The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

BxB

Página 16 de 19 Anterior  1 ... 9 ... 15, 16, 17, 18, 19  Seguinte

Ir em baixo

Re: BxB

Mensagem por Athena em Seg Ago 27, 2018 1:35 pm

O membro 'Alexandra Nikolaev' realizou a seguinte ação: Lançar dados


#1 'D10' : 10

--------------------------------

#2 'D10' : 10


Palas Athena...
Sometimes the power must bow to wisdom. You can be strong, may have power, but if you are wise, you are all well. And more than that, yes you can defeat them. Once warned that to save the world destruiri you-your friends, maybe I was wrong.
avatar
Athena
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 11004
Idade : 23
Localização : Por ai

http://www.bloodolympus.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: BxB

Mensagem por Alexandra Nikolaev em Seg Ago 27, 2018 1:37 pm

Rolando dados para o bônus lendário das armas de Evie e Aprilla

Dado 1: Caelum (Evie)
Dado 2: Tormenta (Aprilla)


Alex Nikolaev
☾★I'd prefer machines rather than humans! ★☽
avatar
Alexandra Nikolaev
IV Coorte
IV Coorte

Mensagens : 338

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: BxB

Mensagem por Athena em Seg Ago 27, 2018 1:37 pm

O membro 'Alexandra Nikolaev' realizou a seguinte ação: Lançar dados


#1 'D10' : 4

--------------------------------

#2 'D10' : 6


Palas Athena...
Sometimes the power must bow to wisdom. You can be strong, may have power, but if you are wise, you are all well. And more than that, yes you can defeat them. Once warned that to save the world destruiri you-your friends, maybe I was wrong.
avatar
Athena
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 11004
Idade : 23
Localização : Por ai

http://www.bloodolympus.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: BxB

Mensagem por Alexandra Nikolaev em Seg Ago 27, 2018 1:49 pm

A ser adicionado na ficha de Evie Farrier

Item Final

• Caelum [Uma majestosa espada, de corte duplo e grande o suficiente para que algumas pessoas precisem segurar com ambas as mãos, caso não possua força suficiente para sustentar com apenas um punho. Tem um metro e quinze centímetros de cumprimento, sua empunhadura tem um belo design e em sua lâmina negra há detalhes em dourado que brilham graças a poção de luz fundida na lâmina | Efeito 1: A espada possui a poção de luz, conferindo +30% de dano em criaturas das trevas e +50% de resistência ao elemento primário. | Bônus de forja: +15% de dano; Bônus de int em FPA: +30 de dano; Bônus lendário:  Roubo de vida: + 15% de roubo de vida (a cada golpe acertado no oponente, 15% de tal dano será convertido em HP para o portador da arma, lembrando que, caso a vida esteja cheia nada será acrescentado). | Ferro Estige | Alfa | Rubi imperial: +40 de dano, espaço para 2 gemas | Status 100%, sem danos | Lendário | Forjada por Nikolaev]


A ser adicionado na minha ficha

Item copiado

• Caelum [Uma majestosa espada, de corte duplo e grande o suficiente para que algumas pessoas precisem segurar com ambas as mãos, caso não possua força suficiente para sustentar com apenas um punho. Tem um metro e quinze centímetros de cumprimento, sua empunhadura tem um belo design e em sua lâmina negra há detalhes em dourado que brilham graças a poção de luz fundida na lâmina | Efeito 1: A espada possui a poção de luz, conferindo +30% de dano em criaturas das trevas e +50% de resistência ao elemento primário. | Bônus de forja: +15% de dano; Bônus de int em FPA: +30 de dano; Bônus lendário:  Roubo de vida: + 15% de roubo de vida (a cada golpe acertado no oponente, 15% de tal dano será convertido em HP para o portador da arma, lembrando que, caso a vida esteja cheia nada será acrescentado). | Ferro Estige | Alfa | Rubi imperial: +40 de dano, espaço para 2 gemas | Status 100%, sem danos | Lendário | Forjada por Nikolaev]


Item de Aprilla

• Tormenta [Sua forma reduzida é de um bastão de 10cm com dois aros em alto relevo nas extremidades, sendo o externo ligeiramente mais estreito e diminuto que o interno. Em seu centro está escrito "equilíbrio" e, pressionar o entalhe ativa o mecanismo expansor/retrátil, de modo que a arma pode crescer até 3 metros ou permanecer com um comprimento inferior a este. Os movimentos horário e anti-horário realizados simultaneamente no centro do bastão servem para expelir lâminas de 35cm - também de vibranium - nas duas extremidades, e o mesmo é necessário para retraí-las. |  Efeito de ligação: retorna a usuária depois de 2 turnos, em caso de perda ou roubo; Efeito de mecanismo: Altera o seu cumprimento entre 10cm e 3m | Efeito 1: Encantado com o veneno Kanima, as lâminas ganharam propriedade de veneno paralisante. Caso a lâmina produza um corte que entre em contato com a corrente sanguínea, pode provocar paralisia por até 3 turnos no membro atingido. Não afeta o corpo inteiro | bônus de forja: +15% de dano; bônus de FPA: +30 de dano; Bônus lendário: + 30 de dano ao usar qualquer habilidade elemental. | Vibranium | Espaço para 3 gemas | Super Alfa | Dano base (com todos os bônus): 86 | Status 100%, sem danos | Lendário | Forjada por Nikolaev]

Valor a ser cobrado
Vibranium – 5.000
Efeito de ligação – 500
Efeito venenoso – 1000
Lendário – 7000
Mão de obra – 50% do valor final
Total: 20.250


Alex Nikolaev
☾★I'd prefer machines rather than humans! ★☽
avatar
Alexandra Nikolaev
IV Coorte
IV Coorte

Mensagens : 338

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: BxB

Mensagem por Alexandra Nikolaev em Ter Ago 28, 2018 11:36 am





Item Aprilla 2:
Nome do item: Fura Olhos
Descrição: Dois finos e lisos anéis de falange que assumem a forma de um arco curto de 1,3m e uma aljava, ambos de adamantino. Os dois itens possuem entalhes simples, dourados e simétricos de ramos de louro, como se estes tivessem se desenvolvido ali. As 20 flechas presentes na aljava, por outro lado, são igualmente divididas entre ferro estígio e ouro imperial.
Efeitos: virar um par de anéis de falange, repor as flechas da aljava por um custo de MP e deixar em branco, por enquanto, o(s) último(s) efeito(s)
Gemas/Joias: xx
Material: adamantino (arco e aljava) e ferro estígio e ouro imperial (flechas)
O material deverá ser comprado? ( X ) sim (  ) não [necessário acrescentar link da compra ou de sua ficha]
Lançamento dos dados: ( X ) épico   ( X ) lendário
Extras: xxx

Depois de um longo intervalo, ainda restava um último pedido a ser atendido. Aprilla já tinha em mãos a Tormenta, um bastão que poderia assumir a forma de uma lança com um simples mover do dispositivo. Em poucas horas, a amazona teria posse de um arco com aljavas mescladas. Uma ideia conveniente para os arqueiros, funcional quando tratava-se de locomoção já que a forma final dos itens seriam dois anéis.

Porém, o processo se diferenciava um pouco mais do que os outros que tinha realizado, tanto por tratar-se de uma arma a longo alcance, como por ter uma diversidade maior de materiais. Por isso, depois de acender a fornalha, eu estava levitando três caldeirões diferentes para o seu interior. Ali dentro havia um pedaço de barra de ferro estige e em outro recipiente um de ouro imperial. No terceiro, um metal completo de adamantino. Enquanto os três materiais metálicos estavam em seu processo de derretimento, fui em direção a mesa de projetos.

Usando de réguas e outras ferramentas de medição, comecei projetando as flechas. Precisava fazer algum diferencial entre um monte e outro, para que a amazona pudesse diferenciá-las no momento da batalha. Decidi alterar o design do que era chamado “rabeira”, onde geralmente colocava-se os adornos e as penas. As de ferro estige seriam mais ásperas e pontiagudas, já as de ouro imperial mais lisas e com a aerodinâmica no final da flecha mais aberta. Isso deveria ser o suficiente para uma guerreira mitológica diferenciar os projeteis. Por serem flechas apenas metálicas, tive de calibrar o peso para que este não influenciasse demasiadamente no trajeto do tiro. Após projetar as flechas no papel, foi a vez do arco em si, feito apenas de adamantino. Cálculos foram feitos para que o item também não ficasse demasiadamente pesado nas mãos de Aprilla, ao mesmo tempo em que presava pelos adornos e estética já que não gostaria que um produto meu saísse feio.

Terminado com os desenhos técnicos, afastei da mesa com os papeis para coloca-los no mural. Era o local de melhor visibilidade, permitindo que fosse visto os planos de praticamente qualquer lugar da forja e laboratório. Retornei para a fornalha, sorrindo ao perceber que o material já estava em sua forma mais líquida. Prendi os longos cabelos em um coque frouxo, para que o calor não me incomodasse e nem os fios acastanhados. Separei os moldes que iria precisar, sendo estes: o do corpo da flecha, dois para as setas laminadas e um para o arco.

Levitei o caldeirão que estava com o ouro imperial, o derramando sobre apenas um molde de seta da flecha, o colocando em um local afastado para resfriar. Depois, veio o recipiente contendo o ferro estige, sendo despejado no espaço da segunda ponta da flecha. Por fim, o maior dos caldeirões por ter mais volume dentro de si. Derramei o adamantino não só no molde do arco, mas no que viria a ser o corpo da flecha. Todos os três caldeirões estavam no local ideal para lavagem no final.

Aproximei do que viria a ser o arco, tocando a base da forma para aplicar a habilidade de resfriamento. Acelerar o processo permitia que, com uma pinça de ferreiro, levasse o metal para a bigorna sem esperar longos minutos pela friagem. Atrai o martelo mágico de forja com o meu controle sobre o metal, abrindo a mão exatamente como Thor faria ao chamar o seu martelo mitológico. A comparação me fez rir baixinho, permitindo que eu me divertisse enquanto desferia poucos golpes sobre o adamantino. Graças a propriedade mágica inserida naquela ferramenta, o martelo podia dar a forma que eu quisesse muito mais rapidamente.

No entanto, da a forma em nada queria dizer que o acabamento seria bom. Por isso, mesmo que o arco já tivesse o formato que eu queria, ele ainda não estava completo. Com ferramentas menores, realizei todo o acabamento, livrando-me das imperfeições. Depois, fora a vez de polir o metal até que estivesse brilhando e acrescentar detalhes artísticos por todo o seu corpo. Como eu disse, eu era um tanto vaidosa com meus itens, mesmo que fosse um desastre comigo mesma! No fim, coloquei o cordel depois de medir e testar a resistência do retesamento, para que o fio não estourasse após ser puxado. Arco finalizado, era o momento para as flechas!

Com o tempo que levei forjando o arco, os moldes contendo parte das flechas já tinham alcançado o ponto de resfriamento que eu almejava. Decidi lidar primeiramente com o corpo da flecha, o fino bastão ou tubo. O levei até a bigorna, o depositando sobre a superfície para receber os golpes do martelo mágico. O item era relativamente rápido de adquirir a forma que eu desejava, já que era mais simples e, por ser menor e com menos detalhes, fora igualmente ligeiro polir e fazer o acabamento.

Aprilla desejou 20 flechas, mas isso sairia demasiadamente caro e trabalhoso forjar flecha por flecha. Por esse motivo, sorri travessa ao pronunciar o feitiço “Scribam objecta”. Ao proferir as palavras mágicas, o item visado multiplicou-se na quantidade que eu desejava, criando vários corpos idênticos, como clones. Os coloquei em um espaço reservado, pois retornaria a elas quando finalizasse as setas.

E por falar em setas, peguei o molde com a ponta da flecha de ouro imperial. A depositei sobre a bigorna e, por ser pequena, fora fácil aplicar a forma pontiaguda que eu desejava. Lidei com o acabamento, tirando as imperfeições com um toque de perfeccionismo, demorando mais do que o necessário para me convencer de que estava bem e equilibrada. Por mais que o arco fosse a parte mais bela e funcional, eram as flechas que davam o dano final! Demorei a mesma quantidade de tempo com o ferro estige, ou talvez até um pouco mais, por se tratar de um metal infernal eu tomava ainda mais cuidado ao lidar tão de perto com ele.

Com as duas setas de flechas posicionadas sobre a mesa, apliquei o mesmo feitiço de multiplicação, criando dez cópias exatas de cada. E mesmo que eu usasse feitiços e habilidades divinas para facilitar o meu trabalho, aquele era o momento em que nada disso seria útil. Por isso sentei confortavelmente em uma poltrona e deixei o material a minha disposição, encaixando seta por seta no corpo da flecha. Mesmo que pudesse usar o controle de metal para facilitar o meu trabalho, eu gostava de sentir o que estava fazendo. Obviamente usava luvas, pois aquele material possuía efeitos extras em semideuses, não queria acabar morrendo por causa do trabalho. Literalmente! Quase uma hora e meia depois, eu tinha finalizado todas as vinte flechas.

No entanto, o trabalho ainda não tinha sido findado. A aljava por mais que eu pudesse colocar detalhes metálicos, precisava ter em sua constituição couro resistente. Isso porque o item não poderia atrapalhar o usuário, independente de onde ele estivesse posicionando a aljava. Se fosse totalmente de metal, poderia facilmente provocar desequilíbrio. Então, depois de tanto tempo, eu estava me dedicando a função de costura, montando a aljava de flechas com suporte de metal interno para sustentar a forma e receber a resistência do adamantino entrelaçado em sua constituição.

Era quase o momento do entardecer quando tinha quase terminado o meu trabalho. Exatamente, quase! Peguei o arco, o levando novamente a bigorna. Diferente das primeiras marteladas, dessa vez uma imagem mental era projetada junto com parte de minha energia. Ao desferir os golpes sobre a arma, eu desejava que esta se transformasse em um anel, dobrando o metal a minha vontade como filha do deus ferreiro. Repeti o mesmo processo de transformação com a aljava, tendo no fim o resultado de dois anéis de falange sobre a minha mesa.

Estiquei os braços para o alto, sabendo que nesse momento para além de descansar, eu precisava urgentemente me alimentar.


Instruções

• Registrar no ouro imperial e ferro estige como (1/2), já que eu utilizei apenas metade do metal para fazer a ponta das flechas. Os itens estão em minha ficha.
• Retirar 1 adamantino de minha ficha.
• Solicito a rolagem de dados épico e lendário.

Item final

• Fura Olhos [Dois finos e lisos anéis de falange que assumem a forma de um arco curto de 1,3m e uma aljava, ambos de adamantino. Os dois itens possuem entalhes simples, dourados e simétricos de ramos de louro, como se estes tivessem se desenvolvido ali. As 20 flechas presentes na aljava, por outro lado, são igualmente divididas entre ferro estígio e ouro imperial. Para auxiliar na escola, as de ferro estígio possui o cabo mais áspero e fino, já a de ouro imperial é liso. | Efeito mecânico: transforma-se em dois anéis de falange | Efeito 1: As flechas são repostas por uma troca de 20MP (1MP para cada flecha). | Bônus de forja: +15% de dano; bônus FPA: +30 de dano | Ouro Imperial e Ferro Estíge (Flechas); Adamantino (Arco e Aljava) | Alfa (flechas) e Super Alfa (Arco) | Espaço para 1 gema | Status 100%, sem danos | Mágico | Forjado por Nikolaev]

Habilidades Ativas:

Nível 19
Nome do poder: Esquenta e Esfria
Descrição: O semideus consegue alterar a temperatura das armas, escudos ou armaduras do inimigo (o semideus decide no ataque), podendo resfriar ou esquentar o mesmo, causando danos no usuário, mas para isso, precisara tocar o alvo, mais precisamente, o local que deseja esfriar ou esquentar.
Gasto de Mp: 30 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: 20 HP (para calor), 35 HP (para frio)
Extra: Só consegue esfriar em uma temperatura mediana, o suficiente para machucar, já esfriar, torna os movimentos do usuário mais lentos, pois, a temperatura se assemelha ao gelo, e pode causar queimaduras leves – de frio – e deixar o usuário com calafrios – em caso de armaduras – já armamentos, provavelmente seriam soltos da mão do inimigo.

Nível 25
Nome do poder: Magnetismo III
Descrição: É a habilidade que permite aos filhos de Hefesto/Vulcano, controlarem o magnetismo. Agora já consegue manipular metais pesados, de porte grande, podendo desvia-los e manipula-los da maneira que bem entender.
Gasto de Mp: 40 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Funciona com objetos de porte médio, máximo de 150 kg. O dano será a critério do narrador, e da forma com que o poder foi utilizado.


Nível 12
Feitiço: Scribam objecta
Descrição: O feitiço permite a feiticeira criar copias de objetos já existentes, e em sua posse, mas não funciona com criaturas vivas, como animais, humanos, ou algo semelhante. (pode funcionar com flores e frutas, e até mesmo comida).
Gasto de Mp: 20 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Apenas Verbal.
Passivas de Vulcano:
Nome do poder: Reparos Rápidos
Descrição: Filhos de Hefesto/Vulcano conseguem consertar aparatos mecânicos rapidamente, gastando metade do tempo que uma pessoa comum levaria para tal.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguem concertar qualquer coisa em apenas dois turnos.
Dano: Nenhum

Nível 9
Nome do poder: Sensibilidade Mecânica
Descrição: O filho de Hefesto/Vulcano  pode detectar falhas em minérios de metal e identificar o tipo de maquinaria e uso por toque.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Sempre saberá o que está errado e como concertar
Dano: Nenhum

Nome do poder: Projetos
Descrição: Você é capaz de entender e fazer desenhos técnicos voltados a projetos de engenharia, e possivelmente recriar tais projetos os fazendo tornar-se reais. Isso significa que com um projeto em mãos, você consegue desenvolve-lo.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 14
Nome do poder: Forjador III
Descrição: Agora você entende de mecanismos complexos e avançados, podendo fabrica-los com uma facilidade e maestria inexistente em qualquer outro semideus. Suas armas são mais fortes do que as armas de qualquer outro forjador, e agora que entende isso, você simplesmente se torna o destaque do momento.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +25% de resistência e +20% de força em armas fabricadas pelo semideus. Além disso, as gemas nas mãos dos filhos de Hefesto não precisam ser reforjadas, ele encaixa sem precisar modelar a arma, e a deixa tão perfeita quanto. É algo extremamente natural. (Armas Betas podem virar alfas, mas nunca alfa prime, o status da arma (Alfa, beta, ou sigma, sempre subira um nível acima do atual, não mais que um).
Dano: +15% de dano as armas fabricadas pelo semideus de Vulcano/Hefesto.
Habilidades Feiticeiras:
Nível 19
Nome do poder: Feiticeira III
Descrição: Você está ficando cada dia mais forte, Circe está orgulhosa de você. Sua personagem dominou a arte da feitiçaria conforme o esperado, tornando seus feitiços experientes, fortes e controláveis. Você dominou sua magia por completo.
Gasto de Mp:
Gasto de Hp:
Bônus: +20% de força em feitiços (poderes ativos).
Dano: +15% de dano se o feitiço acertar o oponente.
Itens usados:

• Martelo Mágico de Forja [Um martelo de forja, com traços rústicos, feito de bronze celestial e aço reforçado. Possui runas mágicas que lhe dão propriedades mágicas. | Efeito de ligação: funciona apenas nas mãos de Alexandra, nas mãos de outra pessoa se torna apenas um martelo comum, assim como retorna a sua dona depois de dois turnos, caso perdido ou roubado; Efeito de transformação: vira um chaveiro com uma réplica menor do original | Efeito 1: Graças as runas de sorte, transformação, mudança, equilíbrio e sabedoria, o martelo é capaz de com poucas marteladas fazer com que o metal tome a forma que a ferreira deseja. Funciona apenas para efeitos de forja, não será permitido uso em PvPs, porém poderá ser usado e levado em missões | Bônus de forja: 15% a mais de dano; bônus lendário: Quando o inimigo for atingido pela espada, por menor que seja o corte, o mesmo irá continuar aberto e sangrando por, até, oito turnos. Causando um dano de 15 de HP a cada turno, independente da ferida.| BC e aço reforçado | Alfa | Espaço para 3 gemas | Status 100%, sem danos | Lendário | Forjada por Nikolaev]
Habilidades da UNR:
1º Semestre
Nome do poder: Conhecimento Avançado em Física
Descrição: A ordem natural das coisas passa a fazer mais sentido na mente do aluno, pois ele estudou arduamente para compreender as leis da física perfeitamente. Agora ele sabe aplicá-las não apenas nos livros, mas como para toda a ação tem uma reação, tornou-se capaz de aplicar tais conhecimentos na prática.
Gasto de Mp: Nenhum
Bônus: Nenhum

2º Semestre
Nome do poder: Conhecimento em Matemática
Descrição: Os números que antes saltavam das páginas e se embaralhavam em uma dança confusa diante dos olhos dos semideuses disléxicos agora se ordenam em uma sinfonia que o meio-sangue compreende e sabe utilizar. Geometria, trigonometria, funções, equações diferenciais... Com muito estudo e cobranças incessantes dos professores mais carrascos, o semideus compreendeu a arte matemática para saber utilizá-la na profissão e na sua vida.
Gasto de Mp: Nenhum
Bônus: Nenhum

3º Semestre
Nome do poder: Comunicação com Máquinas
Descrição: O semideus aprende a usar a sua energia para, através do toque, escanear uma máquina e compreender as mensagens que ela pode passar. A máquina não “fala” de fato, mas transmite mensagens que o estudante é capaz de compreender.
Gasto de Mp: 30 MP
Bônus: Nenhum

4º Semestre
Nome do poder: Criação I
Descrição: O estudante já pode se aventurar nos laboratórios para tentar criar itens simples e pouco complexos para exercitar seu conhecimento. Itens simples que podem ser encontrados no mundo mortal podem ser construídos por ele, ou pequenas armas sem efeito algum.
Gasto de Mp: 70 MP
Bônus: Nenhum





Alex Nikolaev
☾★I'd prefer machines rather than humans! ★☽
avatar
Alexandra Nikolaev
IV Coorte
IV Coorte

Mensagens : 338

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: BxB

Mensagem por Zeus em Ter Ago 28, 2018 12:30 pm

Atualizada
Avaliação das postagens vistas por mim anteriormente: 4400 XP (referente aos dois itens) + 30% Das aulas = 5720

Valor em dracmas teve um acréscimo de 50% conforme o sistema.


Lorde Zeus
avatar
Zeus
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 1365

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: BxB

Mensagem por Alexandra Nikolaev em Ter Ago 28, 2018 11:37 pm






O desejo de aprimorar a minha capacidade como ferreira estava acentuada naquela manhã. Por mais que eu tivesse experiência, almejava ter um nível ainda mais perfeito. Uma ideia fervia em minha mente desde que reconheci essa vontade, o que conduziu meus passos em direção a minha forja com um propósito em mente: treinar criações.

A Katana e a Rapier

Organizei todos os meus moldes, planejando que naquela manhã minha mente criasse o que estivesse à vontade. Então, porque não começar com item que era mais pedido? Espadas. Separei dois moldes diferentes, sendo um apropriado para uma lâmina oriental – katanas – e outros para lâminas europeias. Acendi a fornalha, usando do meu controle sobre o fogo para deixar em poucos segundos na temperatura que desejava. Peguei dois metais de bronze celestial, colocando dentro de um caldeirão e levitei o recipiente até o local apropriado para o derretimento.

Fui até a mesa de projetos, realizar rascunhos dos desenhos técnicos das duas espadas. Desde que tinha adentrado na universidade, eu não achava apropriado forjar sem ter os cálculos para as proporções. Esse foi o tempo necessário para que o metal de bronze derretesse. Coloquei as luvas de proteção, mesmo que fosse usar do magnetismo para levitar o caldeirão quente. Despejei o metal líquido nas formas, paciente e delicadamente para que não respingasse fora ocorrendo desperdícios.

Coloquei o caldeirão na área de lavagem. Ao retornar, decidi começar com o que seria uma futura katana, resfriando o molde com uma de minhas habilidades. Atrai o meu martelo de forjas mágico para minha mão, preparando a lâmina sobre a bigorna para que ela tomasse a sua forma final. Desferi alguns golpes pelo corpo do item, deixando que a magia do martelo fizesse efeito livremente. Logo, apenas precisei lidar com o acabamento e limpar as deformidades.

O passo seguinte foi o de fazer a empunhadura. Utilizei o restante do material para dar a forma ao cabo, usando do meu controle sobre o metal. Poli com paciência, para logo pegar uma tira de couro vermelha. A envolvi e entrelacei por todo o corpo, permitindo assim que quem portasse aquela espada em estilo oriental, não a sentisse derrapar em suas mãos. O guarda punho fora circular, bastante simples e, ao mesmo tempo, clássico. Tudo o que precisei fazer a seguir foi encaixar lâmina ao cabo, mas só finalizei ao afiar o corte único da lâmina recurva.

O trabalho a seguir foi com a lâmina ocidental. Eu faria uma clássica rapier, cujo maior trabalho estaria futuramente na guarda de mão. Com o metal já no ponto certo em sua temperatura, levei até a bigorna para poder martelar e reforçar a sua consistência e dar forma ao design. A lâmina era mais fina do que a primeira, perfeita para a perfuração e o corte preciso. Ao ter o resultado esperado, lidei com o acabamento e depois poli. Com o restante do material, dediquei-me a empunhadura.

A rapier era uma arma clássica e majestosa, famosa a partir da revolução francesa. Vaidosos, os europeus gostavam de caprichar na guarda de mão. Tive de usar bastante o meu controle sobre o metal para dar as formas mais delicadas e cursivas a guarda de mão. Mas no fim, ao encaixar a lâmina a empunhadura, ela estava esplêndida.

Ao finalizar com as duas armas, as coloquei em um mostruário vazio.

A adaga e a faca de caça

Lembrando que eu tinha metade de um material divino, decidi investir em lâminas curtas como meu próximo trabalho. Peguei caldeirões pequenos, colocando metade de uma barra de ouro imperial em um, e outra metade de ferro estige em outra. Os levei para a fornalha para que seguissem no processo de liquefação.

Peguei os moldes, um para uma adaga e outro para uma faca de caça. Enquanto o metal derretia, organizei um pouco da bagunça que tinha feito durante a criação das espadas. Com o espaço mais livre, fui para a mesa de projetos para ter as dimensões e proporções dos próximos dois itens, realizando cálculos rápidos e mentais graças as aulas de matemática na UNR.

Quando o metal divino tinha por fim derretido, repeti o mesmo processo de levitar os caldeirões, evitando tocá-los para não acabar me queimando. Derramei o volume líquido nos moldes, levando os recipientes para a área de lavagem. Com as mãos na cintura, demorei um pouco para decidir por qual começar, mas acabei por escolher o ouro imperial.

Toquei o molde do que seria a futura adaga, resfriando para que o líquido assumisse a forma sólida da lâmina curta. Com uma pinça, levei o ouro imperial para a bigorna, capturando o martelo de forja mágico ao esticar o braço para a esquerda. O girei em minha mão antes de começar a desferir os golpes sobre o metal, o dobrando até que tivesse a forma que eu desejava.

Talvez seja importante abrir um parágrafo para explicar que eu trapaceava nas forjas. Ao menos, pensava nisso como uma trapaça. Um code que facilitava a minha vida durante o processo de criação. Isso tudo por causa do martelo encantado, que tinha a capacidade de acelerar várias etapas ao fazer o item martelado ganhar a forma que eu tinha em mente. Por isso, não precisava fazer todos os passos de uma forja.

Logo a adaga estava quase pronta. Quase. Pois apesar de ter o design que eu desejava, ela ainda estava imperfeita. Lidei com os acabamentos e imperfeições, para então polir todo o metal checando o seu equilíbrio e dimensões. Só então foquei em sua empunhadura, decidindo por algo simples e sem muitos adornos. Finalizando com o ato de afiar a adaga de duplo corte, a levando em seguida para o mostruário onde estavam as espadas.

Ao chegar no molde com ferro estige, ajustei as luvas ao redor de minhas mãos. Afinal de contas, aquele era um material do inferno e talvez o que eu mais respeitasse e temesse. Com uma pinça, levei o metal obscuro para a bigorna, pegando o martelo mágico. A forma foi dada depois de poucas marteladas, mas por ser uma faca de caça, não tinha terminado por ali. Precisei me dedicar ao ato de lixar os dentes em um dos lados, além de focar na curva na ponta da lâmina. Polir e lidar com o acabamento fora ações padrões feitas a seguir, além e afiar o lado da lâmina onde teria o corte. No final eu já tinha quatro itens novos organizados em um mostruário bélico.


Lança e Alabarda

Tive de dar um breve intervalo nas forjas. Um, para poder sair e distrair a mente. Dois, para poder comprar mais materiais. Ao retornar, ainda comi algo antes de reviver o fogo na fornalha. Ajustei as coisas novas pela forja, selecionando no fim dois cabos de madeira. Aqueles provavelmente seriam os únicos itens que iria encantar, pois não desejava que nenhum semideus ficasse em perigo por ter usado um item de baixa resistência em combate.

Coloquei os dois cabos amadeirados sobre a mesa, indo pegar a minha caneta mágica. A preenchi com meu próprio sangue ao perfurar meu dedo, já que aquilo serviria como tinta. Sobre o corpo dos bastões, desenhei runas de proteção e força, esperando que com aquilo a madeira se tornasse mais resistente, visando a proteção de quem fosse o futuro dono daqueles itens. Enquanto ia transcrevendo as palavras de poder sobre a madeira, elas eram automaticamente seladas. Ao finalizar com os cabos, guardei a caneta e segui em direção a ala com os metais.

Novamente usaria de bronze celestial como principal metal ofensivo. Coloquei uma barra inteira em um caldeirão, já devidamente lavado. Depois de colocar o recipiente no devido lugar na fornalha, fui até os moldes. Peguei o que era mais adequado para a ponta de uma lança e outro bastante similar, mas que faria parte de uma alabarda. Em seguida, parti para o desenho dos projetos, tendo mais facilidade já que os dois itens eram bastante similares.

Quando o bronze celestial finalmente derreteu, levitei o caldeirão e despejei os líquidos sobre os moldes. Comecei pelo que achava que seria mais fácil: a ponta laminada de uma lança. Resfriei o metal, o levando para a bigorna para que recebesse o devido tratamento. Algumas marteladas depois, a lâmina estava pronta para ter o seu acabamento, polimento e ser encaixada no bastão de madeira encantado. Depois, bastou encaixar o corpo a lâmina, fixando com todo o cuidado do mundo para não deixar nada frouxo. Seria um desastre a parte metálica escapar do corpo amadeirado, deixando o semideus ou criatura indefeso por um erro do forjador!

Depois foi a vez da lâmina da alabarda. Essa, mesmo depois de receber as marteladas, precisou de um pouco mais de dedicação por ser mais complexa. Era como uma lança mesclada a uma machadinha, precisando ser afiada tanto na ponta quanto na lâmina curvada. Não resisti a colocar detalhes e adereços, deixando a lâmina realmente bonita. Por isso, estava sorrindo enquanto polia e limpava as imperfeições. Após afiar a lâmina, bastou encaixá-la devidamente no cabo amadeirado.


Escudo

Ainda com tempo para fazer um último item, decidi me desafiar. Aquela seria a primeira vez que faria um escudo. Aproveitei a fornalha ainda quente para colocar o último metal de bronze celestial para ferver. Enquanto o processo de liquefação começava, segui a etapa de fazer o projeto do escudo. Foi, sem sombras de dúvidas, o mais divertido e mais cheio de conteúdo. Mal percebi o tempo passar, dando graças a meu pai que metais não queimassem de fato, apesar de que alguns poderiam perder a resistência ou danificar quando resfriassem.

O molde do escudo era o maior de todos, necessitando assim um espaço maior. Levitei o caldeirão até a mesa de pedra que possuía, apropriada para os grandes trabalhos. Derramei todo o conteúdo no que viria a ser um escudo circular. Depois de levar o caldeirão para o lavatório, retornei para resfriar o metal. Deixei a parte mais oval tornada para baixo, para ter uma melhor área para martelar.

Atrai o martelo para minha mão, mal contendo a excitação ao desferir o primeiro golpe. Depois de tantas forjas, era incrível fazer algo novo. Por isso, mesmo que fossem poucas marteladas, eu apreciei cada uma e observei de perto as mudanças mágicas no metal. Virei o escudo, tirando todas as imperfeições que meu olhar crítico poderia encontrar. Depois, com algumas tiras de couro, montei no lado interno o espaço apropriado para encaixar o braço.

O escudo estava pronto. Mas terrível em aparência. Por isso, com tintas apropriadas e outras ferramentas, puxei uma cadeira para poder ficar confortável e me dedicar a arte. O escudo circular teria o desenho de um sol no centro, adornado com detalhes dourados em um fundo rubro. Era algo bonito e que consumiu muito mais tempo do que eu imaginava, sendo praticamente noite quando finalmente finalizei.


Arma de Fogo

Depois que terminei o escudo, algo não saiu da minha mente. Eu tinha comprado um molde novo. Um item que não seria apenas um desafio para mim como ferreira... Mas também como pessoa. Mas desde que estávamos enfrentando a seita, espadas e lanças já não pareciam ser o suficiente. Por isso, eu estava bebendo um achocolatado e encarando o molde de um revólver.

Eu sabia que um revólver é uma arma de fogo de repetição, de porte individual, normalmente com um só cano e com calibres variados. O depósito de cartuchos do revólver é constituído por um tambor ou cilindro giratório com várias câmaras ou culatras onde ficam os cartuchos (usualmente cinco ou seis, porém variando para mais ou para menos). O mecanismo de alimentação rotaciona este tambor um arco de revolução por disparo, de onde provém seu nome.

Por estar acostumada com armas brancas, fazer aquilo me levaria a ter um passo a passo um tanto diferenciado. Primeiro, terminei a bebida quente, pegando o smartphone divino para fazer pesquisas. Graças a minha conexão com a tecnologia, eu conseguia achar sites funcionais mais rápido, excluindo os que possuíam informações desnecessárias. Depois, segui para o projeto. Desenhei parte por parte, desde a coronha ao cano, do tambor as balas.

Depois veio a missão de decidir qual seria o material. Similar a um arco e flecha, o dano real era causado pelo material usado nas pontas da flecha. Para um revólver, seriam as balas o principal metal de ataque. Então não tive dúvidas quando selecionei o vibranium como material para as balas. Porém, qual a base do corpo da arma? Cocei a cabeça, tombei paro lado, respirei fundo até por fim me sentir confortável com o Arambarium. Esse era um metal primordial para a magia, o que me deixaria mais confortável de usar a arma de fogo.

Coloquei os dois metais selecionados em caldeirões separados e fui em direção a fornalha. Diferente do que tinha feito até agora, acelerei o processo de aquecimento do metal. Tanto o vibranium quanto o arambarium eram materiais complexos e demoravam a atingir o ponto de liquefação. Levitei os caldeirões, derramando os líquidos metálicos em seus devidos moldes. Enquanto as balas iriam resfriar em processo natural, fui até o corpo da arma de fogo. O resfriei e levei até a bigorna. Dessa vez, mesmo com o martelo de forja já em mãos, eu encarava o item de cenho franzido.

Busquei o projeto duas vezes, sentindo insegurança ao criar um item tão inusitado e letal. Por isso, ao desferir as marteladas, dava uma longa pausa para saber como estava sendo o processo, conferindo sempre com o projeto feito. Com o corpo pronto, o desmontei separando o tambor, local onde as balas eram acopladas, do seu local. Primeiro polir o item cilíndrico por fora, depois ajustei as imperfeições internas. Um erro ali poderia fazer a bala emperrar e explodir o item em minha mão. Por isso tomei o mesmo cuidado com o cano, checando o relevo interno, se não tinha imperfeições que tinha deixado passar. Remontei a peça e fui até a ala do laboratório mágico.

De dentro de um refrigerador potente, retirei amostras de sangue de meus clientes passados. Em muitos momentos, eu precisei daquelas amostras para serem usadas como tinta em minha caneta mágica, permitindo a ligação da arma como seu dono. Todos os clientes eram avisados previamente de que precisaria de amostras. Geralmente eu as duplicava, para ter sempre uma em estoque. Selecionei os tubos com o nome de Max Hayes e Frannie Blackwell. A arma era um item mágico, o que pedia por encantamentos! Dupliquei os tubinhos com feitiço, antes de repor o que eu tinha pego e finalmente retornar ao revólver, levando comigo os frascos e a caneta mágica.

Primeiro selecionei o tubo da filha de Júpiter, preenchendo a caneta com aquele líquido ao encostar o bico metálico no líquido avermelhado. Desenhei a runa de Teiwaz no cano da arma,  apesar de ser uma runa espiritual, também era conhecida como a runa dos raios. Com isso, eu esperava que a arma fosse encantada pelo elemento raio. Ao terminar a runa, que foi selada assim que finalizada, limpei a caneta para preencher o seu interior com o sangue da filha de Apolo. A segunda runa foi feita do outro lado do cano da arma, sendo essa a runa da luz, feita com o mesmo propósito de conferir o elemento ao item.

Mais uma vez limpei a caneta mágica, dessa vez a preenchendo com o meu sangue. Isso era necessário para criar a runa de união, ligando a arma a mim. A palavra de poder fora desenhada no cabo da arma. As próximas runas foram a de regeneração e renovação, pois desejava que as balas se regenerassem automaticamente.

Finalizada com o encantamento da arma, restava apenas a forja das balas de vibranium. Deixei o revólver um pouco de lado, dessa vez levando o metal para a bigorna. As balas foram mais fáceis, por serem menores e mais simples. Porém, ainda assim, poli cada uma delas e ajustei os detalhes de cada, checando a aerodinâmica do calibre escolhido. Terminado com elas, coloquei uma por uma no tambor, girei e fiz um movimento para acoplar no local certo. Eu tinha feito a minha primeira arma de fogo e, no fundo, esperava que fosse a última.


Anel e Pulseira

Depois de tantas forjas seguidas, havia acabado cansada o suficiente para dormir ali mesmo. Felizmente, possuía um espaço apropriado para isso, já que não era a primeira vez em que isso acontecia. Na manhã seguinte, eu estava preguiçosa e faminta, o que me levou a ir até o refeitório ignorando os olhares direcionados para mim, pois estava uma verdadeira bagunça.

Retornei as forjas com um pedaço de torrada na boca, resmungando alto por ter ainda que arrumar tudo. O que levou uma boa parte de minha preciosa manhã. Mas foi graças a isso que eu percebi as tiras de vibranium espalhadas pelo local. As balas não tinham gastado tudo o que era necessário de uma barra, afinal. Peguei uma tira e decidi brincar um pouco mais.

Usando apenas do controle sobre o metal, comecei a dobrar o material. Movia as mãos como se assim pudesse auxiliar a impor minha energia sobre o vibranium, movendo pouco a pouco, pacientemente para não perder a concentração e errar o encaixe. Fiz o mesmo processo com o outro pedaço de vibranium, me divertindo em apenas poder usar uma habilidade tão abertamente.

Como resultado eu tinha um par de anéis e uma pulseira. Poli cada uma delas, sem deixar de entalhar detalhes bonitos e que lembravam traços celtas em suas curvas.

Instruções
• Avaliar as criações abaixo.
• Solicito o dado épico e lendário APENAS para o revólver, todos os itens abaixo fora o revólver deve permanecer como mágico.
• Todos os itens usados nessa postagem pode ser encontrado Aqui. O ouro imperial e o ferro estige foram usados das sobras da forja anterior (fura olho).
• É importante lembrar que um metal é capaz de forjar até duas lâminas pequenas.
• Katana Mágica [Arma com cerca de oitenta centímetros de comprimento, a lâmina é levemente curva e um pouco mais larga que a do florete, possui apenas um fio de corte. É uma espada famosa por ser rápida e silenciosa, exigindo mais destreza do que força. Empunhada por uma ou duas mãos. | Bônus de forja: +15%; bônus de FPA: +30 de dano  | Bronze Celestial | Espaço para 1 gema | Alfa | Status: 100%, sem danos | Mágico | Forjada por Nikolaev ]

• Rapier Mágica [Sua lâmina é fina e com cerca de noventa centímetros. Possui fio em apenas um dos lados, apesar de não ter o melhor corte, tem a melhor perfuração graças a lâmina fina, atingindo locais de difíceis acesso na armadura. Seu cabo é feito de metal, geralmente muito bem adornado, o que torna uma das espadas mais elegantes. Empunhado por apenas uma mão. | Bônus de forja: +15%; bônus de FPA: +30 de dano  | Bronze Celestial | Espaço para 1 gema | Alfa | Status: 100%, sem danos | Mágico | Forjada por Nikolaev ]

• Adaga Mágica [Com o cabo de madeira e lâmina de bronze sagrado, a adaga tem fio em ambos os lados, com cerca de vinte centímetros de comprimento. | Bônus de forja: +15%; bônus de FPA: +30 de dano  | Ouro Imperial | Espaço para 1 gema | Alfa | Status: 100%, sem danos | Mágico | Forjada por Nikolaev ]

• Faca de Caça Mágica [Diferente de uma faca comum, um dos gumes possui serra, enquanto o outro é um fio afiadíssimo e recurvado, provocando mais danos na entrada e saída. A lâmina possui cerca de trinta centímetros. | Bônus de forja: +15%; bônus de FPA: +30 de dano  | Ferro Estige | Espaço para 1 gema | Alfa | Status: 100%, sem danos | Mágico | Forjada por Nikolaev ]

• Lança [Com um metro e setenta de altura, sua ponta é triangular e forjada em metal, com os fios de corte em ambos os lados. | Efeito 1: A madeira da lança fora reforçada com magia, passando a ter a mesma resistência que a lâmina | Bônus de forja: +15%; bônus de FPA: +30 de dano  | Bronze Celestial | Espaço para 1 gema | Alfa | Status: 100%, sem danos | Mágico | Forjada por Nikolaev ]

• Alabarda [Possui 1,60m de cumprimento, feita de com uma lâmina que mescla o design de uma lança com uma machadinha. | Efeito 1: A madeira da lança fora reforçada com magia, passando a ter a mesma resistência que a lâmina | Bônus de forja: +15%; bônus de FPA: +30 de dano  | Bronze Celestial | Espaço para 1 gema | Alfa | Status: 100%, sem danos | Mágico | Forjada por Nikolaev ]

• Escudo Circular [Redondo e feito de metal, o escudo se acopla no antebraço do semideus, tendo cerca de sessenta centímetros de diâmetro. Protege o braço e metade do corpo. | Bônus de forja: +15%; bônus de FPA: +30 de dano  | Bronze Celestial | Espaço para 1 gema | Alfa | Status: 100%, sem danos | Mágico | Forjada por Nikolaev ]

• Anel [Feito de vibranium, é um anel simples com desenhos traçados pela própria Alex | Vibranium | Espaço para 1 gema | Super Alfa | Status: 100%, sem danos | Mágico | Forjada por Nikolaev ]

• Pulseira [Feito de vibranium, é uma pulseira simples com desenhos traçados pela própria Alex | Vibranium | Espaço para 1 gema | Super Alfa | Status: 100%, sem danos | Mágico | Forjada por Nikolaev ]

• Sin [Um revólver de modelo único, feito do zero pela ferreira. Seu corpo é feito de arambarium, metal que possui forte ligação mágica e elemental. Já suas balas são de vibranium. Seu tambor possui espaço para 6 balas. | Efeito de ligação: O item é ligado a Alex, retornando para ela depois de perdido ou roubado | Efeito 1: A arma de fogo foi encantada com as runas de luz e raio, podendo abençoar o tiro com esses dois elementos com o gasto de 20MP por tiro encantado. A runa é iluminada no cano da arma quando é posta em ação. Quando ativado o encantamento de luz, a bala pode ocasionar queimadura, além de ser disparada através de um belo feixe de luz. Quando ativado o encantamento de raio, a bala pode ocasionar paralisia temporária no membro atingido por apenas 1 turno. | Efeito 2: Graças as runas de renovação e regeneração, as balas aparecem novamente no tambor depois de finalizadas, automaticamente. | Bônus do arambarium: ao ter um dos encantamentos ativos, +25% de dano; Bônus de forja: +15%; bônus de FPA: +30 de dano  | Arambarium, Vibranium | Espaço para 1 gema | Super Alfa | Status: 100%, sem danos | Mágico | Forjada por Nikolaev ]

Runas:

Thurisaz
Posição normal: Proteção (dura 3 turnos desde o momento de sua ativação).
Invertida: Decisões precipitados (dura 3 turnos desde o momento de sua ativação).


Raidho
Posição normal: Causa união, geralmente aplicada a grupos de pessoas (dura 3 turnos desde o momento de sua ativação).

Kenaz
Posição normal: Renovação (dura 3 turnos desde o momento de sua ativação).


Jera
Posição normal: Invocação da Luz (Tal runa deverá ser aliada a outras runas para ter efeito mais efetivo, caso não seja, uma pequena área, irá surgir o elemento invocado. Será o suficiente para caber na mão de uma pessoa e desaparecerá depois de um turno).

Tiwaz (Também é conhecida pela runa do raio)
Posição normal: Tal runa facilita o contato com o mundo espiritual, abrindo a mente para os poderes psíquicos (Dura sete turnos após ser ativada).

Habilidades Ativas:


Nível 1
Nome do poder: Telecinese I
Descrição: Como seu corpo está conectado interiormente a magia, ao concentrar-se a feiticeira é capaz de levitar pequenos objetos usando-os para atira-los contra inimigos ou até mesmo traze-los até você. Nesse nível só consegue levitar objetos mais leves como pequenas pedras, pedaços de madeira ou livros.
Gasto de Mp: 5 MP por turno usado
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: O dano é contabilizado de acordo com o uso da telecinese, pois pode ser uma habilidade ofensiva ou defensiva

Nível 19
Nome do poder: Esquenta e Esfria
Descrição: O semideus consegue alterar a temperatura das armas, escudos ou armaduras do inimigo (o semideus decide no ataque), podendo resfriar ou esquentar o mesmo, causando danos no usuário, mas para isso, precisara tocar o alvo, mais precisamente, o local que deseja esfriar ou esquentar.
Gasto de Mp: 30 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: 20 HP (para calor), 35 HP (para frio)
Extra: Só consegue esfriar em uma temperatura mediana, o suficiente para machucar, já esfriar, torna os movimentos do usuário mais lentos, pois, a temperatura se assemelha ao gelo, e pode causar queimaduras leves – de frio – e deixar o usuário com calafrios – em caso de armaduras – já armamentos, provavelmente seriam soltos da mão do inimigo.

Nível 25
Nome do poder: Magnetismo III
Descrição: É a habilidade que permite aos filhos de Hefesto/Vulcano, controlarem o magnetismo. Agora já consegue manipular metais pesados, de porte grande, podendo desvia-los e manipula-los da maneira que bem entender.
Gasto de Mp: 40 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Funciona com objetos de porte médio, máximo de 150 kg. O dano será a critério do narrador, e da forma com que o poder foi utilizado.


Nível 12
Feitiço: Scribam objecta
Descrição: O feitiço permite a feiticeira criar copias de objetos já existentes, e em sua posse, mas não funciona com criaturas vivas, como animais, humanos, ou algo semelhante. (pode funcionar com flores e frutas, e até mesmo comida).
Gasto de Mp: 20 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Apenas Verbal.
Passivas de Vulcano:


Nível 25
Nome do poder: Detalhistas
Descrição: Meus filhos são acostumados a lidar com engenhocas e peças, reparando em pequenos detalhes, por isso é mais difícil esconder algo deles - são observadores atentos. Isso permite que encontrem coisas com mais facilidade, descubram segredos, e coisas ocultas – como o Bunker na floresta quando Leo Valdez seguiu a trilha deixada pelo dragão – esconderijos, e outras coisas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Ganham vantagem em encontrar pistas, e achar rastros.
Dano: Nenhum

Nível 32
Nome do poder: McGayver
Descrição: Você se especializou no improviso. Com materiais que outros não achariam adequados ou inúteis você é capaz de construir coisas improváveis pra outros semideuses. Um clipe de papel e um chiclete na sua mão podem ter utilidades mortais, e aquela tampa de garrafa pode se fazer de engrenagem.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Precisa apenas de dois turnos para montar uma engenhoca completa e improvisada, nada mortal, mas bom o suficiente (com chances de falhar).
Dano: Nenhum

Nível 50
Nome do poder: Visão Espacial
Descrição: Filhos de Hefesto/Vulcano são especialistas na montagem de coisas, portanto, possuem a visão lógica e espacial mais desenvolvida que outros semideuses sabem em que lugar colocar uma peça intuitivamente, e qual será o efeito, seja para consertar ou destruir um aparato mecânico-tecnológico. Esta noção espacial pode ser utilizada em outras situações quando chega a tal ponto de aprimoramento, podendo usá-la agora para descobrir a exatidão de distâncias e medidas utilizando somente o olhar. Podendo calcular distâncias entre corpos somente com uma rápida olhada. 
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Ao observarem o ambiente ao redor e conhecerem o campo, entenderem como funcionam, ganham uma vantagem de campo de +20%, seus atributos de velocidade, resistência, e esquiva serão melhorados em +10%, lhe dando uma vantagem diferente.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Reparos Rápidos
Descrição: Filhos de Hefesto/Vulcano conseguem consertar aparatos mecânicos rapidamente, gastando metade do tempo que uma pessoa comum levaria para tal.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Conseguem concertar qualquer coisa em apenas dois turnos.
Dano: Nenhum

Nível 9
Nome do poder: Sensibilidade Mecânica
Descrição: O filho de Hefesto/Vulcano  pode detectar falhas em minérios de metal e identificar o tipo de maquinaria e uso por toque.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Sempre saberá o que está errado e como concertar
Dano: Nenhum

Nome do poder: Projetos
Descrição: Você é capaz de entender e fazer desenhos técnicos voltados a projetos de engenharia, e possivelmente recriar tais projetos os fazendo tornar-se reais. Isso significa que com um projeto em mãos, você consegue desenvolve-lo.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 14
Nome do poder: Forjador III
Descrição: Agora você entende de mecanismos complexos e avançados, podendo fabrica-los com uma facilidade e maestria inexistente em qualquer outro semideus. Suas armas são mais fortes do que as armas de qualquer outro forjador, e agora que entende isso, você simplesmente se torna o destaque do momento.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +25% de resistência e +20% de força em armas fabricadas pelo semideus. Além disso, as gemas nas mãos dos filhos de Hefesto não precisam ser reforjadas, ele encaixa sem precisar modelar a arma, e a deixa tão perfeita quanto. É algo extremamente natural. (Armas Betas podem virar alfas, mas nunca alfa prime, o status da arma (Alfa, beta, ou sigma, sempre subira um nível acima do atual, não mais que um).
Dano: +15% de dano as armas fabricadas pelo semideus de Vulcano/Hefesto.
Habilidades Feiticeiras:
Nível 19
Nome do poder: Feiticeira III
Descrição: Você está ficando cada dia mais forte, Circe está orgulhosa de você. Sua personagem dominou a arte da feitiçaria conforme o esperado, tornando seus feitiços experientes, fortes e controláveis. Você dominou sua magia por completo.
Gasto de Mp:
Gasto de Hp:
Bônus: +20% de força em feitiços (poderes ativos).
Dano: +15% de dano se o feitiço acertar o oponente.
Itens usados:

• Martelo Mágico de Forja [Um martelo de forja, com traços rústicos, feito de bronze celestial e aço reforçado. Possui runas mágicas que lhe dão propriedades mágicas. | Efeito de ligação: funciona apenas nas mãos de Alexandra, nas mãos de outra pessoa se torna apenas um martelo comum, assim como retorna a sua dona depois de dois turnos, caso perdido ou roubado; Efeito de transformação: vira um chaveiro com uma réplica menor do original | Efeito 1: Graças as runas de sorte, transformação, mudança, equilíbrio e sabedoria, o martelo é capaz de com poucas marteladas fazer com que o metal tome a forma que a ferreira deseja. Funciona apenas para efeitos de forja, não será permitido uso em PvPs, porém poderá ser usado e levado em missões | Bônus de forja: 15% a mais de dano; bônus lendário: Quando o inimigo for atingido pela espada, por menor que seja o corte, o mesmo irá continuar aberto e sangrando por, até, oito turnos. Causando um dano de 15 de HP a cada turno, independente da ferida.| BC e aço reforçado | Alfa | Espaço para 3 gemas | Status 100%, sem danos | Lendário | Forjada por Nikolaev]

Blood Magic [Uma caneta aparentemente comum, porém de aparência elegante. Porém essa caneta não funciona com tinta normal, mas apenas com sangue. Para encher o tubo, é preciso encostar a ponta da caneta em um pequeno machucado ou qualquer fonte do sangue a ser usado. Sua grafia varia de acordo com o desejo do dono, podendo ser mais forte e assim usando mais da tinta sangrenta, ou mais fina e delicada. Feita basicamente de arambarium - metal que conduz magia com mais facilidade – e ouro compondo todos os detalhes. | Efeito: Ela tem o efeito de sempre retornar ao dono depois de algum tempo. Foi encantada para criar runas mais duradouras, e com uma intensidade 10% maior do que de uma runa original, além disso, a caneta diminui o gasto de MP em 50%, e da choques em qualquer um que tentar rouba-la. A caneta possui sangue suficiente para a criação de até 10 runas, depois disso precisa ser recarregada novamente. | Arambarium e Ouro | Resistência: Beta | Status: 100%, sem danos | Mágica | Comprado no Pandevie Magie]
Habilidades da UNR:
1º Semestre
Nome do poder: Conhecimento Avançado em Física
Descrição: A ordem natural das coisas passa a fazer mais sentido na mente do aluno, pois ele estudou arduamente para compreender as leis da física perfeitamente. Agora ele sabe aplicá-las não apenas nos livros, mas como para toda a ação tem uma reação, tornou-se capaz de aplicar tais conhecimentos na prática.
Gasto de Mp: Nenhum
Bônus: Nenhum

2º Semestre
Nome do poder: Conhecimento em Matemática
Descrição: Os números que antes saltavam das páginas e se embaralhavam em uma dança confusa diante dos olhos dos semideuses disléxicos agora se ordenam em uma sinfonia que o meio-sangue compreende e sabe utilizar. Geometria, trigonometria, funções, equações diferenciais... Com muito estudo e cobranças incessantes dos professores mais carrascos, o semideus compreendeu a arte matemática para saber utilizá-la na profissão e na sua vida.
Gasto de Mp: Nenhum
Bônus: Nenhum

3º Semestre
Nome do poder: Comunicação com Máquinas
Descrição: O semideus aprende a usar a sua energia para, através do toque, escanear uma máquina e compreender as mensagens que ela pode passar. A máquina não “fala” de fato, mas transmite mensagens que o estudante é capaz de compreender.
Gasto de Mp: 30 MP
Bônus: Nenhum

4º Semestre
Nome do poder: Criação I
Descrição: O estudante já pode se aventurar nos laboratórios para tentar criar itens simples e pouco complexos para exercitar seu conhecimento. Itens simples que podem ser encontrados no mundo mortal podem ser construídos por ele, ou pequenas armas sem efeito algum.
Gasto de Mp: 70 MP
Bônus: Nenhum





Alex Nikolaev
☾★I'd prefer machines rather than humans! ★☽
avatar
Alexandra Nikolaev
IV Coorte
IV Coorte

Mensagens : 338

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: BxB

Mensagem por Cupido em Qua Ago 29, 2018 5:36 pm

Permitida a rolagem de dados para Fura Olhos e Sin.
Os demais itens estão em avaliação.
avatar
Cupido
Deuses Menores
Deuses Menores

Mensagens : 161

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: BxB

Mensagem por Alexandra Nikolaev em Qua Ago 29, 2018 6:04 pm

Lançamento de dados para Fura Olho

Nível 55 – O forjador precisa tirar o número 1, 2, 3, 4 ou 5 no dado para que a arma seja épica.
Nível 60 – O forjador precisa tirar um número igual ou maior que 6 para a arma ser considerada lendária.


Alex Nikolaev
☾★I'd prefer machines rather than humans! ★☽
avatar
Alexandra Nikolaev
IV Coorte
IV Coorte

Mensagens : 338

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: BxB

Mensagem por Athena em Qua Ago 29, 2018 6:04 pm

O membro 'Alexandra Nikolaev' realizou a seguinte ação: Lançar dados


#1 'D10' : 4

--------------------------------

#2 'D10' : 6


Palas Athena...
Sometimes the power must bow to wisdom. You can be strong, may have power, but if you are wise, you are all well. And more than that, yes you can defeat them. Once warned that to save the world destruiri you-your friends, maybe I was wrong.
avatar
Athena
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 11004
Idade : 23
Localização : Por ai

http://www.bloodolympus.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: BxB

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 16 de 19 Anterior  1 ... 9 ... 15, 16, 17, 18, 19  Seguinte

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum