The Blood of Olympus
Para visualizar o forum é necessário estar cadastrado, por favor registre-se no rpg ou entre em sua conta. É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome, não se cadastrar usando nomes geralmente utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

CCFYs- James Lane

Ir em baixo

CCFYs- James Lane Empty CCFYs- James Lane

Mensagem por James Lane em Qui Dez 03, 2015 2:34 pm



The Lies















Tópico dedicado aos posts solos (CCFY) referentes à trama de James Arthur Lane, posts de terceiros serão permitidos, desde que estejam participando em conjunto com James na mesma missão de modo a desenvolver a trama do garoto.



Última edição por James Lane em Dom Dez 27, 2015 6:31 pm, editado 2 vez(es)
James Lane
James Lane
Filhos de Hécate
Filhos de Hécate

Idade : 20

Voltar ao Topo Ir em baixo

CCFYs- James Lane Empty Re: CCFYs- James Lane

Mensagem por James Lane em Sab Dez 08, 2018 8:30 pm

J
ames Arthur
Lane
Sinto que o anjo caído esta aqui, ele esta em mim! Eu sei que quando chegar o momento ele se levantará do chão e cobrirá todo o planeta com suas asas nos deixando em absoluta escuridão. Então, todos saberão que ele retornou e ninguém escapará da sua justiça!
Olhos violetas e garras douradas envoltas em uma névoa espessa e negra, carregada com magia e podridão. Uivos, rosnados e o barulho de carne sendo rasgada eram a trilha sonora de fundo daquele sonho que despertava em James uma urgência descomunal, um pedido de socorro que parecia ecoar na alma do garoto. “Vá, meu filho, ajude-o e ele também lhe ajudará” Uma voz melódica, calma como uma noite de verão interrompeu o terror, mas apesar da calma era possível sentir a urgência naquele pedido, como uma onda se formando em alto mar. Na superfície nada mais era do que uma ondulação, porém logo se tornaria algo enorme, com proporções gigantescas e tendência a destruir tudo em seu caminho. Um novo uivo agudo soou tão repentino e alto que tirou James de seus sonhos imediatamente, fazendo com que o garoto se sentasse sobressaltado sobre a cadeira

Demorou apenas alguns momentos até que o garoto estivesse completamente desperto e se lembrasse de tudo, onde estava, o sonho e como tinha adormecido ali no laboratório.

O relógio na parede soou três badaladas, marcando três horas da manhã e o uivo novamente cortou a noite, voltando a despertar o sentimento de urgência no peito de James que rapidamente pegou o cajado e o arco que em suas mãos respondeu a um comando mental e logo se encolheu, enrolando-se ao braço de James na forma de um bracelete negro e correu noite adentro. Os laboratórios ficavam em uma área aberta, uma entrada próxima a floresta que James usou para correr floresta adentro sem sequer pensar, através de raízes e galhos acoitando-lhe a pele, guiado por seus sentidos mais primitivos até a borda de uma clareira iluminada pela lua.

Sombras se moviam a uma velocidade assustadora, e além de seus vultos, tudo o que James havia conseguido ver eram lampejos de garras e um par de olhos violetas que cruzou olhares com o feiticeiro por um momento mínimo, mas no momento em que esses olhares se cruzaram o mundo pareceu congelar. Apesar da escuridão a visão do filho de Hécate funcionava como nunca, parecia até funcionar melhor do que na claridade e ainda assim o jovem não conseguia enxergar direito o que acontecia, pelos sons considerava que era uma batalha, mas quem lutava? Por que? Deveria interromper? Deveria ajudar algum dos lados?

Enquanto se perguntava os olhos continuavam a aparecer em seus pensamentos, olhos misteriosos, felinos, com pupilas em forma de fenda e quanto mais esses olhos apareciam em seus pensamentos, maior era o sentimento de que deveria ajudar essa criatura, qualquer que fosse ela. O cajado em suas mãos parecia pesado, cheio de poder, a pele de James formigava pronta para liberar seus poderes conforme seus instintos lhe instigavam a fazer exatamente isso, mas algo profundo na mente de James ainda o impedia

–Ajude-o James, ele precisa de ti, salve-o e ele também lhe ajudará quando precisar…

A voz de Hécate soou na mente do garoto, alta e clara, tão alta que ele sequer sabia se realmente estava apenas em sua mente ou se ela havia falado em voz alta de algum jeito e se assustou, afastando um passo de modo que tropeçou em uma raiz e quase caiu para trás, dando de costas contra uma árvore alta e antiga que ao ser tocada penetrou seus sentidos, cortando a ligação do garoto com o presente e transportando-o com um pulsar que lhe percorreu o corpo, terminando com uma pequena explosão de dor em sua cabeça ele se viu, literalmente, parado encostado na árvore, diante de uma nuvem negra que avançava em sua direção com dentes prateados brilhando contra os raios de luar que se insinuavam por entre as folhas. E de repente estava de volta a si, parado contra a árvore, assistindo quando a luta na clareira se voltou contra ele. Um dos vultos avançou rapidamente através das primeiras árvores que cercavam a clareira contra James, as garras apostas e dentes prateados como ele havia visto antes a mostra, em meio a um turbilhão de escuridão.

Em um movimento rápido o garoto estendeu o cajado a sua frente, usando a árvore de apoio enquanto não havia afirmado os pés no chão, segurando o com as duas mãos. Uma rajada de energia negra se desprendeu do cajado, formando uma barreira negra a alguns centímetros (-20MP). O que quer que estivesse atacando James chocou-se contra a barreira de trevas, fazendo-a ondular e tremer e se esticar, tornando-se cada vez mais fina. O impacto foi como um soco no estômago de James, obviamente a força daquela criatura era descomunal. E quando ela socou a barreira, o impacto foi demais, fazendo com o escudo estilhaçar se em uma centena de pedaços, a escuridão logo se desfazendo e se misturando ao ambiente como fumaça.

Um novo lampejo de dentes afiados demais surgiu na vista do garoto, dentes prateados que brilhavam e pareciam sorrir para a presa encurralada contra a árvore e apenas um momento antes que aqueles dentes voltassem a atacar tentando destroçar a carne do ruivo, algo saltou das sombras, uma criatura negra como a noite de dois metros e meio de comprimento e dentes afiados e brilhantes que pareciam capazes de esmagar os ossos de James até que não passassem de poeira e os olhos que o garoto jamais conseguiria esquecer, os olhos que o haviam trazido até ali.

O Lobo saltou das sombras contra a criatura que avançava contra James, fazendo-a soltar um guincho agudo, que pareceu perfurar os tímpanos do garoto quando os dentes do lobo de algum modo se prenderam aquela névoa negra que era a criatura. O filho de Hécate rapidamente se levantou, observando a luta que se desenrolava. A criatura que lhe atacou transformou-se em um tigre do mesmo tamanho que o lobo, dando início a uma luta brutal com sangue e pelos a voar pelos ares. Quando a criatura se transformou algo foi liberado, uma sensação que James não reconheceu imediatamente devido à sua concentração na luta.

Conforme as duas criaturas lutavam com unhas e dentes o garoto que observa notou que o lobo parecia mais machucado do que aparentava. Seus olhos, apesar da ferocidade, demonstravam pontadas de dor de tempos em tempos, como se houvesse algo que lhe incomodasse conforme se mexia e ao tentar entender melhor, conseguiu observar através dos contornos do animal um local onde a pele esticada sobre os poderosos músculos retesados mostravam uma saliência branca com um contorno estranho, ossos quebrados.

O oponente do lobo também pareceu perceber a fraqueza e em um movimento rápido e preciso ele atacou aquele ponto com suas poderosas garras, rasgando a pele e quebrando ainda mais os ossos. Mais sangue começou a escorrer e um ganido de partir o coração cortou o ar e o coração de James que se quebrou ainda mais quando o Lobo caiu de lado, a respiração ofegante.

Desesperado James procurou no chão um objeto, qualquer coisa que fosse afiada o suficiente para lhe cortar a pele, até encontrar uma pedra com uma ponta bastante aguçada e cotou-lhe as costas da mão esquerda, uma runa se formando conforme ele ia cortando (-10 HP). O sangue começou a escorrer da mão do semideus, empapando-a e deixando-a grudenta, mas logo uma brisa suave envolveu o rosto de James e escorregou pelo seu corpo até a mão cortada, acariciando o ferimento que formava a runa Perdhro.

Com um comando o arco que se encontrava em forma de bracelete se formou na mão ferida de James, que sentiu o corte latejar conforme segurava a arma já suja com seu próprio sangue. O treinamento com Emmanuelle passou todo pela cabeça de James, enquanto ele via o tigre sorrir, apreciar sua presa caída no chão, esquecendo-se do semideus, ou talvez apenas o estivesse ignorando-o, afinal aquele filho de Hécate não era nada para o enorme tigre.

Concentrado no alvo James puxou a corda sentindo o arco se retesar cada vez mais em sua mão. Uma flecha negra foi se formando no espaço destinado a ela, enquanto James puxava a corda que se tornava mais forte e sólida e envolta em uma aura negra, quanto mais ele puxava a corda, até atingir o ponto máximo onde conseguia estender a corda. A tensão do momento mantinha seus ombros erguidos, retesados junto ao pescoço sem que ele sequer percebesse, mas conforme o treinamento passava por sua cabeça o tempo pareceu desacelerar. James relaxou os ombros, mantendo a linha do braço perfeitamente reta, mirando o lombo do tigre que se preparava para finalizar com a vida do lobo que parecia cada vez mais próximo de parar de respirar.

A respiração de James parou, assim como o tempo, quando ele abriu os dedos que seguravam a corda retesada. Há momentos em que os pensamentos acabam se formando mais rápido do que o tempo é capaz de passar, fazendo com que tudo parece ter entrado em um modo de câmera lenta. A flecha lentamente escorregou pelo ar, impulsionada tanto pela poderosa corda do arco, quanto pelo ar que em um comando do semideus, envolveu-a em uma fina, porém poderosa corrente que lhe guiou até seu destino, fazendo-a se enterrar profundamente no lombo do lado esquerdo do tigre.

Uma brisa lenta e agradável soprou contra James, trazendo o cheiro do sangue e de terra revirada para o nariz do semideus, e o olhar do tigre pareceu chocado ao se virar para o semideus, mas havia algo além do choque naquele olhar; um ódio que fervilhava através dos olhos do animal, que brilhavam como prata líquida, um ódio profundo, de proporções colossais e antes que James tivesse tempo de reagir aqueles olhos estavam sobre ele, tão rápido que o garoto não conseguiu sequer sentir a pancada de seu corpo contra o chão. A pata enorme do animal foi colocada sobre seu peito, as garras saltaram ficando novamente a mostra e se enterraram fundo na pele do garoto. Um grito escapou de Lane que segurou as patas do animal com ambas as mãos.

Em um frenesi desesperado causado por um surto de adrenalina a mente de James se clareou completamente, como se o garoto tivesse todo o tempo do mundo para pensar e assim ele lembrou de seus poderes, recebidos de sua mãe. Soltando as mãos do animal ele invocou uma esfera púrpura de energia na ponta dos dedos indicadores de cada mão. Em um movimento ágil lançou uma das esferas contra a pata direita que se apoiava no chão e a outra ele colocou sobre a pata esquerda que estava sobre o peito do garoto.

Um olhar de surpresa tomou o tigre que despencou sobre as patas dianteiras, rosnando para James, infelizmente a criatura era pesada demais e ao cair, metade de seu tronco havia caído sobre o garoto. O ódio no olhar daquele felino pareceu se aprofundar ainda mais e utilizando as patas traseiras, ele virou o corpo e avançou para acabar com a vida do garoto, lhe mordendo a face antes que ele tivesse tempo de fugir. Aceitando o fim James apenas fechou os olhos e esperou.

E esperou. Mas o fim não veio. Tomado de surpreso e medo, medo de abrir os olhos e encontrar seu fim, medo de que o grande felino fosse cruel o suficiente para fazer com que o garoto encarasse seu fim de olhos abertos, ele continuou aguardando pelo que pareceu uma eternidade até que por fim abriu os olhos.

O felino não estava mais acima dele. James não ousou se mexer muito, mas virou a cabeça para o lado esquerdo. Por mais um momento naquela noite o coração de James quase parou. O tigre se encontrava deitado, os olhos abertos pareciam ter perdido o brilho. Sangue escorria de um ferimento aberto no pescoço. Ferimento, na verdade, era um modo de descrever aquilo com mais delicadeza. Metade do pescoço do animal fora arrancado, deixando suas vísceras expostas e uma trilha de sangue era visível pela terra, levando até o enorme lobo que estava deitado ao lado, a respiração ainda ofegante, porém cada vez mais fraca.

James se levantou rapidamente, orando a Hécate para que ajudasse aquela criatura tão magnífica. Sem pensar James se pôs em frente a ele, observando-o nos olhos, que demonstravam a dor que a criatura sentia. Provavelmente não sobreviveria muito.

–Hécate, por favor… Mãe! Eu lhe peço, ajude este ser, eu lhe dou qualquer coisa, fico lhe devendo um favor, a minha alma, mas ajude-o.

Nada além de silêncio em resposta a sua prece. Os olhos de James se voltaram para o céu, em busca de algum sinal, qualquer coisa, mas nada lhe ocorreu. Novamente voltou a encarar a criatura e como se algo houvesse se desbloqueado em sua mente, ele soube o que precisava fazer. Hécate não podia Ajudar, aquele era o domínio de Thanatos e ela como deusa não podia interferir diretamente, mas James sim. O sangue ainda escorria do ferimento em sua mão. O corte devia ser mais fundo do que o planejado.

Olhando nos olhos do Animal James recitou algumas palavras mágicas que foram surgindo em sua mente. Uma invocação de um tipo de magia antigo, que surgiu em sua mente com um toque familiar. Conforme falava, o garoto sentia sua energia mágica ser sugada pelas palavras de modo a dar poder a elas. O lobo levantou a cabeça, encarando James, em uma pergunta silenciosa. A qual o garoto assentiu e o lobo respondeu assentindo também.

–Meu nome é James Arthur Lane, filho de Hécate - disse para o lobo e para o ar. A magia fluindo cada vez mais forte de suas veias para o feitiço que cercava a ele e a criatura, a presença de Hécate se tornava cada vez mais forte no ambiente, como se estivesse abençoando a decisão de seu filho por ter salvo uma de suas criaturas – Nesta noite, ofereço minha força em tributo por esta criatura e peço-a que ela una-se a mim, proteja-me e eu o protegerei com  minha vida.

Sem muitas delongas o lobo acenou com a cabeça, selando o acordo entre criatura e semideus. E para finalizá-lo James abriu a mão ensanguentada e tocou o focinho do lobo, marcando-o com seu sangue, selando em definitivo o acordo. Um raio pareceu percorrer o corpo do semideus e antes que ele percebesse sua visão escureceu e ele desmaiou.

[...]

O sol brilhava através das janelas abertas da enfermaria, sua luz incidindo diretamente contra os olhos fechados do adormecido James. Que lentamente os abriu. A dor foi a primeira coisa que sentiu, depois veio a fraqueza e então as memórias. Um turbilhão de imagens desesperadoras que bagunçara os seus sentidos até que restasse uma única pergunta: Onde estava o lobo?

Como que em resposta a sua pergunta, um corvo voou através da Janela e pousou na cabeceira do leito de James, as penas negras brilhavam refletindo a luz do sol. Lentamente James se sentou na cama, seu corpo processando contra o esforço que o garoto fazia, ainda esgotado demais para que funcionasse bem. Os olhos de James encontraram então os do corvo e nesse momento o garoto soube que estava ligado para a vida com a criatura. “Olá James, meu nome é Rhysand e temos muito o que fazer ainda”.

Recompensa desejada:

Metamorfo Etéreo
Os metamorfos de Hécate são em sua forma original criaturas espectrais encapuzadas que chegam a medir 2,5 metros de altura e possuem uma pele acinzenada e apodrecida. Além das mãos da criatura, não é possível se ver nada por baixo do capuz negro que os cobre, além dos olhos da criatura que no caso de Rhysand são de um tom vívído de lilás. Essas criaturas foram criadas por Hécate com o objetivo de manter a ordem no tribunal dos mortos e também caçar almas e criaturas do Hades dentre o mundo dos vivos e por isso foram abençoadas com o dom de assumir uma forma corporal através do transmorfismo animal, além de possuírem uma aura que causa medo em mortais..

FPA — James Arthur Lane

Poderes, Habilidade e Feitiços:

PODERES PASSIVOS DOS FILHOS DE HÉCATE
Nível 1
Nome do poder: Descendente da Magia I
Descrição: O filho de Hectare/Trivia é descendente direto da magia, ela corre por seu sangue, e para ele, age como um condutor natural. Essa ligação lhe permite uma aprendizagem rápida de feitiços, conhecimento de livros antigos, bem como realização dos mesmos. Ao aprender sobre magia, a prole de Hécate/Trivia, também fica mais forte.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus:  Ganha 10% de força em seus feitiços (em poderes ativos).
Dano: +5% de dano se os feitiços acertarem.

Nome do poder: Detector de Magia
Descrição: Filhos de Hécate/Trivia sentem quando se aproximam de uma natureza mágica - seja outro filho de Hécate/Trivia, um feiticeiro, item mágico ou criatura que esteja sob o efeito de algum encantamento.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Sempre sabem quando estão na presença de outra pessoa com magia, item, ou monstro.
Dano: Nenhum

Nível 6
Nome do poder: Amante da Lua
Descrição: Durante a noite, o filho de Hécate/Trivia tem seus poderes mágicos aumentados de acordo com a luz da lua, ou seja, quando mais intensa ela for sobre o semideus, mais poderosos seus feitiços serão.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: +20% de força em seus feitiços.
Dano: +10% de dano se o feitiço acertar o oponente.

Nível 9
Nome do poder: Olhos Noturnos
Descrição: Os filhos de Hécate/Trivia enxergam tão bem no escuro quanto de dia, a noite não incomoda sua visão de fato, portanto, desde que a escuridão ao redor não seja algo magico, ou com efeito de cegueira e etc, o filho da deusa da magia irá continuar vendo normalmente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: A escuridão normal não afeta a visão da prole da magia.
Dano: Nenhum

Nível 10
Nome do poder: Descendente da Magia II
Descrição: Sua magia ficou ainda mais forte. Ao entender como ela funciona, o filho de Hécate/Trívia começou a compreender como deixar seus feitiços ainda mais fortes, e agora consegue usa-las de uma forma ainda mais potente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus:  Ganha 15% de força em seus feitiços (em poderes ativos).
Dano: +10% de dano se os feitiços acertarem.

Nível 15
Nome do poder: Descendente da Magia III
Descrição: Você andou praticando? O resultado do seu esforço e do seu treinamento lhe fizeram um feiticeiro experiente, e agora sua magia além de ter ficado mais forte, lhe tornou um bruxo experiente.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus:  Ganha 20% de força em seus feitiços (em poderes ativos).
Dano: +15% de dano se os feitiços acertarem.

Nível 16
Nome do poder: Clarevidência II
Descrição: Agora você consegue ver alguns flashes de futuro, mas o dom ainda não é pleno e isso ainda lhe causa cansaço e dor de cabeça, além do mais, para o passado, o dom se estende para ver coisas que aconteceram há meses e ainda funciona apenas através do toque.
Gasto de Mp: Nenhum
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum



PODERES ATIVOS DOS FILHOS DE HÉCATE

Nível 4
Nome do poder: Escudo Sombrio
Descrição: As sombras são magnificas armas de combate, mas também tão magnificas armas de defesa, em frente ao filho de Hécate/Trivia surgira um escudo de sombras totalmente negro que lhe protegerá de qualquer ataque físico enquanto permanecer ativo. Esse escudo resiste a qualquer tipo de ataque, e protege todo o corpo do filho de Hécate/Trivia, mas não é capaz de proteger mais de uma pessoa ao mesmo tempo.
Gasto de Mp: 20 MP por turno ativo
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: Nenhum
Extra: Nenhum


Nível 12
Nome do poder: Esfera Paralisante
Descrição: O semideus faz crescer sobre a ponta dos dedos duas mini esferas de energia arroxeada, e lança contra o inimigo, o membro que for atingido por essas esferas, ficara paralisado durante um turno inteiro ( o turno seguinte aquele que o semideus lançou a esfera), o que lhe dá uma chance maior de atacar.
Gasto de Mp: 10 MP por esfera
Gasto de Hp: Nenhum
Bônus: Nenhum
Dano: 5 HP por esfera
Extra: A paralisia dura apenas um turno, o seguinte ao que o semideus lançar a esfera.

FEITIÇOS E RUNAS DO GRIMÓRIO

Nível 18 – Runa Perdhro: Ao desenhar tal runa, a de invocação do ar, sobre a própria pele o indivíduo poderá controlar correntes de ar ao redor das próprias mãos, como se esse fizesse parte do próprio corpo. Como defesa consegue amparar impactos, como ataque causa mais dano de impacto. [- 10 de hp]
Ramo: Primário: Ar.

Armas:
*Arco Magico: Consiste em um arco de material escuro, tende-se a crer que seja ferro estígio. A corda da arma é de tom claro, quase transparente. Em toda a estenção do arco vê-se o nome do filho da Magia entalhado. As flechas são magicas, surgem ao esticar da corda, as mesma são envoltas por uma aura negra que é capaz de aumentar em 5% o dano causado no oponente. [Transforma-se em um colar para as garotas e em um bracelete para os rapazes.]

Cajado : Aqui o filho de Hécate deve escolher entre um cajado ou uma varinha para realizar suas magias. Ambos são feitos de uma madeira escura (geralmente ébano) intrincada, com uma pedra colorida na ponta. A cor da pedra varia (assim como os olhos dos filhos de Hécate) de acordo com o humor do semideus.


NÃO TENHO MEDO NEM DE CHUVAS TEMPESTIVAS
NEM DAS GRANDES VENTANIAS SOLTAS,
POIS EU TAMBÉM SOU
O ESCURO DA NOITE.




A criança perdida na escuridão agora implora por sua alma que estará em chamas. Não se pode fazer mais nada; as trevas a espera, pois ela já esta no circulo. O demônio irá possuí-la e não haverá nada que conseguirá salvá-la daquilo que já esta previsto!

James Lane
James Lane
Filhos de Hécate
Filhos de Hécate

Idade : 20

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum