The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

O EVENTO - O Duende verde está a solta!

Página 7 de 11 Anterior  1, 2, 3 ... 6, 7, 8, 9, 10, 11  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: O EVENTO - O Duende verde está a solta!

Mensagem por Vênus em Qua Dez 21, 2016 4:26 pm





O DUENDE VERDE ESTÁ A SOLTA
O papai Noel foi sequestrado, nada pode explicar seu desaparecimento repentino, e nem o treno estar abandonado no meio do acampamento, com uma dúzia de renas afoitas. O natal foi comprometido, e cabe a você caro semideuses nos ajudar a encontra-lo. O Duende verde é invejoso, um carinha malvado que todo ano tenta se livrar do papai Noel, e é claro que novamente ele está por trás de tudo isso. Ah como odiamos esse duende. Temos até a meia noite para cumprir todas as pistas deixadas pelo duende verde, e resgatar o papai Noel. Será que conseguimos?

4. Nem todas as crianças se comportam bem durante o ano, e eu sinto muito pelo peru – não sinto nada, e na verdade estou rindo muito de vocês – mas espero que seus estômagos fiquem bem, pois precisam deles por agora. As crianças que não se deram bem durante o ano, também perderão alguns pontos com o bom velhinho, mas nem todos os presentes dessas crianças foram embalados, e você precisa correr e ajudar a coloca-los devidamente em suas caixinhas. Sua tarefa é embalar os presentes dos mal criados o mais rápido possível, espero que goste da sua surpresa, o duende verde a achou fantásticas.
Obs¹: Os presentes em questão são apenas dois, carvão queimado – e quente – e bem, fezes de rena, então é bom você usar as luvas.
Obs²: Você estará sendo supervisionado por um duende zangado, e vai levar reguada na mão se fizer coisa errada.
Obs³: Só será liberado se embalar mais de 10 presentes.


Regras:

• Mínimo de 10 linhas por postagens, e é um número relativamente pequeno.

• Cada postagem que o semideus deixar de fazer dentro do evento, serão -10 pontos em sua barra de comportamento dentro do fórum. Com isso, se ele deixar de realizar todas as 5 postagens, estará totalizando um total de 50 pontos a menos em sua barra, e será banido do chatbox.

• Prazo de postagem: 22/12/2016 até as 17:00 da tarde

• Mais informações serão postadas assim que o evento tiver inicio.

• Para se inscrever basta preencher a ficha nesse mesmo tópico, e postar abaixo.

• Boa sorte a todos e divirtam-se.

• Premiação: Valendo itens únicos, xps, dracmas, e etc.

• Observação: O prêmio varia de acordo com o desempenho individual de cada campista.


Vênus, love's lady
..
diva, déesse de l'amour et de la beauté
avatar
Vênus
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 1259
Data de inscrição : 16/05/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O EVENTO - O Duende verde está a solta!

Mensagem por Kang Pipper em Qua Dez 21, 2016 4:49 pm

— IN DREAMS

Com toda a certeza a semideusa não esperava ter que enfrentar um desafio como o ultimo e, estava completamente correta. Assim que fora obrigada a ingerir aquele alimento horrível, Pipper fora teletransportada novamente, voltando ao ponto de origem, sendo que daquela vez havia uma fogueira acesa e troncos de madeira que serviriam como assentos. Ao redor do local haviam embalagens e diversos sacos contendo carvão e... ‘número dois’ de renas. Haviam naturalmente alguns instrumentos no local, como um pregador que Pipper utilizou no próprio nariz, afim de abafar o cheiro, e lutar. Graças aos Deuses. Obviamente não eram necessárias instruções, afinal estava obvio que deveria embalar aquilo para as crianças travessas. Mas, claro, as coisas não seriam fáceis.

Já que assim que Pipper pegou um carvão – que estava quente, obrigada – um duende nada feliz apareceu e a semideusa não evitou pensar que estava trabalhando para o Zangado. Imediatamente ela pegou uma embalagem de papelão, colocando o carvão dentro e tampando a embalagem endereçada a um indivíduo nomeado como Salem.

- Faça logo isso, sua preguiçosa! – O duende reclamou, sacolejando suas mãozinhas de um lado a outro e Pipper sufocou o riso, afinal era tão fofo...

Ela apenas assentiu depressa, pegando uma das fezes de rena e colocando em outra caixa destina a uma criança travessa, feliz por estava usando luvas. Obviamente a adolescente continuou fazendo o árduo serviço, ouvindo as reclamações do duende que parecia nada fez a cada minuto que se passava, para total divertimento da semideusa – que, pelos Deuses, estava prestes a queimas a língua com carvão para esquecer o que havia ingerido. Que, por favor, era terrível. E ela REALMENTE preferia comer terra ou ouvir ofensas do que repetir um daqueles. Só de lembrar do que havia passado a adolescente sentia vontade de recitar ‘Eu to tristão’ de trás para frente vinte vezes. Afinal é assim que se faz pacto com capetas, como observamos com a Xuxa e Rouge. Porém o pacto do Rouge não deu certo, convenhamos.

Felizmente – ou infelizmente – o trabalho da adolescente teve fim assim que embalou digníssimos vinte ‘presentes’, sendo contemplada com uma careta descontente do duende. Que, obviamente, estava vermelho de raiva àquela altura do dia e xingava bastante, recitando o quanto a Kang era lerda e demorada e que iria buscar outro escravo. É, realmente ele chamou ela de escrava. Que absurdo! Mas, Pipper ignorou, estalando os dedos doloridos depois de tirar as luvas, mas só retirando o pregador do nariz assim que se afastou o suficiente das fezes das renas, mas infelizmente aquele cheiro havia grudado nela... Que droga.
— FOOL DREAMS




the night
"We carry all of the power we need inside ourselves already."

avatar
Kang Pipper
Lider de Nyx
Lider de Nyx

Mensagens : 459
Data de inscrição : 16/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O EVENTO - O Duende verde está a solta!

Mensagem por Lauren L. Hill em Qua Dez 21, 2016 5:34 pm

everything is blue
Ainda se recuperando do digníssimo peru com recheio peculiar, Lauren fora teletransportada para o ponto de origem. Por um momento se sentiu tonta e o estômago embrulhou quando a imagem do peru voltou à sua cabeça. Mas, quando subiu o olhar, viu uma fogueira acesa e alguns assentos em volta, um deles fora ocupado pela semideusa quando notou alguns embrulhos de presente próximos a si e diversas fezes de rena – o que a fez tampar o nariz com o dedo indicador e polegar – e, mais ao canto, carvões queimados.

— Lauren, se não fizer direito, vai ter que embrulhar o dobro! O Duende disse logo depois de dar um tapa fraco em sua nuca. A prole de Ares lançou um olhar mortal para o Duende, fazendo-lhe rir e jogar a cabeça para trás, indo encher o saco do próximo semideus.

Lauren sabia que instruções eram desnecessárias, por isso visto que tinham um par de luvas ao seu lado, colocou-as e pegou uma quantidade severa de fezes colocando-as dentro de uma pequena caixa que encontrava-se em cima de um dos embrulhos. — Eu não gostaria de ser essas crianças mal criadas recebendo esses “presentes”. Proferiu rindo baixo ao fazer aspas com os dedos. Para criar uma situação muito pior, Lauren colocou o carvão junto das fezes e fechou a caixa, embrulhando-as delicadamente, como se fosse um grande presente. “Coitadas… mal sabem o que as esperam.” Pensou consigo mesma, um sorriso travesso dançando em seus lábios.

Pelas suas contas, fez as mesmas coisas cerca de vinte vezes, com vinte caixas que possuíam desenhos diferenciados, embrulhando-os delicadamente, dando a impressão de que teriam o melhor presente de suas vidas. O que era irônico de se pensar, já que a decepção depois de abrir os presentes seria imensurável. E, assim como as crianças sentiriam depois, Lauren notou que a única coisa que conseguia sentir naquele momento, era uma raiva incontrolável pelo Duende.

Retirou as luvas e se levantou indo sentar em uma árvore um pouco afastada da fogueira, sentia-se quente o suficiente e estava quase se sentindo sufocada por tanto calor, mesmo que ainda vestisse a fantasia da primeira tarefa. Afinal Lauren estava ali por um objetivo: resgatar o Velhote, e não iria desistir assim tão fácil do mesmo.









HUMAN
Don't ask me to lie

avatar
Lauren L. Hill
Líder dos Celestiais
Líder dos Celestiais

Mensagens : 351
Data de inscrição : 04/09/2016
Idade : 19
Localização : Lotus Home.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O EVENTO - O Duende verde está a solta!

Mensagem por Andrew Merlyn em Qua Dez 21, 2016 8:05 pm

Suspirei por um minuto, encarando a próxima atividade que o Duende nos obrigaria a fazer. Seja quem fosse, aquele ser realmente deveria odiar o Natal, visto o esforço que ele fazia para que os campistas se sentissem mal com a situação. O exercício seguinte era claro: Embrulhar os presentes para as crianças ruins. Admito que a psicologia de Noel, em como lidar com os bagunceiros e encrenqueiros infantis, estava um pouco ultrapassada. Qual é? Nenhuma criança deveria receber um pedaço de carvão, quanto mais cocô de rena, mas eu não tinha muitas opções no momento. Não bastasse tudo que estávamos fazendo, agora um duende mal-humorado tratava de conferir nosso serviço.

— Ande logo, seu paspalho. — bradou o homenzinho verde, armado com uma régua, ao tempo em que eu calçava as luvas.

— Esse duende consegue ser mais mal-humorado que os filhos de Ares. — murmurei baixo, sorrindo um pouco.

O local parecia uma caldeira artesanal. De um lado, o carvão saía de uma fornalha, tão quente e ardente quanto o próprio fogo, do outro, uma enorme pilha de fezes estava amontoada, com uma fileira de caixas vazias empilhadas à frente. A quentura do carvão não me seria um grande problema, mesmo sem luvas, eu me viraria bem com ele, visto minha resistência natural ao fogo. A grande questão era a quantidade de excremento, que deixava o ambiente com um odor pouco inalante.

Iniciei o serviço com velocidade e afinco, evitando que o estrume acabasse pegando em minhas roupas, que por sinal, ainda eram as de duende. O supervisor tratava de me incomodar a cada momento, sempre cobrando cada vez mais velocidade, não importasse o quão rápido eu já estava. Caixa após caixa, fezes após carvão, tudo correu muito rápido, até que por fim, aquele exercício era finalizado. Nunca fui bom em contar, mas por alto, eu acredito ter embalado praticamente vinte caixas, o que não me fora nem um pouco agradável. Bem, assim que saísse dali iria ordenar que as Corporações Merlyn cedessem alguns brinquedos e roupas nas casas de custódia juvenis, o que compensaria aqueles péssimos presentes. Mas naquele momento, eu só pensava no quê aquilo maldito duende nos obrigaria a fazer na sequência e se realmente ele cumpriria a promessa de soltar o Papai Noel.

Passivos:
☼ Nível 1 - Resistência: Dificilmente será afetado por fogo pois se abstém de uma resistência natural a ele, e a não ser que este seja em grande quantidade não será ferido.
Itens:
* Instrumentos Divinos: Um bracelete em forma de nota musical que se transforma, à desejo do portador, em qualquer instrumento musical. A música produzida pela arma é letal aos inimigos, causando-lhes dano. Mas essa música não afeta quem o portador não quiser que seja afetado
avatar
Andrew Merlyn
Menestreis de Orfeu
Menestreis de Orfeu

Mensagens : 26
Data de inscrição : 08/12/2016
Idade : 19
Localização : Chalé VII (Acampamento Meio-Sangue)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O EVENTO - O Duende verde está a solta!

Mensagem por Hela A. Deverich em Qua Dez 21, 2016 10:37 pm


Christmas
 ♦ listening fucked up world with xxxx ♦ words: xxx ♦

Hela estaria cada vez mais irritada caso conseguisse sentir algo. Para ela, crianças más nem deveria ganhar presentes. Mas aquilo já era uma tremenda sacanagem.

Estava terminando de calçar as luvas quando viu o que teria de embrulhar. - Você pode começar por onde quiser. - o senhor "nanico rabugento" lhe disse. Começaria pelo que era mais nojento.

Sendo assim, decidiu começar pela bosta - literalmente -, fazia o serviço devagar e de forma caprichada, mas sua velocidade, ou falta dela, parecia irritar  carinha que lhe deu uma bofetada na mão. - Mais rápido! Sua lesma, ande logo. - como se nada tivesse acontecido, ela acelerou um pouco o processo.

Novamente outra bofetada fez sua mão arder. - Esses laços estão ficando tortos! Será que vocês semideuses não fazem nada direito?! - disse ainda mais irritado, sua cara gorda estava vermelha.

Hela quase podia sentir o duende verde rindo de sua cara. E, por enquanto, não sentia vontade de nada, mas quando deitasse em sua cama naquela noite, pensaria logo em uma maldição para jogar no maldito duende.

Finalmente, ela fizera metade dos presentes com a bosta. Agora ela poderia ir para o carvão quente.

Tirou as luvas pois o cheiro a incomodava fortemente, fazendo seu estômago cheio revirar.

Pegou cada pedaço de carvão - alguns ainda em brasa - ignorando a dor com toda sua força de vontade ao colocá-lo dentro da caixinha.

Suas mãos estavam cheias de bolhas, brilhando em vermelho vivo quando o duende lhe deu uma terceira bofetada. Hela não se aguentou. Olhou para o duende com os olhos brilhando em um vermelho tão vívido quanto as palmas de suas mãos queimadas. - Se você fizer isso de novo, eu juro por todos os deuses, gregos e romanos, que enfio uma flecha nessa sua cara de vegetal enrugado. - ela terminou aquele embrulho. Pelas suas contas, seria o nono.

Ela só precisaria fazer um último, enquanto caminhasse para a próxima missão, ela se focaria em fazer sombras para curar as mãos. Focando-se nisso, ela montou o último embrulho. Tirou o gorro que usava em sua cabeça e o enfiou na boca do baixote quando esse se atreveu a resmungar com ela. - Faça-me o favor de ter um péssimo natal. - disse visivelmente irritada, com um sorriso maníaco nos lábios ao sair dali.

poderes e habilidades:
Poderes dos necromantes:
poderes passivos:



> Nível 4, Emoções – Os Necromantes de Érebus não podem ser controlados por habilidades que mexam com emoções, pois eles possuem um excelente controle sobre suas emoções, só podem ser tirados do sério se quiserem, são duros e calmos, devido a sua personalidade natural.

avatar
Hela A. Deverich
Lider dos Necromantes
Lider dos Necromantes

Mensagens : 396
Data de inscrição : 25/11/2016
Idade : 19
Localização : xxx

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O EVENTO - O Duende verde está a solta!

Mensagem por Peter C. Gallagher em Qui Dez 22, 2016 1:15 am



Christmas Mission

Após um almoço digno de rei, eu me sentia muito mais relaxado. Com o indicador direito envolto por uma atadura bem feita e bastante disposição eu me dirigi ao local onde seria realizada a quarta tarefa do dia.

Eu considerava inadequada a didática do Papai Noel. Afinal, por que punir as crianças malcriadas? Não se pressupunha que crianças malcriadas foram mal criadas? Logo, não deveriam ser os criadores os responsabilizados pelo comportamento de seus filhos? Ademais se a responsabilidade por serem quem são recaísse sobre seres humanos que nem atingiram a puberdade, por que os definir de forma maniqueísta como bons ou ruins? Não seria muito simplista dividir existências complexas em bons mocinhos e projetos de vilão? Toda criança tinha, afinal, seu valor, a despeito dos erros que cometesse.

Devido às minhas divagações, resisti ao desejo de substituir os presentes generosos dado pelo Duende Verde por algo mais sem graça, como carrinhos de brinquedo, a coleção da Barbie©®™ ou peças Bvlgari. Coloquei-me resignadamente em posição então, sentado em uma cadeira com os diversos itens necessários ao processo que realizaria organizadamente dispostos ao meu redor. Com luvas de isolamento térmico adequado gentilmente fornecidas por um filho de Hefesto após eu conversar durante alguns minutos com ele, eu comecei a embalar os regalos. As fezes não eram precisamente asquerosas como era de se esperar, o odor não era muito pungente já que os animais se alimentavam apenas de plantas e a textura e forma eram firmes, então só era necessário juntar um grande número delas em um montinho, recolhê-las com as mãos e depositar dentro das caixas. Com o carvão a situação era mais complicada porque o amontoado deles liberava uma quantidade incômoda de calor, o que me forçou a retirar a camisa e trabalhar com o tronco desnudo. Foram alguns minutos de trabalho manual forçoso, até ter finalmente cinco caixas de vidro – já que os recipientes de madeira e papel se incineravam – cheias de carvão e mais outras cinco recheadas de dejeto de cervídeo.

O resto do trabalho era delicado e mais demorado. Eu tinha um cuidado especial em envolver cada um dos incríveis presentes com todo cuidado, escolhendo o papel de embrulho mais bonito, a fita mais vistosa e até escrevendo mensagens animadoras. Uma delas dizia: “Quando você pensar que seu ano foi uma merda, lembre-se que nem toda merda é fruto de diarreia, algumas merdas são mais firmes, menos incômodas, tem um odor mais agradável e são fruto de uma dieta balanceada”. Sorri, com certeza a criança que recebesse aquele ali se sentiria muito realizada. Não sei quanto tempo se passou, mais quando vi minhas dez caixinhas enfileiradas diante de mim eu me senti contente pelo belo trabalho feito. Até pensei em ficar com uma delas, afinal, aquele era um presente que qualquer um amaria receber no dia de Natal, mas infelizmente eu tinha dez cubos, o número exato.

Assim que me levantei e fui em direção a porta, o duende de expressões muito carinhosas aproximou-se em passadas mancas, batendo com a régua do Jack Napier contra a palma da sua mão.

Você não pode sair ainda, só embalou cinco presentes de cada. – Ele observou com uma voz rouca e aguda, pondo-se à minha frente.

Eu ergui a mão e apontei com o indicador para o teto, o que fez o anão de orelhas pontudas e nariz adunco erguer o olhar para cima.

Diz dez presentes. Não vinte, não dez de cada, não cinco vezes quatro, não quarenta dividido por dois, mas dez presentes. Aqui – Entreguei a sacola de veludo vermelho na mão a ele. – tem dez presentes. Faça bom proveito deles e até mais ver. – Sorri com simpatia a ele e saí.


This is a fight for the day, night, black, white
avatar
Peter C. Gallagher
Celestiais de Èter
Celestiais de Èter

Mensagens : 142
Data de inscrição : 11/07/2015
Idade : 19

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O EVENTO - O Duende verde está a solta!

Mensagem por Oliver Ehlert Nordberg em Qui Dez 22, 2016 1:40 am

remember, remember
all we fight for
O
k. Definitivamente aqueles eventos, descritos como mais do que peculiares, já estavam relativamente chatos. Não. Relativamente não dá para enaltecer a sensação de aborrecimento, saturada pela personalidade irritadiça, que pairava nas rugas, geradas através das contrações musculares, na face do rapaz. Vou me perguntar isto o dia inteiro... Tomou o oxigênio com a fricção do diafragma, revirando as vistas no processo. No instante seguinte, suspirou. "Eu não deveria ter saído do chalé hoje". Chocou a palma canhota contra a testa, dirigindo o olhar até o novo desafio.

— Vamos, Oliver! — Afrontava aquele ser esverdeado, de porte pequenino, enquanto agitava as falanges. Entrelaçou os membros superiores finos um a outro, formando um cruze entre ambos, e batendo a sola do pé direito com certa frequência. — Esses presentes não se arrumarão sozinhos! — Disparou a indireta, esta que remetia-se a que o garoto fosse trabalhar como escravo e embalasse os presentes. — Não tem o dia inteiro, não. — Comentou, reduzindo o timbre grave no áudio. — Vamos logo, idiota! — Por fim, aumentou-o suficientemente para que parecesse um berro autoritário, até porque talvez realmente fosse, ao mesmo tempo em que lhe cutucava o ombro. Porém, isso foi interrompido com a pele esfriou.

Oliver deu de ombros, dando a impressão como não se importasse com o ordenado, já que realmente não dava a mínima importância para isto. Mirou cada um dos presentes que deviam ser cobertos pelo o tecido rasurável da embalagem, constatando as suas mais diversas formas, formatos, dimensões, pesos. Esses fatores interferiam no ato de embalagem, assim como na escolha de determinado tecido preciso para o fazer. E o pior de tudo nem era isso, mas sim a quantidade de presentes para os malcriados que deveriam empacotar os objetos. — Ok. Vamos lá. — Agarrou o primeiro entre os falanges, envolvendo com o papel de multi-pigmentação, prendendo-o com o laço natalino, antes envolvendo as palmas com uma luva para evitar que o carvão lhe queimasse.

— Bem, um já foi. Só falta um milhão. — Mentalmente, começou a matutar soluções práticas para como resolver tal problema. Estalou o polegar com o médio, repercutindo num sonido, o qual simbolizava a idealização da resposta. — Porra. Por que não pensei nisso antes. — No instante seguinte, o seu corpo multiplicou-se diversa vezes, aumentando a imagem de um Oliver para dezesseis, todos clones perfeitamente idênticos ao original. — Hora de trabalhar, rapazes. — Falou. Posteriormente instruiu-os como realizar o empacotamento, coisa que foi logo feita. Não tardou muito para que todos os presentes fossem devidamente embalados.

Necromantes:
passivos:
> Nível 7, Estratégia – Sempre tem uma boa estratégia em mente, e estas dificilmente falham. São estratégias dignas de Athena, mas não se comparam a um filho de Athena, do mesmo nível.

> Nível 4, Emoções – Os Necromantes de Érebus não podem ser controlados por habilidades que mexam com emoções, pois eles possuem um excelente controle sobre suas emoções, só podem ser tirados do sério se quiserem, são duros e calmos, devido a sua personalidade natural.

ativos:
> Nível 20, Duplicação ( Final ) – Você pode criar dez ou quinze clones. São mais resistentes dos que os anteriores, e tem mais habilidade no manuseio de uma fina espada de escuridão.
Hades:
passivos:

Level 3: Pele fria. Como dito no livro, a pele dos filhos de Hades é fria como gelo, e isso sem esforço, pois com esforço eles podem no toque diminuir a temperatura corporal do inimigo, atordoando o mesmo ou pelo menos fazendo-o recuar.




Última edição por Oliver Ehlert Nordberg em Qui Dez 22, 2016 2:03 pm, editado 1 vez(es)


You're so conceited, I said "I love you". What does it matter if I'm lying to you?
avatar
Oliver Ehlert Nordberg
Necromantes de erebus
Necromantes de erebus

Mensagens : 288
Data de inscrição : 28/11/2015
Idade : 19
Localização : Por ali.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O EVENTO - O Duende verde está a solta!

Mensagem por Robin A. Deverich em Qui Dez 22, 2016 2:59 am


Merry Christmas
hhuh, what this ? I dont know - word ? XXX - Who? XXX

Realmente, não poderia ficar pior. Robin não sabia mais o que fazer, ela definitivamente estava enlouquecendo. Após comer aquele peru estranhamente exótico, agora ela deveria embrulhar presentes para garotos maldosos? Bem, ela imaginou que um daqueles presentes definitivamente seriam para ela. A garota olhou em volta do lugar onde estava, notando um duende pequenino incrivelmente zangado, entretanto, ele definitivamente não estaria tão irritado com aquilo quanto ela.

A garota pós as luvas que foram-lhe oferecidas a ela.  Sentando-se próximo aos presentes a ser empacotados, dando um suspiro pesado ao notar o que eram. – Eu não acredito nisso... – Resmungou, pegando um pequeno pedaço de carvão queimado, e a mostrando em direção ao duende. – Você não acha que isso aqui é apelar de mais? – questionou, pegando uma caixa de presente e enchendo-a com várias bolinhas pequenas de carvão. – Essas crianças malditas mereciam coisa pior. – O ouviu dizer em praticamente grito, a fazendo sentir uma vontade enorme de lançar esferas em sua cabeça. – De qualquer forma, fique calada garotinha estranha. – Robin mandou-lhe um olhar de escárnio, notando que já estava enchendo a terceira caixa de presente.

Tentando descontrair, a garota começou a cantarolar a mesma música a qual cantara para rena, ouvindo alguns palavrões, além de enfeites sendo jogados em suas costas para que ela ficasse “calada’’, porém quando embrulhou no total de 5 caixas com carvão, ela notou que deveria começar enfim, com o coliformes fecais das renas falantes. Com uma careta de nojo em seu rosto, a garota começou as poucos a encher as caixinhas com as fezes, caprichando nos laços apenas para que o trabalho não ficasse mal feito, porém ao sentir mais uma bola de enfeito nas suas costas, a garota realmente acabou se irritando. – Duende idiota. – Se exaltou, jogando fezes em direção ao duende, não se importando se iria ao acertar ou não. Deu de ombros após seu atentado maluco, voltando a encher a caixa a qual notou ser a última, fazendo um enorme laço sobre ela, sentindo uma grande totalidade de pena pela criança que recebia aquilo. – Você é uma ingrata, que não faz nada direito. –

Robiu retirou as luvas de suas mãos, jogando-as sobre os pés do duende, virando de costas para então, ignorar qualquer atividade estranha que fosse receber para sua última missão.




— I am still in ruin
Nobody knows who i am.!
avatar
Robin A. Deverich
Ceifadores de Thanatos/Leto
Ceifadores de Thanatos/Leto

Mensagens : 184
Data de inscrição : 25/11/2016
Idade : 19
Localização : xxx

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O EVENTO - O Duende verde está a solta!

Mensagem por Blake "Sirius" Falkenrath em Qui Dez 22, 2016 10:24 am

Invasion

O duende não queria facilitar as coisas para nós, digo, obviamente que não iria por ser maligno e querer só nos ferrar. Entretanto, uma questão muito profunda surgiu em minha cabeça: Por que aquele duende sequestraria o Papai Noel e só nos devolveria depois de diversas humilhações? Não existia um porquê para ele devolver, ele tinha a vantagem podia fazer o que quisesse que teríamos que obedecê-lo. Na realidade, começo a pensar que o próprio Papai Noel está se passando por essa criatura desgraçada para nos ver trabalhar e rir das nossas vergonhas. Esse velho safado, com certeza, está disfarçado nos vendo passar trabalho por nada só para rir.

Agora tínhamos que ensacar fezes e carvão escaldante para dar às pestinhas do ano, espero que as embalagens sejam mágicas e aguentem calor ou derreterei tudo em volta. Uma velha criatura nos cuidava e sempre que alguém fazia algo indesejado, passava distribuindo tapas. Quando se aproximou de mim, apenas o olhei, criando um esquife de gelo em volta da criatura e baixei a temperatura o máximo.

Congelei tanto as fezes quanto os carvões para empacota-los e não ter problema com nojeira, ainda assim vesti luvas de látex para não tocar na merda. Empacotar depois de congelar fora rápido, mas acho que fora desnecessário, já que havia transformado em uma pedra de gelo quem cuidava da nossa tarefa.



Obs.::
Ultra XP Pack [D$ 35.000] – Por 1 mês OFF, todo ganho de XP do semideus é duplicado. Até 27/12/2016.
avatar
Blake "Sirius" Falkenrath
Filhos de Quione
Filhos de Quione

Mensagens : 167
Data de inscrição : 04/10/2016
Idade : 18

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O EVENTO - O Duende verde está a solta!

Mensagem por Skylar Liech Kroessoff em Qui Dez 22, 2016 11:01 am


♡ for him ♡
A primeira coisa que Skylar fez foi colocar suas luvas. O cheiro do cocô das renas foi logo abafado por suas rosas, que cresceram aos pés da cadeira que se sentaria, bem ao lado da namorada, que já estava terminando. Sentou-se e cruzou as pernas torneadas, pegando a primeira caixinha e uma tora de bosta. Colocou dentro da embalagem e a fechou, começando a embrulhar. — We make a really good team and though not everyone sees... — Seus lábios se moveram, cantarolando a canção. O duende bravinho deu-lhe um tapa na mão, fazendo com que ela se virasse para ele. — Vai se foder, se tá achando ruim vem fazer melhor, pedaço de merda. — Mostrou o dedo do meio para aquele que OUSOU te bater. Seu trabalho foi continuado com mãos ágeis e rápidas, que embrulhavam presente depois de presente, sempre cantarolando.

"We got this crazy chemistry
Between us"


Descruzou as pernas e as cruzou de novo, trocando a que estava em cima. Finalizou a parte dos dez presentes contendo merda de rena e começou aqueles que continham carvão quente. Suas mãos, por usar luvas, foram apenas levemente aquecidas pelo carvão, dando-lhe uma sensação gostosa, como se estivesse perto da lareira. Recebeu outro tapa, se levantando com o carvão na mão. Encarou o duendezinho e ameaçou jogar nele, mas colocou na caixa, continuando seu trabalho.

"Nove!" Contou, começando a próxima caixinha. Um pouco de carvão, fecha, coloca o embrulho e um laço rosa por cima. "Dez!" Se levantou, tirou as luvas e as arremessou na direção do duendezinho, saindo dali antes que matasse aquele pedaço de bosta. "Pistola 10/10" Gargalhou, esperando a próxima tarefa.

Poderes:
De Afrodite:
♥ 2: Domínio das Rosas ♥ As rosas, além de lembrarem atitudes românticas, representam por vezes a deusa Afrodite. Com esse poder, você pode criar rosas e manipulá-las, podendo fazer as pétalas e os espinhos como armas. As pétalas sob seu domínio que forem usadas contra seu inimigo o ferirão como se fossem lâminas muito afiadas, ou podem apenas atrapalhar sua visão. Você também pode fazer com que os espinhos cresçam até, aproximadamente, a cintura do adversário, envolvendo-o para deixa-lo preso e ferindo-o.




Última edição por Skylar Liech Kroessoff em Qui Dez 22, 2016 12:39 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Skylar Liech Kroessoff
III Coorte
III Coorte

Mensagens : 79
Data de inscrição : 10/10/2015
Idade : 18
Localização : Na brisa.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O EVENTO - O Duende verde está a solta!

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 7 de 11 Anterior  1, 2, 3 ... 6, 7, 8, 9, 10, 11  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum