The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Casamento de Amber e Oliver

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Casamento de Amber e Oliver

Mensagem por September Leif D'Ovidio em Seg Dez 19, 2016 5:36 pm

19 de Dezembro de 2016. O dia que começou com uma simples manhã qualquer para todos os semideuses, alguns foram privilegiados por uma eventualidade um tanto quando "inesperada". Uma ocasião especial para um grupo que faziam par há mais de doze meses, ou seja, há mais de um ano. Esses são Amber Höff Spielgeman, filha de Júpiter, e Oliver Ehlert Nordberg, filho de Hades. A junção de ambos como um verdadeiro casal só seria feita pelos os laços matrimoniais, o que foi marcado para a transição de turnos daquele dia, na praia.

Ambientação:
 



dn;
deadly nightshade; 'cause i was filled with poison but blessed with beauty 'n rage
avatar
September Leif D'Ovidio
Necromantes de erebus
Necromantes de erebus

Mensagens : 309
Data de inscrição : 28/11/2015
Idade : 20
Localização : over there.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Casamento de Amber e Oliver

Mensagem por September Leif D'Ovidio em Seg Dez 19, 2016 6:28 pm

remember, remember
all we fight for
G
ostaria de te fazer uma pergunta meio peculiar: você já esteve naqueles dias em que sente o teu estômago diferente do normal? Como se borboletas se remexessem em seu interior, cutucando o revestimento das paredes. Claro, isso é pura obra audaciosa do famoso “nervosismo”. Nervosismo implica ao sentir-se nervoso, semelhante à ansiedade, ficar no aguardo de algo deixava determinada pessoa sob um estado de reflexão a ponto de desistência. Essa “determinada pessoa”, nesse caso, pode se assinalado como Oliver Ehlert Nordberg. Por quê? Bem, que dia memorável é este, dezenove de dezembro de dois mil e dezesseis, quase na virada do ano. O que faz dele tão “memorável”? Que ser humano, ou melhor, que semideus poderia esquecer-se da data em que, finalmente, o seu maior desejo se transformaria em algo concreto. Aqueles que já desfrutaram da companhia do rapaz no meado de um ano, sabem muito bem do que se trata. Casar-se com a sua amada, Amber Höff Spielgeman. E esse dia enfim chegou.

Encontrou ela num passado não tão distante, acerca de um ano e cinco dias, em uma época em eram alheios um para o outro. Agora, eram amantes no sentido de “aqueles que amam”. Como não amá-la? Era uma pergunta frequente a beira da insanidade mental da cria infernal, que ia busca de respostas para isto. Se fizessem tal questionamento a ele e pedissem somente uma réplica, falaria absolutamente nada, pois não daria para descrever as sensações que tem próximo a ela, que ela lhe traz. Assemelhavam a uma turbulência de emoções divergentes, porém, semelhantes. Irônico era o sentido de tal coisa, mas era assim. Irônico. Ironicamente bom. Ironicamente seu órgão cardíaco-vascular... Não, isso soa muito como aula de anatomia. Deixe-me corrigir. Seu coração palpitava com um ritmado mais acelerado, cujo tal coisa não tende a ser normal perante o cotidiano e aos outros, bem ao centro do seu tronco, quase de modo doloroso. E doloroso do gênero que faz você gostar da dor e abraça-la com todas as forças possíveis. Ele a amava desde o início, a ama atualmente e sempre amará, até que o fim de seus dias fosse anunciado ao mundo.

Os vértices da boca vergaram-se com uma pequena sutileza, a ponto de ser quase invisível. Estava em frente a uma placa vertical totalmente ereta, a qual refletia a sua imagem para si mesmo. As extremas falanges contataram a área de junção do gravatá, cutucando-a algumas vezes a fim de firmar a peça de roupa. O seu traje era o adequado à ocasião festiva, festiva principalmente para si. Uma camisa branca sobrevestida por um paletó negro, calça da mesma cor, um sapato de cor idêntica, e a gravatá nem preciso comentar o tom. — Ahn? — Praguejou o ruído de distração ao dar esta visibilidade aos ali presentes, sob o teto do chalé de seu progenitor – Hades -. Adam, seu irmão-primo, filho de Zeus, havia questionado sobre como se sente sobre ser o primeiro a se casar do grupinho. Encarou a face do fraterno. Posteriormente fez a mesma ação com cada um, na seguinte ordem: Derek e Shin; os ombros moveram-se em sentido vertical, para cima e para baixo de modo simultâneo. O sorriso propagou-se na sua feição, disfarçando-o. — Caras... — Focou os globos platinas ao solo próximo, em diagonal. Suspirou. — Sinceramente... — Pausou por alguns míseros segundos. Retornou a compostura do crânio, mirando as caras dos semideuses. — Me sinto muito bem. Muito feliz na verdade. Quer saber, eu não sei descrever, mas pelo o que disse dá para ter uma base. Vou me casar com a garota que amo. E espero que eu não seja o único a fazer isso um dia. — Cutucou o peitoral de cada o indicador, rindo. Retirou de seu bolso as alianças, feitas pela Feiticeira Pandora como presente natalino. Entregou a feminina para o coreano, e a masculina o escolhido das estrelas. — Quero que cuidem delas até a hora do casamento. — Meneou a cabeça, fazendo o pedido durante. Olhou para o irmão; levou o palmo à lateral de seu pescoço, puxando para próximo de si. Ambos cabisbaixos chocaram com delicada a testa na do outro. — Vai atrás de quem tu gosta, irmão. — Fez do sussurro libertado um conselho. Afastou-se, só depois de aplicar três leves palmadas amistosas no local.


***


A bela paisagem natural do litoral havia perdido seus contrastes, contudo, mantendo a sua exuberância padrão, com os alguns objetos enfeitados. Claro, era necessário a transparência de tais completos em conjunto ao espaço original para que a local da cerimônia fosse efetivada. Um longo tapete esbranquiçado alarmava a passagem dos noivos; em seus flancos, entre espaçamentos regulares, havia pequenas tochas fincadas ao solo arenoso, incandescente por suas chamas ateadas; fileiras de cadeiras alvas às margens laterais também da trilha. Ele, o noivo, já posicionou-se previamente na extremidade do tapete, há alguns metros no ponto de intersecção da areia com o líquido cristalino. Elevou a visão. A atmosfera do céu já mesclava pigmentações transitórias, afinal, o crepúsculo do fim de tarde era um elemento entre os demais. O azul se perdia aos poucos, ganhando espaço para um alaranjado, enquanto algumas pequeninas esferas albinas surgiam. As pessoas que tanto amava se acomodavam nos assentos das cadeiras conforme chegavam à localidade. E Oliver permaneceu em silêncio, olhando para o horizonte. Parecia tão distante. Porém, de longe avistou uma forma estritamente reconhecível aos seus sentidos. Mesmo a metros de distância já inalava a sua essência aromática. As dentárias de marfim já eram perceptíveis no seu rosto em meio ao sorriso desenhado. Amber estava linda, como sempre, naquele vestido de noiva.

Estava extasiado pela beleza pura da mais baixa, ao mesmo tempo em que a via avançar. O tempo não existia mais, eram somente os dois, tanto que os arredores não tinham mais iluminação. Era um breu e ela era a luz no fim do túnel, o seu caminho para felicidade entremeio seus braços. O semideus contraia os beiços com o intuito de desfazer o riso, e a missão era falha. Tocara o fino tecido dérmico das palmas femininas assim que foram esticadas para si, abrigando-a com o toque das suas. — Você está... Muito linda. — Confessou a sua idealização, enquanto mirava diretamente e restritamente as íris platinadas dela. Procurava disfarçar o sorriso, só que não dava. Não conseguia. A sua felicidade em tê-la na circunstância praticamente exalava através dos poros de sua pele. O homem reduziu o meado superior de seu físico o bastante para que depositasse mornos selos nas costas dos palmos alheios. — Eu te amo muito, Amber... — O murmúrio ostentava a verossimilhança em suas palavras, realçadas pelo ar sincero que pairava com visar lançado.

Tanto Derek quando Shin andaram até o “andar”, estendendo os anéis para ambos. Ele pegara o de diamante, o que pertencia a ela. — Preciso admitir uma coisa... — Disse, mordendo os lábios. Deixou que um suspiro emanasse pelo espaço entre os beiços. — Tem um motivo para eu não ter escrito os votos. — Fitou-o nos olhos. Deuses, como são belamente instigantes aquelas circunferências esverdeadas. Eram hipnóticos, já que não quando os olhava não conseguia desviar dali. — Memorizar palavras já elaboradas faz parecer que não é natural, que os sentimentos, as sensações, as emoções, são somente parte de um livro. — Dizia entre pausas. — Um livro fantasioso. Ou seja, como saber se realmente sente aquilo? — Correu rapidamente o campo visual nos alheios, reparando em suas expressões. — Então, por isso o que falarei agora você deve saber que é o que meu coração diz, não os meus dedos. — Retornou o semblante para em direção de Amber. Lapidou um sorriso unilateral. Meio. De canto. — Amber Höff Spielgeman você é A razão pela qual eu me levanto todo santo dia. Ter-te perto de mim, independente da distância, coloca um sorriso sem jeito em minha boca, que só aparece em outro momento: quando penso em você. Fez as covinhas que foram nos cantos de teus lábios quando sorri, como a cor de marfim de seus dentes, é o auge do meu cotidiano. O som da voz é a melodia mais do que perfeita para os meus ouvidos, como se fosse uma sinfonia de orquestra conduzida pelo o melhor maestro sobre a face da Terra. — Entre gestos dos dedos e das mãos, as frases viam a tona. — Se não ficou claro: Amber, eu te amo mais do que tudo nessa vida, nas que já vivi e nas próximas.— Colocou a aliança em seu anelar canhoto. — Te amo muito.

Alianças:
Eternal: Somente um casal que se ama é capaz de proteger um ao outro dessa maneira. Eternal é um par de alianças de ouro puro, sendo a primeira um tanto menor, e incrustrada com uma pedra de diamante em seu centro, a aparência é lisa, e o escrito se resume ao nome do marido entalhado no meio, no centro da aliança. A segunda, não tão delicada, apresenta um designer masculino, e uma circunferência um tanto mais grossa, o anel é coberto por escritos antigos, e o nome da noiva encontra-se cravado em seu centro, na parte interna da aliança. O par eternal foi banhado pela poção do amor mais pura encontrada pela semideusa, mas selada com um feitiço de energia reversa para ganhar efeito de sensibilidade. Dessa forma, o anel faz o portador sentir quando seu parceiro está em perigo, mas não o ajuda, nem guia a pessoa de encontro ao parceiro, o que torna tal magia completamente inútil se o casal não souber onde o outro está. O segundo feitiço utilizado foi um guia de pensamentos, o par de alianças foi marcado pelo feitiço no intuito de conseguir faze-los ler a mente um do outro. A magia também só serve com os dois, não permite que leiam a mente de outros semideuses.

You're my best friend. All of my life you'll always be.





dn;
deadly nightshade; 'cause i was filled with poison but blessed with beauty 'n rage
avatar
September Leif D'Ovidio
Necromantes de erebus
Necromantes de erebus

Mensagens : 309
Data de inscrição : 28/11/2015
Idade : 20
Localização : over there.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Casamento de Amber e Oliver

Mensagem por Skylar Liech Kroessoff em Seg Dez 19, 2016 8:07 pm

all of me clique para ver a roupa
"You're my downfall, you're my muse
My worst distraction, my rhythm and blues"


Skylar sorriu, passando os dedos pelo colar negro. Sentia-se nervosa, casamentos eram sempre grandes eventos, ainda mais o de seu, bom, segundo melhor amigo. Faltava bastante tempo para a cerimonia, mas ela já estava a caminho, em frente ao chalé de Ares, esperando que Lauren saísse de sua casa. "E depois eu sou a filha de Afrodite." Se escorou na porta, quase caindo quando ela foi aberta. Quando abriu sua boca para xingar, viu a mulher estonteante a sua frente, fazendo com que seu queixo caísse, em pura surpresa. — L... Lern... Lauren... — Olhou-a de cima a baixo, piscando diversas vezes enquanto o fazia. Quando sua mente terminou de processar a imagem da filha de Ares em um vestido, ela estendeu sua mão.

"Cause all of me
Loves all of you
Love your curves and all your edges
All your perfect imperfections"


A música romântica tocava em sua cabeça enquanto andava de mãos dadas com Lauren pela praia. Seus pés estavam descalços e o vestido longo quase batia no chão. Parou de andar quando estavam perto do local da cerimonia e ficou de frente com a morena. Abriu a bolsa que carregava e tirou de lá um colar, simples, que fora comprado na loja de Afrodite. Encarou a mais velha, sorrindo. Ajoelhou-se no chão, ainda com os olhos fixos nela.

"Give your all to me
I'll give my all to you
You're my end and my beginning
Even when I lose I'm winning"


— Acho que colares não são utilizados nessa situação. Também acho que não se deve ajoelhar nesse tipo de pedido. E nem que a passiva devia pedir, mas vamos fazer o que? — Começou seu discurso,  entregando o colar. — Toda vez que eu estou perto de você, tenho borboletas no estômago. E é incrível, porque eu sou filha do amor, e nunca senti algo assim antes. — Deu de ombros, começando a se levantar. — E... Senhorita Lauren Lewis Hills, você aceita namorar comigo?  


Você sabe o que acontece com um ratinho quando é pisado por um Louboutin? Então é melhor ficar quieto antes que descubra.
THE • QUEEN
avatar
Skylar Liech Kroessoff
III Coorte
III Coorte

Mensagens : 84
Data de inscrição : 10/10/2015
Idade : 18
Localização : Na brisa.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Casamento de Amber e Oliver

Mensagem por Lauren L. Hill em Seg Dez 19, 2016 9:20 pm

perfcet imperfections
Lauren estava terminando de se arrumar quando ouviu as batidas de Skylar na grande porta do chalé. Haviam combinado da filha de Afrodite a passar para buscá-la e depois finalmente partirem para a cerimônia de casamento do seu grande amigo. “Será que esse tá bom?” Perguntou para si mesma, torcendo o nariz ao olhar no espelho. o vestido preto com a saia de renda a deixando em dúvida — Só vai, Lauren… — Ouviu a voz da meia-irmã Samanta e riu, deixando um beijo no ar para a ruiva ao sair do quarto.

O vestido preto balançou assim que abriu a grande porta e o vento bateu contra si, seu cabelo balançando e sua boca também entreabrindo ao ver o vestido claro de Skylar cair perfeitamente no seu corpo perfeitamente desenhado. A demônio riu sem graça ao perceber a morena gaguejar e se aproximou trazendo-a para si pela cintura sutilmente. — Eu sei, eu sei, seremos o casal mais bonito daquele casamento, além dos noivos. — Deixou um selinho demorado e estalado nos lábios da amada.

[…] Ambas semideusas andavam lado a lado de mãos dadas, Lauren acariciando as costas da mão alheia com carinho enquanto aproveitava quieta a brisa da praia e já avistava de longe o local da cerimônia perfeitamente montado. Só não esperava que no meio do caminho, Skylar fosse se ajoelhar e falar coisas que Lauren jamais esperava, o que fez a demônio de Nyx suspirar como se perdesse o ar dos pulmões e sorrir como nunca havia sorrido antes.

Se virou lentamente e colocou o cabelo de lado e dando liberdade para Skylar fechar o colar em meu pescoço. — Eu aceito, Skylar Liech. E eu achava que fossemos um casal improvável… — Disse suspirando pesado ainda de costas, se virando novamente instantes depois, deixando um riso sem graça escapar pela garganta. — Mas o meu coração bate mais forte e meus olhos só sabem enxergar você, quando estou ao teu lado. E sinceramente, é algo novo pra mim… — Terminou de dizer com um sorriso no rosto, puxando a mais nova pela cintura contra si e tomando os lábios em um beijo calmo e profundo.

[…] Os noivos terminavam de trocar os votos quando Lauren olhou Skylar pelo canto dos olhos com um sorriso apaixonado dançando nos lábios, apertou as mãos entrelaçadas da amada, agora oficialmente sua namorada e se levantou assim como todos os outros convidados, aplaudindo aos mais novos noivos.
© DFRabelo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Casamento de Amber e Oliver

Mensagem por Shin Tae Hoon em Ter Dez 20, 2016 9:37 pm





I'm falling...
O dia fora totalmente normal antes daquele fim de tarde, com alguns afazeres dentro e fora do acampamento. Quíron trotava de um lado para o outro colocando os semideuses arruaceiros em linha, era o Stund Up do acampamento. O asiático como de praxe, mantinha-se dentro de seu chalé na maioria do tempo, pois destetava o clima quente do resto do acampamento e seu chalé parecia uma espécie de Polo Norte. Mas de fato, um dia normal para aqueles que não teriam a sorte de conhecer Oliver Ehlert Nordberg. Por tudo que o semideus é, alegre, divertido, amigável e um verdadeiro amigo para todas as horas. O moreno fora convidado para o casamento da prole de Hades, algo que o asiático aguardou por muito tempo, mas o casal parecia enrolar. Mas voltando ao presente, um grupo de jovens se encontravam fitando o reflexo e o próprio Oliver enquanto o mesmo ajeitava os detalhes de sua roupa.
 
  O chalé de Hades parecia ter um tom de vida pela primeira vez em anos, pois os jovens presentes no local pareciam felizes com a data festiva e tão importante para todos ali. Os presentes eram: Derek, Adam, Shin e Oliver. O grupo que estava quase sempre juntos, quase como irmãos, tirando Adam e Oliver, que realmente eram. O asiático escorou as costas em uma das paredes do chalé e observou a resposta de Oliver para a pergunta de feita por seu irmão. A prole de Quione maneou a cabeça em positivo e deixou escapar uma risada baixa, fitando Oliver. – Claro que não será. Todos nós iremos morrer um dia, mais cedo ou mais tarde. – Brincou. Sua face passou de brincalhona para sério quando a prole de Hades retirou o pequeno objeto do bolso, os anéis do casamento e lhe direcionou até as mãos de Derek e Shin. O coreano sorriu sem jeito ao fitar o anel na palma de sua destra, suspirando e maneando a cabeça em positivo. – É o seu momento, irmão. Boa sorte. – Proferiu em um tom calmo e confiante. Antes de sair do chalé, Shin cutucou o braço de Adam com seu cotovelo e sorriu de canto. – Ganhei novamente... – Comentou debochadamente.
 
  Sem mais delongas, o grupo fora diretamente para o local do casamento: a praia. E como a prole de Quione estava vestido com um terno negro, uma calça da mesma coloração e o sapato, obviamente, negro também. Parecia um daqueles filmes dos Homens de Preto. Após caminharem por alguns minutos, viram o local todo produzido e enfeitado para a ocasião, tendo um lindo tapete sobre a areia fofa para os noivos passarem. Um pequeno sorriso pairou sobre os lábios do semideus que lentamente avançava em direção dos bancos, sentando-se na primeira fileira. O local parecia encher com o passar de tempo e a hora da noiva chegar apenas se aproximava, e consequentemente, a hora de devolver o anel dos noivos. Após alguns minutos esperando, finalmente Amber adentrava no local, fazendo um sorriso largo se abrir na face de Oliver. E após trocarem algumas palavras, o casal parecia estar prontos para continuar. Então o coreano entrou em ação, com o anel em mãos, caminhando lentamente até ficar a centímetros do casal, entregando-lhes o pequeno objeto. Voltara a sentar na primeira fileira e aplaudia a cada linda mensagem que saía dos lábios da prole de Hades, enxugando as lágrimas que caíam discretamente. – Meu bebê cresceu, que lindo... – Sussurrou para si mesmo, com um sorriso largo sobre os lábios.




Happiness Day
avatar
Shin Tae Hoon
Filhos de Quione
Filhos de Quione

Mensagens : 129
Data de inscrição : 19/10/2015
Idade : 19
Localização : DIRETAMENTE DE HOGWARTS.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Casamento de Amber e Oliver

Mensagem por Amber Höff Spielgeman em Qua Jan 04, 2017 9:30 am

The best of days
Amber estava certa disso.    Oliver Ehlert Nordberg era o seu amor, e não haveria outro. Há um ano haviam se conhecido de uma forma tão inesperada que nenhum dos dois imaginaria que se tornariam tudo um para o outro, mas acabaram se tornando. Deveria haver muitos motivos para eles terem acabado juntos, mas na verdade, tudo o que realmente os unia era o amor. Apesar de um namoro complicado, recheado de falhas e erros, também era repleto de perdão e união. Não importava o que foi, eles haviam enfrentados juntos. O que hoje importava é que o que viesse, a partir desse momento, eles enfrentariam juntos também. No dicionário estava como definição de casamento o ato ou efeito de casar-se, ou união voluntária de um homem e uma mulher, nas condições sancionadas pelo direito, de modo que se estabeleça uma família legítima. Por muito tempo, Spielgeman não soube o que era uma família, e foi justamente uma das coisas que encontrou em Oliver.

Um ano atrás, a mulher se havia fechado para sentimentos como este. Amar alguém? Isso jamais seria possível. E realmente, se não fosse por Oliver, este seria um sentimento desconhecido. Foi quem a acolheu quando mais precisava, perdoou os seus erros mais estúpidos, compreendeu todas as suas inseguranças e acima de tudo, estendeu a mão e disse “eu espero por você”. Perdeu as contas do quanto ouviu isso dele, mas a frase era tão significativa quanto um “eu te amo”. Quanto mais o tempo passava, mais ela tinha certeza desse amor.

O sol ainda não havia nascido quando Spielgeman despertou, suas emoções iniciais eram praticamente de inercia, mergulhada em um poço fundo de preguiça. Pouco a pouco, Amber pareceu se dar conta do que se tratava o dia de hoje. Seu casamento com o amado. Deixou escapar um suspiro e depois um largo sorriso que indicava felicidade, mas também indicava que ficar nervosa seria uma consequência. Levantou rapidamente, procurando as roupas adequadas para vestir para ir para o pavilhão do refeitório. Estava novamente ao Acampamento Meio Sangue há menos de uma semana, mesmo que ainda tivesse que voltar para o de Júpiter, ciente que lhe faltavam resolver algumas coisas. Porém era muito mais reconfortante estar ali, perto dos amigos e de Oliver. Sobre a manhã, ela sabia que seria quase normal, como se fosse um dia qualquer. Sua tarde quer seria realmente cheia, teria que arrumar cabelo, maquiagem, coisas de noiva com a amiga Arya.


[...] Desceu até o pavilhão do refeitório, comeu relativamente pouco na hora do café e repetiu o feito no horário de almoço. Apesar de um casamento na praia, um vestido de noiva continuava a ser um vestido de noiva, não poderia deixar que nada fizesse com que a menor não coubesse dentro dele. Vestido branco, não tão longo, nem pesado, o vestido tinha alguns detalhes pratas de que ficava maravilhada com o brilho do bordado, mesmo que pouco marcante. Seus olhos não deixavam de mirar a vestimenta nem por uma fração de tempo. E logo que Arya chegou, puseram-se a arrumar-se e conversar. Apesar de muito feliz, o nervosismo parecia evidente na voz de Amber e procurou garantir que a amiga não percebesse isso, afinal, não era nada mais que "só o melhor dia da sua vida". Spielgeman queria que tudo fosse perfeito.

- Não acredito que vou me casar ainda, isso é tão distante da minha realidade. E você acompanhou tudinho, Arya. - Suspirou, lançando um olhar para a morena, que já espiava as maletas de maquiagem, babyliss, chapinha, tiara, grampos de cabelo, spray... Apesar de tudo isso, também parecia longe da realidade Doprav envolvida com dicas de beleza. - Eu tenho muita sorte de ter chegado aqui, tenho os melhores amigos e agora, um marido. Obrigada por ter vindo me ajudar. - Puxou da cômoda um folheto do Bobs que serviu de cola para escrever os votos, ou quase isso. Apesar de tudo fazer sentido para Amber, tinha certeza que para quem olhasse seriam apenas alguns rabiscos. Também não era um observação errada, eram rabiscos em parte. Sorriu enquanto olhava o pequeno pedaço de papel, depois virou-se para a prole dos mares. - Por onde será que começamos?

* * *

Maravilhoso. Tudo a sua volta estava assim: maravilhoso. Aos olhos de Amber, não existia um só ajuste que fosse necessário naquele lugar. Toda a iluminação feito com as tochas, todos os lugares onde ficavam os convidados, o pequeno altar, alguns metros a frente da semideusa. O céu tinha uma colocação alaranjada, momento preferido do dia, pois era um jogo de cores e elementos que só auxiliava para tomar a mesma conclusão da primeira impressão: tudo, tudo, tudo, maravilhoso. Assim como Oliver, diante da menor a alguns passos. Todos já esperavam por ela, mas ela esperava por Oliver. Segurou fortemente o buquê de gérberas, e com calma começou a andar em direção ao futuro marido sem muita espera. Sorriu, e muito. Mesmo com os convidados, só tinha olhos para o noivo. Nem mesmo o céu ou a decoração lhe chamavam a atenção mais, só tinha olhos para ele e é por esse motivo que sabia que estava fazendo a coisa certa se casando. Ela não enxergava uma situação em que não tivesse ali naquele momento, ou sequer uma situação em que não estivesse sem Oliver em qualquer momento.

Suas mãos e a do semideus se encontraram, deixando o pequeno arranjo de flores nas mãos de Arya, que havia lhe ajudado para chegar ali. Os votos estavam entre os arranjos, mas pediria depois. Oliver tocou as mãos da semideusa, com um beijo cuidadoso, num gesto amável. - Obrigada, anjo. Você está.... Maravilhoso. - Sorriu, em pensamentos visualizava momentos juntos com ele e substituía as expectativas precoces do casamento pelo agora, já que não era nada do que imaginava. Era tudo melhor, mais bonito, perfeito. - Eu te amo, Oli. - Soprou as palavras, feliz por um sentimento como o amor ser recíproco entre os dois. E todos os que estavam ali presenciavam o quanto estavam felizes e compartilhavam do mesmo sentimento.

Derek e Shin tinham as alianças, aproximaram-se do altar, para que Oliver as alcançasse. Enquanto a colocava no anelar, explicava que não havia escrito votos e confessava todos os sentimentos para ela. Seus olhos lacrimejavam de emoção mas não podia se dar ao trabalho de chorar ali. E depois de tudo que ele disse, ela só sabia sorrir bobamente. "Falta muito para eu te beijar?", pensou. Pegou a aliança dele com o outro rapaz no altar e mirou Oliver. - Eu escrevi meus votos, e tenho certeza que alguns vão discordar de mim, mas tudo o que mais importa dizer está ali. - Pegou o folheto com Arya, num espaço amarelo estava um coração, o nome de Oliver no centro, e só mais três palavras: amo, pra sempre. Vendo aquilo, passou para o noivo com um ultimo milésimo de sorriso e o que seguiu foram suas palavras mais sinceras. - Você me encontrou, acertou em cheio no meu coração. Apesar de tantas complicações guardadas dentro de mim, você me abriu para superar as coisas que passaram e pra viver as novas coisas que viriam, e me disse que seriam maravilhosas. Mesmo que eu duvidasse disso, você segurou a minha mão e me mostrou o que era certo. Eu sei que eu passo muito tempo muitas vezes distante, mas mesmo assim você me espera e quando eu chego, você me recebe da melhor forma possível. Você me acolhe. - Soltou um pequeno suspiro e um sorriso depois, fitando os olhos do maior. - Não importa quanto tempo passe, eu vou amar você, e todas as batidas do meu coração, além de em sintonia com o seu, dizem seu nome, porque é por isso que ele bate. Não faz mal se a medicina diz que isso não é possível. Essa é a minha particularidade. Você faz o impossível para todos ser possível para mim. Eu te amo, Oli. Amo muito. E nenhuma palavra de qualquer lugar vai ser suficiente para expressar o quanto, e eu espero que eu consiga, pelo menos um pouquinho, te mostrar nem que a milésima parte desse sentimento, que já é enorme e incontável.
KAAMART AAP KE LIE



Necromante | Amber Höff Spielgeman | Love u Ollie <3
avatar
Amber Höff Spielgeman
V Coorte
V Coorte

Mensagens : 78
Data de inscrição : 29/06/2014
Idade : 17
Localização : Na minha, mas se quiser eu fico na sua... -q

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Casamento de Amber e Oliver

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum