The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

RPs de Ano Novo

Ir em baixo

RPs de Ano Novo

Mensagem por Noah em Dom Jan 07, 2018 8:15 pm

fim de festa
Jura? — Noah questionou a veracidade da informação dada por Romeo, desconfiado. — Logo eu, que nem comemorar eu comemorei?!

O filho de Belona estava seriamente convicto que sim, o garoto fora o escolhido. Noah seria responsável pela limpeza do espaço no qual a festa de ano novo fora sediada. Sua cabeça balançando num constante assentimento somado ao semblante rígido que expunha deixava o garoto não chegar a outra conclusão.

Não tinha motivos para duvidar do padrinho, embora tivesse ouvido de outros garotos que os semideuses em probatio eram tradicionalmente encarregados das tarefas mais chatas que se podia imaginar. Mas chegava a hora em que eles ingressavam efetivamente na Legião e, a partir desse ponto, transferiam seus postos de faz-tudo-que-é-chato aos novos novatos.

Noah decidiu não falar mais nada. Acatando a ordem, ele deixou o quartel da quinta coorte pouco depois que o sol se reergueu, levando consigo um pedaço de uma gostosa fruta que lhe fora apresentada há alguns dias: melancia. Felizmente, ele já estava habituado a não se lembrar de nada desde sua chegada ao acampamento, por isso não se entristecia ao ser apresentado a um novo tipo de comida a cada refeição.

Distraído dentre reflexões e notas mentais, o garoto chegou no seu destino. Um longo suspiro escapou dos seus lábios diante do resultado final, mas ele não tinha outra opção. Aproximou-se dos materiais de limpeza dispostos sobre o balcão do bar e logo vestiu as luvas de borracha. Sua caminhada pelo recinto durou um bom tempo. Duas grandes sacolas pretas foram enchidas de copos e taças quebrados, alguns adereços pessoais e outros do próprio cenário, um ou outro sapato e coisinhas que não ele soube dizer o que eram.

Enquanto isso, alguns fortes rapazes desmontavam a estrutura que fora erguida para um show. Barras metálicas, holofotes, caixas de som e muitos metros de cabos. Tudo isso cabia num caixote mediano que claramente era fruto de magia. Noah tentava se focar no seu próprio trabalho, tendo certa dificuldade pelo simples fato de que aqueles semideuses eram colírios para os seus olhos.

O olhar ameaçador de um deles fez Noah se afastar, procurando por lixo onde nem mais tinha. Sua estranha e repentina obsessão pelos filhos de Vulcano os deixou desconfortáveis de um jeito indesejado e devido a isso seria melhor fazer de conta que eles não estavam mais ali.

A prole de Victoria sussurrava para si mesmo algumas palavras de incentivo, focando-se unicamente em sua tarefa. Quando recolheu todo o lixo, amontoou os sacos num canto e partiu para as mesas e cadeiras, utilizando um pano e um produto que ele desconhecia, mas que tinha um cheiro agradável, para deixar tudo limpinho. Essa parte demandou mais tempo e disposição, deixando o jovem suando ao terminá-la.

À medida com que os filhos de Vulcano faziam seu trabalho, um ou outro semideus que havia dormido por ali acordava. O barulho era excessivo, especialmente quando alguma coisa caía, portanto Noah não precisou se esforçar para mandar embora quem precisava ser mandado. Com isso, esfregar o chão ficou bastante viável.

Numa mistura de líquidos que ele encontrou e que não sabia se estava correta ou não, esfregou o pavimento com certa lentidão - esta, provinda do cansaço que já o consumia. Sua mente desmemoriada o impedia de saber como exatamente fazer aquilo, por isso experimentou tanto a vassoura quanto o rodo, adaptando-se melhor à primeira na hora de fazer as manchas de bebida e vômito sumirem.

O fato de Noah não saber bem o que fazia tornava tudo mais divertido, mesmo que à princípio ele tivesse desconfiado de Romeo. Era uma atividade simples mas complicada, chata mas divertida. Sentia que de alguma forma seria bom para si. E, honestamente, a presença dos filhos de Vulcano era recompensadora.

Acho que é isso, né?! — pensou alto, apoiando-se no rodo quando enfim parou. Sentia as gotas de suor escorrerem pelas suas bochechas que, agora, assumiam uma tonalidade rúbea em virtude do esforço. Uma última observada no espaço o fez concordar consigo mesmo com a cabeça, aceitando o fim do seus serviços. Uma soneca vespertina era tudo que ele queria, ainda mais se por acaso encontrasse algum dos ferreiros na hora de tomar banho.

...

Fim de festa – Bêbados caídos, copos por todo lado, sujeira que não tem fim. O chão está grudento, as mesas estão totalmente bagunçadas, e adivinha para quem sobrou? Isso mesmo, você. Por algum motivo os senadores ou Quiron resolveram que você seria perfeito para executar o trabalho. A festa de ano novo acabou e alguém precisa ficar responsável pela limpeza, você é o escolhido da vez, limpe a sujeira do fim da festa.
Objetivo: Limpar o local da festa de ano novo e deixar tudo brilhando.
Recompensas: 1.500 XP + 1.500 Dracmas + 4 estrelas.
avatar
Noah
V Coorte
V Coorte

Mensagens : 50
Idade : 17

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RPs de Ano Novo

Mensagem por Noah em Seg Jan 08, 2018 4:04 pm

é hora da festa
Noah não ficou muito contente quando foi escalado para organizar o espaço em que seria sediada a festa de ano novo. Assim como os demais semideuses em probatio, ele recebia tarefas chatas como esta até simplesmente limpar os estábulos. A vaga lembrança da nojeira criada pelos cavalos causava arrepios em todo o seu corpo, o que com certeza o fazia preferir arrumar o salão.

— Você, você e você cuidam das mesas. — a centuriã da quinta coorte disse, nada preocupada em não saber os nomes dos campistas. Noah não se importou, uma vez que nem ele sabia o próprio nome. “Noah” era como o chamaram depois de sua exótica chegada ao acampamento: através de um barquinho no Pequeno Tibre.

Isso serve exatamente pra quê? — o filho de Victoria desmemoriado questionou, exibindo uma toalha branca e dourada para as duas garotas que ficaram encarregadas do mesmo trabalho que ele.

— Deixa eu te mostrar. — a mais simpática, cujas bochechas eram abarrotadas de sardas, apanhou o item das mãos do rapaz e o esticou sobre a mesa que estava diante de si. — Entendeu? É uma proteção pra mesa e também um enfeite.

Noah sorriu, agradecendo o carisma e a calma da garota que eram claramente inexistentes na outra. Esta, por sua vez, revirou os olhos e foi colocar toalhas nas mesas mais distantes. Então, em dupla, Noah e sua nova amiga prosseguiram na tarefa.

Todas as mesas e cadeiras passaram por um simples processo de limpeza para antes serem decorados com o pano alvo cujo emblema do Acampamento Júpiter servia como detalhe principal e centralizado, bordado em dourado. Eram peças bem bonitas, Noah concluiu, e por conta disso teve bastante cuidado para manuseá-las.

Enquanto os três espalhavam pequenos vasos com lírios brancos pelas mesas, outro grupo de semideuses cuidava do bar, ajeitando todas as garrafas de água, suco, refrigerante, vinho e espumante nos refrigeradores e empilhando as que sobravam num lugar de fácil acesso para que os baristas pudessem pegá-las se necessário. Além deles, dois garotos ajudavam alguns legionários a estruturar o palco que seria utilizado, instalando caixas de som, holofotes e um equipamento que, para a surpresa de Noah, soltava fumaça!

Apesar do curto tempo perdido com a nova descoberta, a jovem sardenta - que se apresentou como Neema - chamou sua atenção. Um pedido de desculpas antecipou a retomada do serviço, distribuindo pequenas taças de vidro pelas mesas. Sob elas, um delicado guardanapo que também trazia o logo do acampamento impresso.

— Ei, vocês. — a outra menina, a de cara fechada, falou. — Me ajudem aqui.

Neema e Noah se aproximaram, entreolhando-se. A garota entregou um pano branco para eles e apontou para dois ganchos que estavam presos nos cantos da parede, indicando o que deveria ser feito. — Prendam isso aí enquanto eu vou espirrar um pouco desse perfume.

Um odor suave e relaxante propagou-se pelo ar à medida que a jovem caminhava pelo lugar, borrifando a desconhecida essência a cada passo. Junto de Neema, Noah fixou dos panos pelas paredes, substituindo a pintura sem graça por algo mais vivo e característico. Não tinha certeza de que aquilo tinha ficado muito bonito, mas não discutiria as habilidades de decoração de quem quer que tivesse escolhido aquela. Fez apenas o que lhe fora mandado.

As embalagens que continham os itens de enfeite foram todas largadas no chão e sobrou para Noah recolhê-las. Ele sentia que havia certa raiva em muito dos semideuses pelo simples fato da sua vida ser uma incógnita, mas até então isso não passava de suposição. Respirando fundo, então, caminhou pelo espaço com um grande saco azulado em mãos, recolhendo todo o lixo que fora espalhado por ali.

Deixou o salão depois que todos já tinham ido embora e por isso se permitiu gritar, frustrado. Por alguma razão, gritar o fez se sentir melhor, mais leve. E com esse sentimento predominando ele refez o caminho para o quartel. A comemoração de fim de ano não significava nada para ele, portanto não via motivo para participar dela.

...

É hora da festa – Os semideuses estão bolando uma festa de ano novo bastante divertida, mas precisam de ajuda para montar a decoração e você foi o escolhido da vez. Coloque bebidas para gelar, arrume as toalhas de mesa, limpe e juntes os lixos e ajude a decorar o ambiente festivo antes das sete da noite, ah! Não se esqueça de tomar banho para curtir a festa ao fim de tudo.
Objetivo: Ajudar a arrumar o local da festa de ano novo.
Recompensas: 1.000 XP + 1.000 Dracmas + 3 Estrelas.
avatar
Noah
V Coorte
V Coorte

Mensagens : 50
Idade : 17

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RPs de Ano Novo

Mensagem por Noah em Qua Jan 10, 2018 7:53 pm

fast food do mal
Noah reprimiu um bufe quando os centuriões da quinta coorte o encarregaram da patrulha do exterior do Túnel Caldecott. O fato de estar em probatio o fazia mais qualificado para o trabalho, uma vez que ainda tinha muito a aprender. E esse muito englobava o tedioso patrulhamento.

Alguns dias atrás, com Romeo, Noah tivera uma experiência exótica. Também numa patrulha noturna, fora surpreendido por um trio de empousas e graças ao filho de Belona ele não saiu com mais do que alguns machucados superficiais. Entretanto, desta vez, ele estava sozinho.

Você consegue. — sussurrou para si mesmo, atravessando os portões de entrada do Acampamento Júpiter.

Com a respiração um pouco irregular, o filho de Victoria caminhou em direção ao túnel. Trazia Rage presa na cintura e complementava seu simples visual - a típica camiseta roxa, uma calça jeans e seus all stars surrados - com sua coroa de louros que assumira a forma de uma touca preta. Diferente dos outros patrulheiros, ele não tinha mais armas nem sequer armadura.

Assim que alcançou seu destino, sentou-se num dos últimos degraus da estreita escada que levava à passagem mística para o acampamento e Nova Roma. O movimento era praticamente nulo, resumindo-se a um ou outro automóvel que passava em intervalos aleatórios. Ao longo da primeira hora, Noah dividiu o posto com uma garota desconhecida que não se deu o menor trabalho de responder o oi que lhe fora direcionado.

O fato da sua enxuta história meio que popularizar no acampamento fazia alguns semideuses simplesmente odiarem-no. De certa forma, ele se acostumou a isso. Acostumou-se a ser o último escolhido nas atividades, a temer por não estar com Courtney, Mason ou Romeo e a estar sempre armado. Como não se lembrava do passado, a realidade vivida com os outros semideuses era aceitável, era razoável.

Crack!

Seus olhos arregalaram assim que o ruído chegou nos seus ouvidos. Seu devaneio se dissipou por completo e ele se levantou, segurando o cabo da espada com pavorosa coragem. Sentiu seu coração pulsar com mais velocidade perante o extremo desconforto causado pela situação. Antes que desse o primeiro passo, no entanto, respirou fundo, aliviado.

— Meu turno acabou. Boa sorte aí. — a patrulheira disse, surgindo detrás da escada. O sorriso discreto em seu rosto denunciava a graça pela reação que Noah tivera. Ele, envergonhado, desviou o olhar para a rua e fez que sim com a cabeça.

Mais algum tempo se passou, mas o jovem não tinha noção exata do quanto. A impaciência crescente o fazia andar de lá para cá, sempre se mantendo a poucos metros da porta metálica e enferrujada que servia como entrada para o refúgio semidivino. Tinha Rage em mãos e imaginava um monstro diante de si para praticar com a arma.

Sua mente distante demorou para perceber as três figuras que caminhavam lentamente em sua direção. Assim que o fez, abaixou a espada, apoiando-a no asfalto do pequeno acostamento para analisar o trio que agora estava um pouco mais próximo.

Boa noite. — Noah respondeu os acenos de cabeças que foram direcionados para si. Mantendo a espada atrás do seu corpo, ele recuou para a parede do túnel, deixando que as pessoas passassem sem problemas.

Ao aproximarem-se da escada, os três brecaram e entreolharam-se. O semideus permaneceu os encarando, extremamente incomodado com o uniforme idêntico que usavam: bonés vermelhos, camisas polo brancas com as golas vermelhas e calças também vermelhas. A estranha familiaridade existente com as entregadoras de pizza que ele e Romeo encontraram da outra vez o deixava muito desconfiado.

Noah acompanhou com certa apreensão o retrocesso do que reparou serem entregadores de comida árabe. Seu cenho franzia a cada passo dado pelos transeuntes em sua direção. Quando enfim a um único metro, o que estava no meio se manifestou:

— Cinco esfihas de carne e dois kibes? — se fosse possível, Noah teria um ponto de interrogação no meio do seu rosto. Não tinha a menor ideia do que fora falado e por isso pigarreou antes de responder.

O que é isso? — dada sua falta de memória, ele realmente não tinha ideia.

Após sinalizar um pedido de espera, o homem abriu a sacola que tinha em mãos e tirou um pacote branco de dentro dela. Um cheiro de podridão espalhou-se pelo ar, roubando uma careta enojada de Noah. Então, ignorando seu questionamento, o cara se aproximou, um pouco manco, e esticou a entrega para ele.

Que cheiro ruim! — exclamou, dando um passinho para trás perante o intensificar do forte odor de carniça. — O que é isso?!

— Esfihas e kibes de carne, semideus! — o vocativo usado pelo entregador o denunciou. Entretanto, antes que pudesse erguer Rage, Noah foi atingido no rosto pela sacola entreaberta. Pedaços de cérebro caíram em seu pescoço e, esbaforido, ele largou a espada para se limpar, sentindo o gosto de bile invadir sua boca.

O pobre semideus não teve tempo suficiente para impedir que os homens acabassem com a distância tida dele. Dois agarraram-lhe os braços enquanto o que estava em sua frente recuperava o cérebro podre no chão e terminava de devorá-lo com voracidade. Piscar frenética e atonitamente fez o jovem notar a aparência que de maneira absoluta e distinta os três agora tinham.

O que são vocês? Caramba! — a pouca força aplicada pelo monstro da direita em seu antebraço respectivo possibilitou o escape. Com um puxão, ele se libertou e, com tal braço livre, cerrou o punho num potente soco contra o rosto do outro bicho que ainda o segurava.

Os grunhidos que sucederam seu ataque eram bizarros. Nada a fim de encarar a pele apodrecida e asquerosa dos zumbis, o garoto agachou para recuperar sua arma se jogou para a diagonal, ganhando um metro de distância deles. Ao se levantar, já os tinha em seu encalço, mas sua velocidade reduzida era uma grande vantagem.

Noah andava praticando bastante com a espada e graças a isso desenvolvera uma boa habilidade de manejo com ela. O zumbi que estava mais próximo teve seu peito trespassado pela arma, mas o que o semideus não esperava era que isso não bastaria para ceifar a vida da criatura. Assustado, recuou novamente, trazendo Rage e sutis arranhões nos antebraços consigo.

Refletindo sobre sua triste descoberta, ele permitiu que os monstros se reaproximassem. Quando quase completaram um círculo ao redor do rapaz, ele encetou sua investida, antecipando a dos seus inimigos.

Guinando à direita e mantendo a espada no alto, atingiu o primeiro zumbi, transpassando-a do queixo ao cocuruto. Por conseguinte, os outros também avançaram, mas Noah executou um meio giro para usar o monstro preso em sua espada como escudo. Gemeu por conta do esforço e um pouco mais pelas unhas afiadas que agarraram-lhe os pulsos.

O ruído emitido pelos bichos soou semelhante a uma risada. Precisava de mais tempo para pensar, por isso retraiu a espada e correu antes que fosse atingido mais uma vez. Trincando os dentes, ele tentava ignorar a ardência surgida nos cortes que recebera. Era um pouco difícil de se focar, mas um vislumbre de Romeo lutando bastou. O legionário havia finalizado uma empousa ao decepá-la. Assim como ele, há poucos dias Noah encerrara a luta contra o jacaré guerreiro da mesma maneira. Torcia para que funcionasse.

Atirou-se contra as criaturas, mantendo-se mais à direita para que não fosse vítima de todas delas ao mesmo tempo, e decepou a mão erguida da primeira que atacou. Mesmo resmungando, ela não cedeu, o que oportunizou sua decapitação. Ao longo do instante subsequente, os outros dois zumbis paralisaram diante da morte do companheiro. Noah estava certo!

Ele não se deu o privilégio de recuperar o fôlego antes de avançar de novo, surpreendendo o segundo zumbi com uma óbvia tentativa de degolá-lo. Infelizmente, ele abaixou, fazendo com que Rage riscasse o ar até se alojar na lateral da cabeça do outro monstro.

A forma como a espada fora cravada impossibilitou que seu portador a empunhasse de volta. Seria exigido mais força ou melhor ângulo, o que Noah claramente não tinha, ainda mais porque o zumbi remanescente havia pulado contra ele. Seu instinto o fez agarrar o bicho pelos pulsos para, em seguida, desferir uma joelhada em seu órgão genital - se é que ele o tinha.

Noah escapou por pouco de uma abocanhada do monstrengo e o empurrou para trás, fazendo-o esbarrar no amigo que acabara de se livrar da espada que tinha na cabeça. Com pressa, Noah não se importou com os novos arranhões em suas costas quando se abaixou para resgatar sua arma, bradando com fúria.

Uma solada num dos zumbis o afastou, permitindo que o outro literalmente perdesse a cabeça com um golpe firme descrito pela lâmina de bronze celestial de Rage. Ao se voltar para o último, Noah reparou que sua respiração estava bastante ofegante. O ar estava repleto de ira e era em virtude dela que os corpos ainda se moviam. A criatura moribunda se lançou contra o semideus, exibindo suas garras e dentes pontudos. Com um grito, ele também avançou, brandindo a espada no alto.

A dor agonizante que despontou nos ombros do jovem pelas unhas afiadas do seu inimigo perdurou por poucos segundos. Com uma mão a segurar o pescoço meio que esponjoso do zumbi para evitar ser mordido, a outra encaminhou Rage à sua testa, perfurando-a com sucesso.

Um resmungo escapou pelos lábios de Noah quando o monstro caiu inerte no chão. Assim como os outros dois, ele explodiu, deixando poeira dourada para trás. Ainda enojado, o semideus esfregou a mão na calça antes de guardar a arma em sua bainha enquanto perscrutava o cenário.

Um último olhar foi direcionado aos dois lados do túnel antes que a prole de Victoria subisse a escada para voltar para o acampamento. Por desconhecer zumbis, não sabia o que poderia lhe acontecer caso não tratasse dos seus ferimentos. Devido a isso, pôs-se a caminhar em passos largos à enfermaria, clamando intrinsecamente pelo cessar da ardência e da dor lancinante que sentia.

...
...
...

Fast Food do mal – Alguns filhos de Hermes/Mercúrio resolveram pregar uma peça nos semideuses de vigia daquela noite, e adivinha? Você estava no turno da vez. Os meninos acabaram ligando para um fast fod de monstros para pedirem comida, o destino? Um dos acampamentos (grego ou romano). Acontece que o entregador não perderia a chance de conseguir seu próprio jantar e não veio sozinho!
Objetivo: Derrotar os entregadores do mau (monstros). Serão 3 e ficarão a sua escolha, mas devem ser o mesmo tipo de monstros. Ex: 3 Harpias, 3 zumbis, 3 Empousas. Criaturas que conseguem ser entregadores ao se disfarçar entre os humanos.
Recompensas: 4.000 XP + 4.000 Dracmas + 8 Estrelas.

habilidades:
passivas:
Instinto natural [01]: Como filhos da deusa da vitória, os filhos de Nice tem um instinto natural sobre qual o melhor movimento em uma batalha ou atividade que envolva esportes.

Espírito vencedor [02]: Como filhos da deusa representante da vitória, por serem muito competidores e desgostar em imensamente da idéia de perder uma competição, esses semideuses sempre darão o máximo de si para vencer, ignorando qualquer dor que possua os atrapalhar.

Instinto natural aguçado [03]: Como bons competidores, os cinco sentidos naturais dos filhos de Nice são mais aguçados, de modo que ao utiliza-lo (tato em escalada, visão para arremesso de objetos... e etc) esses semideuses tem 25% mais sucesso do que um semideus que não tenha perícia sobre o instinto usado.

Coragem vitoriosa [06]: Sempre empenhados em darem o máximo de si, filhos de Nice são corajosos e valentes, principalmente quando estão em uma luta ou competição. Poderes, habilidades e itens que possuem como essência elemental o medo, possuem eficácia 50% menor sobre eles quando estiverem em um confronto ou disputa. Caso a fonte do poder seja três níveis mais fraca, o poder passa a não atingir as proles de Nice.

Velocidade Olímpica [07]: O atletismo é um esporte olímpico, tão antigo quanto as primeiras edições da grande competição. Filhos de Nice correm em grande velocidade, vencendo obstáculos no caminho com pulos e desvios. Esses semideuses são duas vezes mais velozes do que um humano comum, porém ainda possuem fôlego e vigor físico de um semideus.

Esgrimistas Avançados [09]: Filhos de Nice tem um dom com lutas de espadas avançado, tendo uma paixão em especial por essa arte. Essa perícia facilita o aprendizado com armas equivalentes a sabres, espadas medievais, katanas e floretes, de modo que conseguem até mesmo usar duas armas ao mesmo tempo, se não estiver empunhando um escudo.

Mente estratégica [09]: Não apenas de competições físicas são feitas as competições atuais. Tendo uma mente apurada e capaz de mirabolantes estratégias quase tão boas quanto proles da deusa da sabedoria, filhos de Nice além de conhecerem as regras, são peritos em jogos de estratégia, de tabuleiro e de cartas. Também são capazes de usar a estratégia para resolver enigmas e fazer planos de guerra e sobrevivência.

Vigor atlético [16]: Através de corrida corrida e nado, as proles de Nice desenvolvem seu fôlego e vigor, os tornando sobrenaturais para os padrões humanos. Tendo o dobro da capacidade pulmonar de um semideus que não possua vigor elaborado, conseguem resistir até uma hora sem respirarem ao estarem submersos, e resistem a uma corrida sem descanso de até um quilômetro.
ativas:
n/a
itens:
Coroa de Louros [Composta por ramos entrelaçados de louro, cujas folhas apresentam-se em ouro imperial, o item símbolo de Victoria foi dado ao seu filho no momento em que ela o enviou para a Legião, como uma dádiva afetuosa. | Efeito 1: Amplia os atributos físicos do portador em 30%. | Efeito 2: Quando colocada, a coroa parece não estar ali porque ela não cai e não pesa. | Efeito 3: Transforma-se em qualquer tipo de acessório para a cabeça, basta mentalizar. | Ramos de louro e ouro imperial | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Herança de Victoria]

• Rage [Espada longa, com cerca de um metro de comprimento e largura consideravelmente grande. É tão afiada que um mero toque é capaz de causar ferimentos, possuindo setenta centímetros da ponta à base. Abaixo da base, a guarda da arma é o entalhe da cabeça de um javali, feita em ferro e com dois rubis em seus olhos, aparentemente foscos e apagados. O punho é feito de madeira, e seu design permite que a espada seja segurada com uma ou duas mãos – embora a força exigida seja bem maior caso seja empunhada com apenas uma. | Madeira e bronze celestial | Quando o dono da espada entra em combate, as joias do javali começam a brilhar em um tom intenso de vermelho. Sempre que a espada causa dano em um inimigo, ela suga parte da vida retirada – 25% - e passa para o portador, caso este esteja ferido, restaurando assim parte da sua vida | Não possui espaços para gemas | Comum | Resistência: Gama | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja ].
observações:
1- Considerar o HP retirado dos monstros através da espada na hora de contabilizar os status finais do personagem.

2-Caso algo relacionado ao personagem fique confuso, eu posso explicar tudo bonitinho por MP!

Obrigado!
avatar
Noah
V Coorte
V Coorte

Mensagens : 50
Idade : 17

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RPs de Ano Novo

Mensagem por Júpiter em Sab Jan 13, 2018 2:19 pm


Fim da Festa


Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Máximo de XP da missão: 1500 XP  

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 30%

RECOMPENSAS: 1500 XP/Drácmas + 4 estrelas [NO FIM DO POST ESTARÁ A RECOMPENSA FINAL]



É hora da Festa


Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Máximo de XP da missão: 1000 XP  

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 30%

RECOMPENSAS: 1000 XP/Drácmas + 3 estrelas [NO FIM DO POST ESTARÁ A RECOMPENSA FINAL]




Fest Food do Mal


Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Máximo de XP da missão: 4000 XP  

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 30%

RECOMPENSAS: 4000 XP/Drácmas + 8 estrelas. [NO FIM DO POST ESTARÁ A RECOMPENSA FINAL]

Comentários Finais:

Primeiramente, desculpe pela demora!

Você escreve bem, herói e o jeito que o seu personagem desenvolveu a missão - sendo ele do jeito que és - foi interessante. Só aconselho-lhe a ter mais calma no decorrer da missão, pode abusar do espaço que se tem e de tudo o que puder para deixar seu texto mais claro e mais recheado de detalhes. Não notei erros gritantes que me fizessem diminuir a recompensa.

Quero que saiba que a 'FAST FOOD DO MAL' foi uma das melhores missões que li e realmente gostei desta. Continue focado no objetivo de UPAR seu personagem, isso serve de inspiração para muitos.

Parabéns!



RECOMPENSA FINAL (soma das três avaliações): 6.500 XP/ Dracmas + 15 Estrelas.


~ Atualizado por Nox. ~



JÚPITER



avatar
Júpiter
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários

Mensagens : 54

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RPs de Ano Novo

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum