The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

O Mistério da lua Minguante

Ir em baixo

O Mistério da lua Minguante

Mensagem por Vênus em Sab Dez 09, 2017 8:52 pm





O MISTÉRIO DA LUA MINGUANTE

Quando a lua volta a ser invisível um novo ciclo se inicia e com ela, as constelações passam a desaparecer. Dizem que a lua minguante é perfeita para rituais que nos levam a crer que o indesejável enfim irá desaparecer, contudo, naquela noite a lua não foi usada para espantar nada, mas sim, concluir uma pendencia que há muito incomodava um determinado ser. Assim sendo, a meia noite quando a lua nasceu, três das principais constelações desapareceram, uma hora mais tarde, outras duas deixaram o céu. Onde estariam?

Artémis não sabia dizer... mas tinha que admitir que estava preocupada, tremula e evasiva, tinha adotado a aparência de uma criança de cinco anos, fazia birra o tempo todo e se recusava a obedecer as caçadoras. Para piorar tudo, por mais que as mais velhas insistissem, a deusa parecia não querer – ou não conseguir – retornar para a forma original. Quem via de fora devia achar a situação engraçada, uma deusa se comportando como uma criança, pregando peças em suas subordinadas e fazendo birra – como uma verdadeira garotinha mimada – para ter todos os caprichos atendidos. Contudo, tinha algo mais.

As duas da manhã as seguidoras da deusa pediram ajuda. Tinham conseguido conversar com a Lady da lua por cerca de 5 minutos, de forma que, acabaram descobrindo que as constelações estavam ganhando vida e rapidamente se espalhando pela terra. Assim sendo, tais constelações também estavam impedindo a deusa de retomar sua forma, de forma que, precisavam ser capturadas e devolvidas ao céu o mais rápido possível.

Só tinha um problema...

Ninguém sabia onde elas se encontravam.

REGRAS:

• O primeiro mistério é o mistério da lua minguante, alguém ou alguma coisa devolveu vida a parte das constelações e elas agora se espalharam pela terra. A ursa que outrora fora uma caçadora está procurando por algo, o lobo está caçando na floresta, o Cisne... só deus sabe onde iremos o encontrar. Além disso, outras duas também estão escondidas, e seu trabalho, caro semideus é encontrar e devolver as constelações a Lady da Lua levando-as para o acampamento das caçadoras de Artémis, onde duas de suas subordinadas já o aguardam.

• Artémis nessa fase apresenta-se como uma menina de 5 anos, faz birra quando não consegue alguma coisa e adora pregar peças, cantar, desenhar e mexer nos cabelos. É, literalmente uma criança. Ela apresenta distorcidos bipolares, é bastante fofa e ingênua, mas não se iluda, ainda possui poderes extraordinários que poderiam lhe transformar em um inseto. Vocês poderão abordar a situação da deusa como acharem melhor, seja como ajuda em parte da missão, seja como introdução ou finalização (ex: Artémis devolvendo a constelação ao céu).

• As duas subordinadas de Artémis se chamam Sarah e Elisa, e elas poderão estar auxiliando vocês como NPC’s da missão, seja para leva-los ao acampamento ou ajuda-los a encontrar as constelações. Sarah é filha de Perséfone, tende a ter um humor meio negro e sádico, adora torturar pessoas e é particularmente bastante arrogante com homens. Elisa é um doce de garota, é filha de Aurora e tende a ser muito gentil, o oposto de Sarah, e apesar de não se comunicar muito bem com homens, também não os trata nada mal.

• Vocês não precisam resgatar as cinco constelações perdidas, mas sim apenas uma. A missão é encontrar e levar apenas uma constelação de volta, você será informação da missão por Quiron ou Lupa, contudo, a personalidade de Ártemis não vai se apresentar como Diana por uma questão obvia, ela está como Ártemis, sua forma grega.

• A constelação se apresenta como a forma da criatura (Ex: A ursa maior se apresenta como um urso obviamente) contudo, emite um tom brilhante em sua pelagem que a denúncia, tal brilho é semelhante aqueles que cobrem as estrelas.

• O local dessa missão é floresta de Nova Iorque.

• A missão já foi dita, levar a constelação de volta, para tal, você deve desenvolver uma One post de – no mínimo – 60 linhas desenvolvendo como foi sua caçada, onde, como e de que forma encontrou e capturou a constelação, no caminho, deve enfrentar ao menos um monstro de sua escolha.

• Não usem templates berrantes ou com menos de 500 px de largura. A fonte deve ser maior ou igual a 12.

• Prazo de encerramentos das postagens nesse tópico: 15/01/2018a meia noite.

• As avaliações poderão ser feitas no decorrer do evento ou apenas ao final dele, a Staff ainda irá decidir.

• Essa postagem vale até 15 estrelas, mas tal recompensa pode ser diminuída a depender do conteúdo no momento da avaliação. O valor apresentado é o valor máximo e nada impede a staff de diminuir a recompensa se achar que o conteúdo ficou falho, incompleto ou fora da proposta acima.

• Não é possível fugir da proposta, nem matar as constelações, o objetivo da missão é bastante claro.

• Recompensa em XP: Será dividida em níveis conforme a tabela abaixo:

Nível 1 a 10: 5.000 XP
Nível 11 ao 30: 7.000 XP
Nível 31 ao 50: 9.000 XP
Nível 51 ao 70: 11.000 XP
Nível 71 ao 80: 13.000 XP
Acima do nível 81: 15.000 XP
Dracmas: Máximo de dracmas que se pode receber nesse evento é 6.000
Constelações desaparecidas:

Constelação Cão Maior - A constelação de Cão Maior e a sua vizinha Cão menor, aparecem em muitas lendas. Numa delas, conta-se que os dois cães estavam pacientemente sentados debaixo de uma mesa onde os Gémeos estavam a jantar. As débeis estrelas que podemos ver dispersas pelo céu, desde Cão Menor até Gémeos seriam de acordo com a lenda interpretadas como migalhas que os mesmos davam aos animais. De acordo com a mitologia grega, o Cão Maior era um animal que corria a velocidades espantosas. Laelaps, como lhe chamavam tinha inclusivamente ganho uma corrida a uma raposa que se dizia a mais rápida do mundo. Zeus teria colocado este cão no céu, para comemorar a sua vitória.

Constelação Lobo - Está quase unida a Centauro, como se este acariciasse a sua mascote, o lobo. Os antigos gregos e romanos chamavam Therion a este grupo de estrelas, representação de um animal selvagem indeterminado, que usualmente era designado como a besta ou a fera. A associação com um lobo surge posteriormente, nos finais da idade média. Segundo a lenda mais célebre, com origem na mitologia grega, o lobo representa um animal caçado pelo Centauro, que se prepara para oferecê-lo aos deuses no Altar (constelação próxima que representa um altar sacrificial).

Constelação Ursa Maior - Segundo a mitologia grega, Zeus apaixonou-se por Calisto, a bela ninfa dos bosques e companheira de Ártemis. Zeus ficou de tal modo fascinado pela sua beleza que, para se aproximar dela, tomou as feições de Ártemis. Calisto acolheu Zeus sem desconfiança, mas quando reconheceu o seu erro já era tarde demais, e concebeu dele um filho, que se chamou Arcas. Hera, esposa de Zeus, ficou furiosa e castigou Calisto, transformando-a numa ursa. Um dia, a irreconhecível Calisto e Arcas encontraram-se. Calisto abriu os braços para acolher o filho mas este, julgando-se atacado pela gigantesca ursa, preparou-se para a matar. À última da hora, Zeus evitou a tragédia e transformou Arcas num pequeno urso, arrastando ambos para os céus. Hera, contudo, empurrou os dois para perto do pólo norte onde as estrelas são sempre visíveis - mãe e filho nunca teriam descanso. Arcturo, a brilhante estrela do Boieiro ficou de guarda às ursas para que não se afastassem do gélido pólo.

Constelação Cisne - Situa-se numa área rica da Via Láctea e representa um cisne, o disfarce adotado pelo deus grego Zeus para uma de suas seduções ilícitas, segundo as lendas, que apresentam algumas variações. Numa dessas lendas, o Cisne representa uma das formas assumidas por Zeus para visitar as suas amantes terrenas e ilustra o episódio romântico entre o deus e Leda, esposa do rei de Esparta, Tíndaro. Desta relação nasceriam, de um ovo, Castor e Pólux, os gémeos da constelação Gemini. Uma variante deste mito relata que teriam sido igualmente geradas, da mesma relação, Helena de Tróia e Clitemnestra. Ainda noutra versão (entre outras mais), Zeus teria consumado o acto com a deusa Némesis e o ovo resultante sido entregue a Leda.

Constelação Centauro - Esta é uma constelação extensa que na mitologia grega representa Chiron. Esta é uma personagem que surge com frequência, representando um Centauro, metade homem metade cavalo. Contrariamente aos outros Centauros, conhecidos como monstruosos e brutais, Chiron era muito sábio, disciplinado e benevolente. Foi o responsável pelos ensinamentos de humanos como Jasão e Hércules. Certa vez, Hércules feriu-o acidentalmente, o que provocou grande sofrimento a Chiron, vítima da sua própria imortalidade. Então ele mesmo suplicou aos deuses que acabassem com tal sofrimento. Zeus permitiu que ele morresse e colocou-o entre as estrelas.



Vênus, love's lady
..
diva, déesse de l'amour et de la beauté ♦️
avatar
Vênus
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 1832

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Mistério da lua Minguante

Mensagem por Eun Deokhye em Sex Jan 12, 2018 5:24 am

“The sparks are gone, replaced by fierce, ugly tears that track down my face. Thunder rumbles somewhere far off and the air is warm. But the humid temperature is gone. The heat has broken and summer will soon be over. Time is passing.”
Durante o decorrer da própria existência Deokhye nunca sequer pensou que em algum momento iria referir-se a si própria como rancorosa e vingativa com uma linha tênue defasando os estágios primordiais da personalidade apresentada e formada até dado instante de vida. Existia a princípio uma arrogância genuína presente nos olhos escuros, expressando uma autossuficiência que em nada condiz com o que habita o interior de Deokhye. Porém tal traço simbólico tornou-se presente em ações inescrupulosas. E embora alguns possam dizer que a escassez de escrúpulos pessoais pré-estabelecidos seja integralmente negativa, Eun tomou como benefício diante das escolhas e experiencias passadas. Tal ausência a conferiu certa invulnerabilidade – exceto por uma pequena agremiação de indivíduos –, intrínseca até certo ponto a Deokhye, evidenciado pelo egocentrismo. Os adjetivos “cruel” e “vingativa” poderiam compor uma ampla gama de termos pejorativos que poderiam se manifestar conta a loira. Porém tais traços lhe eram como uma montanha russa, eventualmente mostrava-se como compassiva e paciente, outrora explosiva e violenta. E tudo parecia culminar em uma confusão indescritível.

Deokhye notou os traços referentes a si própria ao passo que encontrou uma figura que conhecerá em dado momento do passado, precisamente aos treze anos: Narcyza King. A garota misturava-se ao grupo de adolescentes intituladas como Caçadoras, seguindo os comandos de uma divindade que em dado momentos assumia a forma e personalidade de uma criança de cinco anos. Vislumbrou-a assim que adentrou no acampamento destinado a tais moças, apresentando um sorriso malicioso e cruzando os braços em uma típica pose defensiva que eventualmente se confundia com deboche. A decisão de aproximar-se foi um ato inconsciente e Eun se viu murmurando rente ao ouvido da menina – que preservava a aparência de quinze anos – “Narcyza King... Lembra de mim, não é? Eun Deokhye. É um prazer ver que você é tal anormal quanto eu.” Ela recuou alguns passos. Um certo impacto ao ouvir o nome da loira? Possivelmente não. “Hmm... Como vai, Deok?” perguntou Cyz, demonstrando uma perplexidade que pareceu falsa.

O tempo destinado a figura insignificante, entretanto se findou ao passo que uma adolescente as interrompeu, aprendendo-se como Elisa e a conduzindo para uma tenda prateada que possuía tamanho dobrado em relação as demais. Eun considerava-se como uma mulher dotada de inteligência e deduzir que tal espaço destinava-se a divindade em questão lhe soou como algo de obviedade evidente. E não estava errada. A aparência fora a primeira percepção e detalhe a ser notado: cabelos longos quase em tons prateados e olhos verdes como a mais verde vegetação florestal remetiam a ascendência divina da menina com rigidez. A beleza se apresentava em cada centímetro da criança, mesmo que fosse uma beleza frágil e misteriosa, que cativava e incitava o pensamento que tal mocinha deveria ser protegida. Caso a divindade se mostrasse em tal forma a Eun talvez não hesitasse em segui-la. O segundo traço a ser destinado a nota fora a personalidade infantil que aparentava mesclar-se aos séculos de sabedoria pertencentes ao cérebro divino de Ártemis, gerando constantes transformações de assuntos de verbais. Por vezes proferindo palavras em um tom infantil e doce e outrora assumindo um tom de seriedade incomum a crianças em tal idade.

Em dado momento Eun, juntamente a Sarah e Elisa, almejavam a façanha de conseguir mais informações a respeito do problema evidente. Visto que apenas possuíam ciência que a divindade não era capaz de assumir outra forma. A divindade ocupava o colo de Deokhye e trançava os cabelos descoloridos e mais claros que os próprios, entretida e destinando atenção a atividade que fazia sem responder aos questionamentos proferidos pelas três. “Estamos tentando ajudar!” Deokhye exclamou, recebendo a atenção anteriormente destinada a questões de menor importância. “Você precisa de ajuda, não eu.” A resposta obtida a surpreendeu e o murmúrio de Eun instalou um silencio que prevaleceu, até que a divindade indicasse o erro: “Deixe a pena e a solidariedade para os que não têm como se vingar dos atos cruéis existentes em suas vidas.”

O corpo diminutivo da Deusa ergueu-se do colo alheio e perambulou pelo ambiente, propagando uma perturbação que ondulava a chama do fogo presente em tochas fixadas pelo solo. Quando falou a voz infantil transmitia uma seriedade ímpar: “Cinco constelações foram roubadas e não consigo voltar, não consigo, não posso acha-los...” determinou com pesar. Indicando que Eun poderia encontrar ajuda em Sarah e Elisa, cravando os olhos esverdeados na floresta estendida e visível através da abertura provocada pelos ventos da tenda. A obviedade de que se tratava de uma caçada não a surpreendeu e Deokhye assentiu, rumando para fora do ambiente fechado seguida por ambas caçadoras.

Longe de presença da divindade e assim que adentraram nos limites impostos pela vegetação Sarah deixou a personalidade desagradável a mostra. Traçando reclamações e indicando a ausência de necessidade de solicitar ajuda, possivelmente achando a presença de Deokhye desnecessária e possivelmente taxando-a como semideusa inútil. Ao contrário de Elisa que parecia reprovar o comportamento da companheira e sacolejava a cabeça de um canto a outro em discordância. Deokhye as ignorava, traçando analises a respeito da desordem evidente. Supondo que diante do apontamento da pequena divindade a mesma acreditava que suas constelações foram surrupiadas por algum indivíduo que se segredava na floresta ou tornaram-se animais. Ambas as possibilidades eram possíveis.

“Semideuses treinados no acampamento meio-sangue são inúteis se você quer saber minha opinião...” Sarah comentou em uma reprodução exata do tom jocoso, possivelmente aguardando uma manifestação tão violenta por parte da Eun quanto a que demonstrara ao encontrar Cyz. Entretanto outro traço evidente da personalidade da loira era a falsidade e desinteresse em indivíduos que em nada agregariam a sua existência buscar vingança. A tais pessoas destinava a frieza e ausência de emoções, sem arrependimentos. Sarah continuou proferindo bobagens e elas continuaram a caminhar por entre a mata. Seguindo a liderança da caçadora calada, visto que Deokhye mal conseguia vislumbrar os próprios dedos em meio a escuridão progressiva.

A ausência de iluminação proporcionada pelas arvores que se uniam em seu topo teve fim à medida que uma iluminação anormal e fantasmagórica brilhou em meio a folhas, como se a própria lua emitisse um brilho em tal local anormal. Em uma rápida análise notou que as caçadoras assumiam posições desconhecidas e Deokhye ergueu o próprio corpo a centímetros no chão, sob a premissa de impedir barulhos desnecessários de se reproduzirem diante da sua ausência de cuidado notável. Ambas atacaram no segundo seguinte, enviando ondas de pânico ao... cisne, que saltou para longe, iniciando uma corrida para longe. De algum modo anormal a Eun compreendia a linha de raciocínio de tal criatura distinta, que emitia iluminação própria. Compreendo os sons produzidos com exatidão.

Ausente do próprio controle corporal diante do raciocínio traçado pela adrenalina presente em seu sistema a jovem avançou rumando ao animal agitado, esquecendo-se da premissa inicial e limitação na visibilidade oferecida pela floresta noturna, guiando-se pela iluminação fornecida pelo corpo do cisne. Que era fraca e não iluminava o suficiente. O resultado? Possivelmente lesões medias decorrentes de galhos e uma colisão contra uma árvore que lhe fez arranhar o antebraço quase por completo. Porém não parou, ignorando as lesões diante do próprio sistema que produzia o suficiente de hormônios para deixa-la entorpecida em relação a própria dor. “Pare agora mesmo!” ordenou ao passo que experimentava uma aproximação com o cisne que surpreendentemente interrompeu a própria fuga, criando espaço para o ataque certeiro das caçadoras, que utilizaram uma rede para imobilizar o cisne. Que anunciava palavras nada belas. Deokhye manteve-se calada diante da revelação ali obtida, receosa que estivesse experimentando da loucura novamente.

“O cisne é a constelação de cisne se você não notou, burra.” Sarah tornou a provocar e novamente sofreu do silencio imposto por Deokhye, que se ofereceu para segurar a rede que abrigava o animal nada contente. Mantendo-o em proximidade com o próprio corpo. Mais tarde quando conseguiram retornar em segurança para os domínios da Deusa a Eun vislumbrou o mesmo animal retornar para o céu e Ártemis assumir a forma de uma garota de doze anos. “Você é uma filha do céu.” Foram as palavras pronunciadas pela divindade quando a despedida se fez presente ao amanhecer. Deokhye montou no Pégaso emprestado temporariamente pelo acampamento, o mesmo que utilizara para chegar a tal lugar durante a madrugada, e alçou voo deixando-os para trás sem sorver qualquer proveito.
◦◦◦


Poderes Utilizados:
Passivos.:
Nome do poder: Respiração
Descrição: Os filhos de Zeus/Júpiter não são afetados por grandes altitudes, e assim como os filhos de Poseidon respiram embaixo da água, eles respiram sobre o ar – literalmente – podendo chegar a altitudes elevadas sem ser prejudicado pela pressão do ar, ter sua respiração afetada. Eles respiram naturalmente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Consegue respirar normal em grandes altitudes
Dano: Nenhum

Nome do poder: Seguido
Descrição: Naturalmente a prole de Zeus/Júpiter possui uma aura de líder que faz com que os campistas e demais semideuses aliados os sigam naturalmente, esperando ordens e afins. No entanto, vale ressaltar que, dificilmente campistas de nível superior ou com grande força mental sejam afetados.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Comunicação
Descrição: O filho de Zeus/Júpiter tem capacidade de se comunicar com aves, e águias, podendo conseguir informações com elas com mais facilidade. Essa habilidade também lhe permite falar com espíritos dos ventos mentalmente, e ao entende-los, você também consegue extrair as coisas deles, favores, e informações com uma facilidade tremenda.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode conseguir informações com aves e espíritos dos ventos.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Proteção
Descrição: Ao entrarem nos domínios dos céus a prole de Zeus/Júpiter será protegida, diminuindo as chances de que algum acidente aéreo ocorra, assim como monstros terão mais receio em atacar tal semideus em pleno ar.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Tal poder funciona apenas quando o semideus está viajando pelo ar, seja em aviões, pégasos ou outro meio de transporte..
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Queda
Descrição: Mesmo se o semideus despencar de grandes altitudes a respiração do mesmo não será alterada, assim como os impactos gerados pelo ar não irão incomoda-lo, entretanto tal poder não irá servir para livra-lo do impacto com o solo/água.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Respeito
Descrição: Por onde quer que vá o filho de Zeus/Júpiter será respeitado, seu pai é o senhor do Olimpo, o que o torna quase um príncipe na terra. Isso faz com que de certa forma o semideus empunha respeito, podendo chegar a ser temido pelos demais campistas, ou invejado. Entretanto tal poder dificilmente irá funcionar com individuos de nível elevado ou força mental forte.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Pode fazer um inimigo hesitar durante o primeiro turno, evitando atacar diretamente.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Lider I
Descrição: Assim como os filhos de Afrodite são capazes de persuadir pela sedução, os filhos de Zeus/Júpiter tem a capacidade de convencer as mentes mais fracas a segui-los e "acatar" suas ordens graças ao talento em liderar. É, claro que há um limite, alguém certa imunidade aos controles mentais - por exemplo - não será facilmente persuadido. Sendo que dificilmente irá funcionar em um filho de Athena calmo e pleno. Entretanto poderá ter efeito caso estejam em meio a uma batalha ou sofrendo de emoções fortes.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
Ativos.:
Nome do poder: Intimidação
Descrição: A prole de Zeus/Júpiter possui um olhar penetrante e, quando enfurecido, os olhos da prole tornam-se – aparentemente – elétricos avisando a inimigos que um golpe logo irá ocorrer. E, quando isso ocorre, o próximo golpe do semideus causa +10 de dano.
Gasto de Mp: -10 de MP
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +10 de dano.
Dano: Nenhum.
Extra: Nenhum.

Nome do poder: Voo II
Descrição: O semideus aprendeu a controlar a gravidade ao redor do corpo, e ao compreender o que o mantem preso na superfície, também é capaz de solta-la e molda-la da maneira que quiser. Agora já consegue ficar mais tempo, voar mais rapidamente e se erguer em altitudes mais elevadas. Podendo permanecer por mais tempo no céu. Seu controle também melhorou.
Gasto de Mp: 10 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Já pode se erguer até 2 metros do chão.


It's our nature. We destroy. It's the constant of our kind. No matter the color of blood, man will always fall.
avatar
Eun Deokhye
Sem grupo
Sem grupo

Mensagens : 19

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Mistério da lua Minguante

Mensagem por Kang Pipper em Dom Jan 14, 2018 6:06 pm

Chaotic
O dilema costumeiro: Dormir ou permanecer acordada... Jogando. Desde pequena, sempre fora isso, ficava duas horas em tentativas – as vezes fracassadas – de tomar a decisão de parar o que fazia no dado momento, que variava em jogos, livros e até rituais, para descansar. Entretanto o anoitecer lhe brindava com mais energia e percepção, como se descartasse o cansaço sofrido ao longo do dia e a presenteasse com cafeína e doses extras de energéticos. E, em tal noite em particular a semideusa estava entretida com um 3Ds e Pokemon – conseguidos graças aos contrabandistas dos Chalé de Hermes, que os Deuses a perdoassem –, entretida fazendo o próprio personagem caminhar por dezenas de matinhos virtuais para tentar achar pokemons. Em tal processo se revirava na cama e até tinha deixado a barriga de fora – local onde tamborilava os dedos eventualmente, quando cansava de segurar o pequeno aparelho tecnológico – esquecendo-se do próprio horário de dormir, consciente que os demais semideuses com quem compartilhavam o chalé também estavam acordados e realizando as próprias atividades noturnas – não seja malicioso –.

Permaneceu mergulhada no próprio jogo que sequer percebeu a produção de farfalhares na madeira que revestia o chalé, indicando presenças do lado de fora ou os passos pesados que se propagavam em meio ao silêncio. A atenção fora ganha apenas quando batidas realizadas na porta ecoaram, fazendo a semideusa fechar o 3DS por puro reflexo e esconder o aparelho em baixo do travesseiro, erguendo-se em um salto e indo em direção a porta. Consciente de que nenhuma harpia iria bater na porta de forma tão humana. E sua suposição estava correta.

Do lado de fora estavam Quíron e Hela. O centauro indicou que as caçadoras solicitaram ajuda, informando que as mesmas estavam nas proximidades e que em tal horário seria prudente contar com a ajuda de semideuses que estariam despertos. Pipper concordou, retornando para o chalé em um suspiro, pegando uma roupa qualquer e logo vestindo-a, procurando por suas armas e logo saindo do Chalé, encontrando a namorada encostada a parede azulada. A aparência de Hela sempre a surpreendia de forma positiva, diante da venustidade expressa e evidente, mesmo que a necromante estivesse em batalha a beleza parecia estar presente e em mesmo nível, incapaz de decair. E seu interior refletia a aparência apreciada por seus olhos, Hela era uma pessoa perfeitamente descrita como incrível. A Kang aproximou-se tendo a mão entrelaçada a da namorada de imediato, passando a prosseguir pela trilha. Notando que possivelmente o centauro havia impedido as harpias de tentar ataca-las diante da ausência das mesmas.

Pipper já se preparava para destravar o selo em formato de losango da própria nuca quando a proposta de Hela lhe soou atrativa, visto que já estiveram sobrevoando os céus na companhia da mascote de vácuo. Ela não deixou de rir, ciente que a presença do dragão possivelmente deixaria as caçadoras apenas encantadas ou desejosas, não chamando a atenção de qualquer mortal – que possivelmente enxergavam alguma espécie de jatinho particular –. Concluindo para a namorada que não se importava em se locomover através do dragão, indicando que poderia ser mais fácil achar a localização da agremiação de moças através de uma vista aérea.

- Eu sempre tive dúvidas sobre como você conseguiu o seu bebê. – Indicou, se referindo a mascote. – Eu achei meu primeiro bebê assim que fui assumida como filha de Nyx e ele estava lá no chalé bem bonito e pleno. Leo me julga até hoje.

Pipper indicou em um sorriso genuíno e caloroso tento um vislumbre do dragão e obtendo a consciência de que dificilmente uma harpia ousaria a se aproximar diante da majestosidade evidente e que parecia ser um traço dos dragões. Em questão de instantes Hela a ajudou a subir no dragão montando ela própria em seguida. A adolescente apertou as pernas em torno do corpo estrelado e quase assustou-se com o voo alçado instantaneamente, tencionando o corpo em um reflexo. A solução veio em forma uma distração proposta pelos próprios pensamentos.

- Hey, você acha que aconteceu exatamente o que com Ártemis e as caçadoras? – Pipper questionou quase aos gritos, em tentativa clara de mascarar o frio na barriga que passou a desenvolver por estar tão distante do solo. A resposta obtida e proveniente de Hela a ajudou a desviar o foco da atenção exercida sobre a altitude.

- Pode ter acontecido alguma punição a Deusa... ou algum símbolo de poder foi roubado, escondido. – Comentou incerta, recordando-se dos relatos de como uma guerra esteve prestes a estourar apenas pelo raio mestre de Zeus ter sido surrupiado e a culpa atribuída a um semideus.

Ainda evitando olhar para baixo e mantendo o corpo tensionado na mesma posição, com receio de que os ventos pudessem de algum modo a empurrar para fora da lombar do dragão ou que pudesse escorregar diante do suor que revestia progressivamente suas palmas e pés, em um indicativo do nervosismo que sentia em dado momento. Pipper passou a listas diversos casos mitológicos que se recordava, narrando alguns acontecimentos mitológicos que ocorriam com determinada frequência e que poderia trata-se do caso. Criando uma distração até que o dragão de Hela perdesse altitude, sobrevoando em um acampamento adornado de barracas douradas que pareciam atrair o brilho proveniente da lua. O alivio sentido por Pipper foi quase imediato assim que desceram do dragão, levando-a a tornar a segurar mão de Hela e observando os rostos – alguns alarmados – das caçadoras com respeito evidente.

Ouviu o questionamento de Hela aguardou a manifestação das demais meninas, porém a mesma nunca chegou já que a presença de uma criança apareceu. Tratava-se de uma menina com as vestes típicas de caçadoras, como se ela estivesse treinando para entrar na caçada em um futuro distante. Além da aparência fofa e personalidade comum a crianças a garotinha em nada se assemelhava a uma criança comum. Primeiro que não estaria em meio a um grupo de pré-adolescentes congeladas no tempo e sendo atendida e tratada com tamanho respeito por todas elas. A confirmação das suspeitas evidenciadas por Hela vieram quando Pipper abaixou-se para recepcionar a criança com um sorriso pateta no rosto.

- Eu não tenho doces, me desculpe. Olá, eu sou Pipper, e você bebê? – A Kang apresentou-se e a menina a encarou por um par de minutos antes de materializar uma cesta contendo diversos tipos de doces... frutas e até picolés. Em um indicativo obvio de que a garotinha era de fato a divindade lunar.

- Tia Pipper, você quer ver meus desenhos? Eu posso desenhar você! – A deusa a segurou pelo pulso como se suas mãozinhas fossem feitas de aço e Pipper concordou, seguindo a menina – que lhe entregava doces e parecia genuinamente feliz sobre a própria arte que seria apresentada – em direção uma das barracas de aparência grandiosa.

Assustando a semideusa com a quantidade de folhas de papel e animais desenhados, assim como constelações pelas folhas que se mesclavam a armas utilizadas em caças.

- Ual, você desenha muito bem. Esse urso ficou bem real!

O elogio fez a menina quase saltitar, evidenciando uma animação palpável que vinha acompanhada de verbalizações vocais de tal sentimento. A deusa correu pelo ambiente capturando todas as folhas com uma destreza ímpar, os empurrando nas mãos de Pipper em um indicativo para que ela pudesse ver todos. Em uma rápida analisada pelo canto dos olhos percebeu que Hela e duas caçadoras estavam ocupando a barraca também, indicando que a namorada deveria aproximar-se.

- Lady Ártemis esteve desenhando nas últimas horas. – Uma menina de aura pacifica indicou, vendo a distração da divindade ao passo que Pipper retornava a analisar os desenhos. – Quando deu mais noite ela ficou nessa forma e parece não conseguir mais mudar ou falar o que está errado.

Pipper assentiu e sorriu pela aproximação de Hela que elogiou o desenho da criança, fazendo-a se atentar de imediato ao que era pronunciado, visto que a pequena deusa parecia concentrada e chorosa após citar a constelação. A situação só piorou quando Hela pediu que Ártemis mostrasse a constelação. A pequena passou a chorar, agarrada ao quadril de Hela e atraindo as caçadoras para perto em uma tentativa para fazer com que as lagrimas e choro da menina tivessem fim, mas o choro parecia se intensificar a cada minuto e em certos pontos ela murmurava coisas como “sumiu” e “meu ursinho” com a voz completamente embargada. A Kang odiava deixar a criança em tal estado de choro, mas confiou na dupla de caçadoras e em Hela para que pudessem consolar a criança, buscando pelos desenhos e encontrando padrões.

Por ser uma criança da noite a adolescente conhecia diversas constelações pelo assunto lhe soar familiar e a atrair desde muito cedo. Notou que haviam cinco animais e cinco constelações e possivelmente todos haviam desaparecido. A Kang deixou os desenhos e saiu da barraca, com os olhos fixos no céu noturno. Concretizando que ao menos três das constelações estavam ausentes ou indetectáveis assim como as demais. Com um suspiro a adolescente retornou para dentro, vendo que haviam conseguido acalmar a pequena deusa, que comia balas (as mastigando) com um aspecto choroso.

- Nós vamos encontrar as constelações, ok bebê?! Não se preocupa, por que não continua desenhando? – Questionou, passando os dedos pela bochecha cheinha da deusa com um sorriso de afeição.

No próximo minutos a semideusa já estava de pé, acompanhada da namorada e afastada da barraca adornada de desenhos da divindade. Observando a mesma proferir ordens para o dragão e pensando o que tudo poderia significar, sentindo que ignorava algo de importância.

- Hel, acho que poderíamos ir para a floresta procurar por... algo já que Bönte vai olhar de cima. – Pipper indicou, desembainhando a espada e entrelaçando os dedos aos de Hela, aguardando pela confirmação antes de iniciar a caminhada em rumo a vegetação que adornava o local onde o acampamento havia sido firmado.

Suspeitava que alguém dotado do poder suficiente para tal havia se apossado das estrelas citadas, duvidando que as mesmas pudessem fugir. E caso fugisse a adolescente duvidava que iriam permanecer à solta em uma floresta cintilando como estrela, chamariam a atenção ainda mais em uma noite escura e afastada de fontes artificiais de iluminação... Mas... Pipper prendeu a respiração, pensando em algo que não havia percebido antes, interrompendo o fluxo que mantinha ao caminhas.

- As constelações desaparecidas são animais. – Começou, encaixando no coldre novamente, erguendo os olhos em direção a Hela registrando a expressão no rosto da mesma. – Mas se eles ficassem na forma de animais e em uma floresta seria impossível achar eles...

Comentou quase que conversando com os próprios pensamentos, imaginando que se tratava de uma fuga e que tais constelações possuíam de fato o formato de criaturas reais e a própria Ártemis havia desenhando animais, assim como as constelações. Pipper quase xingou, elevando a própria mão a cabeça, considerando quantas horas seria necessário para reviver toda a matar em busca das criaturas que fossem ao menos as certas e fazendo uso da própria sorte – que não era muita –, quase se deitando em posição fetal e tecendo uma oração para que alguma divindade pudesse ter piedade. Felizmente ela não fez isso, apenas suspirando um par de vezes para acalmar-se antes de indicar que deveriam continuar procurando. Demorasse um dia ou dois elas iriam encontrar os animais.

Entretanto Hela parecia possuir sempre alguma saída a falta de raciocínio da semideusa, indicando que seus poderes incluíam uma espécie de magia de rastreio, o que poderia ser útil para ambas em tal momento. Já que Pipper duvidava de serem capazes de vasculhar a floresta inteira em apenas uma noite. Imediatamente ela indicou que poderiam tentar rastrear alguma das constelações utilizando o poder citado por Hela, sem esconder a própria animação. Aguardando até que a namorada o fizesse, buscando resultados no ar e que possivelmente apenas Hela seria capaz de ver já que havia o conjurado, mas ainda assim possuía alguns resquícios de esperança.

Pipper nunca se incomodou com as estranhezas necessárias para a realização de magias, afinal fazia parte de quem ela era. Apenas entregou um pequeno cubo de ambrosia para a mais velha, a seguindo sem hesitar. Sorvendo do significado das palavras pronunciadas mesmo que o já estivessem movendo-se a própria velocidade a uns bons minutos. Possivelmente os olhos de tais animais possuíam algo diferente, algo que permitisse a identificação como sendo constelações – ao mesmo assim esperava –, feliz por ter a capacidade de visão aumentada graças ao escuro. Em um estampido mental a semideusa vislumbrou a formação de cavernas, realizando uma pergunta quase silenciosa a Hela sobre ursos, questionando se os mesmos gostavam de fazer uso de cavernas em tal época do ano. Mas a ausência de barulhos e respirações foi um indicativo a acrescentar que o local estava de fato vazio. Logo passaram a seguir em frente.

Pipper não sabia que horas eram, mas pelo céu sabia que o amanhecer tinha duas horas de distância, dando um prazo para que concluíssem o que deveriam fazer em tal mata. E como se escutassem as preces proferidas a nenhuma divindade em especifico um barulho anormal se propagou pela mata, produzindo sons de latidos e urros. A primeira reação era sempre a de pensar que se tratavam de monstros e seu corpo quase retornou, porém Pipper permaneceu seguindo Hela em direção ao som. Vislumbrando um cachorro e um urso, que pareciam prestes a se enfrentarem em uma clareira, como se estivessem ensaiando para alguma cena extra do crepúsculo – se você substituísse o uso por algum vampiro, é claro. –. As ações tomadas por Hela de prende-los foi imediata, assim como o conhecimento verbal de que a namorado não sabia o que fazer até então e a solução surgiu para Pipper como um estalo mental.

- Hel, tape os ouvidos... Mas me desculpe se funcionar em você também. Eu vou controlar eles, então eu preciso que você solte as amarras de sombra?! – Pipper anunciou, questionando quando não sabia como nomear tal poder da namorada. – E que tudo dê certo... Dominationes!

O feitiço fora pronunciado enquanto a semideusa mantinha os olhos fixos no cachorro e no urso, que possuíam os olhos prateados de forma anormal. E ela podia sentir como se existisse uma espécie de coleira imaginária em torno dos pulsos, que indicava um controle sobre os monstros. Sabendo que não era capaz de controlar a namorada a adolescente indicou que Hela libertasse os monstros-estrelas-constelações-fujonas. Murmurando mentalmente um comando para que ambos seguissem na frente das duas, afinal caso o controle da adolescente fraquejasse poderiam prende-los com facilidade. O esforço de manter duas criaturas presas veio lentamente enquanto caminhavam pela mata. Enviado um progresso de suor pelas palmas e testa da semideusa e sequer conseguia pronunciar palavras de forma coerente, confiando completamente em Hela para que os conduzissem na direção correta. E, por si só, a presença da namorada consistia numa aura de conforto, amor e confiança que fazia uma determinação brotar dos sentimentos de Pipper quase sempre. Consciente que tudo daria certo.

Os olhos mantinham-se atentos e sua atenção estava unicamente fixada nos dois animais. Sentindo a vibração mental dos mesmos em um indicativo que ainda estavam completamente sobre os seus comandos. Mal percebendo quando atingiram o acampamento das caçadoras. A consciência só retornando a reparar em outras coisas quando o controle que exercia subitamente desapareceu e, a sua frente estava uma Ártemis de treze anos, mantendo os traços que Pipper fora capaz de observar anteriormente, porém mais velha. E os animais não mais estavam ali, possivelmente a Deusa havia os enviado para o local onde pertenciam. A Kang quase cambaleou, apoiando-se na namorada em suspiro cansado.

Tudinho:
Armas:
• Ghost [Uma espada curta e irregular, envolvida por uma aura negra, seu cabo é envolto em couro e sua lâmina é feita de ferro estígio. Se adapta muito bem ao seu usuário, sendo bastante equilibrada. | Efeito 1: Aumenta o poder dos filhos de Nyx e permite que tais crianças consigam fazer uso/manipulação da energia escura que está ao redor da lâmina sem que haja gasto de MP por criação de tal elemento. (Pode ser usado por apenas 3 turnos.) Efeito 2: +10% de dano contra criaturas de luz. | Ferro estígio e couro. | Sem espaço para gemas. | Beta. | Status 100%, sem nenhum dano. | Mágica. | Arsenal do Acampamento.]

• Arsenal [Anel brilhante com uma pedra preciosa, esbranquiçada e minúscula em seu centro | Aço | Possui o efeito de alterar uma arma, mudando assim sua forma, detalhes, e qualquer outra coisa que o portador desejar, desde que as alterações sejam apenas físicas. Ou seja, utilizando o efeito do anel, é possível transformar uma lança em uma espada ou faca, ou qualquer outro item de ataque. Um escudo circular pode ser transformado em um broquel, ou um escudo de corpo. Os materiais dos itens podem ser alterados, mas seus efeitos sempre serão os mesmos (exemplo: uma espada elétrica ainda causaria dano por eletricidade se transformada em uma lança) | Não possui espaços para gemas | Comum | Resistência: Sigma | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja.]

• Estrela de Davi [Um pequeno pingente de prata preso a uma corrente de ferro. A estrela apresenta seis pontas, mas apenas 3 delas servem para algo. Quando ativado transforma-se em uma das três armas a seguir: Arco e flecha da lua (feitos de prata lunar e com flechas mais finas e rápidas que o normal perfurar mais fundo do que qualquer outro arco, se a pessoa retirar a flecha do corpo ao ser atingido o estrago será maior). Espada de prata (feito de prata lunar assim como arco, a espada se ajusta perfeitamente a mão do usuário, sempre será leve para o portador tornando seu manuseio ainda mais fácil, inscrições de grego antigo adornam a arma, e se alguém for atingido duas vezes seguidas pela espada o terceiro golpe será ainda mais letal, a arma dobra a força e o peso, e ao atingir o corpo causa cortes mais profundos). Escudo refletor: Aparentemente um escudo/espelho (Ao ser ativado surge na frente do corpo do semideus, quando ativo o escudo é capaz de proteger qualquer ataque mental desferido contra o portador da arma, tais ataques serão refletidos e retornam a pessoa que lançou, o escudo não protege ataques físicos, apenas mentais). Quando inativo volta a ser a corrente. | Arco e flecha: +15% de dano; Espada: +15% de dano nos dois primeiros golpes e +30% em um terceiro golpe; Escudo: Confere imunidade à magia e redução de dano de outros ataques. | Prata lunar. | Sem espaço para gemas. | Alfa. | Status 100%, sem danos. | Mágico. | Nível 5 | TV Hefesto - A Roleta do Azar.]

+ Caixa grande de ambrósia (18 cubos)

• Cupid Ring [ Um anel de ouro com um pequeno rubi incrustado, de um lado do rubi é possível ver a runa Raidho, enquanto do outro lado é possível ver Thurisaz. Na parte interna das alianças há a frase "Lembre-se do perigo de onde viemos" e as iniciais de Hela Deverich logo após o fim da frase. | Traz proteção a quem usa pelo fato de possuir a runa Thurisaz e faz com que o casal que a usa possua uma forte ligação. | Ouro e rubi | Sem espaço para gemas| Beta | Status 100%, sem danos | Mágica | Loja de Afrodite, encantadas por Hela A. Deverich]

• Mørk [ Aros feitos de ouro branco com três pequenas ametistas incrustadas no centro onde, ao lado das pedras, é possível ver entalhes da serpente Jörmungandr à direita e de um trevo de quatro folhas à esquerda (representando o lado nórdico de Hela e o lado cigano de Pipper), na parte interna das alianças encontra-se gravado apenas os nomes das jovens em uma caligrafia fina e delicada. | As alianças permitem que as semideusas tenham uma ligação mental, podendo se comunicar por pensamentos independente de onde se encontram e também podem alertar quando uma das duas se encontra em iminente perigo, dando a chance de que uma vá ao socorro da outra. | Ouro Branco e Ametista | Hela e Pipper ]
Poderes:
Ativos:
Feitiço: Dominationes.
Descrição: Qualquer ser presente no local, de nível inferior ao seu, ficará sob seus comandos. Entretanto irá durar apenas três turnos.
Gasto de Mp: - 80 de MP.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Caso seja realizado durante a lua minguante, há uma chance de +30% de que ele funcione corretamente.
Dano: Nenhum.
Extra: Feitiço apenas verbal.
Passivos:
Nível 1
Nome do poder: Bom Magico I
Descrição: O semideus tem certa habilidade com magia, e aprende com muita facilidade conforme se desenvolve. Nesse nível, essa habilidade permite que o semideus consiga executar seus feitiços com mais precisão, ganhando uma pontaria melhor, e podendo executa-los com mais facilidade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Ganha 10% de força em seus feitiços (em poderes ativos).
Dano: +5% de dano se os feitiços acertarem.

Nome do poder: Visão Noturna
Descrição: Têm sua íris dilatada, aumentando o foco, e consequentemente a distância a que se pode enxergar. O personagem toma posse da concentração para que consiga perceber se há pessoas no local através de pontos cegos, sendo capazes de detectar inimigos através de suas sombras. A sombra durante a noite, torna o corpo ainda mais vulnerável, e para os filhos de Nyx/Nox ela se tinge de negro no corpo dos inimigos. Assim sendo, quando essa visão está ativa, eles conseguem detectar essa sombra, e rastrear seus inimigos, mesmo que eles estejam invisíveis.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguirão detectar até mesmo inimigos invisíveis, desde que não estejam protegidos por uma magia, ou poder de nível superior ao seu.
Dano: Nenhum

Nível 2
Nome do poder: Escritos antigos
Descrição: O semideus é diretamente ligado a línguas demoníacas antigas, bem como ensinamentos bruxos, o latim – de onde provem boa parte dos feitiços – e simbologia. Podendo traduzi-las e entende-las de forma perfeita, também conseguindo falar com perfeição.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Isso permite ao semideus descobrir novos feitiços e poderes, e inclusive executa-los, se for preciso.
Dano: Nenhum

Nível 3
Nome do poder: Cura Noturna I
Descrição: Ao estar imerso na escuridão, os filhos da deusa podem recuperar energia de forma involuntária. As feridas do semideus se fecham de forma lenta, e apenas cortes pequenos podem se regenerar nesse nível, parte de sua energia também é restaurada. (Pode ser usado uma vez a cada 3 turnos)
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +25 MP e 25 HP
Dano: Nenhum

Nome do poder: Criadora de Poções I
Descrição: A prole da Noite tem certa facilidade em criar e desenvolver poções, mesmo que nesse nível não seja capaz de realizar novos projetos, terá facilidade em preparar poções já existentes, sendo para ela algo totalmente natural.
Gasto de Mp:Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poções feitas por filhos de Nyx/Nox são 10% mais potentes.
Dano: Em caso de venenos, ou poções que causam dano, as poções realizadas por filhos da noite ganham um bônus de +5% de dano.

Nível 4
Nome do poder: Pericia com Cajados I
Descrição: Por serem feitiços experientes, e magia correr no sangue do filho de Nyx/Nox com uma força imprescindível, acabam se tornando bons em magia, e o cajado em suas armas pode ser uma arma perfeita. Além de contribuírem com a Furicoção de seus feitiços, também podem ser usados como arma, e ao empunha-la, o filho de Nyx/Nox se sente ainda mais forte.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +35% de assertividade ao lutar com essa arma. O semideus que usar o cajado para executar o feitiço pode reduzir o gasto da MP pela metade. Exemplo, se executar um feitiço que gasta 10 MP, e usar o cajado para fazê-lo, então o gasto será apenas de 5 MP.
Dano: +5% de dano se forem atingidos por feitiços do cajado do semideus, ou pela arma (se usada dessa maneira).

Nível 5
Nome do poder: Proteção
Descrição: Nyx/Nox é uma mãe zelosa quando se trata dos filhos, e concede a eles uma proteção invejável. Seus corpos tem um escudo e resistência natural, que impede criaturas, e espíritos malignos, bem como demônios, de tomarem seu corpo e sua mente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Qualquer criatura que tentar violar o corpo do filho de Nyx/Nox de maneira baixa, será expulso, e terá uma parte da alma machucada.
Dano: 10% de dano na barra de HP (retirado do total), da criatura que tentar violar o corpo do filho de Nyx/Nox.

Nível 6
Nome do poder: Aliado da Noite
Descrição: Quando lutam durante a noite os filhos de Nyx/Nox ganham uma força extra de campo, que permite que suas habilidades sejam aprimoradas de uma maneira surpreendente. Os atributos de força, agilidade, esquiva, e velocidade, são melhorados.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +25% de força, velocidade, agilidade, e esquiva.
Dano: Nenhum

Nível 8
Nome do poder: Pericia com Laminas I
Descrição: Há boatos de Nyx/Nox era uma ótima dominadora de laminas. Seus filhos não ficam para trás, sabem manusear qualquer lamina de forma surpreendente. Nesse nível aprendem a manusear facas, adagas e espadas curtas de uma forma que causa inveja em outros semideuses, são mais assertivos e furtivos, rápidos e dominadores, podendo acertar seu manejo de uma forma impressionante.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +35% de assertividade no manuseio de laminas (adagas, espadas, lanças, e etc).
Dano: +20% de dano se o oponente for acertado pela arma do semideus.

Nível 9
Nome do poder: Bom Magico II
Descrição: Você está se tornando um mago experiente, aprendendo e se desenvolvendo de forma perfeita, sua magia vem se tornando mais forte, e você cada vez mais inteligente, perspicaz, e bom em compreender os feitiços. Com isso, sua habilidade também ficou mais forte.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Ganha 20% de força em seus feitiços (em poderes ativos).
Dano: +10% de dano se os feitiços acertarem.

Nível 10
Nome do poder: Cura Noturna II
Descrição: Ao estar imerso na escuridão, os filhos da deusa podem recuperar energia de forma involuntária. O processo de cura acelerou, e agora as feridas pequenas fecham em questão de segundas, enquanto as maiores ainda têm um processo de regeneração lenta, e uma parte maior de sua energia retorna ao corpo. (Pode ser usado uma vez a cada 3 turnos)
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +50 MP e 50 HP
Dano: Nenhum

Nível 12
Nome do poder: Pericia com Cajados II
Descrição: O seu personagem se tornou ainda mais habilidoso, e consegue fazer movimentos únicos, usando o cajado para atacar e se defender. Consegue criar movimentos perfeitos, e se move com uma habilidade impressionante. Os feitiços que você usar com o cajado, além de poderem usa-lo como canalizador de energia.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +70% de assertividade ao lutar com essa arma. O semideus que usar o cajado para executar o feitiço pode reduzir o gasto da MP pela metade. Exemplo, se executar um feitiço que gasta 10 MP, e usar o cajado para fazê-lo, então o gasto será apenas de 5 MP.
Dano: +15% de dano se forem atingidos por feitiços do cajado do semideus, ou pela arma (se usada dessa maneira).

Nível 14
Nome do poder: Imunidade Noturna
Descrição: À noite o corpo do filho de Nyx/Nox fica mais resistente a ataques que envolvam venenos, magias e ataques mentais que envolvam sua fisiologia e psicologia (habilidade que deixam tonto, paralisados, com medo, que obedeça a outros e etc.). Esse poder não funciona durante o dia.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Ataques relacionados a veneno, magia, ataques mentais, ou etc, terão o dano reduzido em 50% durante a noite. Não funciona durante o dia.
Dano: Nenhum

Nível 15
Nome do poder: Pericia com Laminas II
Descrição: Conforme o treinamento do semideus evoluiu, sua precisão com laminas se tornou ainda mais evidente. Agora, outros tipos de laminas também se tornam perfeitas em suas mãos, e mesmo sem nunca ter manejado essa arma, terá certa facilidade em lutar com elas. Espadas longas e lanças, podem virar armas tão mortais em suas mãos, que é melhor seus inimigos se afastarem.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +70% de assertividade no manuseio de laminas (adagas, espadas, lanças, e etc).
Dano: +35% de dano se o oponente for acertado pela arma do semideus.

Nível 16
Nome do poder: Bom Magico III
Descrição: Mágicos menos experientes deveriam temer você. Sua magia vem ficando mais forte, ou você não notou que seus feitiços têm adquirido um dano dobrado? É, você é um semideus realmente surpreendente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Ganha 30% de força em seus feitiços (em poderes ativos).
Dano: +15% de dano se os feitiços acertarem.

Nível 18
Nome do poder: Pericia com Cajados III
Descrição: Os filhos da deusa da noite se tornaram feiticeiros invejados, suas magicas se tornaram fortes, e ao usar o cajado consegue canalizar a energia com uma impressionante resistência, podendo reduzir o gasto da energia corporal, e canaliza-la na natureza.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +100% de assertividade ao lutar com essa arma. O semideus que usar o cajado para executar o feitiço pode reduzir o gasto da MP pela metade. Exemplo, se executar um feitiço que gasta 10 MP, e usar o cajado para fazê-lo, então o gasto será apenas de 5 MP.
Dano: +20% de dano se forem atingidos por feitiços do cajado do semideus, ou pela arma (se usada dessa maneira).

Nível 21
Nome do poder: Premonição
Descrição: Quando o filho de Nyx/Nox está correndo algum risco de serem atacados ou mortos de surpresa, eles têm uma premonição, um sentimento de perigo sobre o que irá acontecer. Este sentimento o alerta e pode mantê-lo vivo, pois, permite ao personagem antecipar durante um único turno – de sua escolha – o movimento do inimigo, e bloqueá-lo. (Só pode ser usado uma vez por missão, luta ou evento).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode afirmar os movimentos do adversário durante um único turno, podendo bloqueá-los nesse mesmo turno.
Dano: Nenhum.

Nível 24
Nome do poder: Criadora de Poções II
Descrição: O semideus aprende a criar e desenvolver poções próprias, estudando com afinco e aprendendo a divisão de ingredientes, suas propriedades e magnitudes, podendo criar coisas mais fortes, únicas e realmente poderosas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poções feitas por filhos de Nyx/Nox são 20% mais potentes.
Dano: Em caso de venenos, ou poções que causam dano, as poções realizadas por filhos de Nyx/Nox ganham um bônus de +15% de dano.

Nível 30
Nome do poder: Bom Magico IV
Descrição: Nyx/Nox sempre foi temida, seus filhos não são diferentes. Como mágicos experientes, conforme se desenvolvem, também adquirem a capacidade de sua mãe, podendo conseguir realizar feitiços mais fortes do que qualquer outro semideus, superando-os de uma maneira impressionante. Seus feitiços são precisos e certeiros, e o semideus com toda certeza se tornou um feiticeiro experiente em magia.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Ganha 40% de força em seus feitiços (em poderes ativos).
Dano: +20% de dano se os feitiços acertarem

Nível 32
Nome do poder: Imunidade abaixo de 0º
Descrição: Por mais que os semideuses estejam em algum lugar em que o clima esteja abaixo de zero, eles não são afetados, sentem frio, mas não chegam a ser afetados como os filhos de outros deuses, acostumando-se com facilidade as mudanças bruscas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: A mudança brusca de temperatura não o afeta tanto
Dano: Nenhum

Nível 40
Nome do poder: Cura Noturna III
Descrição: A noite se tornou uma grande aliada d filho de Nyx/Nox, e agora além de conseguir ajudá-lo a se curar rapidamente, fechar feridas, ainda lhe restaura uma boa parte de sua energia em questão de segundos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +75 MP e 75 HP
Dano: Nenhum

Nível 50
Nome do poder: Imunidade Negra
Descrição: Quando lutar com outro mago durante a noite, se o nível do mago for inferior, ou igual ao seu, qualquer feitiço executado por não surtira efeito. Agora, se o mago que lutar com você for mais forte, mais experiente, os feitiços serão apenas reduzidos no impacto.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Qualquer feitiço desferido contra o filho de Nyx/Nox durante a noite, terá o efeito reduzido em 50%. Por exemplo, se o ataque gera um dano de 60 HP a menos na barra, no filho de Nyx/Nox, só teria um dano de 30 HP.
Dano: Nenhum

Nível 60
Nome do poder: Absorção
Descrição: Esse poder permite ao filho da deusa da noite, se apoderar de um feitiço do adversário com seu cajado. O filho de Nyx/Nox absorve o feitiço lançado contra ele usando o cajado (precisa estar na posse de um), impedindo o feitiço de acerta-lo. Só pode ser usado uma vez a cada 3 turnos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: O feitiço vai para dentro do cajado, e se combinado com o poder lançamento, poderá mandar o feitiço de volta para quem o lançou, com a mesma intensidade.
Dano: Nenhum

Nível 70
Nome do poder: Cura Noturna IV
Descrição: Ao estar imerso na escuridão, os filhos da deusa podem recuperar energia de forma involuntária. Feridas pequenas, e cortes superficiais agora se fecham completamente, feridas fundas se tornam cicatrizes, e grande parte de sua energia é restaurada, permitindo que o semideus fique forte novamente. (Pode ser usado uma vez a cada 3 turnos).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +100 MP e 100 HP
Dano: Nenhum


the night
"We carry all of the power we need inside ourselves already."

avatar
Kang Pipper
Lider de Nyx
Lider de Nyx

Mensagens : 615

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Mistério da lua Minguante

Mensagem por Hela A. Deverich em Seg Jan 15, 2018 10:52 am

Like the stars miss the sun in the night sky
 ʤ  listening good night with Pipper  ʤ words: 1910  ʤ


Hela tinha que, costumeiramente, burlar as regras do Acampamento.

Não importava se era noite e se havia um toque de recolher, quase sempre a líder dos necromantes abandonava suas tarefas e partia em direção à floresta com seus necromantes, para treinos noturnos secretos e reuniões. Ou então, apenas escapava para o chalé dos curandeiros para cumprir o que prometera à Ezra: lhe ensinar como dominar certas poções e magias. Mesmo que ele fosse cria da Noite, ele costumava causar alguns acidentes – as mãos de Hela, feridas e chamuscadas, eram as maiores provas de seu desastre –.

Então, era só uma noite comum o fato de que a necromante estava sentada à escrivaninha com um livro de rituais, analisando as runas e ingredientes quando batidas pesadas demais e ritmadas demais para pertencerem às Harpias soaram na madeira escura. Hela olhou para Adélia, com quem dividia aquele quarto, e segurou no cabo da faca de ouro imperial, sem se importar de fato com o que vestia: um short de algodão de coelhinhos e uma regata, do mesmo tecido, branca.

Abriu a porta, dando de cara com Quíron e agradeceu mentalmente aos deuses por estar – ao menos – no chalé naquela noite. A semideusa ouviu tudo em silêncio, suspirando exasperada e mordeu o canto do inferior, hesitando por um minuto em aceitar. Como ela poderia ficar na presença de uma deusa virgem? Logo ela. Mas por fim, Quíron explicou que a escolhera por saber que estaria acordada e ela concordou.

Se vestiu e armou-se com o suficiente antes de avisar Adélia que sairia sem saber quando – ou se – retornava. Passou pelo quarto das trigêmeas – ocupado apenas por duas delas agora – e as observou, pedindo para que elas se mantivessem juntas e auxiliassem os outros em qualquer coisa que ocorresse.

No fim, ela estava acompanhando Quíron pela trilha de chalés, até parar na porta do familiar chalé de Nyx e vê-lo bater. Ouviu as mesmas palavras proferidas para si e observou a mais nova com calma, sorrindo gentilmente de forma discreta, antes que ela fechasse a porta e fosse se aprontar.

Hela se encostou na parede, brincando com a aliança em seu dedo e riu um pouco para a namorada quando a mesma apareceu na porta outra vez, agora devidamente vestida e com armas no lugar – embora Hela só pudesse ver a espada –. Segurou na mão da mais nova, enquanto caminhavam. – Acha chamativo se formos com um dragão?

Sorriu levemente ao que Pipper concordou e caminhou com a menina em direção ao dragão, que se encontrava atrás do chalé dos necromantes. Acariciou a cabeça do lagarto gigante, vendo-o bufar. Mas bastou um olhar mais duro de Hela para que ele se colocasse de pé. – Ele era um filhote. Estava no chalé de Érebus quando eu cheguei. Acho que eram três ovos, duas das trigêmeas já cuidavam de dois outros. E ele estava... abandonado. – Ajudou Pipper a subir e riu ao ouvi-la falar de Leo. – Keera, o corvo, gosta de me encher. É o passatempo favorito dele.

Subiu logo atrás da menina, envolvendo a cintura da mesma com o braço direito enquanto se segurou no dragão com a outra mão e firmou o corpo com as pernas. – Brontë. Vamos para Nova Iorque. – disse com firmeza ao dragão que logo começou a bater as asas e erguer voo, quase tão alto quanto as estrelas. Ele provavelmente se misturaria com o céu noturno.

Hela pensou um pouco ao ouvir a voz da namorada. – Acho que a deusa deve ter surtado. Sempre chamam ajuda quando alguém surta. Mas deve ter sido algo que exige que as caçadoras tomem conta da deusa. – disse alto o suficiente para ser ouvida acima do vento que cortava a distância mínima entre elas.

Estava frio, Hela podia sentir os próprios dedos bastante dormentes ao redor do pescoço do dragão. Olhava para baixo, contrariando o enjoo e vertigem, na esperança de notar algo que lhes fosse interessante. – E você? O que acha que foi?

Hela não discutiu quanto a teoria da namorada, discretamente a puxando para mais junto de si. Suspeitava que não era a única com problemas em estar no alto – embora, evidentemente, Hela pudesse camuflar – a menina suspirou de forma pesada ao notar pontos meio esbranquiçados. – Brontë! Desça! – ordenou ao lagarto alado.

Ele descia aos poucos, causando certo incômodo no baixo ventre de Hela. A menina desceu do dragão com Pipper e entrelaçou os dedos aos da mesma. Notou que algumas caçadoras as olhavam – ou ao dragão – em evidente curiosidade. – Bem. O que houve? – Hela se pronunciou. Calma e séria como sempre.

Surpreendentemente, uma menina de não mais que sete anos (talvez menos) saiu saltitando de entre o círculo de garotas. – Ai meu Zeus... – Hela começou, abrindo a boca em um “o”. – Lady Ártemis?

Viu Pipper se aproximar da deusa e olhou para as garotas, questionando se era mesmo uma boa ideia deixar Pipper tão próxima da deusa. As jovens assentiram e Hela seguiu pouco mais atrás da namorada e da miniatura de deusa, que entupia sua menina de doces. Hela já até suspeitava do que aquilo faria com a hiperatividade da namorada.

Hela olhou a imensa quantidade de papeis que pequena Ártemis depositou para Pipper ver e riu um pouco, recebendo um olhar duro das caçadoras. Voltou a assumir a postura séria bem a tempo de Pipper não notar o risinho que dera anteriormente. – Ficaram bons. – Contemplou os desenhos ao se aproximar. – Parece uma constelação específica.  – Disse em seguida ao comentário da caçadora morena.

A deusa colocou suas mãozinhas no quadril de Hela para chamar sua atenção. – Ursa maior! – ela falou com convicção. – Gosta dela? – a mais velha questionou e ela assentiu. – Eu gosto, mas... – disse com voz de choro, fazendo um bico que Hela perfeitamente conhecia como uma expressão de choro. – E se você me mostrar ela, hm? Lá no céu... – olhou Pipper pelo canto dos olhos, em evidente confusão.

Foi como se Hela tivesse lhe dado um beliscão. A menina irrompeu em um choro copioso e sentindo enquanto Hela lhe afagava a cabeça em evidente transtorno. Já cuidara de crianças antes, mas nenhuma delas era uma deusa imortal e extremamente poderosa.

Pipper se retirou e as caçadoras começaram a rodear ambas, parecendo receosas em tocar em deusa naquele estado de choro. A mais velha se abaixou, afastando Ártemis suavemente. – Ei, não precisa chorar. Está tudo bem... vamos achar seu ursinho, hm? – pegou alguns doces dentro do bolso do casaco.

Como fumante, Hela sempre andava com balas, jujubas e chicletes de menta no bolso. Ajudava a menina a se livrar do odor de nicotina. – Olha, coma essas balinhas que eu vou ajudar Pipper a procurar seu urso. – Ela respirou fundo mais de uma vez, como se tentasse realmente parar de chorar. – Vai ficar tudo bem... – disse com delicadeza, colocando uma mecha dos cabelos castanhos claros atrás da orelha da garotinha.

Hela olhou para Pipper e se colocou de pé, respirando fundo. Observou Pipper com certa dúvida se podiam mesmo fazer aquilo. – Acho que elas estarão por perto. Elas devem estar tentando vir atrás de Ártemis. Ou... – bufou, não fazia ideia, apenas saiu da barraca, olhando o céu. – Brontë. – Chamou o dragão com um tom firme. – Se vir alguma estrela, qualquer estrela, prenda-a.

Hela puxou a espada, assentindo para Pipper ao entrelaçar os dedos aos da menina. Aquela situação toda era muito bizarra. Artemis criança, caçadoras tendo de pedir ajuda e constelações desaparecidas?

Acha que elas tomaram a forma dos animais que elas são. ㅡ concordou com a namorada, meio vagamente. Ela começou a passar na cabeça os desenhos que havia visto nas mãos de Pipper. ㅡ Eu não conheço muito de estrelas... mas... olha quem são nossas mães. Devemos ter algum tipo de sexto sentido maluco... ㅡ disse em divagação. Duvidava muito que Pipper ouvira aquele sussurro.

Começou a pensar. Repassando mentalmente tudo que poderia fazer para obrigar as estrelas a se revelarem. Passou os dentes pelo inferior tantas vezes que sentiu o gosto de sangue em sua boca. ㅡ Podemos pedir ajuda? Quer dizer... há mais deusas que entendem da noite além da sua mãe e de Ártemis. ㅡ sugeriu, tentando pensar em alguma coisa. ㅡ Não tenho um feitiço ou coisa do tipo que possa nos ajudar. E eu só detecto magia. A menos que elas sejam mágicas...

Hela até tentou realizar o mini ritual, cortou sua mão com a lâmina e pingou o sangue antes de atear fogo no desenho de Ártemis. Não tinha certeza se aquilo funcionaria direito. Mas então, uma visão tomou conta de sua mente, fazendo seu corpo congelar. Não tinha nada a ver com o ritual. Era só sua clarevidência se pronunciando.

Arfou, olhando para Pipper quando voltou a si. – A resposta está nos olhos! – disse com certa convicção. – Os olhos deles não escondem que eles são estrelas. – Murmurou para a namorada que a seguia. Hela sequer notara que haviam voltado a andar.

Ingeriu o cubo de ambrósia e balançou a cabeça duas ou três vezes antes de apertar os lábios em uma linha fina, vendo uma figura grande, ainda que parcialmente obstruída pela vegetação parcialmente rasteira que tomava conta da floresta de tal cidade.

Ouviu os sons estranhos e continuou avançando. Talvez por imprudência. Sequer checou se Pipper a seguia. Talvez fosse melhor que não, mas ainda assim, ela não desejava enfrentar constelações sozinha. Virou-se para a namorada quando viu o urso e o cachorro. – Posso prendê-los. Mas como os levamos para Lady Ártemis? – questionou a menor.

Os seres se prepararam para atacar e a necromante mordeu a parte interna da bochecha, fazendo com que as sombras crescessem sorrateiramente ao redor de ambos até que eles estivessem em uma espécie de caixa sombria e sólida. – E agora? O que fazemos?

Hela esperou pouco tempo antes que Pipper lhe dissesse o que fazer. Infelizmente, Hela era do tipo que tinha ideias no impulso. Isso até mesmo a incomodava um pouco, às vezes. Assentiu para a garota e cobriu os ouvidos, deixando que as sombras se dissipassem.

Olhou para a mais nova, deixando que ela comandasse a situação, mantinha-se ao lado da mesma, com a guarda alta para lidar com qualquer imprevisto, ao mesmo tempo, mantinha a destra às costas da menina, guiando-a de volta até a tenda da deusa lunar. Podia ver o esforço que a mais jovem fazia e tinha vontade de tomar o lugar dela para aliviar seu fardo. Mas não era possível.

Hela não possuía aquele tipo de magia, então tinha de se contentar em incentivar a garota com algumas palavras e a promessa de que, mais tarde, poderiam aproveitar que estavam fora do Acampamento e andar por aí, descansar um pouco e até mesmo – talvez – comer em algum lugar diferente.

Quando chegaram ao Acampamento, Ártemis logo assumiu uma forma mais velha e com um simples estalar de dedos enviou-os de volta ao céu. Hela jogou a espada no chão e passou os braços ao redor da cintura da mais nova, puxando-a para perto de si quando ela fraquejou um pouco. – Acabou... você está bem. – Murmurou com evidente preocupação. A mesma precisaria descansar.

Ártemis acenou com a cabeça, indicando que poderiam ir e Hela fez uma mesura com a cabeça, cumprimentando a deusa em despedida. Aceitou a ajuda de uma das caçadoras para guardar a espada e pegou Pipper no colo, vendo o dragão pousar. – Acho melhor deixar o passeio para outra hora. – Colocou-a no dorso do animal, subindo em seguida e pegou um doce no bolso da jaqueta, dando para a mesma comer. – Isso deve ajudar você a se sentir melhor, pequena.

Duplicador.:

Nome: Pacote intermediário de Dracmas - Nível 3
Descrição: Por 2 meses em OFF, todo ganho de dracmas do semideus é duplicado. Válido até 05/02/2018
Itens levados.:

No corpo:

+ Colar de contas do Acampamento.

• Arsenal [Anel brilhante com uma pedra preciosa, esbranquiçada e minúscula em seu centro | Aço | . Possui o efeito de alterar uma arma, mudando assim sua forma, detalhes, e qualquer outra coisa que o portador desejar, desde que as alterações sejam apenas físicas. Ou seja, utilizando o efeito do anel, é possível transformar uma lança em uma espada ou faca, ou qualquer outro item de ataque. Um escudo circular pode ser transformado em um broquel, ou um escudo de corpo. Os materiais dos itens podem ser alterados, mas seus efeitos sempre serão os mesmos (exemplo: uma espada elétrica ainda causaria dano por eletricidade se transformada em uma lança) | Não possui espaços para gemas | Comum | Resistência: Sigma | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja ].

• Cupid Ring [Um anel de ouro com um fino fio vermelho cortando o centro do aro, na parte interna das alianças há a frase "A mais doce das minhas memórias" e as iniciais de Kang Pipper logo após o fim da frase. Possui Thurisaz e Raidho gravadas uma ao lado da outra. | Traz proteção a quem usa pelo fato de possuir a runa Thurisaz e faz com que o casal que a usa possua uma forte ligação. | Ouro | Sem espaço para gemas| Beta | Status 100%, sem danos | Mágica  | Loja de Afrodite, encantadas por Hela A. Deverich]

• Mørk [ Aros feitos de ouro branco com três pequenas ametistas incrustadas no centro onde, ao lado das pedras, é possível ver entalhes da serpente Jörmungandr à direita e de um trevo de quatro folhas à esquerda (representando o lado nórdico de Hela e o lado cigano de Pipper), na parte interna das alianças encontra-se gravado apenas os nomes das jovens em uma caligrafia fina e delicada. | As alianças permitem que as semideusas tenham uma ligação mental, podendo se comunicar por pensamentos independente de onde se encontram e também podem alertar quando uma das duas se encontra em iminente perigo, dando a chance de que uma vá ao socorro da outra. | Ouro Branco e Ametista | Hela e Pipper ]

• Vooke, Sword of the Dark Lord [Uma espada que se ajusta perfeitamente a seu portador. Essa espada feita de darkanium, o minério primordial, que pode ser dificilmente encontrado em alguns locais do submundo, tem uma aparência semelhante ao aço, sendo reluzente e completamente polido. Tem inscrições simples, com os dizeres: "Sword of the Dark Lord", em filetes de ouro, pois pertenceu ao próprio Érebus, passando de mão em mão entre seus filhos, como uma herança. Seu tamanho é ajustável, enquanto transita entre um tamanho e outro, sombras parecem se solidificar ou evaporar do metal. No lugar de um pomo comum, encontra-se um diamante gigantesco encrustado no local, que emite um brilho vermelho quando os poderes da espada são ativados. | Ajuste: A espada é ajustável a qualquer tamanho que o portador desejar, podendo se conter a milímetros, como até mesmo três metros limite; Bainha: Sua bainha se ajusta assim como a espada, quando juntas, a bainha de ouro da espada faz com que todo seu peso seja praticamente reduzido a zero, ficando extremamente leve de carregar; Vooke: A verdadeira magia da arma, enquanto o portador segurar a arma, todo seu gasto de mana com poderes de trevas são reduzidos pela metade e todos seus danos por estes mesmos poderes são dobrados. | Darkanium | Possível remover o diamante para adicionar uma gema | Alfa Prime | 100% de Status | Lendária | Requisitos: Conhecimentos sobre as trevas e nível 30 | Despojo de Guerra por derrotar o Espírito de Trevas]

• Mochila sem fundo [Mochila de prata com material simples, sem bolsos laterais, com um único zíper, uma única entrada e uma única saída.| A mochila não possui fundo, foi encantada para caber inúmeros objetos, ou seja, seu espaço é infinito, tudo que você colocar dentro dela permanece ali, desde que passe pela parte de cima, ou seja, você precisa conseguir colocar o item pelo buraco, que é largo o suficiente para passar até uma panela de pressão. Para pegar o item de volta basta colocar a mão dentro da mochila e pensar nele, e ele retorna para suas mãos.| Indefinido | Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos |Lendário e mágico | Loja especial do dia dos namorados]

Na mochila:

Consumíveis:
+ Pastilha restauradora: Uma cartela de prata com 8 pastilhas presas. Possuem uma coloração dourada bem clara, e emitem um brilho esbranquiçado que aparenta ter um conteúdo duvidoso, quando na verdade faz o inverso. As balinhas contidas nessa cartela tem propriedades restauradora, que faz com que o semideus que ingerir a balinha recupera 20 de HP e 20 de MP em sua barra instantaneamente. Em contrapartida, não é possível ingerir mais de duas balas por vez, ou as pastilhas terão um efeito reverso, fazendo o semideus perder HP e MP, ao invés de recuperar. | Usos: 2/10 (presente de Zeus)

+ Poção de cura: Serve para regeneração rápida, qualquer ferida, ou veneno ingerido pelo semideus, será curado pela poção, e além disso, a poção ainda recupera 50% do seu MP/HP. (Só pode ser usada uma única vez).

+ Pó Dourado: Pó mais comum entre as fadas, é o que permite as fadas darem vida a coisas ou fazer um objeto, pessoa voar. O pozinho ainda tem outros tipos de magia, faz plantas crescerem mais rápido, deixa uma fruta podre nova de novo, pode deixar alguém feliz, é feito de magia boa e pode ainda ter propriedades de cura. (saquinho para três magias)

+ Pílulas de Energia [Uma caixinha com 3 pastilhas esverdeadas com gostinho de abacaxi. Uma pílula dessas ingerida serve para reanimar o semideus completamente, o mantendo acordado por mais 48 horas, e restaurando suas energias em 100%, ou seja, a força, a agitação será tudo renovada, e o cansaço desaparecera por completo do corpo | Resistência: Sigma | Status 100%, sem danos | Mágico | Encantado por Pandora]

+ Presa: Um frasco de liquido verde borbulhante. Quem bebe desse líquido terá presas de vampiro durante dois dias inteiros. (Contém o suficiente para uma magia). [x2]

+ Pão de Mel [ É um pequeno pão de mel recheado com Néctar | Ao consumi-lo, o personagem recupera automaticamente 50 MP. | Usável durante a batalha, uso único, some após ser ingerido | Mágico | Evento, cidade dos monstros. ] (x4) [Um (1) foi dado à Pipper no final da narrativa.]

+ Bombom de Morango [ Pequeno bombom de chocolate, recheado com morango, Néctar e Ambrosia | Ao consumi-lo, o personagem recupera automaticamente 100 MP e 100 HP. | Não usável durante a batalha, uso único, some após ser ingerido | Mágico | Evento, cidade dos monstros. ] (x2)
Poderes e Habilidades:

Poderes dos Necromantes:

Poderes passivos:

Nível 2
Nome do poder: Desavenças Naturais  
Descrição: Como Necromante de Érebus você nutre certa desavença por filhos de Hades, Zeus e Nyx. Pois tais Deuses foram os responsáveis por prender Érebus no tártaro – apesar de Nyx ser irmã gêmea e esposa de tal Deus primordial. Vale ressaltar que o sentimento de implicar e/ou tirar sarro existe, mas cabe ao semideus segui-lo ou não.  
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
Extra: Nenhum.

Nível 5
Nome do poder: Desejo de Vingança.
Descrição: Movidos pelo desejo de vingança do próprio Érebus, os semideuses são capazes de nutrir profundas desavenças com os filhos de Nyx. Muitas vezes tal raiva e desejo de vingar não possuem motivos sólidos. Vale ressaltar que o sentimento de implicar e/ou tirar sarro existe, mas cabe ao semideus segui-lo ou não.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
Extra: Nenhum.

Nível 7
Nome do poder: Sensibilidade II
Descrição: Em tal nível o semideus é capaz de, em contanto com a escuridão, sentir os sentimentos daqueles que o rodeiam (incluindo monstros capazes de sentir e Deuses). Torna possível também que, o semideus consiga visualizar, por alguns segundos, quais sentimentos serão sentidos em um futuro proximo de um minuto. Porém cabe ao narrador determinar as limitações do poder.  
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

Nome do poder: Cura Sombria.
Descrição: Ao entrar em contato com as sombras (é necessário um ambiente escuro, como um quarto durante a noite etc) automaticamente os necromantes sentem-se melhor, passando ter o corpo curado. Porém em tal nível é impossível curar ferimentos grandes ou cortes profundos. É necessário ressaltas que sombras criadas pelo próprio semideus não irão cura-lo. +10 hp por turno.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

Nível 8
Nome do poder: Controle Emocional.
Descrição: O semideus torna-se capaz de colocar as próprias emoções sobre controle, principalmente com a chegada da noite, entretanto tal poder ainda é bastante descontrolado. Isso, no entanto, não significa que o semideus irá esconder as emoções. Apenas irá controlar o medo que sente, por exemplo.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

Nível 9
Nome do poder: Domínios Inimigos
Descrição: Com a chegada da noite terrestre os Necromantes de Érebus sentem-se constantemente observados e desconfortáveis, apesar da escuridão. Pois trata-se dos domínios de Nyx.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

Nome do poder: Fraqueza imunológica
Descrição: O sistema imunológico dos necromantes é resistente, de maneira que, caso envenenados, o efeito será retardado. Entretanto toxinas mais fortes irão derruba-los da mesma maneira e rapidez.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum

Nível 12
Nome do poder: Ocultação
Descrição: Em situações onde o semideus se sente ameaçado ele torna-se capaz de ocultar as próprias emoções, como o vazio.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Sua presença ainda poderá se sentida, entretanto suas emoções não serão desvendadas.

Nível 15
Nome do poder: Olhos dos Cosmo III
Descrição: Os Necromantes de Érebus já não são afetados visualmente por explosões de porte grande ou exposição dos atros (tais como Lua, Sol). Porém apenas seus olhos não se afetam, já que os poderes relacionados as sombras são reduzidos na presença de astros luminosos.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

Nível 18
Nome do poder: Ponto Fraco II.
Descrição: O necromante é capaz de, ao entrar numa batalha durante a escuridão, conseguir identificar possíveis pontos fracos do seu inimigo. Em tal nível o semideus consegue identificar possíveis três pontos fracos.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

Nível 20
Nome do poder: Trucidar
Descrição: Ao entrar numa batalha o necromante se torna capaz de lidar com danos físicos com uma facilidade maior, aguentando determinados danos sem se desviar do seu foco.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

Nível 23
Nome do poder: Benção da Escuridão.
Descrição: Quando o necromante está no mais completo breu sua força e velocidade são melhorados.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +15% em força e velocidade.
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

Nível 25
Nome do poder: Perícia com Foice e Correntes VIII.
Descrição: Os Necromantes de Érebus possuem uma facilidade natural com o manejo de tais armas, podendo rapidamente usá-las em uma ofensiva quanto na defensiva.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +50% de assertividade no manuseio de Foices e Correntes.
Dano: + 45 de dano ao ser acertado pela arma do semideus, pois a precisão será mais certeira.
Extra: Nenhum.

Nível 27
Nome do poder: Sentidos aguçados II
Descrição: Quando a escuridão é estabelecida o semideus poderá ter seus sentidos (com exceção da visão) aguçados, sentindo cheiros com maior facilidade etc. Entretanto o necromante não irá se tornar um rastreador nato, por exemplo.
Gasto de Mp:
Gasto de Hp:
Bônus: +30% em todos os sentidos.
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

Nível 30
Nome do poder: Respiração Sombria IV
Descrição: O semideus torna-se capaz de suspender a respiração por um longo período de tempo (até quatro horas), porém tal habilidade pode torna-se falha quando o semideus está em domínios além, como o tártaro.
Gasto de Mp: Nenhum..
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

Nível 40
Nome do poder: Visão das trevas IV
Descrição: Em tal nível o filho de Érebus irá conseguir enxergar normalmente na escuridão conseguindo identificar perfeitamente até cem (100) metros. A visão do semideus, mesmo se o mesmo possuir algum problema como miopia, na escuridão ele irá enxergar como se seus olhos fossem perfeitos.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

Nível 45
Nome do poder: Emoções III
Descrição: Quando a escurição é estabelecida os necromantes de Érebus poderão não ser afetados por ataques mentais ou emocionais, entretanto há um risco de falha a depender do estado emocional do necromante.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +30% de Resistência a ataques mentais.
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

Nome do poder: Perícia com Lâminas IV.
Descrição: Nesse nível os afiliados de tal Deus desenvolvem uma pericia com lâminas em geral, independente da arma.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +50% de assertividade no manuseio de lâminas.
Dano: + 50 de dano ao ser acertado pela arma do semideus, pois a precisão será mais certeira.
Extra: Tal poder não pode ser combinado ao poder denominado "Perícia com Foice e Correntes".
Poderes ativos:

Nível 28
Nome do poder: Umbracinese V
Descrição: Em tal nível o semideus poderá invocar um noite, ausente de estrelas, no entanto a mesma irá durar dois turnos. O controle das sombras e escuridão atinge seu máximo.
Gasto de Mp: - 60 de MP (invocação da noite) ou - 40 de MP.  [Apenas fiz as caixas de sombra ao redor das estrelas]
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: - 60 de HP.
Extra: Nenhum.
Poderes de Hécate:

Poderes Passivos:

Nível 1
Nome do poder: Detector de Magia
Descrição: Filhos de Hécate/Trivia sentem quando se aproximam de uma natureza mágica - seja outro filho de Hécate/Trivia, um feiticeiro, item mágico ou criatura que esteja sob o efeito de algum encantamento.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Sempre sabem quando estão na presença de outra pessoa com magia, item, ou monstro.
Dano: Nenhum

Nível 5
Nome do poder: Língua de Cobra
Descrição: O semideus possui certa afinidade com cobras, e eles o respeitam. Ele consegue se comunicar e entender o que as serpentes falam, mas não podem dar ordens, apenas conseguir informações.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Podem extrair conhecimento ou informações ao falar com esses animais.
Dano: Nenhum

Nível 6
Nome do poder: Amante da Lua
Descrição: Durante a noite, o filho de Hécate/Trivia tem seus poderes mágicos aumentados de acordo com a luz da lua, ou seja, quando mais intensa ela for sobre o semideus, mais poderosos seus feitiços serão.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de força em seus feitiços.
Dano: +10% de dano se o feitiço acertar o oponente.

Nível 7
Nome do poder: Comunicação Lupina
Descrição: Tendo como progenitora divina Hécate/Trivia, que tem certo controle sobre os lobos, os filhos desta deusa adquirem o mesmo dom da mãe. Podem comunicar-se mentalmente com eles e até pedirem certos favores. Os animais não lhe obedecem, mas escutam você e podem até ajuda-lo de alguma maneira, pois, lhe respeitam.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Podem lhe dar informações ou realizar pequenos favores se forem convencidos.
Dano: Nenhum

Nível 8
Nome do poder: Sensitivo
Descrição: Os filhos de Hécate/Trivia são bastante sensitivos e possuem a capacidade de ler auras e emoções, estas se manifestam através de seus olhos que mudam de cor de acordo com quem se está lendo.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 9
Nome do poder: Olhos Noturnos
Descrição: Os filhos de Hécate/Trivia enxergam tão bem no escuro quanto de dia, a noite não incomoda sua visão de fato, portanto, desde que a escuridão ao redor não seja algo magico, ou com efeito de cegueira e etc, o filho da deusa da magia irá continuar vendo normalmente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: A escuridão normal não afeta a visão da prole da magia.
Dano: Nenhum

Nível 15
Nome do poder: Descendente da Magia III
Descrição: Você andou praticando? O resultado do seu esforço e do seu treinamento lhe fizeram um feiticeiro experiente, e agora sua magia além de ter ficado mais forte, lhe tornou um bruxo experiente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus:  Ganha 20% de força em seus feitiços (em poderes ativos).
Dano: +15% de dano se os feitiços acertarem.

Nível 18
Nome do poder: Resistência a Magia
Descrição: O semideus possui uma resistência a magias de nível igual, ou até dois níveis acima do seu. Ex: Se o filho de Hécate/Trivia estiver no nível 10, níveis abaixo o afetarão menos, ou equivalentes, e pessoas até dois níveis acima dele, no caso nível 12, também terão um efeito menor. Acima disso, o filho de Hécate/Trivia ainda recebera todo o dano.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Qualquer magia ou feitiço lançado contra o filho de Hécate/Trivia, possui um efeito de 50% menor do que em outros semideuses.
Dano: Nenhum

Nível 19
Nome do poder: Cura Noturna III
Descrição: Bastam os raios da lua ou as sombras para que seus ferimentos comecem a se fechar e criarem uma casca preta, como de uma ferida, feitas de pura energia negra, você aprendeu a lidar com elas, e agora as feridas mais fundas se fecham mais rapidamente, e as mais leves se curam por completo. Uma grande parte de sua energia também será restaurada.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +40 HP e +40 MP
Dano: Nenhum

Nível 25
Nome do poder: Olhos multicoloridos.
Descrição: A prole de Hécate/Trivia possui a habilidade natural de modificar a coloração dos olhos de acordo com as emoções sentidas no momento, no entanto, é impossível controlar a coloração por mais que as emoções do semideus estejam controladas naquele momento. Sendo que a coloração base dos olhos de tais semideuses não modificam, no entanto há um brilho correspondente da cor dos olhos da prole.
Azul: Tranquilidade, serenidade e/ou harmonia.
Verde: Esperança, liberdade e/ou saúde.
Amarelo: Luz, calor, inveja e/ou otimismo.
Roxo: Espiritualidade, magia e/ou mistério.
Rosa: Romantismo, ternura e/ou ingenuidade.
Vermelho: Paixão, energia, ódio e/ou excitação.
Laranja: Alegria, vitalidade, prosperidade e/ou sucesso.
Marrom: Seriedade e/ou integridade.
Cinza: Neutralidade e/ou estabilidade.
Branco: Paz e/ou pureza.
Preto: Morte, medo, solidão e/ou isolamento.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: As proles de Hécate/Trivia conhecem o significado, logo apenas outro semideus filho de tal prole poderá identificar seus significados. +5% de dano ao executar feitiços com a coloração roxa nos olhos.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Criadora de Poções I
Descrição: O semideus aprende a criar e desenvolver poções próprias, estudando com afinco e aprendendo a divisão de ingredientes, suas propriedades e magnitudes, podendo criar coisas mais fortes, únicas e realmente poderosas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poções feitas por filhos de Hécate/Trívia são 20% mais potentes.
Dano: Em caso de venenos, ou poções que causam dano, as poções realizadas por filhos de Hécate/Trívia ganham um bônus de +15% de dano.

Nível 30
Nome do poder: Clarevidência III
Descrição: O dom chegou ao seu ápice. Você apenas se sente cansado - desde que o use com moderação - e pode ver de forma mais definida o futuro além de poder voltar para qualquer momento do passado, além de agora exigir apenas plena concentração.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 33
Nome do poder: Pericia com Punhais III
Descrição: Você se tornou um mestre no manejo de punhais, essa arma em suas mãos, não é apenas mortal, mas também perfeita. Você consegue usa-la para diminuir seu gasto de energia, e acertar pontos críticos com ela.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +100% de assertividade no manuseio de punhais. Consegue diminuir o gasto de MP desde que use o punhal para realizar os rituais de sangue. A MP então será reduzida pela metade, sendo que, se o gasto era de 20, gastara apenas 10.
Dano:  +20% de dano se o inimigo for acertado pela arma do semideus.

Nível 50
Nome do poder: Progresso em rituais
Descrição: Magia é poder, e quando envolve rituais de usuários e varinhas, isso fica ainda mais forte. O filho de Hecate/Trivia, trabalha para desenvolver sua magia e fica mais forte, potencializando seus atributos e indo muito além do esperado. Ao desenvolver o progresso de rituais, também consegue realiza-los fora do tempo, isso permite ao semideus conseguir realizar qualquer ritual independente da lua no céu, porém, seus rituais terão uma força diminuída em 50% se forem realizados fora do período equivalente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode realizar rituais fora do período da lua exigido, porém a força do poder é reduzida em 50%.
Dano: Nenhum

Nível 60
Nome do poder: Pericia com Varinhas IV
Descrição: Você se tornou um bruxo poderoso, um feiticeiro impressionante. A varinha sempre foi a arma perfeita para o seu personagem, e agora que sabe disso, pode usa-la com uma precisão impressionante, usando em batalha para atacar e se defender, e ainda lançando feitiços para todos os lados, poupando assim uma grande parte de sua energia.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +100% de assertividade ao lutar com essa arma. O semideus que usar a varinha para executar o feitiço, reduzindo o gasto de MP pela metade, assim sendo, um feitiço que gasta 10 MP para ser realizado, na posse de uma varinha só gastaria 5 MP. (O semideus deverá lançar o feitiço pela varinha, ou o gasto ainda será o mesmo).
Dano: +20% de dano se for acertado pela magia executada pela arma do semideus.
Poderes ativos:

Nenhum.




avatar
Hela A. Deverich
Lider dos Necromantes
Lider dos Necromantes

Mensagens : 811
Idade : 20
Localização : xxx

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Mistério da lua Minguante

Mensagem por Abramov Levitz em Seg Jan 15, 2018 1:14 pm







MAN ON THE MOON
O Mistério da Lua Minguante
Brandon reparou na diferença do posicionamento das estrelas conforme caminhava pela floresta. Para esclarecimento de fatos, o céu encontrava-se quase ausente de astros e um tanto quanto escuro. Não era preciso ninguém lhe contar o que estava acontecendo pois ele mesmo como argonauta podia notar o problema. Como seguidor de Hera, as constelações sempre lhe auxiliaram em combates e lhe guiaram nos momentos em que mais precisava de um rumo ou luz. Então se algo estava afetando-as negativamente ou as incitando a cometer atrocidades, era mais do que seu dever intervir a favor delas. E com toda certeza ele já teria feito isso, não fosse o fato de estar acompanhado de duas caçadoras a caminho do acampamento de Ártemis.

— Honestamente não sei no que ele vai ajudar, podiam ter enviado alguma das filhas de Ares ou até Athena — Sarah, a caçadora filha de Perséfone, comentou quando o rapaz pisou em um galho e fez barulho. — Tá vendo, nem olha onde pisa.

— Poxa, mas também não é para tanto, nem estamos atrás delas ainda — Elisa, a filha de Aurora que era do mesmo grupo da outra, tentou aliviar a clara tensão entre o semideus e sua companheira, não sendo muito efetiva nisso.

— Estranho, não tem rastro de passagem animal por aqui — foi a única coisa que disse, imerso na busca por pistas mesmo não caçando ainda. Não ligava para a hostilidade de suas guias, mais preocupado simplesmente em encontrar as constelações e, de quebra, ajudar a deusa.

— Claro que não tem, os animais estão escondidos em suas tocas com medo do perigo maior. A natureza sempre sente o desequilíbrio — falou como se fosse a coisa mais óbvia do mundo.

— Faz sentido — sua resposta não agradou a comentarista que mais queria uma discussão. Ele podia sentir sua aura agressiva e justamente por isso não lhe daria esse gostinho. — Vocês sempre acampam em florestas densas assim? — dirigiu a questão a Elisa, abaixando levemente o olhar ao se virar para a esquerda por conta da estatura baixa da garota.

— É mais fácil para se camuflar — respondeu meio encabulada, como se não fosse simples manter contato com o jovem adulto. — Às vezes Manu leva a gente para as montanhas de neve, é meu lugar favorito porque dá para ver toda a paisagem aberta do amanhecer lá de cima — não pôde evitar sorrir por conta da lembrança feliz.

— Manu parece mesmo ser uma pessoa legal — acrescentou, lembrando-se da garota pelo evento de resgate do Papai Noel. As feições de não muita concordância da dupla feminina pareceram, como ficou claro, não concordarem com a afirmativa. Vai ver a líder era mais rígida no dia a dia, considerou.

O restante do caminho foi silencioso com os três apenas encarando o chão onde pisavam, em uma trégua muda de não fazer mais sons. Quando enfim alcançaram o acampamento das caçadoras, Brandon se surpreendeu com a simplicidade e tamanho dele. Mais parecia que um grupo pequeno de amigos tinha resolvido parar por ali para passar a noite e logo seguir viagem ao amanhecer. Poucas barracas decoravam o espaço e somente uma fogueira central com fogo baixo iluminava o local. Um pequeno grupo de meninas estava aglomerado ao redor de uma árvore alta e seca com galhos largos e pontudos. Todas elas olhavam para cima e gritavam para que alguém descesse dali ou algo nesse estilo. Bastou o meio-sangue subir o olhar para entender do que se tratava.

— Então aquela é... — preferiu não afirmar nada, com medo de cometer algum equívoco e ser punido.

— Sim, Lady Ártemis. Ou pelo menos uma versão dela — suspirou fundo, nada contente com aquilo mas respeitosa o suficiente para não protestar abertamente.

— Um menino fortão! — a deusa grudou o olhar no trio recém-chegado, saltando igual um leopardo de cima dos galhos e pousando perfeitamente à frente do filho de Zeus. Ela parecia ter no máximo uns cinco anos e as características físicas condiziam com a idade. Por outro lado, sua aura divina ainda era facilmente sentida e isto intimidava. Era como achar graça de algo que não deveria e se sentir culpado por isso.

— H-hey — respondeu meio sem jeito pela criança estar cutucando seus músculos. — Eu vim ajudar — não sabia se podia se abaixar pra falar com ela igual um pai fala com a filha ou não. Então sem querer acabou ficando estático com um sorriso genuíno estampado no rosto.

— Não quero ajuda! Quero brincar de pique-pega — pulou com uma força surreal para dar um tapa na testa do semideus antes de sair correndo pelo acampamento.

As caçadoras saíram correndo em direção à garotinha, como pais desesperados atrás de filhos bagunceiros. Pelo que comentaram, ela estava assim há um tempo já e, não fosse o intervalo de tempo em que voltou ao normal para explicar a situação, jamais teriam ficado sabendo da verdade por trás da confusão. A informação ainda parecia absurda para o argonauta que não conseguia acreditar que alguém detinha poder suficiente para realizar uma façanha daquelas. Imerso em seus pensamentos, nem notava as brincadeiras infantis que a criança fazia com as barracas transformando-as em gatinhos felpudos.

— Precisamos partir logo ou então entraremos mais ainda na madrugada caçando e isso não é bom — ela decretava as ordens com ansiedade, provavelmente temendo perder o posto de líder da expedição para o único homem que, ironicamente, tinha tudo para roubar seu lugar na missão.

— Para onde seguimos então? — arqueou uma das sobrancelhas ao observar Ártemis se recusar a ficar quieta ao longe.

— Uma de nossas irmãs disse que percebeu a alteração do voo das aves mais ao norte. Talvez... — corou um pouco, insegura a respeito de propor aquilo.

— Parece um começo. Podemos? — sorriu de maneira amigável, conquistando a mesma feição por parte de Elisa e uma de desdém provinda de Sarah.

Os três rumaram na direção indicada pela filha de Aurora a passos largos e rápidos. Como caçadoras natas, as duas sabiam como se locomover sem causar alardes e, enquanto caçador abençoado (ironicamente) pela constelação de Cisne, Bran também. Não só isso, ele sabia também como identificar os rastros de monstros e perceber alguns sinais. Aliando isto ao conhecimento das meninas, rapidamente traçaram um padrão nos sinais deixados espalhados pelo norte da floresta de Nova York. Revirando as pegadas puderam perceber que a Ursa Maior estava margeando um rio pequeno, talvez atrás de alguma presa.

Apressado, o trio acelerou ainda mais o ritmo buscando alcançar seu alvo. Quem sabe era a aura mágica intensificada na região por conta da confusão com a Lua, mas o cheiro de semideus era tão forte que juntos acabaram chamando a atenção de algumas criaturas que estavam por perto. A primeira delas foi um cão infernal de tamanho maior que o normal. O cachorro estava literalmente babando de tão sedento pela carne dos semideuses, o que o fez avançar com tudo para cima de Elisa. Porém, antes que ele pudesse ousar causar qualquer dano a ela, Sarah sacou uma adaga da cintura e a arremessou contra sua cabeça.

— Ele foi pela sombra! — gritou o óbvio ao ver o pulguento sumir nas sombras da noite e escapar do ataque.

A filha de Perséfone riu com deboche da constatação óbvia do rapaz e sacou uma espada de tamanho médio que carregava nas costas. Aquele item tinha uma aura estranha de morte, como se tivesse provocado-lhe algumas centenas de vezes no mínimo - e nem todas em situações comuns. Intrigado pela lâmina, o legado de Baco não percebeu quando o cão apareceu em suas costas e desferiu uma patada transversal. O golpe não foi muito forte mas bastou para arrancar filetes de pele e sangue das costas. O "ou" que escapou por entre seus lábios denunciou a posição inimiga e a filha da esposa de Hades se virou com tudo.

— Sarah! — exclamou ao ver a espada da caçadora matar o cão infernal e passar colada pelo tronco de Brandon. Um pouco mais para o lado e ele teria sido atingido também.

— O que foi? Matei o bicho, não era isso para fazer? — estava claro que ela havia feito aquilo de propósito, mas nunca admitiria.

— Tá tudo bem, ela me salvou, né? — ironizou, perdendo a paciência com sua suposta aliada.

A ardência da patada nas costas era incômoda o suficiente para fazer o herói apertar as mãos vez ou outra. Ele dava graças aos céus pela cura sob as estrelas, pois sem ela teria apenas gravado o ferimento. Seja como for, os três continuaram margeando o rio até que encontraram algumas carcaças de animais espalhadas próximas à água. Não havia padrão algum nas mortes o que indicava apenas que a Ursa estava matando por matar. Um comportamento atípico porém não impossível do animal.

"Então elas se comportam como animais normais", ficou reflexivo com aquilo. Imaginava que se as constelações criassem vida, agiriam como símbolos de força e sabedoria e não com comportamento animalesco selvagem. Estava ansioso para encontrá-la e tirar a prova viva do que estava de fato acontecendo, todavia, se viu sem pistas ao alcançar o fim do rio e nada encontrar.

Ela havia partido.

Irritado, o campista avisou que tentaria algo diferente e voou algo. Com os ventos ele foi capaz de superar a altura das árvores pontudas e ter uma visão privilegiada do bosque. Não importava para onde ele olhava, era difícil enxergar algo com clareza por conta da escuridão aliada à densidade da vegetação. Por sorte lembrou-se de uma das habilidades especiais de seu grupo e rapidamente a utilizou. Suas órbitas oculares mudaram de textura e reflexos de vidro as decoraram pelo efeito do poder. Seu olhar mudou de normal para telescópico em questão de segundos e mais rapidamente ainda moveu sua cabeça procurando pelo alvo da missão.

— Bingo — sorriu igual um bobalhão ao encontrar uma agitação nos troncos apertados de uma região. Somente um animal enorme causaria tanto afastamento das árvores assim e, até onde sabia, somente um animal desse porte estava a solta por ali.

Com a resposta que precisavam, ele perdeu altitude para se juntar à equipe e seguir viagem. Sabiam onde ela estava e faltava apenas alcançá-la. Elisa estava inquieta porque já era madrugada com o tanto de tempo que perderam perseguindo os rastros inúteis. Além disso, ela tinha medo do escuro então Brandon precisou manter acesa sua lança o tempo inteiro para iluminar o caminho. Sarah não estava nada contente com aquilo, alegando que estavam apenas denunciando sua posição e de fato estava certa. Somente seu tom arrogante que não transpassou bem seu pensamento e quando menos perceberam já estavam os dois discutindo.

— Qual o seu problema comigo? — questionou enraivecido ao interromper a marcha para confrontar a filha de Perséfone.

— Não é óbvio, semideus? — intensificou o tom na palavra "semideus" propositalmente.

— Eu não pedi para vir nessa missão, não enche — sua paciência havia se esgotado e bastava a garota arrogante testá-lo mais uma vez para ele fazer algo.

— Ah é? Então por que não vai embora? Já sabemos onde ela está, você não é mais necessário — comentou estalando os dedos da mão esquerda.

— Pessoal... — sua voz saiu baixa demais para ser ouvida.

— Claro, depois que consegui a coisa principal da missão é fácil eu ir embora —[/color] bufou, estalando os dedos da mesma mão como afronte.

— Pessoal...— mais uma vez não foi ouvida.

— O principal é levar a Ursa Maior de volta para minha deusa e, adivinhe, NÃO FIZEMOS ISSO AINDA — quando foi empurrar Brandon foi interrompida pelo grito.

— Pessoal! — Elisa gritou apontando para um vulto imenso e escuro vindo de uma árvore.

Os três estavam em uma parte apertada da floresta então o espaço entre eles e as árvores era de no máximo sete metros. O calor da discussão cegou os dois mais velhos e isto lhes custou a percepção do que os espreitava. Um monstro deu um bote sorrateiro e destroçou as árvores do caminho e de quebra empurrou Sarah para longe. Ele mais parecia um dinossauro inseto do que qualquer outra coisa. Sua altura devia passar por pouco dos dois metros e um de seus chifres estava quebrado. Além disso, havia arranhões ao longo de seu corpo e o sangue era fresco e úmido. A equipe de meio-sangues se assustou com o ataque, entretanto, não se tocou de cara que na verdade o bicho estava era fugindo de alguma coisa.

Estando em fuga ou não era um inimigo em potencial e se não fizessem nada apenas morreriam por estarem em seu caminho. Brandon usou a tatuagem para invocar Aegis o terceiro, seu escudo, e ativou o pingente do calor para se armar com a lança. Não obstante, a besta avançou justamente contra a semideus que empurrara previamente. Desarmada, ela não seria capaz de fazer nada e, não fosse a intervenção do jovem adulto, provavelmente teria sido trucidada pela boca raivosa. Um raio veloz e potente parou o avanço do monstro e o deixou estático no mesmo lugar.

— Ei, desgraçado, olha eu aqui — chamou a atenção de seu adversário, lançando o escudo em um arco ascendente que atingiu a cabeça de seu alvo.

A porrada fez com que o troglodita cambaleasse para trás, mas sua resistência parecia ser alta demais para que aquilo bastasse. Irritado, ele usou a cauda para provocar um tremor leve, sendo que na verdade o truque eram as pedras que, como se um dobrador de terra da série Avatar estivesse lutando, subiram para tentar atingir o argonauta. A velocidade com a qual aquilo aconteceu pegou ele de surpresa, impossibilitando uma esquiva apropriada. Quando as rochas bateram em suas canelas, Bran chegou a ficar tonto pela dor. Jurava que tinha quebrado os membros, e tendo esse sido o caso ou não, caiu ferido.

— Ou! — Sarah avançou com a espada enquanto Elisa atirava com o arco e flecha mas nada parecia adiantar. A resistência física daquela coisa era absurda.

Brandon sentiu a dor diminuir gradativamente, aliviando-se por não ter de fato quebrado os ossos. Ainda assim, a dor era tremenda para que se movesse como de costume. Além disso, o espaço fechado cheio de troncos tornava impossível para que ele voasse livremente. Seus recursos corriqueiros estavam limitados, portanto, teria de improvisar. Concentrando-se na fera que estava distraída com as meninas, amaldiçoou-a com um de seus poderes como seguidor de Hera. Era mais fácil fazer isso quando tinha um motivo e naquele instante ele tinha dois: a raiva para com seu oponente e o objetivo da caçada que estava ligada indiretamente ao seu grupo secundário.

A pele podia ser resistente, mas por baixo dele ele era tão vulnerável quanto todo o resto. Como forma de vingança pela dor nas pernas, o filho de Zeus fez com que o monstro sentisse muita dor em seus ossos e atrapalhou seus movimentos. Isso possibilitou que as duas semideusas enlaçassem suas pernas com flechas especiais e o derrubassem. Com ele caído, o rapaz teve um alvo claro e perfeito para seu combo final: outro ataque com o escudo seguido de mais um raio.

— Uff, isso foi intenso — sentou no chão por conta do estresse pós-batalha.

Uma calmaria repentina tomou conta do local, até que outro barulho assustador alarmou os heróis. De fato o monstro estava fugindo de algo e esse algo não demorou até achá-lo - ou melhor, o que restou dele na pilha de pó dourado. Era a Ursa Maior. A constelação tinha sido a responsável por por aquela coisa brutal para correr, em outras palavras, ela era ainda mais poderosa a assustadora. Mas só em atitude, porque sua aparência era belíssima. Parecia um espírito da floresta envolto em uma aura de estrelas brilhantes.

— Calma — Brandon foi corajoso o suficiente para parar na frente da constelação e erguer uma das mãos em sinal de respeito. A dor nas pernas ainda o incomodava, mas ele sabia bem como agir naquela situação. Precisava demonstrar seu respeito e coragem, ou então não se mostraria digno da presença do coletivo de estrelas. Talvez fosse sua ligação com a Via Láctea e influência direta das constelações em sua vida, mas a Ursa se acalmou com sua presença e se aquietou.

Sarah não acreditou quando o grego foi capaz de fazer com que o ser estrelado acompanhasse o trio de volta ao acampamento. Ela com toda certeza nunca admitiria, mas teve seu orgulho ferido ao presenciar a superioridade de seu aliado naquele momento. Tanto é que durante todo o caminho de volta nada disse, mantendo-se em silêncio enquanto Elisa questionava ao outro como era a vida de um argonauta. A conversa entre os dois logo deu lugar ao diálogo com o restante das caçadoras de volta à base delas, o que antecedeu o momento mágico.

— Minha amiga — Ártemis havia voltado ao normal por conta da presença da constelação. Ironicamente ela continua parecendo uma menina jovem, só não tão jovem quanto no momento louco. — Sinto muito pelo que lhe aconteceu, meu coração dói tanto quanto sua pureza maculada — ela se aproximou da figura espectral e encostou uma mão em seu rosto. A Ursa literalmente se aninhou nas mãos da caçadora mor, antes de sumir e deixando apenas uma aura estelar que ia até o céu da noite.

A cena foi bela e ao mesmo tempo triste. Era claro a perturbação no humor da deusa e sua tristeza por ver algo que considerava sagrado ser usado em um evento sádico e de intuito duvidável. Nenhuma palavra foi dita por nenhum dos ali presente. Um aceno breve com a cabeça por parte da Lua serviu de agradecimento pela ajuda do homem. Era o máximo que ela podia fazer, dadas as circunstâncias. E foi mais do que Brandon poderia pedir, pois saber que tinha ajudado uma velha amiga e de quebra ajudado as caçadoras com uma situação engraçada. Ele partiu com um aperto no coração por se despedir de uma possível nova amiga, mas aliviado por ter desempenhado bem seu papel ali.

Mal sabia ele que a noite estava apenas começando.

Habilidades Passivas - Argonauta de Hera:
Nome do poder: Signo das Constelações VIII: Hidra
Descrição: Sendo considerada a deusa da noite estrelada devido à criação da Via Láctea, Hera abençoa seus seguidores através das constelações da galáxia e seus significados. A hidra foi um dos monstros que Hércules precisou enfrentar, e sua principal característica era a de regenerar suas cabeças em dobro quando uma delas era cortada. Com esse signo ativo, o Argonauta adquire para si um “efeito hidra”: a cada inimigo derrotado, sua vitalidade e energia aumentam em 100 pontos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Restaura 100 pontos de HP e MP a cada inimigo derrotado
Dano: Nenhum

Nome do poder: Cura Final
Descrição: Seja ingerindo romãs ou repousando sob a luz de uma noite estrelada, a recuperação do argonauta é aprimorada neste nível, cicatrizando os ferimentos ainda mais rapidamente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: O Argonauta recupera 150 de HP e MP, seja com o uso da Cura da Romã ou Cura do Céu Estrelado.
Dano: Nenhum
Extra: Aplicável por até três turnos.

Habilidades Ativas - Argonauta de Hera:
Nome do poder: Olhar telescópico
Descrição: Tal como as tecnologias utilizadas para observação e admiração dos cosmos, os olhos dos argonautas de Hera/Juno são adaptados para enxergarem através de grandes distâncias. É como se pudessem dar um poderoso zoom e enxergar centenas de quilômetros à frente.
Gasto de Mp: 30 a 70 MP, dependendo da distância
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% de mira
Dano: Nenhum

Nome do poder: Amaldiçoar 3
Descrição: Neste nível, o argonauta pode elaborar sua própria maldição para um alvo. Esta é limitada a algum tipo de azar, semelhante às maldições anteriores, não podendo interferir diretamente na integridade física do alvo. Pode por exemplo, fazê-lo gaguejar e ficar impossibilitado de usar poderes relativos à fala, pode fazê-lo sentir uma dor tão aguda nos ossos que terá dificuldade para empunhar uma espada, etc. A criatividade é livre, mas a coerência é obrigatória. A maldição irá durar até três turnos e precisa da aprovação de um deus na narrativa.
Gasto de Mp: 90 MP
Gasto de Hp: 15 HP
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Habilidades Ativas - Filho de Zeus:
Nome do poder: Geração de eletricidade III
Descrição: Nível final do poder. Agora, por ser mais experiente do que quando iniciou, o semideus já domina com tamanha maestria que pode literalmente lançar raios por ai. Os raios não são tão poderosos quanto os naturais, ou os criados por seu pai, porém, eles ainda mantém a característica de serem rápidos e quase impossíveis de desviados.  
Gasto de MP: 100 de Mp para cada ativação da habilidade, seja ofensiva ou defensivamente
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: 150 podendo dobrar caso a vítima esteja molhada ou com fissuras na pele
Extra: Nenhum

Nome do poder: Voo V
Descrição: O semideus concentra uma grande parte de sua energia e consegue içar a mais metros do chão. Ao redor de seu corpo, correntes de ar o mantem estável e equilibrado, ele também consegue ficar mais rápido. Esse é o nível final, onde ele domina a arte de voar e usa isso ao seu favor.
Gasto de Mp: 40 por turno ativo.
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Já pode se erguer até 100 metros acima do solo.

Itens Utilizados:
ϟ Gunir [Um pequeno pingente em formato de raio, decorado em ouro branco com um talo transversal bem no meio; apesar da aparência rústica, é de uma beleza e elegância invejáveis. | Efeito 1: se transforma em uma lança de mesmas propriedades do pingente. | Efeito 2: a lança absorve eletricidade estática ambiente e a transforma em eletricidade dinâmica, dessa forma, é capaz de gerar descargas elétricas que podem curar seu portador, ou serem usadas para dar dano à longa distância em seus oponentes, tendo ¼ do poder do Raio de Zeus. A arma precisa estar em movimento, mesmo que simples, para esse efeito acontecer. | Ouro Imperial | Sem espaço para gemas. | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Arsenal do Acampamento]

• Escudo de Ouro Imperial [Apelidado de Aegis o Terceiro, é uma réplica de mesmas dimensões do escudo de Zeus, assim como o que Thalia Grace possuía na série. O rosto da Medusa é seu ornamento principal, tornando o item assustador para monstros e até semideuses que o encaram. Diferente dos escudos normais, ele pode ser lançado e cortar seus inimigos, graças à uma fina camada de ar que o circula, tornando suas extremidades afiadas. Pelo lado interno, foram desenhados e inscritas runas e talismãs que conferem ao item qualidades mágicas. Graças aos efeitos novos, o escudo passou a ser meio invisível, o que acarretou em um efeito visual novo. Seus inimigos uma hora veem o rosto da Medusa, e em outra nada, o que pode causar ainda mais terror. Porém, o grande truque está nessa furtividade do item, que, ao ser lançado, e torna extramente perigoso por não poder ser visto direito. | Efeito 1: a arma é revestida por uma fina corrente de ar, tão fina que acaba permitindo um corte mais afiado, provocando 40% (+20% pela runa de ar) a mais de dano e dobra as chances de causar danos a materiais de resistência superior | Efeito 2 (mecânico): a arma sempre irá retornar para o dono, aparecendo ao seu lado | Efeito 3: Também conhecido como efeito bumerangue, Abramov poderá lançar o escudo em direção a algo sólido que irá rebater em um determinado ângulo seguindo uma linha reta atingindo um segundo alvo, depois o escudo retornará para seu braço independente do resultado ou para onde foi rebatido | Efeito Bônus¹: o item foi embebido em uma poção de vento especial, recebendo assim 50% de imunidade contra o elemento vento, podendo até mesmo repeli-lo, a depender do efeito | Efeito Bônus²: ainda graças à poção, ele possui uma fina camada de ar que o deixa quase invisível, o que torna difícil para inimigos identificá-lo | Ouro Imperial | Gema 1: Rubi Imperial –  Adiciona 40 de dano à arma. Gema 2: Tanzanita Imperial - Adiciona 35% de roubo de vida. (Todo dano causado volta para a vida do usuário. Caso o golpe com a arma causa 100 de dano, 15 viram HP para o semideus atacante.) | Resistência: Beta | Status: 100%, sem danos | Épico | Ganhado no evento Quando o Passado Revive]

Duplicador:
Nome: Pacote intermediário de XP - Nível 3
Descrição: Por 2 meses em OFF, todo ganho de XP do semideus é duplicado. (Valido até 14/03/2018)
Kyra





a.
I don't wanna hear, I don't wanna know, please don't say you're sorry I've heard it all before, and I can take care of myself...
avatar
Abramov Levitz
Argonautas de Hera/Juno
Argonautas de Hera/Juno

Mensagens : 866

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Mistério da lua Minguante

Mensagem por Becka Klasfox La'Fontaine em Seg Jan 15, 2018 7:52 pm



Dêmonio Shax

Era para ser apenas mais um dos casos espalhados por sobre a mesa da pretoria, inúmeros apareciam durante o dia e muitos deles eram pedidos de socorro. A maioria listava problemas ao redor do mundo, pedidos de ajuda, solicitações de missão, investigações de coisas estranhas e aparições de criaturas ao redor da cidade. O trabalho de Becka era garantir que os legionários resolvessem a maioria desses casos, nem sempre conseguia.

O papel em suas mãos tinha lhe atraído a atenção de um jeito familiar. Seus dedos batucavam sobre a mesa enquanto ela analisava o arquivo que tinha chegado acerca meia hora. Se perguntava se deveria intervir por si mesma naquela questão...

— Vou dar uma saída — Alertou Sun Hee, levantando-se com o papel entre as mãos pronta para sair daquele lugar.

— Merda — A outra garota rosnou, fazendo Becka erguer o olhar em direção a ela. — Me cortei com a tesoura — Explicou, levando o dedo a boca e deixando que Becka vislumbrasse algo no mínimo curioso.

— Tudo bem — Respondeu, abrindo um sorriso de canto antes de se retirar, não era hora para aquilo, pesquisaria sobre em um outro momento.

A jovem saiu apressada do escritório da pretoria e deixou o prédio indo de encontro a cidade de Nova Roma, onde assoviou para chamar Ranjam e se apressar para dentro de uma das lojas, mais especificamente a Pandevie, onde sabia que encontraria o que precisava. — Sua chefe está? — A jovem questionou, assustando uma funcionaria com seu jeito meio brusco de chegar no café.

— Não, nenhuma delas vem á meses e só recebemos bilhetes com recomendações — Explicou, fazendo a filha de Baco assentir uma única vez antes de voltar a sussurrar.

— Preciso usar o portal de vocês, é urgente e uma ordem do senado, pode me mostrar onde fica — A menina maneou a cabeça em concordância e então guiou a semideusa mais velha para os fundos da loja, onde mostrou a porta e explicou como utilizar do portal para conseguir se locomover.

— Obrigada — Assoviou alto, chamando a atenção de Ranjam para si mais uma vez, fazendo o tigre vir correndo em sua direção antes de se apressar para perto dela. — Desculpe por isso e desculpe a bagunça, pode colocar tudo na conta da pretoria que mais tarde passo pagar — A loira avisou ao montar nas costas do felino e pedir a ele que saltasse pela passagem, mentalizando em sua mente a cidade de New York, a floresta e o ponto exato onde as caçadoras deveriam estar.

...

O lago da floresta brilhava com a luz da lua minguante, refletindo uma espécie de imagem constante que formavam desenhos do céu e das estrelas. Becka e o tigre apareceram bem ao lado da fogueira, assustando parte das caçadoras e dos lobos ao redor do acampamento montado. Nesse momento todo mundo ficou em alerta, pelo menos três arqueiras apontaram armas em sua direção e duas lanceiras se aproximaram dela e de Ranjan, deixando as laminas próximas demais enquanto uma bela morena se fazia presente naquele cenário.

— Não sabia que as caçadoras recebiam a ajuda assim — Becka ironizou, tirando da garganta a corrente para acionar a taça para enche-la de vinho. — Geralmente as pessoas se curvam diante da autoridade de uma pretora — Sorriu maliciosa, vendo as arqueiras baixarem as armas enquanto as lanceiras recuavam um passo.

— Não sabia que viria pessoalmente quando mandei o chamado Rebecka — Emmanuelle se aproximou com a cara de tédio que exibia sempre, chata demais para ser considerada uma boa influência. A menina não vivia e parecia uma adulta presa em um belo corpo adolescente, era um tanto quanto tediosa aos olhos da loirinha montada no tigre.

— Estava entediada e a historia no papel era interessante — Murmurou antes de ingerir um longo gole do vinho, suspirar baixo e dar um tapinha nas costas de Ranjam, que prontamente abaixou para permitir que a dona descesse. — Qual a situação? — Perguntou, indo direto ao ponto, afinal não era garota de enrolar.

— Encontraram o urso e o lobo, mas o resto continua desaparecido. Temos informações de que o Cisne está por perto, Elise e Sarah vão te acompanhar e te ajudar a seguir o rastro que encontramos perto do rio Hudson, precisa trazer a criatura dentro de uma hora para que possamos realizar o ritual e devolve-los ao céu — Emmanuelle explicou, fazendo a loira manear a cabeça em concordância.

— Então, onde estão as duas garotas? — Questionou, fazendo Manu soltar um suspiro antes de apontar para alguém atrás de Rebecka.

A jovem se virou e se deparou com uma cena bastante inusitada. Ali, próxima ao lago estavam duas garotas extremamente bonitas, muito mais novas do que ela e segurando uma criança. A pretora arqueou a sobrancelha e sem pensar muito se aproximou, atraindo á atenção das três figuras para si. — Acho que vocês foram promovidas do posto de babá, agora são guias e devem ajudar minha pessoa — A criança fechou a cara e Becka sorriu piscando para ela, não gostava muito de crianças por ter certeza de que era um péssimo exemplo para elas. Mantinha uma distância segura e razoável e tendia a segurar a língua por tempo demais, era boca suja no fim das contas e maliciosa demais, afetaria os pequenos anjos apenas com a proximidade.

— Você é a ajuda? — A primeira garota perguntou. Tinha traços indígenas e cabelos escuros que batiam um pouco abaixo da cintura, seus olhos eram penetrantes e sua expressão bastante firme. — Sou Sarah — Ela estendeu a mão, fazendo Becka repetir o gesto e aperta-la de maneira firme. — E não sou sua guia, respondo apenas a Lady Ártemis — Aquela seria dificil, percebeu.

— Eu sou Elisa, e essa é nossa senhora — A outra garota, com rosto de coração e cabelos vermelhos também se pronunciou, mas surpreendeu a filha de Baco com suas palavras ao apontar em direção a garotinha que supostamente seria Ártemis.

A deusa fechou a cara para Rebecka.

— Você vai brincar comigo também ou só veio roubar minhas amigas? — Perguntou petulante, fazendo a loira rir e curvar o corpo para frente antes de responder sem pensar direito.

— Vou roubar suas amigas — Disse seria.

A pequena Ártemis fechou a expressão um pouco mais, então se aproximou da filha de Baco e fez algo totalmente inesperado: Chutou-a na canela.

— MALDIÇÃO! — Rosnou, segurando a perna ferida com força enquanto via a pequena deusa correr em direção a Emmanuelle com um bico adorável nos lábios.— Depois me perguntam porque detesto crianças — Resmungou.

— Não é hora para chorar, temos que partir porque o tempo é curto e as constelações são espertas — Sarah resmungou, assoviando para atrair a atenção de um cavalo para si antes de se virar para Becka mais uma vez. — Reaja se não quiser ficar para trás — Dizendo isso, montou no cavalo e seguiu em frente, arrancando um suspiro de Sarah que não demorou nada para fazer o mesmo.

Resmungando, Becka chamou Ranjam sem querer ficar para trás.

...

— Como pode ter tanta certeza de que ele viria para cá? — Becka perguntou no exato momento em que elas pararam as margens do bosque na ilha da liberdade.

— Encontramos rastros de uma possível perseguição e fuga e tem penas por todo lado, além disso os Cisnes gostam de água e que lugar melhor que o rio Hudson para isso? — Sarah perguntou, fazendo Becka sorrir de canto com a resposta.

— Um lugar menos fedido seria bem melhor — Respondeu irônica, puxando dos bolsos dois colares e entregando a elas. — Coloquem isso, vai impedir os monstros de nos encontrarem enquanto fazemos nossa própria busca — Explicou, fazendo ambas pegarem os colares antes dela se afastar pela floresta.

— Ranjam faça o perímetro ao redor da ilha e uma busca completa, vou analisar o chão e as arvores — O tigre nem perdeu tempo, saltou por uma das trilhas e sumiu de vista enquanto Becka começava a procurar pistas com o olhar.

Todo e qualquer tipo de fugitivo deixa um padrão para trás, as vezes imperceptível aos olhos no primeiro momento, mas visível assim mesmo se você souber onde procurar. E bem, Becka sabia melhor do que ninguém como encontrar e caçar monstros, afinal dava aulas disso e ensinava seus campistas como fazê-lo.

— Aqui, acho que achei alguma coisa — Becka ergueu a cabeça para Elise que balançava uma pena branca no ar, essa emitia um brilho prateado único semelhante a prata lunar das caçadoras.

— A pista de vocês estava certa no fim das contas, vamos por aqui — A pretora tomou a frente, fazendo Elisa e Sarah a seguirem para dentro do bosque dentro da ilha. Minutos mais tarde Ranjam apareceu e acabou as guiando mais dentro ainda da floresta, até que todas as três chegassem ao moinho.

— Ele quer que você o siga — Sarah resmungou, Becka assentiu dando a volta pela construção junto com o tigre, de maneira silenciosa e quase furtiva.

As outras caçadoras vinham logo atrás dela, o que permitiu que todas as três o vissem ao mesmo tempo.

A constelação de Cisne era linda, um pássaro único que emitia um brilho prateado delicado, tornando as penas brancas um verdadeiro espetáculo dos deuses. Sua cabeça permanecia um tanto baixo e sua expressão era tristonha.

— Como vamos pega-lo? — Elise murmurou, fazendo Becka pensar por um momento antes de puxar algo do bolso.

— Vocês conseguem atrai-lo para a margem? — Perguntou, ela tinha uma maneira de prender o cisne por um curto período de tempo, o problema maior seria trazê-lo para fora da água.

— Deixa comigo, tenho um plano — Sarah sorriu maliciosa e se esgueirou para frente do moinho, retirando os calçados e se jogando na água.

— Eca — Becka e Elise resmungaram ao mesmo tempo.

— Confia nela? — A pretora perguntou, Elise sorriu de canto.

— Confio minha vida a ela — Elise respondeu, retirando os fios prateados do cabelo e começando a manipula-los para criar uma espécie de rede. — O seu negocio pode ser temporário, mas o meu não é — Explicou, Becka assentiu mais uma vez antes de ouvir o grasnado alto.

O cisne lutava com alguma coisa dentro da água enquanto recuava para as margens da ilha, se aproximando delas de maneira furiosa. Tinha sido espantado por uma Elise risonha que o fazia recuar enquanto o ameaçava com. Espera! Aquilo era mesmo uma flor?

— Que diabos? — Becka perguntou. Elise riu baixinho.

— Sarah é filha de Persefone e a constelação de Cisne, segundo Artemis, não costuma gostar muito de flores, ainda mais dentro da água onde atrapalham e escondem os peixes. Sarah o pegou pelo ponto mais fraco — Elise explicou, fazendo Becka sorrir e preparar a bolinha.

O cisne pisou em terra e rapidamente a semideusa jogou a prisão em sua direção, fazendo a pequena bombinha explodir e correntes agarrarem o corpo da ave, a prendendo em terra firme. Elise correu em direção a ele e começou a tecer os fios de prata ao seu redor, improvisando uma rede forte o suficiente para mantê-lo ali mesmo enquanto Ranjam corria de um lado para o outro, miando e balançando a cauda agitadamente.

Assim que Elise concluiu o trabalho, Sarah saiu da água e as correntes de Becka foram desfeitas, dando chance a ela de se aproximar. — Temos um problema — Elise resmungou. — Como vamos leva-lo para o acampamento? — Becka sorriu divertida, então se virou para o tigre gigante.

— É por isso que ele veio comigo, Ranjam vai carregar o Cisne — O tigre parou de correr na mesma hora, tropeçando nas patas da frente e caindo de cara no chão. Aparentemente não tinha gostado da ideia, mas quem disse que Becka se importava?

Eles tinham concluído uma missão, isso bastava.

Itens e armas:

• Kairós [ É uma Tekko-kagi Claws que se encaixa perfeitamente a mão do usuário. Diferente das comuns, essa Tekko-kagi tem apenas três garras e elas não são completamente alinhadas e nem possuem o mesmo tamanho. A lamina de cima é mais grossa e um tanto mais comprida, curvada na ponta, a fazendo lembrar a lamina de uma foice. A da esquerda é fina e um pouco mais afiada, enquanto a da direita se a assemelha a lamina de uma espada ou faca, mas muito menor. As três laminas são ligadas as tiras de couro e o bronze, e os dedos ficam fechados sobre a Tekko o tempo todo, deixando a mão em punho com os dedos enrolados ao renor da empunhadura de bronze. Os desenhos ao redor das laminas da Tekko-kagi Claws lembram vagamente o alfabeto grego e se iluminam quando a arma está sendo empunhada. | Efeito 1: Resistência a magia de ilusão, qualquer poder de ilusão, medo ou charme lançado contra o portador dessa arma, terá o efeito reduzido em 50%. Efeito 2: Sempre retorna ao bolço do dono na forma de um dracma com desenhos especiais que lhe trazem lembranças únicas para o seu personagem. O desenho sempre muda, nunca é o mesmo. (Não é possível acrescentar outros efeitos a essa arma). | Bronze Celestial | Espaço para 2 gemas | Alfa | Status: 100% Sem danos | Necessário nível 10 para domínio completo da arma | [Épica | Evento Cidade dos Monstros]

Velociraptor linha Luxo [ Nessa linha não é apenas o conforto que predomina, mas também o poder, apesar de aparentar ser um tênis comum, esse foi fabricado para auxiliar e estimular o semideus a melhorar seus movimentos em combate, o tornando mais forte e mais rápido | Efeito 1: O calçado muda de acordo com o dono e suas preferências, o tênis será alterado magicamente para o modelo que mais o agrada. Efeito 2: Promove +40% de velocidade ao portador. Efeito 3: Quando estiver com o tênis nos pés, golpes relacionados as pernas, como chutes ou saltos ganham 30% a mais de força | Material mágico especial |Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos | Mágico | Comprado na Ferreli & García - Mode et style]

• Taça de vinho mágica [Um pequeno pingente de uma taça de vinho feito de bronze celestial | Efeito 1: Se transforma em uma taça de tamanho normal. | Efeito 2: Caso seu dono queira, ela se enche de vinho que ao ser ingerido recupera 80 HP e MP, sem contar as passivas de recuperação de vinho. Caso outra pessoa ingira, ela fica instantaneamente bêbada e sem controle das ações. Só pode ser usado uma vez por missão/evento. | Bronze celestial | Sem espaço para gemas | Sigma | Status: 100% sem danos | Mágico | Presente de Baco/Dionísio]

• Adaga Envenenada [Uma adaga de aparência comum, feita de um metal, exceto pelo veneno que há em sua lâmina | Efeito 1: Ao cortar a pele de semideuses e/ou monstros o veneno entra com contato com a corrente sanguínea, espelhando o veneno que irá durar três turnos, retirando 5 de HP a cada turno. | Metal comum | Sem espaço para gemas | Sigma | Status: 100% sem danos | Comum | Desconhecido]

Pastilhas Alcoólicas [São pastilhas que contém um alto teor alcoólico, com sabor de frustras vermelhas. Ela foi abençoada com quatro bebidas diferentes e de teor alcoólico maior do que 75%. Ao todo são 30 pastilhas, distribuídas em 3 potes pequenos | Efeito: graças a grande quantidade de álcool contida em uma única pastilha, ao consumir pelo menos duas delas a pessoa fica bastante alterada, como se tivesse bebido várias doses de drinks alcoólicos | Material: Pastilhas | Sigma | Status: 100%, sem danos | Comum | Encantado por Evie Farrier]

• Mini Bomba [Bolinha emborrachada pequena, descartável, que ao ser atirada contra um monstro ou uma criatura, pode prendê-lo durante um turno inteiro.| Efeito 1: Ao bater contra o chão, ou contra uma criatura, explode e libera um conjunto de correntes magicas, que crescem e se enrolam ao redor do corpo do monstro ou criatura, desde os pés, ao tronco e pescoço, o mantendo preso no mesmo lugar durante um turno inteiro. Ele não será capaz de atacar durante esse turno, salvo, liberar poderes por olhos ou boca (mordidas estão incluídas aqui), já que as correntes não prendem essas partes em especifico. Efeito 2: Apesar de ser algo descartável, a bolinha tem efeito regenerativo, logo, as correntes retornam a forma original quando terminam de exercer sua função. Assim, transformam-se na bolinha emborrachada novamente. Efeito 3: Tem efeito de ligação, sempre retorna ao dono, caindo bem ao seu lado quando termina de realizar seu trabalho.  | Borracha e metal mágico | Sem espaço para Gemas | Alfa | Status: 100% Sem danos | Mágico |Comprado na Fantastic Beasts]
Aprendidas:

Nome do poder: Identificação de ponto chave
Descrição: Também conhecida como habilidade que permite ao campista identificar o ponto fraco de outro individuo, ser ou criatura, ficando mais forte nos monstros. É como um radar, ou um guia que age como intuição sobre o semideus que possui essa habilidade, dessa forma sempre que estiver em batalha saberá exatamente onde e como acertar a criatura para derrota-la com mais facilidade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Pode solicitar ao narrador que indique o ponto fraco do monstro com que está lutando, de forma que, pode atingi-lo e derrota-lo com uma facilidade maior, pois, sabe sobre.
Dano: Nenhum.

Not Monsters
Descrição: É a habilidade que permite ao semideus antecipar e bloquear um ÚNICO movimento do monstro que está combatendo. Muitos monstros são previsíveis, e fazem ataques repetitivos, com isso em mente o semideus acaba ganhando certa percepção em combate, criando um mapa de movimentos do monstro, e antecipando seu próximo ataque. Caso consiga vai conseguir bloquear ou se defender de um único ataque do monstro. Não serve em combate contra outros semideuses ou deuses, apenas com monstros. (Só pode ser usado uma única vez por missão, evento ou luta).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Pode solicitar ao narrador que indique a próxima sequência de ataques do monstro, e poderá usar isso para bloquear todos os ataques, serve como uma previsão, o semideus saberá como bloquear, o que fazer ou como atacar.
Dano: Nenhum.
Tatuagem:

Tatuagem SPQR [Tatuagem de coloração negra feita na parte inferior do antebraço direito. Possui o desenho de um Tirso circundado por uma vinheira com um cacho de uva, seguido abaixo pelas letras SPQR, um risco para cada ano servindo a Legião e escrito 3ª Coorte.3ª Coorte: Uma vez por missão/evento, as estratégias do semideus se tornam mais eficazes do que normalmente e se torna impossível retirar a concentração do membro da 3ª Coorte. O efeito funciona durante três turnos após sua ativação, tendo 35% de eficácia.]

Infinite Power | Atributos | Tatuagem pequena na lateral do dedo mindinho da mão dominante do semideus. Forma o símbolo do infinito em cores diversas, que mudam conforme o humor do seu portador sempre que este entra em combate, ativando seu efeito automaticamente. | Aumenta todos os atributos que o semideus já possui em +20%. | Lateral do dedo mindinho | Marca pequena | Permanente.
Passivas:

Nível 8
Nome do poder: Domador de Feras
Descrição: Um dos deveres de Dionísio/Baco é caçar e domar feras selvagens, os filhos de Dionísio contam com a proteção dessas feras, que sempre que cruzarem com o semideus o ajudarão em seu caminho.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: O semideus tem certa facilidade com animais selvagens, principalmente felinos, esses nunca lhe atacarão, e geralmente o obedecem, por medo ou por respeito. Basta um olhar, um gesto, ou uma ordem para que o felino se submeta a você.
Dano: Nenhum

Nível 13
Nome do poder: Empatia Teatral.
Descrição: No teatro, um dos fatores mais importantes para o ator é ler o ambiente e descobrir como os espectadores estão se sentindo com a peça e que emoções estão sentindo. Nesse nível o filho de Dionísio/Baco desenvolve a mesma habilidade, podendo saber as intenções de seus amigos, inimigos e jogar com elas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poderá descobrir se a pessoa está mentindo, com raiva, ansioso, apaixonado ou qualquer outra coisa, isso permite que ele manipule as emoções das pessoas ao seu favor através de palavras, jogando com ele. +10% de força em poderes de ilusão, enganação ou semelhantes.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Visão Perfeita
Descrição: A visão do filho de Dionísio/Baco se assemelha a visão de um felino, ele vê mais longe, e grandes distancias não afetam seu campo de visão, podendo detectar inimigos ou criaturas em um raio de até 1km e meio.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: O campo de visão da prole de Dionísio/Baco é expandido em +50%.
Dano: Nenhum

Nível 16
Nome do poder: Velocidade
Descrição: O filho de Dionísio/Baco é muito ligado as feras, e sendo os felinos um dos símbolos de seu pai o jovem também pega parte de seus atributos. È mais rápido que a maioria dos campistas, podendo executar golpes com mais precisão do que a maioria, e muitas vezes quando os outros percebem, já estão sendo atacados.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% de Velocidade
Dano: Nenhum

Nível 19
Nome do poder: Predador Silencioso
Descrição: Os predadores (felinos), são naturalmente silenciosos, e sempre abatem suas presas através da surpresa, podendo se mover sem ser detectado. Assim como os felinos os filhos de Dionísio/Baco são bastante silenciosos, não fazem ruídos ao se mover e dificilmente são detectados, contudo, aqueles com audição apurada ainda poderão descobri-lo.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de agilidade, +50% de chance de pegar o inimigo de surpresa.
Dano: Nenhum

Nível 40
Nome do poder: Acrobacias.
Descrição: O herói terá uma ótima capacidade para realizar movimentos acrobáticos, o que o torna mais esquivo.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em agilidade e esquiva.
Dano: Nenhum

Nível 45
Nome do poder: Perfume Embriagante III
Descrição: Qualquer oponente que seja até três níveis a mais que você ficará tonto e eufórico, esquecendo-se da batalha. O que lhe dá tempo para atacar. (Dura dois turnos.)
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Qualquer semideus ou criatura em um raio de até 2 metros de distância do semideus terá os atributos reduzidos em 25%.
Dano: Nenhum

Nível 25
Nome do poder: Uvas e Vinhos III
Descrição: Tal poder ainda só é efetivo com cortes medianos, entretanto, agora você consegue dissipar venenos fracos e retardar o efeito de venenos não letais.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +20 de HP e +20 de MP.
Dano:

Nível 35
Nome do poder: Álcool no Sangue
Descrição: Quando o filho de Dionísio/Baco tem vinho, ou qualquer bebida alcoólica correndo por suas veias, seus reflexos melhoram muito, seu potencial de ataque e defesa também são melhorados. (Dura apenas dois turnos)
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +50% de melhoramento em ataques e defesas. Dano dobrado para cada ataque bem sucedido.
Dano: +30% de dano se os ataques do semideus acertarem seu oponente.
Ranjam:

Ranjam-Tigre Glacial

Drive – Uma pequena marca de raio que será selada ao corpo da criatura – como tatuagens no corpo dos semideuses – essa marca fará com que a velocidade do mascote seja ampliada em +40%.

Defensorem – Uma pequena marca selada no corpo da criatura, tem o formato de uma pedra – funciona como tatuagens mágicas no corpo do semideus – essa marca aumenta a defesa e a esquiva do mascote em +40%.
Duplicador Ativo:

Nome: Pacote intermediário de XP - Nível 2
Descrição: Por 1 mês em OFF, todo ganho de XP do semideus é duplicado. Valido até o dia 18/01/2018



Becka Klasfox La'Fontaine
Quer ser feliz? Seja louco, sorria sempre mesmo sem motivo..
avatar
Becka Klasfox La'Fontaine
Pretores
Pretores

Mensagens : 512
Idade : 23
Localização : Camp Jupiter

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Mistério da lua Minguante

Mensagem por Macária em Qui Jan 18, 2018 4:07 pm

Eun Deokhye

Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Total de XP e Dracmas: 7.000 XP e 6.000 Dracmas. + 15 estrelas.

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Enredo e coerência de batalha: 45%
Gramática e ortografia: 20%
Criatividade: 25%

RECOMPENSAS: 6.300 XP – 5.400 dracmas – 15 estrelas

Comentários:
Eun Deokhye,
Sua narrativa é sucinta e gostosa de se acompanhar. Mas receio que nessa tenha sido sucinta até demais. Por essa razão ocorreram os descontos. Ainda assim, a sua escrita é limpa e os detalhes enriquecem o texto. Parabéns.




Kang Pipper

Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Total de XP e Dracmas: 15.000 XP e 6.000 Dracmas. + 15 estrelas.

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Enredo e coerência de batalha: 50%
Gramática e ortografia: 19%
Criatividade: 30%

RECOMPENSAS: 14.850 XP – 5.940 dracmas – 15 estrelas

Comentários:
Kang Pipper,
Seu texto conteve alguns errinhos de digitação – uns vários – como “tento” onde deveria ser “tendo”, por exemplo. Por isso o mísero desconto. Mas sua narrativa me prende a atenção e eu realmente acho muito meiga a personalidade da personagem e como é descrita suas emoções, pensamentos e em como o texto flui bem. Parabéns.



Hela A. Deverich

Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Total de XP e Dracmas: 15.000 XP e 6.000 Dracmas. + 15 estrelas.

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Enredo e coerência de batalha: 50%
Gramática e ortografia: 18%
Criatividade: 30%

RECOMPENSAS: 14.700 XP + 12.000 Dracmas (duplicador aplicado) + 15 Estrelas

Comentários:
Encontrei uns erros bobos de digitação e algumas virgulas que faltaram, assim como em outros lugares sobraram. Contudo achei a narração clara e com um enredo que me prendeu até o fim (não sendo cansativa).


Abramov Levitz

Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Total de XP e Dracmas: 15.000 XP e 6.000 Dracmas. + 15 estrelas.

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Enredo e coerência de batalha: 50%
Gramática e ortografia: 20%
Criatividade: 30%

RECOMPENSAS: 15.000x2: 30.000 XP – 6.000 dracmas – 15 estrelas

Comentários:
Não notei erros em seu texto. Sua escrita é fluida, limpa e fácil de seguir o raciocínio. Você tem uma narrativa que prende a atenção do início ao fim, não há como contestar. Meus parabéns.



Becka Klasfox La’Fontaine

Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Total de XP e Dracmas: 11.000 XP e 6.000 Dracmas. + 15 estrelas.

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

Enredo e coerência de batalha: 50%
Gramática e ortografia: 19%
Criatividade: 30%

RECOMPENSAS: 21.780 (já duplicado) – 5.940 dracmas – 15 estrelas

Comentários:
Becka,
Notei alguns errinhos, coisa pequena, coisa boba, mas fora um pouco recorrente. Só por isso você perdeu esse 1%, ainda assim, o texto é muito bom num geral, a escrita não é maçante e é bastante agradável.



this a good death
NOBODY SEEMS TO RECOGNIZE ME IN THE CROWD

avatar
Macária
Deuses Menores
Deuses Menores

Mensagens : 201
Localização : Em qualquer lugar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Mistério da lua Minguante

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum