The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Quando o Passado Revive - Elyse D'Ávila

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Quando o Passado Revive - Elyse D'Ávila

Mensagem por Elyse D'Ávila em Sab Maio 27, 2017 4:17 am


Evento

Quando o Passado Revive.

Não havia muito tempo desde que comecei a perceber acontecimentos estranhos ao meu redor, como se estivessem querendo enviar uma mensagem, mas não deixava claro o que era e nem de quem era originada a tal mensagem. Enquanto passeava pelo Acampamento Meio-Sangue vi alguns outros campistas se queixarem de visões ou até mesmo vozes falando a mesma coisa.

O tempo se passou, e os sinais foram ficando mais fortes. Entretanto, naquela noite chuvosa de domingo, eu havia recebido um telefonema. Quando atendi, mal pude acreditar no que ouvi.

— Minha filha... — A voz pausou, o que causou um suspense. Eu sabia, sabia de quem era aquela voz. A minha madrasta e aparentemente ela estava em apuros. — Me ajude!

Meu coração acelerou e eu não sabia mais o que fazer ou falar. Eu estava em choque e os trovões ecoavam lá fora, o que deixava o clima com ainda mais suspense. Rapidamente umedeci os lábios e pus-me de pé ao lado da minha cama, torcendo para não acordar os poucos irmãos que eu tinha presentes ali no chalé.

— Mãe?! Onde você está? — Perguntei, desesperada enquanto botava uma mecha atrás da orelha. — O que está acontecendo?

— Eu... eu não tenho tempo para explicar, querida... — Explicou e então começou a tossir. — Me encontre na nossa antiga casa e... vá sozinha!

O telefone desligou e então um silêncio incomodante tomou conta do local. Tudo o que eu pensava era em ir chamar a Samanta, mas... Minha madrasta poderia estar correndo perigo de vida e se eu fosse acompanhada talvez isso causasse a sua morte. Ela era uma pessoa extremamente importante para mim e bem, perdê-la me destruiria.

Havia algo que a Samanta tinha me ensinado meados a um bate-papo nosso que era usar a carruagem da danação, que basicamente era um táxi para semideuses irem aos seus destinos de maneira rápida e prática. Portanto, assim que cheguei à fronteira do Acampamento Meio-Sangue, saquei um dracma do bolso e arremessei no chão e minutos depois, através de uma poça negra e aparentemente melosa surgiu um táxi esquisito com três senhoras dentro.

— Entre! — A que segurava a direção ordenou, e assim o fiz. — Para onde?

— Minha casa. — Respondi e todas as três me olharam ao mesmo tempo. — VAI, EU EXPLICO NO CAMINHO.

Não tinha como dizer o endereço do local corretamente, afinal, a minha antiga casa era no meio do nada. Demorou apenas algumas horas para chegarmos lá e nesse meio tempo eu estava rezando para a minha mãe para que nada de ruim tivesse acontecido à minha madrasta. Porém, uma sensação horrível em meu peito dizia o contrário. Talvez algo de ruim já tivesse acontecido.

Estrategicamente, eu estava usando uma bota. Não seria nada fácil andar por aquele campo cheio de lama sem uma bota. Nada agradável também. Obviamente, eu corri até a minha casa de maneira desesperada debaixo daquela chuva maçante que molhou todo o meu corpo em questão de segundos, juntamente com o meu cabelo que de ruivo, passou a ter uma tonalidade preta. Infelizmente, o meu lar não estava nada equiparado a maneira que eu o havia deixado pela última vez. Pelo contrário, estava toda destruída e rodeada de escombros. Isso talvez havia sido causado pelo próprio Minotauro em seu estado de fúria por ter me deixado escapar.

Assim que cheguei lá, encontrei a minha madrasta encostada em uma das paredes em posição fetal e abraçada às suas pernas.

— Mãe? — Chamei-a baixinho. Sim, eu a chamava de mãe, afinal era isso que ela era para mim porque sempre esteve presente desde que eu me recorde.

— Minha filha! — Ela levantou-se e num instante estava comigo em seus braços. — Eu te amo tanto! Me desculpe, eu tentei o máximo que eu pude.

Ela começou a falar rapidamente e sem parar, eu já estava começando a entrar em desespero achando que tinha acontecido algo com o meu pai. Tentei manter a calma respirando controladamente e segurei-a firmemente.

— Mãe, o que aconteceu? — Minha voz era trêmula, apesar de todo o controle. — Papai está bem?

Ela assentiu com a cabeça, confirmando. Aquilo foi um alívio para meu coração. Entretanto, havia um semblante diferente em torno dela. Definitivamente havia algo de errado.

— Filha... Eu... Eu estou morta.

Aquelas palavras... Aquelas palavras... Novamente um silêncio duradouro prostrou-se sobre a nossa conversa e lágrimas vieram aos meus olhos e acabaram se misturando com as pesadas gotas de chuva.

— Eu não tenho muito tempo... — Antes que ela continuasse, eu a abracei e desabei em choro. — Eu fui traga dos mortos por algum tipo de poder e agora algo maligno está vindo me buscar de volta para o submundo, querida.

— M-mas mãe... — Falava entre soluços enquanto escondia o rosto em seu pescoço.

— Shhh... Seu pai corre perigo, querida. — Ela acariciava o meu cabelo molhado. — Ele foi raptado e está sendo guardado por monstros. É uma isca. Não vá desacompanhada atrás dele, por favor.

Era muita coisa para processar naquele instante. Tudo o que eu queria era abraça-la ali para sempre. Mas, eu sabia que não podia. Logo algo viria buscá-la e o pior de tudo, eu teria de qualquer forma – mesmo que pudesse livrá-la daquele destino horrível – que abandoná-la para ir salvar o meu pai. A única coisa que eu podia fazer era amenizar a situação. E definitivamente, é algo que eu farei por ela.

CONSIDERAÇÕES:
Eu não expliquei o porquê da casa no campo ser importante para a Elyse porque ela já sabe disso, e já está escrito na ficha dela para ser reclamada. Um breve resumo: Elyse é uma garota camponesa que não conheceu nada até os dezoito anos de idade, ou seja, ela viveu nessa casa por todo esse tempo até um minotauro a atacar e ela ser obrigada a ser levada ao Acampamento Meio-Sangue.

Citei que o pai da Elyse havia sido raptado para que pudesse fazer da postagem do aniversário do B.O. uma continuação deste evento. Ou seja, lá irei tentar salvar o meu pai enquanto descubro que sou Legado e me tornarei curandeira de Asclépio.

Legenda:

✧ FALAS DA ELYSE
✧ FALAS DA MADRASTA
✧ FALAS DAS IRMÃS CINZENTAS

avatar
Elyse D'Ávila
Líder dos Curandeiros
Líder dos Curandeiros

Mensagens : 151
Data de inscrição : 28/04/2017
Idade : 18
Localização : Acampamento Meio-Sangue.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quando o Passado Revive - Elyse D'Ávila

Mensagem por Quione em Sab Maio 27, 2017 4:27 pm


O passado se torna o presente


Método de Avaliação

Spoiler:
Essa primeira parte é bastante ligada a trama do personagem e ao clímax do encontro entre o personagem e alguém que já foi importante, de alguma forma, na vida dele e não pertence mais a esse plano. Portanto, será avaliado os seguintes quesitos:

• Escrita: Será avaliado a gramática, a concordância e a fluidez de escrita.

• Criatividade e coerência: Será avaliado aqui o modo como você fez a postagem, se há coerência entre seu personagem e a proposta do evento, se o nível condiz com o que você diz.

• Desenvolvimento da trama: Nenhuma trama pessoal é melhor do que a outra, entretanto, aqui será avaliado o enredo como um todo. Se houve riqueza de detalhes, se houve realidade de escrita, se a personalidade de seu personagem é visível, se houve coerência nas interações desenvolvidas etc

Exp: A primeira parte recebe a metade da experiência total divulgada no post sobre o evento.
Do nível 1 ao 10: 2.500

Dracmas: A primeira parte recebe 5 mil dracmas.
Item: Recebe apenas no final, na avaliação da segunda parte..

Avaliação

Experiência: 2.500
Dracmas: 5.000
Comentário:
Como é a primeira vez em que leio algo seu, preciso dizer que fiquei bem contente com a forma como você narra as coisas. É simples e gostoso de se ler. Encontrei pequenos errinhos aqui ou ali, mas nada muito grave e nada que prejudique a compreensão.  


Segunda Parte

Elyse teve certeza de que sua madrasta estava certa quando ela sentiu a mesma paralisar. A mulher não se movia e quando Elyse olhou bem em seu rosto pôde ver a razão daquele transe. Uma mulher com uma perna de bronze outra de bode (ou seria burro?), com cabelos flamejantes se encontrava parada bem atrás de si. E lentamente se aproximava, raspando suas longas garras na parede.


Instruções e explicações

• Nyx/Nox é tida como primeira rainha do submundo, antes que os outros deuses surgissem e tomassem esse posto, teve o poder suficiente para invocar esses mortos e fazê-los entrar em contato com o semideus. Este é um verdadeiro ataque psicológico, pois, mesmo tendo retornado eles têm um prazo para retornarem para o submundo novamente.

• O dia do encontro é o prazo final e eles dizem isso ao semideus com um medo intenso, pois um monstro estaria encarregado de levar o morto de volta para o submundo, por bem ou por mal.

• Escolha a ser feita: Caso eles sejam mortos por esse monstro, eles cairiam nos campos de sofrimento eternamente. Caso eles voltem por vontade própria, eles seguiriam para o Elísio. Cabe ao semideus e seguir sua trama: deixar que o revivido morra pelas mãos do monstro e sofra por toda a eternidade; ou salvá-lo ao derrotar o monstro, permitindo que o morto retorne ao submundo em paz. Ele só consegue retornar dessa forma depois que o monstro seja derrotado.

• Caso seja a primeira opção, ele assistirá passivo a morte da pessoa ou fazer com que o revivido morra em algum momento da batalha. Porém terá de derrotar o monstro depois disso, pois não contente a fera também tentará levar o semideus para o inferno. Caso o semideus escolha a segunda opção, ele terá a chance de salvar o revivido e dar um último adeus, sabendo que a alma dele estará em um paraíso.

• O monstro é uma Empousa. Abaixo seguirá uma descrição mais detalhada do monstro.

Sobre a Empousa (Retirado do Bestiário):

Empousa

Na forma ilusória são sempre mulheres belíssimas, e mesmo sua forma monstruosa exerce uma atração estranha sobre seus alvos. Com a pele parecendo feita de mármore branco, uma perna de bode ou burro e outra de bronze, com cascos, têm olhos e cabelos flamejantes, e exercem um charme sobrenatural nas vítimas - em geral masculinas, seduzidas mais facilmente. Suas garras são afiadas, mas em geral usam de seus poderes de conquista para hipnotizar e dominas as vítimas antes de sugar seu sangue e devorar sua carne com presas afiadas, método que faz com que sejam, erroneamente, associadas á vampiros. Contudo, os poderes das empousas são mais limitados que os dessas criaturas, e elas não possuem suas fraquezas.


Passivos:

► Beleza espectral - Empousas são extremamente belas, mesmo para criaturas de mesmo sexo mas, em caso de semideuses masculinos a atração é maior. Em todas as situações seu charme afeta até àqueles normalmente imunes, ainda que neste caso em menor escala.

► Garras afiadas - Suas garras podem cortar como se fossem feitas de bronze, e são geralmente usadas nos ataques.

► Presas afiadas - Suas presas e dentes são extremamente afiados. Quando conseguem agarrar um alvo, elas as utilizam para se alimentar, arrancando nacos de carne com suas mordidas.

► Resistência a fogo - Parte de sua natureza vem desse elemento, tornando-as resistentes a poderes do tipo, que sempre causarão apenas metade do dano, independente do nível.

► Resistência a mágia - acompanhantes de Hécate e Circe, as empousas possuem uma natureza mágica inerente que as torna resistente a poderes do tipo - 50% de resistência, independente do nível.


Ativos:

► Charme - Sua voz encanta os alvos, tornando-os suscetíveis a receber e obedecer suas ordens, desde que não demonstrem ser prejudiciais.

► Manipulação da névoa - empousas manipulam a névoa facilmente, podendo enganar até mesmo semideuses com mais facilidade.

Empousas podem ser feiticeiras. Nesse caso além de poder utilizar os poderes de "Feiticeiras de Circe", poderão também utilizar o grimório da maneira que o narrador achar melhor.


Regras

- Prazo de postagem: 20 dias
- O revivido não irá, de forma alguma, permanecer no plano humano. Obrigatoriamente ele irá retornar para o submundo, por bem ou por mal (isso é de sua escolha)
- Irá notar que eu não descrevi nível ou barra de hp/mp da empousa, por ser One-Post, você deverá narrar o nível de dificuldade do monstro de maneira realista a sua personagem e ambiente.
- Boa sorte.



xιόνη
winter
is coming
avatar
Quione
Deuses Menores
Deuses Menores

Mensagens : 481
Data de inscrição : 12/07/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quando o Passado Revive - Elyse D'Ávila

Mensagem por Elyse D'Ávila em Dom Maio 28, 2017 6:10 am


Evento

Quando o Passado Revive.

Ambas chorávamos abraçadas até que de repente, a minha madrasta parou por alguns segundos. Pude sentir os músculos dela que eu tocava enrijecerem. Afastei-me brevemente para observá-la e vi que a sua expressão facial era de puro terror e medo. Ela estava em choque, não conseguia fazer nada.

— Mãe? — Perguntei enquanto franzia a testa, preocupada.

Logo pude ouvir o que estava lhe deixando daquele jeito. Um som estridente começou a ser feito atrás de mim e assim que olhei para trás, pude ver o monstro. Era uma mulher muito bela e bastante branca, quase perfeita eu poderia dizer, se não fosse pelas suas imensas garras e sua perna de burro enquanto a outra era bronzeada. Ela estava com os lábios entreabertos, o que me permitiu enxergar aquelas presas enormes e afiadas.

— Fique atrás de mim. — Pedi a minha mãe e logo a protegi com meus braços enquanto recuávamos juntas para trás. — Se algo acontecer, corra.

Assim que finalizei a minha fala, parei de recuar. Era hora de enfrentar aquela monstrenga. Pressionei o anel que sempre carregava comigo e uma adaga surgiu em minha mão. Respirei fundo e fitei os olhos da moça que estava a minha frente. Ela havia parado também, tendo ciência de que aquele embate começaria.

Meu coração estava bastante acelerado e num pulsar de adrenalina, comecei a correr em direção àquela mulher peculiar. Ela entrou em uma posição de combate, pronta para defender-se. Entretanto, com toda a minha habilidade sobre acrobacia, ao me aproximar dela, dei dois passos na parede para pegar impulso e em seguida desferi um chute em seu rosto, o que fez com que as gotas de chuva grudadas nele se descolassem.

Aquele havia sido um golpe inesperado para a Empousa, e talvez somente por isso ela não houvesse bloqueado o mesmo. Entretanto, assim que o seu rosto voltou para a posição normal, ela tentou desferir um soco na lateral de meu rosto e felizmente, com toda a minha agilidade eu consegui esquivar com sucesso ao agachar-me levemente. Quase que ao mesmo tempo, soquei a lateral de seu corpo, o que fez com que ela desse um pequeno pulo para o lado.

— Maldita... — Ela falou enfurecida em meados a um gemido por conta do soco que havia acabado de receber em sua costela.

Suas mãos direcionaram-se para o meu rosto, o agarrando e antes que eu pudesse reagir àquilo. Pude sentir as pontas de suas garras quase enfincarem meu crânio, mas não o fizeram. Ela fez um movimento em que a sua cabeça atingiu a minha com tamanha potência que me fez recuar dois passos. Fiquei muito tonta naquele momento e a minha respiração já estava pesada, assim como a dela. Nos entreolhamos por alguns segundos, apenas o suficiente para as duas recuperarmos nosso fôlego.

Cada passo que eu dava, a água se espalhava debaixo de mim. Onde pisávamos, estava coberto por lama, o que nos atrapalhava num todo. Olhei rapidamente para trás e a minha mãe encontrava-se numa distância segura.

Quando tornei a olhar para a mulher de garras afiadas, ela já estava correndo em minha direção e quando chegou perto o suficiente, deu um salto seguido de um rodopio quando ainda no ar, pegando força o suficiente para atingir-me um chute na vertical. Entretanto, eu fui mais rápida e me esquivei e assim que seus pés atingiram o chão, eu já estava agachada e passando-lhe uma rasteira em sua perna de bode, o que fez com que ela caísse e se sujasse toda de lama.

Não muito satisfeita com a situação, ela fez com que eu ficasse quase da mesma que forma que ela ao dar um pequeno rodopio no chão e acertar a dobradura de minha perna, fazendo com que eu caísse, desequilibrada. Agora eu também estava toda suja de lama e aquilo não estava parecendo que iria melhorar.

Concentrei pouco do meu poder em minha mão enquanto encarava a Empousa e então três penas surgiram entre meus dedos. Prateadas, leves e afiadas. Sem muita demora, atirei-as contra a Empousa que, por estar caída, não teve muito o que fazer senão tomar todo aquele prejuízo que foi quando os dardos atingiram sua barriga.

O sangue começou a escorrer e sua mão com garras afiadas foi levada até o local. Ela passou a mão no local e depois verificou que estava sangrando.

— O que acha disso? — Perguntei, de modo provocativo.

— Arrrgh. — Ela levantou-se rapidamente e fiz o mesmo.

Novamente, ela havia começado a correr em minha direção, mas dessa vez eu não tive tempo de reação. Em meados a um salto, ela pôs os dois pés para frente e atingiu o meu peitoral, o que fez com que eu caísse no chão novamente. Felizmente, meu sangue estava muito acelerado e assim que eu caí no chão, consegui botar força em meu tronco para me jogar para trás, me pondo de pé mais uma vez.

A Empousa continuou com a pressão sobre mim, ao continuar suas imparáveis investidas. Tentou um e depois outro soco, e habilmente eu consegui desviar. Suas garras passavam por um fino de minha pessoa, eu tinha de ser muito cuidadosa. Tive um pensamento rápido quanto a uma estratégia e não vi porque não o pôr em ação.

Dessa vez, ela tentou desferir um golpe frontal com suas garras completamente estendidas em minha direção. Felizmente, ela não havia percebido que era uma armadilha por eu estar com a guarda baixa e assim que suas garras se aproximaram, um holograma vermelho de uma peça de xadrez, o famigerado peão, tomou o meu lugar e recebeu o golpe. Rapidamente, segurei a minha adaga com firmeza e a enfinquei em sua traqueia, finalmente dando um fim naquele monstro que se tornou apenas uma explosão de pó dourado.

Sem delongas, corri de volta para a minha madrasta e a abracei, mesmo estando toda suja de lama.

— Me desculpa por lhe dar este trabalho, filha. — Lamentou enquanto entrelaçava os dedos em minha roupa molhada.

— Tudo bem mãe... Só quero que saiba que... Eu te amo. — Falei pausadamente, afinal, sabia que aquela seria a última vez em que eu a veria.

— Eu também te amo, minha filha... — Ela suspirou fortemente. — Salve o seu pai... Ele está numa espécie de alojamento, próximo ao Empire States.

Repentinamente, seu corpo foi tornando-se pura energia, até que eu não conseguia mais abraçá-lo. Simplesmente desabei de joelho no chão, diante de toda aquela lama e comecei a chorar. É isso, era o fim. Eu havia perdido uma das pessoas que eu mais amava. Maldito seja o responsável por isso. As coisas não ficarão desta forma. Definitivamente não.

Entretanto, uma tarefa fora deixada para mim e eu ainda tinha de salvar o meu pai. Precisava pedir ajuda no Acampamento, portanto, não demorei muito a chamar novamente a carruagem e retornar para lá. Precisava de ajuda e o mais rápido possível.

PODERES PASSIVOS:
Nível 3

+ Instinto natural aguçado: Como bons competidores, os cinco sentidos naturais dos filhos de Nice são mais aguçados, de modo que ao utiliza-lo (tato em escalada, visão para arremesso de objetos... e etc) esses semideuses tem 25% mais sucesso do que um semideus que não tenha perícia sobre o instinto usado.

Nível 4

+ Precisão Aguçada: Combatentes vitoriosos precisam ter uma boa precisão quando em uma peleja. Filhos de Nice sabem movimentar o corpo e golpear seus oponentes com boa pericia, quase não  errando seus golpes em situações normais. A partir do nível 10 essa Aguçada precisão passa a faze-los mais preciso do que os demais semideuses.

Nível 7

+ Velocidade Olímpica: O atletismo é  um esporte olímpico, tão antigo quanto as primeiras edições da grande competição. Filhos de Nice correm em grande velocidade, vencendo obstáculos no caminho com pulos e desvios. Esses semideuses são duas vezes mais velozes do que um humano comum, porém ainda possuem fôlego e vigor físico de um semideus.
PODERES ATIVOS:
Nível 1

Dardo de pena: Em uma das mãos do filho de Nice, aparecerá uma pena completamente prateada, tão leve como uma pluma porém tão forte e cortante quanto o aço. Essa pena poderá ser lançada em direção a um alvo como se fosse um dardo ou uma pequena faça,  causando danos sobre seu corpo. Ao atingir o nível cinco, a cada ativação irão aparecer em sua mão três penas. Pode ser usado uma vez a cada três turnos.

Nível 2

Peça de Xadrez - Peão: Nice representa a vitória como um todo, e sempre está ao lado de Athena. Apesar de serem bons em todos os jogos, os filhos da deusa alada possuem uma facilidade especial com o xadrez, jogo que representa o ápice da aliança entre a estratégia  e vitória. Uma vez por missão, esses semideuses são capazes de gerar um holograma vermelho de um peão, peça de xadrez. Esse peão poderá ser ativado como um escudo, se sacrificando pelo semideus ao tomar para si um golpe, absorvendo todo o dano que o mesmo causaria sobre seu dono.
HABILIDADE:
Nome: Perícia em Mira
Descrição: Mirar é a capacidade de usar de seus movimentos corporais e visualização de um objeto para atingi-lo. Ao fazer essa aula, o campista possui o treino o básico para acertar um alvo parado ou em movimento com diferentes objetos, desde armas a qualquer item corriqueiro. É necessário atentar-se para a equação de: quanto mais concentrado, mais precisa é a mira.
Gasto de MP: Nenhum
Gasto de HP: Nenhum
Bônus: +30% em mira
Dano: Nenhum
Extra: Uma vez por missão, você pode solicitar o Acerto Perfeito, acertando o alvo caso ele esteja a menos de 100m de distância. O post também deverá conter a narrativa de como foi realizada a mira. Ações como “mirei e acertei” serão invalidadas.
EQUIPAMENTO:
✧Anel de Nice- o anel de Nice é um anel especial, apesar de ser um dos anéis mais simples é o que contém mais poder. Sendo feito em ouro divino o anel se transforma em qualquer objetos cortantes pequenos de bronze celestial que o semideus desejar como canivetes e facas pequenas ou até uma adaga menor, dardos.
CONSIDERAR:
Assim como dito na primeira parte - só enfatizando pois, pode ser que seja outro deus avaliando essa segunda parte - a Elyse foi treinada desde seus doze anos de idade pelo seu pai que era militar. Ou seja, ela tem certa maestria quando se trata de combate, e por isso luta tão bem.

Legenda:

✧ FALAS DA ELYSE
✧ FALAS DA MADRASTA
✧ FALAS DA EMPOUSA

avatar
Elyse D'Ávila
Líder dos Curandeiros
Líder dos Curandeiros

Mensagens : 151
Data de inscrição : 28/04/2017
Idade : 18
Localização : Acampamento Meio-Sangue.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quando o Passado Revive - Elyse D'Ávila

Mensagem por Hades em Ter Maio 30, 2017 11:19 am


O passado se torna o presente


Método de Avaliação

Spoiler:
Essa primeira parte é bastante ligada a trama do personagem e ao clímax do encontro entre o personagem e alguém que já foi importante, de alguma forma, na vida dele e não pertence mais a esse plano. Portanto, será avaliado os seguintes quesitos:

• Escrita: Será avaliado a gramática, a concordância e a fluidez de escrita.

• Criatividade e coerência: Será avaliado aqui o modo como você fez a postagem, se há coerência entre seu personagem e a proposta do evento, se o nível condiz com o que você diz.

• Desenvolvimento da trama: Nenhuma trama pessoal é melhor do que a outra, entretanto, aqui será avaliado o enredo como um todo. Se houve riqueza de detalhes, se houve realidade de escrita, se a personalidade de seu personagem é visível, se houve coerência nas interações desenvolvidas etc

Exp: A primeira parte recebe a metade da experiência total divulgada no post sobre o evento.
Do nível 11 ao 20: 5.000

Dracmas: A primeira parte recebe 5 mil dracmas.
Item: Recebe apenas no final, na avaliação da segunda parte..

Avaliação

Experiência: 5.000
Dracmas: 5.000
Comentário:
A maneira como você o derrotou e o fato do evento e da sua CCFY (de aniversário do fórum) estarem ligadas foi bastante interessante. E, novamente não achei erros no seu texto, parabéns!

Item

Nesse evento, por ser particular de cada um e cada um ter desenvolvido de forma diferente, nada mais justo do que o item também ser único para cada um. Porém, para não ser injusta nas minhas escolhas, o item desse evento será montado por você! Veja a lista abaixo, faça suas escolhas e mande por MP para mim o item final!


Tipo: Escolha o seu tipo de item abaixo, acrescente uma descrição específica caso queira, é apenas o visual da arma e o seu tipo. Caso não descreva, será usado o padrão da loja, com tamanho e demais informações. Caso queira Arco ou Besta, ele virá automaticamente com um pacote de 30 dardos/flechas.

• Espada [escolha o seu tipo]
• Faca de Caça
• Adaga
• Arco [escolha o seu tipo]
• Besta [escolha o seu tipo]
• Lança [curta ou longa]
• Foice
• Chicote
• Escudo


Material: Escolha o material que você deseja que sua arma tenha, é possível apenas a escolha de um material. A escolha do material interfere diretamente no dano que a arma vai provocar, assim como o bônus natural do material.

• Ferro estígio
• Bronze Celestial
• Ouro Imperial
• Oricalcio


Efeito 1: Poderá escolher um dos efeitos elementais abaixo. Apesar de estar descrito “arma”, o efeito irá adaptar-se ao tipo dela. Exemplo: serão as flechas a serem encantadas.

• Fogo [a arma será coberta por chamas, provocando 20% a mais de dano e tendo chance de provocar queimaduras]

• Ar [a arma é revestida por uma fina corrente de ar, tão fina que acaba permitindo um corte mais afiado, provocando 20% a mais de dano e dobra as chances de causar danos a materiais de resistência superior]

• Elétrico [a arma é revestida pelo elemento raio, provocando 20% a mais de dano e tendo a chance de provocar paralisia pelo choque]

• Veneno [a arma é coberta por veneno, provocando 20% a mais de dano e tendo a chance de envenenar caso atinja a corrente sanguínea, causando -15HP por 4 turnos]

• Gelo [a arma é revestida por uma fina e dura camada de gelo, provocando 20% a mais de dano e tendo a chance de provocar lentidão no movimento]

Efeito 2: Poderá escolher apenas um dos efeitos abaixo

• Acessório: escolha um acessório que a arma poderá se transformar, especificando qual.
• Ligação com o dono: a arma sempre irá retornar para o dono, aparecendo ao seu lado.


Ἅιδης
avatar
Hades
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 480
Data de inscrição : 25/06/2013
Localização : Importa? A morte ainda será capaz de te achar.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quando o Passado Revive - Elyse D'Ávila

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum