The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Festival das Estações (Inverno)

Página 7 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Festival das Estações (Inverno)

Mensagem por Guitti em Qua Jun 21, 2017 12:01 am

Atolados
        Após verificar o estado do Cérbero na área do Outono, resolvi voltar para o Inverno. Eu realmente amava aquele clima frio, tão frio quanto a minha pele. Estava mais uma vez passeando por aqueles campos cobertos pela neve e algo chamou a minha atenção.

        Era uma mulher... Não muito alta, mas também não muito baixa. Seus cabelos eram pretos exuberantes e sua pele da cor da neve, ou seja, bastante pálida. Ela estava trajando um vestido branco e em sua cabeça carregava uma coroa de prata.

▬ Não pode ser... ▬ Desconfiei naquele exato momento.

        Nos livros, era exatamente assim que a deusa Quione era descrita. Aparecia em meados a lugares com neve, sempre se vestindo daquela maneira e com uma coroa de prata na cabeça. Quanto mais eu me aproximava, mais eu tinha a certeza de que era ela.

▬ Olá, Hottie! ▬ Chamei-a descaradamente.

        Ela logo olhou para trás com os olhos arregalados por causa do que eu havia a chamado, o que para ela certamente era uma ofensa, e ergueu uma de suas mãos aparentemente pronta para me congelar. Seus olhos eram belos, isso era inegável. Ainda mais por ter uma coloração café-castanho.

▬ Wow wow wow, calma! ▬ Pedi quase que desesperadamente.

        Não queria ser congelado ali só porque eu havia a chamado de “quente”. Seria trágico e ainda por cima, uma vergonha. Que péssima maneira para morrer, certo? Aproximei-me um pouco mais e vi que logo a frente da deusa havia alguns semideuses soterrados.

▬ Quem é você e o que quer? ▬ Perguntou, ainda com a mão erguida.

▬ Guitti, milady. ▬ Após eu dizer aquilo, ela abaixou a mão e voltou a olhar para os semideuses que estavam atolados na neve. ▬ O que está fazendo, minha deusa?

        Tentava manter a calmaria em minha voz, afinal, acreditava que os deuses apesar de tudo gostavam de ter um diálogo comum de vez em quando.

▬ Não está vendo? Estou os congelando. ▬ Dizia com um sorriso no rosto.

        Eu definitivamente não tinha motivos para ajudar aquelas pessoas. Entretanto, achei que fosse uma boa oportunidade para treinar a minha habilidade de manipulação. Talvez eu conseguisse fazer com que ela soltasse aqueles semideuses apenas utilizando minhas palavras. Não custava nada tentar.

▬ Interessante... Muito interessante...

        Cruzei os braços e fui para o seu lado. Definitivamente o frio era mais intenso ali, mas não era nada com que eu não conseguisse lidar.

▬ Milady? ▬ Chamei o seu nome para que ela me desse um pouco de atenção.

▬ Sim? ▬ Seu olhar era cruel e vazio, não se desviou em momento algum daqueles semideuses que mal conseguiam falar.

▬ Porque ao invés de congelar estes semideuses que não fizeram nada contra a senhora, você não congela aqueles que não a honram? Aqueles que zombam do frio, do gelo e ainda por cima aqueles que acreditam no aquecimento global? ▬ Eu estava a fitando e, naquele exato momento, seus olhos bateram os meus com certo brilho. ▬ Principalmente estes últimos! Quem são eles para dizerem que a lady Quione não está dando conta do resfriamento da terra? Um absurdo isso! E eles merecem ser punidos.

▬ Você tem razão! ▬ Ela maneava a cabeça positivamente enquanto levou o indicador e o polegar até o queixo, segurando-o de maneira pensativa. ▬ Porque eu não fiz isso desde o começo?

        Um sorriso se abriu em meu rosto e em seguida dei uma leve bufada.

▬ Eu não sei... Só sei que está punindo as pessoas erradas. Afinal, se eles estão aqui na área do inverno é porque eles, de certa forma, apreciam a senhora, certo?

        Ela franziu a testa naquele exato momento e pude ver a neve erguer-se no chão, trazendo quaisquer semideuses que estivessem ali, atolados na neve.

▬ Agora se me dão licença, tenho pessoas piores para congelar. Ou... melhores? ▬ Disse e por fim, deu as costas.

        Pude ver a malícia no sorriso da deusa. Senti um pouco de pena das pessoas que ela estava prestes a encontrar. Entretanto, minha missão aqui havia sido concluída. Apenas com minhas palavras eu havia convencido uma deusa a fazer o que eu queria. Minha manipulação não era apenas baseada em meus poderes, eu precisava treinar a oratória também e, naquele momento, eu havia conseguido.

        Dei a mão para os semideuses que estavam ali, tremendo de frio e assim que se levantaram, fomos embora juntos daquele lugar.
@




DEATH ITSELF
Guitti
HELLO DARKNESS MY OLD FRIEND
avatar
Guitti
Lider dos Demonios
Lider dos Demonios

Mensagens : 242
Data de inscrição : 09/03/2017
Localização : Acampamento Meio-Sangue.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Festival das Estações (Inverno)

Mensagem por Guitti em Qua Jun 21, 2017 12:05 am

Febre Congelante
        Era engraçado como a maioria dos monstros que estávamos encontrando naquela ilha resumiam-se a trolls, gigantes e anões. Não sei se era apenas comigo, mas, estes haviam sido meus únicos oponentes. Não podia reclamar, é claro, estava sendo divertido destroça-los de diversas maneiras diferentes e, ao mesmo tempo fazer a minha fama naquele lugar.

        Digo isso porque agora, bem na minha frente, haviam gigantes raivosos quebrando tudo na área do inverno. Pouco antes, eu estava apenas tomando uma dose de Whisky, tranquilamente. O clima era frio, por motivos óbvios e então tudo aconteceu repentinamente. Os monstros entraram enfurecidos pisoteando pesadamente na festa, de forma que o chão tremia. Eles corriam juntos e assim que chegaram próximo ao local de onde me encontrava pegaram uma das mesas e arremessaram em mim. Em resposta, levantei uma sombra no ar enquanto dava um último gole da minha bebida. Aquela sombra foi materializada como uma parede a fim de me proteger de seu ataque. Pude ouvir a mesa se destroçar após o impacto e logo depois desfiz do meu poder para observar os monstros mais uma vez.

        Aqueles seres enormes estavam arremessando rajadas de gelo e estacas nos campistas, que por acaso alguns deles se defendiam muito bem utilizando da melhor forma possível os seus poderes. Os mais fracos, como sempre, acabaram ficando levemente feridos, mas para a sorte deles haviam curandeiros muito habilidosos naquela ilha.

        Como eram três inimigos, nada mais justo que haver mais dois aliados do meu lado e, por conta disso, criei dois clones meus para que me auxiliassem. O bom daquilo é que funcionávamos como uma só pessoa, ou seja, tudo que os clones faziam provinham da minha mente, e não da deles, o que facilitava bastante a coordenação dos ataques.

        Os grandalhões estavam prestes a esmagar pedaços de pilares – que haviam arrancado a pouco – nas cabeças dos campistas que estavam bem a sua frente. Cada um de nós – eu e meus clones – manipulamos sombras para prender aqueles gigantes de gelo dos pés ao pescoço. Como dividíamos a força de cada um dos gigantes ao tê-los presos individualmente, não foi uma tarefa difícil.

        Minha Umbracinese era mais forte que a dos meus clones e, por conta disso, me aproximei lentamente dos monstros ainda o mantendo preso nas sombras. Assim que cheguei perto, o maior cuspiu em meu rosto, o que me deixou bastante irritado. De imediato ativei o meu anel que acabou por virar uma adaga demoníaca e a enfiei no crânio dele.

        O lugar estava vazio agora, depois de toda confusão criada pelos monstros. Os garotos que estavam em sua frente já haviam dado no pé, portanto, não achei que fosse um problema revelar meus tentáculos ali. E assim o fiz. Libertei os tentáculos de minhas costelas e os enfiei goela abaixo dos outros dois gigantes restantes que estavam sendo mantidos presos pelos meus clones. Pude sentir os seus corações na ponta do tentáculo que invadia o seu corpo sem pudor, rasgando todos os órgãos ou músculos que encontravam pela frente. Assim que agarrei com firmeza seus corações, arranquei-os fora encerrando suas insignificantes vidas.

        Logo viraram pó, não deixando mais nada naquele lugar além da minha presença. Meus clones se desfizeram e mais um problema havia se resolvido naquela ilha por minha causa. Ainda me pergunto porque continuava a resolvê-los e não a piorá-los... De qualquer forma, eu tinha de manter o meu disfarce e, não havia maneira melhor que aquela. Demonstrando que sou um deles...

PODERES ATIVOS:
Nível 18:

Nome do poder: Tentáculos Protetores
Descrição: Alguns demônios menores possuem tentáculos com aparência viscosa, que soltam um muco nojento das pontas. Esses tentáculos surgem das costelas do seguidor de Nyx/Nox (seis ao todo), agarram o inimigo e o atiram para longe, o impedindo de atacar o corpo principal do demônio da deusa, deixando no local atingido – onde os tentáculos tocaram – uma sensação de entorpecimento, e causando medo no oponente, pois, o liquido ativa a parte do cérebro que reage ao medo, deixando a pessoa um tanto horrorizada.
Gasto de Mp: 50 MP por turno usado
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: 30 HP
Extra: Nenhum

Nível 21:

Nome do poder: Umbracinese III
Descrição: Você dominou completamente sua técnica com sombras, e agora pode manipula-las e usa-las da forma como bem entender, incluindo criar uma prisão sombria, da qual seu oponente dificilmente escapara. Consegue mantê-la por até três rodadas.
Gasto de Mp: 20 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus:  A prisão sombria prende o usuário por completo, fazendo com que ele seja incapacitado de se mover pelos turnos em que a prisão estiver ativa. O Filho de Hades/Plutão consegue mantê-la por no máximo 3 turnos. Pode usar as sombras para mover coisas, e prender coisas.
Dano: 30 HP (pela prisão incapacitar os membros e aperta-los, causando certa dormência). Esse HP é retirado conforme os turnos que ficar ativo, se ficar pelos 3 o valor total da perda de HP é de 90.
Extra: Nenhum

Nível 24:

Nome do poder: Clones de Sombras I
Descrição: Nesse nível a prole de Hades/Plutão consegue criar até dois clones compostos de sombras (sendo necessário exista sombras no local). Sendo que, cada clone irá possuir metade do nível do semideus e só poderá utilizar poderes que envolvam sombras diretamente, possuindo também metade de todos os status do semideus (HP e MP) no momento de sua criação. No momento em que o clone é desfeito, todo o conhecimento adquirido pelo mesmo será passado para o semideus criador.
Gasto de Mp: - 15 de MP por cada clone criado.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

UMBRACINESE USADA PELOS CLONES:
Nível 13:

Nome do poder: Umbracinese II
Descrição: Nesse nível o filho de Hades/Plutão é capaz de manipular as sombras melhor, já consegue prender humanos e monstros por uma rodada inteira, o impedindo de se mover, as sombras se usadas de maneira correta podem prender braços e pernas de seu oponente. Poderes de Luz podem anular a habilidade, ou enfraquece-la.
Gasto de Mp: 15 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Prende o inimigo por apenas um turno, sendo que a noite a habilidade se torna mais forte, e de dia é enfraquecida.
Dano: 10 HP
Extra: Nenhum
@




DEATH ITSELF
Guitti
HELLO DARKNESS MY OLD FRIEND
avatar
Guitti
Lider dos Demonios
Lider dos Demonios

Mensagens : 242
Data de inscrição : 09/03/2017
Localização : Acampamento Meio-Sangue.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Festival das Estações (Inverno)

Mensagem por Guitti em Qua Jun 21, 2017 12:08 am

Demônios à solta
        A pouco tempo atrás eu havia questionado sobre o paradeiro de Nyx. Durante um período extenso ela se manteve quieta e não fez nada – além de recrutar – quanto aos seus inimigos que se resumiam aos campistas e os próprios deuses.

        Aos poucos a personificação da noite estava se fortalecendo e ficando cada vez mais ameaçadora para os deuses. Afinal, ela era uma primordial e isso não poderia ser ignorado assim como este grande evento em uma ilha, reunindo tanto semideuses do Acampamento Meio-Sangue quanto do Júpiter.

        De fato, aquele extenso território no meio do mar havia acabado por fazer um aglomerado de semideuses, o que explica muito bem a aparição de muitos monstros por lá.

        Eu estava encostado em uma das árvores da área do inverno. Utilizava um sobretudo para me proteger do frio e por baixo, as costumeiras roupas pretas de sempre. Não satisfeita com a situação, a querida Nyx enviou dois de seus demônios para entrar em contato comigo. Eles surgiram batendo aquelas asas nojentas de morcego bem ao meu lado. Não me dei o trabalho de olhar para trás antes de que pousassem, afinal, já sabia que eram eles.

▬ Boa noite, Embaixador. ▬ Um deles começou o diálogo.

        Assim que meus olhos se encontraram com aqueles demônios, pude ver que eram gêmeos. Desencostei da árvore e tirei as mãos de meus bolsos apenas para que pudesse pô-las em minha cintura e continuar a encarar os servos da Nyx.

▬ Olá. ▬ Suspirei. ▬ Podem me dizer o que estão fazendo aqui?

        Os dois se entreolharam e guardaram as asas de morcego. Fizeram questão de se aproximar um pouco mais para falar comigo, afinal, por mais que estivéssemos sozinhos naquele local, era sempre possível que mais alguém pudesse estar escutando.

▬ Bom, além de já ter matado três campistas, a Nyx nos enviou para... bem... causar problemas. ▬ Seu riso após a fala foi baixo, mas ainda assim, malicioso. Ele passou a mão no cabelo e continuou a falar. ▬ E você é quem vai coordenar os ataques.

▬ Entendi. ▬ Sorri com o canto dos meus lábios e desprendi uma das mãos da cintura. Naquele momento eu senti uma sensação indescritível. Finalmente, eu poderia causar um pouco de discórdia e, ainda assim, não seria descoberto. ▬ Vocês são capazes de possuir animais, certo?

        Os dois se entreolharam e assentiram com a cabeça, confirmando a minha pergunta.

▬ Ótimo. Conheço uns animais que podem causar bastante problemas se estiverem nas mãos de demônios.

        Dito aquilo, dei as costas para os dois e comecei a caminhar. Logo, eles me acompanharam e juntos fomos para mais dentro daquela floresta congelante e sombria. Não demorou muito para que encontrássemos uma caverna não muito grande, mas ainda assim, perigosa. Eu já sabia o que encontraríamos ali dentro, afinal, já havia um tempo em que eu estava nessa ilha. Tempo o suficiente para estudar boa parte de seu território.

        Quando adentramos a caverna, podíamos ver vários ossos de animais de vários portes. Entretanto, a maioria eram de veados, lobos e até mesmo boi-almiscarado. Naquele momento, agachei-me, afinal não queria ser notado e assim os demônios fizeram o mesmo. Não demorou muito para que avistássemos nosso objetivo. Dois ursos grandes, um macho e uma fêmea. Ambos estavam dormindo, sendo que a fêmea se encontrava bastante aninhada no corpo de seu macho.

▬ Lá. ▬ Falei pouco e baixo, apontando para os animais. ▬ Os possuam.

        Ambos fizeram que sim com a cabeça e logo depois caíram para o lado. Provavelmente naquele momento suas almas já haviam saído de seus próprios corpos e segundos depois os dois ursos se ergueram. Estavam agora de pé e os corpos dos demônios ficariam desprotegidos naquele momento, mas eu pouco me lixava para este fato.

        Os dois ursos se aproximaram de mim, mas eu não tive medo. No fundo, eu já sabia que tiveram suas almas apossadas pelos gêmeos. E de fato, já haviam. Confirmei isso quando eles simplesmente passaram direto por mim e eu os segui, posicionando-me entre eles.

▬ Nosso objetivo é matar o máximo possível. ▬ Falei e os dois me olharam, um de cada lado, enquanto andávamos. ▬ Vamos atacar no baile mais próximo, o do inverno mesmo.

        Em resposta, ambos fizeram aquele barulho característico de ursos e continuamos a andar. Não demorou muito para que chegássemos ao baile de inverno, portanto, era hora de me separar deles e assistir.

▬ Boa sorte. ▬ Disse enquanto me afastava.

        Fui para bem longe deles e me sentei em um Puff azulado, onde continha umas luzes acesas, provavelmente luzes negras por ter sua coloração roxeada. Poucos segundos depois, eu já ouvi os gritos dados pelos campistas ali presentes. Olhei para o lado, e vi que algum garçom por acaso deixou uma bandeja com alguns copos contendo chocolate quente e o peguei, para me manter aquecido daquele frio.

        O mais engraçado era ver os campistas correndo em meados aquele campo de neve que batia em suas canelas. Corrigindo... Tentando correr, porque seus passos acabaram sendo dificultados por conta de toda aquela obstrução.

        Logo tive visão de ambos os ursos que já continham sangue em suas bocas. Provavelmente já haviam feito suas primeiras vítimas. Eles corriam atrás de duas crianças e, naquele momento, pus a mão em minha testa. Que obsessão por crianças... O que há de errado com o lado maligno? Porque sempre tentam destruir primeiro os mais fracos ao invés dos mais fortes? Não podia criticá-los tanto também, afinal, não parecia ter muita gente forte ali naquele momento.

        Uma das crianças acabou tropeçando e caindo de cara com a neve. O urso se aproximou dela, e ao meu ver, ela se fingiu de morta. Que erro... Se fosse um urso comum, talvez essa estratégia tivesse dado certo. Mas não era um urso comum. Assim que o demônio que estava mais próximo chegou perto daquela criança não teve piedade e começou a cravar suas unhas na costa daquele pequeno ser. Seus gritos foram de desespero e pude ver a sua mão sendo estendida como em um pedido de ajuda.

        Um semideus vinha correndo para tentar ajudá-lo, com a sua espada já empunhada. Eu achei que as coisas ficariam interessantes agora, mas, o outro gêmeo se pôs na frente e ficou de pé com suas duas patas, pronto para entrar em combate. Olhei ao redor e não havia mais ninguém ali. Todos haviam saído correndo desesperados... Semideuses patéticos... O único corajoso era aquele garoto, mas logo a sua vida também seria encerrada. Ao menos ele terá um bom lugar no submundo, disso eu tenho certeza.

        Ele desceu a espada em um golpe na diagonal e sangue do urso espirrou em seu rosto. Mas aquilo não havia sido o suficiente. Em retorno, o urso atingiu com a sua pata boa parte da face do garoto e junto com a sua pata, suas garras acabaram rasgando a pele dele. Arrepiei-me com aquela cena, o semideus havia ficado horroroso e o seu grito era de pura dor e ardência.

        O outro garoto, o menor, já não gritava mais. Provavelmente estava morto. Quanto ao maior, o urso que o enfrentava tomou a sua vida quando abocanhou a sua cabeça com toda a força de seu maxilar. Péssima maneira para morrer. Agora que o combate ali havia acabado e não havia mais ninguém ali, me senti livre para me aproximar dos demônios e assim o fiz.

        Assim que me aproximei, comecei a aplaudi-los.

▬ Parabéns, garotos. ▬ Meu sorriso era de pura satisfação. ▬ Agora, se não for muito incomodo, poderiam fazer um pouco mais de bagunça nas próximas áreas?

        Em resposta, eles urraram mais uma vez. Aceitei aquilo como um sim, visto que depois da minha sugestão eles se puseram a andar em direção a uma nova área. O mais engraçado é que, eles estavam mais que seguros, afinal, seus verdadeiros corpos estavam na caverna. Com outras palavras, mesmo que eles morressem em suas formas de urso, ainda poderiam retornar aos seus corpos e arranjar outros animais para causar ainda mais confusão.

        Voltei para onde eu estava sentado e peguei de volta o meu copo de chocolate quente. Finalmente Nyx estava fazendo algo. Finalmente eu estava fazendo algo. Estava cansado de toda aquela espera, mas hoje fiquei feliz por ter visto mortes bem de perto. Aquilo me agradava, de fato.

@




DEATH ITSELF
Guitti
HELLO DARKNESS MY OLD FRIEND
avatar
Guitti
Lider dos Demonios
Lider dos Demonios

Mensagens : 242
Data de inscrição : 09/03/2017
Localização : Acampamento Meio-Sangue.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Festival das Estações (Inverno)

Mensagem por Érebus em Qua Jun 21, 2017 1:55 am


Missões Avaliadas!

Guitti:

Como as três das cinco missões se encontram no festival de inverno, resolvi avaliar estas três primeiro e depois as outras três, tudo bem? Vamos lá.

Todas as suas três missões aqui foram muito bem desenvolvidas, pensadas e descritas: Sua personalidade como Guitti, o demônio espião do festival, sua narrativa e sua escrita, foram uma combinação agradável ao extremo para minhas vistas primordiais. Você é um ótimo vilão Guitti, agindo com naturalidade, não forçando maldade, só sendo o pior dos piores (Ou para todo efeito: O melhor dos piores). Me recuso a mentir e falar que não me identifiquei com alguns momentos, afinal, sou o deus das trevas, mas devo dizer que houveram momentos, principalmente na terceira missão, onde eu realmente vi traços próprios e não genéricos que todos os vilões possuem: Um exemplo simples e quem a tona seria aquele comentário sobre caçar as crianças, como você achava isso patético em vez de impressionante (Afinal, crianças para muitos são símbolos de pureza, se pensarmos a respeito, muitos acham que fazer mal a crianças é ser verdadeiramente desumano, mas não pro Guitti, para ele crianças são tão pateticamente inofensivas que nem valem o esforço, é isso mesmo produção?). Então de uma forma geral, eu diria com todas as palavras, que você tem um personagem de alto nível, uma escrita de alto nível e tudo que se pode classificar como de alto nível, como tantos outros players no fórum!

Bem, como me dei o trabalho de escrever o comentário, resolvi deixar uma única ressalva aqui: Houve um momento - acredito que na segunda missão - onde você colocou mal uma palavra e fez a tal da fluidez ser interrompida, não foi um erro, longe disso, só deu uma pequena quebra na constância da parada, sabe?

Isso é tudo pequeno ser das trevas, vamos a sua pontuação e recompensas:  


Atolados:  15.000XP (5K x Playplus) + 4.500 dracmas + 4 flocos de neve

Febre congelante:  12.000XP (4K x Playplus) + 4.000 Dracmas + 4 flocos de neve.

Tinhosos a solta: 24.000XP (8K x Playplus) + 8.000 Dracmas + 2 flores, 1 floco de neve, 1 folha seca, 1 gota de chuva.

Atualizado por Zeus!





I'm the Fucking Dark Lord
A VIDA É SÓ UM POUCO DE LUZ EM MEIO A ESCURIDÃO
avatar
Érebus
deuses primordiais
deuses primordiais

Mensagens : 344
Data de inscrição : 01/09/2014
Idade : 18

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Festival das Estações (Inverno)

Mensagem por Tavy Falworth em Qua Jun 21, 2017 11:51 pm

ATOLADOS
Sometimes you have to accept the fact that certain things will never go back to how they used to be.
O cabo da espada já não estava tão firme quanto outrem, minha bochecha tinha um corte relativamente grande, meu peito subia e descia descompassado, mas meus olhos não deixavam a criatura. Eu recuava tentando encontrar uma brecha, sentia o sangue manchar o chão de vermelho, circulava e olhava ao redor sabendo que o inimigo me encarava, mas não soltava a espada, não deixava que ele me atingisse. O filho de Quione me encarava em expectativa, seus olhos brilhavam de raiva e de medo, ele procurava uma brecha, eu armava mais a guarda, ele estocava, eu rebatia com a espada e não deixava meu corpo ser atingido, ainda me perguntava como conseguia atrair o perigo mesmo quando não estava procurando.

— Isso é uma péssima ideia — Eu sorri, Andrew sorriu de novo e nós dois gargalhamos agitados com a situação. Tínhamos roubado algumas bandejas do baile de inverno e agora pretendíamos usa-las para deslizar montanha abaixo, usando-as como treno para patinar e escorregar no gelo. Tínhamos apostado que quem ganhasse limparia o banheiro do alojamento durante a semana, e como particularmente adoro me livrar de uma boa faxina, é claro que aceitei.

— Se desistir vai ter que lavar minhas cuecas também — Ele provocou, eu debochei dele, ele sorriu com malicia, eu revirei os olhos e me posicionei no topo da colina.

— Vamos ver quem vai lavar as cuecas de quem — Sorri maldoso, ele repetiu meu gesto e sentou-se sobre sua própria bandeja, nos olhamos e gritamos juntos.

— Vai!

Minha bandeja deslizou pela pista, eu inclinei para o lado e senti o vento ficar mais intenso, congelava, e sentia a bunda doer conforme a bandeja se tornava mais gelada, e no fim descobri que estava certo, tinha sido uma péssima ideia. Atingi a metade da pista antes de Andrew, eu era mais pesado que ele, logo tinha vantagem no quesito velocidade pelo espaço tempo, não sei dizer exatamente ou explicar as leis da física, sei que chegarei primeiro e estou satisfeito comigo.

— Você está roubando! — Ouço Andrew gritar atrás de mim e sorrio mais ainda, ele sabe que não estou, mas gosta de me provocar.

— Tente me pegar, otário — Provoco de novo, ele gargalha e eu volto a olhar para frente, mas não a tempo de desviar do monte de neve.
Bato de cara com o monte macio, sinto meu corpo afundar de leve e ouço a batida ao meu lado, Andrew também se chocou. Praguejo qualquer coisa ao me livrar do monte, bato minhas roupas então ajudo meu amigo a se levantar, ambos perdemos, fomos vencidos por um monte de neve, o que me faz crer que essa ilha ficou com raiva de nós.

— Vamos subir, tentar de novo, podemos tentar outro caminho — Ele pediu ao juntar sua bandeja, dei de ombros e fiz o mesmo, mas fomos interrompidos por um grito fino e agudo.

Volto a olhar meu amigo, mas ele já está correndo em direção a donzela, tem mania de herói e não me deixa escolhas. Vou atrás dele, dou a volta no monte e sido pela lateral para me deparar com uma cena esquisita. Duas jovens estão afundadas no monte de neve, parte do tronco está soterrado, mas da cintura para cima ainda estão livres para se libertar.

— Que diabos é isso? — Eu meio que soltei sem pensar.

— Saiam daqui! Ela já deve estar voltando, provocamos a pessoa errada, vocês ainda têm chance de se salvar — A garota da esquerda diz, tem olhos castanhos, pele bronzeada e lindos cabelos longos, está com um bico emburrado, mas uma expressão séria.

— Quem está voltando? — Andrew é o primeiro a questionar, eu permaneço quieto, não quero fazer nada, nem estava procurando por isso.

— Eu estou voltando — Me viro rapidamente a ouvir a voz, apenas para me deparar com a mulher mais linda que já coloquei os olhos. Sua aura me atrai, seus cabelos têm tons diferentes de fogo, seus olhos são tão azuis e frios que sinto que estou derretendo em uma camada de gelo, ela é verdadeiramente linda.

— Quione — A garota morena fala.

— Quione — Andrew repete.

— Linda — Eu falo, e pareço um completo idiota, pois todo mundo agora está olhando para mim. — Quer dizer, Quione — Pigarreio para disfarçar, a deusa sorri de canto, arqueia a sobrancelha e observa seu lindo trabalho, garotas presas em montes de neve.

— Tarde demais — A garota morena bufou, eu dei de ombros, já não tinha como fugir, mas Andrew permaneceu sério.

— Porque as prende, Milady? — Perguntou ele, só consegui pensar em enforcar o garoto e sair de fininho, deixando meu amigo para trás.

— Isso não é da sua conta semideus, mas posso te oferecer uma chance de salva-las, se esse for seu desejo — A deusa tinha segundas intenções, isso era obvio, mas Andrew era burro e continuou.

— Qual a oferta? — Cala a boca cara! É uma deusa, não mexe com uma deusa não. Gritei mentalmente, gesticulei atrás dela e fiz sinal de enforcamento, ele me ignorou.

— Um campeão seu, um campeão meu, o vencedor fica com as garotas, faremos como antigamente, um duelo, aceita o desafio? — Não! Não! Não!!!! Eu gritei, mais uma vez fui ignorado.

— Aceito, Tavy será meu campeão — Eu ia mata-lo, e seria em breve.

Meia hora mais tarde a deusa tinha conseguido improvisar uma pista de gelo, o filho dela era seu campeão, um garoto magrelo com cerca de 17 anos de idade, tão alto quanto eu, com cabelos brancos e olhos opacos, parecia meio morto e era bastante sem graça, mas lutava bem. Eu tinha defendido boa parte de seus golpes, mas ele possuía a vantagem de campo, estava em seu terreno natural, não era afetado pelo frio, e ainda tinha me cortado com sua espada de gelo. Já eu tinha pouco treinamento, sabia segurar a espada e cai mais vezes do que sou capaz de contar.

— Vamos Tavy, deixa de ser molenga! — Andrew gritou e assoviou da arquibancada, e eu lembrei que mais tarde acertaríamos as contas, ele estaria fodido em minhas mãos, mas tínhamos uma tarefa, e eu tinha que conseguir libertar as garotas das mãos da deusa do gelo.

Avancei com a espada uma terceira vez contra o garoto, fingi que acertaria sua perna direita, ele levou a espada para apartar meu golpe, mas eu girei rápido e atingi a lateral do seu joelho, o derrubando no chão. Eu não perdi tempo ali, não enrolei, enquanto ele erguia sua espada eu abaixo a minha, nossas laminas se chocaram, mais eu era mais forte e ele estava no chão. Fiz a ponta da espada ir mais para a frente, perfurei parte do seu pulso, ele largou sua espada, eu coloquei a minha em seu pescoço, ele se rendeu.

— Vitoria! — Andrew gritou e comemorou, a deusa do gelo bufou em algum canto, eu agradeci que tinha encerrado, já tinha ganhado ferimentos demais. Limpei o sangue de minha bochecha e deixei que os dois acertassem os detalhes do acordo, mas no fim as garotas estavam libertas, Andrew estava feliz, e eu tinha um encontro. O filho de Quione tinha corrido atrás de mim no fim do dia, seu nome era Jason, e ele tinha me convidado para sair, eu aceitei, e ficamos por isso, na manhã seguinte eu o encontraria no baile da primavera, e realmente queria me divertir.
Armas:

♦ Sword Carnage – Uma espada feita de uma mistura de ouro imperial com aço que ao cortar a pele do inimigo consome o seu sangue tornando a lâmina da espada ainda mais afiada. Além dessa habilidade a espada do filho de Bellona também tem o poder de ao cortar a pele do oponente o fazer ter uma breve ilusão de uma carnificina onde todos seus amigos e entes queridos são mortos por seus inimigos da maneira mais cruel que sua mente possa imaginar.
Poderes Passivos:

Nível 1
Nome do poder: A arte da guerra
Descrição:  Filhos da deusa da fúria da guerra, esses semideuses possuem um conhecimento apurado em estratégias básicas e de sobrevivência. É similar a um instinto, uma intuição, uma sequência de pensamentos que permitiam ao romano a analisar o combate como se fosse uma arte. Graças a isso, raramente entra em estado de desespero quando situações de risco surgem.
Gasto de Mp:  Nenhum
Gasto de Hp:  Nenhum
Bônus:  Conseguem elaborar planos e estratégias, assim como não são abalados com a eminência de um combate ou situações de perigo.
Dano: Nenhum

Nível 2
Nome do poder: Perícia com Espadas I
Descrição: Constantemente o atributo de Belona é a espada. Filhos dessa deusa possuem facilidade com esse tipo de arma e suas derivações. Mesmo sem nunca terem usado uma espada, o semideus conseguirá se sair bem em seu manejo e no improviso.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +15% de assertividade no manuseio da Espada.
Dano: + 10% de dano ao ser acertado pela arma do semideus.

Nível 3
Nome do poder: Combate não Armado
Descrição: A prole da deusa Belona tem um vasto conhecimento sobre combates. Seu corpo e seu espíritos foram forjados para o combate. Assim, eles possuem a capacidade de luta corporal muito elevada, sabendo técnicas marciais mesmo que nunca tenha realizado uma aula sequer antes. As técnicas podem ser utilizadas para a elaboração de movimentos complexos, como mortais, piruetas, ataques acrobáticos e golpes que requeiram uma grande elasticidade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum




Avaliado por Belona
Recompensa 5.000XP – 4.500 dracmas – 4 flocos de neve


Meu espirito, minhas trevas
TAVY FALWORTH
avatar
Tavy Falworth
Demônios de Nyx
Demônios de Nyx

Mensagens : 54
Data de inscrição : 06/06/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Festival das Estações (Inverno)

Mensagem por Robin A. Deverich em Qui Jun 22, 2017 8:35 pm

Be natural
w// Izzy (oh! God)

Robin equilibrava-se sobre o gelo, tentando manter a postura de batalha que ela insistia estar sendo o mínimo que e a morena exigia. Claro que, as experiências dela sobre o gelo se tratavam das peças da época em que o natal estava por ali, porém, olhar a garota a sua frente como uma possível adversária aparente lhe exigia o máximo de concentração possível.

- Sim, estou. – Prosseguiu, porém com certo receio de que aquilo não acabaria bem. Ela tinha noção, de que aquela pequena luta não era nada séria, e que a garota a sua frente nada mais era que alguém com instinto apurado o suficiente para ver divertimento atrás de bons movimentos de espadas, porém naquele caso, de galhos de uma arvore congelada qualquer.

A garota de cabelos coloridos manteve sua atenção sobre a outra, e quando piscou a notou avançar em sua direção. O instinto da pequena ceifadora fora apenas segurar seu galho vulgo espada em tentativas de defender-se dos movimentos dela, fazendo com que prendesse um ao outro e forçando-o com força para o chão, porém ela conseguira retira-lo e novamente avançou em sua direção. Naquela situação, Robin sentia seus pés deslizarem, porém estava aos poucos dançando conforme a música que a garota chamada Izzy tocava.

Ouviu as palavras dela, e concentrada ela se preparou, da mesma forma que ela atacou-lhe novamente com o galho, Robin o fez colidirem girando seu corpo para pegar força o suficiente para empurrar-se para trás e tomar uma distância da morena. – Está esquentando, não acha?.-


— I am still in ruin
Nobody knows who i am.!


avatar
Robin A. Deverich
Ceifadores de Thanatos/Leto
Ceifadores de Thanatos/Leto

Mensagens : 196
Data de inscrição : 25/11/2016
Idade : 19
Localização : xxx

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Festival das Estações (Inverno)

Mensagem por Guitti em Sex Jun 23, 2017 4:58 pm

Febre Congelante 2.0
        Depois de ter passado por uma fria... Não, digo... Um calor danado na área do outono por causa de um incêndio causado por um monstrinho que muitos considerariam fofinho, resolvi vir mais uma vez ao inverno para esfriar a cabeça. Adorava aquele clima, combinava bastante com a minha pessoa que estava na maioria do tempo utilizando vestes que proporcionam um calor maior.

        Lá estava eu, diante de tanta neve, deitado no chão gelado. Podia sentir cada floquinho tocar lentamente a minha bochecha. Meus olhos estavam fechados e a paz era deliciosa de se sentir naquele momento. Podia também ouvir vozes perto de mim, vozes de outros campistas que estavam ali próximos a mim.

        Alguns minutos se passaram e infelizmente, aquela harmonia, aquela paz que a pouco estava sendo sentida e aproveitada por mim foi rompida. Sentei-me rapidamente após ouvir um grito feminino de uma semideusa e, assim que avistei o problema, se tratavam dos mesmos três gigantes de gelo que na semana passada haviam atacado o baile.

▬ De novo? ▬ Perguntei e fiz um sibilo com os lábios, incomodado com a presença daqueles seres ali.

        Eles lançavam novamente estacas de gelo e algumas bolas de neve pesadas o suficiente para acabarem de lançar um semideus longe. Curiosamente, desta vez eles haviam trago consigo mesmos pedaços longos de troncos de madeira. Levantei-me e me aproximei daqueles ferozes seres. Os encarei e de forma petulante comecei a falar.

▬ Querem ser derrotados de novo, da mesma forma?

        Os três olharam para mim e entraram em modo de pura fúria. Da ultima vez eu havia os derrotado usando as minhas próprias sombras, portanto, não vi problemas em usá-las mais uma vez. Os gigantes começaram a correr em minha direção, de modo que cada passada que eles davam era um tremor ainda mais intenso na terra. Felizmente, aqueles tremores não me afetavam.

▬ Pode tentar. ▬ Um deles, com uma voz super grossa me respondeu.

        Dito isso, rapidamente ergui as mesmas sombras que antes. Finas e prontas para serem penetradas em seus corpos gelados. Mas, assim que as lancei contra os gigantes, eles puseram a madeira na frente e surpreendentemente conseguiram se defender do meu ataque. Eu estava surpreso, mas, tão surpreso que fiquei alguns segundos sem reagir.

        Eu estava prestes a levar uma palmada do gigante maior que já estava próximo o suficiente para me atingir, mas, rapidamente recuperei a minha consciência e dei alguns saltos acrobáticos para trás, tornando a ficar mais uma vez seguro. Sem sessar os movimentos, os monstros começaram a avançar sobre a minha pessoa e, já irritado, causei um forte terremoto no local.

        Não só os gigantes caíram como, os semideuses também. Havia criado algumas várias crateras no chão ao meu redor e quebrado a maioria das bebidas dos bares ali perto. Felizmente estávamos em um lugar de céu aberto, senão muita gente teria morrido ali por minha causa. O mais importante é: os gigantes estavam agora no chão e atordoados e, essa era a minha chance de atacá-los.

        Rapidamente concentrei o meu poder no chão em que eu pisava e aproveitei o fato de que agora enormes pedras haviam sido criadas por mim após o terremoto. Comecei a levitar uma pedra maior que a cabeça do maior gigante e levei-a para cima da mesma. Assim que chegou lá e ele estava prestes a descolar o rosto do chão para se levantar, soltei o controle da mesma, de forma que a pedra esmagasse seu crânio de maneira massiva, restando assim apenas o pó dourado formado após a explosão de seu corpo.

        Seus companheiros levantaram em seguida e me olharam amedrontados pelo o que tinha acontecido com o seu líder. Em seguida, seguraram os troncos com certa firmeza e arremessaram contra mim. Se não fosse aquelas aulas da Evie e todo aquele meu treinamento no decorrer do tempo, eu certamente levaria essa pancada. Entretanto, depois de pular por cima dos troncos, consegui desviar com certa facilidade.

        Concentrei-me mais uma vez na pedra que havia esmagado o crânio do primeiro gigante e a levitei mais uma vez. Feito isso, utilizei a mesma para bater naqueles seres de uns três metros de altura. Eles tentaram se defender com o tronco, mas não fora o suficiente. A pedra tinha uma consistência muito maior, e isso lhes custou caro. Assim que a mesma atingiu o tronco, quebrou-o em vários pedacinhos e atingiu tanto o gigante menor quanto o seu companheiro, fazendo com que os dois fossem ao chão.

        Antes que pudessem reagir, me teleportei utilizando as sombras para onde suas cabeças estavam “deitadas” e ativei o meu anel, que rapidamente se tornou uma adaga em minha mão. Degolei o que estava acima do menor, que não conseguia se mover por causa do seu peso superior e em seguida, para finalizá-lo, enfinquei a adaga no seu crânio, tirando aquelas duas vidas.

        Por fim, ambos os corpos se tornaram apenas poeira dourada e, esperava que dessa vez eles tivessem aprendido que comigo eles não tinham vez. Estava cansado de ser incomodado e, esperava mesmo que aquela fosse a ultima vez. Girei a adaga algumas vezes na minha mão e vi que alguns semideuses me observavam com um certo medo, mas, por fim, abri um sorrisinho e voltei a me deitar na neve, ao lado de onde tinha os sangues dos gigantes.

EQUIPAMENTOS:
Adaga demoníaca: A arma curta - feita de uma mistura de ferro estígio e aço comum - é tão letal para homens quanto para monstros. Envolta em energia negra, a adaga, tem a habilidade de causar pequenas dores a mais e uma sensação de desnorteamento em seu alvo. Além do mais, pode se facilmente arremessada, já que esta volta para seu dono em apenas um turno. Quando não utilizada transformasse em um anel negro com pequenos pontinhos brilhantes. - Indestrutível
HABILIDADES:
Nome do poder: Artífice das Lâminas
Descrição: O semideus, com um pouco de treino, sabe como utilizar armas das quais nunca teve contato direto, ainda que propenso a erros. Não chega a ser perito em diversas lâminas, mas, sua maestria é minimamente mais evoluída.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +10% de precisão ao lidar com qualquer arma branca, ainda que lhe seja estranha
Dano: +5% de dano se a arma do semideus acertar o oponente.

Nome: Perícia em Parkour
Descrição: Parkour é a capacidade de usar movimentos naturais do corpo humano como correr, saltar e escalar combinadas com técnicas específicas que melhoram o desempenho do praticante perante obstáculos do ambiente. Com essa habilidade, o semideus potencializa sua habilidade corporal podendo realizar movimentos complicados e acrobáticos por causa do treino. Pode realizar saltos complexos, pular de um ponto a outro (dentro dos limites lógicos), escalar paredes, andar em locais inclinados, passar por obstáculos do cenário, escalar mais rápido.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% em equilíbrio, velocidade e flexibilidade.
Dano: Nenhum

Fortalium: O semideus que porta de tal habilidade desenvolve um tipo de agilidade para livrar-se de qualquer nó ou emboscada, por mais difícil que seja, de forma simples e prática com o adicional de perícia com armas brancas, podendo manusear qualquer uma sem maiores dificuldades.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Sempre que for amarrado ou preso por cordas mágicas, conseguirá se livrar depois um turno, o seguinte ao que foi amarrado. +20% de assertividade no manuseio de armas brancas.
Dano: +5% de dano se arma do semideus atingir o oponente.
Extra: Nenhum.
PODERES PASSIVOS:
Nível 10
Nome do poder: Atributos melhorados II
Descrição: Os demônios da noite conforme evoluem, conseguem desenvolver um pouco mais seus movimentos de esquiva, velocidade e salto, ganhando uma vantagem extra de campo ainda maior.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Durante o dia ganham + 15% de velocidade, esquiva, e salto, durante a noite essa porcentagem dobra, vira +30%.
Dano: Nenhum

Nível 13
Nome do poder: Imunidade sísmica
Descrição: Em tal nível o semideus desenvolve uma maior resistência a abalos sísmicos e qualquer tipo de terremoto, não sendo tão afetado por eles.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nível 15
Nome do poder: Visão especial
Descrição: O filho do Deus do submundo consegue enxergar facilmente mesmo através de grandes quantidades de poeira e/ou poluição. Assim como possui facilidade em ver no escuro.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nível 18
Nome do poder: Perícia com Punhais e Adagas V.
Descrição: Os demônios possuem uma facilidade natural com o manejo de tais armas, podendo rapidamente usá-las em uma ofensiva quanto na defensiva.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +30% de assertividade no manuseio de Punhais e Adagas.
Dano: + 25 de dano ao ser acertado pela arma do semideus, pois a precisão será mais certeira.
Extra: Nenhum.

Nível 20
Nome do poder: Força II
Descrição: O seu personagem ficou ainda mais forte, conforme a evolução de seus dons e poderes. Seus treinamentos lhe trouxeram resultados imprescindíveis, e agora sua força se tornou ainda maior.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Durante o dia os demônios conquistam +20% de força, durante a noite essa força dobra para +40%.
Dano:  Nenhum
PODERES ATIVOS:
Nível 5
Nome do poder: Viagem das sombras I
Descrição: Assim como seu pai e boa parte das criaturas do inferno, o semideus terá a capacidade de viajar por entre as sombras, podendo usa-las para acessar qualquer parte do mundo, mas cuidado. Em tal nível o semideus consegue apenas viajar sozinho, com a próprias armas e roupas. Quanto o filho de Hades/Plutão passa muito tempo viajando entre sombras, começa a desaparecer.
Gasto de Mp: - 15 de MP.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum.

Nível 21
Nome do poder: Umbracinese III
Descrição: Você dominou completamente sua técnica com sombras, e agora pode manipula-las e usa-las da forma como bem entender, incluindo criar uma prisão sombria, da qual seu oponente dificilmente escapara. Consegue mantê-la por até três rodadas.
Gasto de Mp: 20 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus:  A prisão sombria prende o usuário por completo, fazendo com que ele seja incapacitado de se mover pelos turnos em que a prisão estiver ativa. O Filho de Hades/Plutão consegue mantê-la por no máximo 3 turnos. Pode usar as sombras para mover coisas, e prender coisas.
Dano: 30 HP (pela prisão incapacitar os membros e aperta-los, causando certa dormência). Esse HP é retirado conforme os turnos que ficar ativo, se ficar pelos 3 o valor total da perda de HP é de 90.
Extra: Nenhum

Nível 43
Nome do poder: Geocinese Avançado
Descrição: Agora você consegue levitar as grandes rochas, move-las de lugar e atira-las contra os inimigos. Consegue criar fissuras maiores, e até fazer passagens em cavernas, moldando o caminho ao seu bel prazer. Também consegue criar barreiras de pedra ao seu redor, com no máximo dois metros de altura, se protegendo contra possíveis ataques. Você evoluiu bem.
Gasto de Mp: 50 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: O narrador define o dano causado por esse poder, pois, uma rocha pequena acertada contra o rosto de alguém não tem lá um grande dano, mas uma rocha maior pode causar algum estrago.

Nível 55
Nome do poder: Terremoto Avançado
Descrição: Agora o semideus consegue fazer a terra tremer até 1 km de distância, derrubando inimigos e causando aberturas maiores sobre o solo, podendo chegar a abrir pequenas crateras sobre o chão em formato de círculos pequenos, mas não fundos, apenas o suficiente para fazer os inimigos caírem e se desestabilizarem. Você é capaz de criar uma espécie de onda no chão, causando um estrago ainda maior, podendo chegar a derrubar não apenas inimigos, mas virar objetos que estejam ao redor, comprometendo o ambiente com sua fúria.
Gasto de Mp: 100 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Pode causar danos, mas fica a critério do narrador conforme a intensidade do terremoto, e do que foi feito, a forma com que foi usado.
Dano: Nenhum
Extra: Dura um turno, pra ativar novamente precisa gastar mais MP.




DEATH ITSELF
Guitti
HELLO DARKNESS MY OLD FRIEND
avatar
Guitti
Lider dos Demonios
Lider dos Demonios

Mensagens : 242
Data de inscrição : 09/03/2017
Localização : Acampamento Meio-Sangue.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Festival das Estações (Inverno)

Mensagem por Pandora M. Drumachesky em Sab Jun 24, 2017 5:35 pm



Chocolate quente, pipoca, sopa e outras gostosuras preenchiam a festa do baile de inverno, meu novo destino. Eu tinha feito um trato com a minha pequena rosquinha e estávamos percorrendo os quatro cantos da ilha a fim de devorar toda a comida possível. A variedade era enorme, cada estação tinhas suas peculiaridades, e nós duas – tanto eu quanto meu pet fofo – estávamos amando isso. Lauren nos seguia claro, ela não ia me largar sozinha naquela ilha maluca, mas nem sempre participava de nossas competições.

— Você vai passar mal mais tarde — Lauren me avisou ao me ver enfiar mais rosquinhas na boca, mas eu dei de ombros e ela acabou revirando os olhos em minha direção.

— Não consigo desistir, estão uma delícia, prove — Enfiei uma rosquinha na boca da minha namorada e sorri mais ainda ao ver sua careta, mas ela acabou rindo, e eu depositei um beijo em sua bochecha. — Eu disse que eram boas — Pisquei discreta antes de voltar a tomar meu chocolate quente.

De todas as festividades apresentadas pelo acampamento ao longo dos anos, aquela certamente estava sendo a melhor, eu estava tão satisfeita, que me sentia flutuando nas nuvens mesmo com as confusões ao redor da ilha. Afinal, não é todo dia que duendes amaldiçoam semideuses a vomitar arco-iris e sátiros malucos cantam semideuses desprotegidas para atingir as namoradas.

Relaxei na cadeira, cheia demais, mas ainda desejando um pouco de pudim, olhei ao redor e estava pronta para levantar e ir até a mesa quando a confusão começou. Foi uma mudança sutil – nem tanto – a parede do lado norte da festa se rompeu do nada, pedaços de gesso caíram no chão, alguns convidados gritaram e uma moça foi agarrada por um gigante de gelo. Estava tudo normal, eu ainda podia pegar meu pudim certo?

— Vamos ajudar — Lauren tocou meu braço, me fez erguer o olhar e fazer um bico, afinal o pudim estava perto e eu não gostava de gigantes de gelo.

— Amor.... — Reclamei, tentei puxar o braço e ir em busca do meu pudim, mas ela me olhou daquele jeito dominador e lindo e eu, eu não tive escolha me rendi.  Suspirei baixinho e olhei em direção a rosquinha, que ainda devorava uma bacia de pipoca. — Tudo bem, esconde ela, eu lido com dois deles, você pega o terceiro okay? — Perguntei, afinal sabia como fazê-los se atacar sem fazer um esforço grande, já Lauren era punho, força, e sangue, ela era prole do deus da guerra, amava uma boa briga, eu não deixaria ela perder tamanha diversão.

Ela assentiu, pegou minha panda no colo e se afastou com ele para algum lugar. Eu? Chorei internamente pelo meu pudim e caminhei em direção as duas feras, pronta para desmonta-las. Não mexam comigo quando estou com fome ou desejando muito um doce, eu fico realmente perdida e irritada, tendo a responder pelo impulso e acabo agindo de uma forma mais semelhante a dos filhos de Ares. É convívio com uma também.

— Ei grandalhão, você aí mesmo, o da barriga gigante e pés chatos? O balofo coisa fofa, pega um banco ou dois e para de atrapalhar a festa! — Gritei, e pronto, o bicho virou em minha direção, soltou a moça de qualquer jeito e me fez recuar.

Um rugido alto atingiu-me em cheio, o frio ao redor se tornou mais intenso, mas graças aos deuses e a minha mãe, o ar invernal já não me atingia tanto assim. Sorri com malicia, deixei meu corpo translucido e mais leve, então levitei até a cabeça do gigante, e me sentei bem em cima do seu nariz. A fera levou a mão de encontro ao rosto, mas não pode me pegar, afinal toda vez que tentava passava através de mim.

Irritado, ele socou o rosto, me fez gargalhar alto com isso, ele não podia me atingir, mas machucava a si mesmo, isso era cômico e muito engraçado. A criatura estava irritada e frustrada, mas ainda não podia atingir meu corpo, e eu iria me aproveitar disso muito bem. Estralei os dedos e invoquei uma bola de energia leve, então a lancei de encontro ao segundo gigante, o provocando também. O segundo gigante se agitou e virou em minha direção, sua face era de pura fúria, mas eu o ignorei completamente. Acenei em sua direção e joguei beijinho, apenas para deixar o gigante mais irritado.

— Foi ele — Apontei para baixo, indicando o primeiro gigante, aquele que eu ainda estava sentada sobre o nariz. O segundo gigante se aproximou, fechou a mão e levou de encontro a face do primeiro, tentando me pegar, mas assim como tinha acontecido com o primeiro monstro, esse também cortou o ar ao meu redor, sem conseguir atingir meu corpo, e de quebra, socou seu amigo. Gargalhei alto com isso, mostrei a língua para o gigante e passei a provocar ainda mais.

— Você não me pega, você não me pega! — Eu parecia uma criança provocando as criaturas, mas estava me divertindo à beça enquanto via o segundo gigante socar o primeiro uma segunda e uma terceira vez, irritando seu amigo a ponto de fazê-los brigar entre si. Provoquei a intriga, era a deixa para sair de fininho. Deixei que eles se matassem ao voltar para o chão flutuando, até pousar os pés delicadamente sobre o solo firme, então me preparei. A distração dos gigantes entre eles me permitiu ganhar tempo para puxar o cajado, deixar meu corpo normal novamente e puxar meu cajado, armando-me para a batalha.

— Nervi! — Atingi o primeiro gigante, e logo após esse o segundo também, paralisando-os no lugar por um curto período de tempo, tempo esse que usaria para mandar os dois para visitar mamãe no inferno. — Lacarnum Inflamare — Invoquei as colunas de fogo ao redor do corpo dos gigantes de gelo, e derreti ambos de dentro para fora. Eram cinco ao todo, surgiram entre o pescoço e os pés para desmontar os dois em questão de segundas, os fazendo derreter completamente, até deixar para trás uma poça grande de água. Com isso, os responsáveis da limpeza podiam lidar.

Olhei ao redor ao terminar meu serviço, bem a tempo de ver minha namorada acabar com seu próprio oponente, sorri orgulhosa e então corri até ela, apenas para me atirar de encontro ao seu corpo e encher seu rosto de beijos. — Minha heroína — Sorri largo, ela riu baixinho e então me beijou, não existia maneira melhor de terminar o dia.
Poderes Ativos:

Nível 43
Feitiço: Nervi
Descrição: Um feitiço que causa paralisia no nervo que for atingido por esse feitiço.
Gasto de Mp: -40 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Caso seja realizado durante a lua minguante, há uma chance de +30% de que ele funcione corretamente.
Dano: 30 HP
Extra: Apenas verbal.

Nível 58
Feitiço:  Lacarnum Inflamare.
Descrição: Colunas de fogo azul irrompem do chão, em vários pontos do campo de batalha. Até cinco colunas podem surgir.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: -80 MP
Bônus: Caso seja realizado durante a crescente, há uma chance de +30% de que ele funcione corretamente.
Dano: 90  HP se atingir alguém
Extra: Com certo treino, pode ser feito apenas sendo mentalizado.

Nível 52
Nome do poder: Intangibilidade IV
Descrição: O semideus tem a natureza semelhante a um fantasma, e sendo filho da rainha deles, poderá conseguir deixar partes do corpo invisível, assim como os fantasmas, fazendo objetos, armas, e até qualquer outra coisa, passar através dele. Além de deixar o corpo todo invisível, agora consegue concentrar sua energia, e atacar seus oponentes nessa forma, porém o gasto de energia é grande, e torna difícil atacar e se defender ao mesmo tempo.
Gasto de Mp: 40 MP (por turno ativo)
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum

Nível 47
Nome do poder: Levitação III
Descrição: O seu personagem se tornou experiente, e além de levitar como um fantasma, agora tem total controle sobre esse poder, pode avançar vários metros acima do solo, e voar perfeitamente, flutuando como um balão, leve, e com total controle. Estando nesse estado, seu corpo se torna leve como o de um fantasma, portanto, fica fácil para você controlar esse poder, mas lembre-se, quanto mais alto, mais energia você gasta, e quanto mais tempo em luta nesse estrago, maior será o efeito dele sobre seu corpo.
Gasto de Mp: 25 MP (por turno ativo).
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Consegue levitar até no máximo, 7 metros do chão.
Poderes Passivos:

Nível 19
Nome do poder: Feiticeira III
Descrição: Você está ficando cada dia mais forte, Circe está orgulhosa de você. Sua personagem dominou a arte da feitiçaria conforme o esperado, tornando seus feitiços experientes, fortes e controláveis. Você dominou sua magia por completo.
Gasto de Mp:
Gasto de Hp:
Bônus: +20% de força em feitiços (poderes ativos).
Dano: +15% de dano se o feitiço acertar o oponente.

Nível 17
Nome do poder: Pavor
Descrição: O semideus tem uma aura natural, e fantasmagórica ao redor do seu corpo, que causa calafrios e medo em seus oponentes. Por onde passa tende a instigar o medo, o cheiro da morte, sua presença por si só, já faz com que seus inimigos hesitem.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Causa confusão e medo em seu oponente, fazendo com que hesitem durante o primeiro turno, lhe dando a chance para atacar com mais voracidade.
Dano: Nenhum

Nível 23
Nome do poder: Inteligência
Descrição: Os filhos de Melinoe são mais inteligentes que a maioria dos campistas, perceptivos, e que aprendem muito rápido. Não é nada comparado a um filho de Athena, mas chega perto. Isso permite que identifiquem coisas mais facilmente, resolvam mais mistérios e descubram problemas que os outros não conseguem.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de percepção em batalha, sendo capaz de descobrir pontos críticos. +25% de chance de suas estratégias funcionarem conforme o esperado.
Dano: Nenhum

Nível 39
Nome do poder: Agilidade III
Descrição: Agora sua habilidade de esquiva está quase perfeita, é um semideus ágil e esperto, e escapar de armadilhas, cordas, ou amarras não é um problema, você também ficou mais rápido, pensa e descobre saídas com certa facilidade. É, você é mesmo um gatuno.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +30% de velocidade, agilidade, e flexibilidade.
Dano: Nenhum
Bonus de Xp e dracmas:

• Play Plus – Sua sorte triplicada? Isso mesmo, toda postagem executada por seu personagem nos próximos 3 dias terá a XP triplicada. (Válido até o dia 23/06)

Coin – O coin é um pequeno bichinho da sorte que pode torna-lo mais rico, toda postagem executada por você nos próximos 5 dias ganha dracmas dobrados (Válido até o dia 26/06).





Pandora Maya Drumachesky



Não tenha pena dos mortos, e sim dos vivos.
avatar
Pandora M. Drumachesky
feiticeiros de Circe
feiticeiros de Circe

Mensagens : 598
Data de inscrição : 17/01/2016
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Festival das Estações (Inverno)

Mensagem por Lauren L. Hill em Sab Jun 24, 2017 6:28 pm




CAN YOU FEEL THE WARMTH?
Where I'm coming from, it's the darker side of me that makes you feel so numb
Lauren estava há alguns dias rondando todos os quatro cantos da ilha com Pandora e a sua pandinha – seu presente para a namorada em uma data especial, chamada Rosquinha –, mas não enfiava goela abaixo os aperitivos e peculiaridades presentes nos locais. E é claro, pelos treinos pesados e a rotina intensa de treinos corporais, corridas e tudo que envolvia exercício físico, a filha de Ares e agora atual Celestial, recusava alguns dos doces oferecidos pela namorada, já que não poderia sair da dieta que consistia em comidas simples e leves, e obviamente, livres de calorias como aquelas comidas que a ruiva agora tinha em frente aos seus olhos e que a namorada, Pandora, se matava de comer junto ao seu novo animal de estimação.

Estava há cerca de um ano acompanhando a rotina daquela garota, vivendo seu dia a dia assim como ela vivia o de Lauren, mas nunca se acostumaria em como a namorada enchia os olhos ao ver tantas guloseimas. Ela comia com gosto e isso tornava fácil para Lauren agradar a futura mulher. Mas, apesar de achar engraçado e fofo o amor da namorada pelas perdições, a celestial já havia perdido as contas de quantas vezes havia avisado que Pandora provavelmente passaria mal horas mais tarde por comer tanto e de maneira tão desenfreada, acompanhada de Rosquinha.

De qualquer maneira, aquilo fazia a felicidade da feiticeira e em algum momento, sentiu perder o sentido em cobrá-la controle em um momento de sossego e de proveito.

— Amor! Pando... — foi impedida de continuar brigando com a namorada ao ter a rosquinha completamente enfiada na boca, mastigando-a quase que de maneira obrigatória. Lauren sempre acabava cedendo para fazer a alegria da morena, e como sempre, riu sem deixar de encará-la um pouco brava, fingindo irritação. Já haviam comido demais como em todo canto que iam e, Lauren, àquela altura, estava de barriga cheia, quase explodindo.

—x—


Estava em momentos de risada com Pandora e Rosquinha, vendo a sincronia de ambas e sentindo o peito aquecer com o afeto que uma tinha com a outra. Nunca havia tido tanta certeza sobre um presente para a feiticeira, havia acertado em cheio ao ver aquele pequeno panda que tinha as características da namorada. É claro que, de uma maneira insana, elas se deram tão bem quanto havia imaginado.

Mas, assim que Lauren ouviu um suspiro de satisfação, pôde ouvir em seguida gritos ecoarem do lado norte da festa e uma confusão se instalar no ambiente. Quando se levantou para ver melhor o que estava acontecendo e correu os olhos para o norte, notou um gigante de gelo agarrar uma mulher e seu grito, levemente estrondoso e agudo, ecoou ainda mais alto pela festa. Sabia que não conseguiria evitar, Lauren tinha um espírito altruísta e passional pelo próximo e, quando voltou a se sentar, olhou em expectativa para Pandora, que era preguiçosa demais para ajudar qualquer pessoa.

— Vamos ajudar! — disse acenando para o canto com a cabeça e notou a namorada fazer custo. Deixou os ombros cair e a olhou de maneira piedosa e fofa, sabia que seria difícil ela negar mais uma vez.

Quando a feiticeira topou, Lauren deixou um sorriso curvar em seus lábios e atendeu ao seu pedido pegando a Rosquinha de maneira extremamente protetora nos braços, deixando um beijo estalado na bochecha de Pandora antes de se afastar e correr para guardar o pequeno Panda embaixo da mesa coberta por um pano de mesa escuro. Se agachou e lançou um olhar protetor e confiante para a criaturinha mágica. — Fique aqui, está bem? Já volto pra te buscar... — avisou Rosquinha e lhe deu um beijo no foucinho, voltando a se levantar, ali ela estaria escondida mesmo que não fosse de uma maneira completamente segura.

Corri o olhar pelo lugar e vi o terceiro monstro de gelo rugir espantando as pessoas. Grunhi baixinho levemente irritada e agachei-me, formando uma poça sombria de onde o meu Cão Infernal, presente de Pandora, surgiu já ronronando, deixando a baba em sua boca deslizar pelo canto do seu foucinho.

— Distraia ele pra mim, leve-o para o lago e brinque com ele, canse-o, tudo bem? — a celestial mandou o Cão Infernal fazer com a estratégia toda montada na cabeça.

Pelo pouco que compreendia de química, seu plano funcionaria muito bem. O filho de Cão Infernal começou seu percurso até o monstro de gelo com passos famintos e calculados, até pegar velocidade e começar a brincar com o grande monstro. Enquanto isso, Lauren correu ativando sua Rage no caminho até o lago e ao chegar, levantou a espada acima da cabeça para fincar sua lâmina no gelo, trincando-o e fazendo uma abertura com mais de 5 metros de diâmetro, o suficiente para o gigante de gelo cair e ali, misturando o gelo com a água, ele perderia suas articulações. Em pouco tempo, seria uma bola de gelo.

Olhou para trás de si pelo ombro e pôde notar seu filhote se aproximar com o monstro, aproximou-se do jardim coberto de neve e fez uma bola de neve com o que tinha ao redor do lago, jogando-a bem na cabeça do monstro conseguindo sua atenção. O filho prendeu seus dentes no gelo mas logo o soltou, sentindo uma sensibilidade tão forte que o pequeno sentiu o foucinho congelar. Então, com raiva, a celestial se defendeu do punho fechado do grandalhão pondo a espada em frente à si, bloqueando seu golpe. Naquele momento, era a única coisa que poderia fazer, repetindo a defesa e atacando-o quando conseguia enquanto dava passos para trás para atraí-lo até o buraco na pista.

Sabia que prejudicaria a diversão de alguns, mas no desespero, fora sua única solução. Quando sentiu o gelo trincar sob os pés, escorregando para trás enquanto pressionava a espada contra seus braços grossos em formato de gelo, Lauren só conseguiu pensar em seu filhote naquele momento. — Hell! — gritou, chamando a atenção do bosque todo para si e, ouvindo as patas do seu filhote se aproximarem, se agachou e passou por baixo das pernas do gigante quando, com as patas, Hell o empurrou para dentro do lago e ele caiu de cara na água gelada, sendo levado pela correnteza do lago para mais fundo.

Aos poucos, pôde observar a transformação ocorrer naquele gigante e ele virar apenas uma bola. Sorriu de maneira vitoriosa puxando apenas a lateral dos lábios e se agachou na altura do filhote, bagunçando seus pelos entre as grandes orelhas do animal. — Meu garoto. — sussurrou toda orgulhosa voltando a se pôr de pé, saindo de cima do lago congelado, procurando por Pandora.

Seus monstros viraram líquido e ao vê-la correndo em sua direção, Lauren sorriu orgulhosa da namorada e a segurou nos braços afundando um pouco mais na espessura de neve, levantando-a do chão quando afundou o rosto em seu pescoço, beijando a região, afastando o rosto em seguida para receber uma bomba de beijos. Adorava aquilo, não conseguiu evitar sorrir largo. — Minha pequena e grande feiticeira. — retrucou o elogio e segurou na nuca da namorada a colocando no chão pra lhe dar um beijo delicado e intenso.

Poderes:
Passivos:
Nível 8
Nome do poder:
Velocidade Atlética.
Descrição:
Um bom combatente sempre está preparado fisicamente para os futuros combates, sendo que as proles do deus da guerra levam a sério seus treinamentos rígidos, buscando sempre serem melhores. Devido a condição física e biológica natural do semideus, e de seu empenho nos treinamentos, são quase tão rápidos e ágeis quanto filhos de Hermes, conseguindo correr longas metragens sem se cansarem. Movimentos de finta, esquiva e outros que requeiram velocidade/agilidade, sempre possuem mais chances de funcionar contra inimigos mais lentos, além de perderem em uma corrida apenas para seres tão velozes quanto filhos do deus mensageiro.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: 50% de chance de conseguir se esquivar, pular, e saltar em uma luta com inimigos mais fracos, ou mais lentos.
Dano: Nenhum

Nível 24
Nome do poder:
Pericia com laminas III
Descrição:
Você está se desenvolvendo bem, e agora além de atacar, arremessar e aprender a lidar com diversas laminas diferentes (espadas, lanças, adagas e facas), também consegue se defender com ela, e dificilmente é desarmado.  
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +55% de assertividade no manuseio de laminas.
Dano: +20% de dano se o adversário for atingido pelo semideus.

Nível 42
Nome do poder:
Força IV
Descrição:
Você andou malhando? Seu treinamento tem apresentado resultados surpreendentes, e sua força é sem dúvida sua principal arma, você ainda precisa de uma para lutar?
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +40% de força
Dano: +20% de Dano se o ataque do semideus atingir.[/color]
ITENS:
♈ Rage [Espada longa, com cerca de um metro de comprimento e largura consideravelmente grande. A lâmina é feita de bronze celestial, tão afiada que um mero toque é capaz de causar ferimentos, possuindo setenta centímetros da ponta à base. Abaixo da base, a guarda da arma é o entalhe da cabeça de um javali, feita em ferro e com dois rubis em seus olhos, aparentemente foscos e apagados. O punho é feito de madeira, e seu design permite que a espada seja segurada com uma ou duas mãos – embora a força exigida seja bem maior caso seja empunhada com apenas uma. Quando o dono da espada entra em combate, as joias do javali começam a brilhar em um tom intenso de vermelho. Sempre que a espada causa dano em um inimigo, ela suga parte da vida retirada – 25% - e passa para o portador, caso este esteja ferido, restaurando assim parte da sua vida.] [400 dracmas]
Triplicador:
• Play Plus – Sua sorte triplicada? Isso mesmo, toda postagem executada por seu personagem nos próximos 3 dias terá a XP triplicada. (25/06/2017)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Festival das Estações (Inverno)

Mensagem por Abramov-Maciej Levitz em Dom Jun 25, 2017 1:02 am


Febre Congelante
gigantes de gelo
Não há enrolações dessa vez, nada de trama antes da ação, nem firulas para passar o tempo. Abramov estava no bosque do inverno, frente à frente com três gigantes de gelo, prontos para lhe partir ao meio na primeira oportunidade. O porque de estar ali era bem simples. Assim como os trolls tinham retornado, as criaturas do território do inverno também estavam de volta. A sorte foi que dessa vez um campista, que passava perto da caverna dos monstros, notou uma movimentação estranha por lá, e alertou aos outros de que algo estava errado. Estando por perto na hora da notícia, o filho de Zeus logo se voluntariou para ir até lá investigar, e já sabendo o que encontraria, foi preparado para um segundo round contra aqueles monstros.

– Ok, feiosos, acho que vocês já sabem como isso funciona. A gente luta, vocês perdem, e depois somem por mais um tempo. – Ele diz, enquanto aponta a espada para os gigantes. Estava de saco cheio desse respawn irritante, e como estavam literalmente ilhados, não dava para só ir embora e deixar aqueles bichos na deles. Principalmente por estes em específico terem ido atrás dos semideuses antes, estragando uma festa que era dada na época.

Nenhum dos gigantes lhe responde, como se não entendessem o que ele dizia, ou apenas não se importassem. Seja como for, um deles lança uma rajada de gelo no adolescente, atingindo o pé direito deste, que pula meio atrasado para longe do ataque. Com o empecilho pesando em sua perna, Abramov não consegue se mover muito bem, quem dirá voar, então acaba sendo atingido por uma rajada de bolas de neves, chegando a ser arremessado a metros de distância.

"Caralho!" Se amaldiçoa, por ter falado tanto e agora estar naquela situação.

Transtornado, Ab usa o cabo de sua espada para quebrar o gelo em seu pé, e depois se por de pé. Os gigantes voltam a lançar mais bolas de neve contra o semideus, mas dessa vez ele se protege atrás do tronco de uma árvore qualquer, até os tiros acabarem. E quando isso acontece, o rapaz ginga seu corpo para o lado e lança um raio, previamente energizado com seu anel, na direção de um dos gigantes. Uma rajada de gelo vem ao mesmo tempo, confrontando o ataque do semideus, e eventualmente sobrepondo-o. O raio é dissipado e a rajada vem em sua direção, obrigando Abramov a se esquivar mais uma vez.

Tendo seu primeiro ataque falhado, o campista parte para uma ofensiva mais direto. Para começar, escolhe um dos três gigantes e faz uma bolha de ar surgir na cabeça do mesmo. A bolha retira todo o ar ao seu redor, causando asfixia e consequentemente levando a criatura ao chão por conta do efeito. Um dos outros monstros que estava livre tenta lançar mais rajadas de gelo em Ab, e começa a correr ao redor de seu inimigo. E quando parece que o semideus vai ser atingido, ele aponta sua espada para o gigante, fazendo um raio cair do céu, em meio á nevasca, e o atingir.

"Two down, one to go." Mentaliza.

Seu último oponente tenta acerta-lo com socos à curta distância, mas o rapaz voa e se mantém à salvo dos golpes. Sua movimentação aérea era muito superior à terrestre de seu adversário, portanto ele consegue corta-lo vem vários pontos do corpo sem ser pego. Um corte nas costas, e antes que o gigante de gelo pudesse se virar totalmente, Ab já estava acertando suas costas, e depois voando pela direita e lhe acertando na barriga. As feridas são fundas o bastante para abrir levemente a pele do bicho, e quando termina com elas, Abramov lança mais raios contra seu oponente. A pele aberta expõe o sangue à eletricidade, causando mais dano do que de comum, e enfim derrubando o terceiro dos gigantes.

O filho de Zeus avança contra seus inimigos que se contorciam na neve do chão por diferentes motivos, e lhes dá um golpe final. Ao fim, apenas se joga na neve e fica lá olhando para o céu. Seu pé direito doía, e haviam hematomas em algumas partes aleatórias de seu corpo, provenientes das bolas de neve que lhe atingiram com força antes. Porém, ele não pensa em nada disso, e sim em como vai fazer para descongelar seu tênis sem o danificar posteriormente.

Habilidades Utilizadas

Spoiler:
Nome do poder: Bolha Inversa
Descrição: O semideus cria uma espécie de bolha ao redor da cabeça do inimigo, e retira todo o ar ao redor dele, causando asfixia. O oponente do filho de Zeus/Júpiter consegue manter a bolha ao redor do inimigo por dois turnos inteiros, e quando a libera terá seu oponente desmaiado – isso não o mata – ou tonto demais para pensar e agir, totalmente vulnerável a ataques pelos turnos seguintes.
Gasto de Mp: 70 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: 100 HP
Extra: Dura dois turnos. Em casos de semideuses resistentes a falta de ar (Éolo e Zeus/Júpiter) o resultado seria apenas tontura.

Nome do poder: Intensificação
Descrição: O semideus é incapaz de gerar eletricidade, no entanto, poderá, em tal nível intensificar correntes elétricas as deixando mais fortes. Podendo no máximo dobrar o valor da corrente de determinada arma ou objetos que tenha eletricidade.
Gasto de Mp: - 60 de MP
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.

Nome do poder: Descarga Avançada
Descrição: A prole de Zeus/Júpiter poderá manipular a eletricidade, desde que seja extraída de algum item, objeto ou de meios naturais, podendo aplica-la sobre o corpo de algum indivíduo até que tal carga seja extinta.
Gasto de Mp: -65 de MP
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: - 100 de HP, no entanto se o alvo estiver molhado ou com a pele rompida o dano poderá duplicar ou triplicar.
Extra: Nenhum.

Nome do poder: Velocidade Divina II
Descrição: Assim como raios o semideus poderá atingir uma velocidade maior, no entanto não será semelhante a velocidade da luz. Apenas a movimentação do semideus prole de Zeus/Júpiter se torna mais eficaz quando tal poder encontra-se ativo. Em tal nível a velocidade do semideus torna-se semelhante a velocidade de um filho de Hermes em ótima forma.
Gasto de Mp: - 35 de MP por turno que estiver ligado.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
Extra: Nenhum.

Nome do poder: Rei Furioso
Descrição: Apontando sua espada para um determinado inimigo, um raio cairá do céu e o atingirá. Este raio não é forte o suficiente, e não poderá matar seus inimigos, mas consegue atordoa-lo e deixa-lo incapacitado de lutar pelo turno seguinte, os olhos do oponente ficarão turvos, e seu estomago embrulhado, além dos músculos pareceram ficar meio trêmulos. Isso o impede de usar poderes ativos que precisem de mira, pois, não será capaz de acertar o filho de Zeus/Júpiter, armas a mesma coisa.
Gasto de Mp: 50 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: 60 HP
Extra: Nenhum

Nome do poder: Voo IV
Descrição: O semideus concentra uma grande parte de sua energia e consegue içar a mais metros do chão. Ao redor de seu corpo, correntes de ar o mantem estável e equilibrado, ele também consegue ficar mais rápido, desde que se concentra mais ainda tem dificuldade em batalha, e se for acertado, pode acabar perdendo parte do equilíbrio e despencando alguns metros. É bom se manter atento.
Gasto de Mp: 20 por turno ativo.
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Já pode se erguer até 10 metros acima do solo.

Nome do poder: Movimentação Aérea I
Descrição: Estando em pleno ar o semideus possui uma movimentação superior a outros semideuses, sendo melhor no ar do que em terra. Como se fosse um pássaro.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: +27% de força e velocidade quando o semideus lutar enquanto flutua.
Dano: +23% de dano quando o inimigo for atingido pelos poderes ativos do semideus.

Armas Utilizadas

Spoiler:
ϟ Mini Raio Mestre - Um anel que permite ao prole de Zeus soltar mini raios infinitos. Tem ¼ do poder do Raio de Zeus, a corrente elétrica que há nele pode gerar mais alguns raios minúsculos que causam graves queimaduras.

ϟ Espada Neal – Feita de ouro celestial, assim como o escudo, sua lâmina pode ferir tanto semideuses quanto mortais. Tem 90cm de lâmina e 15cm na base que é azul escuro com pequenas pedras lunares, o manuseio é perfeito para filhos de Zeus, quando absorvida a energia de raios a espada fica mais forte. Transmuta-se em um colar em forma de raio.


- - - Avaliação da Arcus - - -

Recompensas : 3.200 XP 3.200 Dracmas 3 flocos de neve.

Comentários gerais:

A esquerda estão os valores máximos e à direita os valores recebidos

• 50% - Enredo e coerência de batalha - 40%
• 20% - Gramática - 15%
• 30% - Criatividade - 25%


A tia não tem muita certeza se gigantes de gelo respiram, houveram alguns erros gramaticais, mas coisa pouca. Dúvidas pode tirar por MP



Ain't my fault
avatar
Abramov-Maciej Levitz
Lider do chale de Zeus
Lider do chale de Zeus

Mensagens : 468
Data de inscrição : 28/05/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Festival das Estações (Inverno)

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 7 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum