The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

▬ Supernova

Ir em baixo

▬ Supernova

Mensagem por Evie Farrier em Sab 11 Nov 2017, 20:31




My way to the new end
Trama Pessoal


Tópico reservado para a minha trama pessoal. Em vários momentos haverão participações especiais de outros personagens.

Atualmente: Evie é procurada pelo governo americano depois do ataque dos monstros a cidade de New York e San Francisco; a tensão no senado apenas aumentou com a nova realidade em que colocavam os humanos como um provável inimigo. As suspeitas sobre a influência de Nox (Nyx) apenas cresciam. Evie também tornou-se mãe, retirando-se por um tempo para viver em uma ilha atemporal, retornando com as crianças com 4 anos de idade. Está cada vez mais difícil lidar com as tensões e as responsabilidades, o manto roxo da pretoria parece sufocar a romana filha da noite.


Template made by Kyra


EVIE FARRIER
I am the bone of my sword. Steel is my body and fire is my blood.
avatar
Evie Farrier
Senadores
Senadores

Mensagens : 696
Idade : 21
Localização : Acampamento Romano

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ▬ Supernova

Mensagem por Evie Farrier em Dom 12 Nov 2017, 23:13




My way to the new end
Trama Pessoal


As crianças estavam fazendo uma verdadeira bagunça. Benjamin pulava do sofá fingindo que estava voando, fazendo poses engraçadas enquanto Diana aplaudia o garoto encantada com sua bravura. Já Nate estava com a mãe, entretidos em algum tipo de jogo de tabuleiro. Era um dos melhores momentos, quando chegava em casa, tomava um banho e ia ficar com minha família. Assim que adentrei a sala de jogos, corri em direção a Benjamin enquanto ele estava se preparando para um novo salto, o pegando em plena queda. O garotinho deu um grito de susto, mas logo ria enquanto eu o jogava sobre meu ombro. Diana e Nathanael correram em minha direção, segurando cada um em minhas pernas enquanto gritavam meu nome. Fingi cair sobre o sofá, sendo atacada por aqueles pingos de gente em cosquinhas e beijos. Pandora estava fora naquela noite, mas eu sabia que logo estaria mandando uma mensagem de íris ou ligando para poder ver a sua pequena princesa.

Aquele início de noite passou de maneira tranquila. Eu estava mimando meus filhotes e provocando Benjamin quando a campanha tocou. Eu o coloquei sentado em meus ombros, cada perna ao redor de meu pescoço enquanto ele tentava dizer bravamente que iria me vencer. Ao abrir a porta, lá estava a minha baixinha favorita. O sorriso surgiu naturalmente, não negando o fato de que eu adorava aquela legionária da segunda coorte. Assim como Benjamin também a adorava, pois Sun Hee o mimava – assim como também o irmão – de todas as formas possíveis.

-Ele puxou mais a mim – ri e afastei o corpo da porta, abrindo espaço para que a garota entrasse – Que ótima visita Sunny! Como você está? Quer alguma coisa? Mi casa es su casa!

Já dizia fechando a porta com o pé depois que a filha de Arcus a ultrapassou. Logo retirava o meu filhote dos ombros para colocá-lo no chão, batendo em seu traseiro como incentivo para cumprimentar a outra romana. Ela, como sempre, trazia algo para as crianças.

Mordi o lábio para evitar comentários na frente do meu pequeno, mas sabia que a Kyra reviraria os olhos ao ver aquela quantidade de doce. Como se fosse um herói carregando as regalias mais preciosas, Benjie seguiu para onde Nate estava com Diana e Kyra. O ar divertido sumiu aos poucos de minha expressão ao escutar o pedido um tanto repentino de Sun Hee, ela queria conversar comigo e a sua expressão indicava que era algo delicado. Evitei o suspiro longo, apenas concordando com um acenar de cabeça.

-Eu nunca pensei que teria uma mansão em minha vida, sabia? – comentei quando comecei a caminhar pela residência, seguindo por um corredor – Mas a vantagem é que temos muitas salas. Aqui, ninguém vai nos incomodar – disse ao adentrar na sala de cinema, inusitado, mas seria o cômodo mais confortável para uma conversa difícil – Eu vou precisar de uma bebida para essa conversa, Sunny?

Não evitei o arquear da sobrancelha e um sorrisinho de lado com a resposta ácida e “madura” da mais nova, ela garantia que daria conta do recado como uma adulta. O assunto poderia ser sério, mas não deixaria de provocar a velha amiga.

-Tem certeza? Finalmente aprendeu a beber? Porque seu histórico te condena um pouco – disse pegando uma garrafa de Martini e dois copos, seguindo em direção aos enormes sofás que existiam naquela sala – Sem rodeios Sun, o que precisa me dizer?

Era uma pessoa direta, que não precisava de muitas introduções ou explicações para entender um contexto. Servido duas dosagens do destilado para cada, ergui um dos copos em direção a garota coreana, esperando que ela o pegasse para então capturar o meu. O assunto era realmente delicado. Um aviso, um pedido, um alerta. A legionária da segunda coorte almejava que eu fosse embora de Roma, para evitar um perigo que não era fantasioso, pelo contrário. Poderia ser bastante real.

-Definitivamente esse é um assunto que precisa de bebida – disse em um tom pesado, bebendo um grande gole da bebida sabendo que ela não era do tipo tão forte. O leve ardor em sua garganta foi mais do que bem-vindo – Eu sei que o perigo está se tornando ainda maior Sun, foi pensando nas crianças que eu fui para aquela ilha! Sei que aqui passou um mísero tempo, mas lá eu conheci o que era felicidade de verdade – encarei o copo por alguns segundos enquanto o girava, para só então virar o rosto em direção a mais nova – Eu não quero fugir, não posso abandonar os romanos Sun. Eu quero que eles sintam o mínimo de felicidade que eu senti naquele lugar, sentindo a segurança. Eu não posso abandonar o meu lar.

Minha lealdade poderia ser colocada em questão inúmeras vezes, mas ninguém conseguiria de fato contestá-la. Minha vida desde que tinha me tornado uma mera centuriã da segunda coorte era servir e proteger os legionários. Tornar aquele inferno de mundo minimamente bom para os semideuses. Não seria covarde e muito menos os abandonaria, não naquele momento tão delicado e cheio de necessidades de alguém que os guiasse. Não me importava que soasse arrogante ou prepotente o fato de acreditar que eu era essa pessoa a guia-los e protege-los. Afinal, qual líder seria realmente bom para seu povo se não pensasse dessa forma?

A reação da coreana me surpreendeu um pouco. Eu observei mais atentamente a garota que me fazia companhia. Ela estava mudada, tinha crescido e se tornado uma mulher, chegando até mesmo a noivar e encontrar um novo amor. Recostei sobre o estofado enquanto a escutava, absorvendo as palavras e o pedido de alerta. Bebericava o álcool até ele ter terminado, até quase tomar um pequeno susto não com o ato da minha companheira de coorte, mas sim com a sua velocidade e destreza em realizar a ação.

-Eu agradeço, de verdade, a preocupação Sunny. Eu ficarei mais atenta não só comigo, mas com as crianças também. São tempos difíceis esses, fique com o brinco. Eu me sinto mais segura sabendo que eu tenho alguém como você do meu lado – toquei o joelho da garota de maneira gentil, abrindo um sorriso sereno que pouco era exibido para os outros legionários – Obrigada Sun, eu sei que você sabe, mas não posso deixar de comentar nesse momento. Quando disse que iria proteger os romanos, isso inclui principalmente você que é como uma família para mim.

Não estava mentindo quando disse que iria ficar atenta e em alerta. O futuro era demasiadamente perigoso e hostil. O meu erro foi pensar que isso estava em um momento a frente, quando na verdade, estava bem ali em meu presente.

(...)


A reunião naquele dia estava mais longa do que o de costume. O Senado estava dividido em opiniões e incertezas. Todos pareciam querer opinar sobre as dificuldades que enfrentamos e, infelizmente, muitos buscavam soluções que fossem ajuda-los de alguma maneira. Afinal, aquilo dali ainda era política. Pontos de pautas foram discutidos, debatidos e criticados. A situação em Nova Roma estava beirando a uma pequena crise, pois sem a liberdade de andar no mundo humano sem ter a respiração pesada da Seita em nossa nuca dificultava o fornecimento de muitas coisas em vários departamentos diferentes.

Ao falar da Seita, todos entravam em alvoroço. Ex-centuriões que agora eram senadores exigiam uma resposta mais agressiva, um ataque antes que fossem necessárias algum tipo de defesa. Outros, mais pacifistas, lembravam que aqueles eram humanos que não possuíam o conhecimento da verdade e que, confusos, estavam apenas atacando por puro medo. Foi em meio a esse debate que o assunto começou a ficar delicado e cada vez mais tenso.

Naquela reunião em específico eu não contava com Becka ao meu lado para auxiliar na animosidade do ambiente. Eu estava posicionada em um acento de destaque, os ombros tensos, expressão neutra, olhar afiado repousando sempre no locutor da vez. Minha postura apenas piorou quando o assunto se tornou a suposição de que Nox, a deusa primordial que promovia todo o conflito, tinha aliados semideuses.

-Nós recebemos cada vez mais relatos de semideuses que dizem encontrar pessoas suspeitas em suas missões! – argumentava um senador franzino e baixo, mas extremamente inteligente e sagaz, charmoso e muito bem arrumado. Seu nome era Laurent e possuía grande influência política – Há cada vez mais indícios de que meios-sangues podem estar envolvidos com a deusa.

-Quem se atreveria a aliar-se contra os olimpianos? – alguém argumentou mais à esquerda.

-Não faz muito tempo que os jovens se aliaram aos titãs, meu caro! Não se esqueça daquela traição pois ainda sofremos com a escolha de alguns poucos!

-Talvez possamos saber a opinião de nossa Pretora sobre o assunto. Não há de negar que possui uma certa condição para que sua voz tenha um peso diferenciado nesse ponto de debate.

Por mais que meu coração disparasse sempre que o assunto era esse, minha expressão permaneceu imutável. Respirei controladamente pelo nariz e ergui meu corpo lentamente. O silêncio foi quase absoluto, existindo cochichos aqui e acolá. Meu olhar encarava Laurent, o senador que havia solicitado a minha opinião.

-Não podemos descartar a possibilidade de que alguém está ajudando Nox – fui sincera e firme em cada palavra – Relatórios de pessoas em que eu confio e acredito na fidedignidade de seus atos trouxeram situações que já foram pontuadas aqui, nesta mesma sala. Gerrard da segunda coorte avisou sobre um QG em pleno parque turístico. Kyra trouxe um panfleto sobre um chamado para mudanças radicais, encontrados com um semideus que ela rastreava e...

-Curioso você ter tocado nesse assunto – fui interrompida por Laurent – Não foi esse o mesmo semideus que você alegou ter pedido eutanásia?

Os murmurinhos tornaram-se mais intensos. Meus punhos fecharam automaticamente ao lembrar de algo tão antigo e que ainda permanecia como uma ferida aberta em meu peito. Não por achar que havia agido de maneira errada, eu o repetiria caso a situação sofresse um replay. Era a ideia de que uma criança morrera por toda uma situação caótica, provocado e incitado por aquela que deveria ser minha mãe, que magoava aquele órgão estúpido dentro de meu peito.  

-Alfonso deixou um relatório bastante completo do que aconteceu e o quadro de saúde explicito – lembrei de maneira enfática – Foi um pedido do garoto, não um desejo meu!

-Porém este mesmo relatório ainda possui lacunas de seus atos, ele usa citações de fala suas para explicar o que aconteceu dentro da enfermaria. Sim, o garoto sofria! E com razão! Enfrentou uma mantícora e teve seu veneno instalado em sua medula, mas...

-Mas o que, senador? – o interrompi firmemente e um tanto brava – O que você quer provar com isso? Não temos tantos curandeiros quanto o Acampamento Meio-Sangue, o garoto sabia das consequências e o que enfrentaria no futuro e fez uma escolha baseada nisso. Consequências estas ditas pelo enfermeiro chefe e não por mim!

-Porém essa não é a primeira lacuna em seus relatórios, Pretora Farrier!

-Eu estou sendo acusada de algo, Senador Laurent?

-Talvez eu possa trazer alguns pontos sobre você que torne seus atos algo a serem revistos. Eu tenho argumentos para tal.

Geralmente eu não ficava tão nervosa em momentos como aquele. Eu conseguia lidar com pessoas como Laurent o tempo inteiro, pois para mim era a forma de sobreviver a política e permanecer no meu cargo. Mas havia algo nele, algo na forma que seu olhar me fitava que provocava calafrios em minha espinha. O mal pressentimento me fez olhar para os lados, vendo que os senadores concordavam e permitiam que aquele homem falasse. Como se fosse um ator a fazer uma grande performance, Laurent levantou e começou a falar no meio do salão enquanto eu retornava para o meu lugar e também o escutava. Primeiro começou sobre os meus relatórios, argumentando que os tinha relido e pontuou vários pontos inconclusivos. Eu não poderia me defender disso, pois o fiz propositalmente. A vontade de proteger certas peculiaridades minhas, como o fato de possuir o DNA de Belona ativo completamente em meu corpo e espíritos. Porém isso era um debate antigo que volta e meia retornava pela necessidade de controle que Roma tinha.

-Isso tudo já foi pontuado anteriormente, Laurent, porque trazer à tona e nos desviar do que realmente importa? – o questionei de maneira séria.

-Em uma de suas primeiras missões depois de assumir a pretoria, você solicitou partir em busca de semideuses que estavam desaparecendo misteriosamente. Encontrou um clube clandestino e enfatizou as condições cruéis de batalhas, um jogo onde a morte era a única forma de sobreviver. E antes que me interrompa para saber onde eu quero chegar com isso é... Por que nossa estimada Pretora escondeu o fato de que matou semideuses durante a empreitada?!

Daquela vez, por uma mísera fração de segundos, eu não consegui conter o semblante de surpresa e choque. Ninguém além das pessoas de meu círculo mais próximo sabia do que tinha acontecido realmente naquele lugar. Fora uma carnificina, uma morte atrás da outra para entretenimento de outras pessoas. Eu tinha deixado fora do relatório final o fato de que tinha matado dois semideuses durante as lutas, por pura defesa própria. O motivo? Eu teria de explicar como teria ganhado de um filho de Ares quando não tinha poderes de combate fortes o suficiente para tal. Ao menos não para uma jovem filha da noite.

Laurent havia conquistado o seu trunfo. As perguntas vieram como verdadeiro bombardeio, as vozes se misturavam e pela primeira vez eu tinha a sensação de que meus pés não se equilibravam no chão. O mundo estava desmoronando enquanto a desconfiança deles se tornavam acusações reais. Eles realmente acreditavam nas coisas que diziam! Eles ignoravam tudo o que eu rebatia e defendia. Não importava nada do que eu tinha feito, do quanto havia me machucado, de quantas vezes havia caído por Roma.

Eles sempre veriam a filha da deusa Nox, não uma legionária. Alguém que eles precisavam depositar a culpa para se acharem úteis. Por mais que eu tenha me doado por aquele lugar, os líderes de meu lar viravam as costas para mim.

-Eu proponho que Evie Farrier seja destituída de seu cargo e banida de Roma! – Laurent exclamou enfático, seu tom vitorioso e firme – Não poderá exercer mais influência sobre nós, filha de Nox! Não poderá fornecer mais informação nenhuma!

-Nós temos de prendê-la! – a voz de outro senador sobrepôs a dele.

-Sim, ela sabe demais e pode ter informações do inimigo. Guardas! Prendam-na!

-Não! – Laurent exclamou surpreendendo até mesmo a mim – Prisão é um extremo, um limite que não devemos ultrapassar, estaremos prendendo um romano!

-Não podemos nos dar o luxo de deixa-la escapar como você propõe, Senador. Lidaremos com a burocracia e o júri popular, mas não deixaremos que ela escape! Guardas, vocês são surdos?!

Eles não eram, mas todos os guardas ali eram campistas. Semideuses romanos jovens, que eu mesma havia treinado em determinado momento. Eles me fitavam confusos, um tanto amedrontados. Inspirei fundo encarando cada um deles, percebendo finalmente o que Sun Hee queria dizer. Aqueles homens com sede de poder estavam amedrontados, sentindo-se ameaçados e estavam agindo perante seu instinto podre de sobrevivência. Eu poderia fugir naquele momento, abrir um portal e escapar. Mas o meu orgulho gritava mais alto, minha lealdade permanecia inabalada mesmo que meu coração sangrasse com aquele ataque covarde. Ergui meu queixo com toda a honra que eu possuía, caminhando em direção aos dois guardas mais próximos. O silêncio se fez presente desde o momento em que eu dei o meu primeiro passo, todos os olhos me encaravam como ávidos espectadores. Levei minhas mãos para as presilhas de meu manto roxo, o retirando em um movimento quase teatral para deixa-lo cair no chão.

-Isso será resolvido logo, pois nada tenho a esconder – disse em bom som, encarando Laurent e todos os outros que haviam me acusado – Isso ainda não acabou, cavalheiros, eu não sou o inimigo.

Ofereci as mãos para os guardas para que eu fosse presa, mas ao invés disso, eles bateram a mão sobre o peito e curvaram a cabeça dando-me passagem. Aquele foi como uma pequena dose de balsamo na ferida enorme que estava aberta e sangrava. Ainda lutaria por aqueles romanos, porém, por enquanto, aceitaria aquela derrota com um gosto amargo em minha boca.



Ps: Aplicando o pack de duplicador de exp presente em meu perfil.


Template made by Kyra


Última edição por Evie Farrier em Ter 14 Nov 2017, 01:56, editado 2 vez(es)


EVIE FARRIER
I am the bone of my sword. Steel is my body and fire is my blood.
avatar
Evie Farrier
Senadores
Senadores

Mensagens : 696
Idade : 21
Localização : Acampamento Romano

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ▬ Supernova

Mensagem por Sun Hee em Seg 13 Nov 2017, 21:44

Estrela finita

"Be afraid of the fear"
Sun Hee jazia em seu estado catatônico habitual, tínhamos ganhado essa relação parasita e ela era a pior inquilina da história, sempre cansada, magra e abatida. As coisas melhoraram de certa forma, desde que a garota se apegou à maldita ideia de andar com uma celestial.

A magia primordial de Éter inibia minha fala e consciência no corpo miúdo da semideusa, mas ao final do dia, quando voltávamos a ficar sós entre nós, então eu garantia que ela não esquecesse que me tinha ali.

Unidos como uma maldição, seguiríamos juntos por longos anos até que eu pudesse me apropriar de forma decente de um corpo sadio com uma mente obliterável. Sem comer,sem dormir e sem viver, estávamos limpando a lâmina prismática quando uma mensagem de Íris abriu-se para a garota.

Era Mephis.

- Sun, não podemos mais negligenciar a pretora de Júpiter. – Disse o indiano.

A frase parecia simples, mas carregava muito mais significado na sua simplicidade fônica do que um desavisado poderia captar. Evie era considerada uma das mais fortes aliadas dos deuses, a pretora era conhecida por feitos icônicos e era de conhecimento de sua própria mãe que a semideusa jamais se aliaria a causa, mas pelo contrário, tinha um poder imenso para parar os semideuses por força e eis algo que nem apropria Sun Hee imaginava, mas em anos de prática um demônio como eu não deixaria passar despercebido: Evie tinha o poder de levar Sun Hee de volta a si, uma das mais dedicadas aliadas da deusa.

O que Mephis dizia, era que chegara a hora de Eliminar Evie, mas Sunny já tinha um plano para proteger a pretora e guardar seus filhos gêmeos e parceira, evitando que a fúria da noite abatesse seus protegidos. Assim como já havia feito com Samanta, provando à Nox que detinha poder para dominar a poderosa filha de Ares.

- Uma semana e se eu não resolver, vocês podem tê-la. – Foi o que respondeu e nada mais.

Sun vestiu-se, armou-se com armas que viravam objetos cotidianos e seguiu até a casa da Pretora, no caminho, comprou alguns pães doces e bolinhos, para mimar as crianças, e alguns brinquedos.

Tocou a campainha pacientemente e aguardou.

Do outro lado da porta Evie a recebeu com uma criança pendurada em seu ombro, dando pequenos socos e dizendo que a venceria. Um pequeno trombadinha.

- Vejam só, como o Benjie está forte e peligroso!– Disse a menor.

Sunny colocou a cesta de doces e pacotes de brinquedos no chão, dando instruções precisas para que o pequeno dividisse os doces com a família e entregasse os presentes ao seu gêmeo e sua amiguinha. Tudo isso usando uma voz estranha e melosa, meu pai... por que humanos falam igual retardados com crianças?

- Evie, precisamos conversar. - falou em um tom mais pesado quando o pequeno se distanciou e então completou. - Em um lugar privado.

Ao ouvir a nada humilde resposta da pretora, a garota suspirou, mantendo um sorriso confortável em seu rosto. Ela parecia confortável em estar com aquela família, era como parte dela naquele instante.

- Dose dupla, sim? Aliás, deixa a garrafa perto. – Comentou, ao passo que a filha de Nyx respondeu com uma brincadeira, trazendo à conversa lembranças de um passado entre elas.

- Sou uma menininha crescida agora. - respondeu no mesmo tom irreverente, mas logo assumiu a expressão séria para seu aviso. Não iria rodear com quem dispensava as bobagens sociais. - As crianças estão em perigo, Roma não é mais um lugar seguro, Evie. A seita está atrás de você e da Kyra, Nox está cada vez mais próxima. Vamos sair daqui! O senado está com medo, e eu tenho medo de homens acuados.

Não era habitual que Sun Hee demonstrasse maturidade e conhecimento sobre a política romana, não era do interesse da semideusa parecer importante entre os demais semideuses, mas sabia que Evie levaria a sério seu aviso e não duvidaria da sua capacidade de observar o comportamento dos semideuses.

Além disso, a forte ligação da Sun com o mundo humano, através de seu pai, dava à garota um certo know-how para lidar com a seita e entendê-la. Mas a pretora não se dobrou, como Sun suspeitava que pudesse acontecer.

A lealdade da Romana era inquestionável, isso era assustador porque Evie não sabia as reais preocupações da serva da noite. Sun era quase uma agente dupla, protegendo aquilo que iria destruir, prova que seu coração ainda não estava de todo corrompido, mas acreditava nas bobagens de Nox.

- O mundo se tornou mais perigoso do que você pode enxergar agora.

Sun bebeu em uma golada o líquido alcoólico e olhou para a outra romana num tom sério e de alerta.

- Eu poderia matar para defender vocês e não hesitaria. - Disse num tom sério e despejado, realmente imaginando vários rostos que poderia precisar desfigurar. - O senado é conduzido por porcos, Evie, sua lealdade não será retribuída. Você é filha de Nox, eles precisam de culpados, eu já vi essas cenas antes e eu sei onde acaba.

Mas sabendo que argumentar contra um idealista é apenas uma perda de tempo, a asiática serviu-se novamente de Martine.

- Eu acho que não tem convencimento, mas minha intuição me diz para manter os olhos abertos, Evie. Mantenha um dracma a mão e sabe como me encontrar.

Sem muito pudor, Sunny pegou o brinco da pretora, usando sua agilidade incrementada.

- Quero poder te rastrear, mas não se preocupem que não faço o estilo voyer ou stalker weird. Eu só quero cuidar de vocês.

(...)

Mais tarde, naquela mesma noite, Sun colocou seus pequenos miolos traiçoeiros ao trabalho. Tinha que pensar em como expulsar Evie do perigo ao mesmo tempo que mantivesse sua lealdade à Nox inabalável.

”Sun Hee, para quê gastar ruga com isso? Deixa o povo morrer... além do mais, o próprio senado deve estar se borrando da pretora ser uma filha de Nox.

Eu destilei meu veneno habitual, coisinha básica, só para que ela lembrasse que eu estava ali. Mas isso pareceu ativar a mente da pequena. Com um salto da cama, os ossinhos dela se puseram a organizar coisas de forma apressada.

Pulseiras, anéis, chaveiro... vários itens foram amontoando-se no formato de acessórios enquanto a menina organizava-se. Manipulando a luz, Sun tornou-se invisível e usando seus tênis de corrida, deslocou-se acelerada na direção da casa de um dos senadores: O senador Laurent.

Não demorou para que a garota corresse até a casa do homem, uma mansão próxima à de sua amiga pretora, com um belo sistema de segurança, criado pelos melhores forjadores da Nova Roma. Sorte a da Sun que suas habilidades furtivas eram o bastante para guia-la sem dificuldade pela sua missão.

A filha de Arcus manipulou o próprio corpo, tornando-o intangível como as partículas de luz, atravessando a parede do bom político e levitando, ainda invisível para dentro do imóvel. A menina procurou os aposentos do semideus e não demorou muito para encontrar.

Laurent era um velho, como todos os outros velhos detentores de poder. Branco, estranho, meio estúpido, mas com bastante lábia. Um filho de Mercúrio e legado de Apolo. Não acumulara grandes feitos na vida, mas era um bardo impressionante.

Para a alegria de Sun, a idade já havia alcançado a lombar do pobre senador, ele já estava repousando ao lado da esposa, uma filha de Vênus que estava mais preocupada em esconder as rugas do que nos reais perigos que assolavam os semideuses.

“Tão típicos...”

Sunny concordou comigo acenando a cabeça com uma expressão de desgosto e afirmação, realmente, não havia como sentir qualquer piedade daquele conjunto ali, eu por mim arrancava pescoços, mas Sun tinha outros objetivos.

A garota escondeu-se debaixo da cama, então projetou seu espírito para fora do corpo.

...

Era um alívio me livrar do Leviatã, mas era estranho ver meu corpo ainda consciente na minha ausência, cada dia mais o demônio tornava-se mais forte e mais enraizado em minha mente, agora, quando eu deixava meu corpo, ele não repousava em sono profundo. Mas mantinha os olhos abertos e observando ao redor.

O demônio podia sentir, ouvir, ver e até controlar os movimentos dos meus olhos, isso levava-me a questionar se em breve teria força o bastante para controlar meus membros e tomar meu corpo novamente para si.

Bem... first things, first. Agora eu precisava adentrar outro corpo. Laurent estava dormindo, portanto não ofereceu resistência ao meu controlo, em alguns instantes eu estava infiltrada em sua mente vulnerável, logo espalhando medo, inutilizando-o e tomando-o para mim.

Logo que consegui dominá-lo, puxei o meu corpo de volta e pude ver claramente a expressão no rosto que me dizia: “ei, devagar com isso!”.

”Sem tempo para encucar com isso, logo vai amanhecer...”

Abri uma mensagem de íris para meu autômato e transportei meu corpo de volta para casa, deixando-me deitada na cama, antes de voltar para a casa do senador. Era mesmo estranho encarar meu rosto com expressão, mas ainda não era tempo de pensar nisso.

(...)

Reuniões de velhos poderosos era extremamente chato. Pautas e pautas, politicagens sobre politicagem... todos cuidando de seus umbigos feiosos – fingindo o interesse no bem comum – e se desesperando ao falar da seita.

- Devemos ataca-los antes de nos tornar vítimas! – Comentei, como Laurent, em algum dos murmúrios, deixando-os mais enervados a fim de conseguir o que queria.

Logo o assunto se estendeu a Nox, não foi difícil leva-los à conclusões estúpidas, encaminhando-os por memórias difíceis de aceitar e levando-os a sucumbir ao medo... tudo ia bem até algum estúpido dar a ideia imbecil de prender a Evie.

-Não! – Gritei, inflando as narinas e batendo na mesa. – Prisão é um extremo, um limite que não devemos ultrapassar, estaremos prendendo um romano!

Mas o medo dos homens ultrapassa em muito seu senso de justiça. E eles estavam prestes a começar um erro estúpido sem nem ao menos racionalizar sobre isso. Precisei conter o ódio que se instalou no meu coração, marcando cada rosto que fora a favor daquilo.
”Pagarão muito caro por sua tolice, caros senadores”

E assim vi Evie levantar-se, lançando-me um olhar desafiador antes de encaminhar-se para a prisão.

Devolvi Laurent à sua casa, e projetei as memórias do ocorrido em sua mente, devolvendo meu corpo astral ao meu corpo.

...

Eu não soube o que havia acontecido no tempo em que a garota esteve fora, mas o que disse assim que voltou me fez crer que as coisas ficariam um pouco mais complexas.

“Matarei cada um de vocês.”

Dito isso, Sunny levantou-se e abriu mensagem de íris à Kyra. Atravessou com teleporte e abriu um novo portal para fora de Roma.

- Vamos sair daqui por hora, a Evie foi presa e o senado não quer justiça, mas apontar dedos. Não adianta discutir pelas vias legais, proteja as crianças e eu vou tirar a Evie da prisão.

Kyra não argumentou daquela vez. Mas o que teria para ser argumentado, não é mesmo?


Informações:
Habilidades Passivas:
Nível 1
Nome do poder: Paciência Gloriosa
Descrição: O filho da Deusa possui uma paciência inabalável, assim nenhum insulto o atingirá, nem mesmo dos filhos de Ares/Marte, e ele prosperará harmonia. Essa calmaria geralmente atinge o inimigo de uma maneira que pode fazer com que ele não queira atacar o filho de Iris/Arcus.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Por uma rodada o inimigo pode se sentir tão calmo, a ponto de hesitar em atacar. Atordoamento temporário.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Aparência inofensiva
Descrição: Por serem coloridos e muitas vezes fofos, os filhos da deusa mensageira aparentam ser inofensivos, isso faz com que o inimigo o subestime, podendo até ser ignorado pelo inimigo, se ele não for o alvo principal.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Por uma rodada o inimigo pode ignorá-lo ou perder um ataque para desdenhar da aparência do semideus.
Dano: Nenhum

Nível 15
Nome do poder: Boa Memória
Descrição: Como filho da deusa mensageira, você tem uma excelente memória para arquivar as mensagens que recebe, bem como os lugares por onde passa.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: - 50% de chance de se perder ou esquecer uma mensagem ou profecia
Dano: Nenhum

Nível 18
Nome do poder: Misericordioso
Descrição: Misericórdioso(a) como sua mãe, você pode doar uma parte do seu HP ou MP para um companheiro.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode doar até 50% do seu HP ou MP para seu companheiro uma vez por missão.
Dano: Nenhum

Nível 40
Nome do poder: Agilidade III
Descrição: Sua agilidade aumentou consideravelmente, e agora o seu tempo de reação é muito menor.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +25% de agilidade
Dano: Nenhum

Nível 31
Nome do poder: Visão infra vermelha
Descrição: Além de todo o espectro de luz visível, os semideuses filhos de Íris/Arcus passama conseguir enxergar o expectro infra vermelho, sendo capazes de enxergar normalmente em ambientes escuros.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguem enxergar no escuro.
Dano: Nenhum

Nível 33
Nome do poder: Absorção de cores
Descrição: Pode absorver as cores de objetos inanimados e assim recuperar até 30% de MP.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: + 30% MP
Dano: Nenhum

Nível 54
Nome do poder: Flexibilidade Nata II
Descrição: Você se tornou ainda mais ágil, e seus movimentos graciosos também se tornaram mais precisos, consegue curvar o corpo, e move-lo de uma maneira impressionante, o que faz com que em batalha, torne-se ainda mais esquivo, e seus movimentos fiquem mais ágeis.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +40% de chance de esquivar-se de um ataque.
Dano: Nenhum


Nível 57
Nome do poder: Velocidade III
Descrição: Você virou um corredor nato, consegue se locomover com facilidade, e isso aumentou sua esquiva, com sua velocidade, seus ataques corpo a corpo também se tornaram mais precisos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +40% de velocidade
Dano: Nenhum

Nível 59
Nome do poder: Cromocura III
Descrição: Você conseguiu compreender como seus poderes funcionam, e agora ao usar o arco íris para se curar também consegue recuperar uma quantidade de energia maior, e ferimentos mais graves se tornam apenas pequenas cicatrizes, mas isso leva algum tempo. (Só pode ser usado uma vez a cada 3 turnos).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +60 HP e +60 MP ao entrar em contato com um arco Iris.
Dano: Nenhum
Habilidades Ativas:


Nível 18
Nome do poder: Criações de Plasma II
Descrição: Capaz de criar mãos, pés, chicotes ou garras de plasma multi-colorido. Duração de 3 turno.

Gasto de Mp: 30
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 22
Nome do poder: O Buscador
Descrição: Já imaginou se Íris/Arcus perdesse suas correspondências? Não, não mesmo, por isso os filhos da deusa mensageira podem encontrar objetos perdidos ou os donos desses objetos, através dessa habilidade que cria um rastro luminoso visível apenas para os filhos da deusa que o guiam até o objeto ou o dono.  
Gasto de Mp: 30
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 57
Nome do poder: Desmolecularização luminosa
Descrição: Assim como as partículas de luz, o semideus poderá transformar as moléculas do seu corpo em ondas, conseguindo atravessar paredes e outros objetos.
Gasto de Mp: 30
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 61
Nome do poder: Teleporte III
Descrição: Permite o filho de Íris/Arcus teleporte  além de objetos, a si mesmo e até mais dois companheiros através das mensagens de íris/Arcus.
Gasto de Mp: 80
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 64
Nome do poder: Cromoterapeuta III
Descrição: Ao incidir um espectro de luz sobre as feridas do seu companheiro, será capaz de recuperar algumas feridas e um pouco da energia deste.
Gasto de Mp: 80 MP por turno usado.
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +50% HP e +50% MP ao iluminado.
Dano: Nenhum


Itens:


Fada da Ira [Um autômato humanoide advindo da série “7 Pecados”. Ele possui inteligência artificial, podendo responder ao dono de maneira autônoma e independente. Porém, segue a programação de proteger a sua dona sem perder a personalidade. Possui 50 cm de altura e o metal apesar de avermelhado é feito de BC, também é composto por asas de fadas proporcionais ao seu tamanho. Sua personalidade segue o seu pecado, é nervoso e de pavio curto, parece estar prestes a atacar qualquer coisa a qualquer momento. Sua voz é como a de um esquilo cantor | Quando a sua dona está em risco, Ira poderá auxiliá-la. Nesse momento, ele pode continuar com sua pequena estatura, lançando bolas de energia a partir das mãos e olhos, provocando apenas 5 de dano, mas provocando uma sensação intensa de irritação na área atingida. A sua segunda forma possui o dobro do tamanho e usa ataques de combate a curta distância, retirando o dano normal advindo do principal metal de sua composição | Material: BC, Engrenagens | Espaço para uma gema simples | Beta | Status: 100%, sem danos | Ganhado no Evento: A mente liberta]

Colar Unicórnio [Uma correntinha de ouro branco, discreta, com um pingente de unicórnio. Foi encantado com um feitiço para confundir a mente, ocultar a presença e mudar a aparência, fazendo seu portador parecer alguém completamente normal. | Efeito: impede os monstros de sentirem seu cheiro, ou a identificarem como uma semideusa. Aos olhos deles a semideusa simplesmente não existe, passa despercebida, e o mesmo acontece com seres que lhe rodeiam, como Ninfas e Satiros, e inclusive, semideuses. | Ouro branco | Resistência: Gama | Status: 100%, sem danos | Mágica |Presente de Evie, Encantado por Pandora]

Sangue e Suga [Um par de brincos para segundo furo, que fora banhado em sangue de unicórnio e misturado ao sangue da prole de Iris que foi unificado com uma runa de ligação e selado com um feitiço de invocação. | Efeito: Permite a semideusa invocar seu mascote para o campo sempre que estiver correndo perigo, precisar de um transporte rápido ou de ajuda. Para invocar o unicórnio a semideusa precisa doar uma pequena gota do seu próprio sangue e ativar a magia do brinco.| Ouro branco | Resistência: Gama | Status: 100%, sem danos | Mágica | Encantado por Pandora]


• Mochila sem fundo [Mochila de prata com material simples, sem bolsos laterais, com um único zíper, uma única entrada e uma única saída.| A mochila não possui fundo, foi encantada para caber inúmeros objetos, ou seja, seu espaço é infinito, tudo que você colocar dentro dela permanece ali, desde que passe pela parte de cima, ou seja, você precisa conseguir colocar o item pelo buraco, que é largo o suficiente para passar até uma panela de pressão. Para pegar o item de volta basta colocar a mão dentro da mochila e pensar nele, e ele retorna para suas mãos.| Indefinido | Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos |Lendário e mágico | Loja especial do dia dos namorados]

• Pulseira de perícia  Avançada [Pulseira de couro que se ajusta perfeitamente ao pulso do usuário, possui amarras de cordinhas na parte de baixo, então é fácil de equipar-se com ele, se for cortado, ou destruído, perde totalmente o efeito, ou seja, é preciso estar em uso, no pulso, para que o efeito continue a ser efetivo para o semideus, do contrário, ele perde o bônus da perícia completamente, só funciona através da pulseira | Aumenta a perícia de Foices em +50%, provocando um dano de +30% | Couro | Sem espaço para gemas| Sigma | Status: 100% sem danos | Mágico |  Loja especial do dia dos namorados]


Adaga demoníaca: A arma curta - feita de uma mistura de ferro estígio e aço comum - é tão letal para homens quanto para monstros. Envolta em energia negra, a adaga, tem a habilidade de causar pequenas dores a mais e uma sensação de desnorteamento em seu alvo. Além do mais, pode se facilmente arremessada, já que esta volta para seu dono em apenas um turno. Quando não utilizada transformasse em um anel negro com pequenos pontinhos brilhantes. - Indestrutível - {By Tay}

Magnus: As foices duplas de ferro estígio tem, provavelmente, a metade do tamanho de uma foice normal, não passando de 40 cm. Mas para compensar, são extremamente leves, sendo armas inigualáveis nas mãos de campistas ágeis. Podem ser arremessadas sem qualquer problema, voltando para a mão do usuário como faria um boomerang, caso não fique presa em algum lugar. No caso de ficarem presas demoram apenas 2 turnos para voltarem na forma de uma corrente. - Quando desativadas viram, em conjunto, uma corrente com pingente em forma de estrela- Inquebrável - {By Tay}
Dark Ring [Um anel escuro como a noite, com pequenos escritos em ouro brilhante – runas – e frases de incentivo | Efeitos: o anel dobra a força do semideus em 25% durante três turnos. O tempo de ativação da runa selada com a marca de força extra, runa de resistência, mais marca de força do cajado de Pandora | Material: metal escuro | Espaço para uma pedra | Gama | Status: 100%, sem danos | Mágico | Encantado por Pandora, comprado no Pandevie Magie] (2x)

• Pulseira de perícia Avançada  [Pulseira de couro que se ajusta perfeitamente ao pulso do usuário, possui amarras de cordinhas na parte de baixo, então é fácil de equipar-se com ele, se for cortado, ou destruído, perde totalmente o efeito, ou seja, é preciso estar em uso, no pulso, para que o efeito continue a ser efetivo para o semideus, do contrário, ele perde o bônus da perícia completamente, só funciona através da pulseira | Aumenta a perícia de espadas em +50%, provocando um dano de +30% | Couro | Sem espaço para gemas| Sigma | Status: 100% sem danos | Mágico | Loja especial do dia dos namorados]

• Pulseira de perícia Avançada  [Pulseira de couro que se ajusta perfeitamente ao pulso do usuário, possui amarras de cordinhas na parte de baixo, então é fácil de equipar-se com ele, se for cortado, ou destruído, perde totalmente o efeito, ou seja, é preciso estar em uso, no pulso, para que o efeito continue a ser efetivo para o semideus, do contrário, ele perde o bônus da perícia completamente, só funciona através da pulseira | Aumenta a perícia de arcos em +50%, provocando um dano de +30% | Couro | Sem espaço para gemas| Sigma | Status: 100% sem danos | Mágico | Loja especial do dia dos namorados]


(Velociraptor linha Luxo [ Nessa linha não é apenas o conforto que predomina, mas também o poder, apesar de aparentar ser um tênis comum, esse foi fabricado para auxiliar e estimular o semideus a melhorar seus movimentos em combate, o tornando mais forte e mais rápido | Efeito 1: O calçado muda de acordo com o dono e suas preferências, o tênis será alterado magicamente para o modelo que mais o agrada. Efeito 2: Promove +40% de velocidade ao portador. Efeito 3: Quando estiver com o tênis nos pés, golpes relacionados as pernas, como chutes ou saltos ganham 30% a mais de força | Material mágico especial |Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos | Mágico | Comprado na Ferreli & García - Mode et style]

Leather Armor [Uma armadura leve unissex, composta mais por tecido reforçado e mágico do que por metais. É uma armadura do tipo leve, propícia para jogadores que buscam mais mobilidade e velocidade em seus movimentos. Ela pode ser considerada completa, por cobrir praticamente todo o corpo do seu usuário e incluir até mesmo um capuz que esconde o rosto. Ela possui muitas aberturas para se esconder armas de porte pequeno, como punhais, facas e adagas. | Efeito 1: Diminui os ruídos de movimento em 70%, tornando mais difícil escutar o portador dessa armadura enquanto se move. Efeito 2: aumenta em 25% a agilidade, equilíbrio e reflexo. Efeito 3: Ao usar o capuz, a presença do usuário reduz em 30%, tornando mais difícil de identifica-lo caso se dedique a ser mais discreto | Tecido reforçado e mágico | Beta | Espaço para uma gema Espaço para uma joia/gema | Status: 100%, sem danos | Mágico | Comprado no Ferreli & García - Mode et style]

Vitesse [ Uma confortável blusa de algodão, cuja cor fica à escolha do cliente no momento da compra. | Efeito 1: A blusa é leve e agradável, além de ter um efeito mágico que melhora a velocidade do usuário em 30% | Efeito 2: O tecido não suja e não adquire manchas, permanecendo impecável e cheiroso independente das situações ao qual seja submetido | Algodão mágico | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Comprado na Ferreli & García - Mode et style ]

Poderes de demônio de Nox :
Passivos:
Nível 10
Nome do poder: Atributos melhorados II
Descrição: Os demônios da noite conforme evoluem, conseguem desenvolver um pouco mais seus movimentos de esquiva, velocidade e salto, ganhando uma vantagem extra de campo ainda maior.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Durante o dia ganham + 15% de velocidade, esquiva, e salto, durante a noite essa porcentagem dobra, vira +30%.
Dano: Nenhum

Nível 16
Nome do poder: Vazio
Descrição: A mente do demônio se torna invulnerável, nesse nível, nenhum semideus com poder inferior ao do demônio será capaz de invadi-lo, ou ler sua mente. Por esse motivo, se alguém tentar fazê-lo, dará de cara com algo oco, ou uma parede de bloqueio.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poderes de invasão de mente com nível inferior ao seu não terão efeito sobre você.
Dano: Nenhum

Nível 18
Nome do poder: Perícia com Punhais e Adagas V.
Descrição: Os demônios possuem uma facilidade natural com o manejo de tais armas, podendo rapidamente usá-las em uma ofensiva quanto na defensiva.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +30% de assertividade no manuseio de Punhais e Adagas.
Dano: + 25 de dano ao ser acertado pela arma do semideus, pois a precisão será mais certeira.
Extra: Nenhum.

Nível 20
Nome do poder: Força II
Descrição: O seu personagem ficou ainda mais forte, conforme a evolução de seus dons e poderes. Seus treinamentos lhe trouxeram resultados imprescindíveis, e agora sua força se tornou ainda maior.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Durante o dia os demônios conquistam +20% de força, durante a noite essa força dobra para +40%.
Dano:  Nenhum

Nível 23
Nome do poder: Perícia com Lâminas II.
Descrição: Nesse nível os afiliados de tal Deusa desenvolvem uma pericia com lâminas em geral, independente da arma.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +20% de assertividade no manuseio de lâminas.
Dano: + 20 de dano ao ser acertado pela arma do semideus, pois a precisão será mais certeira.
Extra: Tal poder não pode ser combinado ao poder denominado "Perícia com Punhais e Adagas".

Nível 25
Nome do poder: Escuridão Curadora III
Descrição: Os demônios tendem a ficar mais forte durante a noite, ou quando estão em locais escuros, fechados. A escuridão é vista como uma aliada, portanto, quando estiver em local escuro, ou coberto por sombras, ou ainda, durante a noite, poderá usar a escuridão ao seu redor para se curar. É algo instantâneo, suas feridas simplesmente começam a se fechar, e sua energia parece ser restaurada aos poucos. Agora feridas fundas já viram pequenas cicatrizes, e uma grande parte de sua energia é restaurada. (Só pode ser usado uma vez a cada 3 rodadas, as feridas se fecham no turno em que você usar o poder).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +50 MP e 50 HP
Dano: Nenhum

Nível 46
Nome do poder: Aura da Destruição II
Descrição: Agora além de causar medo, fazer o tempo se fechar, e instalar o medo, também faz as pernas das pessoas ficarem bambos, os corpos gelados, suando frio, e um mal instar se instalar sobre o peito do oponente, causando sensação de pânico crescente.
Gasto de Mp:
Gasto de Hp:
Bônus: Aumenta o medo em campo em +35%
Dano: Nenhum


Nível 50
Nome do poder: Imunidade
Descrição: O semideus torna-se imune a qualquer tipo de visão infernal onde ele mesmo é a vítima, sendo que o próprio não teme mais a própria morte ou a destruição de seu espirito.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 85% em resistência a ataques ilusórios.
Dano: Nenhum.

Ativos:
Nível 24
Nome do poder: Possessão Demoníaca I
Descrição: O demônio adquiri a capacidade de deixar seu espirito vagar para fora do corpo, e tomar o corpo do adversário durante dois turnos. O corpo do demônio fica vulnerável a ataques, e sua alma vaga para o corpo do inimigo, tomando-o para si.  Durante esses dois turnos, poderá fazer o que quiser com o corpo de seu adversário, pois, o estará possuindo. Em contrapartida, não consegue defender o próprio corpo, ele ficara totalmente vulnerável, e se for atacado, pode inclusive acabar morrendo. É importante ter muito cuidado ao usar esse ataque.
Gasto de Mp: 50 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Se nada puder expulsar o espirito de dentro de si, ou o semideus não tiver um bloqueio, será possuído durante dois turnos, sem poder fazer nada, e sem ter controle do próprio corpo.
Dano: Nenhum
Extra: O dano desse poder é condizente com as ações do personagem, então ficara a critério do narrador, que avaliara as ações do demônio para com seu oponente.



"In my eyes, indisposed, in disguise as no one knows, hides the face, lies the snake..."

Black Hole Sun - Soundgarden

Como Estou Mephis


[/quote]


Última edição por Sun Hee em Ter 14 Nov 2017, 14:17, editado 2 vez(es)




The darkness sparks

in her bloody heart
avatar
Sun Hee
Mortos
Mortos

Mensagens : 430

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ▬ Supernova

Mensagem por Evie Farrier em Seg 13 Nov 2017, 22:14




My way to the new end
Trama Pessoal

Existia um prédio pouco usado na periferia de Nova Roma, onde ficava a prisão para conter alguns baderneiros da cidade. A taxa de criminalidade era extremamente baixa na capital do acampamento, ou os nossos criminosos eram bons demais para serem capturados. Geralmente bêbados e arruaceiros que eram levados para lá, ou algum fauno que ficou desesperado demais e passou a incomodar.

Eu não fui guiada para esse lugar.

Ao chegar fora do prédio do Senado, um pequeno grupo de seguranças particulares me esperavam. Eram como agentes particulares, que realizavam os mais diversos tipos de trabalhos servindo a alguém de influência em Nova Roma. Atrás de mim, apareceu o mestre daqueles rapazes corpulentos e, muito provavelmente, filhos de Marte.

-Levem-na para a Área Neutra – ordenou Raoul Bravo, um Senador que pouco falava, mas era extremamente conservador e paranoico – É a única prisão que poderia conter alguém desse... nível.

Eu não o culpava por escolher aquele lugar. A Área Neutra era como um calabouço, uma parte de Nova Roma que pouquíssimas pessoas conheciam a existência. O motivo? Na segunda guerra mundial, quando gregos e romanos se odiavam e batalhavam, aquele lugar fora usado para aprisionar semideuses e colher informações. Havia supressores de habilidades mágicas, assim como a sua construção interna foi feita e refeita para conter força bruta e explosões. Era perfeito para conter pessoas com habilidades poderosas.

Eles foram espertos ao me levarem dentro de um carro de vidros extremamente escuros. Se me fizessem marchar pelas ruas de Nova Roma, provavelmente algum legionário estranharia, questões seriam levantadas pela população. Nem todo mundo me odiava, afinal de contas. O lugar era realmente um calabouço, sendo necessário adentrar uma casa antiga e descer três lances de escadas depois de ultrapassar uma porta enferrujada. Lá dentro, eles retiraram todos os meus itens, inclusive a minha aliança.

Naquele momento, meu coração apertou e uma preocupação surgiu em meu peito. Kyra sentiria a falta da conexão, ela iria enlouquecer procurando por respostas. Soltei um longo suspiro, orando para que os deuses pelo menos a protegesse e guiasse nesse momento tão delicado, mas que principalmente protegesse as crianças. Fui levada para uma sala com paredes de pedras, tendo a sensação de que a gravidade ali era ainda mais pesada e o ar rarefeito. Haviam símbolos que até mesmo eu desconhecia marcados nas rochas, indicando que ali era a famosa Área Neutra.

Os seguranças saíram, dando espaço para que dois garotos adentrassem a sala e fechassem a porta. Um deles parecia como um membro de uma banda de heavy metal, vestido de preto com acessórios roqueiros e tatuagem pelos braços, magro e de pele pálida. A maquiagem ao redor dos olhos era um pouco sinistra, cumprindo o seu propósito de deixa-lo um tanto assustador. Já o outro, era menor e mais elegante, retirava o blazer e o pendurava em uma parede.

-Sente-se Farrier – o homem bem vestido ordenou, sua voz fria e isenta de qualquer traço de humor – Somos o que você pode chamar de inquisidores.

-Fazia tempos que não pegávamos alguém tão poderoso assim para questionar! – riu o garoto roqueiro, bagunçando ainda mais o cabelo enquanto ria de maneira maquiavélica – Vai ser delicioso te ver quebrar!

-Contenha-se, Jack.

-Eu estive colaborando o tempo inteiro, mas eu não aceitarei ser interrogada dessa forma. Isso quebra qualquer tipo de direito romano a defesa! – exclamei enfática – Posso ser bem paciente, mas não serei dobrada dessa forma!

-Você não entendeu, Farrier – o rapaz arrumado aproximou-se de maneira lenta, eu me recusei a recuar mesmo que toda a presença dele fosse estranhamente intimidadora – Eles temem você e estamos em uma crise. Ninguém joga pelas regras em um momento histórico como esse. Bravo sabe de seu poder, ele pessoalmente interrogou os semideuses que a acompanharam no Mar de Monstros e eles relataram a quão poderosa é a Pretora. Tão poderosa quanto a filha de uma deusa primordial deveria ser.

-Eu não sou serva daquela mulher louca!

-Isso é o que eu irei descobrir.

-Eu quero o meu advo...

Antes que eu terminasse a clássica frase, minha visão começou a nublar quando meus olhos fitaram os negros daquele garoto de roupa social. Era como se tudo girasse enquanto minha mente focava em um único ponto obscuro em sua face. Tonta, cambaleei para o lado uma, duas vezes antes de meu consciente apagar.

(...)


Ao despertar o susto foi enorme, pois eles jogaram um balde de água gelada contra o meu corpo. Meu corpo não saltou em reflexo, mesmo que houvesse a ordem inerente para isso. Eu estava amarrada em uma cadeira. Meus punhos estavam atados aos braços de madeira do móvel, enquanto minhas pernas haviam sido enroladas desde o tornozelo até abaixo do joelho. Havia ainda algo prendendo meus ombros ao encosto da cadeira. Minha cabeça girou de um lado para o outro, percebendo mais e mais do ambiente ao meu redor.

Havia uma luz focada em mim, enquanto tudo ao meu redor era apenas trevas. Era como se tivessem colocado um holofote no topo e eu fosse o evento a ser prestigiado. O silêncio era aterrorizador. Tudo o que eu escutava era a minha respiração pesada escapando por meus lábios trêmulos.

-Finalmente despertou – o garoto que outrora usava um blazer surgiu a minha frente, saindo das sombras do lugar. Ele tinha a gravata frouxa e as mangas da blusa social dobradas até a altura do cotovelo – Espero que facilite as coisas, Farrier.

-Vocês vão... isso é tortura?!

-Investigação – ele disse ainda sem alterar sua expressão – Você dirá o que nós queremos, de boa vontade ou não.

Eu estava para reclamar, verbalizar a indignação que reinava em meu peito, quando um soco veio do nada pela minha lateral esquerda. Virei o rosto rosnando em fúria, vendo o garoto roqueiro rindo como se eu fosse um novo jogo e ele tivesse adorado.

-O que dizem sobre a resistência dela é verdade! Eu bati mesmo forte e mal machucou essa pele adorável!

-Diga Farrier, você já entrou em contato com sua mãe?

-Não!

Outro soco. Mais forte e certeiro vindo da lateral de meu rosto. Porém o garoto estava certo, eu possuía resistência física o suficiente para suportar aqueles golpes. Eu não entendia porque estava sendo torturada, qual era o plano do Raoul Bravo ao dar aquele tipo de ordem. Mas eu sabia que aqueles semideuses haviam sido escolhidos a dedo para realizar aquele tipo de tarefa. Fitei lentamente um e depois o outro, cuspindo sangue no chão antes de erguer meu queixo de maneira orgulhosa. Eu não falaria nada naquelas circunstâncias!

-Foi bastante rude de minha parte não me apresentar – o garoto arrumado falou começando a andar de um lado para o outro – Sou Roberto Herrera, filho de Terror e aquele é meu primo Jack, filho de Timmos.

Descendentes dos deuses do pânico e do medo, divindades estas que eram filhos do próprio Marte. Engoli em seco sentindo um calafrio, amaldiçoando estar certa mais uma vez. Eles não foram escolhidos para estar ali à toa. Pelo contrário, havia sido uma jogada cruel pois aquela sala não protegia contra ataques mentais.

-Jack, quebre um pouco do orgulho dela.

O roqueiro quase saltitou de felicidade no lugar e eu já estava pronta para receber um novo soco. Mas o garoto pálido apenas desapareceu nas sombras, deixando-me vislumbrar apenas aquela carinha irritante e sem emoções de Roberto. A espera era uma inimiga, não saber de onde ele viria, como ele viria era um fator que gerava uma ansiedade agonizante. Eu não o vi se aproximar, mas também não vi muita coisa depois que um saco plástico escuro cobriu meu rosto e fechou fortemente contra meu pescoço.

-Não importa quanta resistência você tenha! Você ainda precisa respirar! Vamos apertar um pouco mais para acelerar o processo!

Jack praticamente cantarolava enquanto puxava ainda mais o item, obstruindo a circulação de sangue para meu cérebro e dificultando a passagem de oxigênio. Eu resisti o máximo que pude, minhas mãos fechando-se desesperadas contra o braço da cadeira. Quando o ar começou a faltar depois de uma longa espera, foi impossível não me debater. Naquele momento de fragilidade, sem ter como pensar corretamente, foi a primeira vez que eu experimentei o sabor do medo. A sensação vinha sem motivos, mas queimava de dentro para fora. O coração havia disparado e meu cérebro processava que eu iria morrer. A adrenalina circulava em meu corpo como se eu estivesse travando uma intensa batalha, fazendo-me suar mesmo que estivesse parada. Estava prestes a desmaiar novamente quando o saco foi retirado de minha cabeça, o golpe do oxigênio sendo tragado aos soluços por todas as minhas vias áreas foi doloroso. Meus pulmões se enxiam bravamente enquanto meus olhos já não focalizavam os primos. Eu estava sozinha e cercada pela escuridão.

Fechei os olhos e tombei a cabeça para frente, precisava ser forte. Não poderia quebrar, não ousaria dar esse gosto para esses políticos insanos! Escutei aquele riso sinistro do Jack, provocando um novo calafrio.

-Apareça desgraçado! – esbravejei e remexi na cadeira – Solte-me e me enfrente com honra!

O riso apenas se intensificou até desaparecer de vez. Passaram-se quase cinco minutos de pura agonia e ansiedade, o nervosismo de não saber o que viria a seguir nublava todas as minhas forças. Eu sabia que o local contribuía para isso, domando meus poderes e subjugando a minha mente. Eu lutava bravamente, tentando controlar a respiração e ter pensamentos que me fortificavam.

-Perguntarei mais uma vez, Farrier. Você já encontrou a sua mãe? – Herrera aproximou-se com as mãos nas costas, seu olhar frio repousando sobre mim de maneira fixa. Fiquei quieta, o encarando raivosa – Você já encontrou algum deus pessoalmente?

-Como uma boa parte dos semideuses.

-Algum deles poderia estar associado a deusa?

-Eu não ligo para os deuses!

-Mas ainda assim os obedece.

-Você os desobedeceria? Se atreveria a isso? – ri de maneira sarcástica – Me poupe de hipocrisia!

-Você tem um ponto, Farrier. E por ter respondido minhas questões, tenho algo para te mostrar.

Ele finalmente retirou as mãos das costas, demonstrando que estava escondendo algo esse tempo todo. Era uma caixa de tamanho mediano de tom vermelho, muito similar a uma caixa de presente bem formal e elegante. Ele se aproximou e colocou a caixa próxima de mim, gentilmente levantou a tampa atraindo o meu olhar para o conteúdo dentro dela...

-SEU BASTARDO! DESGRAÇADO! SE VOCÊ ENCOSTOU NELA DE VERDADE EU VOU MATAR VOCÊ! EU VOU MATAR VOCÊ!

O rompante de ódio veio sem controle nenhum. A ira dominando minhas veias quando minha mente processou o que tinha dentro daquela maldita caixa vermelha. Era um dedo. Mas não qualquer dedo. Era um com um anel extremamente familiar, que casava perfeitamente com o acessório que deveria repousar sempre em meu próprio anelar. Era o anel que me conectava a Kyra, que demonstrava em um objeto que uma pertencia a outra. E aquele desgraçado estava me mostrando aquele dedo em específico! A fúria veio descontrolada, o desespero fazendo-me gritar e debater contra a cadeira. Eu precisava me libertar, eu precisava saber que Kyra estava bem! Aqueles desgraçados não poderiam tê-la, não poderiam tortura-la, não poderiam encostar aquelas mãos sujas naquela alma tão pura. Minha mulher estava em risco e eu estava ali, aprisionada, feita de refém de um psicopata com poder político! A cadeira parecia muito bem presa ao chão, pois não importava o quanto bruscamente eu me movesse ou tentasse escapar, ela não movia um centímetro que fosse.

A quebra emocional foi a abertura que os primos tiveram. Eles intensificaram a emoção, fazendo-me entrar em um desespero profundo. O ataque de pânico me fez ter a sensação real de que teria uma parada cardíaca. O ar de repente não era mais suficiente e a escuridão constante ao meu redor era sufocadora. Eu estava em um verdadeiro inferno. Como se não bastasse, Jack apareceu com soqueiras em suas mãos. A surra não foi brutal, mas bastante efetiva em fazer meus sentidos apagarem.

Recobrar os sentidos me fez sentir dores em todos os lugares. Meus olhos doíam pela luminosidade tão forte, mesmo que minhas pálpebras estivessem ainda fechadas. Estava tonta, sentindo o gosto metálico de sangue ainda em minha boca. Resfoleguei antes de conseguir erguer minha cabeça e sustenta-la. Ao vislumbrar Jack, meu corpo inteiro retesou de pavor. Ele riu e se aproximou, segurando de maneira rude minhas bochechas pressionando até que minha boca entreabrisse. O filho do medo jogou algo dentro, erguendo meu queixo para o alto obrigando-me a engolir. Por não ter mastigado, aquilo desceu machucando minha garganta, mas logo eu entendia o seu efeito. Era um pedaço de ambrósia.

-Não tem graça se você não tiver suas forças! – ele exclamou e estralou os dedos – Vamos, vamos! Diga que informações você deu para aquela deusa! Diga quem são seus aliados!

-Eu não sigo ela! Eu não sei de nenhum aliado!

-Baaaan! Resposta errada!

Jack encarregou-se da tortura física. Por mais que eu tivesse resistência a isso, minha mente encontrou-se indefesa em vários momentos. Ele me sufocava ao ponto de quase perder a consciência, para então liberar as minhas vias respiratórias. Aquilo era uma tortura para meus pulmões e um método doentio para minar a minha capacidade de raciocinar. Ele se divertia batendo em meu corpo, atingindo a barriga, costelas, cabeça, até seus próprios dedos ficarem roxos. Era o momento em que ele me dava um pedaço de ambrósia. O problema? Consumir um item divino como aquele constantemente estava começando a me deixar terrivelmente mal, surtindo um efeito contrário ao da cura. A todo momento ele cantarolava questões sobre Nox, sobre aliados ou planos de ataque. Eu gritava cada uma das respostas de maneira sincera, até que eu passei a perceber que não importava se eu falasse a minha verdade, enquanto não assumisse algo que eles queriam, eu não sairia dali.

Porém foi quando Herrera retornou que meu corpo entrou em estado de fúria prontamente, ao lembrar que aquele homem poderia estar pondo Kyra em risco. Toda a dor fora substituída por um instinto protetor que me fez erguer os ombros, mesmo que um deles estivesse deslocado. O homem de roupas elegantes puxou uma cadeira e sentou à minha frente, fazendo com que Jack se afastasse, deixando que o filho do pânico tivesse a sua chance. Minha aparência deveria ser terrível, pois eu me sentia exatamente assim. Quebrada em meus ossos, mas inteira em orgulho e fúria.

-Diga-me o nome de seus aliados – Herrera solicitou daquele modo frio e sem emoção.

-Cada legionário – disse por entre os dentes.

-Você me obrigou a isso, Farrier. Talvez você obedeça... se escutar uma voz diferente.

-Mamãe?

-Mamãe está esculo!

Meus olhos dobraram de tamanho, minha respiração travou em minha garganta. Olhei ao redor em estado de desespero intenso. Eram as vozes de Benjamin e Nathanael! Meus filhos não poderiam estar ali, meus pequenos campeões. Eles não seriam tão baixos! Meus olhos encheram-se de lágrimas, pouco me importando que finalmente tinha quebrado.

-Não, não, não – repetia olhando rapidamente de um lado para o outro, mas só enxergando a escuridão ao meu redor – Não os machuque! São crianças! São apenas crianças inocentes!

-Elas podem ser inocentes, mas você não é. Tudo isso é culpa sua Farrier, se você tivesse dito antes o que queríamos... Jack!

-Sai daqui seu feio! – escutei a voz medrosa de Benjamin que tentava soar bravo.

-SOLTA ELE! – Nathanael urrou e chorou alto.

-Não! Pare! Benjie! Nate! POR FAVOR PARE!

Se me batessem, ateassem fogo em meu corpo, arrancassem unha por unha... Seria uma dor mais suportável do que aquela. Eu era uma mãe escutando meus filhos em perigo, sem poder enxerga-los, sem saber se era verdade. A todo momento Herrera dizia que era minha culpa, sua voz gélida ecoando por meus ouvidos e mesclando com minhas suplicas. Meu coração sangrava, meu espírito quebrado implorava sem nenhum resquício de orgulho ou honra. Eu só queria meus filhos bem. E quanto mais eu pedia, quanto mais chorava e soluçava, mais os escutava gritar e implorar por minha ajuda. Eu não os via, mas minha mente estava fraca e meu instinto protetor desesperado, tudo o que eu sabia era que existia uma possibilidade de meus pequenos estarem naquela escuridão tão sinistra, sozinhos e em perigo. O desespero aumentou quando escutei a risada macabra de Jack, a sensação de que ele faria coisas com meus filhotes estava levando-me a loucura. Meus pulsos sangravam de tanto que eu remexia. Eu não sentia minhas pernas de tanto que eu pressionava as articulações para poder escapar.

Pela primeira vez na vida eu preferi morrer do que sustentar meu orgulho e minha honra. Eu havia decaído, uma queda feia e dolorosa, refletida não apenas na minha aparência machucada, mas em todo o meu espírito guerreiro e impetuoso. Ali estava apenas uma mulher acuada, uma mãe em pânico de que seus filhos sofressem por sua culpa. Eu já não era uma pretora, muito menos uma semideusa poderosa. Era algo quebrado que sufocava com o meu pior medo: o de ser incapaz de proteger aqueles que eu mais amava.



PS: Evie possui passivas de resistência física, resistência a tortura e a coisas que a segurem. Porém leve em consideração que essa sala está programada para torturar semideuses e interrogá-los, a tortura foi mais psicológica e realizada durante o dia. Portanto, nenhuma das passivas valem a pena serem colocadas aqui.


Template made by Kyra


EVIE FARRIER
I am the bone of my sword. Steel is my body and fire is my blood.
avatar
Evie Farrier
Senadores
Senadores

Mensagens : 696
Idade : 21
Localização : Acampamento Romano

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ▬ Supernova

Mensagem por Sun Hee em Ter 14 Nov 2017, 13:14

Estrela finita

"Be afraid of the fear"
Sun notou que algo não estava certo assim que adentrou a prisão usual. Fora os baderneiros e uns faunos ébrios, nenhum sinal de Evie. O coração da semideusa bateu pesado, um misto de ódio e preocupação povoavam seu interior.

Tendo desistido da prisão, passou pelos guardas com um olhar incontido de fúria.

- Quem eu procuro não está aqui... onde estaria? – Perguntou ao legionário responsável, o rapaz, coitado... sabia tanto quanto qualquer humano no meio da Califórnia.

”Então deram sumiço na pretora, hein!?

”Sim, mas isso não será um problema”

A baixinha pegou um brinco do bolso, e muitas coisas passaram a fazer sentido naquele momento. Com suas habilidades de rastreio, a filha de Arcus buscou o dono da jóia que carregava e um pequeno rastro luminoso se formou.

Seguimos nessa direção, a mente de Sun estava cheia de concentração, sua raiva e determinação fluíam pelo corpo diminuto fazendo com que mesmo eu mantivesse foco na busca pela pretora.  

As coisas começavam a ficar interessantes naquele panteão... A asiática correu pela multidão até um local afastado, era quase um marco histórico daqueles que as pessoas pensam: “uma prova do que não fazer no futuro”, mas o qual sempre tem um lunático que sente falta: “ah, bons tempos em que havia ordem e paz!”.

A filha de Arcus tornou-se invisível em algum beco, então passou rapidamente pelos guardas e foi seguindo o rastro colorido que apenas seus olhos eram capazes de enxergar. O ambiente ia assemelhando-se cada vez mais à minha dimensão, era uma cela supressora de habilidades, portanto, Sun Hee estava começando a ter alguma dificuldade em manter a invisibilidade e passar pelos guardas.

Optando por esgueirar-se pelas sombras ao invés de passar por debaixo dos narizes romanos, a garota seguiu o trajeto em uma coreografia não ensaiada com os guardas, deslizando pelas paredes e correndo pelos corredores até chegar a uma cela.

O ambiente era escuro e fedido, lembravam os calabouços medievais! Deuses como romanos não eram nada inovadores! Era uma sala de tortura e assim que Sun Hee deu-se conta disso, quase pude sentir o borbulhar do sangue em suas veias. A atmosfera já estava povoada de medo, desespero e umas vozes aleatórias. Mas nem mesmo Phobos poderia esperar de seus pupilos tão genuína atmosfera de terror e ódio quanto aquela pequena coisinha colorida provocava.

”Algo me diz que o espetáculo vai ser muito bom!”

Usando ainda seus recursos divinos, com alguma dificuldade, pela ausência de luz, Sunny atravessou a porta imensa de metal e se esgueirou pela sombra, acompanhando cuidadosamente o cenário.

No centro, um foco de luz iluminava a filha de Nox que se encontrava em um estado lamentável. A batidinha do coração da asiática escapou um compasso ao ver a situação, mas manteve a calma antes de sair como uma desesperada batendo em todo mundo. Esperou para acompanhar e memorizar as cenas a seguir.

Era uma dupla de netos de Marte. Um filho de Timmor e um filho de Terror. Uma dupla punk de mal gosto, Supla I e Supla II. O prazer que eles sentiam com seus feitos sobre a poderosa filha de Nox fez o mal espalhar-se pelo coração da canadense.

Sun parou de analisar a situação para começar a planejar um ataque. Não seria fácil... eram dois e eram poderosos. Ao mesmo tempo... ela não sentia medo, Nox a havia abençoado de forma que aqueles semideuses, olimpianos e seguidores de velhos chatos e hipócritas não seriam o bastante para fazê-la temer.

A asiática sacou suas foices, chutou a parede para ganhar impulso e dividiu as lâminas de sua foice dupla, jogando cada uma na direção do flanco de um dos semideuses. Usar suas habilidades divinas não era uma boa opção naquele momento, a estrutura de contensão fazia o esforço ser demasiado, portanto, optaria pela lâmina.

Após sua entrada, firmou bem os pés no chão e ativou seu anel, libertando sua adaga demoníaca. Foi muito rápido para que eu pudesse acompanhar com precisão. A menina se misturou às sombras, ativou os anéis de força e golpeou o filho de Terror no pescoço.

O elemento surpresa, combinado aos movimentos de velocidade e força foram a derrota do Supla II. O corpo carregado de adrenalina caiu, debatendo-se, aos pés da pretora como um peixe recém pescado.
O sangue do semideus empapava, ao passo que os olhos do primo, filho de Timmor, arregalavam-se do pavor real da morte, não possuía medo, mas a eminência da morte era grande, então teleportou-se para fora da cela.

Mesmo ele não conseguiria usar as habilidades divinas em toda a sua extensão e já havia gastado parte de sua energia na tortura à Evie. Sun sabia que não podia deixa-lo escapar e essa era a minha deixa para tornar o jogo mais competitivo.

Anotei os movimentos e incentivei a menina a  correr, então copiei as habilidades divinas no semideus e nos teleportei para a frente do mesmo.

”Impagável!”

Sim, foi sensacional a cara de espanto que o garoto fez ao ver Sun Hee em sua frente! A menina estava ofegante, mas usou de manipulação das sombras, aproveitando que não estava perto da Evie, e sufocou o menino.

- Parece que alguém não é tão valente lutando com alguém que está solto... Não gosta de lutar de igual para igual?

A filha de Arcus puxou o garoto pelos cabelos, então sentiu uma pequena pontada de dor na cabeça. O pobre coitado estava tentando invadir a mente blindada pela deusa da noite. Ao notar a pífia tentativa do filho do medo de intimidá-la, Sun deu uma risada curta e debochada, teleportei-nos de volta à cela antes que alguém nos visse no corredor e terminássemos todos presos ou com um destino parecido ao do filho de Terror.

Fiz questão de nos levar bem perto da porta, para aumentar a distância que a asiática precisaria percorrer arrastando Supla I pelos cabelos. Muito digna aquela cena! Um pouco zonzo do sufocamento, o garoto não tinha muito além dos truques mentais como arma de combate.

Mas todo o esforço dele só fazia o sorrisod e deboche crescer no rosto de Sunny. Muito bom! Aquele tinha sido um dia muito digno de estar no corpo da baixinha. A serva da noite manipulou a luz e criou na parede dois ganchos, similares aos que encontramos em açougues. Com um pouco de esforço, tendo que levitar para alcançar a altura ideal, a menina encaixou o gancho de plasma no ombro do semideus que urrou de dor.

Deveria ter ficado calado... A reação da romana foi socar o rosto do moleque, senti um pequeno ‘clack’ da mandíbula do rapaz deslocando-se... aqueles produtos Pandevie eram mesmo muito bons!

- As crianças... – Uma voz meio falhada espalhou-se da direção em que Evie estava.

- Eu mandei Kyra e as crianças para um lugar seguro. – Falou compenetrada, na direção de Evie antes de voltar seu olhar felino para o torturador de sua amiga. – É bom ser torturado? Algo na expressão do seu rosto não me faz achar que você está gostando disso...

Sun comentou com um sarcasmo fantástico, socando o estômago do garoto e virando-se para o lado, deixando que o semideus vomitasse à sua frente e gemesse em função do rasgo no ombro que aumentava a medida que os espasmos de vômito tomavam conta de seu corpo.

- Onde estão as coisas da pretora? – Perguntou séria.

Nenhuma resposta foi ouvida, Evie murmurou qualquer coisa que nós ignoramos porque era bem mais divertido bater no outro semideus. Sun segurou com força a mandíbula deslocada do Supla I, forçando-o para mais perto. Eu assistia aquilo imaginando que na cabecinha daquele semideus havia um terrível conflito entre gritar e forçar ainda mais a dor na mandíbula deslocada, tentar se livrar da garota com um chute e içar o corpo, fazendo o gancho penetrar ainda mais fundo em sua carne ou simplesmente desistir.

- Sempre achei que torturadores deviam aguentar dor, já que gostam de cria-la. Claramente não é esse o caso, não é mesmo!? Mas se você não vai me dizer, eu vou descobrir sozinha.

Pontos para a menina! Sun começou a investigar as memórias do garoto, recebendo as informações sobre o lugar e o que se passava ali... era bem podre, algo bem típico de humanos medrosos. Sun sentiu nojo, mas finalmente descobriu o que queria.

Em toda sua generosidade, ela começou a apagar memórias bases, apagou e destruiu e implantou imagens aleatórias de crianças cantando, coisas idiotas acontecendo... e apagou todo o traço de vida dele.

”Fantástico! Agora vamos buscar as coisas da mulher.”

Teleportei-nos para onde as coisas da pretora supostamente estariam, e estavam mesmo, em uma caixa aleatória, meio largadas. Sun pegou a caixa e o que mais achava que poderia pertencer a Evie e eu nos devolvi à cela.

A cena era pitoresca, o filho de Timmor jazia pendurado e inconsciente num gancho colorido e machado de sangue, Evie tentava manter a cabeça erguida, mas não parecia ter muito sucesso com isso.

Sun desfez sua criação de plasma, evitando deixar rastros seu pelo lugar... abriu uma mensagem de íris para o seu autômato e atravessou com a filha de Nox e suas coisas, indo parar em seu carpete colorido. Olhou para peça com um pouco de pesar, sangue, suor e sujeira já se espalhavam pelas cerdas macias do item.

Perto da luz e capaz de usar todas as suas habilidades, Sun absorveu as cores do tapete, recuperando sua energia, em seguida dividiu a energia que tinha com a pretora, só então a curou, incidindo luz sobre o corpo dela.

Um filho de Febo teria inveja daquela eficiência, mas talvez nem tanta... Sun exauriu o próprio corpo, quase desmaiando em seu tapete cinza e sujo.

- Eu disse para você fugir... – Comentou meio zonza, levemente irritada.




Informações:
Habilidades Passivas:
Nível 1
Nome do poder: Paciência Gloriosa
Descrição: O filho da Deusa possui uma paciência inabalável, assim nenhum insulto o atingirá, nem mesmo dos filhos de Ares/Marte, e ele prosperará harmonia. Essa calmaria geralmente atinge o inimigo de uma maneira que pode fazer com que ele não queira atacar o filho de Iris/Arcus.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Por uma rodada o inimigo pode se sentir tão calmo, a ponto de hesitar em atacar. Atordoamento temporário.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Aparência inofensiva
Descrição: Por serem coloridos e muitas vezes fofos, os filhos da deusa mensageira aparentam ser inofensivos, isso faz com que o inimigo o subestime, podendo até ser ignorado pelo inimigo, se ele não for o alvo principal.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Por uma rodada o inimigo pode ignorá-lo ou perder um ataque para desdenhar da aparência do semideus.
Dano: Nenhum

Nível 15
Nome do poder: Boa Memória
Descrição: Como filho da deusa mensageira, você tem uma excelente memória para arquivar as mensagens que recebe, bem como os lugares por onde passa.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: - 50% de chance de se perder ou esquecer uma mensagem ou profecia
Dano: Nenhum

Nível 18
Nome do poder: Misericordioso
Descrição: Misericórdioso(a) como sua mãe, você pode doar uma parte do seu HP ou MP para um companheiro.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode doar até 50% do seu HP ou MP para seu companheiro uma vez por missão.
Dano: Nenhum

Nível 40
Nome do poder: Agilidade III
Descrição: Sua agilidade aumentou consideravelmente, e agora o seu tempo de reação é muito menor.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +25% de agilidade
Dano: Nenhum

Nível 31
Nome do poder: Visão infra vermelha
Descrição: Além de todo o espectro de luz visível, os semideuses filhos de Íris/Arcus passama conseguir enxergar o expectro infra vermelho, sendo capazes de enxergar normalmente em ambientes escuros.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguem enxergar no escuro.
Dano: Nenhum

Nível 33
Nome do poder: Absorção de cores
Descrição: Pode absorver as cores de objetos inanimados e assim recuperar até 30% de MP.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: + 30% MP
Dano: Nenhum

Nível 54
Nome do poder: Flexibilidade Nata II
Descrição: Você se tornou ainda mais ágil, e seus movimentos graciosos também se tornaram mais precisos, consegue curvar o corpo, e move-lo de uma maneira impressionante, o que faz com que em batalha, torne-se ainda mais esquivo, e seus movimentos fiquem mais ágeis.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +40% de chance de esquivar-se de um ataque.
Dano: Nenhum


Nível 57
Nome do poder: Velocidade III
Descrição: Você virou um corredor nato, consegue se locomover com facilidade, e isso aumentou sua esquiva, com sua velocidade, seus ataques corpo a corpo também se tornaram mais precisos.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +40% de velocidade
Dano: Nenhum

Nível 59
Nome do poder: Cromocura III
Descrição: Você conseguiu compreender como seus poderes funcionam, e agora ao usar o arco íris para se curar também consegue recuperar uma quantidade de energia maior, e ferimentos mais graves se tornam apenas pequenas cicatrizes, mas isso leva algum tempo. (Só pode ser usado uma vez a cada 3 turnos).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +60 HP e +60 MP ao entrar em contato com um arco Iris.
Dano: Nenhum
Habilidades Ativas:


Nível 18
Nome do poder: Criações de Plasma II
Descrição: Capaz de criar mãos, pés, chicotes ou garras de plasma multi-colorido. Duração de 3 turno.

Gasto de Mp: 30
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 22
Nome do poder: O Buscador
Descrição: Já imaginou se Íris/Arcus perdesse suas correspondências? Não, não mesmo, por isso os filhos da deusa mensageira podem encontrar objetos perdidos ou os donos desses objetos, através dessa habilidade que cria um rastro luminoso visível apenas para os filhos da deusa que o guiam até o objeto ou o dono.  
Gasto de Mp: 30
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 57
Nome do poder: Desmolecularização luminosa
Descrição: Assim como as partículas de luz, o semideus poderá transformar as moléculas do seu corpo em ondas, conseguindo atravessar paredes e outros objetos.
Gasto de Mp: 30
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 61
Nome do poder: Teleporte III
Descrição: Permite o filho de Íris/Arcus teleporte  além de objetos, a si mesmo e até mais dois companheiros através das mensagens de íris/Arcus.
Gasto de Mp: 80
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 64
Nome do poder: Cromoterapeuta III
Descrição: Ao incidir um espectro de luz sobre as feridas do seu companheiro, será capaz de recuperar algumas feridas e um pouco da energia deste.
Gasto de Mp: 80 MP por turno usado.
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +50% HP e +50% MP ao iluminado.
Dano: Nenhum


Itens:


Fada da Ira [Um autômato humanoide advindo da série “7 Pecados”. Ele possui inteligência artificial, podendo responder ao dono de maneira autônoma e independente. Porém, segue a programação de proteger a sua dona sem perder a personalidade. Possui 50 cm de altura e o metal apesar de avermelhado é feito de BC, também é composto por asas de fadas proporcionais ao seu tamanho. Sua personalidade segue o seu pecado, é nervoso e de pavio curto, parece estar prestes a atacar qualquer coisa a qualquer momento. Sua voz é como a de um esquilo cantor | Quando a sua dona está em risco, Ira poderá auxiliá-la. Nesse momento, ele pode continuar com sua pequena estatura, lançando bolas de energia a partir das mãos e olhos, provocando apenas 5 de dano, mas provocando uma sensação intensa de irritação na área atingida. A sua segunda forma possui o dobro do tamanho e usa ataques de combate a curta distância, retirando o dano normal advindo do principal metal de sua composição | Material: BC, Engrenagens | Espaço para uma gema simples | Beta | Status: 100%, sem danos | Ganhado no Evento: A mente liberta]

Colar Unicórnio [Uma correntinha de ouro branco, discreta, com um pingente de unicórnio. Foi encantado com um feitiço para confundir a mente, ocultar a presença e mudar a aparência, fazendo seu portador parecer alguém completamente normal. | Efeito: impede os monstros de sentirem seu cheiro, ou a identificarem como uma semideusa. Aos olhos deles a semideusa simplesmente não existe, passa despercebida, e o mesmo acontece com seres que lhe rodeiam, como Ninfas e Satiros, e inclusive, semideuses. | Ouro branco | Resistência: Gama | Status: 100%, sem danos | Mágica |Presente de Evie, Encantado por Pandora]

Sangue e Suga [Um par de brincos para segundo furo, que fora banhado em sangue de unicórnio e misturado ao sangue da prole de Iris que foi unificado com uma runa de ligação e selado com um feitiço de invocação. | Efeito: Permite a semideusa invocar seu mascote para o campo sempre que estiver correndo perigo, precisar de um transporte rápido ou de ajuda. Para invocar o unicórnio a semideusa precisa doar uma pequena gota do seu próprio sangue e ativar a magia do brinco.| Ouro branco | Resistência: Gama | Status: 100%, sem danos | Mágica | Encantado por Pandora]


• Mochila sem fundo [Mochila de prata com material simples, sem bolsos laterais, com um único zíper, uma única entrada e uma única saída.| A mochila não possui fundo, foi encantada para caber inúmeros objetos, ou seja, seu espaço é infinito, tudo que você colocar dentro dela permanece ali, desde que passe pela parte de cima, ou seja, você precisa conseguir colocar o item pelo buraco, que é largo o suficiente para passar até uma panela de pressão. Para pegar o item de volta basta colocar a mão dentro da mochila e pensar nele, e ele retorna para suas mãos.| Indefinido | Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos |Lendário e mágico | Loja especial do dia dos namorados]

• Pulseira de perícia  Avançada [Pulseira de couro que se ajusta perfeitamente ao pulso do usuário, possui amarras de cordinhas na parte de baixo, então é fácil de equipar-se com ele, se for cortado, ou destruído, perde totalmente o efeito, ou seja, é preciso estar em uso, no pulso, para que o efeito continue a ser efetivo para o semideus, do contrário, ele perde o bônus da perícia completamente, só funciona através da pulseira | Aumenta a perícia de Foices em +50%, provocando um dano de +30% | Couro | Sem espaço para gemas| Sigma | Status: 100% sem danos | Mágico |  Loja especial do dia dos namorados]


Adaga demoníaca: A arma curta - feita de uma mistura de ferro estígio e aço comum - é tão letal para homens quanto para monstros. Envolta em energia negra, a adaga, tem a habilidade de causar pequenas dores a mais e uma sensação de desnorteamento em seu alvo. Além do mais, pode se facilmente arremessada, já que esta volta para seu dono em apenas um turno. Quando não utilizada transformasse em um anel negro com pequenos pontinhos brilhantes. - Indestrutível - {By Tay}

Magnus: As foices duplas de ferro estígio tem, provavelmente, a metade do tamanho de uma foice normal, não passando de 40 cm. Mas para compensar, são extremamente leves, sendo armas inigualáveis nas mãos de campistas ágeis. Podem ser arremessadas sem qualquer problema, voltando para a mão do usuário como faria um boomerang, caso não fique presa em algum lugar. No caso de ficarem presas demoram apenas 2 turnos para voltarem na forma de uma corrente. - Quando desativadas viram, em conjunto, uma corrente com pingente em forma de estrela- Inquebrável - {By Tay}
Dark Ring [Um anel escuro como a noite, com pequenos escritos em ouro brilhante – runas – e frases de incentivo | Efeitos: o anel dobra a força do semideus em 25% durante três turnos. O tempo de ativação da runa selada com a marca de força extra, runa de resistência, mais marca de força do cajado de Pandora | Material: metal escuro | Espaço para uma pedra | Gama | Status: 100%, sem danos | Mágico | Encantado por Pandora, comprado no Pandevie Magie] (2x)

• Pulseira de perícia Avançada  [Pulseira de couro que se ajusta perfeitamente ao pulso do usuário, possui amarras de cordinhas na parte de baixo, então é fácil de equipar-se com ele, se for cortado, ou destruído, perde totalmente o efeito, ou seja, é preciso estar em uso, no pulso, para que o efeito continue a ser efetivo para o semideus, do contrário, ele perde o bônus da perícia completamente, só funciona através da pulseira | Aumenta a perícia de espadas em +50%, provocando um dano de +30% | Couro | Sem espaço para gemas| Sigma | Status: 100% sem danos | Mágico | Loja especial do dia dos namorados]

• Pulseira de perícia Avançada  [Pulseira de couro que se ajusta perfeitamente ao pulso do usuário, possui amarras de cordinhas na parte de baixo, então é fácil de equipar-se com ele, se for cortado, ou destruído, perde totalmente o efeito, ou seja, é preciso estar em uso, no pulso, para que o efeito continue a ser efetivo para o semideus, do contrário, ele perde o bônus da perícia completamente, só funciona através da pulseira | Aumenta a perícia de arcos em +50%, provocando um dano de +30% | Couro | Sem espaço para gemas| Sigma | Status: 100% sem danos | Mágico | Loja especial do dia dos namorados]


(Velociraptor linha Luxo [ Nessa linha não é apenas o conforto que predomina, mas também o poder, apesar de aparentar ser um tênis comum, esse foi fabricado para auxiliar e estimular o semideus a melhorar seus movimentos em combate, o tornando mais forte e mais rápido | Efeito 1: O calçado muda de acordo com o dono e suas preferências, o tênis será alterado magicamente para o modelo que mais o agrada. Efeito 2: Promove +40% de velocidade ao portador. Efeito 3: Quando estiver com o tênis nos pés, golpes relacionados as pernas, como chutes ou saltos ganham 30% a mais de força | Material mágico especial |Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos | Mágico | Comprado na Ferreli & García - Mode et style]

Leather Armor [Uma armadura leve unissex, composta mais por tecido reforçado e mágico do que por metais. É uma armadura do tipo leve, propícia para jogadores que buscam mais mobilidade e velocidade em seus movimentos. Ela pode ser considerada completa, por cobrir praticamente todo o corpo do seu usuário e incluir até mesmo um capuz que esconde o rosto. Ela possui muitas aberturas para se esconder armas de porte pequeno, como punhais, facas e adagas. | Efeito 1: Diminui os ruídos de movimento em 70%, tornando mais difícil escutar o portador dessa armadura enquanto se move. Efeito 2: aumenta em 25% a agilidade, equilíbrio e reflexo. Efeito 3: Ao usar o capuz, a presença do usuário reduz em 30%, tornando mais difícil de identifica-lo caso se dedique a ser mais discreto | Tecido reforçado e mágico | Beta | Espaço para uma gema Espaço para uma joia/gema | Status: 100%, sem danos | Mágico | Comprado no Ferreli & García - Mode et style]

Vitesse [ Uma confortável blusa de algodão, cuja cor fica à escolha do cliente no momento da compra. | Efeito 1: A blusa é leve e agradável, além de ter um efeito mágico que melhora a velocidade do usuário em 30% | Efeito 2: O tecido não suja e não adquire manchas, permanecendo impecável e cheiroso independente das situações ao qual seja submetido | Algodão mágico | Sem espaço para gemas | Beta | Status: 100% sem danos | Comprado na Ferreli & García - Mode et style ]

Poderes de demônio de Nox :
Passivos:
Nível 10
Nome do poder: Atributos melhorados II
Descrição: Os demônios da noite conforme evoluem, conseguem desenvolver um pouco mais seus movimentos de esquiva, velocidade e salto, ganhando uma vantagem extra de campo ainda maior.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Durante o dia ganham + 15% de velocidade, esquiva, e salto, durante a noite essa porcentagem dobra, vira +30%.
Dano: Nenhum

Nível 16
Nome do poder: Vazio
Descrição: A mente do demônio se torna invulnerável, nesse nível, nenhum semideus com poder inferior ao do demônio será capaz de invadi-lo, ou ler sua mente. Por esse motivo, se alguém tentar fazê-lo, dará de cara com algo oco, ou uma parede de bloqueio.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Poderes de invasão de mente com nível inferior ao seu não terão efeito sobre você.
Dano: Nenhum

Nível 18
Nome do poder: Perícia com Punhais e Adagas V.
Descrição: Os demônios possuem uma facilidade natural com o manejo de tais armas, podendo rapidamente usá-las em uma ofensiva quanto na defensiva.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +30% de assertividade no manuseio de Punhais e Adagas.
Dano: + 25 de dano ao ser acertado pela arma do semideus, pois a precisão será mais certeira.
Extra: Nenhum.

Nível 20
Nome do poder: Força II
Descrição: O seu personagem ficou ainda mais forte, conforme a evolução de seus dons e poderes. Seus treinamentos lhe trouxeram resultados imprescindíveis, e agora sua força se tornou ainda maior.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Durante o dia os demônios conquistam +20% de força, durante a noite essa força dobra para +40%.
Dano:  Nenhum

Nível 23
Nome do poder: Perícia com Lâminas II.
Descrição: Nesse nível os afiliados de tal Deusa desenvolvem uma pericia com lâminas em geral, independente da arma.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +20% de assertividade no manuseio de lâminas.
Dano: + 20 de dano ao ser acertado pela arma do semideus, pois a precisão será mais certeira.
Extra: Tal poder não pode ser combinado ao poder denominado "Perícia com Punhais e Adagas".

Nível 25
Nome do poder: Escuridão Curadora III
Descrição: Os demônios tendem a ficar mais forte durante a noite, ou quando estão em locais escuros, fechados. A escuridão é vista como uma aliada, portanto, quando estiver em local escuro, ou coberto por sombras, ou ainda, durante a noite, poderá usar a escuridão ao seu redor para se curar. É algo instantâneo, suas feridas simplesmente começam a se fechar, e sua energia parece ser restaurada aos poucos. Agora feridas fundas já viram pequenas cicatrizes, e uma grande parte de sua energia é restaurada. (Só pode ser usado uma vez a cada 3 rodadas, as feridas se fecham no turno em que você usar o poder).
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Recupera +50 MP e 50 HP
Dano: Nenhum

Nível 46
Nome do poder: Aura da Destruição II
Descrição: Agora além de causar medo, fazer o tempo se fechar, e instalar o medo, também faz as pernas das pessoas ficarem bambos, os corpos gelados, suando frio, e um mal instar se instalar sobre o peito do oponente, causando sensação de pânico crescente.
Gasto de Mp:
Gasto de Hp:
Bônus: Aumenta o medo em campo em +35%
Dano: Nenhum


Nível 50
Nome do poder: Imunidade
Descrição: O semideus torna-se imune a qualquer tipo de visão infernal onde ele mesmo é a vítima, sendo que o próprio não teme mais a própria morte ou a destruição de seu espirito.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: 85% em resistência a ataques ilusórios.
Dano: Nenhum.

Ativos:
Nível 23
Nome do poder: Enforcamento pelas Sombras
Descrição: O demônio possui a capacidade de manipular as sombras ao redor de seus oponentes, e fazer com que elas se enrosquem em seu corpo, interceptando seus membros e se enrolando em seu pescoço. Ele aperta as sombras e causa asfixia, impedindo o oponente de respirar durante um turno inteiro. Ele não é capaz de matar seu oponente, mas pode deixa-lo zonzo, ou até mesmo faze-lo desmaiar caso não reaja, ou tenha algo que o ajude. Isso também pode deixar o inimigo incapacitado pelo turno seguinte, mais lento, e sem conseguir usar poderes e armas que necessitem de mira.
Gasto de Mp: 50 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: 60 HP
Extra: Só pode ser usado uma vez a cada 3 turnos

Nível 26
Nome do poder: Bloqueador
Descrição: Demônios podem bloquear a mente de uma pessoa, interrompendo suas próprias lembranças, isto é, fazendo-a esquecer de todo seu passado até aquele exato momento.  Esse efeito dura em batalha, aproximadamente 3 turnos, mas se feito de uma maneira incorreta, pode acabar prejudicando a mente de alguém sem reversão. Esse poder também permite ao semideus conseguir bloquear apenas uma memória em especifico – apagando-a – ou a trancando da maneira que bem entender, a pedido é claro.
Gasto de Mp: 50 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum

Nome do poder: Abençoado de Leviatã
Descrição: O demônio se torna uma espécie de copiador invejoso, e ao ativar esse poder, consegue copiar uma habilidade ativa ou passiva de seu oponente durante três turnos inteiros em batalha, podendo usa-la da maneira que bem entender. (Só cópia habilidades que o semideus tiver usado na batalha). Esse poder só pode ser usado uma vez em luta, missão ou evento;
Gasto de Mp: 50 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: O dano é o mesmo referente ao poder lançando, com um bônus de força de +10%.
Extra: Vaga pertence a Sun Hee (1/1)


"In my eyes, indisposed, in disguise as no one knows, hides the face, lies the snake..."

Black Hole Sun - Soundgarden

Como Estou Mephis






The darkness sparks

in her bloody heart
avatar
Sun Hee
Mortos
Mortos

Mensagens : 430

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ▬ Supernova

Mensagem por Evie Farrier em Ter 14 Nov 2017, 13:51




My way to the new end
Trama Pessoal

Existia um limite para a mente humana. A minha tinha sido brutalmente jogada para longe dessa linha tênue que nos mantinha sãos. Os gritos de meus filhos, o pensamento de que Kyra deveria estar em um perigo demasiadamente grande para eles terem capturado as crianças, a dor que se alastrava em cada célula de meu ser... Foi a receita perfeita para levar-me a loucura mental. Sentimento que era apenas intensificado pelas habilidades dos filhos do medo e do terror. Sentia-me miserável e incapaz, a inutilidade de meus movimentos apenas pesava ainda mais os meus ombros. Eu almejei morrer diversas vezes, para encontrar um resquício que fosse de paz.

Eu escutei barulhos distantes. Sons de luta que já não eram mais percebidos pela minha precária audição. Mente e corpo focavam apenas na necessidade de alívio. Coisas aconteceram ao meu redor e mesmo que eu estivesse com os olhos abertos, eu nada enxergava. Ao menos até o momento em que Sun Hee, filha de Arcus e legionária da Segunda Coorte, uma de minhas melhores amigas, apareceu a minha frente como um anjo salvador.

-As crianças...! – foi a súplica que escapou recheada de dor por minha boca.

Meu coração implorava pela informação e quando ela veio, eu senti que poderia desfalecer ali mesmo com a força do alívio que eu senti. O mundo girou uma última vez, mas nada disso importava, minha mente repetia como um mantra de que minha mulher e filhos estavam bem e a salvos. Um dizer poderoso o suficiente para alinhar minha consciência e manter minha mente funcionando novamente. Isso e a habilidade que Sun Hee usava em mim, aliviando as dores e curando meu corpo torturado. Até que finalmente veio aquela frase...

Sim, ela havia avisado e eu não tinha escutado.

-Desculpe, eu sou teimosa demais... – admiti em um tom de voz fraco, não porque eu almejava conversar naquele sussurro ínfimo. Mas porque minha garganta estava danificada – Eu não posso voltar para Roma... E-eu não posso voltar para casa! – minhas mãos seguraram a blusa de Sun Hee com força, a um ponto de quase rasgar o tecido, era a minha forma de ancorar a minha sanidade no momento presente e não sucumbir – Eles me traíram Sun, eles fizeram de meu lar o pior lugar para que eu pudesse estar! – as lágrimas vieram sem permissão, mas assim que eu senti que iria soluçar, engoli aquele sentimento e tentei erguer meu corpo – Sempre soube que você era minha luz no meio da escuridão Sun, só não esperava que fosse tão literalmente. Obrigada por me salvar, mas eu preciso encontrar Kyra e as crianças, eu preciso... eu preciso ver que elas estão realmente bem.

Sunny me entregou meus pertences. Com certo desespero em meus movimentos, a aliança veio para meu dedo. A conexão entre mim e Kyra foi instantânea, a consciência dela buscou a minha aparecendo ali, bem na minha frente. Dei um sorriso fraco enquanto ela colocava as mãos na boca sem conseguir conter a exclamação de preocupação e horror ao ver o meu estado deplorável. Mas foi naquele momento que eu vi todos os cinco dedos dela inteiros e perfeitos. Tudo havia sido uma ilusão produzida por aquela dupla infame para atingir o meu emocional. Bem, eles haviam conseguido isso com louvor.

-Venha me buscar querida, eu preciso ver as crianças...

A sensação era de que meu mundo tinha virado de cabeça para baixo de maneira brusca e violenta. Era perseguida pelos humanos como terrorista. Não poderia voltar para Roma ou eles me culpariam por atos que eu nunca sonharia em cometer. De certa forma, eu entendia um pouco mais as atitudes de minha mãe. Porém nunca iria concordar com os seus métodos diabólicos e vis. Kyra não demorou a aparecer, trazendo um cantil com néctar para acelerar o processo de cura iniciado por Sun Hee.

-Sunny – chamei minha amiga, virando em sua direção – Eu aprendi algo importante. Enquanto estava... – mordisquei o lábio inferior sentindo a mente travar e um certo desespero tomar conta de meu corpo só em mencionar aquele momento - ... lá, naquele lugar, eu pensei para qual deus orar por ajuda. Mas acabei percebendo uma coisa – aproximei da garota e a segurei nos ombros, a fitando diretamente nos olhos expressando toda a gratidão que poderia – Não há um deus que tenha domínio sobre a coisa mais importante para a humanidade: a esperança. São nossos atos e crenças que movem essa força tão poderosa. Apenas nós, seres miseráveis e cheios de dor, que temos a esperança como aliada. Você foi minha esperança hoje, Sun Hee, eu não sei o que faria se você não tivesse aparecido!

O abraço veio inevitavelmente, meu coração transbordava de alívio e gratidão por ter Sun Hee comigo naquele momento. Não questionaria o que tinha acontecido ou como ela tinha conseguido, não importava no momento. Haviam me derrubado tão forte que por um momento eu não tinha conseguido me reerguer. Mas ali também residia uma verdade sobre mim: eu não precisava me reerguer sozinha.

-Vamos? – voltei a aproximar de Kyra – Você foi para onde penso que foi?

Kyra apenas sorriu brevemente e segurou minha mão antes de nos fazer desaparecer em pleno ar. Sim, nós estávamos no local mais seguro que poderíamos encontrar no mundo humano: a casa dos Farrier.


Então é isso! Evie deixa de ser pretora com esse arco, passando a ser uma Renegada. Não tenho nenhum pedido em especial para fazer, além da modificação dos grupos.

Aliança:
• Kyvie [ Aliança de ouro branco com uma pequena pedrinha de tanzanita em tons de azul e roxo presa ao centro, essa tem o formato de um coração. No interior do aro está gravado 1+1=1. | Compartilhar consciência. É um estado de ligação entre os portadores da aliança que permite que parte da consciência seja compartilhada por um tempo. A manifestação desse efeito é bastante peculiar, pois dá a capacidade para que uma esteja presente para a outra, quebrando a distância física que as separa. Desse modo, seria possível que parte da consciência aparecesse ao lado da outra, permitindo que fosse vista, escutada e até mesmo tocada. Porém, ninguém mais além das duas poderia ver, ouvir ou tocar. Elas poderiam ver o mesmo ambiente em que a outra está, porém nunca interagir com ele, apenas com a portadora do anel. Quem estiver compartilhando parte da consciência ficará um tanto mais distraído, por ter parte da consciência interagindo com a amada. No entanto, isso não o impede de continuar atuando normalmente, apenas mais distraído ou com o rendimento da atenção reduzido.| Ouro Branco | Kyra e Evie]

Template made by Kyra


EVIE FARRIER
I am the bone of my sword. Steel is my body and fire is my blood.
avatar
Evie Farrier
Senadores
Senadores

Mensagens : 696
Idade : 21
Localização : Acampamento Romano

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ▬ Supernova

Mensagem por Perséfone em Ter 14 Nov 2017, 15:01


Evie Farrier E Sun Hee


Método de Avaliação:

Valores máximos que podem ser obtidos

Máximo de XP da missão: 20.000 XP  

Realidade de postagem + Ações realizadas – 50%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc – 20%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência – 30%

(A seguir, a pontuação alcançada pelo player na missão, conforme os critérios acima:)

Realidade de postagem + Ações realizadas: - 47%
Escrita: Gramática, erros, pontuação, coerência, concordância, etc: 18%
Criatividade/Estratégia em combate + inteligência: 30%


RECOMPENSAS: 19.000 XP + 19.000 dracmas (Evie ganha o XP dobrado devido ao duplicado).

Comentários:

Eu não tenho muito a dizer sobre o enredo de vocês, achei coerente e bastante criativo, então só tenho que parabeniza-las. O desconto foi mais por alguns erros de digitação que encontrei no texto, e algumas partes que achei que podiam ter detalhado um pouco melhor, no mais, parabéns.




Qu’il soit infini aussi
longtemps qu’il durera!
avatar
Perséfone
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 428

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ▬ Supernova

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum