The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

RP de Ano Novo [Noah e Romeo Bernocchi]

Ir em baixo

RP de Ano Novo [Noah e Romeo Bernocchi]

Mensagem por Romeo Bernocchi em Qua Jan 03, 2018 1:29 pm

Missão fixa conjunta


Noah e Romeo
avatar
Romeo Bernocchi
Pretores
Pretores

Mensagens : 684
Idade : 20
Localização : Acampamento Júpiter

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RP de Ano Novo [Noah e Romeo Bernocchi]

Mensagem por Romeo Bernocchi em Qui Jan 04, 2018 11:50 am

fast food do mal


Então basicamente ficaremos zanzando pelo acampamento enquanto o resto do pessoal dorme? — o garoto questionou, curioso.

Exato. Mas existe um revezamento da vigia. Todos participam dela. — expliquei, caminhando lentamente ao lado do recém chegado. — No seu caso é diferente, já você ‘tá em probatio. E por ser seu padrinho preciso te mostrar como as coisas funcionam por aqui.

Interpretei o silêncio de Noah como sua absorção da informação que lhe dera. Ele havia aparecido no Pequeno Tibre há poucos dias atrás e, depois de recuperado, fora obrigado a entrar no sistema sem ter conhecimento algum. Eu não fazia ideia do que ele passou - e pelo visto ele também não - e por isso tentava ser o mais paciente possível. Já era suficiente a encheção de saco de muitos outros campistas; eu, pelo contrário, queria mantê-lo confortável.

O mistério que circundava esse semideus deixava até as pretoras preocupadas. Mas a leitura das entranhas da pelúcia, feita na ingressão do jovem à Quinta Coorte, revelou que ele estava apto a se tornar um legionário. Eu aceitei essa informação de bom grado e desde então fui tentando quebrar algumas das incontáveis barreiras que o filho de Victoria havia erguido ao seu redor. Era um trabalho à longo prazo, mas um dia seria concluído.

E ficaremos a noite toda por aqui? — sua fala era um pouco dispersa. Ao virar-me para ele, acompanhei seu olhar vaguear pela Via Principal - onde estávamos -, perscrutando todas as construções que eram novas para ele. Quanto a sua pergunta, eu a respondi com um aceno de cabeça. Afinal, era essa a nossa função como patrulheiros.

Passamos os minutos seguintes em silêncio. Eu preferia não abusar do garoto e enchê-lo de perguntas. Intrinsecamente eu torcia para que a minha presença já significasse algo para ele. Na minha visão, alguém em quem confiar era o que ele precisava.

Essa não era a nossa área? — de repente, a indagação de Noah me despertou do devaneio. Ele apontava para o horizonte, onde três silhuetas surgiam gradativamente em meio à escuridão. A lógica dele estava correta: daquela área éramos nós os responsáveis. Não fosse por algo importante, deveríamos estar sozinhos ali.

De fato. — paramos diante de uma fonte qualquer, voltados para os seres que se aproximavam pela Via Pretoriana. A fim de despreocupar Noah, falei o que parecia ser óbvio. — Com certeza são semideuses em probatio que acham que estão brincando aqui e por isso saem escondidos à noite. Vamos pegá-los.

Mantive a mão canhota apoiada no guarda-mão de Rage que estava embainhada. Noah me seguia, ficando a pelo menos um passo atrás de mim. À medida que andávamos, a distância entre nós e o trio de infratores encurtava. Eu matutava sobre fazer o patrulheiro bom ou ruim, mas seria no calor do momento que eu tomaria a decisão.

Assim que nos aproximamos, notei que eram três moças que usavam o mesmo uniforme: uma calça justa branca, tênis esportivos, uma camisa polo e um boné avermelhados. Em suas costas existiam grandes e quadradas mochilas, como se elas fossem entregadoras de pizza.

E elas eram.

Cinco pizzas de calabresa e mussarela? — a do meio perguntou, parando próxima de mim e de Noah.

Troquei um rápido olhar com o garoto, confuso diante da situação. Como alguém de dentro do acampamento conseguira pedir comida numa pizzaria? Não tínhamos isso em Nova Roma. Dada minha considerável experiência como semideus, portanto, a minha desconfiança aflorou. Por precaução, envolvi o cabo da espada com a mão.

Na verdade não, senhoritas. — respondi com serenidade. Entretanto, isso foi insuficiente para elas, que simplesmente me ignoraram. Assistimos, cismados e atônitos, as três abaixarem-se e abrirem as mochilas numa perfeita sincronia. Elas analisavam os papeizinhos que tinham em mãos, provavelmente conferindo o pedido que fora feito.

Bem, aqui diz — e ela fez uma pausa dramática. — dois semideuses bem apetitosos. — nesta hora, sua voz engrossou, assemelhando-se a um demônio, e seu visual mudou completamente, assim como o de suas companheiras. Na cabeça, cabelos flamejantes surgiram, acompanhados por uma pele alva como mármore, ao passo em que suas partes inferiores, rasgando parte das calças, exibiram uma perna de bronze e outra de bode.

Empousas.

Ahm… Romeo? — Noah finalmente se pronunciou, pondo para trás sua aba do boné mágico.

Fica atrás de mim. — instruí o garoto quando de dentro das mochilas as empousas sacaram adagas, uma para cada. Seus rostos contraídos em ira e desejo pelo nosso sangue semidivino.

A investida do trio só me deu tempo de sacar Rage. Ao erguê-la, a criatura central consequentemente foi atingida, já que a espada era grande e a distância entre nós não. Gemendo, ela recuou, mas as outras duas não. Minha saída foi também retroceder, recebendo apenas dois cortes superficiais nos antebraços.

Mal tive tempo para respirar e logo bloqueei com a espada o segundo assalto de uma das empousas, sendo obrigado a conduzi-la para o lado para evitar ser atingido pela outra. Nisso, Noah ficou vulnerável, mas eu precisava finalizar pelo menos um dos monstros para ajudá-lo. Talvez deixá-lo nessa situação fosse interessante. Suas habilidades desconhecidas poderiam despertar e ser bastante úteis.

Executei um giro com Rage no momento em que a empousa veio contra mim, desferindo um risco ascendente que a empurrou para o lado, interceptada. Seu braço atingido tinha um corte mediano que expelia sangue freneticamente. Como resposta, eu sorri de escárnio.

Captei, de escanteio, a aproximação daquela primeira criatura, e no último segundo evitei ter o rosto perfurado por uma adaga. Ao invés disso, um talho se abriu na minha bochecha. A posição que eu estava facilitou meu movimento seguinte, o qual eu utilizei o pomo da espada estocar o estômago da bicha, roubando-lhe o ar e desnorteando-a.

Antes que a outra viesse novamente contra mim, eu empurrei que estava na minha frente em sua direção, solando sua lombar para acelerar o movimento. Então, num só golpe, transpassei os corpos das duas, usando o sangue da primeira para intensificá-lo, e em seguida elas foram reduzidas a pó dourado.

Esbugalhei os olhos quando o impacto de um salto surgiu de abrupto nas minhas costas, não me dando tempo para reagir decentemente. Acompanhando-o, afiadas garras perfuraram o meu peito, gerando uma dor lancinante que foi reproduzida num grito gutural. Ainda que meu corpo suportasse mais sofrimento do que a maioria, era impossível ignorar por completo o que eu sentia.

Meu rosto se contraiu numa careta amargurada. Minhas narinas alargadas e meus dentes trincados eram sinais da minha fúria crescente. Graças a ela, meu vigor possibilitava dar continuidade à batalha.

Larguei Rage para agarrar os pulsos da empousa, usufruindo da minha força aprimorada para arrancá-la do meu cangote. Em meio a alguns giros eu consegui, deixando-a tão zonza quanto eu. Todavia, Noah, em seu momento de glória, conseguiu surpreendentemente atravessar o pescoço da monstrenga com a minha espada, levando-a a óbito de imediato.

Ele soltou um gritinho assustado quando o corpo mole da inimiga implodiu em poeira mágica, deixando a minha espada cair no chão. Relaxei após a cena, sentindo a ardência das perfurações no meu peito começar a diminuir por conta da minha habilidade regenerativa pós batalhas. Ao cessar, eu inspirei fundo, tomado por calmaria e comodidade.

Noah? — chamei-o só pelo ato de chamar, uma vez que eu o tinha de fronte a mim. Seu estado, exceto pelo nariz quebrado, era bom, mas em seu olhar eu pude ver que ele estava longe disso.

Dei uma olhada ao nosso redor, ratificando a ausência de mais monstros. Depois dessa surpresa, eu tinha a obrigação de deixar Noah se recuperar. Portanto, ignorando o meu posto, passei o braço direito dele pela minha nuca e o meu esquerdo pela sua cintura, dando apoio suficiente para acompanhá-lo até a enfermaria.

Fast Food do mal – Alguns filhos de Hermes/Mercúrio resolveram pregar uma peça nos semideuses de vigia daquela noite, e adivinha? Você estava no turno da vez. Os meninos acabaram ligando para um fast fod de monstros para pedirem comida, o destino? Um dos acampamentos (grego ou romano). Acontece que o entregador não perderia a chance de conseguir seu próprio jantar e não veio sozinho!
Objetivo: Derrotar os entregadores do mau (monstros). Serão 3 e ficarão a sua escolha, mas devem ser o mesmo tipo de monstros. Ex: 3 Harpias, 3 zumbis, 3 Empousas. Criaturas que conseguem ser entregadores ao se disfarçar entre os humanos.
Recompensas: 4.000 XP + 4.000 Dracmas + 8 Estrelas.  

adendos:
habilidades:
passivas:
Nível 1
Nome do poder: A arte da guerra
Descrição:  Filhos da deusa da fúria da guerra, esses semideuses possuem um conhecimento apurado em estratégias básicas e de sobrevivência. É similar a um instinto, uma intuição, uma sequência de pensamentos que permitiam ao romano a analisar o combate como se fosse uma arte. Graças a isso, raramente entra em estado de desespero quando situações de risco surgem.
Gasto de Mp:  Nenhum
Gasto de Hp:  Nenhum
Bônus:  Conseguem elaborar planos e estratégias, assim como não são abalados com a eminência de um combate ou situações de perigo.
Dano: Nenhum

Nível 3
Nome do poder: Combate não Armado
Descrição: A prole da deusa Belona tem um vasto conhecimento sobre combates. Seu corpo e seu espíritos foram forjados para o combate. Assim, eles possuem a capacidade de luta corporal muito elevada, sabendo técnicas marciais mesmo que nunca tenha realizado uma aula sequer antes. As técnicas podem ser utilizadas para a elaboração de movimentos complexos, como mortais, piruetas, ataques acrobáticos e golpes que requeiram uma grande elasticidade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 4
Nome do poder: Ambidestria
Descrição: A ambidestria nada mais é do que a capacidade de se usar ambas as mãos como predominantes. Tanto a mão destra quanto a canhota possuem um desenvolvimento motor elevado, permitindo o manejo de equipamentos e, principalmente, armas. Assim sendo, filhos da deusa da guerra conseguem manusear com perícia duas armas ao mesmo tempo ou alternando as mãos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguira manusear duas armas com naturalidade, desde que essas não precisem das duas mãos para ser empunhadas (ex: podem usar uma espada curta em cada mão, dois machados mais leves, duas adagas), lutando com a mesma destreza que lutaria apenas com uma arma.
Dano: Nenhum.

Nível 9
Nome do poder: Ignorando a dor I
Descrição: Capacidade que o filho de Belona tem de ignorar a dor. Essa habilidade permite apenas enganar a mente, não processando a dor física, permitindo que o semideus guerreiro permaneça lutando ignorando a dor sentida. Porém, ao passar o efeito, as dores retornaram e poderão ser piores pois ao ignorá-las o semideus deixa de trata-las ou, corre o risco de piorá-las. Nesse nível apenas é possível ignorar a dor de golpes que não causem ferimentos profundos, ou que incapacite um membro do semideus. (cortes leves, e feridas pequenas)
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Continuará lutando normalmente desde que os ferimentos sejam de grau baixo, como cortes superficiais, queimaduras de grau baixo ou hematomas.
Dano: Nenhum

Nível 10
Nome do poder: Força superior
Descrição: Os filhos de Belona são mais fortes do que a maioria dos campistas, podendo aguentar grandes cargas em suas costas sem alterar sua postura ou desempenho. Podem carregar até 3 sacos de farinha sobre os ombros, ou até mesmo uma pessoa em suas costas por uma longa distância, sem alterar seu desempenho físico.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de força.
Dano: +5% de dano caso usem para atacar alguém.

Nível 20
Nome do poder: Corpo Guerreiro II
Descrição: Seu corpo desenvolveu-se e tornou-se ainda mais pronto para a batalhas de longa duração. O metabolismo evoluiu e a fisiologia do semideus filho de Belona foi potencializada. A resistência corporal tornou-se melhor ainda, assim como a imunologia.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em resistência corporal, +40% de imunidade a infecções, venenos e doenças corriqueiras como viroses.

Nível 25
Nome do poder: Força Interna
Descrição: A prole da deusa da fúria em guerra detém uma força interna que se transforma em força física. Com isso, o impacto dos seus golpes físicos passa a ter uma taxa de dano maior, além de ser capaz de levantar uma quantidade de peso muito maior do que um humano comum.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em danos físicos, capacidade de erguer até 150kg com facilidade e amassar metais comuns (resistência sigma).

Nível 40
Nome do poder: Perícia com Espadas IV
Descrição: O semideus de Belona acaba de tornar-se uma verdadeira lenda ao usar essa arma. Seus movimentos de ataque e defesa com a espada tornaram-se perfeitos, com o total de aproveitamento.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: 100% de assertividade no manuseio da espada.
Dano: +50% de dano ao ser acertado pela arma do semideus.

Nível 45
Nome do poder: Hipercinesia III
Descrição: Esse é o momento em que mente e corpo encontra-se em completa sintonia. Você não apenas pensa e age, mas como pode fazer os dois ao mesmo tempo. A leitura do ambiente torna-se perfeita, permitindo assim o combo de muitas outras habilidades ativas com a sua capacidade hipercinética. Sua mente e corpo tornam-se a sua maior e principal arma.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +50% em equilíbrio, coordenação motora e reflexos
Dano: Nenhum

Nome do poder: Last One II
Descrição: O apetite por vencer tornou-se ainda maior e mais fácil de ser conquistado, agora a cada inimigo que cai ou desiste graças as habilidades da prole da guerra, seu corpo e espírito se regozija e permanece ainda mais firme para continuar a batalhar.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +100 de HP e MP a cada vitória.
Dano: Nenhum
ativas:
Nível 40
Nome do poder: Arma Sangrenta II
Descrição: A habilidade avança e se torna ainda mais mortal, agora ao ter a arma ou item banhado com o sangue da vítima, o veneno se torna ainda mais letal. Possui chance de causar lentidão nos movimentos.
Gasto de Mp: 50MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% de dano da vítima, se a arma tiver sangue da vítima. A cada golpe provoca 10% de lentidão nos movimentos caso o golpe seja bem sucedido.
Dano: Nenhum.
Extra: Nenhum.
aprendidas:
Nome do poder: Resiliência Semidivina
Descrição: Resiliência, dentre seus variados sentidos, pode significar a capacidade de se adaptar a diversas situações. Aqui, ela representa a habilidade dos filhos dos deuses de se adaptarem aos seus inimigos em combate, funcionando especificamente contra monstros. Enquanto em batalha, a cada turno que se passar, o semideus terá mais e mais vantagens contra seu oponente. Os bônus se explicam através do estudo da movimentação inimiga, além da observação de seus pontos fracos e identificação de áreas menos resistentes ou sensíveis em seus corpos.
Gasto de MP: Nenhum.
Gasto de HP: Nenhum.
Bônus: 20% de chance de acerto e esquiva quando enfrentando uma única criatura; 30% se for contra uma Dracaenae.
Dano: +20% de qualquer dano causado, se acertar em um dos pontos fracos identificados do monstro; 30% se for contra uma Dracaenae.
Extra: A cada turno, o bônus aumenta em 5%, podendo chegar no máximo a 40%; 50% se for contra uma Dracaenae.
itens:
• Rage [Espada longa, com cerca de um metro de comprimento e largura consideravelmente grande. É tão afiada que um mero toque é capaz de causar ferimentos, possuindo setenta centímetros da ponta à base. Abaixo da base, a guarda da arma é o entalhe da cabeça de um javali, feita em ferro e com dois rubis em seus olhos, aparentemente foscos e apagados. O punho é feito de madeira, e seu design permite que a espada seja segurada com uma ou duas mãos – embora a força exigida seja bem maior caso seja empunhada com apenas uma. | Madeira e bronze celestial | Quando o dono da espada entra em combate, as joias do javali começam a brilhar em um tom intenso de vermelho. Sempre que a espada causa dano em um inimigo, ela suga parte da vida retirada – 25% - e passa para o portador, caso este esteja ferido, restaurando assim parte da sua vida | Não possui espaços para gemas | Comum | Resistência: Gama | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja]

• Velociraptor linha Luxo [ Nessa linha não é apenas o conforto que predomina, mas também o poder, apesar de aparentar ser um tênis comum, esse foi fabricado para auxiliar e estimular o semideus a melhorar seus movimentos em combate, o tornando mais forte e mais rápido | Efeito 1: O calçado muda de acordo com o dono e suas preferências, o tênis será alterado magicamente para o modelo que mais o agrada. Efeito 2: Promove +40% de velocidade ao portador. Efeito 3: Quando estiver com o tênis nos pés, golpes relacionados as pernas, como chutes ou saltos ganham 30% a mais de força | Material mágico especial |Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos | Mágico | Comprado na Ferreli & García - Mode et style]
tatuagens:
IPeper | Percepção | De traço fino, o simples olho conta somente com uma pupila enegrecida e centralizada. | Aumenta a percepção do semideus em +30%, aumentando as chances de descobrir algo ou alguma coisa, além de reduzir as chances de ser enganado por meio de palavras, rastros e pistas forjadas, entre outras coisas. Além disso, ele fica mais habilidoso quando está procurando por algo ou alguma coisa, e as chances de encontrar rastros, pistas ou coisas deixadas, também se torna maior.| Parte interna do calcanhar direito. | Marca pequena. | Permanente

Infinite Power | Atributos | Tatuagem pequena na lateral do dedo mindinho da mão dominante do semideus. Forma o símbolo do infinito em cores diversas, que mudam conforme o humor do seu portador sempre que este entra em combate, ativando seu efeito automaticamente. | Aumenta todos os atributos que o semideus já possui em +20%. | Lateral do dedo mindinho. | Marca pequena. | Permanente.
duplicador:
Nome: Pacote intermediário de XP - Nível 2
Descrição: Por 2 meses em OFF, todo ganho de XP do semideus é duplicado. Válido até o dia 23/02/2018
avatar
Romeo Bernocchi
Pretores
Pretores

Mensagens : 684
Idade : 20
Localização : Acampamento Júpiter

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RP de Ano Novo [Noah e Romeo Bernocchi]

Mensagem por Aprilla Deapryth em Qui Jan 04, 2018 4:06 pm



fast food do mal
Noah sentia-se confuso e completamente deslocado dentro desse universo que há pouco fora introduzido, que fora largado. Não fazia ideia de quem era, de onde viera e porque aparecera na margem do Pequeno Tibre desmaiado dentro de um pequeno barco, como lhe fora dito.

Embora nenhuma dessas questões pudesse ser solucionada por Romeo, o rapaz que o havia apadrinhado e que passava uma sensação de segurança e amparo. Dadas as condições do misterioso filho de Victoria, isso era essencial. Não lidar com uma infinidade de perguntas - as quais nem mesmo ele sabia como responder - já bastava para deixá-lo mais tranquilo.

Então foi assim que Noah foi conquistado por Romeo, indo parar na mesma Coorte que ele. Isso implicava numa série de fatos que deveriam ser apreendidos para que a vivência no Acampamento Júpiter, nome dado ao imenso lugar que protegia todos aqueles jovens, fosse próspera. De fato, o garoto não se adaptou de cara, mas o estranho ato realizado pelo chamado Áugure o instigou: ele era digno de pertencer à Legião.

O que é isso? — essa era sua pergunta mais frequente. Tendo a prole de Belona ao seu lado, conseguia ao menos esboçar um sorriso tímido como resposta à careta feita pelo grandalhão.

Os tantos edifícios espalhados pelas Vias Principal e Pretoriana deixavam-no bastante curioso. Pelo que Romeo dissera, tal acampamento pertencia a um complexo chamado Nova Roma. Por sua vez, esse complexo recriava a realidade detrás do Túnel Caldecott, que Noah não sabia bem onde era, numa cidade ordenada e auto suficiente.

Durante uma certa noite, na qual Noah se aventurava com seu padrinho numa patrulha, questionou sobre o funcionamento desta. Tendo a mente esclarecida, permitiu que o aconchegante silêncio os abraçasse enquanto uma caminhada um tanto quanto desrumada era feita pela zona destinada aos dois.

Essa não era a nossa área? — quis saber quando, próximo de uma fonte, avistou três vultos mais adiante.

A especulação do legionário sobre serem um grupo de infratores semideuses em probatio o convenceu. Não tinha porque duvidar, afinal de contas. Mas um pressentimento incômodo o atingiu ao assistir o rapaz apoiar uma das mãos no cabo da espada enquanto eles caminhavam em direção ao trio.

Nós não vamos lutar, vamos? — era essa a ideia tida após sua observação.

— Pode ficar sossegado. Não vamos. — a forma como Romeo falou tranquilizou o novato.

Então, seguindo o maior a um pequeno passo para trás, Noah se distraía com a coroa de louros que tinha a cabeça, mentalizando um headband que havia visto uma garota usar mais cedo. Constatou a aparência das moças com certa demora ao alcançá-las, erguendo uma sobrancelha por instinto ao fazê-lo.

O padrão das vestimentas gerava uma vontade louca de desarrumar as três. Além disso, a sincronia dos seus atos também era desagradável. Noah mordia o lábio inferior, forçando a mente para tentar se fisgar alguma lembrança que revelasse o motivo delas falarem algo sobre pizza. No entanto, sua mente desmemoriada trouxe apenas mais frustração.

O que é pizza? — sua reprodução da palavra estrangeira saiu esquisita, como se ele nunca a tivesse dito. Romeo não respondeu, concentrado no que as jovens faziam.

— Bem, aqui diz... — a que estava no meio fez uma pausa dramática ao checar um papel que tinha em mãos. Juntas, elas se agacharam para mexer nas grandes mochilas que agora estavam no chão e não mais nas suas costas. — dois semideuses bem apetitosos.

O inexperiente semideus foi tomado por um misto de pavor e surpresa. Seus olhos arregalaram e sua boca entreabriu quando o trio assumiu uma inesperada forma demoníaca. A cabeleira de fogo, a pele semelhante a mármore e as pernas, uma de bronze e a outra animalesca, configuravam as criaturas mais bizarra que ele já havia visto - pelo menos até onde se lembrava, o que limitava o fato a sua chegada no acampamento.

— Fica atrás de mim. — Romeo replicou o chamado hesitante de Noah, pondo-se a sua frente.

O descendente de Victoria recuou um pouquinho, abraçando-se. Ao mesmo tempo em que sentia medo, sentia que de alguma forma deveria ajudar o novo amigo no combate. Como, entretanto, era o maior inquérito.

Ainda no primeiro minuto, Romeo precisou se mover depois de também retroceder, deixando um Noah despreparado à vista. Imediatamente, então, a empousa restante partiu contra o jovem, pondo à mostra seus afiados dentes e erguendo a adaga que tinha em mãos.

Num ímpeto, ele se jogou para a esquerda, esquivando do primeiro golpe que vinha do lado contrário. A criatura rosnou, amedrontando-o, e desarmado ele não soube mais o que fazer quando a segunda investida foi feita.

Por alguma razão, que provavelmente era justificava pela ligação com Victoria, Noah se safou do outro golpe da inimiga, flexionando totalmente as pernas para isso. Contudo, desprevenido, uma dor excruciante se alastrou a partir do seu nariz que, proveniente de uma joelhada bem localizada, o quebrou.

Sua queda se deu junto com um grito. No chão, cobria o local atingido com ambas as mãos, trincando os dentes para tentar inutilmente contê-la. Venturosamente a empousa não estava focada mais nele. Já tinha partido contra Romeo e se pendurava em suas costas.

Noah respirou fundo diversas vezes com a índole de acalmar o corpo e o espírito. Um sentimento desconhecido crescia em seu interior, gerando uma vontade intensa de vingança. Seu nariz não era tão importante quando ele se levantou, cravando os olhos no monstro restante.

Apanhou Rage com as mãos ensanguentadas e gemeu ao erguê-la, sentindo seu peso. Romeo tinha acabado de se livrar da empousa quando o jovem semideus se aproximou, erguendo a espada na altura do próprio pescoço. Assim, num movimento que seu subconsciente mostrou ser extremamente familiar, ele estocou a arma contra a nuca da criatura, resumindo-a a pó dourado.

Seus músculos clamaram por descanso e sem hesitar Noah largou a espada, desatando a respirar pesadamente. Recebeu ajuda do companheiro de patrulha, sendo pego por um dos braços e pela cintura. Dessa forma, partiram à caminho da enfermaria.

Isso dói muito... — reconheceu, pressionando de leve o nariz com um pequeno pedaço de pano dado por Romeo.

— Vai sempre doer. Você é um semideus, Noah. Acostume-se.

...
...
...

Fast Food do mal – Alguns filhos de Hermes/Mercúrio resolveram pregar uma peça nos semideuses de vigia daquela noite, e adivinha? Você estava no turno da vez. Os meninos acabaram ligando para um fast fod de monstros para pedirem comida, o destino? Um dos acampamentos (grego ou romano). Acontece que o entregador não perderia a chance de conseguir seu próprio jantar e não veio sozinho!
Objetivo: Derrotar os entregadores do mau (monstros). Serão 3 e ficarão a sua escolha, mas devem ser o mesmo tipo de monstros. Ex: 3 Harpias, 3 zumbis, 3 Empousas. Criaturas que conseguem ser entregadores ao se disfarçar entre os humanos.
Recompensas: 4.000 XP + 4.000 Dracmas + 8 Estrelas.

habilidades:
passivas:
Instinto natural [01]: Como filhos da deusa da vitória, os filhos de Nice tem um instinto natural sobre qual o melhor movimento em uma batalha ou atividade que envolva esportes.

Espírito vencedor [02]: Como filhos da deusa representante da vitória, por serem muito competidores e desgostar em imensamente da idéia de perder uma competição, esses semideuses sempre darão o máximo de si para vencer, ignorando qualquer dor que possua os atrapalhar.

Instinto natural aguçado [03]: Como bons competidores, os cinco sentidos naturais dos filhos de Nice são mais aguçados, de modo que ao utiliza-lo (tato em escalada, visão para arremesso de objetos... e etc) esses semideuses tem 25% mais sucesso do que um semideus que não tenha perícia sobre o instinto usado.

Coragem vitoriosa [06]: Sempre empenhados em darem o máximo de si, filhos de Nice são corajosos e valentes, principalmente quando estão em uma luta ou competição. Poderes, habilidades e itens que possuem como essência elemental o medo, possuem eficácia 50% menor sobre eles quando estiverem em um confronto ou disputa. Caso a fonte do poder seja três níveis mais fraca, o poder passa a não atingir as proles de Nice.

Velocidade Olímpica [07]: O atletismo é um esporte olímpico, tão antigo quanto as primeiras edições da grande competição. Filhos de Nice correm em grande velocidade, vencendo obstáculos no caminho com pulos e desvios. Esses semideuses são duas vezes mais velozes do que um humano comum, porém ainda possuem fôlego e vigor físico de um semideus.

Esgrimistas Avançados [09]: Filhos de Nice tem um dom com lutas de espadas avançado, tendo uma paixão em especial por essa arte. Essa perícia facilita o aprendizado com armas equivalentes a sabres, espadas medievais, katanas e floretes, de modo que conseguem até mesmo usar duas armas ao mesmo tempo, se não estiver empunhando um escudo.
ativas:
n/a
item:
Coroa de Louros [Composta por ramos entrelaçados de louro, cujas folhas apresentam-se em ouro imperial, o item símbolo de Victoria foi dado ao seu filho no momento em que ela o enviou para a Legião, como uma dádiva afetuosa. | Efeito 1: Amplia os atributos físicos do portador em 30%. | Efeito 2: Quando colocada, a coroa parece não estar ali porque ela não cai e não pesa. | Efeito 3: Transforma-se em qualquer tipo de acessório para a cabeça, basta mentalizar. | Ramos de louro e ouro imperial | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Herança de Victoria]
observação:
Caso algo relacionado ao personagem fique confuso, eu posso explicar tudo bonitinho por MP!

avatar
Aprilla Deapryth
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 213
Idade : 18

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RP de Ano Novo [Noah e Romeo Bernocchi]

Mensagem por Psique em Qui Jan 04, 2018 6:21 pm

Romeo!

Método de Avaliação:
Valores máximos que podem ser obtidos

Máximo de XP da missão: 4.000 XP

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 19%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 30%


RECOMPENSAS: 7.920 XP (3.960 x 2) + 3.960 dracmas + 8 estrelas

STATUS:

HP:   570/570
MP: 570/570

Comentários:
Eu, pessoalmente, sou fã da sua escrita e do desenvolvimento da personalidade em post. Além disso, você encaixou uma 'trama' de apadrinhamento que foi bem legal a minha vista. Sua batalha foi concreta e muito clara de se imaginar... Eu tirei 1% do segundo tópico porque, assim como eu, exageramos na pontuação (vírgulas e pontos). Nada que me impeça de ler seu post com gosto. ^^



Noah!

Método de Avaliação:
Valores máximos que podem ser obtidos

Máximo de XP da missão: 4.000 XP

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 19%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 28%


RECOMPENSAS: 3.880 XP + 3.880 XP + 8 estrelas

STATUS:

HP:   220/220
MP: 220/220

Comentários:
Noah! Sobre sua observação de me explicar por MP a situação do personagem, não foi e nem será necessário! Eu entendi o contexto perfeitamente. Isso se não entendi errado hm. Mas enfim... Gostei da sua coerência nas ações, mas me perdi em algumas frases como: "Noah sentia-se confuso e completamente deslocado dentro desse universo que há pouco fora introduzido, que fora largado." Tirei uma pequena porcentagem pela confusão que, provavelmente, passou desapercebido, mas tudo em ordem! Além disso, tive de tirar uma mínima porcentagem - também - pela falta de ação na batalha.
Claro que é totalmente coerente o personagem não sair por ai batendo em todos... Mas em questão de ação, faltou.



Atualizado por Juno


missed my tears, ignored my cries; life had broken my heart, my spirit, and then you crossed my path, you quelled my fears, you made me laugh, then you covered my heart in kisses
avatar
Psique
Deuses Menores
Deuses Menores

Mensagens : 328
Localização : No abraço de Eros ♥

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RP de Ano Novo [Noah e Romeo Bernocchi]

Mensagem por Romeo Bernocchi em Sex Jan 05, 2018 10:16 am

mini evento conjunto


JACARÉ/DRAGÃO GUERREIRO
Recompensas: 4.000 XP + 6.000 dracmas + 8 estrelas
avatar
Romeo Bernocchi
Pretores
Pretores

Mensagens : 684
Idade : 20
Localização : Acampamento Júpiter

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RP de Ano Novo [Noah e Romeo Bernocchi]

Mensagem por Romeo Bernocchi em Sex Jan 05, 2018 11:27 am

mini evento: jacaré

O sol já se punha quando me encaminhei à enfermaria do acampamento. De acordo com Felicity, uma das curandeiras, Noah teria alta em breve. E o sentimento de culpa que me assolava era imenso, porque, afinal de contas, ele estava comigo na noite anterior quando o trio de empousas nos atacou.

Sentado ao pé de um antigo carvalho, eu dedilhava o punho bem desenhado de Rage. Decidi dá-la ao rapaz logo que o deixei aos cuidados de Felicity na madrugada anterior. Sua misteriosa chegada e a ausência de memórias o deixaram despreparado e desnorteado. Entretanto, mesmo com o nariz quebrado, ele teve um desempenho razoável na luta, o que me surpreendeu.

Dadas as circunstância de Noah eu sinceramente esperava que ele não me odiasse ou perdesse a confiança em mim. Sempre que estávamos juntos eu fazia questão de lembrá-lo o quão perigoso era ser um semideuses, na tentativa solidária de situá-lo em nossa árdua realidade. De fato eu não tinha a menor ideia do grau de frustração pelo qual ele passava, porque não ter lembranças alguma seria algo difícil de lidar, mas ele se mostrava um garoto forte.

Escapei dos meus devaneios assim que o filho de Victoria saiu da enfermaria, fechando a porta atrás de si com extrema e desnecessária sutileza. Levantei-me, estapeando meu traseiro para livrá-lo do excesso de grama e terra, e corri para alcançar meu afilhado, carregando a grande espada pelo suporte que envolvia sua lâmina.

Como você ‘tá? — perguntei ao me aproximar, esboçando um sorrisinho sincero.

Bem. — o garoto respondeu, um pouco contido.

E o seu nariz? — foquei na região citada por um instante, analisando-a.

Tudo numa boa. Eu bebi um negócio que a curandeira chamou de néctar e depois ela usou uns poderes. Agora eu ‘tô bem. — fiz que sim com a cabeça perante a explicação, contente por ouvi-la.

Sem que nenhum de nós dissesse algo, encetamos uma lenta caminhada pela Via Pretoriana, observando o pôr do sol no horizonte. Passamos muitos minutos num silêncio que seria desconfortável se fosse outra pessoa no lugar de Noah. Sua enxuta história criara barreiras que aos poucos eu derrubava.

Alguns legionários que cruzavam o nosso caminho direcionavam olhares severos a Noah. Eu não sabia se ele simplesmente os ignorava ou não os via, mas eu fiz questão de me manifestar e erguer minha mão direita - a vaga - e acompanhá-la com um cumprimento. O constrangimento, por mínimo que fosse, surgia àqueles toscos semideuses, e eles aceleravam seus passos de imediato.

Ahm… Noah? — após desistir de planejar como dialogaria com o jovem, somente o chamei, interrompendo a caminhada. Como resposta, ele fez o mesmo e se virou pra mim, erguendo uma das sobrancelhas involuntariamente para demonstrar sua curiosidade.

Tendo Rage na mão esquerda, eu a levantei somente a ponto de repousá-la sobre meus dois palmos. Olhei-a antes de Noah e, com um sorriso torto delineado em meus lábios, eu a ofereci ao rapaz. — É sua. — seu semblante reacionário me deixou em dúvida. — Se você quiser, é claro.

Claro que eu quero! — ele desatou a sorrir de uma forma que eu ainda não havia visto. Um pouco hesitante, apanhou a espada com cuidado, fitando-a fixamente. — Eu não sei nem o que dizer, Romeo...

Um obrigado está bom pra mim. — brinquei, abaixando os braços. — Agora você é oficialmente um semideus. — ele riu, ajeitando a bainha da arma na cintura. Sua inexperiência me fez ajudá-lo na tarefa, mas eu não me importei. Enfim, eu tinha a resposta definitiva do meu inquérito pessoal: estávamos bem.

Sob um clima bastante leve, Noah e eu chegamos ao grande lago que dava início (ou seria fim?) ao Pequeno Tibre. No caminho, o irritante latido esganiçado de Otto, meu cão infernal filhote, fez-se presente. Minha tentativa de deixá-lo preso dentro do quartel da Quinta Coorte havia sido em vão. E embora ele fosse completamente destreinado e inexperiente, desenvolveu um carinho exorbitante por mim. Ou pelas comidas que eu lhe dava.

Oi, garotinho! — agachei para recepcionar a criatura, afagando sua pelagem enegrecida com ambas as mãos. Brincalhão, o minúsculo cachorro se jogou sobre a grama, virando-se para que sua barriga fosse alvo das minhas carícias.

Que fofinho! Como ele chama? — Noah indagou, abaixando para brincar com o cão.

O nome dele é Otto e eu achei que ele seria bem feroz e revoltado. — falei, jogando meu corpo para trás a fim de me sentar. — Mas aí veio essa coisinha mais fofinha do mundinho todinho! — senti vergonha de mim mesmo quando percebi o timbre agudo atingido pela minha voz. Era um cão infernal, não um Shih Tzu.

Eu gastei algum tempo tentando explicar a hierarquia que tínhamos no Júpiter enquanto víamos o céu tomado por uma coloração alaranjada. Otto corria de um lado para outro, gastando suas energias para assustar alguns semideuses que passavam por ali ao latir para eles. De repente, então, Noah e eu fomos as vítimas.

Otto! — chamei sua atenção, mas aí percebi que ele latia em direção ao lago. Confuso, olhei adiante, sobressaltando-me com o que via. — Que porra é essa?

Noah se levantou às pressas, tendo dificuldade para empunhar a espada recém angariada. Semicerrando os olhos eu o imitei, sacando o isqueiro que trazia num dos bolsos da minha calça jeans. Acionando o mecanismo que acenderia o fogo, o item se expandiu, tomando a forma de uma espada bastarda numa fração de segundo.

A caminhada intimidante do monstro que saía do lago parecia eterna. Cada passo avançado por ele fazia Otto recuar outro, mas ainda assim continuava a latir. A fisionomia, embora suavemente disfarçada pela claridade que se esvaía aos poucos, era grotesca. Um réptil que não precisaria da lança que portava se usasse seus incontáveis e afiadíssimos dentes como principal arma.

Noah resmungou alguma coisa que provavelmente tinha relação à totalidade monstruosa da criatura. Além de uma cauda que de cara eu assumi ser perigosa, ele tinha a nossa altura! E estarmos em vantagem numérica infelizmente não me confortava.

Não, eu não sei como esse bicho entrou aqui. E sim, nós vamos lutar. — antecipei as respostas às perguntas que Noah nem conseguira fazer, chocado, mas que fizera na noite anterior antes das entregadoras de pizza se revelarem empousas.

Num ímpeto, o jacaré bípede começou a correr, encurtando a distância entre nós. Eu entreabri as minhas pernas, arrumando uma base boa, e ergui a espada diante do peito, direcionando sua lâmina para frente. Para mim, o que fazia mais sentido era depositar toda a minha atenção no monstro, deixando Noah em segundo plano. Ele ainda estava em probatio, portanto não recebera treinamento suficiente, e o que tínhamos diante de nós era algo que eu nunca havia visto.

Se a coisa piorar, corre atrás de ajuda. — instruí o jovem semideus antes de partir contra o inimigo, encontrando-o poucos segundos depois.

Grunhi quando a minha espada se chocou com a lança do monstro num golpe alto e simples, gerando um ruído surdo e insatisfatório. Graças aos meus tênis mágicos, que como sempre tinham a forma esportiva, eu me esquivei do rabo escamoso que vinha pela direita, lançando-me para o lado oposto em um rolamento composto.

Ajoelhado, ergui o rosto para o jacaré. Ele abriu a boca, soltando um barulho semelhante a um rugido, e investiu novamente contra mim, agitando a lança em minha direção para evitar se aproximar demais. Bloqueei com facilidade o ataque, usando Disparate para isso, e o seu ódio ficou ainda mais aparente.

O sorriso maroto que eu tinha rosto desapareceu no instante seguinte. A lança, de alguma maneira, limitou meu movimento com a espada ao forçá-la para baixo. Encarei as armas, perplexo, e isso permitiu que a criatura, um pouco mais perto, encaminhasse sua língua contra mim. Contraí os músculos faciais com o susto, recebendo somente uma chicotada na bochecha. — Outch!

A ardência no meu rosto me fez virá-lo um pouco, abrindo uma brecha para que o jacaré lançasse sua língua outra vez. No entanto, conduziu-a aos meus pulsos, prendendo-os com êxito. Meu péssimo desempenho fora reconhecido por Otto que, proativo, correu para arranhar e morder os pés rijos do nosso oponente.

O curto tempo que o monstrengo gastou com o cão infernal em miniatura, chutando-o como melhor maneira de evitá-lo, possibilitou o abeiramento de Noah. Num único ato, ele decepou a comprida língua que me prendia, desencadeando uma sucessão de urros guturais da criatura.

Direcionei um olhar amistoso ao filho de Victoria, grato pelo que fizera, mas me arrependi logo em seguida. Furioso, o bicho maneou a lança de um lado a outro, cortando superficialmente o peito do garoto. Este, por sua vez, iniciou uma disputa para ver quem mexia mais a própria arma.

Assim que recuperei a espada, me joguei contra o jacaré, empurrando-o para o lado com uma força intensificada pela pequena tatuagem que brilhava em vermelho no meu dedo mindinho esquerdo. O movimento brusco o fez perder a lança, mas isso não fazia diferença. Noah, que estava mais próximo, teve um embate curto contra ele, recebendo uma rasteira da longa cauda que parecia ter vida própria. No chão desarmado, ele rolou para se afastar.

A hesitação da besta era aparente, uma vez que eu estava armado. Aproveitando-me disso, avancei, executando uma série de movimentos em x com a espada. Agora, ela tinha um aspecto flamejante que acentuava os ferimentos causados no peito que antes era protegido por um peitoral precário de couro.

Ao longo de um segundo, eu assisti o monstro bambear, e só então notei o trio de penas reluzentes cravado na lateral da sua cabeça. Meu instinto guerreiro deu um sinal e, enfim, eu findei a batalha, descrevendo um arco firme e forte que separou a cabeça do resto do corpo do animal.

Seguidamente, eu respirei bem fundo, abaixando a arma. Meu peito subia e descia com vigor, refletindo o cansaço que, em virtude das minhas habilidades, era dissipado ao fim de toda luta. Um furioso Otto arranhava o pé direito inerte do réptil, crente de que teria alguma utilidade.

Passei a língua pelos meus lábios ressecados depois de devolver Disparate ao bolso como um Zippo. O susto gerado no meu mascote quando o corpo sem vida do jacaré guerreiro explodiu em poeira dourada o fez correr até mim. Rindo, eu o peguei no colo, acariciando seu cocuruto.

Sem nariz quebrado desta vez. — Noah conseguiu brincar com a situação. Diferente de mim, seus ferimentos não se recuperavam rapidamente, mas ele parecia bem. — Eu só acho melhor sairmos daqui.

Eu sorri com o comentário, não me opondo a ele na hora de refazer nossos passos de volta ao quartel. Pelo que dizia, Noah não queria voltar à enfermaria após ter saído de lá há uma só hora. — Simbora.

adendos:
habilidades:
passivas:
Nível 1
Nome do poder: A arte da guerra
Descrição:  Filhos da deusa da fúria da guerra, esses semideuses possuem um conhecimento apurado em estratégias básicas e de sobrevivência. É similar a um instinto, uma intuição, uma sequência de pensamentos que permitiam ao romano a analisar o combate como se fosse uma arte. Graças a isso, raramente entra em estado de desespero quando situações de risco surgem.
Gasto de Mp:  Nenhum
Gasto de Hp:  Nenhum
Bônus:  Conseguem elaborar planos e estratégias, assim como não são abalados com a eminência de um combate ou situações de perigo.
Dano: Nenhum

Nível 3
Nome do poder: Combate não Armado
Descrição: A prole da deusa Belona tem um vasto conhecimento sobre combates. Seu corpo e seu espíritos foram forjados para o combate. Assim, eles possuem a capacidade de luta corporal muito elevada, sabendo técnicas marciais mesmo que nunca tenha realizado uma aula sequer antes. As técnicas podem ser utilizadas para a elaboração de movimentos complexos, como mortais, piruetas, ataques acrobáticos e golpes que requeiram uma grande elasticidade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 4
Nome do poder: Ambidestria
Descrição: A ambidestria nada mais é do que a capacidade de se usar ambas as mãos como predominantes. Tanto a mão destra quanto a canhota possuem um desenvolvimento motor elevado, permitindo o manejo de equipamentos e, principalmente, armas. Assim sendo, filhos da deusa da guerra conseguem manusear com perícia duas armas ao mesmo tempo ou alternando as mãos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguira manusear duas armas com naturalidade, desde que essas não precisem das duas mãos para ser empunhadas (ex: podem usar uma espada curta em cada mão, dois machados mais leves, duas adagas), lutando com a mesma destreza que lutaria apenas com uma arma.
Dano: Nenhum.

Nível 10
Nome do poder: Força superior
Descrição: Os filhos de Belona são mais fortes do que a maioria dos campistas, podendo aguentar grandes cargas em suas costas sem alterar sua postura ou desempenho. Podem carregar até 3 sacos de farinha sobre os ombros, ou até mesmo uma pessoa em suas costas por uma longa distância, sem alterar seu desempenho físico.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de força.
Dano: +5% de dano caso usem para atacar alguém.

Nível 20
Nome do poder: Corpo Guerreiro II
Descrição: Seu corpo desenvolveu-se e tornou-se ainda mais pronto para a batalhas de longa duração. O metabolismo evoluiu e a fisiologia do semideus filho de Belona foi potencializada. A resistência corporal tornou-se melhor ainda, assim como a imunologia.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em resistência corporal, +40% de imunidade a infecções, venenos e doenças corriqueiras como viroses.

Nível 25
Nome do poder: Força Interna
Descrição: A prole da deusa da fúria em guerra detém uma força interna que se transforma em força física. Com isso, o impacto dos seus golpes físicos passa a ter uma taxa de dano maior, além de ser capaz de levantar uma quantidade de peso muito maior do que um humano comum.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em danos físicos, capacidade de erguer até 150kg com facilidade e amassar metais comuns (resistência sigma).

Nível 40
Nome do poder: Perícia com Espadas IV
Descrição: O semideus de Belona acaba de tornar-se uma verdadeira lenda ao usar essa arma. Seus movimentos de ataque e defesa com a espada tornaram-se perfeitos, com o total de aproveitamento.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: 100% de assertividade no manuseio da espada.
Dano: +50% de dano ao ser acertado pela arma do semideus.

Nível 45
Nome do poder: Hipercinesia III
Descrição: Esse é o momento em que mente e corpo encontra-se em completa sintonia. Você não apenas pensa e age, mas como pode fazer os dois ao mesmo tempo. A leitura do ambiente torna-se perfeita, permitindo assim o combo de muitas outras habilidades ativas com a sua capacidade hipercinética. Sua mente e corpo tornam-se a sua maior e principal arma.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +50% em equilíbrio, coordenação motora e reflexos
Dano: Nenhum

Nome do poder: Last One II
Descrição: O apetite por vencer tornou-se ainda maior e mais fácil de ser conquistado, agora a cada inimigo que cai ou desiste graças as habilidades da prole da guerra, seu corpo e espírito se regozija e permanece ainda mais firme para continuar a batalhar.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +100 de HP e MP a cada vitória.

Nível 50
Nome do poder: Ignorar a dor II
Descrição: Parar de combater por causa de seus machucados não faz parte dos planos do semideus filho de Belona. Ignorar a dor provocada nos combates tornou-se ainda mais fácil e corriqueiro, permitindo assim o seu desenvolvimento.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Podem ignorar a dor de queimaduras de grau médio, desde que não sejam em grande escala de estrago, luxações, câimbras, fraturas em dedos e etc. Apesar de serem afetados, e sentirem dor, conseguem continuar lutando. Fraturas em braços, pernas, costelas e outros membros não entram nesse poder.
Dano: Nenhum
Dano: Nenhum
ativas:
Nível 34
Nome do poder: Fúria Flamejante III
Descrição: A habilidade atinge o seu auge, o filho de Belona agora consegue lidar facilmente com a fúria flamejante. As queimaduras se tornam de terceiro grau e o item pode fazer materiais fracos pegar fogo. Caso o filho da guerra continue segurando a arma contra um metal mais fraco (de resistência menor), com o tempo ele começará a derreter.
Gasto de Mp: 30MP (+10MP para manter)
Gasto de Hp: 10HP
Bônus: nenhum.
Dano: +35% de dano da arma. Extra: Não funciona em seres vivos, apenas em itens. É necessário o toque para a habilidade funcionar.
aprendidas:
Nome do poder: Resiliência Semidivina
Descrição: Resiliência, dentre seus variados sentidos, pode significar a capacidade de se adaptar a diversas situações. Aqui, ela representa a habilidade dos filhos dos deuses de se adaptarem aos seus inimigos em combate, funcionando especificamente contra monstros. Enquanto em batalha, a cada turno que se passar, o semideus terá mais e mais vantagens contra seu oponente. Os bônus se explicam através do estudo da movimentação inimiga, além da observação de seus pontos fracos e identificação de áreas menos resistentes ou sensíveis em seus corpos.
Gasto de MP: Nenhum.
Gasto de HP: Nenhum.
Bônus: 20% de chance de acerto e esquiva quando enfrentando uma única criatura; 30% se for contra uma Dracaenae.
Dano: +20% de qualquer dano causado, se acertar em um dos pontos fracos identificados do monstro; 30% se for contra uma Dracaenae.
Extra: A cada turno, o bônus aumenta em 5%, podendo chegar no máximo a 40%; 50% se for contra uma Dracaenae.
itens:
• Rage [Espada longa, com cerca de um metro de comprimento e largura consideravelmente grande. É tão afiada que um mero toque é capaz de causar ferimentos, possuindo setenta centímetros da ponta à base. Abaixo da base, a guarda da arma é o entalhe da cabeça de um javali, feita em ferro e com dois rubis em seus olhos, aparentemente foscos e apagados. O punho é feito de madeira, e seu design permite que a espada seja segurada com uma ou duas mãos – embora a força exigida seja bem maior caso seja empunhada com apenas uma. | Madeira e bronze celestial | Quando o dono da espada entra em combate, as joias do javali começam a brilhar em um tom intenso de vermelho. Sempre que a espada causa dano em um inimigo, ela suga parte da vida retirada – 25% - e passa para o portador, caso este esteja ferido, restaurando assim parte da sua vida | Não possui espaços para gemas | Comum | Resistência: Gama | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja]

• Disparate [A espada bastarda é composta por misteriosos materiais místicos de tons escuros e sombrios, ostentando um aspecto ligeiramente esfumaçado. 1,20m é sua extensão completa, possibilitando o manejo com uma ou duas mãos. O guarda-mão apresenta delicados entalhes que exibem, numa nuance escarlate, a frase "μανία του πολέμου". | Efeito 1: O corte da lamina pode provocar hemorragia contínua, de forma que, durante três turnos, o inimigo do semideus continuará perdendo +20 HP. | Efeito 2: O armamento do semideus será capaz de sugar - através de um corte - parte do MP do adversário de seu portador e converte-lo para si. Dessa forma, 30% do MP do adversário do semideus ao ser cortado com essa arma será roubado e convertido ao portador do armamento. Essa habilidade poderá ser usada uma única vez por luta, evento ou missão, se a pessoa que for atingida por essa arma tiver um MP superior à do usuário que empunha a arma, o MP deste fica cheio, mas não aumenta. | Efeito 3: Transforma-se num Zippo enegrecido com um desenho dourado fosco de uma tocha cruzada com uma espada. | Material semidivino indetectável | Espaço para três gemas | Alfa Prime | Status: 100%, sem danos | Necessário possuir nível 22 para domínio completo desse armamento | Lendária | Dano base de 40 (para humanos, monstros e semideuses) | Evento de Natal 2017]

• Velociraptor linha Luxo [ Nessa linha não é apenas o conforto que predomina, mas também o poder, apesar de aparentar ser um tênis comum, esse foi fabricado para auxiliar e estimular o semideus a melhorar seus movimentos em combate, o tornando mais forte e mais rápido | Efeito 1: O calçado muda de acordo com o dono e suas preferências, o tênis será alterado magicamente para o modelo que mais o agrada. Efeito 2: Promove +40% de velocidade ao portador. Efeito 3: Quando estiver com o tênis nos pés, golpes relacionados as pernas, como chutes ou saltos ganham 30% a mais de força | Material mágico especial |Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos | Mágico | Comprado na Ferreli & García - Mode et style]
tatuagens:
IPeper | Percepção | De traço fino, o simples olho conta somente com uma pupila enegrecida e centralizada. | Aumenta a percepção do semideus em +30%, aumentando as chances de descobrir algo ou alguma coisa, além de reduzir as chances de ser enganado por meio de palavras, rastros e pistas forjadas, entre outras coisas. Além disso, ele fica mais habilidoso quando está procurando por algo ou alguma coisa, e as chances de encontrar rastros, pistas ou coisas deixadas, também se torna maior.| Parte interna do calcanhar direito. | Marca pequena. | Permanente

Infinite Power | Atributos | Tatuagem pequena na lateral do dedo mindinho da mão dominante do semideus. Forma o símbolo do infinito em cores diversas, que mudam conforme o humor do seu portador sempre que este entra em combate, ativando seu efeito automaticamente. | Aumenta todos os atributos que o semideus já possui em +20%. | Lateral do dedo mindinho. | Marca pequena. | Permanente.

Tatuagem de coloração negra feita na parte inferior do antebraço direito. Possui o desenho de uma tocha cruzada com uma espada, seguido abaixo pelas letras SPQR, um risco para cada ano servindo a Legião e escrito V Coorte. Não pode ser removida do braço do semideus nem mesmo através da utilização de magia, sendo para sempre marcado como um romano.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Uma vez por missão/evento, os poderes relacionados a agilidade e/ou esquiva/defesa proferidos pelo semideus membro da 5ª Coorte, passam a ter 5% a mais de efetividade durante três turnos.
Dano: Nenhum.
mascote:
Otto {Cão Infernal} - nível 1
duplicador:
Nome: Pacote intermediário de XP - Nível 2
Descrição: Por 2 meses em OFF, todo ganho de XP do semideus é duplicado. Válido até o dia 23/02/2018
observações:
1- Como padrinho de Noah, Romeo decidiu por presenteá-lo com a espada Rage, portanto, ao atualizador, eu peço encarecidamente que transfira o item de uma conta para outra.

2- Considerar a habilidade Last One II na hora de contabilizar os danos/gastos de MP do Romeo.

Obrigado!
avatar
Romeo Bernocchi
Pretores
Pretores

Mensagens : 684
Idade : 20
Localização : Acampamento Júpiter

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RP de Ano Novo [Noah e Romeo Bernocchi]

Mensagem por Aprilla Deapryth em Sex Jan 05, 2018 7:05 pm

mini evento
Obrigado por cuidar de mim mais uma vez, Felicity. — Noah disse, dando um rápido abraço na curandeira.

— Disponha, Noah. — seu sorriso frequente no rosto, para variar um pouco, estava lá. — Mas volte outras vezes para colocarmos o papo em dia, ok?

O jovem fez que sim com a cabeça, acenando enquanto atravessava a porta da enfermaria. Fechou-a com delicadeza, deixando um sorrisinho bobo brotar nos lábios. Felicity era, assim como Romeo, uma espécie de porto seguro. Foi ela a primeira pessoa com a qual conversara depois de misteriosamente aparecer no barquinho no Pequeno Tibre.

O filho de Belona se aproximou de repente, um pouco sem jeito. Eles tiveram um curto diálogo no qual Noah contou como foi curado e em seguida principiaram uma longa caminhada. Ele não sentia, de maneira alguma, rancor do outro rapaz. Sim, eles estavam juntos na noite anterior quando as três empousas os abordaram, mas a culpa não era dele pelo resultado do embate. Isto estava claro em sua mente.

Ainda desacostumado com as tantas edificações existentes no acampamento e em Nova Roma, o novato perscrutava com gosto todas aquelas que passava em frente, encantado principalmente pelos detalhes gravados em mármore e pelas estátuas do panteão romano. Então, absorto em suas observações e notas mentais, ele não via os olhares implacáveis direcionados a si.

Quando ouviu o chamado de Romeo, Noah percebeu que ele ficou parado uns poucos passos para trás. Alcançou-o, envergonhado, e ergueu uma sobrancelha perante a ação do legionário. Vê-lo erguer sua espada e em seguida oferecê-la como presente foi chocante. Por um instante, balbuciou.

Noah aceitou a arma de bom grado, recebendo-a levemente hesitante. Era a sua primeira arma! Desde que chegara ali, pelo menos. De algum jeito, era! E sua felicidade era imensa. O sorriso que agora exibia era o maior que até então fora visto, revelando boa parte dos seus dentes alvos e suas charmosas covinhas nas bochechas.

Obrigado! — respondeu à brincadeira feita pelo amigo, encarando Rage em um estupor. Neste, foi incapaz de fixar o suporte da espada na cintura, tendo, portanto, de ser ajudado.

A dupla logo retomou a caminhada, alcançando o grande lago em questão de minutos. A surpresa de Noah neste meio tempo foi a aparição súbita de um cachorrinho de pelagem escura que latia incessantemente para todo mundo enquanto corria em direção a Romeo. A recepção do animal feita pelo rapaz anunciou a relação entre eles.

Que fofinho! Como ele chama? — a curiosidade bateu forte no garoto, fazendo-o agachar para se juntar ao outro nas carícias ao mascote.

A resposta dada por Romeo roubou outro riso de Noah. Acabara de ver uma face do grandalhão extremamente inesperada. Da mesma forma que aos poucos se abria com ele, ele também se abria, e isso modelava o que já beirava a amizade.

— Atualmente, as pretoras são a Becka e a Sun. Elas são responsáveis por todo o acampamento. Abaixo delas, temos os centuriões. — o rapaz explicou, sentado ao lado de Noah sobre a grama fofa. — São, ao todo, dez. Dois para cada coorte. E eu espero que em breve esse seja o meu cargo. — ao dizer isso, Romeo parecia sonhar. Seu desejo de virar centurião era forte.

A conversa foi interrompida quando o pequeno Otto latiu para os dois. Atentando-se à criatura, os semideuses perceberam que não eram eles o motivo dos latidos, mas sim algo além deles. Por isso, olharam para o horizonte. Noah queria não ter feito isso.

Jeez. — falou, surpreso. Havia uma criatura que mesclava um ser humano com um dragão ou um jacaré. Ela saía do lago e caminhava na direção dos meninos, fuzilando-os com o olhar. Sua pele era inteiramente escamosa e a longa cauda que tinha aparentava ser perigosa.

Num ato estranhamente instintivo, Noah se levantou e, afobado, tentou sacar a espada. Pela falta de prática e por consequência inexperiência, ele demorou mais tempo do que seria necessário para se armar. Romeo, por outro lado, tirou um Zippo do bolso e ele de repente virou uma espada. — Uou!

— Não, eu não sei como esse bicho entrou aqui. E sim, nós vamos lutar. — a veracidade explícita na frase fez desaparecer o ânimo de Noah para com a espada do amigo. Sua mente simplesmente fora lida. Ou ele era previsível demais.

A corrida encetada pelo monstro fez sua respiração acelerar de modo involuntário. Antes de partir de encontro ao inimigo, Romeo instruiu o filho de Victoria a buscar ajuda caso as coisas ficassem feias. Recebeu esse comentário da melhor forma que conseguiu, tentando não se sentir tão inútil.

Estupefato diante da batalha que já tivera início, Noah se distraiu assistindo-a. Para a sua sorte, o jacaré mutante não parecia tão interessado eu seu corpo esguio e fraco. Romeo era mais apetitoso. Mas também era mais ágil e forte, o que garantia um combate bastante interessante.

Ele pareceu recobrar a consciência, voltando para a realidade, quando a comprida língua da criatura flagelou o rosto do legionário e em seguida prendeu suas mãos. O inflar dos seus pulmões despontou um estranho sentimento em seu âmago, o qual serviu perfeitamente para dá-lo o gás essencial para agir.

O pequeno cão infernal tentava bravamente ferir o monstro, o que facilitou a aproximação de Noah. Executou um meio giro com a espada, descendo-a certeira e eficaz contra a língua asquerosa que amordaçava Romeo. O berro sequencial do oponente deixou claro o sucesso do ataque, mas aflorou a raiva que ele sentia.

Com um reflexo desconhecido, Noah recuou com um jogo de cintura, recebendo apenas dois cortes superficiais no peito que rasgaram a camiseta roxa que usava. Desprevenido, soergueu a espada, segurando-a com ambas as mãos, e começou a agitá-la em direção ao bicho, gerando diversos ruídos pelo choque frenético das armas.

Romeo se aproveitou disso para jogar-se contra o jacaré guerreiro, empurrando-o um pouco para o lado por conta da força aplicada. Adjacente a isso, despertou uma sequência de movimentos repetidos, ferindo mais e mais a criatura enquanto Noah pensava, tentando ignorar a sutil ardência proveniente dos seus novos machucados.

Uma ideia piscou em sua mente quase que de imediato. Ele devolveu Rage à bainha e olhou para suas mãos, concentrando-se para que um trio de penas prateadas brotasse ali. Com sucesso, ele sorriu, satisfeito por ter aprendido a utilizar a habilidade com um simpático meio-irmão da terceira coorte.

O avanço da prole da vitória se deu mediante a arremessos, encaminhando uma pena laminada de cada vez. Dada a posição em que estava, os projéteis cortaram o ar e fixaram-se na lateral esquerda da cabeça do réptil, aturdindo-o. Com isso, uma brecha foi criada e Romeo, esperto como era, não a perdeu.

Num só golpe, decapitou o monstrengo.

A distância entre os dois semideuses tornou-se nula quando Noah avançou, vendo de escanteio o susto tomado por Otto quando o corpo desmantelado da criatura foi reduzido a poeira flavescente. Como reação, ele recorreu ao seu dono, que o pegou no colo depois de guardar o isqueiro no bolso.

Sem nariz quebrado dessa vez. — diferente da noite anterior, ele não tivera o mesmo resultado. Estava praticamente inteiro. — Eu só acho melhor sairmos daqui.

Romeo não contestou a sugestão, dando uma última olhada para o lago para confirmar que não havia outra criatura que pudesse atacá-los. Assim, preocupados mas um pouco mais sossegados, andaram rápido de volta para o quartel da Quinta, descartando a possibilidade de retorno à enfermaria por terem praticamente acabado de sair de lá.

habilidades:
passivas:
Instinto natural [01]: Como filhos da deusa da vitória, os filhos de Nice tem um instinto natural sobre qual o melhor movimento em uma batalha ou atividade que envolva esportes.

Espírito vencedor [02]: Como filhos da deusa representante da vitória, por serem muito competidores e desgostar em imensamente da idéia de perder uma competição, esses semideuses sempre darão o máximo de si para vencer, ignorando qualquer dor que possua os atrapalhar.

Instinto natural aguçado [03]: Como bons competidores, os cinco sentidos naturais dos filhos de Nice são mais aguçados, de modo que ao utiliza-lo (tato em escalada, visão para arremesso de objetos... e etc) esses semideuses tem 25% mais sucesso do que um semideus que não tenha perícia sobre o instinto usado.

Coragem vitoriosa [06]: Sempre empenhados em darem o máximo de si, filhos de Nice são corajosos e valentes, principalmente quando estão em uma luta ou competição. Poderes, habilidades e itens que possuem como essência elemental o medo, possuem eficácia 50% menor sobre eles quando estiverem em um confronto ou disputa. Caso a fonte do poder seja três níveis mais fraca, o poder passa a não atingir as proles de Nice.

Velocidade Olímpica [07]: O atletismo é um esporte olímpico, tão antigo quanto as primeiras edições da grande competição. Filhos de Nice correm em grande velocidade, vencendo obstáculos no caminho com pulos e desvios. Esses semideuses são duas vezes mais velozes do que um humano comum, porém ainda possuem fôlego e vigor físico de um semideus.

Esgrimistas Avançados [09]: Filhos de Nice tem um dom com lutas de espadas avançado, tendo uma paixão em especial por essa arte. Essa perícia facilita o aprendizado com armas equivalentes a sabres, espadas medievais, katanas e floretes, de modo que conseguem até mesmo usar duas armas ao mesmo tempo, se não estiver empunhando um escudo.
ativas:
Dardo de pena [01]: Em uma das mãos do filho de Nice, aparecerá uma pena completamente prateada, tão leve como uma pluma porém tão forte e cortante quanto o aço. Essa pena poderá ser lançada em direção a um alvo como se fosse um dardo ou uma pequena faça, causando danos sobre seu corpo. Ao atingir o nível cinco, a cada ativação irão aparecer em sua mão três penas. Pode ser usado uma vez a cada três turnos.
item:
Coroa de Louros [Composta por ramos entrelaçados de louro, cujas folhas apresentam-se em ouro imperial, o item símbolo de Victoria foi dado ao seu filho no momento em que ela o enviou para a Legião, como uma dádiva afetuosa. | Efeito 1: Amplia os atributos físicos do portador em 30%. | Efeito 2: Quando colocada, a coroa parece não estar ali porque ela não cai e não pesa. | Efeito 3: Transforma-se em qualquer tipo de acessório para a cabeça, basta mentalizar. | Ramos de louro e ouro imperial | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Herança de Victoria]
observações:
1- Caso algo relacionado ao personagem fique confuso, eu posso explicar tudo bonitinho por MP!

2- Leia a primeira observação feita pelo Romeo, por favor.

Obrigado! :D
avatar
Aprilla Deapryth
Amazonas
Amazonas

Mensagens : 213
Idade : 18

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RP de Ano Novo [Noah e Romeo Bernocchi]

Mensagem por Hades em Qui Jan 11, 2018 4:29 pm

Romeo!

Método de Avaliação:
Valores máximos que podem ser obtidos

Máximo de XP da missão: 4.000 XP

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 25%


RECOMPENSAS: 7.600 XP (3.800 x 2) + 6.000 dracmas + 8 estrelas

STATUS:

HP:   570/570
MP: 570/570

+ 100 de Xp e um nível de Lealdade para o cachorrineo.



Noah!

Método de Avaliação:
Valores máximos que podem ser obtidos

Máximo de XP da missão: 4.000 XP

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Realidade de postagem + Ações realizadas: 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 19%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 25%


RECOMPENSAS: 3760 XP + 6.000 XP + 8 estrelas

STATUS:

HP:   180/220
MP: 200/220

Comentários:
Acredito que a facilidade de se lidar com um monstro que, mesmo sendo nível “baixo” (o monstro no caso), possui 1.000 de HP tenha sido um ponto importante a se levar em consideração em ambos os posts, principalmente o do Noah, que é nível 16 e um campista iniciante. A facilidade de ambos e ausência de grandes ações por parte de Romeo (que seria o esperado diante do nível do mesmo) foram pontos que geraram o desconto de 5% dos pontos de ambos os posts.



Atualizado por eu mesmo.
avatar
Hades
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 928
Localização : Importa? A morte ainda será capaz de te achar.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RP de Ano Novo [Noah e Romeo Bernocchi]

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum