The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

O Sumiço do Tempo - Elena & Gerrard

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O Sumiço do Tempo - Elena & Gerrard

Mensagem por Elena C. García em Qua Jun 28, 2017 2:48 pm



O Sumiço do Tempo




Play Plus:

• Play Plus – Sua sorte triplicada? Isso mesmo, toda postagem executada por seu personagem nos próximos 3 dias terá a XP triplicada. (30/06/2017).


Com os olhos semicerrados, inspirava o aroma primaveril com satisfação em meu interior. Tudo naquele dia estava perfeito, e com aquela longa inspiração, apreciava cada pequena felicidade daquele dia: o fato de finalmente ter um dia tranquilo, sem nenhum advento naquela ilha encantada, o dia esplendoroso oferecido pela Primavera, e aquele momento ao lado de Gerrard. Sentados sobre uma toalha de piquenique xadrez, tentava acertar o arremesso de um morango na boca dele, mas falhei miseravelmente e acertei o ponto entre seus olhos. ▬ Ouch! - ele protestou, mas só consegui rir de sua expressão.

Teríamos continuado naquela brincadeira infantil por tempo indeterminado, apenas aproveitando aquele momento sublime em que podíamos esquecer de nossas responsabilidades, esquecer quem éramos e o que éramos, preocupando-nos apenas em estar juntos... Mas a vida semideusa não funciona assim. Somos como aquela cama desarrumada pela manhã, que em vão tentamos dizer às nossas mães ser inútil arrumar os lençóis, pois a cama vai ficar bagunçada novamente. Da mesma forma não adiantava tentar fugir das situações adversas da vida meio-sangue, pois elas sempre nos encontravam.

▬ Que frio repentino! - disse, acolhendo-me nos braços de Gerrard conforme uma fria ventania assolava a região à nossa volta. Eu vestia apenas um vestido branco estampado com flores azuis e uma jaqueta jeans, um traje perfeito para as temperaturas medianas da Primavera. Se eu tivesse uma mãe presente que dissesse “leve mais um casaco porque vai esfriar” talvez eu estivesse preparada para aquela ocasião. Mas, como todos devem imaginar, Afrodite estava na lista de mães olimpianas menos presentes. O melhor que eu tinha a fazer era estalar os dedos, alterando minha vestimenta para um traje mais coerente com aquela súbita queda de temperatura. Já Gerrard, por ser legado de Quione, tinha uma tolerância muito melhor ao frio.

▬ Algo está errado... - pensei em voz alta, após soprar ar quente na ponta dos dedos. ▬ Não é a primeira vez que algo estranho acontece com o clima, já percebeu? - Gerrard perguntou, adotando uma expressão pensativa em seus olhos verdes. Franzi as sobrancelhas, recapitulando alguns fatos ocorridos naquela semana e que eu não havia dado atenção o suficiente antes. No bosque do verão, as folhas de algumas árvores estavam secando e começando a cair em antecipação ao outono, com oscilações de temperatura dignas do Deserto do Atacama. No Inverno, poças de neve derretida lembravam os pólos em fotos de conscientização sobre o aquecimento global. Já na Primavera, as flores não eram polinizadas pelos pequenos animais, pois eles estavam se mudando para o Outono, tão confusos que estavam. Já era o quarto dia com o clima bagunçado, mas as alterações climáticas não haviam sido tão evidentes como naquele dia.

Decididos a descobrir o que estava acontecendo, recolhemos nossa cesta de piquenique e nos colocamos a andar com as mochilas nas costas. Mesmo querendo fugir das situações adversas da vida semideusa, não éramos bestas a ponto de não andar com algum armamento. ▬ Onde nós estamos indo, exatamente? - Gerrard perguntou depois que nos conduzi para a trilha à esquerda após a maior clareira do bosque. ▬ Conheço alguém que pode dizer o que está acontecendo - disse, tentando identificar uma das árvores do final daquela trilha. Provavelmente o legionário não estava entendendo nada enquanto eu observava as árvores e tentava identificar uma delas, mas não tinha outra ideia no momento para protestar.

Toc, toc, toc. Bati três vezes os nós dos dedos contra o tronco de uma árvore e aguardei à sua frente. Atchim!, ela respondeu. ▬ Essa árvore espirrou? - Gerrard perguntou um tanto intrigado, enquanto eu franzia o cenho encarando o tronco enquanto seiva escorria de uma brecha entre seu casco e a árvore fungava.

Um espírito da natureza separou-se do salgueiro e fitou-me com expressão enferma. Os olhos da dríade estavam avermelhados e traziam um semblante cansado, seu nariz escorria, sua pele, que deveria ser naturalmente verde, estava corada e ela tinha tremores de frio. ▬ Você está com febre - comentei surpresa, pois não sabia que dríades ficavam doentes, mas os sintomas gripais eram bastante evidentes. ▬ Obrigada por observar - ela respondeu, um pouco irritada. Desculpei-me pela indiscrição com um meio sorriso sem graça antes de tratar do que era mais urgente, as bruscas alterações climáticas na ilha.

A ninfa da árvore ouviu com atenção enquanto descrevíamos as anormalidades que aconteciam na ilha, mas ela não estava surpresa, sequer conseguia exibir outra expressão que não fosse a de doente. ▬ É por causa dessas mudanças climáticas que eu e as outras dríades ficamos doentes - ela disse, com aquele típico “sotaque” de gripe e congestão nasal, trocando m por b e n por d em suas palavras. ▬ Mas também não sabemos o que aconteceu. Até onde sabemos, ninguém aborreceu o Tempo para isso acontecer - ela espirrou em seguida, quase cortando suas últimas palavras.

▬ O Tempo? - eu e Gerrard perguntamos, quase em uníssono. Não estava entendendo… Ela não estava falando do titã do tempo, né? Porque esse deveria estar no Tártaro e longe de trazer incomodações tão cedo. ▬ Sim, o deus do tempo de nossa ilha. Ele que mantém a ordem climática em cada bosque - ela respondeu, naquele tom de obviedade e ”como assim vocês sabiam?”. Com uma troca de olhares silenciosa, já sabíamos quem tínhamos que procurar para resolver aquele problema. ▬ Ele costuma ficar em uma pequena residência no centro da ilha, entre as quatro estações - o espírito da árvore explicou, após questionarmos onde o Tempo estava.

▬ Obrigada, Isis. Espero que você melhore logo - disse à dríade me despedindo e entrelaçando a mão de Gerrard à minha para que seguíssemos a direção indicada.

Pelo que eu já conhecia dos deuses e divindades greco-romanas, o Tempo só podia estar mal-humorado ou simplesmente havia encontrado outra coisa a fazer e esqueceu de manter a ordem na ilha. Você não imagina o quanto isso é típico dos deuses. Mas tudo bem, podíamos ajudar a resolver isso.

Mochila:

• Mochila sem fundo [Mochila de prata com material simples, sem bolsos laterais, com um único zíper, uma única entrada e uma única saída.| A mochila não possui fundo, foi encantada para caber inúmeros objetos, ou seja, seu espaço é infinito, tudo que você colocar dentro dela permanece ali, desde que passe pela parte de cima, ou seja, você precisa conseguir colocar o item pelo buraco, que é largo o suficiente para passar até uma panela de pressão. Para pegar o item de volta basta colocar a mão dentro da mochila e pensar nele, e ele retorna para suas mãos.| Indefinido | Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos |Lendário e mágico | Loja especial do dia dos namorados]

The Water Rose Ring [ Aliança em ouro branco detalhada com topázio. A aliança feminina é decorada com um topázio rosa em formato de coração, e a masculina em topázio azul, também com um sutil formato de coração. Na parte interna da aliança de Elena, está gravado "I will always be in your shadow", e na de Gerrard diz "Já era amor antes de ser". | Ligação de Mentes: Faz com que os possuidores do anel criem uma ligação mental, e se comuniquem por pensamentos, sendo capazes de entender um ao outro perfeitamente. | Retorno: Magia de retorno para o anel, caso perca o objeto ele retorna para o bolso do dono depois de alguns segundos. | Ouro Branco | Elena e Gerrard ]

♥ Amor Incondicional: Uma pulseira delicada feita de fios de prata com uma perola em seu centro. A pedra carrega uma benção da deusa protegendo assim a potadora de tal joia = 120 dracmas | Def: 600

♥ Arco Cupido - Arco com uma Aljava de flechas infinitas que nunca erram o alvo, se transforma em um Diadema ou um Colar.

Espada de fragmentos [ É uma espada totalmente feita de ferro estígio, tendo o cabo envolvido em couro. Ela foi totalmente corrompida pela ira, para ficar mais poderosa.| A arma se alimenta do HP da criaturas que atinge e armazena sua essência, passando-as por dois turnos para seu portador, ou seja, durante dois turnos 50% do HP das criaturas atingidas por essa arma, são passadas para o seu portador, no caso, o dono da espada.| Ferro estígio e couro.| Espaço para duas gemas.| Alfa. | Status: 100%, sem danos | Mágica. | A Mente Liberta (evento) ]

Garza protectora [ Escudo de Bronze Celestial, com a figura de uma garça em alto relevo | Efeito elemental: a arma será coberta por chamas, provocando 20% a mais de dano e tendo chance de provocar queimaduras. O fogo fica a frente do escudo, e não esquenta o lado de dentro, logo não pode ferir sua portadora, uma magia antiga impede que aconteça, impedindo o fogo de se espalhar ou machucar a descendente Garcia. | Transforma-se em um anel com um pequeno símbolo da família García: um brasão com três leopardos vermelhos. | Bronze Celestial | Status: 100%, sem danos | Mágica | Quando o Passado Revive (Evento) ]

• Pulseira de perícia Avançada [Pulseira de couro que se ajusta perfeitamente ao pulso do usuário, possui amarras de cordinhas na parte de baixo, então é fácil de equipar-se com ele, se for cortado, ou destruído, perde totalmente o efeito, ou seja, é preciso estar em uso, no pulso, para que o efeito continue a ser efetivo para o semideus, do contrário, ele perde o bônus da perícia completamente, só funciona através da pulseira | Aumenta a perícia de uma arma de sua escolha em +50%, provocando um dano de +30% (Espadas) | Couro | Sem espaço para gemas| Sigma | Status: 100% sem danos | Mágico | Loja especial do dia dos namorados]

Trufa do Amor – Tem formado de coração e licor de morango como recheio, ao consumir a trufa o semideus pode recuperar até 100 HP. (Ao consumir, some do perfil) (x5)

Rosa Branca – Uma rosa branca, congelada em uma caixa de cristal. Tal rosa possui uma propriedade curativa única, ela restaura o corpo e cura qualquer doença, retira qualquer veneno, e pode inclusive, salvar alguém a beira da morte, mesmo que esse já não tenha mais solução. Sacrificando essa rosa poderá recuperar a vida de alguém, independente do estado em que a pessoa estiver, se ela ainda possuir alguma vida (Até se o HP estiver em 1) você ainda poderá recupera-la completamente. (Some após o uso).


Festival das Estações / Com Gerrard e Isis / Vestindo 1 / Vestindo 2






Elena C.{Castillo} Garcia

Filha de Afrodite :: Legado de Marte :: 16 anos :: Porto-riquenha :: Líder de Chalé :: Instrutora
avatar
Elena C. García
Lider de Afrodite
Lider de Afrodite

Mensagens : 222
Data de inscrição : 14/05/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

O autor desta mensagem foi removido do fórum - Ver a mensagem

Re: O Sumiço do Tempo - Elena & Gerrard

Mensagem por Elena C. García em Qua Jun 28, 2017 4:22 pm



O Sumiço do Tempo




Play Plus:

• Play Plus – Sua sorte triplicada? Isso mesmo, toda postagem executada por seu personagem nos próximos 3 dias terá a XP triplicada. (30/06/2017).


Trinta minutos de caminhada poderiam ser um tédio em situações comuns, tendo em foco apenas o trajeto trilhado e conversas amenas pelo caminho. Mas e quando há um atalho incomum que pode ser utilizado e uma trilha realmente interessante de se observar? Aquela era uma das vantagens de namorar um filho de Netuno, e só seria mais divertido se Gerrard também admirasse a diversidade de cores dos peixes que o seguiam enquanto caminhava sobre as águas, mas ele se encontrava limitado por uma maldição.

Quando localizamos a residência no centro da ilha, abrangida pelas quatro estações e diversidade dos climas, percebemos que havíamos chegado ao olho do furacão. Literalmente, pois era o ponto em que todas as intempéries climáticas se encontravam e resultavam em uma manifestação inexplicável. Alta temperatura com chuva abafada assolava um dos quadrantes, nevasca se manifestava em outro, uma brisa suave vinha do terceiro e, no último, o vento agitava folhas secas. A seguir, cada um desses eventos esquecia qual era o seu lugar e avançava pelos outros espaços da ilha, alheios aos seus domínios. Como era a mistura das quatro estações no centro da ilha? Confusa. Meu corpo não sabia como reagir àquela bagunça. Rinite ou resfriado? Suor ou arrepios?

Os animais pertencentes a cada domínio também estavam confusos e não sabiam mais em qual lugar deviam estar. Um par de andorinhas passou próximo a nós, cantando e indo em direção a uma árvore repleta de neve. Em outro ponto, um felino albino esquecia de como funcionava a sua camuflagem e se misturava às folhas secas do outono. Eu sabia que havíamos chegado através da Primavera, mas… já estava confusa para dizer qual quadrante era qual estação.

▬ Então... O que faremos em relação a eles? Eu posso dar cabo da vida deles em instantes, mas creio que você não quer que eu recorra à violência, não? - Gerrard perguntou, depois que percebemos a presença de guardas e nos escondemos atrás de um arbusto de flores. Escondida, encarei-os com alguma admiração e surpresa, pois não eram quaisquer guardas. Eram árvores! Árvores humanoides! Aquilo era completamente novo para mim.

Antes de dar uma resposta definitiva a Gerrard, observei atentamente os movimentos de cada Árvore e como elas de portavam para compreender a necessidade ou não de um combate, ou se a boa e velha diplomacia poderia ser suficiente. Revirei os olhos internamente para mim ao perceber a minha atitude, devido ao pensamento que me ocorreu. “Tal qual uma neta de Marte”. Nada disso. Preferia pensar que era meu bom senso, não a estratégia de uma guerra.

▬ Vamos deixar o confronto como plano B. Venha - disse, levantando-me sem a preocupação de ser vista e indo em direção ao que poderia ser a entrada principal da residência. Era difícil dizer, pois haviam quatro entradas. E quatro árvores humanoides. Cada uma parecia guardar o acesso de uma das estações, e também eram caracterizadas de acordo com a seção que deveriam guardar. A árvore à nossa frente tinha um verde mais vivo e algumas flores, tal qual as árvores da Primavera. À direita, a outra árvore era apenas verde, e à esquerda a árvore tinha neve nos “ombros”. Não conseguia enxergar a árvore do Outono, mas já podia supor que ela possuía folhas secas.

“São elt’s”, Gerrard sussurrou antes de nos aproximarmos por completo, e eu tinha certeza que não havia aprendido sobre aquelas criaturas no Acampamento Meio-Sangue. Elas pareciam pacíficos, sem se importar com os pássaros que pousavam sobre os galhos de suas cabeças ou com os insetos que deviam habitar as frestas de suas madeiras, mas se estavam como guardas, poderiam ser grandes adversários. Literalmente grandes, tendo em vista que tinham quase quatro metros.

O elt primaveril manteve-se imóvel enquanto a distância entre nós tornava-se cada vez menor, sem tirar os olhos de nós, mas sem tomar uma atitude agressiva com a nossa aproximação. ▬ Olá. Temos uma audiência com o senhor do Tempo - disse, mantendo a diplomacia intacta e o olhar altivo em direção ao guarda. Ele franziu as folhagens que seriam suas sobrancelhas um pouco surpreso e com estranhamento, talvez nunca tendo passado por uma situação parecida para saber como reagir. ▬ E o Tempo não tolera atrasos, como você deve saber - acrescentei, com um tom levemente ameaçador em relação ao patrão do guarda, incitando-o a pensar nas consequências que teria por ser o responsável pelo nosso atraso.

“Metade da eficiência do charme está em acreditar que funcionará”, lembrava de um dos ensinamentos mais importantes que uma irmã mais velha havia passado quando comecei a desenvolver meus poderes involuntariamente, e era importante seguir aquilo à risca. ▬O senhor do Tempo não pode atendê-los agora - ele disse, após raciocinar e apesar dos passarinhos arrumando ninhos em sua cabeça enquanto cantavam. Mas, como eu tinha que acreditar que tinha razão naquela desculpa esfarrapada, não desisti tão facilmente, continuando as argumentações com o elt e chegando à uma discussão típica entre cliente e atendente.

A árvore humanoide da direita se aproximou sem ultrapassar o limite imaginário entre Primavera e Verde, tal qual o gerente da loja se aproxima para socorrer o atendente quando um cliente faz barraco, mas não conseguia reverter a situação. Descobri que elts eram muito teimosos quando queriam, e sendo teimosos, eram resistentes ao charme.

Mas eu sempre podia contar com Gerrard perdendo a paciência para mudar o rumo da situação, atacando a primeira árvore à sua frente - o elt do Verão. Desembainhei minha espada, mas sem fazer menção de atacar o elt da Primavera ainda, pois tinha certeza que apenas estocá-lo não faria a mínima diferença. Com um galho robusto que a árvore humanoide movia tal qual o seu braço, o elt florido desferiu um golpe em minha direção, levando-me a apenas recuar, utilizando os segundos de delay de sua movimentação para observar com qual velocidade ele se movia e como aquilo poderia ser vantagem ou desvantagem para mim.

Com o braço ainda dirigido para baixo, na tentativa de me acertar, aproveitei a situação percebendo que ele demoraria para retomar a postura ereta e avancei em sua direção. Utilizava do galho que era seu braço para subir para próximo do tronco principal, onde algum golpe poderia surtir algum efeito, golpeando e cortando galhos e folhas no trajeto. Com a velocidade de raciocínio claramente menor que os demais elts, o humanoide levou pouco menos de dez segundos para perceber o que estava acontecendo, enquanto perdia galhos e folhas em uma poda não solicitada.

Chegando próximo ao que seria seu ombro, arrisquei estocar o tronco principal com a lâmina de ferro estígio, sem saber se aquilo teria algum efeito real para abater aquela árvore. Abater uma árvore? Quando eu achei que essa expressão um dia faria sentido? Com a estocada, abri uma pequena fenda no tronco da árvore, mas o elt não protestou. Nem sentiu cócegas. Em vez disso, moveu-se bruscamente provocando minha queda. E uma queda nada sutil, considerando os quase quatro metros da árvore.

Afastei-me com um rolamento, pois no momento em que caí no chão, o elt ergueu as raízes que formavam seu pé para me atingir. Desistindo da força bruta, o humanoide usou as flores de seu tronco para polinizar intensamente o ar, trazendo não apenas pólen na minha direção com uma brisa, pois respirar aquilo descuidadamente estava provocando alguma reação alérgica em minhas narinas.

E você já ouviu sobre a Lei de Murphy? Se isso é real na vida de mortais comuns, sem sangue divino, multiplique isso por dois no caso de semideuses e por três no caso de semideuses legados. Havia a possibilidade de minha situação piorar, então ia piorar. A árvore do Outono estava no quadrante mais afastado e ainda não havia sido vista, pois estava guardando a entrada da residência do outro lado da construção modesta. Percebendo que os outros guardas estavam em alguma situação de conflito, ele rompeu o protocolo e abandonou o posto para se aproximar e prestar auxílio aos irmãos humanoides. “Que maravilha”, pensei ironicamente comigo mesma, enquanto o polén venenoso lançado pelo elt em minha direção surtia mais efeito, impedindo que eu inspirasse oxigênio corretamente.

Aproximei-me do elt primaveril com a lâmina da espada abaixada, usando uma alternativa controversa e pouco usual para tentar reverter a minha situação e derrotar as árvores humanoides. O elt emitiu um rugido seco com a minha aproximação, mas tentei manter uma atitude confiante ao me aproximar e tocar a palma da mão direita em seu tronco, dirigindo-lhe um olhar intenso. ▬ Me ajude. Não me ataque mais - disse, encarando as fendas que substituíam a necessidade de olhos físicos.

O humanoide suspendeu seus movimentos, baixando lentamente os galhos que faziam as vezes de seus braços. Era difícil dizer se a expressão de seus olhos havia mudado e se atenuado, pois eram pouco expressivos, tal qual a atriz Kristen Stewart, mas de fato senti a tensão mudar no ar. Algo estava diferente, mas só pude confirmar isso de fato poucos segundos após, quando o elt do Outono se aproximou bruscamente e desferiu um golpe em minha direção. Sua aproximação havia sido rápida e imperceptível, mas seu golpe não atingiu pleno resultado devido à intervenção do elt da Primavera. Alguns de seus finos galhos secos haviam apenas provocado um arranhão em meu rosto.

O elt da Primavera agora tinha o seu colega como inimigo devido à sua tentativa de me atacar e agora engalfinhavam-se em uma briga. Você consegue imaginar duas árvores batalhando entre si? Mesmo com a cena diante dos meus olhos, ainda era bastante difícil compreender qual árvore era qual, diferenciando apenas suas copas - entre as folhagens coloridas e as folhas secas. Eles também eram criaturas bastante silenciosas, então soava no ar apenas os ruídos de suas folhagens se movendo com seus movimentos e o som áspero de duas árvores se chocando.

Obtendo a ajuda da árvore, via-me livre para auxiliar Gerrard - embora, pelo visto, ele estivesse se saindo bem e enfrentasse menores dificuldades - ou invadir a residência em busca do Tempo, mas e depois? O elt primaveril logo recuperaria a consciência de seus atos e não continuaria atacando seu co-irmão, e eu voltaria a ter duas árvores humanoides de quase quatro metros para enfrentar. Removi o anel familiar de meu anelar, expandindo-o e fazendo revelar a imagem da garça entalhada com ambas as asas abertas de forma ofensiva, mas também protetora. Preferia evitar aquela alternativa, mas precisava da solução rápida.

Com o escudo horizontalmente na altura do ombro, preparei-me para lançá-lo na direção das árvores, ativando o poder elemental do escudo. O disco cortou o ar rapidamente na direção dos elts, atingindo primeiro a árvore do Outono, o que espalhou as chamas rapidamente entre as duas. Obriguei-me a baixar o olhar enquanto as labaredas se espalhavam rapidamente pelo tronco e galhos, odiando a ideia de incendiar uma árvore próximo ao restante da floresta, fornecendo um risco ao espaço ao redor. Como as árvores ainda estavam envolvidas em sua batalha quando lancei o objeto em chamas, o fogo logo atingiu a árvore primaveril também, e mesmo que as labaredas avançassem um pouco mais devagar entre suas folhagens e galhos, sua destruição ainda havia sido relativamente rápida. Eles tentaram se mover em direção à poça d’água provocada pelo filho de Netuno, mas nada foi suficiente para impedir as chamas a tempo.

Esperava profundamente que o senhor do Tempo não quisesse vingar a perda dos seus elts, pois sua punição podia ser pior do que o que a ilha estava vivendo naquele momento. Ele não ia gostar de saber que três dos seus elts estavam mortos, e pior - dois haviam sido incendiados, colocando em risco mais áreas da ilha mágica, além da segurança de sua residência.

O elt do Inverno era naturalmente mais resistente, e tentava permanecer vivo até o fim na batalha que travava contra Gerrard. Ao me aproximar, posicionei o escudo à altura do ombro para lançá-lo contra a árvore humanoide, para também provocar-lhe chamas e causar sua morte, mas o semideus romano fez um sinal para que não concluísse o movimento. Ele tinha uma ideia melhor.

Mochila:

• Mochila sem fundo [Mochila de prata com material simples, sem bolsos laterais, com um único zíper, uma única entrada e uma única saída.| A mochila não possui fundo, foi encantada para caber inúmeros objetos, ou seja, seu espaço é infinito, tudo que você colocar dentro dela permanece ali, desde que passe pela parte de cima, ou seja, você precisa conseguir colocar o item pelo buraco, que é largo o suficiente para passar até uma panela de pressão. Para pegar o item de volta basta colocar a mão dentro da mochila e pensar nele, e ele retorna para suas mãos.| Indefinido | Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos |Lendário e mágico | Loja especial do dia dos namorados]

The Water Rose Ring [ Aliança em ouro branco detalhada com topázio. A aliança feminina é decorada com um topázio rosa em formato de coração, e a masculina em topázio azul, também com um sutil formato de coração. Na parte interna da aliança de Elena, está gravado "I will always be in your shadow", e na de Gerrard diz "Já era amor antes de ser". | Ligação de Mentes: Faz com que os possuidores do anel criem uma ligação mental, e se comuniquem por pensamentos, sendo capazes de entender um ao outro perfeitamente. | Retorno: Magia de retorno para o anel, caso perca o objeto ele retorna para o bolso do dono depois de alguns segundos. | Ouro Branco | Elena e Gerrard ]

♥ Amor Incondicional: Uma pulseira delicada feita de fios de prata com uma perola em seu centro. A pedra carrega uma benção da deusa protegendo assim a potadora de tal joia = 120 dracmas | Def: 600

♥ Arco Cupido - Arco com uma Aljava de flechas infinitas que nunca erram o alvo, se transforma em um Diadema ou um Colar.

Espada de fragmentos [ É uma espada totalmente feita de ferro estígio, tendo o cabo envolvido em couro. Ela foi totalmente corrompida pela ira, para ficar mais poderosa.| A arma se alimenta do HP da criaturas que atinge e armazena sua essência, passando-as por dois turnos para seu portador, ou seja, durante dois turnos 50% do HP das criaturas atingidas por essa arma, são passadas para o seu portador, no caso, o dono da espada.| Ferro estígio e couro.| Espaço para duas gemas.| Alfa. | Status: 100%, sem danos | Mágica. | A Mente Liberta (evento) ]

Garza protectora [ Escudo de Bronze Celestial, com a figura de uma garça em alto relevo | Efeito elemental: a arma será coberta por chamas, provocando 20% a mais de dano e tendo chance de provocar queimaduras. O fogo fica a frente do escudo, e não esquenta o lado de dentro, logo não pode ferir sua portadora, uma magia antiga impede que aconteça, impedindo o fogo de se espalhar ou machucar a descendente Garcia. | Transforma-se em um anel com um pequeno símbolo da família García: um brasão com três leopardos vermelhos. | Bronze Celestial | Status: 100%, sem danos | Mágica | Quando o Passado Revive (Evento) ]

• Pulseira de perícia  Avançada [Pulseira de couro que se ajusta perfeitamente ao pulso do usuário, possui amarras de cordinhas na parte de baixo, então é fácil de equipar-se com ele, se for cortado, ou destruído, perde totalmente o efeito, ou seja, é preciso estar em uso, no pulso, para que o efeito continue a ser efetivo para o semideus, do contrário, ele perde o bônus da perícia completamente, só funciona através da pulseira | Aumenta a perícia de uma arma de sua escolha em +50%, provocando um dano de +30% (Espadas) | Couro | Sem espaço para gemas| Sigma | Status: 100% sem danos | Mágico |  Loja especial do dia dos namorados]

Trufa do Amor – Tem formado de coração e licor de morango como recheio, ao consumir a trufa o semideus pode recuperar até 100 HP. (Ao consumir, some do perfil) (x5)

Rosa Branca – Uma rosa branca, congelada em uma caixa de cristal. Tal rosa possui uma propriedade curativa única, ela restaura o corpo e cura qualquer doença, retira qualquer veneno, e pode inclusive, salvar alguém a beira da morte, mesmo que esse já não tenha mais solução. Sacrificando essa rosa poderá recuperar a vida de alguém, independente do estado em que a pessoa estiver, se ela ainda possuir alguma vida (Até se o HP estiver em 1) você ainda poderá recupera-la completamente. (Some após o uso).

Poderes & Habilidades:

Nome do poder: Charme III (Nível 33)
Descrição: Você sempre soube que poderia conquistar a perfeição, e que era um dominador nato, com um charme natural. Agora já consegue fazer as pessoas fazerem exatamente aquilo que você quiser, podendo engana-los com mais facilidade, pode fazer amigos se voltarem contra amigos e inimigos contra inimigos, sabendo usar as palavras, qualquer um entra no seu jogo.
Gasto de Mp: 40 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Dura no máximo 3 turnos, depois as pessoas começam a ficar sem entender o porquê de estarem fazendo aquilo. Já consegue confundir qualquer um, independentemente do nível.

Nome do poder: Inversão (Nível 37)
Descrição: O semideus consegue tocar a mente e o coração do inimigo, fazendo com que seu oponente se torne um aliado por dois turnos. Só consegue fazer isso com uma única pessoa por vez, lembrando que nesses dois turnos, o inimigo não atacara o filho de Afrodite/Vênus, e sim vai defende-lo, lutar com ele como um igual.
Gasto de Mp: 60 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: O efeito dura dois turnos



Festival das Estações / Com Gerrard e Elt’s / Vestindo 2





Elena C.{Castillo} Garcia

Filha de Afrodite :: Legado de Marte :: 16 anos :: Porto-riquenha :: Líder de Chalé :: Instrutora
avatar
Elena C. García
Lider de Afrodite
Lider de Afrodite

Mensagens : 222
Data de inscrição : 14/05/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

O autor desta mensagem foi removido do fórum - Ver a mensagem

Re: O Sumiço do Tempo - Elena & Gerrard

Mensagem por Elena C. García em Qua Jun 28, 2017 11:29 pm



O Sumiço do Tempo




Play Plus:

• Play Plus – Sua sorte triplicada? Isso mesmo, toda postagem executada por seu personagem nos próximos 3 dias terá a XP triplicada. (30/06/2017).

Não gostava muito da ideia de tortura para fazer alguém revelar uma informação, mas tentava compreender as poucas alternativas para resolver aquela questão. Assim, havíamos descoberto que o senhor do Tempo estava doente e escondido em um templo na direção setentrional, não muito distante dali. Sem mais nenhuma proteção na residência do Tempo, deixamos o local em busca do deus doente. E eu nem sabia que deuses podiam adoecer.

A boa notícia é que, com o pôr do sol próximo de acontecer, tínhamos como iniciar o trajeto com plena certeza da direção a ser seguida. A má notícia é que o sol estava quase se pondo, e não sabíamos quantos perigos os bosques tinham para expor com o cair da noite. Posicionando-me com o sol à minha esquerda, iniciei o trajeto mantendo o silêncio, preferindo não pensar nos elts nem na ideia de Gerrard em relação à tortura.

Passo após passo e concentrados em nos mantermos ao norte apesar de todas as trilhas sinuosas, vencemos a distância em menos dos 20 minutos informados pelo elt e alcançamos uma construção que eu nunca havia visto naquela ilha. Sua construção lembrava mármore, sendo mais horizontal do que vertical, não sendo nada entre gótica ou românica. Era única, mas mantendo os traços das tradicionais da arquitetura usada em templos da Grécia Antiga. O templo era um espaço aberto, preenchido com pequenas colunas que lembravam minimamente o projeto do Partenon, com a entrada principal sinalizada por um triângulo isósceles preenchido com imagens de divindades e criaturas mitológicas entalhadas. A principal figura que podia identificar era o deus Pã, a antiga divindade da natureza e florestas. Sorri brevemente com o pensamento que me ocorreu, recordando que Annabeth Chase, filha de Athena, iria cursar Arquitetura na Faculdade de Nova Roma e teria muito mais a dizer sobre a exuberância sutil daquele templo.

O silêncio era absoluto. Com a noite caindo, os poucos pássaros que habitavam a região invernal da ilha começavam a se recolher e cessavam seus cantos, fazendo-nos imergir em um silêncio insuportável. Hesitei em me aproximar mais, devido à tensão daquele silêncio e porque o templo também parecia vazio. ▬ Ele com certeza não está dentro do Templo… - comentei, procurando algum movimento diferente ao redor que pudessem denunciar onde o Tempo adoecido podia estar.

Gerrard tomou a frente na busca pelo deus do clima, fazendo uso de suas habilidades de ceifador na tentativa de localizá-lo, e eu esperava que a doença daquela personificação divina o atrapalhasse no objetivo de não ser encontrado. Era compreensível que, se o deus estivesse doente e mais fraco, ele não quisesse ser encontrado por ninguém enquanto não recobrasse suas forças. Era orgulho divino, eles não admitiam ter problemas ou pedir ajuda. Apesar de ser uma divindade menor, responsável pelo controle climático apenas daquela ilha mágica, o Tempo podia ser tão orgulhoso quanto um deus olimpiano.

Mas como um deus ficava doente? Aquilo me deixou muito pensativa e talvez meio preocupada, sem compreender como poderíamos ajudá-lo a ficar são novamente. Tentava recordar de algum caso semelhante que tivesse ocorrido na mitologia greco-romana que falasse sobre um deus que havia adoecido, e principalmente lembrar como havia sido curado, mas não me vinha nenhum nome em mente para auxiliar. A única coisa semelhante era o envelhecimento sofrido pelo marido de Eos, o qual se tornou imortal, mas não jovem para sempre. Ele havia terminado a vida como gafanhoto, até onde me recordava. Isso não soou muito animador para mim.

O filho de Netuno ia mais à frente e captou alguma pista através de seus poderes, chamando-me para mais perto. Acompanhando traços da vegetação que estavam em disformidade com as plantas da região invernal, seguido pelo aroma atípico de flores que não existiam ali, seguimos até uma clareira alguns metros atrás do templo, onde um avô era amparado por uma jovem neta. É sério. Eu não acreditaria naquela cena nem se ela fosse descrita com a maior riqueza de detalhes possível.

Um senhor de idade visivelmente enfermo estava com os pés mergulhados em uma fonte termal enquanto bebia algum chá medicinal oferecido por uma ninfa. Era fácil identificar os sintomas de uma severa gripe em sua face: ele estava lívido, com exceção dos pontos de maior concentração sanguínea, como as bochechas, o que indicava que ele estava com febre. Abaixo dos olhos, profundas olheiras marcavam sua fisionomia e o faziam envelhecer mais dez anos. Ele parou de tomar o chá por um segundo, olhando para o nada e franzindo o nariz enquanto fechava os olhos parcialmente. ▬ ATCHIM! - o som de seu espirro preencheu todo o ambiente e atraiu uma nevasca.

Mas não era apenas isso. Após outro espirro, a nevasca cessou e de repente se transformou na suave brisa de verão que sucede chuvas, com o tradicional cheiro de grama molhada. Ele fez menção de espirrar uma terceira vez e a ninfa ao seu lado abriu um guarda-chuva antes mesmo que o atchim soasse. E sabe o que eu descobri? Que ninfas poderiam ser ótimas garotas do tempo e meteorologistas, pois bastou a criatura mágica abrir o guarda-chuva para começar a chover torrencialmente. Em três minutos estávamos tão encharcados quanto estaríamos se tivéssemos nos jogado no rio. - Acho que ele é o senhor do Tempo - disse, informando Gerrard em primeira mão sobre o óbvio, enquanto torcia o cabelo inutilmente.

▬ Quem está aí? - o Tempo perguntou, fazendo sua frágil voz idosa soar com a intensidade de uma trombeta. Seu semblante tornou-se sério e perigoso para um senhor de idade, que temia ser pego por algum inimigo em um momento de fraqueza, mas estava disposto a provar que continuava em condições de batalhar se fosse necessário. A ninfa e fiel escudeira do deus do clima empunhou uma espada com lâmina rosada e, embora parecesse frágil, colocou-se em posição de batalha para proteger o seu senhor.

▬ Somos nós! Somos amigos! - disse, aproximando-me mais e entregando nossa posição sem medo. O Tempo precisava saber que não éramos nenhum tipo de inimigo, então retirei a bainha de meu cinto e coloquei a espada calmamente no chão, erguendo-me sem fazer movimentos bruscos e mantendo as mãos onde o deus da ilha pudesse ver. Direcionei um olhar aliciador para Gerrard, pedindo que ele repetisse o que eu havia feito para que conquistássemos a total confiança do Tempo. ▬ Viemos, em nome dos deuses, lhe ajudar - disse, mentindo um pouco, mas usando todos os truques possíveis para conquistá-lo de vez. Imaginava que fosse do interesse dos deuses olimpianos que sua ilha mágica voltasse ao normal, torcia que fosse.

▬ Ah, que bom que eles se prestaram a lembrar de mim! - o senhor resmungou, tal qual um homem de idade mesmo. Era difícil dizer se havia algum ressentimento naquela resposta ou se era o peso da doença lhe deixando ranzinza. Ele tossiu logo após, fazendo cessar a chuva e fazendo ventos intensos  tomarem aquele ambiente. Após uma reverência respeitosa digna de um filme vitoriano, me aproximei do deus com o melhor semblante pacifista que possuía, tentando amplificar minhas habilidades sobre as emoções para manter todos calmos - principalmente meu namorado. Conforme me aproximava, sentia que ainda era tênue a linha que impedia o Tempo de desconfiar de nós e direcionar todas as intempéries climáticas em nossa direção, então precisávamos manter a diplomacia em nível elevado.

A ninfa havia abaixado sua arma, mas mantinha a espada em mãos para o caso de o Tempo concluir que não éramos confiáveis. Passei pela ninfa com um sorriso amigável, e apoiei o peso do corpo sobre um joelho ao me aproximar do deus, embora ele não estivesse em uma situação muito divina para aquela cerimônia toda. ▬ Senhor Tempo - iniciei com reverência. ▬ Estamos preocupados com você e com a ilha, e percebemos que a enfermidade do senhor deixa a ilha instável. Como o senhor ficou doente e como podemos ajudá-lo? - perguntei, inclinando a cabeça sutilmente ao concluir minha fala, demonstrando respeito como a um suserano.

Com uma expressão mais leve e tom suave, devido ao belo afago que havia dado em seu ego, ele soltou um suspiro pesado e um pouco cansado, ajeitando-se e retirando os pés da água quente para se levantar. ▬ Há uma entidade primordial, tão antiga quanto a existência do firmamento, que tem se mostrado insatisfeita com algumas coisas… - ele disse, pondo-se a caminhar enquanto falava, tendo assim mais concentração para elaborar uma resposta também diplomática, sem citar nomes ou fatos. ▬ Ela não está contente com as festividades aqui, e puniu a mim com esta doença - ele disse, dando início a outra série de espirros que provocavam fenômenos climáticos adversos à nossa volta.

Olhei na direção de Gerrard em busca da sua reação àquela importante informação, e encontrei o ceifador distraído, olhando para o céu, mas prestando atenção quando o Tempo contou aquele fato. Com as sobrancelhas franzidas, absorveu aquela informação e arquivou-a, para voltar a não dar a devida atenção àquela divindade. Ainda bem que não estava dependendo apenas de diplomacia, mas também usava de charme para lidar com o senhor do clima, pois Gerrard não sabia ser diplomático e inflar o ego de um deus para fazê-lo falar. Sem dar muita atenção ao meu olhar, Gerrard voltou a encarar qualquer outra coisa inanimada, ficando alheio ao meu diálogo com o deus menor. Depois poderíamos conversar sobre aquilo.

▬ Se o senhor me permite - disse, pondo-me em pé novamente, enquanto retirava a mochila das costas. Abri o zíper e me concentrei pensando em um item que sempre carregava comigo por garantia, mas esperava nunca ter que utilizar. Senti a ponta de meus dedos encontrarem uma caixa e a retirei do interior da mochila, revelando uma rosa branca congelada. Retirei a planta da caixa, sentindo meus dedos protestaram ao entrar em contato com o objeto congelado, e aproximando-me do deus com o objeto em mãos. Não aguardei perguntas, mas os três pares de olhos estavam acompanhando com atenção os meus movimentos, curiosos para saber como aquela planta iria ajudar naquela situação.

O que eu fiz não deve ser repetido, a não ser que você também tenha uma flor mágica. Quebrei o caule da rosa, e no segundo seguinte ela já não estava congelada, tornando-se uma simples rosa branca. Envolvi as pétalas na mão direita e as separei do restante do caule, para a seguir soprar as pétalas brancas na direção do senhor do Tempo. As pétalas dissolveram-se no ar e se tornaram uma fumaça branca que envolveu o deus com sua magia curativa, a qual o idoso inspirou profundamente.

▬ Estou curado! - o deus disse, gargalhando e puxando a ninfa para dançar com ele. Se você assistiu Os Fantasmas de Scrooge, talvez se lembre do velho e menos ranzinza idoso dançando com alegria no final do longa-metragem, pouco após da famosa cena em que ele corre à janela para perguntar que dia era. Era tal qual aquele idoso dançante que o senhor do Tempo comemorava com a ninfa, logo após nos puxando para comemorar junto com imenso agradecimento.



Mochila:

• Mochila sem fundo [Mochila de prata com material simples, sem bolsos laterais, com um único zíper, uma única entrada e uma única saída.| A mochila não possui fundo, foi encantada para caber inúmeros objetos, ou seja, seu espaço é infinito, tudo que você colocar dentro dela permanece ali, desde que passe pela parte de cima, ou seja, você precisa conseguir colocar o item pelo buraco, que é largo o suficiente para passar até uma panela de pressão. Para pegar o item de volta basta colocar a mão dentro da mochila e pensar nele, e ele retorna para suas mãos.| Indefinido | Sem espaço para gemas | Alfa | Status: 100% sem danos |Lendário e mágico | Loja especial do dia dos namorados]

The Water Rose Ring [ Aliança em ouro branco detalhada com topázio. A aliança feminina é decorada com um topázio rosa em formato de coração, e a masculina em topázio azul, também com um sutil formato de coração. Na parte interna da aliança de Elena, está gravado "I will always be in your shadow", e na de Gerrard diz "Já era amor antes de ser". | Ligação de Mentes: Faz com que os possuidores do anel criem uma ligação mental, e se comuniquem por pensamentos, sendo capazes de entender um ao outro perfeitamente. | Retorno: Magia de retorno para o anel, caso perca o objeto ele retorna para o bolso do dono depois de alguns segundos. | Ouro Branco | Elena e Gerrard ]

♥ Amor Incondicional: Uma pulseira delicada feita de fios de prata com uma perola em seu centro. A pedra carrega uma benção da deusa protegendo assim a potadora de tal joia = 120 dracmas | Def: 600

♥ Arco Cupido - Arco com uma Aljava de flechas infinitas que nunca erram o alvo, se transforma em um Diadema ou um Colar.

Espada de fragmentos [ É uma espada totalmente feita de ferro estígio, tendo o cabo envolvido em couro. Ela foi totalmente corrompida pela ira, para ficar mais poderosa.| A arma se alimenta do HP da criaturas que atinge e armazena sua essência, passando-as por dois turnos para seu portador, ou seja, durante dois turnos 50% do HP das criaturas atingidas por essa arma, são passadas para o seu portador, no caso, o dono da espada.| Ferro estígio e couro.| Espaço para duas gemas.| Alfa. | Status: 100%, sem danos | Mágica. | A Mente Liberta (evento) ]

Garza protectora [ Escudo de Bronze Celestial, com a figura de uma garça em alto relevo | Efeito elemental: a arma será coberta por chamas, provocando 20% a mais de dano e tendo chance de provocar queimaduras. O fogo fica a frente do escudo, e não esquenta o lado de dentro, logo não pode ferir sua portadora, uma magia antiga impede que aconteça, impedindo o fogo de se espalhar ou machucar a descendente Garcia. | Transforma-se em um anel com um pequeno símbolo da família García: um brasão com três leopardos vermelhos. | Bronze Celestial | Status: 100%, sem danos | Mágica | Quando o Passado Revive (Evento) ]

• Pulseira de perícia  Avançada [Pulseira de couro que se ajusta perfeitamente ao pulso do usuário, possui amarras de cordinhas na parte de baixo, então é fácil de equipar-se com ele, se for cortado, ou destruído, perde totalmente o efeito, ou seja, é preciso estar em uso, no pulso, para que o efeito continue a ser efetivo para o semideus, do contrário, ele perde o bônus da perícia completamente, só funciona através da pulseira | Aumenta a perícia de uma arma de sua escolha em +50%, provocando um dano de +30% (Espadas) | Couro | Sem espaço para gemas| Sigma | Status: 100% sem danos | Mágico |  Loja especial do dia dos namorados]

Trufa do Amor – Tem formado de coração e licor de morango como recheio, ao consumir a trufa o semideus pode recuperar até 100 HP. (Ao consumir, some do perfil) (x5)

Rosa Branca – Uma rosa branca, congelada em uma caixa de cristal. Tal rosa possui uma propriedade curativa única, ela restaura o corpo e cura qualquer doença, retira qualquer veneno, e pode inclusive, salvar alguém a beira da morte, mesmo que esse já não tenha mais solução. Sacrificando essa rosa poderá recuperar a vida de alguém, independente do estado em que a pessoa estiver, se ela ainda possuir alguma vida (Até se o HP estiver em 1) você ainda poderá recupera-la completamente. (Some após o uso). Retirar do inventário

Poderes & Habilidades:

Nome do poder: Voz Melodiosa (Nível 16)
Descrição: Sua voz tem uma melodia que agrada aos ouvidos das outras pessoas. Nem todos escutam a sua voz com o mesmo timbre, será de acordo com aquilo que mais agrada ao ouvinte. Isso facilitará persuasão com pessoas do sexo oposto drasticamente, e com do mesmo sexo influenciará um pouco.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: O poder ativo  charme  do filho de Afrodite/Vênus, ao ser combinado com essa passiva ganha um bônus de força de 20%, podendo causar um estrago ainda maior.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Empatia
Descrição: Essa habilidade permite que saiba os que os outros estão sentindo no momento. Não envolve nenhum tipo de controle, apenas o conhecimento dos sentimentos do outro.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Isso permite que sejam capazes de entender o que se passa com inimigos e aliados, e possivelmente, usar isso para trabalhar ao seu favor. Por exemplo, se usarem o poder ativo  charme  e combinarem com o empatia, podem acabar convencendo inimigos e aliados através do sentimento que se passa com eles no momento.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Charme III (Nível 33)
Descrição: Você sempre soube que poderia conquistar a perfeição, e que era um dominador nato, com um charme natural. Agora já consegue fazer as pessoas fazerem exatamente aquilo que você quiser, podendo engana-los com mais facilidade, pode fazer amigos se voltarem contra amigos e inimigos contra inimigos, sabendo usar as palavras, qualquer um entra no seu jogo.
Gasto de Mp: 40 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Dura no máximo 3 turnos, depois as pessoas começam a ficar sem entender o porquê de estarem fazendo aquilo. Já consegue confundir qualquer um, independentemente do nível.



Festival das Estações / Com Gerrard, Tempo e ninfa  / Vestindo





Elena C.{Castillo} Garcia

Filha de Afrodite :: Legado de Marte :: 16 anos :: Porto-riquenha :: Líder de Chalé :: Instrutora
avatar
Elena C. García
Lider de Afrodite
Lider de Afrodite

Mensagens : 222
Data de inscrição : 14/05/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

O autor desta mensagem foi removido do fórum - Ver a mensagem

Re: O Sumiço do Tempo - Elena & Gerrard

Mensagem por Elena C. García em Qua Jun 28, 2017 11:58 pm



O Sumiço do Tempo




Play Plus:

• Play Plus – Sua sorte triplicada? Isso mesmo, toda postagem executada por seu personagem nos próximos 3 dias terá a XP triplicada. (30/06/2017).

Era extremamente gratificante perceber que tínhamos dado aquela situação como resolvida, observando que com a restauração da saúde do deus do Tempo o clima da ilha parecia estar começando a se alinhar de volta ao que deveria ser. Apesar da situação parecer meio constrangedora, havia me divertido fazendo passinhos com o deus enquanto ele comemorava a sua saúde.

E então somava o saldo daquela empreitada: devido às intempéries climáticas pelas quais havia passado, eu estava encharcada e com o cabelo grudando em minha pele, logo eu começaria a espirrar devido a um resfriado adquirido e haviam folhas de árvores ou flocos de neve pela minha roupa e cabelos devido às ventanias que havíamos enfrentado para chegar àquele momento. Eu estava um desastre, mas podíamos, de fato, comemorar.

Virei-me para dizer a Gerrard para nos despedirmos do deus diplomaticamente, mantendo parte daquela mentirinha dita anteriormente para conquistar a confiança do Tempo, mas esqueci a primeira palavra que ia dizer assim que o vi ajoelhando-se e tomando minha mão junto a um buquê. ▬ No meio desta jornada, um rapaz que havia devotado sua vida à se tornar uma lâmina, que removia as vidas de pessoas. Uma lâmina jamais poderia ter sentimentos, não é? Pois ela se tornou uma lâmina inútil, pois ela se apaixonou... – ele ia dizendo, em uma declaração de amor, e surpreendendo-me por fazer isso naquele momento, diante de uma ninfa e um deus que não conhecíamos, mas aproveitando o momento de alegria para compartilhar a sua. ▬ E esta lâmina agora não passa de um objeto quebrado, que achou sua outra parte nessa gentil moça. Agora, sem mais delongas: será que esta moça aceitaria ter uma lâmina quebrada ao seu lado, que promete protegê-la mesmo se sua vida for retirada no processo? - ele perguntou, concluindo sua declaração e ficando levemente corado após.

Queria dizer que tinha a resposta na ponta da língua, que já estava prevendo aquele momento e teria a atuação perfeita para dizer um expressivo "sim", mas congelei e o que tentei dizer saiu em meio a gaguejos e ninguém compreendeu nenhuma palavra. Respirando fundo e usando de meu autocontrole emocional naquele momento, conceitrei-me novamente para tentar colocar em palavras o que estava sentindo.

▬ Não foi por isso que a Morte se apaixonou pela Vida? - perguntei, sorrindo, em referência à comparação que ele havia usado em sua primeira declaração, em uma festa de aniversário romana. Limpando uma lágrima emocionada que escorrera pela face, antecipei-me em responder antes que as lágrimas impedissem algo compreensível. ▬ É claro que aceito - disse, para algumas outras lágrimas escorrerem antes de tomar o rosto de Gerrard entre minhas mãos para lhe dar um demorado beijo.

▬ Um casamento! Eu adoro casamentos! - disse o deus do Tempo, enquanto a ninfa limpava uma lágrima igualmente emocionada. Nossa noite se encerrou com aquele momento de terna alegria de todas as partes, enquanto o clima retomava a sua normalidade nos quatro quadrantes da ilha mágica.


Missão concluída!





Elena C.{Castillo} Garcia

Filha de Afrodite :: Legado de Marte :: 16 anos :: Porto-riquenha :: Líder de Chalé :: Instrutora
avatar
Elena C. García
Lider de Afrodite
Lider de Afrodite

Mensagens : 222
Data de inscrição : 14/05/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Sumiço do Tempo - Elena & Gerrard

Mensagem por Plutão em Qui Jun 29, 2017 4:51 pm

O Sumiço do Tempo

Critérios na avaliação:

• Enredo e coerência de batalha - 50%
• Gramática - 20%
• Criatividade - 30%

Elena C. García:

Avaliação:

• Enredo e coerência de batalha - 50%
• Gramática - 20%
• Criatividade - 30%

Recompensa Máxima: 20.000XP – 5.000 Dracmas – 2 de todos os ingredientes.

Recompensa Ganha com o Play Plus: 60.000XP – 5.000 Dracmas – 2 de todos os ingredientes.

Comentário: Não tenho muito a dizer, você foi excelente em sua postagem, eu adorei a forma em que você lida com as situações e ainda por cima, a forma em que batalha. Parabéns, Elena, você merece.

Gerrard E. D’oppard:

Avaliação:

• Enredo e coerência de batalha - 30%
• Gramática - 20%
• Criatividade - 30%

Recompensa Máxima: 15.000XP – 5.000 Dracmas – 2 de todos os ingredientes.

Recompensa Ganha com o Play Plus: 36.000XP – 5.000 Dracmas – 2 de todos os ingredientes.

Comentário: Gerrard, você estava indo bem até fazer certos movimentos, os quais eu vou colocar logo abaixo. Atente-se a descrever melhor seus movimentos, e fazê-los condizentes com as suas passivas. Nem um filho de Mercúrio seria assim tão rápido. Este, como nós da STAFF já repetimos várias vezes, é um RPG interpretativo, ou seja, não aceitamos coisas como “mirei e atirei” ou “fiz um vulto e cortei a mão do monstro”, entende?

O mesmo ocorre para quando você defende-se dos monstros. Digo... Imagine o tronco de uma árvore de quatro metros acertando em seu escudo? Você poderia não receber o dano, mas o impacto ainda sim.

“Um vulto atravessou aquele pequeno campo de batalha, era Gerrard com o seu tridente em punhos, removendo uma das “mãos” da árvore do veraneio com facilidade e brutalidade.”

“Por hora, Gerrard só ficava recebendo os golpes dos punhos das criaturas, alguns acertavam seus braços causando ferimentos e queimaduras leves, mesmo utilizando do escudo para defender-se. A cada ataque ele tentava uma estocada com o tridente, não com o intuito de acertar e sim de afastar-se ganhando distância com o tridente.”

Comentário geral: Acho que ambos poderiam ter integrado de forma melhor suas postagens, pois, tinha horas durante a leitura em que parecia que um se tornava invisível para o outro no meio da batalha, lembrando apenas de si. Entendo que dividiram os oponentes e tudo mais, entretanto, ainda acho que deveriam ter levado em consideração os movimentos aliados na hora de descrever a batalha.

Mas esta é uma opinião minha. Se fosse outro leitor, talvez ele não sentisse tanta falta nisso quanto eu senti, compreendem? É apenas uma critica sugestiva e eu não vou descontar nada em vocês por conta disso.

Parabéns pelo casamento de vocês, espero que sejam felizes e continuem juntos!
avatar
Plutão
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários

Mensagens : 41
Data de inscrição : 21/09/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Sumiço do Tempo - Elena & Gerrard

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum