The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

영혼의 감각- Sensations of the soul

Ir em baixo

영혼의 감각- Sensations of the soul

Mensagem por Lee Chae-rin em Dom Dez 03, 2017 11:05 pm


A trama se passa nos primeiros momentos em que Lee Chae-rin descobre a existência do espírito lupino dentro de si. É uma trama voltada para o alto descobrimento então haverão muitas viagens ao interior da semideusa bem como coisas ligadas ao espiritismo
Em momento algum irei descrever rituais ou coisas dessa forma, e podem haver momentos em que o leitor possa encontrar conteúdo explicito de agressão e sexo.

Você foi avisado.
∆ LYL - FG




♥️
Lee Chae-rin

''A força do lobo é sua matilha, a força da matilha é o lobo''
avatar
Lee Chae-rin
I Coorte
I Coorte

Mensagens : 301
Idade : 23
Localização : Acampamento Romano

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 영혼의 감각- Sensations of the soul

Mensagem por Lee Chae-rin em Ter Dez 26, 2017 5:26 am

Sensation of the soul
O alto conhecimento começa com o primeiro passo


"Barro...
Areia...
Água...
Palha... Rápido!
Barro... Subir!
Areia... Puxar!
Água... Suspender!
Palha...
Força!"

A imagem de homens sendo chicoteados sobre o sol escaldante era algo que conseguia ver com muita clareza. O som do chicote estalava no ar dando medo e a sensação de dor para aqueles que já haviam sentido o gosto do duro tecido que revestia o instrumento... A cena começava a ficar completamente negra e logo conseguia ver dois irmãos frente a frente, um repleto de joias e adereços feitos de ouro; o outro trajava roupas mais simples e orgulhosamente coloridas, nas mãos trazia um cajado de madeira como os antigos pastores de ovelha. Era a segunda vez que tinha aquele sonho.

Em uma igreja de estilo gótico dos séculos mais antigos parecia agora ser a cena de um novo sonho. Uma mulher em roupas coloridas e uma saia longa e seus pés iam de encontro direto com a friagem das pedras que adornavam o chão do mesmo local; esta parecia pedir algum tipo de proteção para aqueles que iam proteger seu povo, aqueles que amavam e suas famílias. Era visível a garra do espírito de tal mulher bem como em seus olhos, a palavra proscrita saltava de seus lábios hora ou outra e junto a isso havia também dor em seu espírito. Aquela era a terceira vez que via a cena.

Toda a noite tinha sonhos diferentes, homens e mulheres em diferentes épocas e diferentes lugares, mas sabia que de alguma forma todos estavam ligados de alguma forma... Mas como? Estava deitada sobre a cama no alojamento da Coorte I, olhava para o pulso esquerdo onde havia a tatuagem da legião romana e me lembrava de como tudo havia começado. Toda aquela longa caminhada.

Quando descobri ser filha de Vênus de uma forma ao qual nunca imaginei, a luta com a harpia e a perda Lory no mesmo dia, tudo aquilo havia me mandado para a cidade de Nova Roma ou como eu carinhosamente chamo o inferno Romano. Dentre todas as pessoas que conhecia naquele local, poucas eram aquelas que podiam realmente ser chamadas de amigos.  Renly foi uma das primeiras pessoas que pude chamar de amigo dentro daquele lugar, até porque compartilhávamos a mesma maldição, mas no meu caso era por conta do meu sangue o dele eu nunca descobri ou perguntei o porquê. Sun Hee foi à segunda, uma menina alegre e saltitante, filha de Arcus, que sempre tentava manter um sorriso no rosto de todos mesmo nas piores situações do dia; ao menos era assim antes de ser convocada por Nyx e ter apagado completamente sua existência da mente de Renly. Ter de mentir para o filho de Mercúrio era algo tão complicado que muitas vezes evitava até o contato com ele.

Beorn, filho de vulcano ao qual mais me afeiçoei no acampamento, um irmão lupino. Literalmente... Tínhamos alguma espécie de ligação que nem nós mesmos entendíamos como ou porque daquilo só tentava aceitar o fato de ela existir. Sempre sabíamos quando um dos dois estava triste ou chateado com algo somente pela forma de falar ou agir, até mesmo a forma de olhar as pessoas as volta influenciava naquele momento. Então acabei contando para ele sobre o espírito que uma vez falou dentro de min de alguma forma, durante a conversa, em momento algum se amostrou assustado ou qualquer coisa do tipo, pelo contrário, amostrou-se aberto ao assunto por já ter ouvido algo daquela forma. Um espírito morando dentro de nós, era quase loucura, mas ainda sim precisava entender como ou porque aquilo acontecia conosco.

"Vá para a floresta" lembrava o que o filho de vulcano falava momentos antes de eu sair do acampamento Romano "Vá meditar sozinha sobre isso, talvez ache a resposta" ouvia sua voz em minha mente de forma calma como sempre ── Porque caralhos eu tenho de ouvir você mesmo? ── resmungava enquanto sentia o chão aos meus pés naquele exato momento ── Aé... Eu não preciso! ── respondia a pergunta que havia levantado sozinha. Fazia algumas horas que havia entrado no meio da floresta que havia na lateral do acampamento romano e que havia começado a caminhar sem rumo algum. Havia adentrado de forma tão profunda naquele local que sequer sabia se estava longe ou perto do acampamento, mas era o suficiente para não ouvir mais os corações e os sussurros incessantes daquele local ── Silêncio... Doce e amado silêncio ── falava de forma calma enquanto continuava a caminhar para o interior daquela floresta.


Aquela garota realmente não sabia da minha existência... É tão frustrante poder observar em silêncio tudo que ela faz desde o momento de seu nascimento. Os primeiros passos, as primeiras palavras, a primeira queda... Tudo que havia acontecido em sua vida até o momento daquela caminhada.

Aquela garota realmente não sabia da minha existência... É tão frustrante poder observar em silêncio tudo que ela faz desde o momento de seu nascimento. Os primeiros passos, as primeiras palavras, a primeira queda... Tudo que havia acontecido em sua vida até o momento daquela caminhada.

Ferir deveria estar rindo de min naquele exato momento e não sabia ao certo o que fazer quanto a isso. Ele e o humano que habitava já pareciam ter entrado em comunhão natural de forma que o garoto conseguia usar facilmente a gnose a seu favor gerando uma defesa muito maior do que o normal que era quase tão surreal quanto o fato de nos dos termos reencarnado em corpos tão diferentes e sem ligação sanguínea. "Dá um jeito de falar com ela. Pedi ao garoto para indicar o nosso local sagrado para ela" a lembrança da voz mental de meu irmão ecoava facilmente pelo núcleo de minha existência e parecia reverberar nas memórias da garota de alguma forma; era difícil dizer o que se passava na mente dela já que não tinha acesso à mesma ainda...



Cada passo que dava dentro daquela floresta, sentia que estava mais e mais próxima de algum lugar novo e interessante para "descobrir" ── A quem estou enganando? Estou sozinha... Na floresta... Sem saber nem para onde ir... ── ouvia minha própria voz ecoar sem rumo por toda aquela imensidão verdejante ── Está perdida? ── uma voz ecoou no meio do nada vindo em minha direção, minhas orelhas se moviam de forma involuntária e até engraçada naquele momento ── Ou veio à procura de algo? ── por algum motivo acabei farejando o ar para entender de onde vinha à voz, mas a mistura de água, terra molhada e flores de diversos perfumes acabavam deixando meu olfato um tanto "louco" ── Talvez eu esteja... ── respondia de forma abrupta sem qualquer cuidado ── Quem é você? ── Aos poucos conseguia ouvir passos rápidos quebrando as folhas do local. Inicialmente não conseguia distinguir ao certo quantos eram, tive de fechar os olhos para enfim me concentrar no baixo som que ouvia bem ao longe. Pareciam ser somente dos "pés" batendo contra a terra, mas ao passo que se aproximava, o espaçamento ficava cada vez maior e tinha uma quantidade acima daquela que eu achava ter ouvido; meus olhos se abriram e com uma lufada de vento acabei por sentir o cheiro de sangue vindo do mesmo lugar que ouvia os passos.

Sua estatura era mediana em contraste com a criatura que estava atrás dela naquele momento. Ambos rosnavam para min de alguma forma, bem como devolvia o rosnado para os mesmos; por algum motivo sentia uma sensação familiar naqueles dois que não havia sentido antes. Seu rosto estava coberto por uma espécie de máscara vermelha, seus trajes eram roupas claras e uma espécie de capa que cobria completamente o corpo não deixando brechas para saber se era um homem ou uma mulher e atrás daquela "pessoa" havia um majestoso lobo branco com os lábios cheios de sangue, talvez tivessem acabado de caçar algo e minha presença havia atrapalhado o almoço deles. Falando de almoço... Eu não tinha comido nada até aquele momento.
── Quem mandou você aqui? ── a mascarada, pela voz parecia uma mulher, começou o interrogatório naquele momento ── Você não parece membro... Daquele grupo... ── Por algum motivo eu e o grande lobo branco rosnamos ao mesmo tempo, talvez a seita tivesse tentado macular aquele lugar de alguma forma e a garota estava desconfiada por isso ── Não se preocupe, não faço parte da Seita. ── falava tentando tranquilizar a garota, mesmo sabendo que poderia ser em vão ── Então o que faz aqui? ── perguntou em tom agressivo, mesmo esta tendo uma voz um tanto melodiosa ── Eu comecei a ter sonhos estranhos, com pessoas que não conheço e nunca vi na vida... Um amigo disse para que eu viesse para cá e tentasse buscar respostas ── Por algum motivo aquela garota parecia me analisar até que seus dedos se estalaram e aos poucos tudo foi rodando ... Não sentia mais meus pés... tudo começava a ficar...preto.


Por algum motivo sabia que Chae-rin estava indo pelo caminho certo dentro daquela floresta. Aquela filha de Vênus parecia saber se virar dentro da floresta de alguma forma, havia evitado armadilhas que pessoas normais teriam caído facilmente, mas ela desfiava com alguma graça e destreza. Sentia-me inquieto dentro dela, havia algo que me incomodava e muito naquele local e por algum motivo eu não conseguia entender o que ou porque não conseguia sentir o cheiro de nada ali dentro. Perdido em pequenos pensamentos, notei que Chae estava na presença de uma garota e um lobo branco gigantesco, não maior do que eu, mas era grande para o tamanho da cria da beleza. Os olhos cinza fintavam-me de forma orgulhosa e da mesma maneira eu a encarava com os orbes vermelhos... Eles podiam me ver.

Era estranho notar que alguém podia me ver daquela maneira só olhando para o interior da alma de Chae-rin. A garota caiu no chão só com o estalar de dedos da outra que mantinha sua identidade resguardada por uma máscara vermelha... Aquilo não me cheirava bem... ── Ela sabe da sua existência? ── a garota perguntou diretamente para min e tudo que fiz foi um não com a cabeça enquanto esta se transformava em um lobo cinza ── Ela sonha com você? ── perguntou uma segunda vez e tudo que fiz foi manter o silêncio ── Não irá responder? ── arrogantemente perguntou ── O que fará com ela? ── respondi a mesma com outra pergunta ── Você apagou meu recipiente ── infelizmente sim... Ela era só um recipiente naquele momento ── Vou ajudar se você me responder... Ela sonha com você? ── um sim foi feito naquele momento, a garota aos poucos foi voltando à forma normal de humana. Esta pegou Chae no colo e começou a andar rumo à floresta ── Ela não precisa mais sonhar com você... ── ela respondia montando sobre o lobo branco para que obtivesse mais velocidade na caminhada.



" O sabor do chicote sobre o ombro do homem de pele escura era sentido por todos. Pouco a pouco os homens trabalhavam amassando uma espécie de cimento rústico feito de uma mistura de água, barro e palha; os trajes eram simples feitos de algodão batido e pouco tratado sobre o sol, este traje cobria somente a parte de baixo dos corpos esguios dos escravos...
Estalando contra o vento, o som produzido pelo chicote na mão do "feitor" produzia medo na face das pessoas e este medo parecia alimentar a chama que crescia dentro do "príncipe" que observava ao longe o sofrimento dos homens que trabalhavam incansavelmente...
"

O estranho sonho fazia com que eu me revirasse na cama improvisada, feita de folhas longas e pequenas trançadas. De forma rápida acabei por levantar e quase chocar minha cabeça contra a garota mascarada que parecia vigiar meu sono ── Você está bem? ── perguntava com um pouco de preocupação na voz ── Só tive um sonho ruim... ── respondia sentando na cama com as pernas cruzadas ── Que lugar é esse? ── perguntava enquanto ela andava em direção a uma fogueira improvisada com um caldeirão quente com uma espécie de sopa borbulhante ── Esta e minha casa... Eu a trouxe depois de coloca-la para dormir... Pelo jeito é uma semideusa romana ── um sorriso singelo surgiu em meus lábios de forma um tanto tímida, sempre me esquecia daquela tatuagem, mas a garota logo amostrou o braço esquerdo no qual havia uma tatuagem bem parecida com a minha, entretanto esta tinha o símbolo de Somnia e o número 5 abaixo ── Filha de Somnia, integrante... ── antes que pudesse continuar a garota levantou o braço me interrompendo ── Ex- integrante da Coorte V ── em sinal pacífico fiz um pequeno ok com a mão direita ── Ok... Desculpa. Posso saber seu nome? ── a garota pensou e logo retirou a capa e a máscara vermelha do rosto finalmente revelando sua face ── Me chame de Mononoke. ── disse entregando-me uma pequena tigela de sopa ── E este é Osiris. Meu amigo desde que vim para esta floresta entender sobre meus sonhos. ── Enquanto falava com a mão livre a garota acariciava o lupino cinzento que dormia a seu lado de forma calma ── Muito bonito... Seu... Amigo ── soltava aos poucos com certa dúvida enquanto olhava para a tigela de sopa e bebericava aos poucos o líquido da mesma ── Pode me ajudar? ── perguntei enfim enquanto dava um grande gole no líquido ainda quente ── Se foi enviada para cá... É porque precisa da minha ajuda... Você precisa passar por pequenas provas, antes de descobrir sobre seus sonhos... E as provas, começam agora. ── A garota novamente estalou os dedos e tudo se tornou... Escuro.

Continua




Explicação:
Esse é so um pequeno capítulo sobre a longa caminhada que a personagem em questão tem até o momento de "união" com o espírito lupino que tem dentro de si. Eu decidi por esta trama pelo fato dos poderes serem ligados ao lado espiritual... A NPC em questão acompanhará a personagem por muito tempo, por isso apresentei melhor a mesma em um spoiler separado abaixo deste.

As partes destacadas e coloridas são as partes onde Hakkeshu apresenta sua perspectiva da situação em que o "recipiente" dele está.

Mononoke:
Com máscara:
Sem máscara:
Poderes utilizados:
Filho de Somnia:
poderes ativos:
Nível 35
Nome do Poder: Metamorfose Animal III
Descrição: Já consegue se transformar em criaturas de grande porte, seu poder ficou mais forte e você aprendeu a controla-lo quase que perfeitamente. Agora mudar seu corpo para o de um urso ou elefante também é fácil. Você está se saindo bem,
Gasto de MP: 25 MP por turno usado.
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: Terá os mesmos atributos físicos ou poderes que a criatura (visão melhorada, olfato melhorado, força, veneno, depende da criatura em que se transformar).
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum

Nível 60
Nome do Poder: Hypnokinesis V
Descrição: O semideus completou o ápice do seu poder, e agora, até colocar pessoas para dormir se tornou fácil. Basta estalar os dedos que poderá induzir o sono a qualquer pessoa presente no campo, que, durante três turnos inteiros todos aqueles que forem atingidos pelo poder estarão em estado de sono profundo. (pode atingir em média até 10 pessoas ao mesmo tempo).
Gasto de MP: 180 MP
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: Não serão capazes de acordar durante esses turnos.
Dano: Nenhum
Extra: O poder entra em espera por 4 turnos.
Passivos:
Nenhum
Legado de Melione:
Poderes Ativos:
Nenhum
Passivos:
Nível 5
Nome do poder: Médium
Descrição: Os filhos de Melinoe podem ver fantasmas, mesmo quando estes estão tentando se esconder, ou ficar invisíveis, esses não escapam dos olhos da prole da deusa dos fantasmas. Isso também permite a eles que conversem e se comuniquem com fantasmas com certa facilidade, podendo entende-los, e conseguir que falem com eles.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode conseguir informações através de fantasmas.
Dano: Nenhum




♥️
Lee Chae-rin

''A força do lobo é sua matilha, a força da matilha é o lobo''
avatar
Lee Chae-rin
I Coorte
I Coorte

Mensagens : 301
Idade : 23
Localização : Acampamento Romano

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum