao invés de corte.

A morena foi para cima da jovem americana. Karla esticou o braço para trás e já estava pronta para fincar a lâmina dourada no pescoço da meio-sangue quando Max finalmente reagiu. Segurou na espada, o gume podia não ser tão afiado por não ser uma espada de corte, mas ainda assim cortou os dedos que envolviam o metal, o fio sendo afiado o suficiente para rasgar o tecido de sua luva. Mal conseguia respirar enquanto olhava para a mulher que ostentava um sorriso insano. A sensação de que iria morrer no meio de uma estrada a atingiu em cheio, despertando e alimentando o instinto de sobrevivência. A gangster colocou mais força, rindo como se estivesse brincando de tentar acertar no alvo certo. A lâmina da espada começou a variar seus pontos, até que o sangue respingou sobre um dos acessórios que permaneceu com Maxine durante o episódio desastroso dentro do caminhão.

Era um bracelete dourado, que repousava folgado em seu antebraço. Ele se desdobrou rapidamente, como faria a armadura do Tony Stark, com efeitos mais mágicos do que tecnológicos. O corpo da garota loira foi coberto por metal e tecido, e assim que se tornou completo sobre a sua roupa e pele, a sensação de dor foi mais do que amenizada. Ela foi diminuída drasticamente. Tão surpresa quanto a semideusa, Karla finalmente vacilou na força aplicada, permitindo que Hayes virasse o jogo. Empurrou a espada para o lado, dobrou um joelho até a altura do próprio estômago para poder chutar a barriga da mulher a sua frente. Tão próxima e com a atenção fragmentada, a morena não teve escapatória.

Foi a vez de sua inimiga ir ao chão. Com esperança renovada e a adrenalina correndo rapidamente sobre seu corpo, Max deu um salto para erguer-se, finalmente notando que o bracelete tinha se transformado em uma armadura greco-romana. Moveu o ombro, ainda estava machucado pelo tiro, mas era como se estivesse sofrendo um processo de cura acelerado.

— Você pode ter tirado meus poderes, mas eu sobrevivi muito tempo sem eles para não saber me virar com uma filha da puta como você.

A confiança estava presente em cada uma das palavras da filha de Júpiter. Ela montou a guarda, erguendo as mãos e afastando os pés. Não usaria de nenhum item de combate além de seus próprios punhos. A expressão de zombaria da gangster foi substituída para uma irritada e levemente preocupada. Ela ergueu a espada e estava pronta para avançar, porém de uma maneira tão direta que poderia ser facilmente comparada com uma criança brincando de espadas. A lacuna de treinamento era mais do que evidente, estava óbvio nos movimentos amadores da adversária. Hayes desviou para o lado, girando o quadril e posicionando bem os pés para manter-se firme. Puxou o braço destro para trás no momento em que a morena passou ao seu lado, assim, aplicou um forte soco contra a sua cabeça. Afastou dois passos largos, quase saltitando no lugar para manter a mobilidade do corpo em alta.

A gangster resmungou alto e cambaleou, levando a mão a cabeça enquanto começava a soltar inúmeros impropérios em espanhol. Ela avançou novamente com a espada, dando estocadas diretas e em pontos óbvios como a cabeça, peito e barriga. Isso tornou o processo de esquiva da amazona mais fácil ainda, ela abaixava o corpo, jogava o tronco de um lado para o outro para mover apenas a parte superior do corpo aproveitando a guarda baixa da adversária para aplicar um soco ou outro.

Você fala de provação de poder. Mas vou te falar onde você se torna uma verdadeira inútil — Hayes proferiu quando teve uma distância de três metros da morena, a outra garota estava com o rosto cheio de hematomas e respirava muito mal — Não há poder maior do que o treinamento e o conhecimento. Não preciso fritar porra nenhuma se me tenho como minha principal arma. No final, sua mãe só percebeu que você era fraca por dentro, ela te tirou desse mundo que devoraria você começando pela bunda... Quer dizer, se você tivesse uma.

Aquilo pareceu ser a gota de água final para Karla. Ela gritou em pura fúria e ódio, avançando cegamente na direção da amazona. Max quase prendeu a respiração, pois sabia que se fosse atingida naquele momento, não teria armadura que a protegesse, aquela mulher a machucaria de alguma forma. Esquivou de um golpe da espada jogando o corpo alguns centímetros para o lado, mas não conseguiu escapar de um golpe similar a um gancho de box em seu rosto. A adversária soltou a espada e estava pronta para dar outro soco quando Max o bloqueou ao erguer o próprio antebraço. A semideusa aproveitou a pouca distância entre as duas, avançando firmemente para jogar a cabeça contra a da outra mulher. Hayes esperava que aquele golpe tivesse realmente quebrado o nariz da gangster como aparentava ter acontecido. Não hesitou em aproveitar aquela brecha em que a sua adversária estava tonta, com dor o suficiente para se dobrar e por as mãos pelo rosto que sangrava. Aplicou um último soco, com toda a sua força, na lateral da cabeça da morena para finalmente nocauteá-la.

Porra! — Exclamou finalmente respirando aliviada, sentando no meio do asfalto percebendo o estado das coisas — Meu Júpiter, Yaz e Jess vão me matar! — Choramingou sentindo a sensação de medo retornando para seu corpo, até soltar um longo suspiro e ocupar a mente com outra questão — Agora a pergunta que não quer calar... Como eu desativo isso?

-//-

Hayes estava na sala de reuniões mais uma vez. Porém naquele momento existia apenas uma outra pessoa a sua frente. Sentada na cabeceira da enorme mesa, a Rainha das Amazonas terminava de ler a última folha do relatório da filha de Júpiter. A todo o momento sua expressão foi neutra e um tanto fria, sem demonstrar nenhuma emoção em nenhum trecho. Ao redigir aquele texto Max sentiu-se na escola novamente, cuidando de cada palavra que colocava para não ser reprovada na redação.

— Então você sozinha localizou o carregamento, confirmou que as gangues estão auxiliando a Seita seja com membros ou informações, lutou contra uma filha de uma falecida amazona e recuperou nossa carga roubada. Sem o uso de poderes por causa de um dispositivo. Esqueci de algo?

Depois de ter recuperado o caminhão, a amazona finalmente ligou para as companheiras. Recebeu sermão durante a chamada, que foi praticamente repetida por uma preocupada e tensa Yasmin. Jéssica tinha apenas dado um soco forte na boca do estômago da filha de Júpiter, sem pronunciar nenhuma palavra. Não fora preciso, pois o olhar da morena de olhos claros gritava o quanto estava zangada com as atitudes da mais nova.

Não senhora — Max respondeu sentindo um frio incomodo na barriga.

Pobre Helena, ela apenas queria que a filha tivesse uma vida normal. Eu lembro de seu ex-marido, ele era um homem integro e apaixonado pela criança — a Amazona Rainha fechou o documento e ergueu-se elegantemente — Devo dizer que você lidou com toda a situação, lutou bravamente. Mas foi impulsiva e inconsequente, poderia ter sido capturada e levada para a Seita! Foi enviada apenas para investigar, não em uma missão efetiva como essa. Receberá uma devida punição por esse tipo de comportamento.

— Mas....

— Está questionando a minha decisão?

— Não senhora.

— Porém poderá ficar com o bracelete.

— Você ta brincando?!

— Eu não brinco, novata. Se me lembro bem ela se chama Imperium e é um ótimo artigo. Você me parece do tipo que parece de muita proteção para sair inteira de uma simples missão como o de colher informações. Encarregarei a amazona Yasmin para providenciar a sua punição.

Max poderia jurar que quase viu um sorriso sádico na Rainha perante a careta de medo e terror que fez ao imaginar que sua amiga superprotetora a puniria por ser inconsequente e impulsiva.




Item proposto


• Imperium [Uma armadura feminina completa, no melhor estilo greco-romano. O metal apresenta-se na cor dourada, o tecido em tom avermelhado | Efeito mecânico: transforma-se em um bracelete de ouro que fica sobre o braço superior. Ao tornar-se uma armadura, ainda permite que algumas partes não apareçam, cabendo a usuária a escolher quais partes irão surgir e proteger seu corpo | Efeitos 1: Reduz em 50% o dano físico. Efeito 2: Recupera 15% da MP e HP do valor atual a cada 3 turnos. | Espaço para três gemas | Vibranium, detalhes em ouro | Super Alfa | Status 100%, sem danos | Lendário | CCFY Promoção de Natal]



– East L.A– Com amazonas e gangsters–Em um dia ai


∆ LYL - FG


Última edição por Max Hayes em Qui Jan 18, 2018 12:17 pm, editado 1 vez(es)


Maxine Hayes


∆ LYL - FG
avatar
Max Hayes
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 259

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Promoção de Natal -//- Imperium

Mensagem por Max Hayes em Qui Jan 18, 2018 12:58 am





Itens levados:
• Luva do carcaju [Feita completamente de um couro sintético (salve os animais!) e com feitiços especiais que impedem a mesma de acumular calor em contato com a pele, tal luva parece perfeita para ser utilizada em um combate, afinal a mesma permite que você crie garras no punho (Wolverine pode estar com inveja). | Efeito 1: Ao ativar o efeito, a luva irá fazer crescer quatro garras de ouro imperial em seu punho (fechado, por favor). | Efeito 2: A luva irá permanecer sempre em uma temperatura agradável, mesmo que você esteja visitando o tártaro ou fazendo uma tour pelo Olimpo. | Ouro Imperial e tecido mágico de couro sintético. | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Arsenal do acampamento]

• Navitas [Um escudo de forma circular que possui uma característica singular e bela, seu nome vem do latim e significa energia. Feito a base de grafeno e adamantino, o escudo ao ser acionado possui uma aparência translúcida com detalhes em metal, graças ao grafeno. Esse material é um dos mais condutivos do mundo, além de mais leve. Em sua forma básica é 200 vezes mais forte que o aço, porém ao ser manipulado e combinado com o adamantino, ele possui apenas cinco vezes mais força em comparação ao metal comum. Sua dimensão é aproximadamente 50cm de diâmetro, o suficiente para proteger parte do corpo. | Efeito mecânico: pode ter a forma de um relógio funcional. | Efeito 1: Diminui a resistência a impactos em 50% sem machucar o braço do semideus. Efeito 2: Durante dois turnos será capaz de refletir os ataques direcionados a esse de qualquer natureza mágica, elemental ou física, depois disso, o efeito entra em espera por outros cinco turnos. | Grafeno e Adamantino | Espaço para duas gemas| Alfa | Status: 100% sem danos | Épico | Evento de ano novo]

Smartphone Divino [Um smartphone feito especialmente para os semideuses. Ainda é um aparelho tecnológico, sendo necessário ter uma passiva que permita uso de tecnologia ou um item com o mesmo objetivo. O smartphone possui um sistema operacional próprio e mais avançado do que os conhecidos Android e iOS. Ele vem com aplicativos especiais para o meio-sangue: bestiário; mapa de locais mitológicos conhecidos; visão de raio-x; identificador de monstros; locais mais próximos seguros (estabelecimentos ou semideuses adultos que oferecem abrigo); disk taxi das irmãs cinzentas; mensagens de íris ao colocar um dracma contra o sensor de objetos na parte traseira do smartphone; identificador de itens ao passar pela câmera, podendo dizer material e propriedades. | Efeitos: Além de ter todos os programas populares de um smartphone, possui aplicativos exclusivos para semideuses; Efeito 1: possui runas de resistência e renovação, permitindo que o celular se reconstrua caso quebrado | Resistência Beta | Sem espaços para gemas | Status: 100%, sem danos | Mágico | Comprado no Pandevie Magie]

Golden Magic [Um colar que possui um pingente a escolha do seu dono. Seu formato ou estilo em nada se compara a magia que está presente nesse acessório | Efeito: Ele esconde em 75% a presença semidivina do usuário, permitindo que ele passe despercebido por monstros e use até mesmo tecnologia mais avançada. Monstros superiores e mais poderosos ainda conseguem reconhecer o usuário do colar como um semideus, mesmo que leve um tempo para distinguir a aura | Prata ou Ouro | Sem espaço para gemas | Gama | 100% sem danos | Mágico | Comprada na Pandevie Magie]
Amazonas (Passivos):
Nível 1
Nome do poder: Instinto Guerreiro
Descrição: Agora que é uma guerreira Amazona, a jovem semideusa sente-se mais próxima da guerra como se essa arte sempre tivesse feito parte de si. Sendo parte de um grupo que inicialmente foi abençoado por Ares/Marte, a jovem agora começa a desenvolver um instinto guerreiro, aprendendo a manusear armas que nunca usou, aprendendo a desenvolver estratégias em batalha e sabendo o básico de táticas de sobrevivência.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Tem facilidade para manusear armas, bolar estratégias e técnicas de sobrevivência;
Dano: Nenhum

Nível 11
Nome do poder: Pugilista
Descrição: Durante as batalhas, muitas vezes os combatentes ficam desprovidos de armas ou munições, tendo que recorrer à força bruta para buscar uma vitória. Devido ao treinamento constante das Amazonas, com e sem armas, elas aprendem noções básicas de pugilismo, sabendo usar os próprios punhos como poderosas armas de impacto. Golpes só serão descontados de dano se atingirem áreas sem armaduras. Em caso de golpe em armadura de couro ou golpes de raspão, dano reduzido em 50%.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus:
Dano: +20

Nível 13
Nome do poder: Damas Selvagens
Descrição: Descritas nos mitos como belas e imponentes guerreiras, as Amazonas nunca desagradaram Afrodite/Vênus negando-se ao amor, sendo agraciadas por ela com beleza e sensualidade. As guerreiras não respeitavam regra alguma, o que causava temor e admiração dos homens próximos, a ponto do povo cita ter abandonado sua pátria para casarem-se com elas. Dessa forma, as Amazonas têm a beleza agraciada pela deusa do amor e conseguem seduzir com suas palavras, quando necessário, alguns homens para que eles atendam sua vontade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% em sedução e lábia
Dano: Nenhum

Nível 17
Nome do poder: Flexibilidade Corporal
Descrição: A flexibilidade e elasticidade corporal das guerreiras Amazonas é desenvolvida desde o início em seus treinamentos rigorosos, de modo que aprendem a executar movimentos tão perfeitos quanto ginastas profissionais. Seus movimentos são bem pensados e precisos, assim como os músculos parecem responder ao mínimo comando. É quase impossível para um guerreiro mediano e iniciante acertá-las.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +25% em elasticidade e flexibilidade
Dano: Nenhum


Nome do poder: Conhecedora do Bestiário
Descrição: As Amazonas sabem que conhecer os inimigos é tão importante quanto conhecer a si mesmas. Por isso, seus estudos levaram elas a conhecerem os monstros mitológicos catalogados por elas próprias e sabem as melhores alternativas para derrotá-los.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Válido para o Bestiário do BO ou monstros utilizados em eventos do fórum; Se necessário, narrador tem que dar alguma informação sobre o monstro

Nome do poder: Resistência ao Medo
Descrição: Para quem já viu diversos horrores em batalha, o medo torna-se apenas instrumento de intimidação sobre seus adversários ou parte do instinto que mantém a Amazona viva. Desse modo, a guerreira torna-se mais resistente ao medo e truques que tentem assustá-la e desencorajá-la.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +50% resistência ao medo
Dano: -50% de dano em ataques relacionados ao medo

Nível 42
Nome do poder: Perícia com Lâminas III
Descrição: A Amazona treinou e desenvolveu sua habilidade de usar armas laminares para atacar e se defender. Agora, além de atacar, arremessar e aprender a lidar com diversas lâminas diferentes (espadas, lanças, adagas e facas), também consegue se defender com ela, e dificilmente será desarmada.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +55% de assertividade no manuseio de lâminas
Dano: +20% de dano se o adversário for atingido pela amazona

Nível 45
Nome do poder: Estrategista em batalha
Descrição: Não são as armas ou a força física que definem o vencedor de uma batalha, mas a capacidade estratégica de definir como as armas e as forças serão empregadas em uma campanha militar ou batalha. Dessa forma, as Amazonas não são apenas força bruta e perícia com armas, mas aprendem a desenvolver um raciocínio estratégico para desenvolver bons planos em batalha.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +40% de percepção e efetividade na elaboração de estratégias
Dano: Nenhum

Nível 47
Nome do poder: Força IV
Descrição: Mesmo com o desenvolvimento da força física das Amazonas, seu aspecto físico não fica avantajado, mantendo as características femininas de seu corpo. Agora, sua força é facilmente comparada a um filho de Ares/Marte ou Belona, sobrepujando facilmente qualquer outro homem.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +40% de força
Dano: +30% de dano se o ataque da amazona atingir o adversário

Nível 49
Nome do poder: Esquiva III
Descrição: Com os reflexos apurados devido ao treinamento recebido, as Amazonas têm mais facilidade para esquivar e desviar de ataques diretos e físicos. Com a capacidade física aprimorada e reflexo aguçado, a Amazona tem 60% de chances de desviar de um ataque com sucesso.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +60% em esquiva
Dano: Nenhum

Nível 50
Nome do poder: Pericia com Escudos III
Descrição: Já dizia Sun Tzu que o ataque é para tempos de abundância e a defesa para tempos de escassez. Sabendo disso, as Amazonas reconhecem que a vitória em uma batalha não é baseada somente em ataques efetivos, mas também em saber se defender. Agora, além de saber utilizar o escudo com eficácia para se defender, também saberá utilizá-lo para atacar, lançando-o como um disco ou utilizando-o para golpear seu adversário com maior chance de realizar um ataque efetivo.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% de sucesso em defesa ou ataque com um escudo
Dano: +30% de guarda ou 15% de dano utilizando o escudo para atacar

Nome do poder: Regeneração Vitoriosa III
Descrição: O corpo da Amazona começa a se acostumar com a guerra, levando-a a seguir naturalmente o seus instintos de combate e tornar-se melhor a cada inimigo derrotado. Para continuar sempre batalhando e vencendo, a cada inimigo que cai ou desiste, a guerreira ganha HP e MP, conseguindo energias e vitalidade para permanecer sempre vencendo em combate.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +100 de HP e MP a cada vitória
Dano: Nenhum


Nível 53
Nome do poder: Perita em Artes Marciais
Descrição: Devido ao seu treinamento árduo e incansável, as Amazonas tornam-se peritas em combates não-armados. Elas aprendem as técnicas marciais de diversos tipos de luta existentes. As técnicas podem ser utilizadas para a elaboração de movimentos complexos, como mortais, piruetas, ataques acrobáticos e golpes que requeiram uma grande elasticidade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Aprimora atributos dependendo da avaliação do narrador na descrição de seus movimentos
Dano: A critério do narrador
Legado de Afrodite:
Nível 1
Nome do poder: Beleza Natural
Descrição: Os filhos da deusa do amor são campistas naturalmente bonitos e charmosos. A beleza supera a de qualquer outro semideus no acampamento, sendo algo beirando ao sobrenatural. É simplesmente indescritível. Isso faz com que inimigos e aliados acabem se distraindo por sua beleza perturbadora, ou encantados pela mesma.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode deixar o inimigo atordoado durante o primeiro turno, evitando atacar logo de cara, ou se atacar (poderes que exijam miras, ou armas com a mesma característica), irão errar o alvo. Não acertarão o filho de Afrodite/Vênus, pois, de primeira, o inimigo não saberá porque não nutre o desejo de ataca-lo.
Dano: Nenhum

Nível 3
Nome do poder: Charme I
Descrição: Os filhos de Afrodite/Vênus têm grande capacidade da persuasão, afinal, é impossível resistir aos pedidos de alguém tão carismático. Neste nível o poder está começando a se desenvolver, portanto só funciona com semideuses e monstros mais fracos.
Gasto de Mp: 15 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Pode usar para enganar ou persuadir alguém a fazer o que você quer, por exemplo, fazer um inimigo se voltar contra um aliado dele mesmo. Porém, só funciona com pessoas de nível inferior ao seu.
Júpiter Passivos:
Nível 2
Nome do poder: Ouro Imperial
Descrição: O ouro imperial é o material perfeito para Zeus/Júpiter, o olimpo é feito de ouro, suas armas são feitas de ouro, e se duvidarmos, Zeus/Júpiter reluz em ouro. Com isso, os filhos de Zeus/Júpiter ganham um bônus de batalha ao lutarem com armas feitas de ouro imperial, pois tem facilidade em lidar com elas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Quando o semideus lutar com armas feitas de ouro imperial ganha +10% de força
Dano: 5% de dano a mais se o adversário for acertado pela arma do semideus.

Nível 7
Nome do poder: Proteção
Descrição: Ao entrarem nos domínios dos céus a prole de Zeus/Júpiter será protegida, diminuindo as chances de que algum acidente aéreo ocorra, assim como monstros terão mais receio em atacar tal semideus em pleno ar.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Tal poder funciona apenas quando o semideus está viajando pelo ar, seja em aviões, pégasos ou outro meio de transporte..
Dano: Nenhum.

Nível 45
Nome do poder: Velocidade III
Descrição: Você aprendeu que a velocidade pode ser uma grande aliada em campo de batalha, e com isso treinou ainda mais arduamente, agora ficou mais rápido, esquiva-se com facilidade, e domina a luta ao seu favor. É difícil combater seu herói desse jeito.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% de velocidade
Dano: Nenhum

Nível 47
Nome do poder: Força II
Descrição: O semideus treinou e evoluiu ainda mais e agora consegue carregar ainda mais peso, levantar coisas mais pesadas e efetuar lançamentos com uma facilidade tremenda. Conforme se desenvolveu, ficou ainda mais forte.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +35% de força
Dano: +20% de Dano se o ataque do semideus atingir.

Nível 50
Nome do poder: Movimentação Aérea I
Descrição: Estando em pleno ar o semideus possui uma movimentação superior a outros semideuses, sendo melhor no ar do que em terra. Como se fosse um pássaro.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +27% de força e velocidade quando o semideus lutar enquanto flutua.
Dano: +23% de dano quando o inimigo for atingido pelos poderes ativos do semideus.
Jupiter (Ativo):

Nível 2
Nome do poder: Extração
Descrição: O semideus, em tal nível, poderá extrair eletricidade de objetos ou casas, no entanto não irá absorver tal eletricidade. Apenas poderá extrair e manipula-la. Sendo que a mesma irá se dissipar em poucos segundos.
Gasto de Mp: 5 de MP.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
Extra: Nenhum.

Nível 42
Nome do poder: Voo V
Descrição: O semideus concentra uma grande parte de sua energia e consegue içar a mais metros do chão. Ao redor de seu corpo, correntes de ar o mantem estável e equilibrado, ele também consegue ficar mais rápido. Esse é o nível final, onde ele domina a arte de voar e usa isso ao seu favor.
Gasto de Mp: 40 por turno ativo.
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Já pode se erguer até 100 metros acima do solo.



– East L.A– Com amazonas e gangsters–Em um dia ai


∆ LYL - FG


Maxine Hayes


∆ LYL - FG
avatar
Max Hayes
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 259

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Promoção de Natal -//- Imperium

Mensagem por Circe em Sab Jan 20, 2018 4:53 pm


Max Hayes

Método de Avaliação:
Valores máximos que podem ser obtidos

Total de XP que pode ser alcançado: 3.000 XP e 4.000 dracmas

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas – 47%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 15%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

RECOMPENSA: 2.760 XP e 3.680 dracmas + item almejado.

Comentários:

Foi uma ótima missão, de fato. Você escreve bem e descreve melhor ainda, gosto da forma que você detalha os locais e as pessoas ao redor da personagem, e os detalhes da missão me encataram. Só pra te deixar atenta:  
As cargas comuns eram feitas pelos homens que serviam as Amazonas de bom agrado, recebendo um salário justo e todos os benefícios que um emprego poderia oferecer.
Na parte grifada o certo seria bom grado, que significa por vontade deles. Notei uns erros bobos de digitação, mas isso pode ser ajeitado com uma leitura mais calma e atenciosa.
Fizemos uma pequena alteração no seu item, espero que não tenha problemas.
• Imperium [Uma armadura feminina completa, no melhor estilo greco-romano. O metal apresenta-se na cor dourada, o tecido em tom avermelhado | Efeito mecânico: transforma-se em um bracelete de ouro que fica sobre o braço superior. Ao tornar-se uma armadura, ainda permite que algumas partes não apareçam, cabendo a usuária a escolher quais partes irão surgir e proteger seu corpo | Efeitos 1: Reduz em 50% o dano físico. Efeito 2: Recupera 15% da MP e HP do valor atual por 3 turnos, uma vez por evento. | Espaço para três gemas | Vibranium, detalhes em ouro | Super Alfa | Status 100%, sem danos | Lendário | CCFY Promoção de Natal]

STATUS: Permanecem os mesmo atuais, por conta do poder passivo de cura.


Atualizado por Morfeu
avatar
Circe
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários

Mensagens : 39

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Promoção de Natal -//- Imperium

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum