The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Alojamento Feminino

Ir em baixo

Alojamento Feminino

Mensagem por Athena em Dom Maio 04, 2014 9:40 pm


Alojamento Feminino
No acampamento jupiter diferente do meio sangue, os semideuses são divididos em coortes, e em vez de chalés possuem alojamentos, são pequenos espaços com beliches, não são tão confortáveis quanto os do acampamento meio sangue, são mais o estilo militar, esse aqui é o alojamento das meninas. Meninos não podem entrar aqui.


Palas Athena...
Sometimes the power must bow to wisdom. You can be strong, may have power, but if you are wise, you are all well. And more than that, yes you can defeat them. Once warned that to save the world destruiri you-your friends, maybe I was wrong.
avatar
Athena
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 11002
Idade : 23
Localização : Por ai

http://www.bloodolympus.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Alojamento Feminino

Mensagem por Alexia Z. Watts em Ter Abr 21, 2015 12:05 pm

indestructible

post da trama da personagem se retirando do acampamento júpiter, o antecessor dele é esse aqui
E
u sentia meu peito arder de raiva. Esse sentimento não era muito bom, ainda mais para uma garota esquentada como eu. Era injusto que coisas ruins acontecem com pessoas boas... ou será que eu não sou uma pessoa boa? Se eu perguntasse para os homens lá na sede das Amazonas eles responderiam que não sem hesitar. Mas não é como se a opiniões deles valesse de alguma coisa para mim. Respirei fundo, entrando apressada no alojamento feminino da primeira coorte. Pisquei algumas vezes, tentando afastar a ardência de meus olhos.

De forma rápida e resumida, posso dizer o seguinte: fui expulsa do acampamento Júpiter por crimes que cometi - e outros que não. Apesar de saber que minha sentença poderia ser a morte, não estava muito feliz com isso. Odiava ser obrigada a deixar as pessoas que eu gosto, e querendo ou não, tenho amigas aqui, pessoas que me ajudaram em todos os momentos. E não era a toa que eu vinha e ia da Amazon para cá. Mas agora meu tempo não seria mais dividido. Afinal, Término nunca iria mais me deixar pisar aqui. E se eu ousasse, sei que minha cabeça iria conhecer outros lugares longe de meu corpo.

— Alexia! Como foi? - perguntou Jamie, preocupada, entrando logo no alojamento. Eu já estava guardando minhas roupas e meus outros pertences dentro da mochila. Medalhas, cartas, fotos... eu não poderia deixar tudo ali. Engoli em seco, não olhando para minha amiga enquanto respondia.

— Uma merda. Odeio Benjamin, se ele atravessar na minha reta quando eu estiver indo embora eu vou fazer a minha espada atravessar aquela cabeça oca - resmunguei, mal humorada. Eu estava com uma puta raiva daquele filha da mãe.

— Ok, ok, calma, está amassando a medalha - ela disse, pegando minha mão e tentando afrouxar meus dedos. Suspirei e soltei o pedaço de metal amassado. Ela me ajudou a terminar de guardar meus pertences, sem dizer nenhuma palavra. Agradeci internamente por isso, não estava com paciência de conversar. Joguei minha mochila nos ombros e quando fui para o salão principal da I Coorte percebi que quase todos os legionários que a pertencem estavam ali, me encarando. Droga. Senti algo desconfortável no estomago e engoli em seco. Então, todos vieram me abraçar e dizer algumas palavras que eu não fiz questão de responder com a mesma simpatia - alguns nem tão simpáticos assim.

Por fim, consegui me livrar deles - mais ou menos, porque me acompanharam até a saída, assim como quase todos os curiosos do Acampamento que não tem mais o que fazer da vida. Eu não olhei para trás, não olhei para Reyna nem ninguém. Apenas caminhei para a saída. Eu sabia que se colocasse os pés ali fora, nunca mais iria voltar. Mas eu não tinha escolha. Engoli em seco e continuei a caminhar, até está longe dali.  
finalizado
Lexa & Maya


The only flaw, she's flawless
avatar
Alexia Z. Watts
Feiticeiras de Circe
Feiticeiras de Circe

Mensagens : 106
Idade : 21
Localização : Sei lá, to perdida

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Alojamento Feminino

Mensagem por Luna Blackwood em Seg Maio 15, 2017 4:28 pm



Espíritos Inquietos
▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄
Or not! The night is a beautiful child.




Sabe que as coisas não andam tão ruins?

O que foi? Achou que eu iria começar mais um dia meu reclamando de como minha vida nesse acampamento quase militar é uma tortura e como abusam de mim? Pois é, as coisas não andam realmente as mesmas de alguns tempos para cá, e o pior é que tudo aconteceu sem eu nem perceber de verdade como foi que isso começou.

Tudo o que sei é que, conforme eu andei fazendo certas missões ultimamente e tive um relativo sucesso inclusive em realizar algumas tarefas que as outras pessoas do acampamento consideravam difíceis ou apenas chatas demais, eu fui ganhando certo reconhecimento dos semideuses e semideusas do Acampamento de Júpiter, coisa que eu realmente não esperava. Afinal, quem é que iria imaginar que alguém como eu iria receber algo além de comentários negativos quanto à minha pessoa? Não sei se você ficou impressionadx com isso, mas eu fiquei, especialmente quando as pessoas começaram a me parabenizar por conseguir fazer um de nossos mais retraídos e inúteis semideuses (Valter, o filho de Arcus que me ajudou alguns dias atrás) a se soltar e esforçar para melhorar. Mal dava para acreditar que eu havia conseguido fazer ele se soltar! Justo... eu!

Pensa só, eu tenho cara de quem iria conseguir fazer isso? Eu, a semideusa mais tímida, sem confiança e nenhuma habilidade? É, com isso eu comecei a ver que não era assim tão ruim quanto eu imaginava. Quem sabe até poderia significar que tenho algum futuro promissor, como alguns da minha coorte imaginavam que eu tinha ao me aceitarem nela. Bem, eu não sei ainda, mas pelas mudanças que eu acabei causando em algumas pessoas no acampamento, eu não duvido de nada mais! Talvez eu possa em breve me tornar uma legionária modelo? Não daquele tipo que anda em passarela e tal, mas sim em que semideuses e semideusas da legião iriam se inspirar.

Uau, eu fico até sem ar em imaginar isso, mas pode acontecer...

De toda forma, eu ando sendo uma boa influência e fazendo um bom trabalho ultimamente, e acho que foi por conta disso que meus colegas de coorte mais experientes decidiram me deixar descansar por mais tempo hoje. É verdade! Sabe aqueles trabalhos que ninguém quer fazer e geralmente passam para a estagiária ou a pessoa mais odiada da vez? Então, dessa única vez eu não fui a que teve que trabalhar o dia inteiro sem descansar, ou mesmo passar a noite sem dormir enquanto tenta resolver algum problema chato para o acampamento. Pela primeira vez em anos dentro desse lugar eu comecei a me sentir relevante, e foi graças a isso que eu também tive minha primeira vez de sono tranquilo e bem longo dentro desse lugar. E foi uma sensação renovadora!

Só queria que minha manhã seguinte fosse tão agradável quanto essa noite, pois... Bom, sabe naqueles dias que você pensa que nada pode dar certo? Eu acho que talvez minha vida inteira vai ser assim, pois mesmo quando acontece algo tão bom quanto o meu dia anterior, a mina felicidade não dura por muito tempo. E isso se colocou à prova na manhã seguinte, com algo que afetou não só a mim, como a todas as outras garotas do meu dormitório.

De início, é claro que eu não percebi, afinal de contas estava em sono profundo ainda, mas nosso dormitório foi se enchendo de água, e tudo por culpa daqueles espíritos. Na realidade, não posso dizer como foi, se aconteceu aos poucos ou se tudo apareceu de uma só vez no nosso quarto, mas sei que acordei assim que eu senti toda aquela água em cima de mim. Não apenas pela pressão da água em meu corpinho frágil, como também por toda aquela humidade que me cercava, obviamente. Com tudo aquilo acontecendo de uma vez eu é claro que acordei assustada, assim como praticamente todas as outras do dormitório, mas como aquilo não nos ajudaria a sairmos daquela situação, eu fiz de tudo para me controlar e começar a pensar em um jeito de sair dali. Só que eu teria que ser rápida, pois não era nenhuma filha de Netuno para aguentar muito tempo debaixo de toda essa água sem respirar... Assim como as outras meninas, que entraram em desespero!

O que é claro, dificultou muito a organizar meus pensamentos, mas ao menos a água estava ali para abafar todo o barulho que deviam estar fazendo, então ao menos ouvi meus pensamentos. Por sorte, eu não demorei muito para pensar em uma solução para nos tirar dali. O melhor de tudo foi ver que eu não fui a única a pensar naquilo ao olhar para a porta trancada do nosso dormitório, pois assim que eu nadei até a beliche mais próxima, fui acompanhada por outras três garotas até o mesmo beliche, e após isso praticamente conversamos apenas com os nossos olhos. A nossa ideia era simples, e bastou apenas algumas trocas de gestos entre nós quatro que todas entramos em consenso: jogar o beliche contra a porta o mais forte que conseguíssemos. E não pensamos que seria muito difícil, mas mesmo com toda aquela água ajudando a deslizar a beliche pelo piso de madeira do nosso amado dormitório, aquilo era muito pesado! Então tivemos que sinalizar para mais algumas outras ali (as menos desesperadas, pois não tínhamos tempo de acalmar todas para que nos ajudassem), só então conseguimos ajuda o suficiente para o que queríamos, e assim começamos a arrastar a beliche com alguma força.

Porém, a porta não caiu na primeira investida que nós demos com a beliche, talvez por que ela fosse bem forte para cair apenas com isso, ou talvez por algum outro motivo em especial. Mas isso não importava, pois nenhuma de nós queria morrer ali, então todas nós continuamos com nossas investidas contra a porta. Recuamos a beliche e avançamos com ela algumas vezes contra a porta, causando um dano significativo à mesma, só que, algo estava claramente errado. Afinal, com todas nós empurrando uma beliche contra uma porta daquelas, como é que ela não havia caído? Tudo bem que eu não sou um bom exemplo quando se trata de força, mas pelo amor dos deuses, tínhamos pelo menos duas filhas de Marte conosco, aquela porta deveria ter caído já! E eu sentia que estava chegando em meu limite, então tentei analisar mais de perto aquela porta, para ver se haviam encantado ela ou algo do tipo, mas tive uma surpresa ainda maior ao chegar perto demais. Talvez se sentindo ameaçado por ter uma filha da magia se aproximando de si (ou talvez apenas por estar inquieto e querer nos matar), o espírito que estava segurando/protegendo a porta até então decidiu avançar contra mim, mas não foi uma boa ideia, pois naquele instante algo muito estranho aconteceu comigo e acabou que o espírito foi repelido. Não entendi mesmo o que aconteceu, mas ele não conseguiu o que queria: me possuir, só que eu não tive muito tempo para pensar nisso, pois estava ficando sem ar...

De toda forma, vendo que o espírito tentara proteger a porta com todas as suas forças quando eu me aproximei pessoalmente, percebi então que deveria ser ele o motivo de não conseguirmos derrubar a mesma, por isso tentamos mais uma vez. Dessa vez quando a beliche avançou contra a porta, percebemos que agora sim a beliche havia feito algum dano na porta, o que nos motivou a continuarmos com as investidas. Não demorou muito para que finalmente a porta se quebrasse, e nós fôssemos praticamente cuspidas para fora do dormitório juntas de toda aquela água, como uma violenta cachoeira. E graças a Deus foi por muito, muito pouco, mas aquilo estava longe de acabar. Percebemos isso assim que vimos a porta do dormitório dos meninos, e os avistamos saindo de seu dormitório ao mesmo tempo que nós.

- Espíritos? –foi a única coisa que eu consegui pronunciar para os garotos, enquanto tentava recuperar o fôlego, mas nem isso eles conseguiram dizer, me respondendo apenas com o balançar de seus ombros. Não sabiam o que havia acontecido, mas fez sentido quando eu comecei a relacionar os acontecimentos. Eles pareciam estarem exaustos, muito mais do que nós, talvez por terem que se esforçar mais para quebrar a porta deles, mas aquilo não era importante naquele momento. Felizmente, assim que recuperei o fôlego, fui lembrada por uma colega ao meu lado de um detalhe crucial- Luna, será que foi só a nossa coorte? –e com as palavras da filha de Vênus eu tive um pequeno ''flashback'', que me lembrou de tudo o que aconteceu no acampamento. Todos os relatos de legionários presos em locais aleatórios, água espirrando em nossos rostos o tempo todo... tudo pareceu ser um pouco suspeito, e visto como os espíritos andavam muito inquietos ultimamente, logo assumi que aquilo só podia fazer parte de seu plano. As outras brincadeiras haviam sido uma preparação para essa? Seria uma tentativa de homicídio? De um jeito ou de outro aquilo não importava, pois logo eu percebi que aquilo realmente não devíamos ser as únicas pessoas a passar por aquilo, ou seja, mais vidas estavam em jogo.

Assim que pensei naquilo, saí do nosso alojamento e olhei para o resto do acampamento, ainda envolvido pela noite. As coortes pareciam calmas, mas era apenas fachada, e eu pude perceber isso ao ver aquelas gotas de água escapando pelos cantos dos alojamentos da segunda coorte. Felizmente, as meninas pensaram o mesmo que eu, e me seguiram assim que eu corri até o alojamento de nossos colegas. E elas não estavam sozinhas, pois os meninos da nossa coorte pareciam ter recuperado o fôlego e vieram atrás de nós, prontos para ajudar, o que me deixou bem mais calma.

Só que, chegando nas portas que davam para os dormitórios da segunda coorte, não conseguimos abri-las, de forma alguma! Para você ter uma ideia, todos nós tentamos golpear ou mesmo puxar uma porta só, concentrando todas as nossas forças nela, mas não conseguimos nada! E é, nós sentimos que do outro lado havia alguém golpeando a porta com bastante força, assim como nós havíamos tentado antes, mas também não deu certo. Aquilo me deixou preocupada, pois já deviam estar ali a tempo demais, e podiam ficar sem ar logo, o que me fez quase entrar em parafuso! Tive que andar em círculos para começar a botar a minha mente em ordem, tentando não ligar para os outros falavam, mas era difícil... Só que, foi quando chamaram a minha atenção mais uma vez e me perguntaram o que deveríamos fazer que eu percebi uma coisa- Espera, cadê os nossos centuriões? –perguntei, e o resto se entreolhou antes de me responder- Estão longe demais, talvez não cheguem à tempo de ajudar, mesmo que alguém tente chamá-los. –disse uma filha de Marte, que me olhava com uma cara de... esperança?

Foi então que eu percebi, que eles pareciam estar contando comigo por uma decisão, e eu me senti bem intimidada com aquilo, afinal... eu parecia ser uma líder? Bem, com certeza não, talvez fosse a mais fraca entre eles, mas não posso negar que era uma das que tinham mais experiência ali... Pois bem, eu não tive muita escolha, então tive que me concentrar para bolar alguma coisa, e fiz isso através de um feitiço simples que eu havia aprendido quase que instintivamente. Difícil explicar, mas era um dos quais eu praticamente sonhara, e acabei conseguindo aprender a convocar ao conversar com outras semideusas ligadas à magia que vivem por aqui- Incumbo...

Após sussurrar aquele feitiço, não demorei muito para lembrar do acontecido no dormitório, o ataque e o sumiço do espírito inquieto, que antecedeu a abertura das portas dos dois dormitórios. Foi então que, ao fazer essa ligação entre os acontecimentos, olhei para meus colegas da primeira coorte- Eu tive uma ideia, mas preciso que se afastem. E se preparem para o susto... –avisei para eles, mas nenhum deles pareceu estar com medo daquela possibilidade. Pois é, talvez fosse uma dessas coisas que fazia dessa coorte ser uma das mais bem vistas pelo acampamento, uma grande coragem! Mas enfim, quando fizeram o que eu disse, concentrei-me mais uma vez para sentir a energia mágica dentro de mim, e então apontei as minhas mãos para o corredor vazio antes de liberar minha magia- Aparecium! Ao fim do feitiço, o espírito que travava as portas dos dormitórios da segunda coorte apareceu, e ficou bem nervoso comigo, me atacando logo que percebeu o que eu havia feito. Para a minha sorte eu não estava sozinha, pois as semideusas e semideuses do meu alojamento logo vieram ao meu socorro e me defenderam do espírito.

Assustada, por impulso eu dei um passo para trás, e acabei tropeçando. Mas logo meus colegas de coorte se colocaram entre mim e o espírito, me fazendo sorrir- Pega essa então, Gasparzinho, o fantasminha psicopata! –disse ao espírito, entre risos enquanto que todos partiam para cima dele. Porém, por mais que eles dificultassem muito o trabalho do espírito, ainda podia ver que não faziam muita coisa com ele além de irritá-lo, o que significava que não bastaria apenas trabalho em grupo para acabar com aquela loucura... O que podíamos fazer então? Bem, eu não tive muita ideia, por isso dei o maior chute de todos, e me afastei correndo daquela confusão.

Talvez pensassem que eu estivesse fugindo da batalha, ou talvez até do acampamento, mas na realidade eu procurei ficar o mais próxima possível do ponto central entre aqueles dois dormitórios da segunda coorte, para realizar mais um feitiço. Abrindo os braços, eu deixei a magia fluir dentro de mim e disse- Non manes! –e no momento seguinte ao fim do feitiço, o fantasma sumiu. O meu alívio durou pouco, pois logo me lembrei dos dormitórios, e realizei mais um feitiço, ao apontar minhas mãos abertas para as portas- Cadent! Não se havia sido apenas o desespero que me deu forças para derrubar ao mesmo tempo as duas portas com meu feitiço, ou se foi a junção de tudo isso com a força dos semideuses desesperados para sair de seus quartos cheios de água, mas funcionou! Logo as portas estavam no chão, e toda aquela água jorrou ao mesmo tempo, assim como havia sido conosco.

Só que, ainda que aquilo fosse um alívio, me fez enxergar também que aquela situação tinha uma solução, já que eu havia acertado no chute. Por isso, assim que tive a chance, saí correndo do alojamento da segunda coorte, e segui na direção do exterior. Mas é claro que eu não iria agir sozinha, por isso fiz questão de chamar a atenção da minha coorte (a única que estava com fôlego para agir naquele momento) na saída- Se separem e vão para as outras coortes! Podem estar precisando de ajuda! –disse, desesperada e correndo- Se posicionem nas portas dos dormitórios e se preparem para ajudar a arrombar as portas! Eu tive uma ideia que pode facilitar para nós...

Eu não calculei exatamente qual era o ponto exato entre os alojamentos das coortes, mas tentei me aproximar o máximo possível disso, para que assim eu tivesse mais chances de ter sucesso na minha próxima jogada. Então, tentei me concentrar ao máximo, mas acabei sendo obrigada a apelar para a magia outra vez, já que não me sentia pronta para fazer aquilo ainda- Incumbo, incumbo, incumbo... –repeti o feitiço algumas vezes. Pois é, eu me desgastei um pouco naquele momento, mas estava preocupada demais com o acampamento para me importar com meu gasto de energia. Só que, quando eu me senti pronta, abri os olhos e estendi os braços para os meus lados enquanto recitava- NON MANES! –berrei o feitiço. Usando toda a minha força e concentração, fiz o máximo que eu pude para atingir o máximo que conseguia daquela parte do acampamento (os alojamentos) com aquele feitiço, inclusive repetindo-o enquanto andava por ali, procurando um ponto melhor para que o feitiço tivesse maior efetividade.

Aquilo foi desgastante, mas eu estava determinada a ajudar a legião, então eu parei apenas quando ouvi ao longe as portas se quebrando, e vários litros de água jorrando. Quando isso aconteceu, finalmente eu consegui parar, só que até aí eu já estava esgotada de tanto utilizar da minha magia para expulsar os espíritos inquietos dos dormitórios, então acho que foi por conta disso que eu desmaiei...

Não sei quanto tempo levou, mas quando acordei, estava já na minha cama, e ela estava tão seca quanto o resto da coorte já. Não havia ninguém comigo (também, pudera, talvez fosse de tarde já, talvez todos estivessem em seus respectivos trabalhos/tarefas), o que me deixou bem triste, pois imaginava já que a legião nem se importava com todo o meu esforço para ajuda-los, mas... Olha, meu rosto triste logo se transformou, ao ser recebida quase que como uma heroína ao sair do dormitório das meninas.

Nem dava pra acreditar, mas finalmente eu havia feito algo de certo.




Feitiços e Habilidades Usadas:
Nome do poder: Bom Magico I
Descrição: O semideus tem certa habilidade com magia, e aprende com muita facilidade conforme se desenvolve. Nesse nível, essa habilidade permite que o semideus consiga executar seus feitiços com mais precisão, ganhando uma pontaria melhor, e podendo executa-los com mais facilidade.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Ganha 10% de força em seus feitiços (em poderes ativos).
Dano: +5% de dano se os feitiços acertarem.

Nome do poder: Descendente da Magia I
Descrição: O filho de Hectare/Trivia é descendente direto da magia, ela corre por seu sangue, e para ele, age como um condutor natural. Essa ligação lhe permite uma aprendizagem rápida de feitiços, conhecimento de livros antigos, bem como realização dos mesmos. Ao aprender sobre magia, a prole de Hécate/Trivia, também fica mais forte.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus:  Ganha 10% de força em seus feitiços (em poderes ativos).
Dano: +5% de dano se os feitiços acertarem.

Nome do poder: Proteção
Descrição: Nyx/Nox é uma mãe zelosa quando se trata dos filhos, e concede a eles uma proteção invejável. Seus corpos tem um escudo e resistência natural, que impede criaturas, e espíritos malignos, bem como demônios, de tomarem seu corpo e sua mente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Qualquer criatura que tentar violar o corpo do filho de Nyx/Nox de maneira baixa, será expulso, e terá uma parte da alma machucada.
Dano: 10% de dano na barra de HP (retirado do total), da criatura que tentar violar o corpo do filho de Nyx/Nox.

Feitiço: Incumbo
Descrição: Um feitiço para auxiliar em sua concentração. Pode ser bem útil se utilizado durante uma batalha que necessite de muito foco ou antes de um ritual que exija precisão.
Gasto de Mp: - 15 de MP.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Caso seja realizado durante a lua nova, há uma chance de +30% de que ele funcione corretamente.
Dano: Nenhum.
Extra: Com certo treino, pode ser utilizado não verbalmente.

Feitiço: Aparecium
Descrição: Faz com que algo invisível se torne visível.
Gasto de Mp: - 10 de MP.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Caso seja realizado durante a lua nova, há uma chance de +30% de que ele funcione corretamente.
Dano: Nenhum.
Extra: Com certo treino, pode ser usado de forma não verbal.

Feitiço: Cadent
Descrição: Serve para empurrar ou derrubar pessoas, coisas e criaturas.
Gasto de Mp: -20 de MP.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Caso seja realizado durante a lua nova, há uma chance de +30% de que ele funcione corretamente.
Dano: -10 de HP.
Extra: Com certo treino, pode ser usado de forma não verbal.

Feitiço: Non manes
Descrição: Um feitiço que serve para que você expulse fantasmas de um determinado ambiente – ou pessoa, caso alguém esteja possuído.
Gasto de Mp: - 15 de MP.
Gasto de Hp: Nenhum.
Bônus: Caso seja realizado durante a lua minguante, há uma chance de +30% de que ele funcione corretamente.
Dano: Nenhum.
Extra: Com certo treino, pode ser utilizado não verbalmente.


#01

Com: NPC's
Roupas: Roupa de dormir

everytime I think I'm closer to the heart.


Missão:
Espíritos Inquietos -> Os espíritos que habitavam o lago do Acampamento Júpiter eventualmente pareciam entrar em grande inquietação em determinadas épocas do ano, de maneira que, naquele dia, os mesmos se agitaram. Tudo começando como uma espécie de brincadeira de mal gosto. Afinal começaram a prender os campistas e espirrar água no rosto dos mesmos, porém a medida que o dia foi passando o número de relatos e afogamentos foi crescendo, porém a situação como um todo não era novidade. No entanto assim que a noite caiu o lago, aparentemente, resolveu habitar o dormitório das coortes. Enchendo o ambiente de água e, o pior, aparentemente os semideuses estavam trancados dentro dos próprios dormitórios e sequer os campistas ligados a Netuno pareciam capazes de expulsar tamanha quantidade de água. Logo a solução pode estar nas suas mãos. Você precisa arrumar um jeito de ajudar o acampamento Júpiter e impedir que a água afogue os demais, mas antes é preciso abrir a porta! Local de Postagem: Sua coorte. Recompensa: Entre 700 xp a 800 xp dependendo da qualidade da missão + 400 a 500 dracmas de acordo com o narrador.


750XP - 500 dracmas
Atualizada por Quione
avatar
Luna Blackwood
Sem grupo
Sem grupo

Mensagens : 86

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Alojamento Feminino

Mensagem por Luna Blackwood em Dom Maio 21, 2017 9:50 am



Faxina em Casa I
▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄
Or not! The night is a beautiful child.




Eu não sei como é no acampamento grego, mas você tem ideia de como é que os centuriões são rígidos com a limpeza no Acampamento de Júpiter? Recebemos punições ou mesmo as piores tarefas quando não fazemos direito a limpeza, e quando digo isso eu quero dizer que eles realmente procuram até mesmo poeira em cima dos cômodos. É, eles são muito chatos com relação a isso, mas é bom que assim nos mantem em ordem. Claro que geralmente quem sofre (tanto com as punições quanto com as tarefas em si) são os responsáveis da vez pelas tarefas, mas eu tento sempre fazer a minha parte, por garantia. Pois eu nunca gostei de dar trabalho para as outras pessoas, então é claro que eu nunca deixaria muita bagunça minha para os que ficassem encarregados dessa tarefa.

Sabe, eu nunca me arrependi de acreditar nisso, no karma. Pois, tudo o que fazemos inevitavelmente acabava voltando para nós, e hoje não foi diferente, quando eu fui escalada para limpar nosso alojamento.

Eu não desgostava de fazer a limpeza, mas também não adorava. Só fazia por que era obrigada, e também por que as pessoas adoravam quando eu cobria as outras nesses deveres, o que acontece direto. Talvez eu seja boba por fazer isso, pois na maioria das vezes as pessoas só fingem que são minhas amigas para que eu faça tal gentileza, mas hora ou outra se lembram dessas minhas decisões, sabe? De toda forma, como eu dizia antes, hoje era dia de limpeza e eu não teria folga. Principalmente por que duas outras pessoas que iriam realizar a tarefa comigo não vieram.

Mas tudo bem, afinal de contas, não tinha tempo para realizar a tarefa, então eu fui com bastante calma hoje. Vesti meu pior trapo, peguei baldes de produtos de limpeza, esfregões e vassouras, e estava prona! Claro, sem esquecer as luvas de borracha. Confesso que era até engraçado eu estar assim, pois parecia até uma diarista, mas valeria à pena toda essa proteção.

Quando comecei meu trabalho, eu primeiramente tratei de arrumar todas as camas do quarto, colocando no lugar os lençóis desarrumados que minhas amigas legionárias haviam deixado quando saíram essa manhã para as suas atividades. Claro que a maioria de nós sempre é bem organizada e limpa, mais que os meninos pelo menos, mas também é normal que esqueçamos uma coisa ou outra, então fiz o favor de arrumar tudinho para elas. Assim que as camas estavam já bem arrumadas, com os lençóis retos em cima das mesmas e os travesseiros todos alinhados (é, tenho um pouco de TOC, admito), eu tratei de cuidar do resto.

Passei um pouco de produto de limpeza nas pernas das camas e nas laterais das mesmas, antes de fazer o mesmo pelo chão e esfregar tudo direitinho. Usei uma esponja para ajudar com tudo, e por fim passei água em cada canto que antes havia o produto de limpeza, para não deixar aquele cheiro forte no quarto após a limpeza.

Bem, havia dado uma trabalheira danada limpar todo aquele alojamento, mas por sorte não havia nada demais ali. Só alguma poeira e umas roupas/lençóis fora do lugar, mas como sempre foi um paraíso arrumar o alojamento feminino. E secar foi a mesma coisa também, sem problemas. Mas ainda havia outro para cuidar, um que infelizmente eu não poderia deixar de lado hoje, já que o seu responsável havia ficado doente hoje...

Era a vez do dormitório masculino agora, e o que será que me aguardava?







#02

Com: NPC's
Roupas: Uniforme do Acampamento

everytime I think I'm closer to the heart.


Missão:
Faxina em Casa -> As Coortes do acampamento devem sempre estar arrumados e limpos. Os semideuses limpam suas "casas" regularmente. Hoje é o seu dia da faxina! Limpe a sua coorte (ou arrume-o da melhor forma possível) e deixe-o apresentável. Como os alojamentos são divididos em masculinos e femininos, aqueles que limparem ambos terão um adicional na recompensa. Locais de Postagem: Coorte que participa Recompensa: 100-150 XP, 150 dracmas para quem limpar apenas o seu alojamento, quem limpar tanto o feminino quanto o masculino terá o adicional de 100 xp e 100 dracmas (Necessário realizar duas postagens, uma no alojamento feminino da coorte e uma no masculino).
avatar
Luna Blackwood
Sem grupo
Sem grupo

Mensagens : 86

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Alojamento Feminino

Mensagem por Arcus em Seg Maio 22, 2017 6:59 pm

Avaliação de Luna Blackwood:
É, Querida, ninguém adora fazer faxina, mesmo! Sua avaliação consta na etapa 2.
avatar
Arcus
Deuses Estagiários
Deuses Estagiários

Mensagens : 158

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Alojamento Feminino

Mensagem por Daron A. Herzl em Sab Mar 24, 2018 3:36 pm


Faxina em Casa - parte 2


Essa aventura começou aqui

Com três batidas na porta, Herzl notificou sua presença para garantir que não abriria a porta em um momento inapropriado. A porta, então, foi aberta, para a colega de coorte deparar-se com o semideus sujo, suado e equipado com uma porção de produtos de limpeza. Ela espiou através de uma fresta na porta, exibindo apenas um par de olhos castanhos enquanto escondia o restante de seu corpo atrás da porta, fazendo o polonês corar percebendo que havia chegado enquanto a garota se despia e trocava de roupa.

▬ Já estou saindo. A semideusa encostou a porta novamente e retornou para o interior do alojamento, fazendo Daron aguardar por uns três minutos antes de deixar o local para que o legionário pudesse continuar seu serviço.

Soltando o balde sobre o chão e encostando-se na parede, tudo o que o filho de Marte desejava era deitar sobre o tapete macio do centro do alojamento e descansar ali, mas as semideusas que habitavam ali não ficariam felizes ao se deparar com tal cena quando retornassem de suas atividades. O legionário esticou os braços para cima alongando o corpo, dando dois tapas de leve no rosto para prosseguir um pouco mais desperto.

Agora o rapaz sabia que devia começar com as atividades mais chatas e cansativas, então dirigiu-se direto para o banheiro para começar sua limpeza ali. Sua primeira tarefa foi retirar o lixo e separá-lo para descarte, e depois, com o mesmo produto que havia usado no outro alojamento e a pequena vassourinha, pôs-se a limpar o vaso sanitário com afinco para deixá-lo brilhando. Ele e a vassoura foram para dentro do box do banheiro, retirando o amontoado de fios de cabelos que estavam sobre o ralo e esfregando o limo que havia sobre os azulejos.

Com a limpeza do banheiro concluída, Daron começou a varrer o alojamento dali mesmo, passando as cerdas da vassoura por todo o cômodo até chegar próximoà porta. Ali, amontoou a sujeira, pó, embalagens plásticas vazias e incontáveis fios de cabelo. Alguém ali perdia tanto cabelo que podia-se fazer uma peruca. Utilizando uma pá, o garoto juntou a sujeira acumulada e retirou-a dali junto com o lixo do banheiro, unindo com o lixo que havia retirado do alojamento masculino para descartar tudo de uma única vez.

A seguir, voltou a forçar sua idosa coluna, abaixando-se de encontro ao balde para molhar e torcer um pano, envolvendo-o em um rodo para limpar o chão do dormitório. Utilizou todas as energias que ainda possuía para esfregar o chão e remover quaisquer manchas que encontrasse, não esquecendo de nenhuma fresta ou canto durante a atividade. Com mais aquela tarefa realizada e sua vontade de viver reduzindo ainda mais, Daron pegou um pano limpo apenas para remover o excesso de pó existente sobre os móveis, livros, bidês e mesas ali presentes, para no fim melhorar o aspecto do local e restaurando o brilho dos móveis.

Cansado, suado e com a coluna clamando por sua cama, o semideus recolheu os produtos de limpeza para devolvê-los ao local de origem. Tudo o que queria após toda aquela faxina era tomar um banho morno e jogar-se sobre sua cama.

Missão fixa realizada:
Faxina em Casa -> As Coortes do acampamento devem sempre estar arrumados e limpos. Os semideuses limpam suas "casas" regularmente. Hoje é o seu dia da faxina! Limpe a sua coorte (ou arrume-o da melhor forma possível) e deixe-o apresentável. Como os alojamentos são divididos em masculinos e femininos, aqueles que limparem ambos terão um adicional na recompensa. Locais de Postagem: Coorte que participa Recompensa: 100-150 XP, 150 dracmas para quem limpar apenas o seu alojamento, quem limpar tanto o feminino quanto o masculino terá o adicional de 100 xp e 100 dracmas (Necessário realizar duas postagens, uma no alojamento feminino da coorte e uma no masculino).






avatar
Daron A. Herzl
Senadores
Senadores

Mensagens : 161
Idade : 25

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Alojamento Feminino

Mensagem por Vênus em Dom Mar 25, 2018 12:56 pm

Atualizado e Avaliado por Vênus
Recebe 150 XP + 150 Dracmas
Comentário:
Ps: Como deixei o recadinho na postagem anterior e não tenho nenhum acréscimo apenas estou deixando aqui que não tenho nada a comentar.


Vênus, love's lady
..
diva, déesse de l'amour et de la beauté ♦️
avatar
Vênus
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 1954

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Alojamento Feminino

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum