The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Taurus' Forge.

Página 1 de 6 1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Taurus' Forge.

Mensagem por Andrew J. Parker em Sex Nov 18, 2016 11:24 am

O estabelecimento era grande e vistoso do lado de fora. A construção era recente e muito bem trabalhada, feita com calma e muito investimento. Até hoje não entendo o que aquele garoto de cabelos negros viu em mim para investir uma grana tão pesada nos meus dotes como ferreiro.

As grandes portas que separavam o lado de fora da loja eram feitas de carvalho maciço com adornos encaracolados em dourado. Em itálico e letra cursiva dourada um grande letreiro se estendia em cima das portas. Taurus' Forge.

Ao adentrar a loja, o semideus dá de cara com um grande salão de espera. O mesmo possui paredes e chão de mármore. Em vitrines as mais diversas armas estão à mostra, na parede algumas cabeças de animais empalhados e armas antigas penduras.

No fundo da grande sala, um balcão com uma pilha de papéis, canetas e um pequeno sino para chamar o dono, no caso, de ele não estar na bancada da frente.  Logo atrás do balcão de carvalho, uma porta que dava direto à forja. Era impossível ver o que tinha além da porta, pois os equipamentos da forja são escondidos pela névoa para que os concorrentes não roubassem suas estratégias de forja.

Obs::
Peço que se atentem ao meu nível. Não posso forjar itens lendários ou com mecanismo muito avançados, ainda.

Ficha do pedido.:
Tipo de Item:
Nome:
Materiais:
Descrição da arma. (Detalhes na bainha, detalhes na lâmina, etc):
Efeitos Extras (Encantamentos, por exemplo):
Observações:
avatar
Andrew J. Parker
I Coorte
I Coorte

Mensagens : 67
Data de inscrição : 18/10/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Taurus' Forge.

Mensagem por Evie Farrier em Qui Mar 09, 2017 12:29 am

Tipo de Item: Espada
Nome: Supremacy http://i.imgur.com/u53QTTK.jpg
Materiais:
Os materiais bonitinhos aqui:
Adamantium – (Uso: 1 Forjas) = 1050 dracmas – (pode mudar de acordo com o local atingido e tamanho da arma, leve em consideração uma espada longa normal) em Humanos: 30 de dano + 25 de sangramento por turno.
Semideuses: 30 de dano + 25 de sangramento por turno.
Monstros: 30 de dano + 25 de sangramento por turno.

Ouro Imperial – (Uso: 1 Forjas) = 750 dracmas - Dano base (pode mudar de acordo com o local atingido e tamanho da arma, leve em consideração uma espada longa normal) em Humanos: 0 de dano.
Semideuses: 35 de dano + Sangramento de 10 de hp por turno e 10 de dano por turno por causa do envenenamento na alma (Como descrito nos livros.)
Monstros: 30 de dano.

Esmeralda Real – 1650 Dracmas: Aumenta o dano crítico em 30% (Com a arma)

Rubi Real – 1450 dracmas: Adiciona 20 de dano à arma.

Descrição da arma.
Supremacy é uma espada de tamanho mediano, de duplo corte. Mas possuía a habilidade de separar-se e transforma-se em duas espadas gêmeas, de corte único. O fio de corte é extremamente afiado.

Em sua forma original ela é feita de adamantium e ouro imperial e com as pedras de esmeralda real e rubi real conferindo um bônus no crítico e no dano provocado. As pedras mágicas são localizadas na empunhadura. Quando separadas, as espadas gêmeas assumem um dos metais e uma das pedras.

A espada de ouro imperial é acompanhada com o rubi real, que acrescenta 20 de dano causado, esse material provoca sangramento continuo apenas em semideuses, assim como perda contínua de 10 de dano. A espada de adamantium leva a esmeralda real, que aumenta o crítico em 30%, esse material provoca sangramento continuo em todos (menos seres divinos)


Efeitos Extras (Encantamentos, por exemplo): Os materiais já conferem os efeitos

Observações: Se precisar, use do meu dinheiro pra comprar os materiais! Eu pago adiantado pra isso, cobre um valor pela mão de obra!


Última edição por Evie Farrier em Qua Mar 22, 2017 5:14 pm, editado 1 vez(es)


EVIE FARRIER
I am the bone of my sword. Steel is my body and fire is my blood.
avatar
Evie Farrier
Pretores
Pretores

Mensagens : 419
Data de inscrição : 26/12/2016
Idade : 20
Localização : Acampamento Romano

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Taurus' Forge.

Mensagem por Andrew J. Parker em Qui Mar 09, 2017 6:00 pm

Eu aceito o seu serviço, Evie. Ele vai custar, ao todo, 7.000 dracmas, por ser uma arma bastante complexa. O total de material vai custar 5.200 e vou cobrar 1.800 pela mão de obra, porque também vou colocar um adicionalzinho pra você. Me disseram que você é meio distraída e esse adicional pode te ser útil.

Em breve começarei a forja dos itens que me pediu.
avatar
Andrew J. Parker
I Coorte
I Coorte

Mensagens : 67
Data de inscrição : 18/10/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Taurus' Forge.

Mensagem por Evie Farrier em Qui Mar 09, 2017 6:08 pm

Valor aceito! Pode fazer o meu bebê *-*


EVIE FARRIER
I am the bone of my sword. Steel is my body and fire is my blood.
avatar
Evie Farrier
Pretores
Pretores

Mensagens : 419
Data de inscrição : 26/12/2016
Idade : 20
Localização : Acampamento Romano

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Taurus' Forge.

Mensagem por Andrew J. Parker em Sab Abr 15, 2017 5:15 pm

 

O sol da manhã atingia-me pelas costas enquanto caminhava calmamente pela rua. Tinha os olhos focados no molho de chaves da oficina, procurando a certa enquanto os paralelepípedos passavam apressados no fundo, entre meus dedos. Os pássaros eram os primeiros seres vivos a escapar de seus ninhos e espanar suas penas pela brisa gélida ainda regada ao sereno da madrugada. E em minha mente as informações da mais nova Pretora do Acampamento Júpiter ainda eram tão frescas quanto o vento que esfriava minhas orelhas.

Não demorou para estar abrigado no calor aconchegante da minha oficina. O cheiro de olho, graxa, fuligem e calor eram os melhores perfumes do mundo.

A passos decididos fui até a bancada em que alguns materiais estavam dispostos, tal qual lápis, borrachas, compassos e réguas, e lancei as chaves ali. Haviam algumas cartolinas também para esboço das lâminas e foi uma destas que estendi por cima da mesa, colocando uma sobra de minério em cada lado do papel grosso, deixando-o esticado sobre a mesa.

— Agora vamos ver... — Tracejei com o lápis alguns rabiscos, formando a lâmina levemente curvada, de um dos lados, desde a ponta até a borda sobressalente, que ficava por cima do punho, como uma proteção. — Ela quer duas espadas... que se tornam uma.

Com as mãos hábeis cortei o rabisco que havia feito, com todo o cuidado e perícia que o sangue divino de Vulcano me permitia e girei nos calcanhares, caminhando apressadamente pela forja até um outro balcão, mais afastado, onde haviam algumas chapas de diversos materiais e, ali, rabisquei os contornos, sempre mantendo a mão firme para não escorregar o molde de papel.

Ao término havia o desenho de uma meia espada de duas mãos na chapa de ouro imperial, com uma ponta proeminente para ser inserida dentro do cabo, que ainda seria feito.

Vesti as luvas grossas de couro e peguei a chapa de ouro imperial, levando-a sem grandes problemas até uma outra mesa com alguns maquinários complexos e de alta tecnologia que eu, singelamente, chamava de Plasma Cutter. Com alguns pulos meio corridos cheguei à frente de um computador ao lado, protegido de possíveis faíscas, e digitei algumas informações referente a localização do raio, que seguiria a linha preta de caneta que fizera na superfície do mineral e, com um botão, a mágica começou a rolar.

— Corta, querida, corta. — Tinha um sorriso orgulhoso no rosto, porém, quando o plasma tocou na superfície dourada, refletiu e, por muito pouco, não me arrancou a cabeça. — Caraca! — Gritei ao mesmo tempo que levava o dedo ao botão de desligar e, assim, deixando tudo silencioso.

Me levantei e me aproximei devagar da lâmina dourada que havia comprado no dia anterior e analisei sua superfície, tocando o ponto exato em que o raio a atingira. Não estava nem quente, nem áspera, sequer um sulco produzido pelo calor intenso. O laminado de ouro refletira completamente o plasma.

Sem mais pensar, puxei a placa de minério divino e levei para uma outra mesa, onde havia algumas outras ferramentas de corte, mais arcaicas, que eram feitas do mesmo material que eu tentava cortar. Quando se tem um material extremamente duro, o que se pode fazer é usar algo mais resistente ou de minério semelhante.

Segurei com força a estaca cortante e golpeei com o martelo de ferraria, fazendo faíscas voarem pelo ar e o cheiro de calor subir para o nariz. Golpe após golpe a lâmina era cortada e começava a sentir os músculos reclamarem, o suor escorrer pela testa e pelo peito, por baixo da roupa, até o momento de exaustão, este que eu precisava parar e descansar. E assim seguiu por longas uma hora e meia, até que aquele pedaço com formato de espada foi ao chão, em um som estridente.

— Pode chorar, mas isso é pro seu bem. — Conversei com o material no chão, como se fosse realmente me ouvir. — Vai se tornar uma linda espada.

Com tudo pronto, levei a forma até uma fôrma, já enchida pela metade com um líquido pegajoso e gosmento, semelhante a maisena. Ela afundou de leve e, em seguida, pus a tampa, que fechava em uma caixa vedada. Conforme fechava as travas pelas laterais, que me confirmavam estarem devidamente posicionadas com sonoros “Clacks”, assobiava alguma música que ouvira recentemente, mas não era um exímio músico, então soava quase como uma série de assobios em tons aleatórios.

Acoplei uma mangueira a um bocal, na lateral, e girei um registro, enchendo tudo daquele mesmo líquido “amoeba”. Pus a caixa em um forno, junto com a lâmina bruta lá dentro, e me afastei, correndo para buscar o Adamantino, que serviria para fazer a outra metade da lâmina. Aquele mineral, em formato de pedra, foi colocado dentro de uma caldeira já pré-aquecida e ali ficaria até derreter.

— Uma vez derretida ela não pode ser derretida novamente. — Divaguei, olhando para o forno, por cima do ombro.

A caixa lá dentro continua um material que, ao ser aquecido, petrificava no formato exato da coisa ali dentro, e usaria aquilo para formar a segunda metade da lâmina, mas para isso precisava esperar algumas horas, tanto para o Adamantino derreter quanto para a massa de solidificação petrificar.

[...]

O som agudo da sineta me despertou e foi neste momento que eu tive certeza de que a fôrma que serviria o molde para a lâmina de Adamantino estava pronta. Fui até a porta do forno e a abri, recebendo uma baforada quente que me queimaria as sobrancelhas se eu não fosse filho de Hefesto, e puxei para fora a caixa, abrindo-a e tirando o, agora, tijolo com a parte interna exatamente igual à outra espada.

— Está perfeita. — Soltei a pedra no chão, com a boca para cima, e puxei a lâmina de dentro, observando o fino orifício que existia ali.

Despejei o Adamantino dentro, aos poucos, virando a vasilha na qual ele derretera, sempre usando um par de luvas bem grossas e protegidas contra queimaduras. O calor me fazia suar e meus músculos ardiam com o esforço, mas aquilo era bom, me sentia revigorado.

Quando todo o mineral derretido escoou e transbordou um pouco para fora da forma, peguei-a com ambas as mãos e à levei a um tonel de água, o que fez tudo borbulhar e a pedra sólida começar a desmanchar lentamente, dando lugar à lâmina de adamantino, ainda sem fio e sem tratamento algum.

— As lâminas gêmeas estão quase prontas... — Comentei, segurando ambas as peças. — Como diamantes brutos a serem lapidados...

Girei nos calcanhares e, mais uma vez, conduzi as formas de espada até um local um pouco mais iluminado e arejado por uma janela, onde havia uma bigorna e um martelo resistente o suficiente para dobrar o que eu desejasse, e assim a minha tarde terminou, golpeando a extremidade externa de ambas as lâminas até que elas se tornassem mais finas, porém, ainda estavam irregulares demais para chamar de lâmina.

— Tulio! — Pude ouvir meu autômato estalando e se tornando uma pequena nave. Rápido como um raio, voou até mim e entreguei a ele as peças, sendo claro nas ordens. — Preciso que leve estas espadas até a Lixa de Força e coloque fio nelas... coloque fio e limpe suas superfícies. — Entreguei a ele as peças e dois bracinhos maleáveis seguraram as lâminas brutas.

A máquina se virou e fui para a mesa de trabalho, pois no punho é que o trabalho mais complexo viria.

Peguei alguns moldes que eu já tinha pronto e passei a trabalhar em uma série de ranhuras que, ligadas a mecanismos pequenos e de grande resistência, funcionavam como pequenas pernas de aranha. Sensores codificados para analisar apenas um ao outro, um em cada cabo, foram colocados nos cabos e testei um no outro a primeira tentativa, porém, nada de funcionar.

— Mas que droga... — Umedeci os lábios e me soltei para trás, na cadeira. — Gosto quando as coisas funcionam de primeira.

Voltei a me debruçar por cima do cabo, com uma chave de fenda, e soltei alguns parafusos, observando as trilhas de processamento lógico dos sensores, uma a uma, analisando cada pequena ranhura de cobre que compunha a parte de alimentação da...

— A alimentação, seu estúpido! — Passei a mão na testa, observando o objeto. — Você precisa de algo como combustível. — Abri um sorriso um pouco mais largo. — Você mesma vai abastecer a espada... mas a energia não será em vão.

Segurei o cabo e pus um Rubi Real ali, acoplando-o anatomicamente à constituição do punho, repetindo o processo com uma Esmeralda Real na empunhadura restante.

Quando Tulio trouxe as lâminas, extremamente bem afiadas, segurei as peças e acoplei na empunhadura, tomando o cuidado de soldar cada um dos pontos de ligamento, me certificando de que as peças não se projetariam para longe com um movimento brusco.

Com tudo devidamente funcionando, aproximei ambas as espadas uma da outra e usei um pouco de minha força divina, a essência-combustível que carregava como legado de Vulcano, e as pinças de aranhas funcionaram, buscando umas às outras, e se abraçaram, transformando as espadas de fio único em uma espada grande de fio duplo.

— ESTÁ VIVA! HAHAHAHAHHA! — Dei uma risada imitando Doutor Frankenstein.

RESULTADO FINAL

• Supremacy [Supremacy é uma espada de tamanho mediano, de duplo corte. Mas possui a habilidade de separar-se e transforma-se em duas espadas gêmeas, de corte único. O fio de corte é extremamente afiado. Em sua forma original ela é feita de adamantino e ouro imperial e com as pedras de esmeralda real e rubi real conferindo um bônus no crítico e no dano provocado. As pedras mágicas são localizadas na empunhadura. Quando separadas, as espadas gêmeas assumem um dos metais e uma das pedras. A espada de ouro imperial é acompanhada com o rubi real, que acrescenta 20 de dano causado, esse material provoca sangramento continuo apenas em semideuses, assim como perda contínua de 10 de dano. A espada de adamantino leva a esmeralda real, que aumenta o crítico em 30%, esse material provoca sangramento continuo em todos (menos seres divinos)| Efeito: Ela tem o efeito de sempre retornar ao dono depois de algum tempo – Bônus¹: Sangramento contínuo em semideuses + 20 de dano bruto e efeito de 10 HP por turno após um golpe efetivo – Bônus²: Sangramento em qualquer inimigo + 30% de chance extra de se conseguir dano crítico e efeito de 10 HP por turno após um golpe efetivo. | Adamantino e Ouro Imperial | Rubi Real e Esmeralda Real | Resistência: Alfa| Status: 100%, sem danos. |Comum - Mágico | Nível mínimo para manejo: 30| Forjado por Andrew J. Parker]
A Nic é a melhor autistona minha betinha do mundo♥


Última edição por Andrew J. Parker em Dom Abr 16, 2017 1:48 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Andrew J. Parker
I Coorte
I Coorte

Mensagens : 67
Data de inscrição : 18/10/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Taurus' Forge.

Mensagem por Zeus em Dom Abr 16, 2017 12:26 pm

Avaliado
Ortografia e afins - 100 Xp
Criação - 100 Xp
Aparência - 50 xp
Outras considerações - 150 xp
Bonus - +100 xp creditados pela esselencia da postagem
Total de ganhos = 500 xp


Lorde Zeus
avatar
Zeus
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 1185
Data de inscrição : 01/09/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Taurus' Forge.

Mensagem por Dimitri Lancaster em Ter Abr 25, 2017 4:11 pm

Tipo de Item: Escudo
Nome: Ocean Wall
Materiais:
Spoiler:

Vibranium (5000 dracmas)
Descrição: metal conhecido por sua defesa perfeita, absorve 100% do impacto, assim, quando qualquer golpe atinge esse metal, nenhum dano será sofrido (golpes de energia, mágicos e o impacto do golpe ainda afetam o semideus).
Resistência: Super Alfa (único item que decrescem em 5 em 5).
Uso: 1 forja
Dano base em humanos: 45 (+15 de sangramento por turno, podendo ser adicionado mais dano, pois a arma absorve substancias e impactos)
Dano base em semideuses: 45 (+15 de sangramento por turno, podendo ser adicionado mais dano, pois a arma absorve substancias e impactos)
Dano base em monstros: 45 (+15 de sangramento por turno, podendo ser adicionado mais dano, pois a arma absorve substancias e impactos)

Arambarium (900 dracmas)
Descrição: metal extremamente raro e que se assemelha visualmente a prata polida. Esse material é raro por sua sintonia energética com o primordial e o elementar. Assim, amplifica os poderes mágicos em 25%. Também aceita com perfeição acessório mágicos como as gemas.
Resistência: Beta
Uso: 1 forja.
Dano base em humanos: 10
Dano base em semideuses: 10
Dano base em monstros: 25

Descrição:


Ocean Wall: Um escudo corporal medindo 150 centímetros de comprimento, 60 centímetros de largura e 3 centímetros de espessura. Todo em uma coloração cinza com alguns detalhes em prata, com uma safira situada em seu centro, sua estética o torna como um escudo de idade indecifrável. Feito puramente de vibranium para uma resistência melhor, contendo no interior do escudo com uma capacidade de armazenar até três gemas.


avatar
Dimitri Lancaster
Ceifadores de Thanatos/Leto
Ceifadores de Thanatos/Leto

Mensagens : 360
Data de inscrição : 19/12/2016
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Taurus' Forge.

Mensagem por Andrew J. Parker em Ter Abr 25, 2017 8:20 pm

Aceito o Serviço! O valor total será de 6400... Como não é tão complicado de se fazer estou o cobrando apenas 500 de Mão de obra, pode ser?
avatar
Andrew J. Parker
I Coorte
I Coorte

Mensagens : 67
Data de inscrição : 18/10/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Taurus' Forge.

Mensagem por Dimitri Lancaster em Ter Abr 25, 2017 8:21 pm

Valor aceito. Caso seja necessário pode já retirar da ficha o valor para a compra dos materiais.


avatar
Dimitri Lancaster
Ceifadores de Thanatos/Leto
Ceifadores de Thanatos/Leto

Mensagens : 360
Data de inscrição : 19/12/2016
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Taurus' Forge.

Mensagem por Andrew J. Parker em Ter Abr 25, 2017 8:26 pm

 

Outra longa manhã se iniciava. E outro trabalho difícil estava nas suas capazes mãos. Outro pedido vindo de Roma, desta vez por um jovem ceifador e legionário da Coorte II. Gerrard era seu nome se ele bem se lembrava, ficava se perguntando por que os romanos eram tão complicados em fazer armas, se bem que o próprio era filho de Vulcano sendo assim um romano.

Um riso fora dado com os próprios pensamentos matutinos enquanto os raios de sol começavam a iluminar a penumbra no céu, uma brisa de vento gélido ia de encontro ao seu corpo a medida que pegava as chaves da sua garagem.

Adentrou seu local de trabalho e logo o fechou, tinha a impressão que perderia o dia fazendo o seu pedido, que pelo que se lembrava se tratava de um escudo bastante complexo. O seu corpo era em base de Vibranium, um material bastante defensivo que tinha resistência até aos mais poderosos golpes físicos, já as bordas eram feitas em Arambarium que aumentava as magias em 25%... Um bom escudo de fato, sentiu até uma invejinha por ele não ser o portador de tal arma defensiva.  Bateu a mão uma vez fazendo o barulho ecoar para se despertar por completo, já havia comprado os materiais necessários, agora era iniciar o trabalho.

Pois as luvas grossas e logo levou o Vibranium a uma forma de um metro e cinqüenta centímetros de comprimento e sessenta centímetros de largura em formato retangular, e de lá a levou para a fornalha, visando derreter o material e deixá-lo em seu estado líquido, assim quando fosse removido colocaria em um local específico tal forma para que esfriasse e voltasse ao seu estado sólido naquele formato.

Enquanto o escudo esfriava agora faltava montar suas bordas. Levou a folha que recebeu do romano até sua scanner, fazendo uma cópia digital do formato do escudo, separando assim suas bordas levando uma chapa de Arambarium até a máquina que apelidou como Plasma Cutter. Pegou as imagens salvas dos formatos da borda e começou a fazê-los um a um, separando as peças e anotando com um marca texto onde cada uma se encaixaria. Espreguiçou-se calmamente, já havia trabalhado uma hora e as coisas estavam bastante adiantadas.  Pegou um papel e começou a desenhar o formato de cada uma das peças cortadas já dando vida ao escudo e estava perfeitamente igual ao da foto. Um sorriso se abriu na face do moreno vendo que sua criação iria ficar magnífica.

Terceira parte, a jóia do centro e nas laterais. Foi para outra parte da sua garagem, uma com diversas pedras que conseguia arranjar durante viagens ou até mesmo ganhava de presente. Escolheu uma de tonalidade azul escura que tinha lá, pegou um lápis junto a um papel e começou a desenhar os cortes na pedra que serviria de encaixe no escudo. Levou a pedra até uma máquina de cortes a laser, antes utilizou de uma caneta marca-texto para desenhar na pedra onde seria os cortes e de quê formato. E inicializou. Fez o primeiro que seria uma espécie de losango vazado, logo em seguida fez os em formato retangular, alguns com uma curvatura, outros eram totalmente retos. Sentia seu suor pingar não pelo esforço físico, mas por ter que ser extremamente detalhista em cada peça, extremamente preciso para que não acontecessem falhas na hora de encaixá-las. Suspirou pesadamente quando terminou e tratou de por as pedras em uma caixa, as colocando próximo aos materiais que fariam a borda do escudo.  

Suspirou pesadamente, outra hora fora pedida na confecção das jóias. Não havia mais o que fazer no momento se não esperar o Vibranium solidificar. Foi até a geladeira pegar um suco, alguns biscoitos e jogar algo em um Notebook para passar o tempo.


[...]

Já era fim da tarde, Andrew já havia comido petiscos, almoçado, tendo até sua quota limite de jogo alcançada.  Só quase anoitecendo que o Vibranium fora ser endurecido novamente. Pulou da cadeira que estava recalcando as grossas luvas abrindo calmamente a forma que estava o Vibranium, estava rígido e pronto para tomar sua forma, um sorriso de empolgação se formou nos lábios do filho de Vulcano, agora a diversão começaria.

Pegou seu martelo e o mergulhou em um pequeno balde com água o deixando próximo a bigorna.  Caçou sua pinça e logo após encontrá-la a levou até o escudo o segurando, última parte, alterar o calor da fornalha. Feito isso tratou de guiar o material de Vibranium até a fornalha por alguns segundos, até que estivesse fervilhando. O removeu e levou até a bigorna, pegando seu martelo encharcado e batendo contra o minério. A cada golpe, fogo saia junto com faíscas, o cheiro da água evaporando era quase como um perfume francês para o ferreiro, largou o martelo dentro da bacia d’água quando este esquentou e levou de volta o escudo ao fogo, repetindo o processo algumas vezes mais até tomar a forma necessária. Tendo o formato alcançado, mergulhou o escudo n’água para tirar qualquer vestígio de superaquecimento do metal.

Enquanto pegava sua enceradeira mais utilizada em carros, tratou de ir até o computador onde colocara algumas músicas da banda Set it Off para tocar. A primeira da lista era a “Nightmare”.  Voltou a sua atenção ao item defensivo, enquanto começava a encerá-lo depois de ter sido removido da água, queria deixar este tão brilhante quanto uma pedra bruta de diamante enquanto murmurava a música no trabalho.

They’re coming, creeping from the corner. And all I know is that I don’t feel safe.
I feel the tapping on my shoulder.  I turn around in alarming state.


Após o material ter sido devidamente encerado, um sorriso maníaco se abriu na face de Andrew, pegou um pequeno frasco que continha uma tinta de cor acinzentada, começando a passar por toda a base do escudo, fazendo quase uma camuflagem por toda sua extensão. Levou o dorso da luva ao rosto limpando o suor para não pingar na superfície do equipamento. Afastou-se indo de encontro a brisa fornecida pelo ar-condicionado local para descansar enquanto a tinta secasse.

But am I losing my mind? I really think so…
Not a creature in sight, But what you don’t know is that

Enquanto descansava a música havia trocado, agora a qual ecoava em sua mente e na sua garagem era a “Why Worry”, um suspiro fora dado enquanto começava a cantar indo em direção ao escudo verificando a tintura e logo o pois contra a luz, estava lindo. Apesar de que teria de dar uma segunda demão quando terminasse todo o trabalho.   Riu baixo e logo tratou de pegar a pinça novamente, fazendo uma única coisa antes de iniciar a moldagem das bordas do escudo, colocando ao lado do escudo um papel com todo os desenhos de onde se encaixariam as bordas e todo um detalhamento técnico. Apertou as luvas pegando com a pinça uma peça do Arambarium e o levando até a fornalha, apenas para que esquentasse a ponto de colar na superfície do escudo. Feito isso o levou até o escudo e a colocou sobre, martelando contra o escudo até que se encaixasse e acoplasse. E foi repetindo, peça por peça, encaixe por encaixe.

This sinking feeling set. It’s feels just like a hole inside your chest!
I know you’re thinking. No,no,no,no, it is easier said than done. But let me attest, i know its hard!

As bordas estavam prontas, agora era encaixar as pedras. Foi pegando uma a uma e as encaixando contra os encaixes que havia previamente feito a medida que foi fazendo as bordas. As prendia logo em seguida com uma parafusadeira, assim como colocava algumas em determinadas partes do escudo para manter o molde de Arambarium ali. Uma risada sádica escapou dos lábios do moreno enquanto ele murmurava para si. – Está quase tudo pronto... 90% do trabalho concluído, e ele já parece ameaçador... Que inveja desta minha obra... Sorriu observando o escudo, pegando um pano com um líquido azul, onde ia passando em cima da cada pedra, aumentavam ainda mais o brilho daquelas jóias e selavam ele. Agora, era hora dos acabamentos.

You’re feeling like you’re trapped! But that’s how you react!
When you cannot see the light. But try and see the light!
I’m telling you. No,no,no,no You’re the only one, standing in your way.
Just take a breath, relax, and tell me…

Levou uma espada que estava escorada ali perto até a fornalha para que sua lâmina esquentasse, a baforada quente o mataria naquele momento se não fosse o filho do grande forjador. Ao invés disso, aquela baforada apenas animava-o ainda mais ao trabalho, um sorriso fora dado após remover a lâmina fervendo, e começou a fazer alguns cortes suaves em algumas partes específicas no escudo, como se fossem marcas de combate. Terminando aquilo levou a espada a uma bacia d’água e a deixou ali enquanto o líquido evaporava com o toque do metal quente. Andou até uma determinada parede na extremidade direita da sua oficina, onde havia algumas tiras de couro grosso, pegou duas delas e as recortou em um tamanho necessário. Pegou a parafusadeira e prendeu duas tiras daquele coro na parte de trás do escudo que ficariam de suporte no antebraço esquerdo. Pegou uma espécie de alça de ferro, a esquentou nas pontas, e a grudou um pouco mais a frente das de couro, para que o semideus segurasse com a mão ali.

 Why? Please tell me why do we worry?
Why? Why do we Worry at all?
Why? Just tell me why do we worry?
When worry is never helping tell me why worry at all?

Finalmente, o escudo estava pronto! E estava magnífico. Faltava apenas duas coisinhas. O segurou nas mãos e começou a concentrar o resto das energias que sobrou no corpo do garoto o carregando com a magia do Vulcano, até que ele se tornou um bracelete com uma pequena jóia azul em seu centro. O tornou no formato do equipamento defensivo novamente, e aproveitou para escorá-lo em algum lugar, e golpeá-lo fortemente com o seu próprio martelo de combate. Realmente ele estava absorvendo todo o dano, o Vibranium era realmente impressionante, e quando o jovem filho de Netuno resolvesse adicionar magia a ele então, seria quase invencível. Deu os retoques finais no acabamento do escudo em relação a camuflagem cinza dele, e adicionando dois slots fora o do losango para gemas, somando três no total. Estava pronto para ser entregue e sorriu com mais um trabalho bem feito, porém invejoso por saber que não poderia ficar com tal.

RESULTADO FINAL

• Ocean Wall: Um escudo cinza feito brutalmente de Vibranium, tendo suas bordas confeccionadas por Arambarium, quando não está em combate torna-se um bracelete no antebraço esquerdo do semideus portador. Sua aparência de combate é um escudo que mostra já ter sido utilizado em muitos combates e sofrido danos quase nulos. As pedras mágicas são localizadas no centro do escudo na área do losango vazado, e os outros atrás do escudo perto da área da guarda. Suas medidas são, um metro e cinqüenta centímetros de comprimento, sessenta centímetros de largura e três centímetros de espessura, mas, bastante leve por se tratar de um minério não tão pesado, porém diminuindo bastante a mobilidade daquele que o detém em combate. Os efeitos do material são a absorção de 100% do dano causado por armas, ou golpes (ressaltando que não anula danos de impacto e colisão. Fora golpes mágicos ou rajadas.), e o aumento em 25% de qualquer magia que o escudo possa vir a obter. (Seja por gemas ou não.) |  Vibranium e Arambarium |  Resistência: Super Alfa | Status: 100%, Sem danos. |Comum - Mágico | Nível mínimo para manejo: 10| [Forjado por Andrew J. Parker]
A Nic é a melhor autistona minha betinha do mundo♥
avatar
Andrew J. Parker
I Coorte
I Coorte

Mensagens : 67
Data de inscrição : 18/10/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Taurus' Forge.

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 6 1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum