The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

A Fogueira

Página 4 de 18 Anterior  1, 2, 3, 4, 5 ... 11 ... 18  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: A Fogueira

Mensagem por Balthier Lyserg em Seg Jan 02, 2017 6:11 pm

Are you Affraid?
E mais uma vez lá estavam todos reunidos, festejando e celebrando o novo ano que acabara de chegar. Todos. Menos um. Balthier Lyserg ainda se encontrava em seu dormitório, refletindo sobre a sua vida até aquele ponto. Para ele não fazia o menor sentido festejar a madrugada de virada do ano, era apenas mais um dia comum como qualquer outro, e teriam 365 dias iguais aquele ao longo dos meses. Todavia, não podia perder a reunião de todos aqueles semi deuses e criaturas mágicas, alguns muito peculiares, era um show de horror e ego, gostava de rir enquanto observava aquelas pessoas inflando o ego para ver quem vestia-se mais adequadamente a situação e quem exalava mais futilidade.

Mais uma vez o rapaz sentiu saudade de sua família, o Natal e Ano Novo não tinham o mesmo sentido sem eles ali para confortá-lo e dizer que “coisas boas virão”, coisas estas que nunca vieram em seus 18 anos de vida. Não sabia bem se ser filho de um Deus era uma dádiva ou maldição, mas sabia que queria vê-los todos queimando em volta daquela fogueira e o quanto assistir aquela cena seria prazeroso para ele. Assim como de praxe, Balthier vestiu-se com uma camiseta branca comum e lisa, assim como tantos outros, junto de uma calça jeans e tênis preto. — Assim está bom! - Proferiu o rapaz ao olhar-se para o espelho.

Tão logo desceu para o jantar, já ouvia as conversas e risadas da multidão feliz pela celebração da virada do ano que não demoraria muito para acontecer. Criaturas mágicas serviam os campistas com o que lhe eram pedidos, como verdadeiros empregados. Porém Balthier resolveu servir-se por si só, agarrando o primeiro prato vazio que encontrou em sua frente, estava com fome e rapidamente foi encher seu prato com as melhores iguarias que os deuses já provaram. — Vamos ver o que tem de bom aqui pra comer aqui...


   



avatar
Balthier Lyserg
Filhos de Phobos/Timmos
Filhos de Phobos/Timmos

Mensagens : 26
Data de inscrição : 20/12/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Fogueira

Mensagem por Guilherme R. Mckinnon em Seg Jan 02, 2017 6:46 pm


New Night
Um novo começo

Eu novamente me senti relaxado com a presença da garota, de alguma forma me parecia que nos conhecíamos a anos em menos de alguns minutos , foi quando abri meus dedos e os movimentei demonstrando grande mobilidade com o mesmo, meu sorriso se abriu de leve e meus olhos foram de encontro aos delas, eu estiquei o braço mecânico retirando a manga para acima do ombro mostrando a prótese em sua raiz, era totalmente sintetizado aos músculos e nervos do meu braço, minha pele a volta de onde o metal encontrava a carne tinha tonalidade avermelhada de uma cicatriz recente, onde fora queimado para cauterizar o ferimento.

A algumas semanas tivemos ataques a legião, eu participei das linhas de frente, na primeira batalha sai apenas com ferimentos leves e perdi minha irmã — disse um tanto que com remorso de não ter conseguido salvar uma familiar mesmo que desconhecida possuía o mesmo pai. — Não pude fazer nada, não a protegi, mas e um risco que corremos. — Tentei me animar um pouco e prossegui. — Mas na segunda batalha, eu e outro legionário, consegui destruir o monstro com meu machado, porem ele levou meu braço consigo, odeio minotauros — disse sorrindo para a garota logo recolocando a manga em seu lugar no meio do braço.
Logo depois, Vênus, me concedeu está prótese, Bronze celestial, força o suficiente para levantar um ônibus, e ainda estou me adaptando, e você tem alguma história para me contar ? — finalizei com curiosidade, ela já sabia algo sobre mim e eu nada sobre ela.


® Credits to Lux



Guilherme Rietmann
 
Os legionários não morrem, eles se reagrupam no além para atormentar o inimigo 
avatar
Guilherme R. Mckinnon
I Coorte
I Coorte

Mensagens : 35
Data de inscrição : 27/08/2016
Idade : 18
Localização : BAY Area

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Fogueira

Mensagem por Lauren L. Hill em Seg Jan 02, 2017 7:06 pm

happy new year
Mais uma comemoração. Mais um fim de ano. Mais um capítulo aberto com novas chances e novos objetivos. Lauren parecia não muito animada para aquela virada de ano, aquela festa na fogueira, mas sabia que quando encontrasse seus amigos aquele humor mudaria drasticamente de um jeito positivo. Parecia que algo lhe faltava, talvez sentisse saudade da sua família fora daquele Acampamento, apesar das desavenças os anos que passaram juntos foram ótimos.

Ao chegar na fogueira, viu uma mesa aposta cheia de comida e sua boca salivou. Céus, estava horas sem comer e seu estômago gritava de fome. Ouvia todos comemorando e feliz, se abraçando, rindo ao relembrarem de momentos do ano que passou. Lauren, naquele momento, não estava pensando em nada a não ser na comida e ao aproximar-se da mesa para se servir, trombou em um rapaz sem querer. — Me desculpe, me desculpe! — Pediu colocando ambas as mãos nos ombros do rapaz, arrumando a camisa lisa do mesmo. — Estava procurando por conhecidos, sinto muito pelo acontecido. — Proferiu mais uma vez sorrindo timidamente.

"Esse rosto eu não conheço..." Pensou olhando o rapaz uma última vez ao retomar sua postura, pegando um prato que estava posto a sua direita e começou a se servir dos mais variados tipos de comida que estavam na mesa com um pano branco. Em seus 18 anos de vida, nunca havia sentido tanta fome como naquela véspera de ano novo. Ao voltar para o início da mesa para pegar talheres, observou o rapaz novamente. — Ei, és novo aqui, certo? Qual seu nome? — Questionou simpática, nos seus lábios um sorriso alegre enquanto esperava a resposta do olimpiano à sua frente.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Fogueira

Mensagem por Evie Farrier em Seg Jan 02, 2017 8:17 pm



EVIE FARRIER

Happy New Year

Menções no post: Guilherme, Beau

Raaarw #3


Os olhos de Evie fitaram diretamente o braço do garoto, absorvendo cada detalhe que podia captar. O seu lado que a ligava a Belona estava vibrando dentro de si por aquela arte. Mas ao escutar a tragédia que permitiu o romano ter aquela regalia, seu olhar tornou-se levemente pesaroso. Almejava agora ter participado daquele embate, ter lutado ao lado de seus irmãos e ter conseguido ajudar de alguma forma. Era uma guerreira que lamentava a perda de seus irmãos internamente.

-Eu sinto muito – disse de maneira baixa e sincera, logo tratando de mudar de assunto e deixar o clima mais leve – Alguma história minha? Eu sou mais entediante do que gostaria de dizer – porém logo seu semblante tornava-se pensativo, sua mão esquerda repousou em seu quadril enquanto a destra começava a enumerar as coisas que dizia – Aos cinco anos entrei no sistema de adoção, não fazia ideia que meu pai também era semideus. Fui uma verdadeira pestinha, se eu fosse cuidar de mim mesma, por favor, eu matava – um riso breve e divertido escapou de sua garganta, seu tom tornando-se suave – Acho que a vida de todo mundo aqui acaba tendo uma tragédia ou outra, Gui. O que diferencia cada um é a forma como segue a vida depois que é machucado.

Talvez esse fosse um dos defeitos da filha de Nox. Pensava muito na vida, em tudo o que acontecia ao seu redor, mas nunca encontrava tempo para conversar com outras pessoas. Então quando tinha oportunidade, tornava-se tagarela e sem pudores de dizer seus ideais e pensamentos. Era uma garota social, mas que apenas se dedicava mais ainda ao seu treinamento e sobrevivência.

-Vamos pegar algo para beber? – sugeriu suavemente, seu olhar varrendo o espaço até deparar-se com um garoto loiro, sentado próximo a eles – Hiya, blond boy – o cumprimentou alto suficiente e em um tom simpático – Você sabe onde podemos encontrar as bebidas realmente boas daqui?




---------

Ps: o garoto loiro é o Beau <3


rise and rise again until lambs become lions

Don’t give up!




EVIE FARRIER
I am the bone of my sword. Steel is my body and fire is my blood.
avatar
Evie Farrier
Pretores
Pretores

Mensagens : 422
Data de inscrição : 26/12/2016
Idade : 20
Localização : Acampamento Romano

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Fogueira

Mensagem por Vince Le Fay Karkaroff em Seg Jan 02, 2017 10:23 pm

Fogueira
O Dilema do Necromante



Um novo dia. Um novo ano. As coisas por quais todos passaram até chegar aqui foram das mais diversas. Vislumbrar rostos por vezes tão conhecidos regados a outros desconhecidos me proporcionava uma boa sensação. A fogueira acesa era tão acolhedora quanto os primeiros raios solares que faço questão de sentir todas as manhãs. Um desejo, paz. Eu sei que esse desejo é utópico para qualquer semideus que se preze e que não tem vontade de se isolar em seu quarto dentro de um dos dezenas de chalés do Acampamento Meio-Sangue. Optei por deixar de lado sentimentos ruins, apenas curtindo a nostalgia e me permitindo sorrir diante de todos. Cumprimentando-os educadamente. Só o fato de ter em meu colar as contas que me contavam tantas histórias ali vividas era um presente magnífico.

Mas como nada é perfeito. Algo faltava.

A adrenalina natural existente em qualquer semideus me fazia sentir um desarmamento incrível, o que para pessoas comuns é similar a sensação de estar nú. Muitos de meus melhores objetos de combate não se tornavam colares ou pingentes, o que me causava certo desconforto. Mas além disso, sentia falta de uma pessoa em especial. Alguém que era capaz de passar a noite em claro conversando comigo na floresta, capaz de cantar cantigas antigas em grego antigo, ou até se dispor a aprender a tocar flauta. Pois é, o mais novo ceifeiro do acampamento não estava ali, pelo menos eu não o via. Até o momento estava parado encostado em uma árvore, apenas a observar tudo e todos. Os braços cruzados sobre o peito eram rígidos e demais e contraditórios com o sorriso que forçava a utilizar.

- Mas que merda. Onde ele está? - Murmurei um pouco irritado, realmente não tinha muito o que fazer ali senão ficar a observar os outros, percebo então uma mesa com comidas diversas. Sem saída caminho até ali, pegando umas frutas e me deliciando com algumas esferas de um cacho de uvas verdes - minhas favoritas -, fico diante da mesa por alguns momentos suficientes para não ser deselegante com os demais e novamente volto para a companhia da árvore. Acabo por rir sozinho com a ideia que poderiam formar de mim, se pensariam que fosse um filho de Deméter ou coisa do gênero. Afinal de contas, isolamento e antissocialismo eram minhas marcas registradas.





Vince
Karkaroff
▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄
avatar
Vince Le Fay Karkaroff
Filhos de Apolo
Filhos de Apolo

Mensagens : 223
Data de inscrição : 25/08/2014
Idade : 20
Localização : Camp Half-Blood

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Fogueira

Mensagem por Beau G. Edmond em Seg Jan 02, 2017 10:38 pm



The people here are buzzing like a bug on a light, I'm feeling like I always see them, but they can't see me.
Is anybody listen ?
Quanto tempo havia se passado desde que cheguei? Segundos? Minutos? Horas? A verdade é que eu não sabia. O ruim de estar em um lugar em que não se conhece ninguém é o fato de não poder interagir com as pessoas, o que torna o tempo de estadia no local bem lento e tedioso. Ouvi a voz feminina em minha direção, que me fez emergir do mar de pensamentos que me cobria. Olhei em sua direção. Nunca tinha visto-a, provavelmente era novata.

— Blonde? Poderia jurar que já bebeu algumas doses.

Deixei escapar uma risada rápida antes de me levantar. Provavelmente a luminosidade da fogueira fizesse parecer que os fios de meu cabelo fossem loiros, não sei. Chamei-a coma cabeça indicando a direção que devíamos seguir. Como a mesa com comida não estava muito longe, o caminhar até ela foi rápido.

— Acho que bebida alcoólica não é permitida aqui, mas... — Olhei para o lado, garantindo que não havia nenhum superior por perto — Tenho quase certeza que avistei alguém batizando aquele ponche de néctar — Falei apontando para o frasco da direita — E se não tiver nada, pode procurar filhos de Hermes. Eles sempre têm algo.

Esbanjei um sorriso ao me virar e ficar de frente para a garota. Estiquei minha mão direita com a palma aberta em sua direção.

— A propósito, muito prazer — Cumprimentava-a com um aperto não muito forte — Me chamo Beau. Filho de Eros e Guardião das Hespérides.




It feels so crazy when you scream my name. Love it when you rock me over every day
avatar
Beau G. Edmond
Filhos de Eros
Filhos de Eros

Mensagens : 75
Data de inscrição : 03/12/2016
Localização : Pelo mundo q

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Fogueira

Mensagem por Adam Köhler Bradshaw em Ter Jan 03, 2017 4:52 am


When all the roads you took came back to me
So baby, why did you run away? I was there for you In your darkest times
[size=48]A noite caíra e os campistas já se recolhidos para que terminassem de se arrumar para a festa que comemoraria a virada para um novo ano, apesar de muitos demonstrarem ânimo para comparecer aquela festa que era muito comentada durante a semana por reunir ambos os acampamentos em um único lugar para celebrar aquele primeiro dia do novo ano. Um suspiro escapou pelos lábios do garoto que levava a mão a nuca por um momento refletindo sobre o motivo que o estava levando até o lugar com aquele ânimo nem um pouco festivo como costumava apresentar em grande maioria das vezes que outros campistas romanos esbarravam consigo, não havia um motivo especifico para aquela mudança de humor e comportamento repentino do rapaz. — Agora que estou no meio do caminho não há mais volta — Sussurrou revirando os olhos ao final da fala. O jovem respirando profundamente recolhendo o ar ao notar que já se aproximava do local ao qual estava acontecendo a festa,logo o liberando imediatamente e recolhendo toda a coragem que tinha lhe restado das batalhas ao qual havia enfrentado para proteger o acampamento e mentalmente a voz em seu subconsciente. — "Aproveite esse momento de descanso" — uma pequena voz o alertou, sabendo como a vida poderia ser agitada.

A brisa da noite bateu sobre apele do jovem que fechou os olhos para que pudesse aproveitar ao máximo aquela brisa logo sendo interrompido ao observar alguns rostos conhecidos no local e olhando ao centro a fogueira acesa, aproximei-me de forma sorrateira buscando desviar-se das pessoas chegando a mesa de bebidas, servindo-se com uma das bebidas e dirigindo-se a mesa antes de se sentar com o prato à uma distância razoável da fogueira para que não fosse atingido por qualquer cinza do fogo. Ele desviou o olhar até a mesa por alguns segundos, antes de ser pego de surpresa pela presença da criatura servindo-o um de seus pratos favoritos, ele se levantou aproximando-se do fogo e jogando metade como oferenda para os deuses enquanto murmurava mentalmente. — "Apesar de eu achar que não merece todo este meu respeito por você, mãe. Mas algum dia quero saber o motivo e até este dia chegar, irei respeita-la ainda e futuramente decidirei." —  o olhar de indignação era visto de longe e por um breve momento uma cena lhe chamou a atenção, em seguida arrancando um sorriso ao ver o garoto ir de cara no chão por simples descuido de sua parte. O moreno logo dirigiu o olhar até a bebida se deliciando da mesma calmamente para que tentasse adivinhar o sabor da bebida, em seguida beliscando o que havia sobrado em seu prato que antes estava farto das mais diversas gostosuras.[/size]




Última edição por Adam Köhler Bradshaw em Ter Jan 03, 2017 4:33 pm, editado 2 vez(es)


acquainted
baby you're no good cause they warned me bout your type girl, i've been ducking left and right. baby you're no good, think i fell for you. you got me puttin' time in, time in, nobody got me feeling this way. you probably think i'm lying, lying, i'm used to bitches comin' right 'way. you got me touchin' on your body, to say that we're in love is dangerous, but girl i'm so glad we're acquainted
avatar
Adam Köhler Bradshaw
V Coorte
V Coorte

Mensagens : 385
Data de inscrição : 02/05/2014
Idade : 20
Localização : P.P

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Fogueira

Mensagem por Peter C. Gallagher em Ter Jan 03, 2017 5:17 am



Close to the fyah

O Chalé de Eros parecia incompreensivelmente destoante do clima harmônico fora de suas portas. Enquanto o que reinava no Acampamento eram os bons sentimentos pelo final de mais um ano que se findou não sem alguns percalços, dentro da minha habitação o que havia era uma correria incontrolável, todos indo de um lado a outra por cada recanto tentando ficar prontos ainda naquele ano – desde já, peço perdão pela piada. Adivinha quem também não era uma exceção?

Demorou, mas, finalmente, considerava minha aparência adequada. Vamos estabelecer uma ironia neste momento; apesar de todo o meu esforço em escolher a vestimenta ideal, em arrumar meus fios escuros do modo mais atraente, em selecionar com dedicação o perfume mais marcante e em eleger o sapato mais bonito para a ocasião, eu não irei me alongar descrevendo quais foram minhas opções finais. Trabalhe com a mesma imaginação que eu precisei utilizar para finalmente me encontrar pronto. Apenas tenha a certeza que eu não decepcionei minha herança no quesito beleza e elegância.

Saí do Chalé apressadamente, quase esbarrando em alguns jovens que ainda davam passos apressados em meio às muitas vozes. O ar da noite do Acampamento era fresco, agradável e receptivo. “Quem diria, Gallagher?”, eu pensei, assim que meus orbes amadeirados fitaram a longínqua e negra abóboda celestial “Você chegou ao final desse ano vivo”.

Caramba, Gallagher!, ele vai te matar. – Murmurei comigo mesmo, conforme dava passos velozes em direção à luz laranja da fogueira.


Acompanhei os movimentos dele com certa diversão. Era quase cômico como ele não me notara ali, escondido entre as árvores e os outros semideuses. Antes que pudesse me aproximar, Vince se distanciou em direção a uma mesa e eu rolei os olhos com certo enfado. “Esfomeado”. Bastou que o alto necromante se aproximasse de seu local anterior, entretanto, para que eu me dirigisse para aquelas costas largas em completo silêncio.

Uau, quem deixa um homem lindo desses completamente sozinho a essa hora da noite? – Meus lábios estavam a quinze centímetros de sua orelha, mas se aproximaram um pouco mais para poder depositar um beijo demorado em seu pescoço, em um ponto próximo à cartilagem daquela, conforme meus dedos tocavam o braço dele. – Perdão pelo atraso, Le Fay. Urgências de última hora. – Ri próximo ao seu ouvido e me pus ao seu lado, tocando seus dedos com os meus. – Perdi o quê de importante?


This is a fight for the day, night, black, white
avatar
Peter C. Gallagher
Celestiais de Èter
Celestiais de Èter

Mensagens : 154
Data de inscrição : 11/07/2015
Idade : 19

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Fogueira

Mensagem por Guilherme R. Mckinnon em Ter Jan 03, 2017 7:05 pm


New Night
Um novo começo

Em concordância ao comentário de Evie sobre perdas eu assenti com a cabeça, todos, havíamos perdido alguém, alguns mais outros menos mas isso não era motivo para pararmos de lutar por um mundo mais seguro para outros como nós, para que perdas assim não se repetissem um dia .
A noite estava realmente divertida, e o a fogueira estava espetacular, alguns campistas de ambos os acampamentos já estavam se agrupando a volta da mesma, algumas musicas distantes se tornavam perceptíveis enquanto o local se preenchia de pessoas, todos sorrindo como se vivêssemos paz, e por uma noite isso se tornava real, ano estava acabando e logo tudo recomeçaria .

Vamos sim. — Logo avistando Beau, um garoto que já tinha visto algumas vezes pela Bay Area, sempre de relance, mas nunca havia chegado a trocar algumas palavras com o tal.
Nectar Batizado ? ai vamos nós — Sorri entusiasmado com o comentário do garoto
Beau não é ? um dos Guardiões das Hasperiedes . — Falei sorrindo ao garoto então estendendo o braço com o punho fechado para um comprimento. — Não me deixe no vácuo. — sorri para o garoto levantado levemente a sobrancelha direita.


® Credits to Lux



Guilherme Rietmann
 
Os legionários não morrem, eles se reagrupam no além para atormentar o inimigo 
avatar
Guilherme R. Mckinnon
I Coorte
I Coorte

Mensagens : 35
Data de inscrição : 27/08/2016
Idade : 18
Localização : BAY Area

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Fogueira

Mensagem por Vince Le Fay Karkaroff em Ter Jan 03, 2017 9:11 pm

Fogueira
O Dilema do Necromante



Os olhos do jovem semideus se arregalaram por um instante ao vislumbrar em detalhes a beleza estonteante de seu amado. Peter havia prezado suas raízes eróticas e tinha se vestido de forma extremamente elegante, ao contrário de Vince, que, como em um dia qualquer, trajava os jeans surrados colados ao corpo e a camiseta alaranjada do acampamento - Poxa gatinho... Se eu soubesse que era para me vestir assim, teria feito algo a altura... - O necromante estava completamente sem graça diante do moreno, esboçando um sorriso envergonhado pela situação.

Mas no fundo, Vince adorava aquilo.

A adrenalina por ser surpreendido pelo ceifador do amor era excitante, o filho de Apolo sentiu os pelos de sua nuca se arrepiarem com o toque demorado dos lábios de Peter - É culpa sua. Me deixar sozinho aqui... - A expressão do necromante muda, agora de frente para com o ceifador. Num misto de carinho e paixão, abraçou o outro repousando a cabeça sobre seu peito, aproveitando para se aquecer e poder notar as batidas daquele menino cheio de amor para dar.

- Acho que não perdeu nada de muito importante. - Sentou-se, convidando Peter com um gesto dos braços para que se aconchegasse junto a si - Deixe de ser bobo, não vou estragar sua roupa... - Vince disse um pouco mais firme, esperando que seu desejo fosse atendido - Cheguei há pouco, comi algumas frutas, mas por mais que seja uma festa estão controlando os convidados. - O necromante aproxima ou lábios do ouvido do moreno, proferindo em um sussurro algo secretado - Não querem que as pessoas percam o controle... Meio impossível não acha?

Vince deixou com que o próprio questionamento ficasse no ar, assim como as fagulhas daquela fogueira. Havia uma sensação de conforto muito boa ali, o desejo de Vince se concretizava. O rapaz aproveitou da situação para mimar um pouco mais o outro, distribuindo carinhos e oferecendo frutas a boca do belo. Mesmo sabendo que isso não poderia acontecer, queria que aquele momento a dois durasse para sempre.





Vince
Karkaroff
▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄▄
avatar
Vince Le Fay Karkaroff
Filhos de Apolo
Filhos de Apolo

Mensagens : 223
Data de inscrição : 25/08/2014
Idade : 20
Localização : Camp Half-Blood

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Fogueira

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 18 Anterior  1, 2, 3, 4, 5 ... 11 ... 18  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum