The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

O Sumiço do tempo - Renly & Sun

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O Sumiço do tempo - Renly & Sun

Mensagem por Renly d'Alviano em Dom Maio 28, 2017 4:18 pm



walk the line

"Pessoas corriam, os sorrisos em seus lábios mostravam toda a felicidade que o momento permitia; drinks em suas mãos, a festa rolando a beira da piscina com música pop e batidas de verão acontecendo, o que não faltava era gente aproveitando o sol para pegar um pouco de cor, beijar outras pessoas e transformar a vida em algo bem mais alegre! Quem, neste mundo tão grande, não gosta do verão?" — Me lembra, só mais uma vez, por que diabos eu vim até aqui com você... — Resmunguei enquanto acompanhava a filha de Arcus em seus trajes para a praia e me arrependia um tanto daquilo por uma quantidade sem fins de motivos - fosse por ser uma coisa magricela, por ser um tanto pálido e tem cabelos brancos que estavam presos em um coque alto, a maioria das pessoas estava olhando para alguma das minhas características e, quando não olhavam para nenhuma destas, acredito estarem olhando para o tapa olho que cobria com perfeição o meu olho esquerdo e evitava, assim, que outras pessoas pudessem ver o vazio que se formou no lugar onde antes estava meu globo ocular. Eu busquei conforto nos dedos de Sun Hee, sabíamos - eu e ela - que o fato de estar entre muitas pessoas poderia acabar por se tornar um grave problema para mim e saber que a jovem estava ali perto era minha forma de encontrar coragem para seguir em frente nos meus momentos de medo ou simplesmente trauma devido a acontecimentos anteriores. No fundo eu sabia que estávamos ali para se divertir e ela principalmente, sempre tão bela ao sol, não perderia essa oportunidade enquanto eu, como um bom ranzinza e afastado social que sou, procurei a primeira sombra que foi possível. Ao som de sua primeira reclamação por estar na sombra e não aproveitar o sol, deslizei os dedos pelo corpo sem encostar as unhas no mesmo e abri um sorriso enquanto fechava os olhos. — Este corpo aqui só pode ser visto sem camisa por uma única pessoa, não vou dar o luxo de terceiros me verem assim. — Brinquei antes de a puxar para perto me manter a filha de Arcus comigo por um tempo na sombra antes de deixar que ela fosse se divertir ao sol e concentrar em não deixar que o trauma voltasse à tona e, caso voltasse, não o viesse com força já que, eventualmente, ele acabaria por voltar.

Meus dedos corriam pelas minhas pernas com certa inquietação, eu sabia que estava sem meus cigarros ali e que encontrar algum fumante seria um tanto... — Achei. — Sussurrei enquanto me levantava do lugar que estava e passava por trás do rapaz que fumava, apanhando o maço sem que ninguém me notasse e tornei a me afastar agora para achar alguém que pudesse acender o mesmo para mim e quando meu corpo foi tomado pela fumaça do tabaco é que eu finalmente consegui relaxar; eu sabia que, se não morresse nas mãos de alguma criatura, certamente morreria de asma ou de câncer de pulmão daqui a alguns muitos anos. Eu apenas torcia que fosse o suficiente para ver Sun Hee se divertir mais um pouco, dançar e ser a garota linda que ela era - e para você ter noção do meu magnetismo com a filha de Arcus, eu nem mesmo havia notado que estava perto dela! Só percebi quando senti seu cheiro próximo a mim, retirei o cigarro dos lábios e envolvi sua cintura com a mão livre, beijando a lateral de seu rosto. — Já disse que te odeio hoje? — Que forma carinhosa de se dizer que ama, não é? Fofa ou não, esta é minha forma de dizer a ela que eu a amo - e muito, por sinal.

Ask me again if i give a fuck
avatar
Renly d'Alviano
Alfa dos Lycans
Alfa dos Lycans

Mensagens : 193
Data de inscrição : 09/02/2017
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Sumiço do tempo - Renly & Sun

Mensagem por Sun Hee em Qua Maio 31, 2017 12:25 am

O sumiço do tempo

"Eottoke!? Cadê o tempo?"
Apesar de tudo, ainda havia aquela aura no contorno do garoto, por mais que estivéssemos bem melhores. Aquele troço continuava quebrado dentro de nós. Para mim, era mais fácil por tudo de lado e passar um tempo com as pessoas que me amavam e cuidavam, para o Renly era complicado ao ponto de eu estar um pouco ansiosa por leva-lo à ilha.

No fundo, ele também ia gostar de uma folga, um banho de piscina e observar o mundo. Por mais que ele negasse sempre – veemente – fazer coisas normais também o agradavam, ou isso ou ele estava passando muito trabalho ao meu lado.

Nos corredores, eu fingia não ouvir as fofocas, como eu sempre fui muito receptiva e bem quista por todos, a notícia de terem me visto de mãos dadas com alguém era valiosa. Eu já havia recebido alguma cota de declarações, mas nunca havia me envolvido com ninguém do acampamento. Honestamente, meu único envolvimento amoroso, antes do lupino, durou uma noite e um beijo e foi com uma garota grega.

Para aumentar a popularidade da fofoca, Renly era o meu exato oposto. A pessoa mais ranzinza e rude já esculpida pelos deuses, vivia se metendo em brigas e tomando punições por mau comportamento, sem contar que vivia quase morrendo em missões da matilha. Com a mesma facilidade que eu arranjava amigos, o garoto arranjava inimigos e – aparentemente – para os demais legionários, era um absurdo alguém como eu andar de mãos dadas com alguém como ele... eu – aparentemente – merecia ser melhor tratada.

Bem, o que eles não sabiam – e esse é o maior erro de quem vê a parte ao invés do todo – é que o Renly era a pessoa mais carinhosa e atenciosa que se possa imaginar. Desde a forma como ele me olhava até cada atitude comigo, ele era tão cuidadoso que as vezes eu me assustava com seu comportamento na frente dos demais. Quem diria?

Eu ponderei sobre isso enquanto o observava da borda da piscina, tomando sol, o dia estava gostoso e a luz no meu corpo energizava tudo em mim, aparentemente teríamos o dia perfeito, não fosse um novato da segunda coorte – fardado – aparecer diante de mim, olhando-me fixamente e andando em linha reta na minha direção.

Eu fiz uma careta cansada, já imaginando o que estava por vir. Ultimamente, tinha se tornado um costume chato dos legionários solicitarem meus serviços em dias de folga. Mesmo que eu raramente recusasse – mesmo porque o convite é mera formalidade, você tem que ir quando a legião te chama – não deixava de ser incômodo. Semideuses também precisam de folga...

- Jean Montrié, segunda coorte da legião fulminata. -Apresentou-se formalmente para logo em seguida suspirar e falar do jeito que eu estava mais habituada. – Sunny, precisamos de ajuda de novo...

Eu apoiei a mão no queixo, respirei fundo e pisquei lentamente enquanto gesticulei com a mão para que o menino prosseguisse.

- O senhor do tempo sumiu, agora tem neve no verão flor no outono... está uma confusão! E como estamos abarrotados de coisa com o evento na ilha, formaram um grupo com os campistas mais novos. Sunny, nós não temos ideia de onde procurar o tempo... Eu sei que é seu dia de folga, mas a gente não tem mais a quem recorrer!

O menino parecia desesperado, mas eu bem sabia que estava mentindo. Provavelmente eu tinha sido a primeira pessoa em quem eles pensaram em pedir ajuda, era o que normalmente me ocorria.

“Renly, você se importa de vir comigo?”

Perguntei mentalmente, eu nunca havia usado habilidades telepáticas com o garoto antes, mas esperava não o assustar com aquilo. Levantei e fui pegando minhas coisas, era meio estranho estar de biquíni na frente dos novatos, mais estranho ainda o fato de dar um beijo na testa do Renly quando me aproximei para pegar meu óculos e minha bolsa, mas foi irresistível.

- Então vamos indo, vocês me explicam isso direito no caminho, preciso me vestir apropriadamente e... sinceramente, vão ter que gastar metade do seu salário na Pandevie!

"Só pra você, eu tenho os olhos e meu coração. Espero o teu sorriso e as tuas mãos, não esquece, o Sol renasce amanhã..."

Meu Sol - Vanguart

Como Estou





· · · · · · · · · · · ·


Quando estiver

triste... eu serei a

sua luz!
avatar
Sun Hee
Demônios de Nyx
Demônios de Nyx

Mensagens : 225
Data de inscrição : 08/01/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Sumiço do tempo - Renly & Sun

Mensagem por Renly d'Alviano em Seg Jun 05, 2017 6:34 pm



walk the line

Era como um ponto de atenção, um vácuo de cores em meio a toda aquela diversão e explosão de cores vivas e exuberantes que existiam ao meu redor; fosse os cabelos brancos, a camisa cinza ou até mesmo a minha falta de empatia para com os novatos e outros legionários que dedicavam seu tempo de descanso para estar ali, eu nunca fui o tipo de pessoa que consegue uma harmonia completa com as cores do verão e por mais que digam, o inverno não é meu lugar. — Nunca foi e nunca será. — Me permiti uma pequena risada enquanto assistia o rapaz no balcão colocar a garrafa de cerveja na minha frente e com um aceno de cabeça somada a algumas moedas espalhadas no balcão, me afastei a tempo de ver a figura militar passar por mim sem uma única palavra e seguir em linha reta até a figura pequena, colorida e certamente chateada de Sun Hee. É, lá vem... Me peguei pensando enquanto torcia a tampa da bebida e a abria, tomando um gole ao longe e observando atentamente a situação enquanto me concentrava em basicamente ler o movimento dos lábios de cada um. Legião, missão e contamos com você. Eu ainda estava tentando decifrar o que diabos havia acabado de ocorrer quando senti o toque de sua voz em minha mente - ainda que ela estivesse distante de mim e, logo, não pudesse falar comigo de uma forma tão mansa como falou em minha mente. — Ela precisaria gritar para falar comigo, se fosse o caso. — Pensei em voz alta antes de abrir os braços e dar de ombros, eu tinha escolha? Tinha, todos nós sempre temos escolhas e, quando impossibilitados, criamos nossas próprias escolhas mas o fato de poder entrar em uma aventura ao lado de Sun me deixava tão animado quanto preocupado. Somos quase namorados, temos este elo e o fato de entrar em combate ao lado dela pode ser muito... Então me calei mentalmente assim que a filha de Arcus beijou minha testa e todas as minhas preocupações sumiram, me arrancando uma risada rouca antes que eu me colocasse de pé e estalasse o pescoço de forma breve, seguindo a garota com um olhar determinado durante todo o caminho de volta para o local onde estávamos hospedados.

A princípio, acho que o fato de ter mais alguém os seguindo deixou o rapaz sem graça e pouco desconfortável - notavelmente e isso me arrancou uma risada anasalada enquanto eu me abaixava, quase encostando meus lábios no ouvido de Sun Hee para que pudesse falar enquanto andávamos. — Acho que alguém achou que teria uma chance de conversar sozinho com você e te convencer que um certo lobo é muito, muito mal... — Não é de hoje que eu sei que as pessoas - em sua maioria rapazes - tentam convencer a filha de Arcus que estar ao meu lado, que dar uma chance para minha pessoa no quesito amoroso, será um grande erro no futuro e eu não discordo deles - não por completo. Sunny é uma pessoa maravilhosa mas eu daria tudo que pudesse para garantir a segurança e felicidade da garota, independente daquilo que exigissem de mim e isso fora o suficiente para me fazer rir; isso e o comentário em tom quase sussurrante que a menina deu em resposta ao que lhe disse. "E-Então..." Começou o rapaz que ia à nossa frente, guiando o caminho e isso me fez arquear as sobrancelhas, desviando o olhar da garota para o rapaz fardado. "A inteligência ainda não conseguiu localizar onde está o senhor do tempo e o motivo que está fazendo com que ele reaja desta forma, bagunçando as estações de uma forma tão estranha." Eu acredito que o garoto havia dado apenas uma pausa dramática, um momento curto para que eu pudesse digerir a informação passada a mim e pudesse entender o que estava acontecendo; a única diferença é que ele achou que eu fosse uma porta e imaginou que eu levaria tempo demais para bolar uma solução. — Rastrear. O que vocês tem deste ser para localização? Um pedaço de roupa, um objeto? Algo deste tipo? — O rapaz me olhou surpreso e eu juro que teria rosnado de raiva por ele ser tão idiota se não fosse a mão de Sun Hee me tocando nos dedos, como se pedisse em silêncio para que eu me controlasse e não causasse uma catástrofe logo no nosso primeiro dia na ilha. — Nada? Vocês não tem nada para que se possa rastrear o homem? — Confesso que minha voz subiu em picos de raiva, a rouquidão dando o ponto exato entre o medo e a ordem que eu precisava para fazer o rapaz sair do transe e reagir, contar que havia um relógio de bolso perdido do homem que precisávamos procurar e eu suspirei de forma controlada ainda que rosnados baixos escapassem pela minha garganta enquanto eu massageava as têmperas. — Vá buscar pra mim, por favor. — Resmunguei enquanto assistia o jovem bater continência e sair correndo para o mais longe que podia de mim, eu sentia isso em seu coração batendo acelerado de medo mas, em contrapartida ao coração amedrontado, havia um ao meu lado que parecia ainda mais radiante e eu não precisava olhar para saber de quem era este coração. Eu me virei devagar e selei seus lábios aos dela que permaneceram sorrindo por algum motivo. — Não comece. — Sussurrei antes de segurar sua mão e a guiar para dentro da hospedagem. Sun Hee sempre acabava por se sentir feliz sempre que eu conseguia controlar a fúria da fera interior ou simplesmente tinha a capacidade de o mínimo de empatia e educação com as pessoas - como o simples fato de pedir por favor, por exemplo. São pequenas conquistas para ela e que, no fundo, me fazem feliz também embora eu lute para negar e expressar uma atitude contrária a isso.

A tarde estava próxima de seu fim quando terminamos de nos arrumar para a missão que teríamos que começar com certa urgência. Horas atrás, rapaz - que eu descobri se chamar Jean - veio até nosso quarto para entregar o relógio de bolso com um olhar ainda incrédulo por reparar que eu e a filha de Arcus dividíamos o mesmo quarto. — Agora vão pensar que eu e você já dormimos juntos. — O que, de certa forma, não era uma mentira; dormimos um nos braços do outro no amanhecer do dia seguinte ao retorno dos mortos, ambos procurando conforto e proteção nos braços do outro e fora uma das melhores noite da minha vida mas sabemos que as pessoas não vão pensar de uma forma tão carinhosa como eu - ou até como a própria menina, certo? E era exatamente por isso que eu temia. Me aproximei dela, segurei seu queixo e lhe beijei os lábios enquanto olhava no fundo dos seus olhos por alguns segundos e me perdia na infinidade de cores e possibilidades que existiam ali em seu universo particular. No meu universo particular.Se alguém lhe tirar do sério com isso, arregace suas mangas e desça a porrada nesse otário, está bem? — Meus métodos para a resolução de um problema são bem diferentes dos que a garota costuma tomar mas não muda o fato de que pessoas são idiotas e que fofocas, querendo ou não, tendem a machucar as pessoas envolvidas com histórias aumentadas e situações aos quais colocam em xeque a lealdade, honra e respeito daqueles que estão envolvidos. Não digo por mim mas falo principalmente pela filha de Arcus que é tão querida e amada no acampamento inteiro... Merda, eu sabia que isso iria acontecer. Me peguei pensando e então vesti a camisa preta por fim, suspirando pesadamente; era preciso me focar em outra coisa e essa coisa estava bem diante de mim, estalando a cada segundo que passa. — Eu irei chamar a matilha, vou estar te esperando lá na frente, tudo bem? — Sussurrei antes de passar por ela, envolver sua cintura em um abraço e roubar mais um beijo antes de assumir, de uma forma mais ou menos agradável, o posto de Alfa em uma alcateia - ainda que não fosse algo tão desgosto assim, só... Cansativo.

Mesmo no verão eu podia sentir o vento gélido do inverno e isso, sem dúvidas, devia ser alguma das sequelas deixadas por esta loucura criada após o sumiço do Tempo. As coisas tendem a piorar se não o encontramos logo. Fora o que eu pensei quando olhei para cima e vi o céu fechando, as nuvens de uma pesada tempestade se aproximando e se formando, escurecendo o céu de uma forma incrível; rápido, eu precisava ser rápido e torcia para que os outros também fossem. — Muito bem, está na hora. — Eu sussurrei para mim mesmo antes de respirar fundo, mudar o peso de uma perna para a outra e erguer a cabeça como se buscasse encontrar a lua por mais que as nuvens estivessem escondendo bem o astro celeste e, em meio ao silêncio do fim de tarde, o uivo cortou o ar. O chamado fora feito e refeito, sempre na direção da lua como tal fora me ensinado e as respostas vieram com um sorriso calmo porém ansioso; quem viria? O que esperariam quando me vissem? Como reagiriam? Então olhei para trás na esperança de encontrar Sun Hee mas a garota ainda estava dentro da hospedagem, não havia saído ainda. — Bom, estou por minha conta e risco. — Sussurrei antes de começar a ouvir os primeiros impactos de patas e notar que pelo menos três lobos atenderam o chamado - um filho de Marte mas que era grego, uma menina de Vulcano e um rapaz de Plutão foram aqueles que vieram, todos em suas formas lupinas e isso me fez dar um suspiro de agradecimento pela rapidez ao qual vieram até mim. — Alcateia. — Eu comecei, enquanto andava até os lobos postos em um semi-circulo e ficava na outra ponta deste círculo de forma que pudesse olhar para os três sem precisar virar o rosto e os três pudessem me ver sem fazer o mesmo. — Agradeço sua disposição para o chamado, sei que estão aqui para descansar e vocês merecem o momento de folga de vocês mas, como podem ver, a ilha precisa de nós. — Eu falei em um bom tom, firme e seguro enquanto retirava do bolso o relógio e o abria, conferindo as horas em ponteiros confusos e então o fechando assim que percebi que não conseguiria identificar o horário por este dispositivo. — O Senhor do Tempo está desaparecido. Seu sumiço está sendo o principal motivo para esta confusão climática em cada divisão da ilha e tudo que temos para o rastrear é este relógio de pulso. — Então me aproximei o suficiente para que a alcateia pudesse fungar o objeto com dada atenção, memorizando seu cheiro de uma forma eficiente e tornei a recuar alguns passos para guardar o objeto no bolso. — Somos quatro. Cada um ficará com uma divisória da ilha para investigação e, em caso de encontro do alvo ou necessidade de ajuda, uivem; chamem e eu estarei lá para os socorrer, fui claro? — E os latidos começaram, a determinação no olhar de cada lobo era, no mínimo, invejável e inspiradora ao mesmo tempo. Eu precisei de alguns segundos para me recompor e então olhar para os três com um  sorriso tão animado quanto seus espíritos. — Hoje a alcateia corre, irmãos. — Eu sussurrei antes de juntar os pés e me colocar em uma postura mais ereta, como um verdadeiro líder e abandonando o ar de risadas irônicas e sarcasmo que sempre estava presente em meu rosto. — Como uma família, protegemos aqueles que vem a nós mas também precisamos proteger àqueles que estão ao nosso redor. —  Eu disse antes de estalar o pescoço de novo, sentindo os dentes lupinos crescerem dentro de meus lábios e ameaçando rasgar os mesmos enquanto cresciam. — Hoje a alcateia corre para salvar aos que precisam de nós, a todos aqueles que estão nessa ilha e que são importantes a nós. — Sussurrei em um tom o suficiente para os lobos escutarem e então bati uma continência breve aos animais diante de mim com a determinação em meus olhos. — Semper fi, alcateia. — E após isso, os animais partiram em disparada, cada um partindo para uma estação diferente e eu finalmente relaxei meus ombros; o peso de três vidas estavam sobre mim e eu precisava lidar com isso naquela jornada. Me virei com calma, esquecendo momentaneamente da porta e ela estava ali, rindo para mim enquanto me olhava com um olhar de admiração e animação que me fez negar com a cabeça e começar a cair na risada. — Você não comece, viu? Não nasci para ser um líder mas eu vou tentar... Ser. Um Alfa prestativo, pelo menos. — Sussurrei antes de ver a filha de Arcus se aproximar com calma e isso fora o suficiente para me fazer erguer uma das sobrancelhas. — Por acaso você já teve a sorte de montar em um lobo gigante, Senhorita Hee? — Perguntei inicialmente antes abrir um sorriso calmo e usar da minha velocidade para me aproximar rápido da garota e lhe dar um beijo na testa. — Espero que goste da jornada, temos uma longa aventura pela frente e eu vou precisar de todos os meus sentidos para isso. — E me afastei correndo, para que a jovem não me visse naquele estado macabro e aterrorizante que me cercava sempre que eu estava para me transformar em lobo.

Em cinco minutos após sumir, voltei em um trote rápido e firme, parando na frente da jovem e sacudindo a pelugem cinza como meu humor característico. Eu não perdi a oportunidade de lhe lamber o rosto, eu sempre quis fazer isso só para ver a reação da jovem e confesso que estava me rachando de rir por dentro embora, por fora, eu apenas tenha abaixado o tronco sob minhas patas dianteiras para dar a Sun Hee a chance de subir.
 

Ask me again if i give a fuck


Última edição por Renly d'Alviano em Qui Jun 22, 2017 9:51 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Renly d'Alviano
Alfa dos Lycans
Alfa dos Lycans

Mensagens : 193
Data de inscrição : 09/02/2017
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Sumiço do tempo - Renly & Sun

Mensagem por Sun Hee em Ter Jun 06, 2017 10:43 pm

O sumiço do tempo

"Eottoke!? Cadê o tempo?"
Honestamente, eu estava achando aquela coisa toda muito engraçada. Embora estivéssemos a algum tempo juntos, para a maioria das pessoas era uma novidade assustadora. As fofocas não paravam de chegar ao meu ouvido e eu não conseguia conter minhas risadas a cada coisa nova que eu descobria que tinha – supostamente – feito.

Renly parecia se incomodar mais com isso, mas eu já estava terrivelmente acostumada com os comentários a meu respeito, antes eramque eu nunca tinha estado com ninguém, mesmo tendo pretendentes. Depois, foi porque eu havia ficado com uma grega e “Nossa! Sun Hee é lésbica! ”, depois veio o Renly e o frenesi das fofocas estava no seu máximo.

Fora isso, ainda tinham os garotos que não haviam perdido a esperança em começar algo comigo, parecia impossível explicar que eu não queria porque não e era só isso. Eram vários e vários “O que pode ter nele?”, “Como ela se envolveu com aquele garoto?”... Eram as ‘amigas’ me convencendo que ele não era um bom negócio e etc.

“Sorriam e acenem, rapazes!”

Eu lembrava da cena dos pinguins de Madagascar, um filme infantil que eu havia assistido com papai e seguia a risca um dos melhores conselhos que o cinema havia me dado. Ainda assim, eu e o garoto não tínhamos nos apresentado ao público como estávamos naquele momento.

Eu tentava diminuir o tamanho do sorriso cada vez que ele me beijava em público ou tocava nas minhas mãos, eu tentava não parecer uma criança indo para a Disney, mas acontece que não dava.

Quando entramos no quarto, a cara do Jean tombou de uma forma tão indiscreta que eu tive que pôr a mão no rosto para não rir da mesma maneira. Dei um tchau para o garoto e revirei os olhos, fixando-os no Renly. Claro que metade do colar em mim, me beijar na frente dos outros e etc, era um pequeno lado lupino marcando território. Eu ri disso e fui me ajeitar.
Renly ia buscar a matilha dele para nos seguir e eu, bem... achei muito engraçado o lado alfa dele. Embora o garoto tenha cuspido ordens o caminho inteiro, me fazendo rir enquanto deixava ele assumir sua postura pró-ativa.

Eu usava meus brincos, presentes da Pandora, feiticeira Grega que morava com a Pretora. Também meu colar, presente da Evie, que disfarçava minha presença. Peguei minha Katana, presente da Samanta... aquilo me lembrou uma lembrança divertida, mas tratei de apagar o sorriso e fiz uma careta ao imaginar que o Renly pudesse ter ciúmes daquilo, apesar de não parecer muito do feitio dele. Por fim, vesti uma roupa confortável- porque obviamente eu não tinha levado minha farda para um passeio – calcei meu tênis, coloquei meu relógio que virava escudo, a capa recebida do Renly... e fim, estava pronta para a missão.

Desci, para ouvir algo engraçado sobre montar em lobos e então me deparei com a forma lupina do Renly. Eu queria ter um pouco mais de maturidade, só mais um pouquinho já ajudava, mas eu não tinha não.

-Ai! Por Vênus, que coisa mais linda!

Eu me joguei em cima do lobo, logo após receber uma lambida no rosto, aquela pelagem cinza e fofinha, ai como eu amassei o lupino, abracei, amassei, beijei como se fosse um puppy, até que eu notei que isso era um pouco constrangedor para todo mundo e ri, me recompondo.

- Obrigada, querido, mas não se canse me carregando. – Não que eu acreditasse que 40kg ia fazer alguma diferença num cachorrão, digo, lobo daquele tamanho. Mas eu gostava de ir com o meu bebezinho Yokie.

Invoquei meu unicórnio e estava pronta para ir, esperando o Jean que apareceu esbaforido com uma meia suja e rasgada na mão.

- Temos fortes indícios que essa meia pertence ao senhor do tempo. – Ele comentou com a voz anasalada por tentar evitar respirar perto da meia.

Eu não sabia que tipo de indício era aquele, mas achei muito engraçada a ideia de dar aquilo para o Renly cheirar. Por isso apontei para o lobo e falei:

- Acredito que os lycans consigam rastrear pelo cheiro.

Esperei que os pobres lobos cheirassem a meia fedida para poder cair na gargalhada. Acontece que nada daquilo era necessário, como filha de uma deusa mensageira, eu tinha uma habilidade de rastrear objetos e seus donos, bastava estar próximo a um deles. Mas a parte de mim que ri das pessoas não pode resistir.

A princípio, provavelmente ninguém entenderia a minha crise de risos. A Sun ficou louca, seria seu provável pensamento, mas então tentei explicar que eles nunca precisaram cheirar a meia fedida e que eles só precisavam me seguir. Claro que o lobo filho de Marte já se espinhou logo, mas eu continuei rindo, como se o garoto fosse tão ameaçador quanto um puppy fofo.

Isso o deixou mais irritado, então eu me recuperei para não deixar o Renly em uma situação complicada, voei com a capa carregando o Jean que também ria descaradamente com a meia na mão. Ficamos fora de alcance, ainda chorando de tanto rir. Nos encontramos com o Yokie que estava chegando, meio ranzinza e não achando muito interessante carregar duas pessoas. Pedi que Renly  e os lupinos carregassem os dois outros legionários que estavam meio com medo dos lobos depois da minha brincadeira.

- Ah,vamos lá, Yokie, seja bonzinho. Fizemos uns lobos cheirarem umas meias fedidas. – Tenho certeza que Yokie relinchou rindo.

Eu ainda ria quando ativei minha habilidade, observando o objeto com cuidado e vendo o rastro de luz que se formava entre ele e o dono.

- Jean, pode ensacar esse troço fedorento. – Falei com um tom de nojo e ainda rindo enquanto voávamos. – Se segura em mim. – Falei puxando as mãos do garoto ara passar pela minha cintura e então segurei nas crinas do meu unicórnio alado e voamos na direção da luz que somente eu enxergava.

Não precisamos ir longe, para ser honesta, o senhor do tempo parecia estar embrenhado no meio da mata entre a primavera e o verão, num lugar florido que nevava e, portanto, as flores estavam mortas e congeladas.

Pedi para o Yokie descer aos poucos, então deixei o semideus no meu unicórnio pousando e segui num Vôo rasante com a capa, dei uma piscada para o lupino de Marte, sem que o Renly pudesse ver, só porque eu achei engraçado e segui o rastro de luz até a entrada da caverna.

Na caverna, um vapor com um cheiro tão desagradável quanto as meias do senhor do tempo, faziam meu estômago embrulhar. Coloquei os pés no chão e fiz uma careta, daria meu saquinho de balas por um poder de purificar o ar, ou um bom ar de flores do campo.
Yokie fez logo uma careta se negando a entrar, quem iria culpa-lo?

- Segunda coorte, formação. – Chamei, eu não entendia quem em sã consciência me obedeceria, mas os novatos formaram atrás de mim. Então prossegui. – Missão de reconhecimento, vou adentrar o recinto, aguardem do lado de fora, enviarei detalhes do local por mensagem de íris.

“Isso vale para você também, Renly.”

Apesar da agilidade e velocidade do Renly, eu era a pessoa mais indicada para entrar sem ser reconhecida, não só o colar de unicórnio apagava qualquer rastro meu, como minhas habilidades como filha da deusa do arco-íris poderiam me deixar invisível, foi o que fiz assim que comecei a entrar na caverna.

Adentrei o recinto sem grandes dificuldades, estava um pouco escuro, mas era possível perceber uma chama bruxuleante ao fim da caverna, além disso, o vapor fétido se tornava mais denso e era difícil aguentar. Eu já me preparava para o que havia de pior, mas nunca... certamente que nunca...  estaria preparada para o que eu vi.

A caverna abria-se numa gruta espaçosa, de um lado um grande caldeirão tapado de sujeira estava sobre uma fogueira imensa, a água de dentro parecia suja e borbulhava, liberando aquele cheiro horroroso, no chão várias carcaças de animais e algumas com um formato similar demais a um humano... tão similar que eu já estava desconfortável.


Sentada a observar o fogo, uma senhora de idade – com um sorriso forçado e amarelo – mpurrava um senhor do tempo muito apaixonado. A princípio, eu não entendi o que estava acontecendo ali e continuei sem entender, mas algo estava muito errado.

O senhor do tempo, apesar de parecer um pequenino papai Noel que não havia decidido em que estação estava, era fácil de reconhecer pela aura mágica característica de seres poderosos. No entanto, a aura da senhora era negra e eles estavam em um ambiente... bem, eu não chamaria de romântico.

Discretamente, criei um pequeno arco-íris e dele invoquei uma mensagem de íris para o Renly. Eles não podiam me me ver, portanto, usei o link telepático para me comunicar com o filho de Mercúrio e então deixei a cena se desenrolar.

“Façam silêncio e observem.”

O Senhor do tempo trocava juras de amor sem fim, falava das estações e de como os climas não pareciam certos sem a presença da amada, a amada – no entanto – parecia apenas impaciente pelo ponto certo da água suja na caldeira.

“Ela tem uma aura negra, nunca vi algo assim... É uma aura monstruosa, mas ela me parece bem normalzinha...”

Eu acabei me distraindo com a cena, e com as minhas observações mentais e acabei não reparando que meu arco-íris -– apesar de muito pequeno –  havia sido notado. Logo a mulher mostrou sua verdadeira face e a última imagem que apareceu na minha mensagem de íris, fora a da mulher deformada atacando a esmo na minha direção.


Graças a minha agilidade, consegui desviar para o lado e desfazer o arco-íris, mas a velha continuou a desferir ataques a esmo e para meu azar, seguia em minha direção. Eu estava encurralada entre os golpes aleatórios dela e a parede da caverna, prestes a revelar minha presença – oficialmente – por falta de alternativa, quando um conhecido frio me possuiu. Tudo ficou escuro e eu já não estava mais encurralada...

Poderes utilizados:
Passivos

Nível 1

Nome do poder: Paciência Gloriosa
Descrição: O filho da Deusa possui uma paciência inabalável, assim nenhum insulto o atingirá, nem mesmo dos filhos de Ares/Marte, e ele prosperará harmonia. Essa calmaria geralmente atinge o inimigo de uma maneira que pode fazer com que ele não queira atacar o filho de Iris/Arcus.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Por uma rodada o inimigo pode se sentir tão calmo, a ponto de hesitar em atacar. Atordoamento temporário.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Aparência inofensiva
Descrição: Por serem coloridos e muitas vezes fofos, os filhos da deusa mensageira aparentam ser inofensivos, isso faz com que o inimigo o subestime, podendo até ser ignorado pelo inimigo, se ele não for o alvo principal.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Por uma rodada o inimigo pode ignorá-lo ou perder um ataque para desdenhar da aparência do semideus.
Dano: Nenhum

Nível 2
Nome do poder: Flexibilidade Nata I
Descrição: Devido ao arco-íris está ligado as serpentes que se trançam no ar, os filhos de Íris/Arcus podem tornar-se flexíveis. O seu corpo parece moldar a lugares pequenos e suas agilidades podem aumentar. Isso faz com que se desviar dos inimigos, ou golpes seja mais fácil, pois ele se torna mais esquivo.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de chance de esquivar-se de um ataque.
Dano: Nenhum

Nível 4
Nome do poder: Envio de mensagens gratuitas
Descrição: Os semideuses que possuírem essa habilidade poderão mandar mensagens de Íris ilimitadas e gratuitas, sem a necessidade de pagamento. Pode ser utilizada para se informar com companheiros de missões, quanto para pessoas do outro lado do mundo.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Consegue criar mensagens sem pagamento desde que tenha um arco Iris.
Dano: Nenhum

Nível 5
Nome do poder: Mensagens Telepáticas I
Descrição: Os semideuses que possuírem essa habilidade poderão se comunicar com outros seres que possuam inteligência telepática em um mesmo ambiente que ele.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Consegue criar vínculos telepáticos com outros telepatas que estiverem no mesmo ambiente.
Dano: Nenhum

Nível 6
Nome do poder: Crepúsculo Iluminado I
Descrição: Este horário em específico, entre o dia e a noite, é quando o filho de Íris/Arcus se torna mais poderoso, duplicando sua agilidade, ao combinar essa habilidade com suas esquivas, ganhara um bônus de poder.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +10% em passivas de esquiva
Dano: Nenhum

Nível 9
Nome do poder: Sensibilidade
Descrição: Nesta habilidade, O semideus é capaz de visualizar a aura de outras pessoas. A aura observada por ele(a) muda de cor de acordo com seu estado psicológico, se aproximando das cores quentes para casos mais intensos e tendendo às cores frias em situações mais tranquilas. Dessa maneira o filho de Iris/Arcus pode descobrir como o adversário se sente, por exemplo, se está com raiva ou hesitando, o que lhe faz compreender melhor onde e como atacar, ou se esquivar.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +10% de chance de atacar um ponto critico
Dano: Nenhum

Nível 10
Nome do poder: Velocidade I
Descrição: O filho de Íris/Arcus pode se mover em uma velocidade fora do normal, chegando a quase se comparar a velocidade de um filho de Hermes/Mercúrio quando corre pelo o nível ser iniciante. Assim como o deus dos ladrões, sua mãe também é uma mensageira, e por isso é muito veloz, porém, os poderes dos semideuses são um pouco limitados.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de velocidade
Dano: Nenhum

Nível 22
Nome do poder: Agilidade I
Descrição: O filho de Íris/Arcus pode se mover em uma agilidade fora do normal. Assim como o deus dos ladrões, sua mãe também é uma mensageira, e por isso é ágil e se move com tanta graça, leveza e rapidez quanto um beija-flor, porém, os poderes dos semideuses ainda são um pouco limitados.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de esquiva
Dano: Nenhum

Ativos

Nível 13

Nome do poder: Gerador de arco-íris
Descrição: O semideus pode criar arco-íris para enviar mensagens, criar distrações ou enfeitar o dia, contudo esses arco-íris não poderão ser utilizados para habilidades de recuperar HP ou MP.
Gasto de Mp: 5 por arco-íris.
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum.

Nível 14
Nome do poder: Invisibilidade I
Descrição: Manipule as partículas e espectros da luz para se tornar invisível por uma rodada.
Gasto de Mp: 20
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 22
Nome do poder: O Buscador
Descrição: Já imaginou se Íris/Arcus perdesse suas correspondências? Não, não mesmo, por isso os filhos da deusa mensageira podem encontrar objetos perdidos ou os donos desses objetos, através dessa habilidade que cria um rastro luminoso visível apenas para os filhos da deusa que o guiam até o objeto ou o dono.
Gasto de Mp: 30
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum



"Só pra você, eu tenho os olhos e meu coração. Espero o teu sorriso e as tuas mãos, não esquece, o Sol renasce amanhã..."

Meu Sol - Vanguart

Como Estou





· · · · · · · · · · · ·


Quando estiver

triste... eu serei a

sua luz!
avatar
Sun Hee
Demônios de Nyx
Demônios de Nyx

Mensagens : 225
Data de inscrição : 08/01/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Sumiço do tempo - Renly & Sun

Mensagem por Renly d'Alviano em Dom Jun 11, 2017 4:35 pm



walk the line

Não é de hoje que eu acho engraçado a forma como as pessoas tendem a olhar para meu relacionamento com a filha de Arcus e, se antes muita gente não gostava disso, talvez fosse ainda mais bizarro ver um lobo gigante lamber o rosto da garota enquanto esta o apertava em um abraço carinhoso, certo? Para a alcateia já não era uma cena tão incomum justamente pelo fato de que nós, lobos, confiamos uns nos outros e sabemos bem o que se passa com nossos irmãos sem a necessidade que estes falem a respeito - seja pelo cheiro, pelo fator de estarmos ligados a um propósito acima de nós ou por termos todos um lado animal que nos conecta, o grupo tende a permanecer unido e agir sempre em conjunto. — Não me olhem assim, não tenho culpa se amo esta mulher. Ela me completa, é tudo que posso dizer. — Como lobos, somos privados de falar embora consigamos conversar através de uivos ou pensamentos e, de certa forma, fora bom ter esse dom ou a filha de Arcus saberia bem o que todos os outros estavam falando sobre nosso relacionamento e... Espera ai, Sun tem acesso a meus pensamentos, não é? Eu me peguei pensando como um estalar de dedos, olhando um tanto assustado para a garota que conversava com o legionário de mais cedo. Sun Hee teve acesso a minha mente para mandar aquela mensagem durante a manhã então, se ela podia fazer isso comigo, será que podia fazer com qualquer outra pessoa? Eu podia jurar que se estivesse na minha forma humana iria estar mais vermelho que um tomate de tanto pensar nessas coisas e no que a filha de Arcus poderia ou não saber sobre mim; céus, por que estou tão sem graça assim? Estamos juntos a um tempo, eu realmente gosto e amo a menina colorida... Não tem por que ter vergonha disso, não é mesmo?

Poucos segundos após a chegada de Jean e outros legionários, nos foi entregue uma meia com um odor nada agradável mas que, de alguma forma, nos ajudou a localizar o nosso alvo embora isso tenha arrancado uma gargalhada da filha de Arcus. Inicialmente eu imaginei que fosse pelo simples fato de que estávamos cheirando uma meia velha e suja mas conforme a mesma foi rindo, se contorcendo em sua risada, eu percebi que algo estava errado. Pense, Renly... Pense. Então me veio o pensamento ao mesmo tempo que Sun se adiantava para explicar, claro, somos filhos de mensageiros. Nós não precisamos disso para encontrar as coisas, merda, que genial! A brincadeira da garota me faria rir se eu estivesse sozinho mas, convenhamos, eu estava na liderança de uma alcateia naquele instante e não pude aproveitar muito deste pequeno momento de divertimento já que em instantes o filho de Ares manteve as costas arqueadas pronto para o bote e eu precisei me colocar entre eles - de preferência com o rosto virado para o lobo e lhe mostrei os dentes como um sinal claro para manter sua fúria controlada ou coisas piores poderiam acontecer. Somos uma família, educamos e cuidamos um dos outros para nos mantermos fortes e nem por isso significa que aceitaremos que nos desprezem sem motivos; para Sun Hee, dirigi um olhar que misturava raiva e serenidade com as de uma mãe que observava o filho agindo de forma escandalosa e malcriada em alguma loja só por não ganhar um brinquedo que não conseguiu. — Que isso não se repita, Sun. — Falei através dos pensamentos com a filha de Arcus, um pedido feito com todo o cuidado e carinho que eu podia para com ela sem perder a postura agressiva nos olhos ou a postura de liderança diante dos outros lobos mas adiantou? Não muito, devo dizer. Sun Hee subiu com Jean enquanto os outros dois continuavam olhando para nós com uma expressão de medo e insegurança em seus olhos. — Mataremos esse idiota em sua próxima missão, crianças. Acidentes de trabalho, certamente. — Comentei na mente de toda a alcateia antes de inclinar meu corpo e oferecer as costas para os dois legionários ali subirem já que os outros lobos não estavam com um humor tão amistoso graças a brincadeira sem graça feita pela minha namorada.

Quando se tem um corpo enorme e que, muito provavelmente, deva pesar acima de cento e cinquenta quilos, carregar dois humanos não era motivo de cansaço mas me deixava um pouco para trás o que, de certa forma, também não me era ruim. O Alfa sempre corre ao fundo da fila, olhos sempre em toda sua alcateia. Pensei comigo mesmo e, de fato, eu conseguia ter uma visão completa dos meus lobos de onde eu estava e isso era um tanto tranquilizador e confortável para mim; não deixaria que nenhum lobo se perdesse ou ficasse para trás, sempre apertando o passo atrás das criaturas enquanto me concentrava em medida igual para ouvir o bater das asas do unicórnio alado acima de nós e conforme este descia, eu diminuía a velocidade e o impacto que botava no solo com minhas patas para ir freando e manter um trote até estar apenas "andando" na direção de uma caverna. O cheiro estava forte e, por mais que incomodasse minhas narinas, mantive a expressão bestial de superior. Olhei para os lados, meus lobos não gostavam nada do que sentiam e eu me senti preocupado com estes mas ao ouvir a voz de Sun Hee, virei o focinho em sua direção no momento em que suas palavras chegaram em minha cabeça. Alguns aqui nem mesmo são da segunda coorte, somente eu... Me peguei pensando antes de arrastar a pata dianteira direita no solo para chamar a atenção de meus lobos. — Alcateia, ordem de espera. — Disse a eles em um latido baixo antes de voltar meu focinho para a caverna a tempo de acompanhar a descida de Sun Hee pelo caminho escuro com um aperto no meu peito. Sabe quando você tem a estranha sensação de que algo de errado vai acontecer? Estalei a língua gigante e rósea na boca, lambendo uma parte do focinho antes de espirar; esse cheiro estava me matando.

Os legionários estavam descendo de minhas costas quando recebemos a mensagem de Arcus com a imagem que Sun Hee nos permitia assistir: Um senhor velho e se declarando para outra senhorinha que, pela lógica, estava preparando um caldeirão de sopa enquanto sua carne para a receita continuava recitando poesias e juras de amor. Foi quase instintivo meu revirar de olhos junto de um negar de cabeça enquanto ela permanecia sussurrando sobre a aura da mulher mas eu notei rápido a aproximação da velha, mais rápido que Sun Hee que estava distraída com suas palavras e no momento em que a transmissão fora desfeita, me ergueu com um rosnado escapando dos lábios. — Lobos! Vamos descer! — Rosnei e lati para minha alcateia, chamando a atenção destes antes de descermos com mais rapidez que os outros legionários que estavam conosco. As passadas pesadas, o chão se afundando sob o peso de nossos corpos enquanto tudo se movia como um vulto. — Formação, alcateia! Quatro cavaleiros! — Ordenei na mente de cada lobo e quase como um só corpo, nos unimos em uma fila indiana onde o mais alto - e mais resistente - comandava os outros lobos de forma a esconder seus corpos atrás de sua figura e manter o elemento surpresa. Eu me encabecei por ser o mais velho, maior e também por estar sendo o Alfa daquela Alcateia; era minha responsabilidade manter aqueles lobos vivos e inteiros. Era meu dever salvar Sun Hee e ainda garantir a segurança dos outros.

A criatura apareceu diante de mim como se pronta para o bote e, tal qual ela, eu arqueei minhas costas e uivei sem ter motivos para me preocupar. O uivo fora mais para chamar a atenção toda para mim enquanto os lobos saíam pela minha lateral e o último saltava por cima de meu corpo para alcançar a velha distante de nós que até tentou lutar - suas garras cortaram o ar na direção do filho de Ares, rasgando a lateral do rosto do lobo enquanto tentava se proteger com encantos e magias mas era quase impossível; a força de combate girava ao redor da mulher com quatro lobos girando ao redor da criatura e atacando ela sempre no ponto cego de suas defesas, se aproveitando bem de suas brechas e destroçando sua carne podre com os dentes a cada mordida mas o grito que chamou minha atenção não fora o da velha ao ser devorada viva e sim o de algum semideus atrás de nós e eu virei a cabeça torcendo para não ser tarde demais. Um dos legionários tombava após o ataque de outra daquela bruxa e eu me perguntei como ela poderia estar em dois lugares ao mesmo tempo mas respostas como esta - complexas demais - podem esperar por um tempo. Meu corpo inteiro se inclinou para trás e tal, qual como eu, toda a alcateia uivou e trouxe ao campo de batalha lobos feitos de sombra para auxiliar os legionários com o combate e, ainda que a intenção fosse que continuássemos a descer, eu não poderia deixar que eles lutassem sozinhos. — Erick, Gabriela. — Não precisei concluir a frase, os lobos passaram por mim, cada um de um lado, e se juntaram aos outros semideuses no combate enquanto eu me virava de costas e encarava a figura negra que era o filho de Plutão diante de mim. — Nós vamos descer. Parabatai. — Disse em um rosnado antes de ver sua cabeça concordando e descemos ainda mais na caverna, eu ainda não havia encontrado Sun Hee e não sairia deste maldito lugar sem ela.
 

Ask me again if i give a fuck


Poderes utilizados:

PASSIVOS LUPINOS

NVL 10

☬ Manto Medonho II ~> A aura de medo que emana do Lycan agora bloqueia 50% de todo dano proveniente de poderes ou habilidades inimigos.
☬ Sadismo II ~> Ao ser ferido de qualquer forma, o Lycan recuperará 10 MP imediatamente. (1 vez a cada 3 turnos)

☬ Sombras Temerosas II ~> Ao ser coberto por sombras, a fera recuperará 5 HP imediatamente.

NVL 13

☬ Rugido Ameaçador II ~> Ao rugir na direção do inimigo, o mesmo perde a concentração por um turno. (1 vez a cada 2 turnos)

☬ O Cheiro da Presa II ~> O Lycan agora consegue farejar um inimigo a até 5 km de distância.

NVL 14

☬ Bark at the Moon II ~> Ao rugir na direção do céu noturno, três lobos de sombra são invocados para auxiliar o Lycan. Os lobos agora morrem com dois golpes, e seus ataques causam 15 de dano. (1 vez por transformação)

NVL 15

☬ Fúria Incontrolável III ~> Quando os Lycans correm, eles se tornam apenas borrões aos olhos dos inimigos. Eles agora tem a força de cinco semideuses juntos.

ATIVOS LUPINOS

NVL 12

☬ Selvageria Brutal II ~> Usando essa habilidade, os próximos três ataques do Lycan terão uma força mítica, que não poderá ser defendida, e cada um deles darão +10 de dano a mais do que normalmente dariam. Funciona apenas contra inimigos de nível 13 ou menor. (1 vez a cada 3 turnos) [20 MP]

☬ Rodeando a Presa II ~> O Lycan começa a rodear o inimigo lentamente, sem parar de rosnar, lentamente determinando uma área de medo. Caso o oponente não consiga sair daquele circulo no turno, o Lycan avançará contra ele num pulo veloz, usando de suas garras para cortá-lo, causando 40 de dano. (1 vez a cada 2 turnos) [30 MP]
avatar
Renly d'Alviano
Alfa dos Lycans
Alfa dos Lycans

Mensagens : 193
Data de inscrição : 09/02/2017
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Sumiço do tempo - Renly & Sun

Mensagem por Sun Hee em Dom Jun 11, 2017 6:39 pm

O sumiço do tempo

"Eottoke!? Cadê o tempo?"
Voltei a ficar visível, após o choque de viajar nas sombras. Meus olhos estavam fixos no rapaz que me encarava de volta. O rosto dele era pálido, seus olhos profundamente marcados com o ar sombrio e pesado da noite. de seu corpo saiam tentáculos negro que se moviam lentamente e de forma aleatória ao redor dele. Saquei minha espada, sainda encarando-o, a íris do garoto era negra e me engolfava, sua aura era inexistente e o seu rosto estava marcado na minha memória como uma cicatriz eterna.

- Não foi a atitude mais esperta que eu já vi, abrir um arco-íris numa caverna escura. – Ele falou descontraído, eu não respondi, apenas respirei fundo, observando-o. – Vamos lá, Sun, ambos sabemos que eu não ofereço nenhum risco a você.

E era verdade, pois ele já havia salvado a minha vida uma vez, seu nome era Nephis, um filho de Hécate e demônio de Nyx que havia me resgatado em Vancouver. Vancouver... De repente, as lembranças da morte da minha irmã bombardearam minha mente, me fazendo perceber que os traços tenebrosos do garoto causavam pesar e alívio, na minha memória, toda vez que eu acordava de mais um pesadelo com a Keena.

- O que você faz aqui? – Perguntei, por fim.

- A verdade ou uma mentira que soe menos estranho? - Retrucou.

Sons de batalha ao fundo, despertaram minha atenção, virei meu rosto em direção aos sons de rosnar, gritos e tilintar de metais. Estávamos ficando sem tempo, por isso, fechei uma expressão séria e o mandei adiantar a conversa.

- Estou te seguindo faz um tempo, Sun, eu sei o que se passa na sua mente agora, e queria te mostrar que não está só... e que pode confiar em nós. – Duvidei, o que ficou claro na minha expressão facial. – Você veio em busca do senhor do tempo, não é? Pelo que sei, ele está com as irmãs Baba Yaga.

Eu já ouvira sobre aquele mito, eram três velhas bruxas irmãs que viviam na floresta, mas não era certo se eram boas ou más, várias histórias diferentes as retratavam de uma maneira peculiar. E por mais que eu encontrasse sentido na velha cozinhando o senhor do tempo, duas questões estavam em aberto. A primeira: Por que o senhor do tempo estava apaixonado pelo monstro que ia cozinhá-lo? A segunda: Onde estavam as outras duas?

Como se entendesse o meu pensamento, o demônio de Nyx prosseguiu.

- Uma cria de Cupido estava praticando no bosque e acidentalmente acertou o senhor do tempo com uma de suas flechas, bem... notavelmente, a Baba Yaga foi a primeira criatura que o senhor viu depois disso... Essa foi uma das presas mais fáceis de capturar, apesar de ser pequena, deve ter carne o bastante para três senhoras. -ele parou, como se ponderasse se a refeição era o bastante mesmo.

Revirei os olhos e corri em direção a batalha, mas fui engolfada pelas sombras novamente eem um instante estávamos de volta ao salão principal, lado a lado e prontos para batalhar. Eu estava estranhamente me habituando à viajar nas sombras.

Do ponto onde estávamos, eu podia ver a matilha devorando uma das velhas, a outra causando alguns problemas para os legionários da segunda que pareciam mal posicionados, uma terceira vinha na nossa direção.
Meu primeiro instinto era proteger os legionários, eu confiava nas habilidades do demônio ao meu lado, para lidar com o primeiro ataque da velha.

Portanto, concentrei minha energia em possuir a mente do monstro que atacava a segunda, dois lobos haviam aparecido para ajudar, mas ainda assim, era minha responsabilidade. Primeiro, apaguei toda a luz na mente da Baba, para ela, nenhum fio de luz existia.

- O quê? – Ela se perguntou ao receber um ataque dos lobos, então eu fiz com que, em sua mente, um clarão de luz irrompesse em seus olhos, cegando-a.

Não pude deixar de esboçar um sorriso, ao perceber que a manipulação da luz havia sido bem-feita, o monstro estava perdido, procurando sinais da sua visão e sequer havia entendido como havia sido atacada.

- Segunda coorte, formação! Espalhar e atacar em sincronia. – Gritei aos meninos que atacavam desordenadamente, o que era aquilo? Tinham faltado as aulas de combate a monstro?

Para meu deleite, os legionários pararam de sentir medo. Ao notarem que o monstro estava cego, a confiança deles aumentou, seguiram minhas palavras de ordem e atacaram, conforme já havia sido treinado diversas vezes, abrindo um círculo ao redor do monstro e desferindo um ataque após o outro, sem deixar que a velha escapasse.

O ambiente não era o mais favorável para mim, ainda assim, eu não sentia medo ou sequer passou pela minha mente que eu corresse algum perigo, algo muito maior do que a morte vinha me assombrando nos últimos dias.
Mas algo inesperado, ocorreu...

De repente o clima ficou gelado, começou a nevar na caverna e estávamos sendo atacados por bonecos de neve. O senhor do tempo estava tentando proteger a Baba... Atrás de mim, tentáculos sombrios continham um monstro, eu precisava de uma estratégia um pouco mais eficaz, infelizmente... Não podíamos lutar com as Babas e o clima, a temperatura caía, minha respiração formava um vapor e eu usava roupas primaveris.

Os lobos seriam os menos afetados, mesmo assim...

- Larguem essas donzelas, seus infames! – Bradava o senhor do tempo.

Girei e corri no sentido da velha que Nephis continha, corri pela lateral com minha super velocidade e atingi um de seus braços com minha Katana. Corri de volta para o lado do demônio que acabara de me salvar de um contra-ataque com seus tentáculos negros.

- Me leve até ele. – Falei alto para Nephis, apontando o senhor do tempo.

O garoto não questionou, logo as sombras me engolfaram novamente e lá estávamos na frente do senhor do tempo. Fingi inocência para me aproximar, sem que ele me repelisse no primeiro instante.

- Precisamos salvá-las, Senhor do tempo, o que faremos?

Claramente, ele não havia visto nenhum dos meus ataques, pois eu estava distante. Além disso, eu disfarçava o som da minha voz, tornando-o um pouco mais agudo para incrementar a minha aparência inofensiva.

- Vamos atacar esses monstros lupinos! – Ele bradou.

Finito... ele havia me dado a brecha que eu precisava para me aproximar. Tínhamos quase o mesmo tamanho, portanto foi fácil fixar meus olhos nos dele, o senhor me fitou primeiro confuso, em seguida manipulei a luz para que esta se concentrasse no meu rosto, tornando-o muito visível apesar da pouca luz ambiente.

O senhor do tempo estava prestes a questionar minhas atitudes, quando eu comecei a alterar as cores da minha íris, num padrão hipnotizante. Normalmente, talvez aquilo não o afetasse por ser um ser poderoso. Contudo, sua mente já estava danificada pelo efeito da flecha do filho de Cupido e a boba confiança que ele depositara em mim por causa da minha aparência, também o faria vacilar, sem pensar em me repelir imediatamente.

- Recolha o inverno e durma. – Disse a ele, minha voz possuía um tom sedutor para tornar a ordem ainda mais forte.
Ele franziu as sobrancelhas, mas não me intimidei, mantive o padrão de íris se alterando e o olhar fixo, até que ele devolveu a temperatura primaveril ao ambiente – que derreteu os monstros de neve – e fechou os olhos aos poucos.

Aquilo havia me cansado, quase caí de joelho sobre o corpo sonolento, mas Nephis me apoiou com um sorriso que parecia esboçar orgulho. Eu o fitei por alguns segundos, então comandei os legionários, mesmo de costas.

- Legião, ataque em formação de flecha! – A Baba que eles atacavam estava caída, a terceira tentava fugir, mas não iria. Não se dependesse de mim. Com o pouco de força que me restava, criei uma mão de plasma colorido e segurei o monstro pelo pé, enquanto a segunda coorte avançava, Jean na frente e os demais alinhados, formando uma flecha. Provavelmente, os lobos também atacariam, pois, sua primeira presa já havia sido destruída, bem como eles haviam derrotados vários monstros de neve.

- Como você sabia tudo o que me disse se estava me seguindo? – Questionei o demônio, desconfiada. Uma de minhas mãos sustentava a magia de plasma, a outra se apoiava no corpo do demônio.

- Sun, diferente dos demais deuses, Nyx não nos deixa desprotegidos numa batalha, lutando às cegas, sem saber se vamos viver até o fim do dia. Melhor do que ninguém, você sabe o que acontece quando entramos em uma batalha sem ter conhecimento do inimigo. – ele pausou e olhou de soslaio para a batalha. – Sun, seu monstro foi abatido.

O garoto me falou assim que a última Baba havia virado pó dourado, dispensando o uso da minha garra de plasma. Desfiz a garra de plasma, liberando a energia luminosa. Meu corpo malmente sustentava a si mesmo, vários tentáculos me sustentavam em pé, enquanto o garoto me observava com alguma empolgação.

- Sun, você sabe como entrar em contato comigo, a final, você é uma cria de Arcus. Agora, eu dispenso a companhia do seu lupino, pense, garota, o que os deuses nos oferecem além de morte? Pare de perder tempo por quem não valoriza sua vida.

Dito isso, meu corpo perdeu o sustento e desabou no chão, parte cansaço, parte por uma profunda ferida que havia sido aberta pela presença de Nephis. Eu observava o escuro fétido do ambiente, quebrada por dentro. Senti os braços de Renly envolverem o meu corpo, sua voz ecoou no meu ouvido, mas o que ele disse ficou perdido no ambiente, meu corpo se distanciou do chão, ele me carregou dali.

Mantive a expressão apática até o lado de fora, onde a luz do sol, fez meu corpo voltar a sentir algum prazer em existir. Ajustei-me, levantei e minha capa manteve o meu corpo em pé, sustentando-me num voo rasante.

“Melhor do que ninguém, você sabe o que acontece quando entramos em uma batalha sem ter conhecimento do inimigo.”

Várias coisas ecoavam na minha mente, as afastei por um momento e assumi uma postura séria e incomum. Alguns dos legionários estavam feridos, alguns lupinos também tinham escoriações e alguns cortes, mas ninguém parecia gravemente ferido.

- Yokie. – Sumonei meu unicórnio através do brinco. O animal colorido apareceu, mantinha uma postura altiva e orgulhosa, mas seus olhos transpareceram seu súbito entendimento do meu estado. – Leve Jean e a Alexia para a segunda coorte.

Alexia parecia ter sido a legionária mais ferida, por isso a designei para ir com Jean, ninguém se opôs ao comando. Nem mesmo Yokie, que diferente do habitual, abaixou-se para receber os dois semideuses sem hesitar.

- Legionários, devolvam o senhor do tempo para a enfermaria, ele foi atingido acidentalmente por uma flecha de Cupido, não tenho noção de como estará ao acordar. Lycans, obrigada.

“Não me siga.”

Disse mentalmente ao Renly antes de levantar voo com a capa, me dirigindo para Nova Roma, ou melhor sendo levada pela capa até lá. Não havia propósito em conversar com Renly naquele momento. Fingir que estava tudo bem para os demais, era fácil, mas para ele não era. Naquele momento, eu precisava de um banho quente e pensar, repetir outra vez e mais outra, as palavras de Nephis, até que elas se esgotassem ou eu desmaiasse de cansaço e um profundo pesar que insistia em possuir meu coração.

As coisas não eram as mesmas, não mais.


Poderes utilizados:
Passivos

Nível 1

Nome do poder: Paciência Gloriosa
Descrição: O filho da Deusa possui uma paciência inabalável, assim nenhum insulto o atingirá, nem mesmo dos filhos de Ares/Marte, e ele prosperará harmonia. Essa calmaria geralmente atinge o inimigo de uma maneira que pode fazer com que ele não queira atacar o filho de Iris/Arcus.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Por uma rodada o inimigo pode se sentir tão calmo, a ponto de hesitar em atacar. Atordoamento temporário.
Dano: Nenhum

Nome do poder: Aparência inofensiva
Descrição: Por serem coloridos e muitas vezes fofos, os filhos da deusa mensageira aparentam ser inofensivos, isso faz com que o inimigo o subestime, podendo até ser ignorado pelo inimigo, se ele não for o alvo principal.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Por uma rodada o inimigo pode ignorá-lo ou perder um ataque para desdenhar da aparência do semideus.
Dano: Nenhum

Nível 2
Nome do poder: Flexibilidade Nata I
Descrição: Devido ao arco-íris está ligado as serpentes que se trançam no ar, os filhos de Íris/Arcus podem tornar-se flexíveis. O seu corpo parece moldar a lugares pequenos e suas agilidades podem aumentar. Isso faz com que se desviar dos inimigos, ou golpes seja mais fácil, pois ele se torna mais esquivo.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de chance de esquivar-se de um ataque.
Dano: Nenhum


Nível 5
Nome do poder: Mensagens Telepáticas I
Descrição: Os semideuses que possuírem essa habilidade poderão se comunicar com outros seres que possuam inteligência telepática em um mesmo ambiente que ele.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Consegue criar vínculos telepáticos com outros telepatas que estiverem no mesmo ambiente.
Dano: Nenhum

Nível 6
Nome do poder: Crepúsculo Iluminado I
Descrição: Este horário em específico, entre o dia e a noite, é quando o filho de Íris/Arcus se torna mais poderoso, duplicando sua agilidade, ao combinar essa habilidade com suas esquivas, ganhara um bônus de poder.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +10% em passivas de esquiva
Dano: Nenhum

Nível 9
Nome do poder: Sensibilidade
Descrição: Nesta habilidade, O semideus é capaz de visualizar a aura de outras pessoas. A aura observada por ele(a) muda de cor de acordo com seu estado psicológico, se aproximando das cores quentes para casos mais intensos e tendendo às cores frias em situações mais tranquilas. Dessa maneira o filho de Iris/Arcus pode descobrir como o adversário se sente, por exemplo, se está com raiva ou hesitando, o que lhe faz compreender melhor onde e como atacar, ou se esquivar.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +10% de chance de atacar um ponto critico
Dano: Nenhum

Nível 10
Nome do poder: Velocidade I
Descrição: O filho de Íris/Arcus pode se mover em uma velocidade fora do normal, chegando a quase se comparar a velocidade de um filho de Hermes/Mercúrio quando corre pelo o nível ser iniciante. Assim como o deus dos ladrões, sua mãe também é uma mensageira, e por isso é muito veloz, porém, os poderes dos semideuses são um pouco limitados.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de velocidade
Dano: Nenhum

Nível 22
Nome do poder: Agilidade I
Descrição: O filho de Íris/Arcus pode se mover em uma agilidade fora do normal. Assim como o deus dos ladrões, sua mãe também é uma mensageira, e por isso é ágil e se move com tanta graça, leveza e rapidez quanto um beija-flor, porém, os poderes dos semideuses ainda são um pouco limitados.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de esquiva
Dano: Nenhum

Ativos

Nível 7

Nome do poder: Luz no caminho
Descrição: Você se torna capaz de emitir um brilho intenso, que lhe permite iluminar o caminho .
Gasto de Mp: 20
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 8
Nome do poder: Crepúsculo sombrio
Descrição: Pode fazer com que na mente de oponente tudo fique escuro, como se ele imaginasse que um eclipse estivesse acontecendo, mas, no mesmo instante um forte clarão surgirá, fazendo com que fique com uma dor nos olhos intensa, levando-o a cegueira. .
Gasto de Mp: 30
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 18
Nome do poder: Criações de Plasma II
Descrição: Capaz de criar mãos, pés, chicotes ou garras de plasma multi-colorido. Duração de 3 turno.
Gasto de Mp: 30
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum

Nível 20
Nome do poder: Íris hipnotizante
Descrição: Um filho de Íris/Arcus pode mudar a cor de sua íris em padrões alucinantes e com essa habilidade, adversários suscetíveis, poderão ser hipnotizados pelo semideus para cumprir uma ordem. Duração: 1 turno.
Gasto de Mp: 30
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum



"Só pra você, eu tenho os olhos e meu coração. Espero o teu sorriso e as tuas mãos, não esquece, o Sol renasce amanhã..."

Meu Sol - Vanguart


Como Estou




· · · · · · · · · · · ·


Quando estiver

triste... eu serei a

sua luz!
avatar
Sun Hee
Demônios de Nyx
Demônios de Nyx

Mensagens : 225
Data de inscrição : 08/01/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Sumiço do tempo - Renly & Sun

Mensagem por Renly d'Alviano em Seg Jun 12, 2017 3:21 pm



walk the line

Em qualquer outro momento, não ter uma noção do que ocorre no meu lado esquerdo poderia ser um problema mais a confiança e o respeito que eu tinha para com os lobos era algo que, de certa forma, vinha a me inspirar em momentos de combate como este onde um passo em falso pode custar a vida devido a curta distância para a manobra de combate para um ser humano. Então imagine para nós que somos lobos e somos gigantes. Me peguei pensando enquanto seguia com as costas levemente arqueadas e o rosnado escapando da boca como um aviso antecipado do confronto que estava para acontecer; eu estava preparado para isso, preparado e ansioso para fechar minhas mandíbulas no pescoço daquela velha - principalmente se tivesse ferido a filha de Arcus ou qualquer coisa desse tipo. Tamanha minha concentração que eu demorei a entender os sinais do outro lobo que me chamava para uma fonte de cheiro bem familiar ao de minha namorada e ao fungar por ali eu percebi a localização de três novos cheiros. — Mais alguém passou por aqui, o cheiro não bate com o da velha e nem mesmo com o do nosso alvo. — Informei ao lobo diretamente em sua mente, erguendo a cabeça para tentar localizar o cheiro do rapaz mas a distância estava quase no meu limite de alcance e a localização estava confusa demais. — Eu preciso... Só de mais um pouco... — Estava quase conseguindo achar a localização de Sun e do cheiro distinto que localizamos quando, de repente, o cheiro se intensificou e se tornou bem mais próximo, arrancando um latido de mim antes de partir com o lobo negro caminho acima para encontrarmos a legionária e o nosso visitante misterioso.

De imediato eu escutei sua voz, pude sentir meus lábios se puxarem em um sorriso enquanto meu próprio corpo parecia se fazer passar por apenas um vulto em direção da segunda velha que os outros estavam muito perto de matar mas o frio - ah, o frio... Este nos atingiu como um soco despreparado e me deixou um pouco receoso enquanto eu observava o gelo se formar como se uma tempestade de neve estivesse vindo mais ao fundo. — Alcateia, recuar! Vamos levar os feridos para longe do frio! — Em prontidão, Gabriela e Nicholas correram para pegar os semideuses ali e os carregarem em seus dentes - sem os ferir - até próximo da entrada da caverna e quando eles voltaram, eu senti a determinação encher meu peito. — Avançar em marcha lenta, formação de lua nova. — A marcha lenta era um sinal de um trote rápido, forte o suficiente para manter nosso pique mas não em velocidade sanguinária a ponto de nos fazer sumir da vista de um alvo... Ou pelo era essa a intenção da marcha enquanto a formação de lua nova significa que os lobos se misturam as sombras ao redor de um único que serve de isca e esperam pelo momento certo para atacar como uma verdadeira unidade massiva de destruição. Novamente, tomei para mim a responsabilidade atravessar a ventania fria e castigada sozinho enquanto meus lobos davam a volta para pegar o alvo pelos flancos e pela retaguarda mas a visão que tive quando me aproximei fora um tanto estranha.

Em meio a tanta neve, pude enxergar a figura de Sun Hee falando com um senhor bem pequeno que, realmente, parecia uma espécie de Papai Noel como nos fora explicado mas o rapaz parado ali não fazia parte do grupo encarregado daquela missão; não, havia algo mais profundo nele do que eu imaginei e senti inicialmente. Eu podia sentir seu cheiro com mais clareza agora e a forma como isso chegava para mim era quase... — Infernal. — Eu sussurrei sem me comunicar com os lobos, rosnando baixinho e sentindo o vento gélido acertar a lateral do meu corpo após o ataque de um monstro de neve e o uivo fora alto o suficiente para ecoar por toda a caverna enquanto os lobos e eu partíamos para cima dos bonecos e destruíamos seus corpos - mesmo que eles se reconstruísse depois de um tempo mas, convenhamos, era esse pouco tempo entre um boneco morto e um novo surgir que nos permitia continuar avançando em direção do nosso alvo e me permitia chegar ainda mais perto de Sun e do estranho garoto com cheiro de inferno. — Direita, lua minguante! — Exclamei com um rosnado e então rugi contra o monstro em minha frente enquanto a alcateia formava um giro completo em torno do boneco e o atacava pelas laterais e costas em um ataque que seguia em sentido horário até terminar em mim e eu simplesmente o estourei após saltar por dentro deste e continuar correndo na neve.

Aos poucos a neve fora retrocedendo e a visão do velho caído me chamou a atenção, Sunny conseguira vencer o homem? Ele estava morto? O que havia acontecido? As perguntas explodiam dentro da minha cabeça mas o grito, aquela reclamação para ser solta fora o que chamou nossas atenções e com a bruxa presa - e quatro lobos famintos, ensandecidos por um abate, bom... Acho que você pode pensar que ela não durou muito tempo por que, realmente, ela não durou. Meu corpo peludo saltou por cima da criatura enquanto ela era mastigada pelos outros e pouco antes de encostar o solo eu voltei minha forma para o estado humano, seguindo em velocidade até onde a filha de Arcus estava desmaiada. — Amor? Sun, estou aqui! — Eu chamei antes de pegar sua mão, olhando em seus olhos perdidos em pensamentos e logo a ergui o suficiente para encostar a cabeça em seu peito e verificar sua respiração. — Respira bem mas está perdida, merda! — Rosnei antes de erguer minha cabeça e reparar nos três lobos que me olhavam - dois com uma cara de preocupação enquanto o castanho, que por sinal era o rapaz de Marte, olhava com um pouco de divertimento e isso fez meus olhos se acenderem de novo. — Não ouse olhar assim para ela, ouviu bem? — Então houve um momento de silêncio enquanto este recuava um passo e eu me colocava de pé, jogando a filha de Arcus em minhas costas. — Gabi, leve o Senhor do Tempo. Erick, Nick — Chamei os rapazes que me olharam no momento em que a lupina fora buscar o nosso protegido. — Vão na frente, avisem ao pessoal que vencemos e, mais uma vez, obrigado. Obrigado a todos vocês. — O garoto de Marte fizera apenas uma menção com a cabeça, correndo e encostando sua pata gigante em meu ombro antes de correr até o início da caverna mas fora Nicholas quem nos oferecera uma carona para chegar mais rápido ao topo enquanto Gabi corria a nossa frente com um senhor em suas costas.

Uma vez que o sol começou a tocar nossos corpos, Sun Hee voltou a dar sinais de vida e eu me aproximei só para beijar seus lábios enquanto ela parecia ainda perdida e distante - algo que logo chamou minha atenção. Eu ergui minhas sobrancelhas assim que a garota começou a designar coisas para os outros e nem mesmo seu unicórnio escapara das ordens, algo que, para mim, parecia diferente e um tanto divertido de se ver naquela figura pequena e fofinha que era a filha de Arcus mas por trás daqueles olhos... Havia algo quebrado, algo que voltou a se partir e nós dois sabíamos bem disso já que, antes que eu pudesse falar, ela sussurrou em minha mente e isso me fez respirar de forma mais pesada enquanto ela simplesmente voava para longe. "Alfa? O que faremos?" Nicholas perguntou dentro de minha mente e eu me vi suspirando antes de olhar para o restante dos legionários que ficaram por ali. — Levem os legionários e o Senhor do tempo para a enfermaria e, assim como Sun Hee disse, obrigado. Perdoem a forma como a filha de Arcus agiu, ela não tem se sentido bem desde... Desde a visita dos mortos. — E foi possível ver a compreensão no olhar de cada um ali que, em silêncio - ou pelo menos o máximo que as passadas dos lobos permitiam - partiram para a enfermaria mais próxima e eu me vi sozinho por um tempo.

Meus olhos subiram, encontraram a lua que começou a surgir acima de mim e iluminava a floresta por entre as árvores. Eu estava confuso, sabia que ela estava precisando de mim mas, de forma igual, Sun Hee era uma menina que precisava de um tempo para si também e, no fim, me rendi a um suspiro pesado antes de voltar a me transformar em lobo e correr. Fazer os relatórios, entregar as fichas e voltar para o acampamento. Esta era a lista de coisas que eu tinha para fazer naquele momento mas, ainda sim, era tanta coisa; talvez tempo o suficiente para Sunny aproveitar sua tristeza antes que eu chegasse para entender o que havia acontecido, não? Pelo menos era nisso que eu esperava...
 

Ask me again if i give a fuck


Poderes utilizados:

PASSIVOS LUPINOS

NVL 10

☬ Manto Medonho II ~> A aura de medo que emana do Lycan agora bloqueia 50% de todo dano proveniente de poderes ou habilidades inimigos.
☬ Sadismo II ~> Ao ser ferido de qualquer forma, o Lycan recuperará 10 MP imediatamente. (1 vez a cada 3 turnos)

☬ Sombras Temerosas II ~> Ao ser coberto por sombras, a fera recuperará 5 HP imediatamente.

NVL 13

☬ Rugido Ameaçador II ~> Ao rugir na direção do inimigo, o mesmo perde a concentração por um turno. (1 vez a cada 2 turnos)

☬ O Cheiro da Presa II ~> O Lycan agora consegue farejar um inimigo a até 5 km de distância.

NVL 14

☬ Bark at the Moon II ~> Ao rugir na direção do céu noturno, três lobos de sombra são invocados para auxiliar o Lycan. Os lobos agora morrem com dois golpes, e seus ataques causam 15 de dano. (1 vez por transformação)

NVL 15

☬ Fúria Incontrolável III ~> Quando os Lycans correm, eles se tornam apenas borrões aos olhos dos inimigos. Eles agora tem a força de cinco semideuses juntos.

ATIVOS LUPINOS

NVL 12

☬ Selvageria Brutal II ~> Usando essa habilidade, os próximos três ataques do Lycan terão uma força mítica, que não poderá ser defendida, e cada um deles darão +10 de dano a mais do que normalmente dariam. Funciona apenas contra inimigos de nível 13 ou menor. (1 vez a cada 3 turnos) [20 MP]

☬ Rodeando a Presa II ~> O Lycan começa a rodear o inimigo lentamente, sem parar de rosnar, lentamente determinando uma área de medo. Caso o oponente não consiga sair daquele circulo no turno, o Lycan avançará contra ele num pulo veloz, usando de suas garras para cortá-lo, causando 40 de dano. (1 vez a cada 2 turnos) [30 MP]
Bônus:
Gostaria de deixar avisado aqui que o meu multiplicador de xp está ativo segundo a atualização feita aqui.
avatar
Renly d'Alviano
Alfa dos Lycans
Alfa dos Lycans

Mensagens : 193
Data de inscrição : 09/02/2017
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Sumiço do tempo - Renly & Sun

Mensagem por Vênus em Qui Jun 29, 2017 2:42 pm

Avaliados
Renly: 7.500 (x3) = 22.500 + 5.000 dracmas + 2 flores, 2 gotas, 2 flocos, 2 folhas.
Conquistou a liderança dos Lycans de Phobos!
Sun Hee: 9.000 + 5.000 dracmas + 2 flores, 2 gotas, 2 flocos, 2 folhas.

Queria dizer que está me doendo o coração descontar a pontuação de vocês com um enredo tão perfeito, mas regra são regras certo? Crianças estou fascinada! Eu amei a história, amei a forma como vocês desenvolveram e a interação de vocês, muitas vezes quando pego coisas em dupla para ler acho maçante, porque nem todo mundo consegue desenvolver um enredo tão bom sem tornar alguma parte cansativa ou chata, mas vocês conseguiram! E isso foi simplesmente fantástico, estou encantada com ambos. Eu não tenho muito a ressaltar aos erros de vocês, eu achei poucas palavras trocadas ou faltando letras no texto de Sun Hee, assim como encontrei algumas frases com virgulas de menos (faltando), mas nada no texto de Renly. Contudo, dada a punição de 25% do xp sendo retirada pela falta de atenção referente a doença do tempo, não acho justo puni-los por mais erros, e dou a recompensa máxima que me era permitido a vocês dois. Parabéns!


Vênus, love's lady
..
diva, déesse de l'amour et de la beauté
avatar
Vênus
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 1191
Data de inscrição : 16/05/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Sumiço do tempo - Renly & Sun

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum