The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Aula Fixa III - Pericia com Arcos

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ir em baixo

Aula Fixa III - Pericia com Arcos  - Página 2 Empty Re: Aula Fixa III - Pericia com Arcos

Mensagem por Emmanuelle S. H. Henz em Sex Abr 06, 2018 11:47 am

Modelo de Avaliação
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp
Bônus de aula: + 50
Bônus Geral: +50 por cada aluno presente na aula.

Alyson E. V. Schwartz  
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Bônus de aula: + 50
Bônus Geral: +100
Total: 300

 Pietro Di Giorgio  
Criatividade: 38
Ortografia: 38
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 18
Bônus de aula: + 50
Bônus Geral: +100
Total: 294


Ps: Eu não fiz comentários individuais de cada aula por falta de tempo, raramente faço esses comentários também. Contudo dou liberdade para qualquer um dos presentes me procurar via MP caso deseje essa avaliação detalhada.



Emmanuelle Sophie Hayes Henz
She smiles and the world changes color
Emmanuelle S. H. Henz
Emmanuelle S. H. Henz
Filhos de Poseidon
Filhos de Poseidon

Idade : 23
Localização : Seguindo em frente..

Voltar ao Topo Ir em baixo

Aula Fixa III - Pericia com Arcos  - Página 2 Empty Re: Aula Fixa III - Pericia com Arcos

Mensagem por Circe em Dom Abr 08, 2018 10:05 pm

XP: 30 (X2) = 60
DEACMAS: 50 (X2) = 100

Atualizados


Circe, The lady of magic


∆ LYL - FG
Circe
Circe
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários


Voltar ao Topo Ir em baixo

Aula Fixa III - Pericia com Arcos  - Página 2 Empty Re: Aula Fixa III - Pericia com Arcos

Mensagem por Aislynn Prescott em Qua Jun 13, 2018 7:21 pm


Mais uma lição
 
Aislynn foi pega de surpresa. Imaginou que seria mais algum treino com alvos, ou, quem sabe, uma luta entre arqueiros. Não esperava que estivesse entrando em uma sala de projeção. Era a sua primeira vez, o que a deixava mais nervosa. Além disso, os seus colegas iriam assistir, assim como ela os assistiu. Independente de quantas vezes realizava atividades em público, nenhuma delas permitiu se acostumar. — Tudo bem, é só dar o seu melhor. — Sussurrou ao posicionar-se no local.  

Por enquanto, tudo estava branco e espaçoso no local. Quando a porta fechou, escureceu, Aislynn não conseguia encheram absolutamente nada. Seu coração palpitou, não gostando de estar nessa situação. Entretanto, uma tocha acendeu ao seu lado. O objeto estava colocado a um apoio na parede, todas as demais também fizeram o mesmo, iluminando o lugar. Agora conseguia distinguir o espaço, parecia estar em uma espécie de túnel subterrâneo, pois as paredes eram feitas de barro, o teto era reto e, se ela esforçasse, com um pulo alto conseguiria tocá-lo.  

Não ouviu qualquer barulho ou indicação de que algo estava perto. Mesmo assim, ficou em modo defesa. Retirou seu arco das costas e uma das dez flechas da aljava. Por mais que conseguisse produzir as suas, neste momento seria tolice já que elas brilhavam. Agradeceu a Emmanuelle que avisou no início que não era bom depender sempre de flechas brilhantes, principalmente em momentos que seria útil passar despercebida. Concentrando-se para produzir o menor ruído possível, Aislynn atentou nos passos que dava.

A sua retaguarda tinha apenas uma parede, por enquanto precisava se preocupar apenas com a frente, ou seja, para onde estava indo. Apesar das tochas, a sua visão ainda era prejudicada, a iluminação estava precária. Depois de alguns passos, a pequena parou ao chegar a uma encruzilhada, sem saber qual caminho tomar. Todavia, sons de armadura e passos fortes ecoaram tanto pelos lados quanto pela frente. Imediatamente a semideusa posicionou e mirou no corredor a frente, por mais que eram mais de um, só possuía uma flecha por hora.  

Assim que identificou algo movendo ela tencionou um pouco mais o arco, focando um a cima do centro do corredor, e liberou a flecha sem esperar ficar nítido o seu oponente. Ouviu um grito e o som de um corpo caindo. Aislynn olhou para a sua direita, para a sua esquerda. Dessa vez as criaturas estavam perto, o suficiente para conseguir vê-los. — Espartanos! — Assim que pronunciou, o da esquerda lançou a lança com maestria, pronto para atingi-la. Por ter acompanhado os movimentos dele, percebendo que iria lançar, a semideusa conseguiu ser ágil o suficiente para desviar do caminho, levando o corpo para trás.  

O outro, com o campo de visão ofuscado por Aislynn, apenas viu a lança na sua direção quando ela desviou, mas já estava perto demais para ele fazer o mesmo. A ponta afiada fincou no peito do espartano que, soltando o escudo e a lança, caiu. Irritado, o desarmado que sobrou avançou para cima da semideusa. Antes que pudesse reagir, ele a prensou entre a parede utilizando o escudo, de forma que ela não conseguisse escapar. Era como se seus órgãos estivessem sendo esmagados. Tentou lutar contra, mas sua força era nada comparada com a de seu inimigo.  

Mudando de estratégia enquanto ainda restava tempo, utilizou seu pé para chutar o joelho do seu inimigo com força, assim como fez em uma luta que participou. O espartano fraquejou, o suficiente para ela utilizar o pé para empurrá-lo, libertando-se. Imediatamente pegou mais uma flecha em sua aljava e, ao invés de posicionar no arco, a enfiou no pescoço do seu inimigo, retirando em seguida. Optando por não o observar sangrar até a morte, saiu da encruzilhada seguindo pela direita.  

Não se preocupou em fazer barulho, por conta da luta anterior tinha a certeza que chamou bastante atenção. Mais um motivo para manter o arco o tempo todo preparado para atirar e olhar tanto para frente quanto para trás. Utilizou a flecha ensanguentada para não perder tempo. Chegando ao fim do corredor, deparou com um espaço circular que indicava o fim por aquele lado. Entretanto, não poderia simplesmente dar as costas e se retirar, pois mais dois espartanos estavam a encarando, prontos para avançar.  

Sem perder tempo, apoiou a flecha em seu queixo para mirar na testa do mais próximo e soltou. O seu rival caiu quase que imediato, virou para acertar o próximo, já com a flecha reluzente aparecendo em seu arco, mas antes que a soltasse, um terceiro espartano acertou sua arma com a ponta da lança, jogando-a longe. Por ser pega de surpresa pelo novo rival, acabou demorando a reagir, o que deu tempo para o terceiro cortar parte de sua bochecha. Por mais que fosse simulação, a dor era real. Antes que ele a atacasse novamente, a semideusa retirou duas flechas com cada uma de suas mãos e, como proteção, fez um x com elas, impedindo o segundo ataque.  

Não esquecendo o segundo espartano, Aislynn produziu um brilho ao redor de seu corpo como defesa para a sua retaguarda. Os dois, tanto o de trás quanto o da frente, gritaram ao sentir os seus olhos arderem. Tirando vantagem da situação, a semideusa juntou forças e empurrou, mesmo que pouco, o espartano que ainda mantinha as duas mãos segurando a lança, forçando-a. No curto espaço que conseguiu, abaixou um pouco e, retirando uma das flechas do x, a fincou na barriga do seu oponente e girou.  

Restando ainda um que, não se importando com a ardência e os olhos lacrimejando, continuava a atacar o lugar ao seu redor, demonstrando a determinação de um espartano. Entretanto, ele apenas ficava atacando lugares avulsos, sem direcionamento. Aislynn se afastou um pouco mais, para não correr o risco de ser atingida e, não querendo um confronto direto, alcançou o seu arco. O preparou com a única flecha que segurava, ajustou, esticou o cordão e, mirando na cabeça do pobre espartano, atirou, matando mais um.  

Sua respiração estava ofegante, devido ao esforço que esta missão estava exigindo, mas não tinha tempo para pausas, pois passos ecoavam pela única entrada daquela sala. Com certeza não aguentaria mais confrontos diretos, por isso optou por usar o lugar ao seu favor. Com seriedade, tencionou a corda do arco o máximo possível, mirando no centro do corredor iluminado pelas tochas. Não permitiria que eles passassem. Agora era um momento útil de colocar em pratica o tiro ao alvo em movimento.  

— Vamos arrasar com eles, meu amigo. — Sussurrou para o arco, enquanto apoiava a flecha em seu queixo. Por conta de tencionar por um tempo maior, a flecha alaranjada tornou-se vermelha. Assim que avistou movimentação, soltou o projetil que, ressoou um barulho ensurdecedor, o que tomou proporções maiores por conta da acústica proporcionada pelo túnel. A flecha matou o primeiro da fila, enquanto os outros acabaram saltando as suas as armas no chão na tentativa de proteger seus ouvidos com as mãos. Ela sabia, pois escutou as armas caindo.  

Aproveitando a deixa, preparou rapidamente outra flecha ao puxar o cordão, mantendo a mesma pose todo o tempo, atirou um, dois, três flechas tão rápido quanto podia. Acertou um a direita e outro à esquerda, todos caindo quase que imediato. A semideusa parecia indestrutível, todavia, o seu último tiro não pegou no último espartano. Este conseguiu desviar a tempo, jogando-se no chão e pegando duas lanças, uma pertencendo a um de seus parceiros mortos.  

Ele a lançou, o que a fez interromper o processo de preparar mais uma flecha para se jogar para o lado, mas dessa vez não conseguiu desviar completamente. Pegando em uma parte de seu ombro. Sentido o machucado arder, não pôde avaliar a gravidade de seu ferimento, pois o espartano jogou com toda a sua força a segunda lança. Aislynn rolou, mas novamente a ponta da lança passou rasgando o seu outro ombro. Era como se ele fosse mais forte que os outros, o líder talvez?  

— Seu... — a semideusa olhou para a tocha na parede e, levantando, a pega no momento que o viu correr pelo corredor, na tentativa de cobrir o espaço que separavam os dois. Aislynn retirou a tocha que estava apoiada na parede e a jogou no rumo de seu adversário. O objeto não o acertou, mas caiu em cima de um dos corpos no chão, um que ele estava prestes a passar. As chamas se espalharam, não somente neste, mas nos demais também, cercando o espartano até ser atingido.  

O grito assustador dele se queimando ecoou por todo o túnel, querendo acabar com o seu sofrimento, por mais que fosse uma projeção, a semideusa preparou a sua flecha e, assim que apareceu o brilho alaranjado, ela soltou. Abaixou os braços quase de imediato, por conta da dor em ambos. Felizmente, os gritos cessaram. — Missão finalizada. — Uma voz mecânica falou. O lugar voltou a ficar todo branco, o fogo, os espartanos, tudo desapareceu, incluindo os seus machucados. — Bom trabalho, liberada. — A instrutora avisou, aparecendo ao abrir a porta.

Aislynn assentiu e saiu, apesar de não ter qualquer ferimento, estava tão exausta que poderia cair ali mesmo, tirar uma soneca. De qualquer forma, tiraria uma com um sorriso de orelha a orelha. Mesmo com os olhos quase se fechando, a semideusa estava feliz, gostava do quanto tornava cada vez mais difícil ser uma arqueira. Aprendeu a não depender apenas do arco, uma lição valiosa. Devolveu a aljava para o arsenal e caminhou para o seu chalé, pronta para dormir o resto do dia.
PODERES PASSIVOS:
Nível 5

Nome do poder: Concentração de Arqueiro I
Descrição: Arqueiros precisam se concentrar para acertarem o alvo, pois qualquer distração, podem fazer seu tiro certeiro sair pela culatra. Os filhos de Apolo têm a benção de seu pai, que faz com que eles sejam mais calmos e objetivos quando precisam realizar uma tarefa que exija concentração.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: + 15% de vantagem ao realizarem uma tarefa que exija concentração.  
Dano: Nenhum

Nível 7
Nome do poder: Arqueiro II
Descrição: Sua perícia está crescendo, a sua habilidade com o arco se desenvolveu com precisão, e agora, além de conseguir atingir o alvo com uma flecha, também aprendera a manusear duas, e a usar o arco como porrete.  
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de assertividade no manuseio do arco.
Dano: + 10% de dano ao ser acertado pela arma do semideus.
PODERES ATIVOS:
Nível 4
Nome do poder: Brilho Solar
Descrição: O filho de Apolo/Febo será capaz de criar um brilho, capaz de prejudicar a visão do oponente – não a ponto de deixa-lo cego, mas com os olhos ardendo, o que os impede de ver por um tempo – por uma rodada inteira, lhe dando chance de atacar, ou se defender. Seu uso é limitado a uma vez por missão, evento ou luta.
Gasto de Mp: 10 MP
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: - 5 HP

Nível 7

Nome do poder: Silenciar I
Descrição: Essa habilidade possui três formas de uso. Nesse nível, o filho de Apolo/Febo consegue apenas silenciar os seus movimentos, abafando os sons que provoca.
Gasto de Mp: 15MP por turno ativo.
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum
Equipamento:
Arco [Um arco de ouro imperial com peso mediano possuinte de um cordão invisível onde ao se retesar, forma-se flechas luminosas de tons alaranjados. Segurando-a por muito tempo, é capaz de assistir a flecha escurecer proporcionando assim ao atirar o projétil, ver que ondas sonoras são capazes de se propagarem para auxiliar o semideus. Atirada inicialmente é capaz de manar ondas de 135 decibéis que fazem separar o vácuo, porém ao se aguardar um tempo relativo se concentrando na presa até sua ponta se avermelhar, a flecha será capaz através do som brando, vibrar os objetos e corpos a sua volta com 140 decibéis. Na sua lateral possui o nome do pai escrito no dialeto grego. | Efeito 1: Possui uma corda que aclama as flechas. | Efeito 2: Possui duas combinações de dois tipos de sons igualmente brandos. Todavia, a segunda opção poderá ser apenas destravada pelo semideus se não correr o risco de ser atacado por monstros ou humanos e possui o efeito de consequência por até dois turnos em eventos e um em missão. | Ouro Imperial | Espaço para um gema | Beta | Status: 100% sem danos | Mágico | Arsenal do acampamento]
Aislynn Prescott

Um dia de cada vez


(C) Ross




The A³B Squad
Aislynn Prescott
Aislynn Prescott
Filhos de Apolo
Filhos de Apolo

Idade : 13
Localização : Tomando um Sol por ai

Voltar ao Topo Ir em baixo

Aula Fixa III - Pericia com Arcos  - Página 2 Empty Re: Aula Fixa III - Pericia com Arcos

Mensagem por Kevin H Kingsman em Qua Jun 20, 2018 11:39 pm


O Arqueiro

Filho de Apolo | 18 anos | Argonauta de Hera
Alyssa love | Embaixador Grego | Sempre no alvo
Eu estava delirando ou iria enfrentar 10 espartanos dentro de uma sala de simulação? Mesmo tendo me tornado um bom arqueiro, 10 inimigos não eram demais? Bom, eu não era do tipo que desistia fácil, quanto mais difícil maior a evolução, treinar até a exaustão sempre foi o meu forte.
Ao adentrar na sala minha arena se formou, estava a beira de um rio, cercado por pedras com cerca de 1.80 de altura largas e altas, cerca de 6 delas, não teria visão fácil nesse treino mas não era nada que me deixasse assustado ou nervoso.  

De repente ouvi passos ao meu redor, era mais de um inimigo, logo cessaram me dando o benefício da dúvida em relação a quem atacaria primeiro, recuei lentamente na direção oposta dos passos subindo em uma das pedras e dando uma leve olhada para atrás da mesma, não queria ser surpreendido.

No exato momento que olhei para o lugar, dois espartanos saíram do local que me afastei, um deles jogou a lança que consegui desviar por pouco, o mais rápido que pude saquei uma flecha  da aljava esticando o cordame no seu limite e desferindo um tiro certeiro no peito do meu inimigo. ''9'' pulei para a parte de trás da pedra, enquanto sacava mais uma flecha e preparava o próximo tiro esperando o espartano que vinha daquele lado, quando um ''boom'' me jogou para o lado, me foquei tanto em um inimigo que me esqueci dos outros, fui atingido no ombro por um escudo, caindo no chão completamente desengonçado e por incrível que pareça com o arco e a flecha ainda posicionados.

Me inclinei ainda deitado, colocando minha mira na direção da cabeça do espartano, soltando o cordame sem hesitação, um tiro tão certeiro que a flecha passou sem problemas entre os olhos dele, rolei para o lado oposto que o inimigo anterior vinha, me levantando da forma mais ágil que conhecia, interligando com mais uma flecha posicionada no cordame, flexionei o arco e soltei, desferindo o tiro, ''em branco''.

Errei o primeiro tiro, e agora o espaço era muito pequeno para que eu pudesse fazer mais um disparo, o espartano se aproximou, tentando me dar uma estocada na altura do abdome, esquivei com muito esmero,  girei o arco sobre o meu pescoço, acertando o inimigo com a estrutura dele, diversas vezes e por fim dei um chute em seu peito, fazendo com que se afastasse. Saquei a faca que se encontrava no meu cinto preso as minhas costas, dei dois passos para a frente e cravei na cabeça dele, que se desfez em mil pedaços no exato momento.

''7'', guardei a faca novamente, já preparando a próxima flecha,  avistando um soldado caminhando em minha direção com escudo levantado, não seria fácil derrubar ele de primeira, puxei o cordame com toda a força, enquanto abaixava o braço um pouco, desferindo um tiro certeiro na  perna dele, fazendo que o mesmo se desequilibrasse,  tendo que apoiar o escudo no chão, a outra flecha já estava preparada nessa altura, desferi a mesma diretamente na cabeça dele, deixando em pé os últimos 6.

Minha postura já estava fixa e bem moldada, conseguia fazer disparos naturalmente que meu corpo já estava muito bem adaptado, caminhei rapidamente  até o último espartano abatido, pegar as flechas que caíram no chão, tinha um número limitado e precisava de mais. Subi a pedra me deparando com dois deles virados de costa para mim, me levantei e disparei uma das flechas  nas costas dele, cravando bem entre onde seriam os dois pulmões, fazendo com que meu alvo caísse ''morto'' de primeira, o outro me avistou e correu em minha direção, justamente quando outro companheiro me flanqueava vindo do rio, a passos largos e apurados, efetuei mais um disparo no que estava mais próximo, erroneamente acertando a coxa dele, apenas tirando sua velocidade e agilidade, o outro já estava bem próximo, quando fiz meu arco se desmaterializar, queria um combate corpo a corpo com esse.

Ele usava uma espada e tentou desferir um golpe vertical de cima para baixo, que consegui defender com a lâmina de minha faca, inclinando ela para que diminuísse a pressão no golpe, ao conseguir desviar a espada dele, diminuí ainda mais a distância entre nós, dando dois passos a frente e desferindo uma cotovelada no rosto dele. Pareceu desnorteado mesmo não sendo humano, cravei a faca no seu queixo de baixo para cima e com a outra mão saquei uma flecha e cravei de cima para baixo na cabeça.

Quando consegui finalizar esse adversário o outro, manco já se apresentava para o abate, guardei a faca de volta atrás da cintura, e levantei o braço, fazendo o arco se formar mais uma vez, posicionei imediatamente a flecha, puxando ela e o cordame com dois dedos, e soltando, ouvindo somente o ''clac'' na base do pescoço do autômato, restavam 3 agora.

Corri até o que recém tinha abatido, pegando as duas flechas e ao mesmo tempo, de forma natural efetuei o disparo na direção de outro que vinha correndo em linha reta, derrubando o mesmo, outro subia vagarosamente as pedras ao meu lado, a primeira flecha passou em branco, mas a segunda foi em cheio, dessa vez na cabeça.

O último parou cerca de 10 metros de mim, preparando o lançamento de uma lança, fiquei imóvel, apenas flexionando o arco com o máximo de força, um duelo de quem tinha mais coragem, quando ele lançou, fiz a mesma coisa, soltando a flecha que fora enfurecida diretamente para o seu pescoço, o treino tinha acabado, finalmente.

[/color][/b]
poderes:
Nível 7
Nome do poder: Arqueiro II
Descrição: Sua perícia está crescendo, a sua habilidade com o arco se desenvolveu com precisão, e agora, além de conseguir atingir o alvo com uma flecha, também aprendera a manusear duas, e a usar o arco como porrete.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de assertividade no manuseio do arco.
Dano: + 10% de dano ao ser acertado pela arma do semideus.

Nome do poder: Concentração de Arqueiro I
Descrição: Arqueiros precisam se concentrar para acertarem o alvo, pois qualquer distração, podem fazer seu tiro certeiro sair pela culatra. Os filhos de Apolo têm a benção de seu pai, que faz com que eles sejam mais calmos e objetivos quando precisam realizar uma tarefa que exija concentração.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: + 15% de vantagem ao realizarem uma tarefa que exija concentração.
Dano: Nenhum

FPA:



Kevin Kigsman ☤
―――――― Ω ――――――
Sunshine
Todd
Kevin H Kingsman
Kevin H Kingsman
Filhos de Apolo
Filhos de Apolo


Voltar ao Topo Ir em baixo

Aula Fixa III - Pericia com Arcos  - Página 2 Empty Re: Aula Fixa III - Pericia com Arcos

Mensagem por Febo em Qui Jun 21, 2018 6:08 pm

Modelo de Avaliação
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp
Bônus de aula: + 50

Aislynn Prescott
Criatividade: 40
Ortografia: 37
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Bônus de aula: + 50
Total: 197 XP

comentário:
Preciso insistir no cuidado ao revisar o texto. Além do erro citado na avaliação anterior, encontrei alguns outros que poderiam ser evitados facilmente. Fora isso, querida, você foi ótima!

Kevin H Kingsman
Criatividade: 25
Ortografia: 15
Coerência: 25
Ações Realizadas: 10
Aparência: 20
Bônus de aula: + 20
Total: 115 XP

comentário:
Mesma coisa, Kevin. Mas agora tem uma nova: você narrou como se o processo de atirar com o arco fosse extremamente fácil e rápido. É claro que para um filho de Apolo é mais fácil, mas você fez parecer que em um piscar de olhos isso aconteceu. E esse foi o motivo pelo qual efetuei um desconto maior.

Novamente, ofereço minha caixa de MP para tirar suas dúvidas e te ajudar. Portanto não hesite!

Atualizados.
Febo
Febo
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários


Voltar ao Topo Ir em baixo

Aula Fixa III - Pericia com Arcos  - Página 2 Empty Re: Aula Fixa III - Pericia com Arcos

Mensagem por Shane Levitz em Sab Nov 03, 2018 3:28 am

Aula de Arquearia III


----------------------------------------------------------
-------------------------------------------------------------------


Era uma experiência totalmente diferente participar de uma aula num ambiente de imersão. Minha tarefa era nítida só que nada simples, derrotar dez espartanos tendo em posse apenas um arco e minhas flechas. Relaxei o corpo enquanto eu era colocado naquele ambiente único, estava um pouco nervoso de depender apenas do que eu havia aprendido com aquele item, sem ter uma espada embainhada ou mesmo um escudo em meu pulso, todavia eu precisava confiar no produto de tantos dias soltando flechas para todo o canto.

Quando reabri os olhos novamente, não estava mais numa confortável poltrona tendo os olhos claros da filha de Poseidon sobre mim, mas sim de pé no sopé de uma montanha repleta de pedregulhos, com o terreno arenoso logo abaixo. Ao longo do cenário havia um precipício que levada numa queda alta até uma rebentação. Em minha mão esquerda estava um arco bem parecido com o que eu usara em meus treinamentos, só que o cordão era um pouco mais rígido, o que significa mais potência no disparo. O peso da aljava em minhas costas significava que tinha dardos suficientes para o que estava por vir.

Só depois de alguns segundos que minha mente se ligou que o cenário era do filme dos 300, obra bem interessante retratando o sacrifício dos espartanos pela sua nação, só que ao avistar o grupo de dez soldados, usando capas vermelhas, escudos dourados com lanças e cara de poucos amigos, eu preferia estar apenas sentado no conforto de um sofá. Retirei a primeira flecha da aljava, posicionei-me de forma correta e aquele foi o tiro mais fácil de toda a simulação, por que ainda contava com o elemento surpresa, já que os agressores ainda não haviam me notado. O primeiro soldado caiu com um dardo preso em seu pescoço, agora eu havia chamado atenção de todo mundo.

Assim como pingar sangue num tanque repleto de tubarões, os espartanos pareceram agitar ao ver seu amigo e irmão de luta caído ao seu lado, soltando um brado algo e vindo na minha direção. Eles estavam uns trinta metros ainda, por isso eu tive tempo de tomar um novo dardo, posicionar no meu arco, controlar a respiração e fazer alguns disparos. Aproveitei a postura para apenas tensionar o cordão e soltar três flechas, seguidas e com pouca variação. Dada a distância dos lutadores, consegui tombar mais um deles e ferir outra na perna, retardando sua movimentação. O grande problema é que com sua aproximação eles puderam atirar suas lanças.

Um dos dardos longos e pesados dos espartanos quase me feriu no peito, tive de rolar de lado para me desvencilhar da ofensiva. Aproveitei a base do corpo bem ajustada com o joelho no chão, compensando minha altura diminuta com um disparo formando uma parábola maior, corrigindo o trajeto elevando o arco. Esta flecha caiu sobre a clavícula de outro espartano, só que agora eles estava à dez metros e me alcançariam se ficasse parado.

Comecei a escalar a montanha, aproveitando as pedras mais alta para fazer como barricada contra os dados dos soldados, que vinham como cães famintos atrás de mim. Atirei uma flecha no que vinha na vanguarda, só que ele se defendeu muito bem com o escudo, por isso apliquei uma estratégia diferente. Puxei o cordão com mais uma flecha, tendo agilidade para soltar mirando seu rosto, fazendo com que ele elevasse sua proteção para defender o crânio, todavia ele abriu uma brecha em sua cintura. Com destreza e auxiliado por sua proximidade, atirei contra sua barriga, deixando-o com um ferimento que logo o levaria a óbito.

Infelizmente aquela pequena briga fez com que os outros se aproximasse, sendo que um dois espartanos agora estava tão perto que não tinha tempo de tensionar o arco. O primeiro veio para cima com sua lança, porém desviei meu corpo de lado, usando minha arma numa forma diferente. Segurando com as duas mãos, manejei o item como um porrete, o qual acertou a têmpora do soldado o fazendo cair. Naquele espaço curto de tempo, tomei uma nova flecha e atirei contra o meu inimigo que ainda estava de pé, quem levantou o escudo para se proteger. Dei um pisão com força contra a face de seu elemento protetor, suficiente para jogá-lo numa queda contra pedras, que causaram sua morte com o traumatismo, assim como eu também cravei uma flecha no pescoço do adversário ainda tonto no chão pela pancada.

Subi cada vez mais alto, sendo perseguido por três espartanos com sangue nos olhos e um retardatário, graças ao varejo de flechas que fizera antes. Parei minha escalada para tombar outro soldado com um disparo contra o seu peito, só que o outro guerreiro girou sua lança. O alcance do item era grande e a navalha na ponta cortou minha perna, fazendo com que eu reclamasse em grego antigo e parasse na hora. Não tinha tempo para reclamar. ele estava a três metros de mim e teria me empalado, se eu não tivesse me protegido atrás de uma pedra.

Sai do outro lado com uma flecha já no arco e conhecendo onde ele estava, tendo uma prévia de onde mirar, com isso cravei um dardo contra sua barriga e o espartano caiu. Outro vinha logo atrás, por isso, apoiei meu corpo na minha perna dianteira, infelizmente um pouco desequilibrado por que a outra perna estava ferida, só que compensei meu balanço me escorando numa rocha maior. Com o corpo firme, trouxe o penacho até perto do meu rosto, o material leve e macio roçando na minha pele, aliado ao suor da atividade agora era algo até prazeroso. Vi aquele projétil deslizar no ar e encontrar o centro dos olhos daquele espartano, talvez o meu melhor disparo.

Outro soldado estava perto, não deu tempo de colocar a flecha no arco, então apenas me joguei contra ele. Rolamos alguns metros, pude ouvir o baque das minhas costas contra um pedregulho, só que para minha sorte eu caí por cima do espartano. Cravei a ponta afiada da flecha na garganta do meu inimigo, ficando de pé com alguma dificuldade para avistar o último oponente. Levei a mão até a aljava, só que as flechas haviam acabados, por isso tomei o dardo que estava no pescoço do corpo mais próximo. Meu último alvo mancava pelo seu ferimento, estava à uns dez metros abaixo. Respirei fundo e deixei que ele viesse para perto, ganhando tempo para executar todo o procedimento da arquearia e tive o resultado esperado: Uma flecha cravada em seu peito.

Quando tudo acabou eu sentei e relaxei num das pedras, notando que num piscar de olhos eu estava de volta na sala de imersão. Minha mente era a única cansada ali, só que a Manu disse que aquilo era normal depois do treino, todavia eu havia ido muito bem.
habilidade passiva de aprendizado:

Nível 4
Nome do poder: Inteligência
Descrição: Um filho de Athena é naturalmente inteligente, por sua mãe ser a deusa da sabedoria, o semideus aprende as coisas mais rápido, o que também permite que ele note coisas que outras pessoas não percebem. O semideus de Athena sempre procura uma saída lógica, consegue bolar um plano e encontrar pontos chaves, pois tudo aquilo que não consegue entender lhe deixa frustrado. Ele sempre buscará respostas.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +10% de descobrir alguma coisa, ou aprender alguma coisa. (Aumenta conforme em +5% a cada 2 níveis que o semideus adquirir).
Dano: Nenhum.



"Even in the darkness, my eyes can watch you."




Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics
Shane Levitz
Shane Levitz
Filhos de Athena
Filhos de Athena

Localização : Ou no Camp ou na Ilha Argos

Voltar ao Topo Ir em baixo

Aula Fixa III - Pericia com Arcos  - Página 2 Empty Re: Aula Fixa III - Pericia com Arcos

Mensagem por Hela A. Deverich em Sab Nov 03, 2018 2:57 pm

Modelo de Avaliação
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Shane
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Nome do poder: Pericia com Arcos III
Descrição: Inimigos em movimento? Isso não é um problema, você consegue acertar pontos estratégicos, imobilizar membros e causar um dano ainda maior. Seus movimentos com o arco melhoraram, se aprimoraram, e sua habilidade se tornou quase perfeita. O seu treinamento certamente lhe trouxe um ótimo resultado.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +60% de assertividade no manuseio de arcos.
Dano: +25% de dano se a arma do semideus atingir o alvo.
Atualizado por Juno


Power is a dangerous game
Hela A. Deverich
Hela A. Deverich
Líder de Hécate
Líder de Hécate

Idade : 21
Localização : xxx

Voltar ao Topo Ir em baixo

Aula Fixa III - Pericia com Arcos  - Página 2 Empty Re: Aula Fixa III - Pericia com Arcos

Mensagem por Asger Kjær Nielsen em Ter Dez 18, 2018 6:03 pm

Archery;
TUDO COMEÇA E TERMINA NOS FIOS DA VIDA
N
ão queria se vangloriar de seus avanços no acampamento, até porque sequer chegava aos pés de alguns dos mais habilidosos e renomados campistas. Ainda assim, a ruiva sentia-se ligeiramente mais satisfeita não somente consigo mesma, mas também com aquela situação que seus antepassados divinos lhe imporam no momento em que fora gerada no útero de Melinoe. Jamais seria uma garota normal, Asger soubera muito bem na medida em que os dias passavam, tornando-se bem mais propícia aos seus dons naturais, já que não havia mais motivos e vontades de se opor. E era justamente pelo conjunto da obra de motivos que ela buscara seu arco para rumar à mais uma aula de arquearia. Com a arma comprada de um tamanho ideal para si, diferentemente dos arcos que teria utilizado em treinamentos anteriores, a jovem deixou o Chalé de Melinoe para trás, seguindo sem muita pressa até o local combinado de realizar o treinamento. Asger sabia que a dificuldade das coisas apenas aumentaria cada vez mais, mesmo assim  sentiu-se tentada o suficiente para arriscar uma melhoria própria. Havia um desejo interno de melhorar, tornar-se experiente portando um arco como arma, afinal se tratava de uma espécie de curso onde seu prêmio se trata da sobrevivência do semideus, não ?

O ponto seria que, por estar se acostumando a praticar com o arco, a confiança lhe empurrava em frente. - Oi. - Cumprimentou, posicinando frente à sala de projeções, seria necessário receber as informações daquela aula. "- Muito bem, campista. Anda evoluindo suficientemente para encarar um desafio maior. -" A responsável pela aula iniciava suas palavras, não tardando para comentar sobre o que se tratava a projeção onde seria colocada. "- Derrote dez inimigos. Soldados espartanos. Usando apenas o arco e as projeções da sala, e então estará liberado. -" Uma tarefa a primeira vista simplesmente impossível para a jovem arqueira. Ela não recusaria, se fosse necessário ser testa naquela prova de fogo, seria sem muito reclamar, apenas sorriu de canto ironicamente sobre o número de alvos e o que se tratava. - Dez homens ? Ou melhor, dez espartanos ? Espero que eu tenha flechas suficientes. - Suspiraria preocupada ao se pronunciar, sem muita demora segurou seu arco apertando-o na mão direita, enquanto daria passos à frente, assim entrando na sala de projeções. Obviamente sentia-se tão nervosa quanto temente ao fato de ser apenas uma garota que havia aprendido a atirar bem com um arco, era exatamente isto o que ela era, semideusa talvez não lhe definisse tão bem quanto tal descrição.

A projeção se iniciava com o abrir dos olhos da garota ruiva, era noite, se encontrava em uma floresta de árvores estranhas, nunca vistas antes o que lhe dava à entender que não estava mais no acampamento, por mais que estivesse no exato estado no qual havia adentrado na projeção. O ambiente lhe atrapalhava tão quão ajudava, seus olhos ainda não estava preparados para enxergar no escuro, por mais que se tratasse de uma filha de uma das divindades do submundo. Também poderia notar, utilizando sua audição comum, de que mais ninguém além da própria se encontrava por ali. Iniciaria os passos em direção à frente, sabia que precisaria econtrar seus alvos, mas que principalmente deveria não ser descoberta. E portanto apenas seguiu cautelosa, utilizando as árvores e raízes do ambiente para se proteger de qualquer coisa que pudesse lhe enxergar com facilidade em outra ocasião. Bastou andar alguns metros para que pudesse se deparar com a orla da floresta, no que se localizava sobre na beirada de uma extensa ravina, cuja deveria ser analisada com cuidado antes de tentar ser explorada pela adolescente em treinamento.

Teria que se aproximar, entretanto, decidira realizar tal movimento de forma lenta e furtuva na medida do possível para ela própria. Agachando-se atrás de uma grossa raiz recurva, pode observar que lá alguns metros abaixo se encontrava uma espécie de forte, com bandeiras militares muito bem expostas. Não saberia identificar o símbolo, e ter noção de que se tratava de um agrupamento de espartanos ou mesmo quantos homens haviam. O forte possuía um portão de entrada, fechado, guardado por dois homens de lança e escudo dourado em mãos, cuja garota não poderia identificar sobre qual material se tratava. Entretanto, a pouca veste que carregavam lhe fazia ver como eram leves, provavelmente mais rápidos que ela, porém sem qualquer proteção além do escudo já citado, e elmo o elmo na cabeça de cada. O forte também contava com duas torres semi-abertas, cada qual com um guarda bem posicionado defensivamente. Os guardas tinham uma ótima vista do restante do forte, o que deixava claro para Asger de que eles deveriam ser os primeiros abatidos. Ainda assim, apenas conseguia observar quatro guardas, deveria executar mais seis caso tivesse êxito estes provavelmente estariam além dos portões fechados. Uma coisa apenas lhe favorecia de modo geral, estar escondida na orla da floresta, acima da ravina.

Estando cerca de 50 metros afastada do forte, conseguentemente tendo em média a mesma distância dos seus quatro alvos, a filha de Melinoe sabia que deveria raciocinar ao utilizar seu arco, como lhe fora passado como conhecimento e experiência nas aulas anteriores. - Com calma. - Comentava consigo própria antes de iniciar qualquer ofensiva. De modo óbvio deveria atacar as torres, mas qual seria a melhor posição dos alvos para atacar ? Teria que esperar o momento correto, notar onde seu alvo se encontrava para que não despencasse lá de cima e por fim acerta-lo com uma flecha fatal para que não viesse a alertar seus irmãos de batalha. O alvo da torre esquerda não estaria visível, no que deveria focar primeiramente no guarda da torre direita. O mesmo se posicionava de pé, frente a abertura da torre de pedra, poderia Asger tentar executar um tiro preciso dali, restava apenas tentar se encorajar. - Silenciosa. - Diria ao apanhar vagarosamente uma flecha comum na aljava de couro, sobre o ombro direito, a posicionando no arco com a parte de trás sobre a corda que seria tencionada com o puxar dos seus dedos esticando assim sua extensão rija.

Levantou o arco de tamanho ideal com relação à ela, e um peso cujo ambos braços poderiam sustentar com facilidade por se tratar de madeira comum, além de que o formato recurvo lhe permitia um equilíbrio apropriado ao segurar a arma. Ombros alinhados na mesma altura, e pés separados em distância semelhante a que os ombros se encontravam. A garota mirou no lado esquerdo do peito do soldado espartano, cessanso sua respiração para que a mira se consolidasse, largou os três dedos que faziam a flecha pressionar a corda, sentindo o impulso que o material lançava na flecha que voou perfurando o ar naquela noite, atingindo em cheio o local desejado pela filha de Melinoe. - Mas fatal. - Se elogiava com o tom de voz ainda quase imperdível devido a sua discrição absoluta sendo posta em primeiro lugar. O homem embora grande e possivelmente dominante caso em comparação física com a ruiva, desabou pelo ataque à distância, agonizando ao chão engasgado com o seu próprio sangue. Asger o observou se debater com um certo arrependimento pelo tiro fatal, uma vez que nunca tivera atacado nenhum humano com um arco anteriormente, por mais que se tratasse exatamente de uma vida.

Baixou o arco, ligeriamente desanimada. Decidira portanto erguer a cabeça, não se permitiria desitir por abater algo que sequer existe. - É uma mera projeção. - Pensou alto ao se encorajar, não desistiria, apenas continou a analisar sua missão com muito cuidado e paciência. A garota teve de esperar não apenas uma, mas aproximadamente duas horas para que o seu próximo alvo finalmente desse as caras, se pondo em uma posição muito lateral ao ponto de vista da arqueira. Espera-lo fora um teste de paciência assombroso, e acerta-lo antes que este voltasse à sua posição anterior, fora a primeira coisa que se passou pela cabeça da filha de Melinoe. Rapidamente arrumando a flecha bem segurada por seus dedos, tensionava o cordão do arco com tal objeto, mantendo a posição perfeita dos ombros para que pudesse segurar firme o arco, e com uma mira aprimorada com treinamentos anteriores, certificou-se por vários segundos, que não erraria aquele tiro. Somente após a certeza de um disparo frio e calculado, a semideusa soltaria o cordão do arco, cujo atirou a flecha diretamente contra o soldado espartano, o atingido lateralmente bem atrás de sua orelha. Atingido em uma região fatal, o pobre soldado apenas conseguira dar alguns passos, infelizmente sendo estes o suficiente para que tombando lateralmente o homem despencou da torre para fora do forte.

A verdade fora que havia deixado a euforia de acerta-lo tomar conta de si, no que sequer calculou o espaço de queda daquele soldado abatido, como felizmente havia feito com o da torre direita. - Merda. - Resmungou consigo mesma por mais que tivesse acertado, afinal a queda do homem causara um impacto suficiente para que um dos guardas do portão estivesse suficientemente alerta para observar o que tivera causado tal impacto ao lado das muralhas laterais do forte. Uma vez que o terceiro alvo havia chegado naquela posição, a garota soubera que seria o momento de atingi-lo. Entretanto, antes que pudesse munir seu arco com mais uma flecha, notou a necessidade de locomover-se para a esquerda, saltando de detrás da grande raiz onde se encontrava, para trás do tronco de uma das árvores da Orla. Querendo ou não, lhe custara tempo, o suficiente para que o terceiro soldado notasse o corpo do segundo abatido. "- Arqueiro! -" Em um brando furioso, contudo ele também perdera o recurso mais importante de todos, o tempo. No seu caso, ao tentar não somente verificar seu irmão de guerra, como alertar o restante da tropa.

Instigada a trabalhar rápido devido sua presença entregue a ruiva baixou seu arco para que pudesse posicionar a flecha e, se posicionando como uma verdadeira atiradora, tencionou a corda utilizando a parte de trás da flecha e, ao segurar o arco com firmeza e força para que o golpe fosse bem executado, apenas mirou as costas do homem metros à sua frente disparando de forma potente contra aquela região do corpo do alvo. A flecha em alta velocidade colidia contra o que Asger suspeitaria ser a região pulmonar humana, assim em segundos se arrastando, o terceiro soldado viera à óbito. As projeções fatais já não lhe afetavam mais de forma alguma, ela apenas desejava cumprir o seu objetivo e portanto passava a tratar as projeções dos soldados como meros alvos objetivos, bem como deveriam ser desde o princípio. O quarto soldado, que seria o segundo protetor do portão frontal estava bem alerta, exclamando em tom de voz aos seus aliados. "- Abram o portão! Estamos sob ataque! -" Desesperado gritava frente ao portão, no que faria com que toda a tropa se prontificasse lá dentro, enquanto o portão subia sem pressa.

A filha de Melinoe voltava a usar o seu arco sem qualquer piedade para com o quarto soldado espartano, preparando um tiro rápido porém fatal, no que a flecha vinda de cima cravou diagonalmente na junção entre o ombro e o pescoço, ferindo-o e provocando uma queda inevitável do homem que tombou de joelhos frente ao portão. - Tiro ... - Comentou consigo mesma, preparando mais uma flecha no arco recurvo de madeira, que bem posicionada no arco levemente pesado fora tensionada ao máximo, logo sendo disparada na direção do pobre infortuno que a recebera sua perfuração na barriga. - ... E queda - Comentou sua frase característica. Levado totalmente ao chão, graças aquela flecha, a semideusa havia conseguido realizar a sua quarta baixa com sucesso, sendo assim ainda lhe restavam seis para que pudesse completar as dez mortes necessárias para se ver livre da projeção. De forma esperta, a jovem filha de Melinoe passou o cordão do arco sobre o ombro direito, para que pudesse carregalo consigo de forma rápida, voltou a esconder-se em outra posição da orla da floresta enquanto não haviam mais alvos, subindo em uma das árvores, posicionou-se sobre um de seus galhos, acreditando que dali poderia ser menos vulnerável à ronda dos espartanos. Estes por sua vez, saiam aos montes de dentro da fortaleza, todos formando uma parede de escudos aparentemente impenetrável.

Posicionados na frente da fortaleza, a ruiva os observou, julgando ser meramente impossível atingi-los de qualquer direção enquanto estivessem naquela direção. "- Apareça e lute como homem, invasor, ou vais fugir como um covarde ? -" Asger segurou uma gargalhada para que sua localização não fosse entregue, apenas permaneceu em silêncio, aos poucos passando a entender que lutar como uma mulher estaria lhe dando uma vantagem de quatro à zero até aquele determinado momento. "- O arqueiro só pode estar na floresta, meu general. -" Um dos soldados comentava analisando o terreno, pelo menos um deles não se tratava de um completo bárbaro, o que de certa forma a preocupava bastante. "- Tragam as escadas, vamos escalar a ravina e busca-lo na floresta! -" O brado de comando pôde ser ouvido por todos presentes, e fora sem delongas que alguns dos homens traziam três escadas de grande proporção, não precisava ser uma engenheira para ter noção de que elas eram armas de cerco capazes de penetrar muralhas em altura, que diga então toda a ravina facilmente. Aos poucos o nervosismo era inevitável, sem brechas para atacar os homens, com suas ofensivas que tomavam início a partir daquele momento.

Suspirando firme, a ruiva retirou o cordão arco do contato com seu ombro, voltando a segura-lo com firmeza enquanto comentava consigo mesma em um tom de voz baixo, impossível de serem percebidos pelos espartanos devido ao barulho insuportável causado pelos próprios guerreiros de elite gregos. - Eu vou muito morrer. - Aceitava ironicamente o fato de estar lidando sozinha com uma tropa intera de, como citado, guerreiros de elite da Grécia antiga. Detalhe, tendo apenas um arco comum de madeira em mãos. Os som do impacto causado pelas escadas erguidas colidindo contra a borda daquele lado da ravina fizeram o coração da jovem bater mais rápido. Seus olhos acompanhava o movimento das tropas na escalada de todas as três escadas. Era improvável conseguir empurrar tamanha ferramenta sozinha de volta ao chão, bem como seria impossível atirar nos homens enquanto subiam com o escudo acima da cabeça. Estava praticamente fadada a ter seus inimigos próximos o suficiente para mata-la quando uma ideia surgiu em sua mente proativa, não atacaria os homens, atacaria suas ferramentas. Sem ângulo de cima da árvore, teria de pensar rápido. Pegou uma de suas flechas na aljava, soltando o porta flechas ao chão de modo que não se espalhassem como pega-varetas.

Com apenas uma flecha e arco em mãos, envolveu suas pernas no galho onde se encontrava, girando seu corpo de forma rápida e lateral, estando naquela instante de cabeça para baixo, presa pelas pernas, mas ainda em posse tanto do arco quanto da flecha. Seu movimento felizmente não chamara a atenção dos espartanos, que apenas continuavam a escalar orgulhosos. A moça preparou a flecha no cordão do arco, a tensionando, tentou manter-se fixa e sem muito movimentar-se para mirar mesmo estando de cabeça para baixo antes do tiro, sentindo o peso do arco que de certa forma aparentara dobrar em alguns quilos. - Apolo, Artemis, Eros e seja lá quem mais manja disto também. Não permitam que eu erre este disparo. - Clamou, por mais que soubesse que o que realmente contava a partir dali seria tudo o que vivenciou em seus treinamentos, e não exatamente os deuses patronos de tal prática, por mais que rezasse para que estivessem com ela. A garota soltou a corda que direcionou a flecha com grande potência na fresta mais frágil da ferramenta de madeira, no que o impacto fora certeiro, porém a primeiro instante sequer causou qualquer tipo de abalo na estrutura da arma de cerco. - Desisto da vida! - Exclamou desanimada, a garota despencou ao chão da floresta sem motivações para continuar, seus inimigos vibraram o fato de sua perda emocional. Todavia, houvera sido sua vibração tola que, em conjunto com o dano da flecha, abalou a estrutura da grande escada, rompendo-a e consequentemente desabando todos os três homens que a escalava, não somente, como tambêm findado em grandes destroços desmoronando sobre boa parte do exército que esperava abaixo da escada para também escalar. - Chupa essa aí marmanjos! - Comemorava avidamente. O acidente ceifou um número suficiente de vidas espartanas para traze-la de volta à sala de projeções sem muitos problemas. Asger suspirou, levando as mãos até os fios do cabelo ruivo, simplesmente exausta devido a todo aquele exercício. Não quisera muita conversa ou mesmo praticar mais tiros naquele dia, apenas juntou suas flechas de volta a aljava, passou o cordão do arco sobre os ombros, e finalmente deixou o local rumo ao seu chalé, necessitava de descanso.

Considerações:
Arsenal/Itens utilizados:
• Arco e Flechas [Talhado em madeira com cerca de um metro de altura. A madeira é bem maleável para que dobre as pontas ao ter o cordão tensionado, dando mais precisão e velocidade as flechas. As vinte flechas são feitas de madeira e pontas triangulares feitas de metal, vem dentro de uma aljava simples e precisam ser recuperadas depois da batalha. | Madeira e BS | Efeito: Comum | Não apresenta suporte ou espaço para gemas | Resistência: Sigma | Status: 100%, sem danos | Comum | Comprado na loja ]
Colar de Contas:
1- Nome: Conta de Melinoe
Descrição: Púrpura com um cajado em entalhe. A conta do progenitor será a primeira recebida por aqueles que entram no acampamento, cada progenitor terá a sua, mas a propriedade das contas é única, essa permite a entrada livre no acampamento, bem como a possibilidade e o dom de falar com seus irmãos mentalmente, desde que esses permaneçam dentro da área magica do acampamento, seu lar.
Gasto de Mp: Nenhum.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Nenhum.
Dano: Nenhum.
FPA:
Não te preocupas. A prole de Melinoe te assombra ao luar desta noite.

Asger Kjær Nielsen
Asger Kjær Nielsen
Filhos de Melinoe
Filhos de Melinoe

Idade : 17

Voltar ao Topo Ir em baixo

Aula Fixa III - Pericia com Arcos  - Página 2 Empty Re: Aula Fixa III - Pericia com Arcos

Mensagem por Josephine Diëhl Nieckhale em Sab Dez 29, 2018 6:01 pm

Modelo de Avaliação
Criatividade: 40
Ortografia: 40
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 20
Total: 150 exp

Asger
Criatividade: 40
Ortografia: 39
Coerência: 30
Ações Realizadas: 20
Aparência: 19
Total: 150 exp

Nome do poder: Pericia com Arcos III
Descrição: Inimigos em movimento? Isso não é um problema, você consegue acertar pontos estratégicos, imobilizar membros e causar um dano ainda maior. Seus movimentos com o arco melhoraram, se aprimoraram, e sua habilidade se tornou quase perfeita. O seu treinamento certamente lhe trouxe um ótimo resultado.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +60% de assertividade no manuseio de arcos.
Dano: +25% de dano se a arma do semideus atingir o alvo.


I’m scared to begin, because I can taste the bitter scent in my mouth If you close your eyes and want me Even if it’s a lie, I’ll make you happy With the sweetest lie in the world I tell yousweet lies
Josephine Diëhl Nieckhale
Josephine Diëhl Nieckhale
Sem grupo
Sem grupo

Localização : Sei la to nem sabendo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Aula Fixa III - Pericia com Arcos  - Página 2 Empty Re: Aula Fixa III - Pericia com Arcos

Mensagem por Vênus em Dom Dez 30, 2018 9:17 pm

Atualizado.
30XP e 50 Dracmas para Josephine


Vênus, love's lady
..
diva, déesse de l'amour et de la beauté ♦️
Vênus
Vênus
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos


Voltar ao Topo Ir em baixo

Aula Fixa III - Pericia com Arcos  - Página 2 Empty Re: Aula Fixa III - Pericia com Arcos

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum